segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

GUEST POST: CARTA AO MEU FUTURO FILHO

Camila é jornalista, tem um blog desatualizado, e se descobriu feminista recentemente.

Não sei se vocês sabem, mas quero ter filhos. Dois. Um deles, pelo menos, menino.
E, vide os muitos acontecimentos machistas e homofóbicos vistos nos últimos 2012 anos, achei que era quase imperativo eu fazer uma listinha de coisas que falarei ao meu garoto:
1. Se você vir fotos de você bebê usando macacões rosa, ou roupas com flores: não estranhe. Não farei você aprender que uma cor é ligada a nenhum gênero. Se você ficar lindo de roxo, usará roxo. Se ficar lindo de azul, usará azul. Se ficar mais lindo ainda de cor de burro quando foge à tarde, será essa a cor de sua roupa.
2. Por favor, compartilhe os seus brinquedos. Com todos, sempre! É divertido brincar em conjunto.
3. Brinque com meninas.
4. Tenho certeza que adorará o seu quarto cheio de brinquedos. Carrinhos, bola, panelinhas, vassourinhas e mini-cozinhas.
5. Quando for para a escolhinha, tenha “amiguinhas” e não “namoradinhas”. Meninas e meninos podem ser amigos sem nenhum interesse por trás, e é bom que perceba isso desde pequeno.
6. Se a mamãe seguir pelo caminho que vai pro trabalho, é capaz que ela muitas vezes tenha que viajar ou passar algumas horas a mais na redação. Não se sinta desprestigiado ou não-amado. Entenda, a mamãe quis muito ser o que é, desde que era do seu tamanho. Ela ama o que faz um pouco menos do que te ama, mas ama, de qualquer forma.
7. Nunca, em hipótese alguma, tire sarro ou humilhe alguém porque essa pessoa é diferente de você. São todos iguais a você, filho. Trate as pessoas, de todas as idades, gêneros, credo e cor de pele de maneira educada e respeitosa. Sem esperar nada em troca.
8. Nunca seja conivente com humilhações alheias. Ficar em silêncio é tão ruim quanto, de fato, humilhar.
9.  Se você se interessar por futebol, legal. Se gostar de basquete, legal. Se for ballet, legal. Se tiver vontade de tocar tuba, legal. Se quiser fazer teatro, legal.  Nada disso lhe tornará menos menino.
10. Se alguém te chamar de “gay” ou “mulherzinha”, responda: “muito obrigado”.  Nenhum desses nomes é xingamento, não para você, pelo menos. Não entre no preconceito dos outros.
11. Tente duvidar da maioria. Nem sempre aquilo que é bom é feito por todos.
12. Respeite as leis. Nem sempre elas farão um benefício direto para você. As leis existem para um bem comum. Se, depois de você seguir as leis, perceber que algumas não dão certo: fale. Tente mudá-las, não as burle.
13. Nunca trate uma mulher, garota ou menina como objeto. Nem como rainha. Elas são iguais a você.
14. Dentro disso de objeto, não sinta a necessidade de “comprar” alguém. Se for pagar a conta para uma garota com que sair (olha como estou me adiantando!), faça por gentileza, e não porque você quer alguma coisa a mais com ela.
15. Não deixe as suas cuecas aparecendo para fora da roupa. É feio e extremamente deseducado. Se você não pode ver a calcinha de uma menina, mesmo quando ela senta de saia, é bom que ela não seja obrigada a ver as suas roupas de baixo. (No ensejo, não olhe a calcinha das meninas, ou o sutiã, elas não são objetos)
16.  Adolescência é complicada, compre Playboys/G Magazines e veja filmes pornô, se sentir vontade. Mas coloque na sua cabeça que nada disso é real.
17. Se quiser ter o cabelo comprido, tenha. Caso puxar o meu, ficarei feliz em te dar dicas sobre os melhores shampoos e condicionadores.
18. Se nascer branco, não tema os negros ou suspeite deles. Se nascer negro, não odeie os brancos, mais ódio não é algo que o mundo precise.
19. Quer gostar de metal? Goste! De funk? Goste. De axé? Goste. Desde que não escute nada disso tão alto que incomode as pessoas do seu lado. Ninguém é obrigado a gostar e apreciar aquilo que você gosta.
20. Use sempre camisinha. Sempre.
21. Se nascer hétero e acontecer um “acidente” com a sua namorada, nunca, em hipótese alguma, NUNCA, pergunte: “Você tem certeza que é meu?”. É ofensivo e repulsivo. Ela está falando com você, é lógico que o filho é seu.
22. Se nascer homo e quiser adotar, farei de tudo para ajudar. Mas não peça para eu cuidar sempre de seu filho, a responsabilidade é completamente sua.
23. Caso seu pai faleça, ou ele desaparecer da face da terra, ou eu não tiver um companheiro, por favor, não sinta a necessidade de ser o “homem da casa”. Na verdade, não use a expressão “homem da casa” em hipótese alguma.
24. Nunca “compre” uma mulher. Nem seja conivente com isso. É degradante.
25. Não se sinta “menos homem” se, por ventura, você chorar, quiser mostrar seus sentimentos, cuidar de sua aparência ou achar que seus pensamentos são complicados.
26. Gostar de meninos não te fará menos homem. Continuará sendo o meu garoto!
27. Ficar com muitas meninas não te fará mais homem! Acredite.
28.  Se uma menina estiver se “insinuando” para você, rolar aquele clima e ela falar não, respeite-a. Não é sempre não.
29. Nunca, em hipótese alguma, diga coisas indecorosas para uma mulher que não conhece. Principalmente se ela estiver andando na rua.
30. Evite brigar. Se acontecer algum desentendimento, e, acredite, eles vão acontecer bastante, não se valha da sua força, além da do argumento.
31.  Nunca, em hipótese alguma, nunca, nunca, se aproveite de ninguém que está em um estado pior que o seu.
32. Aprenda a lavar, passar e cozinhar. Não precisará pagar ninguém para fazer isso, muito menos pedir que sua parceira faça por você.
Sou nova, ainda vai demorar um pouco para eu ter filhos. Então, se tiver um menino, siga um pouco dessa lista. Ensine essas coisas pro seu filho. Talvez a sociedade se torne mais igualitária daqui a um tempo.
Leia também o guest post Pai de menina.

99 comentários:

Comentarista disse...

Muito bom!

Dree disse...

Adorei, criar um filho assim deve ser muito recompensador.
Muitos tem medo do que pensa a maioria,de que as crianças sofram bullyng e nem pensa se isso é o certo, castrar as vontades e a liberdade de nossos filhos parece mais fácil do que lutar por um mundo melhor.
E cada criança que cresça, respeitando o outro, é uma esperança.

Anônimo disse...

Coitado deste mulek, terá sua mas masculinidade castrada já desde cedo, e aprenderá que e certo pedir desculpas porser homem!

Raziel von Sophia Imbuzeiro disse...

E se ele quiser virar menina?

E se ele vier a gostar de ser dominado pelas meninas e querer endeusá-las e tratá-las feito rainhas e ainda apanhar delas?

E se ele vier a gostar de dominar e surrar(consensualmente) as meninas?


Enfim... Tem de ver isso ai.

lola aronovich disse...

Defina masculinidade, anônimo inútil. Ser másculo pra vc é não saber escrever na sua língua nativa?

Anônimo disse...

anon das 13:31, eu tenho pena que a sua concepção de masculinidade seja tão restrita.
Se para você masculinidade significa se sentir superior a mulheres cis, homens cis homossexuais e pessoas trans* então eu tenho pena de que educação você para seu filho ou filha se algum dia você for pai (espero que isso não aconteça).

Anônimo disse...

Fake, fake total, nenhuma feminista deseja ter um filho homem, e se tiver fará de tudo para que ele seja gay, fato

Raziel von Sophia Imbuzeiro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Coitado do menino. Mandar ele responder "obrigado" ao ser chamado de gay ou mulherzinha (o que provavelmente aconteceria, se ele seguisse essas idéias, o que duvido) só iria piorar a perseguição a ele.

Aliás, não importa o que você tente ensinar a ele. Amigos influenciam mais do que os pais nesse tipo de coisa.

Anônimo disse...

Um homem não tem o direito de questionar uma paternidade suspeita ?
A palavra de uma mulher, por mais promiscua que seja, e lei ?
Ele deve engolir a sua duvida ?

Anônimo disse...

lindo texto!

lola, vc viu o texto que a veja publicou sobre papeis de genero?

http://jaquejesus.blogspot.ca/2012/12/mitos-sobre-genero-em-uma-materia-da.html

clarisse

Luca disse...

Lindo esse guest post!Se todos seguissem, ao menos metade dessa lista, o mundo seria um lugar bem melhor.
Estou grávida de dois meses e já acho que será um menino (embora o que eu queria mesmo seja uma menina)e espero educá-lo assim como sugerido na lista desse guest post.Não quero colocar mais um machista imbecil no mundo e sim um homem de bem, que respeita as mulheres, as minorias e todos os seus demais semelhantes.

Roxy Carmichael disse...

FELIZ NATAL LOLA!
feliz natal pra vc também anônimo das 13h18!

Marcelo disse...

Carta do filho pra mãe:

"mãe, eu nao sou gay mas estou me esforçando pra te agradar."

Leo disse...

Que legal, Lola! Leio sempre seu blog, adoro. Ah, e que pena que vc não irá palestrar no Rio de Janeiro este ano. Grande beijo, Leandro

Anônimo disse...

"Um homem não tem o direito de questionar uma paternidade suspeita ?
A palavra de uma mulher, por mais promiscua que seja, e lei ?
Ele deve engolir a sua duvida ?"

Sei que nao devo alimentar os trolls, mas ai vai:

Prezado anon das 13:55, eu não sei em que década você vive, mas no ano em que eu vivo - 2012 - existe uma coisa chamada teste de DNA, conhece?

Por fim, muito bom o texto, mais mães deveriam se mirar no exemplo da autora do guest post.

Vivi disse...

Quanta ternura, parabéns !!!!!
Eu tiraria o 12.. (hahaha), as leis - de hoje- precisam ser mudadas, o mundo não necessita de propriedade e nem da proteção desta (embora regras são necessárias).
O 32 é uma graça..não precisamos e somos capazes de fazer nossos afazeres sem ninguém nos "ajudar".

Parabéns a autora e ao blog!
Que muitas mães eduquem seus filhos assim!

Ana Maria Leal disse...

Por que será que todos os comentários imbecis deste blog são de autoria anônima?
?:-/
Continue escrevendo, Lola... Continue escrevendo.

Anônimo disse...

Mas pelo raciocínio da autora deste "guest post", até pedir DNA é "ofensivo e repulsivo", afinal deve acreditar no que a namorada pois "ela está falando com você, é lógico que o filho é seu."

Natália Muffato disse...

Adorei!!! Já disse aqui uma vez que tenho menina, e quis ter uma, mas se tivesse menino com certeza seguiria essa cartilha!!

Alias, quando minha pequena nasceu, eu estava ainda muito cansada e deixei por conta da minha mãe escolher as roupinhas dela. Aos 3 meses já voltando a ter disposição fui em um encontro de amigos da faculdade e percebi que nenhuma roupa dela combinava comigo. Abri o álbum de fotos e vi que só tinha ela de roupas claras, fofas e cheia de babados. Dali em diante corri para comprar mais roupas pretas(eu AMO preto, quase só uso preto) para ela. O que é BEM difícil para menina bebê, sempre ia na sessão masculina ver roupas para ela.

Hoje em dia ela tem tanto roupas escuras, considerada de meninos, quanto as claras. E ela fica linda com ambas!!!

Anônimo disse...

Acho ingenuidade demais...

Anônimo disse...

Lola, olha que incríveis esses desenhos sobre a questão da sociedade difamar as mulheres por suas decisões sexuais:

http://25.media.tumblr.com/bff89a624ae49f6f1052e6cf3d6969ce/tumblr_mep2v8hTf51rlzr5go1_1280.png
http://24.media.tumblr.com/ba737ed7af68993856e265795b4b9801/tumblr_mep2v8hTf51rlzr5go2_1280.png
http://25.media.tumblr.com/03d7d7c0954453c13cd173440d69a29c/tumblr_mep2v8hTf51rlzr5go3_1280.png
http://25.media.tumblr.com/8953391a9bfc23c7195db55ad242aec6/tumblr_mep2v8hTf51rlzr5go4_1280.png

Amei!

Anônimo disse...

Tudo bem, mas e para as meninas, o que vocês defendem que seja ensinado ?
Como ela deve ver a figura masculina, a fgura paterna ?
Façam uma listinha também

Raziel von Sophia Imbuzeiro disse...

Anon das 15:24,

Diz então ai, Champz, sua namorada chega: "Amor... Sei que é meio inesperado, mas, estou grávida."
Tu irias dizer o que? "Cadê o teste de DNA, sua puta? Sei disso não, tu falou que tava usando pílula!" ?


Oh, muito sensível, moço. Dá até vontade de virar hetero só para ficar contigo. Só que não.

Raziel von Sophia Imbuzeiro disse...

Acho engraçadas essas críticas que os mascus fazem aqui. Tipo:


"Coitado deste mulek, terá sua mas masculinidade castrada já desde cedo, e aprenderá que e certo pedir desculpas porser homem! "


"Mas pelo raciocínio da autora deste "guest post", até pedir DNA é "ofensivo e repulsivo", afinal deve acreditar no que a namorada pois "ela está falando com você, é lógico que o filho é seu.""



Lola, seja sincera: Tu quem estás escrevendo isso, não é mesmo? A "Confraria da Real" não decaiu tanto. Não consigo... Acreditar.

Catharina disse...

Que LINDO!
Acredito que todo mundo, antes de ter filhos, deveria fazer uma lista como essa!
Esses são os reais princípios e valores que se devem passar adiante!

Parabéns, se mais pessoas pensassem igual a você, com certeza o mundo seria um lugar melhor!

Anônimo disse...

Curioso, nos posts anteriores com temas sobre abusos e violências muitos trolls ficaram caladinhos, agora quando fala de auto-defesa e como educar para que seus filhos tenham empatia e respeito a TODOS, ai eles ficam ofendidinhos que a masculinidade deles está ameaçada.

Anônimo disse...

Eu sei que o anon das 16:10 é um troll e não merece ser respondido, mas vou me dar o luxo de respondê-lo mesmo assim:

O que eu ensinaria a minha filha:

1) Respeitar os outros, principalmente quem é "diferente"

2) Ela é igual a qualquer menino. Nem superior ou inferior

3) Tudo bem se ela quiser "brinquedos de meninos"

4) Tudo bem se ela não for hétero

5) Tudo bem se for trans*

6) Também ensinaria a ela a não ver as outras garotas como "inimigas naturais".

7) Se algum dia ela sofrer algum abuso (espero muito que não), ela terá toda confiança de contar para mim. (Isso também vale para meninos)

Anônimo disse...

Várias normativas que eu considero extremamente desnecessárias. Não acho uma boa tirar de uma fôrma sugerindo outra. As pessoas são mais complicadas do que isso. Como bem colocou Raziel, "Tem de ver isso ai". Espero nao ser sem educação mas nota-se que se trata de uma feminista novata. Na verdade, uma novata em questionar o status quo.

Raziel von Sophia Imbuzeiro disse...

Anon das 17:06

Acho que estás a levar uma carta poetizada um pouco a sério demais. Não acho que ela vá escrever um "guia de regras feminista" para o filho seguir. O_o
Só insinuei de brincadeira que a carta toda progressista ainda era transfóbica e anti-kinky(isso existe?) de brincadeira mesmo.


O que eu ensinaria a um filho ou filha meu ou minha?

Não faça aos outros o que não gostaria que fizessem contigo. Se ponha no lugar dos outros antes de agir. Nem todo mundo é totalmente mal e nem totalmente bom. E principalmente, antes de invejar outro grupo, lembre-se: "A Vida não está uma delícia para ninguém".

Bruno disse...

Em resumo estes itens todos são: seja tolerante, respeite os outros, te amarei do jeito que você for. É uma narrativa cheia de ternura, bem materna mesmo. Repetindo outro comentarista daqui, que alegria seria se todos recebessem essa mesma educação.
Aproveito este comentário para desejar a todos aqui um santo natal e um excelente ano novo!

Anônimo disse...

ridiculo esse tipo de pessoa...qual o problema de ensinar algo q todos deveriam aprender?Qual o problema de ter filho gay?sou muito feminista e quero um filho ou filha hetero ou gay pq vou amalo do msm jeito.pessoas com mente tao pequena como a sua deviam ficar sem comentar merdas a toa.

Magalli Sampaio disse...

Perfeito, me identifico. Estou certa que educarei meu filho (quando tiver) do mesmo jeito.

Anônimo disse...

lola,

garoto em cadeira de rodas é "esquecido" na hora da foto.

http://oglobo.globo.com/blogs/pagenotfound/posts/2012/12/24/deficiente-esquecido-em-foto-de-formatura-479986.asp

Anônimo disse...

o fim do mundo nao acabou

http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2012/12/menina-violentada-na-zona-leste-de-sp-fara-retrato-falado-de-estupradores.html

emilia

Anônimo disse...

Eu acho que por ensinar o filho isso, a mãe já é automaticamente respeitada. A questão é: O QUE OS PAIS TEM A ENSINAR AOS SEUS FILHOS?

Sair para pescar e ensinar 'tradições familiares' do tipo vestir azul antes de ir dormir? Sentar, dar aquele tapão nas costas [mão pesada dos infernos] e dizer coisas estúpidas ao tipo "É, bebe filhão, você é homem!" ou então gritar com o menino mandando parar de chorar? Eu já vi tudo isso. E tudo isso deu merda.

O que os pais tem a oferecer para os filhos, além dessas coisas desnecessárias e estúpidas?

Graças a deus meu pai não é/foi assim. Meu pai já chorou do meu lado por motivos banais e ensinou o meu irmão a mesma coisa. "Cê tem dois canais lacrimais filho. Se fosse inútil, a evolução já teria sumido com eles". Ensinou o meu irmão a lavar louça e a fazer comida. Quando meu irmão bancou o egoísta, sentou com ele e disse que o que ele estava fazendo era horrível. Quando meu irmão ridicularizou outras crianças, fez o mesmo. Quando meu irmão ficou doente, sentou do lado dele e ficou de olho a madrugada inteira. Quando meu irmão disse que a blusa rosa era mais bonita que a azul, meu pai disse que era da escolha dele que cor usar. Quando meu irmão apareceu com a primeira história machista/racista/homofóbica, ele foi direto:

1. Você tem irmã e mãe.
2. Sua família inteira é de negros
3. Você nunca sabe de quem você pode acabar gostando.

E meu pai é amado e admirado por mim e pelo meu irmão.

ISSO é um pai. ISSO é um homem.

A papagaiada masculinista de tradição familiar e tiro ao alvo na fazenda por ir dormir com peso na consciência.

Isso que vocês estão fazendo é errado em tantos níveis. É difícil notar que estão cavando a própria cova?

Anônimo disse...

Raziel, Anon das 17:06 novamente. Concordo contigo mais uma vez. Posso estar levando a sério demais. Confesso que várias coisas me incomodaram. Acho dificil não haver uma inclinação a certos tipos de normativas em coisas como "Um deles, pelo menos, menino." (cissexista, no caso). Posso estar fazendo uma leitura semiótica exagerada. No entanto há outras coisas que corroboram. Por exemplo, extremamente desnecessária a nota "Se nascer negro, não odeie os brancos". Como tudo a que ela se refere existe, me faz suspeitar que ela acredita nesse conceito de "racismo às avessas" que o povo conservador adora alardear, como se fosse um fenômeno social digno da classificação. O "Anti-kinky" caiu bem. Nessa parte eu não entendi mesmo o propósito da autora do texto.

Cris disse...

o mais triste de tudo isso é que nem sempre adianta os pais darem a melhor educação do mundo. do mesmo jeito que muit@s aqui foram educados de maneira tradicionalista, patriarcalista, homofóbica e racista mas conseguiram livrar-se desses pensamentos, muit@s têm ideais retrógrados mesmo tendo sido criados em lares progressistas.

tomara que não seja esse o caso d@s filh@s da autora do guest post :)

Raziel von Sophia Imbuzeiro disse...

Anon das 19:08,

Para de procurar pelo em ovo, ela só escreveu um negócio bonitinho num momento de inspiração. ¬¬

Camila Strongren disse...

Gracinha de texto... Não sei se quero ou não ter filhos, mas se algum dia tiver e for menino, com certeza abordarei esses temas com ele...

Felipe Costantino disse...

A mãe já vai projetando todos os traumas dela no filho, típico dessa geração que não é capaz do exercício de reflexão e da contestação da consciência.
Essa é carta é um exemplo para psicanálise.

Arlindo Viril disse...

São muitas sandices para uma pessoa só. Ela quer fazer que seu filho odeie ser homem.

Cadeia já!

Anônimo disse...

A tentativa do texto é boa, mas tem umas incoerências que me incomodaram... enfim, a intenção de tornar o mundo cada vez menos machista é válida; vale também a atenção quanto aos machismos chatos habituais, aqueles que às vezes a gente nem vê.

Anônimo disse...

DNA?
Não é mais necessário.
Se ela falar com você o filho é seu!

Anônimo disse...

Interessante, eu gostaria também que a maioria das mulheres respeitasse o item 28. (o Não quer dizer não). Às vezes nós homens também temos alguns problemas que nos tira o libido por algum tempo. E a maioria das mulheres não respeita muito essa essa falta de vontade. Algumas passam a procurar cabelo em ovo em supostas traições, outras traem o cara com outro e outras ainda vão mais baixo e ficam comentando com amigas o quanto a vida sexual dela é ruim e que o namorado não "dá no couro" e fazendo piada do cara (o que normalmente ocorre no fim do relacionamento). Eu sei que aque vão falar que isso não existe, mas isso aqui é um espaço de vanguarda, não vale para a realidade do povão.

roseanjos disse...

"29. Nunca, em hipótese alguma, diga coisas indecorosas para uma mulher que não conhece. Principalmente se ela estiver andando na rua."

Acho bom não dizer coisas indecorosas para as que conhece também. Só se ela só se ela disser que gosta. ;)

Anônimo disse...

21. Se nascer hétero e acontecer um “acidente” com a sua namorada, nunca, em hipótese alguma, NUNCA, pergunte: “Você tem certeza que é meu?”. É ofensivo e repulsivo. Ela está falando com você, é lógico que o filho é seu.
-------------------------------------

Ela não pode estar mentindo???

Anônimo disse...

Adorei o texto, o problema é que o garoto inevitavelmente vai ter que fazer algumas "concessões", porque tudo é muito bonito no papel, mas na realidade...
Bem, vamos lá:

"1. Se você vir fotos de você bebê usando macacões rosa, ou roupas com flores: não estranhe. Não farei você aprender que uma cor é ligada a nenhum gênero. Se você ficar lindo de roxo, usará roxo. Se ficar lindo de azul, usará azul. Se ficar mais lindo ainda de cor de burro quando foge à tarde, será essa a cor de sua roupa."

Realmente não há problema nenhum em usar roupa rosa ou com flores, o problema é algum "amiguinho" da escola ver o album do garoto e daí contar o que viu pra deus e o mundo.


"4. Tenho certeza que adorará o seu quarto cheio de brinquedos. Carrinhos, bola, panelinhas, vassourinhas e mini-cozinhas."

O ruim é algum pentelho que possa -como no caso do "amiguinho"- tornar isso público e tornar o garoto uma piada pronta e motivo de escárnio por toda a vida.


"8. Nunca seja conivente com humilhações alheias. Ficar em silêncio é tão ruim quanto, de fato, humilhar."

Nesse caso a mãe terá que dizer que para não ser conivente ele terá que estar preparado para toda sorte de humilhações.


"10. Se alguém te chamar de “gay” ou “mulherzinha”, responda: “muito obrigado”. Nenhum desses nomes é xingamento, não para você, pelo menos. Não entre no preconceito dos outros."

Está corretíssimo, mas é absolutamente impraticável.


"15. Não deixe as suas cuecas aparecendo para fora da roupa. É feio e extremamente deseducado. Se você não pode ver a calcinha de uma menina, mesmo quando ela senta de saia, é bom que ela não seja obrigada a ver as suas roupas de baixo. (No ensejo, não olhe a calcinha das meninas, ou o sutiã, elas não são objetos)"

Eu acho essa moda tosca pra caralho, mas achei estranho ela ser incluída na lista. Como ninguém aqui condena mulheres que usam roupas curtas, pensei que nunca citariam uma bobeira dessas.


"21. Se nascer hétero e acontecer um “acidente” com a sua namorada, nunca, em hipótese alguma, NUNCA, pergunte: “Você tem certeza que é meu?”. É ofensivo e repulsivo. Ela está falando com você, é lógico que o filho é seu."

Ué, ela não pode mentir?


"24. Nunca “compre” uma mulher. Nem seja conivente com isso. É degradante."

Não sou contra a prostituição. Se o seu filho nascer muito feio ou deficiente, e alguma dessas característica o prejudicar no relacionamento com o sexo oposto ou com o mesmo sexo(caso ele seja gay) ele vai fazer como?


"30. Evite brigar. Se acontecer algum desentendimento, e, acredite, eles vão acontecer bastante, não se valha da sua força, além da do argumento."

Tem horas que é inevitável.


Laurinha (Mulher modernex) disse...

Interessante o comentário do anônimo das 6:46 sobre esse preconceito com o homem dizer não.
É importante frisar que quem gosta dessa ideia do homem como uma máquina de sexo, que está sempre pronto pro sexo e não pode dizer não pra mulher alguma, em nenhuma condição, são os machistas.

Anônimo disse...

Anônimo Anônimo disse...

Interessante, eu gostaria também que a maioria das mulheres respeitasse o item 28. (o Não quer dizer não). Às vezes nós homens também temos alguns problemas que nos tira o libido por algum tempo. E a maioria das mulheres não respeita muito essa essa falta de vontade. Algumas passam a procurar cabelo em ovo em supostas traições, outras traem o cara com outro e outras ainda vão mais baixo e ficam comentando com amigas o quanto a vida sexual dela é ruim e que o namorado não "dá no couro" e fazendo piada do cara (o que normalmente ocorre no fim do relacionamento). Eu sei que aque vão falar que isso não existe, mas isso aqui é um espaço de vanguarda, não vale para a realidade do povão.
-----------------------------------

Sim, claro que isso existe, e essas mulheres tem pensamentos machistas que com certeza devem ser corrigidos.

Stas disse...

Vocês acham que esse menino vai se tornar um ganhador ou um perdedor? Sejam sinceros

Anônimo disse...

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Interessante o comentário do anônimo das 6:46 sobre esse preconceito com o homem dizer não.
É importante frisar que quem gosta dessa ideia do homem como uma máquina de sexo, que está sempre pronto pro sexo e não pode dizer não pra mulher alguma, em nenhuma condição, são os machistas.
-----------------------------------

É claro, mas isso não torna a atitude da mulher menos machista e menos condenável. Se ela propaga essa idéia e acredita nela, ela também tem culpa no cartório.

Anônimo disse...

Deixar o filho ouvir funk? Vai lá então, deixa ele ouvir um monte de machismo para depois reproduzí-lo e quem sabe arrebentar os testículos ou romper a bexiga com uma "brincadeira" do funk. Quanta sapiência...

Maxwell disse...

Quando eu era pequeno, como eu era muito calado, os meus colegas tiravam sarro de mim. Minha mãe ensinou a ignora-los, porém isso só piorou. Era frequente eu ficar chateado, brigar com eles.
Quando eu contei sobre essa história à minha terapeuta, ela me disse: "talvez eles só quisessem que você interagisse".
Agora... "Se alguém te chamar de “gay” ou “mulherzinha”, responda: “muito obrigado”?
Eu sei que a intenção é boa, mas isso é pura burrice! Os males que os adultos carregam geralmente começam na infância. Isso não é ensinar o seu filho a ser tolerante, é ensiná-lo a ser burro!

Anônimo disse...

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Interessante o comentário do anônimo das 6:46 sobre esse preconceito com o homem dizer não.
É importante frisar que quem gosta dessa ideia do homem como uma máquina de sexo, que está sempre pronto pro sexo e não pode dizer não pra mulher alguma, em nenhuma condição, são os machistas.
-----------------------------------

Mas tem muito homem que não concorda com isso, que acha uma besteira. Mas se não concordarem com os amigos você já deve saber do que eles serão chamados, né?

Anônimo disse...

Maxwell disse...

Quando eu era pequeno, como eu era muito calado, os meus colegas tiravam sarro de mim. Minha mãe ensinou a ignora-los, porém isso só piorou. Era frequente eu ficar chateado, brigar com eles.
Quando eu contei sobre essa história à minha terapeuta, ela me disse: "talvez eles só quisessem que você interagisse".
Agora... "Se alguém te chamar de “gay” ou “mulherzinha”, responda: “muito obrigado”?
Eu sei que a intenção é boa, mas isso é pura burrice! Os males que os adultos carregam geralmente começam na infância. Isso não é ensinar o seu filho a ser tolerante, é ensiná-lo a ser burro!
-----------------------------------

Também tenho experiências em relação a Bullyng, mas como sempre fui meio grandalhão, nunca me "xingaram" de gay ou coisa do tipo. rsrs
A intenção realmente é muito boa, mas o que eu noto aqui no blog e em muitos comentaristas do mesmo é uma certa falta de senso de realidade e sensibilidade com o homem que sofre com o machismo ou na hora de dar essas "dicas" antimachismo.

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Gente, já ouviram aquela música do Capital Inicial que diz no refrão "se eu for ligar pro que vão falar não faço nada"?
Acho que todo menino ou homem na vida passa por algum momento em que tentam constrangê-lo dizendo que ele é gay ou mulherzinha.
Quem é o vencedor? O que se incomoda com isso, sai espancando quem fala isso pra mostrar que é "machão" ou se encolhe em um canto ou o que dá de ombros e brinca com a situação, agradece, diz que não é seu caso, mas não tem nada contra mulheres ou gays?
Vamos ensinar nossos filhos a lidarem com pessoas preconceituosas e ignorarem suas ações desde cedo.

Maxwell disse...

Laurinha (Mulher modernex)

Eu concordo que se deve ensinar as crianças a enfrentarem o preconceito, mas da forma como que foi escrito no texto não!
A questão que quis discutir não é se é pra se defender ou não, e sim a maneira de se defender.
Dizer "obrigado"(onde o menino corre risco de virar chacota) é bem diferente de "Obrigado, mas não é o meu caso, não tenho nada contra gays ou mulheres"(onde ele desconstrói a ofensa e responde de maneira inteligente).

Anônimo disse...

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Gente, já ouviram aquela música do Capital Inicial que diz no refrão "se eu for ligar pro que vão falar não faço nada"?
Acho que todo menino ou homem na vida passa por algum momento em que tentam constrangê-lo dizendo que ele é gay ou mulherzinha.
Quem é o vencedor? O que se incomoda com isso, sai espancando quem fala isso pra mostrar que é "machão" ou se encolhe em um canto ou o que dá de ombros e brinca com a situação, agradece, diz que não é seu caso, mas não tem nada contra mulheres ou gays?
Vamos ensinar nossos filhos a lidarem com pessoas preconceituosas e ignorarem suas ações desde cedo.
-----------------------------------

Eu entendo você, mas a coisa não é tão facil assim. E muitos sujeitos não saem espancando as pessoas simplesmente pra mostrarem que são machões, na maioria das vezes é por puro desespero causado por "brincadeiras" que não são uma brincadeirinha boba de moleque de chamar de "viado" e sim puro assédio moral. Eu, como um sujeito que teve uma adolescência absurdamente fodida sei muito bem o que é a pessoa fazer de tudo pra pelo menos não ser notada o resto do ano letivo e não se envolver em "confusões".

Maxwell disse...

Laurinha (Mulher modernex)

Complementando o que disse antes, outro ponto que quis discutir é para nós, e não faço distinção de gênero, tomemos cuidado com que iremos ensinar aos nossos filhos. Memso que tenha boa intenção, se não for ensinado direito, pode causar um grande sofrimento à criança.

Anônimo disse...

Anônimo disse...

Deixar o filho ouvir funk? Vai lá então, deixa ele ouvir um monte de machismo para depois reproduzí-lo e quem sabe arrebentar os testículos ou romper a bexiga com uma "brincadeira" do funk. Quanta sapiência...
-----------------------------------

Já vi essa "brincadeira" ao vivo, e é uma coisa terrível, mesmo. Seria um ótimo ensejo para um post futuro da Lola.
Dêem uma olhada:

http://www.youtube.com/watch?v=ehdwKiKWnCY

http://www.youtube.com/watch?v=kQSvcT3nhq8

http://www.youtube.com/watch?v=6-l0PqNIz9g

Anônimo disse...

"dá de ombros e brinca com a situação, agradece, diz que não é seu caso, mas não tem nada contra mulheres ou gays"

e se for o caso? se for um gay ou uma mulher sofrendo constrangimentos e humilhações por ser quem é? não vai ser tão fácil assim brincar com a situação ou até mesmo sair dela pela via diplomática.

Anônimo disse...

e se for o caso? se for um gay ou uma mulher sofrendo constrangimentos e humilhações por ser quem é? não vai ser tão fácil assim brincar com a situação ou até mesmo sair dela pela via diplomática.
-----------------------------------

Mesmo que não seja o caso, se resolverem pegar o sujeito pra Cristo, nem brincadeiras ou respostas superiores irão ajudá-lo. Eu também acho essa necessidade de brincar com a situação ou ter que ter uma resposta inteligente na ponta da língua uma coisa lamentável. Certo seria que as pessoas responsáveis por isso fossem punidas exemplarmente.

Sara disse...

anon 14.40hs Fala sério a criatividade desse povo q faz funk não tem fim, cacilda...

Anônimo disse...

Resumindo: como criar o filho para ser um "magina".

O "magina" de hoje é o mascu misógeno de amanhã.


O certo é educar o filho(a) para respeitar mulheres, gays, homens, animais, ricos, pobres, negros, brancos... e ensinar ignorar certas situações que não vale a pena; ao invés de fazer da criança uma "cobaia" de ideologias e convicções pessoais.

Ensine tambem a não "romantizar" ou "demonizar" pessoas, mas para que possa ver pessoas(mulheres e homens) como são, com qualidades e defeitos coisas que ele(a) mesmo(a) possui igualmente.

abraços
pedro08

Anônimo disse...

camila, adorei o post, mas é necessário fazer uma listinha para sua futura menina também, pois ela m terá que aprender a não se sentir menos importante que os meninos, a não ter medo deles etc etc...

Anônimo disse...

o que eu masculinista ensinaria para meu filho ?

Tenha amor próprio, respeite para ser respeitado, e só respeite quem te respeita.
Nunca peça desculpas por ser homem, mas tenha em mente que ser homem, não e o mesmo que ser um troglodita.
Nunca paute sua masculinidade pela aceitação feminina.
Não desvalorize sua lagrimas por qualquer coisa, o choro de um homem so vem acompanhado de um dor imensurável,e não por qualquer bobagem.
nunca jure nada,o homem honrado nunca jura; contenta-se com dizer: isto é ou isto não é. O seu carácter jura por você.
Palavra de homem não faz curva !

Masculinista disse...

Concordo com a maioria dos conselhos, mas alguns são ridiulos, tipo o 15 e 21.

Se o meu filho quiser mostrar a cueca, o problema é dele. Trata-se de uma liberdade individual, da mesma forma que muitas mulheres adoram andar de micro saia ou roupas transparentes.

E o 21 considero o pior de todos. Então não temos o direito de questionar se somos pai da criança? É um ato machista exigir um exame de DNA? HAHAHAHAHAHA

Roxy Carmichael disse...

um dos melhores itens dessa lista é aquele que sugere dizer obrigado quando chamado de gay ou mulher. quem tá dizendo que isso é fora da realidade, eu digo o seguinte:
pra quem quer ser só mais um na manada, realmente vai ser muito difícil. mas pra quem é autoconfiante, banca ser diferente de uma cambada de acéfalo que só se permite o pensamento único e se impõe, recebe em troca respeito e admiração. um dos meus melhores amigos usava o cabelo comprido na época do ensino médio. a manada da escola (leia-se playboys genéricos sem personalidade) começou a chamar ele de mulher. no dia seguinte ele apareceu na escola vestido de saia. resultado: a manda entendeu que não seria tão fácil ofendê-lo, que ele tinha personalidade e não ía ceder às provocações. os alternativos alçaram ele à categoria de guru e lembram disso até hoje, 12 anos depois (hehe, entreguei aí a idade).
então assim, fácil é ficar ali no meio da maioria silenciosa (joguem lá no google que não vou fazer dever de casa pra ninguém). lutar pelo direito de ser o que é, não é pra qualquer um, definitivamente...susan sontag já fazia isso aos 14 anos. por um motivo ela é a SUSAN SONTAG e vocês são só uns anônimos repetindo o pensamento da manda num blog, cuja autora, felizmente, está muito confortável com ela mesma, inspirando um monte de gente a cada dia. parabéns lola!! e mais uma vez Feliz Natal pra você e pra sua família!

Juliana Vasconcelos disse...

Desculpinha bem sutil para enfeminar os homens e, finalmente, inferiorizá-los. Não entra na minha cabeça que vcs feministas querem igualdade de gênero.

Anônimo disse...

Alternativos e foda, kkkk, alternativo ao que ?

Beatriz disse...

Uma vez no Ensino Médio começou a rolar uma fofoca de que eu estava tendo um caso com a minha melhor amiga. Quando soubemos disso, na hora do intervalo, desfilamos de mãos dadas pelo pátio do colégio. O melhor jeito de reagir ao bullying é sambar na cara dos trolls e mostrar que tais insultos só te divertem.

Julia disse...

Ensinar o filho a ser tolerante e respeitar os outros é "enfeminá-lo"??

Olha que assim vão pensar que vc tem uma ideia muito ruim sobre homens, Juliana-mascu.

"Não entra na minha cabeça que vcs feministas querem igualdade de gênero. "

Isso porque vc é mascu burro (redundância).

Pedro disse...

A regra 21 me faz lembrar de um amigo que assumiu uma filha desde a gravidez, estando sempre presente fisicamente e financeiramente sem questionar a moça. Até que quando o bebê nasceu ele fez um exame de DNA que comprovou que a filha não era dele. Ele deve ter sido super machista por ter feito esse exame, né? Para não ser machista deveria ter aceitado a mentira sem questionar, é isso?

Anônimo disse...

Roxy Carmichael disse...

um dos melhores itens dessa lista é aquele que sugere dizer obrigado quando chamado de gay ou mulher. quem tá dizendo que isso é fora da realidade, eu digo o seguinte:
pra quem quer ser só mais um na manada, realmente vai ser muito difícil. mas pra quem é autoconfiante, banca ser diferente de uma cambada de acéfalo que só se permite o pensamento único e se impõe, recebe em troca respeito e admiração. um dos meus melhores amigos usava o cabelo comprido na época do ensino médio. a manada da escola (leia-se playboys genéricos sem personalidade) começou a chamar ele de mulher. no dia seguinte ele apareceu na escola vestido de saia. resultado: a manda entendeu que não seria tão fácil ofendê-lo, que ele tinha personalidade e não ía ceder às provocações. os alternativos alçaram ele à categoria de guru e lembram disso até hoje, 12 anos depois (hehe, entreguei aí a idade).
então assim, fácil é ficar ali no meio da maioria silenciosa (joguem lá no google que não vou fazer dever de casa pra ninguém). lutar pelo direito de ser o que é, não é pra qualquer um, definitivamente...susan sontag já fazia isso aos 14 anos. por um motivo ela é a SUSAN SONTAG e vocês são só uns anônimos repetindo o pensamento da manda num blog, cuja autora, felizmente, está muito confortável com ela mesma, inspirando um monte de gente a cada dia. parabéns lola!! e mais uma vez Feliz Natal pra você e pra sua família!
-----------------------------------

Entendo, mas você fala como se toda pessoa consciente, feminista e minimamente intelectualizada tivesse essa atitude de enfrentamento -o que não é verdade- e como se ele sempre tivesse efeito positivo -o que também não é verdade. Claro que tem muita gente orgulhosa aqui que não quer assumir os seus "fracassos" e que só vai vir aqui falar o quanto pisou nos trolls.

Anônimo disse...

Sara disse...

anon 14.40hs Fala sério a criatividade desse povo q faz funk não tem fim, cacilda...
-------------------------------------
É por essas e outras que eu acho que o machismo das mulheres deve ser tão criticado quanto o dos homens.
Chuuuuuuuuuupa apologistas do funk!!!!! kkkkkk

Roxy Carmichael disse...

anônimo das 10h18
seu comentário é repetitivo e insiste no erro ao ignorar que:
a)ninguém disse que é fácil
b)bancar ser o que é NÃO É PRA QUALQUER UM(mais uma vez, já que você ainda não entendeu e continua repetindo a mesma coisa há três comentários); de forma que pra cada 500 mil anônimos perdidos na maioria silenciosa (vc por acaso já correu lá no google pra saber o que é isso?) tem uma susan sontag, uma lola aronovich. a vida delas foi/é fácil? creio que não é mais fácil nem mais difícil que a vida de ninguém, mas certamente é bem mais recompensadora.
beijinho na sua alma e pense nisso em 2013!

Roxy Carmichael disse...

anônimo das 2h24
na minha época de escola existiam os genéricos e os alternativos. os alternativos eram obviamente uma alternativa aos genéricos. hoje em dia não sei como é não, felizmente não frequento mais a escola que é um microcosmo bem chatinho...

Anônimo disse...

Já vi essa "brincadeira" ao vivo, e é uma coisa terrível, mesmo. Seria um ótimo ensejo para um post futuro da Lola.
Dêem uma olhada:

http://www.youtube.com/watch?v=ehdwKiKWnCY

http://www.youtube.com/watch?v=kQSvcT3nhq8

http://www.youtube.com/watch?v=6-l0PqNIz9g

-----------------------------------

As moças do ultimo video ainda queriam que o gajo levantasse a verga depois de tantas sentadas? Que bando de basbaques. rs

Rodrigo disse...

Prefiro muito mais este abaixo do que estas coisas.
Quando se ensina alguns valores outros são respeitados automaticamente.


Não se preocupe e, ser um gênio e não se preocupe se não for inteligente. Confie mais no trabalho duro, na perseverança e na determinação. O melhor lema para uma longa marcha é "Não Resmungue. Aguente."

Você tem o futuro nas mãos. Nunca duvide disso, Não se gabe. O menino que se gaba, assim como a homem que se gaba, pouco mais pode fazer. É um zé-ninguém que anuncia a sua própria mercadoria barata.

A lata vazia é a que faz mais barulho.

Seja honesto. Seja leal. Seja bondoso. Lembre-se que a coisa mais difícil de conseguir é a faculdade de ser altruísta. Como qualidade, é um dos mais belos atributos da masculinidade.

Ame o mar, a sonoridade da praia, os prados amplos. Mantenha-se limpo de corpo e mente.

Sir Frederick Treves, Bart, Cavaleiro Comandante da Real Ordem da Vitória, Companheiro da Ordem do Banho, Sargento Honorário a Serviço de Sua Majestade o Rei, Médico Honorário a Serviço de Sua Alteza Real o Príncipe de Gales, escrito na Rua Wimpole, 6, Praça Cavendish, Londres, em 2 de setembro de 1903, por ocasião do vigésimo quinto aniversário do jornal para crianças The Boy's Own Paper.

Anônimo disse...

Olá Lola,
Sempre leio seu blog, aprendi muitas coisas e sinto que hoje penso muito mais antes de julgar as atitudes alheias, masculinas ou femininas. Aprendi a entender a sutilidade do preconceito e da discriminação. Tendemos a acreditar que apenas atitudes ou pensamentos "gritantes" são preconceituosos, talvez para nos isentarmos da culpa de algumas de nossas ações corriqueiras. Tenho bastante a te agradacer. Quanto a este post tenho uma dúvida: O ítem 15 que fala sobre o "estilo" de alguns meninos em usar o elástico da cueca aparecendo. Apesar de não gostar, acredito que não deveria ser exposto nesse caso. Assim como algumas mulheres costumar usar o soutien aparecendo com alguns looks, ou roupas bastante curtas e devem ser respeitadas, acredito que os meninos também devem. Obrigada.

Anônimo disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Eu acho esses vídeos de funk engraçadíssimos!

Anônimo disse...

Galera insistindo que homem não chora. Sendo o choro uma das coisas mais incríveis em ser humano.

Anônimo disse...

Roxy Carmichael disse...

anônimo das 10h18
seu comentário é repetitivo e insiste no erro ao ignorar que:
a)ninguém disse que é fácil
b)bancar ser o que é NÃO É PRA QUALQUER UM(mais uma vez, já que você ainda não entendeu e continua repetindo a mesma coisa há três comentários); de forma que pra cada 500 mil anônimos perdidos na maioria silenciosa (vc por acaso já correu lá no google pra saber o que é isso?) tem uma susan sontag, uma lola aronovich. a vida delas foi/é fácil? creio que não é mais fácil nem mais difícil que a vida de ninguém, mas certamente é bem mais recompensadora.
beijinho na sua alma e pense nisso em 2013!
-----------------------------------

Bem, vamos fazer uma pequena digressão aqui. Contarei um pouco da minha "linda" história como adolescente.
Na minha época de colégio era evidente em minha aparência que eu era um completo pária: era muito alto, tinha calvície precoce, usava óculos, tinha dentes encavalados, era um tanto corcunda, era desajeitado, tinha a cara cheia de espinhas e um rosto com traços considerados muito feios pelo nosso padrão de beleza racista. Em toda a minha vida eu sofri bullyng, e pode ter certeza que eu já tentei usar todas as dicas "espertas" pra tentar me livrar dele, mas como eu tinha todos contra mim e não era nenhum garotinho ou garotinha bonitinho de classe média que é chamado de viado ou sapatona, a situação só piorou. Cheguei a um estágio em que só queria ficar invisível e que ninguém me notasse e finalmente consegui isso mudando de escola. Agora você, que não sabe da minha vida(e nem da vida de muitas outras pessoas em situação igual ou pior a que eu passei) quer vir aqui dar lição de moral? Você acha que pessoas na situação na qual eu me encontrava querem se arriscar dizendo "muito obrigado" quando são chamados de gays ou de mulher, querem um álbum de fotos que pode ser usado contra eles, ou se abster de "comprar" uma mulher quando vêem que os maiores filhos da puta estão comendo geral? O que você fez de tão grandioso pra humanidade? Sinceramente eu estou com a consciência muito mais tranquila do que deveria estar a de certos ativistas hipócritas que, numa marcha contra a violência e o estupro quase mataram um pobre bêbado idiota de roupa camuflada só porque ele mostrou a piroca e de outros imbecis que concordaram com a atitude e disseram que ele deveria ser estuprado na cadeia.

Denis Souza disse...

Achei o post lindo. Sério mesmo.
Por ter sido criado em um ambiente com partes machistas, homofóbicas e racistas por um bom tempo (meus pais começaram a rever os conceitos a pouco tempo atras) foi um tanto dificil pra mim esse tipo de mudança, seria muito mais fácil se eu tivesse sido criado com várias das idéias contidas nesse post.

Veja, minha irmã tem 13 anos e a vejo reproduzindo sem pensar conceitos machistas em casa, é dificil explicar pra ela, mas sendo sutil e tendo paciência, sempre sento e converso com ela, as vezes apenas um comentário já é o suficiente para que ela pense e não faça mais.

Não vou dar atenção pra nenhum desses comentários de trolls aqui, não consigo acreditar que esses queridos "anonimos" estão sendo sinceros.

Feliz época de ver gente amada e de comer coisas gostosas pra todo mundo.

Anônimo disse...

Denis Souza disse...

Não vou dar atenção pra nenhum desses comentários de trolls aqui, não consigo acreditar que esses queridos "anonimos" estão sendo sinceros
-------------------------------------
Claro, você deve ser um playboy tão filho da puta quanto insensível que "luta" por causas sociais mais não tira o antolho da cara.

Denis Souza disse...

Querido Anon das 17:16.

Coragem, mostra a cara!

Sou um playboy que trabalha pra pagar a faculdade e as contas de casa =)
Mas acho que isso não é da sua conta.

Quando disse anonimos, não me referi a todos, apenas a alguns imbecis que comentam como você faz, se mostrar e tentando ofender.

Primeiramente, você está querendo me ofender com o termo "filho da puta"? *risos efusivos*

Argumentar com alguém assim é o mesmo que bater em cachorro morto.

Elabora seu ponto, mostra a cara e ai poderemos discutir como duas pessoas pensantes.

;)

Anônimo disse...

Anônimo disse...

Roxy Carmichael disse...

anônimo das 10h18
seu comentário é repetitivo e insiste no erro ao ignorar que:
a)ninguém disse que é fácil
b)bancar ser o que é NÃO É PRA QUALQUER UM(mais uma vez, já que você ainda não entendeu e continua repetindo a mesma coisa há três comentários); de forma que pra cada 500 mil anônimos perdidos na maioria silenciosa (vc por acaso já correu lá no google pra saber o que é isso?) tem uma susan sontag, uma lola aronovich. a vida delas foi/é fácil? creio que não é mais fácil nem mais difícil que a vida de ninguém, mas certamente é bem mais recompensadora.
beijinho na sua alma e pense nisso em 2013!
-----------------------------------

Bem, vamos fazer uma pequena digressão aqui. Contarei um pouco da minha "linda" história como adolescente.
Na minha época de colégio era evidente em minha aparência que eu era um completo pária: era muito alto, tinha calvície precoce, usava óculos, tinha dentes encavalados, era um tanto corcunda, era desajeitado, tinha a cara cheia de espinhas e um rosto com traços considerados muito feios pelo nosso padrão de beleza racista. Em toda a minha vida eu sofri bullyng, e pode ter certeza que eu já tentei usar todas as dicas "espertas" pra tentar me livrar dele, mas como eu tinha todos contra mim e não era nenhum garotinho ou garotinha bonitinho de classe média que é chamado de viado ou sapatona, a situação só piorou. Cheguei a um estágio em que só queria ficar invisível e que ninguém me notasse e finalmente consegui isso mudando de escola. Agora você, que não sabe da minha vida(e nem da vida de muitas outras pessoas em situação igual ou pior a que eu passei) quer vir aqui dar lição de moral? Você acha que pessoas na situação na qual eu me encontrava querem se arriscar dizendo "muito obrigado" quando são chamados de gays ou de mulher, querem um álbum de fotos que pode ser usado contra eles, ou se abster de "comprar" uma mulher quando vêem que os maiores filhos da puta estão comendo geral? O que você fez de tão grandioso pra humanidade? Sinceramente eu estou com a consciência muito mais tranquila do que deveria estar a de certos ativistas hipócritas que, numa marcha contra a violência e o estupro quase mataram um pobre bêbado idiota de roupa camuflada só porque ele mostrou a piroca e de outros imbecis que concordaram com a atitude e disseram que ele deveria ser estuprado na cadeia.
-----------------------------------
A feminazis se foderam agora. kkkkkkkkkkkkkk

Roxy Carmichael disse...

ui anônimo
que comovida que eu fiquei com a sua vida difícilzzzzzzzzzzz
especialmente com essa parte aqui:
"mas como eu tinha todos contra mim e não era nenhum garotinho ou garotinha bonitinho de classe média que é chamado de viado ou sapatona, a situação só piorou." (uma lágrima verteu)que mostra toda a sua empatia para com as pessoas que sofreram bullying como você e estabelece um ranking do sofrimento, o qual você entre 190 milhões de brasileiros, ocupa o primeiro lugar isolado.

agora, acho que taaaaanto sofrimento deixou vc meio perturbado pq em nenhum momento eu critiquei a prostituição. sou a favor. mas depois dessa aqui "se abster de "comprar" uma mulher quando vêem que os maiores filhos da puta estão comendo geral? " eu fiquei ainda mais comovida (zzzzzzzzzzz) com a sua historinha de mascutroll que insiste na conversinha fiada que mulher só quer trepar com filho da puta.

já parou pra pensar que vc pode até ser feio como o cão chupando manga, mas que talvez, só talvez, as mulheres vão fugir de vc como o diabo foge da cruz toda vez que
vc vier com esse papo machista escroto de que vc só por ser homem tem o privilegio de comer qualquer mulher?vão fugir toda vez que vc vier com esse mimimi de culpar as mulheres que "dão pros filhos da puta", ao invés de se responsabilizar pelo seu fracasso no campo sentimental?

"O que você fez de tão grandioso pra humanidade?"
sou extremamente feliz sendo quem eu sou.

beijinho na sua alma sofrida e amargurada (outra coisa que faço de grandioso pra humanidade:distribuir pérolas aos porcos)

anônimos groupies do próprio jesus no calvário (acho que o jesus perde pro anônimo que sofreu muito mais) que fica a ver navios enquanto filhos da puta comem geral: feliz ano novo pra vcs tb!!!

Anônimo disse...

Roxy Carmichael disse...

ui anônimo
que comovida que eu fiquei com a sua vida difícilzzzzzzzzzzz
especialmente com essa parte aqui:
"mas como eu tinha todos contra mim e não era nenhum garotinho ou garotinha bonitinho de classe média que é chamado de viado ou sapatona, a situação só piorou." (uma lágrima verteu)que mostra toda a sua empatia para com as pessoas que sofreram bullying como você e estabelece um ranking do sofrimento, o qual você entre 190 milhões de brasileiros, ocupa o primeiro lugar isolado.
-----------------------------------

Não estabeleci ranking nenhum só acho que tenho mais a dizer aqui do que um monte de otários que se acham heróis porque deram a volta por cima quando foram chamados de viados ou sapatonas.



agora, acho que taaaaanto sofrimento deixou vc meio perturbado pq em nenhum momento eu critiquei a prostituição. sou a favor. mas depois dessa aqui "se abster de "comprar" uma mulher quando vêem que os maiores filhos da puta estão comendo geral? " eu fiquei ainda mais comovida (zzzzzzzzzzz) com a sua historinha de mascutroll que insiste na conversinha fiada que mulher só quer trepar com filho da puta.
-----------------------------------
Não acho que toda mulher só quer trepar com filho da puta. As mulheres do meu ambiente e do meu convívio que só queriam filhos da puta(deviam ter muita afinidade, uma vez que eram farinha do mesmo saco). Não sou masculinista(isso virou insulto pra todo mundo que diz coisas que não agradam vocês? Quanta burrice...)
, concordo com muitas coisas que a Lola escreve e já elogiei comentários escritos pelos leitores e pela própria Lola. Se eu fosse masculinista, o que eu teria a perder chamando todas aqui de putas, feminazis, esquerdistas idiotas e todas essas coisas manjadas? Eu estou fazendo comentário como anônimo. Poderia falar que o feminismo está criando viadinhos afeminados e castrados submissos às mulheres e que logo ficaremos iguais a Suécia(o que eles sempre falam, não?). Me poupe de análises superficiais.



Anônimo disse...

já parou pra pensar que vc pode até ser feio como o cão chupando manga, mas que talvez, só talvez, as mulheres vão fugir de vc como o diabo foge da cruz toda vez que
vc vier com esse papo machista escroto de que vc só por ser homem tem o privilegio de comer qualquer mulher?vão fugir toda vez que vc vier com esse mimimi de culpar as mulheres que "dão pros filhos da puta", ao invés de se responsabilizar pelo seu fracasso no campo sentimental?
-----------------------------------
Eu não acho que tenho esse privilégio. Quando disse isso? Só achava frustrante as mulheres do meu ambiente só se envolverem com filhos da puta. Elas tem o direito de dar pra quem elas quiserem e que assumam o ônus das suas péssimas escolhas se encontrarem um desses "mascus" que vocês tanto falam aqui e não venham com a máxima das mulheres idiotas e fúteis de que nenhum homem presta. E se eu fosse masculinista você acha que eu chegaria nas mulheres contando as minhas teorias mirabolantes??? A Lola não tinha dito que eles evitam fazer isso? E eu tenho culpa por ser feio? Logo eu que sempre me esforcei -apesar dos poucos recursos- para melhorar a "carcaça". Eu tô fudido então. kkkk


"O que você fez de tão grandioso pra humanidade?"
sou extremamente feliz sendo quem eu sou.

beijinho na sua alma sofrida e amargurada (outra coisa que faço de grandioso pra humanidade:distribuir pérolas aos porcos)

anônimos groupies do próprio jesus no calvário (acho que o jesus perde pro anônimo que sofreu muito mais) que fica a ver navios enquanto filhos da puta comem geral: feliz ano novo pra vcs tb!!!
-----------------------------------
Seu comentário é uma prova da insensibilidade e estupidez de muitos "ativistas", "esclarecidos" e "intelectuais". Você é tão coerente quanto o Jean Willys que é contra o chamado humor politicamente incorreto e vivia enfurnado no CQC e já foi ao programa do Danilo Gentili discutir animadamente. Certo estaria eu se fosse uma garota branca, de classe média, bonita e de cabelo liso que se desespera por ter nascido assim e que ficasse fazendo piadinhas "classe média sofre", mas que se tivesse a oportunidade, de modo algum deixaria de ser branca, de classe média, bonita e de ter cabelo liso. Vou te dar um bêbado idiota de roupa camuflada de presente. Com a sua hipocrisia, você deve saber o que fazer com ele.

Anônimo disse...

Roxy Carmichael disse...

Não vai me dizer que você me considera masculinistas porque dois idiotas "elogiaram" o meu comentário, né? rs

Anônimo disse...

Roxy Carmichael

Vai criticar a menina aí em cima que viu os videos de funk e os acha engraçadíssimos. Como se agressão fosse engraçadíssimo.

Anônimo disse...

Anônimo disse...

Bem, vamos fazer uma pequena digressão aqui. Contarei um pouco da minha "linda" história como adolescente.
Na minha época de colégio era evidente em minha aparência que eu era um completo pária: era muito alto, tinha calvície precoce, usava óculos, tinha dentes encavalados, era um tanto corcunda, era desajeitado, tinha a cara cheia de espinhas e um rosto com traços considerados muito feios pelo nosso padrão de beleza racista. Em toda a minha vida eu sofri bullyng, e pode ter certeza que eu já tentei usar todas as dicas "espertas" pra tentar me livrar dele, mas como eu tinha todos contra mim e não era nenhum garotinho ou garotinha bonitinho de classe média que é chamado de viado ou sapatona, a situação só piorou. Cheguei a um estágio em que só queria ficar invisível e que ninguém me notasse e finalmente consegui isso mudando de escola. Agora você, que não sabe da minha vida(e nem da vida de muitas outras pessoas em situação igual ou pior a que eu passei) quer vir aqui dar lição de moral? Você acha que pessoas na situação na qual eu me encontrava querem se arriscar dizendo "muito obrigado" quando são chamados de gays ou de mulher, querem um álbum de fotos que pode ser usado contra eles, ou se abster de "comprar" uma mulher quando vêem que os maiores filhos da puta estão comendo geral? O que você fez de tão grandioso pra humanidade? Sinceramente eu estou com a consciência muito mais tranquila do que deveria estar a de certos ativistas hipócritas que, numa marcha contra a violência e o estupro quase mataram um pobre bêbado idiota de roupa camuflada só porque ele mostrou a piroca e de outros imbecis que concordaram com a atitude e disseram que ele deveria ser estuprado na cadeia.
-----------------------------------
Olha, no meu caso eu sempre fui um cara tido como bonito, com muitos amigos, mais ou menos popular no colégio e etc.; apesar de tudo isso, eu entendo a sua situação. Felizmente nas escolas onde eu estudei essa coisa de bullyng era menos frequente e, quando ocorria, menos intensa. Eu sempre critiquei situações de desrespeito e machismo, mas eu entendi quando você escreveu que isso não é pra qualquer um e exigir esse tipo de postura de quem tá numa situação como a sua é uma insensibilidade tremenda. Quanto aos "ativistas hipócritas", sim, eles são muitos, mas não pense com isso que todos são assim, existe gente muito boa e responsável. Espero que você melhore e que as pessoas passem a colocar a sua aparência em segundo plano.

Anônimo disse...

Anônimo disse...

Roxy Carmichael

Vai criticar a menina aí em cima que viu os videos de funk e os acha engraçadíssimos. Como se agressão fosse engraçadíssimo.
-----------------------------------
Eu achei engraçado. Esses caras que sobem no palco são um bando de machistinhas querendo mostrar a virilidade, tem que levar mesmo.

deLira disse...

como autora do post senti meu coração aquecido por todos que comentaram. até pelos haters..

acreditem, meninos e meninas 'anonimas', enfrento essas pedradas dentro da minha própria familia, por pessoas que nao sao NADA anonimas para mim... assim, nao vejo razão para que fiquem anonimos..

a ideia surgiu depois de eu perceber o quanto a minha propria criação estava cheia de preceitos machistas, e que estes poderiam cair por terra se fossem limados desde a minha tenra infancia...

Anônimo disse...

a parte da cueca foi a unica q eu achei desnecessaria, mas fora isso eu gostei

nesse item:

Nunca, em hipótese alguma, tire sarro ou humilhe alguém porque essa pessoa é diferente de você. São todos iguais a você, filho. Trate as pessoas, de todas as idades, gêneros, credo e cor de pele de maneira educada e respeitosa. Sem esperar nada em troca.

espero que esse respeito se estenda a pessoas gordas tb

Anônimo disse...

Muitos bons conselhos. Eu só adicionaria dois:

- Tente se casar somente se você tem certeza mais do que absoluta de que o relacionamento com a sua futura companheira vai dar certo.

Se o casamento, por algum motivo, não der certo, é você quem vai acabar pagando o pato.

- NUNCA, JAMAIS levante a mão para qualquer pessoa que seja. Não há problema que não possa ser resolvido de forma civilizada.

Ao sabor das correntes. disse...

Acho exagerado o "NUNCA, pergunte: “Você tem certeza que é meu?”".
Como a Lola sempre diz, a monogamia é uma escolha. Há quem viva de outras mil maneiras. Aí o cara NUNCA poderá questionar a paternidade.
Se eu engravidasse hoje e fosse falar com o sujeito com quem transei semana passada, acharia mais do que natural ele me fazer essa pergunta. Afinal, não tenho relações unicamente com ele.
E mesmo se tivesse, se estivéssemos namorando, o fato de eu ter um útero não quer dizer que eu não possa mentir que o filho é de um sujeito e não de outro, o que poderia ser comprovado com um simples exame de DNA. Mas aí eu preciso abrir margem para haver questionamentos.
Claro que quando se escolher viver de forma monogâmica, se supõe que os envolvidos respeitaram o acordo feito. Mas isto é uma prática, assim como ser cumprida, pode deixar de ser, tanto por homens quanto por mulheres.
Não acho desrespeitoso. Entendo se as mulheres que foram questionadas ficarem chateadas (chateadas porque os parceiros demonstram não confiar plenamente nelas), mas ainda assim acho válido. Como acho válido questionar o parceiro sobre a possibilidade dele ter alguma DST mesmo depois de já estar num relacionamento monogâmico.
O questionamento abre espaço pra diálogo. Exigir a confiança completa na palavra da parceira é supor que uma mulher sempre saberá de quem é o seu filho, de que é isenta de cometer qualquer engano.