terça-feira, 21 de julho de 2015

GUEST POST: FUNDAMENTALISTAS QUEREM IMPOR SUA IDEOLOGIA SOBRE GÊNERO

Robson, autor do Consciência e do Veganagente, e colaborador habitual aqui do blog, mandou um novo texto excelente sobre o que é a verdadeira "ideologia de gênero" que a direita cristã quer tanto barrar na educação brasileira.

Têm-se multiplicado pelo Brasil, nessas últimas semanas, as discussões nas câmaras municipais e assembleias legislativas sobre os planos de educação de municípios e estados. Nesses debates, grupos evangélicos e católicos fundamentalistas têm ido protestar contra o que chamam de “imposição” de uma “ideologia de gênero” no ensino. Eles evidenciam, mesmo nessas manifestações, que não estão defendendo uma educação “sem ideologia”, mas sim querendo impor a ideologia deles relativa à construção (e imposição) dos gêneros e à sexualidade dos estudantes do ensino básico.
O que eles chamam pejorativamente de “ideologia de gênero” são duas propostas progressistas, que se complementam, para a educação. Uma é fazer valer nas escolas públicas regras que visem o combate ao machismo e misoginia, ao heterossexismo (homofobia, lesbofobia, bifobia e outras intolerâncias contra pessoas não heterossexuais) e à transfobia e cissexismo.
A outra é inserir, nas aulas que abordem os Direitos Humanos, discussões sobre como os gêneros feminino e masculino são construções sociais e são tradicionalmente tecidas por uma cultura que valoriza o que é considerado “masculino” e marginaliza o que é tomado por “feminino”, ao invés de um atributo individual de origem biológica ou divina. Nessa segunda proposta, também está incluído discutir em sala de aula –- e fora dela -– o preconceito e discriminação contra pessoas não héteros e pessoas trans.
Em outras palavras, não é “impor uma ideologia”, mas sim fazer os alunos pensarem por conta própria. É fazê-las refletir sobre as tradições ocidentais relativas ao gênero, à identidade individual de gênero e à orientação sexual –- tal como se reflete, por exemplo, sobre os valores morais do capitalismo -– e não dizerem “amém” a quem tenta impor que só “deveriam” existir homens e mulheres cisgêneros e heterossexuais. É serem educadas para o respeito incondicional às diferenças e para o repúdio às diversas formas de intolerância.
A real “ideologia de gênero” -– na qual a “ideologia” pode ser conceituada tanto como conjunto de ideias e crenças quanto como uma consciência deturpada, imposta pelos detentores de poder, da realidade –- está, pelo contrário, no que os pentecostais conservadores querem impor. Eles é que têm todo um plano de conformar -– inclusive violentamente, se considerarem “necessário” -– toda a diversidade de (identidades de) gêneros e orientações sexo-afetivas existentes em rígidos e limitados confinamentos.
Há toda uma ideologia conservadora e ditatorial sobre o que querem impor como conceitos de gênero e orientação sexual. Entre as crenças que essa ideologia pretende impor como “verdades”, estão que:
- Só existem dois gêneros: masculino e feminino;
- O gênero -– ou “melhor”, o sexo –- é imposto por Deus, por meio de características biológicas (como anatomia e produção de hormônios), a cada ser humano. Homens nascem obrigatoriamente com pênis, testículos e produzirão muita testosterona. Já as mulheres nascem, também mandatoriamente, com vagina, ovários e útero, e são destinadas a produzir muito estrogênio e progesterona;
- Pessoas que nascem com órgãos anatômicos “masculinos” e “femininos” ao mesmo tempo e/ou possuem limitação na produção dos hormônios “sexuais” são “aberrações antinaturais”;
- Os meninos devem ser sempre homens, e as meninas devem ser sempre mulheres. Tentativas de pessoas com pênis de “escolherem” se declarar mulheres ou não binárias, e de pessoas com vagina de “optarem” por se declarar homens ou indivíduos não binários, deverão ser punidas com violência, exclusão social e moral, privação total de direitos e, em alguns casos, morte violenta;
- Há toda uma série de comportamentos e tratos de personalidade que meninos deverão adotar como seres masculinos e meninas deverão assimilar como seres femininos. Por exemplo, azul é cor “de menino” e rosa é “de menina”; meninos devem brincar com bonecos de super-heróis e carrinhos e praticar esportes “viris”, enquanto meninas deverão brincar de boneca e casinha e praticar esportes “femininos”; os homens deverão optar por profissões “masculinas”, como engenheiros, futebolistas, lutadores de MMA ou intelectuais, e as mulheres deverão aceitar trabalhos “femininos”, como empregadas domésticas, professoras do Ensino Fundamental, enfermeiras ou assistentes sociais;
- Os homens devem ser fortes, assertivos e agressivos, enquanto as mulheres devem ser submissas, dóceis e incondicionalmente gentis;
- Só existe um único modelo válido de família: homem (marido), mulher (esposa) e filhos. Quaisquer outras combinações de pessoas (dois homens com filhos, duas mulheres com filhos, casais não monogâmicos, mães solteiras com filhos etc) não são famílias válidas e, portanto, deverão ser privadas de todo e qualquer direito de que famílias “verdadeiras” desfrutem;
- O homem é quem manda na casa, tendo autoridade sobre sua esposa e seus filhos. A esposa deverá obedecê-lo, sob pena de castigos físicos e/ou agressões verbais;
- Essas características e comportamentos são naturais, ditados por Deus, e não devem ser questionados em nenhuma hipótese, sob pena de repressão violenta;
- Quaisquer tentativas de homens de questionar ou transgredir a “masculinidade”, e de mulheres de fazer o mesmo com a “feminilidade”, serão punidas com violência, já que é “absurdo” homens se comportarem “como mulheres” e mulheres terem personalidades “típicas de homens”. O castigo violento deverá ser repetido até o indivíduo desistir de transgredir as características obrigatórias a seu “sexo” e passar a se conformar em obedecer às características “naturais” de seu gênero;
- Homens deverão se relacionar sexualmente apenas com mulheres, e vice-versa. A única relação afetiva “tolerável” entre pessoas do mesmo “sexo” é a amizade;
- A relação sexual tem como objetivo único a reprodução;
- Apenas a heterossexualidade é algo natural e aceitável. A homossexualidade -– chamada por essa ideologia de “homossexualismo” ou “pederastia” –- é ou uma escolha/ opção deliberada, ou um fruto de traumas decorrentes de abuso sexual;
- Não existem as “opções” bissexual, assexual, pansexual etc. Apenas heterossexualidade, a orientação sexual “correta”, e “homossexualismo”, a “opção” “errada”;
- O “homossexualismo” é proibido pelas leis de Deus, já que, entre outros motivos, não permite ao casal reproduzir-se e é considerado “objetivamente” uma “abominação”;
- Quem “escolher” ser homossexual deverá ser punido por meios como violência física, discriminação, estigmatização, exclusão social, perda de direitos e, nos casos mais “escandalosos” e “imorais”, morte violenta;
- A legalização e aceitação moral do “homossexualismo” levará a “consequências nefastas”, como a autoconversão deliberada em massa de heterossexuais em homossexuais, a diminuição drástica do número de famílias, uma queda vertiginosa no nascimento de novos seres humanos e, por tabela, a decadência populacional da humanidade rumo à sua extinção.
Tendo em vista que o conservadorismo fundamentalista é munido de todo esse sistema ideológico de crenças, não nos deixemos enganar por quem diz ser “contra a ‘imposição’ da ‘ideologia de gênero’ nas escolas”. Porque eles não querem uma educação “neutra” e “sem ideologia”, mas sim uma escola que funcione como extensão da igreja, um centro de doutrinação moral-religiosa cristã, conservadora e tradicionalista, onde os professores complementem o papel dos sacerdotes.

102 comentários:

Anônimo disse...

Eu já falei aqui que tinham machos no vagão feminino e a desculpa que os zomi deram era que se eles se achasse que eram mulher eles podiam entrar em qualquer local feminino, absurdo não confio em homem não. mais uma desculpa pra tomar os nossos lugares

Anônimo disse...

"a decadência populacional da humanidade rumo à sua extinção"

Tem que rir mesmo, o mundo mal consegue sustentar 7 bilhões de pessoas e os caras reclamando de quem não quer ter filho. Esses religiosos que tem 10 filhos por família ninguém fala nada, ficam botando mais filho no mundo pra disputar recursos e contribuir pra decadência populacional da humanidade rumo à sua extinção. Lamentável.

Anônimo disse...

Radtroll das 11:10 mais uma vez querendo minar o debate do blog com comentários nada a ver com o post. Só alertando pra ver se vcs acordam e não caem nessa dessa vez.

Anônimo disse...

Eu não sou radtroll é verdade eles falaram se eu disser que sou mulher eu posso entrar no vagão rosa. Estou falando da problematização de falta de educação no país se fosse um país de outro nível não teriam esses comentários.Que culpa eu tenho se criam os homens assim?

Anônimo disse...


é como 11:10 disse aqui não é um país educado, temos primeiro que ter essa educação na base pra depois colocar na escola, senão o que vai ocorrer é país tirarem filhos dessas escolas e colocarem nas cristãs e mais umas vez coxinhas vão ganhar.

donadio disse...

"a decadência populacional da humanidade rumo à sua extinção" é culpa "desse povo ignorante que só quer saber de fazer filho para ganhar bolsa-família".

E aí, a gente chora ou a gente ri?

Anônimo disse...

O medo deles e das validadoras do machismo (sindrome de Estocolmo) e que sabém que o que chamam de família e puramente baseado na hipocrisia e opressão histórica, e que o que chamam de masculinidade e facilmente desconstruico com embasamento no feminismo, não neste feminismo mainstream "limpinho fofinho" de internet, mas sim o feminismo combativo.
Não, família não educa, família perpetua conceitos machistas,família nuclear e um conceito falido, quem deve educar e o estado organizado, e organizado em prol de movimentos sociais históricos.

Nós não podemos desconstruir as injustiças entre homens e mulheres até desconstruirmos o casamento e instituição machista chamada família.

Algumas citações histórica de feministas radicais, para vocês estudarem, e se embasarem, e pararem com mimimmi de iuzomismo visto aqui tristemente perpetuado por validadores do machismo travestidas de liberais

Ana clara.


"O cuidado das crianças... é infinitamente melhor deixado aos melhores profissionais feministas que escolheram isso como vocação... Isto iria enfraquecer a estrutura familiar enquanto contribuiria para a liberação das mulheres". “Kate Miller, Sexual Politics 178-179

"Casamento como uma instituição desenvolveu-se do estupro como uma prática. Estupro, originalmente definido como abdução, tornou-se casamento por captura. Casamento significava que a tomada seria extendida em tempo. Apenas quando a masculinidade estiver morta – e ela perecerá quando a feminilidade devastada não mais a sustentar" Andrea Dworkin

Anônimo disse...

Bom Robson, o seu texto esta complicado de ler, pois tem verdades misturadas com besteiras e muito explicantismo desnecessário, mas vou pontuar o que acho que requer uma observação:

"Eles evidenciam, mesmo nessas manifestações, que não estão defendendo uma educação “sem ideologia”, mas sim querendo impor a ideologia deles relativa à construção (e imposição) dos gêneros e à sexualidade dos estudantes do ensino básico."

Isso e verdade, esse pessoal pensa que a única ideologia que pode existir e a deles, e inda fazem todo o tipo de contorcionismo semântico e usando falácias para tentar justificar o injustificável.

"Uma é fazer valer nas escolas públicas regras que visem o combate ao machismo e misoginia, ao heterossexismo (homofobia, lesbofobia, bifobia e outras intolerâncias contra pessoas não heterossexuais) e à transfobia e cissexismo."

Não que isso não seja valido, mas abordar as discriminações de forma individual, penso que não e a forma mais produtiva de combater as discriminações, penso que mais produtivo seria, nas escolas haver um ensino com foco em ensinar o respeito com os diferentes, abordando assim todas formas de discriminação. Se isso fosse feito acho que nem estaria havendo toda esta discussão, pois não teria chamado a atenção dos homofônicos.


"tal como se reflete, por exemplo, sobre os valores morais do capitalismo"

Eu dei uma boa rizada quando li isso, no capitalismo não existe qualquer valor moral algum, no capitalismo existe uma coisa apenas, interesse no lucro, tudo o resto e piada ou delírio gramciano, tanto no capitalismo e totalmente aceitável você ganhar dinheiro, produzindo bíblias ou se prostituindo, por isso não misture os dogmas das religiões monoteístas com o capitalismo.


"Entre as crenças que essa ideologia pretende impor como “verdades”, estão que:

- Só existem dois gêneros: masculino e feminino;"


Bom isso requer uma analise mais aprofundada, do ponto de vista meramente biológico existem só dois gêneros de fato, o resto e só construção social mesmo. No que se refere questão biológica mesmo, o que os estudiosos mesmo explicam e que existem homens que nasceram num corpo feminino e do contrario o mesmo, e muito procura fazer mudança de "sexo" para fisicamente serem do gênero com o qual se identificam, enquanto outros já aceitam a sua orientação sexual feminina mesmo estando num corpo masculino, e do contrario se vê o mesmo.

No mais o que você disse todo o mundo que frequenta este blog ou qualquer outro espaço feminista já sabe.


Agora o que esse pessoal da direita cristã, já queimo o filme da direita e um absurdo, misturam as coisas, são homofônicos, querem mandar na forma como as pessoas usam sua genital, são sexistas enfim só criam problemas para direita.

Eu sou de direita mas essa turma da ala cristã, não me representa de modo algum.

Jonas Klein

Laryssa disse...

Essas pessoas querem criar os filhos sob redomas de vidro, que ao primeiro toque se quebrarão, o nosso Estado é laico apesar de muitas vezes não parecer sendo assim eles não tem o direito de impor a todos suas crenças.

Talvez uma coisa que sirva para acalmar essa gente seja que tais aulas sejam opcionais como as de ensino religioso, mas duvido que aceitem sabem o porque, por quererem fazer com que todos sejam como eles um mundo ''perfeito'' em que suas crenças dominem a todos.


Laryssa

Bela Campoi disse...

Muito bom o texto: valeu-se do termo ideologia, usado pelos fundamentalistas, pra mostrar que são eles os propagadores de uma ideologia heteronormativa, machista e tudo que luto contra. Eu tenho medo dessas pessoas, mas suas posições me animam a lutar por um outro mundo: sou agente da mudança e essa consciência me foi trazida por eles, já que os conheci pessoalmente na câmara da cidade onde moro e trabalho. Perdemos, pois os vereadores tiraram os termos sexualidade e gênero do plano, mas manteram os PCN´s como base para a educação municipal, o que significa contemplar essas temáticas nas escolas. São ignorantes, no sentido mais simples do termo. Esse debate é inerente à escola, enfim: não tem volta. Como diz o poeta, os cães ladram, mas a caravana não pára!!

Anônimo disse...

Ana Clara tem países que se o homem não fizer a parte dele no casamento a mulher não quer nem saber não tem mulher pra fazer jantarzinho ou lavar a louça não ô o cara se porta ou ele é chutado, kkk elas são cavalas.

Anônimo disse...

Ana Clara, vc tem filhos?


Eu acho que não. Se tivesse, esse seu discurso revolucionário já tinha ido pelo ralo faz tempo.

Anônimo disse...

é como 11:10 disse aqui não é um país educado, temos primeiro que ter essa educação na base pra depois colocar na escola, senão o que vai ocorrer é país tirarem filhos dessas escolas e colocarem nas cristãs e mais umas vez coxinhas vão ganhar.
_
Mas o próximo passo claro, e extinguir estas instituições de ensino, grotesco em um estado laico termos "escolas cristãs" e grotesco em um país que passou pela violência de uma ditadura militar, termos "escolas militares" e como termos "escolas nazistas" na Alemanha.
Educação deve ser progressistas, e nenhuma destas instituições Forças armadas, igreja e família e de fundamento progressista.

Ana Clara.

Anônimo disse...

"Ana Clara, vc tem filhos?


Eu acho que não. Se tivesse, esse seu discurso revolucionário já tinha ido pelo ralo faz tempo"_
Hunf, mais um machista que acha que papel de mulher e ser mera incubadora, nada de novo.
Ana Clara.

Anônimo disse...

Fábio já você deve ter nascido do cu porque é um bosta e faz parte do clubinho do jonas, e se alguém vier defender o jonas por favor se joga da janela!!!!!!!!!!!!!!

Anônimo disse...

Boa, os educadores brasileiros deveriam primeiro se concentrarem em fazerem seu trabalho direito, que ensinar a ler e escrever, porque professor neste país esta devendo muito, basta ver o numero de analfabetos funcionais e cidadãos desajustados que saem das escolas atuais.

Anônimo disse...

Essa Ana Clara é doente. Não dá pra levar a sério nada do que ela diz.

Anônimo disse...

"se alguém vier defender o Jonas"

Olha só como elas seguem a cartilha de trollagem direitinho: ressuscitam polêmicas de posts passados só pra reviver a briguinha, baixar o nível e desvirtuar o assunto do post. É assim que tentam estragar teu blog Lola, já escrevi como funciona essa cartilha dos trolls aqui uma vez.

Anônimo disse...

Professores brasileiros deveriam antes de ficarem inventado merda, pensar em fazer o básico de seu trabalho, e ensinar alunos a escreverem pelo menos o próprio nome,no minimo isto porque nem para isto estão prestando. E muita desculpa para pouco resultado.

Anônimo disse...

Fábio, que sai de esgoto aqui e você, ESGOTO MASCULINISTA, e ainda se passa por anonimo para me atacar, volta pro bueiro de onde vc saiu

Ana Clara.

Anônimo disse...

Esse fake da Ana Clara é mascu se fazendo de feminista pra tirar print e depois postar nos fórums deles. Que eu saiba ódio nunca foi sinônimo de feminismo, mas ódio é só o que esse fake prega, modus operandi dos mascus.

Anônimo disse...

Esse fake da Ana Clara é mascu se fazendo de feminista pra tirar print e depois postar nos fórums deles. Que eu saiba ódio nunca foi sinônimo de feminismo, mas ódio é só o que esse fake prega, modus operandi dos mascus.
_
Não tenho tempo para ódio, mas vocês confundem combatividade com ódio, porque são limitados, e modus operandi mascu e se esconder no anonimato para acusar os outros de serem o lixo que são.
fraco você mascu.

Ana clara.

Anônimo disse...

"Ana Clara" acha que engana alguém colocando "esgoto masculinista" em letras garrafais rsrs, mas todo mundo sabe quem esse troll é de verdade.

Anônimo disse...

"CONFUNDEM COMBATIVIDADE COM ÓDIO" kkk agora ele se superou! Mascu também não prega ódio não, eles são apenas "combativos" igualzinho você, que aliás se usa do anonimato pra acusar homens e outras feministas "de serem o lixo que são", na real é só o que vejo tu comentando nesse blog.

Anônimo disse...

Hunf, mais um machista que acha que papel de mulher e ser mera incubadora, nada de novo.
Ana Clara.

Agora eu também tô achando que essa "Ana Clara" é fake pilotado por troll ou por masculinista.

É caricata ao extremo. Não tem como uma mulher se comportar assim.

Anônimo disse...

O machismo está tão enraizado na sociedade, que quando você afirma que mulheres não são meras incubadoras, mas sim o que elas quiserem, e que maternidade e uma opção, você e logo chamada de troll.
Para verem como a aluta ainda e longa.
Ana Clara.

Anônimo disse...

Ana Clara,

Mesmo não colocando fé que vc acredita nessas ideias, vou responder assim mesmo.
Ninguém disse que mulher tem a obrigação de ter filhos, ser incubadora ou algo que o valha. O que foi dito é que vc com certeza não é mãe, e não deve ter a menor noção do que isso seja.

Dizer que uma mulher não tem condições de criar seus próprios filhos, e que essa tarefa deve ser feita por uma "profissional feminista", é algo tão bizarro, que parece até roteiro de filme de ficção científica sobre o mundo pós apocalíptico. Achar que uma criança deve ser retirada da família para ser criada pelo Estado é digno de um estado fascista. Mas como vc é só um troll querendo causar, fico aliviada, pois seria duro aceitar que tem gente pensando dessa forma, e principalmente uma mulher.

Anônimo disse...

E você acha que em uma sociedade patriarcal com famílias nucleadas na figura paterna com regra, uma mãe tem condições de romper com as influências disto tudo na criação de seus filhos? Então você esta dando razão aos fundamentalistas ai do post, de que o estado não deve dar educação feminista de gênero, pois esta "interferindo na educação machista da dita família tradicional>

E quando alguém pergunta a uma mulher "você tem filhos" ma desculpe mas e reducionismo machista sim, como se para dar opinião sobre o machismo na educação familiar tivessemos que ter a 'experiencia divina da maternidade"
Maternidade e opção, e não validadora ou excludente de opinião feminina

Anônimo disse...

E você acha que em uma sociedade patriarcal com famílias nucleadas na figura paterna com regra, uma mãe tem condições de romper com as influências disto tudo na criação de seus filhos? Então você esta dando razão aos fundamentalistas ai do post, de que o estado não deve dar educação feminista de gênero, pois esta "interferindo na educação machista da dita família tradicional>

E quando alguém pergunta a uma mulher "você tem filhos" ma desculpe mas e reducionismo machista sim, como se para dar opinião sobre o machismo na educação familiar tivessemos que ter a 'experiencia divina da maternidade"
Maternidade e opção, e não validadora ou excludente de opinião feminina

Ana Clara

Rê Bordosa disse...

Mascus conversando com outros Mascus disfarçados de radicais... Essa caixa de comentários ta insana. Passo outra hora.

Anônimo disse...

Eh expor as ideias podres pertencentes a direita q o Jonas fica putinho da vida.

Anônimo disse...

Pois é... já ouvi essa merda quando discutia com mau pai, que é religioso (pausa para facepalm desolado) e por mais que eu dissesse exatamente isso, que ideologia de gênero foi toda a merda que ele aprendeu dos pais dele de menino faz assim menina faz assado; menina é delicada e caladinha, menino não pode chorar; menina usa saia (e não pode brincar pra não mostrar a calcinha), menino não pode brincar de boneca com a irmã (porque, né, vira gay), ele continuava repetindo esse blábláblá estúpido de que religião é desculpa pra tudo e não ouvia. Mas fazer o quê, né? É muito mais confortável fingir que se não sair por aí batendo e matando não é homofobia. Respeitar? Aceitar que eles sejam assim e pronto? Dar direitos civis? Ensinar às nossas crianças (futuras vaquinhas onde os líderes deles vão mamar no futuro) que essas pessoas merecem ser respeitadas? Vai destruir a sociedade! Se bem que essa sociedade em que a gente vive é uma merda mesmo, então tô aqui só esperando que ela seja destruída. O fato é que esses babacassauros só podem ser vencidos pela extinção, e se a educação não os extinguir, a evolução vai. De qualquer modo eles estão perdidos.

Anônimo disse...

Falou tudo Ana Clara! Respeita as trans!

#respeitastrans
#eusoujonasklein

Mila disse...

É muita desonestidade colocar a culpa na péssima educação somente nos professores. Significa que ainda há muito o que se avançar numa educação orientada para a cidadania.
Em relação à "ideologia de gênero", a parte conservadora da política vem tomando corpo. A escola, que deveria ser um ambiente crítico, está virando uma fábrica de pequenos robôzinhos que acreditam em tudo o que assistem pela TV. Nada de novo, pra que os políticos querem formar cidadãos né?

Anônimo disse...

Ah, posso dar minha opinião sobre a família tradicional só pra irritar os mascus?Ok, vamos lá: a família tradicional é uma merda. A maior. Na família tradicional só quem tem voz é quem? Exato, papai, o amo e senhor. A mamãe? Tem que calar a boca, cuidar dos filhos, da casa e servir o sinhô seu marido sem JAMAIS fazer cara feia, reclamar ou não estar depilada. Filho? Ah, é o herdeiro machão, mas só pode fazer as coisas se for do jeito que papai quer. Filho não gosta de algo que papai gosta? Tem que calar a boca e ir lá fazer. Se recusar, apanha. Não gosta do jeito que papai trata as mulheres, gosta de conviver mais com as meninas que com os meninos, gosta de brincar de casinha com as irmãs, pegou uma boneca que fala pq achou interessante o brinquedo falar? Apanha pra não virar gay.

Filha(a parte que me toca)? É a bonequinha que vai enfeitar a foto de família. Aquela que ninguém se constrange de mandar calar a boca. Que tem que andar bonitinha e arrumada sempre. Que tem que ser delicada. Que se levantar a voz pra papai leva um tapa na boca, daqueles que corta tudo por dentro. Que tem que usar saia e ficar o dia todo sentada, sem brincar, pra não mostrar a calcinha... aliás, engraçado né, como pras pessoas a vagina é uma coisa tão horrível que não basta cobri-la, a roupa diretamente responsável pela proteção da vagina tem que ficar escondida também. Ou seja, ser filha numa família tradicional é uma merda-portanto, pra mim a tal da família tradicional é e sempre vai ser uma merda. Esses deputados salafrários, esses pastores pilantras são uns merdas, e vão criar seus filhos pra ser outros merdas. Por fim, podem todos ir à merda.

Ufa, já me sinto bem melhor.

Valeu.

Anônimo disse...

Anônimo das 13:35.
Mulheres pobres e mães solteiras criam filhos sozinhas. Avós criam netos. Sem presença de macho, de "figura masculina", de pai.
Por vezes os pais dessas crianças não dão 1 real para o filho comprar uma 7 belo no mercado. E isso não é fenômeno recente não. Quantas de nossas antepassadas (negras e índias e pobres) criaram seus filhos "bastardos" enfrentando todo o preconceito e a carga social?
O feminismo de algumas aqui parece só lembrar da dona-de-casa de classe média consumidora de margarina.

Donna Nyckynha disse...

putz la vem a discussão entre rads e trans

todos sendo ensinado no feminismo nao veria isso.

deveriam criar coisas exclusivas aos trans por enq q nao somos um país esclarecido.Essa é apenas a realidade e na realidade tem muitos aproveitadores sim.

Donna Nyckynha disse...

Brasil nao ta mais pra Suecia.Brasil ta mais pra India.

Anônimo disse...

Anon 12:53

Você tem razão e por ai mesmo.


Anon 14:27

Eu não fico putinho não, pois eu sei lidar com as divergências, na verdade de todo o conjunto de ideias que formam a ideologia de direita, única que descordo 100% defesa da moral judaico-cristã como base da sociedade, de resto eu concordo quase que 100% com pensamento da direita.

E o uso da visão judaico-cristã como base para sociedade, que gera todo este problema homofobia e opressão sexual que se vê hoje, ai alguns dizem mas nos estamos defendendo a família. hora vão dizer bobagem lá no mato, você pode defender família tradicional e defender famílias com configurações diferentes do tradicional, uma coisa simplesmente não exclui a outra, e o fato de muitos direitistas não entenderem isso, que gera tanta discussões inúteis...


Sahbrina Von Ritstaigen.

Na teoria e por ai, mas na pratica as coisas são diferentes, comece olhar mais para os lados, pois o mundo real muito diferente do que você imagina ser.

Anônimo disse...

Já passou da hora de educarem os meninos a cuidarem tbm das tarefas domésticas, a cozinhar, lavar roupas, etc. Essa "Ana Clara" não engana ninguém. Vários mascus gostam de serem "travestis" virtuais.

Donna Nyckynha disse...


nada disso,tava pensando em banheiros, por ex.
Pq a discussao toda ta mais concentrada nesses tipos d lugares.
Nada contra trans na sociedade.

Anônimo disse...

Anon 12:53

Você tem razão e por ai mesmo.


Anon 14:27

Eu não fico putinho não, pois eu sei lidar com as divergências, na verdade de todo o conjunto de ideias que formam a ideologia de direita, única que descordo 100% defesa da moral judaico-cristã como base da sociedade, de resto eu concordo quase que 100% com pensamento da direita.

E o uso da visão judaico-cristã como base para sociedade, que gera todo este problema homofobia e opressão sexual que se vê hoje, ai alguns dizem mas nos estamos defendendo a família. hora vão dizer bobagem lá no mato, você pode defender família tradicional e defender famílias com configurações diferentes do tradicional, uma coisa simplesmente não exclui a outra, e o fato de muitos direitistas não entenderem isso, que gera tanta discussões inúteis...


Sahbrina Von Ritstaigen.

Na teoria e por ai, mas na pratica as coisas são diferentes, comece olhar mais para os lados, pois o mundo real muito diferente do que você imagina ser.

Ops esqueci de assinar.

Jonas Klein

Anônimo disse...

eu não tava querendo voltar ao assunto do post passado mas me irrita essa postura boazinha de querer defender jonas ou qualquer outro homem me dá nojo os homens já tem que os defenda, vá em um post qualquer que esteja falando algo de homem pra ver como os defendem.
vocês é que estão fazendo um papel ridículo querendo dizer que todo mundo que comenta algo que voces não gostem é radfem

Anônimo disse...

No começo eu achei que a Ana clara era mulher agora ela diz que é homem não entendi?

Anônimo disse...

Essa Ana Clara é doente. Não dá pra levar a sério nada do que ela diz.

agora não veio ninguém defender a Ana Clara se fosse outras queridinhas do Blog já estariam dizendo que quem falou isso precisa voltar pra 5a série, só uma observação...

Anônimo disse...

Também acho Jonas fala merda, Ana Clara fala erotizar a própria opressão, tem feministas que fazem isso sim. Não sei se ela é troll fato!
Mas poxa parem d achar que todas as feministas ainda são completamente feministas muitas erotizam a própria opressão e pagam pau de macho achando que isso é liberdade.
Não sou radfem nem mascu nem troll só tô cansada dessa visão alice de feministas acham que vão resolver tudo na paz e no amor com homem não é assim não ou você se impõe ou eles te pisam.

Anônimo disse...

Agora parece que além dos posts do Jonas vou ter que evitar os posts dos anônimos.
Que ironia!

Anônimo disse...

Ah agora engravidar é um privilégio cis? Realmente é daora ver o seu corpo sofrendo mil e uma alterações, gastar uma grana com pré-natal ou padecer na saúde pública, sofrer violência obstetrícia, pressão para fazer césarea, sofrer discriminação no trabalho por poder engravidar e pegar licença maternidade, dar conta do bebê a maior parte sozinha, ser culpada pelas coisas que o filho faz. Ô.
Essa galerinha que acha que maternidade é um mundo cor de rosa e que não tem acrescenta em nada as discussões para o feminismo pq vai oprimir quem não pode engravidar.

Anônimo disse...

Anon 15:56 claramente anti-homem, você acha que é assim que as coisas se resolvem? Pega uma aulinha com a Rê Bordosa e algumas outras muito gente boas e lúcidas aqui dessa página, tá precisando viu...

Pri Leone

Anônimo disse...

Desculpe, Sahbrina. Aparentemente no seu feminismo falar das mulheres que morrem devido aos abortos clandestinos, as que sofrem violência no parto, as que são abandonadas durante e depois da gravidez, as que são impedidas de trabalhar por não dispor de creches, as que são discriminadas no trabalho pq podem engravidar, as mães solteiras, não importam. Desculpe por dizer que existe opressão. Afinal elas estão sendo privilegiadas não é mesmo?
Pois da forma que vc disse, a maternidade é um mundo colorido onde todo mundo é feliz. Colocou a maternidade como um privilégio, como se as mulheres não pudessem ser atingidas por isso. E as mulheres que não querem viver esse "sonho" são estigmatizadas. As que têm muitos filhos, principalmente as pobres, também. Nossa, um privilégio e tanto, tantos benefícios. E eu que estou sendo a centralizadora.

Anônimo disse...

o que uma anti-homem faz e o que uma anti-mulher faz?
você nunca viu um machista de perto? nunca viu páginas de ódio contra mulheres eu já vi e sabe se não defender homem é ser anti homem, eu sou mesmo, mas eu não faço mal a eles.
Sei que existem homens bons mas a maioria que tem é machista já tem o mundo ao seu favor eu não vou defender eles prefiro defender as manas.

Carol Pirlo disse...

Bizarro isso. Jamais achei que chegaria num espaço feminista e encontraria gente falando de gravidez como privilégio alegando cisopressão, gente chamando a outra de anti-homem (pelo amor de deusa, que sejam trolls se passando por mulheres). Depois as rads que são neuróticas. To com as anônimas das 16:52 e da 16:41, se a gente não defender as manas, quem vai?

Anônimo disse...

Tenho medo do rumo que o feminismo anda tomando. Nada a vê com o post, mas com essa caixa de comentários. Tenso, Lola, muito tenso.

Zero disse...

esse Robson também é muito incoerente, já li muita coisa do blog, ou você conccorda ou não pode opinar nada + o velho discurso clichê requentado de esquerda / direita.

é por isso que não sou de nenhum lado. é a mesma merda. nenhuma quer "abrir olhos" de ninguém, só acumular gente no seu movimento.

a esquerda gosta de falar em "ódio" alheio, mas não reluta em tachar todo mundo de racista, preconceituoso, etc.

ambas tem o mesmo pensamento, "ou concorde comigo, ou é meu inimigo".

nenhuma defende liberdade de pensamento, só liberdade pra si mesmo.

ideologias de "igualdade" são tão separatistas quanto, pregam que todos são iguais, mas o seu grupo tem que ter tratamento diferente.

direita e esquerda é a mesma merda, sob pretextos diferentes...

Anônimo disse...

Tirando a parte do "merda" concordo com tudo que vc disse Zero.

Marjorie

@vbfri disse...

E a santidade da Família Tradicional foi massacrada novamente através do vazamento das informações da galera que usava o site Ashley Madison, exclusivo para pessoas casadas que queriam trair.

E o problema é, realmente, ensinar às crianças a respeitar as diferenças.

Sei...

Quero ficar com pena da galera que teve as informações pessoais divulgadas, mas ainda não consegui.

Estou achando graça.

Zero disse...

valeu, Marjorie.

e @vbfri, pensei que ter informações pessoais vazadas era ruim, ou depende da pessoa?

Anônimo disse...

Sahbrina Von Ritstaigen você quer ficar com meu útero? Eu dou pra você, de graça. É só você pagar a cirurgia e a medicação. A gente entra no centro cirúrgico, você sai com um útero novo em folha, que nunca foi e se eu tiver sorte nunca será usado; e eu livre dessa praga maldita que só serve pra atrapalhar minha vida, que tal? Eu ia jogar meu útero no lixo, mas se você quiser...

Taty disse...

"Só existem dois gêneros:masculino e feminino."

Qual é o 3° gênero?

Anônimo disse...

Jogar uma parte de você no lixo pra que, anônimo das 18:22? Seu corpo é sagrado. Seu corpo é seu templo.

Jéssica disse...

Parem de pagar pau para macho! Parem! Desse jeito nada vai mudar porque sempre vai ter mulher para aplaudir e passar a mão na cabecinha dos escrotos!
Nem feminista se livra disso, é inacreditável, a luta é dura mesmo. Tenho conhecidas feministas, esclarecidas, que levam chifre de omi falo de ouro e desculpa tudo porque eles choramingam se dizendo arrependidos. Isso tudo sabendo que isso é um direito do homem dado pelo machismo, trair a mulher sem dar satisfação, sem se importar com porra nenhuma, enquanto o papel das trouxas é relevar e se fizer o mesmo é porrada ou morte.
Até num blog feminista tem que ver omi falando merda e sendo defendido.
Deprimente.

Anônimo disse...

To contigo Jessica!

Anônimo disse...

Eu tenho uma dúvida?

O que significa "erotizar a própria opressão"?

Donna Nyckynha disse...

Jéssica

a natureza dessas moças nao deve ser grandes coisas juntando com esse sistema q estao imersas...por mais q sejam feministas.recomendaria qualquer psic
essa falta de auto-estima...

pois conheço muitas q nao perdoam

Anônimo disse...

E é meu pra fazer o que eu bem quiser, anon das 18:38. Inclusive me livrar de um órgão que só serve pra me trazer problemas e não faz nada de útil além de me arriscar a uma gravidez indesejada-que resultará em aborto (provavelmente inseguro) ou em maternidade compulsória, nenhuma das duas opções lá muito boas. Engraçado que pra vocês reaças imbecis os corpos só são nossos se for pra usar do jeito que vocês querem, né? Se queremos fazer qualquer coisa fora do senso comum de objeto sexual/incubadora vocês já vem correndo c*g*r regra pra tentar me obrigar a mudar de ideia. Vai arranjar uma privada pra esfregar.

E só pra confirmar, se eu conseguir um médico que tire meu útero, a primeira coisa que vou fazer assim que puder me levantar vai ser despejar esse órgão maldito na primeira lata de lixo que eu encontrar. Passe bem e bem longe de mim com sua c*g*ção de regra sobre o que eu faço ou deixo de fazer com MEU (não seu) útero.

Anônimo disse...

Caramba, só tem agressividade aqui...

Anônimo disse...

Só vejo covardes comentando aqui.

P.

Anônimo disse...

Jessica

Vamos com calma aqui, cada caso de traição tem características diferentes, por isso as razoes que levam uma pessoa perdoar uma traição podem variar:

1 - a pessoa já traiu, e por isso sabe que não tem autoridade moral para exigir fidelidade de ninguém.

2 - a pessoa já traiu e foi perdoada, ai além de não ter autoridade moral para exigir fidelidade de ninguém, inda esta devendo pois já recebeu perdão sua traição.

3 - tem gente que simplesmente não considera traição um erro grave, por isso quando toma um chifre não da muita bola.

4 - a pessoa comete muitos erros dentro da relação, e sabe que os seus erros são não única, mas principal da traição(só que um erro não justifica outro).


Eu particularmente considero que quem trai não merece receber uma segunda chance, e também porque e 98% certo que vai trair de novo, tanto que sempre quando uma pessoa me relata um caso de traição e pergunta se deve continuar com relação, minha resposta e sempre a mesma, NAO termina e procure pessoa para se relacionar.

Isso que eu disse e o que acontece no mundo real, o resto e só teoria e desenformarão.

Jonas Klein

Anônimo disse...

Jonas Klein,

Então no mundo real não pode existir outras explicações além dessas 4 que você citou?

Anônimo disse...

Personagens caricatas do blog da Lola!
#1: as "feministas" que choramingam 'aiiiin, machista, validadora, lambedora de falo de ouro' caso você considere homens como seres humanos, porque 'aiiiiin, eles maltratam a gente, você tem que maltratar eles também pra gente mostrar que o clube da luluzinha é mais legal'.
#2: as feministas que acham que pra querer igualdade de gênero você necessariamente tem que ser marxista.
#3: os mascus pombos enxadristas que vêm aqui pra tirar print pra mostrar pros amiguinhos
#4: o anônimo que fica indignado quando o confundem com outra pessoa/quando outra pessoa assina com o nome dele, mas a preguiça pra criar um perfil que evite isso é pedir demais pra uma pessoa "combativa"

Anônimo disse...

#5: Jonas Klein - Jurista, Ginecologista e Filósofo (E agora Conselheiro Amoroso) Oh loco meu! esse é fera!

Anônimo disse...

Jonas deve ser mesmo expert em relacionamentos pra das conselhos e teorias a respeito. Fica o dia todo comentando em blog feminista. Deve ter uma vida sexual super ativa (sqn)

Jéssica disse...

as "feministas" que choramingam 'aiiiin, machista, validadora, lambedora de falo de ouro' caso você considere homens como seres humanos, porque 'aiiiiin, eles maltratam a gente, você tem que maltratar eles também pra gente mostrar que o clube da luluzinha é mais legal'.

Pois é... Besteira o que a gente fala.
Homem é ser humano sim mas se fala e faz merda n deve receber aplauso.
Tem rad aqui sendo tratada como lixo porque muitas n concordam com elas, agora os falos de ouro que falam merda recebem compreensão, "mimimi tão aprendendo" ???
Nada a ver mesmo. É exagero.


Jonas
As duas que eu conheço n tinham traído, n concordam com traição, ficaram putas quando descobriram mas como os escrotos alegaram "arrependimento", "amor"( kkkkkkk essa é foda), ficaram com peninha dos babacas.
Perguntei a elas, o que aconteceria se fosse o contrário, elas mesmas admitiram que levariam um belo pé na bunda e xingamentos de que eram vagabundas n iam faltar.

Donna Nyckynha disse...

Dos meninos aqui gosto do Donadio.

Rads me matem kkkk rsrsrsrs

Anônimo disse...

Lola e Samantha, pelo amor de seja lá o que vocês acreditem, desabilitem os comentários.

Anônimo disse...

Anon 19:53

Sim e obrigado pela pergunta, eu esqueci da quinta, tem pessoas só que isso e mais comum entre mulheres, da pessoas ser prostituta, pois começou e mantem relação só ou mais por interesse financeiro, ai quando e assim a pessoa desde que isso não esteja afetando seu padrão de vida, nem liga para traição, pois esta sendo bem tratada, recebendo presentes caros, tendo suas contas pagas etc.

Nestes casos a pessoa finge que perdoa a traição, pois na verdade nem liga para isso...


Anon 20:05

Muito obrigado e se for mulher grande um abraço...


Anon 20:07

Uau você consegue adivinha como e vida das pessoa através do computador(SQN)...


Jéssica

"As duas que eu conheço n tinham traído, n concordam com traição, ficaram putas quando descobriram"

Você tem certeza que isso e verdade? eu já teria as minhas duvidas.

Te liga tem muita diferença entre o que as pessoas (quase todas) dizem e o que fazem na realidade.

Jonas Klein

Anônimo disse...

Volta pra 5ª série vcs amor, só sabem vir aqui pra causar, discutir argumentos que é bom, nada.

Anônimo disse...

Jonas olha só eu gosto de você mas PELAMOR CALA A BOCA, tua imagem só piora cada vez que comenta aqui. Porque essa necessidade de vir em todo post deixar tua opinião? Vc pode guardar ela na tua cabeça, sabe. E isso também vale pra todas essas criancinhas rads, trans, mascus e o karalho a quatro que só aparecem aqui pra causar polêmica, que não contribuem em poha nenhuma pro debate do post.

Anônimo disse...

Oh....eu adivinho pelo o que vc fala tanto aqui. E vc entao ta adivinhando que a guria traiu o cara pelo comentario de uma conhecida dela aqui??? Poxa...q foda!
Me desculpa, mas vc esta sendo machista ao falar q a mina perdoa traicao pq ja traiu tbm ou pq tem interesse financeiro na relaçao. Todas as meninas aqui ("rafs ou lib") devem achar o mesmo q eu. a maioria das mulheres perdoam por ilusao e por dependencia emocional ok?
Ta vendo como reproduzem o machismo sem nem perceber? Reveja seus conceitos de traicao.

Anônimo disse...

Ah! Esqueci. Essa foi pro Jonas

Marcos disse...

Um post inteiro feito apenas de acusações sem fundamento. "Eles querem impor isso", "eles querem impor aquilo", "o que eles realmente querem é isso", e assim vai.

Anônimo disse...

Anon 21:03

E no caso quando existe dependência emocional, eu não acho que o perdão seja verdadeiro, pois a pessoa nessa situação quer manter relação a qualquer custo, mesmo que o relacionamento seja muito ruim, sendo assim a pessoa finge ate para si mesma que perdoa a traição, para manter relação de pé. E lamentável mas isso acontece muito.


Jonas Klein

Anônimo disse...

Menino nasce Menino
Menina nasce Menina

Mas também acontece de Menino nascer com corpo de Menina e Menina nascer com corpo de Menino.

Qual o problema com isso?

Anônimo disse...

Sei que é sempre dificil falar de teorias quando o assunto é sentimento. Acho que vc é meio inexperiente nisso entao vo te dar um conselho: procure conversar com as pessoas e pegar o maximo de relatos sobre o assunto pra dai tirar alguma leeeeeeve conclusao ok? Pq ficar falando e falando e falando de coisas q nao se sabe fica feio. Nem todo conhecimento vem de livros ou wikipedia. Procure ouvir as mulheres pra depois poder falar oq elas sentem ao serem traidas e pq perdoam. Achava injusto as meninas aqui te zuarem tanto mas to vendo q vc implora por isso quando comenta coisas nada a ver e sem fundamento empirico algum. Mas pra um cara que vem ate aqui pra "vencer" debate...aff...espero que vc reveja seus conceitos de traićao e outros varios tbm q ta precisando.

Tchau!

Samantha disse...

Anônimo que me pediu para fechar os comentários, quisera eu poder fazer isso. Não posso e ainda que pudesse, nem sei como se faz isso.

Só sei que é uma e meia da manhã, eu praticamente passei dois dias viradas trabalhando, tenho prova hoje e cheguei aqui para dar uma olhadinha e vi esse circo criado por algum fake.

Comentários vão ficar abertos até pelo menos a Lola voltar da viagem (acho que ela chega dia 25, não sei direito). Vou dar uma falada com ela para os comentários serem aprovados após moderação ou que os anônimos sejam desabilitados. Está difícil ler e filtrar esse bando de anônimo que assina no final. Tem hora que eu não sei mais quem escreve o que e quem está "clonando" quem.

A propósito: esses comentários falando de opressão cis sem contexto NENHUM, apenas para começar uma guerra com as "rads" e as rads, foram deletados. Estou com sono, mas não sou idiota.

Agora que começaram com essa onda de flood, então... perdi as contas de quanto comentários eu deletei do/da demente que retornou aos tempos em que floodar scrap do orkut era legal.

Unknown disse...

vamos la:

1) muito bom o post.
2)sim,genero e um debate urgente nas escolas, e deve comecar no ensino fundamental. assim podemos comecar a desconstruir os estereótipos;
3)esse papo de "mimimi mas os professores nao cumprem seu papel de ensinar" so pode vir de quem desconhece a realidade de 90% das escolas brasileiras. nos educadores lutamos sozinhos contra muita coisa:superlotação de salas,escolas sucateadas, sistemas ineficientes,familias nem um pouco colaborativas. culpar os professores mostra um conhecimento muito raso do problema;
4)sou professora ha 18 anos e jamais apliquei nem vi um colega aplicar nada das teorias de Gramsci em aula. os coxinhas que esbravejam contra a "doutrinacao gramsciana" devem tomar um chazinho de cogumelo do bom.....

Maria Fernanda Lamim (nao loguei hj )

Rafael Cherem disse...

1- Os gays cumprem um papel importante para esses fundamentalistas, como fica feio, falar contra outras religiões e queimar gente que professa outro tipo de fé, servem os homosexuais de "inimigo necessário" sobre o qual se erguem essas igrejas, nada mais útil para unir pessoas que uma ameaça comum, antes eram os judeus, depois os mouros e agora os gays e esquerdistas.

2- A inútil Câmara de Vereadores da minha cidade também entrou na discussão, e com o apoio da população daqui, conservadora, pouco culta, incapaz de raciocinar por si mesmo, é o avanço da teocracia, lamentavelmente vai piorar muito.Preparam-se.

donadio disse...

"Eu dei uma boa rizada quando li isso, no capitalismo não existe qualquer valor moral algum, no capitalismo existe uma coisa apenas, interesse no lucro, tudo o resto e piada ou delírio gramciano,"

É evidente que existem "valores morais" no capitalismo; sem respeito à propriedade privada não pode haver capitalismo.

"tanto no capitalismo e totalmente aceitável você ganhar dinheiro, produzindo bíblias ou se prostituindo, por isso não misture os dogmas das religiões monoteístas com o capitalismo."

Não é bem assim.

O capitalismo tem problemas muito sérios com a prostituição, e embora eles sejam baseados em fatores muito diferentes dos dogmas das religiões abraâmicas, esses dogmas são muito úteis ao capital na repressão à prostituição.

O problema é que existe uma diferença fundamental entre produzir bíblias (ou panfletos pornográficos) e se prostituir. A produção de bíblias, ou de livros em geral, é um negócio capitalista: uma empresa proprietária de meios de produção - rotativas, tinta, papel, escritórios, etc. - contrata trabalhadores assalariados - revisores, tipógrafos, encadernadores - para produzir as bíblias ou panfletos pornográficos.

Mas na prostituição o principal, se não o único, meio "de produção" é o corpo da prostituta - e aí ou o capitalista teria na verdade de ser um senhor de escravos, para ser proprietário desse meio de produção (e a escravidão é incompatível com o capitalismo) ou a prostituta teria de ser uma trabalhadora autônoma, não submetida à tirania de uma empresa capitalista (e o capital decididamente é contra isso, procurando sempre submeter todos os trabalhadores ao regime assalariado).

Por isso o capitalismo procura sempre erradicar a prostituição, e, embora use também argumentos higienistas, ou simplesmente equacione toda prostituição à escravidão, não tem nenhum problema em usar os dogmas abraâmicos nessa repressão.

donadio disse...

"do ponto de vista meramente biológico existem só dois gêneros de fato"

Do ponto-de-vista mesmo biológico mesmo não existem mesmo gêneros mesmo, apenas mesmo dois sexos mesmo.

Mesmo.

donadio disse...

"Dizer que uma mulher não tem condições de criar seus próprios filhos, e que essa tarefa deve ser feita por uma "profissional feminista", é algo tão bizarro, que parece até roteiro de filme de ficção científica sobre o mundo pós apocalíptico. Achar que uma criança deve ser retirada da família para ser criada pelo Estado é digno de um estado fascista. Mas como vc é só um troll querendo causar, fico aliviada, pois seria duro aceitar que tem gente pensando dessa forma, e principalmente uma mulher."

Mas quem disse isso não foi a Ana Clara. A Kate Miller e a Andrea Dworkin, duas mulheres bem reais, sem nada de fake, é que escreveram, assinaram e publicaram isso. Então acredite, existe gente que pensa dessa forma, inclusive mulheres.

Marcia Baratto disse...

ih, os trolls... Hoje tem de tudo, estão se passando por radical e trans, mas que preguiça... Gente, caí nessa não, vamos debater o assunto que é mais importante do que dar audiência para esses manés.

Olha, acho educação com debates sobre gênero essencial. Vendo as apostilas do Estado de São Paulo de sociologia, achei tudo muito superficial (feminismo é citado uma vez, para falar sobre o direito ao voto e ponto final).

Para essa questão, o problema dos conservadores é reduzir o debate sobre gênero à educação sexual (que é outra coisa, mas os conceitos estão embaralhados) e achar que essa é, primodialmente, uma questão a ser resolvida no âmbito privado, exclusivamente.

Essa visão reducionista fomenta esse 'medo' de que os filhos (e não se enganem, o maior medo é de um menino ser educado a ser gay) sejam educados para outras expressões de sexualidade que a não a heterosexual. Sobre esse ponto, difícil haver consenso ou convencimento com os conservadores, só há mesmo o caminho do enfrentamento.

Mas essa vai ser um batalha longa, não sei se veremos algum resultado positivo tão cedo.

Anônimo disse...

Fazia tempo que não visitava o blog da Lola... os trolls tão a toda hein? Dominando completamente as discussões... e o assunto do post sendo deixado de lado, pra variar. Mas não se incomodem comigo, podem continuar aí... aproveitando a visita e pra não perder viagem já até peguei a pipoca 8)

Carol Pirlo disse...

Obrigada Samantha por deletar o comentário da troll sobre opressão cis. Foi uma nítida provocação Às radfems.

Sobre o post: toda vez que evoca-se o conceito "gênero" me pergunto se vai prevalecer a visão liberal do tema, do gênero como algo performático ou uma visão mais semelhante ao que o feminismo radical busca, que é a abolição do gênero como sistema opressor. Enquanto não rompermos com a visão de que estereótipos baseado em sexo vão se manter, não vejo avanço na luta contra o patriarcado.

Anônimo disse...

Carol Pirlo, em termos políticos, os dois, por um bom tempo. Há pautas políticas legítimas em ambos os lados, tão cedo isso não se resolve.

Evandne da Silva disse...

Se a família nuclear é uma droga por que há uma parcela dos gays que tentam mimetizar a família nuclear com casamento e adoção?

Evandne da Silva disse...

Ambiente crítico não é sinônimo de bucha de canhão para a iminente e necessária revolução. A crítica é plural, o garoto pode fazer a crítica e concluir que a revolução é só outro autoritarismo. Pense rápido classificar rapidamente como masculino, coxinha ou fascista não é empobrecer o debate e silenciar o "adversário"?Silenciar não é uma forma de opressão? O sonho inconfesso do oprimido não é tornar se um opressor?

Anônimo disse...

Sou professora de História e afirmo que estamos vivendo tempos sombrios, a direita vai institucionalizar uma ditadura ideológica, eles querem que a escola deixe de ser laica, que os professores de História passem a ensinar que as doutrinas racistas do século XIX eram verdadeiras, que gays são anormais e que lugar de mulher é na cozinha

Loup~garou disse...

Ana Clara 21.7 12:14

Quem sem preocupa com estupro jamais deixaria crianças nas mãos de soldados. Ter nascido de uma família nuclear e aproveitado da propriedade privada como ambiente de crescimento foram os maiores privilégios que você já teve e eu fico aliviado com o fato de que as suas autoras preferidas caíram no ostracismo bem rápido.

Não é a toa que as populações mais carentes escolhem o pentecostalismo. Olha o naipe do progressismo que ainda rasteja por aí.

Loup~garou disse...

Ana Clara 21.7 12:37

Boa sorte em implantar seu regime progressista sem convencer os militares. Ou você lava as mãos em sangue ou vai passear de avião igual no final daquele filme Garage Olimpo.

Via gramsciana é passatempo tanto pra acadêmicos fanfarrões quanto para conservadores raivosos.

Loup~garou disse...

Professores sempre foram bundões para impedir o bullying contra qualquer tipo de jovem. Acredito que as crianças e adolescentes gays serão os primeiros a lamentar essas aulas de relativismo sexual, pois agora terão dia e hora na semana para serem expostos aos bullies antes deles mesmos chegarem às suas próprias conclusões.

Temos que admitir que o homossexualismo é um sofrimento em si, pelo simples antagonismo entre corpo e mente. Não é todo gay que acha que transformar isso em luta política e reforma educacional ajuda em uma questão tão íntima. Intimidade, privacidade e companhias escolhidas a dedo podem ser mais convenientes ao decidir o que fazer com essa condição psíquica. Uma burocracia estatal inteira se prontificando a ajudar, uau...

"O resultado é a longo prazo. As crianças que terão essas aulas se tornarão adultos mais conscientes." Essas crianças se tornarão adultos com mais um motivo para debochar dos tempos de escola com suas arbitrariedades e professores cômicos, só isso.

A "heteronormatividade" não é um problema para quem é hetero. É simplesmente um problema a menos. Pra que um adolescente vai passar 50 minutos ouvindo uma retórica que implica "olha direito hein, vai ver no fundo você é gay"? Nessas horas eu acho até bom que os - também bizarros - pentecostais conseguiram suas cadeiras no Congresso.

Loup~garou disse...

Carol Pirlo 22.7 14:40

E se gênero, da forma que te desagrada, for um arquétipo humano que se renova independentemente do esforço político em voga?

E se no Fim da História RadFem, um belo dia, uma mulher-hacker-lésbica-encanadora começar a ler a Bíblia e tentar "voltar às raízes"? Hahaha...

Achou zoado? Na moral, tirando o "hacker", isso já aconteceu centenas de vezes.

roberto quintas disse...

será que essa gente se dá conta de o que eles defendem é uma ideologia de gênero?