sábado, 30 de novembro de 2013

GUEST POST: EM HOLLYWOOD NÃO SE METE A BOCA

O sistema de classificação dos filmes nos EUA é bem puritano, como a sociedade americana, aliás. 
Cenas de sexo são proibidas com muito mais rapidez que as de violência. Fora isso, mesmo cenas de sexo são avaliadas de jeito diferente, dependendo de quem está fazendo sexo (sexo entre casais gays ou lésbicos ou interraciais é censurado com muito mais frequência que entre casais hétero), e também do orçamento do filme (classificar para maiores de 17 anos uma produção independente é mais comum que um filme de grande orçamento). 
Nada disso é novidade. O diretor britânico Adrian Lyne, que só conseguiu uma distribuidora que topasse lançar seu Lolita nos EUA oito meses depois que o filme foi lançado na Europa, disse na época (final dos anos 90), não sem razão: “Se eu estivesse fazendo um filme sobre uma menina de 13 anos que é cortada em pedacinhos por um canibal, eu não teria problemas com a censura”. 
A polêmica da vez aconteceu anteontem, por conta de alguns tweets muito bacanas escritos pela atriz Evan Rachel Wood. O historiador desempregado Felipe Pasqua decidiu me enviar um post a respeito, que publico aqui:

E o rolo mais novo aprontado em Hollywood tem a ver com a censura de uma cena de sexo oral no filme Charlie Countryman. Pra falar a verdade, ouvi falar do filme por causa dessa notícia que saiu na Folha de São Paulo, que fala de uma cena de sexo oral que foi cortada, e da reação da atriz.
Sobre o filme nada a declarar, por enquanto. Mas a atriz Evan Rachel Wood, que é quem recebe o sexo oral no filme teve muito a declarar, não sobre o filme, mas sobre a censura colocada pela Motion Picture Association of America (MPAA). E se acharam ruim terem metido a boca nela, ironicamente, ela respondeu metendo a boca na associação!
Ela sai da mesmice da liberdade de expressão acima de tudo e todos, e vai no ponto da questão. Censurar uma cena de sexo oral em uma mulher em um filme com cabeças voando e explodindo, além de outras cenas de sexo "mais pesadas" (e botemos aspas aí, porque sexo pesado pra mim é o que quebra a cama, e se quebrou provavelmente é um bom sinal), não é só uma contradição evidente, mas o vislumbre de uma sociedade que ainda é machista. Machista, sim senhorx! Por que raios o prazer da mulher é censurado? E aproveitando a qualidade da argumentação da atriz, usarei suas palavras: 
"Ao ver o novo corte de Charlie Countryman, eu gostaria de compartilhar meu desapontamento com a MPAA, que achou ser necessário censurar a sexualidade de uma mulher mais uma vez (...) Esse é um sintoma de uma sociedade que quer envergonhar as mulheres e diminuí-las por gostarem de sexo, especialmente quando (uau) o homem não chega ao orgasmo também!".
Isso é botar o dedo na ferida! Numa sociedade em que a mulher é vista mais como objeto do que como pessoa, ou que quando é tratada como pessoa é mais pra ser questionada sobre "sua moral", suas roupas, sua sexualidade e/ou suas atitudes, realmente a cena de uma mulher gozando com sexo oral pode ser incômoda. Se uma saia curta incomoda muita gente, um orgasmo feminino incomoda muito mais! 
Penso naquele cara conservador que nunca imaginou que relação sexual é uma questão de prazer mútuo (mútuo, não necessariamente simultâneo) -- ele deve ficar louco de medo da mulher lhe pedir pra ele usar a língua pra alguma coisa melhor do que soltar suas idiotices por aí! Mas é bem pior que isso, parece que ver uma mulher gozando é uma afronta à "santidade" das mulheres que ele não cansa de pregar por aí! 
As palmas ficam pra Evan Rachel Wood, que eu mal conhecia [ela, que tem 26 anos e é casada com o ator Jamie Bell, de Billy Elliot, esteve na quarta temporada de True Blood] mas me causa ótimas impressões a partir de hoje, que toma as rédeas da situação, e com isso ataca dois tabus de Hollywood: o do prazer feminino e o da censura ao prazer feminino! 

Tweets de Evan Rachel Wood. Leia de baixo pra cima (clique para ampliar). E ela tem total razão: se fosse uma cena de estupro com sexo oral, teria sido cortada? (pense no angustiante -- e desnecessário -- plano-sequência de dez intermináveis minutos de Irreversível).

52 comentários:

Anônimo disse...

Evan <3

Isso me lembra da atriz Emily Brown, que falou que a MPAA mandou editar uma cena de sexo sua para que parecesse mais com um estupro e assim ganhasse uma classificação mais baixa, no fim o pessoal envolvido com o filme resolveu cortar tudo e não mandar uma mensagem tão ruim p um bando de adolescentes:

I had a very tame and mild love scene with Jon Hamm. It was like heavy breathing and making out. It was hardly a sex scene... I think that it's great for this young girl to actually take control of her own sexuality. Well, the MPAA doesn't like that. They don't think a girl should ever be in control of her own sexuality because they're from the Stone Age. I don't know what the f**k is going on and I will openly criticize it, happily. So essentially, they got Zack to edit the scene and make it look less like she's into it. And Zack said he edited it down to the point where it looked like he was taking advantage of her. That's the only way he could get a PG-13 (rating) and he said, 'I don't want to send that message.' So they cut the scene!


--

Tem um doc chamado This Film is Not Yet Rated que fala muito bem sobre isso. Basicamente violência é liberada, mas sexo não (e quando é olhe lá)

Caroles disse...

A Evan Rachel Wood é malavilosa, sem mais.

Anônimo disse...

Lola, eu sei que este não é o melhor lugar para fazer este comentário, mas fiz uma descoberta sobre 2 guerreiros da Real kkk. O primeiro não fui eu quem descobriu, mas mexendo no perfil acabei descobrindo o perfil verdadeiro de outro conhecido "homem honrado"!

Alguém achou o perfil verdadeiro do tão "querido" Arlindo Menezes. Ele se chama Daniel Rodrigo

https://www.facebook.com/daniel.rodrigo.7927?fref=ts

E vendo algumas das poucas fotos abertas no perfil descobri quem é o verdadeiro usuário "MattHeafy" do Mundo Realista. O nome dele é Felipe Marinelli Affonso! Segue o perfil

https://www.facebook.com/webmarinelli

Gabriela Valencia disse...

Sinto nojo profundo desse puritanismo cristão. Os EUA são um país protestante e os crentes são mais hipócritas que os católicos. Sim, eles conseguem essa façanha.

Como todo cristão, eles são covardes. Eles oprimem a mulher porque têm medo de um mundo dominado por elas. O que nós devemos fazer é confrontá-los. Devemos ridicularizar os símbolos deles para que eles percam sua força simbólica.
Eu vejo o feminismo enfrentar o catolicismo no Brasil já faz algum tempo, um bom exemplo foi na marcha das vadias, que foi muito bem sucedido.
Devemos usar aquele exemplo no confronto contra os crentes.
Agora é hora de focarmos nos protestantes, nos crentes, até porque eles são mais perigosos.

Anônimo disse...

Está certo o que fizeram. Se deixar a cena, vai eternizar uma mulher chupando um cara...como essa mulher vai conseguir um bom casamento depois disso??? Depois ela não arranja mais um homem para casar com ela - que homem iria aceitá-la depois de um episódio desses eternizado no cinema??? isso lá é coisa de mulher direita? - e acaba se tornando um peso para a sociedade, como tantas outras, dependendo do Estado para viver ou caçando marido rico para engravidar e ganhar pensão...aí dá a luz e já se separa, ou seja, mais uma família esfacelada para gerar problemas para a sociedade. Melhor cortar a cena e evitar tudo isso. Dessa forma, fica bom pra todo mundo. Abraço.

sandra disse...

eu nunca reparei nisso,nas cenas de sexo está o homem e a mulher transando,já com gays é bem óbvio,as pessoas ficam revoltadas só deles darem um selinho,sexo então...
mas sinceramente eu n vejo tanta cena de sexo sendo reprimida,tá dificil achar um filme que n tenha isso.
eu nem vejo mais filme junto com a familia porque é contrangedor ,as vezes o filme parece inocente ai do nada tem uma cena quase pornográfica,é apelação demais,os filmes hj em dia nem tem história direito,é sexo ou tripa para todos os lados.
por que n fazem um filme pornô de uma vez?

Anônimo disse...

Lola, não sabe o que acabei de descobrir! Quem é Barão Kageyama!
Ele na verdade é Ewerton de Oliveira!

https://www.facebook.com/ewerton.de.oliveira

hahaha

Patty Kirsche disse...

Bom, eu já tinha lido algo a respeito dos métodos de classificação indicativa nos EUA. Mas aqui no Brasil também existe uma distinção entre sexo vaginal, oral e anal para a classificação indicativa. Por incrível que pareça, no manual aparece que insinuação de sexo oral e/ou anal joga a classificação de um filme para maiores de 16 anos no Brasil. Não sei quem inventou que sexo vaginal é mais "aceitável", mas parece que é uma ideia de senso comum tão comum que é oficializada na classificação de filmes.

Eu nunca consegui assistir à cena do estupro em "Irreversível". Quando assisti ao filme, pulei. Vi até a hora em que o estuprador encostou o canivete no rosto da vítima. Aí eu comecei a ficar nervosa e pulei pra próxima cena. Mas o filme é todo desagradável, né? Aquela cena em que o trio principal está falando alto dentro do ônibus é mega incômoda. A ideia é interessante, mas acho que a cena do estupro é de fato desnecessária. Tenho uma sensação de que Cláudio Assis usa referências do Noé.

Anônimo disse...

Está certo o que fizeram. Se deixar a cena, vai eternizar uma mulher chupando um cara...como essa mulher vai conseguir um bom casamento depois disso???


--


A cena era de um cara fazendo sexo oral numa mulher, o que é bem incomum já que preferem liberar um filme com estupro do que com uma mulher recebendo sexo oral

Bia disse...

Lola, não sei de qual cinema você está falando.

Eu vou ao cinema todo fim de semana com meu namorado e, hoje em dia, TODO FILME TEM ALGUMA CENA DE SEXO e as vezes a cena é bem pesada, chega a ser desnecessária até.
Mas eu gosto, porque a cena sempre começa mostrando a bundinha do cara, e eu amoooo bumbuns masculinos.

Mas assim 90% dos filmes que nós vemos não são filmes americanos. Então eu não entendi muito seu post de hoje, não colou com minha realidade. Mas tudo bem, a amizade continua a mesma huahauahuuahhau.

Anônimo disse...

Esse post me deixou excitado. Eu sou um homem feminista e digo : chupar pepeca é a melhor coisa que já existiu. Vamos dar prazer às mulheres! Elas merecem! Viva as mulheres!

Anônimo disse...

sandra disse...

mas sinceramente eu n vejo tanta cena de sexo sendo reprimida,tá dificil achar um filme que n tenha isso.


A cena reprimida aqui é de uma mulher recebendo sexo oral. Quantas cenas assim vc viu em comparação a american pies da vida que mostram garotos recebendo? O filme Blue valentine teve o mesmo problema, me lembro do ryan gosling reclamando disso, de que preferem mostrarem uma mulher sendo violentada do que recendo prazer.


--
eu nem vejo mais filme junto com a familia porque é contrangedor ,as vezes o filme parece inocente ai do nada tem uma cena quase pornográfica,é apelação demais,os filmes hj em dia nem tem história direito,é sexo ou tripa para todos os lados.
por que n fazem um filme pornô de uma vez?


é pra isso que tem classificação de acordo coma faixa etária, etc. Como foi dito, homens recebem sexo oral, estupram, etc em filmes e ngm chia, mas ai de uma mulher sentir prazer

Roxy Carmichael disse...

estatísticas bem completas sobre mulheres em hollywood:

http://www.indiewire.com/article/gender-inequality-film-in-infographic-form

Patty Kirsche disse...

Anônimo das 15:04:

Larga mão de ser boca aberta, a Evan Rachel Wood já é casada. Se vc tivesse lido o texto saberia disso. Fora que vc só vomitou um monte de merda sobre as mulheres, que, todo mundo sabe, trabalham mais que homens. Mulheres efetuam 66% do trabalho do mundo, mas só recebem 11% da receita. Vai se informar, vai.

Anônimo disse...

n cansa se fazer de vitima sempre?pq uma cena foi cortada é ataque a todas as mulheres?
cadê o preconceito no filme cisne negro na cena de sexo oral entre duas mulheres?
ou na serie the L world,lésbicas se lambendo a toda hora.

Anônimo disse...

Realmente hoje em dia os filmes estão apelativos, cenas de sexo estão presentes no cinema o tempo todo. Mas, pessoal, a questão é que as cenas de sexo acontecem, mas as cenas de sexo onde o prazer feminino é o alvo é que são raras.
Adna Rosa

Mordred Paganini disse...

Evan Rachel estava na quarta temporada... A quarta temporada de true blood já foi faz tempo.

Sara disse...

Tem certas coisas que acontecem dentro dos Estados Unidos que fariam inveja a qualquer ditadura islâmica, há bem pouco tempo ouvi uma noticia, que fiquei vários minutos tentando assimilar pra ver se eu havia escutado bem, e se a noticia não provinha de algum pais muito atrasado e machista, mas não, era de lá mesmo.
Uma mulher que já havia se separado do marido violento e controlador foi morta por ele (alias como acontece a rodo aqui e lá), e pasmem ele foi inocentado mesmo tendo usado os meios mais cruéis, e O CANALHA do juiz teve a infinita cara de pau de consolar o assassino pois disse que o fato da mulher querer a separação definitiva do criminoso era uma "PROVOCAÇÃO".
Senti um grande desânimo de ver que essas coisas acontecem aqui e lá na suposta nação mais poderosa da terra.
As vezes penso que nós mulheres NUNCA teremos direito a nossa sexualidade, que estaremos sempre submetidas a uma sociedade machista , que vai eternamente nos julgar e castrar.

Viviane Hoffner disse...

No filme Cisne Negro, por exemplo, tem uma cena de uma mulher se masturbando.

Eu também não acho que exista essa censura ao prazer feminino nos filmes, acho exagero. Mas cada com sua opinião.

donadio disse...

"Mulheres efetuam 66% do trabalho do mundo, mas só recebem 11% da receita."

Onde a gente encontra esses dados?

donadio disse...

"No filme Cisne Negro, por exemplo, tem uma cena de uma mulher se masturbando."

No contexto do filme, esta pergunta tostines: ela está se masturbando por que está enlouquecendo, ou está enlouquecendo por que está se masturbando?

Lu disse...

A cena do oral em Cisne Negro é entre duas mulheres, claro que não iam censurar, porque (claro!) o público masculino não chia, pelo contrário. A censura desse filme da Evan Rachel mostra claramente que o problema é o homem estar numa posição "inferior", dando ao invés de receber prazer. E o nome do seriado é The L WORD, não world.

Anônimo disse...

Essa serie true blood é um lixo sem sentido, é pornografia de vampiros.

Anônimo disse...

Tem certas coisas que acontecem dentro dos Estados Unidos que fariam inveja a qualquer ditadura islâmica, há bem pouco tempo ouvi uma noticia, que fiquei vários minutos tentando assimilar pra ver se eu havia escutado bem, e se a noticia não provinha de algum pais muito atrasado e machista, mas não, era de lá mesmo.
Uma mulher que já havia se separado do marido violento e controlador foi morta por ele (alias como acontece a rodo aqui e lá), e pasmem ele foi inocentado mesmo tendo usado os meios mais cruéis, e O CANALHA do juiz teve a infinita cara de pau de consolar o assassino pois disse que o fato da mulher querer a separação definitiva do criminoso era uma "PROVOCAÇÃO".
Senti um grande desânimo de ver que essas coisas acontecem aqui e lá na suposta nação mais poderosa da terra.
As vezes penso que nós mulheres NUNCA teremos direito a nossa sexualidade, que estaremos sempre submetidas a uma sociedade machista , que vai eternamente nos julgar e castrar.

-----------
Os EUA são um país que não se deve ser generalizado. Os estados são independentes e foram colonizados de formas distintas.

Maria Fernanda Lamim disse...

Gente, esse anonimo das 15:04 nunca ouviu falar em "trabalho de atriz", nao? Como assim a Evan Rachel ia ficar "eternizada" chupando ou sendo chupada? E um filme, amigao. E ficcao! Nao e ela, e a personagem! Entao o ator que fez o Norman Bates em "Psicose" jamais tera amigos, pq ficou eternizado como um assassino maluco....a Daryl Hanna.tera pra sempre um rabo de peixe.....afe, e cada perola que a gente le!
De resto, adorei a atriz, acho que ela tem razao qd afirma que o problema e a mulher tendo prazer, nao o sexo em si.

Erres Errantes disse...

"O historiador desempregado Felipe Pasqua" rsrsrsrs...
Seria cômico se não fosse trágico.
Também sou uma historiadora desempregada.

vitor disse...

incrível! seja qual for a situação vcs querem pagar de vítima!
nos filmes onde tem cena de sexo,o cara tá transando com ele mesmo? eu acho que sempre tem uma mulher aparentando estar sentindo prazer.

se tem 2 mulheres fazendo sexo é só para nos agradar,essa serie true blood tá cheio de mulher se masturbando,deve ser para agradar os homens tb.

vi o filme "o golpista do ano",com o jim carry,o personagem dele era gay e tinha cenas de sexo anal,novamente deve ser para agradar exclusivamente os homens.

se n tem cena de mulher reclamam,se tem tb reclamam.

Erres Errantes disse...

Mas falando do que interessa...
Não lembro da Evan em True Blood.
É realmente curioso que tenham censurado a cena de sexo oral. E é inevitável pensar que a censura se deveu ao fato de o sexo oral em questão ter sido feito numa mulher. Inclusive, tem vários filmes com cenas de sexo oral em homens que passaram incólumes pela censura.
Entretanto, me lembrei daquela cena de Cisne Negro, em que Mila Kunis faz sexo oral em Natalie Portman, e a sequência passou inteirinha. Talvez tenha passado pelo fato de a cena apresentar duas atrizes jovens e bonitas se pegando, ou seja, um fetiche universal da fantasia masculina.
Mas enfim, vai saber quais são os critérios da indústria cinematográfica.

Anônimo disse...

Não vejo tanta censura . Todo fílme de terror tem mulher transando no mato , filme de ação o valen ão transa cm uma mulher sedutora, e nas séries também tem muita pornografy. Em THE L WORD a mulherada transa umas cm as outras o tempo todo nuas, escancaradas,se chupam e se lambem, se beijam sem censura.

Lu disse...

Ai pelo amor, o problema da censura foi o homem ter feito oral numa mulher, não tem a ver com cenas explícitas, não tem a ver com oral nos homens, não tem a ver com oral lésbico, mas sim UM HOMEM FAZENDO EM UMA MULHER! Se rolar uma cena assim em filme (porque censura de filme e de seriado é diferente) é naqueles em que o cara é o sedutor Don Juan e olhe lá. Não tem nada a ver falar de The L Word e True Blood aqui

Anônimo disse...

Oi Lola viu que agora vão fazer uma versão masculina pro Lulu veja

http://www.cartacapital.com.br/blogs/blog-do-lino/aplicativo-que-avaliara-mulheres-promete-201cvinganca201d-ao-lulu-3866.html

Anônimo disse...

Um sujeito com quem eu transei há um tempo atrás - e que até então considerava um cara super inteligente - chegou "lá" antes de mim. Quando eu pedi que ele "terminasse o serviço" de alguma forma, ele virou pra mim e disse: "eu? e passar esse recibo de pau pequeno?" Até hoje não sei o que me deixar na mão dizia de tão melhor sobre ele...

Leandro disse...

Se quer ver filmes com cenas de sexo explícito, e então vai ver filme pornográfico.

Não dá pra entender as feministas: vivem protestando contra a pornografia, a Playboy, contra o Hefner; e agora querem que Hollywood passe filmes pornográficos (cenas de sexo oral, é pornografia).

Feministas são subversivas, e isso a autora deste blog deixou bem claro no seu post do dia 29 de novembro: "Quero subverter completamente o sistema." Então, faça o que fizer, vão reclamar. Se passar cenas com sexo explícito, reclamam. Se não, reclamam também. Pois o negócio é "reclamar", é "protestar", é "subverter o sistema". Não interessa com que artimanha, mas o negócio é "subverter completamente o sistema". Está bem claro isso aqui. Não se dá ouvidos a gente subversiva. Hollywood tem que tocar o foda-se pro feminismo e o politicamente correto...

Anônimo disse...

Sempre que a caixa de comentários da Lola toma um rumo que ela não gosta, ela começa a postar anonimamente para ajudar ela mesma.
Mais alguém além de mim já reparou nisso?

J.M. disse...

Ê,mascuzão das 01:34 que faltou às aulas de interpretação de texto: a discussão é sobre a censura de cenas em que a MULHER RECEBE PRAZER de um HOMEM e não de cenas de sexo explícito em geral. Entendeu? Precisa de um desenho?

Babi disse...

Isso é papo pra garantir bilheteria.Lembram da novela Salve Jorge,fizeram uma alarde tremendo por causa de uma suposta cena onde uma traficada,interpretada por Carolina Dieckman seria estuprada.O assunto bombou na tv,na internet,no final não exibiram nada,e vieram com o papo de que a cena era forte demais.Com certeza nunca foi filmada,como essa tal cena de sexo oral também deve ser pura invenção.
Não acreditem em tudo que lêem,sejam menos ingênuas.

Anônimo disse...

Nos filmes a mulher também demonstra ter prazer nem tudo é censura para castrar as mulheres. Sou feminista mas não fanática ao pensar que o mundo conspira contra a gente nê? A exposição vejo equilibrada. Se é cena de estupro mostram o sofrimento, se ê sexo conscentido mostram também o prazer . Calma gente !

Anônimo disse...

vendo como vcs ignoram as cenas de sexo de mulheres com mulheres/mulheres com homens/mulheres se masturbando dizendo que é tudo para o prazer dos homens e ainda alegam que só pq essa cena do filme foi cortada,n existe mulher recebendo sexo oral em filme nenhum.
tenho que concordar com o leandro q o negócio de vcs é reclamar,e se essa cena tivesse sido permitida,vcs daria um jeito de dizer q ela é opressiva,para poderem choramingar mais um pouco sobre como a mulher é atacada nesse mundo.

Anônimo disse...

Tirando a indústria pornográfica no Brasil é pior o nu artistico que falam é uma atriz no banho num box semitransparente . Qual novela ou minissérie mostrou corpos nus? O màximo que chega é beijos calientes e cada um enrolado num lençol e aí é ditadura contra o prazer feminino? E se mostrassem mais? Diriam o quê? Exploração sexual,exploração da nudez? Constrangimento á mulher? Não entendi a idéia do post.

Carla Fonseca disse...

Eu nunca tinha pensado nisso até me deparar com algumas cenas de homem fazendo horal em mulher na série Weeds, inclusive uma em que a personagem principal chega excitada, tira a calcinha e põe as pernas nos ombros do cara, praticamento mandando ele fazer. Qdo eu vi eu fiquei chocada, daí fiquei espantada com o meu espanto! Porque aquela cena era nova pra mim e parecia que tinha alguma coisa errada. O problema é esse, a gente achar que tem alguma coisa errada em uma mulher querer ter prazer. Bom, não é à toa que o Netflix coloca esta série na categoria "Dramas para TV retratando uma forte protagonista feminina". Evan Rachel WoodEvan Rachel Wood está de parabéns, conseguiu expor a essência do problema! O autor do post tbém, texto muito bem escrito e organizado, obrigada!

Fernanda disse...

A arte é livre. O sexo também. Saudavel, natural, muito bom para quem gosta. Por que diabos os filmes deveriam esconder esta que é uma parte essencial da vida humana? Basta ler um pouquinho para saber que o sexo e toda as relações que derivam dele são a base de inumeros conflitos (no sentido dramatico do termo). Sexo é um tema riquissimo, a maneira como ele determina as relações, as tensões entre os personagens, os desejos: é praticamente impossivel não recorrer a ele para criar uma boa dramaturgia.

E quando bem filmado, é uma beleza. Efeito estético, erotico, realmente um prazer assistir.

Agora o problema não esta no sexo explicito ou não, na quantidade de cenas de sexo por filme, nem nada disso. O problema é exatamente o abordado pela atriz: até hoje a mulher não pode ter prazer? É sério isso? O cara fazendo sexo oral na mulher ainda é visto com preconceito??? O prazer da mulher é menor??? Ai, ai. Ô preguiça dessa humanidade.

Quem abordou muito bem isso (alias, naquela série TUDO era muito bem abordado, God bless David Chase now and forever!!!)foi em Sopranos. O tio Junior faz sexo oral numa namorada mas pede pelo amor de Deus pra ela não contar pra ninguém. Bom, a noticia acaba se espalhando e isso vira uma arma de destruição em massa nas mãos de seu sobrinho, Tony. Impressionante como o Chase usou essa série pra esfregar na cara da sociedade (principalmente americana) os seus preconceitos nojentos, as suas incoerências, as suas convenções nefastas. Foi uma bela passagem, essa do sexo oral em Sopranos.

lola aronovich disse...

ÊÊÊ, anon das 3:29, que comentário anônimo eu postei aqui (e em todos os outros posts)? Aponta pra mim, por favor! Eu não tenho tempo nem pra dormir, e vou ficar postando comentário anônimo?! Eu assino tudo que digo e escrevo. Eu tenho nome, tenho rosto. Essa é uma das diferenças entre vc e eu. Eu não comento anonimamente em nenhum lugar desde... desde... não lembro quando! Acho que desde 2007, quando fui comentar num blog de finanças americano e tive que falar de dinheiro que eu tinha guardado.
E mais: sabe quando a conversa numa caixa de comentários toma um rumo que eu não gosto? Quando vem mascutroll atacar. Mas aí em geral eu modero e não publico. De resto, a caixa de coment é um espaço de debates. Eu não controlo. E gosto assim.

Fernanda disse...

Pro Anônimo das 15h41 que ama "chupar pepeca": bora trocar telefone? Acho que a gente vai se entender bem!

Hahahahahahahaha!!!!

Anônimo disse...

Qual é o drama em censurarem uma cena de sexo oral já que feministas são contra a pornografia?

Mordred Paganini disse...

Como tem gente burra no mundo, meldels!

Sério que fica tão difícil aqui entender que:

1 - A questão não é se deve ou não haver sexo tela.

2 - A questão não é se alguma vez apareceu alguma cena de sexo oral em uma mulher.

3 - A questão é que um HOMEM dando prazer a uma MULHER cause tanto incomodo, haja visto que foi ok liberar 10 minutos de cena de estupro.

E citaram aqui ainda mais um exemplo, que foi Blue Valentine.

Fábio Henrique disse...

Eu sempre gostei de lamber a tampa do danone, ate porque e uma ótima tática para ter retribuiçao em dobro.^~^

Quanto a estas putarias que vemos hoje em todos os filmes,novelas, meios e estilos musicais, entretenimento em geral,isto e o grande culpado para vermos crianças de 7,8 anos altamente sexualizadas,menininhas fazendo quadradinho de 8 na 3 serie e os cambau, de forma precoce hoje em dia. a porcaria da geração prafrentex dos anos 70/80 parece aquele garotinho retardado que aprendeu a falar um palavrão, e fica repitindo em todo canto para constrenger os pais.

Hoje vejo que o lobão era um profeta quando dizia no final dos anos 90;" A Xuxa esta formando uma geração de prostitutas mirins"
E formou mesmo.

carlos disse...

A questão é que um HOMEM dando prazer a uma MULHER cause tanto incomodo, haja visto que foi ok liberar 10 minutos de cena de estupro.

sim é drama,só porque uma cena foi cortada para vcs estão atacando todas as mulheres do mundo e o seu prazer,como se mais ninguém tivesse tido cena cortada em algum filme.


fernanda,também é natural do ser humano defecar,urinar,vomitar,peidar e nada disso é mostrado direto nos filmes,pq será? deve ser pq é uma coisa intima e ninguém tem que ver isso.
dá muito bem para fazer uma cena que dê a entender q o casal transou mas ultimamente é só pornografia desnecessária.
seja qual for o tema do filme,terror,comédia,romance,sempre tem um pornô no meio.

se eu alugo filme de terror,eu quero ver uma historia q assuste,n quero ver sexo explicito,eu sou mais um que só vê filme sozinho pq o constrangimento é grande.

Anônimo disse...

Pessoal dando o exemplo da cena de Cisne Negro, mas gente, a Natalie Portman e a Mila Kunis de calcinha e soutien se pegando, vcs acham que esta cena agrada a quem em especifico?? é a fantasia sexual de todo cara sendo realizada em alguns minutos, jura q iam censurar!! agora, conto nos dedos de uma mão as vezes q lembro de ver uma cena de um homem fazendo sexo oral em uma mulher...já o contrário...

Anônimo disse...


fernanda,também é natural do ser humano defecar,urinar,vomitar,peidar e nada disso é mostrado direto nos filmes,pq será? deve ser pq é uma coisa intima e ninguém tem que ver isso.


--


tsc tsc Interessante que sexo oral só fica nojento assim quando é feito numa mulher né? Porque a quantidade de vezes que vemos homens recebendo é ridículo. O filme com certeza não ia ser pornográfico, iria apenas mostrar por alto a cena (que nem em Blue Valentine por ex). Mas parece que é só falar em prazer feminino que nos mandam assistir um pornô.. (ou melhor ainda, L word e cisne negro aff)

Lillian disse...

Eu acho que muita gente não entendeu qual foi o cerne da reclamação da Evan Rachel Wood. O problema não é a cena de sexo oral em si, e sim o que é tolerado em cada faixa de censura. Um filme que almeja censura PG 13 pode ter tiros e explosões à vontade, mas se tiver uma ceninha mais picante, os produtores terão de cortá-la para não passar para uma categoria mais rígida. Isso por si só é preocupante, pois, segundo os censores, tudo bem expor adolescentes a tiros e mortes, mas a amassos, não (é o país da educação sexual baseada na abstinência e do belicismo, gente...).

Agora vem o que eu imagino ser a grande bomba: sexo oral em mulheres e em homens ocupam lugares diferentes na censura. Um filme com sugestão de boquete pode levar, sei lá, PG13, enquanto um filme que mostra sexo oral numa garota deve levar R ou NC-17. Isso é deveras preocupante em muitos níveis, afinal, mostra que o prazer dos homens é trivial, enquanto, das mulheres, é subversivo e errado. Daí a revolta da atriz: provavelmente os produtores estavam almejando uma determinada censura e tiveram de cortar a cena de sexo oral para consegui-la, porém, caso a cena de sexo oral fosse num homem, provavelmente não haveria problemas para aquela faixa. Vão me desculpar, mas isso sim é machismo e sim, é preocupante. E para quem usou como exemplo Cisne Negro, o filme recebeu a categoria NC-17, a mais rígida, por isso que a cena entre a Natalie Portman e a Mila Kunis é mostrada livremente.

Quanto às cenas de sexo nos filmes, no cinema americano e mais especificamente nos filmes que almejam grandes bilheterias, elas estão desaparecendo. Quanto menor a censura, maior é o público, maior é a bilheteria. Nos filmes de ação blockbuster da década de 80 sempre tinha uma ceninha mais picante. Hoje, se tiver beijo de língua, já é muito. Não sei se é porque o público alvo dos filmes de hoje é mais jovem, ou porque a censura anda pegando mais pesado. Mas as cenas de sexo no cinema estão sendo censuradas, sim. Enquanto os tiros e explosões continuam livres - quando num mundo saudável, deveria ser o oposto.

MonaLisa disse...

Estou chocada com alguns comentários, não sabia que fazer sexo oral em uma mulher era tabu ou nojento pra homens.

Todos os parceiros que tive, ateh machistas (disfarçados) nunca se recusaram a fazer sexo oral em mim e eu sempre peço pra fazer antes bem feito, senão não tenho vontade de transar.

Alias, ontem mesmo em um role, um colega meu que eh bissexual disse que adora chupar buceta, que adora mulher gozando na boca dele. E depois os machistas vem dizer que eles eh que gostam de mulher. tsc

Anônimo disse...

Sawl - The Rebel

Parabéns pela coragem da Evan. Menina linda, talentosa e corajosa, sem falar que ela e o Jamie são um casal bem desencanado em vista que ela fez cenas ousadas neste já polêmico filme com o Shia e o Jamie tá em "Ninfomaníaca"(será lançado em breve) em cenas bem ousadas com a Charlote Gainsbourg.

De boa NUNCA vi tanto homem inseguro, indeciso e assustado com algo tão SIMPLES, dar prazer à uma mulher!!
Desde muitos mascus idiotas que postaram aqui até os responsáveis pela censura de filmes(e claro, a maioria dos censores são HOMENS)!!
Sou à favor de todo tipo de relacionamento e não me interpretem como homofóbica e sim SINCERA! As cenas lésbicas são voltados muito mais pro público masculino do que pras próprias lésbicas em si! Apenas a série nacional Alice mostrou um casal de duas mulheres belas, porém, de meia idade e de beleza e aparência comuns!!!
"The L Word" e "Cisne Negro" as atrizes são jovens e lindas! No filme "A Trapaça", mulher e amante de um dos personagens, vividas pelas belíssimas Jennifer Lawrence e Amy Adams, terão um envolvimento homossexual!!!
As cenas e personagens lésbicas que existem em boa parte dos filmes são criadas pra fetiche masculino, pra atrair os homens e NÃO pra mostrar um contexto dramático daquelas personagens!!!
A questão, como alguns babaquinhas não entenderam, NÃO é sobre "pornografia"!!! É sobre cenas em que homens dão prazer às mulheres. Mascus idiotas, é tão difícil usar o cérebro assim?!!
Vamos ver o seguinte, dificilmente vemos homens reclamando de filmes onde mulheres são ESTUPRADAS!!
Dificilmente vemos filmes tendo o tradicional boquete masculino sendo censurado!!!
Dificilmente há censura pra atrizes peladas e totalmente arreganhadas!!
Dificilmente há censura quando tem cena de mulher tratada como boneca inflável...
E NÃO, não to falando de filmes pornôs, estou falando de cinema convencional!!!
Mas, homem pelado? Poucos filmes, e claro, se mostra mais a bunda e rapidamente(exceções honrosas: A Cor da Noite, Em Carne Viva e Shame onde os atores tem nudez frontal e mesmo assim as cenas foram mostradas completas em DVD, os cinemas americanos censuraram!).
Homem por baixo da mulher durante uma transa? Também não lembro de nenhum!
Homem fazendo boquete na mulher? Se alguém lembrar me AVISE!!!
Porque é tão difícil pra esse povinho pseudo-moralista e hipócrita que mulher é tão ser humano como o homem e gosta SIM de ter prazer, ter orgasmo e que gosta de homens que dêem prazer, e que o homem mais MACHO que existe é aquele que pensa MUITO mais no prazer de sua parceira, no que o seu próprio.

Reflitam.

Sawl