terça-feira, 12 de agosto de 2014

GUEST POST: CONTINUO VIRGEM, SOU ASSEXUAL, NORMAL

Uma das inúmeras coisas que aprendi com leitorxs é que a assexualidade é uma orientação sexual como qualquer outra, e, como tal, deve ser respeitada. 
Isso posto, perdoem o título meio sensacionalista acima, mas não pude me conter diante de uma provocação da T., a querida autora do texto a seguir:

Uns dois anos atrás escrevi pra você questionando sobre virgindade, em um post que você titulou de forma bem sensacionalista de “Tenho 22 anos e sou virgem, sou normal?” kkkkkkk Uma frase sua me incomodou profundamente, quando você disse: “não desistiria de algo que nunca experimentei”. Não te culpo, já que meu texto provavelmente levava mesmo a essa ideia. A verdade é que eu estava irritada comigo mesma por não funcionar como todo mundo funciona e muito da minha frustração e confusão passou para a escrita.
Resolvi mandar esse novo email devido ao guest post do seu blog “As muitas possibilidades da assexualidade”. Na época que escrevi pra você eu já buscava alguma informação sobre a minha completa indiferença sexual e encontrei a questão. Ao contrário da autora do post, eu não estranhei nem um pouco as definições, e automaticamente me vi em todas elas (embora admita que até hoje eu tenha um pé atrás com minha orientação, simplesmente porque é difícil assumir que você não encaixa no padrão, e não serei hipócrita para dizer o contrário). 
Percebi que muita gente não conseguiu entender o conceito e que mesmo você ficou confusa com alguns pontos, então talvez explicando como funciona comigo eu ajude um pouco.
Tenho hoje 24 anos, beijei duas pessoas durante toda a minha vida, e a única coisa que senti em ambos os casos foi desconforto. Só me lembro de ter sentido atração sexual por alguém uma vez, quando eu tinha quatorze anos e meu objeto de desejo foi minha melhor amiga, com quem tenho uma imensa afinidade. Um dia estávamos conversando e eu olhei para ela e a achei tão linda que quis beijá-la, mas alguns momentos depois a vontade já tinha sumido e nunca mais senti o mesmo, nem por ela nem por ninguém.
Me identifico como assexual arromântica, não me interesso sexualmente nem romanticamente por ninguém. Aliás, sou a campeã do mimimi da friendzone e já me afastei de várias pessoas simplesmente por que elas não entendiam que eu só as queria como amigas. Dou imenso valor à amizade sincera e não consigo entender por que todo mundo a considera um “prêmio de consolação”.
Mas mesmo me identificando como arromântica a coisa não é simples assim. Admito que me sinto sozinha e cabe dizer que durante uma fase tentei me forçar a ter interesse por algumas pessoas por quem tinha certa afinidade. Obviamente a situação foi desastrosa, nunca consegui olhar outra pessoa como parceirx em potencial e assim que percebia que o indivíduo estava querendo algo mais eu ficava desconfortável, me esquivava. 
Pessoas assexuais são tão
variadas romanticamente
quanto as sexuais
(clique para ampliar)
Como a frustração consumia até mesmo a afinidade inicial, desisti e voltei a desencorajar qualquer investida. Uma coisa, aliás, que ouço com frequência de outros assex, mesmo os arromânticos, é essa vontade de se relacionar mais profundamente com alguém. Somos educados para acreditar que o amor romântico (e sexual) é o único que pode completar (argh, odeio essa expressão), então é difícil de acreditar na sinceridade de uma pessoa que só está a fim de ficar perto de você. Para alguém sexual que esteja apaixonado por um assex, esse tipo de relação deve ser difícil de encarar.
Referente à questão da libido, é um sentimento comum em outros assexuais. Eu me refiro à libido como excitação pura e simples, sem o foco em alguém. Particularmente acho sexo uma coisa fascinante e linda, adoro pornô, me masturbo com frequência e, por mais estranho que pareça, isso não é contraditório. Tente pensar da seguinte forma: a heterossexualidade não se define como interesse por sexo; ela é a atração sexual por alguém do sexo oposto. Isso é o que não tenho. Por exemplo, nunca fantasiei com ninguém enquanto me masturbo, já tentei e a excitação foi embora. O que eu gosto é da sensação de prazer, do orgasmo e só.
O argumento do “não achei a pessoa certa” é inútil. Digo com toda sinceridade que se Channing Tatum, Michael Fassbender ou o Idris Elba, que acho uns lindos, ou mesmo o Neil Gaiman com a Amanda Palmer, a quem além de achar lindos admiro muito, se materializassem na minha frente abençoados pelo deus do tesão querendo enlouquecidamente sexo comigo, eu iria oferecer uma água e a gente provavelmente ia acabar o dia falando de nerdice enquanto come bolo.
Ótimo argumento: "Se existe sexo
sem amor, por que as pessoas não
entendem que amor sem sexo
também existe?"
Não é assim com todos os assex, alguns sentem desejo por seus pares em ocasiões específicas ou com o já citado forte envolvimento emocional. A maioria é romântica e sofre em relacionamentos, ou porque transa pra agradar, ou porque o parceiro acha que a falta de desejo também é falta de amor.
Minha indiferença à pegação também não é padrão: muitos gostam de carinhos físicos, beijos, abraços etc. Sei que os incrédulos duvidam, mas faço outra analogia: todo beijo, abraço e carícia que você faz no seu parceiro é de cunho sexual? É uma preliminar? Te deixa excitado? Acho que não.
Outra coisa que ouço muito é sobre qual a importância de se categorizar tanto. Essa é a mais fácil de responder: para que você não se sinta um alien, para que seu/sua parceirx entenda que elx é lindx, e que não é que elx não seja desejável, é só que isso não importa pra você. Para que você não sofra tanto tentando se enquadrar em algo que não é. Só conseguimos lidar com nós mesmos a partir do momento que a gente se conhece e que entende que não é o fim do mundo ser como se é, que sua vida não acabou e que você ainda merece o mesmo que todo mundo.
Em relação à ideia ridícula de associar a assexualidade com o mito da baixa libido feminina: sinto decepcionar os mascus de plantão, mas a comunidade é bem dividida. E, se não me engano, a balança da maioria pende mais para os homens.
Lembrando que ninguém é como eu, não tenho a pretensão de falar verdades universais e para quem quer respostas técnicas recomendo a pesquisa da Elisabete Regina Oliveira, uma das poucas pesquisadoras do tema no Brasil (eu sou pobre de marré e não entendo inglês, então o material nesse idioma não me serviu de nada). Ela deu uma entrevista não tão boa para a Marília Gabriela. A palestra na biblioteca da USP é mais esclarecedora.
Se quiser conhecer existe a comunidade assexual. E algumas páginas no Facebook também.
Acredito que sexo não define nada sobre ninguém, nem quando você faz muito, nem quando você não faz nada. E acho que fazer com que as pessoas lembrem-se disso vale a tentativa.

43 comentários:

Anônimo disse...

Saber mais sobre a assexualidade foi algo que finalmente me fez me sentir um pessoa ‘normal’.
Não tenho coragem de falar sobre isso abertamente com as pessoas, afinal existe um grande preconceito com isso, até mesmo entre pessoas esclarecidas e ditas ‘mente aberta’.
O meio feminista parece mais inclinado a abraçar a promiscuidade que aceitar a assexualidade e já vi muito, muito preconceito sendo disseminado.
Me enquadro como graysexual e isso no fim serve mais para autoconhecimento. É bom saber quem você é e que existem outras pessoas como você. Mas ainda é bem complicado poder se apresentar assim publicamente.
Torço para que a internet e a informação ajudem que no futuro seja mais fácil ‘sair do àrmario’

Danilo disse...

"Por exemplo, nunca fantasiei com ninguém enquanto me masturbo, já tentei e a excitação foi embora. O que eu gosto é da sensação de prazer, do orgasmo e só."


Resposta: Há uma diferença entre o ato sexual real e o ato sexual mental. Este último se dá pela contemplação de imagens eróticas, sejam elas imagens mentais, lembranças, fantasias eróticas ou então filmes, fotografias e películas pornográficas. O ato sexual real é concreto e vivo, enquanto suas diversas representações são abstratas.

O ato de masturbar-se é um ato de desfrute de um prazer de tipo mental. O prazer masturbatório, tão elogiado hoje em dia, é mental, abstrato, fantasioso e imaginativo, resulta do desfrute de sensações vivenciadas mentalmente. O masturbador não se excitaria e nem teria prazer caso não evocasse mentalmente suas fantasias eróticas. Aquele que está se masturbando está gozando sensações mentais.

O desejo carnal não está no órgão sexual e sim na cabeça. O órgão sexual apenas ejacula.

Anônimo disse...

Minha querida,
O importante é se sentir bem. Se tu é verdadeiramente feliz sem contato físico, que assim seja. O que não vale é o medo e o nojo, e por isso evitar as expressões de afeto. Tem de ser sincera contigo mesma, jogar limpo. Eu mesma perdi a virgindade aos 24 anos, foi sem amor, e foi maravilhoso, pois eu queria demais. Eu fiquei e ainda fico muito tempo sozinha porque os caras que eu queria não me queriam, e tb meu círculo de amizades era pequeno, sem grana pra nada. E o desespero não me pega, pois me amo, me adoro. Bem capaz que vou perder tempo com pé de chinelo que vive querendo "namoro" por pura ignorância. Ser feliz em primeiro lugar é o que há. E apenas tu pode saber se é ou não, apenas seja honesta. Transar é ótimo, mas se há outras formas de satisfação, vai em frente. Se sexo por sexo trouxesse felicidade, então prostitutx seria guru espiritual.
Seja feliz e aproveite a beleza da boa saúde e da juventude.

Gle disse...

Imagino como a autora já deve ter sofrido emocionalmente. Quantas vezes ela já deve ter ouvido piadinhas sem graça e se coagido pelas "N" situações de conversas com diferentes tipos de pessoas. Essa frase de "você só não gosta pq nunca teve um cara/mulher de verdade" é a coisa mais escrota que uma pessoa pode falar, sério! Já ouví várias vezes. Não sei o que essas pessoas pensam. O negócio tá dentro de ti, não é algo tipo "agora eu gosto disso", "agora daquilo" ou "a pessoa X fez com que eu gostasse".
Muito bacana o relato dela e a forma com que se expôs, dando oportunidade pra mais pessoas que sejam assim, saber onde procurar recursos que não as pré julguem. Cada um tem o direito de ser e gostar do que lhe faz bem.

Anônimo disse...

Então um homem forte, lutador de artes marciais, que sabe exatamente a força que tem e o estrago que pode fazer agride covardemente a ex-namorada a ponto dela ir parar no hospital literalmente com a cara quebrada, mais de vinte ossos do osso partidos, fora uma ameaça de estupro não concretizada.

Aí a imprensa noticia assim:

http://esporte.uol.com.br/mma/ultimas-noticias/2014/08/11/atriz-porno-aparece-desfigurada-e-diz-que-lutador-usou-ate-faca-em-agressao.htm

Não é uma mulher, é uma ATRIZ PORNÔ

Não é EX NAMORADO, é namorado, embora eles tenham terminado o namoro em maio

A justificativa é a TRAIÇÃO, reparem que em notícias de homens que cometem crimes violentos contra mulheres sempre existe uma justificativa: foi traído, foi abandonado etc.

http://esporte.uol.com.br/mma/ultimas-noticias/2014/08/11/lutador-acusado-de-agredir-namorada-atriz-porno-reforca-tese-de-traicao.htm


E não contente, o cara ainda usa o Twitter pra se desculpar e a imprensa noticia isso gloriosamente.

http://esporte.uol.com.br/mma/ultimas-noticias/2014/08/09/lutador-do-bellator-acusado-de-agredir-namorada-pede-desculpas-no-twitter.htm

Só eu to vendo alguma coisa MUITO ERRADA na forma como a imprensa está tratando isso?

Anônimo disse...

Aos assexuais ou a qualquer pessoa, independente da orientação sexual (bi, gay, hetero, pedo, pan, qualquer uma), acho que qualquer pessoa tem o direito total de ser feliz mas vamos combinar uma coisa rapidinho aqui? SEJAM HONESTOS, sério, não usem as pessoas e os sentimentos das pessoas para fazerem suas catarses psicanalíticas. Você é o que é e sabe o que é, então por favor, coloquem isso logo de cara para qualquer pessoa que tenha interesse romântico por você, não faça joguinhos, não faça testes, não fiquem nessa de "ah vou tentar com essa aí pra ver se dá certo" e depois que a pessoa estiver bem envolvida romanticamente chuta e dispensa "porque não deu", o nome disso é calhordice e nada justifica.

TL;DR: sejam honestos consigo e não usem as pessoas. Independente da sua orientação sexual.

N disse...

Pode parecer bizarro, mas acredito ser difícil abraçar a assexualidade no meio feminista "liberal", como a anônima falou que só "exalta" a sexualidade. Imagina todas falando sobre a liberdade de "dar pra quem quiser, se libertar do moralismo" e as assex ouvindo, como se o fato de não transar nos fizesse moralistas...

june_miller disse...

É difícil conversa sobre isso, até mesmo no meio feminista. Todo mundo parece olhar meio por cima, como se tivesse conversando com um ET ou uma frígida. Já li na net mulheres feministas que se sentiram excluídas no feminismo por se manifestarem assexuais. Como escreveram acima, parece que que esquecem o que é liberdade sexual.

Anônimo disse...

O que me deixou em dúvida foi essa questão do pornô. Por que as pessoas na tela te excitam mas tanto as reais, quanto as "imaginadas" por você, não?
É só pra entender mesmo, seja feliz.

N disse...

June, uma vez fui numa reunião de coletivo feminista aqui da cidade e tavam falando sobre a regra (conservadora) de NÃO PODER transar no primeiro encontro. Ok. Aí uma das gurias falou (e todas concordaram):

"Eu não entendo essas gurias que não liberam logo, são umas reprimidas".

Não gostei NADA de ouvir isso num ambiente que deveria incentivar a liberdade.

DEATH ADDER disse...

danilo ta certo, o prazer é mental mesmo.

se o prazer fosse vindo do órgão, eu não iria conseguir me masturbar nem fazer sexo, pois sou circunsizado devido a problema de fimose que tive, mas eu me masturbo e consigo fazer sexo ate porque o prazer é mais mental do que outra coisa.

entao a mulher com certeza fantasia com alguem, e eu acho meio impossível a pessoa viver sem se masturbar pois masturbaçaõ é necessidade fisiologica, difernte do sexo, eu fico no desespero quando passo mais de 3 semanas sem masturbaçaõ, por isso mesmo seria um inferno pra mim se eu vivesse na prisão, e é isso que me faz preferir viver isolado na punheta em vez de me socializar e entrar em conflitos com psicopatas o que me levaria pra prisão onde a condição de masturbação seria precária

Arnold Sincero disse...

Atemção!

Veganos estremistas criaram em labóratorio um carrapato q causa alergia a carne vermelhas, nome dele é lone star em referencia a bandeira comunista!

Anônimo disse...

E Os fiscais de sexo que são machistas obviamente, não só fiscalizam quem faz como quem não faz sexo, no final vão das contas te chamar de frígida.

Anônimo disse...

Eu só senti orgasmo me masturbando , pq transando não deu em nada, infelizmente os homens são fraquíssimos em agradar mulheres na cama.
Tem muita mulher que só sente orgasmo se masturbando.

Anônimo disse...

As vezes vc não sente vontade de ficar com ninguém, a cantora kelly clarkson por exemplo disse que não gostava de beijar, Tem gente que diz que beijo é tudo igual.

angel de luz disse...

Na maioria das vezes os homens só querem fazer sexo pelo próprio prazer, e pra depois contar pros amigos, ou seja a mulher não saí ganhando. Por isso sinceramente eu também os vejo como objetos.

Danilo disse...

'entao a mulher com certeza fantasia com alguem, e eu acho meio impossível a pessoa viver sem se masturbar pois masturbaçaõ é necessidade fisiologica, difernte do sexo, eu fico no desespero quando passo mais de 3 semanas sem masturbaçaõ, por isso mesmo seria um inferno pra mim se eu vivesse na prisão, e é isso que me faz preferir viver isolado na punheta em vez de me socializar e entrar em conflitos com psicopatas o que me levaria pra prisão onde a condição de masturbação seria precária'


Resposta: Masturbação não é necessidade fisiológica porque você não vai morrer senão se masturbar. Necessidade fisiológica é comer, beber água, mijar e cagar.

Porém o sexo mental alimenta a luxúria e escraviza a pessoa. Quando estamos há muitos dias sem ejacular (e portanto cheios de energia para os impulsos da ejaculação), permitimos que a mente seja invadida pela luxúria (pensamentos sexuais de infinitos tipos), nos esquecemos de tudo o que não seja o objeto sexual do desejo. A única meta passa a ser a satisfação do desejo sexual.

Na cultura de excitação que vivemos hoje e num mundo excessivamente tecnológico, é quase impossível abdicar de uma vida sexual.

Os pensamentos eróticos nunca desaparecem do ser humano, eles poderão voltar a qualquer momento, ainda que tenham sumido há muito tempo. Por isto, não acredito muito na castidade dos padres e monges. Inevitavelmente eles sofrerão uma caída sexual, seja através da masturbação ou da fornicação.

A promiscuidade sexual que vem ocorrendo dentro das Igrejas mostram que a castidade é uma ilusão. Sempre somos induzidos ao ego da luxúria.

D Stoffel disse...

At least food will never break my heart.
(Pelo menos comida nunca vai quebrar meu coração.)

Dizem que ninguém escolhe a orientação sexual, eu pelo menos nunca vi um manual de qual a orientação sexual certa pra você.
Mas talvez ela esteja confusa já que sentiu atração por alguém um dia, agora tem que saber se foi só atração ou admiração.

Sara disse...

anon 13.17hs faz tempo q isso acontece, é absurdo sem tamanho, como esses malditos apresentadores de noticias e a imprensa em geral noticia esses crimes, é de ferver de ódio tanta injustiça.

Raven~ disse...

Off topic:

Não foram veganos. Ele só existe.
Nada a ver com a bandeira comunista, e sim a do Texas.
E provavelmente é fale.

http://causasperdidas.literatortura.com/2014/08/12/carrapato-encontrado-nos-eua-provoca-alergia-a-carne/

Raven~ disse...

*fake

Anônimo disse...

"SEJAM HONESTOS, sério, não usem as pessoas e os sentimentos das pessoas para fazerem suas catarses psicanalíticas. Você é o que é e sabe o que é, então por favor, coloquem isso logo de cara para qualquer pessoa que tenha interesse romântico por você, não faça joguinhos, não faça testes, não fiquem nessa de "ah vou tentar com essa aí pra ver se dá certo" e depois que a pessoa estiver bem envolvida romanticamente chuta e dispensa "porque não deu", o nome disso é calhordice e nada justifica"

Nossa, concordo plenamente, mas nem digo isso em relação a assexualidade, mas a pessoa já saber que aquela relação não vai dar em nada e mesmo assim iludir o outro, prometer coisas que sabe que não vai cumprir.

Não é desgaste na relação, não é término por haver diferenças entre ambos ou incompatibilidades, é porque a pessoa é "solteira convicta" (assexual ou não, tem mascu/canalha solteiro convicto que tem desejo sexual mas não quer relacionamento, que adora iludir mulheres dizendo que com elas "vai ser diferente", enfim), a pessoa deveria PENSAR antes de sair prometendo coisas e coisas sem ter certeza do que quer pq tem o outro, os sentimentos do outro e o tempo do outro.

Todos sofrem desilusões amorosas, mas tem gente que parece fazer de propósito, só pra tirar uma com a cara do outro, pqp. Não se brinca com a cara dos outros, um dia isso pode se voltar contra vc.

E não é só homem que faz isso, tem mulher tbm. Enfim.

Anônimo disse...

Esses mascu zeta do caramba que não querem casar e não gostam de ninguém, mas gostam de iludir pra se sentirem "poderosos" e "desejados". Isso tem bastante.

E isso não é assexualidade, é narcisismo - existe o diagnóstico, transtorno da personalidade narcisista, é sempre um inferno cruzar com um. Acho que a maioria desses mascu marriage strike é portador deste transtorno, principalmente esses zeta, se acham melhores que o mundo e odeiam as mulheres, os outros homens, todo mundo.

DEATH ADDER disse...

'' Por isto, não acredito muito na castidade dos padres e monges. Inevitavelmente eles sofrerão uma caída sexual, seja através da masturbação ou da fornicação. ''

é verdade. todo esse asceticismo parece muito falso por isso. é possível alguem desistir de procurar mulheres, mas é impossível se livrar do desejo de se masturbar.

eu resolvi me conformar em ser solitário, mas nunca deixo a masturbaçaõ de lado, e é por isso que não existe 100% de misoginia, existe é o desapego em relação a mulheres, mas não relação a masturbação.

aqui tem uma entrevista com um cara que se suicidou, de uma banda que te mostrei anos atras, ele era pessimista, quando perguntaram a ele sobre sexo, ele apenas respondeu sobre masturbações e itens de pornografia, parece que ele cagava e andava pro lado social. só to recomendando porque a entrevista é bastante pessimista mesmo.

http://panzer.users5.50megs.com/articles/sv/BHOABHANSIDHEthykingdomcome.htm

lola, não é link mascu, não tem nada a ver com masculinismo. só quero mostrar uma entrevista de um pessimista pro danilo, de uma banda que nós ouvimos, não tem nada a ver com masculinismo

DEATH ADDER disse...

''Na cultura de excitação que vivemos hoje e num mundo excessivamente tecnológico, é quase impossível abdicar de uma vida sexual. ''

numa sociedade altamente tecnologica como essa a gente ve fotos de mulheres semi nuas em vários lugares, talvez por isso seja dificil eliminar o desejo sexual.

Anônimo disse...

Alguém pir favor pode me explucar como alguém que diz se masturbar mais que eu pode ser assexual?? E se ela se masturba vendo pornô, então??!

Fernanda disse...

Dúvida besta, se alguém pudesse responder: se há uma relação de amor entre um assex e uma pessoa que curte sexo, é traição se essa pessoa se relacionar sexualmente com outrxs? Importa o/a namorado/a ser monogâmica sexualmente falando?

Tenho um amigo que é o que ele chama de 'pan romantico' e assexual. É diferente uma pessoa de 23 anos nunca ter beijado ninguém porque nunca teve vontade, mas, pelo que eu saiba, todos respeitam ele assim. nunca perguntei muita coisa sobre o assunto com ele, ainda mais depois que ele disse que me curtia e eu coloquei ele na friendzone hehe

Bjos, e sejam felizes do jeito que são

Anônimo disse...

Eu não entendo muito bem essa questão de se masturbar, TER desejos sexuais e ser assexual o.O, pois se a pessoa é assexual ela não deveria NUNCA pensar em sexo, nunca se masturbar? Essa de não gostar de beijo também é nova pra mim...

Anônimo disse...

Como tem um monte de gente perguntando, vou tentar esclarecer algumas dúvidas: assexualidade não significa falta de libido. Significa apenas que a pessoa não sente atração sexual por outras pessoas. Quem é assexual pode se sentir excitado simplesmente pela masturbação, pela ideia de sexo, etc. Isso não significa que, se ela assiste pornô, ela se sinta atraída pelos atores ou atrizes. Eu também sou assexual arromântica e também me masturbo. Mas isso não significa que eu deseje fazer sexo ou que eu sinta atração sexual por outras pessoas. É claro que até mesmo esta minha definição de assexualidade é simplista, pois existem pessoas que são assexuais demissexuais, que só sentem atração sexual em uma situação específica: quando há um forte vínculo emocional com outra pessoa. E devem ter várias outras nuances que eu nem conheço. Mas enfim, é possível sim se masturbar e ser assexual.

Anônimo disse...

Ela explicou no texto, embora eu discorde dela.

Anônimo disse...

"Anônimo disse...
Como tem um monte de gente perguntando, vou tentar esclarecer algumas dúvidas: assexualidade não significa falta de libido"
)_
àá bom, porque senão, assexualidade seria geral entre as mulheres, rsrsrs

Danilo disse...

"aqui tem uma entrevista com um cara que se suicidou, de uma banda que te mostrei anos atras, ele era pessimista, quando perguntaram a ele sobre sexo, ele apenas respondeu sobre masturbações e itens de pornografia, parece que ele cagava e andava pro lado social. só to recomendando porque a entrevista é bastante pessimista mesmo."


Resposta: Não existe relação sexo com pessimismo. Sexo tem uma ligação extrema com o hedonismo e o hedonismo tem como dilema a filosofia do "carpe diem". Carpe diem entra numa dinâmica muito mais otimista do que pessimista.

Mas o excesso hedonístico tem como pano de fundo o Niilismo também.







Danilo disse...

"Dúvida besta, se alguém pudesse responder: se há uma relação de amor entre um assex e uma pessoa que curte sexo, é traição se essa pessoa se relacionar sexualmente com outrxs? Importa o/a namorado/a ser monogâmica sexualmente falando?"


Resposta: Ninguém é verdadeiramente monogâmico. Se a pessoa não traí fisicamente ela traí mentalmente.

Expat Patronum disse...

Esse ano pela primeira vez um brasileiro ganhou a Medalha Fields, a maior premiação da matemática.

Também esse ano foi a primeira vez que uma mulher ganha a premiação, a iraniana Maryam Mirzakhani. Achei que vocês feministas gostariam de saber.


https://www.facebook.com/cienciahoje/photos/a.751830651513384.1073741826.217295094966945/898346226861825/?type=1&theater

Anônimo disse...

"Dúvida besta, se alguém pudesse responder: se há uma relação de amor entre um assex e uma pessoa que curte sexo, é traição se essa pessoa se relacionar sexualmente com outrxs? Importa o/a namorado/a ser monogâmica sexualmente falando?"

Respondendo: Se há uma relação de amor entre um assex e uma pessoa que curte sexo, os dois sentam e conversam a respeito do relacionamento como adultos e, juntos, estabelecem as "regras". Pode ser que eles resolvam ter um relacionamento aberto, que a atividade unicamente sexual fora do relacionamento não seja considerada traição, como pode ser que eles resolvam serem fiéis, tanto romântica quanto fisicamente.

Tem que haver sempre a conversa, o respeito, e o entendimento mútuo. Se a pessoa assex se importa com o fato dx namoradx ser ativo sexualmente, isso vai variar de indivíduo para indivíduo. Não tem uma fórmula pronta.

Anônimo disse...

Conheço MUITOS homens assexuados que fingem uma ultrasexualidade altamente libidinosa. Puro fingimento.

L. G. Alves disse...

Ai quando acho essas coisas eu tenho que mostrar. Meu comentário não é sobre o post, mas sobre o que li aqui: http://veja.abril.com.br/blog/rodrigo-constantino/cultura/mulheres-peludas-unidas-contra-machismo/ Um sujeito que obviamente não entende nada de feminismo.

Raven~ disse...

Ouviram galera? 100% misoginia não é odiar mulheres plenamente e sim deixar de bater punheta.

Claro, pq super somos pintos na mão dos donos.

Sara disse...

Todas as opções de sexualidade tem e devem ser respeitadas, o q incomoda de fato, pelo menos a mim, é pessoas que acham q todas as outras devem entender e saber toda a nomenclatura e práticas de cada particularidade das opções q existem.
Acho gente assim um porre!!! por isso nem costumo participar dessas discussões, respeito e luto pelo direito a igualdade entre todos os sexos, mas dai a saber como gostam de ser tratados e saber das suas peculiaridades me poupem....

Joseph Ruelers disse...

Ser "revolucionária" é fácil. Uma idéia na cabeça, e um teclado na mão.
Onde estão as mulheres para construir o país? As matemáticas, as engenheiras, as políticas, as carpinteiras, as operárias, e as guerreiras?
Fácil falar, difícil fazer.
O balanço do pêndulo vem de nossa diferença. Reconheçam, e serão melhores naquilo que nasceram para ser: Mulheres.

Ana disse...

Ah, eu me lembro desse post. As conversas foram muito boas nos comentários e foi muito interessante pra mim, que comecei """tardiamente""" (aspas, muitas aspas, porque não existe regra pra isso) a me relacionar.

Fico muito feliz por você ter se encontrado! O que eu percebo na internet é que ser assexual não é fácil - muita pergunta ignorante o tempo todo, muito preconceito o tempo todo, muita luta pra conquistar um espaço. Parece cansativo. Espero que você fique bem.

Acho que foi naquele post que eu entrei em contato com a definição de 'demisexual', aliás. Se não me engano, o conceito me foi apresentado por outra comentarista quando eu disse que podia achar um homem lindo, maravilhoso, mas não transaria com ele nunca. Não sou asexual, sinto atração por pessoas, mas somente pessoas com quem tenho alguma conexão emocional - daí me disseram, 'isso é demisexualidade!'.

Naquela época, eu ainda era virgem e solteira. Nunca tinha feito nada, NADA - dane-se beijar, eu não tinha nem andado de mãos dadas!
Um tempo depois, comecei um relacionamento com o meu melhor amigo. Nunca vou esquecer das risadas dele quando eu disse que era um tipo de assexual. "TU?! ASSEXUAL??!!!? HAHAHAAHAHAH". Aí eu tive que explicar com todo o carinho que embora eu gostasse de puxar ele pela gola da camisa pra cima da cama, eu tinha levado 4 anos pra me sentir atraída, e que isso é uma particularidade.

Hoje estou muito bem, obrigada. Perdi a virgindade, foi bem tranquilo, muito natural, e muito gostoso. Estou namorando, o cara gosta de mim como eu sou, final feliz por enquanto. Aprendi que tem tanta, tanta, TANTA besteira que dizem por aí sobre como homens são, como mulheres são, como relacionamentos funcionam. TUDO BOBAGEM.

Tomara que esse post gere boas discussões como o outro.

PS: Gente, que pena desse povo que acha que mulher não tem tesão. Sério. Nunca tiveram tesão por eles. Lágrimas.

Anônimo disse...

Depois desse post me sinto "normal". Vivemos num mundo onde tudo precisa remeter ao sexo e se você não quer fazer você não é "normal". Isso me deixava super confusa. Não acho que eu seja homosssexual, mas também não me enquadraria no padrão heterossexual, não tem preferencias, acho que na verdade toda essa ideia de rotular é pura balela cultural, mas sim, super normal nos rendermos a isso. Mas voltando ao assunto do post. Sempre tive orgasmos me masturbando, e não pensando em ninguém para conseguir esse feito. As relações sexuais que eu tive foram simplesmente para agradar os outros, sempre "me virei melhor" sozinha mesmo. E por conta de não ter orgasmos com os parceiros, acabei sendo taxada de frigida. Foi um rotulo dificil de engolir, pois me sentia não cumprindo minha função sexual, e fiquei com várias dúvidas sobre se eu realmente gostava daquilo, e se eu precisava gostar. Enfim, extremamente esclarecedor saber que tem histórias parecidas.

alguém disse...

O depoimento dessa garota parece até que fui eu que escrevi!
Também sou assexual arromantica, tenho 25 anos e o máximo de intimidade que ja tive com alguem foi beijar 2 caras na minha vida tambem. Só.
No primeiro beijo o garoto era bacana, foi inesperado, mas achei o ato de beijar sem emoção. Fiquei contando os minutos pra voltar pra casa. E pra piorar o segundo carinha, era uma festa, o cara tinha bebido um monte e uma hora ele vira e vomita tudo. Aaarrrgghhhh!! O pior foi ter que dar um "selinho" de despedida nele depois!!
Sinceramente, eu sou mais feliz assim, livre de beijos, sem ninguém pegando no meu pé. Nunca me apaixonei tbm,então acho q sou mesmo arromantica.
Mas só fui descobrir que sou Assexual há uns 3 anos atrás, antes nem sabia o que era assexualidade.
A unica coisa chata é que sou filha unica...então eu sempre fico pensando que provavelmente nunca darei netos a meus pais. E como ja tenho 25 anos, ja ha aquela pressão social, afinal eu ja era pra estar naquela fase que ja tive um monte de namorados e agora era pra estar arranjando o "cara certo" pra casar.
Todo mundo da minha familia estranha muito isso, de eu nunca ter aparecido com namorado. Bem, nesse ponto nunca dei "dor de cabeça" pro meu pai, mas tenho certeza que ele deve estranhar também!
E tenho certeza que algumas pessoas na familia devem achar que eu sou lésbica.
Ser assexual é legal, mas tambem é dificil, pelo preconceito e pressão social.
Ninguem sabe que sou assexual. Eu ainda to dentro do bolo - igual muitos gays dentro do armario.