segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

"E QUANDO MINHA MELHOR AMIGA É MACHISTA?"

Recebi este email da I.:

Lola, talvez você não tenha passado por uma fase de transição ao feminismo, justamente por se identificar com o mesmo desde sempre, mas algo que tem me deixado muito receosa é o fato de identificar e repugnar o comportamento de pessoas muito próximas, que muitas vezes é excludente e altamente preconceituoso com diversos segmentos sociais. 
Como lidar quando se identifica isso na melhor amiga, quase irmã? É complicado, porque é uma vida inteira e uma infância e adolescência de história e união a se quebrar a cada dia, com cada comentário e cada observaçãozinha. Me sinto triste, sabe, porque parece que é muito difícil essa história de concordar com as diferenças, ainda mais quando se percebe que uma pessoa estar na faculdade ou em contato com outros tipos de universo, não é garantia de que elas venham a pensar de maneira mais aberta.
"Sim, docinho, sonhos e metas são a
maneira de Satanás te distrair de
fazer a janta"
Minha melhor amiga de infância sempre foi minha conselheira, minha irmã mesmo,de confissões, conversas e apoio em momentos difíceis. Quando descobri o seu blog fiquei eufórica e fui logo mostrar pra ela. E qual foi a minha surpresa quando vi tanta repulsa? Achei muito estranho, pois sempre considerei as opiniões dela muito parecidas com as minhas, mas fui vendo o quão diferentes somos em cada pequeno aspecto, e as diferenças foram virando um monstro entre nós. 
Percebi que minha melhor amiga é mascu. Eu nunca achei que isso fosse possível, mas nunca vi alguém com tanta aversão ao feminino quanto ela, que se identifica com milhares de coisas machistas de forma tão intensa que nunca vi em outra mulher. É possível conviver com pontos de vista tão diferentes? E se sim, como? O que você acha, Lola?

Minha resposta: É realmente horrível quando uma pessoa que amamos nos desaponta. E expor preconceito é uma maneira fácil de desapontar quem se importa com direitos humanos e combate às opressões. 
Mas pra você ver como o discurso de ódio é naturalizado: pouco tempo atrás, você nem se dava conta que sua amiga era machista (sim, acredito que mulher pode ser machista, assim como homem pode -- e deve -- ser feminista). Vocês provavelmente já trocavam várias ideias em que a culpabilização das mulheres, digamos assim, já transpareciam, e você não percebia. E agora, como você diz, essas diferenças viraram "um monstro" entre vocês.
Eu te entendo. Tenho alguns amigxs reaças, mas não nos falamos com muita frequência. E, quando nos falamos, ou ignoramos política ou rimos mutuamente das nossas opiniões. Mas não são pessoas necessariamente machistas, racistas e homofóbicas. São de direita, elitistas, mas ainda dá pra conviver.
No entanto, como fazer quando a pessoa é abertamente preconceituosa, e tem orgulho disso? É algo que sempre me perguntam. Quando é parente próximo, não sei se tem muito o que fazer. Centrar-se nas partes boas da relação de vocês, imagino? Mas, quando é amigx, creio que a gente vai se afastando mesmo, porque é triste ver uma pessoa com várias qualidades (afinal, é nossa amiga!) ser tão ignorante. Não estou falando "ignorante" no sentido de "não saber", porque a gente ensina, mas no sentido de "não quero saber e tenho raiva de quem sabe". 
E quando é namorado ou marido, então? Marido, eu não consigo nem conceber, porque eu nunca me casaria com alguém preconceituoso. Mas e namorado, que a gente ainda está conhecendo, ainda está dando uns descontos, e a pessoa começa a falar altas besteiras?!
Ano passado recebi email de uma moça que eu não conheço direito, não sei bem quem é, mas é feminista. É inteligente, bonita, estudada, e namora um mascu. Não um mascu genérico, como você chamou sua amiga aí em cima, I., mas um mascu de verdade, um "ativista" contra o feminismo. Ela e ele se conheceram numa página do FB quando ele estava justamente fazendo o que vive para fazer -- trollar feministas. 
Essa feminista me escreveu para dizer o quanto ele era diferente quando "estava" com ela (acho, não tenho certeza, que o relacionamento é a distância), como esse ser "pretensamente repugnante" (palavras dela) era carinhoso com ela, como precisava de carinho e compreensão. Eu respondi mais ou menos isso, tirando algumas partes que poderiam levar à identificação deles: 
"Bom, não sei nem o que dizer. Eu nunca, jamais, nem em mil anos, nem que houvesse um último homem da Terra, me envolveria com um cara assumidamente machista. Ainda por cima um misógino como os mascus. Mas cada um faz o que quer. Torço para que ele não te machuque, e para que vc possa transformá-lo numa pessoa minimamente melhor.
Vídeo mascu: feministas
são como aliens
Mas não sei se isso é possível, sinceramente. Esse seu namorado sempre foi um ególatra e continua sendo um mascu. Ele pode ter se afastado um pouco de outros mascus, mas segue tendo a mesma opinião das mulheres e, principalmente, das feministas. Mesmo namorando uma feminista.
Claro que as pessoas são diferentes em cada circunstância. Certamente ele é diferente com vc. Mas e daí, se a persona pública dele é de um lunático?
Eu nunca me relacionaria com alguém racista, machista ou homofóbico, porque acho essas características sinônimos de mau caratismo. Mas essa sou eu. Não posso dizer pra alguém o que fazer.
Só posso te desejar muito boa sorte. Que vc continue com ele enquanto estiver apaixonada, e que vc possa sair ilesa desse relacionamento quando terminar. Sem dúvida, é um comportamento de risco."

Não nos falamos mais, não sei o que aconteceu. Mas, mesmo que o mascu que ela namora seja legal com ela agora, as chances de que ele não seja tão bacana numa eventual separação são enormes. Tenho dificuldade para entender como, com tanta gente no mundo, alguém pode escolher um ogro assumidamente machista, ainda que ela diga que ele não é machista com ela, só com o resto do planeta.
Seu caso é bem diferente, claro, I. Não é que você começou uma amizade sabendo de todos os defeitos da sua amiga. Você só descobriu muito depois, e está sendo um choque pra você. Compreendo a sua dor, e acho que quase todo mundo já passou por uma decepção dessas. 

85 comentários:

Anônimo disse...

Eu descobri que sou machista com uma pessoa que eu amo muito.

Minha irmã, apesar de tudo o que eu disse, tá namorando com um idiota abusivo que eu odeio. O que eu fiz, pra "evitar desgaste"? Deixei ela sozinha nessa. Agora ela não tem apoio nem ninguém pra conversar enquanto o crápula abusa dela verbalmente e humilha ela.

Ao mesmo tempo, eu aconselhei ela a não transar enquanto ela não se sentisse madura pra não ter vergonha de me pedir pra ir ao médico antes e me pedir camisinha. E como ela vai me pedir se eu fiz todo esse processo de vergonha em cima dela? Se ela engravidar, vai ser culpa minha. Ao mesmo tempo, meu primeiro impulso foi gritar com ela "se você engravidar, eu não vou te ajudar em nada, você vai ter que se virar e perder a escola!" - eu impulsivamente me recusei a ajudar ela a escolher como se fosse punição por ela não confiar em mim sendo que eu não dou brecha NENHUMA pra ela confiar em mim. Eu era a única pessoa que ela tinha e hoje eu faço esse machismo escroto por puro orgulho sendo que ela é super novinha, e é "normal" a gente errar no relacionamento quando é novinho.

Eu vou mudar isso hoje, gente :(

Vocês me desejam sorte?

Às vezes a gente é cuzão e machista por orgulho, por babaquice mesmo, e nem percebe... Eu sempre me ofereci pra cuidar das minhas irmãs e agora, com minha própria irmã, eu faço essa cagada. Nunca mais.

Anônimo disse...

Boa sorte , espero que de tudo certo

Anitta disse...

Minha melhor amiga tá solteira e cansada dessa situação. Dia desses, ela começou a reclamar que a culpa é que tem muito gay no mundo, e que a culpa dela estar solteira e sozinha é porque esses homens preferem outros homens, como se eles tivessem obrigação de ficar com ela. Relevei pq também estou solteira e entendi como frustração, normal. Ela também é meio elitista, quando discutimos a situação do país é pra dizer "esse país é uma bosta" e "Brasil de merda", mas aí é como a Lola falou, o meio dela é elitista. Estávamos num bar e do nada ela começou a falar de conta de luz, e que a culpa da conta dela triplicar era do PT, e do pessoal que votou no PT, aí aplaudiu sarcasticamente e disse "parabéns, Dilma" olhando pra mim, como ela tava alcoolizada, relevei. Mas aí quando eu preciso de ajuda, ela tá sempre ao meu lado, e me suporta em minhas decisões sem julgamentos, nos divertimos pra caramba juntas... Ela também é pró-escolha, e já mudei a opinião dela sobre estupro e culpar a vítima. As coisas que ela fala me incomodam um pouco? Sim, não vou negar. Tem dias que prefiro manter distância... mas no geral, ela não é alguém que eu não quero fora da minha vida. Temos nossos desentendimentos, mas eu acho que sou uma boa influência, e ela também me influencia positivamente, apesar das diferenças de pensamento. Acho que a autora do post deve analisar isso. Sua melhor amiga não é nenhum mascu, então é válido manter a amizade.

Barbara O. disse...

moça da postagem,

na minha visão você vai poder influenciá-la ao longo do tempo. é só não bater de frente. exige muita paciência, mas acontece. Se você bater de frente ela vai construir uma muralha. Então não é uma boa. Se você tiver esta paciência... recomendo tentar

Anônimo disse...

"porque é triste ver uma pessoa com várias qualidades (afinal, é nossa amiga!) ser tão ignorante. Não estou falando "ignorante" no sentido de "não saber", porque a gente ensina, mas no sentido de "não quero saber e tenho raiva de quem sabe". "

Neste trecho aprendi que: Se a pessoa não concorda com o que é "ensinado" pra ela, logo ela é ignorante, pois o feminismo é uma verdade universal incontestável e caso não se concorde com tudo que uma feminista "ensina" então a pessoa é automaticamente taxada de ignorante...

Sinceramente isso tá MUITO ERRADO!

Tuany Fraga disse...

Minha querida, infelizmente, me vi bastante na sua situação. Comecei a perceber alguns problemas no discurso da minha amiga também. Mas, com ela, consigo conversar e expor o que percebo de errado, ela compreende. Talvez não concorde 100% ou de cara, mas ao menos escuta. Afinal, é isso que amigas fazem, não é mesmo?
Se essa moça é sua amiga mesmo, ela vai ouvir quando você pontuar algumas questões. E você, também como amiga, deve estar disposta a ajudá-la a desconstruir certos conceitos. Todo mundo tem um tempo diferente para assimilar as coisas e perceber que todxs somos prejudicadas. Talvez, ela (assim como eu e você há pouco tempo atrás e como a Lola apontou na resposta), não se dê conta dos problemas que acaba reproduzindo, acho que é legal você apontar. Seja paciente, não tente impor, mas sugira questionamentos ela! Faça com que ela pense e que veja em você alguém aberta a conversar e trocar ideias.
Caso ela não se mostre tão receptiva, não precisa nem se martirizar muito, pois o afastamento será natural.
Boa sorte!

Anônimo disse...

Eu tenho uma amiga bem assim. A conheço à anos, mas ela tem uma cabecinha que anda me irritando ao ponto de eu não suportar mais falar com ela. Está num relacionamento abusivo, sabe disso, e não sai porque "tem medo de ficar sozinha e não quer se dar ao trabalho de procurar outro". Eu conheço o cara que está com ela, ele é machista e a trata mal e nem quer ficar mais com ela, mas um dia me disse que não termina pq não quer que outro homem "a coma"... olha isso!

Uma mulher linda, independente e com essa postura... o problema é que ela sabe da situação e é apática demais para reagir. É machista, covarde... eu converso com ela, converso pra caramba, mas não adianta. Eu estou pensando em deixar para lá, me dói no peito, mas cansei. Se um dia ela precisar de mim eu estarei disponível, mas não falo mais nada. E estou me afastando aos poucos sim, acho que algumas diferenças são irreconciliáveis. Crescemos e amadurecemos e velhos amigos vão ficando para trás.

Catharina disse...

I., uma grande amiga minha, uma das melhores amigas (de frequentar minha casa, ser íntima dos meus pais e dos meus irmãos e participar de eventos familiares) é extremamente machista. Ela repudia o feminismo e vive postando coisas nas redes sociais falando mal de feministas e do feminismo, mesmo sabendo que sou feminista. Ela inclusive perdeu algumas amizades por causa disso, já que a maior parte das amigas dela são feministas também. Ela continua sendo machista, mas eu tive uma conversa bem franca com ela sobre como eu me sentia ofendida quando ela postava piadas de mau gosto e zombava do feminismo. Eu dizia ainda que ela tinha todo o direito a dar a opinião dela e ser contra a causa feminista, mas que por favor o fizesse de forma racional e não ofensiva, com argumentos maduros ao invés de comentários pejorativos que não acrescentavam em nada nem a ela, nem às pessoas com que ela queria debater. Ela resistiu, disse que eu "me doía por nada" e mais um monte de coisas, mas acabou refletindo e aceitando. Continua sendo machista, mas agora pelo menos mede as palavras ao se pronunciar. Eu não a culpo. Ela foi criada numa família extremamente machista e repressora em vários sentidos, é natural que ela pense assim. Tenho sinceramente esperanças de um dia mostrar a ela o quão benéfico é o feminismo. Tente conversar com a sua amiga aos poucos. Boa sorte!

Julia disse...

Boa sorte. Conversa com ela direitinho Pede desculpa.

D Stoffel disse...

Nossa eu não gosto de de homem quanto mais mulher assim, tá tão enraizado que elas nem percebem que elas mesmas estão se envenenando. O nome disso é ignorância.

D Stoffel disse...

Eu tinha até um colega de facul que era amiga, ele falou uma vez de feminista lá na sala e eu não gostei nunca falei com ele sobre isso, meus colegas dizem que ele era afim de mim, mas eu não falo mais com ele ainda mais se ele for realmente mascu. Eu não tenho mais saco pra aturar gente assim, se puderem dar uma olhada no livro de symon hill a arte de influenciar pessoas é maravilhoso, ele fala que não precisa tá rodeada de pessoas e sim de contatos certos.

Bizzys disse...

Não tenho amigas feministas fora da internet, mas dou sorte porque nenhuma delas é extremamente machista. Também nenhuma é racista ou homofóbica. Eu não encho o saco de ninguém para virar feminista, mas sempre posto links relacionados no facebook ou twitter, e fico feliz quando elas curtem ou comentam. Uma dessas amigas costuma dizer que é feminista mas tem algumas atitudes contraditórias, como chamar outras meninas de "vadias" e etc. Eu não discuto, mas me cansa um pouco.

Agora, sobre a moça que namora um mascu, estou com bastante pena dela. O cara pode ser um doce com ela, mas provavelmente deve fala super mal no meio mascu, que está "domando uma feminazi", ou coisa pior. Espero que ela caia em si e termine logo esse relacionamento.

Bizzys disse...

*falar

Desculpem os erros de português gente, geralmente eu não escrevo que nem o Jonas. :P

Anônimo disse...

Eu sou mulher e não me considero feminista, o todo da fala feminista (em termos gerais) não me representa. Não sou machista, não sou validadora do machismo. Acredito que todxs temos direito a cidadania, liberdade e respeito. Me posiciono contra estigmas, rótulos e preconceitos. Percebo a cultura de estupro, a objetificação da mulher, a desvalorização do trabalho feminino e a violência de gênero. Não abro mão de me posicionar, busco ser efetiva e coerente no meu agir social.

Talvez seja arrogância minha, mas não preciso de credenciais, não quero crachá e não procuro validação de terceiros sobre quem eu sou.

Como dona apenas da minha verdade não me dou o direito de absolutismos, excluir alguém por pensar diferente me parece uma atitude realmente ignorante.

Ter firmeza em crenças pessoais e agir de forma a colaborar para uma sociedade melhor necessita além de coragem e persistência de muito respeito ao outro.

Amo meus amigxs e aceito/compreendo que tenham um discurso diferente do meu. Não tenho medo de bater de frente e defendo uma sociedade plural mesmo quando as idéias dos outros se opõem as minhas. Idéias devem ser discutidas sempre e isso é bom.

Concordo com a Lola, namorar um mascu é se expor a um perigo real (violência física e psicológica).

Quanto a autora do guest post, só espero que ela se pergunte se existe mesmo necessidade de que sua amiga faça coro com seus posicionamentos pessoais.

E.

Ana Kairalla disse...

Gente, quase todas as minhas amigas reproduzem sistematicamente discursos machistas. Mas são minhas amigas e eu as amo.
O que tento fazer é mostrar que existe outra forma de pensar, ir conversando e levando a pessoa a refletir sobre o que ela diz, a questionar os porquês. Não é de uma hora pra outra. Mas, se existe uma relação de amizade legal, na qual as pessoas respeitam as opiniões umas das outras, sempre há espaço para uma evolução.
Ah, dá pra fazer isso com amigOs também.

L disse...

Pois é... minhas amigas não são tão mascus assim, elas concordam com a igualdade, são a favor da legalização do aborto e tal, mas (tem que ter um mas) fazem "piada" com estupro. E todas riem. Eu fui abusada na infância, e como a gente não é tão próxima elas não sabem, e isso tá sendo péssimo. Já tentei explicar de mil maneiras porque isso é horrível, melhora, mas depois sempre vem uma besteira. ai ai

Denise Marinho disse...

Amigo: é óbvio que o principal para viver bem com ela você já tem: amor. É isso que vai impedir a sua inteligência e o seu orgulho de afastar vocês.

Denise Marinho disse...

Moça do post: alguma coisa aconteceu q fez com que vocês tivessem um entendimento diferente da vida.
Se a amizade é importante, vale insistir. Bater de frente, como já disseram, nao vai ser muito legal.
Oq eu recomendo fortemente é manter a mente tranqüila e o coração aberto! Talvez se vc mostrar aos poucos, as injustiças que ela mesma sofre, pode dar resultado.

Igor Pereira disse...

Tua situação é MUITO parecida com a minha, I.

A minha melhor amiga se revelou, aos poucos, uma reaça de mão cheia! Nós sempre tivemos opiniões diferentes quanto ao feminismo (PS: sou homem, criado no meio de muitas mulheres - e um homem, meu pai - feministas); porém, após ela começar a namorar com um cara evangélico, contra tudo e todos, passou a se comportar de acordo com tudo o que eu mais abomino no universo. Nossas opiniões políticas (sou socialista e ela me manda ir pra Cuba pq eu leio Marx), direitos LGBT, defesa dos mais pobres etc., TUDO!

Aos poucos, inevitavelmente, nós começamos a nos afastar. Ainda nos falamos, nos encontramos, mas não somos mais como antes, infelizmente.

Posso te dizer que dói, é dificílimo, mas é o melhor para vc.

Boa sorte e força.

Anônimo disse...

Se sua amiga é contra o feminismo e o sexismo promovido pelo feminazismo, ela está de P-A-R-A-B-É-N-S!!!!
E vc deveria aprender a ser decente e honesta com ela.
Vcs feminazis que apóiam o lixo da idéia deviam ter vergonha de suas atitudes.

Anônimo disse...

O problema das feministas e do feminismo em geral é que está se tornando algo extremo , esta se tornando algo que beira o fanatismo, e quando isso acontece , a causa perde o sentido e se ramifica em coisas absurdas, a idéia do feminismo é boa, e eu apoio, mas quem está a exercendo é a culpada do estereótipo de feminista chata, seu blogue é um exemplo disso
....e vi disse que os machistas vivem para trolar feministas?
Parabéns, vá se tornou aquilo que odeia, seu blogue vive para enxergar um mundo machista e se fazer de vítima quando na verdade, tem grande potencial...mas ao invés disso, as feministas vivem para "trolar" machistas.....
Fora grande parte de pastagens do blogue e comentários, seu blogue e bom :)

Anônimo disse...

"Grande parte das pastagens". Sei que foi erro de digitação, mas ri alto. Sério, a Lola e as comentaristas tão se fazendo de vítima em que? Porque a gente mostra que tem gente que acha que mulher tem que seguir manual pra considerarem que ela tem caráter? E como nós somos extremas e fanáticas? Porque tem ativista que mostra o peito, o suvaco peludo e defende a legalização do aborto? Como que qualquer dessas ideias cerceia seus direitos e liberdade pra serem consideradas extremas?

Selma disse...

Vejo aqui que as pessoas julgam que o fato de não se aceitar machismo signfica não respeitar a diversidade de opinião. Eu discordo. Não aceitar machismo, racismo, homofobia, classismo é defender os direitos humanos.É uma questão de valores. Não há problema em ter relações amigáveis com pessoas que pensam diferente de nós, mas acho difícil ter amizade próxima. Como dizem, quem é legal com você, mas horrível com o garçom, não é legal e ponto. Cada um deve avaliar seu nível de tolerância, mas se seus valores são importantes pra você a conviviencia fica complicada.

Anônimo disse...

Corretor ortográfico.........
Vou responder sua pergunta na sequência em que foram feitas
Primeiro: a maioria dos textos da lola são em muitos casos, desnecessários , de fato, quase paranóicos, isso perpétua o estereótipo de feminista chata, e os comentários são os piores, mulheres falando de suas "experiências machistas " quando na realidade, eram situações comuns, isso é ruim porque tira o foco dos verdadeiros problemas de casos reais onde mulheres foram por exemplo, violentadas , enquanto elas com problemas reais são ofuscadas por mulheres fazendo charminho de feminista na internet

Anônimo disse...

Os dois gêneros estão sujeitos a padrões de comportamento pré estabelecidos pela sociedade, aceite

Anônimo disse...

"decente e honesta"... Mahuhuahua! Essa mumia deve ter saido do seculo XIX.

Anônimo disse...

Sobre as feministas serem extremas e fanaticas, veja as que chegam a mudar sua orientação sexual por causa disso, é também lembro da vês que um grupo feminista fez um protesto em que elas se masturbavam na rua com crucifixos, e , nada contra mulheres nuas no meio da rua onde eu não preciso pagar nada pra ver( só tô zuando) mas isso da a intender que as mulheres só tem o corpo como argumento , não preciso falar mais nada sobre elas serem extremas,
Pra deixar claro, sou a favor do aborto e de direitos iguais, e de mulheres nuas no meio da rua, mas tem que ser por um bom motivo . ou nao

Anônimo disse...

Pessoal, não quero mostrar-me desesperada, mas tem um blog chamado Ideias Embalsamadas, cujo autor é um homem e ele tem feito ataques sucessivos ao feminismo. mesmo tentando combater seus argumentos, acho que não é saudável para o movimento deixar que ele fale tudo que queira sem receber respostas adequadas.

Corretor ortográfico disse...

Anon das 19:47 e 21:23, não quis desmerecer seu discurso por causa do "pastagens", mas realmente achei a frase hilária e não vi mal em comentar isso. Então, apesar de achar o blog muito bom e a Lola uma ótima pessoa e blogueira, acho que às vezes ela erra a mão na ironia e soa debochada. Não que isso desmereça o blog, em geral a Lola é super respeitosa, mas EU modificaria uma expressão ou outra. Mas agora, "paranóica" é um adjetivo que eu não daria a postagem alguma que eu tenha lido até agora (e tem quase um ano que venho acompanhando o blog, lendo inclusive posts mais antigos de vez em quando). Considerando seu comentário como um todo, julgo que por "desnecessários e quase paranóicos" você se refere aos posts em que a Lola comenta sobre situações que você não considera machistas, ou pelo menos não tão "importantes" quanto casos de mulheres sendo violentadas. Primeiramente, não é porque a Lola também fala sobre cantadas de rua e depilação que o blog deixa de abordar a questão do estupro. Só casos de violência extrema são válidos e importantes? Uma moça que foi violentada vai precisar de mais apoio que uma que levou uma cantada de pedreiro. Mas se não há mulher violentada precisando do meu auxílio imediato, eu deveria deixar de apoiar a moça que levou cantada de pedreiro porque "podia ser pior"? Uma situação abusiva não exclui o abuso da outra. Segundo, concordo que as "experiências machistas" narradas em muitos comentários são situações comuns. Não com o significado que você usou na expressão, de que não são machistas de fato; mas de que são frequentes e muitas vezes ignoradas. Reitero uma coisa que a Lola costuma dizer, feminismo é uma discussão. Então peço que conversamos e vejamos os pontos um do outro: quais situações nos posts e comentários, exatamente, você não considera machismo, logo, classifica como puro "femimimimismo"? (também acho graça desse termo)

Raven Deschain disse...

Jonas, pq tá comentando anônimo?

Lola do céu, caralho! Tem um anônimo na internet dizendo que fora quase tudo teu blog é bom! Kkkk

Agora sim, pode tirar teu certificado.

Corretor ortográfico disse...

Ao anon das 21:32, sim!, "Os dois gêneros estão sujeitos a padrões de comportamento pré estabelecidos pela sociedade", dessa parte não posso discordar de uma vírgula. Afinal, enquanto pra mulher é feio ser levantadora de peso e escolher continuar trabalhando em vez de ficar integralmente em casa com os filhos, pra homem também é feio dançar balé ou ser sustentado pela mulher enquanto fica em casa cuidando dos mesmos filhos. A parte que eu discordo é o "aceite". Por que eu tenho que baixar a cabeça pra regras sociais que consigo rebater racionalmente? Me soa o comodismo do "porque sempre foi assim e ponto final". Quando o feminismo questiona o comportamento exigido de mulheres para que elas sejam "decentes", está indiretamente questionando o porquê homens não podem agir de certa forma sem serem considerados menos masculinos. Afinal, se mulher não tem obrigação alguma de arrumar a casa, cozinhar e cuidar dos filhos sozinha, por que seria papel exclusivo dos homens sustentar a família? Se mulher pode escolher ser levantadora de peso sem ser menos mulher, por que homem não pode dançar balé sem ser menos homem? O negócio que eu vejo é que algumas pessoas, satisfeitas com o "modelo atual", não querem abrir a discussão, porque pra eles é mais cômodo que continue do jeito que está.

Anônimo disse...

Sobre um homem ser feminista, é claro que um homem pode(e deve) ser feminista. Só não pode ser escroto. Por exemplo, se dizer feminista, mas objetificar as mulheres.

Quanto a aceitar homens ou não no movimento, eu creio que depende. Não tenho uma opinião formada, pode ser bom pelo lado de isto auxiliar na deconstrução do machismo e muitas feministas acabam sendo machistas ao retratar sempre o homem como vilão dominador e a mulher como "anjinha oprimida", como pode ser um risco ao protagonismo do movimento.

Corretor ortográfico disse...

Ao anon das 21:42. A primeira parte do comentário, sobre feministas que mudam a orientação sexual por causa do feminismo, isso abre uma looonga discussão sobre sexualidade, mas acho que não cabe aqui. Vou me ater simplesmente a: o que tem de radical nelas escolherem se relacionar exclusivamente com outras mulheres? Você pode achar repulsivo, não gostar ou coisa parecida, mas a escolha é delas e ponto final. Acho errado femista que diz que maldade é inerente do homem e que mulher sim que é santa. Mas aaah, não gosto tanto assim de transar com homem, agora vou transar só com mulher. Beijo e bênção, fica à vontade! Sobre as meninas se masturbando com o crucifixo, bem, concordo que é radical. Não a masturbação em si; mas fazê-lo com o crucifixo já é, pra mim, provocação desnecessária. Mas já que você trouxe a informação à tona, se importa de me passar as fontes? Não que eu esteja duvidando do caso, mas saber onde e quando aconteceu ajuda a contextualizar. Ainda assim, foi UMA manifestação "extrema" dentre várias "válidas". É correto categorizar todo o movimento como extremo por causa das exceções? Porque a maior parte das blogueiras, colunistas e militantes que eu vejo é bem razoável. Por último, e não leia com tom de insulto, quero fazer uma crítica construtiva: quem é você pra ditar o que é válido ou não pra uma luta feminista? Digo de novo, feminismo é discussão.

Anônimo disse...

Achei muito legal o comentário da Selma, também tenho dificuldade de aceitar pessoas que são legais comigo mas fazem piadinhas racistas, homofóbicas ou machistas. Independente de ser homem ou mulher. Divergências sempre existem, mas quando você mostra que a pessoa está excluindo e discriminando e ela continua ou diz que é só uma brincadeira, aos poucos o interesse vai sumindo, e com ele a amizade, pelo menos para mim.

Ilka

Anônimo disse...

Gente serio mesmo tô muito mal por causa da menina que foi vítima de estupro coletivo em osasco. Muitô triste parece que foi com alguém da minha família. Sei que não tem nada a ver com o post mais...

Shaytan disse...

Eu espero que o machismo seja desconstruído por completo, bem como a escravidão foi. Tirando em um ou outro lugar minúsculo no mundo, não há escravidão.

Sobre ser mascu, já fui(e não me orgulho disto. Minha história, Me decepcionei muito com uma ex namorada e logo logo, entrei na internet pesquisando sobre algumas coisas, cai nuns sites que prefiro não sitar o nome e baixei vários livros.
-
Com o tempo, já estava adepto ao "marriage strike", e passei a querer me tornar um "macho alpha". Passei a me esforçar feito nunca, pra conseguir massa muscular e dinheiro, pois acreditava que teria um Harem , como o Dan Bilzerian se conseguisse fazer isto. Larguei amigos, vida social, passei a trabalhar feito louco, pois meu salário era atrelado a produtividade e parei de me interessar por qualquer coisa além de sexo nas mulheres. Malhava 4 horas por dia e trabalhava 10 horas por dia. Estudar na faculdade? Alguém assinava a chamada pra mim, depois eu do um jeito de aprender.

No começo, só me envolvia com prostitutas, até que após conseguir um corpo melhor, e peguei algumas "putas civis"(como eu chamava mulheres que não cobravam) passaram a ter interesse em mim(tudo bem que era uma minoria), eu as usava só para ter sexo. No máximo possível. E as manipulava, usando os "protocolos da real"(sim, eles criticam os puas, mas tem protocolos sobre isto). era tão hipócrita, que achava que as mulheres eram manipuladoras e utilitaristas, mas estava sendo exatamente assim.

Pois bem, depois de muito tempo nesta, comecei a discutir com uma "marmita" minha(chamava assim estas mulheres, que não firmava compromisso, mas ficava enrolando e dando falsas esperanças, só para transar sem ter que pagar ou aturar os ônus de um relacionamento). Nesta discussão, eu me descontrolei e disse "mulheres são todas utilitaristas, só to devolvendo na mesma moeda" e ela, tentou me dar um tapa, segurei a mão dela e ela disse "você não é nem um pouco diferente do que tanto critica. Se mulheres são vadias, você é um cafajeste".

Confesso que nunca cheguei a agredir ou agir "como um ogro", não porque acreditava no "direito da mulher", mas porque achava que o homem que agride uma mulher "num mundo cheio de leis misândricas"(sim, eu achava a maria da penha uma lei misândrica por mais idiota que possa parecer) e corre o risco de ser preso, é um babaca apegado.

Só depois de pensar muito sobre isto, cheguei a óbvia conclusão, de que era um hipócrita, agindo por 2 pesos, 2 medidas. No outro dia, eu abri uma discussão no fórum mascu que frequentava(não vou postar links) pergunatndo se não estava agindo de 2 pesos, 2 medidas, se não estava sendo diferente de uma mulher que prende emocionalmente um homem ,só para extorquir o dinheiro dele, com o divórcio e o resultado? fui banido do fórum. Após 8 meses registrado. Se não tivessem removido o post, eu até postava o print. Então decidi conhecer o outro lado e não sou mais o tipo de cara que era.

Anônimo disse...

Estou de acordo com o Corretor Ortográfico. Tanto homens quanto mulheres, independentemente de sua orientação sexual, são escravos dos papéis de gêneros ensinados e perpetuados pela sociedade. A diferença é que, na maioria dos casos, os homens heterossexuais tendem a se beneficiar de tal fenômeno, o que não modifica sua subordinação a esses padrões.
Na questão da discussão, deve-se ter cautela o suficiente para perceber que não há resposta fácil, que os antagonismos são processuais e que suas ideias constituintes necessitam de uma ponderação prudente, sensata e cuidadosa. É uma questão de fluxo e contra-fluxo.
Tudo deve estar sujeito à avaliação em uma democracia, mas contentar-se com pequenos territórios de verdades sem lidar com questionamentos, independente de onde venham, é contraprodutivo. Acredito que isso é válido para qualquer lado.

Anônimo disse...

Amizades femininas que duram bastante, geralmente é uma bonita e uma feia, a sua amiga é a bonita e machista (pois aproveita bastante do lado bom do machismo) e tu a feia (que so pega o lado ruim do machismo).

Nao conheço uma ideologia que nao precise de um movimento do contra para existir"

Raven Deschain disse...

Mas alguém me ensina como vcs conseguem colocar partesndo comentário em negrito?

Anônimo disse...

É preciso mostrar para toda mulher que valida o patriarcado, reproduzindo conceitos, comportamentos e ideais machistas, que é isso que ela está fazendo. Mas com amor e acolhimento, sem esculacho. Também é necessário desconstruir o temor pela palavra "feminista" e por designar-se assim, demonstrando que qualquer associação negativa do termo é também uma construção patriarcal. Não é um trabalho fácil e nem acontece do dia para a noite mas cada irmã empoderada vira uma agente de empoderamento também.

Anônimo disse...

Mas alguém me ensina como vcs conseguem colocar partesndo comentário em negrito?

assim ó

http://i.imgur.com/4CJpzxx.png

Anônimo disse...

Lolinha querida, veja que maravilha esta pérola da sabedoria mascu:

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=1023618607665646&set=a.290471920980322.86977.100000525490383&type=1&theater

"Eu não vim do útero, eu vim do sêmen. Útero é apenas um recipiente."

Será que o douto "professor" ganhou a cadeira ensinando a seus alunos sobre o HOMÚNCULO?

Kittsu disse...

"Pessoal, não quero mostrar-me desesperada, mas tem um blog chamado Ideias Embalsamadas, cujo autor é um homem e ele tem feito ataques sucessivos ao feminismo. mesmo tentando combater seus argumentos, acho que não é saudável para o movimento deixar que ele fale tudo que queira sem receber respostas adequadas."
uai, problema dele. eu mesma tenho mais o que fazer do que ficar de picuínha com desconhecido.


Shaytan: nossa. impressão minha ou foi um período bem conturbado e estressante? espero que você encontre sua maneira de ser feliz sem as pressões sobre o que você deveria ser ou deixar de ser, e que esse processo seja libertador para você e para as pessoas à sua volta (porquê é dificil ser feliz sozinho). E lembre-se também que a felicidade você encontra no próprio caminho, e não lá no destino, mesmo porquê o destino é quando chegamos ao fim.

Anônimo disse...

Em família, médicos e juízes optam pelo aborto.

http://www1.folha.uol.com.br/colunas/claudiacollucci/2015/02/1593604-em-familia-medicos-e-juizes-optam-pelo-aborto.shtml

Carol F. disse...

Tem um monte de blog assim. Deixa morrer no ostracismo.

Julia disse...

To vendo que feministas tem que ser mais "extremas e fanáticas" pra esse povo deixar de ser fresco...

Anônimo disse...

Não entendi.....
Quer dizer que tem que ter mais mulheres nuas na rua?
Se for assim, eu concordo
Como disse antes, sou a favor de mulheres nuas no meio da rua

Julia disse...

As que vem com misoginia pra cima de mim eu esculacho mesmo. E já vi outras feministas fazendo isso e achei muito engraçado. Pronto falei.

Anônimo disse...

Nada contra gays e lésbicas, mas é forçar a barra mudar sua orientação sexual, algo que vc tem certeza do que quer dês de pequeno, só por causa de um movimento que, na realidade, não te pede isso é nem chega perto disso
A menos é claro que vc já tenha pré disposição a isso, então usa o feminismo como desculpa pra optar pelo que vc realmente quer
E a maioria das manifestações feministas tem seu lado extremo, desnecessário, é como eu disse antes, a idéia é boa, a execução é que está ruim
E eu sou a lógica, e estou não só contra o feminismo mimimi , como também estou contra tudo que é ilógico ;-)

Anônimo disse...

Infelizmente a maioria das minhas amizades são machistas também, eu as conheci quando eu também era. Hoje acabo me chateando diversas vezes quando surgem comentários sobre a roupa e o corpo da menina que acabou de passar por nós na rua, já ouvi também comentários maldosos sobre um vídeo que caiu na internet de uma menina do nosso curso, eu tentei a defender porém era a minha palavra contra 3. Quando começam a ladainha de comentários ruins sobre as mulheres eu finjo que não ouvi, não dou bola, fico com cara de paisagem, espero que tenham consciência de que não estou gostando disso. As poucos sinto que pelo menos uma delas está mudando, e as ideias começam a se bater.

Julia disse...

Você não entendeu mesmo.. O que você é a favor ou deixa de ser não é importante. Assim como os seus motivos pelos quais uma mulher pode ficar "nua" na rua, no caso vc ta falando dos seios descobertos, ne?

@vbfri disse...

Amigx, por mais que essa pessoa seja a sua amiga do coração, melhor amiga de infância, etc e tal, dependendo do grau de machismo da pessoa, eu acho muito difícil manter a proximidade. São mundos (na MINHA OPINIÃO) muito diferentes.
Eu tive amigas próximas, lindas e maravilhosas de quem me afastei porque as minhas ideias não eram mais como as delas.
É chato, é triste, mas como é que você vai falar de direitos iguais para uma pessoa que vomita machismo?
Se ela quiser aprender mais, beleza, você explica com todo o amor e carinho.
O que eu fiz (com muita dor no coração), foi gradativamente me afastar dessas pessoas. Isso também é respeitar o livre arbítrio dx outrx.
Afinal, da mesma forma que você se choca com os comentários machistas dela, ela se incomoda com os seus comentários feministas...
Minha opinião: já chega ter que aturar parente racista/machista/homofóbico/reaça. E, acredite, eu faço isso 1x por semana (meus avós são assim), pelo único motivo que sei que o meu tempo com eles é limitado... E é difícil pra caramba.
Amigx a gente escolhe.

Anônimo disse...

Não quis dizer "aceite" como se fosse pra vc se conformar com o padrao, mas falei pra aceitar que o homem e a mulher estão no mesmo "barco"
E, "nós" em geral, tanto homem quanto mulher precisamos do padrão pra acolher os excluídos, nos precisamos de algo a que se opor, precisamos nos diferenciar , é uma necessidade psicologica, não digo ser diferente fazendo o que todo mundo pensa estar fazendo diferente, mas algo que abale o status quo , vc dizem lutar contra o sistema, contra o padrão, mas sem o padrao, vcs ficam perdidas no vacuo, não tem pelo que lutar, não tem como expressar sua individualidade, e é disso que a lola e outros blogues não necessariamente feministas, se alimentam

Anônimo disse...

Não , ficar com os seios de fora não tem problema(claro, iríamos olhar) mas não tem problema quando é por calor por exemplo, mas para querer provocar e chamar a atenção dizendo que aquilo é por igualdade, pelo movimento , isso não funciona , aliás, querem mostrar seus peitos ou suas ideias?

Raven Deschain disse...

Nossa anon. Obrigada. Fácil assim, tipo orkut? Kkk dá pra deixar colorido tb? Não, deixa pra lá.

Quanto ao post: moça, não sei se é o caso da sua amiga, mas eu vejo muita gente vampira. Gente que no meio de mulheres, diz: tinha que ser mulher, quando vê sei lá, um acidente de carro. Gente que próximo a alguém homossexual, diz que ursinho pooh é coisa de viado, sem querer ofender claro. Gente que ulquando vê un preto na rua diz: lá vem a nuvem, pro preto ouvir, mas não é racista. Só que na boa? A intenção dessas pessoas é ofender sim. É deixar alguém, qualquer um, puto da vida. A sua amiga sabe que vc é feminista e fica postando groselha em rede social e te jura de pé junto que não é pra te ofender? Pera, ela precisa repensar o conceito se ofensa então. Amizades são importantes, mas a partir do momento em que fica exaustivo pra vc, pq a outra parte só se preocupa com ela, talvez esteja na hora de mudar de amigos. É perfeitamente possível.

E outro dia li uma frase de gênio que era mais ou menos assim: Uma mulher dizer que não precisa do feminismo pq não se sente oprimida, é o mesmo que alguém dizer que não precisa de bombeiros, afinal minha casa não está pegando fogo.

Raven Deschain disse...

Desculpem os erros de digitação. Malditos celulares.

Bizzys disse...

"E eu sou a lógica, e estou não só contra o feminismo mimimi , como também estou contra tudo que é ilógico"

Querido, se enxerga. Você pode achar que é a Lógica, que é Napoleão, que é Deus, não interessa - ninguém aqui vai mudar as opiniões, deixar de ser feminista por sua causa ou adequar o movimento ao que você acha certo.

E se você é contra tudo o que é ilógico, comece pelos seus argumentos, porque eles não fazem sentido nenhum.

Kittsu disse...

"Não , ficar com os seios de fora não tem problema(claro, iríamos olhar) mas não tem problema quando é por calor por exemplo, mas para querer provocar e chamar a atenção dizendo que aquilo é por igualdade, pelo movimento , isso não funciona , aliás, querem mostrar seus peitos ou suas ideias?"

Rs. Claro que precisamos estar a serviço de sua libido, mas jamais fazer nada que seja pelas nossas próprias motivações. o mundo não gira em torno do seu umbigo.

Anônimo disse...

Oi, Li uma reportagem sobre seu blog e fui logo procurar para elogiar seu trabalho e dizer que muitos homens como eu apoiamos e muito atitudes como a sua.
Muito Obrigado por sua atitude!!!
Gilson

Anônimo disse...

Se uzomi podem andar na rua(principalmente praias) sem camisa, por que as mulheres não podem?

Anônimo disse...

E só espero que este tal de Shaytan nunca tenha mesmo agredido uma mulher ou pego uma mulher embriagada(o que deveria ser considerado estupro), tão pouco acredito que ele conseguiu tantas mulheres de forma "ética"...

@vbfri disse...

Raven:
Não conhecia essa dos bombeiros, mas é sensacional.
Teve uma moça que teve a cara de pau de falar no TCC dela que ela nunca precisou do feminismo. Que feminismo é uma coisa inútil.
Essa besteira é tão, mas tão grande que nem dá pra começar a argumentar. A começar que, há míseros 50 anos, mulher que frequentava universidade era mal vista. Até tinha meia dúzia de gato pingado, mas longe de ser algo como hoje. Falar isso num TCC chega a ser má-fé intelectual.

Shaytan disse...

Anon das 14:57, quando era mascu, pensava que o sujeito que agride uma mulher, esta sendo babaca e impulsivo, correndo riscos desnecessários. Sobre pegar bêbadas, isto nunca aconteceu. Mas quando eu seguia os "protocolos", só conseguia pegar em torno de 40% das que tentava. A maioria, ficava só nos encontros e nunca conseguia levar pro motel, outras, não tinham interessem em mim .

Raven Deschain disse...

@vbfri, hahaha q tosqueira. Má-fé ou burrice.

Anônimo disse...

Algumas feministas acham que todos tem q ter a mesma opinião delas. Eu acompanho o blog da Lola mas não concordo com td que eh postado, eh meu direito.

Anônimo disse...

Vc não entendeu kittsu, o quis dizer que mostrar os peitos com alguma coisa escrita neles (por mais que seja muito bonito) não é argumento pro tal feminismo, e não sou eu que acho isso, é a pura logica, a princesa Isabel não aboliu a escravatura mostrando os peitos por aí

Anônimo disse...

Não mandei ninguém mudar de opinião , também não dei a intender que eu queria isso , como eu disse antes , sou a favor do feminismo, mas contra o femimimi, como isso que está fazendo, tirando conclusões irracionais dos meus comentários só porque não concordo com as "santas" feministas
E por curiosidade, qual dos meus comentários não fez sentido?

Anônimo disse...

Estava discutindo sobre depilar as axilas com uma amiga do coração ela me respondeu: " Tem que raspar, é nogento". Eu disse: "Ah... então é certo ter nojo de uma parte do seu corpo? Seu corpo!"
Ela me respondeu: "Não quero pensar sobre isso". Se ela é machista ou condicionada? Não sei.

Anônimo disse...

Isso é uma questão de higiene, nada a ver com machismo ou feminismo, e vc que presa tanto pelo estado natural do seu corpo, aposto que pinta o cabelo e passa maquiagem

Celestia disse...

Eu leio esse blogue desde os 14 anos(Hoje tenho 17), mas nunca comentei por sentir receio de ser mal interpretada, mas senti necessidade de comentar hoje.

Eu adorei o post, sério! Parece que foi criado especialmente para mim, pois estava afim de ler sobre isso há muito tempo.

Então, quase todas pessoas queridas por mim são preconceituosas em graus variados, isso realmente me deixa triste. É chato quando pensamos em um mundo inclusivo e melhor para todos, mas nossos parentes e amigos são machistas, racistas, homofóbicos, etc.
Quando tive meu primeiro contato com o feminismo(Que foi graças a um post da Lola ♥ ), queria mostrar a todos que viver em harmonia era possível e não, um sonho distante. Então, mandei um texto aqui do blogue para meu namorado na época, ele tratou com muito desprezo, soltou as clássicas pérolas que machismo não existia, que era exagero e coisas do tipo.

Passamos a brigar muito e por banalidades, pois descobri que ele era machista e conservador, sempre que podia ele me tirava do sério. Compartilhava postagens toscas anti-feministas e afins. Criticar de forma coerente é sempre bom, entretanto, passava muito longe disso. Eram conteúdos de páginas misóginas que ''ocultavam'' tudo com humor, a tipíca ''zoeira''.

Depois de muito tempo que vi a infantilidade dele. Era tudo para me irritar(Sabe aqueles meninos que parecem que ganham ''status'' por zoarem feministas e simpatizantes? Então...), fiquei bastante chateada com isso e nosso relacionamento não foi mais o mesmo, decidi terminar porque não estava dando mais certo estarmos juntos. Foi uma experiência horrível, e como a Lola muito bem disse ''E expor preconceito é uma maneira fácil de desapontar quem se importa com direitos humanos e combate às opressões. ''

Eu ficava tão eufórica para falar de feminismo e suas pautas, pois eu senti que aquele movimento era para mim e para todos que imaginam um mundo onde todos são respeitados. Mas ele não compartilhava a mesma opinião, foi bem chato tudo o que ocorreu, mas aprendi muita coisa com esse acontecimento: Ninguém muda por alguém. Simples. Existem aqueles que ponderam opiniões diferentes, que fazem critícas, mas há outros que estão tão naturalizados com o preconceito que não ligam para mudar essa triste realidade.

Já uma outra amiga, ela virou feminista graças aos ''toques'' que dei à ela. Não a obriguei a nada, apenas recomendei textos feministas(a maioria do seu blogue hehehehe >< ) e ela adorou!!! Essa minha amiga não parte com 7 pedras para atacar, ela gosta de vários pontos de vistas e como ela também se sentia aprisionada por causa da sexualidade(ela é bi), viu no feminismo uma forma de liberdade. :3

Eu me afastei de muitxs amigxs conservadores, não conseguia me sentir bem perto delxs. Era algo que me incomodava e deixava confusa. A pessoa é preconceituosa, mas nunca lhe faltou com respeito, sempre te dá apoio quando necessário, etc. Como lidar com isso? Sinceramente, eu não sei. É algo novo para mim, por isso adorei de verdade esse post.

Enfim, esse é meu pequeno desabafo. Lola, adoro você *-----------*

Anônimo disse...

Isto significa que os homens também devem necessáriamente rasparem as axilas por higiene?

Anônimo disse...

A maioria dos homens raspam as axilas, mais pela aparência , e os que não raspam, são normalmente aqueles que não se importam tanto assim com a aparência , e não por causa de um movimento e que ter uma axila cabeluda é o símbolo de liberdade

Anônimo disse...

Depois de 19 anos morando em várias partes do mundo, muito me surpreende chegar ao Brasil e descobrir que por aqui, a questão da depilação feminina (e só dela) é colocada como "falta de higiene".

Falta de higiene é não tomar banho com regularidade.

Engraçado como na maior parte dos países que vivi, as mulheres não se sentem obrigadas a depilar as axilas e também não se envergonham de mostrá-las em público, com ou sem pelos. Idem para canelas depiladas ou não.

Aparentemente, em lugares mais civilizados as pessoas têm prioridades diferentes.

Luiza Original disse...

"Aparentemente, em lugares mais civilizados as pessoas têm prioridades diferentes."

This.

Luiza Original disse...

"é a pura logica, a princesa Isabel não aboliu a escravatura mostrando os peitos por aí"

Lógica. Rs.

Luiza Original disse...

"é a pura logica, a princesa Isabel não aboliu a escravatura mostrando os peitos por aí"

Lógica. Rs.

Anônimo disse...

Quem inventou a internet e que consequentemente da a todas vocês o direito à informação?

A(X) Homem
B( ) Mulher

Não sejam ingratas.

Anônimo disse...

Aparentemente, em lugares mais civilizados as pessoas têm prioridades diferentes.

Sem dúvida, eu conto essas coisas do Brasil para meus amigos e amigas estrangeiros e eles me olham como se eu fosse um alienígena. Um deles, de certo modo até de uma forma desagradável, perguntou se havia uma obrigação implícita de as brasileiras terem a aparência de atrizes da pornografia. A maioria, contudo, simplesmente não consegue compreender o porquê desse tipo de coisa ser uma questão por aqui.

Anônimo disse...

Se você passou da puberdade e não existe nenhum outro fator genético envolvido, como etnia, o natural é que tenha pelos em diversas partes do corpo. Essa coisa de "mulher lisinha" me parece extremamente pedofílica.

Anônimo disse...

Anon 21:23

Por que é vc que julga o que são situações comuns e situações machistas, né? <3

Anônimo disse...

Pois é, higiene aqui e ali, mas homens continuam peludos e isso é muito bem visto... como sinal de virilidade.

Lawlyet Leonardo disse...

Bizzys,

Sobre este seu comentário:

"Agora, sobre a moça que namora um mascu, estou com bastante pena dela. O cara pode ser um doce com ela, mas provavelmente deve fala super mal no meio mascu, que está "domando uma feminazi", ou coisa pior. Espero que ela caia em si e termine logo esse relacionamento."

Bom... vou colar algumas respostas que dei publicamente no meu ask, frequentado justamente por pessoas que vocês definem como "mascus" e que me perguntaram coisas sobre desapego, desapaixonamento, sexo, domar, controlar relação, namorar feminista etc.:


"pra que eu namoraria alguém que precisaria domar? Se você gosta de domar, namore cavalos e éguas."

"Se você a respeita, esperando-a até o casamento, vai provar que a ama, já que vai deixar bem claro que está com ela por sua essência, por amá-la por quem ela é, e não simplesmente para ter sexo."

"Não me mostro "fodão fortão bombadão nervoso" pra minha namorada. Pelo contrário: sou o cara mais doce e carinhoso do mundo com ela."

Ah, sim... tem também a carta que escrevi para meu amor no aniversário dela ano passado. Inclusive, a publiquei tanto em meu facebook como em uma página que vocês chamariam de "mascu". Deixo aqui o link da publicação como saiu na página:

"Carta que escrevi para o amor da minha vida no aniversário dela:

"Hoje é o dia mais feliz de todos! Foi nesse dia, exatamente 27 anos atrás, que o mundo foi finalmente colorido. Cores e luzes tomaram o mundo inteiro, tornando-o não apenas iluminado e colorido como também mais alegre. O mundo já não era mais cinzento, exceto por um pequeno pontinho cinza... Um pontinho cinza com alguns defeitos bem "curiosos". Além de sofrer de monocromacia, era uma espécie de relativista cromático (ou talvez seria melhor dizer relativista monocromático): o pobre pontinho cinza acreditava que era preto e branco... Talvez esse tenha sido o motivo daquele primeiro estranhamento que vocês tiveram. O pontinho era incapaz de ver cores... Tão terrível era o pontinho que até mesmo não conseguia perceber que era cinza, vivendo uma espécie de fé religiosa em suas cores preto e branco, apesar de ser incapaz de ver preto ou branco, conhecendo somente o cinza (e talvez nem mesmo conhecendo outros tons).
Como culpar o pontinho cinza? Quase 30 anos vivendo num mundo sem cores e até mesmo sem tons são motivos suficientes para desculpar o susto que o pontinho teve diante de uma explosão tão repentina de luzes e cores. E como culpar a artista que transformou o mundo todo na mais bela obra de arte pela estranheza ao encontrar uma pontinho cinza que numa obra de cores tão perfeitas parecia mais um borrão cinza?
Como um paradoxo Chestertoniano, aquele estranhamento inicial foi apenas o ponto de partida para para o pontinho descobrir as cores. Mas algo muito mais terrível aconteceu ao pontinho: uma metamorfose... O pontinho deixou de ser cinza. Não se tornou preto, branco, amarelo, azul, rosa, verde, roxo... Ganhou todas as cores do arco-íris - na verdade, o pontinho, considerado vaidoso, narcisista e talvez até arrogante por alguns, está fazendo um esforço heroico para ser humilde... Talvez não por humildade, mas por compaixão pelo arco-íris. Para falar a verdade, essa artista tão genial e sublime pintou o pontinho com uma infinidade de cores. Cores que fariam o próprio arco-íris se envergonhar e a própria aquarela se sentir cinza.



(continua.....)

Lawlyet Leonardo disse...

(continuação...)


A vida do pontinho mudou. Conhecer as cores permitiu ao pontinho conhecer as flores. Foi assim que o pontinho percebeu que um mundo de cores não era apenas um mundo com rosas, mas algo muito mais grandioso: um mundo que tem uma única rosa. Uma rosa que é também (e sempre será) a princesa desse pontinho e que também permitiu ao pontinho, ao dar-lhe todas as cores, se tornar tão forte e nobre quanto um príncipe... Mas não apenas o principezinho que ama e cuida de sua rosa. Algo muito mais belo e importante: um príncipe cujo amor por sua rosa o transformou em uma rosa para sua princesa.
Feliz aniversário, meu amor! Você iluminou e coloriu a mim e ao meu mundo... E continua colorindo todos os dias. Eu te amo! "

Leonardo. R."

Por que estou mostrando isso? Justamente para deixar bem claro que se tem algo que nunca fiz e nunca seria capaz de fazer seria essa bobagem infantil e nojenta de dizer que estou "domando" alguém. Aliás, jamais faria isso com quem tanto amo. Faço questão mesmo de dizer a todos que sou apaixonado por ela e que sou sempre doce e carinhoso com ela. Mais que isso: faço questão de dizer que não quero mudar ela em NADA... Nem mesmo em seu feminismo. Para dizer a verdade, prefiro ser mudado por ela. E é o que acontece. Quem ama não quer mudar a pessoa amada, mas ser mudado por ela e por esse amor.


OBS: para dizer a verdade, não sou "mascu". Já frequentei meios chamados "mascus", mesmo indo contra o masculinismo em meus últimos meses de participação. O que sou hoje? Simplesmente católico e conservador. Mas entendo que para vocês o termo mascu se aplique perfeitamente a católicos, conservadores, libertários etc.

Outra coisa: ser contra o feminismo não significa ser contra feministas. É óbvio que quando estamos tão ligados a alguma ideologia podemos ter esse tipo de pensamento absurdo. Confesso que já tive, aliás. Conhecer meu amor me ensinou a ver as pessoas como são, ao invés de reduzi-las às ideologias em que acreditam. A parte mais preocupante do seu comentário diz respeito a isso... Você não desejou que eu realmente tivesse mudado e fosse bom com ela. Nem mesmo desejou que me tornasse feminista. Vocẽ simplesmente desejou que ela terminasse comigo, mostrando que além de não acreditar que as pessoas possam mudar, preferiria a vingança à possibilidade da mudança.

Anônimo disse...

Lawlyet leonardo, que bom que você respeita a sua namorada, mas sabemos que nem todos são assim. Eu acredito firmamente que as pessoas são capazes de mudar,mas também sei que não é algo fácil de se acontecer e nem todos estão dispostos a isso. Em caso de violência eu acredito que é melhor o parceiro terminar o relacionamento do que esperar mudanças que só o futuro sabe se serão cumpridas ou não. Tendo isso em mente e sabendo do histórico de homens "mascus", que podem ficar violentos quando contrariados, a opção mais rapida que te previne de sofrer qualquer coisa seria terminar imediatamente o relacionamento. Não vejo isso como vingança, mas sim uma forma rapida de evitar o que pode ou não acontecer.

Lara

Pétala Dorei disse...

Me parece puro machismo impositivo pensar que quem não pensa como feministas é ignorante no sentido de não querer saber. Afinal de contas as feministas se enquadrariam como ignorantes e preconceituosas no sentido de não saber e não querer saber que a liberdade vai até onde se tenha o direito de escolher ser submissa um homem por prazer, por exemplo. Por gostar e se excitar com condições que por ser ignorante no sentido de não saber e não querer saber, coloca-se todos os que se opõem ao modo impositivo de pensamento como ignorantes.

Francamente, abusou do antagonismo.

Denise.
denisetmeireles@gmail.com