domingo, 17 de novembro de 2013

CHAMAR PESSOAS DE MENTIROSAS TEM PERNA CURTA

Às vezes eu fico perplexa ao notar como tem gente que não consegue interpretar um texto, ou que nega evidências mesmo quando elas estão lá na sua cara. Por exemplo, você apresenta uma estatística dizendo que, entre 2003 e 2007, em Santa Maria, 97% dos causadores de acidentes com alta gravidade eram homens. 
Não tem muito o que discutir, certo? Claro, deve-se discutir o que provoca esse quadro (por que homens cometem muito mais acidentes fatais de trânsito do que mulheres) e como transformá-lo. Mas aí um rapaz não muito inteligente me diz que esse número pode ser facilmente explicado: crianças também não cometem acidentes fatais, porque criança não dirige. O mesmo com mulheres. Taran... Fatality! (e, pra provar que estamos na Arábia Saudita, o rapaz ainda apresenta um argumento irrefutável: "Vai ver na rua quem está no volante! Só homens!").
Mas esse pelo menos tentou argumentar. Melhor que os outros duzentos que me mandaram links de notícias em que alguma mulher cometeu um acidente de trânsito (provavelmente não fatal). Porque um caso individual certamente comprova que a estatística dos 97% está errada! E isso é feito sempre que uma pessoa se depara com uma estatística com a qual não concorda. 99,6% das 7,762 participantes de uma pesquisa (não científica) disseram já ter sido assediadas na rua? Impossível, diz um homem machista: ninguém assedia mulheres feias e gordas! (aham, por supuesto: e só mulheres jovens e belas são estupradas). 
Bem, outro dia percebi que um mascu fez um Twitter só pra interagir com o meu twitter, o que é um pouco estranho, porque eu o bloqueei já na primeira mensagem que recebi dele. Mas, numa pausa, fui lá fuçar depois de uns dias só pra me divertir com o que o Ovo (como são chamados os usuários do Twitter que nem sequer colocam uma imagem no perfil) havia escrito para e sobre mim. E aí, entre dezenas de insultos e acusações, encontro este tuíte:
E eu tive que clicar no "Ver conversação" pra entender que tuíte meu havia revoltado tanto o rapaz. Devia ter sido algum em que eu dava uma opinião muito forte e polêmica, pra que o cara decretasse que tudo eu disse na vida é mentira. Então... foi este tuíte aqui:
"Lily Allen volta à ativa c/vídeo q ataca machismo na indúst musical: It's hard out here for a bitch. via @littlejoia"
Qual pode ter sido a terrível mentira que eu disse?
1) Lily Allen não voltou à ativa. Ela nunca foi embora? Ou ela se aposentou de vez? Sei lá, eu nem sei quem é Lily Allen.
2) Não é um vídeo. É um clip? Uma música?
3) O vídeo não ataca o machismo. 
4) Ok, o vídeo ataca o machismo, mas não na indústria musical, só numa outra indústria qualquer. 
5) O vídeo não se chama "It's hard out here (for a bitch)". 
6) Não foi a littlejoia que me encaminhou o vídeo. 
Digamos que alguma dessas afirmativas citadas acima estivesse errada. Erros não são necessariamente mentiras, são? Pra mim, mentira tem que ser proposital. Como eu não minto, sou bem cuidadosa antes de acusar outra pessoa de mentirosa. Porque eu acho que, se a pessoa acredita no que está dizendo, ela de repente não está mentindo. Eu creio que os mascus, por exemplo, realmente acreditam no universo alternativo que criaram. Eu acredito que eles acreditam que vivemos num matriarcado, numa sociedade b*cetista, num mundo vaginante, chamem como quiser. Só porque eles são lunáticos ensandecidos não quer dizer que sejam sempre mentirosos. 
E tem aquilo de você repetir uma mentira até que ela se torne verdade. Reaças de modo geral adoram fazer isso. Eu acredito que boa parte dos reaças que querem reescrever a História e insistem que o nazismo foi de esquerda, não de direita, realmente acreditam nessa mentira. É bem provável que quem começou essa lenda (que hoje é quase uma unanimidade entre o pessoal da direita) sabia que estava mentindo. Mas quem a repete deve ter se convencido. O que obviamente não quer dizer que estejam certos. 
É um pouco diferente de um sujeito como o Danilo Gentili, por exemplo, dizer que sou, além de "gorda nojenta" (uma opinião dele que diz muito sobre o que ele acha de pessoas gordas, ou de mulheres que discordam dele de modo geral), "blogueira paga pelo PT". Isso é mentira na cara dura mesmo. Eu não acredito que o Gentil realmente acredite que quem o critica só pode estar sendo pago pra isso. Porque, né, haja dinheiro. 
Eu pessoalmente não conheço nenhum blogueiro que receba dinheiro do PT pra criticar pessoas de direita. Também não conheço nenhum blogueiro que receba dinheiro do PSDB pra criticar pessoas de esquerda. Há rumores, claro, mas seria leviano dizer, sem provas, que um blogueiro é pago por um partido pra atacar outro. Agora, conheço vários nomes que são pagos pelo Instituto Millenium (um think tank da direita brasileira composto por homens brancos) pra dar palestras atacando a esquerda. (Conheço blogs -- não é o caso do meu -- que recebem propaganda de institutos ligados ao governo federal. Mas, até aí, a Veja, a Globo, a Folha, também recebem, e incomparavelmente mais).
No caso do tuíte meu que deixou o mascutroll indignado, imagino (mas não dá pra ter certeza) que o que fez com que ele me chamasse de mentirosa (pela 1,784a vez) foi o teor do vídeo, "It's hard out here for a bitch" (é difícil ser uma vadia, ou algo assim). Suponho que o rapaz pense que é fácil ser vadia. Mas meu tuíte era meramente informativo. Não julguei o vídeo (depois vi que muita gente achou o clip racista, no que concordo totalmente), não entrei na discussão se é fácil ou não ser vadia. Isso quem está dizendo é o vídeo, não eu. E o tuíte é "verdadeiro", ué. 
Estou usando o troll como exemplo, mas já vi muita gente mais inteligente (inclusive feministas) fazer a mesma coisa -- uma pessoa não gosta da outra, por N motivos, e por causa disso acusa a outra de mau caráter e mentirosa. Esta, pra mim, não é uma tática muito honesta, nem produtiva. Porque se você diz que uma pessoa mentiu, ok, tem gente que vai aceitar a sua palavra sem hesitar e concordar que aquela pessoa mentiu. Mas também haverá gente que checará a história e se perguntará: "Mas onde está a mentira?" 
Ser ignorante, pra mim, é diferente de ser mentiroso. Um idiota qualquer que usa termos como feminazis e gayzistas ou gaystapo, numa tentativa ridícula de associar o nazismo com pessoas (feministas e gays) que foram vítimas do nazismo, de dizer que movimentos revolucionários que lutam por direitos de grupos historicamente discriminados são tão ruins como um regime que matou milhões de pessoas, não é necessariamente mentiroso. 
É incrivelmente ignorante (ou eu que sou muito ingênua?). Quem usa esses termos, e tantos outros, está automaticamente se auto-carimbando com um grande "otário" na testa. 
E evidentemente que discordar de alguém não faz da outra pessoa uma mentirosa. Só acho que a gente tem que pensar duas vezes antes de dizer que alguém está mentindo. 

78 comentários:

Sergio Matos de Souza disse...

Mulheres batem menos pq lentas correm menos, nos cruzamentos mal conseguem ir em frente. Dirão que são precavidas, mas na verdade são devagar mesmo. E não é pq não dirigem, hoje tem muitas, mas a verdade se tem homem ao lado, eles que dirigem, ou seja, a probabilidade cai, pq tem muito homem a mais dirigindo. Só que usando de estatística, mulher tem que mostrar superioridade feminista nisso né? Pq esse preconceito aos homens? Já se tocou que querendo combater o machismo, se mostra é sectária do feminino, quando devia pregar a conciliação? Reveja sua posição radical e quem será seu marido tendoessa sua visão parcial...

Camila Fernandes disse...

Acabei de assitir o video e, de fato, o racismo nele me incomoda MUITO.

As cenas me fizeram pensar, de imediato, em alguns clipes de rap imensamente machistas. Inclusive, logo que vi o título, eu o liguei à "It's hard out here for a pimp", da trilha sonora de "Hustle & Flow" (e vencedora do Oscar, se não me engano). Eu entendo que a intenção dela tenha sido criticar o racismo, mas, realmente, do jeito que foi feito, pareceu terrível para mim. Algo que fez eu me sentir muito mal foi, em nenhum momento, ela ter dado voz às dançarinas negras que ela usa (citando o texto que você linkou) praticamente como meros "objetos de cena". Sei que também foram "usadas" dançarinas brancas, porém, acredito que seja ainda mais problemático observando toda a questão racial.

Mesmo ela tentando combater slut shaming, é o que ela faz. "Don't need to sahke my ass for you, because I got a brain"? Hm, porque eu não posso ter um cérebro E "rebolar"? Criticar o machismo detonando outras mulheres, e não o sistema, não me parece muito válido, mesmo.

Concordo que a música tem méritos, embora tenha problemas quase tão graves quanto. Gosto bastante da Lily Allen, mas ainda preciso resolver se gosto particularmente dessa música (o clipe não, esse já ficou entalado na garganta e não desce mesmo).

Drica Leal disse...

Muito mais homens dirigindo? De onde você tirou essa informação, Sergio Matos? Isso até pode acontecer em cidades pequenas, mas nas metrópoles, onde se concentra a maioria esmagadora de acidentes de trânsito, que temos é uma proporção nacional de cerca de 33% de mulheres motoristas nas ruas (em algumas cudades, esse percentual sobe bastante). Estranho que 67% dos motoristas sejam responsáveis por quase todos os acidentes fatais, não? Essa questão de mulheres serem lentas ou precavidas é irrelevante tendo em vista que a maneira que os homens dirigem, "velozes ou habilidosos" está ocasionando uma serie de desastres. Que vantagem masculina é essa de ser mais rápido ou habilidoso no trânsito e em compensasão matar, mutilar, destruir muito mais ao volante? Você poderia me explicar diante desse quadro qual a vantagem da maneira "masculina" (e a desvantagem da maneira "feminina") de encarar o trânsito e dirigir?

Fernanda disse...

Nossa, Sergio... é sério? Você acredita MESMO nisso? Você acha mesmo que mulher participa radcialmente menos nos acidentes de trânsito porque elas são lentas?

Que pena. Que pena mesmo. Coitada da mulher que estiver ao seu lado.

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Acho que você faz bem de bloquear e não discutir com gente assim.
É perda de tempo. A pessoa não quer aceitar e pronto.
Uma coisa é não concordar, tentar argumentar com educação, mas isso é tão raro, principalmente quando se trata de uma mulher.
Machistas ficam tão fulos quando vêem uma mulher falando algo com que eles não concordam que só sabem partir pra deboches bobos, agressões de quinta série. Quando é homem ainda tentam argumentar, mas quando é mulher é so xingar, é misoginia demais.
É só ver em qualquer site de notícias ou de artigos como eles se comportam quando uma mulher escreve qualquer coisa que eles não gostam.

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Essa eu nem entendi. Mas se a pessoa é muito lenta no trânsito, não vai dar conta de fazer manobras a tempo e vai provocar acidentes, se mal consegue ir em frente em cruzamentos, carro vai voltar e também vai provocar vários acidentes.
E se a mulher tá dirigindo, mas tem um cara do lado, é ele que tá dirigindo pra ela? rsrsrs
E em nenhum momento Lola falou de superioridade feminina, fala é de uma cultura que faz com que homens dirijam de forma mais perigosa, por isso acabam se arriscando mais. Bebe e dirige, porque homem tem que ter carro, não pode ir pra boate de carona, táxi ou ônibus; corre porque dirigir na velocidade adequada (que eles chamam de lenta) é coisa de mulher, etc.
Machismo é mesmo doença, prejudica até no entendimento de qualquer texto.

Anônimo disse...

Reveja sua posição radical e quem será seu marido tendo essa sua visão parcial...

rsrsrs... Eu entendi direito? O cara está ameaçando a Lola de ficar sem marido?
Machistas conhecem outros xingamento além de gorda, feia, vadia, mal comida e outra ameaça além de "nenhum homem (machista) vai te querer se você continuar assim?"
Sério, porque nunca sai disso.
E se dão importância demais né.

RavenClaw~ disse...

Ai Lola, como tu aguenta? Tem que ter mta paciência...

Anônimo disse...

Na verdade mulheres até comete mais acidente, porém acidente de mulher é besteirinha, quando muito amassa o parachoque, coisa que qualquer martelinho de ouro resolve em meia hora. O problema é que o acidente masculino tem muito a ver com aquela pose de homem "machão", e são causados por tentativas falhas de demostrar virilidade.

Hamanndah disse...

Reveja os posts antigos de Lola e verá que ela é muito bem casada...Esposas de mascus tem medo de apanhar e ficarem numa cadeira de rodas, como Maria da Penha, por isso esposas de mascus - como, talvez, a sua, sao tao submissas e apagadas, por medo e não por amor. Que tesão. vcs, mascus, conseguem sentir por capachos? Não consigo entender....

Leandro disse...

É uma fraude estatística. O número de homens que dirigem é muito maior do que o número de mulheres que dirigem, então é óbvio que os homens causarão mais acidentes. O que se teria que fazer é pegar o número de mulheres que dirigem e o número de homens que dirigem, pegar o número de acidentes provocados pelas mulheres e o número de acidentes provocados pelos homens e calcular o percentual de mulheres que provocam acidentes (com relação o número total de mulheres que dirigem) e calcular o percentual de homens que provocam acidentes (com relação ao número total de homens que dirigem), e comparar....

Jheny Schecter disse...

Cuma é rapaz? Mulheres são lentas? O fato da mulher ser mais atenciosa e educada no trânsito não a torna lenta ou boba . Os homens dirigem mais rápido porque a maioria infrige a lei: 60kms numa pista de 40,100 numa pista de 80kms. E aí? Esse cara ta tendo raciocínio ao ultrapassar a velocidade permitida? Ta raciociocinando ultrapassando sinal vermelho? Um individuo com essa caracteristica ta usando o veiculo como arma então ele nem se quer tem mentalidae.

Motoqueira Fantasma disse...

Sem mariduuu! Se for para ter um marido que nem você todas nós ficariamos encalhadas. A Lola tem marido Ralph ETeimoso.
kikikikiki

Verô! disse...

Sérgio Matos de Souza,

Sabe, quando eu acho que posso escrever algo muito grotesco e absurdo eu prefiro me calar pois tenho vergonha. Muitas pessoas quando escrevem na internet não percebem que serão lidas por outras e quando o comentário é muito patético serão lidas e ridicularizadas. Por exemplo, agora que li o seu comentário estou morrendo de rir da sua estupidez, acho que estou até com um pouco de vergonha alheia. Tome isso como uma sugestão: com esses pensamentos ridículos seus é melhor escrever o que você pensa em diários! Não se esqueça de todos os meses queimar o diário do mês passado evitando assim que suas palavras acidentalmente sejam lidas por terceiros e provoquem crises incontroláveis de risos.

Lembre-se sempre dos mascus frustrados que escrevem pela internet. Ocasionalmente a Lola nos alegra com algumas das tolices que eles escrevem e assim temos uma enorme descarga de humor baseado na ignorância dos mascus. Você quer virar mais um mascuzinho de estimação? Você quer ser motivo de piada? Não, né? Então saiba que é realmente dispensável escrever sua opinião.

Agora, Serginho boy, tome um mingau para se acalmar e vá dormir.

Verô! disse...

Lola,

Eu acho que as agressões do D. Gentili são gravíssimas e você deveria pensar num processo contra ele. A acusação de que você recebe dinheiro do PT é uma mentira séria e merece uma resposta. Embora imagino que você não se incomode por ele te chamar de gorda (eu tb não me incomodaria, é tipo xingamento de mimadinhos "boba, chata e feia") esse tipo de comentário do senhorzinho afeta milhões de mulheres todos os dias, se você o processar será algo maior do que uma resposta pessoal às agressões dele, você estará lavando a alma de muita gente e mostrará que não, ele não pode escrever o que quer sem responder pelo o que escreve.

Abração.

Camila Malheiros disse...

Bom, ficou provado que eu estava certa. A única medida eficaz para diminuir a violência no trânsito é aumentar a idade masculina para tirar carta para 25 anos.
Homens jovens + automóvel = mortes. Quem discorda disso pode escrever automaticamente a palavra "mascu" na testa.
Nós feministas devemos divulgar essa ideia e lutar para que essa lei seja aprovada. Assim, estaremos salvando várias vidas.

Marcia Baratto disse...

Só rindo mesmo. Agora sobre as estatísticas, a ponderação entre o número de vítimas e o gênero das motoristas é levada em conta pelo Detran, que é o órgão que coordena ou solicita este tipo de pesquisa.

No DF, por exemplo, elas são 36,9% dos motoristas. Com relação a percentagem de acidentes fatais envolvendo mulheres, elas representam 10,9% das vítimas. http://g1.globo.com/distrito-federal/noticia/2012/03/mulheres-sao-369-dos-motoristas-habilitados-no-df-diz-detran.html

Os órgãos oficiais são unânimes em declarar que o perfil feminino é mais cauteloso ao volante.

Panthro disse...

Gente, todas essas contas que vocês estão falando já foram feitas. De fato, a estatística está completamente fantasiosa, tipica de quem não manja nada de estatística e/ou quer uma manchete. Vemos várias dessas nos jornais.

Mas, de fato, homens se envolvem proporcionalmente em mais acidentes fatais. E homens jovens se envolvem mais em acidentes fatais que homens velhos. Por essa razão, o preço do seguro varia conforme o perfil do motorista, se homem ou mulher, se jovem ou idoso.

Por que homens matam e morrem mais no trânsito? Não sei. Uma hipótese seria porque vêem o carro como um fetiche além de uma ferramenta. Se essa é realmente a razão, como isso começou e qual a influência da propaganda nessa história são todos temas pra quem quiser fazer pesquisa em sociologia. Não vou ficar me metendo a falar achismos sem base, porque falta vodka aqui no Boteco da Lola.

Quanto ao clipe, não achei racista, não. Qual parte que vocês acharam racista?

Anônimo disse...

Tem jeito não.
Se 97% dos acidentes mais graves é provocado por homens, pra coisa estar equilibrada, só se 97% dos motoristas fossem homens.
E isso não é realidade em lugar nenhum do país.
Não tem como driblar a matemática.
Impressionante como se dizem mais lógicos, mais racionais, mais deixam isso de lado quando convém.

Felipe disse...

Assisti o clipe da Lily Allen e não achei racista. No clipe existem quatro dançarinas negras e três brancas, mais a cantora, que tb é branca, ou seja, há proporcionalidade. Sem contar que o tipo de dança do clipe, o twerk, tem origem nos estilos musicais negros, como o rap e o r&b, por isso as dançarinas negras se destacaram. Além disso, a cantora critica os clipes do tipo gângster, que sempre utilizam dançarinas negras.
Outra coisa, essa Camilla Malheiros viaja, hein! Então quer dizer que deve-se negar um direito a todos os homens só porque alguns cometem acidentes? Esse tipo de pensamento é bem contraditório pra uma feminista.

jheny disse...

Há uma frase discarada: MULHER NO VOLANTE PERIGO CONSTANTE. Quem a criou pelo visto não ler sobre as estatisticas de que os homens são em maioria causadores de acidentes a mulher é mais atenciosa e cautelosa sim. Sô um ser muito ignorante para negar isso e ainda dizer o contrário. Já que não querem pesquisar as estatísticas leiam jornal que também mostrará acidentes. Eu particularmente sô vi um acidente grave com mulher ao volante na minha cidade.

Marina disse...

Você tem sido injusta com as fãs de Gentili, algumas delas feministas. Você acha que as milhões e os milhões que o seguem são todos reaças, preconceituosos, machistas, malvados??? Você acha que os problemas do mundo são causados por quem faz piadas? Vai querer censurar os que fazem piadas de que você não gosta? Enfim, você tem todo o direito de odiar Gentili, mas não deve pedir cadeia para ele, pois o suposto crime cometido por ele não é punido com pena de prisão.

Frank disse...

Concordo com o Felipe, é preciso ver também que tipo de clipe a Lily queria ironizar, a fotografia éstá parecidíssima com 90% dos clips de gangstar rap, e lembra até mesmo o Pour It Up da Rihanna

Concordo também em relação a Camilla, que exagero, que supressão de direitos! Muito mais fácil promover medidas educacionais e mudar a cultura em torno dos acidentes, não?

disse...

Oi pessoal... sobre o vídeo, não achei que houvesse uma questão racial abordada...
Lendo as explicações da Lily Allen, acho que aconteceu apenas a escolha das dançarinas conforme o seu mérito, quem já viu anglo-saxões tentando dançar ritmos mais rebolantes sabe que parte considerável tende a ser um fracasso :-/ Assim como não vejo sexismo em admitir a estatística de que homens tendem a dirigir de forma mais propensa a acidentes graves no trânsito, não vejo racismo em contratar mais dançarinas negras, proporcionalmente, se elas forem as que dançam melhor. Além de tudo isso acho que houve a vontade de sátirizar vídeos de rap/R&B machistas, e as dançarinas majortariamente negras, gostosonas e dançando de forma sexy e objetificante é um link óbvio, assim como a frase "Lily Allen has a baggy pussy", no mesmo tipo de letra do "Robin Thicke has a big dick", do vídeo do pimp aquele.
Sempre gostei da Lily Allen, das letras, das declarações dela, mesmo das inseguranças que ela não esconde; ser pessoa pública e tentar ser verdadeira consigo mesmo e feliz com as suas diferenças é difícil.
Se houve alguma questão racial que não identifiquei, por favor comentem sobre, tenho interesse na discussão!! Desde que comecei a ler sobre feminismo passei a ver com outros olhos demonstrações de preconceito que eu achava inocentes ou nem percebia... é um processo... bjs e bom restinho de domingo a todos!

Anônimo disse...

Um comentário off-topic antipático, mas que tem um pouco a ver com a música da Lily Allen.
A palavra Bitch no inglês significa, ao pé da letra, "cachorra" (o feminino de cachorro, dog).
Figurativamente é um termo ofensivo, para referir-se a uma mulher, dura, difícil, de comportamento agressivo, beligerante ou rude. O equivalente em português seria "megera". Qnd referido a um homem a ofensa tem outro sentido, "submisso", um homem que é a Bitch de outro é submisso ao outro, não por acaso para refletir a posição social de uma "mulherzinha".
Bitch é um xingamento extremamente machista. Entretanto é amplamente usado pelas mulheres (especialmente as que se auto-entitulam biches) para demonstrar força.

Dito isso, quero apontar que é uma má tradução constantemente feita dizer que Bitch = Vadia.
Acontece pq o xingamento "son of a bitch" é comumente traduzido como "filho da puta". Mas todo bom tradutor sabe que tradução deve considerar significado e contexo, não fazendo sempre uma tradução literal.
Enfim, o que a Lily Allen quis dizer não é que a vida das vadias é difícil (apesar de que mesmo se fosse, a sátira continua bem aplicada).
Mas é preciso ter um certo discernimento no que diz respeito ao emprego e interpretação da palavra Bitch.

Alexsandra M.

Rose disse...

Como a mídia noticia um acidente:
Se for uma mulher dirigindo:
MULHER INVADE PISTA E CAUSA GRAVE ACIDENTE, MATANDO UMA PESSOA, a motorista.
Se for um homem: carro muito bonito e super possante sofre acidente, um HOMEM ficou ferido gravemente. rs
Quanto ao clip, eu sinceramente ainda não assisti (devo ser a única), mas se vejo mulheres negras afirmando que há racismo, não vejo porque duvidar.

Anônimo disse...

"Dirão que são precavidas, mas na verdade são devagar mesmo." Por acaso, você conhece todas as mulheres do planeta pra afirmar que elas "são devagar mesmo"? Depois quer vir argumentar sobre feminista superior. Ai, resolve esse problema ai primeiro, depois vamos para o próximo, bele?

Anônimo disse...

Marina, todos os fãs dele que conheço são essas coisas que você falou em um grau ou outro... Não conheço todos para afirmar, mas todos que eu já vi (pessoalmente e via internet) são babacas. E quem faz piada que ofende o outro, na minha opinião, não sabe nada de humor. É o contrário; tem preguiça de pensar e fazer um humor inteligente.

Cão do Mato disse...

Mulheres não dirigem melhor. Apenas dirigem mais devagar. Se dirigem mais devagar, é evidente que a chance de bater diminui e, quando batem, o estrago é menor. Não há nada demais nisso. Se as mulheres dirigissem na mesma velocidade dos homens e, ainda assim, batessem menos, aí sim poderíamos dizer que elas dirigem melhor.

Marina disse...

Anônimo, eu gosto muito do blog da Lola e gosto muito do Gentili também. Sou babaca inteira ou meio babaca?

É muito simplista isso de reduzir o mundo em babacas (pensam diferente de mim e gostam de quem eu não gosto...)e não-babacas (pensam igual a mim e gostam de quem em gosto...)

Agora me diz: o que é humor inteligente? Quem decide o que é humor inteligente?

Crl disse...

Cão do mato e outros mascus, entendam, ninguém está dizendo que mulheres dirigem melhor, o que foi dito, e é fato, é que mulheres causam menos acidentes graves.
Não importa quem dirige melhor ou é mais habilidoso, o que importa é quem está matando e ferindo menos.

Anônimo disse...

Camila Malheiros disse...

Bom, ficou provado que eu estava certa. A única medida eficaz para diminuir a violência no trânsito é aumentar a idade masculina para tirar carta para 25 anos.
Homens jovens + automóvel = mortes. Quem discorda disso pode escrever automaticamente a palavra "mascu" na testa.
Nós feministas devemos divulgar essa ideia e lutar para que essa lei seja aprovada. Assim, estaremos salvando várias vidas.
17 de novembro de 2013 16:16

Esta com certeza é uma excelente medida para alcançarmos uma sociedade mais igualitária e justa. Alias, eu ainda acho que homens brancos, héteros e de classe média deveriam simplesmente serem impedidos de comprarem carros. Afinal, homem branco + hétero + rico + carro importado = acidente fatal + mulher morta.

Flavio Moreira disse...

Marina, pense no seguinte: o humor que está sendo feito parte da premissa de humilhar alguém, normalmente em posição de desvantagem (negros/gays/mulheres/nordestinos etc.). Então, esse humor não é inteligente: é preconceituoso, reducionista e não provoca reflexão. Quando se opta por ridicularizar o oprimido, você não está fazendo humor, está tripudiando sobre o sofrimento desse indivíduo.
Não assisto o programa do DG, nem qualquer outro programa de humor, mas pelo que já vi em internet e em sites que discutem a questão dos preconceitos, ele usa de sua posição de poder na mídia para fazer humor rasteiro, que humilha e degrada outros seres humanos.
Então, tentando responder à sua pergunta, o que determina o que é humor inteligente é a nossa capacidade de reflexão crítica sobre os discursos que nos cercam. Ninguém está proibindo você de gostar do DG, mas defender o humor que ele faz talvez mostre que você está menos atenta às questões levantadas e discutidas aqui no blog da Lola.
Não, eu não acho que você seja nem babaca nem meio babaca - porque eu não conheço você e porque eu não tenho o direito de julgar você. Mas posso pedir que você reflita se, no fundo, no fundo, concorda com todo o tipo de humor que o DG faz - que me parece ser de um tipo só.

Jhonhx Bravo disse...

Piada? Suposto crime? O que ele fez foi dum constrangimento e ofensa inestimável. Você é mulher e não se coloca no lugar de outra? Se fosse com você hein? Se o Danilo dissesse que você tem mais leite que o Kid Bengala (ator pornô que ejacula no rosto das atrizes)? Você iria rir de si mesma? E por estar amamentando te chamassem de vaca do Gentili? Iria rir de si mesma? Te falta amor próprio vixe.

Jhonhx Bravo disse...

Humor inteligente não ofende, não ridiculariza as pessoas. Se você tivesse nariz grande? Eu poderia dizer que teu nariz supera o Kid Bengala? Não ia te ofender? E se tivesse vitiligo? O Danilo poderia te chamar de vaca holandeza? Isso só piada para quem não ta na situação ou para quem não se respeita e rir de si mesmo para dar razão a quem ta sendo imbecil.

Felipe disse...

Anônimo das 21:06, isso foi uma ironia? Se não, vc é tão imbecil janto qualquer mascuzão.

@dddrocha disse...

Uma observação que achei pertinente pra essa discussão: se vai se posicionar sobre algum assunto, penso que a pessoa deveria, no mínimo, fazer uma pesquisa e leitura dos dois lados da moeda e se disponível, dar uma olhada nas estatísticas reais (boas fontes, verificá-las), ao invés de se basear no achismo.
Conheço muita gente que faz essa filosofia, que diz que só tem isso ou aquilo no mundo ou no Brasil; então por favor não fale essas bobagens mais, tenha o mínimo de propriedade e conhecimento para ditar o seu achismo.

Gostei muito do post, Lola. Obrigada por me ajudar a materializar essas ideias.

Paula disse...


Mesmo ela tentando combater slut shaming, é o que ela faz. "Don't need to sahke my ass for you, because I got a brain"? Hm, porque eu não posso ter um cérebro E "rebolar"? Criticar o machismo detonando outras mulheres, e não o sistema, não me parece muito válido, mesmo.


------------

Existe um abismo de diferença entre querer e precisar. A indústria "musical" explora a sexualidade de muitas artistas mesmo quando isso não é vontade delas próprias (vide entrevista recente da Britney onde ela dizia que sentia que a forçavam a ir muito mais além do que ela achava aceitável pra ela nessa questão). Pra esses empresários elas têm obrigação de rebolar e tirar a roupa mesmo que não queiram.
Outro exemplo que tenho em mente é a Sinead, que no início da carreira raspou a cabeça pra se rebelar contra os empresários que queriam forçá-la a se tornar um sex simbol.

Marina disse...

Flávio,

quando o assunto é sério, eu penso, reflito, questiono. Mas entendo que o humor não tem importância. Não é para ser levado a sério.

Eu, sinceramente, não acho que o Gentili ou qualquer outro comediante queira realmente ofender alguém. Acho que os humoristas têm apenas a intenção de fazer com que a plateia ria, sabe? Que tenha um momento de leveza. É como quando a gente vai ao cinema assistir a uma comédia romântica. Não vamos ficar analisando cada comportamento de cada personagem, apontando caricaturas e exageros, exatamente porque estamos lá para curtir o filme, só isso. E a comédia tende a exagerar as coisas mesmo. Não entendo o porquê de humoristas virarem tema de análises políticas, sociais e de discussões sobre se são ou não preconceituosos. Não entendo o porquê de eles serem levados a sério.

Gosto muito do blog da Lola, sim, acredito que ela ajuda muitas mulheres. Mas a Lola trata de assuntos sérios, temas reais. E Gentili faz ficção, se apresenta em teatros, faz show. Não é real. Não é sério.

Ele não fala a opinião dele sobre nada, apenas faz piada sobre tudo. Não é pra ser levado a sério...

E não, eu não rio de tudo o que comediantes dizem, mas também não fico analisando o que há além da piada, assim como não faço isso quando vejo uma comédia romântica.

Anônimo disse...

Off topic...:
http://g1.globo.com/pi/piaui/noticia/2013/11/mae-de-jovem-achada-morta-apos-video-intimo-reclama-de-violacao.html

“O pior do crime eletrônico não é você detectar quem foi o agressor. O grande drama do crime eletrônico é toda a carga moral, social, que acaba sobrando para a mulher.”

Anônimo disse...

Pior que mascu discutindo sobre mulher dirigir mal, é vc tirar a cnh e um mascu ficar puto pq nem a cnh ele conseguiu tirar.

E não foi por falta de habilidade no volante, foi por ter reprovado no psicotécnico mesmo.

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk!

Becx disse...

Hahhahaha só rindo muito, mesmo!

RavenClaw~ disse...

Ue Marina. Mas se vc nao tem a capacidade de analisar uma piada, um filme ou o que seja, a rasa e vc. E tao dificil assim perceber que as "piadas" desses caras devem sim sere analisadas por que pra vc pode ter graça, pode nao ser "real" como vc diz, mas ser chamada de "vaca do Gentili" ou "gorda nojenta" parece pretty damn real to me e nao tem graça. Porra quer saber oq e humor inteligente? Procura no youtube o George Carlin ou Louis CK. Quero dizer, vc sabe o que e youtube e como se usa neh?

Christoffer Rodrigues disse...

A sua mentira é que vc diz que existe machismo na indústria musical, quando na verdade não existe machismo na indústria musical. Madonna, Myley Cryrus, Cristina Aguilera, Roxette, Abba, Janet Jackson provam que não existe machismo na indústria musical. Essa é a sua mentira.

Ms.Minna disse...

Olha se realmente como falaram por ai as mulheres cometessem mais acidentes que os homens, ou os seus acidentes fossem graves, entao as companhias de seguro, que sao capitalistas e portanto nao se importam com "direitos iguais" nao fariam seguro mais barato para mulheres,
Simples assim

Marina disse...

RavenClaw,

Nunca disse que o humor de Gentili é inteligente ou não-inteligente. Apenas questionei: "Quem decide o que é ou não é humor inteligente?" Sobre Gentili, disse apenas que o que ele faz é ficção, show, se apresenta em bares e teatros, não fala a opinião dele, apenas conta piadas. Todos têm o direito de gostar ou não, de rir ou não, mas EU, na minha opinião pessoal, acho bobagem leva-lo a sério.

Também nunca disse que não se deve analisar uma piada ou filme buscando a mensagem ideológica que há além do que foi dito. Disse apenas que EU entendo comédia como algo exagerado de propósito, que não deve ter mais importância do que tem e não deve ser levado a sério. Essa é minha opinião, não é a verdade absoluta.

PS: Não, não sei como usa o Youtube. Discordei de você, portanto devo ser burra. Simples assim, né? Talvez eu até seja analfabeta, embora esteja escrevendo.

Maniqueísmo, a gente vê por aqui.

ma1w disse...

Christoffer, melhor largar as dorgas enquanto há tempo.

A melhor declaração sobre o machismo da indústria fonográfica, quem deu foi a Sinead O'Connor num conselho para a Miley Cyrus.

"A indústria não dá a mínima para você, ou para qualquer uma de nós. Eles vão prostitui-la por tudo que você vale e facilmente vão fazer você pensar que isso era o que VOCÊ queria... e quando você acabar em uma clínica de reabilitação por ter sido prostituída, 'eles' vão estar em seus iates em Antígua, que eles compraram com a venda de seu corpo, e você vai se sentir muito sozinha",

"Minha gravadora me incentivava a fazer o que você tem feito. Senti que eu preferia ser julgada pelo meu talento e não pela minha aparência. Estou feliz por ter feito essa escolha"

Anônimo disse...

Marina disse...
RavenClaw,

Nunca disse que o humor de Gentili é inteligente ou não-inteligente. Apenas questionei: "Quem decide o que é ou não é humor inteligente?" Sobre Gentili, disse apenas que o que ele faz é ficção, show, se apresenta em bares e teatros, não fala a opinião dele, apenas conta piadas. Todos têm o direito de gostar ou não, de rir ou não, mas EU, na minha opinião pessoal, acho bobagem leva-lo a sério.

--


Marina, você fala como se o Gentili morasse num universo paralelo, não como se ele tivesse um programa em rede nacional e um twitter com milhões de seguidores. Se ele vai na TV e comparara uma mulher a uma vaca e a um ator pornô, isso é REAL. Ela parou de doar leite após isso e passou a ser xingada na rua. Se for seguir a sua lógica, é só a Lola colocar um ''aha, tô de binks, gente'' no final de cada frase que ela pode dizer a bobagem que for.

MCarolina disse...

Afinal os mascus que entram aqui para comentar são burros ou mentirosos? Eis a questão...

Anônimo disse...

Desta vez tenho que concordar com a Minna, para mim também o fato de o seguro ser mais barato para a mulher já diz muita coisa.
Leila

Anônimo disse...

Marina, é claro que existe alguma coisa por trás das piadas, não se pode sair por aí dizendo qualquer besteira e depois afirmar que era só uma piada, já ouviu falar em análise do discurso? (a pergunta não é para te desmerecer, é sincera). E depois basta juntar as peças, ver as declarações do cara quando não está contando as suas piadas maravilhosas, é o mesmo comportamento, são as mesmas ideias. Enquanto uma pessoa (a moça que doa leite) está tentando ajudar a sua comunidade, um 'almofadinha' (termo pra lá de antigo, mas muito bom) que tem visibilidade usa a influência para atrapalhar. Sei lá, a questão é tão fácil de entender que tenho dificuldade em explicar.
Leila

Anônimo disse...

Este tipo de injúria, vinda a público, destrói a reputação de uma pessoa. Se é uma brincadeira entre amigos (maldosa e sem graça, isso não deixa de ser, mas entre amigos somente), morre ali. Mas falar isso de uma pessoa em programa com alcance de milhares de pessoas pode literalmente acabar com a vida de alguém.

Certeza que a "piada" não foi julgada somente por ter sido a escrotisse que foi, mas pelo entorno que a coisa tomou, a repercussão que isso gerou na vida dessa mulher.

Kittsu disse...

*Assunto não conexo com a postagem*
Olha que crime essa reportagem:
http://www.jb.com.br/rio/noticias/2013/11/16/rio-maes-denunciam-mortes-em-partos-humanizados-de-maternidade-municipal/
Estão colocando violência obstétrica como SINONIMO de parto humanizado. Colocaram no meio da reportagem coisas absurdas, como "fulana não conhecia o parto humanizado e se chocou com a violência", "parto humanizado é bom mas não pode humanizar demais"... Como assim!? deixar de fazer cesária em casos necessários não é humanizar, é violência!!!
Um show de horrores, tanto a situação desse hospital seboso quanto essa reportagem bizarra

Flavio Moreira disse...

Oi, Marina.
Vou discordar um pouco do seu raciocínio, se você me permitir.
Concordo que, de seu ponto de vista pessoal, você pode dar ou não importância ao humor de DG e similares. É uma opção sua e, mesmo não concordando, respeito. O que não dá para eu, Flávio, concordar com você, é que:
a) o humor não é para ser levado a sério; todo discurso é ideológico e o discurso humorístico ora em curso na mídia brasileira tem um viés ideológico conservador muito forte, porque lida com o ponto de vista do opressor, aquele que está na posição do mais forte nas relações de poder e que o exerce de forma coercitiva: a moça que doava leite foi constrangida publicamente, xingada de vaca e, de forma acintosa, comparada à performance de um ator pornô. Não dá para achar que todo esse conjunto discursivo não tenha sido intencional. Foi ofensivo, foi humilhante e colocou a pessoa na posição de vítima. E isso porque ela estava praticando uma boa ação! Infelizmente, preciso discordar de você: não foi inocente, nem pode ser descartado como "foi só uma piada". E não, não gerou um "momento de leveza".
b) Mesmo os filmes românticos a que você se refere servem a uma ideologia. Eu também gosto de escapismo de vez em quando, porque a realidade é dura para caramba, então também me entrego a momento de alienação voluntária quando assisto filmes de super-heróis, por exemplo, ou desenhos animados, mas nunca me esqueço de que uma das funções desses produtos da indústria cultural é exatamente o de ser alienante. O problema é quando achamos que essa alienação (inconscientemente), é melhor do que engajamento ou o pensamento crítico, porque estes nos "forçam" a tomar posições, a analisar conscientemente nossos hábitos de consumo e de validação de preconceitos e estereótipos.
c) Ficção não é sinônimo de irrealidade ou inexistência. Na verdade, a ficção pode atuar em duas (ou mais, mas me atenho a duas aqui) frentes distintas: validar um discurso conservador ou atacar esse mesmo discurso. A ficção não se forma na plano da fantasia pura e simples; ela se calca na realidade, nos elementos que formam o tecido social, dialogando com eles. Parece-me perigoso colocar as atitudes e o humor de DG e seus congêneres no "plano da ficção" e achar que, com isso, neutralizamos as intenções por trás desse discurso.
Desculpe-me pela longa réplica, mas espero que você compreenda que talvez valha a pena refletir um pouco mais sobre sua posição em relação a esse assunto.
Um abraço!

Bette disse...

Você é babaca inteira. É do tipinho que vai na contra mão para se autoafirmar. Tem piadas engraçadas sem ofensas e misogenias. O que fope ao respeito já não ê piada é difamação. E já que não sabe o que épiada inteligente é porque é tão lesada quando o Danilo.

Bette disse...

Vou te falar umas coisas, mas serei que nem o Danilo não é para te ridicularizar ê sô para fazer o pessoal do blog rir ta bem?

VOCÊ DEVE TER O CÉREBRO DE ERVILHA PORQUE NÃO ANALISA UMA PIADA OU COMÊDIA. (Gargalhadas)

VOCÊ É MIDIOCRE PASSIVA PORQUÊ NÃO IMPORTA A DIGNIDADE ALHEIA O QUE IMPORTA É RIR. (gargalhadas)

VOCÊ É A DEBI E O DANILO O LOIDE. ENTENDEU? DEBILÓIDE. (gargalhadas)
Não tive a intenção de te ofender só te fazer o público aqui do blog aqui sorrir. Afinal minha intenção ê a mesma do Danilo você concorda comigo nê alien? Ops! Marina.

Anônimo disse...

Tirando elas ficam as centenas de homens. Onde estão as centenas de mulheres para igualar? No Brasil tem quantas? Qual dupla certaneja feminina tem estourado em sucesso? Elas existem sô não são valorizadas.

Anônimo disse...

Marina quanto mais você tenta inocentar o Gentili mais você se enrola. Ele tem um batalhão de advogados picaretas para fazer isso. Não se exponha ao ridiculo na rede mundial de computadores que peninha de você,bota teu cerebrinho para funcionar. Você vem num espaço feminista defender um idiota machista, ignorante e preconceituoso? Tanto se expõe quanto se diminue ao dizer que não analisa comédia. Nós mulheres jà lutamos contra um bando de homens marrentos e ainda vem você justificar a cretinice das piadas injuriosas Danilo Gentalha.

Anônimo disse...

Eu não tenho nada contra as vacas, afinal é do útero das vacas que vem o bezerrinho que muitas vezesé forçado a ser desmamado muito cedo se torna o boi e ao ser abatido fornece a carne que a maioria não consegue viver sem comer e que também é fonte de lucro para fazendeiros poderosos e é da vaca que vem o leite que a maioria também não consegue viver sem e de que é feito o leite condensado, o creme de leite, os sorvetes e outras coisas mais que a maioria também não consegue viver sem e que também é fonte de lucro do mundo capitalista selvagem. As vacas também deveriam ser consideradas heroínas e não estou usando de ironia não. Não sei porque tem feministas que desprezam tanto as vacas que fornecem tantos alimentos que a maioria das feministas consomem tanto.

Ms.Minna disse...

Com risco de ser linchada mas preciso perguntar: o nazismo, socialismo de Stalin, Fascismo, Franquismo eram movimentos de direita? Que eu saiba Hitler era Nacional-Socialista.....
Franco conseguiu uma série de direitos aos trabalhadores, foi ele quem impôs 13o, previdência social na Espanha.....
E foram movimentos de direita? Acho que nao viu...

donadio disse...

Marina, o Danilo Gentili não faz ficção. Ele faz piadas com - ou melhor, ridiculariza - pessoas reais, de carne e osso, como você ou eu, que não fizeram absolutamente nada contra ele ou contra nós.

Ele ridicularizou publicamente uma mulher por que ela doava leite, e talvez fosse inscrita no Guinness como uma recordista da doação de leite. Em nenhum momento passou pela cabeça (se é que se pode chamar aquilo de cabeça) dele ridicularizar, vamos ver, quem sabe... o Guinness (que não é uma pessoa, que não tem sentimentos, e que é quem promove a caça aos récordes - e que seria, portanto, a fonte e a origem do ridículo, se concordarmos que récordes são ridículos). Não: para ele, o Guinness é um dado da realidade, intocável (é claro, é poderoso, e por outro lado não é gente); ridículos somos nós seres humanos comuns, sem poder, indefesos diante da injúria pública.

Se ele fizesse piada com um personagem hipotético, você teria talvez razão. Mas não: as vítimas dele têm identidade, CPF, endereço, emprego, família, etc. Não são personagens de ficção.

Marina disse...

Flávio,

Acho que é direito da doadora de leite que se sentiu ofendida entrar na Justiça contra ele. Tanto é direito, que a nossa Justiça permite que ela faça isso.

Entretanto, a própria justiça brasileira faz essa separação entre piada e ofensa, realidade e ficção. Já ouviu falar em ANIMUS JOCANDI (do latim, é a intenção de fazer piada). Se a Justiça entende que houve o ANIMUS JOCANDI, não há crime. Não sou eu quem diz, é o STF.

Marina disse...

Gentili fez uma piada horrível sobre king kong e loiras. O MP investigou e decidiu arquivar o caso por não considerar que havia qualquer crime ali. Podem pesquisar.

É claro que a doadora pode entrar com processo cível. Pelo que sei, já entrou.

Ta-chan disse...

Não gosto da Lily Allen e nem acompanho musica pop em geral, mas a Azaelia Banks é a maior barraqueira da gringa, tipo a Piovani aqui...
Não achei o clip racista, mulheres e principalmente mulheres negras, são hipersexualizadas na industria musical desde sempre.
Pra mim, a critica fica mais sobre a letra, a Lily se coloca numa posição de superioridade em relação as mulheres que ganham a vida usando o corpo.Também não acho "bonito" a pessoa viver da aparência física, ainda mais quando isso é usado contra tantas outras, mas pedir aplausos por não ser assim parece despeito.

Marina disse...

donadio,

Apenas faço uma separação entre realidade e ficção. Por exemplo: eu odeio o machismo que está presente na vida da maioria das mulheres o tempo todo. Odeio o machismo da "vida real" Mas não é porque há um personagem machista em um livro que isso significa que o livro seja ruim. Aliás, isso não significa nem mesmo que o livro e o autor sejam machistas, porque não somos obrigados a nos identificar com o personagem e podemos criticá-lo. É ficção.

É um direito seu, da Lola e de todo mundo odiar Gentili e outros comediantes. Se ele fizer piada que ofenda vocês, podem inclusive processá-lo. Mas é muito simplista e injusto classificar pessoas que gostam do trabalho dele (como eu) de alienadas, reaças, burras, babacas, analfabetas, etc.

Lamento profundamente todo esse maniqueísmo: "quem concorda comigo é inteligente, mas quem discorda de mim é burro e alienado".

Mas, pensando bem, o fato é que vocês têm o direito de acharem o que quiserem achar.

Hamanndah disse...

Anbonimo imbecil das 13:37. Quando Genitili comparaou a enfermeira à vaca, foi em sentigo pejorativo. Claro que a vaca é um animal útil e nobre, mas, me diga alguma coisa, gostaria que sua mãe fosse comparada a uma vaca?

Anônimo disse...

Ta-chan, o fato da Azaelia Banks ser grossa e ter ofendido a lily no twitter não lhe dá o direito de ser racista com ela

Mas sinceramente só não vê racismo no clipe quem não quer

Anônimo disse...

Lamento profundamente todo esse maniqueísmo: "quem concorda comigo é inteligente, mas quem discorda de mim é burro e alienado".

Marina, encara isso como uma ~piada da Lola. Você não diz que tudo bem Danilo e outros ''comediantes'' compararem uma mulher que doa leite a uma vaca então porque Lola não pode chamar seus fãs de reaças? Siga o que você prega.. Não leve tudo tão a sério! Por que só o que o santo Gentili faz é ficção? Você age como se todo mundo que se ofende com uma piada fosse fresco mas aqui está você comentário após comentário por algo que a Lola disse no texto de um blog pessoal. Agora imagina se a Lola tivesse um programa na tv, milhões de seguidores no twitter, etc?

Apenas faço uma separação entre realidade e ficção.

Fala isso pra Lola que está toda hora sendo ofendida pelo Danilo ou para a maternidade bem real que ficará sem leite. Acho que pra pessoas como você e outros fãs de Gentili é tudo ótimo enquanto é com os outros, é tudo ~ficção~ enquanto não te afeta diretamente

Marina disse...

Levo o blog da Lola a sério no sentido de haver discussões muito importantes aqui.

Mas não me senti ofendida, não. E acredito que não ofendi ninguém aqui. Discordar não é o mesmo que me ofender.

Anônimo disse...

Do mesmo jeito que você pode levar uma blogueira a sério, as pessoas podem levar as idiotices que comediantes dizem a sério.

mas no fim é perda de tempo discutir com alguém que não vê nada demais com quem tem como carreira fazer piadas machistas, racistas, homofóbicas, etc em escala nacional. Enquanto você acha que o que ele faz é ficção, as vítimas das ''piadas'' sofrem as consequências de uma maneira bem real

donadio disse...

"Com risco de ser linchada mas preciso perguntar: o nazismo, socialismo de Stalin, Fascismo, Franquismo eram movimentos de direita?"

Sim, eram. Eram movimentos em defesa da desigualdade social.

"Que eu saiba Hitler era Nacional-Socialista....."

O papel aceita tudo... o novo nome do PFL é "Democratas". Será que eles são?

"Franco conseguiu uma série de direitos aos trabalhadores, foi ele quem impôs 13o, previdência social na Espanha....."

Não... essas eram lutas antigas dos trabalhadores espanhóis. Franco esmagou a República, destruiu as organizações de trabalhadores, impôs um sindicalismo controlado pelo Estado, e... sim, claro, fez algumas concessões - a maioria das quais os trabalhadores espanhóis teria conseguido, de forma muito mais completa, sob o regime republicano.

"E foram movimentos de direita? Acho que nao viu..."

O fascismo, o nazismo e o franquismo com certeza foram, desde o início. Hitler surgiu na política alemã como inimigo dos sindicatos, dos sociais-democratas e dos comunistas (que ele juntava sob o epíteto geral de "marxismo" - viu, galera do "marxismo cultural"?). O partido Nazista sempre, desde sua fundação, se empenhou sobretudo em combater (físicamente, tipo briga de rua) a esquerda alemã. O fascismo foi basicamente a mesma coisa, com menos ênfase na perseguição racial.

Os dois, contudo, tinham uma característica fundamental em comum: eram movimentos policialescos. Eles só se viabilizavam em conluio com a polícia, com a qual cooperavam sistematicamente, na repressão à esquerda. Basicamente, os fascistas e nazistas faziam aquilo que a polícia, limitada pelas leis do Estado democrático, não podia fazer: espancar trabalhadores, sindicalistas, social-democratas, comunistas, judeus (que eles achavam que eram comunistas), etc.

Não tinha nada de esquerda nisso aí.

O "socialismo" de Stalin é diferente, lógico, porque ele foi herdeiro, e depois coveiro, de uma revolução popular. Ele parte portanto de uma situação histórica completamente diferente; o nazismo e o fascismo eram movimentos pela manutenção da velha ordem; o estalinismo não podia ser isso, por que a velha ordem já tinha sido destruída em 1917. O estalinismo era de esquerda? Olha, eu diria, que, infelizmente, era: uma esquerda distorcida, profundamente corrompida, esquecida de seus objetivos, mas esquerda.

donadio disse...

Marina, só para deixar claro, não acho que você seja alienada, reaça, burra, babaca, analfabeta, ou qualquer outra coisa do gênero. Discordo de você, e acho que você está errada, (inclusive factualmente, em alguns aspectos, como por exemplo chamar o que o Sr. Gentili faz de "ficção"). Mas não tenho esse tipo de opinião a respeito de quem discorda de mim.

Cão do Mato disse...

Lola, uma humilde colaboração para a sua(constate)formação feminista...
http://deles.ig.com.br/mundo-masculino/2013-11-19/o-brasileiro-esta-procurando-outras-maneiras-de-ser-homem-diz-historiadora.html

Marina disse...

Obrigada, Donadio.

É uma coisa que a própria Lola sempre diz: precisamos aprender a discordar!

:)

Anônimo disse...

O tema principal do post é sobre as mentiras que muitos contam ou espalham por aí. O que mais me assusta é que a internet virou um território livre para se espalhar todo tipo de boato, mentira ou mesmo opinião quase sempre desprovida de um mínimo embasamento. Se fosse apenas no campo da opinião pessoal, a gente até poderia aceitar, mas muitas das vezes quem faz isso normalmente consegue influenciar muitas outras opiniões e consegue formar conceitos errados. A própria Lola se valeu disso quando divulgou, e o pior nem se retratou, inverdades sobre o tal projeto chamado de "bolsa estupro". Discordando ou concordando com o tal projeto eu entendo que um veículo como esse deveria ao menos tentar primar pela verdade. Tanto por parte da esquerda quanto da direita , o que vemos é um acirramento nos debates. Ninguém mais reflete sobre nada, apenas se posiciona e apenas baseada na sua ideologia, onde essa ideologia impede o indivíduo de pensar um pouco fora dos esquemas por ele pré-concebidos e o que leva as pessoas a simplesmente dizer as maiores asneiras possíveis. Só tenho a lamentar é que percebo que nos últimos postts Lola vem se valendo de um discurso cada vez mais maniqueísta e simplificador da realidade. Teve um post que ela definiu que quem é de esquerda deseja mudar o mundo e quem é de direita deseja que que tudo permaneça como está. Há muito mais nuances entre o que se entende por ser de esquerda ou direita atualmente. Tanto é que nessa discussão se o nazismo foi de esquerda ou não, é claro que ele foi de direita, mas se tirarmos a sua componente racista veremos que se assemelharam em muito nos seus métodos, por mais que a esquerda odeie admitir isso. Viram só como isso já torna o debate complicado? A vida não se traduz apenas por nossas visões ideológicas e essas mesmas visões não tem a resposta para tudo.
Max

Anônimo disse...

Mas é verdade mesmo.
Vai ver nas estradas quantas mulheres estão dirigindo.
Quando uma família está no carro, quem dirige é sempre o homem.

Anônimo disse...

"O estalinismo era de esquerda? Olha, eu diria, que, infelizmente, era: uma esquerda distorcida, profundamente corrompida, esquecida de seus objetivos, mas esquerda."

A dita esquerda 'de verdade', a esquerda da 'real' é sempre perfeita e se comete erros, crimes, abusos de poder, autoritarismo, massacres não pode ser esquerda. A mesma coisa de dizer que os mascus só podem ser 'gays', afinal heteros de verdade não podem ser tão malvados assim.

donadio disse...

"A dita esquerda 'de verdade', a esquerda da 'real' é sempre perfeita e se comete erros, crimes, abusos de poder, autoritarismo, massacres não pode ser esquerda.

Então por que é mesmo que eu não disse que o estalinismo é de direita?

Ou eu tenho que dizer que o estalinismo é uma coisa boa, se eu acho que é péssima?

"A mesma coisa de dizer que os mascus só podem ser 'gays', afinal heteros de verdade não podem ser tão malvados assim.

Até onde eu saiba, todos os mascus são heterossexuais.

Só que nem todas as heterossexualisdades são saudáveis.