quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

GUEST POST: ARMAS QUE PODEM SER USADAS NA DEFESA PESSOAL

No final de novembro, publiquei o guest post da C, que reagiu fisicamente às ameaças que sofreu e, assim, conseguiu escapar da violência. Seu texto teve uma aceitação gigantesca por parte de vocês e realmente mexeu com muita gente que, até então, nunca havia pensado em reagir. 
E, desta forma, surgiram dúvidas: como reagir? É possível carregar certos apetrechos que podem ajudar nesta reação? Isso não seria contra a lei?
Como eu tenho xs melhores leitorxs do mundo, logo apareceu um advogado pra sanar nossas dúvidas. Além de leitor assíduo do blog, Bruno Silva é especialista em Direito Penal pela PUC-SP, e quis ajudar esclarecendo algumas coisinhas. Obrigada, Bruno!

Minha proposta nestas linhas é esclarecer alguns pontos acerca do uso de artefatos de defesa pessoal. Como são muitos, destacam-se aqui somente os mais utilizados e que ensejam a maior quantidade de dúvidas: o spray de pimenta, as armas de choque, e as armas brancas.
Os boatos e o achismo leigo muitas vezes vêm com respostas prontas que frequentemente são equivocadas. A ideia aqui é trazer uma visão jurídica sobre o tema. Pra começo de conversa, vamos abrir a Constituição Federal, fonte de todos direitos no país.
Assim é o seu artigo 5º, inciso II: “ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude de lei”. É o chamado princípio da legalidade, que em outras palavras significa que, para o cidadão, tudo que não for proibido é automaticamente permitido.
A questão é, então: há leis falando sobre o spray de pimenta e as armas de choque?
A resposta: sim, há. Qual seja, o Decreto-lei no 24.602/34, regulado pelo Decreto 3.665/00, ambos cuidando dos produtos controlados pelo Exército (armas, explosivos, etc). São produtos que devido ao seu poder de destruição ou outra propriedade, deve ter seu uso restrito a pessoas físicas e jurídicas legalmente habilitadas, capacitadas técnica, moral e psicologicamente, de modo a garantir a segurança social e militar do país. A lista dos produtos controlados está no R-105, um regulamento que este decreto citado traz. A questão é bem simples: se está na lista não se pode comprar, vender, portar, etc. Se não está na lista, a fabricação, comercialização, uso, etc é livre.
É aqui que está a base para sabermos com certeza o que pode e o que não pode em relação a estes produtos.
Vamos começar pelo spray de pimenta. O spray de pimenta vem previsto nessa lista, ou seja, é um produto controlado pelo exército e somente acessível às polícias e às forças armadas.
Pergunta: Se eu comprar um spray de pimenta e for surpreendido pela polícia, posso ser presx? A resposta é não. Não há nenhum tipo penal prevendo crime para o porte, compra ou venda de spray de pimenta. O procedimento é que aquele produto seja apreendido, e só.
E o uso do spray de pimenta em outra pessoa? (na hipótese de comprar ilegalmente o spray e até o momento ele não ter sido apreendido.) Bom, o uso do spray de pimenta em um ser humano pode ser considerado crime de perigo para vida ou saúde de outrem, art. 132 do Código Penal, uso de gás tóxico ou asfixiante, art. 252 do Código Penal ou ainda lesão corporal, art. 129 do Código Penal. Porém, é sempre bom lembrar que se for caso de legítima defesa (art. 23, II do Código Penal) -– isto é, em repulsa a uma atual ou iminente injusta agressão usando meios moderados e proporcionais de defesa –- aí não há crime nenhum.
É preciso lembrar ainda que o spray de pimenta que falamos é o spray de pimenta mesmo, baseado em capsaicina, substância encontrada na semente da pimenta e que é prevista pelo decreto. Há hoje no mercado os chamados “Jatos de Fluído Imobilizante” ou “Sprays de Gengibre”, que são novos, têm o mesmo efeito do spray de pimenta, e como (ainda) não são previstos pelo decreto (não têm capsaicina em sua composição), seu uso, compra, etc é completamente livre.
Sobre a arma de choque, além dos produtos controlados devemos nos ater à Portaria 06/07 do Exército, que define o que são armas letais e não letais. Aqui a discussão muda de figura. Saímos da figura dos produtos controlados e falamos de arma (cuja compra, uso, porte, posse, etc não acarreta somente a apreensão do produto como em relação aos produtos controlados, mas sim crime de porte/posse ilegal de arma).
O ponto é que é definido como arma somente o taser, isto é, aquela arma de choque que dispara os eletrodos à distância. Porém, aquelas armas de choque de contato -– armas de choque manual em que aquele que a utiliza tem de encostar a arma naquele contra quem se pretende utilizá-la -– estas não são previstas pela portaria, portanto igualmente seu porte, posse, etc, é livre, independentemente da voltagem ou amperagem. Isto porque a portaria não tem a mínima previsão acerca deste tipo de arma de choque, tão somente daquelas, como acima mencionado, que disparam dardos à distância ligados a fios onde corre a corrente elétrica.
Lembrando que aqui cabe o mesmo raciocínio acerca do uso em outra pessoa que foi empregado em relação ao spray de pimenta, sobre os crimes de lesão corporal, exposição ao perigo, etc, que são igualmente afastados pela comprovação de legítima defesa.
Por último, há também o questionamento acerca da possibilidade de se carregar uma faca ou canivete como arma de defesa.
Mais uma vez é na legislação, fonte de direitos e obrigações, que buscaremos uma resposta correta. O porte de armas brancas era regulado pelo decreto nº 1246/36, que proibia o cidadão de portar facas (ou outras lâminas) que tivessem mais de dez centímetros de comprimento. Mas esse decreto foi revogado pela Lei das Contravenções Penais, cujo art. 19 tem o seguinte teor para descrever o crime: "trazer consigo arma fora de casa ou de dependência desta sem licença da autoridade..."
Ou seja, não se pode portar qualquer arma branca que exija licença da autoridade para tanto. Quais armas brancas exigem esta licença? Resposta: espadas e espadins ou semelhantes, por regulamentação do exército. Portanto, não há qualquer problema nem configura crime ou contravenção carregar consigo uma faca ou canivete.
Isso não será crime e nem mesmo o objeto será apreendido, já que não há qualquer proibição nesse sentido (independentemente do comprimento da lâmina, visto que o mencionado decreto foi revogado e o texto que vale hoje é o da lei das contravenções penais). 
É importante observar, contudo, que a arma branca não pode ser carregada ostensivamente, isto é, não pode estar à mostra. Não se pode, por exemplo, carregar uma faca na cintura. Lembrando também que a mesma regra a repeito dos crimes de lesão corporal e etc decorrentes do eventual uso da arma branca e a legítima defesa também cabem aqui.
Espero ter podido ajudar para que as mulheres sintam-se mais confiantes e seguras. 

178 comentários:

Anônimo disse...

http://www.facebook.com/photo.php?fbid=546114535416001&set=a.483165815044207.122313.482936895067099&type=1&theater
"Não existe pena de morte no Brasil. A não ser para mulheres com doenças cardíacas que engravidem duas vezes...

Estamos chocados e preocupados com a vida de uma mulher que teve um pedido de aborto terapêutico negado essa semana em Belo Horizonte. Ela sofre de miocardiopatia dilatada familiar, um problema grave no coração que inviabiliza a gestação.

Essa cardiopatia é tão grave que pode levar à morte prematura e é tão complicada que por vezes é necessário transplante. Imaginamos que a gravidade da doença não permita cirurgias como a laqueadura e também a impeça de tomar pílula, já que os efeitos dos hormônios no sistema circulatório são similares aos efeitos de uma gravidez. ..."

isa disse...

Obrigada pelos esclarecimentos, Bruno! É muito bom quando alguém compartilha conhecimentos.
Agora vou atrás do spray de gengibre, pois aprendi que o de pimenta é restrito, fora isso, quero concretizar meu projeto de começar aulas de defesa pessoal (cujas técnicas espero nunca precisar usar, é como seguro de carro).

Huan Icaro Piran disse...

Excelente saber que carregar facas não é mais crime. A meio ano parei de andar com meu canivete pois a cidade recebeu novos PMs (estávamos a mais de 5 anos apenas com 3 viaturas para 160 mil habitantes) e para alem da necessidade me vi em risco de ser preso.
Como tenho tanto medo de PM quanto de Bandido (ser surrado por alguem praticamente imune a lei não é bacana) então parei de andar com ele. Voltarei agora, ando muito de madrugada e Lages não é exatamente um lugar pacato de interior...

Anônimo disse...

Depois eu digo que as feministas veem os homens como inimigos e me chamam de misogino...

João Inácio disse...

Minha irmã carrega na bolsa este spray SG-40. Ela tb me deu um, mas nunca lembro de carregá-lo comigo.

Ela é funcionaria publica municipal numa cidade aqui do RS e ganhou os tubinhos de um guarda municipal que trabalha com ela.

Já a minha pobre mãe não carrega nada e sofreu um assalto perto do seu prédio. O bandido tirou o sapato que ela estava usando e bateu em seu rosto. Ela ficou um mês sem sair de casa, com o rosto quase deformado de tão inchado, qubrou parte da prótese dentária dela. Isso faz uns três anos, mas ela continua traumatizada. Moro em outra cidade, mas as compras de alimentos são feitas por mim quando vou visitá-la. O que me obriga a viajar até lá umas duas vezes por semana.

Anônimo disse...

Excelente o texto, me tirou muitas dúvidas!
Seria interessante se o blog postasse mais sobre autodefesa, pq é um assunto necessário, e que me preocupa muito.

Rose disse...

Lembro da minha irmã, ela anda sempre com um cristal na bolsa (uma pedra de aprox. 300 mg) e diz que com isso ela está "aramada" contra engraçadinhos que a assediarem. Segundo ela, a bolsada vale a pena com um cristal na bolsa. rsrs

Bizzys disse...

Excelente guest post!

Eu sempre tive vontade de carregar alguma arma comigo para me defender, mas ficava insegura com essas proibições... Foi muito bom aprender a respeito.

Mais uma coisa: já li que, na impossibilidade de comprar/portar um spray de pimenta, esses sprays de gelol também tem o mesmo efeito.

roseanjos disse...

Fico pensando que foi muito esclarecedor.
Mas também pode dar ideias para os mascus psicóticos - redundância - de plantão. Se bem que são covardes...

Ana P. disse...

Seria interessante saber como funciona a legislação para o porte de objetos usados para artes marciais.
Por exemplo, espadas de madeira ou bambu usadas para kendô, nunchako, etc - Essas coisas podem causar um bom estrago de usadas corretamente.

Outra coisa, notei que muitas escolas de artes marciais com turmas mistas dão mais atenção aos esportistas homens, enquanto lutadoras são desvalorizadas, consideradas menos interessantes, etc. - Isso é um pouco fora do assunto do post, mas acho importante falar sobre aulas de defesa pessoal apenas para mulheres, onde o ambiente seja menos machista.

Augusto disse...

Não gosto de pessoas que andam armadas, sendo feministas ou não. Pois, isso é perigoso e coloca a vida de outras pessoas em risco. O ser humano não é o dono da justiça e todos nós cometemos erros.

Fernanda Somenauer disse...

Olá, Lola.
Muito interessante o guest post pois é importante falar sobre as legislações vigentes.
Eu sou Guarda Municipal e sei da dificuldade de comprar esses equipamentos pra uma corporação, mas como mulher que anda sozinha na rua e tudo mais, tomo as minhas medidas pessoais dentro dessas "brechas" da lei.
Sempre que posso, levo comigo meu material de desenho, e nele tem um estilete que uso pra apontar os lápis, mas ele pode ser uma arma pra minha defesa.
Eu indico às minhas amigas fazerem o mesmo, pq já fui molestada durante atividade física na praia!

Anônimo disse...

Post genial! Parabéns pra Lola e pro Bruno.


Eu apenas conhecia sobre as armas brancas (em especial facas, uma vez que carrego uma comigo, já que nunca consigo voltar para casa antes da meia-noite e sempre tenho que passar por locais medonhos)

Anônimo disse...

http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/1203513-mulheres-so-ganham-mais-do-que-homens-em-tres-setores.shtml
Mulheres só ganham mais do que homens em três setores

Maria disse...

Acho meio tiro no pé carregar facas e afins se você não sabe de verdade lutar. Porque qualquer mongol desarma alguém com uma faca. E ela não tem poder imobilizante (só se você deixar a pessoa à beira da morte).
Por isso, apitos e sprays de gengibre são melhores. Já que com o primeiro assustamos o agressor e chamamos por ajuda e com o segundo imobilizamos o sujeito por tempo suficiente para correr.

André disse...

Se você for pobre e homem, e a polícia te pegar com um canivete, spray de pimenta, arma de choque, soco inglês, etc., não vai dar BO nem processo, mas eles vão pegar o dito cujo e jogar fora. E é bom não reclamar senão leva um sacode. Se for mulher e não aparentar estar praticando tráfico ou alguma contravenção ele vão fazer vista grossa, desde que não seja uma faca muito grande.

Anônimo disse...

O problema é que mesmo pela letra da lei você poder andar com faca, um policial que encontre uma com você na melhor das hipóteses cometerá abuso de autoridade e confiscará.

Anônimo disse...

Fico feliz em saber.
Sempre andei com um canivete desses simples (só a lâmina retrátil), ele já me salvou antes.
Como foi meu já falecido avô quem me deu o canivete, sempre tive MUITO medo de ser pega andando com ele e tê-lo apreendido.

Augusto disse...

O povo daqui parece tudo republicano. Que nojo! Não é nos armando que diminuiremos estupros e violência. Vocês estarão armados, e os bandidos, tenham certeza, também. A meu ver, tinha que ser proibido andar com faca, spray e a pessoa que andasse com armas deveria ser presa.

Augusto disse...

Lola, os comentários me deram nojo. Nojo de gente que acha que pode fazer justiça com as próprias mãos. Nojo de quem acha que convivência é como A + B.

Anônimo disse...

Só queria esclarecer pros bunitões: Não se trata de fazer justiça com as próprias mãos, se trata de ter como se defender de situações de extremo perigo.

Num caso de estupro ou jogar spray no olho de estuprador... O segundo, por favor, todas as vezes. Estupro ou enfiar um canivete no meio das costelas do estuprador... O segundo, sem dúvida nenhuma.

Saiba como se defender: Você é uma man-hatter doida. Não saiba se defender: Ninguém acredita que foi estupro porque você não tentou se defender. Lindo. Realmente lindo.

E pro pessoal falando que faca, só se souber usar: Realmente.
Sei muito bem usar meu canivete/armas brancas cortantes no geral. Fiz aulas de artes marciais pra isso. É um tipo de combate que exige OU força OU técnica, sendo que técnica > força.
Portanto pra quem não tem nenhum treinamento, é recomendável o spray/arma de choque mesmo.

Luiza disse...

Homem que pratica agressões contra mulheres na rua são tão covardes que um simples spray é suficiente pra ferrar o infeliz.

Já arranjei o meu spray e também ando com um canivete.

Só mulher sabe o que é se sentir acuada além do medo do assalto. Defesa é tudo. Quem não gosta que não use, se for um homem decente não precisa ter medo de mulher.

João Inácio disse...

Augusto,
Tu poderias ser um pouco mais educado na tua colocação, pois não? Esta é a tua opinião e respeito - apesar de discordar totalmente. Nem por isso vou te classificar disto ou daquilo. Tu provavelmente nunca deve ter sofrido nenhum tipo de violência ou mora em algum local como Suécia ou Islândia. Quem já sofreu violência e ficou desamparado pelo Estado sabe do que estou falando. Quando minha mãe foi surrada para ser assaltada ela teve que esperar por causa duas horas para prestar queixa na delegacia, estava super-nervosa e foi tratada com pouco caso pelo funcionário (como sempre ocorrem em todas as delegacias).

Ninguém está falando em atacar. Acho que tu não deves ter entendido o post, nem os comentários. Leia-os de novo. É defesa pessoal, ainda mais num país em que o Estado não garante segurança mínima, nem para homens e muito menos para mulheres. E com leis mansas e cheias de brechas.

Gostaria que tu falasse na cara da minha mãe que tem "nojo dela". Se ela não fosse traumatizada sairia mais de casa, usando um spray na bolsa.

É por gente como tu, que não se preocupa o mínimo com a segurança das pessoas, em especial das mulheres, que o país está nesta balbúrdia. Eu queria ver se assaltassem tua mãe e batessem com o salto do sapato no rosto dela até ela ficar quase irreconhecível se tu viria com essa conversa de "nojo".

Lembranças aos teus vizinhos aí em Reykiavik!

Huan Icaro Piran disse...

@João Inácio

Lamento por sua mãe, espero melhoras para ela

@roseanjos

Os mascus só botam banca de durões, a única vez que intimei um para esclarecer as coisas aqui ele sumiu '-'

@Augusto

Na verdade somos sim, cedemos ela ao estado, mas em tese ele só a tem porque cedemos para ele.
Agora, se quiser me chamar de republicano por defender o direito individual de cada um se defender, enquanto libertário vou ter de mandar vossa senhoria ir dar uma estudada sobre liberdades ¬¬

@Maria

Concordo plenamente. Armas de choque e sprays são o melhor. Em meu caso, como pratico uma arte marcial de combate com espadas uma faca ainda vai, isso pq n tenho grana para spray x_x

@André

Isso se não derem o sacode ao tomarem se vc ter falado nada...já vi acontecer '-'

André disse...

Anônimo 12:33,

Matéria quase correta, contextualiza o fato de, na construção, as mulheres ganharem mais por existirem mais engenheiras e arquitetas que pedreiras e serventes. Mas não faz o mesmo ao totalizar os dados e afirmar que as mulheres ganham 74% do que ganham os homens.

PS1: não está correto considerar como idade ativa 10 anos ou mais, melhor seria fazer o corte com 16 anos.
PS2: a mesma distorção no setor de Construções ocorre no setor Saúde e Serviços Sociais, mas com inversão no gênero.

André disse...

Augusto,

Concordo com você, já pensou se um maluco ou maluca resolve invadir uma escola com um spray de pimenta na mão? Me dá calafrios só de pensar.

Ana disse...

Augusto, eu entendo o que vc diz. Também fiquei horrorizada com o pessoal falando em facas e canivetes. Porém, spray é outra coisa. Vc não vai machucar seriamente ninguém com um spray de pimenta ou gengibre.Vc vai no máximo imobilizar a pessoa. E acho justo para o caso de se defender. Uma mulher está sempre em desvantagem pela simples força física. É muito fácil imobilizar uma mulher e forçá-la apenas com a força física, não precisa nem de arma. Então, um spray ou algo assim serve apenas como auto-defesa. Não está se imaginando fazer justiça. Pelo menos é o que eu acho.
Já falar em facas e outras armas, isso pra mim é como vc diz, coisa de republicano. Horror.

Shey disse...

Blz, Augusto, vamos depender dos excelentes serviços de "proteção" policial...que tal dar a outra face tbm?

Anônimo disse...

Não ensine as pessoas de classe A,B e C a temer e se defender! Ensine @s assaltantes a não assaltar !
Todos os pobres são assaltantes em potencial.





Anônimo disse...

comprar spray de gengibre e de pimenta a rodo no Paraguay

cat lady disse...

Esse comentário vai ser em "anonimo", eu tenho um spray de pimenta e o carrego sempre. Obviamente não estou afim de usá-lo, mas se necessário o farei. Voltar quase meia-noite para casa é um fator de risco sim, e se precisar (espero que não) irei reagir sempre que possível.

@Augusto:
Que drama hein amigo, tá faltando é aprender a interpretar texto, onde que falamos que andar armado vai diminuir algo? Estamos falando em defesa própria, defender a nossa vida de violências que podem ser evitadas com atitudes nossa, como um assédio.

Fabiola disse...

Triste realidade das Indianas ( e de todas a mulheres do mundo), estudante de 23 anos estuprada no ônibus por 4 homens, inclusive motorista e trocador, e depois foi jogada para fora com o veículo em movimento
http://g1.globo.com/mundo/noticia/2012/12/estudante-e-estuprada-e-jogada-de-um-onibus-em-nova-delhi.html

Bruno S disse...

Fiquei assustado com a quantidade de pessoas que utilizam armas, especialmente facas, na sua rotina.

Será que essa turma toda tem a habilidade necessária para o manejo do que leva? Será que sabe usar a medida certa?

Será que quem anda com faca está disposto a furar alguém? Ou acredita que a mesma impedirá ação de bandidos mais fortes?

Embora a possibilidade de autodefesa seja bastante atraente e acabe sendo útil em algumas situações, acho que criam outros riscos que acabam sendo negligenciados.

Fabiula disse...

"Lola, os comentários me deram nojo. Nojo de gente que acha que pode fazer justiça com as próprias mãos. Nojo de quem acha que convivência é como A + B."

Comentário típico de quem não sofre com a possibilidade de ser estuprada só por estar andando na rua à noite (ou em qualquer outro horário). Eu acredito SIM que devemos reagir, mesmo sob ameaça de morrer lutando. Nós mulheres vivemos em constante estado de sítio, sempre com medo de sofrer algum tipo de violência, especialmente de sermos estupradas. Não podemos mais viver assim, e se ninguém mais pode nos ajudar, nós mesmas devemos nos levantar e lutar. Eu já fui assaltada uma vez, e não reagi justamente pela surpresa de estar sendo assaltada. Simplesmente não acreditei no que estava acontecendo e permaneci estática, enquanto o cretino levava meu celular comprado com muito esforço. Mas pretendo me preparar, seja com aulas de defesa pessoal, ou com sprays de qualquer tipo, pois, se houver uma próxima vez (espero que não aconteça, obviamente), eu pretendo sim reagir.

Anônimo disse...

Augusto, como eu faço em uma situação de risco? Convido @ agressor@ para um chá em casa?

Eu gostaria de não ter que andar com nada, de ser livre. Mas eu não saio por aí apontando ou usando o que carrego. Como já apontado, é em último caso.

Gilberto Ricci disse...

Augusto,

Andar armado não diminui a violência, mas ser estuprado e morto também não.

Note também que os comentários aqui são sobre auto-defesa, que é totalmente diferente de "justiça com as próprias mãos".

SeekingWisdom disse...

Caro Augusto,
nem tanto ao céu nem tanto ao mar. Realmente violência não resolve violência e acho que todo mundo aqui sabe disso. A questão principal aqui é como se portar diante da ameaça constante de sofrermos violência de algum tipo. Se vc ler com atenção os comentários do post da C. verá que não é raro passarmos por algum tipo de situação de perigo eminente. Essa ameaça atinge não apenas quando é concretizada mas quando ficamos com medo e restringimos nossa presença no espaço público por conta dele. Se o porte de uma arma não letal traz mais segurança para as pessoas acho válido sim o porte.
Reforçando o lembrete da Maria que portar uma arma que não sabe usar é mais arriscado que estar desarmado.
O porte de armas de fogo no Brasil teve seu comércio restringido por conta de uma estatística preocupante: mais de 50% dos casos de homicidios por arma de fogo aconteceram por motivo banal. Assim cabe a quem decide se armar controlar os nervos para não ferir alguém injustamente.
Abraços a todxs, Phillipe

Ramilla disse...

Oi Ana P.

Eu pratico artes marciais e tenho um sabre (que inclusive já me deu trabalho quando foi roubado) e precisa ter uma autorização para portar por aí. Não é recomendável sair com ele à vista (pq né). Mas com as adagas, já ando mais tranquila.
O que vc falou é verdade. Venho do tradicional e mulheres, além de serem raras, eram mais subestimadas que os homens. Não é raro encontrar professores que dão mais atenção a eles (em matéria de treinamento, preparo para competições) do que para as meninas. Sem contar o assédio que a gente sofre por parte de colegas de treino e até de professores.
Felizmente, vejo cada vez mais meninas nas artes marciais e não somente para aprender a se defender, mas por gostar, ser um excelente exercício físico e outros.

Naiara disse...

"Depois eu digo que as feministas veem os homens como inimigos e me chamam de misogino..."

????????????????????????????????????????????????????????????????????????????


sério que vc vem num post que ensina pessoas o que é legal ou não pra DEFESA (quando sua segurança/vida está em perigo) e presume que odiamos homens? aliás, quem presumiu que quem machuca mulheres são homens foi vc, no post só se falou de reação e escapar da violência.
esse texto é um auxílio a pessoas (não só mulheres) que querem estar aptas a se defender de outras pessoas (não só homens). inclui estupro sim, mas estupro não ocorre só entre homem e mulher.
btw, o texto é claro e direto. se ele tivesse em um blog de defesa pessoal ou artes marciais, você iria reclamar que eles tão incitando o ódio a.. a quem mesmo?

nina disse...

Desculpem os puritanos, mas eu tô com quem disse que não temos saída. A gente tenta se defender, e é chamada de criminosa. A gente não se defende, e é chamada de mentirosa.

Se eu for atacada, vou tentar reagir. Se eu morrer, paciência... Quer me atacar, é bom que seja necrófilo também, porque, correndo mais risco ou não, vou tentar reagir. Pelo menos é isso que penso, não posso dizer que serei capaz de fazer algo. Mas espero não ter que descobrir.

Anônimo disse...

Augusto, menos insultos e mais argumentos, plz

lola aronovich disse...

Pô, Augusto! Ninguém aqui tá falando em matar pessoas, ou mesmo em sair por aí jogando spray ou dando choque em caras que não gostamos. Estamos falando de defesa pessoal. Achei que isso estava bem claro. Vc precisa se colocar mais no papel da mulher pra entender que ameaças a nossa integridade física são extremamente comuns. Aliás, muito me espanta que vc, como leitor frequente do blog, não tenha notado isso ainda. Reagir contra uma ameaça pode ser uma possibilidade, como mostrou o post da C, e como, inclusive, apontam vários estudos. Claro que não aconselho reagir contra um assalto à mão armada. Mas se carregar um spray de pimenta fará uma mulher se sentir mais segura, e pode impedir um estupro ou um assalto sem arma numa rua escura, por que não? Eu mesma estou pensando em comprar um spray. Semestre que vem terei de voltar tarde pra casa, sozinha, a pé. Não sei se teria coragem de usar um spray, mas talvez eu me sentisse mais segura com ele. Aliás, se alguém já usou: por quanto tempo o cara fica imobilizado? Pergunto porque quero saber se dá tempo pra correr pra um lugar que tenha alguém.
Recomendo muito que meninas façam cursos de defesa pessoal desde pequenas. Se eu tivesse uma filha, colocaria pra aprender judô ou algo assim.
O ideal é que a pessoa jamais precise usar o spray ou o golpe de kung fu. Mas, se precisar, ele está lá.

Aline disse...

Eu ando com um vidrinho de perfume sempre na bolsa, que acho que espirrado nos olhos de alguém iria arder bastante.
Quando estou andando na rua com o capacete na mão, sempre uso em uma posição que dê firmeza. Se alguém fizer algo, eu consigo revidar.
Exagero? Não sei. Sou muito desconfiada.

Aline

lola aronovich disse...

Um mascu num fórum mascu: “O post de hoje no blog da Aro16 é um ´especialista em Direito Penal' tirando dúvida sobre uso de armas que seriam permitidas para defesa pessoal.”

Outro gênio mascu: “Deixe-me adivinhar, ela publicou isso para ajudar a leitora padrão do blog dela a comprar arma pra atirar nos 'estupradores' (leia-se: todo homem heterossexual não feminazi, na versão deturpada dessa retardada)?”

3o mascu com QI altíssimo: “Como você adivinou? Daqui a pouco, com os poderes premonitórios da Real, o povo vai achar que tem um monte de profetas aqui!”

Incrível como mascu não perde uma só oportunidade de se humilhar em público! Impressionante como eles definitivamente não sabem nada de nada.
E outra: quem adora armas (de fogo, não essas bobagens de spray de pimenta) e vive fazendo post sobre elas não é feminista; é mascu. E claro que não é pra usar contra estupradores. Aliás, eles nem acreditam na existência de estupradores...

André disse...

Eu acho que uma chave phillips é melhor que uma faca. É mais fácil de usar e a polícia não pode tomar.

Maiê F. Rezende disse...

Eu também acho que andar com faca pode dar muito errado. Mas entre uma faca e nada, fico com a faca...

Mas adorei a ideia do aparelho de choque ou do spray. Claro que é algo que ninguém quer ter que usar, mas em uma emergência pode ser muito útil.
O que eu gostaria mesmo de fazer é algumas aulas de defesa pessoal.

João Inácio disse...

Huan Icaro Piran,

Minha mãe (que é de uma cidade vizinha à tua, São Joaquim-SC, mas mora em São Leopoldo-RS) ficou extremamente traumatizada. Nas palavras dela, ocorre uma "aceleração" no coração, quando ela percebe que alguém caminha atrás dela. Ela não usa mais joias, correntes, nem relógio de pulso, mesmo andando de carro com minha irmã. Ela tem desde os 50 anos um problema neurológico incurável chamado "tremor essencial", que dificulta escrever e segurar objetos. Após o assalto, os tremores chegaram a tal ponto que ela não consegue mais escrever nada. Como todos os documentos dela foram roubados, na nova identidade, no campo destinado à assinatura está impressa a expressão "impossibilitada permanentemente de assinar", junto à impressão digital. Tudo que precisa da assinatura dela é um "parto", tanto eu quanto minha irmã temos procurações para assinar por ela.

Essas procurações "vencem" e, de tempos em tempos, temos que renová-las em cartório num processo bem burocrático. Isso quando aceitam as procurações....

Quanto ao cartão de crédito, na hora de assinar o canhoto ela faz um garrancho qualquer (nunca ninguém olha para confirmar a assinatura mesmo...) Até hoje, nunca houve nenhum problema com o uso do cartão. Em estabelecimentos em que conhecemos os proprietários, como a pet shop, a farmácia ou o mercadinho perto da casa dela, ela faz as compras e em uma ou duas vezes por mês eu vou lá, passo o cartão e assino por ela. Ela foi assaltada às 11h da manhã de um sábado, na esquina do prédio em que mora. O assaltante provavelmente era um menor, estava visivelmente drogado e portava uma faca de cozinha do tipo cutelo.

Bruno S disse...

"Ninguém aqui tá falando em matar pessoas, ou mesmo em sair por aí jogando spray ou dando choque em caras que não gostamos. Estamos falando de defesa pessoal."

Lola, desconfio que quem defende o porte de armas de fogo utiliza o mesmo discurso.

Mirella disse...

Augusto, você tem o direito de sentir nojo do que quiser.


Eu, por exemplo, tenho nojo de quem reclama de pessoas procurarem maneiras de se DEFENDER. Também tenho nojo de falta de empatia.


Mas cada um é cada um.

João Inácio disse...

E só para acrescentar: ela não reagiu, ele mandou ela sair correndo, mas ela ficou paralisada de terror. O bandido a derrubou no chão e bateu nela. Ela nem percebeu que ele batia nela com o sapato. Ela achou que estava sendo esfaqueada, ela começou a gritar e então o porteiro do prédio viu e saiu em auxílio. A rua dela é sem saída. O assaltante se embrenhou nas árvores do parque que fica no fim da rua e sumiu. A polícia demorou uns 30 minutos para vir, mas a esta altura este bandido deveria estar bem longe (havia a obra do metrô ali perto, ele deve ter entrado no canteiro de obras, atravessado a ponte (ainda fechada ao tráfego) e ido parar numa vila do outro lado da cidade.

Luiza disse...

Nem vou dormir hoje à noite pensando que tem gente com nojinhos de mim.

E aqui estamos falando de defesa contra assediadores/estupradores, coisa que homem não sabe o que é, e não de assaltantes.

Tem que explicar tudo por aqui? Pior que criança, não tem vergonha, não?

Sheldon Cooper teria ataques lendo esse tópico.

Huan Icaro Piran disse...

@João Inácio

Síndrome do panico, já conheci pessoas que passaram por isso, é bem complicado para superar. Espero mesmo que ela consiga superar isso.
Tenho uma prima
Tenho uma prima que mora em São Leopoldo...ou em Novo Hamburgo, não tenho certeza, não a vejo a mais de 10 anos.

Anônimo disse...

O Augusto acha que spray de pimenta vai armar um sequestrador
Tipo o sequestrador chega e vai gritando: PARADO AI PARADO SE NAO LA VAI PIMENTA NO OLHO! OLHA QUE EU ATIRO! EU TO MANDANDO HEIN! VAI ARDER!

Anônimo disse...

Desencanem de facas que é muito fácil de desarmar. Eu ando com tesouras de costura na bolsa. O formato do cabo me dá mais segurança de que ela não vai escorregar ou q possam tirá-la da minha mão.

Só uso bolsa transversal e mil vezes já me armei (com as mãos dentro da bolsa) à espera de alguma ameaça. Não precisei usar até hj, mas me sinto bem mais segura.

(E se a polícia me parar eu apenas digo que costuro)

Anônimo disse...

Acho bobagem essa história de faca: a maioria não teria treinamento e sangue frio para usar. E para imobilizar alguem você teria que deixar o agressor bem ferido, correria o risco de ser acusado de usar de força desproporcional. Imagine ainda se você for desarmado e usam contra você. Destas opções a melhorzinha é o spray de pimenta e similares. Imobiliza, você não tem que esperar o agressor chegar perto demais...

Maria disse...

Lola,
eu nunca usei spray de pimenta, mas a adorável PM do RJ já usou contra mim (nesse dia: http://marialasilveira.blogspot.com.br/2012/04/sou-carne-da-carne-que-voces-feriram.html), bem no meio da minha fuça.
Você não fica imobilizadx por muito tempo não, mas (se for no meio da fuça) vai dar uns passos para trás e tossir, se debater. É horrível e te deixa bem confusx, porque começamos a lacrimejar, a garganta arde...

Maria disse...

Lola,
discordo de você que spray de pimenta seja uma bobagem. Não é. Pode dar reação alérgica, pode derreter lentes de contato no seu olho e vem sendo usado indiscriminadamente para combater de forma desproporcional qualquer manifestação de movimento social

Patty Kirsche disse...

Bacana! Muito esclarecedor, adorei saber. Sabe, também acho legal que todas nós treinemos defesa pessoal e façamos aquele curso de direção defensiva pra evitar abordagens no carro. ;)

Rose disse...

Mas Lola, a pimenta não é o anticoncepcional dos mascus, pq eles estão assim, tão "chatiadinhos"? hahahaha
E sobre os recursos que podemos usar, talvez sejamos as principais vítimas justamente por essa cernça de que não devemos reagir para não ser pior bla bla bla. Quando a ocorrência é com um homem, em geral, espera-se que ele reaja (claro, não estou falando de assaltado com armas)

João Inácio disse...

Verdade, spray de pimenta não é tão inócuo assim. Tb sabia que, dependendo das lentes de contato, podem derretê-las e, em alguns casos, causar graves reações alérgicas.

Por outro lado, existe o spray de gengibre que causa a "sensação" semelhante ao de pimenta, sem ser, EM TESE (precisaria ler mais sobre o assunto) tão perigoso. Ambos causam um atordoamento no "interlocutor" por alguns instantes, que, dependendo do local e hora, é suficiente para se desvencilhar, correr e pedir ajuda.

Anônimo disse...

Augusto, não se trata de fazer justiça com as próprias mãos. Existe uma diferença muito grande entre vc se proteger de um perigo real e iminente e vc do nada sair por aí procurando marginal para dar tiro nele. Se vc acha que o acessório de auto-defesa das mulheres deve ser a camisinha, seja bem-vindo.

Anônimo disse...

Pesquisando na ebay, achei este ótimo spray em formato de batom PERFEITO para mulheres:

http://www.ebay.com/itm/Self-defence-Convert-Pink-Lipstick-Pepper-Spray-PS01LPK-/270734499070?pt=LH_DefaultDomain_0&hash=item3f09089cfe

É só esperar que a Receita não barre. =(

Gabriele Albuquerque Silva disse...

Me preocupa muito isso do uso de facas, pq é algo que pode ser bem perigoso, até mesmo para quem tentar se defender, pode se tornar mais uma arma para o agressor.

Mas acho bem válido o uso de métodos de imobilização como os sprays para defesa. Até considero adquirir um spray desses. É algo que não fere ninguém, que é suficiente apenas para a defesa. Infelizmente, a violência acaba exigindo esse tipo de reação.

roseanjos disse...

eu sabia, sabiiiiia que os dementes iam começar a falar que o post era para ensinar as feminista atacá-los.
São todos rapazes honrados, com boas intensões e inofensivos. Tadiiiinhos!!!

Por mim o mundo inteiro pode andar com utensílios para defesa pessoal, não tenho a intensão de atacar ninguém. Então não me sinto ameaçada. Eles podem dizer o mesmo?

Anônimo disse...

lola, adoro seu blog. mas, acho muito perigoso esse post porque não só mulheres indefesas podem ler, mas qualquer pirado que acesse o seu blog, como os mascus e trolls.

Carol NLG disse...

Sobre o spray de pimenta: eu tenho um do formato de um batom. Tranquilo de colocar na bolsa. E ele ainda pinta a cara da pessoa de azul, entao fica f´acil de identificar depois.

Nunca precisei usar, mas me sinto mais segura com ele. Acho que com isso ate minha postura muda e eu afasto melhor as pessoas.

So deixo uma dica: NUNCA usem pra ameaçar. Com qualquer tipo de defesa dessas, se voce sacar tem que ser pra usar. Mesmo o spray de pimenta, funciona muito melhor no susto e surpresa que se a pessoa estiver esperando.

E eu tambem nao recomendo facas. Se a pessoa nao souber usar bem - e nisso incluo ate a forma certa de segurar - eh muito mais provavel de ser desarmada e a faca usada contra si. Nesse caso, eh melhor ter alguma coisa bem pesada na bolsa pra bater com volume.

Julia Goncalves disse...

Acho que pela primeira vez tenho que discordar da maioria dos comentários do blog. Concordo que nós mulheres devemos nos proteger de situações de perigo, mas portar armas brancas não é solução, principalmente facas. As estatísticas mostram que o risco de morte da vítima aumenta quando ela porta qualquer tipo de arma. Contudo, acho o spray de pimenta mais interessante.

E tenho que concordar com o Bruno, o argumento "é só para me proteger" é bem típico dos defensores de porte irrestrito de armas. Mas, claro, sei que não é o caso da maioria por aqui nem o assunto do post.

E, por fim, super me solidarizo com as historias de familiares agredidos e tudo mais, mas não acho que devemos discutir leis no calor do momento. É aquela velha história: se te estuprassem você ia querer matar o estuprador? no momento, provavelmente. mas não acho que devemos implementar a pena de morte em caso de estupro.

enfim, essa é só a minha opinião

lola aronovich disse...

Anônimo das 19:08, não se preocupe não, que pirados como mascus e trolls nem leem os posts. Eles só passam os olhos e interpretam qualquer coisa. No caso deste post, que estou pregando a matança de todos os homens. E outra: esses caras acham spray de pimenta a maior frescura. Eles gostam mesmo é de armas de fogo. Há vários tópicos em fóruns mascus dizendo como todos os "homens de bem" (ou seja, eles) deveriam andar armados (com armas de fogo). Eles trocam fotos das metralhadoras que gostariam de ter. Entende? É outro nível.


Julia, concordo que pra andar com canivete tem que saber usar um canivete. Mas, sabe, ninguém está falando em matar alguém. Estamos falando, primeiro, de REAÇÃO. Se alguém nos ataca, o que podemos fazer? E defesa pessoal não é vingança. A gente está falando em usar spray de pimenta e de sair correndo enquanto o sujeito está atordoado, não de matar estuprador.

Anônimo disse...

Em assaltos, imagino que é muito perigoso reagir, é melhor perder um bem material do que a vida ou ser agredido, apesar de que tem as situações como citadas nos comentários em que a vítima é agredida mesmo sem reagir. Aí não saberia dizer como proceder.
Mas em tentativas de estupro, é muito raro o estuprador estar armado então uma reação como a do spray ou arma de choque acho muito válida, tudo que for possível para evitar essa violência extrema deve ser feito.

Pedro disse...

Ou você carrega uma arma consigo, obviamente não registrada, e caso precise usar, diz que o ladrão deixou cair e você a pegou. Ninguém vai duvidar da sua palavra e continua sendo legítima defesa, fora que é menos um vagabundo no mundo.

Sou policial militar.

lola aronovich disse...

Esse batom de spray de pimenta me parece perigoso! Eu seria muito capaz de usá-lo contra meu próprio rosto. Imagina só, vc já tá nervosa (porque está sendo atacada ou ameaçada), e tem que tirar o batom e ainda apontar na direção certa? Pra mim não daria. Eu levo vários segundos pra usar um inseticida, por exemplo, porque preciso ver se está na direção certa. E olha que estou falando de usar inseticida em situações calmas, contra mosquitos, não contra baratas (porque aí é pânico total).

Gente, sei que sprays de pimenta não são inofensivos, e por isso acho que só devem ser usados em caso de defesa pessoal. Quando estava procurando por imagens pra ilustrar este post, o que mais encontrei são fotos da polícia usando spray indevidamente, contra manifestantes em protestos, moradores de invasões, ou até contra uma cadela pequena numa favela. Isso é horrível! Mas não é desse uso de spray que estamos falando...

Augusto disse...

A lola pediu para que eu postasse aqui o e-mail que enviei a ela.

Lola, aqui é o Augusto.

De spray de pimenta a arma de fogo, os dois são capazes de machucar.

Eu vou dizer algo. Quando eu era uma criança de 9 a 10 anos, eu estava na escola. Havia um menino que fazia bullying comigo. E era horrível. São duas lembranças que me marcaram sobre este acontecimento. A primeira lembrança é de um dia no qual ele, no recreio, me puxou pelos cabelos e eu chorando, pois não tinha força contra ele, enquanto ele me arrastava contra a minha vontade, não podia fazer nada. A segunda foi de um dia em que ele estava conversando com um menino e ele mostrou-lhe um canivete. Eu me assuntei muito. Ele fazia bullying comigo e, agora, estava com um canivete! Não preciso dizer que demorou um bom tempo para eu conseguir tomar uma atitude, contar para os meus pais (que me acharam um veado por não reagir). Aguentei isso um ano, pois no outro ano não continuei na sala dele, mas ele ainda me assustava muito. O que eu gostaria de comentar sobre este acontecimento é: o pai do menino, supostamente, deu o canivete ao filho para "defesa pessoal". Teoricamente, todos merecem ter uma defesa pessoal. Mas está defesa pode mesmo ser prevista em lei? Uma pessoa tem mesmo o direito de se defender. É necessário, antes de responder a esta pergunta, o quanto uma pessoa é capaz de se defender sem machucar a outra.

Eu queria dizer que acho horrível um estudioso do direito, a meu ver, que quer achar brechas na lei, justamente, para fazer algo que a lei não permite. A lei não permite o uso de spray de pimenta. A solução é usar spray de gengibre?

De lei, sabemos que ela não considerava como estupro sexo sem penetração há uns anos. Bem, ainda bem que a lei mudou, não? Imagina que ridículo seria ver alguém defendendo o estuprador: "Ele não colocou o pau, logo não configura lei de estupro". A lei nunca vai ser boa suficiente, Lola. E não é nosso papel, a meu ver, novamente, procurar maneiras de reinterpretá-la (mas sim de melhorá-la)

Engraçado que nem todo mundo estar pensando em todas as consequências de "cada um ter o direito de se defender". Claro que é fácil pensar que a vítima tem o direito de se defender. Num mundo como o nosso, quem é vítima? As mulheres são vítimas, os gays (eu) são vítimas? Os negros são vítimas? Alguns masculinistas têm a certeza de que são vítimas, como alguns religiosos fanáticos, também, têm. E se eles defenderem o seu direito de andar armados? Um simples spray pode cegar:

http://g1.globo.com/mundo/noticia/2012/04/policial-e-acusado-de-cegar-mulher-com-spray-de-pimenta-na-california.html

Imagine o que um canivete pode fazer. Imagine, novamente, o que um canivete e um spray de pimenta no Brasil podem fazer. Lola, conheço mulher que já espancou outras mulheres por questão de defender o que é seu (o marido, no caso) por direito. Meu pai mesmo dizia que, quando alguém me xingasse ou batesse, era para eu revidar. Era para eu não ser uma "mulherzinha". No caso, era só o machismo do meu pai conta a minha consciência feminista. Pense no que aconteceria se eu não tivesse essa consciência. Por defender, talvez, eu já tivesse dado uma facada em alguém. Por defender, Lola, eu já joguei uma pedra na minha prima justamente por essa imposição que os adultos colocam em crianças, inclusive em homens, de que meninos têm de se defender sim. E ter jogado uma pedra na minha prima, apesar de não ter deixado marcas, aposto que machucou e muito.

Eu não sei se eu já te contei essa. Eu sou gay, ainda não assumido, e estava com meu primo no carro dele. Ele viu um "bicha" e disse para mim: "Me dá este guarda-chuva que eu vou jogar nele". Ele não jogou, mas isso me deixou realmente assustado. Me assusta o que as pessoas podem fazer. Me assusta ainda mais se a lei permitir pessoas de andar armado.

Augusto disse...

Reitero que a lei não só permite o uso de canivete para defesa pessoal, como você propõe, mas também permite que qualquer pessoa (seja mascu, um assaltante) ande com um canivete. O que pode fazer um canivete para defesa pessoal com um mascu, Lola? Já pensou o desastre? Já pensou se uma mulher dá um fora nele numa balada e ele decide machucá-la. A polícia, dificilmente, vai encontrá-lo depois disso. Ele continuará com a defesa dele, enquanto as outras pessoas vão seguir, enganadas, com a sua suposta defesa pessoal.

Antes de criar um post sobre defesa pessoal, Lola, é necessário explicar às outras pessoas da consequência da defesa pessoal. É necessário mostrá-lhes um outro lado da história. Não é olho por olho que se ganha o jogo, Lola. O ser humano comete muitos erros com suas "verdades" e você sabe bem disso. O que bêbado a fim de brigar irá fazer com seu spray de pimenta? O que farão os motoristas num congestionamento com spray de pimenta? Armar-se não é uma solução suficiente boa no mundo contemporâneo, menos ainda num mundo humano.

Boa sorte e eu espero que você, antes de estar convicta de andar armada, pense sobre isso. Para o seu bem e para o bem dos outros. Até os ladrõeszinhos de comida merecem uma vista boa.

Obs: eu sei que ser mulher é horrível no mundo em que vivemos. Só não pense que todas as pessoas estarão certas ao se defenderem. Não. Muitas pessoas abusaram deste "direito". Queiramos ou não.

Ághata disse...

Achei muito interessante o post pelas informações. Não sabia muita coisa, mas, como outros comentaristas mencionaram aqui, fiquei surpresa com a ingenuidade das pessoas.

Não reaja. Em caso de furto, sequestro ou roubo, você tem mais chances de sair vivo ou com menos ferimentos se você não reagir, não olhar na cara do criminosos e manter a calma.

Só se deve reagir em ÚLTIMO CASO! Tentativa de homicídio ou estupro.

Não vale a pena morrer por um celular por mais trabalho que você tenha tido para comprá-lo!

Para portar uma arma como um canivete, um estilete ou canivete, é necessário (no mínimo) que você consiga responder umas perguntinhas: a) você sabe usar? b) você tem sangue frio para usar?
Mesmo respondendo sim para tudo isso você tem uma grande chance de morrer ou se ferir com sua própria arma.

Na esmagadora maioria dos casos, as agressões pegam a vítima de surpresa. Você tem que se defender em questão de segundos. Algo que imobilize o agressor é até mais fácil de usar e te garante mais chances de fugir.

Mas agredir o agressor com faca ou pancada é chamá-lo para briga. E, pode ter certeza, a maioria dos criminosos Tem Experiência com briga - coisa que eu imagino, a maioria dos comentadores aqui não tem.

E mesmo que você consiga ferir o criminoso com a faca ou canivete, isso não vai imobilizá-lo. E, depois de atingir uma pessoa pela primeira vez, fica mais difícil atingir uma segunda. Sua arma vai estar suja de sangue, vai escorregar da sua mão, você pode ficar em choque.

A maioria das pessoas após sofrerem um crime ou se sentirem ameaçadas podem ter vários tipos de reação: ficam paradas, em choque, começam a ter tremedeira ou mesmo choram.

Reagir não é fácil e é Muito arriscado.

luana disse...

Quer falar de faca? De reação? A gente não sabe como vai reagir, a verdade é essa.

Há uns anos, um cara invadiu minha casa. Acordei com ele no quarto, mexendo nas coisas e perguntando onde tinha dinheiro. Levantei e ele ficou falando que ia fazer isso e aquilo, que era pra eu pegar dinheiro pra ele. Meu primeiro pensamento? 'Vou pegar esse estilete (que tava na mesinha, junto com material de desenho) e cortar ele', e na mesma hora repensei 'ah, ele é só um ladrãozinho mequetrefe, achou que a casa tava vazia e entrou. Nisso o vizinho que tinha visto ele entrar já tava no portão junto com outros conhecidos, gritando pra ele sair logo e não fazer nada. Ele não tava mesmo armado, era um cara sem noção que queria uns trocados. Dei sorte, apesar de tudo. Mas eu nem liguei se não saberia usar o estilete, ou se ia machucar alguém. Eu tava mesmo pronta pra reagir, caso ele tentasse alguma outra coisa.

E como a Lola tá cansada de repetir, não estamos falando em sair atacando pessoas ou em matar alguém. Estamos falando das possibilidades. Quem disse que se formos agredidas temos que ficar quietinhas? Tipo, fica calada pra continuar viva. Depois não fala sobre o que aconteceu, porque ninguém vai acreditar.

aff...

Ághata disse...

Tem outra coisa que está me incomodando. Parece que os comentários estão confundindo os tipos de violência como se fossem uma coisa só.
Violência urbana, violência de gênero, crimes de ódio e por aí vai.

Não são. Tem causas distintas, consequências idem, demandam comportamentos diferentes...

Koppe disse...

"Bruno S disse...
Será que quem anda com faca está disposto a furar alguém?
"

Essa é uma das questões mais relevantes e que todo mundo deveria lembrar.

Se vai carregar um negócio desses, tem que se preparar psicologicamente para usar. E sem pena, sem dó, sem medo de causar danos. O pensamento tem que ser "antes ele do que eu", e se for pra alguém sofrer danos físicos ou mesmo morrer, que seja quem está agredindo, assaltando ou outras coisas, e não quem está tentando se defender.

Se for pra pegar o instrumento, e ficar com pena de usar com tudo ou medo das conseqüências, então o melhor mesmo é não carregar nada. Isso é muito sério.

É uma situação extrema, uma questão de sobrevivência, e em situações assim não é hora de lembrar de leis, princípios ou empatia - empatia o outro devia ter tido antes de iniciar uma agressão ou crime, agora ele que agüente as conseqüências, se for ferido ou morrer a culpa é dele.

"André disse...
Eu acho que uma chave phillips é melhor que uma faca. É mais fácil de usar e a polícia não pode tomar.
"

Queria saber o que a lei diz sobre isso. Eu vivo aconselhando pessoas a carregarem ferramentas como meio para se defender. Eu mesmo já fiz isso em algumas situações específicas, mas nunca precisei usar.

A questão é que, se a polícia pega alguém carregando uma arma branca, a tendência é pensar que se trata de alguém mal intencionado, principalmente se for homem, e até onde sei nesses casos acaba levando uns tapas no ouvido. Mas ferramenta é coisa de trabalhador, então é mesmo mais seguro carregar, apesar de a possibilidade de danos ser quase a mesma.

Mas vale o mesmo sistema que das facas, só se deve pegar na mão em último caso, e daí tem que usar com tudo...

"Anônimo disse...
Acho bobagem essa história de faca: a maioria não teria treinamento e sangue frio para usar.
"

"Gabriele Albuquerque Silva disse...
Me preocupa muito isso do uso de facas, pq é algo que pode ser bem perigoso, até mesmo para quem tentar se defender, pode se tornar mais uma arma para o agressor.
"

Infelizmente isso é verdade. Em muitos casos é mais um placebo do que um remédio (causa a sensação de segurança), e muita gente tem sorte de nunca ter mesmo precisado usar. É necessário ter algum preparo físico e psicológico, ainda que mínimo. Eu não sei se tenho, e sinceramente prefiro nem descobrir.

Mas um bom exercício é tentar imaginar a situação acontecendo. Recomendo nunca jamais tentar intimidar, não deixar o inimigo perceber que tu tem aquele objeto até o instante de usar. É tudo rápido demais, e realmente é muito difícil ter a rapidez de raciocínio necessária. Por isso mesmo é necessário deixar de lado qualquer escrúpulo ou medo de conseqüências. Que chore a mãe do inimigo, não a tua...

(E sim, isso é o pouco, muito pouco, que aprendi por experiência própria. Já fui militar e tive alguma instrução de situações de violência, e já fui assaltado, além de já ter sido agredido. Freqüentemente me vejo em situações que me deixam alerta, mas tenho tido sorte que nada do tipo acontece comigo há muito tempo.)

"Rose disse...
talvez sejamos as principais vítimas justamente por essa cernça de que não devemos reagir para não ser pior bla bla bla
"

Concordo... acho que se "não reagir" fosse a solução, esses problemas não existiriam mais. Meus comentários acima são para o caso da pessoa que decide sim reagir, que por algum motivo chegou à conclusão que deve. O ideal seria mesmo nunca precisar reagir, mas vivemos no mundo real, e não no ideal.

Ághata disse...

Acho que vale muito a pena pensar nas questões que Augusto trouxe.
E os republicanos realmente acham que têm o direito de se defender. Não deixa de ser também uma ideologia muito propagada em quadrinhos e filmes norte americanos. Traz um consolo psicológico, um certo conforto, alivia a tensão, a ansiedade, faz você sentir uma falsa segurança. Fomentando o medo faz você achar que não precisa ter medo.

Outra coisa, pode me chamar de conformista, mas as pessoas têm que ter em mente que, sim, elas são vulneráveis. Que não importa o que você faça, coisas ruins acontecem.
Pode parecer conformismo, mas é verdade. Você pode diminuir as chances de sofrer violência, mas não está imune a ela. Pense nisso para depois não ficar se culpando pelo que aconteceu a você ou a alguém próximo.
"Se eu tivesse feito isso..., Se eu não tivesse andando ali..., Se eu soubesse que..."
Esse tipo de pensamento é bem destrutivo e prolonga seu sofrimento ainda mais.

Moema L disse...


Augusto não tiro sua razão mas ao mesmo tempo penso nas milhares de coisas que podem acontecer comigo e que me dão arrepio (só de pensar), se eu não puder ao menos imobilizar o agressor, não vou ter a chance nem de tentar fujir.

Não acho que devemos sair jogando spray na cara de qualquer um, prezo pelo direito a vida ( mesmo que muitas vezes o ser em questão não mereça). De qualquer forma como já foi dito spray não mata e imagino que eu só usaria se alguém tentasse me agarrar ou qualquer coisa desse tipo.

Como você disse muita gente pode usar essas "formas de defesa" de maneira irresponsável mas não vejo outra forma de me defender de um estuprador por exemplo .

Não acredito que as pessoas que postam aqui vão sair por ai fazendo justiça e dando spraysada, canivetada e etc a torto e a direito. Esse negocio de bancar o justiceir@ é ridículo. olho por olho e o mundo acaba cego.

Como disse não tiro sua razão, até concordo mas tenho ressalvas ainda mais quando me coloco em algumas situações.( o que aconteceu com a mãe do joão Inácio, por exemplo, me da calafrios só de me imaginar no lugar dela)

obs: sinto muito pela crueldade que fizeram com você e espero que entenda meu ponto de vista.

Anônimo disse...

@Ághata
"E os republicanos realmente acham que têm o direito de se defender."

E por que tanto espanto com isso? é um crime querer se defender por acaso?

lola aronovich disse...

Respondi ao email do Augusto por email, que copio aqui:

"Augusto, por que vc não deixa este comentário na caixa de comentários?
Acho que vc está confundindo as coisas. Ninguém defende que bullies usem spray de pimenta ou qualquer arma. Tudo, inclusive coisas boas, podem ser usadas para o mal. Por exemplo, cachorros. Cachorros são bichos maravilhosos, mas, dependendo do treinamento, podem ser transformados em armas letais. Nem por isso vamos querer acabar com os cães (tirando aqueles de raça como pitbull, que costumam ser usados apenas pra ataques).
O mesmo exemplo que vc dá sobre o bully que te feriu com canivete pode ser usado com uma luta de defesa pessoal. Tipo: o pai do bully quis que ele fizesse judô para se defender. Mas o bully usou o que aprendeu no judô não para se defender, mas para atacar. Não é o judô que está errado, é o bullying.
Sua queixa de "olho por olho" não tem nem nada a ver. Defesa pessoal não é vingança. Ninguém está falando em vingança ou em revidar. Estamos falando de defesa pessoal. Se alguém atacar, a pessoa ter a condição mínima de se defender. Ou de imobilizar o agressor enquanto procura fugir.
E mascus e demais criminosos já andam com canivetes e inclusive armas de fogo sem registro nem porte de arma. O post de hoje não faz a menor diferença pra eles, que o interpretam como "feministas agora vão matar todos os homens". O post de hoje sequer é um incentivo para que as mulheres comprem objetos de defesa pessoal como sprays e tasers. É uma resposta a algumas dúvidas que surgiram no guest post da moça que reagiu: pode usar spray? Não é contra a lei? A polícia pode apreender? Etc. São respostas sobre a lei. Não creio que pessoas que agem fora da lei (mascus e demais criminosos) estejam muito interessados em saber o que a lei deixa ou não deixa."

lola aronovich disse...

Fico impressionada. O mascutroll que acabou de deixar o comentário pra Aghata "por acaso é um crime querer se defender?" é o mesmo que segundos antes havia deixado este comentário (que eu deletei): "E depois diz que isso aqui não é um blog de ódio."
Quer dizer, aqui tem um post que fala de autodefesa. Mas parece que mulheres não têm o direito de querer se autodefender, porque aí é ódio aos homens. Sem falar que crimes contra a mulher não existem, é só vitimismo nosso. Show de lógica, mascus.

Anônimo disse...

Ai, sério???

Perdoem o palavrão machista, mas PUTA QUE PARIU QUEM FEZ CERTOS COMENTÁRIOS AQUI, hein?

O público-alvo do post é mulher. Aquela que muito machinho do pintinho pequeno e duro por aí gosta de atacar usando somente a força e a intimidação com seu pequeno pipizinho.

TODAS as mulheres deveriam carregar spray ou arma de choque. Para usar SE atacadas. Ou agora mulher virou maioria de assaltantes e nóias?

Se chegou num nível que eu tenho que explicar a adultos o que o texto pretende, olha, eu desisto desse país, porque a educação está precária até entre os ditos esclarecidos.

Cassandra disse...

"Não ensine as pessoas de classe A,B e C a temer e se defender! Ensine @s assaltantes a não assaltar !
Todos os pobres são assaltantes em potencial."

Caco Antibes, é você?

João Inácio disse...

Augusto,
Acho que a resposta da Lola foi clara e objetiva, acho que vc confundiu as coisas.

Olha, sinto muito pelo bullying que tu sofreste na escola. Muito mesmo. Tb sou gay, nunca sofri bullying, mas sempre me fechei ao máximo para evitar qualquer problema.Uma vez um menino, no caminho de volta para casa, começou a me xingar. Parti para cima dele. Apanhei sim, bastante, mas tb bati muito nele, ele foi embora e nunca mais ninguém me chateou. Estamos falando de reação, de defesa pessoal.

Vou reproduzir uma história que li na semana passado num blog, comentando aquele episódio de agressão ao bancário André Baliera, em SP.

É o seguinte: quando alguém saía sozinho de uma determinada boate gay no Rio de janeiro, de madrugada, acabava sendo agredido por um bando de idiotas desocupados. Isso ocorreu durante semanas seguidas. O pessoal, então, se organizou e escolheram um carinha para ficar na rua observando a movimentação. Quando ele percebeu que o grupo de playboys estava nas proximidades, entrou na boate e avisou todo mundo. O pessoal saiu em peso da casa noturna e partiu para cima destes idiotas. Resultado: pelo menos por enquanto, não houve mais registros de agressões a homossexuais na saída da boate...

Discordo de algumas pessoas que dizem que os comentaristas estão confundindo violência urbana, estupro e outros tipos de violência e que as causas são diferentes. Nem sempre: infelizmente, é muito comum o número de assaltantes que estupram suas vítimas. Pior: alguns assaltantes, indignados por não conseguirem um "bom assalto" partem com ódio pra cima das vítimas e as estupram. Pensem bem se vão continuar achando que são tipos "diferentes" de violência... Para mim, tudo que atente ao ser é violência. Ponto.

Lola, existem muitos pittbulls que são criados com amor e se transformam em cães dóceis. Esse negócio de "raça do mal" não existe, quem faz o mal são os homens.

Abraços!

Anônimo disse...

Eu postei acima que carrego uma faca em minha bolsa (na verdade é uma butterfly, mas enfim, chamo de faca).

Quando estava no colégio (estudei em colégio militar), não lembro ao certo o que houve com um professor de educação física, mas lembro dele possesso e ensinando algumas técnicas de auto-defesa - e por isso eu sei como manejar e o que fazer com a faca. Assim que desço do ônibus já deixo ela no bolso, de prontidão.

Já fui assaltada, levaram meu celular e meu videogame. O cara não imaginava que eu estava com aquilo no bolso, acho que ele estava com mais medo que eu. Se precisar usar, vou usar, mas, novamente, só em casos extremos quando eu começar a temer pela minha integridade física.

No mais, tem algumas dicas básicas de movimentos: se alguém te agarrar por trás, jogue o corpo para trás, jamais para frente; se for agarrad@ por trás, tente acertar um belo chute na canela de quem te segura; o "gordinho" da mão, perto do pulso, pode causar um belo estrago quando vc atinge o nariz (na parte de baixo, entre os buracos) de quem está te atacando - mas tem que ser com muita força, pq o sangramento vai te dar chance de correr o suficiente para sair daquela situação.

Seria legal algum praticante de Krav Magá (tenho muita vontade de fazer) dar algumas dicas.

Jacqueline disse...

Pois bem, Lola, já havia dito anteriormente e fico bem satisfeita quando você toca no assunto de defesa pessoal. Acho que temos que ensinar aos homens a não serem violentos, mas devemos também ensinar as mulheres a se defenderem. Normalmente aceitamos que somos mais fracas fisicamente que os homens e tudo fica por isso mesmo.

No entanto, como algumas pessoas citaram aqui, carregar certas armans, como canivete e faca são um erro de vc não sabe manuseá-las a seu favor. Por isso, carregar um spray analgésico resolve boa parte desse problema - e não mata ninguém.

Tem umas pessoas aqui confundindo auto defesa como um método de promover "justiça com as próprias mãos", e nada tem a ver com isso. A violência assume diversas formas e vc se submeter não te coloca em posição de simples vítima.

E, evidente, estamos falando isso em relação a ataques para o estupro. Nunca deve-se reagir a um assalto.

Raziel von Sophia Imbuzeiro disse...

Infelizmente, vivemos em um mundo selvagem, e nesse mundo, a Autodefesa se torna um ato indispensável para a sobrevivência se não da Vida, da Dignidade.
Não é muito "lindo" andar com um spray de pimenta, um canivete ou mesmo uma arma de fogo na bolsa, porém, menos ainda é sofrer algum tipo de abuso físico. É uma questão de simples Sobrevivência. Prefiro mil vezes correr o risco de cegar um estuprador do que ser brutalmente estuprada. Não só porque ele sabia dos riscos quando foi estuprar, tanto quanto porque eu não sou tão altruísta e compreensiva a ponto de ceder meus orifícios alegremente a pobres psicopatas aleatórios.


Enfim, só seguindo o raciocínio: Também sofri bullying. Também não apenas sou "gay", como duplamente gay(Mulher Trans E Lésbica), e principalmente: Pouco importa se quem diz isso é gay, hetero ou uma cebola humanóide alienígena que se reproduz por mitose, o que está em pauta aqui é uma situação extrema de autodefesa.
Nenhum ser humano normal irá andar de "camper" por ai com uma latinha de spray de pimenta na mão vigiando por estupradores ou assaltantes malvados na copa das árvores.


E particularmente não gosto da ideia do spray de gengibre. O que realmente neutraliza alguém no spray de pimenta não é a ardência nos olhos, mas o fato dela ocorrer na própria pele por cerca de quatro horas. Ao contrário do que se pensa, a capsaicina não reage como um ácido ou solvente na pele, mas sim de forma mais similar a um "hormônio", ativando receptores celulares específicos para causarem a sensação de ardência.

Rose disse...

É impressão minha ou algumas pessoas que comentam querem que esperemos que um dia, de repente, todos os misóginos covardes tenham uma epifania (ui)e percebam que podem sim, andar por aí sem machucar, ofender ou matar mulheres e digam: Oh Deus (ou qualquer outro), estou curado, não preciso mais esconder minhas fraquezas e frustrações violentando, matando ou ofendendo mulheres! rsrs
Mas a realidade é outra, sabemos que, ao sair de casa (até mesmo pra ir à esquina) estamos expostas a toda sorte de violência machista, não temos o "sagrado" direito a liberdade de ir e vir sem ameaças. Alguns estão realmente preocupados que, enfim, comecemos a reagir. Por quê? Talvez porque assim seja difícil qual de nós esteja mais fragilizada pelo medo e possa ser abordada por eles (e algumas elas também). Mas se alguém tiver sugestões práticas e reais de como podemos viver sem medo,exponha-as aqui pra nós. Acredito que será muito bem vindo, porque o que todas nós queremos é somente isso: sermos (REALMENTE) livres.

Anônimo disse...

Lola, você diz que as mulheres têm o direito de se defender se sofrerem tentativa de estupro. Ao mesmo tempo, você diz que homens também são estuprados. Então, os homens também tem o direito de se defender contra a violência praticada pelas mulheres ou eles devem dar a outra face como sugeria Jesus Cristo? Caso você concorde que eles podem se defender de mulheres, você recomenda as mesmas armas?

Beatriz G. disse...

Preciso de um Spray de Gengibre A-GO-RA.

Anônimo disse...

@Lola
--------------------------------
Fico impressionada. O mascutroll que acabou de deixar o comentário pra Aghata "por acaso é um crime querer se defender?" é o mesmo que segundos antes havia deixado este comentário (que eu deletei): "E depois diz que isso aqui não é um blog de ódio."
...
-------------------------------
Fui eu que deixei o comentário para a Agatha e acho que acho que está havendo alguma confusão.
Primeiro, não tenho nenhuma simpatia pelo masculinismo, pelo contrario, sou leitor do seu blog e concordo com a maior parte das suas opiniões. Inclusive a ideia de auto defesa é algo que concordo totalmente.
Segundo, este foi o único comentário que eu deixei neste post, se alguém escreveu que "este é um blog de ódio" com certeza não fui eu.
O que realmente me espantou no comentário da Agatha foi essa frase de que "republicanos acham que tem o direito de se defender". Como assim? Desde quando querer se defender tem alguma coisa a ver com posição politica?

Anônimo disse...

Ótimo post, muito esclarecedor! Quando eu costurava, levava minha tesoura para todos os lado e morria de medo de ser presa ou ter meu material apreendido por carregar uma arma branca. Também temia pelo dos sprays de pimenta. Isso esclareceu muitas coisas!

Estudei Artes e, quando tinha de andar por lugares perigosos (leia-se: a cidade toda) eu carregava minhas goivas. Goivas são instrumentos para entalhar madeira e outros materiais, muito afiadas, e eu tinha duas de 40 cm (http://www.frutodearte.com.br/images/Goiva%20Para%20Xilogravura%20Profissional%2012%20Pecas.jpg). Se ma paressem, poderia dizer que estava indo pra aula...

Rosa disse...

Eu acho que falta uma questão em toda essa discussão sobre autodefesa.

Tenho a impressão de que muita gente confunde defesa pessoa com reagir e, na verdade, a autodefesa mais eficiente é a que elimina a necessidade de reagir, ou seja, nem chega ao ponto de precisar de uma arma.

Eu tive um professor de karatê que costumava ensinar que a defesa pessoa não se inicia, mas TERMINA na abordagem. Quer dizer, reagir a uma abordagem é muito difícil e muito arriscado também, muitas vezes. Porém, existem várias medidas que podemos tomar antes, ou seja, aprender a "ler" o ambiente e identificar situações de risco.

Acredito que andar atento é a melhor técnica de defesa pessoal. Eu já fui assaltada em situações de distração ou confiança, da mesma forma que já evitei várias outras abordagens (sei lá de que tipo) por estar atenta aos detalhes e às pessoas a minha volta.

Para o pessoal que está comentando sobre técnicas de artes marciais, eu acho que essa é a mais valiosa. Conheço outras tantas - físicas - que nunca pus em prática, mas tenho sérias dúvidas se conseguiria numa situação real, fora da academia.

Anônimo disse...

Que preguiça dessa gente agindo como se estivéssemos sugerindo se vestir de mulher gato e sair caçando estuprador. ¬¬

Sério gente. Coloquem-se no nosso lugar por um segundo. De repente, você se vê numa situação onde alguém mais forte do que você vai te obrigar a suportar algo hediondo. Você sabe que ninguém vai te apoiar se você sobreviver, você sabe que talvez nem sobreviva. O que você ia preferir? Se defender como puder, ou deixar acontecer e esperar que o sistema de justiça faça algo depois? Qualquer coisa que a justiça faça, vai apagar o que aconteceu com você, ou você preferiria não ter precisado passar por aquilo?

Pratico kung-fu. Infelizmente já tive que usar pra me defender. Nas próprias aulas, aprendemos que isso é só pra último caso. Aprendemos quais golpes podemos usar pra se defender e quais não podemos. Recomendo artes marciais para todas. Em todos os estilos de kung fu que já treinei, NUNCA encontrei sexismo nos treinos (academias da linha tradicional e filiadas à Federação Paulista de Kung Fu), tirando os meninos te batendo com menos força por medo de te machucar nos treinos em dupla. (Eu dispenso, mas tem menina que agradece)

Pro pessoal falando que canivete/faca não adianta nada: Facas intimidam e assustam. O cara que vai tentar te estuprar vai te abordar porque acha que tem poder sobre você. No primeiro momento que ele perceber que não tem, que você não é uma florzinha indefesa, tudo já muda de figura. Nem sempre o cara vai sair correndo só com isso, mas você acabou de quebrar o "modus operandi", o que ele imaginou na cabeça dele que aconteceria. A partir daí você tem os momentos de surpresa e confusão pra se defender.

Na verdade, usando-se da mesma técnica de intimidação meninas: Sabe como sempre percebemos qual é o cara que vai mexer conosco, gritar absurdos? Sabem aquela linguagem corporal de "abordagem"? Sempre reconhecemos quem nos representa perigo, se conseguirmos os ver antes de sermos abordadas. Nesse caso, assuma a postura mais agressiva que você puder. Não se mostre submissa, não se mostre com medo. Na maioria dos casos, ele não vai sequer te abordar. Lembrem-se, isso é sobre poder e dominação. Acredite-se dona da situação. Tenha seu spray na bolsa se isso te ajudar na confiança. Use-o se precisar, sem medo. Só ande com facas e canivetes se souber como usá-los, mas se for sua última opção, diabos, use-os.

Legítima defesa não é agressão.

Anônimo disse...

Toda ponderação é pouco. Se fora para reagir, reaja com gestos firmes, rápidos, convictos, fortes, inesperados. As histórias que ouvimos são de reação com sucesso. Nem sempre será assim. Se cuidem meninas. Se for usar as mãos, bata firme, soltando o braço com o máximo de força e rapidez possíveis. Cuidado, o sujeito pode estar armado.

Carol NLG disse...

Lola,

pelo menos o meu spray vem numa capinha que lembra um porta-batom. Mas a forma como ele é feito é pra não dar pra confundir mesmo. Só tem como apertar com o "buraquinho" de onde sai o spray voltado pro outro lado. E ele vem com uma trava de segurança. Dá pra soltar com uma mão só, mas leva-se tempo.

O que eu faço, em geral, é que quando saio na rua, já saio com ele destravado dentro da bolsa, mão no "gatilho", dentro da bolsa. A reação seria rápida. Não adianta ter um negócio desses perdido dentro da bolsa, leva-se tempo pra achar. Basicamente, você tem que andar pronta o tempo todo, não é uma coisa que te permita uma reação só caso aconteça alguma coisa. É um saco? Sim. Você se sente em estado de sítio? Sem dúvidas. Mas é mais seguro.

Maxwell disse...

Na última vez que passei féias na casa de uma tia em recife, comentei com minha prima que ficava impressionado com o número de crimes contra a mulher que eram divulgados na TV. Praticamente todos os dias tinha um caso. Na minha opinião, mulheres deveriam aprender defesa pessoal, todas elas.

Anônimo disse...

lembrando que é preciso treinamento para usar armas brancas

não é tão simples assim.

mas os esclarecimentos foram muito bons

Liana hc disse...

Eu tenho reservas com relação o uso de facas, acho que pode acabar virando contra a pessoa se ela não tiver um mínimo de treinamento e sangue frio na hora. Acaba virando uma roleta-russa. O uso de spray de pimenta e similares, aulas de defesa pessoal etc me parece mais seguro e efetivo.

A defesa pessoal me é um conceito totalmente legítimo. O fato de ter gente que usa isso como desculpa para agredir gratuitamente não invalida nada do que foi dito. Educar e prevenir é muito importante e, quando isso não resolve, a auto defesa é uma opção. Não tem como posar de passivo bonzinho diante de alguém que tem na agressão e na humilhação ao outro o ponto alto do seu dia ou algo banal. Não vivemos mesmo uma vida ideal, as pessoas não são sempre razoáveis, a conversa nem sempre resolve. A vida tem seu lado podre, temos que lidar com isso também. A zona cinzenta, no meu entender, está em onde termina a auto defesa e começa o ato criminoso. Não reside no fato em si, mas nas circunstâncias.

Isto posto, na maioria dos casos manter a calma e não reagir é a melhor coisa a ser feita, a auto defesa entra nas exceções.

Huan Icaro Piran disse...

@Liana

"Eu tenho reservas com relação o uso de facas, acho que pode acabar virando contra a pessoa se ela não tiver um mínimo de treinamento e sangue frio na hora. Acaba virando uma roleta-russa. O uso de spray de pimenta e similares, aulas de defesa pessoal etc me parece mais seguro e efetivo."

Concordo plenamente com você. Só me torno uma exceção por questões sócio antropológicas de meu meio (onde brigas de faca são algo tidas quase por habituais) e por praticar uma arte marcial de combate com espadas que dá bases. E mesmo assim eu sou muito mais continuar praticando corrida para fazer uso de uma fuga do que esfaquear alguém.

"A defesa pessoal me é um conceito totalmente legítimo. O fato de ter gente que usa isso como desculpa para agredir gratuitamente não invalida nada do que foi dito. Educar e prevenir é muito importante e, quando isso não resolve, a auto defesa é uma opção. Não tem como posar de passivo bonzinho diante de alguém que tem na agressão e na humilhação ao outro o ponto alto do seu dia ou algo banal. Não vivemos mesmo uma vida ideal, as pessoas não são sempre razoáveis, a conversa nem sempre resolve. A vida tem seu lado podre, temos que lidar com isso também. A zona cinzenta, no meu entender, está em onde termina a auto defesa e começa o ato criminoso. Não reside no fato em si, mas nas circunstâncias.

Isto posto, na maioria dos casos manter a calma e não reagir é a melhor coisa a ser feita, a auto defesa entra nas exceções."

O ultimo pacifista extremado que conheci tentou defender que apanhar, mesmo de alguém com uma garrafa quebrada, era o correto. Isso porque estávamos alando sobre o ato legitimo de um conhecido em ter quebrado o braço de alguém em uma festa apos quase ser perfurado pela garrafa porque pediu educadamente para o cara que passou a mão em sua namorada para apenas sair fora e não incomodar mais...
Valeu cara, mas esta mais valendo um machista com o braço quebrado do que o rapaz educado que estava tentando resolver na boa no hospital com órgãos perfurados...

F. André disse...

Lola, parabéns pelo blog. Sou policial e desde que comecei a ler seus posts tenho procurado adequar minhas atitudes enquanto profissional de segurança à realidade machista em que vivemos. Acho fundamental que todos e todas procuremos meios de nos defender de possíveis agressões, especialmente as mulheres por todos os motivos que já conhecemos. Em relação ao uso de facas e assemelhados por civis, há de se ter muito cuidado. Sei que não é crime andar com armas brancas, mas se um policial lhe parar e você tiver com uma dessas, você vai no mínimo perder alguns minutos para averiguações e outros procedimentos. Sempre que encontro alguém com arma branca adoto a seguinte postura: faço uma revista pessoal pra ver se a pessoa não porta outra arma, checo antecedentes, converso pra ver o porquê do uso da arma. Tudo sempre dentro do bom senso; uma coisa é um trabalhador do campo com um facão, outra coisa é um morador da cidade com um facão. Uma coisa é uma mulher franzina com um canivete, outra coisa é um homem forte com um canivete. Enfim, por aí vai. Mudando de assunto, quando leio alguns posts seus e vejo o modo como as pessoas se referem à polícia, fico muito entristecido. Triste porque não sou violento e conheço muitos policiais que não são violentos; e sempre, sempre, tratarei a vítima de qualquer crime como o que ela realmente é: como vítima. Um abraço.

Ju disse...

Fiquei feliz de saber que policiais leêm seu blog, Lola! Isso é muito legal. Vc faz toda a diferença, Lolinha. :)
Todas as vezes que fui abordada po policiais eles foram muito educados comigo, não tenho do que me queixar.

yulia2 disse...

falando nisso , roubaram meu celular..
fui roubada pela quarta vez....
uma vez apontaram arma na minha barriga e agora um cara chegou perto, eu vi a sombra dele correndo em minha direção, mas era tarde... um cara de repente brota do chão e te rouba. O que fiz ? nada a não ser dar o celular, ele APARENTEMENTE não estava armado, mas se eu negasse ou saísse correndo era capaz do vagabundo ou sacar arma ou me bater...etc

Senti raiva e muita, ser roubada PELA QUARTA VEZ??? de novo vou ter que comprar outro celular? E não tinha nada nem spray e nem nada...
é uma merda total,
ainda vou fazer uma luta ou dar um jeito de ter esse spray e enfiar na boca canalha.

pior é vc fazer B.O ... o escrivão te olhando com cara de cu....
povinho de merda que trabalha nesses delegacias viu...
me desculpem quem trabalha em delegacia , sei que não são todos assim, acredito que tenha gente profissional lá dentro e tal, mas tem um povinho ali... que dá asco, te tratam como se vc fosse o marginal!

yulia2 disse...

Concordo com você, já pensou se um maluco ou maluca resolve invadir uma escola com um spray de pimenta na mão? Me dá calafrios só de pensar.
__________

e precisa liberar spray para isso acontecer?

lembra de realengo?
cimena do shopping morumbi?

yulia2 disse...

Roubar mulher na rua é tão facil quanto tirar doce da boca de criança, é um grande negócio e a bandidagem sabe disso.
Já fui roubada por 3 muleques de rua armados com canivetes, me cercaram e tive que dar meu aparelho...

é tão sopa no mel que ele te rouba sem armas.... espancamento seria o suficiente para te aterrorizar.

yulia2 disse...

Da outra vez quase fui roubada no centro... um cara muito estranho começou a me seguir... eu percebi e tive que fazer um outro caminho e me juntar a um grupo de garotos que estavam reunidos conversando. os garotos estranharam minha presença, mas não tive saída... fique lá panguando até o cara esquecer de mim e ir embora. A prova maior de que realmente estava me seguindo é que ele ficou com cara de abobado e teve que se desviar para não sei onde....

Uma vez no metro... estava com meu
mp3 e um moleque chegou e falou para eu dar aparelho, devia estar totalmente noiado drogado pois fez isso numa estação cheia de gente e policia, não tive duvida, gritei bem alto.... o moleque ficou fulo mas teve que fugir para não ser pego.

yulia2 disse...

Pratico kung-fu. Infelizmente já tive que usar pra me defender. Nas próprias aulas, aprendemos que isso é só pra último caso
________________________

e como foi?

yulia2 disse...

Na verdade, usando-se da mesma técnica de intimidação meninas: Sabe como sempre percebemos qual é o cara que vai mexer conosco, gritar absurdos? Sabem aquela linguagem corporal de "abordagem"? Sempre reconhecemos quem nos representa perigo, se conseguirmos os ver antes de sermos abordadas. Nesse caso, assuma a postura mais agressiva que você puder. Não se mostre submissa, não se mostre com medo. Na maioria dos casos, ele não vai sequer te abordar.
)___________________

esse tipo de informação tinha que ser mais divulgado, como vamos saber???
tem muita gente aqui que não tem dinheiro pra fazer lutas e saber dessas informações.

yulia2 disse...

Então, os homens também tem o direito de se defender contra a violência praticada pelas mulheres ou eles devem dar a outra face como sugeria Jesus Cristo?
____________
homem não precisa de arma pra se livrar de uma mulher , um empurrão já basta e vc sabe disso.
não banque o zé besta.

yulia2 disse...

Ou você carrega uma arma consigo, obviamente não registrada, e caso precise usar, diz que o ladrão deixou cair e você a pegou. Ninguém vai duvidar da sua palavra e continua sendo legítima defesa, fora que é menos um vagabundo no mundo.

Sou policial militar.
_____________

O pior é que faz todo sentido o que foi dito!

Anônimo disse...

Mulheres querem proteção? Tenham um HOMEM ao lado de vocês. Não é papel do Estado fazer papel de marido, tampouco vocês são capazes de lutarem.

Se não tem homem, fiquem em casa vendo novela.

Anônimo disse...

Eu tenho um spray de pimenta e ja o utilizei. Ele da uma ardencia muito forte nos olhos que duram minutos (a ardencia pior). A primeira reacao da pessoa e esfregar e isso so piora a reacao nos olhos. Alem disso, tambem causa ardencia e queimacao na pele tambem. E tipo uma ardencia de xampu no olho, so que varias vezes pior. E passando para a pele tambem. Arde as mucosas, ou seja, a boca e o interior do nariz tambem vao ficar ardendo. Durante um tempo a pessoa nao consegue abrir os olhos e irrita muito. Da tempo de correr sim.

O problema e eventualmente atingir um inocente. Quando eu precisei usar, um cara comecou me cantando no onibus, passou para comecar a me perguntar se eu aceitaria transar por dinheiro e, quando desci do onibus, ele me seguiu e tentou me tocar. Nessa hora usei o spray sem do no nojento. Ele ficou esfregando a cara e gritando um certo tempo.

So tem que tomar cuidado com outras pessoas utilizando o spray pra nao cometer acidentes com criancas ou pessoas quenao saibam manejar o spray.

Camile

yulia2 disse...

Mulheres querem proteção? Tenham um HOMEM ao lado de vocês. Não é papel do Estado fazer papel de marido, tampouco vocês são capazes de lutarem.
_____________

Não sabia que resto de aborto falava. que interessante...

Shey disse...

"homem não precisa de arma pra se livrar de uma mulher, um empurrão já basta e vc sabe disso."

================================

Só discordo um pouco dessa frase. É verdade que geralmente o homem é mais forte, mas há homens fortes e fracos, assim como mulheres fortes e fracas.

Aliás, cabe uma observação: essa cultura sexista não só cria homens grosseiros machistas como tbm gera princesinhas débeis.

Enquanto meninos são criados para aprender a apanhar e a levantar, meninas podem chorar no colo. Aprendem a se retrair diante de um menino q as importunem no lugar de se impor, afinal ela nunca pode com um. Resultado: na lei, homens e mulheres são iguais, mas na prática mulher ainda é tutelada feito menor. Protegida por pais e irmãos, mas tem de obedecê-los sob pena de apanhar DELES. E acaba por se sentir intimidada por outros homens.

Atitude é muita coisa e a postura já pode fazer o agressor desistir antes mesmo de começar. E agressor sexual é muito, mas muito mais covarde do que assaltante. Ele conta com a não-reação; se sentir que a mulher não tem medo e vai se defender, quase sempre desiste.

Avaliar a situação de acordo com seus instintos, mesmo que apanhar, levantar e lutar,sempre.

Felipe Costantino disse...

"homem não precisa de arma pra se livrar de uma mulher , um empurrão já basta"

Então você admite que os homens têm mais força bruta? Então em profissões que exigem força bruta como a construção civil os homens devem ganhar maiores salários que as mulheres, afinal, os salários são determinados pela produtividade marginal do trabalho.

É fácil demais achar incoerências no feminismo. É também divertido ver elas tentando se defender e se enrolando cada vez mais.

Anônimo disse...

"Então você admite que os homens têm mais força bruta? Então em profissões que exigem força bruta como a construção civil os homens devem ganhar maiores salários que as mulheres, afinal, os salários são determinados pela produtividade marginal do trabalho."

Um engenheiro civil ganha menos que um pedreiro?
Ou o fato de mulheres serem criadas pra serem mais compreensivas implica em professoras tendo salário maior que professores?

Por que mascu tem essa fixação com trabalhador braçal de contrução civil? Aposto que mascu não sabe nem pregar um quadro na parede sem a ajuda da mamãe!

Luci

Anônimo disse...

Outra fixação: trocar pneu do carro. Coisa que também duvido-ó que eles saibam fazer.

Não se preocupem, mascus mimizentos, já há anos existe chave de roda elétrica pra ajudar vocês...se vocês tivessem carro, talvez saberiam disso.

Luci

Anônimo disse...

Felipe Costantino disse...
"homem não precisa de arma pra se livrar de uma mulher , um empurrão já basta"

Então você admite que os homens têm mais força bruta? Então em profissões que exigem força bruta como a construção civil os homens devem ganhar maiores salários que as mulheres, afinal, os salários são determinados pela produtividade marginal do trabalho.

É fácil demais achar incoerências no feminismo. É também divertido ver elas tentando se defender e se enrolando cada vez mais.

21 de dezembro de 2012 02:31


Trabalhos que exigem força bruta podem ser realizados por máquinas, que qualquer mulher pode muito bem ser capaz de operar. Salários não são definidos pela produtividade do trabalho. Como se explica que o trabalho não remunerado geralmente realizado por mulheres e que serve de base para todos os outros, não é sequer reconhecido como produtivo, enquanto atividades ambientalmente e socialmente prejudiciais são consideradas produtivas apenas por causa do seu valor monetário? Você deve ser um daqueles que acredita piamente que o capitalismo é justo e necessário.

É ridículo ver o quanto machistas afundam na própria merda tentando justificar seus privilégios preconceituosos.

Anônimo disse...

@yulia2

Sou a pessoa que falou que já teve que usar kung fu pra se defender.
Você perguntou como foi.
Bem, eu tinha um trabalho na época que precisava ficar até tarde de vez em quando. Era no fundo da casa do dono do lugar, não tinha cliente entrando e saindo sem que alguém fosse abrir o portão pra eles. Naquele dia o chefe precisou ir pra um evento de noite e eu fiquei sozinha no lugar com o filho dele, que trabalhava lá também.
Quando estava indo embora, o menino começa com gracinhas me pedindo pra dormir lá. Recusei educadamente e pedi as chaves para o portão, que ele segurava consigo. Ele estendeu a mão com a chave pra mim. Pensei que ele ia me entregar elas mas quando fui pegar, ele pegou meu braço, me empurrou pra parede. Bati a cabeça e quando vi, ele já estava com uma mão me forçando contra a parede e com a outra tentando puxar minha blusa pra cima.
Gritei com ele, falei pra parar, ameacei denunciar, me debati. Ele era mais forte. Ele sabia que eu treinava kung fu, mas por saber que tinha mais força bruta (ou não acreditar que eu treinava. Muitas vezes insinuou isso) ele não pensou duas vezes antes de me atacar daquele jeito. Eu tentei me livrar dele sem usar da arte marcial até o momento em que ele desistiu da blusa, que eu segurava pra baixo com toda força que tinha, e abriu o botão da minha calça. A partir daí era claro pra mim que esse era o "último caso" de que meu professor falava.
Usei golpes defensivos. O pior que eu fiz foi o golpe inicial, num ponto frágil que se encontra na garganta, pra que ele me largasse. Foi sem força e medido pra ele só me largar mesmo. Quando você pratica artes marciais adquire um controle próprio gigante. Quando ele me largou, abaixei pra pegar as chaves no chão. Quando eu levantei ele tentou me dar um soco. A defesa foi reflexo, ouvi um estralo forte no braço dele, mas só corri pro portão. Abri e joguei a chave no chão e corri para a avenida lá perto.
No dia seguinte, me demiti por telefone. Falei que podiam guardar o dinheiro dos dias que me deviam. O chefe, e pai dele, reclamou da minha falta de compromisso por isso. Resmungou que agora não tinha ninguém pra fazer o trabalho porque o filho dele tinha quebrado o braço caindo de skate no dia anterior.
Nunca falei nada pra ninguém, a não ser meu professor. Ele me disse que foi sim um caso em que era justo usar kung fu. Nunca denunciei, nem nada.

Anônimo disse...

Anônimo disse...
Outra fixação: trocar pneu do carro. Coisa que também duvido-ó que eles saibam fazer.

Não se preocupem, mascus mimizentos, já há anos existe chave de roda elétrica pra ajudar vocês...se vocês tivessem carro, talvez saberiam disso.

Luci
Tem razão Luci, a sociedade tecnologica permitiu a acenção do feminismo, sem ela não seria possivel !

Anônimo disse...

Um engenheiro civil ganha menos que um pedreiro?
Ou o fato de mulheres serem criadas pra serem mais compreensivas implica em professoras tendo salário maior que professores?
-
sim luci, para as mulheres somente os cargo de maior escolaridade, ser pedreiro e coisa de homem, que e primitivo e inferior !

Anônimo disse...

Masculinistas são tão estúpidos, ignorantes e patéticos a ponto de acreditarem que mulheres não têm participação no desenvolvimento científico e tecnológico da humanidade. Afinal somos apenas máquinas em que os homens enfiam o pinto e então nós produzimos bebês, além de fazermos comida, cuidarmos da casa e lavarmos suas cuecas sujas não é? Só nos seus delírios mais insanos, seus machistas dementes! Parecem ser incapazes de entender que mulheres são seres humanos com vida e vontade próprias; não uma mercadoria produzida em série que desempenha as funções de bibelô decorativo, serva doméstica, boneca inflável e máquina reprodutora.

Anônimo disse...

Será que é pedir demais pros mascus pararem de tentar distorcer a realidade quando eles fazem analogias sem sentido que invertem as posições comparando as mulheres com quem está dominando do alto de suas privilegiadas posições sociais superiores e os homens com quem é subjugado nas posições sociais mais baixas? Talvez sim. Sem essas inversões eles não teriam nenhum argumento para se afirmarem as vítimas injustiçadas e oprimidas das mulheres na "atual sociedade matriarcal" ou "bucetista", como eles tanto gostam tanto de falar.

yulia2 disse...

''Aliás, cabe uma observação: essa cultura sexista não só cria homens
grosseiros machistas como tbm gera princesinhas débeis.''

é a mais pura verdade. somos criadas para ser debilóides mesmo
o fim da picada.

''Enquanto meninos são criados para aprender a apanhar e a levantar, meninas podem chorar no colo. Aprendem a se retrair diante de
um menino q as importunem no lugar de se impor, afinal ela nunca pode com um. ''

disse tudo!!!!

''E agressor sexual é muito, mas muito mais covarde do que assaltante. Ele conta com a não-reação; se sentir
que a mulher não tem medo e vai se defender, quase sempre desiste.''

foda, mas é bem por aí....
somos ensinadas a temer e não reagir, e ainda dizem que
se reagir, morremos.

yulia2 disse...

''Então você admite que os homens têm mais força bruta?
Então em profissões que exigem força bruta como
a construção civil os homens devem ganhar maiores salários
que as mulheres, afinal, os salários são determinados pela produtividade marginal do trabalho.''

meu caro, JAMAIS vi pedreira mulher trabalhando em contrução de prédio.....JAMAIS!
estivadora também nunca vi, talvez tenha mas nunca vi.....
quando falo de equiparação salarial é para homem e mulher que exerce
A MESMA PROFISSÃO COM A MESMA CARGA HORÁRIA!

como vou pedir equiparação salarial para pedreira se isso NEM EXISTE???

não misture os assuntos!

''É fácil demais achar incoerências no feminismo.
É também divertido ver elas tentando se defender e se enrolando cada vez mais''

quem ta enrolado é vc que não ta falando coisa com coisa!!!!
um estuprador ou assaltante JAMAIS vai atacar uma mulher avantajada
musculosa e corpolenta se ele for um baixinho magrinho, JAMAIS!

yulia2 disse...

''Um engenheiro civil ganha menos que um pedreiro?
Ou o fato de mulheres serem criadas pra serem mais compreensivas implica
em professoras tendo salário maior que professores?''


pois é....
só no planeta masculóide um engenheiro civil
ganha menos que pedreiro
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
é cada uma!!!!


''O chefe, e pai dele, reclamou da minha falta de compromisso por isso.
Resmungou que agora não tinha ninguém pra fazer o trabalho porque o
filho dele tinha quebrado o braço caindo de skate no dia anterior.''


putz cara..... foi foda hein....

mas porque vc não quis falar nada pro seu ex chefe?

''Tem razão Luci, a sociedade tecnologica permitiu
a acenção do feminismo, sem ela não seria possivel !''

a sociedade tecnológica é benefício de todos...
mas como vc gosta de arrotar que vcs são superiores quem proporcionou
isso não foram os homens??? não é isso que vcs defecam blogs a fora?
vc seria incapaz de sobreviver sem ele.
te enfia uma semana no mato sem comida, sem vacina, sem medicina
carro, celular, computador, etc....
antes de morrer comido por uma onça vc morreria surtado!.

, ''para as mulheres somente os cargo de maior escolaridade, ser pedreiro e coisa de homem, que e primitivo e inferior !''

quem falou que ser pedreiro é inferior????
para de inventar.

Anônimo disse...

@Yulia

Eu não quis falar nada pro meu ex-chefe porque na época, acreditava que era culpada, que ia me encrencar por ter quebrado o braço do cara. Que não acreditariam em mim, afinal, era minha palavra contra a do filho dele. Que não acreditariam em mim na delegacia, que perderia a filiação com a Federação de Kung Fu por ter usado de força.
Enfim... Essa culpa que a vítima normalmente sente nesses casos. Na época, apesar dos ideais estarem lá, não conhecia o movimento feminista. Não sabia que podia ser apoiada por alguém. Na minha cabeça, ninguém ia acreditar e pronto. Depois, por uns bons meses, soou fantasioso e irreal até na minha cabeça.
Hoje, depois de conhecer os movimentos feministas, fazer terapia e tudo o mais, entendo que isso não foi culpa minha e qualquer um que duvidar da minha palavra quanto a isso é um tremendo de um imbecil machista.

Vai ficando melhor, mas depois disso, não tem argumento no mundo que me convença a andar sem meu canivete.

Ju disse...

"sim luci, para as mulheres somente os cargo de maior escolaridade, ser pedreiro e coisa de homem, que e primitivo e inferior !"


Empregada doméstica ganha menos que um pedreiro. Duas profissões que não exigem escolaridade mas que mesmo assim as mulheres estão em desvantagem. Sendo que muitas não têm nem diretos trabalhistas.


Yulia ---------

É por isso que muitas mulheres estão querendo trabalho de pedreira. Elas existem sim, mas enfrentam preconceito e o machismo, como de costume. Por isso que ainda são poucas. E nas reportagens que vi sobre o tema elas são muito elogiadas porque maior força física não é a única qualidade mundial que deve ser levada em consideração para que assim os homens continuem levando vantagem em tudo.

yulia2 disse...

mas que canalha esse garoto hein???

deveria ter apanhado mais...

estuprador tem que descer o porrete mesmo.

canalha do caralho.

é revoltante mesmo. ainda bem que vc conseguiu sair dessa.

Felipe Costantino disse...

O salário é igual o valor da produtividade marginal do trabalho. Pedreiros erguem muros que estarão de pé durante anos, domésticas limpam o chão que no dia seguinte estará sujo. Reflitam.

FelipeLB disse...

Rodrigo,

“Então você admite que os homens têm mais força bruta? Então em profissões que exigem força bruta como a construção civil os homens devem ganhar maiores salários que as mulheres, afinal, os salários são determinados pela produtividade marginal do trabalho.”

Que os homens, em geral, são mais produtivos que as mulheres nas atividades que demandam uma considerável aplicação de força física, eu não tenho dúvidas disso. Porém, Não é a produtividade marginal do trabalho que determina a remuneração integral do trabalhador. É a relação entre a demanda por trabalho e a oferta de trabalho.

Se a produtividade marginal do trabalho determinasse a remuneração dos trabalhadores, então todas as pessoas que prestam serviços, tais como os médicos, os psicólogos, os professores etc, não ganhariam remuneração alguma, haja vista que eles não concorrem, diretamente, para a produção de nenhuma riqueza concreta e tangível.

O que determina os ganhos de um profissional é a relação entre a demanda por suas aptidões e a oferta de profissionais com as mesmas aptidões no mercado.

Se a produtividade marginal determinasse os ganhos, então no caso de uma variação brusca na relação entre demanda e oferta por trabalho, os trabalhadores não teriam os seus ganhos nem diminuídos (no caso de maior oferta de capital que de trabalho) e nem aumentados (no caso de maior oferta de trabalho que de capital), pois a produtividade do trabalho seria a mesma, nas duas situações. Mas não é isso que acontece. Sempre quando há um grande desequilíbrio entre a relação oferta de trabalho e demanda por trabalho, o valor do trabalho sobe ou desce, independentemente dos seus rendimentos marginais.


Ju,

“Empregada doméstica ganha menos que um pedreiro. Duas profissões que não exigem escolaridade mas que mesmo assim as mulheres estão em desvantagem. Sendo que muitas não têm nem diretos trabalhistas.”

O motivo pelo qual uma empregada doméstica ganha menos que um pedreiro é o mesmo que justifica as disparidades de ganhos entre todos os trabalhadores da face da terra. A relação entre a oferta e a demanda por seus serviços.

No caso das domésticas e dos pedreiros, em específico, as diferenças de ganho resultam, principalmente, dos seguintes motivos:

a) Nos últimos anos, o Brasil passou por um crescimento colossal no setor da construção civil. Portanto, a demanda por profissionais dessa área foi muito grande. O resultado foi que houve uma valorização dos seus serviços, gerando um aumento dos salários.

b) As famílias brasileiras estão cada vez menores. As mulheres estão tendo cada vez menos filhos e as famílias estão morando cada vez mais em casas pequenas, como os apartamentos. Isso fez com que a demanda por profissionais domésticos diminuísse, pois as casas pequenas são mais fáceis de serem higienizadas, e as famílias menores, mais fáceis de serem alimentadas.

FelipeLB disse...

Shey,

“Enquanto meninos são criados para aprender a apanhar e a levantar, meninas podem chorar no colo. Aprendem a se retrair diante de um menino q as importunem no lugar de se impor, afinal ela nunca pode com um. Resultado: na lei, homens e mulheres são iguais, mas na prática mulher ainda é tutelada feito menor. Protegida por pais e irmãos, mas tem de obedecê-los sob pena de apanhar DELES. E acaba por se sentir intimidada por outros homens.”

Eu gostaria de fazer uma pergunta sobre essa idéia feminista de que os gêneros, e os comportamentos de gêneros, não passam de criações culturais. Se alguém puder esclarecer a minha cabeça sobre essa questão, ficarei grato.

Voltemos no tempo onde, segundo vocês feministas, os papéis de gênero foram distribuídos. Antes do início das sociedades humanas, quando os homens e mulheres eram apenas caçadores-coletores, os homens e mulheres faziam as mesmas coisas e se comportavam da mesma forma, pois ainda não existia religião, moral ou cultura condicionando as suas ações (de acordo com o pensamento feminista sobre a questão).

Um belo dia, a civilização se forma e papéis são distribuídos aos gêneros, acabando, dessa forma, com a absoluta igualdade que existia nos tempos do primitivismo da caça e da coleta individual.

Mas vocês, feministas, dizem que os papéis de gênero foram distribuídos de forma vantajosa para os homens, e desvantajosa para as mulheres. Mas, se antes do início da civilização, os homens eram iguais as mulheres em tudo, como eles conseguiram imputar a elas papéis de gênero que eram essencialmente desvantajosos (segundo o feminismo), sendo que, para eles mesmos, criaram papéis e funções vantajosas e desejáveis (segundo o feminismo)?

Anônimo disse...

"Antes do início das sociedades humanas, quando os homens e mulheres eram apenas caçadores-coletores, os homens e mulheres faziam as mesmas coisas e se comportavam da mesma forma, pois ainda não existia religião, moral ou cultura condicionando as suas ações (de acordo com o pensamento feminista sobre a questão)."

De onde você tirou isso?

Luci

Shey disse...

FelipeLB.

Pergunto a mesma coisa que a Luci. Aliás, acha mesmo que houve um tempo em que grupos humanos “primitivos” não tinham códigos de conduta e cultura?

Há muita informação nesse blog a respeito de papéis de gênero e identidades culturais. Assim como em outras fontes vc encontra trabalhos acadêmicos a respeito, livros...

Analise a si próprio, e a comunidade onde vc está inserido. A julgar pelo seu nome, imagino que vc nasceu com um pênis, foi identificado como homem e é assim que se vê, correto? Como vc foi ensinado, em casa, sobre como um menino, homem deve ser comportar, vestir, falar? Se lembra de algum caso onde um rapaz agisse de outra forma? Como ele foi tratado pelo restante das pessoas?

O que acha sobre homens héteros andando juntos de braços dados publicamente? Aqui no Brasil é coisa de amigAS, mas sabia que na Índia e em certos países africanos é um costume entre amigOS achegados?

Agora pense: se for tudo questão de sexo biológico, porque tem tanta coisa que muda conforme a cultura local? Pór que na Índia andar de braços dados é coisa de homem hétero e aqui não? Por que adultos precisam corrigir a criança dizendo que “isso é coisa de homem/ mulher?”

O autor Tim O´Sullivan argumenta que o gênero é uma diferenciação CULTURAL entre fêmea e macho. Abaixo, uns trechos da obra dele:

Gênero (sexual): Diferenciação cultural entre fêmea e macho [...] uma estrutura cultural raquítica, mas grandemente constituída por diferenças usadas para classificar e tornar significativas as relações sociais da espécie humana... assim, os argumentos sobre o que é “essencialmente” macho ou fêmea [...] justificam muitas vezes as diferenças de gênero como “apenas naturais”, mas essa justificativa é apenas ideológica.

Como disse antes, há muitos estudos a respeito. Recomendo q pesquise nesse blog mesmo pra começar. Procure conhecer também Simone de Beauvoir, Naomi Wolf , além de Stuart Hall e Michel Focault, entre outros.

Fonte do trecho que tirei: O’SULLIVAN, Tim et al. Conceitos-chave em estudos de comunicação e cultura. Piracicaba: Unimep, 2001, páginas 117.

FelipeLB disse...

Shey, valeu por me ajudar. Obrigado também a Lucy. Eu vou pesquisar sobre esse tema aqui nesse blog, e em outros lugares. Também vou procurar o que os autores que você citou, Shey, dizem a respeito desse tema.

Mas, existe uma incongruência sobre essa interpretação dos gêneros, que vocês não conseguiram me explicar, ou então eu não fui suficientemente claro. Talvez um desses autores que você me recomendou, Shey, possa explicar a minha dúvida, talvez não. Vendo que você tem um conhecimento mais aprofundado da questão, gostaria de uma resposta sua, ou da Lucy, ou da Lola, ou de qualquer outra pessoa.

“acha mesmo que houve um tempo em que grupos humanos “primitivos” não tinham códigos de conduta e cultura?”

Se vocês dizem que os gêneros são criações culturais e sociais, então, necessariamente, em algum momento eles foram criados. Em algum momento da História, eles não existiram. Porque, se eles sempre existiram, então não são construções sociais e culturais, são diferenciações naturais e biológicas. Concordam comigo?

Anônimo disse...

FelipeLB, você ainda não respondeu a minha pergunta.

Luci

FelipeLB disse...

"Antes do início das sociedades humanas, quando os homens e mulheres eram apenas caçadores-coletores, os homens e mulheres faziam as mesmas coisas e se comportavam da mesma forma, pois ainda não existia religião, moral ou cultura condicionando as suas ações (de acordo com o pensamento feminista sobre a questão)."

De onde eu tirei isso?

Do feminismo, é óbvio. São vocês mesmas, feministas, que dizem isso. Não está reconhecendo as suas próprias idéias e pensamentos?

A questão é muito simples, Luci. Algo que é uma construção social, é erigido pelos seres humanos em algum determinado momento (pois apenas os seres humanos produzem cultura). E algo que é natural, existe por si mesmo, em sua essência, independentemente da atuação ou da vontade dos seres humanos.

As leis da física são naturais, não são construções sociais. Elas passaram a existir sem nenhuma interferência do ser humano.

A água é um elemento natural. Ela, também, passou a existir independentemente da ação ou da interferência humana. Ela foi uma criação da natureza.

O cristianismo, ao contrário das leis da física e da água, é uma criação social e cultural. Ele passou a existir porque foi criado e desenvolvido em um determinado momento histórico, por um determinado grupo de seres humanos. Ou seja, o cristianismo é uma criação cultural e social porque é uma criação humana.

Se você levar em consideração o que a Shey disse, então o pensamento feminista (sobre essa questão, especificamente), o pensamento de vocês mesmas, entra em contradição.

Vejamos o que disse a Shey:

“Aliás, acha mesmo que houve um tempo em que grupos humanos “primitivos” não tinham códigos de conduta e cultura?”

Ora, segundo vocês, sim. Se vocês dizem que os gêneros são criações culturais e sociais, então, necessariamente, em algum momento eles foram criados. Em algum momento da História, eles não existiram. Porque, se eles sempre existiram, então não são construções sociais e culturais, são diferenciações naturais e biológicas.

Aí está uma problemática que para que vocês possam resolvê-la, terão que ressuscitar a Mme. Beauvoir para auxiliá-las.

Anônimo disse...

Novamente: quem está dizendo o que a teoria ou pensamento feminista diz é você. Então ou você responde de onde exatamente saiu essa teoria (qual é a sua fonte?), ou não responde e isso vai pra mais uma conclusão do Instituto As Vozes Me Disseram.

"Aí está uma problemática que para que vocês possam resolvê-la, terão que ressuscitar a Mme. Beauvoir para auxiliá-las."

Até hoje nunca precisamos ressucitar ninguém, só usar a lógica e observar o mundo ao nosso redor, ir um pouco além do próprio umbigo. Já que você está em dúvida, talvez você precise ressucitar seja quem for.

Luci

Shey disse...

FelipeLB,

De nada pela ajuda. Mas acho que vc não entendeu bem a minha resposta.

Vc disse:

" gostaria de fazer uma pergunta sobre essa idéia feminista de que os gêneros, e os comportamentos de gêneros, não passam de criações culturais."

O que te dei foi um PONTO DE PARTIDA pra vc obter suas respostas. Dei uma definição sobre gênero devidamente creditada e bibliografia que te auxilie. Pedi pra vc olhar para a criação que vc teve e a cultura onde está inserido e apontei alguns contrastes da nossa cultura com de outras. E aqui no blog da Lola, essa questão que vc colocou é respondida muitas e muitas vezes. Nos posts e em muitos de seus comentários.

Me desculpe se estiver sendo precipitada, mas as suas últimas postagens dão a entender que você está tão convicto de suas próprias ideias de feminismo e divisão de gênero a ponto de se preocupar mais em vasculhar contradições nas feministas do que em ter suas questões respondidas. Peço encarecidamente: deixe de lado seus pré-conceitos(sem abandonar o seu senso crítico, lógico)ao investigar...e boa pesquisa.



FelipeLB disse...

“O autor Tim O´Sullivan argumenta que o gênero é uma diferenciação CULTURAL entre fêmea e macho. Abaixo, uns trechos da obra dele:

Gênero (sexual): Diferenciação cultural entre fêmea e macho [...] uma estrutura cultural raquítica, mas grandemente constituída por diferenças usadas para classificar e tornar significativas as relações sociais da espécie humana... assim, os argumentos sobre o que é “essencialmente” macho ou fêmea [...] justificam muitas vezes as diferenças de gênero como “apenas naturais”, mas essa justificativa é apenas ideológica.

Como disse antes, há muitos estudos a respeito. Recomendo q pesquise nesse blog mesmo pra começar. Procure conhecer também Simone de Beauvoir, Naomi Wolf , além de Stuart Hall e Michel Focault, entre outros.

Fonte do trecho que tirei: O’SULLIVAN, Tim et al. Conceitos-chave em estudos de comunicação e cultura. Piracicaba: Unimep, 2001, páginas 117.”

Simone Beauvoir diz: “Ninguém nasce mulher, torna-se mulher.”

De acordo com os pensadores supracitados, os gêneros, e os comportamentos de gêneros, são imposições sociais. Não existem no plano natural e biológico. Da mesma forma que foram construídos pela sociedade, podem ser destruídos pela mesma. Você concorda com isso, Luci? Você não pensa da mesma forma?

FelipeLB disse...


Luci,

"Até hoje nunca precisamos ressucitar ninguém, só usar a lógica e observar o mundo ao nosso redor, ir um pouco além do próprio umbigo. Já que você está em dúvida, talvez você precise ressucitar seja quem for."

E qual seria essa lógica que condiciona o mundo ao nosso redor?

FelipeLB disse...

Shey

As informações que você me passou apenas abrangem e aprofundam o conceito de gênero, através da interpretação de que são apenas imposições culturais e sociais. Ou seja, não respondem a minha pergunta.

Você diz que, aqui no blog da Lola (espaço excelente, diga-se de passagem) eu poderia encontrar as respostas para os meus questionamentos. Não encontrei. Aliás, a prova de que não é possível encontrar essas respostas é justamente a dificuldade que você, ou a Luci, ou os outros, estão tendo para expô-las para mim.

Você diz que apontou alguns contrastes entre a nossa cultura e outras culturas como prova de que os gêneros são invenções sociais. Porém, o que você fez foi apontar alguns costumes, relativamente insignificantes, que mudam de um lugar para outro. Porém, querer com isso justificar a idéia de que os comportamentos de gêneros, e os próprios gêneros, não passam de imposições sociais, não me parece nem um pouco sustentável.

Se você diz que existem costumes, entre os gêneros, que mudam a depender da cultura e da realidade social em que estão inseridos, eu te aponto agora inúmeros outros costumes e realidades que existiram em todas as culturas, em todos os lugares e em todas as épocas, e que pouco ou nada mudaram de um povo para outro, conservando o seu aspecto global.

1. Em todos os lugares e em todas as épocas, a propriedade e a riqueza sempre se concentraram muito mais nas mãos dos homens do que nas mãos das mulheres.

2. Em todos os lugares e em todas as épocas, a elaboração do ordenamento jurídico dos povos, as leis que determinariam a dinâmica da vida em sociedade, sempre coube muito mais aos homens que as mulheres.

3. Em todos os lugares e em todas as épocas, a produção do saber científico e da inovação tecnológica foram condicionados muito mais pelos homens do que pelas mulheres.

4. Em todas as épocas e em todos os lugares, a atribuição de defender a sociedade das agressões de povos inimigos, sempre coube infinitamente mais aos homens do que as mulheres.

5. Em todas as épocas e em todos os lugares, a realização de obras de infra-estrutura essenciais, construção de pontes, aquedutos, estradas, canais, diques, portos, ferrovias, rodovias, sempre foram feitas muito mais pelos homens do que pelas mulheres.

6. Em todas as épocas e em todos os lugares, a produção de riquezas da natureza, a agricultura, o extrativismo mineral, a caça, a pesca, a metalurgia, a domesticação de animais etc, sempre foram muito mais atribuições masculinas que femininas.

7. Em todas as épocas e em todos os lugares, as atividades que ocasionavam grandes riscos de vida, mas que sempre foram importantes para os povos e culturas, sempre foram muito mais desempenhadas pelos homens do que pelas mulheres: as grandes operações de salvamento, o combate aos criminosos e delinqüentes, as guerras, etc.

FelipeLB disse...


Já que os comportamento e funções de gênero mudam de lugar para lugar, porque as realidades dos tópicos que eu apresentei foram verificadas em todas as épocas e em todos os lugares?

Já que os gêneros são invenções sociais e culturais, e as mulheres podem fazer tudo que os homens podem, possuem os mesmos instintos, características e inclinações naturais que os homens possuem, então porque quando “os papéis” de gênero foram distribuídos não houve um repúdio generalizado, por parte das mulheres, pela condição de “coadjuvantes” que os homens estavam impondo a elas?

Porque, já que as mulheres podem fazer tudo que os homens podem, possuem os mesmos instintos, características e inclinações naturais que os homens possuem, não aconteceu o contrário, ou seja, porque não foram as mulheres que impuseram aos homens uma condição de coadjuvantes, ou de protegidos, ou de poupados, e atribuíram a si próprias as grandes tarefas das sociedades e povos?

Se nós admitirmos que houve imposições sociais naturalmente desvantajosas para um gênero, e naturalmente vantajosas para o outro, como admitir que eles eram, antes do início dessas imposições, absolutamente iguais em comportamentos, necessidades, inclinações, e características? Como um gênero que era igual ao outro em tudo, conseguiu impor uma situação completamente terrível e humilhante (segundo o feminismo) para o outro gênero?

Se os gêneros realmente tivessem sido, antes das imposições de comportamentos e preferências de gênero, absolutamente iguais em comportamentos, inclinações, necessidades e características, a distribuição de atribuições, funções, direitos, privilégios, prerrogativas, obrigações e sacrifícios entre os gêneros teria sido muito mais equilibrada e equânime do que o foi, em todos os tempos e em todos os lugares.

Anônimo disse...

"Temos que ensinar aos homens a não serem violentos". Heinnn?!?!?!

Anônimo disse...

Pois é... E é exatamente aí que mora o perigo.

Anônimo disse...

Instituto As Vozes Me Disseram deve ter estado muito ocupado publicando estatísticas contendo todos os tempos e todos os lugares...

Luci

FelipeLB disse...

Luci,

As informações que eu apresentei estão de acordo com o que foi ensinado por todos os historiadores que eu já estudei, tais como Jacques Le Goff, Mário Curtis Giordani, Tucídides, Heródoto, Tácito, Maquiavel, Hendrik Van Loon, Edward Blainey, Edward Gibbon, Leo Hubermann, Eric Hobsbawn, Fustel de Coulanges, dentre outros.

Nao apenas os historiadores confirmam os meus dados, mas o próprio mundo moderno ainda o faz. Todos os tópicos que eu apresentei ainda se aplicam a todos os países civilizados da face da terra, apesar que de forma menos desigual do que em outros séculos.

Já que você contesta os meus argumentos, apresente os países, nações ou povos, juntamente com as respectivas épocas históricas, onde a realidade foi diferente da exposta por mim.

Se você desejar, posso apresentar os países, nações ou povos, e as respectivas épocas históricas, onde a realidade que expus foram verificadas.

Anônimo disse...

"Se você desejar, posso apresentar os países, nações ou povos, e as respectivas épocas históricas, onde a realidade que expus foram verificadas."

Você falou "em todas as épocas e em todos os lugares". Se quiser, pode sim citar qual historiador ou qual fonte cobre todas as épocas e todos os lugares. Capaz disso até onde eu sei, só o Instituto as Vozes Me Disseram.

Luci

Anônimo disse...

Belissima forma de se esquivar qdo nao se tem argumentos. Ao inves de prosseguir sentada sobre suas verdades absolutas, pq nao se dispoe ao menos a responder as questoes que lhe foram feitas, Luci? O que vc tem feito é apenas a tentativa de desmerecer seu interlocutor, mas responde-lo que é bom....

Dan

Anônimo disse...

Dan, em algum momento eu me ofereci para esclarecer dúvidas? Porque não me lembro de ter feito isso.

Estou aqui curiosa pra saber quais fontes o FelipeLB tem usado para afirmar que "em todas as épocas e em todos os lugares" ou que a "teoria feminista" diz assim e assado. Como já disse ali acima, ele responde se quiser.

Luci

Ju disse...

FelipeLB é um mascu, certo? Não é só porque ele sabe usar vírgulas que não merece essa classificação. Vou resumir o que ele escreveu pra quem tá com preguiça de ler coemntário de mascu.

Ele explicou aqui como os homens são fodas e como as mulheres nunca fizeram porra nenhuma pela sociedade. EM TODOS OS LUGARES E EM TODOS AS ÉPOCAS. Não vamos esquecer. Ele acredita tanto nisso (dá uma olhada em quanta gente boa ele leu pra basear sua conclusão) que vem escrever posts quilométricos num blog feminista pra tentar nos convencer, será?, a largarmos essa besteira de feminismo e aceitarmos nossa condição de coadjunvantes? Não vai funcionar, Felipe. Volta lá para os foruns mascus, pro blog Marxismo cultural que vc ganha mais, tá?

FelipeLB disse...

Luci,

Eu já respondi as suas perguntas, mas você não respondeu nenhuma das minhas. Os historiadores que eu citei abarcam toda a historiografia documentada da humanidade, desde os primeiros Estados que se têm notícia, os da Suméria e Mesopotâmia, no Oriente Próximo, a cerca de 6.000 anos atrás, até o século XX.

Ju,

“Ele explicou aqui como os homens são fodas e como as mulheres nunca fizeram porra nenhuma pela sociedade”

Não foi isso que eu disse. Favor ler os meus comentários com mais atenção antes de questioná-los.

“Ele acredita tanto nisso (dá uma olhada em quanta gente boa ele leu pra basear sua conclusão) que vem escrever posts quilométricos num blog feminista pra tentar nos convencer, será?, a largarmos essa besteira de feminismo e aceitarmos nossa condição de coadjunvantes?”

Favor copiar e colar a passagem, em meus comentários, onde eu sugiro que alguém “largue” o que quer que seja ou “aceite” o que quer que seja.

Anônimo disse...

"As informações que eu apresentei estão de acordo com o que foi ensinado por todos os historiadores que eu já estudei, tais como Jacques Le Goff, Mário Curtis Giordani, Tucídides, Heródoto, Tácito, Maquiavel, Hendrik Van Loon, Edward Blainey, Edward Gibbon, Leo Hubermann, Eric Hobsbawn, Fustel de Coulanges, dentre outros."

Qual historiador especificou em qual obra que os 7 "costumes e realidades" que você listou aconteceram EM TODOS OS LUGARES E EM TODOS AS ÉPOCAS? É isso que eu quero saber.

Além disso, já perguntei repetidamente em qual obra feminista ou qual teoria está dizendo que no princípio de tudo, homens e mulheres faziam tudo igual e de repente o patriarcado entrou em ação e os papéis foram distribuídos. Você afirmou isso lá em cima, foi o ponto de partida para as suas dúvidas...

Luci

FelipeLB disse...

Luci,

"Qual historiador especificou em qual obra que os 7 "costumes e realidades" que você listou aconteceram EM TODOS OS LUGARES E EM TODOS AS ÉPOCAS? É isso que eu quero saber."

Todos os historiadores que eu citei são especialistas em uma determinada época histórica, abarcando, em suas análises, os povos e culturas que se desenvolveram na respectiva época. E todos eles, sem exceção, comprovam que, em todos os povos e culturas já analisados pela historiografia universal, e que atingiram algum grau de expressividade histórica, a realidade era a que foi a exposta por mim nos 7 tópicos.

A prova de que estavam certos é o desdobramento de suas análises se verificando no mundo moderno, onde, como no passado, as mulheres não possuem tantas riquezas materiais quanto os homens; são minoria nos corpos de bombeiros, nas polícias e nos exércitos; são minoria entre a mão-de-obra destinada a construção e manutenção da infra-estrutura dos países em geral, inclusive na construção civil; são minoria na política e na elaboração das leis; são minoria nos altos escalões da produção do saber científico.

Ou seja, ainda hoje, são minoria em todas as áreas que eu disse que eram no passado, nos 7 tópicos. A diferença é que no passado a participação delas foi muito menor do que é hoje, época em que elas estão conquistando cada vez mais espaço.

"Além disso, já perguntei repetidamente em qual obra feminista ou qual teoria está dizendo que no princípio de tudo, homens e mulheres faziam tudo igual e de repente o patriarcado entrou em ação e os papéis foram distribuídos. Você afirmou isso lá em cima, foi o ponto de partida para as suas dúvidas.."

Essa minha afirmação é falsa? Como foi que aconteceu então?

Anônimo disse...

"historiografia universal"? Sério? Jacques Le Goff, Mário Curtis Giordani, Tucídides, Heródoto, Tácito, Maquiavel, Hendrik Van Loon, Edward Blainey, Edward Gibbon, Leo Hubermann, Eric Hobsbawn, Fustel de Coulanges cobriram a historiografia universal? Interessante...

Já que você não tem embasamento para citar o que a teoria feminista afirma, te sugiro ler mais sobre o feminismo. A net tá cheia de sugestões ótimas, Aqui no blog mesmo tem, é só usar a ferramenta de busca. Boa leitura!

Luci

Anônimo disse...

FelipeLB,
Fica aqui minha contribuição para vc.

Espero que vc tenha suas dúvidas sanadas.

http://feministacansada.tumblr.com/post/38409582345

Ju disse...

Olha que gracinha.
http://www.wickedclothes.com/product/kitty-keychain-self-defense-device

Anônimo disse...

Eu gostaria de saber como que o fato de eu gostar de armas de fogo e ser favorável a, me faz um mascu? Pelo que eu me lembro eu sempre apoiei a luta das mulheres pela igualdade, assim como a dos grupos LGBT ou quaisquer outras minorias seja ela religiosa, étnica, sexual ou o que seja. Eu gostaria de saber como ser a favor do direito, a capacidade e a escolha de se defender com uma ferramenta adequada e equalizadora me torna um mascu? Talvez muitos de vocês queiram ficar indefesos, nenhum problema nisso, mas não tente impor o seu desejo sobre mim ou qualquer outra pessoa que não queira; ainda amais se tal desejo for de moral duvidosa, dados mais duvidosos ainda, uma total falta de fé na humanidade e ignorância sobre o comportamento do individuo na sociedade e uma intolerancia a ideias contrarias. Sinceramente me parece que ser contra a escolha é mais coerente com um mascu do que o contrario, já que eu não duvido que para eles o direito de defesa não se estenda a vocês (o que ironicamente já é o nosso caso aqui no Brasil e em boa parte do mundo).

As pessoas realmente deveriam analisar e escolher tópico a tópico do que simplesmente engolir uma cartilha politica por inteiro. Isso vale tanto para liberais como para conservadores, já que os dois tem bons pontos mas pregam muita merda também.

Anônimo disse...

Muito bom o post! Obrigada, já me ajudou com muitas duvidas. Acontece muitas coisas que aparentemente ou outro não está armado, mas não sabemos, e assim não reagimos. O pior é ver um vagabundo se dando bem, e eu acho que atrapalhando o bandido todos se dão bem. Ex: o cara rouba varias pessoas, se da bem, não acontece nada ele vai pensar q vale a pena e vai querer evoluir mas como? Comprando uma arma de fogo. E evitando isso com uma mínima reação como esprei, arma de choque ou branca, o vagabundo se ferra, quem sabe se arrepende, e evitamos até que ele compre uma arma e assalte ou até mate outras pessoas com essa arma que ele conseguiu graças a um roubo aqui, outro ali. Eu acho muito importante uma auto defesa. se o cara pega o celular como eu vou ligar pra policia? qual o tempo que leva para chegar? Até ai o cara já conseguiu o que queria.

Eduardo disse...

Muito estranho os comentários de quem é contra o cidadão portar um objeto para se defender. Pois saibam que todos nós temos o DIREITO de proteger nossa VIDA e nossa INTEGRIDADE FÍSICA, é umas das leis mais naturais que existem e está previsto no Código Penal esse nosso direito! Mas atenção: caso alguém reaja a um assalto e mate um marginal a lei obriga a polícia a prender essa pessoa, e só depois no curso do processo será julgado se foi legítima defesa ou não. Enquanto isso o cidadão vai ficar preso em um presídio junto com toda espécie de bandido! Este é um dos absurdos do Brasil. Então se o cidadão quiser comunicar o ocorrido é melhor esperar passar o flagrante e se apresentar na delegacia uns dias depois acompanhado do advogado, pois só é possivel ser preso em flagrante ou por ordem judicial. Parabéns pelo Post!

Leandro disse...

Se é para se defender de estupradores, assassinos, assaltantes, eu sou a favor. Eu defendo o direito do cidadão honesto andar armado para fins de auto-defesa.

silvia disse...

eu li todos comentarios, desde o inicio....ja passei por assalto..ja usei faca na bolsa,,,pedra dentro de uma meia...ja usei aparelho de choque, mas estragou ha tempos atraz, e riam voces ou nao, hoje tenho na bolsa um tubo de sbp.... pelo menos arde o olho dele um bom tempo
ate eu correr e achar socorro.

Ana Nazaré disse...

Gente, TEM QUE TER MUITO CUIDADO COM ISSO, o ideal é fazer curso de auto defesa,pois se a mulher não ficar firme emocionalmente na hora da agressão,pode surtir o efeito contrário: a arma que ela estiver usando pode ser usada contra ela própria . Eu acho que deveríamos iniciar uma cultura de auto defesa feminina por aí .É fantástico : saúde, auto confiança, concentração e equilíbrio emocional em situações de violência. Recomendo!!!

Leopoldo disse...

SPRAY DE PIMENTA - ao contrário do que é afirmado no texto, o porte e transporte do spray de pimenta é conduta típica. ver abaixo o artigo 253 do código penal:

"Art. 253 - Fabricar, fornecer, adquirir, possuir ou transportar, sem licença da autoridade, substância ou engenho explosivo, gás tóxico ou asfixiante, ou material destinado à sua fabricação:

Pena - detenção, de seis meses a dois anos, e multa."

Anônimo disse...

E os bastões retráteis, hein? Hein?

Anônimo disse...

E se o agressor estiver de óculos no momento em que eu utilizar o spray, hein? Hein?

Anônimo disse...

Tu falas isso pq não são os teus órgãos genitais que 2,3 homens irão molestar!!!!!!!

Anônimo disse...

E verdade seria muito bom mesmo

Anônimo disse...

Pra quem for usar o spray de pimenta, independente dele ser legal ou não, só um aviso. O cara pode estar de óculos, vc pode estar de óculos, o vizinho pode estar de óculos. Todo mundo, em um raio de 10 metros, vai sentir os efeitos do spray E ISSO INCLUI VC. Policiais fazem treinamento de dessensibilização do spray, eles sentem os efeitos mas sabem lidar com eles sem entrar em pânico. E se alguém mais aventureiro quiser treinar isso em casa, lembre-se de não usar água em hipótese alguma para lavar o rosto, não fazer isso em um cômodo fechado ou perto de crianças ou animais.

Anônimo disse...

Augusto, tu só pode estar brincando haha, se as pessoas não conseguirem se defender e dependerem da policia, estarão na merda!

Anônimo disse...

Parabéns por pensar assim, deviam ter mais policias como tu.

Anônimo disse...

A pessoa menor de idade pode portar um canivete?

Anônimo disse...

O Augusto ,vive em um mundo onde não existe violência, mas a realidade é diferente todo cidadão tem o direito de ter um objeto de defesa da sua integridade fisíca tanto faz se for um gás de pimenta,arma de choque,arma branca,bastão retrátil ou arma de fogo. Vou contar um caso que houve comigo ,como trabalho na rua e entrego correspondências, um dia quase fui assaltado,não tenho habito de levar uma arma branca, mas naquele dia andava com um canivete e um assaltante tentou me assaltar, peguei o canivete que é borboleta,saquei,ele pois sei manusear armas brancas, treinei arte-marcial e o vagabundo correu. Imagina o que que o vagabundo iria fazer, comigo ,se não reagisse? Se, achas que não existe violência urbana então saia na noite na sua cidade e tenta não ser assaltado. Se, achas que quem tenta se defender do fruto da sociedade é errôneo no pensar em se defender, então adota um marginal. Te digo que pobreza não é desculpa conheço pessoas pobres que estudam e trabalham e nem por isso assaltam e matam.Assaltante,assassino e estuprador são frutos da impunidade das leis, pois sabem que às leis são brandas. Defender-se é um direito de todo cidadão.

rosa disse...

Pelo amor, neh trabalho pra caramba e quando saiu tenho que ficar atenta a cada pilantra que olha pra mim, e vou te falar mais da metade são safados e nojento.. E vacila pra ver se eles não fazem merda com vc...o certo seria deixar as mulheres andar armada..queria ver esses vagabundo vim se crescendo pra cima de qualquer mulher

Daniel Cunha Lessa disse...

Sou faixa preta, 4° dan de karatê, e FX roxa de Jiu-jitsu (treino desde 2003). Mas nunca pensei em andar armado com QQ tipo de coisa. Acho muito perigoso geagir pq o vagabundo conta com o fator surpresa e vem preparado. Eles escolhem as vítimas como os Leões, sempre as menores, doentes ou distraídas.
Mas adorei o post, e mesmo tendo treinamento, nunca me armei. Mas, voi começar a pensar nessa possibilidade.

Daniel Cunha Lessa disse...

Jiu-Jitsu desde 2003... Karatê, a 27 anos. Só pra esclarecer

Daniel Cunha Lessa disse...

Jiu-Jitsu desde 2003... Karatê, a 27 anos. Só pra esclarecer