segunda-feira, 8 de abril de 2013

O DEUS QUE MATOU JOHN LENNON

Marco Feliciano atira em nome do pai, do filho, do espírito santo

Talvez eu seja suspeita pra falar, pois sou beatlemaníaca desde criancinha: John Lennon foi um gênio. Ele não era um cara fácil e, na minha opinião, agiu muito mal ao fazer provocações baratas a Paul McCartney (um sujeito legal e, óbvio, outro gênio –- dizer que a única coisa que Paul fez foi “Yesterday” deve entrar na lista das grandes forçações de barra) quando o grupo acabou. 

Ah sim, ao contrário do que reza a lenda machista do eterno bromance (amizades masculinas), os Beatles não acabaram por causa de Yoko Ono. Acabou porque um não aguentava mais olhar pra cara do outro, não suportavam mais fazer shows, e estavam em outra fase. Nada a ver com Yoko, que sempre foi uma pessoa tão injustiçada quanto íntegra.

John não foi genial só como cantor, compositor (certamente teve uma carreira solo mais memorável que a de Paul e dos outros Beatles) e co-autor da maior banda de rock de todos os tempos, mas também como ativista político. Ele e Yoko na cama pedindo uma chance à paz ainda constitui uma campanha inesquecível. Foi uma atitude feminista e engajada John afirmar que as mulheres são o negro do mundo. E “Imagine” tem aquela letra que parece mais revolucionária hoje do que nunca. Eles nos pede pra imaginar um mundo sem países, sem propriedade, sem religiões. 

Quem viu o documentário Os EUA contra John Lennon sabe que ele foi persona non grata na terra das oportunidades durante longos anos. Mais de um presidente quis que John fosse investigado, silenciado e deportado. Suas mensagens de paz eram consideradas subversivas no país mais bélico do planeta. 

Dos Beatles, sempre foi ele que fez as declarações mais ousadas e polêmicas, como aquela de 1963, quando ele pediu, num evento em que a rainha estava presente, para que as pessoas nos assentos mais baratos batessem palmas, e para que os restantes chacoalhassem suas joias. 
Ou a célebre declaração que ele deu em 1966 (minha tradução): “O cristianismo vai acabar, ele sumirá e encolherá. Não preciso argumentar isso; estou certo e provarei estar certo. Somos mais populares que Jesus agora; não sei qual desaparecerá primeiro -– rock'n'roll ou cristianismo. Jesus era legal, mas seus discípulos eram burros e ordinários. São eles distorcendo tudo que arruina a coisa pra mim”.

A opinião de John não impressionou muita gente em sua terra natal, mas nos EUA foi um escândalo. Nos estados mais religiosos e fundamentalistas (o que é chamado de Bible Belt, o cinturão da bíblia), pessoas revoltadas protestaram e queimaram discos dos Beatles. A Ku Klux Klan colocou discos dos Fab Four numa cruz em fogo, sua marca registrada.

John teve que pedir desculpas: “Não sou anti-deus, anti-cristo, ou anti-religião”. Anos mais tarde, numa entrevista, ele disse: “Não preciso ir à igreja. Respeito igrejas, mas acho que muitas coisas ruins têm acontecido em nome da igreja e de Cristo”. 
John planejava morrer velhinho. Ele queria ser um sobrevivente, e não via graça nos que seguiam o “live fast, die young” (viva rapidamente, morra jovem). Porém, em dezembro de 1980, quando ele tinha apenas 40 anos, ele foi assassinado em frente ao prédio onde morava em Nova York (o Dakota, o mesmo prédio onde se passa o aterrorizante Bebê de Rosemary).

Um maluco chamado Mark Chapman atirou cinco vezes nele pelas costas (um dos tiros errou o alvo e acertou uma janela), e sentou-se para esperar ser preso, enquanto segurava uma cópia do grande livro O Apanhador no Campo de Centeio. Chapman, que continua preso até hoje, nunca havia perdoado John por sua declaração sobre os Beatles serem mais populares que Jesus. No tribunal, seu advogado queria alegar insanidade, mas Chapman decidiu declarar-se culpado -– seria esse o desejo de Deus.
John dá autógrafo a seu assassino poucas horas antes de sua morte.
 

John não teve a menor chance. Ela já chegou praticamente morto no hospital. Na hora exata de sua morte, contam testemunhas, o circuito do hospital coincidentemente passou a tocar “All My Loving” (Todo meu Amor). Yoko, arrasada, anunciou que não haveria um funeral para seu marido: “John amava e rezava para a raça humana. Por favor, façam o mesmo por ele. Com carinho, Yoko e Sean [seu filho de então cinco anos]”.

Por que estou falando nisso agora? Porque ontem passou a circular um vídeo do pastor Marco Feliciano num culto.
Desde que foi escolhido, a portas fechadas, para ser presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias, Feliciano tem gerado manifestações contra ele por todo o país. Ele já era um tanto conhecido por suas declarações racistas (segundo sua interpretação da bíblia, os africanos são um povo amaldiçoado por Deus), homofóbicas (“a podridão dos sentimentos dos homoafetivos leva ao ódio, ao crime, à rejeição”), e machistas (feministas querem destruir a família e, consequentemente, o mundo), as quais definitivamente não o colocam em condições de liderar qualquer coisa que contenha as palavras direitos, humanos ou minorias.

Mas quando pensávamos que o infeliz não poderia mais nos surpreender, eis que ele berra num vídeo de sua igreja, depois de mencionar o anjo do juízo que vem correndo a Terra: “John Lennon bateu no peito e disse, os Beatles são mais populares do que Jesus Cristo. Jesus não era pop star como ele, mas sim o mestre de uma grande religião. John Lennon estava olhando pras câmeras e dizendo 'nós Beatles somos uma nova religião'. A minha bíblia diz que Deus não recebe esse tipo de afronta e fica impune. Passou um tempo depois dessa declaração e estaria entrando no seu apartamento, quando ele abre a porta e escuta alguém chamar ele pelo nome, ele vira e é alvejado com três tiros no peito. Eu queria estar lá no dia que descobriram o corpo dele. Ia tirar o pano de cima e dizer me perdoe, John, mas esse primeiro tiro é em nome do pai, esse é em nome do filho, e esse é em nome do espírito santo. Ninguém afronta Deus e sobrevive para debochar!”

Não se pode dizer que Feliciano tem uma igreja que semeia amor e tolerância se ele se vale de um assassino doido e covarde para matar um desafeto. Mas não é difícil ver como tudo que John defendia (fim de religiões, posses, preconceitos) é uma afronta aos interesses do pastor. Feliciano não só fala em nome de Deus –- ele atira em nome de Deus. E o Deus que atira por linhas tortas é cruel, vingativo, e meio lerdinho (ele esperou 14 anos pra matar John). E tem um mau gosto tenebroso pra música.

Sei que é enorme a tentação de dedicar três tiros a Feliciano, um pelo racismo, um pela homofobia, e um pelo machismo, mas devemos lembrar que nós, ao contrário de fanáticos como ele, somos a favor dos direitos humanos.  E direitos humanos são contra a pena de morte, mesmo para quem vem cansando a beleza de todo um país.
Nessas horas eu até queria acreditar em Deus. Eu queria estar lá na porta do paraíso quando Deus comunicasse a Feliciano que ele passaria a eternidade num lugar mais quente e vermelho.

133 comentários:

Anônimo disse...

Ridículo, ele só mostra que não sabe e desconhece o que seja Deus. Deus não é vingativo, Deus não causa tragédias e mortes porque a vítima falou alguma coisa que não deveria. Cala a boca, meu filho. É por causa de linhas assim que tanta gente (que tenha o mínimo de bom senso, claro) desiste de acreditar em Deus.

Talita disse...

Horrível o que esse povo faz/fala/defende em nome de Deus. Pra quem mim que acredito em Deus e sou Cristã é mais horrível ainda. Como pode?

Anônimo disse...

Adorei o texto...
"num lugar mais quente e vermelho"
Com toda certeza é para esse lugar aí que o Feliciano vai!

Fá disse...

Sobre o começo do texto: Paul tem muita técnica, mas era o Beatle menos criativo. Até o Ringo que o pessoal menospreza tem um álbum inovador, Ringo Rama, coisa que o Paul nunca fez, sempre repetiu a boa e velha receita. Pra mim ele é uma espécie de Roberto Carlos (dava uma de bad boy na juventude, mas é um baita coxinha que as senhorinhas adora).
Mas o fato, é que ele é um chato de galochas. Conseguiu sair na porrada até com o George e fazer o baterista ir embora magoado. Claro que o John ia atacar, e com uma certa dose de verdade.
O comportamento reizinho ainda persiste: controla os hábitos alimentares da banda e equipe técnica (Ringo é vegetariano também e não impõe isso a ninguém) e até mesmo da plateia em dia de show. E sua simpatia é ensaiada e traduzida a cada turnê de país a país.
Pra mim ele é um gênio, talentoso, um sucesso de vendas, atrativo, tem músicas legais, mas deve ser insuportavelmente chato de se coniver.

Mariana disse...

Agora me digam: qual a diferença dessa declaração pro discurso de vários terroristas que matam em nome de Deus? É menos grave por ser "cristão"? Pra mim, é uma ofensa a todos os cristãos, isso sim!

Lola, amei o final do texto. Tb queria estar lá pra ver Deus mandando Feliciano prum lugar "mais quente e vermelho"

Anônimo disse...

Alem de falofobicas, são cristãofobicas também.

1claroenigma disse...

Ótimo desfecho.
Convido você a ler meu artigo-protesto contra o Deus-Dízimo:
http://1claroenigma.wordpress.com/2013/03/30/1945/

Abraço
Renata

Anônimo disse...

Huhaushuahsua vindativo e lerdinho! Lola, tenho que te dizer uma coisa, como grande admiradora de Lennon. Na verdade, essa frase está solta do contexto, Lennon não fez essa música por birra, o ponto crucial para os compositores dos Beatles foi por Lennon achar que a música deles era imatura e superficial, deveriam mudar as composições e serem mais críticos e Paul afirmava com veemência que eles eram simplesmente a maior banda de todos os tempos e que eram os verdadeiros responsáveis pela revolução cultural dos anos 60. Fora isso Paul afirmava que os Beatles deviam muito desse crédito ao próprio Paul e ele quis encarregar o sogro (pai de Linda) de empresariar o grupo e administrar os direitos. Foi a gota dágua. Não parecia justo e imparcial.Pois então, os demais membros também foram contra mas foi entre Lennon e Paul que se deu toda a briga. Foi a gota dágua. Enfim...momento cultura inútil, nem publique por favor. é entre nós, admiradoras de Lennon.;-)

Iara Sindrominha disse...

Quanto mais tempo Marcos Feliciano fica na Comissão mais medo eu sinto.Tenho a impressão que as coisas estão pior do que sonha minha vã filosofia e meu sonho de morar em um país laico era só isso,um sonho.....

Rose disse...

Ora vejam só, não é que o Pastor Happiness relegou Deus (e suas variantes) ao posto de matador de aluguel! Sim pois, além do John Lennon, o Deus do pastor andou matando banda que ensinava palavrões aos adolescentes " abra a sua mente, gay também é gente..." Vai ver o Deus exclusivo do pastor não gostou desse impropério à liberdade de opressão.

Idealista Chata disse...

então..queria saber..por que o Felicinao ainda estálá?

por ele eh a m,elhor opção?
por que ele é teimoso?
por que o psc adora ele?

não geeeeente..
ele ta la pq o PSC que algo...e ele não saira de la enquanto o PSC não conseguir..eles querem mais espaço no governo e montaram uma bela armadilha..ou ganharam ela..não interessa, o que interessa eh que o feliciano não vai ficar la pra sempresó ate o PSC cpnseguir o que quer..
quem tem que sair de lá é o PSC

que tal irmos na raiz??

... que tal começarmos a manchar o nome do partido pra fazer pressão?
que tal jogar os podres do partido todo no vetilador pra fazer pressao neles???
sera que o PSC aguebta firme varios ataques pelo Feliciano??

snowhitequeer disse...

Na minha concepção o que Marco Feliciano disse é muito mais blasfêmia do que dizer que os Beatles são mais populares que Jesus Cristo.
Pelo que ouvi nos 16 anos que frequentei a igreja (graçazadeus saí, ao ver que não me aceitavam do jeito que era), isso é um pouco verdade. Ninguém precisa apresentar os Beatles a ninguém. Até os países teocratas que proíbem música secular circulam seus álbuns clandestinamente. Mas qualquer ramo de qualquer tipo de cristianismo faz evangelismo, vai pra países de maioria não-cristã, sai pra praça, faz qualquer coisa, porque supostamente tem gente que nunca ouviu falar do deus Yaweh e seu filho Jesus (juro que nunca entendi COMO).
Em momento algum eles disseram ser mais santos ou mais importantes que Jesus. Só disse que eram mais populares.

livia disse...

sobre o john lennon, eu concordo com o frank turner "By his standards, it seems almost lazy to me" http://www.avclub.com/articles/british-folksinger-frank-turner-on-why-he-hates-jo,86178/
sobre a yoko ono, não achei ela uma pessoa legal quando processou a lennon murphy(nome real) por usar o nome artístico "lennon".
sobre o feliciano, o único comentario que eu faço sobre fanáticos religiosos é que eles deveriam sobrer outra lavagem cerebral, mas dessa vez pro bem.

Marina P disse...

Faço minhas as palavras da Talita.

Já comentei aqui anterioremente que eu tenho religião, acredito em Deus, etc. Pois bem, eu tenho religião, mas morro de preguiça da quantidade de absurdos que as pessoas fazem e falam em nome da religião, de como a bondade de Cristo parece ser completamente esquecida por um monte de pessoas que se dizem cristãs e por aí vai. A minha relação com a minha fé é extremamente positiva e feliz. Quando penso em Deus o que me inunda é um sentimento intenso de liberdade e de paz. Deus, da forma como o compreendo, deve adorar ouvir John Lennon e provavelmente seria o primeiro a compreender a importância de uma sociedade laica!

Mirella disse...

o problema é que se for esperar Deus fazer alguma coisa já sabemos que ele é lerdinho.

Apesar de que matou os Mamonas rapidão. Deus é brasileiro?

Mirella disse...

to fazendo piada porque senão vou vomitar o almoço gostoso só de pensar neste preconceituoso, racista, misógino, homofóbico, hipócrita e estelionatário.

Mas que bom representante de Deus que cês foram arrumar, hein PSC?

Maiê F. Rezende disse...

Me dá desespero ler certas coisas. O que mais me choca não é a existência de um Feliciano, mas de pessoas que o apoiem...

Pili disse...

Obrigada, Lola, por contextualizar a afirmação do John Lennon.
Faz muita diferença ouvir a frase da forma que o pastor fala (solta, banal, com intuito único de inflar o próprio ego) e da forma como ela realmente ocorreu (falando sobre a temporalidade da fama de qualquer ícone, e explicando um movimento de diminuição do cristianismo que ele acreditava que aconteceria e que... de fato está acontecendo)
E saber que a declaraçào foi seguida de desculpas é ainda mais importante. Nao porque ele estivesse fora de seu direito ao afirmar, mas por sensibilidade, respeito, e atenção as pessoas.
Eu propria nao sabia como essa fala tinha sido.
Já tinha escutado antes outras pessoas repetindo ela assim, solta, como o Feliciano fez.
...pq ele não é o único, sabe. Essas idéias que ele defendem estão por aí. Por aqui. Pertinho da gente. Aos montes.
Essas ideias me cercaram desde a infancia. Pra mim nao é novidade nenhuma ouvir sobre a maldição da áfrica, ou que mulheres tem que ganhar menos que homens para manter a harmonia familiar.
Graças a deus, sem nenhuma ironia, eu fui uma criança e uma adolescente que escutou essas farsas e fez cara feia, tentou parcamente se opor com a linguagem que tinha a época, se decepcionou com quem falava. Muitas vezes fui sancionada por isso.
E me preocupo seriamente com as pessoas que crescem ouvindo isso, e outras coisas mais, sem conseguir se flagrar de que algo está errado.

Lilly disse...

Esse é o mesmo que é feito inteiramente de amor e perdão.
Pastores (fanáticos), entrem num consenso aí.

Roxy Carmichael disse...

eu não acho esse comentário do feliciano a exceção do pensamento religioso, sorry (não confundir com jesus cristo): a america pré-colombiana que o diga. e antes que alguém diga que religião não é isso, religião é amor, pergunto: já ouviram falar das cruzadas, da inquisição, ou faltaram essa aula de história?me refiro basicamente à religião católica que ainda é a mais poderosa do ocidente e a que acumula maior saldo de mortos.

yoko ono é uma gênia inconteste. demais palavras se fazem desnecessárias.

john e paul deviam ser insuportáveis, o que não impede que tenham sido gênios. acho o ringo qualquer coisa o que faz do george harrison, o meu favorito.

beatles ou stones?
fico com os últimos.

Luiza disse...

Eu não sigo nenhuma religião, mas acredito em Deus e em Jesus.

E, pra mim, esse Feliciano é um daqueles falsos profetas que foi dito que existiriam.

Eu tô fora. Felidemo não me representa.

ViniciusMendes disse...

Ai, ai cristianismo... Por que sempre tão anti-cristão?

:P

Lidiane Dutra disse...

Ontem vi este vídeo e fiquei chocada por alguns instantes, sem a menor reação. Eu passei por uma situação extremamente constrangedora envolvendo fanáticos religiosos. Por gostar de usar acessórios com caveiras e ser apaixonada pela cultura do Dia dos Mortos, três pessoas me abordaram e foram categóricas: eu queimaria no fogo do inferno porque o deus deles não gostava das minhas atitudes.
Que deus é esse, vingativo, assassino, preconceituoso? Não é nesse deus que acredito. Tenho medo das fábricas de lunáticos que se tornaram algumas igrejas e da capacidade dos vários Felicianos que existem por aí conduzirem as massas à loucura.

Beijos Lola!

ViniciusMendes disse...

@Roxy Carmichael

Todos os conflitos "religiosos" são essencialmente conflitos políticos que usam a fé pra transformar a população em massa de manobra. As cruzadas eram campanhas de tomada de terra, a inquisição era um mecanismo de manutenção da ordem política vigente. Sempre tem muito a ver com poder político/econômico e quase nada a ver com religião. A religião é um mecanismo muito interessante quando as pessoas sabem no que diabos elas estão se propondo a acreditar, algo que infelizmente não ocorre sempre no cristianismo e no islamismo, que ironicamente são duas religiões que condenam a violência.

Esse texto que faz possivelmente a melhor análise que já li sobre a expansão das igrejas neo-pentecostais explica isso bem no nosso contexto atual:
http://ciatriangulorosa.info/?p=329

Bia disse...

Olha, eu nem sei mais o que dizer sobre este homem. E muitos outros homens - e mulheres - que pensam dessa maneira.

Sério mesmo que o bem mundial, a paz que Deus quer é isso? É bater e matar gays, é matar aqueles que pensam diferente que porém nunca mataram ninguém? É perdoar estupradores, condenar as vítimas?

Por isso a igreja me irrita. Eu vejo um Deus diferente, um Deus que quer apenas amor, paz, justiça e felicidade. Que não sai dando raios nas pessoas, aquele que não foi moldado a ser quem é por seres humanos egoístas e hipócritas.

Justificam atos cruéis e insanos em nome deste todo poderoso, para esconder a verdadeira maldade que é a pessoa em si.
Será que seria tão difícil conviver com todos e respeitar a todos? Será que é mesmo necessário matar uma mulher porque ela não quer mais estar no relacionamento?

Me cansa isso tudo. Me cansa mesmo.
E o pior é ver um monte de gente com estes pensamentos nojentos, sem ter vontade de mudar. Vivendo de 'é só uma piada'.

Mas se não tivermos fé na humanidade e força para lutar (porque só fé não basta, acho que Deus tem mais coisas para fazer), o que mais haveremos de fazer? Nada.

Rob disse...

Esse cara já cansou minha beleza.Parece que tá plantado lá.

Rob disse...

Esse cara e o partido dele já cansou minha beleza.

Sara disse...

Feliciano é só mais um fruto da religião, que prima em nos brindar com com esses mimos, machismo, homofobia e racismo de lambuja.
Mas como dizem algum temos q respeita-lo, afinal é a cultura dele, ele não representa todos os cristãos e bla bla bla bla .....

Stefano disse...

“As religiões são um mal necessário, mas me pergunto porque quase sempre são mais mal que necessárias”. (A.C Clarke)

Andrea Saffioti disse...

Olhem isso, não vi nenhuma simpatia dele pelos mascus.

Será q outros grupos contra nos estão surgindo?

http://www.criticasepensamentos.com/2010/08/garotas-moderninhas-pagu-feminismo-mpb.html?q=feminista

http://www.criticasepensamentos.com/2010/11/o-feminismo-no-banco-dos-reus.html?q=feminismo

http://www.criticasepensamentos.com/2010/11/o-feminismo-no-banco-dos-reus.html?q=feminista

http://www.criticasepensamentos.com/2010/12/heleieth-saffioti-morta.html?q=feminista

http://www.criticasepensamentos.com/2011/12/femen-nuas-contra-prostituicao.html?q=feminista

http://www.criticasepensamentos.com/2012/04/nao-ao-aborto-de-anencefalos-os.html?q=feminista

Caroles disse...

Sabe Lola, depois de 3 protestos na Redenção em POA (um menor que o outro, infelizmente), depois de ver vídeos, depois de ler sobre, passei da fase de achar isso tudo ''peculiar'' ou de pensar que será passageiro. Cheguei na fase do medo, muito medo. Acho que esse cara não sai de lá tão cedo.

Elen disse...

As pessoas falam absurdos em nome da religião,porque no antigo testamento,que foi o que eu li,está cheio de absurdos.
Mulher deve ser escravinha do homem,gays vão pro inferno,tem várias histórias que mostram um Deus sem um pingo de bondade.

Como a de jó,mesmo sabendo que ele era homem com fé,Deus mata toda a sua familia e seus animais,deixou ele na merda para provar ao demônio que o cara acreditava nele em todas as situações,bondade demais...

Cheguei a ler que a mulher era o pecado e se por um acaso um pobre homem usasse os serviços de uma prostituta,a culpa não era dele,a mulher que é o mal e o atraiu,tadinho!

Eu acredito em Deus mas não na biblia,que obviamente foi escrito por homens,que escreveram o que bem quiseram,todas as qualidades que todos dizem que Deus possui não condizem com as ações dele na biblia.

Carol disse...

Esse vídeo está pipocando no meu feed de notícias. Pra ver que mexer com beatlemaníacxs e chicólatras não pega muito bem. :P

Barbara O. disse...

É o deus de feliciano que ataca gays na paulista, mata mulheres em situação de aborto, permite a desigualdade racial? Me parece mais o demonho isto.

André disse...

Eu recomendo ler a Bíblia. Não tem como ler a Bíblia e continuar acreditando nela.

Anônimo disse...

Os crentes vão substituir a "Xuxa Macumbeira" pelo "Lennon Anti-Cristo".

Quando eu acho que já escutei de tudo dentro do mundo evangélico, sempre aparece um para surpreender. Que lástima!

Anônimo disse...

Obviamente o Marco Feliciano é um babaca, falou besteira, blá blá blá... Mas desculpe, Lola, Lennon agredia a primeira esposa. Não consigo simpatizar com um homem que já tenha batido em mulher.

yulia2 disse...

cuidado lola, vão te chamar de cristanfóbica já já

Beatriz disse...

Se deus realmente é tão vingativo e se ofende fácil como essa coisa (pq Feliciano não é homem, humano, animal, ou ser vivo pensante), mal posso esperar para ver o que aguarda esse ~representante de minorias~...

Anônimo disse...

Ótimo texto (pena que é tão curtinho!). Mas também sou beatlemaníaco e preciso fazer uma correçãozinha: Paul e John já há quatro anos não se apresentavam mais em shows, antes da banda acabar. por isso, não podiam estar cansados de fazerem shows juntos.

Victor disse...

John Lennon pregava o fim da propriedade mas vivia muito bem em um apartamento luxuoso, falava sobre o fim da violência mas batia na mulher, cantava sobre amor mas renegou o próprio filho. O cara era um grandíssimo hipócrita.

Anônimo disse...

A Dilma e o PT acovardaram-se na última eleição para esses pastores e conservadores. Meu voto não têm mais. Nunca mais.

Anônimo disse...

Vinicius Mendes, o que disse não é bem assim, a religião se vale da politica PARA TAMBÉM conquistar espaço, é uma relação simbiótica.

Rafael

Martha disse...

Não lembro se foi no DVD Antology, ou em alguma biografia dos Beatles, mas sei que o próprio John explicou o que ele quis dizer com a frase. Ele fez uma crítica a Igreja e a maneira como ela vinha se relacionando com os jovens, já que se mantinham conservadores, o que acabava os afastando da instituição, tornando uma banda de Rock muito mais popular, naquele momento, que Jesus Cristo. E essa crítica do John a Igreja é real e mais atual do que nunca.
Sobre Marco Feliciano tenho cada dia mais medo desse extremismo religioso que está sendo construído no Brasil e da força que esses pastores estão ganhando a cada dia. Daqui a pouco, se nada for feito, não serão apenas os gays e negros que serão perseguidos, mas todos aqueles que não compartilham da mesma fé que esses lunáticos.

Anônimo disse...

Oi Lolinha, so uma pequena contribuiçao, essa famosa frase do John Lennon ("woman is the nigger of the world") acho que na verdade é uma frase da Yoko Ono, titulo de uma musica escrita por ela. Mas o John a repetiu varias vezes depois em entrevistas.
Beijao!
Adriana

Roxy Carmichael disse...

vinicius

eu sou do time que acha que toda prática humana é uma prática política. portanto a religião é uma prática política. e é por isso que eu acho esse pensamento aqui "Sempre tem muito a ver com poder político/econômico e quase nada a ver com religião" bastante equivocado.

Hamanndah disse...

Victor

concordo

John Lennon não era santo, não. Soube que ele batia na mulher, não sei se na primeira ou na segundo. Soube, tambem, que quando o filho mais novo nasceu ele disse que se sentia pai pela primeira vez

bjs

Anônimo disse...

Anônimo disse...
Obviamente o Marco Feliciano é um babaca, falou besteira, blá blá blá... Mas desculpe, Lola, Lennon agredia a primeira esposa. Não consigo simpatizar com um homem que já tenha batido em mulher.

[2]

Às vezes acho que a Lola dá muito o benefício da dúvida pra certas escórias só porque elas tinham algum talento ou um discurso bonitinho na teoria.

Sara disse...

http://www.youtube.com/watch?v=Hnu06XjWPvM

Adoro beatles, mas curto mais ainda os Rollings Stones e essa musica em especial vai com todo amor e carinho p o Feliciano, tem muito mais a ver com ele...

bruna disse...

Concordo com o post, Lola! muito bom!
Eu só não concordo com a parte em que o john era o melhor dos beatles. Com certeza todos temos defeitos, assim como o paul é super controlador, o john já bateu em mulheres, foi super canalha em sua juventude e, penso eu, ou ele amadureceu e veio com essas manifestações lindas de amor ou ele foi super influenciado pela yokoo e quis agradar um nicho de mercado. Ainda assim, são manifestações lindas que ficaram, e por si só já são importantes. Mas dizer que ele é o melhor dos beatles é uma afirmação arbitrária, não? Há muita discussão sobre quem seria o melhor, e não há uma conclusão. Não podemos ser tão autoritários assim ao afirmar nossos gostos pessoais. Paul é um gênio, absurdamente musical, que faz muito pela proteção aos direitos dos animais e que sempre respeitou as mulheres. Não vejo uma grande vilania em fornecer apenas comida vegetariana aos seus empregados, é uma causa muito legítima em que ele acredita, e seria hipocrisia ele se declarar vegan e pagar churrasco para o guitarrista. Direitos dos animais é tão importante quando das mulheres e demais minorias.
E quanto às inovações alegadas por uma comentarista acima, é uma injustiça dizer que o paul usa uma velha fórmula, pois musicalmente ele é super aberto, e fez grandes inovações em mixagem.
Gostos pessoais à parte, compartilho da opinião sobre as religiões, e quem me dera o maior problema do mundo fosse definir quem foi o melhor dos beatles. Feliciano me envergonha! E com certeza ele não representa o jesus bonzinho e imaginário que só fala em amor, até o john (que já bateu em mulher :(() representa muito mais o jesus amoroso do que o feliciano.

bruna disse...

Mais uma coisinha: as melhores coisas em prol de minorias que john disse(e até fez) foi influenciado pela yoko. E mesmo assim ele já bateu nela e bateu na primeira esposa... marco feliciano não me representa, mas um homem que batia em mulheres e de certo ponto de vista era hipócrita também não me serve. Ele não é o melhor ídolo não, especialmente para uma feminista. Não vamos sujar uma boa ideia com a sombra de um homem que comprovadamente foi muito hipócrita. Mulheres, em geral, nos representam mais... Ou pessoas realmente boas, que não pensem só na imagem e em vender discos aos revoltados de uma certa época.

Rodrigo Souza disse...

Deus mandou o próprio filho pra morrer aqui na Terra e mais tarde matou John Lennon para não ter concorrência pro seu garoto, é isso?

Thays Amorim disse...

Deus, de jeito algum, é vingativo. Sinto vergonha pela imagem que Feliciano está levando ao país inteiro de intolerância como religioso. Acredito em Deus, mas se acredito nele, primeiramente, é porque acredito no amor. Adorei o seu texto! Igualdade, respeito e amor xxxxxxx

Anônimo disse...

Já assisti esse documentário. Não vejo John Lennon como um grande pensador. Ele era uma pessoa corajosa, mas muito egocêntrica. E a Yoko Ono sempre me pareceu que é muda, nunca diz nada interessante.
Fora isso, o vídeo do Feliciano é lamentável. Esse sujeito é a escória.
Ragusa

Marina disse...

Ah, então as feministas vão para o mesmo inferno de John Lennon, Renato Russo, Cazuza, Fred Mercury, Saramago, Brad Pitt (se declarou ateu), todos os escritores legais, os politicamente corretos... vamos todos pro inferno????? Como é que esse inferno vai ser chato???? Vai ser bom demais!!!!!!!!

Marina disse...

Lola, nós feministas vamos todas para o inferno. Os homens feministas, também. Já os homofóbicos, racistas, papas, pastores e politicamente incorretos vão para o céu. O inferno vai ferver!!!!!!!!!!!!!!! Inferno, querido, aí vamos nós!

Marina disse...

Victor, de onde você tirou isso de que John Lennon batia na mulher???????????????????????????????????????????????????????????????? Que eu saiba, não é verdade. Quero fontes.

Anônimo disse...

E toda aquela gente que concorda com o que ele diz? Não só concorda, apoia, repete e deixa o dinheiro no fim do culto. Vão começar a dar tiros em nome de deus tb? Nas feministas, gays e negros é claro, pq nenhum desses está nos planos do deus deles.
Como se não houvesse violência que chega contra esses grupos.

Roxy Carmichael disse...

@vinicius
acho equivocado porque pressupõe que a religião possui uma essência que poderia se dissociar da política.
que a relação entre religião e política se dá quando se "deturpa", ou se "apropria" dessa suposta essência para justificar uma disputa de poder ou ganância econômica. acho um raciocínio que mais que ingênuo, é bastante simplório.

Sayoss disse...

Adorei o post, acabei assistindo o doc que você citou, e o infeliz presidente da CDH ter atribuído a Deus a morte do John pra mim é das maiores blasfêmias que ele já disse.
Fico muito triste pela grande maioria dos "fiéis", que não distingue um discurso de ódio quando vê um.

Julia disse...

Deus te ouviu, Lola.

http://www.youtube.com/watch?v=t11JYaJcpxg

Amén.

Anônimo disse...

Hahahaha, tecnicamente ninguém sobrevive. Não conheci ninguém até hoje que tenha sobrevivido à vida.

Rê_Ayla disse...

Se Deus matou qualquer pessoa que seja em toda a história da humanidade, cadê provas? Aliás, cadê provas de que Deus existe?


E... que tal parar de dar ibope pra essa biba pastora de chapinha no cabelo e sombrancelha feita hein?

Gabriela Barbosa disse...

Quanto mais ele tenta se "consertar",fica cada vez pior!

Cris disse...

ainda que John Lennon tenha batido na mulher, certamente que não foi "deus" que atirou nele, e marco feliciano continua errado. ._.

ViniciusMendes disse...

@Roxy Carmichael

Eu usei política no sentido mais vulgar mesmo, embora eu concorde que toda ação humana seja uma ação política. Então vamos reescrever isso:

Os conflitos movidos por motivos religiosos só eram religiosos pra quem tava se ferrando... Pra quem realmente ia tirar um proveito político daquilo, a religião não era mais do que uma ferramenta de convencimento. As cruzadas não eram pra propagar a fé cristã, eram pra tomar terra dos outros. A inquisição não era pra caçar o diabo, era pra colocar as pessoas em estado de pavor, voltar umas contras as outras e evitar assim que o poder vigente fosse contestado.

Vários conflitos usaram e usam motivos diferentes (ideologias, estrutura econômica, diferenças estéticas, diferenças culturais) pra fazer exatamente a mesma coisa exatamente do mesmo jeito... Qualquer ditadura na verdade. Dá até pra pegar um exemplo batidíssimo, o Nazismo, que é bem recente.

E não se pode jamais esquecer que as duas religiões mais usadas pra justificar conflitos atualmente condenam tanto matar (sem ser legítima defesa) quanto cuidar da vida dos outros... Os trechos usados pra justificar a violência sempre são uma leitura seletiva e descontextualizada.

Cora disse...


Nojo eterno.

É só o que eu tenho pra dizer hoje.

Cora disse...


E PRECISO dizer, também, que estou com saudades da Roxy!

Não dá pra deixar pra depois!

.
.

Some não, gata!

Anônimo disse...

"E... que tal parar de dar ibope pra essa biba pastora de chapinha no cabelo e sombrancelha feita hein?"
Continuaremos protestando até ele entregar o cargo na CDHM (:
E, que tal não usar homofobia contra um homofóbico?

Cora disse...


E só mais isso:

A ideia do sagrado é fantástica. Não sei como esse povo "das religião" consegue estragar tudo!!

Que bosta!

Ontem aprendi que não devemos fingir que não sentimos ódio.


Então...


... eu odeio muito tudo isso!


Anônimo disse...

Agora me digam: qual a diferença dessa declaração pro discurso de vários terroristas que matam em nome de Deus? É menos grave por ser "cristão"? Pra mim, é uma ofensa a todos os cristãos, isso sim!

Isso é muito verdade!


Quanto ao Lennon agredir a primeira mulher, já ouvi falar nisso, mas não sei qual é a fonte.

Mas mesmo que seja verdade, por mais injustificável que seja uma agressão, também não pode condenar pra sempre um cara que batia na mulher.
Meu avô batia na minha avó e isso foi uma coisa horrível que marcou a família inteira, causou muito sofrimento a todos, mas ele era um homem bom. Era doente. Era muito doente, depressivo e sabe-se lá mais o que. Mas além da sua doença, ele veio de um tempo, de uma cultura onde isso era normal, bater na esposa e nos filhos. Se ele fosse jovem hoje, talvez (provavelmente, eu creio) ele não faria o mesmo. Ele buscaria tratamento pra depressão e tentaria lidar com as suas inseguranças. Falo isso porque o conheço.
Não posso fazer afirmações sobre o caráter do Lennon na sua vida privada, mas se é que ele realmente agrediu a esposa, não significa necessariamente que ele achava que estava tudo bem, mesmo inserido num contexto cultural que aceitava essas situações. A imagem pública dele é de um homem que se preocupava com o mundo, pregava a paz e até onde se sabe, nunca bateu na Yoko, e isso é o que importa.

Anônimo disse...

Te juro minha querida a justiça há de ser feita. Compartilho com vc uns dizeres sensacionais assim como os seus.
http://papirodemarcas.blogspot.com.br/2013/04/marco-e-limitar-se.html

Bju!

Anônimo disse...

Lola, no início quando vc diz:

“Ah sim, ao contrário do que reza a renda machista (..) ”

não queria dizer “lenda”?

--

E é incrível como ele acha q quem vai contra a corrente do cristianismo acaba por morrer, de preferência em uma tragédia. Acho q ele disse algo parecido sobre os haitianos.. Fico pensando quanto tempo ele vai durar em frente da comissão, por que enfim o que mais falta ele falar? qual minoria ele ainda não atacou?

Moema L disse...

Lolíssima, espero que ele não vá para o inferno não, eu já fui mandada para lá tantas vezes (por ser agnóstica, feminista, defensora dos movimentos glbt, contra humoristas cretinos etc)
que comecei a ver a ideia com bons olhos, fiquei imaginando que seria uma boa. Águas termais, clima tropical, gente interessante, boa musica, o tesudo do CAZUZA entre outras coisas. Minha família toda tinha decidido ir junto. Então definitivamente espero que ele vá para o céu junto com todos os seus talifãns, tenha aulas de genética com o "super conceituado geneticista" Silas Malacheiadedinheiro e passe a eternidade ouvindo RR soares para aprender o que é bom para tosse.

Deus matou John Lennon por causa da concorrência é isso?

# Feliciano NÃO me representa.

Sphynx disse...

Já fazem mais de 100 anos, e hoje ainda tem gente que acha mesmo que o Titanic afundou só porque alguém supostamente falou: "nem Deus afunda este navio". Vi um comentário nesse sentido em algum link para esse vídeo do Feliciano.

Sphynx disse...

Obs. Vamos contabilizar quem o Feliciano já insultou:

- afrodescendentes, ao dizer que africanos são amaldiçoados;

- homossexuais, ao dizer uma série de coisas que todos já sabem;

- mulheres, ao dizer que a igualdade entre os gêneros leva à destruição da família;

- umbandistas, ao dizer que terreiros precisam acabar e pais-de-santo devem ser "sepultados";

- defensores dos animais, ao criar um projeto de lei para extinguir a raça pitbull;

- beatlemaníacos.

A Lola pode fazer um bolão de quem vai ser o próximo alvo desse sociopata. Acho que vão ser os asiáticos.

Mirella disse...

A fonte de que Lennon agredia Cynthia Powell, sua primeira esposa, é a própria Cynthia, no livro que lançou para contar sua parte da história com o astro.

Encontrei referência aqui:
http://veja.abril.com.br/210905/p_129.html

Aqui:
http://www.istoe.com.br/reportagens/26200_A+ROUPA+SUJA+DE+JOHN+LENNON

--

Obviamente, não tem relação nenhuma com os tiros "em nome do pai" etc. É só para quem pediu as referências.

Anônimo disse...

e agora inventaram a "cristãofobia", né? Esse povo sabe que fobia quer dizer medo irracional?

Pois bem, sou "cristãofóbica" mesmo. Estou apavorada com tudo isso. Daqui a um tempo podemos virar uma teocracia. Já imaginaram?

Bia disse...

O inferno que me aguarde, se a igreja não me quer, paciência. Ser feminista, ativista, não-preconceituosa nos dias de hoje é sinonimo de ir para o inferno.

Fazer o quê. Quem manda a gente ser malvadas (os) assim? Quem manda a gente querer proteger gays que morrem por serem gays? Quem manda a gente querer viver feliz da nossa maneira? Em?

Julia disse...

Lola, eu também sou fã de Beatles desde criança. Meu nome inclusive é Julia por causa da mãe do John Lennon! Eu sempre li e vi muitas coisas a respeito dos Beatles e principalmente do John que foi meu favorito por anos. Há uns 2 anos atrás li esse livro da Cynthia (que comentaram nuns posts acima) e meu carinho pelo John diminuiu drasticamente.

Pelo que ela conta no livro ele era muito agressivo, tanto com ela quanto com o filho deles (que pra mim foi o que mais sofreu na história toda). Ele era muito rancoroso e isso dá pra entender se voltarmos na infância dele que foi super conturbada. Era um gênio sim, mas um homem bem fruto da época que ele viveu.

As idéias revolucionárias vieram junto com a Yoko sim e também regadas à base de muita heroína (tem uma passagem que a Cynthia conta que ela acordava de manhã e tinha que passar por cima dele - e de pessoas que ele trazia pra casa - desmaiadas no chão da cozinha pra poder dar o café da manhã do filho!).

O momento em que ele conheceu a Yoko e se apaixonou eu achava o mais lindo do mundo. Mas aí no livro a gente tem a visão do outro lado. A descrição dela de como descobriu o que estava acontecendo (pq eles ainda eram casados) é muito triste. Ele tinha atitudes bem perversas, bem imaturas.

Tem também sobre a pensão do Julian (que era um direito dele) era atrasada de propósito fazendo com que a Cynthia ficasse no vermelho por meses...

Enfim, eu tenho a impressão que quando o Sean nasceu ele percebeu algumas coisas, amadureceu um pouco. Me dá muita tristeza saber que no momento em que ele e o Julian começaram a se conectar a vida dele foi interrompida.

Acho que vale muito a pena a leitura desse livro. :)

Emy disse...

Lola, PELAMORDEDEUS! Como é que pode? Eu não sei se fico triste por um cidadão desse pensar assim, ou se fico triste por ter um monte de gente que toma isso como verdade, ou se fico triste porque essa criatura esta liderando uma Comissão de Direitos Humanos!
Me perdoa a expressão, mas, PUTA QUE PARIU! Já dizia Murphy, nada esta tão ruim que não possa piorar...
Obs: Deus é lerdissímo, porque além de matar John 14 anos depois, esqueceu Freud, Sartre e um bocado de "pecador" por aí...

Anônimo disse...

Não tem nada a ver com o tema do post, mas Lola, por favor, escreva alguma coisa sobre os casos de estupros praticados por aqueles três calhordas no Rio:
http://www.dm.com.br/texto/105429-turista-estuprada-foi-oferecida-a-homem-no-rio
A turista norte-americana que foi estuprada dentro de uma van foi oferecida a um traficante, que a recusou alegando que ela estava 'muito estragada'...Que nojo!!
Tem uma coisa que me pergunto: essa estória de que bandido "comum" odeia estuprador não seria mais uma maneira de tornar imperceptível a cultura do estupro?

Gabriela Luzia disse...

Lola, cê já viu o texto que o Tio Rei postou atacando os manifestantes que dizem que Feliciano não os representa?

Vontade de enfiar uma batedeira nos olhos e sair cantando Yellow Submarine.

leonardo disse...

as feministas estragaram o mundo mesmo,antes era tudo mais normal,cada um sabia seu lugar,agora é homem virando mulher e mulher virando homem,uma putaria sem fim.
filhos sendo jogados em creches,nas mãos de qualquer um,sofrendo abusos,sendo maltratados,porque a mãe não quer ficar em casa,não digo que a responsabilidade de cuidar do filho seja só da mulher,mas alguém tem que ficar com as crianças.

queriam direitos mas agora se ferraram,além de terem que cuidar da familia ,ainda tem que trabalhar fora para aumentar o ego de vcs,para passarem a imagem de são fodonas e n precisam de homem.

se iludam a vontade.

Anônimo disse...

"A imagem pública dele é de um homem que se preocupava com o mundo, pregava a paz e até onde se sabe, nunca bateu na Yoko, e isso é o que importa."

Carx anônimx das 23:11
NÃO, ISSO NÃO É TUDO O QUE IMPORTA. Você acha que o fato de ele não ter agredido a última esposa muda alguma coisa, que todos os abusos e toda a violência que ele cometeu anteriormente deixam de existir, que o que ele fez na vida privada deve ser dissociado de quem ele foi publicamente?
Quanta hipocrisia.

Sobre o passado ficar no passado e sobre pessoas mudarem, tudo bem, contanto que elas cumpram a pena devida pelos crimes que cometeram, coisa que Lennon não fez, graças a sua influência e ao seu dinheiro.

E pra quem está pedindo fontes: É só ter um pingo de boa vontade e jogar os termos no google, garanto que vão aparecer trocentas fontes comprovando que Lennon era agressivo, violento, um belo de um hipócrita.

Sério, Lola, quanta decepção em ver um blog feminista defendendo um cara que agrediu a ex-mulher (nunca pagou por isso) e abandonou o próprio filho. Não lutamos contra isso?
Uma coisa é reconhecer o trabalho dele, outra bem diferente é defende-lo como pessoa.

Anônimo disse...

Só discordo do que você disse sobre os Beatles terem sido a maior banda de rock de todos os tempos. Eu tenho muita dificuldade de classificar o que os Beatles fizeram como rock, na verdade. kkkkkkkkkkk
Mas essa coisa do John Lennon ser hipócrita, porra, tem coisa mais comum entre os artistas do que hipocrisia. Vão dizer que os poetas românticos em vez de estarem enchendo a cara de vinho e fazendo orgias com prostitutas ficavam trancados em seus quartos sonhando com suas amadas como eles descrevem em seus poemas?

ViniciusMendes disse...

@Sphynx

Não sei se fico confortável vendo os beatlemaniacos serem comparados com minorias xD

Anônimo disse...

Tenho certeza que ele não conhece Deus,porque Deus é amor, não é vingativo, difamador e se quer assasino. Senhor perdoai-vo porque ele não sabe o que diz....

Hamanndah disse...

Leonardo, seu imbecil

Você acha que nós, mulheres, vamos nos sentir seguras de não trabalharmos para dependermos de voces e depois vocês baterem na gente e a gente não puder sair fora do casamento para não passar fome?

Muito bom, Leonardo, jogar a responsabilidade de cuidar das crianças só para as mulheres

Se voce, Leonardo, não gosta que as mulheres trabalhem fora de casa, o que acha da sua mulher ir a um ginecologista homem, ao invés de mulher?

Engraçado, vocês, mascus, são contra mulher trabalhar fora de casa e ganhar tanto quanto os homens, mas nenhum de vocês iria gostar de um medico homem examinando sua esposa

Como é isso? mulher não deve trabalhar fora de casa, mas na hora de levar a mulher no ginecologista, aí, sim, deve ter ginecologista mulher? Ué, mas não é para nenhuma mulher trabalhar fora, então,neste caso, sua mulherzinha submissa deve mostrar as pregas para um homem medico, ou não?

Sara disse...

A julgar por alguns comentários aqui só pessoas perfeitas, q jamais tenham cometido o menor deslize podem ser lembradas ou pelo menos a obra q deixaram.
Vai ser dificil achar alguem p se admirar , segundo esses parâmetros.
Nenhum governante, artista, pintor, escritor não terá cometido algum erro, são humanos como todos aqui.

Heitor disse...

@Sphynx rapaz, eu lembro de você lá da comunidade Harry Potter Brasil do falecido orkut... haha
Você esqueceu de mencionar os católicos, tem um vídeo na internet onde ele diz que o deus dos católicos é um deus fajuto. Tudo bem que os católicos na verdade são a maioria, mas ainda sim é um grupo.

Anônimo disse...

Sara disse...

A julgar por alguns comentários aqui só pessoas perfeitas, q jamais tenham cometido o menor deslize podem ser lembradas ou pelo menos a obra q deixaram.
Vai ser dificil achar alguem p se admirar , segundo esses parâmetros.
Nenhum governante, artista, pintor, escritor não terá cometido algum erro, são humanos como todos aqui.
-----------------------------------
É isso mesmo. O pessoal parece que fica surpreso quando descobre merdas de artistas que gosta. Quanta ingenuidade. Eles são o quê? Super homens?

ViniciusMendes disse...

@Sara

Curioso saber que violência doméstica e abandono parental podem ser chamados de "menor deslize".

Embora eu concorde que as pessoas podem mudar e que essa mudança se legitima deve ser observada pela sociedade, será que as pessoas que estão aqui defendendo o Lennon fariam o mesmo se fosse o Chris Brown por exemplo?

leonardo disse...

Anônimo Hamanndah

se minha mulher for num ginecologista homem,n vejo problema algum.
acontece que se a mulher quer trabalhar fora,então n case e n tenha filho,porque não vai ser capaz de cuidar de tudo e como eu vejo muito,a criança vai ser cuidada pela ruas,na minha rua eu vejo,os filhos dos outros na rua o dia inteiroa,aprendendo merda.

e antes de mulheres trabalharem,vcs n iam só em médicos homens? só falou besteira...

Rê_Ayla disse...

caro anônimo das 23:00:

a biba pastora de chapinha no cabelo e sombrancelha feita entregar o cargo na CDHM não vai adiantar pn, tendo em vista que os outros racistas, homofóbicos, sexistas e etc continuarão no congresso, lutando contra os direitos das minorias. Seria só tirar uma consequência sem atacar a causa da doença.

E eu continuarei a chamá-lo de biba pastora - se vc acha q por isso estou usando homofobia, dê-se ao menos ao trabalho de saber quem eu sou antes de me acusar de algo que, definitivamente, estou longe de ser.

Anônimo disse...

ViniciusMendes disse...

@Sara

Curioso saber que violência doméstica e abandono parental podem ser chamados de "menor deslize".

Embora eu concorde que as pessoas podem mudar e que essa mudança se legitima deve ser observada pela sociedade, será que as pessoas que estão aqui defendendo o Lennon fariam o mesmo se fosse o Chris Brown por exemplo?
-----------------------------------
É uma questão típica de dupla moral. As pessoas costumam ser mais benevolentes com as pessoas que gostam e admiram e bem mais inflexíveis com as outras. O Lennon fodão da (suposta) melhor banda de rock do mundo tem que ser compreendido; o Chris Brown que faz "música de merda" é um sujeito violento e incorrigível.

Mirella disse...

Leonardo,

Se você precisa de empregada, CONTRATE E PAGUE UMA. Se acha que a sua esposa é sua empregada, só está dando um atestado da sua incompetência em se virar sozinho.

bruna disse...

Concordo com o ViniciusMendes!!
Violência doméstica e abandono parental não são um mero deslize. Não sou perfeita e não exijo isso de ninguém, até perdoo a lola por não saber da realidade suja do john lennon e colocar ele como inspiração num blog feminismo. E também reconheço que ele fez coisas boas e tenho vontade de acreditar que ele realmente estava mudando, mas bater em mulher e abandonar filhos não é coisa que todo mundo faz, e não é assim tão perdoável de forma fácil. Eu tenho muitos defeitos, e não sou a melhor filha, irmã etc, mas sim, eu posso julgar e rejeitar ídolos que batiam em mulher! Eu nunca bati em ninguém, nem abondonei ninguém e muitas pessoas por aí são mais exemplos que eu e com certeza que o john lennon, portanto, desculpe, mas eu não vou passar por cima disso tão facilmente, eu escolho bem as pesoas que me servem de inspiração, não aceito qualquer coisa!

Anônimo disse...

Lola, vc esqueceu de comentar sobre o filho do primeiro casamento dele. Acho que se chama Julian.
Como sentir admiração por uma pessoa que abandona o próprio filho? Foi isso que ele fez ! Se divorciou na esposa e do filho.
Vi uma matéria na Reader's Digest contando que a Yoko não é essa pombinha de candura não. O John a deixava participar de ensaios quando isso era proibido, a chamou para fazer vocal sem consultar ninguém, entre outras coisas. E, se for ver a versão da Cintia, ae que se percebe o tipo de homem patife que ele era. Se vc tiver um tempo existe um texto citando o lado mau dele:
http://www.desfavor.com/blog/2009/03/processa-eu-lohn-jennon/
Bia

ViniciusMendes disse...

@Rê_Ayla

Sou gay, achei sua piada homofóbica e não faço a menor questão de saber pq vc não se acha homofóbica, pq seja lá qual for o motivo, sua piada continua sendo igualmente preconceituosa. =)

Hamanndah disse...

Leonardo escreveu:

"acontece que se a mulher quer trabalhar fora,então n case e n tenha filho,porque não vai ser capaz de cuidar de tudo e como eu vejo muito,a criança vai ser cuidada pela ruas,na minha rua eu vejo,os filhos dos outros na rua o dia inteiroa,aprendendo merda."

Curioso, Leonardo, vocês, mascus, defendem a bandeira, justa, por sinal, do compartilhamento de guarda após o divorcio.

Vocês,após o divórcio, quer dividir o tempo com os seus filhos, mas , ao mesmo tempo, enquanto estão casados, acha que a mulher é que deve ter obrigação de cuidar dos filhos, e não vocês, homens, que devem só sustentar

Eu repito, Leonardo, é muito perigoso uma mulher depender financeiramente de um homem que, às vezes, pode partir para a agressão física e, se ela for dependente financeiramente dele, ela não terá condições de sair de perto dele, e deve aguentar humilhações e pancadas até o resto da sua vida

Se você acha, Leonardo, que mulher casada não deve trabalhar fora, não venha reclamar de "ter de pagar pensao alimenticia a ex-esposa", nem de "sustentar a casa sozinho" e não use o seu poder financeiro para humilhar/maltratar sua esposa submissa

Pensão alimenticia, aliás, é algo que sou contra um dos dois pagar. O filho é dos dois, a despesa e o tempo deve ser dividido, por isso sou a favor da Guarda Compartilhada após divórcio e da emancipação financeira feminina/masculina.

Nenhum adulto, Leonardo, deve depender de outra pessoa financeiramente para pagar suas contas/sobreviver, pois esta situação só leva a abuso de uma das partes

Sphynx disse...

"ViniciusMendes disse...
@Sphynx

Não sei se fico confortável vendo os beatlemaniacos serem comparados com minorias xD"

Ops. Mas nem pensei em termos de minorias, só em termos de grupos que têm motivos pra abominar o Feliciano e tudo que ele diz, e os beatlemaníacos talvez seja um grupo tão numericamente grande quanto os outros, hehe.


"Heitor disse...
@Sphynx rapaz, eu lembro de você lá da comunidade Harry Potter Brasil do falecido orkut... haha
Você esqueceu de mencionar os católicos, tem um vídeo na internet onde ele diz que o deus dos católicos é um deus fajuto. Tudo bem que os católicos na verdade são a maioria, mas ainda sim é um grupo."

A comunidade ainda existe, por incrível que pareça eu ainda vou lá de vez em quando. Não sabia dessa dos católicos. Nem os outros cristãos ele deixa em paz lol

ViniciusMendes disse...

@Sphynx

Com certeza é o grupo mais perigoso de se mexer, hahaha!

Anônimo disse...

Poxa, Lola, você poderia ter pesquisado melhor, né...
Fazer um post de admiração de um sujeito que abandonou filho, maltratou ex mulher e era HIPÓCRITA é de cair o cu da bunda, hein...
Esse post me deixou mais triste e constrangida do que a homenagem do FEMEN (que sabidamente é um grupo alienado e desorganizado) a Margaret Thatcher...
:(
Bia

Anônimo disse...

Só um vagabundo que não trabalha pra ser contra propriedade/posse.

Anônimo disse...

então..queria saber..por que o Felicinao ainda estálá?

por ele eh a m,elhor opção?
por que ele é teimoso?
por que o psc adora ele?

não geeeeente..
ele ta la pq o PSC que algo...e ele não saira de la enquanto o PSC não conseguir..eles querem mais espaço no governo e montaram uma bela armadilha..ou ganharam ela..não interessa, o que interessa eh que o feliciano não vai ficar la pra sempresó ate o PSC cpnseguir o que quer..
quem tem que sair de lá é o PSC

que tal irmos na raiz??

... que tal começarmos a manchar o nome do partido pra fazer pressão?
que tal jogar os podres do partido todo no vetilador pra fazer pressao neles???
sera que o PSC aguebta firme varios ataques pelo Feliciano??


--------

Bela democracia você defende, só o pt e o pstu têm direito de existir não é?

Julia disse...

É, Leonardo, contrata uma empregada e uma babá pra resolver seu problema. E olha a PEC das domésticas, tem que pagar tudo direitinho, viu?

lola aronovich disse...

Gente, sobre o John Lennon: se o grande indício de que ele era um espancador de mulheres é esse trecho no livro da primeira mulher dele (em que ela conta que ele lhe deu um tapa no rosto num banheiro), hmmm... É isso? Um tapa no rosto faz de alguém um espancador de mulheres? Porque eu acho meio irresponsável ficar espalhando isso. Não acho que John Lennon tenha sido um santo. Como está no post, ele foi um cara difícil -- há inúmeros relatos disso em montes de biografias. Creio que, como tantas celebridades, ele deve ter sido uma pessoa bastante insuportável pra se conviver. E claro que é condenável que ele não tenha sido um bom pai pro seu primeiro filho, Julian. Mas isso invalida os Beatles? Invalida as campanhas que John fez pela paz? Eu não entendo isso de considerar alguém imprestável por causa de erros que essa pessoa cometeu. Tipo, todxs nós cometemos erros, não? E com um erro tudo que alguém fez de bom tem que ser desconsiderado?
E por que essa condenação post-morten do John? Tipo, 30 e poucos anos depois da sua morte, a gente tem que dizer que "Give peace a chance" é NADA porque ele deu um tapa no rosto da primeira mulher? E que é decepcionante um blog feminista gostar de John Lennon?! Aliás, mais do que gostar -- defendê-lo! É, vamos nos unir a Marco Feliciano e afirmar que John Lennon REALMENTE mereceu ser assassinado.


Ah, e gente, onde foi que eu disse que John era melhor que Paul? Eu amo os Beatles, que são quatro (ou cinco, se a gente considerar a importância do George Martin). Mas quem se destacou mais individualmente, musicalmente falando, pós-Beatles, foi John.

Victor disse...

O próprio Lennon admitiu que batia em mulheres. Não é nada novo na biografia dele. Todo mundo comete erros mas alguns desses erros dizem muito sobre o caráter da pessoa. Bater em mulheres e ser incapaz de aceitar o próprio filho me torna incapaz de enxergar a obra de John sem pensar na hipocrisia que tudo aquilo representa.

Cora disse...


seres humanos são imperfeitos e limitados. não dá pra conhecer bem alguém sem conhecer também seus defeitos e idiossincrasias. e isso, no geral, não é bacana.

o abandono do filho é uma mancha terrível mesmo. e talvez mais até do que as agressões, o abandono e a humilhação da primeira esposa também. falo de abandono afetivo. não é necessário abandonar uma pessoa para se separar dela.

não conheço a fundo a história deles, mas me parece que yoko é mais forte emocionalmente do que a primeira esposa, conseguindo manter um tanto de individualidade no relacionamento com uma celebridade. lennon com toda certeza devia ser uma pessoa bem difícil.

eu tenho um quase medo de descobrir atos muito condenáveis de pessoas que admiro. por isso evito algumas biografias. de certa forma esses atos acabam manchando um pouco a produção artística ou científica ou filosófica da pessoa e diminui minha admiração.

reconheço as limitações humanas, especialmente limitações emocionais e, no geral, lido até bem com elas no cotidiano. mas não consigo muito evitar perder um tanto de admiração quando se tratam de artistas ou cientistas ou filósofos.

e eu concordo com a hamanndah. nenhum adulto deve ser financeiramente dependente de outro adulto. é terrível que ainda se exija isso de mulheres e, mais terrível ainda que se use crianças para fazer chantagem e justificar essa dependência. as crianças estão abandonadas por uma série de razões que não tem a ver com a busca da mulher por autonomia e independência. até porque mulheres pobres SEMPRE trabalharam e seus filhos recebiam atenção e cuidados. até porque em milhares de lares as mulheres trabalham e criam crianças saudáveis e felizes. e milhares de lares mulheres não trabalham e as crianças estão emocionalmente abandonadas.

o problema do mundo não são as mulheres. e não é oprimindo mulheres que esses problemas se resolverão.

despistar problemas sociais que nada tem a ver com a mulher reportando-o à mulher é pura má fé. é fazer o que religiosos têm feito desde sempre: responsabilizar a mulher por problemas que são responsabilidade de todos nós. que se faça isso em pleno século xxi é de cair o cu da bunda, como dizem por aí.

Anônimo disse...

Eu não quis defender o caráter do John Lennon, nem quis dizer que a vida pregressa dele não importa. Vai se saber se o que contou a ex mulher dele é tudo verdade. O que eu quis dizer quando falei que a imagem pública é o que importa, que o que ele apresenta pro público era oposto. É o que importa pra gente, pro público. Tenho que admitir que pouco me importa a vida pessoal das pessoas públicas.
Talvez meu comentário tenha sido mesmo infeliz. Mas não quis defender a violência que ele cometeu.
Só quis dizer que violência doméstica não está necessariamente relacionado com falha de caráter, mas com doença+imaturidade+sociedade que aceita esse tipo de situação.

Nicole disse...

Rê_Ayla usa uma palavra usada para desmoralizar quem é gay como um insulto ao Feliciano e quer dizer que não está sendo homofóbica, que?

Anônimo disse...

"Vai se saber se o que contou a ex mulher dele é tudo verdade."

Parabéns, anônimx, conseguiu minimizar a violência doméstica e duvidar da palavra da vítima na mesma página, um feito homérico (ou melhor, um feito masculinista).

As pessoas cometem erros? Sim.
Eu não sou perfeita? Não, não sou.

Mas ainda não agredi ninguém, nem abandonei e ignorei um filho; E também não estou sendo homenageada e endeusada no blog da Lola.

Ele não foi um espancador, Lola; Ele foi um agressor (porque até onde eu sei tapa é agressão e determinados tapas podem causar um grande estrago) que ignorou o próprio filho por 12 anos. E é esse o tipo de homem que você homenageou em uma postagem.

Pra mim, como feminista, violência doméstica, seja física e/ou emocional (porque o cara era um neurótico chantagista da pior estirpe) é INADMISSÍVEL.

Não estou falando que ele não mereceu os louros pelo trabalho bem feito que fez dentro da música, mas elogia-lo como ser humano já é demais. E me admira muito que os ditos fãs não conheçam nem a biografia do ídolo, porque até eu conheço.

Anônimo disse...

Lola, você está querendo diminuir o erro dele, como se não fosse tão importante.
Já li diversas vezes aqui que se um cara agarra uma mulher, a beija a força é considerado estupro sim. Então um cara esbofetear a ex esposa não é considerado uma agressão grave? O que ele tinha que fazer pra você achar grave? Espancá-la , deixá-la com cicatrizes? Sei não foi só a história do tapa nao, viu.
E, considerando que um tapa nao fosse uma coisa tão grave (você fez a agressão parecer banal) e o fato do cidadão ser negligente com o filho? Só foi um pai de verdade pro filho da ex amante.
Nossa, Lola, que relativismo, hein...
Ellen

Karoline Wunsch disse...

Nessas horas eu até queria acreditar eu deus!

Hamanndah disse...

Concordo com a anonima das 12:56. Agressão física, ainda que fosse uma vez, entre duas pessoas que se relacionam, acho indisculpável.

Tenho um post no meu blog sobre a musica dele, Woman, tem alguns elogios. Vou deletar estes elogios hoje mesmo

A música dele merece ser elogiada

A atitude dele com relação as mulheres e ao filho mais velho, não

Anônimo disse...

Anônimo disse...

Não estou falando que ele não mereceu os louros pelo trabalho bem feito que fez dentro da música, mas elogia-lo como ser humano já é demais. E me admira muito que os ditos fãs não conheçam nem a biografia do ídolo, porque até eu conheço.
-----------------------------------
Qual a novidade? Beatlemaníacos são tão alienados quanto fãs de Justin Bieber e Restart. E o pior é que se acham melhor do que estes por gostarem de uma bandinha escrota de pagode inglês que é tida como maravilhosa simplesmente pelo dinheiro que foi investido neles em relação a marketing e publicidade.

Camila G. disse...

Lola, que post ótimo! Eu sempre leio seu blog mas só me senti a vontade para comentar nesse daqui, frequentei a igreja durante muito tempo, muito mesmo, acredito em Deus e prego o amor. Mas ESSE Deus que o Feliciano prega não faz sentido e não são todos os cristãos que concordam, acho que isso é uma questão de bom senso. Tenho tido inúmeras dúvidas religiosas desde que virei feminista e passei a estudar o feminismo, mas quanto ao Feliciano não tem como ter dúvida. Você viu o que ele falou do Caetano? Enfim, Lola queria entender se a presidenta Dilma não pode fazer nada a respeito disso. Tudo bem que ela não pode sair por ai "se metendo" em tudo, mas o Obama, por exemplo, ele não "interferiu" no caso do casamento entre pessoas do mesmo sexo, mas ele se posicionou a favor publicamente, e isso já tem um peso (enorme), né? Enfim, quem sou eu pra decidir isso... enquanto isso continuando apenas me indignando e fazendo o possível para que esse tipo de político não me represente. Beijos.

Sara Lopes disse...

Gente, pelo amor de Deus! Quanto barulho por nada! Essa história de que Deus fez juízo quando John Lennon, Mamonas e não sei mais quem morreram não foi inventada pelo Marco Feliciano! Ele só tá repetindo o que há é dito há aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaanos em vááááááááááárias igrejas evangélicas e católicas PELO MUNDO! E esse video do Marco Feliciano é de uns 5 anos atrás. Parem! Simplesmente parem ¬¬

Sara Lopes disse...

O que cansa mesmo a minha beleza é essa stalkeação na vida do pastor. Não defendo ele, discordo pra começo de conversa com a eleição de qualquer lider religioso em qualquer cargo político. O que eles falam ou fazem em seus cultos, encontros ou reuniões religiosas diz respeito a eles, seus seguidores e a doutrina que apregoam. Assim como é permitido constitucionalmente (agora nas mãos dos dignissimos SQN José Genuíno e João Paulo Cunha) na liberdade religiosa.

Portanto, esses protestos todos deviam ocorrer no momento em que o PRIMEIRO líder religioso foi eleito.

Por acaso, há uns 6 ou 7 anos assisti esta pregação em minha casa. Antes dele se tornar um deputado ganancioso fui grande admiradora deste pastor e não me envergonho de dizer isso. Este discurso de um Deus justiceiro e imparcial é extremamente comum em todas as igrejas. Jogue no google e irão encontrar inumeros textos sobre a participação de Deus na morte de John Lennon, Mamonas Assassinas, Getúlio Vargas, queda do muro de Berlin entre outros. Assim como uma quantidade absurda de pregadores, pastores ou missionários que "denunciam" o satanismo da Disney, sua armação para destruírem a infância, assim como também falam dos malefícios dos video games com temas violentos, de terror e tudo mais.

Não está errado claro, protestarem contra este pastor. Mas, estão culpando uma pessoa que está apenas repetindo o que vários outros dizem e disseram antes dele. Se querem denuncia-lo, denunciem a todos! Se liga pessoal! Marco Feliciano não forma opiniões. Apenas repete o que todos já falaram de um jeito mais passional. Não é preciso ir a igreja pra saber os absurdos e falácias ditas lá. Digite no google, pesquise no youtube. Quem sabe assim, mais pessoas estarão nessa fogueira da inquisição dos protestadores de uma causa só. E de sofá, claro! =)

Anônimo disse...

o deus que matou Jon lennon, mata muita gente todos os dias... e se chama ignorancia.

Julia disse...

"por gostarem de uma bandinha escrota de pagode inglês"

kkkkkkkkkkkkkkkkk

Pegou pesado, hein?

Eu vi aquele filme sobre a adolescência do Lennon, Nowhere Boy, e ele já era um escrotinho e o Paul um fofinho. Mas também que infância e adolescência conturbada ele teve, né? E tem o gracinha do Aaron Taylor-Johnson interpretando ele..

Anônimo disse...

Julia disse...

"por gostarem de uma bandinha escrota de pagode inglês"

kkkkkkkkkkkkkkkkk

Pegou pesado, hein?
-----------------------------------
Não, musicalmente eles eram fracos e se você for pegar a fase que antecede Rubber Soul(o encontro com o Bob Dylan e toda aquela "virada" artística) a coisa é de uma tristeza só. Nem consigo sentí-los como rock. Pra mim rock está relacionado a uma certa energia e malandragem que bandas contemporâneas a eles(Kinks, The Who, The Sonics, Stones, Trashman) e músicos anteriores(Elvis, Chuck Berry, Jerry Lee Lewis, Little Richard e outros) tinham. Os Beatles não tinham nada disso.

Verônica disse...

Ai Lola, você me representa! <3 huahuaha Eu super concordo com tudo que você disse sobre o John, sou muito fã, tanto de Beatles quanto de John em sua carreira solo (sou apaixonada pelas músicas e a profundidade delas) e ativismo, pra mim ele é gênio sim, e a Yoko pra mim também é genial, maravilhosa. Ele teve um passado violento e ele mesmo admitiu isso e reconhecia os erros dele, ele quis mudar como pessoa, e quando vemos que ele gravou (não sei se também compôs porque vi uma pessoa falando que a Yoko que compôs) uma música como "Women is the Nigger of the World", vemos essa mudança muito clara. É uma das músicas mais feministas do mundo. Fora isso, eu admiro muito todo o ativismo dele pela paz, pelas pessoas, pelo fim da guerra, tudo que você mencionou.

Sobre o Feliciano, eu não sei mais o que dizer sobre ele. Essa sobre o John foi demais, mas nem me surpreendeu. Atribuir a morte de uma pessoa a Deus/Jesus. Me lembro logo dos jovens que morreram na boate de Santa Maria e tinha gente falando que se eles estivessem numa igreja não teriam morrido. Essa "fé" baseada em ódio vai longe.

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Morri...
http://mariadapenhaneles.blogspot.br/2013/04/mae-menininha-do-patua-e-mae-menininha.html

o sujeito é diplomado em ignorância

ViniciusMendes disse...

*Cristão mode ON*
O mais engraçado na verdade é que Deus mata todo mundo, né? Ou alguém conhece alguém que viveu pra sempre? :V
*Cristão mode OFF*

Mordred Paganini disse...

O que vocês diriam ao saber que seus intelectuais favoritos apoiaram o movimento social pedófilo?

E assinaram o documento? O que eu tenho a dizer em favor deles?

Hummm...Acho que nada.

Mas continuo os estudando, não pelas pessoasx que foram, mas pelas ferramentas que forneceram.

Julia disse...

Ai eu fui procurar "Movimento social pedófilo" no google e perdi o restinho de fé na humanidade que restava em mim.

Anônimo disse...

As pessoas não gostam de dizer isso claramente, porque se esforçam pra respeitar a religião dos outros ou não ser acusadas de hereges, mas a bíblia incita ao assassinato sim. é um livro extremamente violento.

Lucas M. disse...

Lola, já viu o filme do porta dos fundos sobre deus? No final eles tem uma ideia parecida com a sua

Seu texto é maravilhoso! Parabéns

http://www.youtube.com/watch?v=t11JYaJcpxg

Joane Farias Nogueira disse...

Ele acabou de reduzir Deus a um assassino barato. Não fez muito diferente dos caras da macumba que ele tanto condena. Vou lá fazer um trabalho para fulano bater com o carro no poste e morrer.
Nem é o primeiro religioso que praticamente diz que vai orar a Deus para castigar fulano ou que fica contente por isso.





Eu sei que vou ser mal interpretada, que posso levar vaia, mas vou perguntar assim mesmo.
Nâo gostar da homossexualidade, não achar que é um estilo de vida válido ou normal é homofobia?

Eu tenho o direito de achar que homossexualismo é algo que não se encaixa na MINHA -observem o pronome possessivo - noção de normalidade. Eu posso achar estranho, posso achar esquisito. Não posso ser condenada por não gostar de algo que eu não sinto e não entendo como funciona.
Ou será que sou obrigada a dizer que acho legal, mesmo que eu não ache? Cara, é uma pergunta honesta e não uma trolação. Valeu!

Anônimo disse...

Que viagem desse cara.

Lennon falou no sentido figurado.. ser mais famoso que Jesus Cristo estava apenas atentando para o fato de que o Cristianismo estava perdendo espaço para outras religioes . Que Jesus estava sendo esquecido pela sociedade.. Que era mais facil o povo gostar dos Beatles do que Cristo. Pelo fato dos Bealtes estarem mais na moda.

Phelipe andrade da cunha disse...

Algumas pessoas são tão IDIOTAS, como esse cretino desse pastor, que so sabe tirar o dinheiro dos alienados, so abre a boca pra falar merda, nao teve sorte nao vida fica ai semeando discordia contra o John Lennon.Voce nao chega nem aos restos mortais dele, seu besta. Pare de enganar as pessoas normoticas iguais a voce......