sábado, 25 de abril de 2015

GUEST POST: UM POUCO SOBRE O GAMERGATE

Nunca publiquei nenhum post sobre o Gamergate, um "movimento" misógino que serviu de pretexto para vários nerds marcarem seu território. Um leitor, I., escreveu este enquanto teve um blog sobre games:

Em meados do ano passado, um ex-namorado acusou Zoe Quinn, produtora de games indie, de tê-lo traído com cinco homens simultaneamente e colocou na internet as conversas que tinha como “prova” de sua traição. Com isso, ela foi fortemente xingada por uma horda de gamers por ter feito o "golpe do sofá" (um dos homens é jornalista de um site de games). Eles justificaram a onda de assédio como uma luta pela “dignidade contra a corrupção da imprensa de games”.
Uma das criações de Quinn, Depression Quest, foi atacada nos fórums da Steam (site onde o jogo é baixado) e da Metacritic (site onde se avalia jogos) por causa da vida sexual dela. E considerando que o jogo funcionaria como um simulador de depressão, algo muito distante dos jogos ultra-explosivos como Call of Duty e Battlefield, também foi acusado pelas mesmas pessoas de “não ser um jogo”, já que não é de seu gosto.
A acusação do golpe do sofá é absurda porque o jornalista com quem ela dormiu nunca escreveu publicamente e muito menos publicou crítica positiva sobre o jogo. O próprio ex-namorado nunca a acusou de ter dormido em troca de crítica positiva.
Muitos babacas da internet adoram falar do golpe do sofá como prova de que a sociedade é matriarcal (leia-se: para um homem é preciso trabalhar muito para conseguir uma promoção, enquanto para a mulher é só fazer sexo com o patrão), mas esquece que para esse golpe funcionar é preciso que a sociedade seja patriarcal, ou seja, que o patrão seja um homem (sim, há patroas que fazem golpe do sofá com funcionários, mas isso é mais raro que mico-leão-dourado), e que isso reforça a ideia de que o único poder que a mulher tem é sexual.
Agora eu vou tirar o elefante do armário: a acusação sobre a “corrupção da imprensa de games”. Eu preciso falar uma coisa que deve parecer óbvia para quem tem um grau mínimo de inteligência: essas pessoas que ficam xingando Zoe Quinn por sua traição NÃO estão lutando pela dignidade do jornalismo de games, eles estão apenas arranjando uma desculpa esfarrapada para praticar o seu hobby favorito da internet (além dos games) que é xingar de vadia qualquer mulher que tenha uma vida sexual ativa. Aliás, seu hobby de xingar qualquer mulher. Ponto.
Vamos ser sinceros: se nós invertêssemos os gêneros, ou seja, um homem ter traído a sua namorada para ficar com uma outra que trabalha dentro do ramo de games, todo mundo estaria parabenizando ou endeusando o cara por ter “passado o rodo geral” e ainda ter conseguido ficar com uma garota que gosta tanto de games que até trabalha lá dentro.
O jornalismo de games tem milhões de problemas, mas a corrupção é apenas uma delas. A falta de experiência e o excesso de paixão pela mídia são fatores que pesam mais nas quantidades absurdas de notas altas nas críticas de games do que a famosa acusação de propina que as grandes corporações dariam para os críticos (não que isso não exista).
Os “milhões” de problemas podem ser resumido a dois fatores: a de os jornalistas serem dependentes das desenvolvedoras multinacionais de games e a de seu público-alvo não querer que videogames sejam levados a sério (apesar de eles sempre falarem o contrário). Quando alguém fala que quer que videogames sejam levados a sério, geralmente está querendo dizer que A PESSOA quer ser levada a sério por jogar videogame.
Não conheço uma única pessoa conhecida nacionalmente (sub-celebridade, blogueiro ou jornalista de games) no ramo de games que não tenha uma ideologia ultra-conservadora. Eu queria ser esse contraponto. Após começar o blog, constatei que o real motivo de a imprensa de games de uma forma geral não funcionar é a de que não existe um público sustentável para se debater filosoficamente sobre um jogo em questão.
Halo seria uma alusão ao neonazismo? Call of Duty funcionaria uma propaganda pró-guerra que serviria aos interesses norte-americanos? Kratos realmente precisaria de um psiquiatra? Bioshock Infinite seria mais um jogo a ter “donzelas em perigo”? Bayonetta e Lollipop Chainsaw poderiam ser considerados jogos feministas? O “Deus” do Reino dos Cogumelos seria uma mulher? Saints Row poderia ser considerado uma franquia progressista? Será que, apesar de ser anti-climático, Mass Effect 3 teria um bom arco narrativo? Arkham City seria sexista por ter vilões que constantemente chamam a heroína de “vadia”?
Todas essas questões serviriam para filosofar por horas e horas. Porém, não é isso que vemos em sites e fórums de games. O que vemos é uma enxurrada de trailers, teasers e reviews que se dizem críticas. É isso que o pessoal quer: saber o que terá no jogo, se valerá a pena jogar e mais nada. E depois quer que as pessoas que não jogam videogames levem isso “a sério”.
Não é importante para o jornalista questionar a moralidade ou a filosofia de um jogo porque, apesar de o seu público-alvo não se interessar nisso, o questionamento pode quebrar a “relação” que tem com a empresa e ela pode se recusar a fornecer as preciosas informações.
Se esse é um problema em países onde geralmente estão sediadas as tais empresas (EUA e Japão), imagina no Brasil. Aqui, se a sua franquia não for PES, FIFA, Call of Duty, Battlefield ou GTA, a sua visibilidade na imprensa de games é praticamente zero. Para a Nintendo só se dá destaque porque muitos dos nossos jornalistas cresceram jogando alguma coisa da Nintendo e, mesmo assim, eles falam sobre a empresa da mesma maneira que falariam sobre um vídeo da Galinha Pintadinha: com muita distância e achando que seu público-alvo é formado por bebês.
Estou ciente que não posso culpar os nossos jornalistas pela péssima clientela que tem, mas o que eu posso fazer é pedir por uma mudança drástica no comportamento de vários que se intitulam gamers. Não estou pedindo para que todos se transformem em filósofos mas, pelo menos, parem de ter uma posição raivosa contra qualquer coisa que seja contra vocês. 
Peço para que extirpem qualquer sinal evidente de machismo, racismo e homofobia para poder, enfim, serem levados a sério. Nem todo mundo que é contra algum elemento de um jogo é um fundamentalista religioso que quer banir os videogames para sempre; só estamos fazendo críticas construtivas para fazer o mundo dos games mais diverso e, consequentemente, MELHOR.
Enquanto isso, estou à espera de algum jornalista de games ou blogueiro brasileiro que se dedique integralmente à justiça social no mundo dos videogames. Nós estamos precisando. 

244 comentários:

1 – 200 de 244   Recentes›   Mais recentes»
Ariel disse...

Imaginem um bar cheio de homens. O dono é homem, os fregueses são homens, o ambiente é de homem, cardápio e atendimento idem. Aí aparece uma mulher lá. Ela vai ser atendida mas muito provavelmente não vai se sentir em casa. Talvez a considerem uma prostituta procurando clientes, porque vai fazer o quê ali, num ambiente só de homens? Talvez escute uns gracejos, talvez seja hostilizada ou talvez simplesmente seja isolada.

É EXATAMENTE assim em qualquer espaço supostamente masculino, inclusive nos ecossistemas online. Homem vê mulher como invasora de seus mundos, não aceita dividir, assume que vai ter tomar certos comportamentos porque o ambiente não é mais tão de homem. Porque se mulher frequentar esse bar, o banheiro já não vai ser mais o mesmo, talvez os pobres rapazes achem que não possam mais falar palavrão, ou mal de outras mulheres, no fundo para esse tipo de pessoa as mulheres dividem-se entre a mãe e todas as putas do mundo. Ou ele se comporta educadamente porque vê uma mãe ali, lavando-lhe a boca com sabão e cobrando bons modos, ou age como um ogro porque contra uma puta isso é legítimo.

E se alguma desgraça acontecer com essa mulher que entrou no bar, ninguém mandou ir lá se meter no meio de um monte de macho. E é exatamente assim que a questão é tratada online também.

Tá na hora desse povo fazer um upgrade.

Um Cara Diferente disse...

"se fosse o contrario endeusariam o cara".

- então é esse o problema?

o risco de um dos caras passar alguma DST pra mulher, foda-se?

vemos sexo de uma maneira bem diferente, Lola. enquanto pra você, feminista ainda, liberdade feminina é submeter ainda mais, só que sexualmente.

é claro que ninguém tem que se meter na "vida sexual" dos outros, mas acho que o ponto é outro.

tenho asco a sexo, é algo esdruxulo porem supervalorizado.
só serve pra inúteis se acharem fodas porque "fodem". metade dos sexuados são idiotas.

"ah, mas pra que inteligência, "nóis" trepa e você não, 'recalcado".

"ah sexo é bom".

AIDS e DSTs também são, então.

"ah, proteção".

se algo precisa ser feito com segurança, é porque trás risco. e diferente de um trabalho insalubre ou violência urbana, sexo é dispensável. não precisa se por em risco por essa bosta.

se libertação feminina é se expor ainda mais na mão desses babacas, vocês tão bem fudidas mesmo.

Daniel disse...

Por um lado, eu discordo do que o "gamergate" prega. Mas o que fazem com estas mulheres é no mínimo criminoso.

E ao "um cara diferente", já ouviu falar de camisinha? Isto de que a camisinha falha, geralmente é bem mais por causa de mal uso da camisinha, que por causa de defeito da fabricação.

Raven Deschain disse...

Sim. Halo é nazista. Definitivamente, sim, o Kratos precisa de um psiquiatra.

Não poderia concordar mais com o l. O mode como a indústria de games tentou ser levada a sério foi "adultizando jogos", como God od War ou Dante's Inferno, que tem aquele montão de teta rolando, quero dizer, meu filho de 7 anos não joga. Só que saiu pela culatra. A única coisa que aconteceu foi que idiotizou jogos que poderiam ser bons. Numa coisa assim meio Game oh Thrones (que veio depois, eu sei).

A Nintendo é maravilhosa. Quem acha que são jogos infantis nunca jogou Mario Galaxy 2.

Mas sobre a misoginia, já disse em outro post. Não jogo online. Não gosto. Mas tive uma namorada que nunca jogava no mic, nem com char feminino, pq era horrível. Aquela horda (pun intended) de homens ou: te ofendendo. Ou: tentando te comer. Se você ferra a guilda é pq vc é mulher. Se teu char é hackeado, é pq é mulher. Nenhum dos nerdões lembra que isso pode acontecer com qualquer um. Eu, enquanto jogadora (sério, não vou falar gamer. É muito babaca) e mulher, gostaria de mais representatividade. Foi horrível crescer, descobrir, com meus irmãos, que a Samus é mulher (ngm falava inglês na época, porfa) e ouvir: aff não gosto mais de Metroid então. Eu ouvi isso. Ouço que a Bayonetta é uma vadia. Vejo mulheres sendo vilãs vacas desgraçadas que desmerecem qualquer empatia. Em alguns jogos nem existem mulheres!

Daniel disse...

Isto que a Raven Deschain disse é a mais pura verdade. A indústria de jogos, é um reflexo da sociedade. A sociedade que vê o Dante como "fodão" e a Bayonetta como "vadia"... Isto pra não falar de muita gente que deixou de jogar Tomb raider, por causa da protagonista mulher... O culpado não é o produtor do jogo, ele esta fazendo o trabalho dele em nossa sociedade capitalista. O culpado é a cultura misógina.

Um Cara Diferente disse...

Daniel, sempre prepotente.
irônico é a Lola não botar meus comentários, mas bota de um "ex-mascu" assumido.


pega UM ponto do meu argumento, falar de camisinha é fácil, refuta o resto, "sabedor".

aliás, falar de camisinha só reforça meu argumento.

se precisa de tanta segurança, pra que fazer?

então a graça dessa bosta é essa?
é o risco da doença?

putz, mais esdruxulo que pensava.

Anônimo disse...

Ariel, então pra você um ambiente predominantemente masculino, é, automaticamente, um lugar inóspito e hostil? E justamente para com as mulheres? Isto é... juntar um monte de cara num só lugar faz com que todos ali presentes se tornem criaturas misóginas e execráveis? Olha q demais, jurava q os machões ~gostassem~ de mulher; esses mesmos q batem no meu peito pra dizer: "sou 100% hétero", mas é só se reunirem em bando pra esbravejarem falta de respeito (e humanismo?) contra o sexo ~desejado~, legal ver o modo como esses "machões 100% heterossexuais" gostam de mulher. Depois feminista é julgada quando chama homem de estuprador, pq isso é uma ação "generalizadora", mas são vcs mesmos, os ~machos~, é q generalizam, como vc acabou de fazer; e q gostam de criar bloqueios e tolher liberdades. Me recuso a acreditar q todo homem é assim Ariel, essa lógica é um asco e completamente irracional, de gente claramente misógina e tapada, pq recusa o mínimo respeito a outrem. Se isso fosse realmente regra Ariel, pensaria em como o gênero masculino é um lixo

Anônimo disse...

Achei o texto confuso e pouco coeso. Não entendi bem a história. Alguém poderia explicar melhor? Não entendi do que se trata o tal Gamergate. Já ouvi falar várias vezes por aí, mas o texto do leitor I. não ajudou. Até poderia mostrar ponto por ponto onde o texto é falho, mas não acho que seja tarefa minha. Lola, talvez você pudesse fazer um trabalho de edição? Abraços

Anônimo disse...

ta ta bom. vc nao trepa. mude de assunto.

Daniel disse...

Ao um cara diferente. peço desculpas se eu pareci prepotente, jamais foi minha intenção, mas cabe lembrar que aqui é espaço da LOLA. Se ela disser que não sou mais bem vindo aqui, só me resta aceitar a decisão dela e não aparecer mais aqui.
-
Mas discordo plenamente que por exemplo, que só porque cometi um erro e fui mascu, devo ser forçado a persistir no erro. Eu me arrependo sim do que fiz, mas não tem como voltar no tempo e mudar o passado. Até mesmo Gurus desta ideologia nefasta, já se arrependeram( vide este artigo : http://escrevalolaescreva.blogspot.com/2014/06/guest-post-bomba-guru-mascu-pede.html ), o que acho estranho é que no post anterior, vc parecia estar bem desesperado pra conseguir uma parceira. Já neste post, esta "desprezando" sexo... Eu vou fazer uma analogia. Já pensou em pular de para quedas? Já pensou em praticar qualquer esporte? Vivemos com risco. Se não quer risco, viva numa bolha, sem contato social, diversão e prazer algum.

Anônimo disse...

Anon das 19:21, teu comentário tá sem pé nem cabeça. Náo dá nem pra entender se concordou ou discordou dA Ariel.

Anônimo disse...

Li um quadrinho em que dois babacas se lamentavam por não achar uma mulher que gostasse de games. Quando uma moça os convidou pra jogar o novo jogo que tinha comprado, fizeram piadinhas estúpidas e desclassificaram a paixão dela pelos jogos. Acho que não preciso dizer mais nada. Os fortes entenderão.

Cara Diferente, comer frutas e verduras é perigoso pq você não sabe que agrotóxicos foram colocados. Beber água é um risco, pois nem sempre você pode ter certeza de que ela está limpa. Dirigir é arriscaod pq vc sempre pode topar com um bêbado ou irresponsável e bater. Sair de casa é um risco pq as ruas tão cheia de bandidos e assassinos. Aliás, respirar é perigoso pq na cidade principalmente vc inala muitos gases tóxicos. Viver é arriscado, pq vc vai morrer. Você vive numa bolha por acaso?

Anon das 19:21 os machos não gostam de mulher, gostam de b*eta. Se pudessem eles arrancariam a mulher e deixariam só a b*eta. A mulher, pra eles, é só aquela coisa irritante que fala, pensa e tem vontades próprias e que impede o acesso dos machochinhos às b*etas. Então sim, é perfeitamente natural que uma mulher se sinta ameaçada num ambiente como o descrito por Ariel.

I. disse...

Anonimo de 19:28

Sou o autor do texto. Gamergate nada mais é do que a idéia do "golpe do sofá", onde a desenvolvedora de games estaria "corrompendo" o crítico usando o sexo para obter uma crítica positiva. Não espere muita coesão com esse argumento. Por isso eu foquei mais em como a "ética nos games" é uma bandeira estupida já que os jornalistas são naturalmente corrompidos pelas multinacionais e eles nunca levantaram um pio sobre isso.

Kittsu disse...

Anônimo, obviamente você é homem. Você não faz a mínima idéia de como a descrição da Ariel é absolutamente precisa para a percepção feminina...
Ela estava falando de ESPAÇOS tipicamente masculinos, e não de HOMENS. Homens, isolados, são até caras legais! Tu consegue até perguntar a hora e receber uma resposta normal, e no resto do tempo o cabra até esquecer de você. Mas quando juntam vários rola um tipo de instinto de rebanho misógino e repentinamente uma parte enoorme das falas e dos atos que praticam são pra reforçar uma caricatura de macheza que envolve doses maciças de misoginia. É chato, e é pra excluir mesmo a participação das mulheres. Algumas vezes no serviço quando iamos almoçar tinha um malucão que na minha frente virava pros outros e começava: "e fulana de tal de tal setor, tu viu? que gostosa, nossa, aquele pernão heim!". E se me disserem que homem só conversa sobre isso porquê gosta de mulher, digo que é mentira. Se gostasse de mulher, tornariam o ambiente mais receptivo a elas para que estivessem por perto com mais frequência, assim curtiriam a presença feminina por muito mais tempo e com muito mais qualidade. Essa forma de agir é pra excluir.

Um Cara Diferente disse...

eu parecia "desesperado por parceira ou você e a Jane que supuseram isso?

repeti dezenas de vezes que sou resolvido quanto a isso, mas vocês fingem não ler.

não lamento o fato de nenhuma me querer, fico até feliz de que é menos um babaca estragando a vida de uma mulher.

"você já pensou em fazer algo de risco, vivemos em risco".

por favor não seja dissimulado, deixei bem claro que diferente de serviços insalubres e violência urbana, o risco do sexo é opcional.

então você confirma? a graça é só o risco de contrair uma doença?

UAU, QUE LEGAL !
como estou fora dessa?

Um Cara Diferente disse...

Anônimo das 20:02

outro prepotente.

não se deu ao trabalho de ler, o risco do sexo é OPCIONAL. as situações que descreveste não tem nada a ver.

sexo não faz falta, é dispensável.
e ainda pode te trazer uma doença grave.

quer fazer? faça. foda-se.

viva com seu super sexo, senhor sexual. você é superior a mim em tudo, afinal você trepa.

eu sou uma aberração, afinal sou virgem e não tenho DST, terei que conviver com isso.

Kittsu disse...

Cara diferente, porquê sua revolta com esse negócio de sexo? porquê você apareceu aqui em vários tópicos criticando quem faz sexo e não admitindo que defendam esta preferência, quando ninguém aqui liga realmente se você faz ou deixa de fazer?

ninguém precisa de sexo, pronto. não precisa fazer um estardalhaço por conta dessa constatação óbvia, quem cobra que homens sejam máquinas sexuais definitivamente não é o feminismo... errou de endereço.

Um Cara Diferente disse...

porra, Kittsu. respondi agora seu outro comentário e agora você é agressiva igual aos outros.

"apareceu em vários tópicos".

- apenas dois. esse e o da filha virgem.

"criticando quem faz sexo "

- critico a cultura de sexo, como se fosse oxigênio. e que todos tem que fazer, e não pode ser criticado jamais, sexo tá virando religião.

"e não admitindo que defendam esta preferência"

- onde? vocês que não admitem que alguém critique sexo.

"quando ninguém aqui liga realmente se você faz ou deixa de fazer?"

- ligam tanto que me apedrejaram por criticar seu "precioso sexo".

"quem cobra que homens sejam máquinas sexuais definitivamente não é o feminismo... errou de endereço."

- WTF? então é isso, sou brocha? não sou capaz de fazer por isso critico?
tudo resolvido, gente. mais um espantalho. ela solucionou tudo.

Anônimo disse...

Só um palpite, mas acho que o "Um Cara Diferente" é assexual.

Um Cara Diferente disse...

só não me diga que a água é molhada, Sherlock.

Kittsu disse...

rapaz, você bebeu?

Anônimo disse...

A graça do sexo é só o risco de contrair doença? WTF? Já ouviu falar de orgasmo, prazer sexual? Cara a wikipedia tem uns artigos bem interessantes para leigos, recomendo dar uma lida

Um Cara Diferente disse...

querem de fato saber porque não faço sexo?

porque não sou capaz de fazer isso. sexo é humilhante pra mulher, não consigo ver de outro jeito. não sou capaz de achar certo uma mulher se submeter a mim pra isso, como os outros homens acham certo e um absurdo se elas não o fazem.

vão dizer que é machismo, também?

a vontade é minha, quando raramente sinto, faço o certo. me masturbo pra que passe, e não submeto mulher alguma a isso, exatamente por não me deverem nada, e não ter obrigação nenhuma a isso.

Anônimo disse...

Ninguém te chamou de brocha, vc que não sabe interpretar. Ela quis dizer que quem cobra que os homens sejam maquinas sexuais não é o feminismo, e sim o machismo.

Anônimo disse...

Legal, mas pra que vir numa caixa de comentários contar isso mesmo? Está carente? Porque ninguém aqui estava de falando de cultura do sexo, vc puxou o assunto já criticando metade dos asexuados. Depois te criticam por essa postura infantil e vc não aceita, mimimi não sabem debater só criticar. Releia seu primeiro comentário por favor, quem começou criticando a opçãodos outros foi vc.

Anônimo disse...

Criticando metade dos sexuados*, corrigindo

Anônimo disse...

Cara Diferente, nunca disse que eu era superior a você, tampouco que você era uma aberração. Só acho que seria de bom tom você para de fazer sua pregação anti-sexo pra gente que não é como você, sabe. Pessoas que não gostam de sexo e assexuais existem, é normal. Mas ficar enchendo o saco de quem não é da sua turma com esse mimimi já é ridículo, é um desespero por atenção que vou te contar... parece um mascu chato carente, colega, isso enche o saco! Só para.

Ah, eu não sou homem.

P.S. DST se evita com camisinha. Não é bicho de sete cabeças, é só colocar uma capa de borracha no pinto ou uma de poliuretano na vagina (que é até mais eficiente que a masculina), e pronto! Sexo DST-free! Não precisa fazer um manifesto contra o ato sexual.

Anônimo disse...

"sexo é humilhante pra mulher", legal, respeito sua opinião. Agora tem que mulher que gosta sim, e daí? Exige respeito pra sua opinião mas chega desqualificando quem gosta de sexo, coerencia zero.

Anônimo disse...

Pois é Kitssu, vc (e outro rapaz aí) certificaram, gênero masculino é mesmo uma desgraça; vou dar uma de "~misândrica~" e dizer: ainda bem q eu não gosto de homens.

E eu sou mulher viu seu Kittsu, muito obrigada

Um Cara Diferente disse...

- bebi? não bebo, odeio bebida.

- sou gay Carlos? tem sempre um tiozão palhaço metido a "graçadão".

- doença? foi nosso brilhante Daniel que associou perigos urbanos com DST. ele o tal anônimo que associaram isso, não eu, apenas perguntei se era isso e não disseram.

- leigos? de novo a prepotência.

porque não são capazes de entender nada além do seu mundo?

Anônimo disse...

Parece ateísta indo em fórum religioso fazer pregação anti-deus. Tá serto cara, vai converter todo mundo com essa postura sensata, sqn. Ah, não é pra converter, só criticar? Então que aguente a crítica dos outros também, sem ficar de mimimi estão me apedrejando. Quem começou apedrejando as escolhas dos outros foi vc.

Anônimo disse...

E pior que já me apareceram uns 4 indivíduos com esse papo de que são melhores do que eu porque transam, mas acontece que eles são tão feinhos... E um deles é feio até demais, até achei que ele nunca namorou da vida. Um Cara Diferente, não ligue.

Anônimo disse...

Leigo sim, uma pessoa que pergunta pros outros "qual a graça do sexo além do risco de contrair doenças?" só pode ser leigo no assunto. Saber que as pessoas sentem orgasmo ou prazer, independente do que vc sinta ou não, isso é o básico sobre sexualidade humana.

Kittsu disse...

hahahaha eu já tava desconfiada, agora entendi. ora, seus desocupados, vão chupar um prego até virar tachinha, vão.

Um Cara Diferente disse...

não sou carente, apenas provei pra mim e pra vocês mesmos:

NINGUEM admite que sexo seja criticado ou questionado, está pior que religião.

mulheres gostam de algo que as humilha mas lamentam a falta de respeito. apenas questionei isso.

todos foram agressivos comigo e agora fingem que não, fui agressivo? fui, fiz um questionamento e me apedrejaram, porra.

eu não sei ONDE eu falei de homens / maquinas sexuais, onde isso tem a ver com algo que eu tenha escrito?

criticar sexo não é encher o saco, encher o saco é enfiar sexo em TUDO.
- TV
- esporte
- cinema
- comerciais
- pesquisas forjadas que exaltam sexo

ISSO É encher o saco, ISSO é agir como quem faz é superior, quem não faz é fracassado.

Um Cara Diferente disse...

anônimo das 22:19

Daniel e um anônimo que começaram a associar DST com riscos diários.

Daniel associou com pular de para-quedas (a graça é o risco, correr o risco)


fui irônico quanto a isso perguntando se a graça do sexo é o risco das DSTs.

tá difícil, hein?

Anônimo disse...

"porque não são capazes de entender nada além do seu mundo?"

Sim cara, já entendemos que vc não gosta de sexo. Já deu seus argumentos aqui, não somos analfabetos. Agora o que mais vc quer? Que todo mundo concorde com vc e pare de gostar de sexo? Ou que as feministas parem de zombar de quem não gosta de sexo?

Se for esse o caso, sinto muito mas é como disseram, não é o feminismo que zomba de asexuados e não é o feminismo que incentiva os homens a serem máquinas sexuais. Deve estar confundindo com machismo. O feminismo respeita escolhas individuais - respeita tanto mulheres que se depilam ou não, respeita quem escolhe parto normal ou cesarea, respeita quem alisa o cabelo ou deixa natural, respeita mulher que faz sexo com vários ou não, respeita quem é sexuado e quem não é. Feminismo não é sobre crítica a escolhas individuais, e sim críticas ao sistema por trás disso.

Então sinceramente, não entendi qual seu objetivo aqui.

Um Cara Diferente disse...

anônimo 22:16

aceito sim. só usei o termo "apedrejar" porque sempre que digo um "A" contra sexo gera esse alvoroço, pessoas me xingam, outras fazem gracinha igual esse Carlos.

aceito criticas e também argumentos, até agora não responderam:

Porque mulher faz algo que a denigre? sendo que pode fazer isso sozinha sem ter que submeter a homens que as tratam como merda.
sendo que podem viver sem isso? porque fazer se depois vão lamentar o desrespeito desses homens?

NINGUEM respondeu.

florearam, desconversaram, a velha do "o meu não é assim" e tal. mas algo concreto não.

Anônimo disse...

Porra Lola, e a liberdade de zoação?

Carlos

lola aronovich disse...

Um cara diferente, vc tá muito agressivo mesmo. Se vc não gosta de sexo, beleza, continue não fazendo. Ninguém aqui tá te forçando a fazer sexo. Mas pare de imaginar que mulher não gosta de sexo ou que sexo é humilhante pra mulher. Olha, ser assexual é uma opção sexual tão válida quanto ser homossexual, bissexual, heterossexual. Já publiquei alguns posts sobre a assexualidade.
Tenho 22 anos e sou virgem. Sou normal?
Sou assexual, tudo normal
As muitas possibilidades da assexualidade
A faculdade é assustadora para fóbicos sociais?
Sufocando minhas vontades
Guest post: Continuo virgem, sou assexual, normal
Espero ter ajudado. Veja como existem assexuais felizes que aceitam numa boa que muitas pessoas façam sexo e outras não.

Anônimo disse...

Ué vc não foi agressivo?

"só serve pra inúteis se acharem fodas porque "fodem". metade dos sexuados são idiotas."

"se libertação feminina é se expor ainda mais na mão desses babacas, vocês tão bem fudidas mesmo."

Já falei pra reler teu primeiro post e parar de mimimi me criticam. Quem chegou criticando a escolha dos outros foi vc, e de modo agressivo sim, fato.

E outra, nem toda mulher acha sexo humilhante, qual o problema disso? Qual o problema se elas sentem prazer? Você chega afirmando que sexo é humilhante para as mulheres, legal mas é só sua opinião. Tá difícil de entender quem tem mulher que não acha sexo humilhante? É muito difícil aceitar isso?

Anônimo disse...

Nossa cara, serei a décima pessoa nessa caixa de comentários que você vai dizer que "foi agressiva", mas reveja suas atitudes também né: desvirtuou o assunto do post que é GAMERGATE pra seu desinteresse por sexo, quando ninguém aqui endeusa sexo nem trata como religião, inclusive é perfeitamente normal você ser desinteressado. Ficou nesse melindre de dizer que todo mundo foi agressivo (uns foram, outros não). Ai cara, ninguém é obrigado, tá? E depois feminista que é um bicho que se ofende por tudo.
Agora que todo mundo te ouviu, você quer o quê? Aplausos? Um abraço?

Mas enfim, sobre o gamergate: eu já vi essa historia desde o ano passado, mais ou menos quando estourou. Inclusive, até tive algumas oportunidades de me enveredar para a criação de games, mas confesso que não teria energia pra enfrentar toda essa cultura ~gamer~. Sei lá, é uma merda pensar assim, mas eu não conseguiria não, por isso admiro muito gente como a Lola e Anitta Sarkeesian, e muitas outras, que aguentam muita muita coisa mas não permitem que a misoginia as cale.

Um Cara Diferente disse...

anônimo 22:29

não é o primeiro espaço que uso pra debater isso.

não, não quero que ninguém mude, são os sexuados que querem mudar os outros, disse SEXUADOS, não mude isto pra feministas depois.

escolhi por ser um espaço de maioria feminina que queria entender o porque do que já disse.

e de novo, o maquinas sexuais, eu nunca escrevi uma letra sobre isso. pare de misturar as coisas, não fui eu, foi Kittsu quem mencionou isso e associou a mim, o porque não sei.

o que quero mais? nada.

só o que eu queria era que debatessem normalmente, acreditei em vocês, mas me decepcionei. ninguém aceita criticas ao que gosta, eu aceito, talvez por isso pensei que os outros talvez soubessem reagir a criticas, sem recorrer a essa "barulheira" que fizeram.

Anônimo disse...

Vou te responder porque a mulher "faz algo que a denigre".

A mulher faz algo que VOCÊ acha que denigre, porque ela NÃO ACHA que isso é degradante.

Entendeu? Sabe quando a pessoa tem uma opinião diferente da sua? Pois então...

Anônimo disse...

Com todo o respeito: eu só acho que a geração nascida de 1980 pra cá precisa em primeiro lugar crescer, se convencer de uma vez por todas que depois dos 18 anos nos tornamos adultos.
Na boa, como discutir femininismo, política ou o que quer que seja com alguém que leva videogame a sério?
Quer jogar? Ótimo, muitos adultos jogam. Quer assistir walking dead pra relaxar? Assista, é mesmo legal. Mas tem coisas que realmente não dá pra aceitar que são meramente lúdicas.
Mas o que noto atualmente são mulheres e homens que não querem aceitar que já não são mais adolescentes. E se não saíram da adolescência, fica mais difícil falar a sério com eles e elas.

Anônimo disse...

Sou da época do Atari, não sei a graça que um adulto ver em jogos, bem, cada um com seu gosto.

Carlos

Um Cara Diferente disse...

eu admiti que fui mesmo agressivo. só esqueci de mencionar algo relevante, meu primeiro comentário não foi esse aqui do gamergate, foi no da filha virgem, leiam aqueles primeiros, comentei lá e aqui.

o "foder" foi no sentido figurado, expressão. não mandei ninguém se foder diretamente.

se isso magoou tanto, desculpem-me.

e no fim das contas, a própria Lola incentivando mulheres a cair nessa armadilha.

ok, então, mulheres. se é tão bom se submeter a esses palhaços (me incluo mesmo não fazendo), que seja.

continuem felizes com homens que lhes usam pra gozar e depois te destratam, e metralhem um cara que perguntou porque vocês se humilham por eles.

é melhor assim?
vocês são felizes assim?

ok, então. até tentei abrir os olhos de vocês, mas já fizeram essa lavagem cerebral.

desde pequenas vocês são induzidas a crer que ter companhia masculina é bom, e não tê-la é ruim, seja "boazinha" pra não perde-lo.

is sad, but true......

Anônimo disse...


"desde pequenas vocês são induzidas a crer que ter companhia masculina é bom, e não tê-la é ruim, seja "boazinha" pra não perde-lo."

Cara, o que esse blog defende é justamente o contrário disso, empoderamento feminino. Acho que vc tá fazendo tempestado em copo d'água aqui, sinceramente.

Anônimo disse...

Gente cagando regra até no que os outros deveriam gostar ou não depois de adulto.
Não sabia que tinha lei me impedindo de gostar de videogame depois de adulta.

Um Cara Diferente disse...

anônimo das 22:43

claro que não é degradante.

ter o cu ou a buceta estraçalhada e depois ainda ter que ficar de joelhos pra levar o gozo na cara não é degradante, e se não engolir tá ruim ainda.

(usei uma situação apenas para ilustrar)

desculpem se foi "rude" demais.

Anônimo disse...

Um cara diferente, vou te contar um grande segredo:
mulheres também sentem prazer com sexo, também gozam.
Deve ter algo muito errado com alguém que em pleno séc XXI ainda não sabe disso.

Um Cara Diferente disse...

anônimo 22:53

certo, mas quando a própria Lola diz que sexo não é humilhante e incentiva as mulheres a isso, ela joga tudo num precipício.

Anônimo disse...

Então o problema é esse, pra vc sexo é o que tem nos vídeos pornos. Bom, um segredo pra vc: aquilo não é vida real. Sou hetero, faço sexo bom e prazeroso com meu noivo e não tem nada de "buceta estraçalhada" ou essa violência toda. Se vc só conhece esse tipo de sexo, então precisa abrir mais a mente e se informar.

Anônimo disse...

Você parte da premissa que todo sexo é degradante e humilhante, mas desconhece que existe sexo com amor, com carinho. A premissa é falsa, o que invalida o resto. Mulher gosta de sexo sim, sente prazer sim, e não estamos falando do sexo que tem em 90% dos vídeos pornôs.

Anônimo disse...

Um cara diferente! Eu meio que entendo seu ponto. Veja, eu tenho namorado, a gente faz sexo e eu gosto.

Eu concordo com vc que, se eu analisar objetivamente, sexo é humilhante pra mulher. Nossas posições são de submissão. Eu posso gostar de dar de quatro, ok gosto. Mas isso, analisando friamente, representa submissão sim. Se vc levar em conta a maneira que a indústria pornô retrata, fica pior ainda.

Mas enfim, o fato é que eu faço isso com pessoas que me respeitam (não necessariamente tem que ser meu namorado). Mas eu faço isso com caras que me respeitam como pessoa e isso faz com que o sexo tome uma forma, na minha análise subjetiva, que não é degradante. No fim das contas, eu acho bonito e gosto (embora objetivamente eu ache degradante).

Mas essa sou eu.

Rosanna Andrade disse...

"ter o cu ou a buceta estraçalhada e depois ainda ter que ficar de joelhos pra levar o gozo na cara não é degradante, e se não engolir tá ruim ainda."

Que engraçado, nada disso acontece quando eu faço sexo. Será que tô fazendo errado?

Raven Deschain disse...

"querem de fato saber porque não faço sexo?"

Nope. We don't give a shit.

Vc não mete. Nós metemos. Ok.

Troca o disco. Vamo falar de The Legend of Zelda e como as pessoas sempre acham que a Zelda é o Link.

Anônimo disse...

Anônimo das 22:54, leia de novo meu comentário e veja se disse que adultos não podem gostar de videogame.
Eu mesma gosto.
O que critiquei, é algo que noto muito em minha geração, uma resistência em crescer, uma tendência das pessoas se isolarem em jogos ou no mundo virtual pra não terem que lidar com o mundo real.
Se a gente conversa pessoalmente com um grande machistão dos chats de videogame, ele mal vai ter coragem de te encarar nos olhos, quanto mais de repetir os absurdos que diz no mundo online. Se a pessoa se isola em um mundo de mentira, do que adianta tentar alertá-la pro que acontece no mundo real.
É isso que critico na minha geração.

Rosanna Andrade disse...

Quanto ao real assunto do post, eu acho super legais os vlogglers que analisam jogos. Eles conseguem ser mais objetivos e analisam coisas n mainstream tbm.

O Markplier eh mto bom. Já vi ele fazendo colocaçoes mais profundas tbm.

Anônimo disse...

Por exemplo vc sabia que mulheres podem ser "dominantes" na cama? Não agir só passivamente como no tipo de relação que vc descreveu. Sabia que nem toda mulher faz sexo oral? Que nem toda engole o semen quando faz? Que nem toda faz sexo até ter o "cu e buceta estraçalhados"?

E mais, sabia que existem mulheres que gostam de sexo degradante sim? Pois é, incrível não? Por exemplo, pesquisa sobre BDSM, relação consensual entre dois adultos onde os dois sentem prazer.

Raven Deschain disse...

Vou responder então: A GENTE DÁ PORQUE GOSTA E NÃO É TODO HOMEM QUE ACHA QUE NOS HUMILHAMOS POR METER.

Tá claro ou quer que cuspa?

Anônimo disse...

Raven, sério: eu queria conversar com vc pessoalmente. Vc dever ser MUITO engraçada. Tem as melhores tiradas do blog sempre!

Amanda S. disse...

quero saber que parte do meu namorado fazer sexo oral em mim (adoro) é humilhante pra mulher

Daniel disse...

O que duas ou mais pessoas adultas fazem em pleno consentimento, não é da alçada de ninguém. Se você acha que algumas condutas são pecaminosas, não faça e pregue sua religiosidade, sem ofender/difamar os outros. Se vc acha degradante, não faça.
-
Outra coisa, sua descriçaõ de sexo, é de quem nunca praticou e só vê vídeos na internet. Existem sim homens que são submissos a mulheres em BSDM e vice-versa. Particularmente, não tenho preferência por posição alguma, mas quando estou cansado, prefiro ficar deitado e que a mulher vâ em cima de mim.

Anônimo disse...

"ok, então, mulheres. se é tão bom se submeter a esses palhaços (me incluo mesmo não fazendo), que seja.

continuem felizes com homens que lhes usam pra gozar e depois te destratam, e metralhem um cara que perguntou porque vocês se humilham por eles.

é melhor assim?
vocês são felizes assim?"

Vou te contar uma história: nas nossas primeiras vezes, meu namorado percebeu que nem sempre eu gozava quando transávamos. (Ele é meu primeiro namorado, então eu não sabia exatamente como um orgasmo por penetração deveria ser)
Ele conversou comigo e disse que não tinha graça se ele era o único que se divertia. Não gostava da ideia de eu "achar" que tinha gozado só pra ele se sentir bem consigo mesmo. Pediu pra eu ser franca e dizer quando não tava rolando, caprichou nas preliminares, ficou atento aos meus sinais e pronto: não teve uma vez desde então que eu não tenha chegado ao orgasmo com ele. Inclusive, é até mais comum eu gozar primeiro.

Olha, se isso parece degradante pra você, eu não sei. Mas, pra mim, é um exemplo de que tem homem que se preocupa sim com o prazer da mulher.
Se você diz que o sexo é degradante pra mulher, talvez seja porque você tá vendo pela ótica da pornografia, dos filmes em geral, onde a mulher só se fode mesmo, na maioria das vezes.
Mas isso não acontece porque no ato sexual esteja embutido que a mulher tem que levar a pior. Isso tá embutido na cultura misógina da sociedade, que a pornografia se apropria.

E outra, você tá esquecendo que dentre as mulheres que transam, elas não transam só com homens. Tem mulheres que transam com mulheres. E aí? Será que é degradante também?

Raven Deschain disse...

Anon de 23 e 07, entendo seu ponto e uso seu comentário pra complementar o meu. Foi isso que quis dizer quando afirmei que adultizaram os jogos. Ficam nessa ânsia de parecer sérios, adultos, quando na vdd não passam(os) de um bandk de adolescentes de 30 anos.

Um Cara Diferente disse...

anônimo 22:56

se é tão bom assim, quem sou eu pra dizer que não?

mas nunca vi uma mulher botar um cara de joelhos, se masturbar e gozar na cara dele.

durante toda minha vida, achei que fazia certo.

punhetas solitárias pra matar uma vontade, já que nunca me quiseram e depois de um tempo compreendi que não era certo usá-las pra isso.

nunca lamentei por não ser o "usador" delas, e sim porque as admiro e não entendia porque se submetiam aqueles idiotas.

hoje, aprendi que estou errado do mesmo jeito. ouvi de diversas mulheres, homens (babacas) e da própria Lola, uma feminista que acreditei que diria que é uma atitude correta.

fui represado por todas. não me sobra nada, não sei mais o que fazer, sinceramente estou perdido.

Anônimo disse...

Descobriu que sexo não é sempre igual a vídeo pornô e sumiu.

Raven Deschain disse...

Bora marcar aquele café! =D

Um Cara Diferente disse...

anônima 23:03

finalmente alguém entendeu.

o resto só fuzilou e fez tudo que eu disse.

Raven, exemplo disso:

nós fizemos, você não. fracassado.

a situação que ilustrei não disse é A UNICA ou que acontece SEMPRE, estou dizendo que acontece, e sim, muito por incentivo de pornôs, mas não deixa de acontecer.

Anônimo disse...

Sobre a cultura de pessoas que não querem crescer: eu acho que "não querer crescer" seja exatamente o problema, até porque..defina ''crescer". É botar um paletó e trabalhar numa 8h por dia numa firma? Ou de repente virar uma pessoa super séria que, agora que "cresceu", não tem tempo/saco pra brincar?
O brincar, o jogo, o lúdico é uma coisa extremamente importante pro desenvolvimento cerebral, não só das crianças, mas também dos adultos.
**Eu** acho que o problema não é o "não querer crescer", até porque eu também não quero, pra algumas coisas. Pra mim, o problema é ficar com a atitude de moleque mimado que não admite que ninguém mexa nos joguinhos misóginos dele. Então o problema não é "não crescer", e sim, pra variar, a misoginia junto com "entitlement" (expressão que significa mais ou menos o sentimento de merecimento que o machista tem, achando que a sociedade e as mulheres lhe devem alguma coisa só por ser homem).

Um Cara Diferente disse...

sou ateu Daniel, espantalho fail.
não critico BDSM desde que a mulher domine. o contrario acho violência, sim. tenho o direito de achar.

ok, meninas, se vocês acharam homens diferentes do que mencionei, ótimo. mas se eles são a exceção da regra, o real não está longe do que digo.

sexo lésbico não é degradante, falei de relação hétero.

homens fazem um drama pra retribuir oral e muitas de vocês reclamam que eles fazem de má vontade, não é degradante não.

Daniel disse...

Tem homem submisso também, "cara diferente". Isto não é degradante. Já não basta ter que aturar puritanismo dos direitistas conservadores....
-
Mas só pra tentar colocar os coments de volta pro tópico do gamergate. Vejam a reação destes homens que perderam no FFA(free-for all) para uma mulher : https://www.youtube.com/watch?v=t68WF8A-8fc

Kittsu disse...

"mas nunca vi uma mulher botar um cara de joelhos, se masturbar e gozar na cara dele."

É a sua profissão ficar observando casais acasalando ou você nunca procurou por "femdom" nas suas intensas buscas por pornagrafia?
Mais um caso mega tenso de garoto que foi educado por pornografia...

Um Cara Diferente disse...

puritanismo? ah, Daniel. serio?

lamentar ver mulheres sendo denegridas por homens puritanismo?

tudo bem, Sr. da razão.

Kittsu, de novo?

"nunca vi" é uma expressão sabia?

foi uma clara metáfora, uma inversão de papeis.

"femdom" - sei o que é, mas, acha que acontece na vida real?

depois do sexo o homem que fica de joelhos pra "receber" o gozo de sua parceira?

foi uma metáfora, desculpe. serei apenas obvio agora.

Anônimo disse...

vou ler esse tal de "cara diferente":
- você tá xatyado porque todos esses anos bateu punheta por achar que sexo é degradante pra mulher, até que um belo dia várias mulheres te mostraram a dura realidade da vida: o sexo em si não é degradante pra mulher. Degradantes são os misóginos.
Aí você ficou mais ~xatyado ainda porque tava esperando que as feministas iam bater palmas e pensar "noooossaaaaaa que cara respeitador que diz que a gente se submete a sexo degradante, que diz que a lola ganhou a gente na conversa mole, que as mulheres fazem sexo humilhante! que bate uma pra não transar com alguém e denegri-la! nossa, meus parabéns, hein!"

Ah, se toca né. Já atrapalhou demais a discussão aqui. Vaza.

Anônimo disse...

Que cara doente!

Raven Deschain disse...

Mas que caralha, véio. Para de botar palavras na boca dos outros!

Eu disse: vc não mete. Nós metemos. Quem pôs o fracassado aí foi vc. Eu definitivamente ME FODO se alguém que nem conheço trepa ou não. Não é da minha conta. Vc veio aqui falar da sua completa inexistência de vida sexual voluntariamente. E sinceramente? Já encheu mesmo. Ou fala da porra do assunto do post ou vai bater uma bronha, cara. O gamergate importa pra mim, que jogo. A sua vida sexual não. Ninguém liga. Cagamos e andamos. Não quer foder? Blz. Não foda. Mas não venha enfiar na nossa goela que sexo é degradante, pq não vamos achar isso, afinal não transamos com moleques.

Puta merda.

Anônimo disse...

O post era sobre Gamergate e jogaram frustrações (a)sexuais aqui pq?

Anônimo disse...

Cara Diferente, o sexo em si mesmo não é humilhante pra mulher. Nunca foi. Humilhante é homens e mulheres machistas usarem o sexo pra desqualificar, desvalorizar e agredir a mulher. Parece que você foi doutrinado por filmes pornôs mainstream que tratam a mulher como boneca inflável, objeto. Mas o sexo não é isso. Sexo é troca, contato, prazer mútuo, e é um grande problema na minha opinião que as pessoas olhem pros filmes pornôs e achem que aquilo é verdade. Pq não é. Se você não encontrou ninguém não é que vc seja horrível, mas simplesmente não rolou-o que mais acontece na vida. Se você conhecer mais pessoas, pode ser que encontre alguém legal que te mostre o que é o sexo de verdade (pq esse que vc vê no pornô é mentira. Tanto quanto os filmes do James Bond, mentira atrás de mentira).

Quanto ao BDSM, vc sabe que existe senhas e dispositivos de segurança, e que o princípio do BDSM é "São, seguro e consensual"? Ninguém faz o q não quer no BDSM, mulheres que gostam de ser submissas não estão sendo machucadas, assim como os homens submissos não são. Não estão sendo agredidas; elas somente gostam de fazer assim. Pergunte a alguma submissa praticante de BDSM; existem inclusive alguns posts sobre BDSM aqui no blog, com depoimentos de praticantes, homens e mulheres, dominadorxs e submissxs. Eles estão super tranquilos com isso e se sentem bem fazendo. Procure saber direto deles, não de quem vê de fora cheio de preconceitos.

Quanto às posições sexuais, olha, elas não dizem nada que não esteja na cabeça da pessoa. Não sei quem inventou essa de que dar de 4 é submissão, provavelmente foi um protomascu pré-histórico tentando colocar mulheres em posição (socilmente) inferior, mas é besteira. Se uma mulher gosta de transar de 4 é pq essa posição de alguma forma dá prazer pra ela. Assim como tem mulheres que gostam de ficar por cima, outras q gostam de sentar no colo do homem. Por que uma mulher transaria de 4 se não gosta? Além disso, essa posição é ótima pra estimulação clitoridiana, permite que o homem ou a mulher estimulem o clitóris enquanto fazem a penetração.

Isso de vagina estraçalhada, ânus rasgado, esse tipo de coisa só acontece em estupros, Cara Diferente, não no sexo consensual. O estupro que é uma violência, uma agressão, uma humilhação-e é o que acontece nos filmes pornôs mainstream, as atrizes são estupradas. O que você viu nos pornôs foi estupro puro e simples. Aquilo não foi sexo, foi estupro, e estupro é assim mesmo, agressivo, nojento, humilhante. Você está certo em repudiar esse tipo de coisa que viu nos pornôs, pq era estupro. Mas o sexo não é isso. Eu te aconselho a procurar uma terapia pra trabalhar isso, desfazer essa cofusão entre sexo e estupro e fazer as pazes com sua sexualidade, mesmo que você seja assexual. Eu sou paciente psicoterápica e te garanto que é ótimo pra tratar as caraminholas que a gente tem na cabeça.

Um Cara Diferente disse...

anônimo das 23:51

kkkk

por incrível que pareça você foi o que chegou mais próximo.

de fato, dói, você ver que agiu de uma forma que julgava como certa a vida toda aí conta pras mulheres e BAM! um tiro na cara, mas azar.

dói ver que esses bostas ainda são exaltados e defendidos por vocês mulheres.

é uma pena.

mas duas coisas:

1 - você não pode dizer que bater punhetas solitárias pra não fazer algo que julgo denegrir a mulher é uma atitude respeitável, sim.
então correto seria achar que mulheres tem obrigação de saciar minhas vontades? não.

2 - pensei que se debatiam coisas aqui, o blog é da Lola como disse o Daniel, se ela quiser que eu saia, saio.

considerações finais:

nunca quis aplauso por isso, fiz por julgar certo.
porque achar que sexo denigre a mulher é desrespeita-la? serio mesmo, porque?

alguns até concordaram que de certo ponto + incentivo pornô pode ser sim.

Um Cara Diferente disse...

ok. sou doente, aberração, fracassado. tudo bem, não ligo.

agi e ajo certo. me decepcionei bastante com vocês. infelizmente esse tipo de comportamento de vocês só reforça o machismo que vocês combatem. ok.

Raven, ótimo, se abrace e defenda os merdas que usam vocês e me ataque, ataque com tudo que puder, destrua esse homem que escolheu a solidão pra não estragar a vida de alguma mulher.

é meu ultimo comentário aqui, depois disso não volto mais, qualquer um que usar o mesmo nome que estou usando será fake. acham mesmo que voltarei depois de ser destruído por mulheres, cuja figura tinha minha total admiração e por isso jamais quis usa-la ou denegri-la? não mesmo.

ao anônimo da "aula". não quero terapia. já falei que as expressões "estraçalhadas" foi apenas uma imagem ilustrativa, pra provar que sexo fora desse "mundo cor-de-rosa" que vocês veem, é sim, humilhante.

não deixarei de ser assim porque pessoas que nem conheço me humilharam na internet, humilhar um virgem que abdicou de qualquer tentativa de uma relação sexual por considerar humilhante pras mulheres, e não conseguir fazer isso porque gosta delas. grande, humilhar um cara assim.

ok, não ligo. mas não critiquem quando detonarem vocês por aí, porque né? que belo comportamento.

Ingrid Bezerra disse...

Carácoles Um Cara Diferente, o povo todo aqui já explicou toda a parada para você! Mas você é teimoso, putz grila! Não quer entender!!!

Eu vou tentar me policiar nas palavras porque eu costumo falar muita sacanagem e não quero que fique feio...

Bem, eu gosto de sexo porque o meu corpinho pede, a minha xoxota pisca sozinha quando eu vejo ou sinto alguma coisa excitante, algum homem, etc. Daí dá a vontade de fazer aquilo né. A xaninha fica toda molhada, o corpo chega a tremer, é muito bom. Daí quando rola o sexo, logicamente só rola se eu tiver o prazer, e claro eu sinto prazer em dar prazer também. Aí tem que rolar chupadas (de e em ambos os parceiros)... aquele negócio todo, né... até que chegam os orgasmos, 1,2,3,4,5 (o meu récorde na mesma relação foi de 5 orgasmos :) )

Não tem esse lance de cu e buceta rasgada não, isso é coisa desses filmes pornôs ridículos. Não é real!!!

Quando o negócio é bom, nem me passa pela cabeça esse lance de "estar sendo humilhada pelo homem". Coisa nenhuma! Nem quando eu sou Sub! O negócio é só prazer!!! respeito, carinho, consideração pelo ser humano...

Masturbação é show, mas é bacana para mim por exemplo poder sentir o cheirinho do homem, o toque etc. E eu só faço o que quero.

Você precisa entender que as pessoas sexuadas tem direito de praticarem sexo, tanto quanto você tem o direito de não praticá-lo. Só isso.

Anônimo disse...

Engraçado que vc não se acha misógino, mas é.
E do pior tipo. O cínico.

Ingrid Bezerra disse...

Agora, sobre o GAMERGATE, eu gostei de entender o que é isso, porque eu sempre ouvi falar mas eu não sabia o que era.

O mundo dos jogos é um universo muito distinto para mim. Gosto de ampliar meus horizontes. Não conheço esse mundo de games direito. Eu ainda amo o meu Tamagotchi. :)

Um Cara Diferente disse...

Misógino? serio?

não tá fácil pra ninguém, depois os babacas chamam vocês te incoerentes, não sabem porque.

o cara que abdica do sexo por a vida toda crer que não era certo fazer isso a mulher é misógino? ok.

pró-mulher deve ser aquele que come, goza cedo, não faz a mina gozar e depois ainda reclama que ela é "fria". ESSE É O CARA !

eu? misógino, claro.

"Ingrid Bezerra", acha mesmo que vou cair nessa? tu é homem, rapá!

e pela 900a vez! o "estraçalhada" foi figurativo, com intenção de impactar mesmo. e não fica?
mesmo consentido, depois duns 15 / 20 min. de meteção fica "esgaçada" sim.

Anônimo disse...

To pensando aqui melhor e existem tipos piores de misóginos que o cínico, mas esse um cara diferente é misógino sim.

Anônimo disse...

Viu? Vc é misógino. Não admite que a mulher é sujeita da própria sexualidade. Acha que a Ingrid é homem só pq ela disse que a xxt dela pisca?
Vc nao sabe de nada.

Ingrid Bezerra disse...

Eu não sou um homem. Sou mulher.

"esgarçada" -> hahahaha. você não entende muito sobre anatomia vaginal mesmo... ai, o que esses filmes pornôs fazem com a cabeça desses caras...

E eu concordo agora com os anônimos que estão dizendo que você é misógino. Você é sim meu caro. Você fica aí tentando policiar a vagina alheia, tolir o nosso direito de escolher fazer sexo... pense bem, isso é uma misoginia disfarçada sim. Nós mulheres somos bem capazes de saber o que nos satisfaz e o que nos faz mal, não precisamos de um HOMEM para monitorar o que nós sentimos. Você nem sequer quer ouvir o que nós mulheres estamos dizendo. Você é o dono da razão. fala sério!

Anônimo disse...

Isso mesmo, Ingrid. Eu ri da sua descrição "meu corpinho pede" rss
Ele já quer saber mais do que quem tem bct. Cara, apenas pare.

Um Cara Diferente disse...

sou ateu, mas JESUS CRISTO!

policiar? sinto pena de vocês se submeterem aos homens, é crime?

já disse, se fosse mulher, jamais deixaria um homem me tocar.

acredito que seja por isso.

não, anônimo, não foi pelo "xoxota pisca" e sim porque achei muito provável ser um "graçadão" me zuando, ok?

então ótimo, me martirizem em prol desses desgraçados. ótimo, sejam felizes assim. metralhem o virgem! que foda!

e como ter certeza que a Ingrid e os anônimos não são a mesma pessoa? não dá pra saber.

ok, Ingrid, não entendo nada de sexo, vagina e mulher. sou uma negação, meu conhecimento está em outras áreas, não sexo. desculpe.

até agora quero entender onde está minha misoginia em abdicar do sexo e aliviar minhas vontades sozinho é misoginia, porra mulherada, aí é foda? o que é certo então?

troquem sexo por agua.

quando sinto sede, eu que tenho que beber um copo d'agua ou alguém tem obrigação de saciar minha sede? pensem nisso.

Anônimo disse...

Pena? Deixa de ser bbk.
Porque vc se acha tão melhor que os outros? Pra mim é a mesma merda.

Um Cara Diferente disse...

melhor? você é louco?

acabei de dizer que me acho tão desprezível a ponto de que uma mulher fazer sexo comigo é humilhante por isso me sacio sozinho e sou arrogante?

caralho, cara....

Ingrid Bezerra disse...

Acabou os sushis, os makimonos e eu já vou guardar o shoyu e dormir.

Obrigada pela companhia da madrugada querida anônima. Eu fico feliz de ser bem recebida aqui no Blog da Lola, eu leio faz muitos anos, mas nunca tive o costume de comentar e adorei a experiência. Valeu!

Um Cara Diferente, na boa, cuide da SUA assexualidade e deixa a nossa sexualidade que a gente cuida. falou?! Viva em paz! E para viver em paz devemos deixar os outros em paz também (é o segredo do lance). Deixa a xoxota dos outros em paz

Eu sou mulher, gosto de fazer sexo e deixei a minha contribuição para você ver que mulher que faz sexo gosta de sexo, simplesmente isso. mas... você cagou e andou, então lavo as minhas mãos.

Boa noite.

Beijo pra todo mundo.

Momento tiete:

Lola -> linda
Raven -> muito amor

Daniel disse...

OK, finalmente vc admitiu que não entende nada de sexualidade e de mulher. Pois bem, eu sou uma negação em Português e literatura. Não vou entrar num blog literário e ficar "cagando regra" lá. No máximo, leria os artigos e postaria dúvidas nos comentários.
-
Percebeu como você esta agindo? Sem conhecimento nenhum, experiência alguma, você quer determinar o que as outras mulheres podem ou não fazer com o corpo delas. Se fosse uma feminista experiente recomendando que as mulheres evitem algumas posições, eu respeitaria a opinião dela(embora não concorde), pois sei que é uma opinião fundamentada.

Anônimo disse...

Ta cara, chega. Já passou da conta. Ta todo mundo falando sobre indústria de games e tu vem aqui descontar frustração com a sexualidade alheia.
Sério, ta chato. Ninguém gosta de insistentes. Só para. _/

~ Camila

Um Cara Diferente disse...

tudo bem, Ingrid. se você gosta assim, o que posso fazer, certo?

reforcem o machismo já existente, exaltem esses merdas que usam vocês, ótimo.

sentia pena de vocês, agora vejo que vocês gostam disso.

talvez seja por isso que os machistinhas falam tanto em "alfa" e "cafajeste".

Lola, já vi diversas vezes o "pensamento" problema de mulher é falta de macho ser rechaçado aqui, mas aí aparece um cara que vai contra isso e é rechaçado também.

o problema sou eu, aposto que se fosse outro cara seria um herói, eu ainda sou misógino, fazer o que?

aprendi na vida que só é errado se for eu, se for outro é certo.

e Daniel, eu admitir que não tenho conhecimento não te torna melhor. pare.

nunca caguei regra, dei minha opinião e algumas teses que formulei ao longo do tempo.

Um Cara Diferente disse...

agora é descontar frustação.

como são dissimulados, leiam antes. mas não comecem já com esse nojo todo.

o comportamento de vocês não me surpreende nem um pouco, as pessoas atacam quando algo em que se apoiam é atacado, se "armam" e atacam em grupo.

o que me surpreende são feministas odiando um virgem que não trepa pra não "ferir" mulheres. LINDO! COMOVENTE!

Anônimo disse...

Pior que depois de todos esses comentários ele ainda não percebeu todo o discurso misógino que fez. Fica insistindo e generalisando que mulheres preferem os caras maus, que adoram ser humilhadas por homens.
Já ouvi demais esse discurso pra perceber que existe um baita problemão aí em não fazer sexo, e não me venha com essa de que pq "é humilhante pra mulher". Tá na hora de parar de tacar pedras na vida sexual alheia e buscar ajuda psicológica profissional pra resolver a tua própria. Só acho.
Mas aqui, vamo parar com isso porque tá feio, tah?

~ Camila

Daniel disse...

Nunca disse me achar superior a você. Você esta se colocando numa posição inferior a mim. Além de se fazer de vítima "se fosse outro cara(...)", cara, eu já falei besteira neste blog. Só que percebi depois de um tempo, que estava errado.
-
Quem tem que determinar o que é humilhante e o que não é, é a mulher. Não um cara que nunca tocou numa mulher e fica o dia todo vendo pornografia.
-
E como já fui a muito tempo atrás, mascu, posso dizer que você não entendeu o que eles querem dizer com "alfa" e "cafa". Em resumo, por parte deles, há uma crença de que as mulheres são hipergâmicas e sempre irão atrás dos machos mais "fortes", ricos e destacados. O grande problema deste raciocínio é desprezar o fator social, ignorar que o homem também tem instintos primitivos para selecionar sua parceira e ignorar que isto foi necessário para a evolução da espécie. Além do mais, existem pessoas que fogem a tudo o que a sociedade e a biologia impõe a ela.
-
Mas em fim, vou dormir.

Anônimo disse...

Cara, ngm aqui te odeia. O problema é tu vir aqui desviar o assunto e dar showzinho com discurso misógino, aí eu até entendo se começarem a te odiar.
Só tu que não percebeu ainda, mas ngm liga se tu é virgem, se foi 'educado' a filmes pornô. Mas esse é o problema. A indústria pornográfica quer mostrar sexo humilhante pra mulher, de forma que todo cara que assiste mt pornografia acha normal isso.
Mas não é. Pornografia que mostra sexo humilhante pra mulher é FICÇÃO. São atores atuando, e sim, reforçando a misoginia.
Mas existe pornografia feminista. Não to por dentro, mas procura aí no google que tu acha.
E sério, para com as generalisações, blz?
Aproveita o blog sem tirar conclusões equivocadas. Tem muita informação massa que pode ser bem útil pra ti.
Flw, vou indo nessa.

~ Camila

Jéssica disse...

Eu realmente queria ler uma discussão sobre o gamergate, que saco...

Lola, seria possível repostar o post, para a gente poder discutir ele? E esse aqui ficar com os comentários dessa discussão...

Como uma mulher que joga deste criança, geralmente jogos online:
- em MMOs as coisas são +- ok, nunca sofri muito assédio em ragnarok ou WOW. Mas não é incomum que mulheres se finjam de homem nesses jogos para evitar chatiação (enquanto homens jogam com shemales a vontade, pois é).
- em MOBAs (Lol e Dota) é um inferno. Minha paciência não começa nem no zero, começa nos negativos. Meu nick é +- neutro, então NUNCA falo uma palavra no feminimo. E se sabem que sou mulher, pela minha voz, por exemplo, sou extremamente agressiva e grossa, para afastar os babacas (e funciona muito bem).

Depois vem os caras falarem "Mulher não joga!", tá cheio de estatística para mostrar o contrário, em MMOs é próximo de 50%, e os jogos com menos mulheres são os FPS, mas que ainda tem cerca de 15% de mulheres. As mulheres jogam, e muito, mas elas se escondem.

Um Cara Diferente disse...

Camila, Daniel e outros.

apenas não consigo entender porque mulheres se submetem aos homens, isso é misoginia?

quer dizer que se amanhã eu fizer sexo e esquecer isso não serei misógino, AO USAR uma mulher que NÃO TEM NENHUMA OBRIGAÇAO de fazer isso, pelo raciocínio de vocês eu deixaria de ser misógino?

olhem bem a merda que vocês tão dizendo!

blá blá blá ajuda medica, É SEMPRE ASSIM, na falta de argumentos use:

1 - vc tem problemas
2 - odeio você
3 - você não tem capacidade pra comentar isso

sempre funciona.

Camila raivosa fuzila, enquanto Daniel arrogante sr. ex-mascu quer dar lição de moral, não boa, fodam-se.

tentei mostrar que existe outro tipo de homem, e que vocês não precisam se submeter a eles, e o que vocês fazem? me atacam.

fiquei com seus Daniels e "machoes" da vida, e fuzilem virgens, só depois não reclamam que ainda existe masculismo e machismo.

FODAM-SE!

Anônimo disse...

Que absurdo seu post sobre a Veronica Bolina, Lola.
Ok, você foi ponderada e entendo que você queira fazer a Marina Silva e agradar gregos e troianos quando fala sobre "privilégio cis" e outras falácias pós-modernas. O que não dá pra concordar é você achar que Veronica deve ir pra uma prisão feminina só por causa de identidade de gênero. Que feminismo é esse?
Você tem mais preocupação com alguém que provou ser macho o suficiente que com mulheres? E tudo em nome da liberdade de homens? Quando você diz que na prisão masculina Verônica corre risco de vida, seu argumento é similar ao daquela gente que defende o vagão rosa, vc aceita que homens sejam assim e ainda dá liberdade para que continuem sendo assim. Que mulheres não devem usar qualquer roupa pois os homens podem estuprá-las, como Camille Paglia disse.
Também não gosto quando você compara mascus e direitistas com feministas que não concordam com você ou com agenda trans pq é super falho. Sua ideologia que você diz ser de esquerda é tão pós-moderna que está próxima do neoliberalismo. Você tem que entender que entre feministas que seguem uma linhagem de pensamento mais tradicionalista, mais second-wave, há anarquistas, socialistas.. Seus comentários são deslegitimadores e ofensivos. Sua teoria de "ai, não sei se é cristão fundamentalista ou feminista radical" é ridículo, pois vc sabe muito bem que a crítica feminista radical é totalmente diferente da crítica da direita religiosa. O problema do feminismo radical não é moralismo. Inclusive há uma visão bem marxista e anti-hierárquica quando o feminismo radical se coloca contra a regulamentação da prostituição. Eu sei que você provavelmente é contra a pedofilia, o estupro e várias coisas que a Direita cristã também é contra e aposto que você se chatearia se alguém te comparasse com eles: "Olha lá, Lola é uma hipócrita, critica a Direita, mas tem pensamentos iguais." Sei que você logo se defenderia da mesma maneira: peraí, não sou moralista, reaça ou beata. Me coloco contra a pedofilia pq crianças não podem consentir. Abra tua mente.

lola aronovich disse...

Acho que todo mundo já deu mais que a atenção merecida ao Cara Diferente, né? Não dá pra levar a sério alguém que acha que o sexo que todo casal hétero faz na vida real é igual ao sexo mostrado na pornografia. E pior é essa postura de que está vindo aqui avisar as mulheres que, ele sim, é um cara diferente, porque ele não quer nos humilhar e subjugar transando com a gente! Ele se esquece que milhões de mulheres hétero fazem sexo consensual e prazeroso com milhões de homens sem que haja qualquer tipo de humilhação.
Mas olha, Um Cara Diferente, vc se entregou mesmo e mostrou que é O Mesmo Mascu de Sempre quando disse que a vagina fica "estraçalhada". Mascus entendem tão pouco de anatomia que realmente creem nesses mitos de genitais "arrombados".

Será que a gente pode falar do assunto do post?

Anônimo disse...

Um Cara Diferente, se o que você está dizendo for verdade mesmo e se você não usa pornografia para se masturbar, só tenho uma coisa a te dizer: EU JÁ TE AMO!

Você é um exemplo maravilhoso para os outros homens! Continue assim, ok? Só não fique se achando muito por causa disso, tá? Você ainda é um cara, e sempre será... Então não tente controlar as mulheres dizendo o que elas devem ou não fazer, como deveriam se comportar, etc. Isso seria totalmente o contrário de não dominar, não humilhar e não subjugar as mulheres, se esse é um dos seus objetivos...

No mais, você está no caminho certo e tem meu total apoio. Meus mais sinceros Parabéns!!! Que você continue nesse caminho ;)

Creio que sua posição e sua escolha também são incentivadas e apoiadas pelas verdadeiras feministas, realistas, que lutam seriamente pelas mulheres, pelo fim do patriarcado e pela libertação do sexo feminino; que estudam e compreendem a fundo a sociedade patriarcal e a situação das mulheres; que sabem muito bem que os homens usam sexo para degradar, dominar e subjugar as mulheres e assim se afirmam os dominantes, poderosos, ativos, "fodões", viris, etc. às custas delas, que através do sexo os homens extraem forças das mulheres e exercem uma violência íntima e profunda contra os corpos e as mentes delas, que o intercurso heterossexual é o meio principal de reprodução e perpetuação do patriarcado e é a base da dominação masculina: onde os homens literalmente usam as mulheres como receptáculos de pau e esperma e incubadoras pros futuros portadores de pênis que darão continuidade ao sistema patriarcal submetendo as mulheres.

Rafa disse...

Quando penso em gamers brasileiros lembro do Leon e do Jovem Nerd. Eles estão entre os maiores canais de jogos do youtube brasileiro e é impossível considerar qualquer um deles como ultradireita. O Leon em especial é um rapaz super coerente, fez mestrado em Estudos Europeus e tem um pensamento bem progressista. Infelizmente, o canal dele é focado apenas no entretenimento, há pouco espaço para debates sociais e políticos. O mesmo ocorre no Jovem Nerd, talvez uma das razões seja o fato de ambos usarem seus canais como meio de trabalho, evitando questões polêmicas ou complexas que possam afastar o público. Além do mais, é bem complicado exigir que um crítico de qualquer hobby (tipo game, moda, música, futebol e etc) também se especialize em debates sociais. Poucos fora do mundo acadêmico conseguem se sustentar lidando com assuntos tão específicos. Nós, interessados nos debates sociais, é que devemos falar sobre um hobby e não esperar que os críticos do hobby o façam (e mesmo assim, é necessário muita atenção porque poucos de nós tem formação para lidar com temas tão diversos em conjunto, tipo, analisar o racismo nas entrelinhas de uma obra ou sexismo no Basquete, isso demanda muita experiência, o mesmo vale para os games).

Anônimo disse...

Não jogo games mas senti esse incômodo de ser a única mulher num mundo masculino certa vez, quando entrei numa loja de quadrinhos (HQs, mangás, revistas sobre heróis e coisas assim) e só tinha caras. Se me lembro bem um dos sujeitos olhou pra mim como se eu fosse um bicho estranho, "algo" que não devia estar ali. Fora do "meu" lugar. Então só posso imaginar o que sentem as mulheres que jogam com todo esse assédio nojento, e sei que o que eu passei nem chega perto disso. Claro que quem não gosta de videogame não vai se importar com o que se passa lá dentro, do mesmo jeito que eu (que detesto futebol) não me importo a mínima com os bastidores dos jogos. Como Rafa disse, creio que só com questionamentos dos próprios jogadores é que a situação vai começar a mudar.

Anônimo disse...

Um Cara Diferente nunca transou e acha que sexo real e dos filmes pornos são a mesma coisa. E é paranóico, se sente perseguido por ser virgem. Tem certa razão pra isso, porque pegam mais no pé de homem por causa disso, mas de qualquer jeito é loucura.

Kittsu disse...

Meu namorado gosta de jogar em MMO com personagens femininos, se não me engano nem tem personagem masculino. Por dois motivos: Ele acha as bonequinhas bonitinhas (hahaha e enche de coisinha frufru, eu morro com isso) e porquê têm um monte de trouxa pra dar coisa de graça =P O chateia só os malucos pedindo ele em namoro.

Anônimo disse...

Resumo da história:

Um cara diferente: sou asexuado porque mulher transar com homem é reforçar o machismo, é degradante ter a buceta estraçalhada e se ajoelhar pra receber gozo na cara (e vcs deveriam reconhecer isso se não vou ficar comentando aqui até converter todo mundo)

Comentaristas: transo com homem porque eu gosto, sinto prazer e não acho degradante, e quando faço sexo não é igual a filme pornô

Um cara diferente: parabéns, vcs exaltam esses merdas, reforçam o que estão combatendo, fiquem com seus machões, fuzilem um virgem


-----

Respeito a escolha dos outros, cadê? O cara foi rechaçado não porque é virgem, mas porque começou agressivo e de modo desrespeitoso, querendo impor sua visão pra todo mundo. Aí quando discordam dele, vem "mimimi me fuzilam porque sou virgem, ditadura do sexo"

-----
Bônus:

Beatriz: gosto de sexo porque meu corpo pede, a xxt pisca, fico molhada, sinto prazer

Um homem diferente: acha que vou cair nessa? vc só pode ser homem! Mulher sentindo prazer com sexo isso não existe!

E depois não quer ser chamado de misógino.

I. disse...

Rafa,

Eu já percebi o Jovem Nerd se desviar de assuntos polêmicos, principalmente quando se trata de política. Os dois "jornalistas de games" brasileiros que mais aprecio (Pablo Miyazawa e Flavia Gasi) também tem essa mania de desviar de assuntos polemicos. Eu acredito que não deveriam ter essa postura, mas eu respeito porque eles não teriam a clientela que tem. Que pena isso :/

Raven Deschain disse...

Kittsu, vdd. Eu tb curtia encher as personagens de frufru e tem muito cara qje dá item ds graça. Mas isso na intenção de te comer.

I, vc conhece o canal Nobreza? Ele tem umas opiniões bem legais. Não que ele entre em debates profundos sobre política e afins, mas ele dá seus 2 centavos. Acho bacana.

Anônimo disse...

Hahaha eh bem assim mesmo!! Já ganhei altos itens e ateh pagaram conta prêmio pra mim!

Anônimo disse...

Se o amigo não quer trepar problema dele, ninguém é obrigado, agora não venha dar pitaco na minha foda que eu esculacho rapidinho.

E de novo, HOMENS se apropriando dos espaços femininos para fazerem o mundo girar em torno deles. E vocês deixam.

Anônimo disse...

Longe de querer fazer cagação de regra mas acho que as pessoas deveriam dar mais atenção ao assunto do post em vez de bater palmas pra macaco dançar. Só acho.

Anônimo disse...

É EXATAMENTE assim em qualquer espaço supostamente masculino, inclusive nos ecossistemas online. Homem vê mulher como invasora de seus mundos, não aceita dividir, assume que vai ter tomar certos comportamentos porque o ambiente não é mais tão de homem

(...)

E se alguma desgraça acontecer com essa mulher que entrou no bar, ninguém mandou ir lá se meter no meio de um monte de macho. E é exatamente assim que a questão é tratada online também.

Essas são as minhas impressões também. "No meu tempo", já que sou da geração Telejogo e Odissey e nunca parei de jogar desde então, mulher nem entrava em fliperama ou se jogasse, deixavam a máquina vazia a seu lado porque né, deus me livre perder pra uma menina. Hoje em dia o que se faz é uma hostilidade 100% direcionada ao gênero feminino, seja real ou a pessoa que se apresenta online como mulher. Se você não joga sem H7 aberto, não mete um nick neutro e não coloca sua foto associada a esse nick na internet, você não tem paz pra jogar. Nem em ambientes online homens e mulheres têm a mesma liberdade de ir e vir.

Anônimo disse...

Bom, bola pra frente então.

Lola, vc joga videogame? Só queria saber por curiosidade mesmo, e o que vc pensa a respeito.
Joguei apenas Assassin's Creed até o terceiro, Fallout 3 e New Vegas e Skyrim, que eu lembre. Mas gostava de ver amigos e meus namorados jogando outros games que eu achava que não conseguiria completar, tipo Metro 2033 e Dead Space.
E mesmo que eu não esteja mt inteirada da indústria gamer e já não tenha tempo pra jogar, dá pra perceber que é uma área bem machista de entretenimento.
E como já li comentários aqui, mt cara diz que adora guria gamer, mas só quando ela dão trela pra eles. Tem uma pá de video que eles compartilham de guria jogando pelada, e eles acham o máximo, pq o interessante é elas estarem nuas, não jogando :/

Bom domingo!

~ Camila raivosa fuzila (kkkkkkk)

Anônimo disse...

"Longe de querer fazer cagação de regra mas acho que as pessoas deveriam dar mais atenção ao assunto do post em vez de bater palmas pra macaco dançar. Só acho."

Concordo imensamente.

Anônimo disse...

Gente, o cara diferente não tá errado nem falou nenhum absurdo... O sexo sempre tem riscos de transmissão de doenças e infecções sim e a penetração do pênis na vagina é inerentemente degradante e humilhante para as mulheres sim. Por que vocês acham que os homens querem tanto penetrar as mulheres, muitas vezes contra a vontade delas, mas acham repugnante, humilhante e degradante a mera ideia de serem penetrados? Por que os homens são tão protegidos e se protegem tanto contra terem seus corpos penetrados, invadidos, violados, mas as mulheres são criadas para aceitar serem penetradas, para acreditar que isso é natural e se acomodar à invasão do seu corpo, acolher essa violação e até mesmo desejá-la apaixonadamente?

A penetração do pênis na vagina é fisicamente e psicologicamente prejudicial para as mulheres: causa inflamações dos tecidos da vagina, infecção urinária, lesões nas paredes internas da vagina, alteração da flora vaginal, corrimento alterado, candidíase, prurido, inflamação das veias, infecções do útero, hemorragias, dores de cabeça, ansiedade, etc; etc; etc. É literalmente uma invasão, um homem forçando o pênis dele contra suas partes mais íntimas, te penetrando várias vezes, repetidamente, frequentemente estando montado sobre você, te pressionando para baixo, se batendo contra o seu corpo com a força do corpo dele. E não há como eliminar completamente os riscos de gravidez da penetração pênis-vagina, e os métodos contraceptivos e de aborto também são inerentemente prejudiciais para as mulheres. Isso é completamente revoltante e violador! Não há nada de natural nessa prática brutal e desumana. A vagina não foi feita para ser penetrada por pênis, mas sim para ejetar um bebê no nascimento. São dois tecidos musculares pressionados um contra o outro para ajudar o bebê a ser empurrado para fora. A penetração do pênis na vagina é completamente desnecessária para a concepção.

Por favor, pesquisem mais a respeito dos fatos sobre a penetração pênis-vagina, de preferência de fontes feministas que digam exatamente como é a realidade dessa prática, que não neguem, nem minimizem ou relativizem seus impactos sobre os corpos e as mentes das mulheres, não desses sexólogos patriarcaicos que servem aos interesses falocráticos dos homens e querem mais é que as mulheres se fodam.

Anônimo disse...

Por que mais e mais mulheres, de idades mais e mais novas, são encorajadas por psiquiatras, médicos, conselheiros de orientação de casamento, a indústria pornográfica, o movimento de desenvolvimento, esquerdistas a serem mais e mais fodidas com maior frequência?

Porque a forma da opressão das mulheres sob a supremacia masculina está mudando. Assim que mais mulheres são capazes de ganhar um pouco mais de dinheiro e as pressões da reprodução são atenuadas, a manutenção de homens individuais e de homens como uma classe sobre as mulheres está sendo fortalecida através do controle sexual.

A penetração é um ato de grande significância simbólica pela qual o opressor entra no corpo do oprimido. Mas é mais do que um símbolo, sua função e efeito é a punição e o controle das mulheres. Não é só o estupro que serve a esta função, mas todo ato de penetração, mesmo aquilo que é eufemisticamente descrito como “fazer amor”.

Todas ouvimos os homens falando sobre uma mulher insolente: “o que ela precisa é de uma boa foda”. Esta não é uma observação inútil. Todo homem sabe que uma mulher fodida é uma mulher sob o controle dos homens, cujo corpo está aberto aos homens, uma muher que é domesticada e quebrada. Antes da revolução sexual não havia qualquer dúvida sobre a penetração ser para o benefício dos homens. A revolução sexual é um contro do vigário. Serve para dissimular a natureza opressiva da sexualidade masculina e somos ditas que a penetração é para nosso benefício também.

Todo ato de penetação para a mulher é uma invasão que mina sua confiança e esgota sua força. Para um homem é um ato de poder e domínio que o torna mais forte, não somente sobre uma mulher, mas sobre todas as mulheres. Então toda mulher que se engaja na penetração reforça o opressor e reinforça o poder de classe dos homens.

Anônimo disse...

" A penetração do pênis na vagina é completamente desnecessária para a concepção. "

Claro, porque até criarem a inseminação artificial a humanidade se reproduziu por brotamento.

Cão do Mato disse...

Eu gosto de jogar Pac Man direto na Internet... :)

Anônimo disse...

Por que "se foder", "vai se foder", "que você se foda", "você precisa é de uma foda, sua mal comida" são insultos tão terríveis? Isso não é a toa, e os homens sabem disso. Foder alguém é a pior coisa que você pode fazer para essa pessoa. É extremamente um ato fisicamente invasivo, muito frequentemente doloroso, comumente no começo antes da dor, pode ser cortada pelo excitamento genital; causa todos os tipos de lágrimas, contusões, inchaços, desconfortos, DSTs, infecções vaginais, infecções urinárias, verrugas genitais, HIV e morte. Sem esquecer as adicionais intervenções sado-ginecológicas/custos da manutenção-da-penetração do pênis na vagina, e toda a mutilação física secundária e custos financeiros que vêm com nosso dever de nos fazer mais decorativas para o consumo sexual masculino – como remoção de pelos, maquiagem, fome ou alimentação forçada, corte ou deformação torturante da pele, etc.

Há uma razão para os homens precisarem nos adestrar nisso, e por este adestramento levar tanto tempo – e porque é tão grosseiramente violador e traumatizante que nós devemos nunca nos submeter ao coito. A única razão agora para que não nos sintamos estupradas ou tendo a impressão de que desejamos ou iniciamos a penetração do pênis na vagina, é porque os homens quebraram nossas barreiras muito habilmente e progressivamente desde o nascimento, quebrando nossas defesas naturais para a dor e a invasão, nossa confiança em nossas próprias percepções e sensações de medo e desgosto que nos diz que a invasão sexual masculina é dolorosa, prejudicial e traumática.

Através de uma propaganda masculina penetrante e poderosa, eles enchem nossas mentes desde a infância com a ideia de que a penetração do pênis na vagina é normal, desejável e erótico, antes de podermos ao menos conceber isso como algo apavorante, e ter certeza que nós jamais veremos outra alternativa para a mentira deles – ou se vermos, nós não poderemos mais assimilar a informação, somos punidas por pensar ou dizer de outro modo.

lola aronovich disse...

OU: quando uma caixa de comentários lembra um hospício.

Anônimo disse...

Cuidado! Heterossexualidade pode prejudicar sua saúde!

(por Vanille Fraise – grupo de lésbicas políticas. Suiça, 1981)

Heterossexualidade é normal, é natural… ou pelo menos é o que dizem: vaginite crônica (inflamação dos tecidos da vagina), cistites, infecções no útero e nos trompas de Falópio, esterilidade, agravamento de casos de câncer, maior tendência a desenvolver varizes, sensação de peso nas pernas, inflamação das veias, embolismo pulmonar, hemiplegia (paralisia cerebral que deixa um dos lados do corpo paralisado), problemas de visão, problemas de audição, dores de cabeça, flatulência, ganho de peso, estrias…

Essas são algumas complicações do uso ‘realmente seguro’ de contraceptivos criados por homens pesquisadores para que tenham suas parceiras disponíveis a eles 30 dias de 30.

Por outro lado, há as complicações causadas pela gravidez indesejada: aborto e seus efeitos posteriores, (risco de infecção ou hemorragias…), ansiedade, vômito, nascimento prematuro, depressão pós-parto, etc. Também há complicações devido a sofrer várias gestações: anemia, desmineralização, enurese (micção involuntária), prolapsos (quando órgãos “caem”, “saem do lugar”. ex: prolapso uterino)… e também vale mencionar, há a vaginite, frigidez, e a psicologicamente sugadora menopausa.
Todas essas doenças são, em menor ou maior nível, consequências da heterossexualidade; todas são usadas para nos fazer acreditar que nós mulheres somos mais frágeis, mais frequentemente doentes. A prática de heterossexualidade, quase compulsória, serviu muito bem para a medicalização do corpo da mulher pelos homens médicos e pesquisadores.

O período entre os 20 e os 40 anos é o período primordial no qual as mulheres deveriam ficar o menos doente. No entanto, é durante esse mesmo período que as despesas médicas das mulheres aumentam. E a maioria dessas despesas é devido à heterossexualidade.
Você nunca pensou nisso? e ainda assim….

[Esse panfleto foi distribuído durante uma demonstração organizada dos partidos da esquerda para protestar contra os custos de saúde, que aconteceu em Geneva, na Suíça, no dia 9 de novembro de 1981. Foi reimpresso posteriormente em Clit 007]

Anônimo disse...

Instituição do coito compulsório e a acusação de puritanismo por parte de liberais sexuais que são a versão atualizada dessa instituição

Os homens atacam feministas há décadas com a idéia de puritanismo, desde a revolução sexual que foi o inicio do backlash contra os direitos das mulheres, com essa história de que somos puritanas. A instituição da sexualidade é uma forma de regularizar o acesso masculino aos corpos das mulheres, logo eles tentaram fazer essa confusão entre feminismo e erotização da heterossexualidade que começou com a sexologia no começo do século 20, com psicanálise, etc, na verdade começou na Grécia mesmo quando se considerava a ‘histeria’ a perturbação do útero, a ser curada com sêmen masculino, o pênis e o coito é usado há séculos como forma de adestramento das mulheres, o discurso do orgasmo na relação sexual foi um backlash contra a liberdade das mulheres que começou a ser criado e propagandeado como ‘saúde’ para manter as mulheres nos casamentos e relacionamentos heterossexuais quando passaram a se libertar e trabalhar, ser autônomas, surgiu paralelamente o discurso da ‘lésbica’, qualquer mulher que não estivesse em relação com um homem passou de ‘celibatária’ a ser considerada ‘lésbica’, aí surge o discurso do puritanismo sexual, da frigidez… foi uma forma de controle social sobre mulheres por parte de um poder médico supremacista masculino, se mulher não goza com degradação masculina ela é frígida, a frigidez, a histeria, sempre foi um ato de desobediência civil das mulheres, de resistência a opressão, de não colaboração mesmo que inconsciente. Quando chamam uma mulher de puritana é porque nossa resistência a heterossexualidade compulsória é punida e ridicularizada. E a gente precisa como tarefa feminista partir de nossos próprios valores mulher-identificados, e deixar de adotar o ponto de vista dos agressores que nos colonizou. Logo, não devemos recuar quando nos acusam de moralistas ao problematizar a sexualidade construída sob condições patriarcais.

Raven Deschain disse...

Lola for fox sake! Oo

Tá ficando ridículo.

Anônimo disse...

Lolinha, acho que meu comnt não sai via celular, mas vamos lá: sou da geração que cresceu com o Odissey e sempre colecionei vgs. Acho o máximo, sempre gostei e uma das intenções do mestrado que faço foi por conta disso. Agora, saber quer tem moleque achando que vgs não pode ser um espaço misto, é uó. Não sei se é por conta da indústria atual que parece fazer games on demand - tanto por conta de dificuldade quanto por conta de gráficos, mas acho que esse povo precisava era pensar e estudar um pouco mais.

Anônimo disse...

Ainda é preciso dizer que o sexo que casais héteros fazem "na vida real" é sim influenciado na grande maioria das vezes pela pornografia?

E mulheres reais não estão sendo fodidas na pornografia?

O mundo não é esse mar de rosas que a Lola finge acreditar que existe, dizendo que os homens não querem humilhar e subjugar as mulheres. Que os homens não usam sexo para dominar as mulheres, jamais! Que os homens não fodem as mulheres para degradá-las... que é isso, nunquinha! Eles não fazem isso, são incapazes de fazer algo tão ruim assim. São carneirinhos fofinhos que não machucariam uma mosca!

Que feminista desonesta e irresponsável você é, Dona Lola, pintando o sexo hétero como algo maravilhoso, sem perigos, nem riscos, nenhum prejuízo para as mulheres, imagina! É tudo pura diversão e prazer. Quem não gosta disso é gente louca, moralista e/ou tá com recalque...

Mulheres que apoiam a instituição do sexo heterossexual são apologistas da cultura do estupro, da forma mais básica de misoginia e nem percebem, parece. Os homens eu sei que querem mais é foder as mulheres mesmo, porque isso os beneficia.

lola aronovich disse...

Pois é, Raven. "Tá ficando ridículo", não! Já ficou faz tempo. Primeiro vem um mascu trollar o post (o velho e famoso DERAILING, ou desvirtuando um post), agora vem feminista radical deixar textão que representa a opinião dela e talvez de mais meia dúzia (apesar de haver teoria publicada sobre isso que, pra mim, é asneira completa).

Daniel disse...

Na boa, eu sei que é falta de respeito levantar suspeita com outras pessoas, peço desculpas se isto ofender alguém mas vou ser sincero. Estes "manifestos contra a penetração", parecem ser escritos por mascus querendo ironizar.

Mas só pra não desvirtuar mais ainda do post... A respeito da indústria dos gamers, eu noto que em jogos onde o público é mais imaturo, como cod, o pessoal tem um preconceito bem maior com mulher, que no ArmA 3, que é um jogo bem maduro e realista. Com uma física perfeita.

Anônimo disse...

Como homem, eu sempre preferi jogar online com personagens femininos, por achar o "design" mais bonito e pelas possíveis vantagens que isso me traria. Nunca senti essa opressão toda na minha pele feminina, pelo contrário. Alguns nerdões me davam itens, ganhei ajuda pra subir de nível e evoluir no jogo e tal. O máximo que senti foi uma certa zombaria do tipo: "ah, até que você joga bem, pra uma garota", mas nada além. Já recebi até proposta de namoro, a vida desses caras deve ser muito solitária mesmo. Claro que minha experiencia nao é a regra geral, just my 2 cents.

Ingrid Bezerra disse...

26 de abril de 2015 14:00 -> Que isso meu Deus!!! O blog da Lola atrai um povo muito louco.

SOBRE GAMES:

Sou leiga nessa área, mas lendo os comentários eu acabei de me lembrar de um cara que eu conhecia que era fanático por esses jogos online. Eu não lembro o nome dos jogos que ele jogava, mas eu lembro que ele gostava de usar um Char (não sei se é assim que se chama o personagem) de mulher semi nua (usava acho que só uma ínfima roupa íntima) e ele mesmo ficava deslumbrado com a gostosura da personagem e tal. E tipo, eu achava estranho porque esse mesmo cara curtia fazer isso mas detestava e tinha pavor de ver mulheres com roupas curtas/sensuais/calças leggin na rua, no dia a dia dele. Ele achava uma tremenda putice. Eu achava isso machista e incoerente pra chuchu.

Ele passava as férias inteira jogando, tipo, sem fazer qualquer outra coisa. Isso fez inclusive que eu tivesse uma certa aversão aos jogos. Tenho medo de vícios :)

Raven Deschain disse...

Tudo burrice.

Espero meses vc postar sobre o gamergate e quando posta, aparece esse bando de pega-ninguém pra encher!

Deixando claro que não desrespeito os assexuados. Esses manés que tão enchendo aqui não são assexuados. São só chatos.

lola aronovich disse...

Minha paciência com o feminismo radical está abaixo de zero nesses últimos dias. Não tenho a menor intenção de entrar em debate com uma radfem que não tem nem coragem de deixar aqui seu nome, mas acha certinho me chamar de desonesta.
Há homens sim, muitos, que subjugam e humilham as mulheres e usam o sexo para fazer isso. Meu blog fala disso com certa frequência. Agora, achar que TODOS os homens fazem isso, ou que sexo é uma arma que homens usam para subjugar as mulheres -- como se mulheres heterossexuais não gostassem de fazer sexo com homens --, ou que as mulheres que, hum, "defendem" o sexo hétero são apologistas de estupro, é coisa de maluca. E o que vc diz está longe de ser unanimidade dentro do próprio feminismo radical. Realmente não é uma corrente do feminismo que tem potencial para contemplar muitas mulheres. Será sempre um nicho que exclui mulheres (desta vez não apenas as mulheres trans, mas agora as mulheres cis hétero!).

Anônimo disse...

Qual a solução então? Todas devemos virar lésbicas?

Anônimo disse...

Anos das 14:18 que disse isso:

Por que "se foder", "vai se foder", "que você se foda", "você precisa é de uma foda, sua mal comida" são insultos tão terríveis? Isso não é a toa, e os homens sabem disso. Foder alguém é a pior coisa que você pode fazer para essa pessoa.

Infelizmente isso que vc falou confere sim e eu não consigo contestar. Meu namorado é um anjo na minha vida, a gente se ama. Mas quando a gente está transando, e ele me come de 4, eu consigo ver nos olhos deles uma faísca de dominação. E nos olhos de outros caras pra quem eu já dei tbm. Racionalmente, o cara pode me respeitar e me tratar de igual pra igual. Mas instintivamente, eu sou uma fêmea que está sendo fodida -> dominada. Ponto.

Anônimo disse...

Tem mulheres aqui precisando achar ômis melhores, pq nossa... acho que algumas feministas só transaram com neandertais das cavernas.

Thomas disse...

"Querem de fato saber porque não faço sexo?

porque não sou capaz de fazer isso. sexo é humilhante pra mulher, não consigo ver de outro jeito. não sou capaz de achar certo uma mulher se submeter a mim pra isso, como os outros homens acham certo e um absurdo se elas não o fazem."

OUUUUUUUWWWNNNNN QUE FOFO! *_____* Um verdadeiro defensor das mulheres! Mas cara, já que você é tão bonzinho e preocupado com o bem estar das mulheres, me sinto no direito de fazer uma sugestão pra melhorar seu ativismo. Pule de uma ponte, corte seus pulsos, dê um tiro na testa, se jogue na frente de um ônibus, se enforque ou utilize as milhares de outras maneiras possíveis pra se matar, pois como homem você é um opressor, um símbolo do patriarcado. Sua mera existência nessa sociedade serve para lembrar todas as mulheres de qual é o gênero dominante, a quem elas devem se submeter. Nenhuma interação que você tem com uma mulher é justa, pois instintivamente ela sabe que você é mais forte e poderia matá-la com suas próprias mãos, então ela é obrigada a se submeter para que você não decida fazer isso.

Vamos lá, cara. Fale menos e faça mais. Palavras num blog não significam nada, suas ações sim. Siga meu exemplo. Eu adoro fazer sexo, o fato de ser o dominante na cama com uma mulher me excita absurdamente. Ao invés de ficar só jogando palavras vazias num blog, toda semana eu vou e faço o que o Universo me botou nesse planeta pra fazer: dominar uma mulher na cama e atingir com ela o segundo maior prazer físico que um ser humano pode ter (ficar chapado de heroína é o primeiro).

Ingrid Bezerra disse...

Os meus primos quando eram pré adolescentes gostavam de jogar uns jogos que MEU DEUS DO CÉU! Tinha prostitutas, safadeza e um clima meio machista... Tipo, não é moralismo, mas eu acho que isso faz mal pra cabeça dos moleques. Sei lá.

Deve haver sim crítica em cima dos jogos, essa indústria que está crescendo cada vez mais. Tanto quanto há em filmes, se não vira terra de ninguém. Crédo, eu não gostaria de jogar um jogo nazista, mesmo sem saber, saca?!

E eu imagino o quanto deve ser horrível para a mulherada que curte jogos esse lance de homens hostilizando e segregando. Só senti isso na pele com força quando era criança, moleques reunidos, eu me aproximo e eles começam assuntos pesados de sexo (machista) e tal até eu cair fora.

Um Cara Diferente disse...

só queria esclarecer algo aqui:

1 - esses comentários anônimos gigantescos falando de Grécia e tal não são meus, não deixo anônimo, só comento com esse nome.

2 - Lola, não sou masculista. mas não tenho como te provar isto. se comentei algo foi em 2011 e nunca mais (até ontem). todos só focaram nas palavras que deixei claro que usei apenas pra impactar.

3 - agora virei viciado em pornô? como vocês julgam e alegam não julgar. sim, o que descrevi ocorre mais ou só em pornô, isso me torna automaticamente viciado? vocês nunca viram um pornô na vida?

4 - só por ser "cena de pornô" NUNCA, JAMAIS na vida real um "homem comum" gozou na cara da mulher. sério?

5 - Lola, como feminista esperava uma postura diferente, me tachar de masculista, defender os verdadeiros misóginos e atacar um virgem que nunca fez mal a mulheres realmente me surpreendeu.

6 - Thomas, vá se fuder, você é homem e não vale merda nenhuma, a prova disso é se sentir "machão" zoando um virgem. patético.

7 - de insignificante passei a "manipulador". sério? UM cara virgem é humilhando por TODAS as mulheres aqui, e vê as próprias defendendo seus "agressores" é de foder. o que fiz foi dar um conselho, CHUTEM OS HOMENS DA VIDA DE VOCES. não se deixem usar.
mas vocês querem isso, foda-se.

Um Cara Diferente disse...

só mais algumas considerações.

8 - Thomas, você já foi muito humilhado aqui e agora quer puxar saco pra fingir ser bonzinho, essa é boa, fode a vida duma mulher e acha que faz mais do que eu. é doente?

9 - Raven, de novo (virgem, pega-ninguém) não, você não considera virgem fracassado e exalta os verdadeiros misóginos, não. você me conhece? como sabe que não sou mesmo virgem?

10 - vocês tem síndrome de Estocolmo, já se apegaram aos seus agressores, ao me ver dizendo pra se livrarem deles, vocês reagiram dessa maneira.

Daniel disse...

Ri de mais com o comentário do Thomas.

É impressionante como uma hora, você é arrogante a ponto de querer determinar o que é ou não violência e opressão pra mulher, outra hora se coloca como inferior... Partindo da sua falsa presunção de que sexo é humilhante pra mulher. Com seus page views e clicks em sites pornos, você não acaba ajudando a financiar o mesmo? Eu não vejo pornografia, não por puritanismo ou algo do tipo, mas sim, porque é artificial de mais.
-
A impressão que eu tenho, é que você tem medo de mulher. Isto explica sua timidez e na boa. Procure ajuda profissional. Por um lado, você tem um pensamento que idealiza as mulheres, por outro, tem um pensamento tão machista, que sequer pensa que a mulher pode estar usando o homem e sequer pensa que existe uma relação onde ambos ganham.

Mas em fim, tentando voltar ao gamergate, o que acham das mulheres que ganham $ profissionalmente com jogos sejam acusadas de fazer o teste do sofá? E por que criticaram tanto a Zoe e ninguém criticou os repórteres?

Anônimo disse...

Pensando assim faz sentido que o clitóris seja externo a vagina. Não precisamos ser fodidas pra gozar.

Raven Deschain disse...

Porque vc falou, caralho.

Tenho cara de retardada?

E de novo, vai se foder. Ninguém te aguenta mais.

Anônimo disse...

“O prazer sexual da mulher não depende da presença de um pênis na vagina; nem o de um homem. Portanto, precisamos perguntar por que essa introdução continua sendo, talvez mais que nunca, descrita como normal, ou relação sexual completa.” (Germaine Greer, A Mulher Inteira)

lola aronovich disse...

É trollagem, Raven. Nem responda. O cidadão gasta 150 comentários dizendo que é virgem. Aí, quando vc diz que ele é virgem, ele refuta: "Como você sabe que eu sou virgem?" (ou "como vc sabe que não sou mesmo virgem?", como ele escreveu). Tanto faz: é trollagem. Isso tem nome, é derailing. E vamos admitir que ele foi muito bem sucedido no seu propósito.
Vou publicar um outro post do I. sobre gamergate e espero que então possamos realmente discutir o assunto.

Um Cara Diferente disse...

Anônimo 12:01

nossa, que engraçado.

1 - meu 1° comentário está lá no post da filha virgem, leia e entenderás o resto.

2 - era Ingrid e não Beatriz, leia direito se quer ser prepotente.

3 - claro, eu duvidar de um nome feminino na internet é misoginia, vocês não sabem mais o que é real ou não. não existia NENHUMA possibilidade de ser um homem me zoando? olha o jeito que ela falou, na hora pensei que era troll, é crime?

Anônimo disse...

Escutem a Sheilinha, pessoal, ela saca muito, sabe muito das coisas:

“A heterossexualidade precisa ser analisada como um sistema político que é tão influente quanto o capitalismo e o sistema de castas. No sistema de castas da heterossexualidade mulheres são limitadas ao papel de servir homens sexualmente e em outras formas de trabalho. O trabalho é extraído através da posição de subordinação das mulheres na "família" e justificado pelo amor romântico ou por expectativas culturais.” (Sheila Jeffreys)

Thomas disse...

Eu faço mais que você pois pratico aquilo em que acredito. Você não. Se você estivesse realmente preocupado com a submissão feminina, você se mataria. Seria a única forma de agir corretamente, segundo a sua ética.

Fato é que a sua assexualidade é fruto de trauma. Isso fica claro pela maneira como você age, o tom dos seus posts. A sua maneira de racionalizar e lidar com o próprio trauma foi tentando transformar esse seu comportamento bizarro em algo altruísta e moralmente superior, quando na verdade isso é fruto de suas próprias falhas como homem e possíveis violências que tenha sofrido na infância ou adolescência.

Obviamente a maioria dos assexuais não é como você. Eles simplesmente não se interessam sobre sexo. Você é agressivo, sente raiva da prática sexual. Recomendo que saia do blog e procure ajuda psiquiátrica. Transtornos psicológicos sexuais são perigosos e podem evoluir para violência. Temos vários exemplos disso. O assassino de crianças de Realengo era um frustrado sexual, temos o Elliot Rogers, os assassinos de Columbine, o atirador coreano que matou 30 numa universidade americana. Enfim, os exemplos são muitos.

Por favor, se trate. Pelo bem da sociedade. Mas se caso o tratamento não funcionar, por favor não desconte suas frustrações em outras pessoas. Simplesmente pule de um prédio e, enquanto estiver em queda livre, grite "ESSA É PRA VOCÊS IRMÃS RADFEMS".

Anônimo disse...

Desde os anos 60, sexólogos, libertários sexuais e empresários da indústria do sexo procuraram discutir o sexo como se fosse completamente dissociado da violência sexual e não tivesse nenhuma relação com a opressão de mulheres. Enquanto isso, teóricas feministas e ativistas anti-violência aprenderam a analisar o sexo politicamente. Nós vimos que o domínio masculino sobre os corpos de mulheres, sexualmente e reprodutivamente, provê a base da supremacia masculina, e que a opressão na sexualidade e através dela diferencia a opressão de mulheres da de outros grupos.

Se nós temos alguma chance de libertar as mulheres do medo e da realidade do abuso sexual, a discussão feminista da sexualidade deve incorporar tudo que sabemos sobre violência sexual ao que pensamos sobre sexo. Mas atualmente conferências feministas oferecem workshops separados, em locais diferentes, de como aumentar o “prazer” sexual e de como sobreviver à violência sexual – como se esses fenômenos fossem isolados. Mulheres que se intitulam feministas agora afirmam que a prostituição pode ser benéfica às mulheres, para expressar sua “sexualidade” e fazer escolhas de vida empoderadoras. Outras promovem às mulheres práticas e produtos da indústria do sexo com fins lucrativos, na forma de striptease lésbico e parafernália de sadomasoquismo. Existem agora setores inteiros de comunidades femininas, lésbicas e gays onde qualquer análise crítica de práticas sexuais é vista como um sacrilégio, estigmatizada como “conservadorismo”. A liberdade é representada como a conquista de orgasmos mais intensos e melhores por qualquer meio possível, incluindo “leilões sexuais”, prostituição de mulheres e homens, e danificação física permanente como branding. Formas tradicionais de sexualidade supremacista masculina baseadas na dominação e submissão e a exploração e objetificação da classe escravizada de mulheres estão sendo celebradas por suas possibilidades excitantes e “transgressoras”. (Sheila Jeffreys, Como as Políticas do Orgasmo Sequestraram o Movimento Feminista)

Um Cara Diferente disse...

Lola e Raven;

ela (Raven) disse que os caras aqui não eram virgens mesmo. eu simplesmente perguntei como ela tinha certeza que EU não era?

troll, Lola? NAO EXISTE a possibilidade de eu existir assim? que legal, você acolhe e defende as pessoas mas comigo é assim?

então eu não faço o que digo?
que legal, então todos esses anos dessa agonia, dessa maldita vontade gritante não existiram?

o sofrimento da rejeição, da qual superei ou quase, e depois aprendi por minha conta que não era certo isso. e o ato de me aliviar sozinho por não julgar certo fazer isso a mulher?

existem 200 milhões de pessoas só aqui no Brasil, Lola. nem todas são iguais.

não queria aplausos nem nada do que disseram, já vi varias vezes alguém "se abrir" aqui e acaba por desvirtuar o assunto do post e não foi tratada assim.

Logo você, que recebe tantos e-mails de pessoas das qual você apoia, esperava mais de você.

então tudo é falso? os comentários "ombro amigo" em vários posts é falso?

claro que não, é só comigo.

depois o Daniel diz que é vitimismo meu.

esperava mais de você, Lola.

Anônimo disse...

"A vida pode ser melhor para as mulheres - condições econômicas políticas melhoradas - e ao mesmo tempo a posição social das mulheres pode permanecer imune, de fato impenetrável, à mudança: até agora na história esse é precisamente o paradigma para mudança social tal como ela se relaciona à condição das mulheres.

Reformas são feitas, reformas importantes; mas a posição social das mulheres relativa aos homens não muda. Mulheres ainda são menos significantes, têm menos privacidade, menos integridade, menos auto-determinação. Isso significa que as mulheres têm menos liberdade. (...) Um pouco mais disso não é o suficiente também. Ter menos, ser menos, empobrecidas em liberdade e direitos, as mulheres têm então inevitavelmente menos auto-respeito: menos auto-respeito do que os homens têm e menos auto-respeito do que qualquer ser humano necessita para viver uma vida corajosa e honesta."

"Enquanto os homens desejarem as mulheres para o intercurso, e as mulheres sejam usadas como objetos sexuais, independentemente das leis e outras reformas públicas, o status real das mulheres será rebaixado, degradado." (Andrea Dworkin, Intercurso.)

Thomas disse...

"Existem agora setores inteiros de comunidades femininas, lésbicas e gays onde qualquer análise crítica de práticas sexuais é vista como um sacrilégio, estigmatizada como “conservadorismo”."

Esses setores estão completamente corretos. Os argumentos que as feministas radicais usam para criticar o sexo heterossexual são basicamente os mesmos argumentos que conservadores religiosos usaram para limitar a liberdade sexual das pessoas. Relacionar masturbação com todo tipo de problemas físicos e "pecado", reprimir a sexualidade feminina de todas as formas possíveis sob um argumento de proteger as pessoas da "degeneração". É a mesma coisa, só com uma maquiagem diferente por cima.

Em todo movimento de esquerda que se populariza, cedo ou tarde conservadores vão tentar infiltrar suas ideias na ideologia. Outro dia eu vi um vídeo da TED em que um cara, obviamente sem base científica nenhuma, relacionava o consumo de pornografia com problemas psicológicos. Pura baboseira.

O que todo conservador busca não é só controlar as posições políticas de uma pessoa. Isso não é suficiente. O objetivo é controlar todos os aspectos da vida dessa pessoa, pra deixar a sociedade homogênea. Isso inclui, entre muitas outras coisas, controlar a sexualidade dos indivíduos.

Toda vez que uma ideologia começar a cagar regra sobre como deveria ser a sexualidade humana fuja, ignore, isole as pessoas que difundem essas ideias. Elas só querem te controlar.

Ingrid Bezerra disse...

Um Cara Diferente

"3 - claro, eu duvidar de um nome feminino na internet é misoginia, vocês não sabem mais o que é real ou não. não existia NENHUMA possibilidade de ser um homem me zoando? olha o jeito que ela falou, na hora pensei que era troll, é crime?"

Eu acabei de dar uma boa olhada na minha xota, e constei que sou mulher sim. E que xota heim!!! ahahaha!!!

É porque para você é anormal uma mulher falar putaria? Falar em detalhes o que rola em seu próprio corpo?! Eu falo coisa pior, apenas não disse para não ficar pesado.

Pode clicar aí no link para ver que sou mulher.

Raven Deschain disse...

Virei fã eterna da Ingrid. É nóis!

Um Cara Diferente disse...

me desculpe Ingrid. admiti o erro, não duvidei de "você" como pessoa, e sim no momento achei que poderia ser um homem tirando uma com a minha cara.

agora vi que és mulher mesmo, e bonita por sinal.

não é isso, de "anormal".

eu sou virgem mesmo, nunca vi mulher falando assim. não tenho contato algum com mulher. e depois de ontem / hoje nunca terei.

não sei o que fazer da vida, sufoquei minhas vontades durante anos por razões que julgava como corretas e hoje não sei mais o que fazer.

realmente estou mais perdido do que estava. peço desculpas a você e as outras mulheres (homens não).

não sou troll como a Lola disse, sou só um cara que decidiu agir conforme a própria cabeça procurando uma "razão" e acabou se perdendo totalmente.

Camila Dias disse...

O Cara Diferente ainda aqui? '-'

Bom, eu tenho uma pergunta. O que aconteceria se uma mulher chegasse pra ti e quisesse fazer sexo? Tipo, numa boa, depois que rolasse uma amizade, sei lá - se partisse dela a vontade de fazer. Tu ia recusar baseado nesse argumento de que é humilhante pra ela se render ao ato sexual?
Sobre ser assexual, que eu saiba uma pessoa assim não sente desejo sexual nem se masturba, ou seja...
Mas posso estar errada. Explica aí, tu que entende das parada.

~ Camila

Anônimo disse...

Desde o começo dos anos 70, teóricas feministas e pesquisadoras têm revelado a extensão da violência sexual e de como a vivência e o medo dela castram as vidas e oportunidades das mulheres. O abuso sexual infantil diminui a habilidade de mulheres de desenvolver relações fortes e afetuosas com seus corpos e com outras pessoas, e criar confiança para enfrentar o mundo. O estupro na idade adulta, incluindo estupro no casamento e namoro, produz efeitos semelhantes. Assédio sexual, voyeurismo, exposições e perseguições diminuem as oportunidades igualitárias das mulheres na educação, no trabalho, em suas casas, nas ruas. Mulheres que foram usadas na indústria do sexo desenvolvem técnicas de dissociação para sobreviver, uma experiência compartilhada por vítimas de incesto, e lidam com danos à sua sexualidade e relacionamentos. A consciência da ameaça suprema obscurecendo as vidas das mulheres, a possibilidade do assassinato sexual, nos é exposta regularmente através de manchetes de jornais sobre as mortes de mulheres.

Os efeitos cumulativos de tais violências geram o medo que faz com que as mulheres limitem aonde elas vão e o que fazem, ter o cuidado de olhar para o banco de trás do carro, trancar portas, usar roupas “seguras”, fechar cortinas. Como mostram estudos feministas como o de Elizabeth Stanko em Everyday Violence (1990), mulheres têm consciência da ameaça de violência masculina e modificam suas vidas por conta desse medo, mesmo que elas não tenham vivenciado um assédio mais grave. Em contraste com essa realidade cotidiana das vidas das mulheres, a noção de que um orgasmo “em qualquer circunstância” poderia aniquilar esse medo e vulnerabilidade reafirmada é talvez a falácia mais cruel do pseudofeminismo. (Sheila Jeffreys, Como as Políticas do Orgasmo Sequestraram o Movimento Feminista)

Um Cara Diferente disse...

Camila, mesmo não bebendo as vezes ajo como bêbado e tento consertar se possível.
desculpe por ontem.

não és a primeira a perguntar isso.

eu realmente não sei. acredito que seria isso sim. é a única coisa que consigo pensar, essa "filosofia" de vida já tomou totalmente minha cabeça e sinceramente não sei.

o máximo que poderia pensar é:

"bom, ela faria com outro. porque não? mas mesmo assim não torna certo, só porque outros homens são capazes de fazer isso com ela não torna certo eu fazer".

é isso.

acredito que essa filosofia barata que tenho já seria um impasse pra existir a amizade por ti mencionada.

eu não assexuado, eu reprimo minhas vontades e as "mato" sozinho, é diferente. faço pelas razoes que já mencionei.

realmente não sei mais o que fazer.......

Anônimo disse...

Anon das 15:38 na verdade, essa "linguinha" que fica pra fora mede de 2 a 3 cm e é só uma parte do clitóris. O clitóris chega a 9 cm e a maior parte dele fica escondida na cavidade abdominal, inclusive o começo (onde fica o ponto G) da vagina é revestido de tecido clitoridiano. Claro que penetração não é indispensável pra mulher ter orgasmo, mas o clitóris é bem maior do que geral imagina.


Lola, não seria uma boa apagar os comentários dessa radfem (ou mascu se passando por mulher, sei lá) que só estão desvirtuando o debate e poluindo visualmente o blog? Já que ficou estabelecido q esse debate sobre sexo é só uma mega trollagem?

Anônimo disse...

Aposto 1 bola de Häagen-Dazs que esse cara diferente é troll antigo do blog, e daqui a pouco vai sumir e desviar o assunto de outro post com um nick diferente. Eles sempre reiniciam o ciclo.

Um Cara Diferente disse...

Anônimo 17:27

já disse que não sou, dou minha palavra.

minha intenção foi apenas levantar uma visão diferente de sexo e relações homem-mulher.

sumir? talvez não volte daqui um tempo, depois de tudo isso.

conheço o blog desde 2011 e acho fiz 1/2 comentários até ontem.

não tenho como provar, é só minha palavra.

já li relatos e comentários de pessoas de todos os tipos aqui, porque eu NÂO posso ser uma?
eu TENHO que ser troll.

já disse que os comentários anônimos gigantescos não são meus.
acredito até que seja alguém tirando com a minha cara.

sim, tenho receio que daqui meses apareça alguém aqui xingando alguém e dizer que sou "eu" (Um Cara Diferente).

não farei isso. apenas quis mostrar minha visão as pessoas e deu tudo errado.

Camila Dias disse...

Tudo bem, Cara Diferente. Só tenta não ser agressivo com as pessoas assim do nada, porque eu acho que ngm foi contigo. Sempre tem alguém de zoeira, mas não precisa ficar na defensiva.
Tua decisão é essa então, de reprimir tuas vontades sexuais. Beleza. Se tu acha que tá fazendo o certo assim, segue em frente.
Só não é legal generalizar as mulheres, como se todas sofressem de complexo de Estocolmo, pq não é assim, ainda que tenha muita gente que pensa.
É como a Lola já disse aqui, não é necessário um pênis pra estuprar. Eu fui vítima disso na infância por meu genitor, e quando ele foi a julgamento, o abuso que sofri foi qualificado como estupro mesmo não havendo intercurso sexual.
Eu poderia odiar todos os homens pelo que passei, mas sei que nem todos são assim. Só que entendo por que tem mulheres que odeiam (e homens tb), pq não é fácil superar o trauma de um estupro ou um medo patológico de sofrer estupro.
A mente humana é bem complexa.
Mas fica tranquilo, leia mais sobre o assunto, de várias fontes diferentes. Analise todos os ângulos e reflita bastante antes de tirar conclusões.
Acho que dá pra conversar legal sem desentendimentos, tipo agora :)

Camila Dias disse...

E sobre acharem que tu é um troll, não culpe ninguém. Chove esse tipo de gente nos comentários, que gostam de fazer o circo pegar fogo e desvirtuar o debate.
Pra não ser confundido com um, apenas não faça isso. Exponha seu ponto de vista sem atacar ninguém de graça.
Tu vai ver que assim teu círculo social vai mudar e poderá tirar muito proveito dos debates, aprendendo e acrescentando algo a medida que tu for trabalhando isso.
^^

~ Camila

Um Cara Diferente disse...

Camila.

minha vida não é fácil, nada justifica a agressividade que tive ontem, mas é realmente difícil.

espero não te chatear e sei que "não perguntasses nada", mas contarei um pouco da vida, pra provar que não sou troll.

o mais me fere é a ironia cruel da vida, não sou assexual no sentido de não sentir, mas sim como um controle por não julgar certo.

minha libido se desenvolveu muito precocemente, conhecesses algum menino de 6 se masturbar?

eu sentia algo diferente, sabia que era algo "estranho".

ainda tenho fetiche por pés, o qual só piora as coisas.

imagine uma criança ter uma excitação por pés e sequer saber o que é e porque?

durante a puberdade lidei com rejeição total, de todas.

a época, apesar da dor me conformava, entendia que assim como nem todos são ricos, nem todos são atraentes pras mulheres.

eu entendia que assim como eu tinha minhas capacidades, e era elogiado por isso, eles (os atraentes) tinham a sua.

tinha um vizinho feio pra cacete
todos zoavam ele), e ele namorava uma menina linda.

isso eu já tinha uns 15/16 anos, e já entendia que era subjetivo e que "só porque ele tem" não significa que eu mereça ter.

não sou viciado em pornô, como disseram, mas não nego que vejo, uso pra "aliviar" mais rápido.

cheguei a ficar meses sem sequer uma ereção ou masturbação.

as vezes, meio que a vontade morre sozinha.

há pouco tempo, mais recentemente, passei a "compreender" que, mesmo sem querer fiz algo certo na vida.

não usei nenhuma mulher pra saciar aquilo que sentia. mas assim como ontem, entrava em colapso pois não entendia porque elas se submetiam a eles.

uma parte eu entedia, comigo não fazem pois não mereço. ok.

mas porque com os outros?

passei a procurar razoes lógicas, desenvolvi essas "teses" furadas que apresentei ontem e me auto-convenci.

e agora? como homem eu me via diferente dos outros e vi uma chance de tentar "salva-las" dos homens.

depois de ontem e hoje, vi que joguei minha vida fora. foi um tiro na cara.

e novamente um colapso:

- se esse pensamento é machista / misógino, se eu tivesse agido a vida toda como os outros, não ter "pena" de "usar" vocês pra saciar minha vontade, eu não seria tão misógino quanto eles?

não soube entender e me remeti novamente ao "os outros sim, eu não".

a única coisa que fui capaz de entender pro resto da minha patética vida é, no fim, algo que já sabia.

"não importa o que ou como, se for eu o sujeito, estarei errado, e não mereço o que os outros merecem".

Anônimo disse...

Um cara diferente, menos, amigo. Menos, bem menos...

Nem tudo é sobre você, sabe? E tá bem evidente que você tá insistindo demais e tentando fazer o que pode pra essa caixa de comentários aqui ser sobre você. Bem típico. Tem nada de "diferente" nesse seu comportamento, se é que me entende.

Quando você compreender que o universo não gira em torno do seu umbigo e que ninguém, ninguém mesmo, tem obrigação de responder tuas questões ou resolver teus problemas, metade dos teus problemas vão estar praticamente resolvidos. O resto é com você mesmo e vem com o tempo e a maturidade. Boa sorte e sucesso na sua vida! Abraços.

Anônimo disse...

Procure um psicólogo, urgente. Você precisa de ajuda profissional, não de comentários anônimos na internet que vão te deprimir mais ainda. E não desanime se o primeiro psicólogo for uma bosta e não te entender, isso é muito comum, vc tem que ir tentando até achar o que mais te agrade. Seu caso é um tanto peculiar, se não der certo com o primeiro pode ser porque ele não estava preparado pra receber um paciente assim, mas não saia generalizando os psicológos. Eu precisei tentar com 3 diferentes até encontrar a que me curou desses problemas de relacionamento humano.

Anônimo disse...

Você já tentou entrar em contato com grupos de assexuais ou outros grupos de pessoas que não curtem sexo e/ou não querem fazer sexo? Pode ser de grande ajuda conhecer outras pessoas que passam por situações parecidas com as suas ou que tenham pensamentos semelhantes/encarem questões de forma parecida :)

Um Cara Diferente disse...

estes anônimos de cima são trolls.

me ponho como um lixo humano do qual qualquer contanto com alguém é humilhante pra pessoa e sou arrogante?

não quero nada do que você tá dizendo, não sou o primeiro e não serei o ultimo a perguntar algo aqui, a buscar alguma resposta dos outros.

qual o problema de ser na internet? já falei com pessoas "reais" na "vida real" e deu no mesmo.

me desculpe se falar de mim, como já vi acontecer aqui com outros é tão horrível pra você.

lola aronovich disse...

Bom, um Cara Diferente,
considerando que talvez vc não seja troll (mas estava muito agressivo ontem e desvirtuou o tópico legal), vou te dar umas dicas. Não sei se são válidas. Primeiro, pare de se achar especial, único. Apague todas as besteiras (as "teses" que vc chama) da sua cabeça, e comece de novo. Pare de querer salvar as mulheres (a gente se salva sozinha, obrigada) ou de determinar o que elas pensam ou gostam. "Mulheres" não é um bloco homogêneo. Há literalmente bilhões de mulheres com opiniões, vivências e gostos diferentes. E vc viu nesta caixa maluca de comentários que "feministas" também não é um bloco. Uma (ou várias? Ou vários? Não dá pra saber, é anônimo) anônima deixou vários textões com ideias do feminismo radical e que, pelo o que ela mesma disse, se assemelham com as suas. Eu não seguiria essas ideias se fosse vc.
Vc sempre pode recomeçar. Então livre-se desses pensamentos de que, se vc transar com uma mulher, estará "usando ela". Mas não faça de transar o seu foco. Veja as mulheres, antes de tudo, como seres humanos. Aproxime-se de mulheres, fale com elas, ouça o que elas têm a dizer, faça amizade. Talvez uma dessas amizades se torne um namoro. Talvez um desses namoros envolva sexo. Mas faça tudo sem ansiedade.
Eu e muitas outras mulheres hétero não consideramos que fazer sexo seja uma humilhação ou um exercício de poder. Consideramos que muitas mulheres hétero adoram sexo, tanto quanto os homens, e que ninguém "usa" ninguém numa relação sexual consensual.
Não estou falando de prostituição, nem de pornografia. Essas são transações comerciais que envolvem sim relações de poder e exploração. Estou falando de sexo, só.

Anônimo disse...

Assumam logo que vcs adoram os trolls, n sei do que reclamam, se a Lola sempre posta o que eles dizem e várias aqui respondem.

Anônimo disse...

A violência sexual masculina não é trabalho de indivíduos psicóticos, mas o produto da construção normativizada da sexualidade masculina em sociedades como a dos Estados Unidos e Austrália atualmente – como a prática que define o status superior dos homens e subordina as mulheres. Se nós realmente queremos acabar com essa violência, não devemos aceitar essa construção como o modelo do que “sexo” realmente é.

O prazer sexual para mulheres é uma construção política também. A sexualidade feminina bem como a masculina foi forjada no modelo de dominação/submissão, como um artifício para satisfazer e servir à sexualidade construída nos homens e para eles. Enquanto que garotos e homens foram encorajados a direcionar todos os seus sentimentos à objetificação do outro e são recompensados com o “prazer” pela dominação, mulheres aprenderam seus sentimentos sexuais em uma situação de subordinação. Garotas são treinadas através de abuso sexual, assédio sexual, e desde muito cedo com encontros sexuais com garotos e homens assumindo um papel sexual reativo e submisso. Nós aprendemos nossos sentimentos sexuais da mesma forma que aprendemos outras emoções, em famílias de dominação masculina e em situações nas quais nós não possuímos poder, cercadas de imagens de mulheres como objetos na publicidade e em filmes. (Sheila Jeffreys, Como as Políticas do Orgasmo Sequestraram o Movimento Feminista)

Um Cara Diferente disse...

obrigado Lola.

ontem como disse, agi feito bêbado brigão (mesmo não bebendo).

agi agressivo por crer estar "defendendo com ímpeto" ideias das quais eram meu apoio psicológico.

não sei dizer exatamente quando começou, mas o porque:

acreditei que por gostar mesmo de mulheres não poderia "viola-las", junte isto mais a rejeição que sofria e tens o resultado:

um homem que "compreendeu" tudo o que já mencionei.

sobre os comentários anônimos que "concordam" comigo é claro que não seguirei, alias, acredito muito que seja alguém me zoando.

aceito seus conselhos, mas acho que seja tarde demais pra mim.

não sei se tenho essa capacidade, de conseguir "apagar" isso tudo e não garanto que não terei alguma recaída mais adiante. então não posso arriscar e estragar a vida de alguém.

acredito que o melhor a fazer é seguir como estava, só que não se metendo mais na vida sexual das mulheres.

isso sim seria se conformar, abaixar a cabeça, me recolher e não levantar mais a voz pra "defender ideias" como fiz ontem.

não vou virar masculista, mulheres sempre terão minha admiração.

volto a vê-las como sempre vi, algo lindo e abstrato.

grato pela compreensão.

Camila Dias disse...

Cara Diferente, de onde tu tirou esse negócio de merecer ou não um relacionamento?
Sabe, esse pensamento tb é machista. Tu acredita no mito de que a mulher quer se garantir com alguém que tem grana e status?
Se tem pessoas assim, óbvio que não são todas, nem a maioria. Pare de generalisar! Pessoas são diferentes, e mesmo os caras bonitos como vc fala (pq beleza é relativa, meu caro), nem todos enxergam as mulheres como prêmio!
Acho que te faria bem vc procurar assistência psicológica. Um profissional pode te ajudar a resolver teus dilemas internos, e é um processo que leva tempo. Vc só precisa fazer os questionamentos certos pra não se desesperar ainda mais.
E olha, existem mais podólatras no mundo do que vc imagina rsrs meu primeiro namorado tinha fetiche por pés tb, e embora eu achasse estranho, nunca julguei.
Mas olha, pensa com seriedade na hipótese de consultar um psicólogo no qual vc se sinta a vontade. Vai te ajudar muito.

~ Camila

Anônimo disse...

Comentário 26 de abril de 2015 03:04 foi meu. Comentei aqui pq tinha fechado sem querer o link do post do caso da Veronica. Como não o encontrei na primeira página, comentei no ultimo. Mas no que isso importa, né?
Você não teve argumentos pra rebater e viu que ficaria mais fácil pedir pra mudar de assunto e fazer o que vc sempre faz: que é comparar radfem com mascu. Mesmo pq não discordei do seu post exceto uma coisa ou outra em passagem. O mais sério e que eu questionei foi você dizer que ela tem que ir pra prisão feminina por causa da id de gênero. Peloamor, né.
De resto, aposto que não tem nenhuma feminista radical achando legal que ela tenha sido espancada e muito menos apoiando policial. Estão defendendo apenas as mulheres. Então pense bem antes de falar que o feminismo radical é excludente e até heterofóbico pq esse linguajar é bem similar ao da direita falando da ditadura gay. E mesmo pq foi as feministas radicais que se solidarizaram com você quando você foi ameaçada ou quando você denunciou o caso da pica não solicitada e muita libfem foi contra pra poder defender o esquerdista...

Anônimo disse...

Então o problema é que a gente dá pra todo mundo, menos pra você?

Camila Dias disse...

Cara Diferente, o lema da Medicina é: enquanto há vida, há esperança.
Então não seja tão determinista. Tudo muda, às vezes pra melhor, às vezes pra pior, inclusive seres humanos, mas pra mudar pra melhor é preciso fazer algo a respeito e exige esforço contínuo. É por isso que pode parecer mais fácil deixar como está e ir se fechando cada vez mais ao mundo.
Transmutar a si mesmo exige muito, muito esforço, e é só assim pra transformarmos tb o mundo num lugar melhor pra todos, inclusive pra nós.
Não desista de vc.

~ Camila

Kittsu disse...

thomas, não se drogue, isso faz mal.

Um Cara Diferente disse...

oi Camila. reli meu comentário e acho que não fui claro.


1 - "Cara Diferente, de onde tu tirou esse negócio de merecer ou não um relacionamento?"

- pelas rejeições. sempre gostei ser logico em tudo e ver tudo de uma forma sistemática, logo, se sou rejeitado não mereço.
alguns aqui interpretaram mal, como se eu tivesse dito que sou o único rejeitado, não. mas falo de mim, obvio.


2- " Tu acredita no mito de que a mulher quer se garantir com alguém que tem grana e status?"

- não. diferente dos masculistas que veem o homem como vitima da mulher, eu vejo / via o contrario.

3 - "nem todos enxergam as mulheres como prêmio!"

- não é prêmio. pra mim, conquistar uma mulher era simplesmente "não dá", nunca mesmo quis conquistar uma pra alimentar ego, seria apenas algo "normal", que via os outros conseguirem, mas comigo não rolava.

4 - "Acho que te faria bem vc procurar assistência psicológica. Um profissional pode te ajudar a resolver teus dilemas internos, e é um processo que leva tempo"

- obrigado, mas não. ninguém entenderia, e eu não quero me expor assim. sou meu próprio medico, esse tipo de coisa tem que vir de dentro.

5 - "E olha, existem mais podólatras no mundo do que vc imagina rsrs "

- sei disso. o que quis dizer é que era mais uma vontade a ser controlada, tive uma experiência podo na adolescência, com uma conhecida, ela curtiu também.

o que quis dizer é que hoje eu jamais a repetiria, porque mesmo muitos vendo a mulher dominante nessa situação, eu ainda via como "eu usando o corpo (pé) da mulher pra saciar uma vontade". e todas as besteiras que já escrevi.

obrigado por me levar em consideração mesmo depois de toda a minha estupidez de ontem, grato.

Um Cara Diferente disse...

anônima 19:00

não. disse que a época não entendia porque os outros conseguiam e eu não.

mas NUNCA achei que vocês tinha obrigação de ficar comigo, eu entendia (e entendo) que sou eu que não tenho atrativo algum, logo não espero menos que rejeição.

hoje nem tento mais, pra não levar mais "nãos" na cara. isso foi a muito tempo.

Um Cara Diferente disse...

Camila, obrigado pelo incentivo.

é raro (pra mim) uma mulher que demonstre no mínimo uma "pena" por mim.

grato.

mas não posso arriscar e estragar a vida de alguém.

Anônimo disse...

A maioria dos homens sabe que o intercurso sexual é violento e degradante para as mulheres. Eles riem de mulheres (mulheres "empoderadas", "divertidas" fun-fem, lib-fem, sex-pozzie, etc.) por elas pensarem que podem se envolver em "sexo" como os homens e não serem degradadas por isso. Eu sei disso, eu costumava ser uma dessas mulheres. Os homens também sabem. Muitos deles, a grande maioria. Eles sabem que é um ato de violência e dominação, por isso que eles desprezam as mulheres que "aceitam" isso (ou seja, simplesmente reagem de maneiras naturais a níveis extremos de violência e cativeiro) e também é o pior insulto que um homem pode usar contra outro homem: ser fodido. Todos os insultos em todas as línguas se resumem a isso. Sim, os homens sabem que é a pior coisa que você pode infligir a um ser humano. Homens igualam isso à morte e assassinato, e em toda parte da sociedade "foder" é equiparado à morte ou à violência extrema (só para as mulheres é apresentado como amor e romance - e é por isso que o nível de mindfuck é tão extremo, porque algo não pode ser ao mesmo tempo amor e morte). De qualquer forma é morte, é o que é. Os homens sabem disso.

Anônimo disse...

Eita, penis in vagina não tem nada de opressivo. Né, mto empoderador engravidar (maternidade é privilégio, segundo uns pirocos aí), não há risco de DST, mesmo pq os homens são super fiéis. Penetração aka masturbação dentro é tão bom que o que mais tem é homem com ejaculação precoce e mulher não conseguindo gozar. Ou seja, sexo sem prazer p a mulher. É quase que estupro e prostituição mesmo. É assim que os estupros maritais começam, inclusive. Entendo que a Lola pense que é loucura, nem toda feminista tem percepção tântrica. Não sabem variar o sexo. Quando não fazem sexo baunilha, estão envolvidas com BDSM pra agradar o hômi. Aliás, falando em bdsm, a penetração pra mim é bem hierárquico, é dominante vs submissa.

Thomas disse...

Kittsu disse...
"thomas, não se drogue, isso faz mal."

Passo por fase reflexivas em que não permito que nenhuma substância psicoativa percorra as minhas veias. Geralmente, nessas fases, deixo minha barba crescer, adquiro um semblante sério e contemplo o movimento do universo.

Tô nessa fase agora. Não utilizo nenhuma droga já há dois meses.

Mas logo essa nuvem straight edge vai embora novamente, e aí volto a ser doidão. Quando isso acontecer, te aviso pra gente dar um rolê selvagem noturno.

Anônimo disse...

Meu, você usa mulheres prostituídas na pornografia pra bater punheta. Você tá usando essas mulheres que são brutalmente exploradas, que são continuamente violadas, que precisam usar drogas, se dissociar de si mesmas, do próprio corpo, pra sobreviver e muitas delas morrem por suicídio ou em consequência de dsts. Você usa mulheres em situações de extrema vulnerabilidade a todo tipo de abuso e violência e vem se fazer de coitadinho digno de pena ou de "salvador das mulheres" cheio de compaixão? Nos poupe! Larga essa merda que você consome. Você tá consumindo exploração sexual de mulheres, os corpos delas mortificados e abusados pra você ter a bosta de um orgasmo. Nojento!

Um Cara Diferente disse...

troll que me enche o saco das 19:44

leia de novo, mas direito.

falei que cheguei a ficar meses sem me masturbar, quase um ano todo.

eu deixar de ver pornô não farão com que sumam da Terra.

até faria sentido o que você diz, me chamar de hipócrita, até sou um pouco, porém:

- são adultas e pagas pra isso, fazem porque querem.

- é falso quanto qualquer filme.

- os que vejo são amadores, não são os pornôs comuns (e ninguém pensou nessa possibilidade ontem).

- a culpa não é minha. não obrigo ninguém a fazer pornô.

- todo ano surgem novas "atrizes" então não é pra tanto.

- troco o pior pelo ruim, o fato de usado algumas vezes evitou com que eu sentisse vontade de transar, então na época foi valido, sim. (dentro da minha vida).

Kittsu disse...

arregão, nem foto das tuas pernas depiladas tu mostrou e tá chamando pra rolé? looool
Mas nem, de noite eu gosto é de dormir e não sairia com um "doidão". Mamãe não deixa. mas porquê das drogas? é deliberado ou recaída de dependência? não tem outra coisa que tu possa ir fazer que não envolva isso?

Anônimo disse...

O maravilhoso livro de 1994 escrito por Dee Graham, Loving to Survive, retrata a heterossexualidade feminina e a feminilidade como sintomas do que ela chama de Síndrome de Estocolmo Social. Na apresentação clássica da Síndrome de Estocolmo, reféns aterrorizados criam vínculo com seus captores e desenvolvem cooperação submissa a fim de sobreviver. Manuais para aqueles que podem ser feitos reféns, como aquele que me foi dado quando eu trabalhei numa prisão, descrevem táticas de sobrevivência que lembram os conselhos oferecidos em revistas femininas sobre como conquistar homens. Se você for tomado como refém, dizem esses manuais, você deve falar sobre os interesses e família do captor para fazê-lo compreender que você é uma pessoa e ativar sua humanidade. A Síndrome de Estocolmo desenvolve-se naqueles que temem por suas vidas, porém dependem de seus captores. Se o captor demonstra qualquer gentileza, mesmo quando mínima, é provável que o refém desenvolva um vínculo com seu captor até mesmo ao ponto de protegê-lo de perigos e adotar plenamente seu ponto de vista acerca do mundo. Graham define a violência sexual rotineira que as mulheres vivenciam como “terrorismo sexual”. Em face desse terror, Graham aponta, mulheres desenvolvem Síndrome de Estocolmo e criam vínculos com homens.

Uma vez que a sexualidade feminina se desenvolve nesse contexto de terrorismo sexual, nós podemos erotizar nosso medo, nosso vínculo aterrorizado. Toda excitação sexual e liberação não é necessariamente positiva. Mulheres podem ter orgasmos ao serem sexualmente abusadas na infância, no estupro ou na prostituição. Nossa linguagem possui apenas palavras como prazer e gozo para descrever sentimentos sexuais, e nenhuma palavra para descrever os sentimentos que são sexuais mas dos quais não gostamos, sentimentos que vêm da experiência, sonhos ou fantasias sobre degradação ou estupro e que causam angústia apesar da excitação. (Sheila Jeffreys, Como as Políticas do Orgasmo Sequestraram o Movimento Feminista)

Thomas disse...

"eu deixar de ver pornô não farão com que sumam da Terra."

Todo mundo que faz merda usa essa mesma lógica, por isso o mundo é uma merda.

Mas dito isso, não há problema algum em ver pornô. Se alguma produtora pornô maltrata suas atrizes, isso só torna o consumidor questionável moralmente se ele continua a ver os filmes de tal produtora mesmo sabendo dos mal tratos às atrizes. Acredito que a maioria dos consumidores de pornografia preferem que as atrizes sejam bem remuneradas e tratadas profissionalmente.

Quanto a todos os outros argumentos das feministas radicais: tudo conservadorismo. É óbvio, é claro, que o que ofende elas é o ato sexual em si. Elas não suportam a ideia de mulheres fazerem sexo por dinheiro. Não suportam essa ideia de tal forma que elas arrumam justificativas vazias para pisar no direito dessas mulheres de escolherem trabalhar com sexo. Dão voltas e voltas argumentativas sem o menor sentido ou base na realidade para classificar essas mulheres como prisioneiras de um sistema, para defini-las como pessoas que não sabem que estão sendo exploradas. Isso é um desrespeito à mulher muito mais grave do que gritar um "ei, gostosa!" pra alguma moça na rua.

As feministas radicais não suportam a ideia de não conseguirem controlar a sexualidade alheia. Todas as ideologias conservadoras que tentaram controlar a sexualidade humana, falharam. Então esqueçam, feministas radicas. Desistam. A mulher fará o que ela quiser com o próprio corpo, incluindo lucrar com sexo.

Pornografia é moralmente aceitável. Pornografia não traz nenhuma consequência psicológica a um ser humano estável. Pornografia é só um reflexo da perversão sexual humana. Não é porque o seu namorado viu um pornô que ele quer gozar na sua boca. Ele quer fazer isso porque é um homem sexualmente ativo, que tem fantasias sexuais e quer realizá-la. Garanto pra vocês que esporrada na cara é a base de um relacionamento saudável desde que vivíamos em cavernas.

Lidem.

Thomas disse...

Kittsu disse...
"arregão, nem foto das tuas pernas depiladas tu mostrou e tá chamando pra rolé? looool
Mas nem, de noite eu gosto é de dormir e não sairia com um "doidão". Mamãe não deixa. mas porquê das drogas? é deliberado ou recaída de dependência? não tem outra coisa que tu possa ir fazer que não envolva isso?"

Arregão, eu? Kittsu, eu não tenho a menor vergonha do meu corpo. Tanto que já te chamei pra um rolê na webcam. Trocaria fotos seminu com você numa boa, eu realmente não me importo.

Quanto às drogas, não é dependência. Eu apenas gosto de explorar estados alterados da minha consciência. Utilizar um psicoativo é como usar um telescópio para observar uma estrela: te traz uma nova perspectiva de uma realidade que sempre esteve lá, mas que você nunca utilizou o instrumento certo pra explorar.

Mas atualmente, como eu disse, estou sóbrio e apenas utilizando meditação. Nem cafeína estou consumindo.

Anônimo disse...

...O mecanismo mais poderoso hoje em dia para a construção da sexualidade masculina é a indústria do sexo.

A prostituição e sua representação na pornografia criam uma sexualidade agressiva que requer a objetificação de uma mulher. Ela é transformada em uma coisa que não merece o respeito que é devido a outro indivíduo senciente. A prostituição mantém uma sexualidade na qual é aceitável para o cliente obter “prazer” às custas de e no corpo de uma mulher que se dissocia para sobreviver. Esse é o modelo de como o sexo é concebido na sociedade supremacista masculina, e sexólogos construíram suas carreiras sobre esse modelo. Masters e Johnson, por exemplo, desenvolveram suas técnicas de terapia sexual a partir das práticas de mulheres prostituídas que eram pagas para fazer com que homens idosos, bêbados ou simplesmente indiferentes tivessem ereções e pudessem penetrá-las. Como Kathleen Barry apontou em A Prostituição da Sexualidade, a prostituição constrói uma sexualidade de dominação masculina/submissão feminina em que a identidade e o bem-estar da mulher, sem mencionar seu prazer, são vistos como irrelevantes.

A prostituição é um negócio poderoso que está rapidamente se tornando globalizado e industrializado. Mais da metade das mulheres prostituídas em Amsterdã, por exemplo, são traficadas, ou seja, levadas para lá, muitas vezes após serem enganadas, de outros países e são frequentemente mantidas em condições de escravidão sexual. Mulheres australianas são traficadas para a Grécia; mulheres russas para boates de striptease em Melbourne; mulheres burmesas para a Tailândia; e mulheres nepalesas para a Índia. Milhões de mulheres em países de Primeiro Mundo e muitas mais nos países de Terceiro Mundo são submetidas ao abuso de terem seus corpos violados por mãos e pênis indesejados. Mulheres prostituídas sentem-se tão mal vivenciando esse abuso sexual quanto qualquer outra mulher. Elas não são diferentes. (Sheila Jeffreys, Como as Políticas do Orgasmo Sequestraram o Movimento Feminista)

Um Cara Diferente disse...

o cheirador assumido dando lição de moral? pode isso?

não seja dissimulado, expliquei bem e não te devo satisfação, tu é homem, vá se fuder.

Anônimo disse...

/\ Puta merda já deu né? Dúvido muito alguém tá lendo esses textos aqui.

Anônimo disse...

(comentário anterior foi pra radfem insistente)

Um Cara Diferente disse...

antes que o Thomas venha com mimimi, não estou te julgando ou acusando de nada, saiba interpretar.

você assumiu que usa.

e não tens moral pra isso (dar lição nos outros).

Thomas disse...

Um Cara Diferente disse...
"o cheirador assumido dando lição de moral? pode isso?

não seja dissimulado, expliquei bem e não te devo satisfação, tu é homem, vá se fuder."

Você é tão inseguro, mas tão inseguro, que já tá aí se defendendo sem nem ter lido o meu comentário inteiro. Eu concordo com você em relação à pornografia. Só acho que existe maneiras melhores de defender do que "tal coisa nunca vai mudar, sempre vão continuar fazendo, então vou fazer também." Isso é uma falácia, simples assim.

Agora me diga, quantos 15 anos você tem? Você realmente acha que vai ofender alguém falando algo que esse alguém já admitiu que faz? Você me chamar de cheirador após eu dizer que uso drogas seria o equivalente de você chamar um cara que acabou de admitir que gosta de transar com homens de viado.

Você precisa seriamente melhorar suas habilidades pra ofender, porque tá bem fraco.

Dito isso, cocaína não é nem de longe minha droga favorita. Sou um apreciador de psicodélicos, estimulantes não são tão interessantes quanto. Acredito que cocaína possui um apelo maior pra pessoas que sofrem de baixa auto-estima, então eu recomendaria que você experimentasse qualquer dia, porque talvez você sentisse pela primeira vez na vida como é a sensação de gostar de si mesmo.

Um Cara Diferente disse...

aprenda a interpretar antes de ser tão prepotente.

não quis te ofender, te ironizei, sua postura de sabichão quando tem teto de vidro.

desenhado?

eu sou inseguro?

bem, vejamos, quem é mesmo que está posando de maduro e "machão" em cima de um cara que assumiu ser virgem?

você acaba de fazer o que alega que fiz.

já te falei você é homem, não vale merda nenhuma pra mim.

Raven Deschain disse...

Que saco. Cês ainda tão nessa?

«Mais antigas ‹Antigas   1 – 200 de 244   Recentes› Mais recentes»