quarta-feira, 15 de abril de 2015

"SE EU PUDESSE VOLTAR ATRÁS"

A R., de 16 anos, me enviou o relato abaixo. Para ilustrar, usei várias fotos de meninas americanas da sexta série, porque acho que tem gente que esquece que essas meninas de 12 e 13 anos são... meninas. 

Eu não sei exatamente como ou porquê, mas me tornei feminista. Ainda estou no começo, sabe? Fico confusa com alguns temas e procurando respostas acabei achando seu blog.
Depois de ler diversos artigos, resolvi contar meu caso.
Bom, você deve estar chocada com minha pouca idade e ficará ainda mais com a idade que eu tinha quando aconteceu. Eu mesma não acredito.
Tenho uma família “grande”. Pais, tixs, primxs etc, então sempre fui muito alta e parecia mais velha do que realmente era.
Quando tinha 12 anos e estava na 6a série, frequentava um curso antes da escola e foi lá que tudo aconteceu. No início do ano entrou um professor novo e sabe, foi amor à primeira vista! Achei lindo, atraente, inteligente e bla bla bla. Mas até aí, normal. Achava isso de todo mundo que via. Mas namorar, beijar, ficar, nada! Nunca havia dado nem um selinho. Por muitos meses isso não significou nada, mas mais ou menos em setembro daquele ano, “nós” nos aproximamos.
Começou com umas conversas inocentes no intervalo, elogios, pedido pra adicionar no msn, pedido de telefone…
O cara tinha 28 anos, dois filhos (com mães diferentes), e a “namorada” estava esperando o terceiro.
No dia que completei 13 anos, ele vendo todo mundo me dando parabéns, resolveu me “presentear”. Me levou até uma sala e me beijou. Dos males o menor! Na época achei lindo. Ficamos assim até acabar o ano e no início do ano seguinte.
Em fevereiro do outro ano, pediram pra ele fazer uma coisa fora da escola e levar alguém pra ajudar. Adivinha: ele me chamou.
Assim que saiu da rua do curso, estacionou seu carro de vidros escuros em uma rua deserta e começamos a nos beijar. “Normal”. Depois de um tempo falou pra irmos pro banco de trás. Eu estava assustada, mas fui. Começou a passar as mãos pelo meu corpo e fui ficando cada vez mais assustada, até que colocou a mão nos botões da minha calça, me olhou e perguntou se eu tinha coragem. Eu era uma criança! Estava “apaixonada” por ele. Tinha medo de perder aquilo que eu achava que tinha. Apenas balancei a cabeça dizendo sim.
E foi ali, no banco de trás de um carro, com 13 anos que perdi minha virgindade.
Você deve estar se perguntando o que isso tem a ver com o blog. Eu mesma me questionei no meio do texto… Afinal de contas, ele não me obrigou, não me forçou, então não foi um estupro. Talvez tenha sido pedofilia, mas não tenho certeza. Acho que não se encaixa.
De uma marcha das vadias: "a maneira
que as meninas jovens se vestem não
cria pedófilos. A maneira que as
meninas maiores se vestem não
cria estupradores"
Acredito mais que tenha sido um abuso de poder. Ele se aproveitou de sua situação e me seduziu. Eu acho.
Isso mudou totalmente minha vida. Porque dias depois ele pediu demissão e sumiu! Sumiu por um tempo, né. Ainda hoje, sempre que quer fu***, me procura. Peço a Deus todos os dias pra voltar no tempo e mudar o maior erro que cometi na minha vida. Sinto como se nunca fosse esquecer ele e o que fez comigo.
Há um ano namoro um garoto por quem sou apaixonada de verdade. E por mais que confie nele e o ame, não consigo nem pensar em transar. Tenho medo desse trauma nunca passar, sabe?

Minha resposta: Nossa, R. Nem sei o que dizer. Entendo que não tenha parecido um estupro pra você, afinal, você achava que estava apaixonada por um professor, um adulto, uma figura de autoridade. Mas foi. Você tinha 12 anos, e só tem 16 agora, vai demorar um pouco mais pra vc conseguir superar esse trauma.
Existem motivos para existir o que se chama de "idade de consentimento". Não é frescura, não é moralismo. É porque crianças ou pré-adolescentes ou jovens de 12 e 14 anos, seja lá como você preferir chamar, ainda estão se formando, tanto física quanto psicologicamente. E também porque estão em posição de vulnerabilidade. Vocês dependem dos pais. Lógico que vocês têm uma série de direitos, entre eles se apaixonar. Mas é realmente muito perigoso quando isso acontece por um sujeito muito mais velho, de 28 anos. Até se ele tivesse 18 anos já seria estranho, porque esses seis anos, nessa idade, fazem uma diferença enorme. 
Mas quem errou foi ele. Ele, como professor, não pode se envolver com alunas. Ele já não poderia se envolver com você hoje, agora que vc tem 16 anos, imagina quando você tinha 12. E provavelmente você não foi a única aluna com quem ele se envolveu. Pode ter sido por isso que ele saiu da escola. 
Eu com 13 anos
Eu já dei aula pra meninos e meninas de 12 e 14 anos, e sempre me dava muito bem com eles. Eu gosto de adolescentes. Nunca aconteceu, mas, se um aluno tivesse mostrado qualquer interesse romântico ou sexual por mim, não haveria a menor chance d'ele ser correspondido. Mesmo que eu não fosse casada e monogâmica, eu não me sinto atraída por meninos de 12 anos desde que eu tinha 14 ou 15 (se não me falha a memória, acho que, quando eu tinha 15, troquei alguns beijinhos com um menino de 12 da classe da minha irmã caçula). 
Sinto grade dificuldade em entender como tantos homens se rendem ao conceito de "Lolita", da menininha que, segundo eles, os seduz (casos de professoras -- quase sempre dos EUA -- que se envolvem com garotos também existem, mas não há comparação com a forma que nossa cultura sexualiza as "ninfetas"). A responsabilidade é sempre da pessoa mais velha. Cabe a essa pessoa mais velha se afastar, dizer não. 
Cena de Towelhead
Não sei se você já viu, mas recomendo os filmes Towelhead, que mostra uma menina de 13 se "interessando" por um vizinho, e como ele abusa dela, o filme Confiar, que também trata de um pedófilo virtual que seduz meninas, e a peça Como Aprendi a Dirigir, de Paula Vogel, em que a protagonista, adolescente, é abusada pelo tio. São obras fortes, mas acho que você vai se identificar. 
Eu com 12 anos: uma criança
Ah sim, quando eu tinha 14 anos, eu ia nadar num clube. E lá me apaixonei (ou achava que tinha me apaixonado) por um salva-vidas lindo que tinha 22 anos. Eu acho que dei muito em cima dele. Felizmente, por mais simpático que fosse comigo, ele entendeu que não era certo se envolver com uma menina de 14. Que bom que existem homens responsáveis!
O que aconteceu contigo é muito comum, R. É por isso que essas obras que indiquei são importantes. A sociedade vê os pedófilos como monstros que ficam à espreita para pular em cima das vítimas, mas geralmente não é assim que eles agem. Eles se aproximam lentamente, são bacanas, falam com a menina, tratam bem, de um jeito que vários adultos não tratam. Nosso mundo não vê com bons olhos crianças e adolescentes. Ou julga vocês incapazes, ou perigosos. Como diz a narradora de O Olho Mais Azul, de Toni Morrison (em que uma menina negra é estuprada pelo pai alcoólatra), há adultos que nem falam com crianças, só lhes dão ordens. 
"Você obviamente nunca foi
uma menina de 13 anos"
Crianças sabem que adultos têm o poder. E tantxs de nós, em qualquer idade, somos seduzidxs pelo poder. Quanta gente de classe média não quer "pertencer" ao mundo dos ricos? Quantas mulheres não querem "pertencer" a um grupinho de homens misóginos? Crianças querem ser vistas por adultos, querem conversar com eles. Imagina como é fácil para um pedófilo se aproveitar disso.
Foi o que seu professor fez. Você ainda pode denunciá-lo, se quiser, porque o crime que ele -- não você! -- cometeu não prescreveu. E, principalmente, porque ele deve ter feito e deve estar fazendo o que fez contigo com outras meninas. Você já contou isso pra alguém da sua família? Pro seu namorado? 
Fundamental é que você corte o estuprador da sua vida. E é você que precisa avaliar se quer ou não denunciá-lo. 
Isso tudo ainda é muito recente pra você. Deve parecer que foi ontem, e foi mesmo. As feridas ainda estão abertas. Considere fazer terapia. Você não deve permitir que o abuso que sofreu te defina, mas você tem que lidar com ele. O trauma vai passar sim, só que talvez não passe sozinho, sem ajuda. 
Fique bem, R. querida. Continue sendo forte.


Depois que terminei de escrever isso, recebi a notícia de que um tribunal de Goiás absolveu, por unanimidade, um homem de 48 anos que teve um relacionamento duradouro com uma menina de 13. Os desembargadores alegaram que, apesar do Código Penal presumir estupro, essa presunção poderia ser afastada se a vítima consentisse e se "não fosse ingênua a respeito do sexo". Para um deles, pesou que ela já não fosse mais virgem. Como esse tipo de decisão é absurdo e machista! 
Outra coisa: no post de anteontem, publiquei um tuíte de uma escritora, a Renata, celebrando o que a filha de 13 anos de uma amiga havia dito: que seu corpo era uma festa, mas só para convidados. Algumas pessoas reclamaram, achando que 13 anos era cedo demais pra ver o corpo como festa (seja lá o que isso quer dizer). Não quero entrar nesse campo polêmico, mas é frequente crianças e adolescentes descobrirem seus corpos com outras crianças e adolescentes (brincar de médico, quem nunca?). 
Eu vejo essa fala da menina como uma questão de autonomia sobre o próprio corpo, muito mais do que uma afirmação de que ela estaria "convidando" montes de homens para transar com ela. No entanto, e se estivesse? Se uma menina de 13 anos, uma criança, como se pode ver pelas fotos que pus aqui, "convidasse" um homem de 48, ou de 28, para transar (vamos imaginar que esse cenário existe, e não o inverso, como o narrado no guest post), cabe a ele a responsabilidade de dizer "Não, obrigado". 

121 comentários:

Mariana disse...

R.,
como dito por Lola, o que você sofreu foi um estupro sim, um estupro de vulnerável, que mesmo com o seu consentimento ou não impedimento, ainda sim é considerado estupro. Só para seu conhecimento: a prescrição para este tipo de crime é de 20 anos e somente começa a correr após a vítima completar 18 anos (prescrição é o prazo que você tem para denunciar o estuprador na delegacia ou Ministério Público), ou seja, poderá denunciá-lo até completar 38 anos.
No mais, você me parece ser muito forte e sei que já está superando ou irá superar este fato terrível da sua vida. Se mantenha afastada deste homem asqueroso, se ele voltar a te procurar avise que se não se afastar irá denunciá-lo por estupro (eu acho que deveria realmente denunciá-lo para que ele não fizesse o mesmo com outras crianças, mas respeito a sua opção seja qual ela for). Já com seu namorado, não tenha pressa, não faça nada que não tenha vontade, o corpo é seu e a decisão sobre ele é sua.

Anônimo disse...

Quantos anos tem o namorado dela agora?

Kittsu disse...

Wow. Um tribunal absolver um estuprador porque a vítima já havia sido estuprada antes. Gente, que mundo é esse...

Anônimo disse...

Anon da 13:38, a idade do namorado atual dela nao eh da sua conta, honestamente. Isso nao eh relevante na questao.

Barbara

Anônimo disse...

Que tal falarmos sobre os diversos casos da mídia onde professoras são encontradas fazendo sexo com alunos do ensino fundamental também? Ai não tem problema né? Rolou sexo porque os 2 quiseram e a culpa é do cara?? E se ela não tivesse se arrependido, ainda sim ele seria o vilão da história?? Foda né... Culpando outra pessoa por uma escolha que ela mesma fez.

Rebeca Chambers disse...

Nossa Lola, quando jovem vc era tão bonita...

Anônimo disse...

Pra mostrar o quanto o machismo é nojento. Os dois casos relatados no post mostram como nessa sociedade em que vivemos a mulher tem que ser sempre a culpada, a vagabunda que desvia o homem, mesmo que ela só tenha 11, 12, 13 anos apenas. Autora, dou todo apoio pra que você procure uma terapia, como paciente eu posso te dizer que ajuda e é muito libertador fazer terapia. Caso você queira denunciar, afinal a decisão é sua, também vai contar com muito apoio.

Akiyki Ode disse...

Considero de fato, que tenha sido estupro!! Uma falta de ética extrema por falta deste "professor". E acredito que a R. deveria sim denunciá-lo, afinal de contas, realmente ele pode continuar a praticar tais atos e a traumatizar tantas outras crianças/adolescentes ou como preferirem denominá-las.

Este seu Blog foi um achado LOLA, muito obrigado!!

Sandy Quintans disse...

Lola e R., também há o filme "Palo Alto" que trata desta relação entre professor e aluna, que foi baseado nos contos James Fraco e que foi dirigido pela Gia Coppola. Apesar de não ser o tema tão central quando em "Confiar", acho que vale a pena também.

R., desejo forças pra você vencer este trauma que já aconteceu tão cedo. Tenho certeza que irá conseguir, talvez só não esteja pronta ainda. Mas você irá.

Anônimo disse...

Nossa, Rebelca, quando vc era jovem vc era inteli... não, pera lá...

Maria disse...

Anon da 13:38, a idade do namorado atual dela nao eh da sua conta, honestamente. Isso nao eh relevante na questao.

Eu acho importante sim,concordo com ele/ela,ela consentiu transar com um adulto e segundo a lei foi estuprada,se fosse o mesmo com alguém da idade dela ou menor de idade,não haveria estupro algum.
Acho meio confuso isso aí,ela sabe o que tá fazendo com um adolescente,mas com um adulto está sendo abusada,houve manipulação?
Não estou criticando ela,se ela se sentiu abusada é um direito dela,mas acho é bem confuso como uma hora julgam que adolescente é capaz e na outra um completo idiota que não sabe pensar.

Wow. Um tribunal absolver um estuprador porque a vítima já havia sido estuprada antes. Gente, que mundo é esse...

Onde está escrito que ela foi estuprada duas vezes? Só porque não era mais virgem quer dizer que foi estuprada?

Anônimo disse...

Ok, Lola. Beleza que você não queira moderar os comentários. Mas colocar o depoimento de uma menor de idade que está numa situação já extremamente vulnerável e sujeitá-la a comentários como o anônimo das 14:29 não seria um pouco de irresponsabilidade?

A coisa por aqui está ruim há tempos. Lembro que alguém sugeriu o sistema Disqus. É um bom sistema. Que não seja isso, mas algo. Sem moderação nenhuma, por favor, não tem como. Sério. Sei que é difícil, que você não ganha nada com o blog etc. Mas está muito ruim assim.

Beijos e obrigada.

Kittsu disse...

Sim. Se ela tinha 13 anos quando houve aquele ocorrido, ela já teria participado de um ato sexual ANTES dessa idade, significa que houve estupro presumido para que o himen tenha se rompido com sexo. é o equivalente a dizer que se uma criança já foi estuprada antes, não é tão problemático assim que seja estuprada agora novamente.


E sempre acho curioso em como as pessoas reclamam que o "dimenó" sempre seria excluído de suas responsabilidades, mas parece que o adulto por padrão já é isento de ter qualquer responsabilidade em seus atos.

Jonas Klein disse...

Olá Lola.

Achei bem interessante o texto, mas no que se refere ao tribunal de Goiás, tem uma coisa que acho que você não pensou bem antes de afirmar e isso:

"Para um deles, pesou que ela já não fosse mais virgem. Como esse tipo de decisão é absurdo e machista!"

Eu Li o post que você indicou falando sobre decisão dos juízes lá.

Acho que você errou afirmar que teve machista na decisão esta, pois eu não vi nada que indicasse ali que gênero das pessoas envolvidas no caso tivesse pesado na decisão do magistrados, e se a questão de gênero não posou nessa decisão não teve machismo não neste caso.

Eu como legalista que sou acho decisão destes juízes esta errada, pois se a lei diz que sexo com menor de 14 anos e estupro presumido (isto deve de ser assim, pois e esta correto), quem fizer isso deve ser condenado por estupor e assunto encerrado, por mais que quem tinha menos de 14 anos tenha aceitado de boa convite para a transa.


Para a R eu recomendo que procura um psicólogo para ajudar ela lidar com o trauma psicológico que ela ficou em função da forma como foi a primeira transa dela, pois se você R não procurar ajuda especializada talvez você nunca venha ter uma vida sexual prazerosa, por não saber administra na sua mento as lembranças desagradáveis da sua primeira vez.

Boa tarde

Raven Deschain disse...

Concordo. Posts sobre abuso devem ser moderados.

Maria, não é confuso. Sem consentimento é estupro. Independente da idade do estuprador. Sugiro um episódio de Law and Order, em que os meninos e meninas morrem de medo de um bully e se descobre que todos têm medo dele, pq ele sai estuprando todo mundo. Uma coisa é a descoberta do próprio corpo. Outra é alguém, claramente em situação de poder, vor colocar as mãos em vc.

Quanto a menina de 13 anos e festa, acho uma bênção que ela tenha consciência do próprio corpo e saiba que ele é só pra convidados. Se eu tivesse essa consciência aos 12, não teria sido estuprada por alguém da família. Simplesmente diria: sai daqui, marmanjo. E pronto. Mas eu não sabia. Muitas meninas não sabem. Acham que tem que agradar. Afinal, é meu pai/irmão/primo/amigo da família. Ele é conheciso. Sempre gostou de mim! Dizer que a menina é que é uma vagabundinha é a pior coisa que se pode dizer. Elas são vítimas. R., vc foi vítima. Apaixonada? Ok. Mas ele tinha mais que o dobro da sua idade. Prefiro pensar que pessoas na idade dele, sabem o que tão fazendo. Ou homem agora é uma porra tão acéfala que não sabe distinguir uma mulher de 20 e uma menina de 12?

cianaly disse...

Achei tristissima a questão da garota. E olhem , esse julgado do TJ/GO daqui de Goiás não é único e sem precedentes. Já há vários julgados de outros estados, inclusive no STJ que relativizam o envolvimento de uma garota tão jovem com um homem adulto. E é estarrecedor. No caso da garota, ela denunciá-lo por estupro ou coisa assim não é a melhor opção. Infelizmente. Terapia pra superar o trauma e força, pq não vai ser fácil.

Anônimo disse...

Moça do texto, sinto muito pela sua experiência traumática. Sugiro que você procure orientação profissional para enfrentar este problema e ficar em paz com sua sexualidade.

Agora, analisando JURIDICAMENTE o ocorrido, vejamos:

"Eu era uma criança! Estava “apaixonada” por ele. Tinha medo de perder aquilo que eu achava que tinha. Apenas BALANCEI A CABEÇA DIZENDO SIM.

E foi ali, no banco de trás de um carro, com 13 anos que perdi minha virgindade.
Você deve estar se perguntando o que isso tem a ver com o blog. Eu mesma me questionei no meio do texto… Afinal de contas, ele não me obrigou, não me forçou, então não foi um estupro"

De acordo com seu relato, penso que a relação foi consensual. A jurisprudência pátria tem apontado na direção de que a presunção de idade para configuração de estupro não é absoluta. Isto é, o consentimento é causa a descaracterizar o crime. NÃO É MINHA OPINIÃO, MAS UM POSICIONAMENTO DOS TRIBUNAIS. Deste modo, acho improvável a responsabilização criminal do seu professor.

Todavia, a escola pode ser responsabilizada civilmente pelos atos de seus colaboradores. Enfim, são apenas uns breves apontamentos pelo que foi apresentado no texto.

Força pra você, menina. Espero que as coisas se resolvam da melhor maneira possível.

Até. Baptista.

Anônimo disse...

Esperando alguém quebrar em mil pedacinhos os argumentos da "Raven" e dai do nada aparecer a "Death" para defendê-la.

Ou não, ela também pode não postar como Death por uns tempos para despistar um pouco, já que ela (será ela ou ele) parece gostar mais de postar mais como "Raven"

Bizzys disse...

Anônimo das 16:24:

"Quebrar em mil pedacinhos o argumento da Raven" por quê, se ela está certíssima?


(esperando alguém me acusar de ser outro "fake da Raven" em 3, 2, 1...) XD

Anônimo disse...

Pois é, Lola. Uma criança não deve ser aconselhada por comentaristas de internet, mas por profissionais. Recentemente aconteceu algo semelhante no site xojane.com, que postou o relato de uma menor de idade que tinha tentado suicídio numa coluna chamada "You Are The Advice Columnist" ou algo assim. Depois de muitas reclamações, o site excluiu o tópico e até a coluna.

D Stoffel disse...

Não achei estupro, na verdade meninas dessa idade tem até uma tara por homens mais velhos, eu era assim minhas colegas tbm.
Eu acho que ela foi ingênua por que eles adoram se aproveitar, e ele parece que não teve infância já pensou daqui a pouco pegando meninas da idade dos filhos.
Só não entendi na época era msn, msn já acabou, e ainda tem contato com ele, eu acho que quem tem trauma não quer nem saber, troca até número do celular.

Homem disse...

anon de 15:32,ele falou qualquer coisa sobre a garota?
pq será que feministas ficam putas se alguém fala que mulher comete os mesmos crimes que os homens?

ué anon de 16:36,chamar os outros de fake/mascu n é um hobby de vcs?
dizer q vários comentários é de uma pessoa só pq é parecido,ignorando completamente que tem vários comentários de feministas praticamente iguais(aí tem nada de errado)
quando o joguinho se volta contra vcs mesmas aí irrita? kkkkk

Anônimo disse...

Se fosse homem era o sortudo...

Bizzys disse...

R., sinto muito pelo que você passou. Espero sinceramente que você supere este trauma, e que você denuncie o estuprador (se tiver vontade/forças para isso).

Nem tenho muito mais o que comentar porque Lola disse tudo, só queria dizer que sinto um nojo imenso desses homens que se aproveitam de meninas mais jovens. Para mim é inconcebível que um cara de 28 anos se "apaixone" por uma menina de 13. Esse tipo de homem gosta é de se aproveitar de mulheres vulneráveis.

B. disse...

Eu também quero ser fake da Raven, acho ela maravilhosa...

Ih me desmascararam!
(sqn)

Anônimo disse...

Maior de idade (18 pra cima) ter relações sexuais com menores de 14 anos é ESTUPRO. Não tem achismo nenhum, isso é lei. Não há que se falar em consentimento, menores de 14 são considerados vulneraveis - isso é a LEI.

Anônimo disse...

Quando a maioridade penal cair para 16 anos quero ver as feministas serem tão legalistas, gritarem "é lei, não tem conversa! é lei!"

Kittsu disse...

Geeeente! Eu ganhei um sósia! Ai que bonitinho, quero apertar essas bochechinhas, levar para passear no parquinho e encher de sorvetinhos esse mini-me do mal que me arranjaram Hahahaha

Anônimo disse...

"Para mim é inconcebível que um cara de 28 anos se "apaixone" por uma menina de 13."

Que se apaixonar o que? Eles sabem muito bem o que estão fazendo. Eu li menina de 13 anos dizendo sobre o caso "Uma menina de 13 anos sabe muito bem o que eu faz. Eu sei o que é sexo!"

Sei.. ela sabe muito bem o que é sexo, ela sabe de tudo no mundo /ironia..


Mas acredito, um homem de 25 anos sabe muito bem que vc é apenas uma menina de 13 anos.. não é porque vc se acha 'a adulta' que vc seja.

Anônimo disse...

Se a maioridade penal for alterada não mudara o fato de q esse cara continuara tendo cometido estupro.

Essa lei é valida pra mulheres e homens, se fosse uma professora, seria estupro do mesmo jeito, independente dos achismos.

Flavio Moreira disse...

Eu sou fake da Raven!
Raven fazendo sucesso no blog da Lola!
Abraços, guria!

Anônimo disse...

"Acho engraçado que se fosse o contrário,uma professora com um menino,dificilmente alguém ia dizer coitadinho,como é ingênuo..."

Verdade, os machistas fazem a festa em qualquer comentário deste dizendo que o moleque comeu a professora, como ele é sortudo, que inveja eles sentem dele. Eu mesmo quando vejo essas notícias geralmente nos estados unidos em que a prof é condenada eu penso "que bom, foi presa" mas não vou mais lá explicar para marmanjo que transar com um menino de 13 anos é crime. Não sou palhaça.

Anônimo disse...

Olá,
nem iria comentar,apenas o faço para demonstrar total concordÂncia com a Raven Deschain.
Seria melhor se houvesse moderação nos comentários sobre abuso. Imagino q essa menina do post já tenha dúvidas e problemas demais na cabeça para ainda ter q ler comentários maldosos!

Anônimo disse...

A questão posta aqui é bem séria. O relato é de uma menor que sofreu um abuso. Comentários maldosos daqui só irão piorar a cabeça dela. a autora deveria ter filtrado isso e mandado a opinião dela por e-mail.

Prezada, procure ajuda converse com seus pais, aqui com certeza não terás ajuda.Internet não é o lugar correto para tratar de um assunto tão delicado.

Anônimo disse...

Kittsu, a menina de 13 anos do julgamento pode ter perdido a virgindade com outro menor de idade, o que não configura estupro.

Anônimo disse...

QUe horror gnt achando que crianças com 13 anos tem taras, e que não são inocentes...

Uma coisa é vc ter 13 anos e se descobrir e descobrir o outro e os DOIS terem a msm idade.

Outra coisa é um cara de 20 e tantos anos que é seu professor (relação de poder), que tira vc da escola e abusa de vc dentro do carro, no horário de trabalho perguntando se vc tem coragem (pressão).

Não é a inocência,pudor ou seja lá o que for da garota que está em jogo.O que se vê é que claramente o adulto que deveria ser responsável por ela usou da sua posição para estupra-la.

Anônimo disse...

Anon das 14:29 ela tinha TREZE anos. Estar descobrindo o sexo e a própria sexualidade e corpo não significa que está pronta pra uma relação sexual. Leia o comentário do anon de 17:38. Disse tudo.

Anon das 17:37 isso pode ter acontecido. Mas a questão é que se foi com um menino da idade dela, é muito provavelmente uma experiência consensual. Com um homem de 48 é estupro e pedofilia. O fato da menina não ser mais virgem (inclusive se ela deixou de ser virgem num ato consensual) não pode ser desculpa pra tirar pedófilo da cadeia.

Fakes da kittsu, quem vocês acham que estão enganando?

Anons das 17:15, 17:02, 16:45...
Incrível como esse mundo tá cheio de doentes querendo de todo jeito que a pedofilia seja descriminalizada usando essa desculpa do "Não é mais inocente!", assim podem estuprar meninas vulneráveis e fáceis de manipular. Já foi provado que existe sexualidade infantil, e aí? Vão querer que estupro contra crianças de 4, 5, 6 anos não seja crime porque Complexo de Édipo é a prova de que criacinhas não são inocentes? Babacas.

Kittsu disse...

É verdade. Mas ainda assim não seria razão pra que descartassem a existência de estupro de vulnerável. Um paralelo seria dizer que seria impossível ao esposo ter estuprado o cônjuge porque já tiveram relação sexual anterior, ou porque ela já não era virgem antes - E nosso judiciário já fez isso, o que demonstra que muitas vezes eles estão mais interessados em distorcer a lei para perpetuar pensamentos misóginos do que tão somente aplicar a lei.

Deb disse...

Parece que algumas pessoas esqueceram de como é ter 12,13 anos. Fase de transição e confusa, meninos e meninas dessa idade são vuneráveis. Quantas vezes não fizemos algo nessa idade pra agradar amigos, ficantes e pessoas que admiramos. Como ela mesmo disse o "sim" foi muito mais uma maneira de agrada-lo do que uma vontade própria. Mas mesmo que fosse uma vontade dela a Lola já disse no texto: A RESPONSABILIDADE É SEMPRE DA PESSOA MAIS VELHA!! Um homem de 28 anos tem muito mais experiência e conhecimento que uma garota de 13 anos que nunca namorou ou transou e essa mesma regra vale para as professoras que abusam dos alunos. É realmente tão difícil entender porque a relação entre um adulto(mulher ou homem) formado e um adolescente(menino ou menina) em formação é problemática?? É tão impossível enxergar as consequências de tal relação, principalmente em alguem que ainda está crescendo??
Por favor reflitam um pouco.

Jéssica disse...

Anons babacas, a garota ser inocente ou não é irrelevante! O que um adulto quer com uma garota de 12 anos? Manipular? Se sentir superior? Ele tem tesão no corpo infantil? Ele é um doente, que deveria estar preso.

Blahblahblah professoras e alunos. Adivinha quem nesses notícias apoia a decisão das professoras serem presas? Uma dica, não são os machistas.

Na mesma thread que falsificaram a Kittsu tem anon mascu chorando que acusam eles de fazerem fakes injustamente. Piada?

Anônimo disse...

Tem menina de 13 anos lendo 50 tons de cinza.Não são mais inocentes.

Kittsu disse...

Um Garoto nessa idade que já viu uma playboy dá legitimidade para que um homem o estupre? Ou vamos colocar um eufemismo aí: o "convença" e praticar sexo com o aliciador?

Raven Deschain disse...

Muitos elogios, vcs são lindxs. Tudo fake meu.

Menos os idiotas, claro, que não sou obrigada. ¬¬ Deal with it.

Ow Flavio, caramba. Quando eu tiver metade de sua inteligência aí sim serei #phoda.

Raven Deschain disse...

Credo Stoffel. A 4 anos atrás eu usava msn full time. Tinha instalado até no celular

Piloto disse...

Poxa, pena que eu não dei uma sorte de achar uma professora assim.
Aí talvez tudo poderia ser diferente, já não me abalaria em ter passado uma adolescência no ostracismo sem ter descoberto a parte boa da vida (sexo). As únicas coisas boas de minha adolescência foram as noites jogando CS 1.6, e tendo que andar em bando para não ser alvo de bullying dos bad boys, que por coincidência eram os preferidos das meninas.

Anônimo disse...

Toda minha solidariedade pela R. pq passei por algo semelhante com essa idade.

Eu queria muito beijar um cara pq já nessa idade eu já achava que tinha algo "errado" comigo, por achar minhas amigas mais bonitas...e tals. Acabei que dei entrada para as investidas de um tipo canalha de professor como esse do relato.

Um dia ele me convenceu a ir com ele na biblioteca entre os horários regulares de aula, pq ele ia me ajudar na pesquisa, ele acabou me beijando, não se contentou e tentou forçar a barra, eu entrei em desespero e tive que sair correndo pq o cara não entendia o meu "pare" "não quero", pq né? Eu tava "provocando".

Aconteceu que ele passou a me perseguir na sala de aula, comecei a levar só nota vermelha na matéria dele e com vergonha de contar pra minha família o que tava acontecendo mudei de escola. Deixei para trás muitos amigos mas o trauma ficou.

Kittsu disse...

Um Garoto nessa idade que já viu uma playboy dá legitimidade para que um homem o estupre? Ou vamos colocar um eufemismo aí: o "convença" e praticar sexo com o aliciador?

Anônimo disse...

Comentei como anon, pq se eu usar a minha conta, podem falar que eu sou fake da Raven...

Klttsu disse...

Kittsu fake,só homem estupra?

Você não está estudando a cartilha Lola de feminismo pasteurizado!

Anônimo disse...

uma duvida, ok recusar transar com meninas de 13 anos, mas como fazer nos casos que a mulher deseja transar ou seja a menina deseja, mas vc não sabe a idade ou ela mente a idade? se ela falar 17 ? 18 ? e existem algumas meninas com 13 que parecem mais velhas .. como que fica esta situação?

Kittsu disse...

Não. Mas se eu desse um exemplo no qual uma mulher mais velha cometesse o abuso, choveria boçal pra dizer que teria adorado, como o Piloto afirmou.

Luiza disse...

R., querida...sinto muitíssimo pelo que aconteceu com você. Mas por favor, não coloque a culpa em si mesma! O errado foi o seu professor, e não você. Reforço a sugestão da Lola: procure terapia, procure ajuda. Você não está sozinha. Muitas meninas passam por isso. Se você trabalhar essas questões, vai ver que pode aproveitar muito da vida. Vai ver que o sexo nem sempre é algo que causa culpa e remorso depois. Vai ver que pode explorar sua sexualidade sem medo. Eu espero, de coração, que você fique bem. Porque querida, não importa como a gente começou, sempre existe a chance de fazer diferente e trilhar um novo caminho. Te desejo toda a força do mundo! Não se culpe.

Anônimo disse...

Coitado dos homens, morrem de medo de serem estuprados por mulheres, os meninos que mostram a cueca inteira quando sentam estão morrendo de medo de alguma garota enfiar uma estaca no c* deles e quando os homens assediam as mulheres nas ruas, é só um mecanismo de defesa, porque no fundo eles estão evitando serem assediados, ja notou também que nenhum homem anda na rua a noite? SQN

Piloto disse...

Claro que eu iria adorar, seria a única maneira de não morrer virgem.
É difícil explicar o que é ter passado a juventude(a fase das descobertas) sem descobrir nada.

Kittsu disse...

Não. Mas se eu desse um exemplo no qual uma mulher mais velha cometesse o abuso, choveria boçal pra dizer que teria adorado, como o Piloto afirmou.

Anônimo disse...

Anon das 18:51 se o maior sabe que a moça é menor, é obrigatório pra um adulto normal e saudável se recusar. Quanto a mentir a idade, só vi um caso desses e não havia uma solução 100% satisfatória na minha opinião. Talvez pedir um documento sem dar na vista que quer verificar a idade, sei lá, vão ao cinema e pede a carteira de estudante dela dizendo que é pra comprar a meia entrada. Alguém aí tem uma ideia? Embora eu realmente duvide que isso aconteça com frequência...

Anon das 18:06 outro pedófilo enrustido querendo descriminalizar a pedofilia pra poder se aproveitar de meninas manipuláveis... o próximo passo será pedir o fim do crime de pedofilia porque crianças de 4 a 6anos tem Complexo de Édipo, claro que não são inocentes.

Luana disse...

Esse professor se aproveitou de você, não se consuma em culpa. Quando eu tinha 13,14 anos também amava os homens mais velhos da música, da televisão... é normal esse tipo de sentimento. O anormal nessa história foi que o tal do "príncipe" da sua vida não era um amor platônico por alguma celebridade inalcançável, e sim um professor jovem e bonito que tomou a iniciativa de se relacionar com você de uma forma que ele não podia se relacionar. Ele foi escroto e sabia q estava errado, senão não tiva vazado da escola logo em seguida. Corte esse homem da sua vida imediatamente. No mais, TIRE ESSA CULPA DO SEU CORAÇÃO. Fique bem, R.

Piloto disse...

Tenho 20 anos. Até a família desconfia que eu sou virgem e me sacaneam.
Só tive uma namorada na vida, namoro que durou um mês e meio, pois nenhuma mina iria querer um cara carente e sem nenhuma experiência sexual (e continuei virgem após esse namoro). Sendo que é pregado que o homem tem sempre que ser o cara, mas eu nunca consegui emular esse personagem.

Anônimo disse...

A culpa é sempre do adulto responsável. Lola já escreveu sobre isso. A professora está errada e o aluno é vítima de estrupo.

Anônimo disse...

O cara tinha 28 anos, dois filhos (com mães diferentes), e a “namorada” estava esperando o terceiro.

Neste trecho já é TOTALMENTE visível o tamanho da CILADA, mas talvez não para uma garota de 13 anos hipersexualizada pela sociedade.

Na sua idade eu me preocuparia em fazer esportes, cursos, música isso vai te ajudar. deixa esse lance de sair e namorar sério pra mais tarde viu...

Kittsu disse...

Família é coisa complicada. Não se deixe pressionar por exigências familiares sobre... o que fazer com seus próprios genitais (escrevendo isso soa tão ridículo quanto é essa exigência). Você não é uma pessoa pior por não ter feito sexo e quem te disser isso é um ridículo, sua pessoa não se reduz e um pênis ativo e você deve ser livre pra ter seu tempo. Se acha que já está pronto pra isso, pense que seu/sua possível parceira(o) é um ser humano que nem você com todas as implicações possíveis de ser um humano. A "qualidade" desta pessoa também não é um indicativo da sua capacidade como ser humano e também não deveria ser objeto de homologação de sua pessoa, e sim alguém com quem você possa curtir junto.
Dito isso, talvez fosse bom você falar com um psicólogo.

Kittsu disse...

De onde você tirou que só é possível descobrir coisas na adolescência? Se você tiver coragem pra não se amarrar sozinho a preceitos estanques, vai descobrir coisas e sensações novas até velhinho(não falo de coisas sexuais). Até no dia-a-dia mais pacato é possível se deleitar com a vida... Desde que você entenda que a vida não vem com uma manual Onde estão descritos os únicos prazeres existentes e que eles tem que ser homologado por uma banca julgadora.
MAS eu também fui uma "descobridora tardia" que achava que ia morrer virgem e que tudo girava em torno disso. Não é verdade e criança nenhuma merece ser abusada porque "é melhor isso do que nada". Cada um tem seu tempo de desenvolvimento que precisa ser respeitado e talvez você mesmo não esteja maduro o suficiente pra isso (imagine quando mais novo).
Qual a sua idade?

Piloto disse...

Pronto eu estou a tempos, mas é que eu não consigo gerar atração em nenhuma mulher, mesmo sob o estigma do "bom partido" (por ser caseiro, tranquilão e etc..). Mas isso tem um revés por que nenhuma mulher de minha idade vai querer alguém do meu tipo, mas sim um cara descoladão.
Acho que a solução vai ser esperar elas envelhecerem e ficar com essa fase da minha vida preenchida com um branco.

Anônimo disse...

temos de fazer algumas distinções, dois adolescentes da mesma idade descobrindo o sexo é uma coisa.

um adolescente relacionando-se com um adulto é outra coisa. no segundo caso entra a questão da diferença de idade (16 x 18), se é uma relação de poder (professor x aluna), e até mesmo a iniciativa (aluna de 16 e professor de 22 é diferente de aluna de 13 e professor de 28)

todos estes fatores teriam de ser levados em conta, simplesmente negar que adolescente fazem sexo e sim eles fazem eles querem fazer e alguns deles (poucos é verdade) são maduros o suficiente para escolher o que querem e ir atrás ..

Anônimo disse...

Na região Norte do Brasil, e muito comum a cultura da pedofilia, meninas de 12 anos ou menos, são oferecidas, por suas mães, para politicos, comerciantes e autoridades locais.
E por ser como eu disse, uma questão cultural, muitos não acham nada demais nisto não, e ate falam abertamente sobre o assunto.

Anônimo disse...

Continuem estimulando a "cultura do funk" carioca feministas, e todas as sua 'novinhas sensuais'

Anônimo disse...

meu deus, vocês que falam "mas essas meninas de 13 anos hoje em dia não são mais inocentes" só podem ser muito ignorantes ou mal intencionados. (ou os dois).

qual a dificuldade de entender que NÃO importa se a menina consentiu, se ela parecia mais velha, se ela não era mais virgem, se ela tava """"provocando""". O adulto (ou adulta) tem o DEVER de dizer não. Tem a responsabilidade de sair dessa situação. Não interessa nada além disso!

meu deus, por que a gente ainda tem que explicar o óbvio???

e outra, é como disseram aí em cima pros otários que vieram dizer "se fosse uma professora com um aluno, iam dizer que ela é coitadinha": ISSO NÃO EXISTE! A professora que faz isso é tão culpada e merece ser punida quanto um professor que faz isso. E esse argumento sai da boca de quem, quando vê um caso desses, é o primeiro a chamar o menino de sortudo, a rejeitar a ideia de que o menino foi abusado, e ainda tem a cara de pau de dizer "se fosse professora etc" APENAS pra silenciar a discussão sobre professores do sexo masculino abusando meninas.

Eu hein, melhor tirar férias desses comentários de novo, pelo bem da minha paz de espírito

Anônimo disse...

Sofri abuso na infância por um homem cuja profissão era advocacia. Esse mesmo homem me disse uma vez que eu "não poderia culpá-lo pela atração física que ele sentia, devido ao modo que eu me vestia". Quando fui abusada, eu tinha 10 anos, quando ouvi isso dele, completamente horrorizada, tinha 16.
E sabe o que mais ele dizia para eu e meus irmãos e irmãs para nos coagir? Que como nosso pai, ele tinha "pátrio poder" sobre nós.
Até hoje não sei como não o matei. E pena que ele passou pouco tempo na cadeia, pq o mínimo que um pedófilo estuprador e incestuoso merece é a morte (sim, admito que sou reaça nesse sentido, podem me crucificar).

~ Camila

Anônimo disse...

ah tá, anônimo das 20:53, porque antes do funk carioca nunca existiu homem querendo se aproveitar de meninas pré-adolescentes.

esses porcos sabem que são capazes de exercer algum poder sobre meninas nessa fase que não só estão descobrindo seu corpo e sexualidade como também gostam de se sentir especiais com a atenção e validação de um adulto.

mas lê e interpreta o texto (e a vida) quem quer né

Kittsu disse...

Pra encontrar uma pessoa você precisa encontrar pessoas e ter intimidade. Frequente locais que você frequetaria naturalmente por ser de seu interesse e fale com as pessoas, faça amigos e amigas. Na melhor das hipóteses você encontra alguém pra dividir atividades com safadeza, na outra melhor das hipóteses você encontra alguém pra dividir atividades sem safadeza. Esteja Feliz fazendo o que você gosta e as pessoas naturalmente se aproximarão, mas vai ser difícil se você fizer isso escondido... rs.

Kittsu disse...

Toda a argumentação parece girar em torno da isenção do homem de responsabilidade na história. simplesmente parece voltar a cair na impossibilidade nata de culpa do homem. aparecem varios fatores (sempre na parte mais frágil) pra de alguma forma justificar ou desgravar as ações dele.

Anônimo disse...

Piloto, vc é uma vítima clássica do machismo. Ensinam que a vida do homem tem que girar em torno de sexo, e que a única atenção feminina que importa é a que acaba em sexo,o que é ridículo. Lamento que vc se sinta dessa forma, mas não se deixe levar pela opinião porca da sociedade.
Kittsu, sempre linda nos comentários, onde encontro gente que nem vc?
E sobre a menina do post, mais empatia, por favor. Não é porque uns tinham "tara" por caras mais velhos ou eram virgens na idade dela que devemos comparar situações. Não é sobre vcs, é sobre ela.

Julia disse...

Camila, você o denunciou por isso ele foi preso?

Que maravilhoso!

Anônimo disse...

Claro que uma mulher adulta fazer sexo com meninos de 13 anos é abuso, mas isso é um blog feminista, por isso se fala mais de mulheres. Onde vc quer que as mulheres tenham um bom espaço? Nos veículos dos mascus?

Anônimo disse...

Vá procurar mulheres que não sejam baladeiras e fanfarronas. Tem uns caras que se dizem tímidos, virgens, românticos e meigos, mas só vivem atrás de mulheres que são o oposto do que eles são. Parece doença.

Anônimo disse...

Ai meu chapéu... quanta diarreia mental por parte dos masCUs!!! ;-/

SEMPRE que o assunto é uma menina/mulher que sofreu abuso é a mesma sequencia de chorume:

"aaaaaaaaaaaaainnn uzomi também são abusaduuuuuuu i ax feminazi não fazem nada, buááááááááááá".

ou a segunda versão controversa a primeira:

"aaaaaaaaaaaaaainn eu queria se ixtrupado/o sonho duzomi é se ixtrupado e ninguém nos ixtrupa e a culpa é das feminazi, buáááááááááá"...


Meu, na boa masCUzada... o mundo não gira em torno do pau de vocês. Aqui nos preocupamos com as VERDADEIRAS vítimas, independente do gênero.
Agora vão lá enfiar a cabeça na privada e puxar a descarga.

Jane Doe

Anônimo disse...

Agora, sobre o post.

A menina estava descobrindo a sexualidade dela. Ela era imatura e estava lidando com essa novidade natural da idade. Até aqui não tem nada de errado. Jovens de 12, 13 anos estão aprendendo sobre sua sexualidade, seus limites, seus novos sentimentos e isso é perfeitamente normal!!!!

Agora, um ADULTO tirar proveito de adolescentes nessa fase do desenvolvimento é DOENTIO e PERVERSO.
Não interessa se a menina ou menino procurou o adulto! O adulto é o responsável em tal situação. O adulto é que deve ter discernimento. O adulto já está (ou deveria estar) emocionalmente maduro pra saber as consequência.

Jane Doe

Anônimo disse...

Na verdade, eu e minhas irmãs denunciamos quando descobrimos que minha irmã mais nova tinha sido abusada. Porque quando aconteceu comigo minha mãe ainda era viva e estava em depressão (ia dormir bêbada todas as noites), e quando resolvi contar o que estava acontecendo, tudo o que ela fez foi me por pra dormir junto com ela e os pequenos.
Mas o tempo passou, minha família "se converteu" temporariamente, e a mãe resolver perdoar o abusador, deixando tudo o que tinha acontecido debaixo dos panos.
Por fim ela acabou falecendo de infarto fulminante, e meu irmão e minha irmã mais novos e eu ficamos sozinhos com ele.
Foi então que aconteceu outra vez, e decidi que isso não ia ficar assim. Tudo o que eu queria é ver aquele homem pagando pelo que fez.
Tivemos medo de início, pois ele era advogado e tinha "amigos" quando precisasse. Mas fomos nós contra o mundo, sabe, não dava pra continuar em silêncio.
Desafiamos o medo e a vergonha, de tudo o que pensariam e falariam de nós, mas não recuamos mesmo não tendo com quem contar.
No fim das contas, o abusador (a quem recuso de chamar de pai) foi condenado e preso, mas só cumpriu um terço da pena em regime fechado e em cela especial (uma pena).
Hoje ele está solto, cheio da grana, e desfilando na maior cara de pau, contando pra todo mundo que nós fizemos aquilo porque queríamos nossa "herança" mais cedo, e ahh... ele inventou muita coisa pra denegrir nossa imagem e se passar como injustiçado.
Estou morando em outro estado agora, tentando deixar o passado pra trás e procurando um motivo pra continuar vivendo. Acompanho o blog da Lola já faz um tempinho, e vejo que não sou a única com uma história de horror a compartilhar. Me sinto confortável por isso, só que ao mesmo tempo preferiria que ninguém tivesse que sofrer nas mãos de um abusador, seja criança ou adulto.
Queria que o mundo fosse um lugar melhor, e sinto muito que não seja.

~ Camila

Raven Deschain disse...

Eu menstruei com 9 anos, Carlos. Tá falando sério?

De acordo com esse pensamento, posso arrancar sua cabeça ou comer seus órgãos internos após o coito? Natureza, ué.

Pedófilo babaca. Se mate.

Anônimo disse...

Carlos, trollzinho asqueroso, vaza daqui.

Anônimo disse...

"O cara tinha 28 anos, dois filhos (com mães diferentes)"

E o fato dele ter filhos com mães diferentes é altamente relevante porque: ________________________

Anônimo disse...

Lola, você realmente indicou filmes de classificação indicativa 18+ para uma menor de idade?

Sou o anônimo de ontem que pediu moderação nos comentários deste post e acaba de me ocorrer isso. Continuo achando irresponsabilidade o que você fez com a menina, e agora ainda mais. Você não deve dizer que ela talvez deva fazer terapia, ela PRECISA de terapia, e certamente não precisa ver esses masculinistas do inferno dizendo esses absurdos aqui.

Essa caixa de comentários está uma baixaria. Ok, eu não preciso ver, não preciso ler, tudo bem. Mas não envolva uma menina menor de idade que sofreu abuso nisso. É muito delicado e problemático. Sério, Lola. Por favor. Tenha um pouco mais de tato. Sempre gostei muito do blog, admiro seu trabalho, mas dessa vez não entendi o que deu em você.

Beijos.

Zrs disse...

"Até hoje não sei como não o matei. E pena que ele passou pouco tempo na cadeia, pq o mínimo que um pedófilo estuprador e incestuoso merece é a morte (sim, admito que sou reaça nesse sentido, podem me crucificar).
~ Camila"

Camila, que história de horror! E como é comum ouvir que os abusadores estão dentro de casa e nos mais variados níveis sociais.

Seria importante escrever um post para Lola e alertar e dar coragem para outras meninas que passam por aqui. Força.

Rebeca Chambers disse...

Temos que nso ater a razoabilidade e não atacar o argumentador mas sim suas idéias.

Anônimo disse...

Na letra fria da lei, estupro presumido desde o primeiro beijo, já que o consentimento é inválido por conta da idade. O crime não prescreveu e cabe denúncia ainda.

No entender dos tribunais, geralmente não é bem assim e isso vem lá da mentalidade do já falecido dispositivo da "corrupção de menores" do código penal. Questão é, não se pode corromper o que já é corrompido - entendimento vigente até o artigo sair do Código Penal, ainda existindo um do ECA tratando da matéria. Na mentalidade do código antigo, ter 13 anos não era óbice ao sexo já que em 1940 não era a coisa mais incomum do mundo adolescentes nessa idade estarem casadas e com filho no colo.

Então tecnicamente foi estupro mas na prática, a relação foi consentida. Juridicamente cabia a ele o "não", o afastar-se daquilo. O "trauma", seja ele qual for, pode ser tratado em psicoterapia e a questão jurídica tratada juridicamente, ela só precisa ver se vale a pena passar, como adulta, pela humilhação de seguir um processo assim.

lola aronovich disse...

Anon das 9:02, nem me dei conta que recomendei filmes de classificação para maior de 18 anos para uma menina de 16. Na realidade, não acho que Confiar seja pra 18 anos. Pronto, tive que ver: classif 14 anos. Towelhead: classfic 16 anos. A peça How I learned to drive eu não sei, mas imagino que a classif seja 12 ou 14.
Quanto à moderação, ontem, por exemplo, eu passei praticamente o dia todo fora de casa, com aulas e reuniões em 3 turnos (manhã, tarde, noite), sem internet. Só estive em casa entre às 13 e 16. O resto foi na faculdade. Ou eu deixo os comentários aguardando moderação, o que interrompe muito o debate e pode levar horas, ou eu deixo aberto e depois deleto os trolls (que foi o que fiz). Talvez o disquus seja uma boa opção, ainda não sei, ainda não tive tempo pra ver. Entrei em um ou dois blogs recentemente que usavam esse sistema e não gostei muito.

Anônimo disse...

Mas ai, não ficou respondido ela tem ou não contato com o tal professor? há uma passagem no texto que deixou implícito isso.

Anônimo disse...

Quem aqui se lembra daquele antigo filme nacional, "A Menina Do Lado"?

Hoje em dia, acho que até o bilheteiro do cinema iria preso.

Anônimo disse...

Internet. A melhor maneira de conhecer potenciais parceiros quando se é tímido é pela internet.

Alem disso, abaixe as suas expectativas. Todas as pessoas que conheci que eram como você tinham expectativas surreais. Abstraia do sonho "mulher linda que gosta de exatamente as mesmas coisas que eu".

Anônimo disse...

Lola, na minha opinião, é bem melhor atrasar o debate do que traumatizar ainda mais uma vítima de estupro!!Porque tem omentários aqui que tem que ter estômago viu!!!Lívia

Mila disse...

Complicado isso... Nesta idade, tudo é muito difícil de lidar. É comum os jovens confundirem os sentimentos que possuem para com figuras relevantes (professor, líderes religiosos, etc). Mas o adulto da relação tem que impor os limites. "Ah, ela quer, ela provocou..." - menor de 14 anos é estupro de vulnerável.
Sobre a jurisdição, descobri há um tempo atrás que acusações de estupro, mesmo contra menores de 14 anos, podem ser amenizadas. Não me recordo do termo correto, creio que seja presunção. Mas em alguns casos, quando a menor está em determinadas situações (exploração infantil, se já teve relações sexuais antes) o estuprador não é enquadrado. Fico abismada.

Raven Deschain disse...

Ah eu acho disquus muito bonitinho, mas um belo pé no saco. Muito pesado. E não vejo noq isso resolveria os problemas dos trolls. Um email fake e 5 segundos pra logar, já era.

Anônimo disse...

"O cara tinha 28 anos, dois filhos (com mães diferentes)"

"A mulher tinha 28 anos, dois filhos (com pais diferentes)"

Existe um grande diferença nisso, a mulher é sempre ingênua e deve ter sido seduzida por dois canalhas tadinha. E se discordar é preconceito contra mãe solteira.

Anônimo disse...

Gente, uma conhecida minha começou a namorar um cara de 23 anos, na época ela tinha 14 anos. Hoje ela tem 16 e o cara 25. Tudo com o consentimento dos pais, ele, inclusive, dorme na casa dela desde o início do namoro.
Quando eu soube achei um absurdo, mas conhecendo o moço vi que ele é meio infantil, bobinho. Certamente nenhuma menina da idade dele se interessaria em namorá-lo. Ele tira selfies sensuais e é reaça.

e aí, que vcs acham? É pedofilia?

Anônimo disse...

Conheci um cara que se dizia tímido e que só corria atrás de mulheres brancas e de cabelo liso, metidas a patricinha. Para ele só servia assim. Mas a grande maioria delas eram micareteiras e esse cara só vivia reclamando que mulher não gosta de homem virgem, tímido e bla, bla, bla.
Ele só queria namorar esses tipos de mulheres e só vivia o tempo todo reclamando que elas não queriam largar a vida de micareteiras para ficar com ele até o dia que davam um pé de vez na bunda dele para ficar com algum rei do camarote.
Enquanto isso ele desprezava mulheres que tinham muitas coisas em comum com ele, apenas porque não pertenciam ao perfil "branca de cabelo liso e patricinha", ele achava todas elas sem graça e feias.
A vida desse cara é levar fora e ser traído. Ele quer continuar assim até encontrar uma "patricinha branca de cabelo liso" que goste de homens virgens e tímidos.

Anônimo disse...

O fato de ele ter dois filhos com mães diferentes é um indicativo de que ele tem experiência sexual (e provavelmente emocional) e portanto, sabia o que estava fazendo. E não, não é a mesma coisa um menino ou menina de 13 anos ter experiência sexual e uma pessoa de 28 anos ter também.

Anônimo disse...

"...mas conhecendo o moço vi que ele é meio infantil, bobinho. Certamente nenhuma menina da idade dele se interessaria em namorá-lo. Ele tira selfies sensuais e é reaça."

Homem adulto de 25 anos de idade infantilizado que tira "selfies sensuais", provavelmente mais um metido a bombado ególatra e ainda reaça. Prefere novinhas.
Me lembrou alguns sub-tipos de mascus.
Talvez os pais dessa menina sejam reaças tbm. Tomara que não se repita o caso eloah.

D. disse...

vamos deixar claro pedofilia é quem tem tesão por crianças, adolescentes não entram no conceito de pedofilia.

infelizmente a pedofilia é mais comum do que gostariamos, porem felizmente é uma minoria que realmente externa estes desejos e faz algo, uma boa parte convive com o tesão sempre suprimindo ele (o que pode causar diversos outros disturbios, como culpa depressão, infelicidade, inadequação).

E existem aqueles que tem o tesão, não tem a coragem (ainda bem) de externa-los, mas acabam consumindo pornografia infantil, real ou simulada (simulada no sentido de desenhos, animes)

importante ressaltar que a pedofilia é um disturbio grave, que trás inumeras consequencias as crianças vitimas, mas para muitos eles simplesmente nasceram assim.

Existem os pedofilios que abusam de crianças forçam situações e literalmente estupram crianças e os pedofilios que sentem 'amor' por crianças, querem uma relação, porém esta relação está fadada ao fracasso, primeiro pela posição de poder que ele tem, por mais que ele deseje que a criança ame ele de volta, quando isto não acontece ele pode forçar a criança e segundo é uma relação datada assim que a criança cresce o pedofilo começa a perder a vontade.

por mais estranho e errado que seja, um adulto com uma menina de 13 anos eu não classificaria isto como pedofilia. generalizar tudo como pedofilia afasta a discussão do real problema, as crianças.

E mais como lidar com alguem que tem desejos que não pode controlar. Apesar de muitos conseguirem controlar, muitos nascem 'quebrados' é uma doença. numa analogia tosca é como um psicopata ao encontrar as circunstancias ideais ele será 'compelido' a agir, sendo assim o que fazer com estas pessoas?

Lu disse...

Caramba, mas toda vez que a gente vai falar de abuso sexual vem mascu supondo q feminista defende abuso de mulheres em homens. Nunca na história desse blog uma feminista defendeu tal absurdo. VocÊs adoram inventar fatos e supor coisas. Ignoram que se fosse um aluno abusado por um professor, mascus seriam os primeiros a falar "sortudo", "comeu a professora" e outras babaquices do gênero.
Piloto, vc está condicionando sua vida a sexo. Não acha que fazendo isso, você está se reduzindo? E quanto às garotas, nem todas idolatram bullies. Tente olhar ao redor.

Anônimo disse...

Mascus vivem dispensando mulher por causa da aparência e depois reclamam que nenhuma mulher gosta deles. Eu conheço um cara que reclama que é magrelo e diz que não atrai mulheres por conta disso, mentira. Ele só tem olhos para loiras bombadas de cu rosa, sim ele diz essa expressão mesmo. Ele quer que uma loira bombada do cu rosa goste dele a qualquer custo só porque segundo ele, é bonzinho para elas. Enquanto ele ignora completamente mulheres que são fora desse estereótipo e ainda trata mal de graça muitas delas. Vive lamentando que as bombadas só querem os bombados e os ricos e desprezam nerds bonzinhos, românticos e tímidos como ele. Não dá pra aguentar uma figura dessas, paciência já foi faz tempo. O cara só seleciona mulheres pela aparência e ainda se acha romântico e bonzinho.

Anônimo disse...

Lacrou, anon das 11:21. É por isso que não tenho dó dos caras que são dispensados por elas
Mulheres sofrem (e muito) com exigências de aparências. Todo mundo já levou um fora por não pertencer a um determinado padrão. Isso é normal e ajuda a crescer.
Essas opressões geralmente estão ligadas a relacionamentos abusivos. O sujeito te humilha, te manipula e joga com sua autoestima sob o argumento de "você nunca vai encontrar alguém melhor que eu". Quantas não permanecem em situações assim exatamente por terem uma figura de poder minando sua autoestima?
Não sei se isto se aplica ao caso, mas é muito mais fácil abusar de meninas e mulheres inseguras e com baixa autoestima.
Diferentemente desses guris mimados que choram por não ter sexo, o feminismo busca empoderar essas mulheres, dar-lhes segurança.

Michel Morandi disse...

Oi, Lola

Já faz um tempo que acompanho o seu blog e divulgo pra muita gente, inclusive pr@s filh@s. Tem uma coisa que me incomoda, principalmente num post como esse, que envolve crime contra uma criança, são esses comentários.
Não seria possível uma moderação que excluísse o ódio e a misoginia, pelo menos nesses casos em que o autor vai se deparar com isso, já estando tão vulnerável? Sei lá, ou pelo menos não permitir mais anonimos?
Já tem muito espaço pra ódio e misoginia na web.

Flavio Moreira disse...

Não, ela não quer ser a "santa inocente". Ela está se questionando e tentando entender o que aconteceu com ela naquele momento. Ninguém aqui a conhece pessoalmente nem sabe como ela era e pensava aos 13 anos. Ela mesma se mostra confusa com o que aconteceu. Não é necessário apontar o dedo acusador para ela agora. Aos 13 ela, especificamente, não teve como discernir o que estava acontecendo. Outras meninas de 13 anos podem ter mais clareza e maturidade do que ela teve, mas não são essas que estão em pauta. É sobre a autora e não sobre a ideia que cada um aqui faz do que seja o pensamento de uma menina de 13 anos e sua capacidade ou não de julgar e decidir.
Força para a autora e que ela possa procurar ajuda e superar.

Samantha disse...

Mas eu não consigo entender porque tanta feminista acha um máximo crianças e adolescentes hiper sexualizados,a ponto de comemorarem por uma garota de 13 anos dizendo que seu corpo é uma festa.
Com essa idade eles não tem que pensar nisso,não tem maturidade nenhuma.
Só facilita para os tarados e taradas.
Também acho que ela precisa de um terapeuta.

donadio disse...

"se fosse o mesmo com alguém da idade dela ou menor de idade,não haveria estupro algum.
Acho meio confuso isso aí,ela sabe o que tá fazendo com um adolescente,mas com um adulto está sendo abusada,houve manipulação?


A questão não é ela, é o outro. Você não pode criminalizar um(a) adolescente. Mas adultos têm de se comportar de acordo com a lei.

Não se trata de que ela sabe o que está fazendo ao transar com outro adolescente. Trata-se de que um adulto sabe muito bem o que está fazendo quando tem relações sexuais com uma criança. E esse é o problema.

donadio disse...

"Onde está escrito que ela foi estuprada duas vezes? Só porque não era mais virgem quer dizer que foi estuprada?"

Sendo ela menor de catorze anos, sim, significa que ela foi estuprada, no sentido de "estupro de vulnerável".

Não tem jeito, se o tribunal absolveu o estuprador por que a vítima não era mais virgem, significa que ela, junto com a virgindade, perdeu o direito à integridade do próprio corpo.

É um caso único, o criminoso ser absolvido por que outra pessoa já havia cometido o mesmo crime antes. Imagina se vamos começar a absolver assaltantes por que a vítima já havia sido assaltada antes...

donadio disse...

"Eu também quero ser fake da Raven, acho ela maravilhosa..."

Raven, vc vai ter de abrir concurso para fakes, são muitas as candidaturas.

donadio disse...

"se fosse uma professora, seria estupro do mesmo jeito, independente dos achismos."

Seria, na letra fria da lei.

Mas "o mundo é como foi construído, não como é", e na prática as coisas são sim muito diferentes.

Se uma menina de doze anos tem relações sexuais, ela vai ser "puta" para toda a vida; é um estigma que não se apaga.

E doze anos não é idade para tomar uma decisão tal como a de virar "piranha" para o resto da vida.

Se um menino de doze anos tem relações sexuais com uma mulher adulta... bom, ele não vai ser considerado "vadio", "puto", "piranho"; ninguém vai partir do pressuposto de que o corpo dele é terra de ninguém (ou de todo mundo), só por que ele já não é mais virgem. Não vai ser apontado na rua, não vai sofrer bullying dos colegas, não vai ser posto para fora de casa, etc., etc., etc.

Então, para um menino de doze anos, ir para a cama com uma mulher adulta não é de maneira nenhuma o mesmo tipo de decisão que para uma menina da mesma idade ir para a cama com um homem adulto.

É por isso que é uma falsa simetria.

donadio disse...

"Anon das 18:51 se o maior sabe que a moça é menor, é obrigatório pra um adulto normal e saudável se recusar. Quanto a mentir a idade, só vi um caso desses e não havia uma solução 100% satisfatória na minha opinião. Talvez pedir um documento sem dar na vista que quer verificar a idade, sei lá, vão ao cinema e pede a carteira de estudante dela dizendo que é pra comprar a meia entrada. Alguém aí tem uma ideia? Embora eu realmente duvide que isso aconteça com frequência..."

Grande não-problema, na realidade.

Algumas mulheres são obviamente adultas; elas geralmente têm mais de 20 anos de idade. Se elas estiverem a fim, curta a vida.

Algumas meninas são obviamente crianças; mesmo que elas estejam a fim, recuse.

Algumas meninas/mulheres parecem mais jovens ou mais velhas do que realmente são... até abrirem a boca. Converse, e a idade real dela se revelará. Se não se revelar logo, converse mais (uma conversa que costuma matar logo a charada é sobre o trabalho dela).

Mas tudo isso é chover no molhado.

Homens que têm experiência real com mulheres sabem de tudo isso; quem tem esse tipo de dúvida é por que não tem tido encontros sexuais ou românticos, nem provavelmente conhecem mulheres com quem poderiam ter esse tipo de encontro, e consequentemente estão sonhando com uma mulher que vai dar em cima deles em uma festa (à qual eles muito provavelmente nem vão, para começo de conversa).

Ou então, claro, são homens que se sentem atraídos por crianças, ou por mulheres infantilizadas. Though thing, nasceram no mundo errado, ou no século errado.

Anônimo disse...

"Mas eu não consigo entender porque tanta feminista acha um máximo crianças e adolescentes hiper sexualizados,a ponto de comemorarem por uma garota de 13 anos dizendo que seu corpo é uma festa."
Samantha, acho que você está confundindo sexualidade com hiper sexualização. Hiper sexualizar é um terceiro retratar (mulheres, homens, crianças) como apenas objetos sexuais.
ESSA propaganda hiper sexualiza a mulher: https://quasepublicitarios.files.wordpress.com/2010/06/skol_bebedouro.jpg
ESSE vídeo hiper sexualiza crianças:
https://www.youtube.com/watch?v=z4tIIvzLEDA
Agora, sexualidade é característica de todos nós. Como alguém disse mais em cima, até crianças têm sexualidade.
http://revistaescola.abril.com.br/formacao/despertar-sexualidade-infancia-freud-528841.shtml
Eu mesma me lembro de que quando tomava banho com a minha tia, com no máximo uns 5 anos, gostava de inclinar o corpo "pra água passar na minha pepeca" (falei mesmo isso pra minha tia xD). Mais tarde, com 13 anos, me masturbava com plena consciência do que estava fazendo (mas claro, enquanto os meninos da minha sala faziam piadinhas sobre "bater um 5x1, namorar sozinho, descabelar o palhaço", nós meninas não admitíamos que nos masturbávamos, porque né, masturbação feminina é feio). Quando nós achamos o máximo que a menina tenha dito que o corpo dela é uma festa só para convidados, não estávamos comemorando que ela convide centenas de homens para fazer sexo, até porque não sabemos se ela o faz. Achamos o máximo que uma menina dessa idade, em vez de fingir que não tinha nenhuma curiosidade com o assunto, estivesse tranquila com a sua sexualidade (meu corpo é uma festa), e que já tivesse consciência que essa sexualidade diz respeito apenas a ela (só para convidados).

Anônimo disse...

lola como já disseram por ai: "voce quando jovem era tao bonita... "e continua sendo! Mas e SE não fosse? e dai pombeletas! beijos, Lu

Anônimo disse...

Ainda farei isso. Só estou reunindo ânimo pra botar tudo pra fora.

~ Camila

Anônimo disse...

Querida, fale com ele por whatsapp sobre o fato ocorrido (de quando voce tinha 13 anos) tire um print ou grave uma ligaçao mas por FAVOR DENUNCIE SIM SIM E SIM!! Tanto por voce, como por minha filha que tambem pode passar pelo mesmo. É um ENORME favor a todos que esse pedofilo seja PRESO.
Sinta-se abraçada e acolhida. <3

Anônimo disse...

Uma vez, em conversa com amigas ativistas (que inclusive te conhecem pessoalmente, Lola), elas colocaram que não se deve colocar para uma mulher que ela foi estuprada se ela não entendeu a situação daquele jeito e se não existe iminência de aquela mesma situação se repetir. Segundo duas das meninas, o entendimento de um estupro como tal é de enorme relevância política mas pode não ser o melhor para a vítima.

O que acha, Lola?

Anônimo disse...

Pois é anon 16 abril, 10h32


Também acho que o rapaz é mascu. Ele curte a página orgulho de ser hétero (ou algo assim) e vive postando umas piadas misóginas.

Mas acho que ele é aprendiz de mascu, do tipo que não sabe do que se trata o masculinismo, mas acha bonito (tradicional, old school, adulto, sei lá) reproduzir umas idéias machistas.


Ele é bobinho mesmo, se pá minha conhecida de 16 é mais madura que ele. Ela é obesa e tem problemas com a auto estima, acho que ele se aproveita disso. :(

Anônimo disse...

"Segundo duas das meninas, o entendimento de um estupro como tal é de enorme relevância política mas pode não ser o melhor para a vítima."

N vou falar por todas, nem pela com conhecimentos de psicologia, mas por mim. Foi extremamente importante eu nomear de estupro o que eu sofri quando criança, e outro mais tarde, já adulta, numa ocasião em que eu estava alcoolizada e apagada.
No início nao foi fácil, mas a acolhida das feministas na internet e perceber que eu n era a unica, q era um problema social e de genero me ajudou demais.
Fiz terapia tbm.
Com esse combo de terapia + feminismo, fui capaz de perceber q eu tinha imensa dificuldade em dizer nao para meu parceiro sexual, fazia muita coisa apara agradar e nao admitia isso nem para mim. Eh como se os abusos infantis tivessem me condicionado a "dar prazer" ao outro esquecendo de mim.
Meu namorado na epoca nem se dava conta e passamos por todo um processo de prestar mais atençao nos meus sinais. Mas hoje eu vejo que isso foi bem sofrido e desgastante no meu relacionamento.
Eu nao vejo como haveria a menor possibilidade de eu curar minhas feridas, melhorar minha vida afetiva e sexual sem enfrentar meus fantasmas e ter consciencia de ser sobrevivente de varios abusos.
Alias, minha psicologa dizia q eu "congelei" no momento do meu abuso qdo adulta (depois q eu recobrei a consciencia, ja q no inicio eu tava apagada), justamente em decorrencia dos abusos infantis.
Quem sabe quantas vezes mais eu passaria por isso ou faria sexo sem vontade (e sem perceber q eu nao tinha vontade!), se nao houvesse o feminismo, e em particular o blog da Lola, que fez com q caisse a ficha e eu levasse a questao pra terapia pra começo de conversa.

Desculpem pelo comentario confuso, espero que ele ajude em algo.

Anônimo disse...

Concordo.

Anônimo disse...

O ponto é que o debate não é mais importante que a estabilidade psicológica da criança. Quem está debatendo pode ler os trolls, mas ela não. Deveria ter aberto exceção especificamente para esse post. O ponto é esse, não os trolls em geral, mas aqui, nesse tópico.

Anônimo disse...


a) Sou professora de História vou dar minha opinião, é nojento professores( Homens e mulheres), envolverem- se sexualmente com seus alunos.

b) Muitos adolescentes procuram nos professores o apoio emocional que não têm em casa, tem que ser muito mal caráter para usar este sentimento e abusar sexualmente de alguém

c) Costumo ignorar os trolls mas é forte ler que as adolescentes têm tara por homens mais velhos, o machismo é nojento, culpar uma criança de 13 anos pela ação nefasta de um adulto.

d) Os meninos tb sofrem abusos eu vi um caso, que um adolescente de 14 anos, envolveu- se sexualmente com uma mulher de 35 anos, o pai inspirado no machismo achou lindo, até que o garoto começou a matar aulas e querendo ficar direto na casa da predadora, foi quando ele tomou uma atitude e acabou com o namoro

Anônimo disse...

"elas colocaram que não se deve colocar para uma mulher que ela foi estuprada se ela não entendeu a situação daquele jeito e se não existe iminência de aquela mesma situação se repetir. Segundo duas das meninas, o entendimento de um estupro como tal é de enorme relevância política mas pode não ser o melhor para a vítima."

Alguém muitíssimo próximo a mim, heterossexual, quando tinha 16 anos, foi à casa de uns amigos e como era de esperar, o povo encheu a cara grandão, fumou maconha etc. Ele só bebeu. Em um dado momento, já bem bêbado, viu que tinha um dos amigos fazendo sexo oral e em suas palavras ele não tinha a menor condição de reagir àquilo. Sua próxima lembrança é dele ajoelhado no chão e com a barriga apoiada em uma poltrona sendo penetrado alternadamente por um número indefinido de pessoas. Terminaram, ele apagou ali mesmo e depois que acordou, foi pra casa. Os amigos e os presentes envolvidos na festa aparentemente nunca mais tocaram no assunto com ele.

Quando ele contou essa história, já estava pronta pra pegá-lo no colo e dizer que sentia muito e lamentava pelo estupro mas aí que veio a minha surpresa. Disse-me ele que depois que acordou, que entendeu todo o ocorrido e foi para casa, que seu maior incômodo era achar que devia estar sentindo alguma coisa a respeito do que aconteceu. Ele sabe que agiram errado com ele, que não havia condições de consentir e acabou se afastando dessas pessoas por questões de confiança mas o sentimento negativo associado ao estupro não bateu nele, não.

Tecnicamente foi estupro? Foi.
Juridicamente foi estupro? Foi.
Na prática, foi estupro? Foi. Não houve consentimento.
Ele se sentiu mal com isso? Não.


Acho importante respeitar o livre-sentir tanto de quem se sente mal como quem não se sente mal com determinadas situações pré-concebidas, sem enfiar minhocas na cabeça dessa pessoa para diminuir, aumentar seus sentimentos ou quiçá criar novos improdutivos.

Na minha vida pessoal, quando eu era bem nova, tive um envolvido sexual com uma pessoa bem mais velha em uma situação que, para todos os fins sociais, morais, religiosos, éticos e legais entraria no bradar público do "cortem o pinto desse pedófilo doentio" mas que eu nunca me senti realmente agredida ou ameaçada ou sequer desconfortável, ao contrário, confiava bastante nele, que nunca me machucou fisicamente. Obviamente que um dia isso terminou e eu, apaixonadíssima, virei um poço de mágoa. Isso me doeu bastante mas os rompimentos que experimentei no futuro também foram doloridos, a diferença é que aquela foi minha primeira sofrência de paixão. Mesmo assim, continuo não me vendo abusada ou estuprada e nas poucas vezes que contei essa história a alguém, houve sim uma imensa cobrança para que eu me sentisse mal pelo que "fizeram" comigo. Não sinto, ninguém me estuprou não. Essa história já tem uns 20 anos e continuo pensando assim.

Cada caso é um caso. Quem sente, sente, quem não sente, não sente e todo mundo merece respeito pelo que existe em seu interior, sem cobranças para um lado ou para o outro e mais, sem padronizar reações ou expectativas de reações, o que me parece pior.

Anônimo disse...

Decisão recente do Superior Tribunal de Justiça:

"Praticar conjunção carnal ou qualquer outro ato libidinoso contra menor de 14 anos é crime.
Antes da Lei 12.015/2009, tais condutas poderiam se enquadrar nos crimes previstos no art. 213
c/c art. 224, “a” (estupro com violência presumida por ser menor de 14 anos) ou art. 214 c/c art.
224, “a” (atentado violento ao pudor com violência presumida por ser menor de 14 anos).
Depois da Lei 12.015/2009, essa conduta é criminalizada como estupro de vulnerável (art.
217-A do CP).

Se o agente pratica conjunção carnal ou atentado violento ao pudor com um adolescente de 13
anos, existe crime mesmo que a vítima consinta com o ato sexual?
SIM. Antes ou depois da Lei 12.015/2009, quem manteve ou mantiver relação sexual com
menor de 14 anos comete crime e não importa se a vítima consentiu ou se já tinha tido outros
atos sexuais pretéritos.

Na sentença, durante a dosimetria, o juiz pode reduzir a pena-base do réu alegando que a
vítima (menor de 14 anos) já tinha experiência sexual anterior ou argumentando que a vítima
era homossexual?
NÃO. Em se tratando de crime sexual praticado contra menor de 14 anos, a experiência sexual
anterior e a eventual homossexualidade do ofendido não servem para justificar a diminuição
da pena-base a título de comportamento da vítima. A experiência sexual anterior e a eventual
homossexualidade do ofendido, assim como não desnaturam (descaracterizam) o crime sexual
praticado contra menor de 14 anos, não servem também para justificar a diminuição da penabase,
à título de comportamento da vítima.

STJ. 6ª Turma. REsp 897.734-PR, Rel. Min. Nefi Cordeiro, julgado em 3/2/2015. "

C'est fini