quinta-feira, 17 de abril de 2014

GUEST POST: HOMENS "HUMANISTAS" QUE REJEITAM O FEMINISMO NÃO SÃO HUMANISTAS

Meu querido Robson, de Recife, autor do ótimo blog Consciência (agora de layout novo) e do inspirador Veganagente, sempre me envia textos seus que fazem pensar, e que são publicados aqui como guest posts
Desta vez Robson contesta o humanismo de gente que fala aquele velho clichê "Não sou feminista, sou humanista". Você sabe qual é

Muitos homens, ou por desconhecimento sobre o que é realmente o feminismo ou por machismo mal disfarçado, dizem com todo gosto: “Não sou machista nem feminista, sou humanista”, ou “Não apoio o feminismo, mas sim a igualdade”. Alguns fatos mostram, porém, que esse tipo de homem pode ser qualquer coisa, menos humanista e pró-igualitarista (considere-se “igualitarismo” e “igualdade” aqui como referente aos direitos de pessoas de todos os gêneros e identidades de gênero, às garantias de que esses direitos serão verdadeiramente respeitados, e ao tratamento social).
Quando se rejeita apoiar o feminismo -– considerando-se que existe uma enorme polêmica sobre se homens podem ser propriamente feministas ou simplesmente aliados do feminismo -–, está-se rejeitando uma luta contra a opressão, pelos direitos humanos, pela derrubada de um sistema de hierarquização moral de seres humanos. Por isso, recusar apoio à causa feminista é rejeitar a dignidade de aproximadamente metade da população humana do mundo. E isso não pode ser visto como humanismo e pró-igualdade.
Não é nada humanista tentar minimizar ou silenciar a luta das mulheres contra o patriarcado, o qual é um sistema de valores e costumes que justamente impede que os seres humanos de todos os gêneros sejam tratados com a mesma dignidade. Rejeitar uma luta cujo objetivo é abolir uma tradição multimilenar que considera mulheres inferiores aos homens é tudo menos igualitário.
Da mesma forma, nenhuma pessoa realmente humanista vai tentar negar e desconsiderar a luta dos negros contra o racismo estrutural e cultural, seja ele velado ou explícito; nem irá rebaixar mentalmente à irrelevância a luta do movimento LGBT contra as tantas discriminações e rompantes de ódio heterossexistas (homo, lesbo e bifobia e intolerância contra assexuais) e transfóbicas a que seus integrantes são cotidianamente submetidos.
Nem está de acordo com os princípios da ética do humanismo secular equiparar o feminismo, um movimento antiopressão e pró-libertação, com o machismo, uma ideologia de opressão e dominação. Achar que o feminismo é “anti-homem” tal como o machismo é antimulher é tão ilógico e distorcido quanto acreditar que o movimento negro luta para que os negros passem a ser os opressores dos brancos, e ambas as crenças não só revelam que seus acreditadores não são nada humanistas, como também escancaram que eles sequer sabem o que é o humanismo e em que consiste sua ética.
Dizer “Não sou feminista, sou humanista”, mesmo sem a crença de que o feminismo é “anti-homem”, é algo que muitos reacionários costumam fazer na tentativa de negarem portar privilégios em função da combinação de categorias de raça, (identidade de) gênero, classe social, religião, orientação sexual etc a que pertencem. Essas pessoas, em especial homens cis [que sempre se identificaram e foram identificados como homens], tentam ignorar a existência de todo um sistema integrado de hierarquização moral, opressão e discriminação, e acreditam ingenuamente que todos os seres humanos já são hoje tratados com igualdade e sem a interferência de preconceitos e intolerâncias. 
Nessa imaginação, as violências sofridas, por exemplo, por mulheres negras, pobres e lésbicas seriam as mesmas que aquelas a que homens brancos heterossexuais de classe média estão sujeitos.
Em outras palavras, essa frase se assemelha muito ao ditado reacionário “Não precisamos de consciência negra, e sim de consciência humana”. Silencia da mesma maneira o sofrimento e as demandas das tantas minorias existentes por libertação. 
Do Think Olga
Portanto, quem é adepto dessa crença de que é possível ser “humanista” sem apoiar o feminismo está, nada mais, do que dando carta branca para a ocultação e perpetuação do patriarcado e de suas tantas opressões, e isso não é nada humanista e pró-igualdade.
Quem nega apoio às causas libertárias das minorias políticas, como o feminismo, está sendo não humanista, e sim anti-humanista. Está em oposição diametral aos propósitos do humanismo, que é apoiar as lutas de todos os seres humanos oprimidos pela sua libertação coletiva do multissistema de opressões que os inferioriza perante as categorias dominantes e, como consequência, por uma sociedade em que não haja mais desigualdades em função das características que hoje “justificam” a hierarquização moral das pessoas.
Feminismo ensina meninas a
serem alguém ao invés de serem
de alguém
Portanto, todo homem humanista precisa apoiar o feminismo e as demais causas libertárias das minorias políticas. Caso contrário, ao continuar com frases paradoxais como “Não apoio o feminismo, mas sim o humanismo”, está jogando fora qualquer apoio às verdadeiras causas e objetivos humanistas e, assim, se comportando não como um entusiasta ou militante do humanismo secular, mas sim como um reacionário que acha ruim que estejam tentando transformar seus privilégios em direitos universais.

116 comentários:

Anônimo disse...

Esse reza direitinho pela cartilha das taras ideológicas. Sua rainha deve estar super contente.

Kittsu disse...

Off:
"você nunca vai ver uma mulher protegendo um homem, porquê isso nunca aconteceu e nunca vai acontecer"

http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/cidades/2014/04/17/interna_cidadesdf,423625/vitima-de-assalto-protege-suspeito-contra-agressoes-de-testemunhas.shtml

Anônimo disse...

O Humanismo não é a favor do homem, mas a favor da Ciência e contra tudo que é teísta. Engana-se muito quem espera dos humanistas alguma mentalidade compassiva ou simpatizante das causas das minorias (ou maiorias mesmo).

Noêmia Cristina disse...

Da mesma forma, quem se diz feminista e continua oprimindo as outras mães só porque não são da mesma espécie que a sua, é incoerente. E um texto grande desses sem uma linha de veganismo é bem conveniente para todas as feministas especistas... se é que existe mesmo feminismo sem veganismo.

lola aronovich disse...

Fico super contente mesmo com as ideias do Robson, que não precisa da minha aprovação. Já disse que feminismo não tem rainha? Que feminismo quer mais é acabar com a monarquia? De toda forma, pena que meu "reinado maléfico" esteja quase no fim, agora que mascus/reaças divulgarão um dossiê anti-Lola mostrando todos os meus fakes.


Noêmia, nem saberia como começar a te responder, então deixo esta árdua tarefa para o Robson, que é ativista vegano, e a outrxs feministas veganistas.

Anônimo disse...

Porque eu deveria ser adepto de um movimento que afirma que faço parte da escoria da raça humana por ter um pênis?

André disse...

Eu conheço ativistas de movimentos negros que são contra as cotas, nem por isso são reaças. Não é possível ser feminista (no sentido de acreditar que homens e mulheres tem os mesmos direitos) mas se dizer não feminista (no sentido de não ser um ativista e/ou discordar das estratégias mais usuais do feminismo)?

Noêmia Cristina disse...

Muito obrigada pela resposta, Lola! Mas creio que as veganas e o Robson concordarão comigo. Na verdade, suspeito que até você concordaria se pudesse ler a interseccionalidade apontada por Carol J. Adams. Bejim no core!

Anônimo disse...

Um dos dogmas do feminismo, e a desconstrução e desqualificação do masculino como um todo, eu conheço pessoalmente algumas feministas que afirmam ter desconstruído sua heterosexualidade como forma de afirmação politica, e não por convicção sexual.
Me diga porque eu, homem, deveria simpatizar com o feminismo?

lola aronovich disse...

Anon das 15:50, vc faz parte da escória da raça humana por ser um mascu, não por ter um pênis. Por favor, deixe um link aqui de algum post meu em que eu digo qualquer coisa ligeiramente parecida com isso que vc diz que este movimento afirma. Como vai ser bem difícil vc encontrar, vale deixar links de posts que digam isso mas que não tenham sido escritos por mascus. Porque mascu adora tentar se passar por mulher feminista. Depois quem tem taras ideológicas sou eu...

Anônimo disse...

O cara está determinando regra para o que um indivíduo deve ou não simpatizar e apóia?
Ninguém e obrigado a aferir a movimento algum que não concorde.

Sabrina disse...

É por essa arrogância que eu não sou feminista,entre outras coisas também,como demonizar grande parte dos homens e santificar as mulheres,tudo é machismo,nunca assumir responsabilidade por nada e por outra coisa que tenho certeza que vou ser chamada "mscu",isso é para qualquer um que discorde de vocês.
A arrogância é tanta que vocês dizem que falam por todas as mulheres,falam por mim sem me conhecerem,ignorando completamente que muitas de nós estamos longe de concordar com tudo que é dito pelo feminismo,e assim que uma discorda,vira homem,porque imagina só,uma mulher discordando de uma feminista?? Absurdo demais!

Quer dizer que se a pessoa não for feminista,ela só pode ser racista,homofóbica,machista e se ela falar que é contra isso,só pode estar mentindo.
Feministas são perfeitas e respeitam tudo e todos,tá bom,tá serto...
Ridículo demais esse texto.

Anônimo disse...

Deixe-me ver se eu entendi bem: se o cara concorda (mesmo) com a igualdade, mas não se sente representado no feminismo (seja pelo motivo que for), é machista igual àqueles caras que batem na esposa, estupradores, sanctos, masculinistas e reacionários da pior espécie (olavetes) e está "silenciando o movimento" só porque ele em particular não se junta a essa luta?

OK, sei que estamos em um país cujo povo adora uma dicotomia. Mas apelar para isso chega a ser falacioso quando estamos falando de política. Não existe só feminista e machista. Assim como não existe só direita capitalista e esquerda comunista.

E exigir que homens que estejam em algum lugar que não nos pontos determinados - ou seja, aqueles que apoiam a igualdade entre os gêneros, mas não o feminismo e se descrevem como humanistas/igualistas por falta de palavra adequada - é afirmar que o feminismo seja exatamente o oposto de machismo. Inclusive no ódio.

Acredito que é você, Robson, quem deveria parar de enxergar essas coisas como uma dicotomia, uma espécie de Fla-Flu político, mesmo quando existe um Vasco, um Botafogo...

Lopes disse...

Resumindo tudo :feministas são fodonas ,salvadoras do universo,com uma bondade infinita e quem n for feminista é lixo.
Isso engloba centenas,talvez milhares de pessoas,homens e mulheres que são escória humana,apenas por n se curvar ao feminismo.
A favor do aborto e ainda querem falar de direitos humanos,mas pra vcs um feto n passa de uma bactéria,um verme qualquer,me esqueci disso.

kkkkk muito coerente.

Anônimo disse...

O feminismo deve ser o único movimento ideológico do mundo, que as atvistsd querem que quem elas odeiam, ad apóie.
Isto não faz sentido algum.

Julia disse...

André, não existe um feminismo só. As/os feministas não concordam em todos os pontos. Mas ou se é feminista ou não é.
Porém há gente que é feminista mas não assume.

Anônimo disse...

Lola, o que é um mascu? Todos os homens são? Meu marido que me respeita, é muito bem sucedido e limpa bunda de bebê e lava louça fim de semana é? O que é ser um mascu? Acho esse nome tão pejorativo.

Julia disse...

Anon, então essa "desqualificação e desconstrução" que você fala se resume a não querer mais transar com homem? Você queria pegar alguma delas por isso que você ficou chateado?

Anônimo disse...

"Anon das 15:50, vc faz parte da escória da raça humana por ser um mascu, não por ter um pênis"

Lolinha, obrigada pela risada alcançada! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

aiaiai

Anônimo disse...

"vc faz parte da escória da raça humana por ser um mascu"

Não é por que é mascu não.

É porque ele pensa diferente de você.

Se ele escrevesse que é feminista e adepto de ideologia de direita, ainda assim seria escória porque feminista têm que ser de esquerda, senão tá muito errado.

Anônimo disse...

Legal, agora explica esse post inteiro para as crias da Segunda Onda.

Anônimo disse...

Noêmia Cristina, você é só mais um estereótipo que vive na paranoia de que todas as causas minóricas têm que estar juntas ou então é opressão e mimimi. Boa sorte com seu exército de meia-dúzia de pessoas ideologicamente puras, perfeitas e imaculadas.

(p.s.: já redistribuiu sua renda hoje?)

Kittsu disse...

"Um dos dogmas do feminismo, e a desconstrução e desqualificação do masculino como um todo"

Se você entende "masculino" como agressividade, violência, desrespeito, sexualização irresponsável, é isso mesmo.


"Me diga porque eu, homem, deveria simpatizar com o feminismo?"
Se sua masculinidade é baseada em ser um brucutu tapado cuja unico motivo de existência e razão de viver é "cumê buça a qualquer custo" e competir em numa hierarquia masculina imaginária, acho que fica complicado simpatizar mesmo. Afinal quando essa noção maluca de masculinidade é a base da sua identidade, pode ser um pouco ofensivo quando alguém está desfazendo essa noção. Rola uma crise de identidade.

Carol F. disse...

André, eu acredito que sim, mas tudo por confusão semântica. Já conheci mulheres feministas na prática e teoria mas que diziam não o ser porque achavam que nenhum gênero era superior. Ou seja, estavam meio perdidas em relação ao assunto. Discordar de ações e métodos todo mundo concorda e discorda dentro do feminismo, não há nenhuma heterogeneidade nisso, vide as discussões sobre o papel dos homens no movimento. Também já vi pessoas que realmente veem os gêneros como iguais, e por elas verem o mundo assim, acreditam que o mundo é assim. Antes fosse né? Por um lado é impressionante que elas realmente sejam assim, livres de preconceito, por outro não conseguem ver além do próprio umbigo.

vitor disse...

n apoio feminismo pelas abobrinhas óbvias nesse texto e por muitas outras e pelo método ridículo e ineficaz de resolver problemas,que consiste em ir a rua pagar peitinho,tirar fotos,postar no facebosta pras "azamigas" verem e posarem de revolucionárias.

será que pagar peitinho na índia resolve os problemas das mulheres de lá? pq lá elas realmente sofrem.

Anônimo disse...

Eu sinceramente não acho nem um pouco incoerente ser feminista e não ser vegana: eu consigo imaginar sim uma sociedade em que homens e mulheres (e brancos e negros, e transexuais e cis, e homos e heteros) vivam em igualdade se aproveitando do trabalho animal, claro que sou a favor de manter boas condições para os animais, não como é feito hoje em dia, mas abrir mão completamente de qualquer fruto do trabalho animal não acho necessário (nem "o caminho certo").
Aliás acho muito contra producente procurar "inimigos" dentro do movimento porque eles nao concordam em tudo com voce, como por exemplo, essa questao de que feminista tem que ser vegana, tem que ser socialista, como falou o ultimo texto... Nao é melhor procurar o que temos em comum, e o que temos de diferente cada um milita em seus espaços separados?

Anônimo disse...

Isso! Por mundo onde rótulos representem mais que atitudes!

1k2 disse...

Ser de direita ou de centro não impede que alguém seja um humanista.
Aqui no Brasil a esquerda se apropriou das agendas progressistas por que elas não encontram espaço na nossa direita, onde o fundamentalismo religioso e demagógico se abriga.
Se a pessoa for de direita só na discussão econômica, não há nada que a impeça de ser militante de causas e lutas de minorias.

lola aronovich disse...

A maior parte dos comentários deste post está ruim pacas, e demonstra profunda falha de interpretação de texto. Fico me perguntando se não foram todos escritos pelo mesmo mascu...

E pra quem não sabe o que é mascu, sei lá, tem 90 posts sobre mascus no blog (de um total de 3,300 posts), então é só procurar. Eu nunca disse que todo homem é mascu. Ou quem discorda do q eu eu penso é mascu. Mascu tem traços bem específicos, que eu já cansei de descrever. Agora, que 90% dos trolls aqui no blog são mascus e/ou reaças (todos os mascus são reaças, mas nem todos os reaças são mascus), qual é a dúvida?

Julia disse...

Eu não entendo quem diz que mulheres não assumem responsabilidade por nada. Em que mundo essas pessoas vivem?
Mulheres assumem gravidezes sozinhas Mulheres assumem filhos sozinhas. Até por estupro da qual são vítimas querem responsabilizar mulheres. Talvez eles queiram dizer que mulheres deveriam assumir a responsabilidade até do que fazem contra elas de bom grado.

Acho esse discurso com um fundo muito religioso. Afinal, não é o discurso religioso que diz que foi Eva a responsável pela desgraça da humanidade?
Só pode ser isso.

Sabrina, se você for mulher mesmo você deve se achar um floquinho de neve. Uma mulher especial. Você não é como nós da ralé.

Mas lembre-se que se você pisar fora da linha (e isso pode significar qualquer coisa, minha filha) vão apontar o dedo na sua cara da mesma forma que apontariam pra qualquer outra. Aí você vai ver que não é tão especial assim e sua ficha talvez caia

Julia disse...

Mascu é abreviatura de masculinista. E acredite, eles merecem ser chamados de coisa pior. Mas não entendi o que seu marido ser bem sucedido tem a ver com a história.

Anônimo disse...

Eu achei esse excelente texto que questiona essa "proibição" de mulheres odiarem os homens,muito interessane escrito por feministas( eu acho que é um texto traduzido):

http://amazonasrenascidas.wordpress.com/2010/02/25/a-nova-misandria/

Espero que gostem!

lola aronovich disse...

Puxa! Então vc achou um texto de 4 anos atrás traduzido de um blog americano que QUESTIONA a oposição feminista de ódio aos homens (ou seja, o próprio post que vc linkou lamenta que as feministas não olhem com bons olhos feministas mais radicais que pregam que odiar os homens é uma opção), e pra vc essa é uma prova de que o feminismo é um movimento que odeia os homens, ou que diz que os homens são a escória da raça humana? Hmmmmm, vc vai ter que fazer melhor do que isso.
E já que vc está procurando, encontre também, aqui no blog, alguma vez que eu escrevi que todos os homens são estupradores, ou potenciais estupradores, ou estupradores em potencial, ou sei lá o quê que mascus/reaças vivem dizendo que eu escrevo. GRATA.

Anônimo disse...

Ta dificil mesmo ler esses comentarios, Lola, compreendo sua insatisfação. As pessoas estão levando a sério isso de "humanismo", igualitarismo... engraçado que nunca vi uma passeata humanista, igualitarista, um militante botando a cara a tapa... É só o pessoalzinho de "já pode votar, já pode trabalhar, agora quer privilégio", "consciencia humana, nao consciencia negra" e afins....

Sabrina disse...

Não me acho especial,só não me vitimizo a cada segundo e não culpo o machismo por todos os meus erros.
Por exemplo,já vi feminista dizendo que não existe mulher interesseira,depois mudou a conversa e admitiu que existe mas a culpa é toda do machismo?!
O machismo deixou a mulher ser falsa e manipuladora,não tem nada a ver com o caráter dela?

Se a mulher se envolve com um traste,sabendo que ele não vale nada e se ferra,a culpa é de quem? Do machismo,tenha dó!

Um post recente aqui,a mulher tem uma doença séria, a esquizofrenia,e vocês vem falar que foi causada pelo machismo,acho que a medicina discorda disso.
Absurdo demais.

Anna Milani disse...

Sério esses comentários? "como demonizar grande parte dos homens e santificar as mulheres".

O que muita gente como entende feminismo é: "São mulheres bruxas que querem acabar com a raça masculina'. É interessante, porque o feminismo não prega isso, mas os machistas sempre batem na mesma tecla, é como se fossem surdos ou não quiseram entender porque suas próximas teorias estariam furadas. Se não me engano, o movimento que santifica mulher é femismo.

Há uma teoria desses mascus nojentos que diz: 'Se as mulheres podem ser feministas, quero meu direito de ser machista.' Na boa, isso já não é liberdade de expressão nem aqui e nem na China! Desde quando é liberdade de expressão oprimir mulher, negro e gay? Se machismo é liberdade de expressão, me desculpe, mas daqui a pouco assaltar pessoas na rua também vai ser.

E pra ser sincera, por que essa implicância de se assumir feminista? É uma coisa boa. Ao contrário do que os mascus dizem, feminismo não prega extermínio de homens, é um movimento de igualdade. Ninguém é obrigado a ser feminista, mas se não concorda com as regras do patriarcado, apoia que mulher e homem sejam tratados como iguais... POR QUÊ não aderir a causa?

Eu já vi homem rejeitar o feminismo porque nunca viram um grupo de feministas lutando pelos direitos dos homens... E eu fiquei tipo... O_o

Não vamos mentir, mulher sofre opressão bem mais que homem nessa maldita sociedade, então dá pra parar de pensar só no seu sexo com aquela ladainha ridícula 'IUZOMI'?

Carlx disse...

Muitos comentários discordando do post = só podem ser "mascus" aos montes (ou então poucos escrevendo repetidamente).

Simplesmente não há a possibilidade de ser apenas gente sem dicotomias políticas discordando do post (e cada vez mais gente, já que esse purismo intransigente só está afastando as pessoas que chegam aqui e lêem discussões como essa).

Os machistas agradecem por autossabotagens como essa que o movimento feminista está fazendo cada vez mais ultimamente.

Anônimo disse...

Abriram a porta do hospicio nos comentários. Ou os portões do mobral, pra ter tanta gente que claramente nem leu o texto todo criticando

Joanna Teixeira disse...

Nossa Lola, acho que esse post fez o povo se doer msm, nunca vi tanto comentário estupido por aqui

Raven~ disse...

Cruzes que caixa de comentários alucinada é essa? Noemia, com todo o respeito, a vc, o Robson e todos os veganos que conheço ou não. Mas jamais sereia vegana. Nunca. Como já disse em outros posts, trabalho em uma entidade que tira gatos da rua, os alimenta, cuida, castra e encaminha pra adoção. E bom, vc como vegana deve saber que protetor de animais se fode sozinho. Não tem ajuda de governo, doações são poucas, animais abandonados são muitos, a gente tira do próprio bolso. Um tempo atrás (indo ao ponto do meu comentário agora), nós resgatamos uma gata que tinha um problema. Ela vomitava qualquer ração. Qualquer uma. O jeito foi usar de alimentação natural (cara). Que consiste em vegetais e... Wait for it! Carne. Se eu fosse vegetariana ou vegana como várias vezes quis ser, olha o conflito. Ou eu deixava a gata morrer por não alimentá-la ou... Nada. Morria. De maneira nenhuma acho que os animais devem ser explorados ou abatidos da forma como são hoje. É cruel. E sim, diminui o consumo de carne em casa. E é o melhor que eu posso (e quero) fazer. Agora, como foi dito ali encima, ficar procurando inimigos dentro do movimento é imensamente contraproducente.


Isso sem contar que os protetores e veganos aqui sofrem de um machismo e misantropia absurdos. ¬¬

Jose Geraldo Gouvea disse...

Acho este tipo de postagem muito interessante para se discutir até que é ponto essa questão de apoio ou rejeição funciona. O caso é muito mais complexo do que eu gostaria que fosse e, infelizmente, me parece que há certos aspectos dele que são deliberadamente escondidos a fim de que ele pareça simples.

Em primeiro lugar, OK, dizer-se "humanista" e rejeitar o "feminismo" é uma forma falaciosa de negar valor à luta das mulheres. Não é preciso discutir isso. O que eu acho que precisa ser discutido precisamente aqui é até que ponto o "feminismo" (notem as aspas) é fiel à imagem de si mesmo que ele procura vender. Uma bela imagem que ilustra este artigo diz que o feminismo é sobre a igualdade entre mulheres e homens, não sobre a supremacia das mulheres. Mas será que TODAS as feministas pensam assim?

A coisa começará a ficar complicada quando alguém, em resposta aos meus questionamentos, acusar-me de "mansplaining". Este termo é, essencialmente, um ataque pessoal, "argumentum ad hominem". Mas ele é corrente na blogosfera feminista. Por que aceitar uma desqualificação prévia de um argumento a partir da condição do argumentador?

Depois temos a afirmação de que "todo homem é um estuprador em potencial." OK, esta afirmação não foi feita aqui, mas não foi feita por machistas e nem por mascus. São "feministas" que afirmam isso. Todas? Não! Mas ou entramos em um debate bizantino sobre o "verdadeiro" feminismo (quem não segue a cartilha não é "feminista de verdade") ou somos forçados a admitir que o movimento tem falhas, e portanto merece críticas. Mas se eu faço tal crítica e sou desqualificado por ser homem?

Podem dizer que estou querendo ensinar as feministas como serem feministas, adotando uma atitude superior ("mansplaining") ou, pior, podem me dizem que ninguém me pediu para apoiar o movimento, então não tenho o direito de chegar dizendo como ele deve ser. Que igualdade é essa que nega o direito à crítica se você tiver um pênis? Podemos honestamente afirmar que as feministas que usam estes argumentos estão defendendo a igualdade, ou elas pretendem colocar-se acima de críticas por serem mulheres, ou que pretendem determinar elas mesmas quais críticas podem ou não ser feitas, e por quem? Não me parece democrático. E, pior, é contraproducente para o feminismo, pois ao rejeitarem contribuições intelectuais dos homens assim, a priori, elas negam esta igualdade, permitindo o argumento de que o seu feminismo não resiste a críticas.

Não estou aqui levantando este tema para desqualificar o movimento feminista, mas para provocar alguma reflexão. Para muitas "feministas" há uma distância entre as belas palavras contidas nessas imagens que ilustram o tópico e as suas próprias atitudes no dia a dia. O 'feminismo', como todos os outros movimentos sociais, não está isento de extremismos e equívocos, o que significa que ele não pode estar isento de críticas. Pretender essa isenção é colocar o "feminismo", e as "feministas", em uma posição de suposta "superioridade" (que, de fato, é uma posição de "reserva indígena", que considera os protegidos como parcialmente incapazes).

Deixo aqui este registro porque, várias vezes, tentando expressar solidariedade ao movimento, acabei, por motivos fúteis, me defrontando com afirmativas como as citadas: "ninguém pediu para você apoiar a causa, então não critique", "se a gente soubesse que o apoio era condicionado nem teria aceito", "não precisamos que homens venham nos explicar nada", e coisas assim.

Cada vez que eu me defronto com esses argumentos, eu começo a me perguntar se, afinal, não seria melhor cuidar da minha vida e deixar essa coisa de ser solidário com os outros.

Nane disse...

Seu maior problema não é ser contra as feministas.É ter pouca inteligência mesmo! Por isso não vou digitar mais linhas argumentando em vão.

Raven~ disse...

José Geraldo, sua intenção pode até ser boa. Mas só a quantidade de aspas no seu texto já deixa bem clara a sua "opinião".

nadiaschenker disse...

Lola, adorei o texto. Como sempre, vc e ponderada e se mostra disposta a discussao. E por isso abre o espaco aqui no blog. Pena que as pessoas leiam os textos com pedras nas maos e dogmas na cabeca. Sim, eu tb tenho minhas crencas, mas ultimamente tenho colocado varias delas em xeque, gosto de tentar construir e reconstruir minhas ideias. Isso, no entanto, so e possivel diante de bons argumentos, o que esta em falta, como podemos perceber por alguns comentarios do blog. Sobram pedras e faltam argumentos. Nao importa. O texto ficou massa! E tenho certeza que tem muito mais gente que tira boas ideias dos seus textos, mesmo sem concordar com tudo, do que os chatos e sem argumentos. Mas esses sao mais barulhentos!!! Bjs.

Ana disse...

José Geraldo, me parece que você quer discutir o movimento feminista a partir de certos comportamentos de certas feministas. Não seria melhor você criticar apenas esses comportamentos ao invés de julgar todo movimento feminista a partir deles?
Isso serve para qualquer movimento. Você desqualificar, colocar aspas, ou questionar todo um movimento apenas porque alguns membros agem de forma que você acha "contraproducente", me parece exatamente...contraproducente.

Anônimo disse...

"Coitadinho de mim sou rejeitado porque tenho um pênis, mimimi"

Quem acredita em misandria acredita em heterofobia e racismo reverso - a criatura não consegue imaginar um mundo onde ele não é aceito e laureado carinhosamente simplesmente por existir.

É muito ego achar que as mulheres precisam aceitar ele só porque ele é "legal". Desculpa, não, esse espaço não é seu. Todos os outros são, vá brincar mais pra lá.

Anônimo disse...

Os hómi não conseguem entender que as "generalizações" do feminismo cabem na crítica do HOMEM como CATEGORIA. Da MASCULINIDADE como SISTEMA.

Você, indivíduo que nasceu socialmente reconhecido como um macho da espécie, não vai ser necessariamente um agressor, MAS a sociedade te dá espaço pra agir nesse aspecto E te dá desculpas pra se livrar de condenação CASO você decida agredir alguém. E a sociedade te dá essas armas, esses álibis e esse merecimento PORQUE VOCÊ É HOMEM.

Meu, custa muito engolir o orgulhozinho e entender que VOCÊ TEM PRIVILÉGIO, isso NÃO É ALEATÓRIO, e isso tem a ver COM O SEU GÊNERO?
Se você, homem, estuprar uma mulher, vão ter dó de VOCÊ, porque você está sendo perseguido. Vão culpar a sua vítima. E isso é por causa de uma violência de gênero sistêmica.

Você pode nunca estuprar ninguém, porque você tem moral, porque você é uma boa pessoa, porque você tem respeito pela vida humana e empatia básica pelo seu próximo. Beleza, um troféu pra você, você é um ser humano decente, palmas pra ti, mas dá pra entender que POR VOCÊ SER HOMEM você possui VANTAGENS que fariam você escapar ILESO caso você fosse um monstro?

Julia disse...

Nane, também ia responder mas deu preguiça.

Anônimo disse...

José Geraldo, a afirmação de que todo homem é um estuprador EM POTENCIAL foi feita aqui sim, mais precisamente por mim, em algumas das trocentas discussões sobre estupro. Minha intenção não foi a condenação prévia de todo os homens, salvo os impotentes, mas de colocar na cabeça das feministas, principalmente das coitadinhas vítimas indefesas o pensamento de que ninguém tem carteirinha de estuprador ou a palavra gravada na testa. Pode ser qualquer um, literalmente falando, do mais 'respeitável' pai de família ao religioso mais 'piedoso'. Não sabemos. Não temos como saber até que ele entre em ação e estupre alguém com ou sem 'colaboração' da vítima, i.e., encher a cara numa festa, como já discutimos ad nauseam aqui. Se as feministas afeitas ao mimimi DEPOIS do estrago prestassem atenção nas pessoas em volta ANTES, e entendessem que a OCASIÃO FAZ O LADRÃO SIM, talvez os índices dos abusos diminuíssem consideravelmente, inclusive entre pais e filhas/filhos, porque as esposas jamais desconfiam dos maridos/companheiros e mesmo que saibam que estes abusam de seus filhos, algumas se tornam conviventes, lamentavelmente.

A mesma coisa acontece com os assassinatos por arma de fogo. Ter arma de fogo em casa pra 'se defender' do ladrão é muito bonito no papel, mas na realidade, uma arma de fogo vai provavelmente ser usada por um familiar contra outro familiar ou amigo, vizinho, si mesmo, etc. Portanto, ter arma em casa é dar ocasião ao assassino de ocasião, aquele/a que não mataria uma mosca de tão bonzinho.
Não quer ter um acidente/assassinato em casa, não tenha arma de fogo, pra começar.

Essa é a lógica da PREVENÇÃO, que muitas feministas execram, porque elas preferem sofrer a agressão e angariar a simpatia, atenção, cuidado, e quanto mais injustiçadas, melhor.


Julia disse...

Jose Geraldo, se você já ouviu essas frases tantas vezes está na hora de fazer uma auto-crítica.
E talvez, quem sabe, não é que as feministas não aceitem criticas porque o movimento não resistiria a elas. Pode ser que essas críticas não sejam úteis. Não sejam aproveitáveis. Não sejam interessantes.

Só uma opção, não quis me referir as suas críticas que com certeza devem ser as mais corretas, claro.

Mas deixar homens definirem o movimento e os rumos dele - o que seria uma postura bem submissa e iria de encontro a própria definição da coisa - não é uma opção.
Mulheres têm plena condição de definirem os rumos do próprio movimento. E feministas criticam umas às outras, não precisa você chegar com postura de salvador da pátria.

Anônimo disse...

"mas dá pra entender que POR VOCÊ SER HOMEM você possui VANTAGENS que fariam você escapar ILESO caso você fosse um monstro?"

Me diga, não existe nenhuma vantagem social em ser mulher? Nenhuma mesmo? Ou será que vc nunca as enchergou?

Cada um encherga o mundo do seu ponto de vista, óbvio. Por isso, essa questão toda nunca vai ter fim.

Pessoalmente, ainda acho o feminismo muito obtuso em relação ao ponto de vista do homem.

Até porque a maioria delas não se importa com isso.

vitor disse...

e finalmente alguém admite que diz que todo homem é estuprador em potencial.
isso é sim preconceito e taxar todos os homens de monstros.
é o mesmo quando vem gente desculpando marginais,que eles só roubam,matam e torturam os outros pq são pobres,estão dizendo na verdade que todo pobre é um marginal em potencial,já que n tem nada a ver com o individuo e sua total falta de caráter,mas sim da pobreza.

Julia disse...

Então eu queria que todos que reclamam que feministas consideram homens estrupadores em potencial lessem o comentário da anon das 13:48 com bastante atenção. Esse é o discurso recorrente de quem culpa a vítima. Que confiou em quem não devia, que foi inocente, coitadinha indefesa, não prestou atenção o suficiente, burra etc.

Quer dizer, se as mulheres desconfiam de todos são preconceituosas, misândricas e blá blá blá. Se confiam, e isso vale pra marido e namorado, e depois são agredidas é porque não sabem escolher homem (vide comentário da "Sabrina"), se fingem de pobrezinhas inocentes, não se responsabilizam pelo que "fazem".

Sério, sejam claros. O que é que vocês querem afinal? Porque está me parecendo que no fim termina-se responsabilizando as mulheres e livrando a cara dos homens de qualquer maneira. (Para melhor entendimento dessa parte leiam o comentário da anon das 12:24).

Anônimo disse...

Anon 12:24, a sociedade é VOCÊ. Duvido que quando você tiver um filho homem, não vai zelar pelos mesmos direitos e privilégios que condena. Duvido que se seu filho for preso por porte de arma, venda de droga, e mesmo estupro/assassinato, não vai defendê-lo até a morte (sua ou dele)

Já viu a fila na porta da penitenciária no domingo? Uma multidão de mulheres todas com suas sacolinhas cheiaa de bolo, celular, dinheiro, e sei lá mais o quê, pra visitar o maridinho ou o filhinho querido condenado injustamente. As esposas fazem visitas íntimas, engravidam dos presidiários,e ainda têm que dividir o poder familiar (pátrio poder) como reza o projeto de lei aprovado pelo Congresso no ano passado. Isso vale para a mãe tb, é óbvio.

É mais um privilégio para a grande população carcerária constituída de homens-monstros, estupradores, assassinos psicopatas, hein? E sabe quem elegeu o Senado? Você, eu e todos nós(eu não voto, mas sou responsável assim mesmo).

Mas veja quantos maridos abandonam suas mulheres presas e quantas mulheres abandonam seus maridos presos. Vai a uma penitenciária feminina e a uma masculina. Mesmo as parentes das presas aparecem de vez em nunca. Então, quem dá os privilégios a quem?

Projeto de Lei 2785/11

Anônimo disse...

Eu acredito que homens seriam incoerentes em apoiar um movimento anti homem

Anônimo disse...

Julia, a questão não é o estupro em si.

É claro que o criminoso é o culpado. Senão, nem seria crime.

O problema maior é essa "máscara" que colocam no feminismo para torná-lo a verdade inquestionável e a solução para todas as desigualdades de gênero.

Não percebem que fazendo isso só tornam o feminismo mais fraco e desacreditado.

A malandragem de repetir a mentira até que se torne verdade não funciona tão bem.

Não existe perfeição em nada. Quando o movimento em si admitir isso aí estarão no caminho certo.

Até lá só vão correr em volta do próprio rabo e avançar a passos de formiga como sempre fizeram.

Anônimo disse...

Da mesma forma que um homem não pode querer pautar um movimento de mulheres, mulheres também não tem nada que querer discutir questões de mesculinidade, que e um ploblema unico e exclusivamente de homens.
Fim mistas tem todo o direito de manter distância daquilo que ad oprimem e lhes provoca asco, o homem, eu só não entendo o porque de querer chamar tanta atenção de algo que elas abominam.

Anônimo disse...

Eu tenho privilégio, e não vou abrir mão de nenhum milimetro dele, vocês para mim são problema seus, não vou jamais pedir desculpas por ser homem, pois não as devo a ninguém.

Anônimo disse...

O comentário da Julia é típico do feminismo que quer que fique tudo como está. Mulheres sendo estupradas de minuto a minuto, sofrendo passivas sua condição de vítimas, angariando simpatia e atenção, tirando a roupa na rua achando que vão 'educar' a homarada (não era melhor castração química em todo mundo, mulheres e homens?) e despejando o vale de lágrimas nas redes sociais. Continuarão a posar de vítimas indefesas enquanto sustentam a culpa LÁ FORA, em todos os homens (e não somente nos estupradores com nome, sobrenome, endereço e CPF, muitos na cadeia) onde elas não podem mexer. E assim caminha a humanidade, se odiando, se machucando, se condenando, que o inferno é aqui.

Como estamos no feriado da Páscoa, é provável que alguns estupradores estejam na rua por força do instituto do indulto. O que as lindas estão fazendo a respeito?

Anônimo disse...

"Eu acredito que homens seriam incoerentes em apoiar um movimento anti homem"

O único movimento pró-homem que eu conheço é o dos gays pelos gays e simpatizantes. Eles são gays mas são homens e lutam pelo direito de serem homens e gostarem de homem sem serem perseguidos. Estes não estupram mulheres, hein?

De resto, os homens continuam sendo assassinados aos montes, realizando tarefas as mais perigosas como a mineração, a exploração petrolífera, construção civil e não saem às ruas pelo direito a segurança e continuar vivo. São mandados para a guerra sem dó nem piedade, são eles que vão apagar os incêndios, salvar vitimas de enchentes, deslizamentos e o escambau. Não reclamam. Fazem o que tem que ser feito. São uns 'crápulas', mas melhor com eles do que sem eles. Perdem os ditos privilégios um atrás do outro, os verdadeiros privilégios e não essa baboseira de privilégio de estuprar mulheres e sair ileso.


Anônimo disse...

Bom, anon 17:13, você sabe que urologista mulher não trata dos homens, né? Cadê o movimento feminista pelo direito de exercer a urologia em pacientes homens?

Feminista capitalista disse...

O texto me pareceu mais do mesmo que aquele outro texto sobre o humanismo, só que menos explicado.

Mesmo assim não reclamo e assino embaixo, pois o autor só fez dizer verdades,está de parabéns, quem não gosta do termo feminismo, certamente é porque deve ser machista ou quer nos silenciar.

-----------

E ainda não entendi todo o chororô da Sabrina, que responsabilidade ela quer que nós assumamos? Aquela pelo machismo que nós sofremos?


Olha querida, não assumo não, pois não acho que se eu sair por aí com uma saia bem curta isso automaticamente dê o direito de alguém a abrir a lata de lixo, digo, a boca, pra me ofender, muito menos que isso seja garantia de poder me apalpar.

Se é esse tipo de responsabilidade que você quer que eu assuma, só posso lamentar pela sua cegueira, pois não fui eu que inventei essa MERDA de patriarcado, mas pode ter certeza que sou eu que quero ajudar a destruí-lo, junte-se a mim e seja mais feliz.
; )

Feminista capitalista disse...

Anônimo das 17:31...

Comentário cretino não?


É você então quem sabe a maneira certa de lutar e que vai nos livrar da nossa cegueira?

HAHAHAHAHAHAHA,vai cagar no mato cara.

Enquanto você está aí com a bunda na cadeira,essas mulheres que tiram as roupas nas ruas,estão chamando a atenção pra misoginia, pros duplos padrões, forçando a naturlização de seus corpos na consciência coletiva como autônomos e não como meros enfeites e objetos de desejo, e até transformando leis e a acima de tudo a cultura,deixando-a menos machista.


AÍ VEM UM CRETINO como você e se sente no direito de dizer o que elas devem fazer ou deixar de fazer?


MAS VÁ A MERDA!

Anônimo disse...

kkkkk, tava demorando, né, esquerda raivosa?

Anônimo disse...

Quando a gente perde a razão, que entre o palavrão!

Julia disse...

Anon 17:16, a questão não é nem homens abrirem mão voluntariamente dos privilégios. Vocês entendendo que os possuem, que não fizeram o mínimo esforço pra merecê-los e que eles são injustos já é meio caminho andado. De resto quando a nossa sociedade se tornar igualitária esses privilégios vocês não vão ter mais, você querendo ou não.
E no caso específico do exemplo da anon das 12:24 homens não vão ser mais desculpados/justificados/ inocentados socialmente quando agredirem/estuprarem uma mulher. Esta não será mais julgada como culpada/cúmplice da própria agressão/estupro.

É simples assim.

Julia disse...

"É claro que o criminoso é o culpado. Senão, nem seria crime."

Não é claro pra todo mundo. A cultura de estupro está aí culpando as vítimas e deixando os criminosos impunes.
Mas aposto que você nem "acredita" em cultura do estupro. Que isso seja uma mentira que repetimos até que se torne verdade............

E não conseguimos avançar mais rapidamente não porque não admitimos que o feminismo é imperfeito (que fácil seria). É por que existem muitos machistas e espíritos de porco pra nos atrapalhar mesmo.

Julia disse...

"O comentário da Julia é típico do feminismo que quer que fique tudo como está."
Acho que vc é a anon das 13:48, né?
As dicas que você deu naquele comentário pra diminuir os casos de estupro foram: que as vítimas (posso usar essa palavra?) de estupro prestassem atenção nas pessoas em volta antes e que as esposas desconfiassem mais dos maridos.
Você não percebe onde isso vai dar?
É culpabilizaçao da vítima ou da mulher que estiver por ali. Basicamente você esta dizendo que as mulheres não devem confiar em homens. Essa seria a solução que você propõe?

Engraçado que você não é a única a propor essa solução. Curiosamente já vi inclusive muitos homens dando essa dica. Não claramente mas a ideia era essa.

Gostaria também de saber que mundo é esse em que uma vítima de estupro angaria tanta simpatia assim.

E não precisa se preocupar tanto com os homens lá fora porque no fim a culpa vai ser de alguma mulher mesmo, né?

Anônimo disse...

Eu queria saber onde que estupradores ficam impunes,se já vi vários indo em cana,sendo linchados pela população.
claro que n pegam todos,assim como acontece com qualquer crime.
vcs sempre exageram tudo,do jeito que falam,parece que um estuprador nunca é preso e ainda recebe aplauso pelo que faz.

Anônimo disse...

O argumento de quem é a culpa pelo estupro, abuso, assassinato, acidente pra mim é irrelevante. Temos um código penal que diz de quem é a culpa. O problema é que aceitamos a agressão, o abuso, as consequências do acidente, da violência doméstica, do crime DESDE QUE SEJAMOS AS VÍTIMAS.
Ora, isso é conversa pra boi dormir, a não ser que alguém ache bonito, desejável e lucrativo cair nas mãos de um abusador ou se envolver num acidente, num crime. Pra mim não serve. Não quero ouvir falar em culpado DEPOIS que deu merda. Quero ouvir do que se pode fazer para EVITAR, PREVENIR tudo isso.

Os homens têm mania, por outro lado, de culpar a mulher pela gravidez indesejada. Eles aproveitam a situação, acham que está tudo sob controle e depois vem a surpresinha. Engravidou a mocinha, não adianta o mimimi, a lei manda assumir a criança, pagar pensão e estamos conversados. Uns obrigam a mulher a abortar, como fez o Bruno com a Elisa Samudio, que resistiu até o fim e acabou martirizada. O movimento feminista chiou? Chiou nada. Fez campanha pro Bruno apodrecer na prisão? Fez nada. Agora ele está prestes a voltar a jogar futebol e bola pra frente, né? Nosso feminismo é seleltivo, hein? Só a dendém filhinha de papai que vai pra balada, enche a cara e acaba na cama dos outros que é a coitadinha.



Raven~ disse...

Tooooooodo post alguém fala em castração química. Meldels. Ahh se isso resolvesse.

Luiza disse...

Lola, texto foda como sempre. Só gostaria de fazer uma ressalva: a penúltima imagem do texto, da personagem "Olga, a sexóloga taradóloga", apesar do nome, não é do Think Olga, mas do blog Kisuki :)

Anônimo disse...

Tem uns comentários bem doidos aqui. O post não tem nada demais, trata apenas da incoerência de se declarar pró-igualdade e negar a validade de movimentos pró-igualdade só por serem "específicos", ressaltando que é falacioso dizer, por exemplo, que o feminismo não é igualitário por ocupar-se das mulheres e não de toda a humanidade. Cadê a polêmica?? Agora, vem doido dizer que feminista odeia homem, vem outra dizer que não há feminismo sem veganismo (oi?) e vem os chatos falar que o feminismo obriga as pessoas a ser comunistas. Pessoal mistura o blog do autor com o Lola, post anterior com post atual. Parece que estão descontando aqui certas frustrações em relação à ecleticidade do blog, irritados porque não encontram aqui um espelho exato de suas crenças.

Anônimo disse...

Mascuzada alienada dizendo que não tem campanha contra vários canalhas espancadores e assassinos de mulheres...
Não acompanha nem o que acontece na rua e acha que monitora o movimento feminista.

Anna disse...

Nossa, lola, vc não tem statcounter ou algo do tipo pra acompanhar o tráfico do blog? pq pela leva de comments aqui, esse post foi linkado em algum blog besta/mascu da vida, por isso tantos comentários babacas. Com apoio básico do homens ~questionando~ o feminismo (à la André e Jose)

Pra mim não tem cabimento ser ''humanista''.. Sabe, todo mundo (inteligente e com empatia) concorda que os negros não se encontram na mesma posição que os brancos na sociedade, então num texto de movimento negro cabe alguém vim falar que ~só existe uma raça, a raça humana~? ou num post sobre lutas lgbt+, vim falar de direitos héteros ou cis? Mas por algum motivo os homens ficam doidos quando se trata dos direitos das mulheres.. E nunca entendo quando falam que abandonaram o navio por conta das feministas malvadas (no estilo daquele post de um tmp atrás em que aquele homem ''''''feminista''''' foi num evento feminista e por não ser o centro das atenções abandonou o movimento) como se feminismo fosse unzinho só quando a gente vê aqui mesmo em quase todo post mulheres feministas debatendo e discordado na caixa de comentários, mas quando não aceitamos sorrindo a opinião dos nossos aliados, ficam de mal own :(((

Sabrina disse...

Anna

vc é bem cinica como muitas feministas,o problema não é discordar dos outros é a falta de respeito com quem pensa diferente.
Eu já fui chamada de mascu,já vi várias mulheres aqui e em outros blogs sendo chamadas de mascu.
Esse é um movimento tão hipócrita quanto o machismo.

lola aronovich disse...

Chances da Sabrina ser um mascu tentando se passar por mulher: 99%.

Anna Milani disse...

'Me diga, não existe nenhuma vantagem social em ser mulher? '
ÉÉÉEÉÉÉR... Não.

'Eu acredito que homens seriam incoerentes em apoiar um movimento anti homem'

Eu desisto. A criatura não quer entender ou não consegue porque é muito burra.

Anna Milani disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

00:45, essa associação entre feminismo e outros ismos é bem comum. Feminista bonita, magra, elegante, refinada, tá fora. Se for bonita naturalmente, que trate de engordar. Quando vier a meia idade, se pintar o cabelo é traidora da causa. Se for hétero, trate de se tornar simpatizante de todas as bandeiras de gênero, número e grau senão tá ferrada. Quanto às crenças religiosas, melhor ser ateia de carteirinha ou agnóstica, mas se for uma wicca, tá de boa. Feminista que se preze tem que ser assim mais ou menos que nem a madre Teresa de Calcutá sem o hábito, saca? São os chamados estereótipos. Quem não estiver dentro do estereótipo, perde a credibilidade e visibilidade como feminista e passa a ser atacada/o como se vê tão frequentemente aqui. Cheers!

Anna Milani disse...

Apaguei o comentário anterior porque com certeza vai ter gente achando que aquilo foi sério -_-

Eu devia ter colocado um /sarcasmo.

Sabrina disse...

Só confirmou o que eu falei lola,rsrsrsrs.

lola aronovich disse...

E vice-versa, "Sabrina".

Raven~ disse...

Ah Lola, a Sabrina ainda é um fake mascu miorzin que os outros. Até sabe escrever o próprio nome com letra maiúscula! Huashuahs

Julia disse...

Sabrina, você não "pensa diferente" você pensa errado.

Aqui ninguém vai concordar que a mulher vítima de agressão é responsável por ela. Vá procurar quem concorde com você em outro canto. Não vai ser tão difícil.

Anônimo disse...

O que seria do belo se não houvesse quem o admire, não? O belo para ser belo precisa daquele que o ache belo. Portanto, belo sem admirador não existe. Admirador do belo sem o belo também não.

Marcos disse...

É possível sim ser a favor da igualdade de gênero e não ser feminista. Eu acredito que homens e mulheres devem ter os mesmos direitos, mesmas oportunidades e mesmas responsabilidades. Mas não acredito que o feminismo trabalhe para isso. O que vejo é um movimento que luta pela supremacia das mulheres, querendo todos os direitos que os homens têm, sem arcar com as mesmas responsabilidades. Sei que existe o feminismo "de verdade", que prega a igualdade, mas esse feminismo só existe no plano das ideias e do discurso. Ou seja, concordo com o feminismo teórico, mas discordo do feminismo prático.
A maioria das mulheres que conheço concorda. Igualdade deve existir, mas o feminismo como vemos hoje em dia não é o caminho para alcançá-la.

Anônimo disse...

Estou vendo a discussão entre o suposto mascu e sinceramente acho bastante idiota.
Todo mundo que vem falar abobrinha aqui é homem e mascu,voces acham mesmo que não existe mulher que pensa assim?
No facebook tem várias que odeiam feministas,fizeram até uma campanha para ridicularizar a pesquisa do ipea.
Vão dizer que são todos homens disfarçados?
Também já achei blogs de mulheres que são contra o feminismo,não sei porque a insistencia em fingir que só homens nos odeiam.

Julia disse...

Ou seja, Marcos, você concorda com o feminismo teórico mas quando colocado em prática, que ameaça os seus privilégios, aparece a conversa de "responsabilidade". Como se mulheres não tivessem responsabilidades que homens não tem e que não querem ter. Mas aí tudo bem, né?

Como vi hoje numa discussão sobre a diferença salarial entre homens e mulheres. Sempre a desculpa furada de que homens ganham mais porque trabalham em empregos mais arriscados e que exigem força, e as mulheres, pobrezinhas, não foram abençoadas por deus com essa incrível vantagem.
Como se os empregos que exigem força fossem os mais bem pagos... Mas vamos deixar a falta de lógica deles pra lá. Não conseguem entender o simples fato de que a média é feita levando em conta profissões iguais de mesma função...

Esse papinho de responsabilidade sempre leva ao exército também. Essa instituição criada por homens pra fazer guerras. Maravilha!
Pois então, mulheres deveriam ser obrigadas a servir, do contrário não deveriam receber o mesmo pagamento dos homens (sei que uma coisa não tem nada a ver com a outra mas são eles que misturam, não me culpem). Mais uma vez vou deixar a falta de lógica deles pra lá porque hoje é domingo e eu não sou obrigada.

E quando uma feminista respondeu que as mulheres fazem a maior parte do trabalho não pago (como cuidar cuidar de crianças/idosos e cozinhar, lavar e arrumar) por isso trabalhavam menos horas nos trabalhos pagos recebeu como resposta que essas eram responsabilidades tipicamente femininas e a vida é assim e pronto acabou.
Ou seja, no dos outros é sempre refresco.
#exercitoforçafisicadeusmeabençoouseferremaimulheres

Posso inventar aqui mil desculpas para mulheres passarem a ganhar MAIS do que homens nos mesmos empregos.
Que mulheres por motivo de não ter opção deixam de ganhar dinheiro pra trabalhar de graça e merecem ser compensadas.
Que mulheres engravidam, gestam por 9 meses e depois entram em trabalho (tem trabalho até no nome e ninguém paga por ele!) de parto e não recebem um centavo por isso. Merecem ser compensadas.
E se os homens chiarem dizendo que é injusto é só dizer que é biológico (:D) e que vá reclamar com a mãe natureza se achou ruim.
#tenhouterosouryca


Isso seria supremacia, mas você não vê feministas defendendo isso, né? Mais eu vejo muitos homens inventado mil desculpas pra justificar desigualdades que prejudicam mulheres.

Enfim, podia continuar mas tenho coisa mais importante pra fazer como comer chocolate.

Feliz dia de comer chocolate pra todas! :)

Ana Nazaré disse...

Ótimo.

Noêmia Cristina disse...

Anon 17 de abril de 2014 17:30

Meia dúzia? Quase todas as veganas são feministas e sempre iremos apoiar e/ou comparecer nas manifestações! Somos muitas e seremos ainda mais numerosas.

E quem me dera o veganismo fosse mesmo perfeito... na verdade é um movimento que deveria se espelhar mais nas práticas do feminismo. Se a luta pelos direitos dos animais conquistasse 5% do que o feminismo já avançou seria um benefício tremendo para a sociedade. Meia dúzia mesmo são os que se dizem veganos que não se assumem feministas, uma contradição gigantesca.

Aliás, acho essa uma acusação bem injusta, pois eu não sou santa e estou longe de ser. Um mundo vegano ainda poderia ser um lugar horrível, pois o veganismo não é o último passo na ética, é o primeiro. O mínimo de respeito que devemos aos animais é não tratá-los como propriedade privada.

Não distribuí minha renda hoje, mas regularmente distribuo alimentos a moradores de rua. Não posso fazer tudo, mas faço o que posso. E creio que todos nós aqui poderíamos ao menos trocar os produtos de origem animal por alternativas mais saudáveis e baratas quando possível (quase sempre).

Anon 17 de abril de 2014 19:43

Acho que temos, feministas e veganas, um princípio em comum: não abusar de inocentes. Será tão contraproducente assim as feministas especistas admitirem que tem o privilégio de objetificar os corpos de animais para satisfação de seus prazares egoístas? Que tal abrir mão dos próprios privilégios em nome da coerência? Quando as feministas precisam, as veganas são pau pra toda obra, quando as veganas pedem um pouco de compaixão das feministas especistas, temos que ouvir esse 'cada um no seu quadrado, não me critique e se virem sozinhas'. Nem estamos pedindo para invadir instituto, nem doar nada, só que boicotem as empresas que vivem de explorar os mais fracos.

Raven~ 18 de abril de 2014 09:11

Seu exemplo de uso justificado de produtos de origem animal mostra que você não conhece suficientemente bem o veganismo. Não desqualificou em nada a minha crítica. Falamos de sofrimento desnecessário. Uma pessoa, em situações extremas, pode recorrer até mesmo ao canibalismo para sobreviver. Mas isso não significa que ela é a favor do canibalismo e jamais faria uma monstruosidade dessas em situações normais. Entretanto, as feministas especistas vivem em uma civilização com abundância de alimentos de todos os tipos e mesmo assim recorrem aos produtos da escravidão, da exploração, do estupro e do assassinato. Cadê a sororidade? O masculino (latifundiário, dono de frigorífico) ganha um passe livre para oprimir o feminino (o rebanho) só porque são umas vacas? Umas galinhas? Melhor seria usar animais apenas quando realmente necessário (quase nunca) e é isso que as veganas e os veganos tentam fazer. E o fazem pelos mesmos princípios éticos pelos quais o feminismo combate o patriarcado. Racismo, machismo e especismo são todos irmãos que se reforçam mutuamente. Tudo bem ter um foco principal, ninguém consegue abraçar o mundo, mas isso não significa que devemos nos negar a adotar outras causas além da principal.

Por fim, quero pedir desculpas ao Robson. Pensei melhor e vejo que é injusto criticá-lo pelo que ele não disse. Creio que a omissão do Robson não foi por hipocrisia ou desonestidade intelectual, e sim por diplomacia e por foco no tema abordado.

Anônimo disse...

Um homem e uma mulher exercendo o mesmo cargo, recebem salários diferentes?

jorge disse...

se esse movimento n fosse tão hipócrita,até apoiaria.
mulher n tem privilégio nenhum na sociedade? kkkkk

aposentam mais cedo,n estou dizendo que é culpa de vcs,mas é óbvio que isso é um privilégio.

se a mulher se separa,a guarda da criança sempre fica com a mãe,pq há uma crença de a mulher sempre vai cuidar melhor e isso não é verdade,depende muito da pessoa.

se o pai n paga pensão vai preso,a mulher larga o filho por ai e acontece o que? nada.

em certos estabelecimentos mulher n paga nada ou paga metade,já vi feminista dizendo que isso é estratégia machista,mas,o fato é que muitas se aproveitam disso.

n são obrigadas a se alistar

a mulher n é extorquida no divórcio,já o homem pode ficar na miséria.

se o homem n trabalhar fora vai ser considerado vagabundo por todo mundo,já a mulher é dona de casa.


ser vegano para que? viver de folha? dispenso.

Marcos disse...

Normalmente as feministas assumem uma postura defensiva quando a palavra "responsabilidade" é citada.
Bom, pra explicar melhor o que quis dizer, vou colocar da seguinte forma:
Acredito que homens e mulheres devem ser IGUAIS (exceto nas questões biológicas, que não temos como mudar). Só não acredito que o feminismo tenha esse objetivo, embora seu discurso diga que sim. Como movimento (não necessariamete todos os indivíduos envolvidos), acho o feminismo hipócrita.

Raven~ disse...

Mas oras Noemia, em nenhum momento quis desqualificar seu comentário. Inclusive concordo com vc. Porém (!) a diferença entre vc e o Robson é justamente essa que vc citou: a diplomacia. Ele, pelo blog dele, que eu leio, é excelente, afirma que cobrar dos outros que eles sejam veganos, vegetarianos e afins, é um saco, um desrespeito, da mesma maneira que alguém que come carne (ainda bem que vc não usou a palavra carnista, aliás) vincular aquela imagem burra de "sua vida é uma mentira". E como vc citou, não posso fazer tudo, mas faço o melhor que posso. E o mais barato é beeeeeeem relativo neh? Em que mercados vc compra?

Rosanna Andrade disse...

Sobre veganismo, não necessidade de carne, incoerência entre comer carne e ser feminista e afins.

Eu não costumo dar muito pitaco nas escolhas alheias por uma questão de respeito, mesmo quando eu não as faria. Ainda mais escolhas informadas: acredito que veg(etari)anos pesquisam bastante antes de tomarem essa decisão pra vida e tal.

Mas dessa vez não resisti e vi que precisava argumentar, pq eu não acredito que haja incoerência aí.

Em tempo, eu adoro animais e já pensei em ser vegetariana. Discordo da maioria dos argumentos contra vegetarianismo que escuto, acho mal-embasados e até preconceituosos.

Agora, EU me convenci que essa não era a opção mais saudável e racional. Encontrei a dieta paleolítica por acaso, e dada a qualidade dos dados científicos que a embasam, abracei como estilo de vida e em benefício da minha saúde. Pessoas que seguem essa dieta consomem muitos produtos animais, pois a base é de proteínas e gorduras. Já ouvi dizer que há vegetarianos entre os adeptos, mas parece q eles continuam a consumir ovos e laticínios.

Fora que, até onde me consta, vegetarianos consomem muitos grãos e leguminosas, que são proibidos numa dieta paleolítica.

Eu nem curto muito fazer propaganda da dieta, só quando me perguntam sobre, pq eu acho que cada um tem o direito de ir atrás das informações e se convencer pelas fontes que confia.

Mas dizer que comer carne é apenas escolha e normalmente não necessária para nossa saúde: no mínimo questionável. Eu particularmente não acredito nisso, se quiserem fontes é só pedir, mas eu não queria que esse fosse o foco do debate.

A relação entre não consumir produtos animais e não dar direitos iguais às mulheres não existe, pq não há consenso científico que o primeiro possa ser tranquilo em termos de saúde. Já dar direitos iguais para mulheres tem ligação com ideais democráticos, direitos humanos e por aí vai.

Eu não quero desqualificar as escolhas dos veganos, mas tbm não aceito que desqualifiquem as minhas, até pq eu não me considero ignorante no assunto, fui atrás de informações e tal.

E sobre boicotar produtos: muito cuidado com marketing, veganos. Uma empresa pode utilizar produtos que foram testados sim em animais, por uma terceira empresa, ou por institutos ligagos a universidades, e utilizar essa informação para o desenvolvimento de seus produtos. E ainda assim pode estampar em seus rótulos "Não testado em animais" pq a rigor, ela não testou mesmo.

Querem uma sugestão? Peguem o produto em questão, mesmo de empresas que alegam não testar, e observem a lista de ingredientes. Joguem um por um no google acadêmico (em inglês) e busquem por testes em cobaias. Não é incomum encontrar estudos com esses testes! Infelizmente eu não encontrei a lista de ingredientes comuns nesses produtos "livres de sofrimento animal" mas que foram largamente testados em cobaias.

Não se deixem enganar!

Jose Geraldo Gouvea disse...

Eu esperava que minha contribuição fosse provocar mais agressividade do que provocou. Isso significa que quem posta aqui tem a cabeça mais no lugar do que quem posta em outras lugares. Ponto para vocês.

Não quero ser salvador de nenhuma pátria, mas gosto de bancar o advogado do diabo. Infelizmente, nesse mundo tão preto e branco, há muito pouca gente que trafegue pelo cinza.

Já disse o que tinha de dizer, e por enquanto me abstenho de dizer mais. Não apenas porque seria excessivo, mas também porque essa briga não é a minha, embora eu me solidarize com ela.

Não vou correr o risco de cometer "mansplaining" aqui.

Anônimo disse...

é óbvio que não há necessidade de comer carne,senão,não existiriam vegetarianos e veganos.
tem gente que n come carne há anos,outros nunca comeram,a cantora joss stone por ex e estão bem vivos e saudáveis.

Rosanna Andrade disse...

Anônimo das 16:46

Daí depende o que vc chama de necessidade. Tem muita gente aí que vive de fast food, e sobrevive, não necessariamente vive bem.

O que eu quero dizer é: estatisticamente falando, e a longo prazo, será que é assim tão indiferente para a saúde comer ou não comer carne?

Para responder isso, não podemos nos ater a evidências anedóticas, como "fulano faz isso e está bem", mas sim estudos com grupos controlados, boa análise de dados, etc.

Também não sou contra a pessoa escolher um modo de vida sem ir atrás de estudos assim, mas aí defender sua escolha como "óbvia" é um passo grande demais a meu ver.

Julia disse...

Jose, isso significa que você gosta de provocar feministas por aí.. É divertido?
Deve ser muito.
Depois leva o que tava procurando e ainda sai se fingindo de chateado.

Sei bem como é.

Anônimo disse...

Rosanna, gostei de seu comentário sobre testes com animais/crueldade. Os rótulos dos suplementos são useiros e vezeiros em anunciar que não foram feitos testes ou uso de crueldade. Valeu!

Quanto à dieta paleolítica, ela me parece um tanto exagerada em adotar um estilo de vida alimentar de quem viveu na Idade da Pedra. Até a alimentação dos índios brasileiros é hiper frugal, que dirá há 100 mil anos. Se é por questão de saúde, a maldição da presente era é a indústria alimentícia, principalmente à famigerada indústria do açúcar e a não menos deletéria indústria da farinha branca, basicamente, e não a agricultura ou o sedentarismo. Se em épocas passadas não se ingeria certos alimentos por desconhecimento ou inexistência em certas regiões, não vejo por que deixar de ingeri-los agora. A dieta paleolítica que você segue é a européia? Está explicado. Os feijões são originários das Américas, assim também como o milho, a batata, a mandioca. Não admira que não façam parte da dieta. Se a proibição é cozinhar aquilo que não se pode comer cru, não vejo lógica alguma. Se a carne pode E DEVE ser cozida (quem come carne crua direto hoje em dia tá correndo sérios riscos), não sei por que os feijões e os tubérculos não podem. Se as frutas eram colhidas durante o nomadismo, por que se permite que sejam cultivadas? Muita incoerência, eu acho.

Se é por questões de longevidade, lembremo-nos de que na Idade da Pedra as pessoas quebravam uma perna, já tinham certa idade, não podiam se locomover para regiões mais quentes no inverno, eram abandonadas com muito carinho numa caverna e depois comidas por um animal qualquer. Você lei As Sete Filhas de Eva?

Bjs

Anônimo disse...

PS.: Rosanna, a indústria alimentícia não seria o que é não fosse pelas técnicas de marketing. Você deve fazer uma ideia do que eles fazem para gerarem o estímulo de comprar e comer as porcarias de sempre. Depois é um deus nos acuda pra entrar no IMC normal. A humanidade está obesa mas os manda-chuvas da ind. alimentícia (e depois os da ind. farmacêutica) riem de nós e se divertem em seus iates e duplex.

Rosanna Andrade disse...

Anônimo das 23:15

Eu tbm não me atraio pelo argumento que a dieta paleolítica é boa pq é a dos nossos ancestrais. A evolução por vezes ocorre em saltos, e poderia muito bem ser o nosso caso quanto a alimentação.

O que me ganhou foram os estudos que correlacionam problemas de saúde a ingestão de carboidratos - especialmente trigo e açucar - e os que mostram que proteínas e gorduras, inclusive as mal-faladas saturadas, são bons.

Uma grande parte da comunidade médica é contra, mas para mim, a quantidade de informação foi suficiente para eu fazer um teste. Pode ser que eu melhore dos meus ovários policísticos, vamos ver.

Quanto aos grãos e leguminosas, o problema é a quantidade de carboidratos nesses alimentos. Na paleolíticas reduzimos muito essas quantidades.

Em tempo, como eu não preciso emagrecer, as batatas estão liberadas pra mim. Todas as frutas tbm. Quem precisa emagrecer ou tem diabetes precisa tomar cuidado com elas e algumas frutas mais doces pela quantidade de carboidratos.

O blog do dr Souto é mto bom e a dieta é resumida assim por ele:

"- Ausência de grãos
- Ausência de açúcar
- Ausência de laticínios
- Ausência de alimentos processados

Os graves problemas associados ao consumo de carboidratos atestam nosso despreparo evolutivo para lidar com essa classe de macronutrientes, que era escassa durante 99,5% da nossa evolução."


Concordo muito quanto a crítica a ind. alimenticia. De uma forma geral, se alimentar de produtos naturais é o maior acerto, seja a dieta que for.

Mais infroamçoes aqui:
http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2012/01/dieta-paleolitica.html

Anônimo disse...

Rosanna, você certamente vai melhorar de uma série de pseudo-doenças, como eu chamo tudo o que é causado por ingestão de açucar, farinhas e comida processada. Você está no bom caminho porque sabe o que quer e sabe pesquisar. Parabéns.

Eu mesma como feijões de vez em quando exatamente pela quantidade de carbo porque não tenho onde gastar se consumir a carne junto, que tem alto valor calórico justamente por causa das gorduras. Daí que eu tb prefiro as carnes aos feijões no dia a dia. O único detalhe é que o carboidrato que estoura com a nossa saúde é o simples (açucares e farinhas refinadas). Os carboidratos complexos digeridos mais devagar, com fibras, assim como tudo que tem baixo carbo, acho que faz menos mal. Em termos de dieta para as populações vegetarianas como a indiana, não tem outro jeito senão consumir as lentilhas, as castanhas, as sementes além do leite e do queijo que eles fazem.
Para quem tem fenilcetonúria, carne nem pensar tb. Tem que ficar na baixa proteína mesmo.

O que esta dieta diz do arroz?

donadio disse...

"mulheres também não tem nada que querer discutir questões de mesculinidade, que e um ploblema unico e exclusivamente de homens.

Eu sou homem, e acho importantíssimo que mulheres discutam a masculinidade e suas "questões". Você não me representa, guri.

E nem me representará enquanto não se decidir a comemorar o seu 12º aniversário, intelectualmente falando.

donadio disse...

"Bom, anon 17:13, você sabe que urologista mulher não trata dos homens, né?"

Como assim? Então a minha urologista é homem?!

Rapaz, ela disfarça bem a bessa, viu?

donadio disse...

Dúvida cruel... é possível ser gordo e vegano?

Rosanna Andrade disse...

Anonimo das 00:42

Nós tbm restringimos arroz na dieta. Achei uma explicação aqui:

http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2013/08/tratamentos-e-causas.html

"O consumo de arroz, por si só, não causa obesidade na maioria das pessoas. A obesidade pode ter sido causada, por exemplo, pelo consumo excessivo de farináceos e açúcar por vários anos. Mas, agora que você já engordou, e a obesidade já está instalada, a restrição de carboidratos (inclusive de arroz) pode ajudar."

Eu não sou obesa, nem gorda na vdd. Mas tenho sinais de síndrome metabólica causada por excesso de carbs, inclusive os ovários policísticos, que eu busco curar. A medicina convencional me dá como alternativa tomar pílula a vida inteira e ainda assim ter dificuldade pra engravidar qdo eu quiser. Prefiro sinceramente fazer o teste de cortar os carbs e quem sabe, me ver livre disso pra sempre =)

Qdo eu tenho dúvidas sobre algum ingrediente eu vou na caixa de pesquisa do blog e digito o nome dele. Foi assim que eu descobri que posso comer batatas tranquilamente (embora o conselho geral seja restringir). Acabo achando artigos mais detalhados assim. =)

Noêmia Cristina disse...

Raven~ um link para vc, mas são videos em inglês sem legenda:

http://www.plantpositive.com/

Também leia

http://www.theveganrd.com/

Anônimo disse...

essa associação entre feminismo e outros ismos é bem comum. Feminista bonita, magra, elegante, refinada, tá fora. Se for bonita naturalmente, que trate de engordar. Quando vier a meia idade, se pintar o cabelo é traidora da causa. Se for hétero, trate de se tornar simpatizante de todas as bandeiras de gênero, número e grau senão tá ferrada. Quanto às crenças religiosas, melhor ser ateia de carteirinha ou agnóstica, mas se for uma wicca, tá de boa. Feminista que se preze tem que ser assim mais ou menos que nem a madre Teresa de Calcutá sem o hábito, saca? São os chamados estereótipos. Quem não estiver dentro do estereótipo, perde a credibilidade e visibilidade como feminista e passa a ser atacada/o como se vê tão frequentemente aqui. Cheers!

Pois é, né? Que diga uma tal de Naomi Wolf. Se não a conhece, ela é a escritora de um livro cujo título é "O mito da beleza". Um dos livros muito recomendados para quem quer começar no feminismo.

Sabe como ela é? Assim.

Essa foto foi tirada meros oito dias atrás, quando ela fez uma palestra na Bienal do Livro, em Brasília. Bonita, não é mesmo? E ainda por cima, simpática. Existe uma feminista importante que é bonita, simpática e muito famosa. E o mundo não acabou por isso.

Acredite, ela continua gozando da mesma credibilidade que sempre teve no meio feminista. Mesmo cuidando da própria aparência. E ela continua sendo apreciada no movimento o suficiente para lotar rapidamente o local onde a palestra foi feita. Não pela sua aparência, mas sim pelas suas ideias.

Anônimo disse...

@José Geraldo
E veja que não existe só cinza entre o preto e o branco. No RGB (que define as cores pela luz, ou seja, como chega aos nossos olhos), o branco são todas as cores em sua intensidade máxima, enquanto o preto é a ausência de cores. Todas as cores estão em algum ponto entre o branco e o preto, seja o azul, o rosa, o marrom, o amarelo, o cinza, o salmão...

Como falei bem mais acima, o erro do post é apelar para uma falsa dicotomia, o que favorece a uma certa "caçada de carteirinhas" ou na forçação de barra para aceitar um rótulo.

Eu mesmo acredito que as revindicações de feministas deveriam ser atendidas o quanto antes possível, até por serem justas e sensatas. E eu tento aplicar em minha vida o que aprendo, tratando as pessoas com igual gentileza, erradicando o máximo que consigo o sexismo de minhas palavras e ações. Às vezes eu posso até explicar uma coisa ou duas a quem sabe de nada sobre o assunto ou ir a um evento ou dois (quando tem) por me interessar pelo assunto, mas não me sinto ou me vejo como feminista.

Não penso que eu seja feminista porque não frequento um coletivo, não vou a passeatas ou protestos pela causa, não participo (muito) de fóruns na Internet sobre o assunto, não saio por aí espalhando cartazes feministas, muito menos promovo ou participo de campanhas feministas. Às vezes tenho até mesmo uma crítica ou duas com relação ao que uma entidade em específico faz para alcançar a igualdade.

E, por isso, eu acho injusto ser jogado no mesmo saco que os masculinistas só porque eu não milito pela causa.

Anônimo disse...

@donadio
Dúvida cruel... é possível ser gordo e vegano?

É possível sim. Arroz é rico em carboidratos (tanto que lutadores de sumô engordam comendo muito arroz). Batata frita é um alimento altamente gorduroso, calórico e igualmente vegano. Aliás, a própria batata é cheia de carboidratos.

Se você somar um alto consumo de carboidratos ao sedentarismo, vai ficar gordo do mesmo jeito, mesmo sendo vegano.

Noêmia Cristina disse...

Gente, os links que passei no meu comentário anterior são para a Rosanna Andrade, não para a Raven~! Postei na pressa aquela hora!

Outra coisa, claro que é possível exigir igualdade para as mulheres enquanto se faz horrores com animais. Só que o feminismo com coerência exige o veganismo. Também admito que esperar coerência de seres humanos é uma ingenuidade. Mas sou mais feliz sendo uma otimista!

Anônimo disse...

Anon 19:50, você só confirmou o que eu disse. Naomi Wolf nasceu bonita, e luta bravamente para se manter magra...oops, gorda. olha aqui

Eu li O Mito da Beleza; seria bom se todas fossem como a Naomi, não precisassem de muitos cremes e cuidados para ficar apresentável, e tivessem $$$ para se vestir bem. . Ela pode execrar a ind. da beleza porque não precisa dela. Nem pro rosto nem pro cabelo. Assim até eu. Mas com a ind. alimentícia ela está no mesmo nível que todas nós. Ou talvez queira somente se solidarizar com o movimento aceite-se gorda, ou com as modelos plus size, quem sabe?




Raven~ disse...

Ah Noêmia. Agora já vi. Huashua obrigada de qualquer maneira. ^^

Curti essa dieta da Rosanna. Interessante.

Anônimo disse...

Noemia, o mundo não é só veganismo ou fazer horrores com os animais,
o veganismo não é contra usufruir do trabalho deles? mel, leite etc..