terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

GUEST POST: FUI A OUTRA POR POUCO TEMPO

Relato da Marina:

A minha história não é sobre violência -– bom, depende do ponto de vista, pode ser sim uma forma de violência--, é sobre traição. Eu fui a outra, por pouco tempo, mas fui.
Eu tinha dezoito anos e ainda sequer tinha beijado direito na boca; sexo, então, nem pensar. Eu era tímida, insegura e sonhava com o grande amor. 
Foi então que o conheci. Ele apareceu na minha frente, extrovertido, sorrindo, com um olhar simpático. Desde esse dia comecei a prestar mais atenção nele e não percebi que, pouco a pouco, me sentia mais e mais atraída. Um rapaz mais velho que tinha acabado de concluir o curso universitário, com  ar de experiente, se aproximava de mim cheio de charme. Quando ia me cumprimentar, pegava minhas mãos e fazia carinho nelas, era um carinho paradoxalmente respeitoso, quase pueril, mas repleto de desejo e vontade. Eu me apaixonava.
Todos os dias ele ia me ver, me procurava com os olhos e quando cruzava comigo na rua, vinha em minha direção ansioso e sedutor. Foi então que me convidou para ir ao cinema com ele, e eu aceitei. Não podia acreditar que aquele lindo e cobiçado rapaz estava interessado em mim! Aceitei na hora, sem titubear.
Esperei ansiosa pela noite e quando eu o vi, senti uma felicidade incrível: eu, que não ficava nunca com ninguém (pois era a mais feinha da turma), estava prestes a aconchegar o meu coração, doído e só, que tanto queria um carinho. Minhas experiências com um rapaz se resumiam ao plano da imaginação. 
No meio do caminho, ele resolveu que não iríamos ao cinema e foi bem direto: “Quero beijar você e quero ir para outro lugar!" Fiquei meio desconfiada e neguei, mas ele me assegurou de que não iria tentar nada que eu não quisesse. Era só um momento para que ficássemos sozinhos, longe dos olhos curiosos das outras pessoas. Aceitei, mas cheia de reservas. Enfim fomos para outro lugar, ele tinha carro e me levou para um lugar alto, onde podíamos ver toda a cidade.
De repente, ele me beijou e, certamente, percebeu minha inexperiência. Ele enfiava a língua na minha boca e eu não sabia o que fazer, então ele me abraçou e me fez carinhos intensos e audaciosos no pescoço, no rosto, me apertava pela cintura. Seu toque era forte, seguro, voraz. Durante todo esse momento, ele só tocou nos meus braços, costas e rosto, mas cada toque tinha uma força, uma energia que me envolvia e me tirava o fôlego. Era a primeira vez que eu sentia aquilo, e foi incrível. 
Cheguei em casa flutuando, mal podia acreditar no que aconteceu, foi intenso e inesquecível. Lembro de muitos detalhes, até da música que tocava no rádio. Senti um conforto e um desconforto incríveis, que se alternavam dentro de mim.
Nós tivemos mais quatro encontros, ele cada vez mais carinhoso e ousado, e eu cada vez mais envolvida. Até que um dia, à noite, eu o vi com uma moça que era sua namorada. Nesse instante, minha alegria e meu entusiasmo se acabaram. Eles sorriam, se beijavam e pareciam muito apaixonados. Eu fiquei arrasada, triste e com o coração despedaçado, mas também com muita raiva dele e principalmente de mim. Aí ele me viu e ficou desconsertado. Eu fui embora na mesma hora, chorando. 
No outro dia ele me ligou e quis conversar, dizendo que não era feliz com ela e que iria terminar o namoro, eu só tinha que ter paciência. Eu desliguei e não quis ouvir o resto. Ele ligou mais algumas vezes, mas eu não atendi. Não falei com ele e, quando o via, o ignorava. Não se pode brincar assim com as pessoas.  
Tempos mais tarde, fiquei sabendo que eles tinham se separado porque ela o traiu com um amigo dele. Nessa mesma época, fui à uma festa de casamento e lá estava ele, sozinho e, às vezes, olhava pra mim, mas mantive distância. Toda vez que ele tentava se aproximar, eu saía de perto, não queria contato. Depois desse dia, fiquei anos sem vê-lo.
Há pouco tempo, eu estava no aeroporto, quando percebi que alguém me olhava -- era ele. Olhava fixamente e ameaçou se aproximar, mas, neste instante, anunciaram meu voo. Saí, mas antes acenei afetuosamente para ele, como se tivéssemos sido amigos no passado. 
O mal deve ser cortado pela raiz. Se eu tivesse caído na conversa dele, teria sofrido muito mais. Alguns homens querem simplesmente aproveitar as oportunidades e fazem jogos que lançam sobre nós, mulheres, a responsabilidade das coisas. Ele nunca terminaria com ela e levaria a situação até quando fosse conveniente pra ele, e é nessa situação que ainda muitas mulheres se encontram nos dias de hoje. Esperando anos e anos a fio que ele se separe. 

106 comentários:

Anônimo disse...

Marina, maravilhosa você! Em vez de pensar nos momentos gostosos do passado, se focou no quanto poderia sofrer no futuro.

Anônimo disse...

Parabéns pela sua atitude.Estou há 16 anos com um homem casado,entre idas e vindas nunca deixei de ficar com outros homens e nunca cobrei que ele se separasse.Agora aos 36 anos e sozinha (nunca namorei sério,só tive homens pra transar comigo)a ficha caiu e ao questioná-lo se eu era pra ele só um depósito de esperma ele ficou calado,ou seja,quem cala consente.Ele vive bem com a mulher e nunca vai deixá-la.O conheci com 22 anos,inexperiente,auto estima no chão,que homem não vai aproveitar desse comodismo?É nessa teia de baixo valia que nos sentimos é que eles se aproveitam.É imprescindível trabalhar a auto estima das crianças desde cedo,para não cair na mão de abusadores!

Anônimo disse...

Tenho uma amiga (é sério, não sou eu rs) que fica em idas e vindas com caras que tem namorada, são noivos...normalmente são cara que já estão há anos com a mesma namorada, só enrolando sem compromisso. Mas, ela se diz a 'amante perfeita', pois não quer nada sério também, não fica causando com a 'oficial'...enfim, as 'oficias' nem desconfiam...
No entanto, é aquele velho clichê, ela começou a se sentir mal, pois começou a gostar mesmo de um deles, mas ele não quer nda além do tipo de relação que eles tem...sei la, eu nao concordo, ja alertei, ja vi ela sofrer,mas cada um tem seu momento pra aprender neh? ...

Nati disse...

É isso mesmo? Entrei no blog da Lola e caí na página de conselhos sentimentais da Capricho?

Com todo respeito à história da moça, mas qual é a relevância disso? Onde está a conexão com o movimento?

Anônimo disse...

ih, achei maravilhosa a atitude mas, talvez eu seja ingenua, mas acabei achando que, no fim das contas, o cara gostava de ti mesmo oO

(mas, no fim das contas, concordo com a nati aqui em cima)

Anônimo disse...

Lola, essa obrigação de postar todo dia já não se sustenta mais.

Desculpe a moça do Post, mas ele é totalmente irrelevante.

Acho justo a Lola começar a considerar a idéia de postar um dia sim e outro não.

Anônimo disse...

A conexão com o movimento talvez esteja no fato de a moça ter sido enganada e isso acontecer com muitas mulheres (nunca vejo história de homens dizendo "ela jurava q ia se separar"). Também já estive com um problema desse por pouco tempo e sofri muito. Ele, nesse caso, não mentia dizendo que ia se separar, pelo contrário, afirmava que gostava dela, eu que me envolvi e me ferrei achando que ia ficar de boa... situações assim são muito difíceis, melhor nem começar...

Fernanda disse...

Eita, também achei muito bobo esse post...

lola aronovich disse...

Ué, por que o post seria irrelevante? É uma experiência, a experiência da Marina. O pessoal não é político? Se ela continuasse com o relacionamento seria um post relevante? Se a situação terminasse mal seria relevante? Pra muita gente, existe a noção de ser "a outra", noção inclusive bem patriarcal. Ela não aceitou ser a outra, e se orgulha disso. Faz pouco tempo, publiquei o guest post de uma moça que saía com um homem casado do trabalho, e os colegas ficaram sabendo e a hostilizaram. Os comentários do post foram muito interessantes, muita discussão sobre traição, sobre ser "a outra".
Desculpe, mas irrelevante me parece ser comentar que uma experiência pessoal de uma pessoa é irrelevante.
Recusar se relacionar com um cara que já tem parceira não pode ser visto como uma atitude feminista? (não que a Marina diga que seja).

Anônimo disse...

Parabéns para a autora. Foi muito madura... mesmo que o cara gostasse dela, é o tipo de coisa que sempre me faz pensar "se traiu a outra comigo, cedo ou tarde vai me trair com outra".

As pessoas sofrem porque muitas vezes se colocam em situações complicadas. No seu caso, assim que você se viu numa situação complicada, você se esforçou pra sair dela.

O que tem a ver com o movimento? É um exemplo de que a gente pode ser ativa na nossa vida e não ficar se fazendo de vítima, se eximindo das responsabilidades.

A menina era nova, tinha baixa auto estima, se envolveu com um cara mais velho que proporcionou momentos muito excitantes pra ela. No entanto ela soube manter a cabeça no lugar e se afastou do cara que estava 'abusando dela sentimentalmente'. É um exemplo de empoderamento. De não ficar responsabilizando o cafajeste a o machismo. Tem tantas histórias de mulheres que são 'as outras' indefinidamente e que são publicadas aqui, porque esse não é relevante? Porque é um exemplo positivo???

Thays disse...

Concordo com a Lola, mas em parte também com o pessoal que está se queixando.

Acho que toda experiência é válida, mas faltou reflexão da autora (ou um comentário da Lola) pra essa experiência fazer sentido neste espaço: o que significa ela agir assim? por que ela agiu assim?
O post acabou e eu fiquei esperando mais.

Eu li e não sei porque eu li isso aqui, venho aqui por coisas que me façam pensar, e me parece que ela foi a donzela enganada/honrada que a sociedade espera que ela seja.

domingosjornal disse...

@Anon das 11h57 do dia 25
A conexão com o movimento talvez esteja no fato de a moça ter sido enganada e isso acontecer com muitas mulheres (nunca vejo história de homens dizendo "ela jurava q ia se separar").

Por favor, não pense que isso só acontece com mulheres porque não é verdade. Tem vários homens por aí que já sofreram esse tipo de coisa. Algumas mulheres ficam enrolando o cara eternamente e no final metem o pé na bunda deles.

A diferença é que esses caras não ficam espalhando por aí por causa do estigma de corno manso. Sabe como é fácil revogar a carteirinha de macho de um homem qualquer.

Também já estive com um problema desse por pouco tempo e sofri muito. Ele, nesse caso, não mentia dizendo que ia se separar, pelo contrário, afirmava que gostava dela, eu que me envolvi e me ferrei achando que ia ficar de boa... situações assim são muito difíceis, melhor nem começar...

Lamento pelo o que você passou. E concordo plenamente com a sua última frase.

Anônimo disse...

Eu ja fui a outra por um curto período, e aguentei assim dois ou três meses,comentei inclusive no outro post.

Parabéns a autora por ter feito o correto.eu se tivesse feito o correto teria me poupado três meses a mais de sofrimento,

Todo o meu apoio e solidariedade a posts assim,
Nao sou ninguém pra dizer se o post e bobo ou irrelevante,
Entao as experiências pessoais de outros que nao dizem respeito, ou seja, que nao giram em torno de mim , nao contam???
Continue postando o que você quiser,Lola

PS : tenho certeza que você sabe quem eu sou,:)

Anônimo disse...

Que bom que existe o feminismo para salva-las desta praga que e a Eterossexualidade

Paola disse...

É isso que dá se envolver com quem mal conhece.
Hj em dia voce conhece alguém hj e amanhã já estão juntos fazendo juras de amor.
Mas gostei da atitude dela,n ficou se vitmizando e nem aceitou ser usada e mandou o babaca pastar.
E ainda tem gente aqui dizendo que ele gostava dela?! Kkkk

Anônimo disse...

O Post ficou sem uma reflexão como a Thays bem disse, mas isso não é motivo pra galera escrotizar e dizer que a experiência da menina é irrelevante.

Anônimo disse...

Eu achei que o post falasse pra si só. É claro que o post trata de uma experiência, mas o comentário acrescentado pela Lola sempre deixa uma bela e madura dica! Ainda assim, o post é maravilhoso. Poderia apostar que MUITAS moças já passaram pelo mesmo. A atitude da Marina, com certeza, deve ter cortado o mal pela raiz. Vale a reflexão, galera :)

Ana disse...

Acho engraçado as pessoas não acharem a história relevante e até sugerirem à Lola escrever dia sim dia não. Eu gostaria de sugerir a essas pessoas que venham aqui dia sim, dia não. Ou quem sabe, que nem venham mais!
ora, a relevância está no fato de ser uma situação muito frequente para as mulheres e que não costuma ter esse desfecho. A moça, apesar de jovem e inexperiente, viu que estava sendo enganada e superou numa boa.
Há muitas mulheres que são enganadas e que não tem confiança suficiente para seguirem a vida sem a ilusão de "terem" um homem, ainda que ele seja casado, noivo ou namorado de outra.
Não é uma questão relevante para o feminismo?

Anônimo disse...

Tadinhos desses monogamicos sofrendo em busca da exclusividade emocional e sexual, haha

R. Mart's.Lva disse...

Digna sua atitude Marina, muito mesmo! Desejo que um dia (caso almeja isto) tu encontre alguém a altura, pelo menos neste aspecto que tu nos mostrou.

Texto totalmente relevante, é preciso ter noção da realidade e senso de responsabilidade, coisa rara em alguns.

Lígia disse...

Talvez o post tenha relevância por ser comum que meninas tenham a auto-estima lá embaixo e, como ela, se considerem "a mais feinha da turma", acabem se sentindo especiais só porque um cara resolveu dar bola. Isso acontece direto!

Os padrões exigidos de beleza e comportamento são inalcançáveis para nós mulheres. Somos gordas! Somos magras demais! Temos as pernas finas! Os peitos caídos! Somos muito falantes! Somos tímidas demais! Somos muito recatadas! Somos putas!

A maioria das meninas que eu conheço se acham feias, gordas, sem graça... (depois de adulta, para algumas isso passa, mas nem todas...)

A moça do post nunca ficava com ninguém, provavelmente tinha uma certa sensação de que ninguém a queria... E de repente aparece esse cara cheio de carinho para dar...

E olha que ele nem a tratava tão bem assim... ela mesma descreve uma certa sensação de desconforto depois de sair com ele... e ele mentiu... mentiu quando não contou que tinha namorada, depois quando disse que ia se separar...

Achei muito bom ela ter pulado fora! Nós mulheres temos que por na cabeça que não temos que aceitar qualquer coisa... que somos bonitas, atraentes e que sim, temos muito a oferecer!

Eu acho que o post é, sim, relevante, nesse sentido.

Juliana disse...

"E ainda tem gente aqui dizendo que ele gostava dela"

Paola, ainda tem muita mulher ingênua por aí.. pfff

Tem levantar a ficha do cara, não dá pra confiar assim não.

Ni disse...

Só não acho válida essa noção de que ela fez o "correto". Resolver aceitar sair com alguem comprometido seria errado, imoral, prejudicaria? Não considero nem um pouco bacana ele ter escondido esse fato dela, o que já demonstrar que ele não deve ser o melhor cara do mundo...mas tem muito comentário que parece dar vivas a uma monogamia obrigatória rs.

Anônimo disse...

Parabéns !!! Se livrou de uma encrenca !!

Anônimo disse...

Esse post da Marina mostra como somos hipócritas muitas vezes.

Se não tivesse toda essa moralidade em torno dos relacionamentos, poderíamos nos dar ao luxo de sermos sinceros...

Mentimos o tempo todo para sustentarmos aparências e modelos de vida, (que nem temos convicção de que são os melhores para nós), só para ficarmos bem na foto, socialmente falando.

Acho que quando chegarmos num nível maior de maturidade, poderemos simplesmente chegar em alguém e falar "olha, fulana(o) te achei gatinhxs e tals, mas sou compromissado(a), rola apenas sexo? E ai?

(claro, que com todas as partes envolvidas e dizendo "ok").

Ou não, sei lá, as pessoas simplesmente não tentariam enganar umas as outras para atender suas necessidades, acho muito egoísta e baixo.

Teresa Silva RJ disse...

Parabéns Marina! Eu não achei nada de irrelevante na sua experiência. Pelo contrário: fico feliz em ler aqui, no blog da Lola, alguma história que não seja de horror. Você fez muito bem em pular fora de uma história da qual você teve a perfeita intuição de que não te faria feliz.

Está passando nos cinemas um filme que parece muito com a sua história: é chileno, o título é "Glória". Conta a história de uma mulher solitária mas que não se deixa abater pela solidão. Ela aproveita a vida o melhor que pode e não aceita migalhas de afeto de um namorado que não a assume. E você ainda sai com a versão espanhola de Gloria de Laura Brannigan na cabeça.

Anônimo disse...

Off topic Lola, sanctu C.O.B.R.A (Dono do blog que afirma que travesti e melhor que mulher) atacando em vídeo.
https://www.youtube.com/watch?v=C8Ms_isMRiA

Perfil.
https://www.facebook.com/gustavoguerra88?fref=ts

https://archive.thedarkcave.org/int/thread/15029317/

https://www.facebook.com/alicia.bratovich

Fernanda disse...

Ai, esse romantismo patológico ensinado às mulheres desde pequenas. Aí qualquer ser que dá mais atenção e tem seu charme já se torna um príncipe em cavalo branco. Já saí com homem comprometido, e peguei conversa dele com outro falando de mim (no meu computador). Não sei se isso é feminista ou não, mas no fim o que mais vejo são mulheres enfiando os pés pelas mãos por causa de homem. Certa a autora que vazou logo.

Anônimo disse...

Como assim o post não tem relevância? Quantas meninas/mulheres entram em romances abusivos e cortam o mal pela raiz?

Primas, amigas, tias, irmãs, conhecidas... Com certeza vocês conhecem uma história assim ou até já vivenciaram.

Dizer que o post é irrelevância é não ter consideração com a Marina e não pensar em como a atitude dela pode servir como exemplo/ajuda para outras tantas meninas/mulheres!

Anônimo disse...

É impressionante como a maioria dos homens entram numa conquista com atitudes bem "pensadas"articuladas,só pensam no prazer deles em sacanear,ludibriar.Nós mulheres entramos numa relação,seja ela qual for querendo que dê certo,a gente joga limpo,quer amar e ser amada.

Nati disse...

Desculpem. Acho que é preciso explicar melhor.

É claro que a história da menina é totalmente relevante, mas dentro do seu próprio contexto PESSOAL. Envolve superação e, po, parabéns pra ela. Foi esperta.

Eu não entendi o porquê de um post como esse estar em um espaço feminista. Entro aqui pra refletir, pra me informar e achei que era esse o objetivo. Me corrijam se estiver errada.

Eu questiono a relação disso com o feminismo. Ela foi enganada, claro. Mas foi enganada por ser mulher?



Anônimo disse...

Ótimo exemplo para as feministas vitimistas que esquecem que temos cérebro e que querem sempre culpar os outros e o machismo por nossos erros.
E sempre vomitam por ai que só fizemos merda porque fomos enganadas,iludidas,um mimimi sem fim.
Mesmo tendo a auto estima baixa,ela não permitiu que fosse usada,é questão de escolha.

Anônimo disse...

nao confio em homem. ponto.

mas essa historia de tachar os homens de viloes e a coitadinha da "outra" que fica esperando eternamente ele se separar da esposa/namorada pra mim nao cola.

ainda mais nos tempos atuais. uma mulher que se mete nesse tipo de barca furada, se mete porque quer, escolhe, romantiza. é igual mulher que acha que vai mudar um homem violento.

ainda bem que a moça do post foi rapida e inteligente pra escapar da armadilha.

maria rita

Anônimo disse...

Me identifiquei um pouco. Fiquei mais de 1 ano e meio com um cara casado que conheci como colega/amigo na universidade. Hoje em dia eu penso que ele foi muito mal caráter, pois é 10 anos mais velho do que eu mas mostrou uma imaturidade tremenda. Durante esse ano e meio eu tentei diversas vezes terminar tudo, e ele chorava e ficava cheio de historinhas sobre como quer deixar a mulher. Até hoje ele fala disso, se tem a oportunidade. Quando eu decidi de fatp dar um basta ele me acusou de injusta e leviana. Fiquei chocada, pois gostava dele e estava simplesmente de saco cheio da situação. Hoje vejo que ele é uma criança num corpo de 30 e poucos anos. Mesmo assim eu não descarto a experiência, achei válida para aprender a nunca mais me meter em algo assim novamente.

Anônimo disse...

O mérito da questão é que homens e mulheres fazem jogos desse tipo ou até piores.
Me parece que você imaginou uma situação muito antes do fato concreto o que denota uma certa imaturidade emocional. E se ele não tivesse namorada e quisesse apenas um lance? São dois pesos e duas medidas num relacionamento.
Com relação a não aceitar se relacionar com uma pessoa comprometida, acredito que é a melhor decisão, pois envolve outras variáveis tão relevantes quanto o sentimento dos dois. Em casos assim, o melhor é largar o rapaz mesmo.
Achei o artigo um tanto quanto como se a moça fosse vítima da circunstância, como no momento em que sentencia que "o mal deve ser cortado pela raiz" ou que o caso em questão pode ser considerado "violência", isso é forçar a barra demais.
É ingênua essa passividade e vitimismo todo, mas a decisão de não continuar a relação me parece bem feminista, pelo menos isso!

Andreia disse...

Adorei não apenas do post como também a forma com que Marina relatou sua experiência. Achei que ela descreveu muito bem todas as circunstâncias e sensações por ela vividas. Fiquei muito entusiasmada com a leitura, me senti lendo uma crônica.

Anônimo disse...

O ponto é que se entre em blog feminista, esperando encontrar uma combatividade firme contra o machismo,o patriarcado,a violência masculina endêmica contra as mulheres.
Não esperamos encontrar uma história tipo "contos da Capricho" reafirmando a velha submisão feminina ante "aoszomi" na forma tosca do chamado romantismo.Toda forma de sentimento romântico hetéronormativo de mulheres para com homens neste momento histórico e anti-feminista.

Luciana disse...

Totalmente relevente. parabéns à garota. Teria feito igual.

Sara disse...

Não concordo com vc Marina, acho q vc perdeu a oportunidade de viver um grande amor.
É totalmente falso esse conceito de que um homem não se separa de sua companheira por um outro amor, conheço exemplos demais para ter isso como regra.
Espero q vc tenha outras oportunidades de conhecer pessoas interessantes em sua vida, mas saiba que amor não se acha em todas as esquinas, muito pelo contrário é bem raro, encontrar alguém especial.
Acho uma pena que por convenções estupidas da nossa sociedade as pessoas continuem abrindo mão de seus sonhos e de seu amor.

Anônimo disse...

muito bom, mesmo!

Eva disse...

"Desculpe, mas irrelevante me parece ser comentar que uma experiência pessoal de uma pessoa é irrelevante."

^THIS

Anônimo disse...

O cara enganou ela. Isso não é legal, e ela julgou suficiente para não investir no relacionamento. Mas essa coisa de demonizar a pessoa que se relaciona fora do seu relacionamento monogamico é muito católica e simplista. As pessoas não só sentem tesão como também se apaixonam fora de seus relacionamentos, e desculpem, não tem cartilha de como se comportar e o que decidir numa situação dessas. Existem pessoas que iludem as outras, mas eu imagino que uma grande parcela simplesmente não saiba o que escolher, como agir, e se paralisa entre o julgamento da sociedade e a dúvida sobre onde estará o caminho para sua felicidade. Nessa situação, todo mundo sai machucado, o que não quer dizer que não há sentimento (pelo cônjuge e pelo relacionamento "por fora", ou mesmo dx outrx em relação a quem foi "traídx"). Questão de gênero não é passar pela situação de "trair", "ser traídx" ou "ser x outrx" mas a maneira como se é julgadx, por si e pelos outros, nesse contexto. E sinceramente, eu senti uma vibe de "proteja sua pureza" um pouco patriarcal rolando aí no post e nos comentários.

Anônimo disse...

Se essas menina tivesse continuado nesse relacionamento, teria altas chances de acabar com sua auto estima e amor próprio minados.
Li vários comentários aqui tentando deslegitimar o relato dela. Para quem se identifica com o movimento feminista, essa é uma atitude bem infeliz, pois é o que tentam fazer quando relatamos quaisquer outros casos de agressão.
Gente, agressão psicológica e emocional é grave e deve ser relatado, sim! Destrói a auto estima das vítimas que, não por coincidência, são na maioria das vezes mulheres.

L. G. Alves disse...

Lola, tem uma polêmica rolando no Facebook e não sei se o assunto é verdadeiro ou mais algo falso. Aqui tem um link para compreender a que eu me refiro: Conteúdo de ‘Azul é a cor mais quente’ dificulta lançamento em blu-ray no Brasil http://oglobo.globo.com/cultura/conteudo-de-azul-a-cor-mais-quente-dificulta-lancamento-em-blu-ray-no-brasil-11705611
"A atriz Adèle Exarchopoulos chegou a dizer que se sentiu uma prostituta durante as filmagens, e entidades de defesa dos direitos das mulheres criticaram as sequências de sexo."

L. G. Alves disse...

Sobre o post...Então, eu vejo como uma história de amor que você cortou antes de saber se daria certo ou não. Certo, ele tinha namorada...MAS...sabe, ele tinha problemas com o relacionamento e estava tentando iniciar outro (talvez, eu nem sei o que se passava na mente dele). Tem gente que não quer sair de um relacionamento sem local seguro para "pousar". Eu sei, não é o correto a se fazer. E eles terminaram porque ela o traiu ou sei lá o quê e aí que me parece que ele ficou contigo na mente. Que a história de vocês foi interrompida e que ficou um mundo de coisas que deveriam ter feito e não fizeram. Quem sabe valeria a pena dar uma nova chance a ele.

Marina disse...

Marina, parabéns. Bom, já passei por essa situação, mas não tive a msm sábia decisão sua, aprendi do pior jeito.
E gostei do post, achei relevante sim. Não entendo o pessoal q critica. Ninguém é obrigado a ler.

lola aronovich disse...

Anon das 2:35, hoje mesmo me falaram que o misógino desse vídeo no YouTube era o Pulsen, e agora vc diz que é o COBRA. Estou confusa. E não entendi o que essa tal de Alicia tem a ver com a história. Ela é do Travesti é melhor que mulher? (e o blog saiu do ar faz tempo, não?)

Juliana disse...

Anon 15:26, a palavra "conquista" já denota isso. Por isso o alvo dele foi a moça com baixa auto estima. Aí o "jogo" é mais fácil de ganhar.

Juliana disse...

Anon 17:02, submissão seria se ela tivesse engolido a historinha dele, né? Romantismo seria de acreditar que ele gostava dela.

Lígia disse...

Acho que ela fez o correto no sentido de sair de uma situação que não estava legal para ela.

Pelo menos essa é a minha visão das coisas.

Anônimo disse...

A quem achou bobo o tema, e achou que nao deveria aparecer no blog... bem, eu nunca vivi algo parecido, mas gostei de ler uma vivencia diferente. Nao sei se e obrigatorio comentario da Lola em tudo, tem relatos que simplesmente sao o que sao e se basram. E sobre o tema ha na abertura do blog informacao de que o blog pode ser sobre o que quiser, o que der na telha... no mais, tem temas aqui que nem sempre me interesso e mesmo assim nao ouso dizer que a Lola nao deveria postar todo dia... isso quem decide e, ninguem e obrigado a vir aqui e ninguem paga a hospedagemela do blog dela uai.

Anônimo disse...

Concordo,duvido que a blogueira ,professora universitária não tenha algo de mais relevante. a dizer e mostrar
História água com açúcar,a qual valida. o machismo.

Anônimo disse...

Nossa! A falta de generosidade das grandes pensadoras foi a verdadeira manifestação do que é a solidariedade feminina.Lola foi de uma grandeza ao publicar e defender a garota que me ganhou para sempre.Quando eu li eu pensei,eu nunca conheci ninguém igual a ela,se fosse eu me atirava nesse poço e me afundava até o pescoço,eu,de fato não sei amar,não tenho amor próprio e ao menor sinal de rejeição fico totalmente enlouquecida.Minha mãe via isso,manifestei essa doença desde cedo e ninguém nunca me falou que não era assim,que não precisava ser assim,que eu não precisava ser pisada,enganada,traída,roubada,tudo pra ter o cara do lado,por me sentir gente somente quando ao lado de um homem.Portanto,como qualquer outra história,mas esta,em especial me tocou profundamente,hoje não me permito relacionamentos amorosos,não tenho estrutura,só me machuco,viro um lixo,um nada,um capacho.E tenho um filhinho,não posso pensar em arriscar a vidinha dele .Espero ao menos poder ensina-lo a não ser menosprezado por ninguém,e se for,sair fora,mesmo ele sendo filho de uma criatura desprezível,que eu escolhi,por achar que era a única coisa que eu merecia na vida.

Julia disse...

OFF Topic
O Bial acabou de perguntar no BBB o que é pior homem machista ou homem feminista? Isso porque tinha dois calhordas machistas no paredão. Oh deus, será que ele não sabe mesmo o que é pior ou eu estou esperando discernimento demais de um homem que já espancou a esposa??

Isadora disse...

Achei o guest post extremamente relevante. É incrível o quanto podemos ser inclinadas a aceitar situações assim, e o fato da moça ter conseguido recusar não é exatamente a coisa mais fácil do mundo para muitas mulheres. Percebo isso principalmente na mentalidade das pessoas que convivem comigo.
Já fui até mesmo taxada de "fria" e coisas do tipo, simplesmente porque não consigo sequer cogitar a hipótese de passar por cima dos meus ideais e dos meus princípios só pra dizer que tenho um relacionamento.
E por mais que você argumente que não quer nada com o "fulano" por conta das atitudes desrespeitosas dele, ou apenas porque percebe que o cara seria incompatível contigo, o pessoal simplesmente não cansa de insistir: "ah, mas acho que você deveria ser mais flexível... desse jeito você vai ficar sozinha pra sempre..." e blablablabla.
Hoje em dia só ligo o dane-se e pronto, mas confesso que tem dias que esse tipo de coisa irrita MUITO.
É por essas e outras que acho que tem muita coisa que colabora pra que algumas mulheres considerem aceitável permanecer em relações onde são enganadas ou que não lhes fazem bem.

Júlia disse...

Coitado do Bial, tá ficando gagá igual ao Silvinho. Só tem dito merda ultimamente. Tá bom de botarem outra pessoa pra apresentar o BBB.
Em pensar que um homem desse é considerado intelectual aqui no Brazil...

Júlia disse...

Mentira que digitei Brasil com z?!

Anônimo disse...

"Acho uma pena que por convenções estupidas da nossa sociedade as pessoas continuem abrindo mão de seus sonhos e de seu amor."

Passei por uma situação bem parecida com a história da moça do post. Em 2011 conheci um cara que desde o 1º minuto que me viu(não é exagero, foi de fato mesmo)ficou louco. Começou a me paquerar sem parar, a jogar indiretas, cantadas e ficava, sem exagero também, o tempo todo me olhando sem parar!!!
Ele me olhava com uma profundidade tão intensa e forte que seus olhos chegavam a brilhar e eu fiquei mt assustada, além de ter tido sonhos bizarros com os olhos dele! Porém na época minha auto estima tava baixa por conta do namorado babaca que tinha e ao ver aquele homem me tratando daquele jeito, me apaixonei(ou apenas me encantei).
Com isso fiquei mt curiosa e quis saber mais sobre ele e então fui adiciona-lo no facebook. E qd faço isso descubro que ele tem uma namorada...fiquei arrasada(e traumatizada diga-se de passagem).
Mas mesmo assim ele continuou a flertar comigo sem parar, me olhar com aquele ar fixo de desejo e a jogar mil indiretas. Eu fiquei sem saber o que fazer. Ele tinha vergonha de se aproximar de mim, talvez por medo de levar toco e eu sou tímida e sem jeito pra essas coisas, logo não nos pegamos como estava nítido na nossa cara. No fim das contas ele se foi pra terra dele e eu terminei meu namoro.
Tempos depois em 2012 o encontrei por acaso na cidade natal dele e qd me viu, ficou o tempo todo me olhando fixamente como se eu fosse um imã. Nunca me senti tão deseja por alguém.
Mt gente tem certeza de que ele se apaixonou por mim, mas infelizmente tem namorada e mora longe o que atrapalha tudo, outros acham que ele é um cretino por trair a namorada e alguns acham que ele se aproveitou de mim, e tem aqueles que acham que sou mt sortuda por ter feito o que mt gente sonha: achar o verdadeiro amor.
Bem, desde então nenhum teve coragem pelo facebook de se confessar, mas ás vezes andei conversando com ele.
Porém de vez em quando posta coisas sobre e namorada o que me irrita.
Porém mês passado um amigo comentou uma foto tirada no dia que nos conhecemos e qd viu meu amigo comentando, mt do nada depois de mais de 2 anos da foto ali resolveu comentar. Disse que a foto é das antigas e indiretamente falou que sente a minha falta...
Ahh pqp!

Anônimo disse...

Acho o post relevante sim, pois os homens muitas vezes se acham no direito de brincar com a nossa cara! Têm amantes enquanto não largam a oficial e assim vão dando esperanças pra ambas.

Lembro do meu primeiro "rolo", um rapaz do ensino médio que tinha namorada. Ele vivia dizendo que gostava de mim, mas eu não ficava com ele justamente pq ele tinha namorada. Quando eles terminaram - isso depois do final do ensino médio!! - resolvi dar uma chance pra ele. Saímos e só nos beijamos, mas naquele dia ele foi extremamente escroto!! Disse que preferia o beijo da ex (!!!), que estava a fim de outras garotas (!!!), foi extremamente podre!!

Foi tão nojento que fiquei perplexa na hora. Como um rapaz fica a fim de você o ensino médio inteiro e quando enfim vc dá uma chance a ele, é capaz de te tratar tão mal?!

Ele percebeu e depois me ligou, dizendo que tava se sentindo mal e etc, que havia sido estúpido. Saímos mais algumas vezes mas em nenhuma delas sequer beijamos. Depois ele até me pediu em namoro e eu não aceitei. Ele me disse: é, eu sei que te magoei aquele dia...

O que leva um cara a agir dessa forma estranha?!

Chego à conclusão que ele sempre quis que eu fosse a "outra" enquanto ele ficava com a namorada dele. A maldade começa cedo na cabeça desses caras!

Também nunca aceitei situações bizarras dessa forma, e o pior é que eles sempre jogam um "verde" pra ver se alguma "fisga" a isca deles né!!

Anônimo disse...

Olha gostei do post. tem gente que parece só gostar de ler tragedia povo chato. Mas enfim acho que se vc tiver a oportunidade de cruzar com ele novamente, deixa rolar, acho que essa história de vcs ainda não acabou heim? aproveitaaaa.

Letícia disse...

"É impressionante como a maioria dos homens entram numa conquista com atitudes bem "pensadas"articuladas,só pensam no prazer deles em sacanear,ludibriar.Nós mulheres entramos numa relação,seja ela qual for querendo que dê certo,a gente joga limpo,quer amar e ser amada."

Isso é verdade, tanto que a maior queixa dos mascus é "friendzone" e as mulheres estarem "muito exigentes". Nunca vi um mascu da vida falar q a mulher o enganou, que ela era casada/comprometida e ele ficou anos da vida dele esperando essa mulher se separar.

Homem não faz isso, gente! Homem vê se a situação é cômoda pra ele, se for ele fica, se não for ele sai fora! Quanto mais aceitar a mulher deitando com outro enquanto ele está esperando e anulando a vida dele, esperando ela largar do marido pra ficar com ele.

Eu NUNCA escutei a história de um homem que fizesse isso, porque a sociedade já rotula de "corno manso" e etc. O homem pode sofrer o que for, mas ele larga a mulher na mesma hora e procura uma desimpedida.

É machismo sim, principalmente porque é mais homem que faz esse jogo sujo (de manter um "harém" onde algumas das "integrantes" sequer sabem que ele tem outras mulheres) que eu nunca vi mulher fazer.

Quando eu tive guest post aqui, do meu ex noivo (por curto período de tempo, mas foi) que tinha mulher e filho fora do nosso relacionamento o tempo todo, também disseram que meu relato era irrelevante, então o fato de muitas mulheres servirem de literal brinquedo na mão desses homens é irrelevante? E o fato de o homem ser quem ludibria na maior parte das vezes não tem relação alguma com o machismo?

Têm certeza? Coloquem um homem na história pra ver se o teor fica o mesmo. Terminar com a mulher que já tem namorado/marido é simplesmente "normal" pra eles. Já a mulher se anula esperando o sujeito largar a mulher... e isso não tem que ver com machismo?

Anônimo disse...

Que amor, Sara? O cara queria ficar com duas. Essa historia é mais velha que andar pra frente. Ela estava carente, só isso. O sonho dele era ter um hárem e o da Marina era não ser feita de trouxa hahaha

Anônimo disse...

Gente, uma post desse deveria ser comemorado!!! Sério mesmo!!!

Uma jovem mulher que não acredita em conto de fadas e se livra por si só de um relacionamento ruim é uma vitória!!! Quantas mulheres não acabam em situação de miséria - no mais amplo sentido da palavra miséria - justamente por que acreditam que "ruim com ele, pior sem".

A maioria das histórias de abuso começa exatamente assim - o cara é charmoso, galanteador, conta uma "mentirinha" aqui - aí enche a mulher de afeto - conta outra "mentirinha" lá.

Eu mesmo presenciei histórias muito semelhantes, em que não havia violência explicita, não havia risco físico ou de vida, não havia agressão, mas eram relacionamentos que as minaram como indivíduos.
Uma dessa mulheres jogou tudo pro alto pelo cara. Deixou uma carreira bem sucedida, uma vida boa e completa para viver com o marido em um lugar distante de tudo. Ele aprontou todas, ela engoliu por muito tempo coisas que nem um estômago de avestruz aguenta. Quando finalmente deixou o cara, estava praticamente sem nada...

Mais uma vez, é uma vitória saber que nem toda mulher acha que "amor" de um homem vale tudo nessa vida.


Jane Doe

RavenClaw~ disse...

Concordo com a Ligia e acrescento que o bacana tb foi ela não querer enganar (já q assim quebela descobriu, se continuasse se tornaria "cúmplice") a namorada do cara. Q no fim: hahaha! Deu oq ele merecia. LoL

Love Gótic disse...

Ai gente deicha de chatice. Vejo que é algo relevante sim, pois relatou o poder de decisão de uma mulher em que ela estava sendo a outra mesmo sem saber. Numa situação dessas a sociedade culpa a mulre , mesmo ela sendo enganada pelo calhorda. O que é relevante? Somente viol~encia contra a mulrer? estupro? machismo? LEMBREM-SE é importante publicar ações em que mulheres foram decididas e se saíram bem em situações que na maioria das vezes os homens é quem saem ganhando.

RAQUEL LINK - me falaram que ia ter bolo disse...

É muito machismo vir aqui em um blog pessoal ( faça parte do movimento feminista ou não é da lola) e dizer o que deve ou não ser publicado. complicado isso..

O que é relevante pra alguém pode não ser pra outro. e traumas depois de algo em um relacionamento não é só físico pode ser emocional.

LOLA eu fui na palestra em floripa, adorei te ver...pena que não pude ficar até o final e te dar um abraço mais amei muito. você é muito fofa.

Sara disse...

anon 03.30 hs vc conhece pessoalmente o rapaz citado no post???? Acho q só quem conhece de verdade o cara pra afirmar o q vc esta afirmando.
Já vi e já vivi histórias bem diferentes do q vc afirma ai com tanta convicção, pra mim casamentos e relacionamentos não são um ponto final EM NADA, continuamos vivos mesmo após um envolvimento amoroso, portanto ainda somos passiveis de se apaixonar ou ao contrário, deixar de amar alguem, e não é por isso que devemos sabotar o que sentimos por outra pessoa.
Eu não faço isso com minha vida, e sinceramente acho absurdo quem faz e fica sofrendo por algo q poderia ter sido maravilhoso, só não foi pq não teve coragem de enfrentar uma sociedade hipócrita, e aceitou viver de acordo com normas convencionadas por um sistema que na maior parte das situações só causa dor, em todos os envolvidos.

Julia disse...

Que Silvinho? O Silvio Santos?

Anônimo disse...

Isadora, isso é muito verdade. Fico impressionada como muitas mulheres aturam merda. Também se não aceitassem estavam todas solteiras. Não são adeptas da filosofia "melhor sozinha do que mal acompanhada". É aquele raciocínio 'se todas aturam porque vou você não pode aturar'?

Anônimo disse...

Sara,
Vc fala de sociedade hipócrita e concordo que em 99 de 100 coisas ela realmente seja mas quando vc vive sua história com o cara casado, vc tá se preocupando com a mulher que é enganada? sei que não é bem obrigação sua se preocupar mas ainda assim só mostra o quanto as pessoas só se preocupam consigo mesmas e suas próprias necessidades e acho que se não querem monogamia, deixem isso claro pra quem está com vc, porque não é algo que envolve só o cara e a dita "outra", também envolve a traida e nisso ninguem fala qdo discute o assunto.
Acredito em karma, se hj ajudo a trair, amanha não poderei reclamar de ser traida. gosta de ter mais de um parceiro? deixe isso claro pra todos os envolvidos pois só é valido se todos concordarem, do contrário é imoral sim. digo por experiencia própria.

Sara disse...

anon 14.51hs sou completamente contra esses pactos de monogamia, embora saiba q eles são os únicos que são respeitados pela sociedade.
Portanto pra mim quem faz ou propõe esse tipo de pacto, não merece meu respeito, pois esta intrínseco nesses pactos a posse do companheiro, e as consequências nefastas desse tipo de atitude, o q eu sou visceralmente CONTRA.
Sei q é polemico pensar como eu penso visto que tenho um senso comum e sociedade inteiros contra minhas posições.
Nem por isso vou deixar de pensar e agir de acordo com a minha consciência não a sua.

ana disse...

sara e suas loucuras sobre monogamia...
é provável que vc já tenha tido um relacionamento desses e se vc se achava dona do seu parceiro,n posso fazer nada,mas n fale por todos.
sempre gostei de namorar 1 pessoa por vez e nunca pensei q era dona de ninguém e o mesmo valia com os namorados que tive.

Anônimo disse...

"anon 14.51hs sou completamente contra esses pactos de monogamia, embora saiba q eles são os únicos que são respeitados pela sociedade.
Portanto pra mim quem faz ou propõe esse tipo de pacto, não merece meu respeito, pois esta intrínseco nesses pactos a posse do companheiro, e as consequências nefastas desse tipo de atitude, o q eu sou visceralmente CONTRA."


Se você não respeita quem faz esse pacto então não deveria respeitar o rapaz citado no post, já que ele também aceitou esse compromisso.


É claro que é possível nos apaixonarmos por outra pessoa depois de estarmos com alguém, mas existem maneiras de lidar com isso sem magoar tanto as pessoas envolvidas, e enganá-las não é uma delas.

E não ache que sua atitude seja algo raro, a maioria faria o mesmo que você, agiria de forma egoísta e ficaria com o rapaz.

Anônimo disse...

Sara, o problema é a mentira. Hoje em dia há pessoas que aceitam relacionamento aberto, então enganar só pra manter um "harém" de mulher??

Mentira é falta de caráter em qualquer situação, e eu não me sentiria bem namorando alguém que sofre de falta de caráter.

Anônimo disse...

"Eu mesmo presenciei histórias muito semelhantes, em que não havia violência explicita, não havia risco físico ou de vida, não havia agressão, mas eram relacionamentos que as minaram como indivíduos. "

Já vi muitas e vivi também, ainda bem que consegui sair da maioria delas antes de ter prejuizo. Mas tá cheio de homem com complexo de harém nesse mundo!

E Sara, pensa no seguinte, quantos desses homens que se propõem a ter 2 ou mais mulheres estariam dispostos a abrir o relacionamento pra mulher também? A mulher eles querem "santinha" em casa, só "deles" (olha aí o sentimento de posse) mas eles querem ter quantas lhes aprouver.

A maioria dos homens assim quer o relacionamento aberto "só pra eles" e ainda chamam mulher que têm vários parceiros de "vagabunda".

Anônimo disse...

Caramba, não respeitar uma pessoa só porque ela não pensa o mesmo que você? Já pensou se todo mundo fosse assim?


Pensando bem quase todo mundo é assim, é por isso que esse mundo tá uma merda.

Sara disse...

Ana anon 17.04hs bem ao contrário do q vc imaginou eu fui vitima de um relacionamento monogamico, onde fui considerada propriedade, e bem ao contrario da ladainha enfadonha que vcs sempre falam aqui, não é nada fácil sair desse tipo de relacionamento, muito menos ser honesta dentro deles, a não ser q vc queira pagar o preço exigido, que geralmente é estipulado no valor da sua própria vida.
Eu não quis pagar esse preço, pq tenho muito amor a minha vida, se me acham egoísta ou qualquer coisa q o valha, quero mais é q gente como vcs vão pro inferno ....

Erres Errantes disse...

Poucas pessoas seriam tão firmes nessa situação quanto a autora do post, sobretudo tão inexperiente em relacionamentos quanto ela contra que era na época. Isso mostra um auto grau de segurança e amor-próprio. Parabéns a ela.

Anônimo disse...

Pois é, agora todo mundo deve aderir ao relacionamento aberto? E quem não quer? É, pq tem quem não queira viver uma situação assim.

Sara disse...

anon 17.46hs eu não estou aqui buscando aprovação, apenas expus o q penso, pouquíssimas pessoas respeitam a maneira como eu penso, pq EU deveria respeita-las???
E apenas pq EU não as respeito transformei o mundo em merda???
Não me sinto obrigada a respeitar as opiniões de gente possessiva, opressora, e nem estou esperando ser respeitada por essa gente...

Anônimo disse...

Não, Sara, você não entendeu, o mundo é uma merda porque a maioria das pessoas são como você, não respeitam pessoas que pensam diferente.

Nem todas as pessoas monogâmicas são possessivas como seu ex. Existem pessoas que simplesmente preferem se relacionar com um único parceiro, elas não tratam seus parceiros como uma posse.

Anônimo disse...

E Sara, eu discordo completamente de você mas te respeito, viu? ;)

Anônimo disse...

"pq EU deveria respeita-las???"

Porque as pessoas têm direito a ser diferentes de você?

Se vc não crê em relacionamento monogâmico, OK, procure alguém que pense como você; mas não queira impor seu modo de vida aos outros.

Julia disse...

Concordo com a Sara em relação a monogamia ser um campo fértil pra o sentimento de posse, ciúme e até violência. A monogamia é invenção do patriarcado.
Acontece que não acho que esse seja o caso do rapaz do post e da Marina. Xs envolvidxs não estavam todxs cientes do que estava acontecendo, só o cara estava. E nessa situação é muito difícil não ser sentir enganadx e humilhadx.

LeiDe Mamariquinha disse...

"Ele me olhava com uma profundidade tão intensa e forte que seus olhos chegavam a brilhar

Ele tinha vergonha de se aproximar de mim, talvez por medo de levar toco"

O mesmo comigo.Nunca vi um relato quase parecido quanto a isso, por isso a surpresa.

De que regiao esse menino é?de que estado?É de SP?

Juliana disse...

Eu já fui a outra e sabia. Eramos colegas de trabalho, eu estava solteira, sabia que ele namorava, mas ele sempre deu em cima de mim e um dia ficamos. Foram alguns encontros por uns 6 meses,no máximo, o que foi uma das piores experiências da minha vida...rs...Até hoje eu não consigo entender quem só se relaciona com homens comprometidos pq é extremamente solitário, totalmente não saudável e pq sempre faz com que você se sinta menos merecedora do que a oficial.

Sara disse...

anon 22.36hs gente q pensa como eu representa uma fração infinitamente pequena na população, na verdade somos em número que nem levado em conta é.
A sociedade preserva seu direito sagrado a propriedade da pessoa com quem vc mantem um relacionamento monogamico até em leis.
Na verdade a nossa sociedade até legitima o direito exercido na maior parte pelos homens de lavar suas honras com sangue de suas companheiras, q quebrem esses pactos, mas se vc for mulher, tb terá esse direito preservado.
Portanto querida procure outros culpados por esse mundo ser uma merda como vc diz.
Isso depende muito do ponto de vista.

Fernanda disse...

Anônimo, fico pensando que essa é uma forma que ele encontrou de tirar a própria responsabilidade e jogá-la em vc. Falo isso pq quase todos os casos que conheço agem assim.

Dri Caldeira disse...

Depois que me separei, eu optei em ser a outra. Em não ter obrigação nenhuma, a não ser dar e receber prazer. Até que eu conheci o Dé. O cara mais persistente que eu já conheci nessa vida. Sim, pq como eu não queria envolvimento, eu escolhia a dedo o cara pra ter um caso: corpo bonito, sarado e sem inteligência nenhuma. O Dé não é sarado, é mais baixo, mais magro do que eu. Nos conhecemos virtualmente e só então veio a vontade de me conhecer. Eu sabia que ele era casado, mas ele não me falou. Qdo. o confrontem ele me disse que não precisa mais disso pq o facebook diz. Pois bem, assim que eu bati os olhos no baixinho, eu SABIA q iria amar aquele homem, coisa q jamais aconteceu comigo. Em 10 segundos me apaixonei e em 21 dias eu passei a amá-lo. Mas durante todo esse tempo eu dizia não, não quero pq lela primeira vez eu vi que não conseguiria viver de sobras, nem esperando ele ter um tempo pra mim. Mas o baixinho conseguiu, só na conversa, convencer a durona aqui.
Será minha carência? Pode ser. Minha baixa estima? Eu não tenho isso. Só sei que pela primeira vez na minha vida estou aprendendo a ser casal. Antes eu era só pra trepar, agora eu faço amor.
Ele me diz pra eu ter paciência, pra irmos nos conhecendo, pq ele sente q do jeito que a coisa vai indo, vamos ficar juntos.
Aí que tá. Eu tenho medo disso. E se eu não me acostumar em ser casal? Mas por amor à ele, vou esperar.
Me sinto muito, muito culpada com relação à esposa. Engraçado que com as outras eu não tava nem aí, foda-se sua incompetente. Mas agora não consigo. Mas não pressiono para que ele se separe, só reclamo do pouco tempo que temos juntos.
Só sei que ele tá me ensinando a amar. De um jeito torto, aos pedacinhos como ele me diz, e eu tô amando muito esse homem. Se ele vai se separar? Nem quero saber. Quero viver esse amor.

Anônimo disse...

Ai Sara, você continua não entendendo, você age igualzinho a essas pessoas que tanto critica, é isso que eu quis dizer, parece uma fanática.

Anônimo disse...

povo se deixa ser usado(a) e depois reclama... só rindo mesmo

já fui a oficial, já fui a outra, tudo foi feito porque eu quis assim e ninguém apontou arma na minha cabeça

quem quer fazer coisa de adulto tem que assumir as responsabilidades né?

Anônimo disse...

"E Sara, pensa no seguinte, quantos desses homens que se propõem a ter 2 ou mais mulheres estariam dispostos a abrir o relacionamento pra mulher também? A mulher eles querem "santinha" em casa, só "deles" (olha aí o sentimento de posse) mas eles querem ter quantas lhes aprouver.

A maioria dos homens assim quer o relacionamento aberto "só pra eles" e ainda chamam mulher que têm vários parceiros de "vagabunda"."

Não sou a Sara mas gostaria de comentar isso:

Eu vivo um relacionamento "bígamo", digamos assim. Eu, meu marido (casada no papel) e meu segundo marido. Todo mundo sabendo de tudo, bonitinho nos conformes. Dizem eles que não querem sair com outras pessoas, tudo bem mas não é porque eu os proíba e nem coloco catraca no pinto ou no cu de ninguém. Mas de qq forma, a abertura existe, inclusive se eles quiserem se relacionar com homens ou mulheres trans. Assim como eu posso continuar ciscando por aí e admito que sim, faço bastante disso.

O comum é realmente ser aberto só pra um lado da coisa, geralmente o do homem, mas outros arranjos são sim perfeitamente possíveis.

O que não dá, na minha opinião, é você se disfarçar de pombo fingindo ser monogâmico pra no meio da partida querer mudar as regras do jogo... aí é palhaçada.

Acho engraçado como traição clássica, essa acompanhada da mentira é mais aceitável que meu arranjo de vida, por exemplo, com todo mundo ciente das coisas. E ainda chamam isso de amor. Aham, senta lá Cláudia.

donadio disse...

"O ponto é que se entre em blog feminista, esperando encontrar uma combatividade firme contra o machismo,o patriarcado,a violência masculina endêmica contra as mulheres.
Não esperamos encontrar uma história tipo "contos da Capricho" reafirmando a velha submisão feminina ante "aoszomi" na forma tosca do chamado romantismo.Toda forma de sentimento romântico hetéronormativo de mulheres para com homens neste momento histórico e anti-feminista.
"

Só faltou uma coisa: um lugar pra gente assinar embaixo...

Sara disse...

Perfeito Dri Caldeira, é isso que eu penso q seja o certo a fazer, amar sem questionar, o máximo q eu acho pertinente que se exija em um relacionamento é a atenção do seu parceiro, se vc se sente amada e satisfeita com esse amor, q se foda o resto.
Eu é q não vou deixar de viver o q me faz feliz por restrições imbecis que a sociedade convencionou que deve ser a norma.
Agora quem quer aceitar essas regras e viver de acordo com elas que prepare grana extra pros psicólogos e antidepressivos, e tb não venha encher o saco de quem ta feliz com a sua vida torta.

Anônimo disse...

Kkkkkkkkk
LeiDe, para com isso. Você acha que só existe um assim no mundo? Ele devia estar com conjuntivite..

Erres Errantes disse...

Engraçado como muitas mulheres aceitam passivamente ser amantes. São compreensivas e pacientes, aceitando as migalhas que os homens estão dispostos a jogar para elas. Vai convencer um homem a ter um relacionamento duradouro como amante de uma mulher. Só se for naquela música do José Augusto "Eu queria ser bem mais que amante/Quero ter vocÊÊÊÊÊ, o tempo todo..." rrsrsrs
Com mulher comprometida, o homem vai no máximo querer transar algumas vezes, cair fora e depois espalhar pra todo mundo que vc é a maior puta do planeta.

Anônimo disse...

Kkkk e a sara diz que o mundo n esta uma merda por pessoas como ela,passar por cima dos outros,trair,mentir e enganar é o máximo,pq a sociedade "obriga" a mentir.como se a gente vivesse em 1500 e não existisse divórcio.
Lendo as besteiras que vc fala ,eu não entendo o que faz nesse blog já que odeia monogamicos e a lola é monogamica.

Anônimo disse...

eu tive um caso com um homem casado durante 5 anos. tinha 20 anos e ele 45. gostava muito dele, a mulher vivia me perseguindo na rua. porque eu aguentava tudo isso?porque gostava dele. e bastante. eu era bonita, com apenas 20 anos já tinha um bom emprego, pagava meu aluguel, tinha carro, estudava numa universidade estadual. era pobre, mas ganhava o suficiente pra me sustentar. ele era rico, mas eu sempre pagava minhas contas.viajavamos e eu sempre me bancava. mas eu queria casar e ele por conta do dinheiro que teria que dar pra esposa não se decidia. um dia conheci uma pessoa no trabalho,um funcionario novo . começamos a sair juntos e eu dei um basta no meu caso. em três meses estava casada e grávida. fiquei casada 28 anos,.
Ter um caso com um homem casado afetou minha vida? De jeito nenhum. Lembro dele com carinho e à pouco tempo soube que morreu, teve um enfarto fulminante, dentro do cartório de notas, quando estava fazendo a partilha de bens num divorcio litigioso.

Anônimo disse...

"LeiDe Mamariquinha disse...
"Ele me olhava com uma profundidade tão intensa e forte que seus olhos chegavam a brilhar

Ele tinha vergonha de se aproximar de mim, talvez por medo de levar toco"

O mesmo comigo.Nunca vi um relato quase parecido quanto a isso, por isso a surpresa.

De que regiao esse menino é?de que estado?É de SP?
27 DE FEVEREIRO DE 2014 00:32"

LeiDe, esse moço é do interior do Paraná.
Aconteceu algo mt semelhante com você também? Choquei.

vera disse...

"Me sinto muito, muito culpada com relação à esposa. Engraçado que com as outras eu não tava nem aí, foda-se sua incompetente. "

as amantes de coitadinhas e vitimas não tem nada,a mulher é enganada e traida pq é incompetente e a amante é a fodona que pega todo mundo? acho q não.
o cara é que n vale nada e a amante vai pelo mesmo caminho.

duvido muito que vc se sinta mal pela esposa do traste com o qual vc está.
e o mundo melhora cada vez mais...

Anônimo disse...

Ai ai ai, tem gente aqui que é tão cabeça dura que não entende a diferença entre ser polígamo ou bígamo (tipo de relação aberta onde as partes envolvidas sabem que é aberta) e traição (onde pessoas mentem e enganam sem se importar com o (a) parceiro (a)). Triste isso, mas essa é nossa bela sociedade onde as pessoas só entendem o que lhe convém e da forma que lhe convém.

donadio disse...

Monogamia não é você optar por ter um único relacionamento amoroso de cada vez. Monogamia é a obrigatoriedade de você ter um único relacionamento.

Cada um dorme, ou não dorme, com quem quer. Se faz questão de que seja um só, nenhum problema. Agora, não querer enxergar que toda a sociedade funciona contra as pessoas que não fecham com essa norma, é cegueira privilegiada. E querer reclamar que quem não se encaixa está querendo impedir os outros de serem monógamos, haja paciência! é a falsa simetria elevada ao quadrado.

Anônimo disse...

Donadio
E quem impede os outros de terem um relacionamento aberto?
Alguém é obrigado a viver na monogamia? E de onde tiraram q isso implica em viver com 1 pessoa só o resto da vida?
Engraçado vcs falarem em respeito só atacando quem é monogamico,dizendo que todos são loucos,possessivos,vão entrar em depressão e que o único jeito de ser muito feliz é transar com todo mundo.
Hipocrisia a mil.

donadio disse...

"E quem impede os outros de terem um relacionamento aberto?"

Deixa ver...

A legislação, que não reconhece a possibilidade?

A ideologia generalizada, repetida à exaustão em filmes, romances, novelas, etc., segundo a qual cada a gente precisa encontrar a "outra metade da laranja"?

As pessoas que chamam os "desviantes" de vadia, corno, puta, cafajeste, don juan, piranha, coitada, etc.?

Sério mesmo que você acha que cada um pode simplesmente dizer, "agora estou em uma relação aberta" sem nenhuma consequência?

"Alguém é obrigado a viver na monogamia?"

Sim, todos nós somos. É a regra.

Tipo, nós somos obrigados a ser heterossexuais, percebe? E a ser cis, e a ser brancos, e (no Brasil) a ser católicos. Desviar da norma atrai imediatamente incomodações de todos os tipos e níveis, indo da fofoca ao linchamento.

Não é diferente para os que não se conformam ao padrão monogâmico.

"Engraçado vcs falarem em respeito só atacando quem é monogamico,dizendo que todos são loucos,possessivos,vão entrar em depressão e que o único jeito de ser muito feliz é transar com todo mundo."

"vcs" quem, cara-pálida?

Por que eu não disse nada disso, nem ataquei ninguém. Muito menos por ser "monogâmico" (como se ser monogâmico fosse uma mera questão de opção pessoal...)

Sara disse...

"Kkkk e a sara diz que o mundo n esta uma merda por pessoas como ela,passar por cima dos outros,trair,mentir e enganar é o máximo,pq a sociedade "obriga" a mentir.como se a gente vivesse em 1500 e não existisse divórcio."

ANON 23.54HS Desenterre com suas próprias mãos as 16 (dezesseis) mulheres MORTAS por dia em média, que possivelmente devem ser em número muito maior, que pediram o divórcio pra seus companheiros, e diga vc mesma a elas que é tão facil se divorciar ou se separar de um homem, realmente NÃO estamos em 1500. mas caso vc não tenha problemas mentais, nem seja surda ou analfabeta que não saiba ler um jornal, deveria saber que essa é a REALIDADE das mulheres não só aqui no Brasil, mas na maior parte do mundo.
Os pedidos de divórcio ou separação dessas relações monogamicas tão defendidas por vc muitas vezes acabam assim.
Me desculpe se te causei tanta revolta e ódio por lutar contra esse sistema de coisas.
Mas vou morrer lutando contra isso, vc goste ou não.

Sara disse...

vai esse funk tudodebom como trilha sonora pra esse post

https://www.youtube.com/watch?v=Ix-c27RFv9c

piranha é o carai