segunda-feira, 6 de julho de 2015

BUTLER NUNCA FOI TÃO CLARA

Nos comentários de (mais) um post polêmico, uma anônima deixou um link pra uma entrevista com Judith Butler que havia sido traduzida e publicada no Não Me Kahlo.
Não sou a maior fã de Butler porque a considero muito difícil de ler. Concordo com grande parte de suas ideias, mas o jeito que ela escreve é notoriamente complicado. E fico com essa impressão quando leio suas entrevistas também. Porém, esta me parece uma exceção. Butler está super direta nas suas respostas. Por isso, quero destacar uma ou outra dessas respostas.

[Pergunta da entrevistadora Cristan Williams]: Se "gênero" inclui o jeito como nós experimentamos, contextualizamos e comunicamos subjetivamente nossa biologia, você pensa que viver em um mundo sem "gênero" é possível?
Judith Butler: Às vezes há formas de minimizar a importância do gênero na vida, ou de confundir categorias de gênero para que elas não mais tenham poder descritivo. Mas outras vezes o gênero pode ser muito importante para nós, e algumas pessoas realmente amam o gênero que reivindicaram para si mesmas. Se o gênero for erradicado, será um importante domínio de prazer para muitas pessoas. Já outras têm uma noção forte de si amarrada aos seus gêneros, então acabar com o gênero seria destruidor para sua noção de si. Acho que temos que aceitar uma larga variedade de posições sobre o gênero. Alguns querem ser livres de gênero, mas outros querem ser livres para viver um gênero que é crucial para quem eles são.
[...]
Gender trouble [Problema de gênero, leia aqui inteiro, em inglês] foi escrito há 24 anos e naquele período eu não pensei o suficiente sobre as questões trans. Algumas pessoas trans pensaram que ao alegar que o gênero é performativo eu estava dizendo que é tudo uma ficção e que o senso de gênero sentido por uma pessoa era portanto "irreal". Essa nunca foi minha intenção. Eu procurava expandir nossa noção do que as realidades de gênero poderiam ser. Mas acho que precisava prestar mais atenção ao que as pessoas sentem, à forma que a experiência primária do corpo é registrada e à demanda urgente e legítima de ter esses aspectos do sexo reconhecidos e apoiados. 
Eu não quis argumentar que o gênero é fluido e mutável (o meu certamente não é). Eu só quis dizer que todos nós devemos ter uma liberdade maior para definir e levar nossas vidas sem patologização, alegações de irrealidade, assédio, ameaças de violência, violência e criminalização. Eu me junto ao esforço para concretizar tal mundo.

E, de bandeja, uma declaração também inequívoca da ícone Gloria Steinem:
Então, agora eu quero ser completamente inequívoca em minhas palavras: eu acredito que as pessoas trans, incluindo aquelas que se transicionaram, estão vivendo vidas reais e autênticas. Essas vidas devem ser celebradas, não questionadas. As decisões relativas à sua saúde cabem somente a essas pessoas. E o que escrevi há décadas não reflete o que nós sabemos hoje, conforme nos afastamos das caixinhas binárias de "masculino" ou "feminino" e começamos a viver o contínuo humano total de identidade e expressão.

157 comentários:

Roxy Carmichael disse...

Que interessante conhecer sua opinião sobre butler, lola!eu concordo muitíssimo com as ideias, embora também considere a forma de expressá-las um tanto quanto hermética. dessa entrevista gostei particularmente da "revisão" de gender trouble.

Barbara O. disse...

muito esclarecedor! grata!

Anônimo disse...

AS RADS PIRAM!!!!

Marcia Baratto disse...

A Butler realmente abusa da linguagem acadêmica tradicional, mas essa entrevista foi ótima. Também não concordo com todas as ideias dela, mas no que foi mostrado aqui, sem sombra de dúvidas eu concordo. Lola, recomendo sem falta os textos dela o 11 de setembro - marcos de guerra - uma importante reflexão contemporânea para expandir os limites do feminismo.

anon A. (radfem) disse...

Libfems: "Gênero é um espectro de identidade humana!"
Radfems: "Gênero é uma imposição hierarquica usada para oprimir mulheres!"

Fim. Essas posições já estão claras. Para que serve mais um post batendo na mesma tecla? Cismar com a primeira definição anda sendo o principal assunto desse blog, feminista e de esquerda, faz tempo. Claro que a Lola pode postar o que quiser no blog dela, mas para que(m) serve esses posts?

- As libfems já acreditam nisso, então é só echo chamber.
- A esmagadora maioria das radfems eram libfems e acreditavam nisso, até analisarem/criticarem mais a questão e mudarem de idéia. Para nós essa idéia já foi analisada, seria bastante idiota voltarmos a acreditar em uma idéia que acreditamos por meses ou anos e se mostrou falha. Ainda mais com apenas o exato mesmo argumento sendo repetido over e over again, e nunca a questão de opressão, hierarquia, e esteriótipos de gênero sendo levada em conta, ou o fato que boa parte das próprias pessoas trans não acreditam nesse besteirol de gênero.

Então... Esse post aí é para os mascus? É o que sobrou.

Rê Bordosa disse...

Postagem perfeita! Nem tenho o que comentar, o texto já disse tudo!

Anônimo disse...

E porque esse post PRECISA ser pra alguém? Não pode ser algo que a Lola leu, achou interessante e resolveu compartilhar no blog dela? Inclusive umas três leitoras aí em cima gostaram do post, então o que não tem sentido é o teu comentário.

Anônimo disse...

@Anônimo anon A. (radfem)
Você se contradisse e sabe disso, não é? Como assim a Lola escreve sobre o que ela quiser e você decidiu que só sobraram os mascus para ler (mais uma vez) sobre a Butler e outras feministas em que a Lola acredita (e critica, não é cegueira, ela diz quando não concorda com alguma coisa)?
Você se esquece (ou faz questão de ignorar) que há mulheres e meninas que vêm aqui e que não sabem tanto sobre o feminismo quanto você ou outras comentaristas que estão há mais tempo no ativismo.
Você se esquece que tem muitas pessoas que se sentem ajudadas com o que encontram aqui. Que ajuda você tem a oferecer às várias pessoas que estão vindo aqui pela primeira vez, sem muita experiência no feminismo? Só a imagem de alguém que já reforçou um milhão de vezes que não concorda com a Lola e com as "libfems" - é só isso que você faz ao vir aqui, repetir a mesma ladainha e ainda reclama dos posts da Lola. Sobrou quem para ouvir o seu discurso raivoso? Os mascus? Porque todo mundo aqui já entendeu o seu.
Quer fazer alguma coisa? Escreve um blog e divulga. Se você conseguir acolher tantas pessoas da mesma forma que a Lola consegue - mesmo aqueles que não concordam com ela -, então parabéns. Se não, não é neste espaço - no qual sim, você é livre para comentar e escrever com o fígado, como de costume - que você vai conseguir audiência.

Anônimo disse...

Disse tudo 14:03.

Anônimo disse...

Nao se relaciona com o post, mas gostaria de saber o que as leitoras daqui pensam sobre produçao independente. Se alguem passou por isso, gostaria de ouvir relatos.

Anônimo disse...

14:24, seria tipo uma inseminação artificial? Eu nunca fiz, mas acho que a maior polêmica em relação a isso seria adotar alguém x inseminação artificial. Também gostaria de ouvir relatos sobre alguém que fez. Lola você alguém que ja fez inseminação?

Maria Fernanda Lamim disse...

Olha, eu acho essa divergencia "libs x rads" complicadissima. Porque vejo sentido nas duas posicoes. Sim, genero E um aspecto da identidade, e eu acredito que cada um tenha o direito de revindicar pra si o que sente que e o seu. Mas tb concordo que existe opressao advinda do genero, que tpda mulher e oprimida desde que nasce unicamente por nascer com vagina.
Nao ha mesmo uma forma de conciliar as duas teorias? Pq eu pelo menos vejo algum sentido em ambas.....

Jose disse...

Sei lá, o blog da Lola virou imã de gente fanática demais. Pra mim, radfem tá quase no mesmo pé de sancto (bateu uma curiosidade pra saber a origem do nome).

Ah, quem fez o comentário "polemiquinho" do hospício no outro post fui eu, não o Fábio.

Ou talvez ele tenha feito um parecido e eu não vi. Foi isso, Lola?

Apesar que eu postei em anonimo. Então, se me confundiu com o Fábio a culpa é minha XD.

Anônimo disse...

Esse blog tá criando picuinha demais entre rad e lib tinha que ser só feminista e ponto final que porre, ontem o post foi discussão sobre bissexualidade nada haver com o post, enquanto isso os mascus de plantão são elogiados num post (não sei como a lola teve coragem de publicar o post de ontem)
A guerra não é contra nós e sim contra o patriarcado mas parece que as mulheres mais uma vez querem ser melhores que as outras umas se acham porque chupam uma piroca como se ela valesse $$$ e outras acham que toda mulher devia ser lésbica, pelo amor de Jeová assim não dá.

Anônimo disse...

ops*post não comentários

Anônimo disse...

Opaaa não leio amis nem o post, mas comentários esses sim. A grande maioria dos que comentam carece de massa cinzenta.

Anônimo disse...


também acho essa história de adorar pau já deu, não vejo essa idolatria toda com vaginas. Além disso uma mulher ñ se satisfaz só com pau se satisfaz com outras formas de prazer, então ñ sei pq essa idolatria toda tem umas que enchem a boca pra falar eu gosto é de pica, não você gosta de homem!
não sei acho que temos valorizar o que é nosso também os homens já idolatram pau e bunda pra quem duvida (até pegam homem se for o caso da mulher não ceder a bunda)
mas e a vagina que vejo um pessoal até com nojinho
sei não viu...no fundo as mulheres acabam sendo misóginas sem perceber.


lyz_miss

Anônimo disse...

Opaaa não leio amis nem o post, mas comentários esses sim. A grande maioria dos que comentam carece de massa cinzenta.
vai capir um lote

Anônimo disse...

De novo esse pessoal reclamando de uma suposta "idolatria do pau"! Gente, parece que vocês só leem o que querem mesmo, então vou explicar de novo: esses comentário dizendo "adoro pica mesmo" etc, são RESPOSTAS a comentários de radfems ou sei lá quem que ficam tentando regular a sexualidade alheia, chamando OUTRAS FEMINISTAS de "cadela escrava de piroco", "lambe rola" e coisas assim. Não é que a pessoa veio aqui DE NADA falando "gente preciso contar pra vcs que adoro pau", teve todo um CONTEXTO pra isso acontecer! Vocês estão simplesmente ignorando um pedaço da história pra criticar outro, vamos se informar mais antes de digitar besteira.

Anônimo disse...

veio aqui do nada*

Roxy Carmichael disse...

anom. A.: você acredita que o feminismo radical é o único destino do feminismo? que se pode começar no feminismo da terceira onda, feminismo liberal (pra mim são duas coisas distintas), no feminismo da segunda onda, no feminismo negro, mas no fim, o esclarecimento leva invariavelmente ao feminismo radical? pergunto numa boa, porque só desde essa logica, seu raciocínio faz sentido pra mim. se pergunto é porque estou buscando entendimento, que fique claro. e se for o caso, não tem nenhum problema você ter esse raciocínio que se funda nessa lógica. outras pessoas terão outro raciocínio fundado sobre uma outra lógica, como a lógica que propõe uma síntese, como é o caso da maria fernanda. e a partir daí acredito que se pode armar um debate muito legal.

no meu caso particular, judith butler me interessa e muito! marcia baratto mesmo fez referencia a textos importantíssimos, dentre muitos que colocam butler num lugar bem respeitável na análise critica de distintos aspectos sociais. quer contrapor autores, tem um monte de autor que discorda, sinta-se a vontade pra linkar, acho que ninguém vai reclamar de algo que só pode enriquecer o debate.

agora devo dizer que concordo muito com a anônima, que tal fazer um blog analisando aspectos desde a ótica do feminismo radical? pode até linkar textos interessantes aqui, certamente muita gente vai agradecer esse compartilhamento de informação.

do meu ponto de vista o que não dá é pautar o blog alheio. você entendeu na lógica que butler trazia algo revelador para a oposição do que vc chama libfem e radfem. eu não entendi assim, entendi que se está compartilhando informação sobre uma autora fundamental de uma corrente do feminismo na qual a autora do blog revelou se identificar com alguns aspectos e que claramente muitas outras pessoas aqui se identificam, algumas conhecem o trabalho de butler, outras nem tanto.

agora se falar sobre isso te parece irritante, mais do mesmo, certamente terão muitos espaços em que se fará uma crítica a judith butler e que você certamente terá muito a contribuir.

um abraço

Anônimo disse...

O problema é quando as rads (ou mascu fake, porque não pode ofender elas) vinham aqui (ou ainda vem?) ficar regulando a vida dos outros, metendo o bedelho quando uma feminista diz que é hétero. Aí já começam dizendo que tá erotizando a opressão, que é traidora do movimento, que no fundo é machista e a poha toda. Isso quando não baixam o nível pra "lambe rola". Pior ainda se a mulher diz que é bi, aí parecem que fazem questão de ofender com gosto, começam a discutir a pessoa e não as ideias dela. É por isso que nos últimos posts algumas tem dito "gosto de pênis mesmo e não deixo de ser feminista por isso", pra ver se essas fiscais de vagina alheia caem na real.

Mallagueta Pepper disse...

Eu ainda vejo o gênero como construção social e cultural, não como algo realmente natural incrustado no nosso DNA. Mas é meio difícil eu discutir isso porque esse pensamento vem da minha crença na reencarnação e é complicado discutir isso com quem não acredita uma vez que eu não tenho como provar isso de forma objetiva.

Jose disse...

Opa, comentei no post errado. Desculpe, Lola. *Off.

Caroline Oliveira disse...

Eu já cheguei a achar que gênero era só construção social, mas agora não acho mais. Observando alguns gays e trans, de forma geral, vi que eles têm os trejeitos do sexo oposto, até a voz, muitas vezes, é parecida com a do outro sexo.
Parece-me que há pessoas que nascem no "sexo" errado, não sei, mas já vi mulheres lésbicas bem masculinas e homens, nem sei se todos homossexuais, mais femininos.

Tenho a impressão que gênero é biológico também. E que há diferenças cerebrais, sim, entre homens e mulheres, mas que essas diferenças são deformadas, diferenças que nem existem são criadas, visando criar opressão e justificá-la.

Creio que transexuais sintam-se, de fato,como se fossem do sexo oposto, pois me parece que esse lance é cerebral. Também acredito que deva ser muito difícil ser trans, mas, principalmente, no caso das trans femininas, ou seja, que são bioligicamente masculinas, acho contraproducente que elas tentem protagonizar o feminismo, pois lhes falta vivência, já que a sociedade as criou como homens.

Enfim, são só minhas conjeturas. Adoraria que o Panthro aparecesse por aqui e opinasse, pois vi que ele manja de neurociência.

Anônimo disse...

o problema nem é gostar de piroco, não dá pra ter só lesbica no mundo, nem se for feminista e só faz valer aquela frase de que mulher só é feminista porque é lesbica e não gosta de homem.
Mulheres frequentemente ouvem que vagina fede que vagina não é apertada o bastante pra satisfazer o parceiro, que senão for depilada o homem não gosta

A única coisa que o homem ouve do dito cujo é o tamanho que não tem como mudar
ou seja já que a mulher tem como mudar ela que se vire, tem um lugar aí onde costuram as vaginas das mulheres pra ficar mais apertadas e elas morrem de dor com isso, Todo mundo quer ditar até como deve ser o nosso órgão, outro dia até a cor dos mamilos. temos que ter atenção pra não ter um discusso misógino também

Anônimo disse...

é verdade toda hora na internet tem um site de dicas femininas falando que a mulher tem que fazer anal porque é mais prazeroso pro homem porque a vagina não é estreita,
que que a gente tem a ver com isso? se eles não gostam de xota só lamento.
é meio off mas também to cansada de acharem que tem algo errado com nós a gente fica se sentindo um e.t eu não quero me sentir assim eles que vão tomar no olho do O.

Anônimo disse...

butler sou sua fã dona do mundo

Anônimo disse...

"A esmagadora maioria das radfems eram libfems e acreditavam nisso, até analisarem/criticarem mais a questão e mudarem de idéia. Para nós essa idéia já foi analisada, seria bastante idiota voltarmos a acreditar em uma idéia que acreditamos por meses ou anos e se mostrou falha."

Tipo que nem fez a Gloria Steinem, né? hahahahaha
Ai, as rad...

Marcia Baratto disse...

Toda essa discussão sobre a fobia de vagina é muito importante, também acho que devemos debatê-la exaustivamente, mas eu fico louca da vida quando alguém diz que 'só' (como se fosse pouco) isso pode ser nomeado como feminismo.

Gente, na boa, o que muda na luta das mulheres que nasceram com vagina, o fato de uma mulher trans também dizer que faz feminismo? A pauta? E, se sim, qual é o problema de mais de uma pauta? Para mim, quem 'endesou' a verdade como um discurso único foi o patriarcado, não cabe na minha tolerância feministas repetindo o mesmo padrão de raciocinio totalitário (por que né? para transformar em prática precisa ter poder, coisa que as radicais não tem).

Sempre vi o site da Lola defendendo feminismos no plural, também penso que deva ser assim. Tem problemas aos montes com gênero (inlcuíndo a pauta para eliminá-lo), dá para n grupos protagonizarem diversas conquistas sociais.

Outra coisa, não me sinto confortável com essa polarização política do debate importado dos Eua. Isso aqui é Brasil, nosso debate político é outra coisa, liberalismo por aqui tá bem longe de ser o 'inimigo' protagonista, é com os diversos conservadores que nós nos defrontamos no campo dos valores (a maioria deles até se diz neoliberal no plano econômico, mas só se for para diminuir ou flexibilizar direitos dos trabalhadores, por que ninguém encosta no protecionismo da elite econômica nacional, faz favor).

Radfem, você não quer escrever um post com críticas radicais a Butler? Sei que duas postagens lhe sugeriram abrir seu blog, mas eu endossaria um post crítico de uma radfem aqui. Já passou da hora de debatermos ideias, não pessoas.

Anônimo disse...

pois é sempre tem algo errado só com mulheres pq será...

Mila disse...

Sinto a mesma coisa. Gênero sempre deu um nó na minha cabeça. Minha tendência é mais próxima a da visão das feministas radicais, que entendem o gênero como uma ferramenta opressora de um sexo sobre o outro. Ao nos atribuir a função de "sexo belo", entendo que a feminilidade também nos é imposta, pois ser mais ou menos feminina determina o nosso valor social e quem somos, à luz do patriarcado. A existência de "coisa de menino e coisa de menina" me parece muito mais impositiva que libertária.
Aí eu conheci casos de vivÊncias de gênero fora do binarismo e minha cabeça voltou a dar um nó. Como ficariam essas pessoas neste quesito?

Rê Bordosa disse...

Lyz,

"também acho essa história de adorar pau já deu, não vejo essa idolatria toda com vaginas"

A galera só ta falando "adoro pau" em resposta a comentários radicais e gratuitos anti-pau. E naquele post onde teve toda aquela conversa sobre pênis, que postaram desenhos de pênis, eu respondi que deviam postar bocetinhas tb, que eu adooooooooooooooooro boceta. Me ignoraram. Quando alguém fala que gosta de vagina as "radicais" não dão bola, gostam mesmo é de meter o pau em quem gosta de pau.

Será que tem "idolatria" com pau por parte de quem comenta "eu gosto de pau", ou será que as pessoas que criticam esses comentários tem uma visão muito parcial/enviesada?
E tem mais: quando digo que gosto de mulheres (o que inclui suas vaginas), ninguém acredita. No post anterior algum babaca foi lá dizer que eu só fico com mulher para me exibir pra macho, que não é possível que eu goste de fazer oral em mulher. Qual o problema em gostar de fazer oral em mulher?

Na minha opinião paus são legais, nossas vaginas são legais tb. O corpo humano é incrível, todo ele.

Anônimo disse...

na moral essa re bardosa é louca não acredito em nadaa que ela diz

Death disse...

Não consigo ver gênero como algo biológico, que nossa biologia nos diferencia em algumas características físicas ok, mas e daí? Quem atribui papéis baseados em tais características não é a natureza, somos nós enquanto sociedade.

Uma vez ou outro aparece alguma reportagem falando de sociedades pré-históricas onde apontam indícios de que as "questões de gênero" eram mais igualitárias. Imagino que isso ocorre pq justamente ali não haviam essas noções falsas de "masculino" e "feminino", poderiam até ter divisões de tarefas mas era algo mais instintivo e pragmático do que idealizado... (se é que se "idealizava" algo nessa época), enfim. Estou ignorando um pouco a passagem sobre a linguagem escrita, essas coisas. O meu ponto na verdade não é nem sobre essas sociedades antigas é sobre como não há como reconhecer gênero se você mal reconhece sociedade.

Como acredito que gênero seja um produto da sociedade então não tem isso acontecer antes do ser humano se formar em torno de uma base hierárquica antes. Logo o gênero vem de forma subserviente designar papéis na noção de "social".

Rê Bordosa disse...

Anônimo 18:12,

Não tem problema. Você não precisa acreditar. Eu não vou morrer por isso e vc também não.
Vivemos num Estado laico, vc acredita no que quiser, até em unicórnio e fada do dente.
Mas saiba que mesmo não acreditando em mim, eu sempre vou lutar para que você continue tendo o direito de acreditar e desacreditar no que quiser. Luto inclusive para que você tenha o direito de continuar não acreditando em mim.

Você pode ter a ideologia que quiser, desde que não a use como justificativa para atacar, oprimir e violentar.

Anônimo disse...

Sabe Lola, acompanho seu blog desde que vc começou. Já li tudo o que vc publicou aqui, mas nunca comentei. Durante esses anos me tornei um grande admirador sua pessoa e do seu trabalho. Ultimamente tenho ficado muito triste com o que leio aqui na caixa de comentários. Os trolls sempre te ofenderam gratuitamente, isso não é novidade. Mas o que tem me chateado muito é ver a militância te agredir de tantas formas. Outro dia vc foi chamada de racista, ontem dizeram que seu blog é um masculinismo disfarçado. Poxa, vc não merece isso! Depois de tudo o que vc fez, de todas as ameaças que vc teve que suportar por causa do blog, falarem isso de ti é no mínimo um desrespeito.

Com esse seu humilde blog, como vc mesma diz, vc foi capaz nos oferecer, a mim e a milhares de jovens, algo que a escola deveria, mas consegue: uma consciência política. Isso é muita coisa. Muita coisa mesmo!
Vc é uma guerreira Lola, um ser humano fantástico que me ensinou muito! Espero um dia conhecê-la pessoalmente e te dar um abraço apertado.

Um beijo! Te adoro!

Cleyton

Marcia Baratto disse...

Eu já acho a Rê fantástica, é ela mesmo sem medo e sem nick anônimo para se esconder. No mais, gênero não só significa opressão para mim (ok, branca, classe média, com certeza tudo isso influencia, posso nomear todos os meus privilégios, só não me peçam para sentir uma dor que não sinto, que eu não consigo ser falsa comigo mesma), há inúmeras coisas que gosto em ser uma mulher, e, veja bem, 'poder' usar maquiagem nem é a primeira da lista.

Anônimo disse...

'poder' usar maquiagem nem é a primeira da lista.

kkkkkk poder usar make nossa é tão legal sempre tem um fundo de machismo
ser mulher não é ruim ruim mesmo é o machismo ow

Anônimo disse...

Eu já acho a Rê fantástica

não gosto dela não me passa seriedade no que fala parece que tá aqui só pra dizer que é fodastica,
alias essa mulherada é tudo bi mas no final fica mesmo é com homem estranho né.

Anônimo disse...

Radfem quando lê um comentário sensato que não dá pra refutar, isso dá um no na cabeça dela. Só consegue responder "na moral ela é louca, não acredito nela", tadinha. Se não tem argumentos fica quietinha filha, pra quê partir pra ofensa pessoal? Bela postura a tua, parece que tem 11 anos.

Anônimo disse...

A lógica das 18:33 é "100% das bis no mundo inteiro só ficam com homens no final, é uma verdade universal baseada nas minhas próprias experiências". Tá serto. Bom, pra mim a Rê passa uma super seriadade e também acho ela fodástica! No quesito debate com certeza ela detona vc que só comenta em anônima, que só faz críticas pessoais e não sabe discutir ideias =)

Anônimo disse...

Foda-se, não é radfem então é patrulha anti-rê bordosa, melhorou? Dá no mesmo filha, tu só sabe criticar os outros, até agora não refutou uma ideiazinha que ela disse. Tu só paga mico aqui com esse nível de argumentação escroto

Anônimo disse...

todas essas bissexuais no final acabam com pirocos ao contrário de homens, tem mais gay homem que mulher 2 xs mais, eu acho que é pirocodependencia porque tem mais gay homem que mulher e porque as bi acabam com homem na maioria das xs, não sou rafem mas a conta não fecha,
mulher tem sim dependencia masculina muito forte.

Anônimo disse...

ué vai pagar de advoga
e vc que não mostra a cara tbm?
aqui uns mandam os outros se fuder e ninguém fala nada o fato de eu não gostar de alguém e daí o gosto é meu. não vou mudar porque vai ficar me enchendo o saco pra eu achar ela legal.
tô nem aí que infantilidade a sua tomar as dores dos outros.

Anônimo disse...

Tá, e esses dados estatísticos de "todas essas bis" e "tem mais gay homem que mulher 2 xs", tu tirou eles de onde? Quero fontes com credibilidade.

Anônimo disse...

Vai começar a briga uma querendo defender a amiguinha e a outra que não gosta, tá chato isso eu hein , Aqui todo mundo tem que gostar da raven e da re bardosa ahh me poupa né.
gosto é que nem bunda cada um tem o seu.

Anônimo disse...

Olha vou ser sincera também não gosto de ti não. Exala infantilidade, não sabe argumentar poha nenhuma e só sabe criticar os outros. Aí quando alguém te critica por causa disso, acusa de "advogada". Até agora o que vc trouxe de construtivo pra esse debate mesmo? Nada. Quais os argumentos que vc apresentou pra convencer a gente de algo? Nenhum. Só sabe criticar e acusar os outros, cresça.

Panthro disse...

Interessante você falar disso, Death, porque nessas sociedades também existem transexuais. São conhecidos como "terceiro gênero". E o interessante é que existem em todas as culturas do mundo. Aqui fala mais sobre o caso(https://en.wikipedia.org/wiki/Third_gender)

Isso acontece porque uma coisa é o papel de gênero, que é o comportamento ditado pela cultura de como um gênero deve se comportar, e outro é a identidade de gênero, que é como a pessoa se sente. Uma mulher pode rejeitar completamente o estereótipo de gênero da nossa sociedade e isso não muda a percepção que ela tem de si mesma. Ela se percebe como mulher. Então acho que muito dessa briga é por conta de não fazer essa diferenciação entre identidade e comportamento.

Panthro disse...

E já tem gente aqui usando o instituto de pesquisa sobre sexualidade humana "As Vozes Me Disseram"? Estou acreditando demais que isso seja mascu trollando.

Anônimo disse...

Kkk porque eu não fico surpresa? Sempre que fica sem argumentos ela começa com a mesma historinha "tá defendendo amiga". Já tem uns 5 posts seguidos que ela apela pra mesma estratégia. Filha, não to defendendo ninguém não, eu to te criticando mesmo, criticando tua postura infantil e vazia, que não contribuiu pra nada até agora. Agora todo mundo que reclama da tua postura infantil é porque tá defendendo alguém? Nossa que maturidade fera, parabéns. Mostrar ARGUMENTO, DEBATE que é bom, nadinha, não tem capacidade pra isso.

Panthro disse...

E Rê, eu não gosto de vagina, mas achar que pessoas são pau e vagina me faz pensar em quão triste é a vida das pessoas. E nem estou falando de relacionamentos, tô falando de sexo mesmo. Como você disse, "O corpo humano é incrível, todo ele".

Anônimo disse...

Onde que essa RadLesbica tá mitando? Aliás, onde ela tá assinando esse nome? Porque não tem nenhuma comentarista aqui assinando assim, e olha que to acompanhando esse post há um bom tempo, se tivessem apagado eu teria visto. Ah, já sei, cai na armadilha. Agora ela vai responder "pois tu não viu a RadLesbica mitando porque a Samatntha apagou, estão censurando a gente". Haha ótima estratégia, mas não caio nessa não. Tem nenhuma RadLesbica comentando aqui

Samantha disse...

Anônimo das 19 horas, amo você. Só queria te dizer isso.

Depois que eu soube que eu entrei na lista negra do grupo de radfem do facebook amigas, o céu é o limite.

Panthro disse...

Aliás, outra pergunta: O feminismo radical tem por objetivo combater:
a) O patriarcado
b) As libfems
c) As transexuais
d) Os pirocos

Anônimo disse...

Samantha não pode ficar me elogiando assim na cara dura não, vão dizer que sou sua fake haha. Mas legal saber que agora tem feminista fazendo lista negra pra colocar OUTRAS feministas, por aí já se vê o nível de maturidade dessas pessoas

Anônimo disse...

18:50
haha eu falei que achava ela louca vc veio tomar as dores começar entrar numa conversa que ninguém te chamou e eu que sou infantil,
agora diz que não gosta de mim, aí imagina se aparece alguém igual a você tentando me defender ah que saco né, pois é isso que vc tá fazendo, não me importo se não gosta de mim, agora tá tomando as dores dos outros a troco de nada,
aqui não se pode ter opinião tem que gostar de todo mundo senão é infantil rafem.
vai catar coco

Anônimo disse...


vixe tem um povo desse blog que é realmente estranho muita gente fala que não gosta do jonas pq ele é homem pode mas não gostar da rê bardosa é proibido? também não gosto do jonas nem das colocações dele mas só porque é mulher é perfeita é fodona tem mulheres aqui que não tão com nada também.

Anônimo disse...

To tomando as dores de ninguém não, só criticando tua postura vazia mesmo. E isso aqui é um blog não chat privado, já devia saber que vc tá sujeita a críticas de qualquer uma, independente se tá falando "só" com fulana ou beltrana. Não tem ninguém te obrigando a gostar de todo mundo, pode parar com esse mimimi. A questão é, se tu não gosta da pessoa, porque ao invés de ficar xingando ela tu não debate as ideias dela? Falar que acha fulana louca, contribui em que mesmo? É esse teu objetivo nesse blog, ficar criticando pessoas e não ideias? E sim, por definição o nome disso é infantilidade, aceita que dói menos.

Anônimo disse...

tah achando ruim anônimo experimenta falar da Raven aí que o bicho pega, aqui tem uns imaculados que ninguém pode falar acho que são os favoritos da adm do blog e da lola.

ps:vão dizer que não tem isso mas tem isso sim

voltando ao post queria ler um livro dela parece ser bons só tem em ingles =(((

Anônimo disse...

Vamos ver se vão excluir meu comentário como da última vez.
Eu tô cansada de explicar do ponto de vista científico que trans não são mulheres, por quê toda vez que faço isso vem gente dizer que estou biologizando a vivência dos outros ( HUEAHUE WAT), tô cansada de ver trans dizendo pras rads chuparem pau de cachorro, tô cansada de ver trans dizendo que lésbicas butch nunca serão tão mulheres quanto eles, tô cansada de ver mulher sendo xingada por trans, e principalmente, ver outras mulheres concordando com tudo isso. Tô cansada de ver gente achando que eu quero que pessoas trans morram ou sejam agredidas (nunca!). Tô cansada de ser chamada de mascu. Tô cansada de querer discutir numa boa e ver libs dizendo "sejem menas". Na verdade, parece que estou cansafa desse feminismo mesmo.

/Grunger.

Anônimo disse...

Ah, e alguém pode falar "mas tu tá fazendo igual, criticando a pessoa e não a ideia". Poha, não dá pra criticar as ideias da pessoa se ela não apresenta ideias, só ad hominem pra cima de quem ela discorda. É essa postura vazia que to criticando, pra ver se caem na real.

Anônimo disse...

De novo, não aceitam que estão erradas e começam o "tá defendendo a amiga". Gente isso não é high school de filme, vcs não sabem debater sem ter que apelar pra isso? Não tem capacidade argumentativa não?

Anônimo disse...

Só uma pergunta: a maioria dos transexuais são masculinos ou femininos? Porque se forem femininos, qual seria a vantagem de um ser que já nasceu homem fazer uma cirurgia para "ser mulher" e sofrer todos os riscos e preconceitos que as mulheres sofrem?

Anônimo disse...

Isso aqui tá um porre, raven, julia e outras aqui xingam geral e ninguém dá um pio, mas se falarem delas.... ui, que absurdo.
Se tivessem deixado elas responderem a quem lhes xingou essa palhaçada toda n tinha começado.

Raven Deschain disse...

Pois sabe o que tá um porre, amigo? As pessoas esquecerem um post maneiro, que deve ter dado um trampo do caralho pra fazer, tomando um tempo que a Lola não tem, pra ficar cuidando da vida de outras comentadoras. Sabe oq mais tá um porre? Gente que vem aqui só pra arrumar briga nos comentários. Sabe oq mais é um porre? Gente invejosa que não pode ver outrxs recebendo um elogio, tem que xingar. Sabe oq mais tá foda? Gente que poderia estar contribuindo pra um bom debate e não o faz, pq é mais fácil ofender alguém do que discutir uma escritora que fala difícil ou problemas que mulheres tem ou aonde se originam os problemas masculinos que fazem com que eles sejam violentos conosco.

E a lista fica interminável. Mas continuem. Isso que vcs fazem só demonstra como vcs são pessoas pequenas que não tem sororidade, não tiram um bicho da rua, não doam um cobertor no inverno. Resumindo: gente que não faz porra nenhuma a não ser atacar quem é melhor do que vcs.

Anônimo disse...

Realmente: Quais são os problemas masculinos que fazem com que alguns homens sejam violentos? o machismo faz com que certas atitudes sejam aceitas na sociedade, mas qual seria a raiz do problema? Porque?

Anônimo disse...

gente que não faz porra nenhuma a não ser atacar quem é melhor do que vcs.


kkkkkk é n tem ninguém aqui pagando de fodona...

Anônimo disse...

E a lista fica interminável. Mas continuem. Isso que vcs fazem só demonstra como vcs são pessoas pequenas que não tem sororidade, não tiram um bicho da rua, não doam um cobertor no inverno


deduziu tudo isso do fato de já estarmos cheias desse mimimi graças a vc??? mãe dinah.

Ana disse...

Menos né Raven, está falando dos outros como se n fizesse parte da merda toda. Te xingaram, você e suas defensoras já xingaram de volta, já era para ter acabado. Mas essa merda já dura dias.
Mimimi de Rad e mimimi de suas defensoras, é dose.

Anônimo disse...

Depois somos nós que somos infantis tem umas defensorazinhas aqui sim ,quando xingam o outra pessoa ninguém fala nada, mas é só falar não gostei do comentário da raven e de outras que já começam com suas rads e blá blá blá não fala assim dela ela é empoderadora.

vcs são um porre se toquem!

Anônimo disse...

não tiram um bicho da rua, não doam um cobertor no inverno
nossa gente ela sabe tudo que a gente faz.

kkkkk é melhor do que vcs

auto estima é tudo né pobre coitada iludida depois ainda querem defender, mas miga assim não tem como te defender.

Kittsu disse...

Acho muito importante estudar esses dois aspectos da questão do gênero: como expressão da natureza humana X sistema de opressão. Como qualquer outro aspecto das demais interações sociais, eu acho que existe sim uma sobreposição entre essas duas visões sobre o gênero. Porquê deveriam ser mutuamente excludentes? Eu costumo recusar visões binárias, maniqueístas sobre qualquer assunto que eu venha a explorar. Me acostumei que esse seja uma das primeiras "cascas de banana" lógicas que eu afasto.
Então eu acredito sim que são ambas as coisas, mutuamente. E a análise de cada uma se dá no "micro" e no "macro": O indivíduo e sua satisfação, anseios e realidade pessoal X a reação da sociedade àquele indivíduo no que diz respeito à expressão de suas individualidades, bem como a forma que esse indivíduo se expressa. Claro que vão existir "forças" que vão determinar certas características como superiores/desejáveis para certos papeis de forma a delinear a existência de uma classe "vip". Se são esforços deliberados ou não, é outro assunto (de novo, eu diria que ambos). Mas para mim, é uma das características da natureza humana contra o qual as pessoas vão ter que travar uma luta eterna para alcançarmos uma sociedade cada vez mais justa e digna. E isso é outro assunto também.

Anônimo disse...

Kittsu, mas na sua opinião, como se daria a questão de gênero como expressão da natureza humana, visto que varias coisas são resultados da sociedade?

Mariane

Anônimo disse...

Mas gente, esses dois últimos textos não parecem ser da Lola. Ninguém percebeu uma mudança de estilo aí não? Posso estar louca, mas acompanho a Lola há anos e esses textos aí não me parecem dela.

No mais, sério, os trechos citados são legais e tudo, mas também é meio que evidente que essa questão da identidade de gênero foi trazida no contexto das rad, né?

E talvez tenha sido mesmo trazido como uma provocação. Sem problema quanto à provocação, até que foi bastante elegante pro nível dos comentários ultimamente, mas a pergunta que fica é: por que? Por que fazer isso, se não vai haver direito de resposta?

Gente, até um estuprador teve espaço aqui no blog certa feita (eu não consegui ler até o final, porque né, não dá pra sentir empatia, não quero uma morte horrível pra uma pessoa capaz disso mas também não a quero de jeito nenhum perto de mim), por que não dar espaço pro pensamento radical também?

Tem textos ótimos por aí, não é difícil achar. Claro que tudo pode ser refutado, mas acho muito mais respeitoso refutar um texto sério do feminismo radical do que ficar insistindo nessa bobagem de estereotipar pessoas ou ideias que não coincidem com as suas próprias.

E, por favor, achar que feminismo radical é ficar chamando as outras de adoradoras de pau" é simplista demais. E achar que dá pra definir o que é feminismo radical com fundamento em uma caixa de comentários com um monte de gente anônima, olha...

Ro

Anônimo disse...

Tá ótimo mesmo...
Feminista pagando de fodona pq transa com geral, n tem nojinho de sexo, o resto é moralista.
Pagando de fodona pq tem um conta, nossa! Dando a "cara a tapa" pq pôs um apelidinho e uma foto qualquer sem prova alguma da veracidade, quem comenta anônimo é covarde...
Pagando de fodona pq é adorada, o resto tem inveja já que ela uma pessoa melhor kkkkkkkkkkkkk
Pagando de fodona pq odeia homens e o resto deveria odiar

Nem dá para imaginar pq o numero de gente comentando diminuiu

Anônimo disse...

Off topic, mas que droga: Dilma está destruindo tudo o que lula conquistou.

Anônimo disse...

Ai, que cansaço mental me dá essas pessoas.

Fábio disse...

Bom dia senhoras, eu me alto identifico como um DEUS, e acho que tenho o direito de ser adorado e idolatrado por vocês vermes insolentes.

Quem discordar e divinofobico :)

Anônimo disse...

O Deus do minguau, kkkkkkkk

Anônimo disse...

Os homens estão se infiltrando e mandando no feminismo; que coisa mais esquisita.Ninguém, nem nenhuma vertente é dona do feminismo, mas deixar um omi atingir tamanha ascensão acho algo ...sem sentido algum, um descaminho é revoltante.

Anônimo disse...

O problema que vejo aqui muitas vezes, e o jogo de vaidades> Feminismo e posicionamento, e abrir mão desta bobagem de vaidade, em nome da sororidade entre irmãs.Feminismo não é batalha de divas, ou seja, uma competição para ver quem é "a melhor", quem é mais "transadora", quem é mais bonita, quem é mais famosa, quem tem mais """"fãs"""".
Feminismo é um movimento sério, que deve ser tratado como um movimento político de grande importância na vida das mulheres,e posicionamento anti opressão e opressor e não como uma passarela onde todas competem para ver quem é mais legal.
Ana Clara

Anônimo disse...

As pessoas tem mania de achar que pq somos mulheres, devemos acolher todas as minorias, e isso tá errado. Esse pensamento faz parte da socialização patriarcal que nos ensina a colocar os problemas dos outros acima dos nossos.
Feminismo é pra mulheres. Gente que nasce com vagina, que sofre misoginia.
Muito homem sai falando por aí que é feminista só pq é gay. Muita gente diz que devemos aceitar mulheres trans, pq "ah mas feminismo que não acolhe as minorias mimimi".
Isso não existe.
Militamos pelas mulheres.
Mas feminismo é política, não é bagunça. Já existe o transativismo, já existe o movimento LGBT
Que se posicionem lá, os que n~´ao sabem a pressão de nascer com vagina, em uma sociedade toda estruturda no falocentrismo patriarcal.

Juba disse...

Ro, concordo

Fábio disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jac disse...

Fico triste com a guerra que está sendo esses comentários. Por mais que a Lola (por quem tenho mto apreço) e diversas comentaristas estejam desvalorizando a opinião das radfems, as pautas que elas estão trazendo são pertinentes - o que é ser mulher? o que é gênero?

Mas ao invés de abrir espaço para novas discussões para chegarmos a um denominador comum, vejo que as "libfems" (grupo do qual eu costumo ou costumava fazer parte) estão dando um show de falta de sororidade. E, pior, estão caminhando para o passado e voltando a uma definição de gênero misturado com sexo. Mais uns passos nessa direção e estaremos assinando que somos realmente o sexo frágil, delicado e belo.

Também gostaria de incluir o movimento Trans nessas discussões, afinal são eles que estão provancando essa rachadura nas definições de gênero e sexo (não estou acusando, apenas mostrando que há um momento de crise em que devemos repensar sobre o feminismo para fazer ele evoluir - assim como foi com a inclusão de lésbicas décadas atrás). Afinal, ser uma pessoa transexual é estar em desconformidade com o seu sexo (leia-se suas genitais) ou com seu gênero (leia-se que a pessoa meramente queira adequar sua imagem social)? E no caso de inconformidade de gênero, não seria mais correto lutarmos contra a barreira de gênero para que um homem possa manter sua imagem social como queira (cabelo comprido, roupa feminina, unha pintada, gestos delicados - esses clichês femininos todos) sem se ver em uma obrigação de "mudança de sexo"?

-Jac

Anônimo disse...

Façamos assim então, vamos provar que gênero não existe, abolindo a divisão nas modalidades esportivas, que tal? imagina a Ronda Rousey lutando com o Vitor Belfot no octógono?

Ana A disse...

Olha, apesar das caixas de comentários "loucas", eu tenho aprendido com a presença das radfems. Sigo o blog há muitos anos, tenho posições feministas na vida, mas não tenho conhecimento acadêmico algum. Então, para mim, tem sido enriquecedoras essas questões colocadas. Tanto esse texto da Lola quanto alguns comentários de rads. Eu achei muito boa a ideia de um guest post dessa corrente. Por que não?
(Mas, gente, não daria para sermos mais civilizadas e adultas nos comentários?)

Fábio disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Sou mais ou menos novata no blog, mas feminista ha um tempo (feminismo voltado pro lado mais academico). Ja estudei Butler e etc...
Eu sinceramente, acho perda de tempo tantas discussoes e divisoes num movimento q ainda nem atingiu nosso continente direito, e no nosso país ainda eh "novidade" tbm. Gente, pára! Nossas mulheres ainda sao estupradas e mortas! Temos ainda q pensar e lutar por direitos basicos d sobrevivencia e dignidade. Aqui nao eh França. Chega destes discursos q parecem pós-feminismo (se é q isso existe mesmo). Se pode dar pra geral, se pode chupar rola, se pode dar o cu, se pode ser bi ou lesbica..ninguem ta nem ai pra vida sexual dos outros pq na verdade esta se limita entre 4 paredes. So tem acesso a sua vida sexual quem escuta seus gritos de: eu dou mesmo! Chupo mesmo! Blablabla! Aff...q tedio. Parece ensino medio. Por isso o feminismo anda a passos de tartaruga no Brasil, pq querem chegar no decimo andar com um pulo d uma vez saltando os nove andares. E mudando de assunto, nao conhecia muito do feminismo radical e minhas ideias eram mais pro liberal. Mas observando a caixa de comentarios aqui..ate q o radical tem ideias interessantes (nao eh d se jogar tudo fora nao). E quanto ao liberal (q amava ate entao), oq mais me decepciona eh ver gente entrando na causa lutando por um tipo d liberdade sexual q no fundo beneficia os homens e/ou mascus. Afinal...pra eles quanto mais mulher disponivel a "dar" facil melhor. Nada d moralismo da minha parte pq isso pra mim eh coisa de crente fiscal de genital alheia. Mas devemos tomar cuidado pra n lutarmos por causas estranhas e q n causam tanto efeito positivo quanto imaginamos, nao cair na esparrela d boicotar o movimento de dentro sem querer. Enfim..meu primeiro comentario aqui, talvez seja o ultimo tbm pq o nivel da maior parte dos comentarios nao me agrada.
Bom dia a todos! :)

Barbara D.

Fábio disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

P.S. Ah! Quando digo q ninguem ta se importa com a vida sexual dos outros, quero dizer na questao do ato mesmo. Afinal, ninguem sai por ai transando em publico no meio da rua pra todu mundo ver. Entao teoricamente as pessoas criam preconceito com oq as outras aparentam ser. Trans sofrem exatamente por isso. A questao nao eh dar o cu*, eh aparentar q vc dá. Triste isso...eu sei.

Barbara D.

Donatien Alphonse François disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Donatien Alphonse François disse...

Anônimo
10:39

Depois da ultima luta dele, eu duvido que ela não ganharia kkkkkkkkk
Mas já tem uma transsexual lutando com mulheres e ganhando por enquanto, não lembro o nome dela.

Anônimo disse...

Gente q ainda n entendeu a brutal diferença entre genero e sexo mesmo depois d taaaantas explicaçoes aqui no blog so pode ser acéfalo. Volte pra fila da destribuição d cerebro e depois venha aqui.

Anônimo disse...

Gente q ainda n entendeu a brutal diferença entre genero e sexo mesmo depois d taaaantas explicaçoes aqui no blog so pode ser acéfalo. Volte pra fila da destribuição d cerebro e depois venha aqui.

Julia disse...

Pronto, chegaram os machos pra desafiar mulheres em relação a força física. Do que vocês estão falando? Da força física que vocês usam pra agredir e estuprar mulheres?
Nenhuma feminista está a par disso, ainda bem que vocês chegaram pra esclarecer.
Agora já podem desinfetar daqui, ratos.

Julia disse...

Se as defensoras de animais acharem que fui agressiva com os ratos, peço desculpa.
Não tenho nada contra ratos.

Caroline Oliveira disse...

Gente, vocês viram essa entrevista do Drauzio Varella com o Jean Wyllys?
http://drauziovarella.com.br/audios-videos/jean-wyllys-orientacao-sexual-e-identidade-de-genero/

Se gênero só é construção social, o que faz com que uma pessoa se identifique com o gênero oposto? Por que um homem, que já nasce com privilégios, devido ao patriarcado, iria querer ser mulher? Creio que porque, talvez, ele se identifique com mulher, ou seja, há um fator biológico nisso.
Não sei, mas me parece que gênero não é só construção social, embora também o seja.

Anônimo disse...

Enquanto a Dilma tá destruindo o Brasil, vcs ficam falando em chupar rola pqp.

Anônimo disse...

Milhares de blogs falam da Dilma destruindo o Brasil. Você não precisa vir aqui para isso.

Anônimo disse...

Mas foram vcs e a Lola que votaram nela.
Nos outros blogs é mais difícil achar eleitor do petê hoje em dia.

B disse...

Dilma não tá destruindo o Brasil coisa nenhuma. Pior do que tá, já foi. Parem com esse delírio.
E aqui não é lugar pra discutir sobre isso.

Rê Bordosa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rê Bordosa disse...

Obrigada, Marcia Baratto!
Adoro seus comentários também, muito pertinentes.
E obrigada a alguns anônimos pelos elogios.

Aos anônimos que se incomodam tanto com a minha presença, que dizem "ain, mimimi, agora todo mundo é obrigado a concordar com a Rê Bordosa". Não são obrigados a nada. Não concordam e não gostam de mim? De boa, nem esquento com isso, mas respeitar seria bacaninha.
Eu me acho? Eu pago de fodona? Talvez, tanto faz... Que seja. Porque uma mulher não pode se achar, se amar e pagar de fodona? Até onde eu sei, esse discurso de que mulher tem que ser humildezinha e falar fino é discurso totalmente machista.

E no mais, eu sugiro que antes de atacar alguém, respirem fundo, leiam com calma, interpretem direito, tentem analisar o discurso de uma forma ponderada, não binária:
Se eu digo "gosto de verde" não quero dizer necessariamente "odeio amarelo".
Se alguém diz "toda torta de morango é ruim" e eu responder "discordo, há algumas boas, na padaria aqui do lado de casa tem uma torta de morango ótima" não estou querendo dizer que TODA torta de morango é ótima nem mesmo que a grande maioria das tortas de morango é ótima. Não estou chamando de completa mentirosa a pessoa que disse "toda torta de morango é ruim", só estou dizendo que ela tem uma visão parcial do tema.
No mais, percebi que muitos aqui nos comentários me odeiam de morte por isso, porque tento não transformar meu discurso em uma coisa generalista, binária. As pessoas gostam de times e levam as brigas de torcida muito a sério, mas a vida não é futebol. Então só para deixar claro, quando digo "alguns homens são legais, meu marido é um sujeito bacana" eu quero dizer apenas isso, não to dizendo que todos, nem mesmo a maioria dos homens sejam bons, nem que violência contra a mulher não existe, nem nada disso, parem de lombrar! Parem de colocar palavras no meu discurso! Tirem o cérebro da caixinha, acordem pra vida, a realidade é plural.

Panthro, curto muito seus comentários, sua enquete das 19:06 representa exatamente o que penso.

E sobre anonimato, até entendo o lado de quem prefere comentar anônimo pra não se expôr. Comentar com o perfil real traz alguns aborrecimentos, como as ameaças que a Lola já sofreu... Comentar anônimo e contribuir de forma produtiva com o debate? Beleza... Agora, esse povo que fica usando o anonimato pra trollar e xingar, o nome disso é cagaço! Medo de dar a cara a tapa.

Anônimo disse...

Caramba, a Lola convenceu milhões de brasileiros a votarem na Dilma? Tá mais poderosa que a Rede Globo e o Grupo Abril juntos!
Em vez de procurar loucamente por gente xingando a Dilma, basta logar o facebook pra vc ver, que tal dar uma pesquisada sobre sistema político brasileiro, sistema legislativo, judicialização da política? Ou vc acredita que estamos numa ditadura e tudo o que acontece no país é só culpa da Dilma. Os vereadores, prefeitos, governadores, deputados e senadores que eu e você ajudamos a eleger não tem nada a ver com os rumos que o país está tomando hj?

Anônimo disse...

Caramba, a Lola convenceu milhões de brasileiros a votarem na Dilma? Tá mais poderosa que a Rede Globo e o Grupo Abril juntos!
Em vez de procurar loucamente por gente xingando a Dilma, basta logar o facebook pra vc ver, que tal dar uma pesquisada sobre sistema político brasileiro, sistema legislativo, judicialização da política? Ou vc acredita que estamos numa ditadura e tudo o que acontece no país é só culpa da Dilma. Os vereadores, prefeitos, governadores, deputados e senadores que eu e você ajudamos a eleger não tem nada a ver com os rumos que o país está tomando hj?

Anônimo disse...

Nao, a Lola não convenceu milhoes de brasileiros, só algumas centenas ou talvez milhares de pessoas, aquelas denominadas como feministas, veja nos posts da lola de 2014, na epoca das eleicoes.

Dae as burras foram lá e votaram na dilma e todas levaram no bumbunzinho!!!! Paguem mais caro na gasolina, burras! Ah, vcs não se importam pq é o namorado que paga a gasolina do carro, né? paguem mais caro nos impostos então!!! eletricidade? paguem mais caro!!!!!!!!! ou é o papai quem paga? Falem o que quiser, mas a economia tá indo pro brejo! que saudades do lula, porra!

Vejam o que ela está fazendo, porra!!! o brasil ta mal em tudo, pô!!!!!! leiam os jornais do exterior!!!! todos tavam falando bem do brasil no governo lula, e agora tao tudo falando mal do governo dilma.

Acordem, poxa!!!! a Dilma tá queimando o filme das mulheres!!!!!!!!!!!!!!!

Marcia Baratto disse...

Jac quem aqui nesses comentários se identifica como libfem? Essa é denominação que alguns nicks radicais tentam a todo custo jogar sobre outras mulheres, sempre de forma pejorativa. Aí o choro é livre quando um argumento esdrúxulo de um Nick radical é combatido. Quem quer sororidade precisa prática-la. Ou vai me dizer que os ataques pessoais feitos pela radfem estão ok? Eles acontecem a meses, dizer que as radicais são perseguidas aqui por haver reação a esse comportamento não me parece justo.

Marcia Baratto disse...

Amigo, de quantas evidências mais vc precisa para ver que feministas não pensam igual? Eu conheço um bocado que não votou na Dilma, para começo de conversa. E, para os meus interesses políticos, a agenda do Eduardo Cunha é pior que tem acontecido no país. Eu penso diferente de vc, aceita que é assim que o mundo é. E, se todo mundo da oposição continuar a ser brutalmente autoritário e me dizer como pensar, vou votar no PT na próxima eleição só de birra.

Marcia Baratto disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marcia Baratto disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Panthro disse...

Eu entendo que exista vantagens na pessoa usar um avatar. Mas acho muito difícil de acompanhar uma discussão onde todas as pessoas se chamam anônimo. Eu não sei quem está respondendo pra quem, é uma coisa doida. Mas talvez seja só comigo o problema.

Anônimo disse...

Elas podem pensar diferente quando o papo é esse tipo chupar rola igual falaram lá em cima, ou de preferências sexuais em geral. Mas quando o assunto é política,99% delas são Dilma, igual eu via nos comentários da época das eleições.

Agora, preciso só ser justo, a exceção a essa regra era aquela feminista SARA, acho que esse é o nome dela, uma que aparecia na foto segurando um cartaz, e acho que era loira. Eu me lembro que na época da eleição ela afirmou que não ia votar na Dilma. Essa feminista sim, é bem mais inteligente.

Eu me lembro que na época a Lola tentou persuadi-la a votar na Dilma, mas em seguida, alguém comentou , muito apropriadamente, algo do tipo:
"Não adianta, Lola: a sara não segue o efeito manada.".

Nunca mais vi a sara aqui, mas eu admiro sua inteligência.

Vamos parar de jogar nosso voto na privada, gente. Eleição é coisa muito séria.

Panthro disse...

Libfem é pejorativo? Como funcionam essas divisões? Eu acho que até usei libfem em algum momento porque achava que era quem achava que uma mulher pode ser feminista e usar batom se gostar de usar batom. O que me causa muito espanto, aliás, pq é como se tivesse passado manteiga na boca, eu não consigo não lamber. Sempre que é inverno e eu compro manteiga de cacau como uns dois tubos. Mas, enfim, Lola, você poderia fazer um post sobre as vertentes do feminismo? De repente até chamar pessoas de outras vertentes pra apresentar suas visões da coisa. Acho que seria produtivo. Bem mais produtivo que esses bate-bocas que estão rolando. Fora que ia dar um pouco de formação teórica pros incultos que nem eu.

Rê Bordosa disse...

Panthro,

Eu também fico meio perdida na hora de responder aos anônimos. Nunca sei se é o mesmo do comentário anterior ou da postagem anterior... Seria legal se fizessem perfis alternativos: nem precisaria de foto e nome real, só um desenho e apelido no avatar já facilitaria a vida.

Marcia Baratto disse...

Anônimo, vá catar coquinho, não tenho paciência para sua falta de educação. Instituto de pesquisa 'as vozes me disseram' não conta, nem acrescenta nada. Tá com saudades de conservadoras? Tá um busca no facebook e boa sorte.

Panthro, no contexto dos debates aqui, é: libfem são consideras meio-feministas (ainda não fizeram a conversão para o radicalismo, são como crianças inocentes que precisam ser guiadas à vida adulta), violentas e agressivas, já que discordam de algumas radicais e um perigo ao movimento, por que dialogam com homens e aceitam mulheres trans como mulheres. São, na visão de muitos (as) anônimos (as), uma parte triste da história do feminismo e precisam ser superadas. Me diz, como essa atribuição pode ser positiva? O educado e prudente é perguntar como a pessoa em questão se identifica, se é que ela o faz.

Mila disse...

Seria interessante. Eu já discuti com um amigo do movimento negro que disse que as libfems eram a favor da redução da maioridade penal. Pelo que vi, é mais provável achar uma rad a favor que uma lib contra. Então não sei se ele se referia à feministas liberais no sentido econômico mesmo.

Anônimo disse...

Essa explicação de libfem da Márcia define o tom pejorativo das radicais contra feministas não radicais e está corretíssima.
Mas libfem, a rigor, são as feministas liberais, que normalmente defendem o liberalismo ou anarcocapitalismo (e afins) e pregam a liberdade individual, portanto são a favor de pornografia e prostituição desde que consentida. O objetivo de uma libfem clássica é ter a mesma posição e as mesmas prerrogativas masculinas dentro de uma sociedade no padrão do status quo ou de liberalismo radical.

Mas as feministas radicais chamam até as marxistas de lib, o que não faz o menor sentido.

Marcia Baratto disse...

Pois é Mila, já ouvi que eu só posso ser Libfem por que eu trabalhei com direito (qual seria a mística relação, nunca entendi). Mas sou totalmente contra a lei da redução da maioridade penal, e vejo com muitas suspeitas aquela aprovação da lei que criminalizou o feminicídio (o que o Eduardo Cunha usou como moeda de troca para conseguir apoio para passar a lei da redução, incluindo aí dois deputados do solidariedade). Enfim, eu também apoio totalmente esse tipo de post. Podia ser temático, inclusive: Maioridade penal - um post 'radical' e um post 'libfem', um post 'intersec' e deixasse qualquer pessoa identificada com uma vertente definir a pauta, assim teríamos assuntos escolhidos por representantes de todas as vertentes.

Ana A disse...

Super adorei a ideia dos posts temáticos de cada vertente!
Seria uma luz para minha ignorância, e tenho certeza, para mais um monte de gente que fica perdida nesses debates!

Anônimo disse...

Marcia mimimizenta Barata e anon 10:30

As feministas radicais chamam até a marxistas de liberais pq feministas marxistas são feministas liberais que não querem se assumir liberais. O feminismo radical é filho do feminista marxista. As únicas diferenças entre os dois é que o marxista considera o capitalismo a raiz de toda opressão, enquanto o radical considera o patriarcado a raiz de toda opressão. O que se vê por aí é dita feminista marxista querendo legalizar/regulamentar prostituição, pornografia, falando de "mulher machista". Tanto a pornografia quanto a prostituição é capitalismo. No entanto ainda se sentem marxistas pq não sabem que a esquerda hoje em dia além de pós-moderna é também influenciada pelo liberalismo. E bem, o feminismo marxista devia usar aquela análise de classe do Marx. Mulheres são oprimidas pelos homens, logo, não são machistas, são vítimas do machismo. As "feministas marxistas/socialistas" de hoje em dia são as pós-feministas esquerdistas e liberais sim.

Anônimo disse...

Mas não pode nem falar, né. Esquerdistas, psolistas e afins ainda se julgam a "verdadeira esquerda". Mas Marx teria vergonha deles. Hoje em dia Feministas Marxistas=Feministas Liberais. Verdadeiras Feministas Marxistas/Socialistas ou Anarquistas=Feministas Radicais. Quem falou de Anarcocapitalista aí? Essa porra não existe.

Marcia Baratto disse...

Ah é, feministas marxistas e liberais são todas iguais. Como foi que eu nunca imaginei que não havia diferença entre as russas e as americanas em plena guerra fria, eu devo ser burra. Por outro lado, imagina, aqui no Brasil nunca houve na história do feminismo outro debate que não a pornografia e a prostituição, tá serto. Generaliza dois posicionamentos e aplica para todo o feminismo, por né? Tática mequetrefe de argumentação não importa quando você tem fé.
Os liberais, realmente, dominaram o mundo(acho que os conservadores teriam algo a dizer sobre o assunto, mas devo tá enganada), tá serto, preciso jogar meus livros de ciência política fora, e me converter, ops, ler a vertente radical. Mas só que dá uma preguiça...Deixa eu ficar 'mimimizando', é bem mais divertido.

Rê Bordosa disse...

Anônimo 18:04

"Mulheres são oprimidas pelos homens, logo, não são machistas, são vítimas do machismo."

Você é incapaz de manter a coerência anônimo.
Quando lhe convém, você diz que não existe mulher machista, que toda mulher é mera "vítima" do machismo. Mas basta uma mulher pensar diferente de você, apoiar ideias que vc considera erradas/machistas, que você para de tratá-la como "vítima" e vai pra cima dela tacando pedrada. Daí pra frente vale tudo, até fazer trocadilho com o sobrenome dela pra chamar de mulher barata.
Ta cheio de "feminista" metida a radical desse naipe por aqui.
Tem umas que dizem "não exite mulher machista", juram que defendem as mulheres... Mas só defendem azamiga, quem não concorda com elas é "cadela de macho" e "mico de piroca".

Rê Bordosa disse...

Marcia, se ser coerente e se negar ao maniqueísmo é mimimi, então eu adoro mimizar também.
Tamo junto no mimimi!

Marcia Baratto disse...

Rê Bordosa, toca aqui gata! Tamo juntas no mimimimi e que o mundo nos ature, por nós não somos moleza não. ;)

Ana A., e não é?

Também adoraria ver post assim, pois em que pese a infatilidade de comentários por aqui, tenho muito respeito por uma pá de radicais que comentam no blog, a Death é ótima, sempre penso nas questões instigantes da Kitsu, a Ano A. é inteligente e argumenta muito bem, enfim, eu ainda quero aprender muito com as mulheres aqui. A Mila foi ótima no outro post, enfim... bola para frente que pensar é vida.

Anônimo disse...

Marcia Barata, não vou catar coquinho não, e não foi o instituto as vozes me disseram que falaram isso que vcs votaram na Dilma não, essa informação eu tirei do "instituto a Lola me disse", se quiser comprovar minha informação, basta acessar esse blog da Lola aqui, na caixa de comentários da época da eleição, as feministas tudo no maior love com a Dilma, exceto a Sara.

Agora ficam todas caladas perante essas barbaridades, ou por que o orgulho não admite que votaram errado, ou Pq o namorado que paga a gasolina mais cara, e não elas. Se vcs pagassem suas contas estariam na rua com os peitos de fora, lutando contra o aumento de impostos, contra o aumento da luz, contra a corrupção desenfreada, minha nossa, vejam o que aconteceu com a petrobras, poxa!!!!

Marcia Baratto disse...

Não foi? Que pena...

Raven Deschain disse...

Pqp qual o problema que essas anonimas tem com nossos nomes? É Reven, Bardosa.. . Agora até a a Marcia entrou na dança?!

Gente, vão se tratar.

Anônimo disse...

No alto do meu achismo e experiência pessoal, acho (por enquanto) que gênero não é só construção social, por conta das tais diferenças cerebrais já citadas. Por outro lado, essas diferenças podem desaparecer nas gerações seguintes se o conceito de gênero for abolido. Será que podem?
Estou muito confusa, mas amei o que a Butler disse.

Dan.

Julia disse...

Anon, 20:20, primeiramente porque você não para de vir aqui chorar no blog da Lola? Poxa, nem bota um nick pra gente saber qual dos anons idiotas você é. Segundamente, ainda o Aécio.

Tchauzinho pra você.

Danilo Muller disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Danilo Muller disse...

18:45 Sem dúvidas o número de homens gays é infinitamente maior do que de mulheres que se dizem "lésbicas" você percebe isso seja por convivência ou por pesquisas sobre homossexuais em que homens gays tão sempre em predominância! Tem uma pesquisa do ibge que diz que a maioria das lésbicas tiveram sua primeira relação com homens ou sempre ficaram com homens já com os gays é diferente eles sempre ficaram com homens já se percebe que as mulheres tem uma dependência masculina enorme não importa se a mulher é hetero ou se diz "lésbica" Não é atoa que as famosas que se dizem homossexuais tem que fazer de tudo pra mostrar que também gostam de homens. As mulheres são diferentes dos homens não esqueçam disso a sexualidade feminina é bem complicada a maioria das mulheres do nosso planetinha são heteros e uma minoria pequenina é mal resolvida são mulheres que se dizem bissexuais que nunca nem ficaram com mulher sempre ficaram com homens e mesmo assim se dizem bissexuais vai entender né? E a outra parte de mulheres que se dizem lésbicas que sempre ficaram com homens e viram "lésbicas" do dia pra noite ficam com mulheres boa parte da vida e depois voltam a ficar com homens por isso a fama de que mulher só vira lésbica porque nunca conheceu homem de "verdade" fama que as próprias ajudaram a se popularizar. Pra mim lésbicas são um mito.

Rê Bordosa disse...

Danilo, algumas considerações:

1 - A sexualidade feminina não é complicada. Aliás, a sexualidade humana não tem nada de complicada, é natural e maravilinda... As pessoas que gostam de complicar as coisas.
2 - Não existem tão poucas mulheres lésbicas assim no mundo, existem muitas, muitíssimas, mas numa sociedade machista e patriarcal, a sexualidade da mulher é ignorada. Não interessa para nossa cultura machista dizer que mulher sente prazer e que não depende de homem pra sentir prazer.
3- Bissexuais não são confusas e mal resolvidas. Bissexuais sabem muito bem do que gostam e do que querem: de ambos os gêneros. Somos obrigadas a escolher um ou outro? Não, não tem nenhuma lei que nos obrigue a isso.
4 - Lésbicas não são um mito. Mas eu gostaria tremendamente que pessoas cagadoras de regra da vida alheia fossem um mito (tipo unicórnios e papai noel) e não existissem pra encher o saco.

Lésbicas existem, elas não dependem de você pra se realizarem e sentirem prazer. Aceita logo que dói menos.

Julia disse...

O Danilo Muller é um homem gay tão bem resolvido e independente das mulheres que precisa vir num blog feminista dizer como mulheres precisam de homem e mostrar toda sua vasta ignorância sobre a sexualidade feminina.
Nem existe homens gays que ficam casados com mulheres a vida toda. Nem existe homem gay que transa com mulher para fingir que é hétero. Nem existe homem gay assumido que fica e transa sim com mulheres.

Agora que você já teve a cota de atenção feminina que precisava, espero que isso te ajude a dormir mais felizinho hoje.

Rê Bordosa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rê Bordosa disse...

"Nem existe homens gays que ficam casados com mulheres a vida toda. Nem existe homem gay que transa com mulher para fingir que é hétero. Nem existe homem gay assumido que fica e transa sim com mulheres."
...E nem tem homens bissexuais, né?

Concordo com a Julia nessa.

E fica a dica de um seriado bacaninha sobre o tema que ta passando no Netflix: Grace and Frankie. Assisti aos primeiros episódios até agora, é bem legal. Fala sobre duas mulheres que descobrem na terceira idade que seus maridos, com quem estão casadas ha décadas, são gays e vão se divorciar delas para se casar um com o outro. Aborda assuntos interessantes, como assumir a homossexualidade, sexo na terceira idade e independência feminina. Mostra duas mulheres que passaram a vida tendo os maridos como referencial descobrindo e questionando a própria vida/identidade/autonomia.

Anônimo disse...

Lésbicas são um mito? Em que mundo você vive, cara?

Dan

Raven Deschain disse...

Grace e Frankie *-*

Marcia Baratto disse...

Grace e Frankie *-* (2).

Donatien Alphonse François disse...


"Pra mim lésbicas são um mito."

Tenho a impressão que elas discordam: Não é por ser lésbica que eu...

https://www.youtube.com/watch?v=62VG4vGkbAU

Rê Bordosa disse...

Põe na roda! :D
Adoro! Sempre acompanho esse e o canal das bee.

Anônimo disse...

Danilo muller, para você as lesbicas não existem, mas você adora assistir um pornô lesbico né? O porque das mulheres serem dependentes dos homens é a consequência de uns 2 ou mais mil anos de "escravidão do lar".

Anônimo disse...

Segundo o registro civil do IBGE, nos casamentos homossexuais no brasil, 522% era entre mulheres. E outra, acho que o homem em alguns sentidos é muito dependente da mulher também. Quando você "escraviza" uma pessoa, indiretamente você também se prende, ao se depender da exploração do outro. Exemplo: homens divorciados são os que mais se casam novamente ( e depois ficam reclamando das dificuldades do divorcio para eles.) Porque se casam de novo? Bem, alguns psicologos dizem que é porque varios homens não conseguem atingir um nivel de maturidade suficiente para viverem sozinhos.

Rê Bordosa disse...

Bem lembrado, anônimo 19:01, "dependência" é uma via de mão dupla.

Danilo Muller disse...

Rê Barbosa eu não disse que bissexuais são mal resolvidas! apenas acho que uma mulher que não sente atração por mulher , nunca ficou com mulher é hetero. 19:01 a pesquisa não diz nada de mais, só porque lésbicas se casam mais isso não quer dizer que exista mais lésbicas do que gays, lésbicas também são as que mais adotam e isso não quer dizer que gays não adotem. 18:17 bem eu pensei que eu fosse gay como a julia disse agora eu já gosto de mulher isso aqui ta meio confuso. Realmente ninguém entendeu meu primeiro comentário mulheres sim são dependentes de homens não disse que concordo com isso disse apenas a realidade.

Anônimo disse...

Homens são os maiores consumidores de pornografia, traem mais, mesmo casados com mulheres namoram homens (vide grecia,roma e os tempos atuais), choram na internet culpando as mulheres por falta de sexo, não conseguem se controlar, estupram, maioria dos pedofilos são homens também, compram mulheres para serem esposas e escravas sexuais (vide china e oriente medio) exigem uma parceira virgem e até mutilada em alguns paises, mas não, é a sexualidade feminina a complicada não é Danilo muller? Vai, conta outra porque taxar a sexualidade feminina de "problematica" é a coisa mais antiga do mundo. Pode citar uma frase ai do aristóteles ou do schopehauer e vai ver que você não foi o primeiro.

Danilo Muller disse...

Anônima 21:09 Não falei sobre sexo ou gosto
pessoal muito menos se existe mais pedofilos
homens do que mulheres, bem se tem tanto homem
traindo as esposas/namoradas é mais um sinal
que as mulheres não sabem escolher marido/
namorado tem tanta mulher namorando
estuprador, traficante, assassino, tu acha mesmo
que elas não iam namorar homem gay ou
bissexual? Como eu disse sem generalizar não são
todas as mulheres que tem uma sexualidade
problemática é uma parcela pequena bem pequena
mesmo que vai daquelas que nem gostam de
mulher e mesmo assim se dizem bissexuais e as
"lésbicas" que sempre ficaram com homens
namoram mulheres e depois voltam a ficar com
homens tipo claudia jimenez. Eu disse que lésbicas
não existem (pelo menos no brasil não) a não ser
que ser lésbica mudou de sentido lésbica
agora é uma mulher que sempre fica com homem e
depois fica com mulher e depois volta com homem
essas são as "lésbicas" do nosso brasil. Eu pensei
que lésbica era uma mulher que sente atração por
mulher que sempre namorou mulheres! Bem só uma
pergunta porque a grande parte dos gays sempre
ficaram com homens? E porque isso não acontece
com as "lésbicas"? Os gays são sem dúvidas muito
bem resolvidos pelo menos muito mais que as
"lésbicas" os gays não ficam com mulheres nem se
forem pagos qual é a diferença entre a
sexualidade feminina e a masculina que faz com
que isso aconteça?

Danilo Muller disse...

Espero que ninguém tenha se
ofendido com meus comentários não
quero ofender ninguém. Olha eu não
acho que os homens são donos da
verdade. acho babaca pra caralho
homem cobrar sexo como se as
mulheres fossem obrigadas a
transarem com eles, de fato as
mulheres conseguem sexo fácil mas
esses caras que elas conseguem nem
ligam com prazer das companheiras
se bobear chupam o próprio pau. Os
homens por incrível que pareça
mesmo não conseguindo sexo tão
facilmente tem vantagem
simplesmente porque as mulheres são
mais preocupadas em dar prazer do
que ao contrário.

Anônimo disse...

No final, acho que uma mulher lésbica tem uma vida com maiores vantagens do que as heteros. Tem até uma pesquisa do instituto kinsey de reprodução norte-americano que mostra que lesbicas conseguem ter mais orgasmos do que mulheres heterossexuais. Porque será? Acho que as mulheres são melhores no sexo.

Anônimo disse...

Sinceramente, nós (mulheres) não temos um monte de mapas na cabeça que nos permitem saber tudo sobre o corpo das outras mulheres, vocês (homens) são ruins porque querem, não perguntam para a mulher (sim, ficantes também são seres humanos com preferências, tam dam), não pesquisam sobre o clítoris nem nada.

Nos só aprendemos a ser mais éticas e portanto a se importar com o prazer dos outros, aprender a ligar para o nosso prazer não é indicativo de que vocês é um cara bonzinho,oé o seu DEVER caso seja Hetero/Bi e queira ter uma vida sexual ativa. (Principalmente os heteros que são 95% ou mais dos escrotos no sexo)

Quanto ao texto:
NÃO SUPORTO Butler, só não é pior que as Camilas Paglias da vida.

Vicky

Ps: Danilo, se quer transar com outros caras ou só ficar olhando para eles pode ficar, mas não venha inventar que o problema é conosco, seu mal-resolvido.

Rê Bordosa disse...

Danilo,

"Eu pensei
que lésbica era uma mulher que sente atração por mulher que sempre namorou mulheres!"

Acho que vc acertou na parte da atração, mas confundiu o restante. Ser lésbica é muito mais que "só ter ficado com mulheres", o foco não é a mecânica da coisa, com quem vc fica e o que faz com essa pessoa e sim o significado disso, a atração por trás do ato. Tem gente que beija/transa sem sentir atração/prazer, por diversos motivos...

Tem muita mulher e homem que são homossexuais e ficam com pessoas do sexo oposto enquanto estão descobrindo sua sexualidade, experimentando para saber se gostam.

"lésbicas que sempre ficaram com homens namoram mulheres e depois voltam a ficar com homens"

Na nossa sociedade preconceituosa, muita gente acaba voltando pro armário, ou simplesmente descobre que é "bissexual" e não "homossexual".

"os gays não ficam com mulheres nem se forem pagos"

Existem por exemplo, homens que passaram a vida toda sendo gays e depois se casam com mulher... Tipo os "ex-gays" que vão lá na igreja dar seus testemunhos. Eles voltaram pro armário? Se descobriram bissexuais? Se descobriram hétero? Só aprendendo a ler a mente deles pra saber.
Só a própria pessoa pode dizer se é hétero/homo/bissexual, pois só ela sabe o que sente.
Sexualidade não é só rótulo, é uma jornada, é descoberta de si mesmo.
A sexualidade humana e as experiências humanas são plurais demais para alguém afirmar "lésbica não existe".

Anônimo disse...

Rê Bordosa, realmente o que não falta são os "ex-gays" ou "ex-travestis" que vão discursar para os evangelicos sobre a sua salvação das "forças demoniacas".

Danilo Muller disse...

10:14 Se as mulheres escolhem homens que não tão nem ai pro prazer delas as próprias são burras o que não pode acontecer é generalizar dizendo que todo homem não liga para o prazer da parceira. Uma pergunta se as mulheres são melhores no sexo porque quase todas as mulheres são heteros? se ser lésbica fosse algo maravilhoso muitas mulheres seriam.

Rê Bordosa disse...

Danilo,

"Uma pergunta se as mulheres são melhores no sexo porque quase todas as mulheres são heteros? se ser lésbica fosse algo maravilhoso muitas mulheres seriam."

Porque ninguém escolhe o alvo de sua atração, você simplesmente sente atração pelo mesmo sexo ou não sente; não é questão de escolha. Você pode escolher não ficar com determinada pessoa, mas não escolhe sentir algo por ela.
Por esse mesmo motivo não concordo com o que vc disse sobre mulheres serem burras por escolherem o parceiro errado. Elas não são burras, apenas se deixaram levar pela atração e fizeram as escolhas erradas. Além do mais, nem sempre o cara vem uma plaquinha na testa escrito "canalha detestável", quando muitas descobrem já estão envolvidas.

camila santos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.