quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

O OBITUÁRIO DE UMA MULHER BRILHANTE

Este é um dos casos clássicos em que a gente percebe como as diferenças de tratamento dadas a cada gênero ainda estão longe de acabar. Uma famosa escritora australiana morreu, e Flavio Moreira traduziu o artigo de Rebecca Shaw publicado no Guardian

Obituários são coisas engraçadas. Como resumir toda a vida de uma pessoa em umas poucas palavras? Como colocar na página a essência dessa pessoa, passando por suas realizações e seus grandes momentos e, ao mesmo tempo, fazer com que fique pessoal? O primeiro parágrafo parece ser crucial. 
Quando Bryce Courtenay, um dos mais admirados e bem sucedidos autores da Austrália, faleceu em 2012, um jornal australiano começou seu obituário com essa frase:
Bryce Courtenay foi um dos grandes contadores de histórias da Austrália, que tocou os corações de milhões de pessoas no mundo com seus 21 livros, sucessos de venda, incluindo The Power of One.
Lindo. Nessa introdução compreendemos imediatamente que ele foi um autor de sucesso, um grande contador de histórias e que foi alguém que tocou a vida de muitas pessoas através de seu trabalho. No dia 29 de janeiro, o Australian publicou um obituário para outra autora australiana admirada e de sucesso, a escritora Colleen McCullough.
Colleen McCullough, bem sucedida escritora australiana, era encantadora. De feições simples e visivelmente acima do peso, ela era, entretanto, uma mulher perspicaz e calorosa. Em uma entrevista disse 'Nunca liguei para roupas ou silhueta e o que é interessante é que nunca tive problemas para atrair os homens'.”
Então, o que aprendemos com essa introdução? O fato dela ser uma autora de sucesso foi rapidamente posto de lado para se discutir seu visual e seu sucesso com homens. No primeiro parágrafo. De seu obituário. Que, supostamente, deveria dar um resumo de sua vida. McCullough foi a mulher que escreveu Pássaros Feridos, ainda hoje o livro australiano mais vendido de todos os tempos. 
Depois de trabalhar como neurocientista em Sidney, ela começou a escrever esse livro em particular durante o tempo em que fazia parte do departamento de neurologia em Yale. Essa era uma mulher que também escreveu uma aclamada série histórica em sete volumes, metodicamente pesquisada, chamada Masters of Rome, que fez com que ganhasse diversos fãs como Newt Gingrich e Bob Carr. Ela é alguém que realizou várias coisas incríveis em sua vida e, aqui, é reduzida, em um instante, à sua aparência e sua habilidade de atrair homens.
Colleen McCullough quando jovem
Infelizmente, essa não é uma questão restrita a esse jornal em particular (embora seja um claro e bizarro exemplo disso), ou à própria McCullough. Quando a brilhante e talentosa cientista espacial Yvonne Brill faleceu em 2013, o New York Times se viu sob fogo cerrado por seu obituário, que começava com:
Ela fazia um bárbaro estrogonofe de carne, seguia o marido de emprego em emprego e ficou afastada do trabalho durante oito anos para criar os três filhos. 'A melhor mãe do mundo', disse seu flho Matthew.
Mas Yvonne Brill, que faleceu na quarta-feira aos 88 anos em Princeton, NJ, também foi uma brilhante cientista espacial, que no início dos anos 70 inventou um sistema de propulsão para ajudar a manter os satélites de comunicação na órbita correta."
Mais uma vez, a vida de uma mulher cheia de realizações incríveis. Mais uma vez, uma mulher reduzida à sua posição em relação aos homens e, desta vez, à qualidade de sua comida.
Que esses obituários ultrajantes ainda sejam publicados demonstra quão pouco as coisas mudaram, e como as vidas das mulheres ainda são reduzidas e desrespeitadas. Isso nos mostra onde recai a ênfase; a capacidade de atração física de uma mulher e suas relações com os homens têm mais peso do que suas realizações.
Pode apostar que o obituário de
Einstein não mencionava seu
estrogonofe ou sua aparência
“MAS” Brill também foi uma cientista brilhante, mesmo ela sendo mulher e mãe. Como se essas duas coisas fossem mutuamente excludentes. Sim, Colleen McCullough não se sobressaía na beleza e tinha sobrepeso, “NÃO OBSTANTE” ela era terna e perspicaz e conseguia atrair homens. Como se esses atributos fossem mutuamente excludentes. A soma de suas vidas; girando em torno dos homens.
Colleen McCullough
Relações pessoais, maridos, esposas e filhos sem dúvida são importantes nas vidas de muitas pessoas e deveriam ser discutidas. Mas muito frequentemente as mulheres são classificadas e resumidas primeiro por seus papéis como esposas e mães, e depois por suas conquistas. A vida de um cientista brilhante jamais seria imediatamente reduzida à sua aparência ou a quantas esposas teve. Ele seria lembrado primeiro por suas conquistas. Nas páginas dessas grandes publicações, as mulheres merecem o mesmo.

31 comentários:

Anônimo disse...

A gente não pode escrever para esse jornal para falar? As australianas não enviaram cartas?

isso é um absurdo. depois vem mascu falar " mumlheres nunca inventaram nada". Se até hoje a gent efaz e o povo fala do nosso estrogonofe, quem diria antes?

Afffff, as australianas e americanas deveriam cair de pau!
lia

Kittsu disse...

Ôrra meu... que coisa mais escrota ter toda a sua vida e suas grandes conquistas reduzidas a "fazia um estrogonofe gostoso", ou "era gordinha mas os homens gostavam dela"... E numa notinha medíocre de rodapé colocar um "ah, fez algum tipo de foguetinho", "escreveu algumas coisinhas"... Caraca. Que coisa ridícula. É como se fosse algum tipo de pecado permitir a associação entre o feminino e a grandiosidade. Os feitos grandiosos de homens se tornam seu legado, às vezes a única memória acerca deles, que gera uma vasta mitologia inclusive sobre o que era a sua pessoa, e seus podres são varridos para debaixo do tapete. Os feitos grandiosos das mulheres não resistem ao julgamento medíocre que é feito: qualquer quilinho extra, briga de família ou inconformidade social vira imediatamente o símbolo do que aquela pessoa era em vida, coisa que não ocorre com os homens - e quando ocorre, é tratado como uma "curiosidade", "extravagância", algo para se surpreender e sorrir no máximo.
É revoltante... Se não somos subjugadas em vida, após a nossa morte nossa memória é espoliada. E o retrato histórico de mulher subserviente, incapaz, inculta, é perpetuado...

Jonas Klein disse...

Interessante o artigo, sabe eu ate ja avia reparado nisso, mas nunca tinha pensado no assunto.

Ate acho que seria a interessante as mulheres ligaram para estes veículos de comunicação, para reclama deste tratamento dado as mulheres nos obituários, nos cursos de jornalismo também seria importante se ensinassem, não usa este tipo de abordagem, quando uma mulher com as características da escritora retratada no texto morresse.

Julia disse...

Parece piada uma merda dessas.

Anônimo disse...

eu estou lendo um livro ele fala exatamente sobre isso, as pessoas não gostam quando mulheres são bem sucedidas, tudo que não se resume ao que o homem espera de uma mulher.
Se ela não for mãe nem dona de casa.

Anônimo disse...

Por isso que eu acho que as mulheres não devem casar, casamento é uma instituição patriarcal.

Anônimo disse...

Anon das 13:36,

Concordo. Muito menos casar de véu e grinalda e ser levada pelo pai até o marido, como se fosse um objeto que passa de uma mão para outra, no maior simbolismo "Toma que a despesa agora é tua".

hehehehehehe

Anônimo disse...

Anon 13:32,

Que livro é esse? Fiquei curiosa :)

Raven Deschain disse...

Huashua toma que a despesa é sua. Boa. Kkk


Sabem, é meio off topic, mas esse ano, uma das minhas resoluções de ano novo é só curtir mulher. Música, livros, desenhos, qualquer coisa. A Coleen tá na lista. Lamentável que ela seja reduzida a "gorda que atraía homens", pq foda-se o intelecto dela, importante mesmo é que acima do peso ou não a a curtia ela. Aff...

Anônimo disse...

Anon 13:36 e 13:40:

Definição quase jurídica de casamento = ato formal e solene de transferência de propriedade da noiva pelo pai desta a um homem qualquer.

kkkkkkk
Bjs

Anônimo disse...

E o MITO do "homem feminista" finalmente começa a mostrar sua verdade.

http://jezebel.com/what-happens-when-a-prominent-male-feminist-is-accused-1683352727

Não é caso único e aqui no Brasil tem inúmeros relatos, especialmente nas comunidades onde irmãs não racham irmãs e que entendem quão fundamental é manter o protagonismo do movimento exclusivamente na mão de MULHERES.

Anônimo disse...

Qualquer mulher de boa razão precisa ligar todos os alarmes quando um homem se declara aos 4 ventos feminista. O exemplo mais recente? O Sr. Douglas, que confessou em rede nacional ter batido em mulher. O Sr. Netinho de Paula, o professor-blogueiro-famoso e outros também seguem linha idêntica.

Raven Deschain disse...

E quando esse douglas e o netinho se declararam feministas?

Barbara O. disse...

gostei muito da sua resolução, Raven!

ta aí uma ideia pra 2016

Anônimo disse...

Típico de como a mídia em geral trata as mulheres. Nem nos obituários somos mais poupadas desse chorume.

Quase toda reportagem que tem uma figura feminina como tema central é assim:
Nome da mulher, posição que ocupa; mínimos detalhes da roupa, maquiagem, sapato, bolsa, esmalte etc.; estado civil (se casada, com ênfase em como mantém o "fogo", se solteira como está desesperada para arranjar marido); número de filhos (se os tem, como está feliz em sua tripla jornada de trabalho enaltecendo a verdadeira vocação que é cuidar dos filhos. Se não os tem como é amarga por não ter largado tudo para ser mãe).

A mensagem é bem clara - viu mulheres, o que vocês fazem é irrelevante. A função de vocês é ser vaso, troféu e matriz reprodutora. O resto é irrelevante...

Sério, me dá náusea...


Jane Doe

Anônimo disse...

"E quando esse douglas e o netinho se declararam feministas? "

1. http://bit.ly/1DyDOiq

2. http://bit.ly/1LMLseQ

Anônimo disse...

"Colleen McCullough, bem sucedida escritora australiana, era encantadora.(.)... uma mulher perspicaz e calorosa."

Recorto essa parte do obituário e guardo. O resto do obiturário e do jornal inteiro deixo pra minha pet fazer suas necessidades. Afinal, um jornal que faz esse tipo de coisa não serve nem pra embrulhar peixe. Só pra colaborar na limpeza da m* que espalhou mesmo.

Anônimo disse...

Essa técnica de diminuir os grandes feitos femininos, mantendo o foco na aparência e servidão aos homens, pode parecer acidental e ingênua. Mas não é. Como eu disse, é uma técnica, utilizada insistentemente para colocar a mulher no seu (suposto) devido lugar.
.
Essa afirmação "excludente": apesar do sobrepeso, atraía os homens... é mais uma forma de ditar regras para as mulheres.

Bárbara G.

Anônimo disse...

Tá rolando uma petição para exigir a retratação pública do jornal. Assinem lá:

http://www.thepetitionsite.com/155/181/735/retract-sexist-obituary-for-colleen-mccullough/

Raven Deschain disse...

Crizes anon. Sabia disso não. Eu hein?

Barbara, é uma lindeza. Musicalmente, descobri agora Esperanza Spalding, que faz um jazz delícia.

Flavio Moreira disse...

Lola, um pouco off-post, mas não totalmente. Eu estou tão cansado de ver pessoas diminuindo o talento das mulheres que resolvi dar uma rápida pesquisada sobre mulheres que deram uma grande contribuição para a humanidade. estava juntando dados e me deparei com algo bárbaro: a atriz Hedy Lamarr "inventou o sistema que serviu de base para os celulares"! O link é da Wikipedia, mas a informação pode ser conferida em outras fontes, que eu vou procurar. Mas está aqui em português:http://pt.wikipedia.org/wiki/Hedy_Lamarr#A_inven.C3.A7.C3.A3o
E, ainda na rápida pesquisa, Marie Curie ganhou o Nobel DUAS vezes, uma em Física e outra em Química. Sempre fui fã dela - fiz um curso de 2º grau (ainda se usa essa nomenclatura?) que era "Habilitação Básica em Química" e ela me fascinou desde que tomei conhecimento de sua história. Mas tergiverso...
É inacreditável que o tempo todo tentem apagar as conquistas que a humanidade deve a mulheres, principalmente aquelas que em épocas ainda mais duras, não se conformaram com o papel que foi imposto a elas e foram batalhar pela ciência, em favor da humanidade.
Abs

Anônimo disse...

E não vamos nos esquecer da Ada Lovelace, o terror dos mascus sem argumento rsrsrsrsrs

Karina disse...

http://www.pragmatismopolitico.com.br/2015/02/participante-de-programa-global-assume-ao-vivo-que-espancou-mulher.html

Lola, comenta sobre esse absurdo! Homem participante do BBB admitiu ter espancado esposa até ela ficar inconsciente.

Anônimo disse...

Hedy Lamarr de fato inventou o sistema de base da telefonia celular. Na época ninguém a levou a sério, pois além de mulher era extremamente bonita.
Houve um programa do History Channel ou do Discovery ( não me lembro mais ) que falou sobre a história dela.

Not a Robot disse...

> douglas disse que socou uma namorada que o perseguiu e cuspiu gelo na cara dele
> maldito machista de merda

>amanda disse que deu uma garrafada no ex-peguete, pois ele falou alto com ela
> amanda disse que só não iria agredir fernando pois seria expulsa do programa
> ninguém liga, ela é mulher e estava se defendendo.


sem duplo padrão por favor.

Anônimo disse...

Vergonhoso e triste

Anônimo disse...

Há de se admitir que redatores de jornal são uma porcaria mesmo. No de minha antiga cidade eles cometiam erros de português crassos. Nenhuma surpresa, é só ler o Meia Hora e suas matérias extremamente culturais sobre bundas siliconadas ou fazendo piadas com crimes e seus autores.

Mas e no caso em que essas matérias são escritas por mulheres, fica estranho, não? Existe pressão pra escreverem assim ou só reproduzem algo ao qual estão acostumadas?

BLH

Patrícia disse...

Flávio Moreira, é facinante este trabalho, também já andei reunindo alguns (poucos, ha, ha) exemplos, vou colocar aqui, quem sabe possa ajudar a você ou servir de referência para outras pessoas (a maioria dos sites está em inglês).

Trotula de Salerno - Considerada a primeira ginecologista da humanidade:
http://departments.kings.edu/womens_history/trotula.html

Rosalind Franklin – Pioneira na biologia molecular (uma das descobridoras da forma helicoidal do DNA)
http://www.biography.com/people/rosalind-franklin-9301344

Emmy Nöther – Uma das primeiras vezes em que ouvi falar sobre Emmy Nöther foi que ela era conhecida como Herr (senhor) Nöther, por estar em uma área completamente dominada por homens. Apesar de todas as dificuldades em ser aceita academicamente, deu grandes contribuições à matemática
http://www-history.mcs.st-and.ac.uk/Biographies/Noether_Emmy.html

Patricia Bath – Desde de cedo mostrou aptidão científica. Pioneira na área de oftalmologia, desenvolveu um sistema para tratamento da catarata capaz de recuperar a visão. Ah, ia me esquecendo, além de tudo, ela é negra.
http://www.biography.com/people/patricia-bath-21038525

(continua)

Patrícia disse...

Sofia Kovalevskaya – Mais uma matemática. Responsável por contribuições importantes para analises matemáticas, equações diferenciais e mecânica.
http://www-history.mcs.st-and.ac.uk/Biographies/Kovalevskaya.html

Sofie Germain – Ah, mulheres e a matemática... ele era também física e filósofa. Uma das pioneiras da teoria da elasticidade
https://www.sdsc.edu/ScienceWomen/germain.html

Maria Gaetana Agnesi – Matemática e filósofa, reconhecida como a primeira a escrever um livro sobre cálculo diferencial e integral.
http://www.britannica.com/EBchecked/topic/9316/Maria-Gaetana-Agnesi

Émilie du Châtelet – Embora seu tratado sobre mecânica clássica não tivesse a mesma precisão que o conceito de massa e velocidade de Einstein E = mc^2², biográfos modernos e hitoriadores vêem uma clara relação com o princípio reconhecido por Émilie 150 anos antes, E 1/2 m ^2
http://www-history.mcs.st-and.ac.uk/Biographies/Chatelet.html

Hypatia – Matemática, astrônoma e filósofa egipcia, morreu assassinada no ano de 415 dC, a mando de um grupo de fanáticos religiosos devido sua influência na cultura de Alexandria.
http://www.britannica.com/EBchecked/topic/279463/Hypatia

Lise Meitner – Física, contribuiu para o descobrimento da fissão nuclear. Nota: visitei o Hahn-Meitner Institut em Berlim, há uma árvore em frente ao nome Meitner no letreiro do instituto. Brincadeira ou não, o professor que nos recepcionou nos disse que era para esconder o nome de Lise, por ser uma mulher.
https://www.sdsc.edu/ScienceWomen/meitner.html

Valerie Thomas – Cientista e inventora, trabalha para a Nasa. Inventou o sistema “Illusion transmiter” (transmissor de ilusão) de imagem 3D usando espelhos côncavos. Espero que logo não seja mais necessário mencionar por se tornar algo comum, além de mulher ela é negra).
http://www.black-inventor.com/Valerie-Thomas.asp
(continua)

Patrícia disse...


Enheduanna - Primeira mulher na história a tomar o posto de alta saterdotisa (sábia), servindo ao templo da lua Nana na cidade suméria de Ur. Foi x primeirx autorx da literatura universal, da filosofia e da história da ciência, apesar de haver outros autores (como, por exemplo, os escribas), Enheduana foi a primeira a assinar suas obras.
http://en.wikipedia.org/wiki/Enheduanna

Maria Leopoldina – Imperatriz do Brasil. Extremamente culta, tinha interesse por ciências e artes; trouxe uma comitiva de cientistas, botânicos e artistas para o Brasil.
Exercia a regência quando D. Pedro I, viajou a São Paulo para apaziguar a política. D. Leopoldina, usando seus atributos de chefe interina do governo, reuniu-se com o Conselho de Estado, assinou o decreto da Independência, declarando o Brasil separado de Portugal. A imperatriz enviou uma carta ao marido exigindo que D. Pedro proclamasse a Independência do Brasil.
http://educacao.uol.com.br/biografias/maria-leopoldina.jhtm

Zilda Arns – Médica pediatra e sanitarista. Criou um programa para ajudar famílias probres a evitar a mortalidade infantil que chegou a abranger, além do Brasil, vários países da Am€rica Latina, África e Ásia.
http://www.e-biografias.net/zilda_arns/

Bertha Lutz – Bióloga e advogada, foi a fundadora da Federação Brasileira pelo Progresso Feminino (FBPF), em 1919. Desensora do movimento sufragista que conseguiu a grande vitória em 1932, garantindou o direito de voto feminino no País antes de países como a França e a Suíça..
http://www.brasil.gov.br/cidadania-e-justica/2012/04/bertha-lutz

Dionísia Gonçalves Pinto - É considerada uma pioneira do feminismo no Brasil e foi provavelmente a primeira mulher a romper os limites entre os espaços público e privado publicando textos em jornais-
http://pt.wikipedia.org/wiki/Dion%C3%ADsia_Gon%C3%A7alves_Pinto

Por enquanto é tudo.

donadio disse...

"Mas Yvonne Brill, que faleceu na quarta-feira aos 88 anos em Princeton, NJ, também foi uma brilhante cientista espacial, que no início dos anos 70 inventou um sistema de propulsão para ajudar a manter os satélites de comunicação na órbita correta."

Nas horas vagas, aparentemente...