domingo, 18 de agosto de 2013

GUEST POST: PELO DIREITO DE ESTAR CARENTE

O leitor A. S. me enviou esta reflexão dele.
Não sei se concordo. Acho que a sociedade não vê com bons olhos que homens héteros sejam meigos e carentes. Leia o curto texto do A. S. e diga o que vc acha.

Acordei hoje e tive esse pensamento: me culpei por ser ou estar carente, mas percebi que como bissexual, se for para me definir (pois acho impositivo demais escolher sua vida sexual para o resto dos tempos), estou sendo nada menos que uma vítima da sociedade machista vigente que culpabiliza os seres não héteros por tudo que aconteça de ruim ou bom em suas vidas.
Por exemplo, veja como a sociedade trata um homem hétero carente: "Nossa, que fofo", "romântico", "Poxa, dá uma chance a ele vai, não é todo dia que se acha um cara assim". Por falar em "cara", a música do Roberto Carlos é um ótimo exemplo disso: “Esse cara sou eu, que te telefona que te ama" e blablablá. Ou seja, um carentão! E nem por isso ele é rechaçado ou culpabilizado por sua vontade de amar.
Voltando a mim, tive esses pensamentos depois de me achar ridículo por estar começando a me apaixonar por um menino que apenas me deu um abraço. Me reprimi por imaginar logo um futuro com ele, uma relação, um casinho talvez, me chamei de carente. E se fosse? Percebi que a repressão nem sempre vem dos grupos que estão com os privilégios, mas de nós mesmos.
Não existe problema nenhum em ser carente. Mas nós mesmos nos punimos por isso. Falamos da professora que é irritada "por não fazer sexo, por ser carente", do homossexual que é "safado demais, dá em cima de todos"... Mas aceitamos o hétero fofinho, poeta, e amável, como os Los Hermanos. Pô, esses caras são uma cambada de carentes também! Todos querem amar, e não tem nada de errado nisso. O problema é que alguns têm direito e respaldo para expressar isto e outros não! 
A mudança tem que vir de nós mesmos também, não podemos ter mais medo de nos expressar e nos resignarmos, apesar de ser muito tentador. Especialmente neste tempo de Nova Idade Média que está surgindo mundo afora. Lutem e amem sem medo de ser carentes e ridículxs!

9 comentários:

Maria Luiza disse...

Olha, eu acho que nessa sociedade ninguém pode ser carente. Talvez, pra homens seja mais difícil, pq é cobrado deles uma pose de machão, que não podem demonstrar sentimentos e tudo o que querem é sexo, sem carinho e sem amor.
Acho tudo isso muito triste. Pq a gente tem que ser forte o tempo todo? O tempo todo fazer o tipo de "não me importo com nada". Aliás, acho que isso tudo só deixa as pessoas mais infelizes.
Seria tão bom poder dizer que tá sozinho e precisando de abraço e as pessoas te abraçassem e te dessem carinho, sem julgar, sem te achar chatx. Sinceramente, das poucas coisas que valem a pena no mundo, poder dar e receber amor é uma. Depois vem o chocolate.

Nat Muniz disse...

acho que não é tudo tão lindo para os homens cis hétero carentes não. por conta da demanda de precisarem sem GRRRR HOMENS AGRESSIVOS E QUE NÃO EXPRESSAM SEUS SENTIMENTOS UGA BUGA e coisas do tipo.

Mas até entendo sua queixa.

Aline disse...

A sociedade é apenas uma expressão de como nós somos, mas um tanto atrasada.
E o bom de ser maior de idade, autosuficiente, é que podemos ser quem somos, sentir o que temos que sentir e dar de ombros pro resto de bla bla bla que nos rodeia.

L. G. Alves disse...

Hum, se você se diz bissexual, tudo bem, mas acredito que sinceradade e respeito devem estar acima de tudo. Espero que seja sincero com quem
for ter um relacionamento amoroso, pois a outra pessoa precisa saber de sua bissexualidade. Sabe, quando citou a música do Roberto, "Este cara sou eu", eu lembrei imediatamente do meu namorado. Aquele cara é ele! Até brinco com isso. Ele realmente me ligou no meio da noite para dizer que sente saudades e que me ama. Eu não acho que seja careta. É bonito que seja assim naturalmente. E também não pode ser sempre porque enche o saco que eu não tenho. Não gosto de grude. E sabe do que mais? Ele
não deixa de ser quem ele é por causa da sociedade machista vigente. Já tive períodos carentes em que estava sozinha. E o que acontecia? Sempre se metia
em enganos e confusão. E para mim homossexual que é "safado demais, dá em cima de todos", não é carência afetiva, não, hahaha

Anna D disse...

Acho que o autor falou sobre um tipo só de amor, o "amor romântico". Aquele consolidado na nossa sociedade, que é visto como única forma possível de amar. Existem infindáveis modos de amar. Mas parece que a carência, tão presente hoje em qualquer faixa etária, surge nas pessoas que não conseguem se satisfazer com essa visão de amor quadradinha, mas, para serem aceitas, insistem em se enquadrar no sistema.
Acho, também, que o "cara" da música do Roberto Carlos não só é um stalker, como é um grandissíssimo machista.

patrick tisinrei disse...

Honestamente acredito que voce não faz a minina idea da pressão emocional ou social causada por esta "proibição da carencia" nos homens/mulheres ou qualquer outra classificação que voce traga.

Seu comentario é muito injusto pois não da valor ou diminui em muito a esta pressão mencionada acima, que nos força a estar sempre monstrando uma força desnecessaria, irreal e mentirosa para aquele momento das nossas vida ou ignorar completamente a necessidade emocional dos homens(exemplo dado) em beneficio de um polimento social.

Sua carencia bisexual tem o mesmo peso de qualquer carencia heterosexual ou homosexual.....

Anônimo disse...

Eu, como homem heterossexual não vejo como um homem heterossexual conseguiria ter "um aval" para ser carente.

Fora sentimentos de agressividade, nenhum homem está "autorizado" a demonstrar a sua fragilidade em público. Sabe aquele ditado que diz que "homem que é homem não chora"?

Aqueles homens que não dão ouvidos a esse preconceito acabam tendo de sentir um gostinho da homofobia. Mesmo não sendo gays, acabam ganhando a fama de ser um. E sofrem preconceito como se, de fato, o fosse.

Um exemplo notório desse preconceito é o Justin Bieber. O pessoal por aí afora juram que ele seja gay, embora ele seja heterossexual na realidade (aliás ele é o ex-namorado da Selena Gomez).

O motivo que levam as pessoas a acreditar que ele seja gay são coisas como o sentimentalismo de suas músicas e a sua aparência pessoal, mais delicada que o padrão.

Canceriana demais disse...

entendo sua queixa. Não é so isso que a sociedade prega, mas é isso tambem. Lembrei de um tuite q vi outro dia, que dizia: homem "galinha" que se apaixonou - reação (das mulheres) ouuunnnn, que fofo!! <3. Mulher "galinha" que se apaixonou - reação: ah, vadia, safada, rodou um monte e agora que dar uma de santinha.
Acho que o pensamento é por ai. Assim como tem as pessoas que vão dizer "ah, que fofo", tem os machões que vao dizer: boiolão do caralho, pagando paixão pra vadiaziha. Sexismo, temos de todos os tipos. Escolha o seu.

Anônimo disse...

Este é outro ponto em que o feminismo e os avanços sociais ajudam o homem hétero a largar de vez o machismo: o homem hétero é induzido socialmente a ser UGA BUGA SOMOS MACHÕES QUE NÃO EXPRESSAM SEUS SENTIMENTOS GRRR. Os que não se enquadravam na norma social sequer podiam ser considerados hétero, como se opção sexual tivesse algo a ver com agressividade. Mesmo em meios mais "liberais" as pessoas aceitam que mulheres e gays sejam carentes, mas ainda censuram os héteros que se comportam como tal.

Enfim, o sentimentalismo do Roberto Carlos e dos Los Hermanos não é regra, é exceção, pois tá cheio de homens machistas e mulheres machistas que insistem em enfiar goela a baixo dos outros o estereótipo do macho dominador.