sexta-feira, 21 de setembro de 2012

FALTA QUANTO PROS MASCUS ASSUMIREM SUA MISOGINIA?

Mascus em raro autoretrato

Mascus são lunáticos incuráveis, mas ultimamente eles andam mais sem rumo que de costume. Seus blogs e fóruns parecem ter virado guias de como ser cafajeste para pegar minas. A última agora é eles dizerem que não são masculinistas. Normal: como o masculinismo é uma bagunça sem propostas, agora os mascus querem ser chamados apenas de guerreiros de um real. Quer dizer, da real. Outra mudança é que, até o ano passado, eles recusavam, ofendidíssimos, a pecha de machistas. Hoje eles são machistas assumidos.
Quanto tempo vai demorar pra que eles assumam sua misoginia? Porque não sei se é possível, mas eles têm caprichado cada vez mais no seu ódio às mulheres. Sabe quando eu digo que a diferença entre eles e os mascus sanctos é apenas na intensidade do ódio? Bom, pelo jeito, não mais. Os mascus sanctos meio que sumiram (não estou reclamando!), devem estar por aí na deep deep web. E ficaram os mascus mais moderados... que são tão loucos quanto os sanctos.
Peguei este depoimento num fórum mascu. Um membro antigo (o que eles chamam de oldschool) dá dicas a um novato sobre como vencer a timidez. Duas coisas são repetidas: como o homem merece o que lhe é de direito (traduzindo: o velho sentimento de entitlement, típico de meninos mimados), e como a mulher não é nada mais que uma vagina. O babado é forte:

“Quer saber como superar sua timidez ? Não adianta ir pra academia pra ficar forte, não adianta ir na melhor e mais cara loja de roupas e mudar seu guarda-roupa, mudar corte de cabelo e todo o resto... Isso vai ajudar a melhorar sua imagem, porém você ainda será o mesmo por baixo disso tudo.
O primeiro passo pra você deixar a timidez pra trás é começar a amar a si mesmo. Aprender a reconhecer suas qualidades, aceitar seus defeitos e saber perdoar seus erros. Ninguém é perfeito cara, todo mundo tem defeitos e erra. É assim que crescemos e amadurecemos. Não tenha medo de errar, a vida é assim.
Segundo: para de se importar assim com mulher. Se você ver alguma que te interessa coloca na cabeça que ela é um monte de carne ambulante tão insegura ou mais que você. Antes de se desesperar e ficar com medo de falar ou fazer algo errado que vá 'estragar' sua oportunidade entenda que mulher nenhuma vale esse desespero. […]
Eu não trato mulher de igual pra igual. Sempre trato como se elas fossem inferiores. Afinal... Mulher é um ser desprovido de lógica, extremamente emocional e instável, manipulador, que é movido pelo desejo de sentir fortes emoções e arrumar o melhor macho que puder a todo momento.
Pra que diabos eu vou tratar alguém assim de igual pra igual ? trate como se fosse um pedaço de carne que você vai comer e depois c*gar na privada. Esse é todo o envolvimento emocional que você deve ter por uma mulher.
Quer saber o que deixa mulher com a calcinha molhada morrendo de vontade de dar pra um cara a noite toda ? Um sujeito que fala e faz aquilo que ele quer sem se importar se está agradando, se ela vai gostar, se é o certo etc...
Essa foi a minha maior revelação.
Se eu vejo uma mulher e eu quero falar com ela eu vou lá e falo a primeira m*rda que surgir na minha cabeça. Se ela não quiser conversar comigo f*da-se!. O azar é dela. O prêmio sou eu e quem saiu perdendo na jogada foi ela. Eu não vou ficar me humilhando, implorando pra alguma mulher querer dar pra mim.
É isso que você tem que assimilar, f*da-se o que ela quer. Tudo o que importa é o que VOCÊ quer. Isso é o comportamento de macho alfa que falam tanto. Seja você, faça o que você quer, fale o que você quer sem se intimidar por causa de ninguém nesse mundo.
Você quer uma determinada mulher ? Vai lá e pega. É seu direito como macho fazer isso.
Sabe quem é o seu maior inimigo ? Essa vozinha que fica na sua cabeça dizendo que você vai se dar mal, que a mulher vai te rejeitar, que você vai levar fora etc... Para de pensar tanto, simplesmente tome uma atitude e faça. Para de conspirar contra você mesmo. Dá próxima vez que você ver uma mulher andando veja o que ela realmente é: uma b*ceta ambulante que você vai esvaziar o seu saco. Nada mais do que isso. Não tem motivo pra ter medo, não tem motivo pra se desesperar... Simplesmente vá lá e tome aquilo que por direito é seu.”

Putz, quem falou pra esse rapaz que as mulheres do mundo são um buffet a sua disposição? “Vai lá e pega, tome aquilo que por direito é seu”. Pra mim parece apologia ao estupro. A gente sempre pensa que mascus querem voltar pros anos 1950, mas é bem mais pra trás. Eles têm saudades do tempo das cavernas, isso sim.
Quer outro exemplo da misoginia dos mascus “moderados”? Apresento a terceira música da Real (não sei o que aconteceu com as outras duas, se foram denunciadas e removidas). Repare no nome: não é música dos mascus sanctos, é dos guerreiros da real, que juram não ser misóginos. Esta canção acaba assim:
“Sua cara não me engana, você gosta de grana
Eu sei do seu trabalho, ferramenta é sua xana
Degolo sua mentira, devasso sua trama
Te enterro com prazer no cemitério de piranha”.
No clipe há palavras como “dizimando a vulgaridade”, “violentando a indecência”, “sepultando p*ta”, além de fotos de ossadas. A música, óbvio, está sendo elogiadíssima por todos os homens honrados e realistas. Tenho certeza que os sanctos também não mudariam uma palavra.
Como é que um “movimento” que dedica seu tempo livre pra pregar violência contra todo um gênero pode não ser considerado um grupo de ódio?

196 comentários:

Mirella disse...

Lola, confesso que agora caiu a ficha da importância dos seus posts em evidenciar os mascus.

O que eles fazem é tão sórdido e bestial que eles só o fazem a fóruns fechados, covardes que são. SABEM que se for público eles acabam. E é aí que você entra. Acredito ser extremamente importante expô-los ao máximo assim como eles são: covardes incompetentes cheios de ódio e baixa autoestima. Quem dedica toda sua energia para se dirigir a alguém da maneira que eles fazem é doente.
Daí eles vem aqui e dizem que o blog incita misandria.

Toda a ideologia mascu pode ser resumida a uma única frase que eles mesmo dizem: "Para de pensar (tanto)".
Para ser mascu é só assim, parando de pensar. Cês tão de parabéns, hein!

Rayara disse...

Acho que nesse caso todas as mulheres saem "perdendo" esse valioso prêmio né... Que pena! HUAHUAHAUHAUAHUAHUAHUAHU


O que a frustração e a baixa auto estima não fazem com uma pessoa... Esses caras são doidos, não deviam ser nem presos não, deviam era ser internados!

Paulo disse...

Lola- acho que vale a pena comentar não apenas para esses casos que as pessoas podem e devem dirigir-se a um cartório e fazer o pedido de uma ata notarial ao tabelião.

Aos que não sabem a ata nada mais é que um documento que é assinado por uma pessoa com fé (pública), no caso o tabelião, mostrando que algum fato é de fato verdade.

Especialmente para páginas de internet onde podemos fazer com que a "screenshot" vire um artifício legal contra esse tipo de situação.

É a solução? Não mas é um passo na direção certa para que as pessoas sejam de fato responsabilizadas pelos seus atos.

--

Comecei a ler há pouco tempo o seu blog influenciado pela minha esposa. Ela sempre comentava dos seus textos e resolvi lê-los e não me arrependo.

Infelizmente imbecis existem em todos os níveis da sociedade só que ameaças e apologias a violência são previstas em lei e devem ser denunciadas.

O que me entriste de fato são que na maioria são as pessoas que deveriam ter sido mais instruídas que agem dessa maneira.

Conceição Lima disse...

Lola, lendo esse post sobre os mascus me deu um cansaço de dedicar qualquer energia mental a isso. Só o mais básico a dizer: eles devem ser denunciados.

Às vezes acho q damos espaço demais para as infantilidades e insanidades desse homens frustrados e incapazes de se relacionar.

Priscila Boltão disse...

Cara, pior que ele tava indo bem no comecinho, quando disse que o importante é amar a si mesmo e que mudar o lado de fora não muda o de dentro. Quase me deu esperança... daí li o resto e dengrigolou de vez.
Essa idéia de entitlement q tem nesse comentário me fez lembrar da horrível quinta temporada de Dexter (quem não viu, esse comentário pode ter spoiler!) onde o empresário que dava palestras motivacionais tinha como lema "If you want something, take it! Don't ask for it, take it!" e é revelado no decorrer da temporada que é mais q suposta apologia ao estupro, ele faz parte de uma gangue que sequestra mulheres e as estupra coletivamente e depois as mata. É uma idéia horrível passada no seriado, mostrando um grupo de despirocados sem rumo que acredita que merece simplesmente "tomar o que quer". E até começar a ler seu blog, lola, me recusei a acreditar que gente assim existia de verdade - sociedade que nos diz que estuprador é só aquele psicopata na escuridão.
Acho que essa é a parte assustadora. A gente nunca sabe quem podem ser os "humanos" (se é que dá pra chamar assim) atrás dos avatares de super herói. A gente não consegue saber se encontrar um louco desses, embora a gente mostre cara e nome quando se declara feminista.

Beatriz disse...

Eu fico preocupada porque tenho ouvido variações desses argumentos. Homens que pra mim eram comuns, nem os melhores do mundo, nem os mais imbecis, falando de mulher desse jeito.
Eu juro que fico pensando que é quase uma psicose. Descolamento total da realidade, meu Deus! O cara é esse imbecil completo e "faz sucesso com a mulherada"?
De onde eles tiraram que a mulher é irracional, movida completamente pela emoção, e eles são os bastiões da inteligência e racionalidade?
De onde eles tiram o tempo todo que arrasam, que são o máximo, enquanto a maioria de nós os acha imbecis?
é patológico...

Anônimo disse...

afe, esse prêmio eu dispenso com vontade. meninos masturbadores doentes.

vcs viram a flávia alessandra falando naquele programa de sexo que o feminismo acabou com o cavalheirismo? não sei quais foram as exatas palavras, mas eu nem tava prestando atenção e depois fiquei pensando "gente, ela falou isso mesmo?". difícil.

sou mulher e ajudo mulheres, ajudo crianças, ajudo homens. gentileza é gentileza de qualquer jeito. ajudo do mesmo jeito que gostaria de ser ajudada sem algum interesse sexual.

Lord Anderson disse...

Quando alguem fala tão nojento e sem noção assim, eu fico na duvida se a pessoa realmente acredita nisso.

Pq é dificil acreditar nessa grau de desprezo e falta de empatia por outro ser humano.

Essa arrogancia toda, essa falação de ser "alfa", "machão", etc, no fundo esconde um senso de inferioridade imenso e um grau de agressividade imenso.

Mascus são patetico, mas tem potencial pra ser uma ameaça grave.

É lamentavel que nossas autoridades não estejam atentas a isso.

Huan Icaro Piran disse...

Na boa, esses dementes me dão medo...

Alec disse...

Mascus quase nem existem mais, tudo aquilo foi uma modinha passageira. Só uns gatos pingados é que ainda frequentam seus blogs.

O problema da Lola é fazer de uma gota um tsunami.

Anônimo disse...

Eu fico cada vez mais espantada com esses mascus. Lola, conta como foi lá em Natal! Queria muito ter ido, mas sair daqui da PB pra o RN foi inviável essa semana pra mim. Fábio Ataide é meu primo, vcs dois numa palestra deve ter sido maravilhoso.
Larissa Ataide





Dias disse...

Acho que alguém que escreve um negócio desses não tem mãe. Na verdade, nem mãe, nem pai. Eu, como homem, sempre vi em minha mãe fonte de admiração e o primeiro entendimento de que mulheres são diferentes, mas a qualidade entre os sexos não muda. Como eu poderia ver aquela primeira mulher apenas como pedaço de carne? Meu pai veio a reforçar isso tudo não admitindo qualquer forma de machismo (que às vezes os meninos, quando criança, começam a aprender na escola convivendo com outros meninos). Em casa, a gente aprende a respeitar as mulheres e não concordar com muita babaquice ventilada por aí.
Só que o texto do cara vai além desse machismo entranhado, ele ataca diretamente a mulher. Acho que não passa de um cara inseguro, sem amor e que tenta justificar isso colocando a culpa nas mulheres. Eu tenho pena desse cara e das pessoas que convivem com ele. Fico pensando que desamor deve ter causado essa revolta toda.

Karla disse...

PQP! QUe nojo, que cambada de gente doentia. Pelo menos, esse post deixou bem claro que esse ódio todo pelas mulheres não passa mesmo de frustração e baixa auto-estima.

Fico aqui na torcida para que surja um Jim Jones entre os mascus, que se mudem para os confins do Suriname e se matem por lá. O mundo vai se tornar um lugar melhor.

Bruxinha disse...

Eu fico pensando se conheço algum masculinista aqui na "vida real", pq às vezes essas coisas que lemos, extraídas dos fóruns fechados deles, parecem ficção. Mas é só pensar um pouquinho e ver que já ouvi de alguns amigos ou conhecidos expressões que denunciam machismo em maior ou menor grau, tipo "mulher gosta é de dinheiro", ou a clássica diferenciação mulher pra casar e mulher pra diversão. Daí fico pensando se eles também, os meus conhecidos, estão de alguma forma envolvidos nessa "organização" que prega o ódio, a tal "real".
Dá até um pouco de medo refletir sobre o assunto.

june_miller disse...

Pô Lola, já chega né? Outro posts sobre os mascus? Já estou cansanda, sinceramente. Os mascus são apenas um grupo besta de homens inseguros na internet, não um movimento ou coisa parecida, não faz diferença para mim. Não são perigosos como os Sanctos, são apenas homens inseguros.

O que mais vejo por aqui é mais e mais posts dedicados a eles. Tudo bem um e outro de quando em quando, mas esse blog está virando cada vez um blog contra os mascus, não um feminista.

Uma das maiores críticas ao feminismo é que é um movimento muito "classe média" e cada vez mais tenho que concordar. Vejos mais é as dores das mulheres de classe média aqui, as vezes têm post contra o racismo ou a gordofobia, mas isso é visto da ótica da mulher negra ou gorda que está na classe média.

Tudo bem, o blog é seu, você faz o que quer. Mas essa de mascu sinceramente me cansou. Só está dando voltas, e não vejo NADA de engraçado no que eles escrevem. Fico mais é triste de pensar que existe pessoas que pensam assim, e esse tipo de post não melhora em nada. Mascus não vão deixar de pensar o que pensam porque tem um grupo de feministas ficam fazendo troça deles. São vão se agarrar mais ao pensamento preconceituoso que eles têm.

Aninha disse...

Desculpa, Lola, o post é super sério e eu não consegui não rir.

Esse discurso de: "elas que saem perdendo essa preciosidade" é tão de perdedor que dá vontade rir!

É óbvio que a última vagina com a qual esses caras entraram em contato foi a da mãe deles!

Andressa disse...

Antes de ler o seu blog, eu sabia que existia gente machista, mas não tinha a menor ideia de que existia tantos caras tão empenhados em odiar as mulheres.
Às vezes eu fico me questionando o que leva alguém a esses ódios tão infundados, e não consigo entender. MESMO.

Anônimo disse...

mascus são frustrados que se entregaram ao ódio, o que eles não entendem e que mulheres não aceitam fracassados, não somos obrigadas a nos relacionarmos com qualquer porcaria misógina e sem futuro !!

Anônimo disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk, esses machistoides me dão preguiça, são um bando de coitados rejeitados mesmo, devem terem sido rejeitados ate pela mãe no minimo

Anônimo disse...

Só eu fiquei assustada demais em saber que esses "tipos" caminham pelas ruas livremente?

sabrina disse...

kkkkkkkkk realmente qualquer mulher ficaria em depressão por perder um lixo desses.
mascus acordem pra realidade,se alguma mulher aceitar ficar com vcs ,é pq a auto-estima dela n existe.

Lobo Mau disse...

Como é que um movimento que tem como líder uma pessoa que tem tatauda no corpo um símbolo nazista não é um grupo de ódio?

Leandro disse...

"o masculinismo é uma bagunça sem propostas" - Claro q temos propostas. Tudo que reivindicamos é: desestatizar o casamento. Queremos que o Estado deixe as famílias em paz e o casamento volte a ser um CONTRATO, com direitos e deveres, regras e clausulas determinadas pelo CONTRATO. Sem o Estado interferir com suas leis de pensão e divórcio.

"Hoje eles são machistas assumidos." - Não sei qual o problema. O machismo é apenas o homem tradicional... Aliás, o machismo não é misógino, pelo contrário, ele PROTEGE a mulher.

E não sei o que há de misógino noconselho que o cara dá para vencer a timidez. Ele só está dizendo ñ tem q se importa com "pegar mulher", tem que seguir o próprio caminho. Só isso.

"Putz, quem falou pra esse rapaz que as mulheres do mundo são um buffet a sua disposição?" - Ué, as próprias mulher que premiam os homens que as tratam assim. Basta observar como o "bad-boys" agem...

"Pra mim parece apologia ao estupro." - Não é apologia ao estupro... Bom, vindo de uma pessoa que acha que impressionar a mulher tirando a camisa sem ela pedir é sinônimo de estupro...

"A gente sempre pensa que mascus querem voltar pros anos 1950, mas é bem mais pra trás. Eles têm saudades do tempo das cavernas, isso sim." - Quem quer voltar pro tempo das cavernas são vocês. Vocês que querem retroceder a um tempo quando "o conceito de casal não existia". Regina Navarro Lins ue tinha a idéia de que no tempo das carvernas, homens e mulheres eram felizes, aí veio o patriarcado e acabou com toda a felicidade e trouxe toda a desgraça...

Anônimo disse...

Vivemos numa sociedade em que o homem que exige respeito, fidelidade e transparência de conduta de uma mulher que se comprometeu com ele, é acusado de machista/opressor.

Anônimo disse...

Poxa to chorando aki pq eu perdi o premioooo! Eu queria um mascu pra mim. NOT!

KKKKKKKKK
GRANDE PREMIO!

Anônimo disse...

Que música engraçada.:)

Helena disse...

Esses caras devem ser gênios super estudiosos pra chegar a conclusões tão refinadas!

MCarolina disse...

Bom, eles mesmos fornecem provas de que são um grupo de ódio. É até bom juntar para a polícia porque inevitavelmente eles vão cair nessa categoria aqui, como já são nos EUA.
Quando ao resto das incríveis dicas, é capaz mesmo dele atrair alguma mulher. Uma desesperada carente e sem auto-estima, e eles podem ser um casal neurótico e insuportável.

Clara Angeleas disse...

o pior disso tudo é que isso não é doidera não! antes fosse, porque lugar de doido, pra sociedade, é no manicômio. bem que eu gostaria de ver uns mascus usando o modelito camisa de força (aliás, ó ti mo nome de vestimenta para eles, não? combina bem com um "macho alfa"). Isso aí são décadas e décadas de construção de uma imagem deturpada de mulher e de homem no imaginário social... a tal da psicologia evolucionista imbecil (da mesma laia da ciência que explicava o porque dos negros serem inferiores).

gente, sério. "mulher é um ser disprovido de lógico". sério. sério mesmo. vindo de um mascu? aqueles que vivem a usar numeros do renomado "instituto as vozes me disseram"? ah, vá! sugiro uma campanha: dõe um neurônio a um mascu. tenho certeza que, aqui, pros frequentadores desse blog (tirando os mascus, óbvio, que tem o blog da lola nos favoritos), um único neurôniozinho não vai fazer falta!

Flavio Moreira disse...

Lola, apesar de querer achar engraçado, não consigo. Minha tolerância anda muito baixa com essas incitações ao ódio e à discriminação. Além disso, acho na verdade assustador que esse tipo de divulgação exista, que pessoas façam parte desses grupos e que tenha havido um recrudescimento tão grande do machismo, masuculinismo e misoginia nos últimos tempos.
Fala-se muito em conquistas das mulheres, em como elas ascenderam e hoje ocupam posições importantes (vide a nossa presidenta e, vi hoje, sobre Maria das Graças Foster, presidente da Petrobrás, ser considerada uma das mulheres mais poderosas do mundo nos negócios), mas o desrespeito, o preconceito e a brutalidade continuam mais do que nunca presentes.
Não sei identificar se o que vemos hoje são mais denúncias do que havia uma década atrás ou se, de fato, não está havendo uma reação distorcida por parte dos homens.
Eu não preciso de grandes estudos sociológicos para perceber que as mulheres estão mais presentes no mercado de trabalho: eu vejo isso no transporte público. Nos trens, nos ônibus, no metrô - elas são muito mais numerosas do que os homens. Percebo que há mais mulheres jovens trabalhando do que homens.
Sei que fugi um pouco do tema do post mas o que eu quero dizer é que, nas relações afetivas, como no mercado de trabalho, "quem não tem competência, não se estabelece".
Por isso esses incompetentes emocionais deveriam procurar tratamento psicológico e nossas autoridades deveriam estar mais atentas a esses sites que incitam ao ódio e à violência.
NÃO, NÂO é engraçado. É perigoso e assustador.

Anônimo disse...

Falou tudo Flavio Moreira. Ragusa

Carolina Lucas Paiva disse...

Leandro

Tratar alguém como um ser inferior, uma buceta ambulante (ou seja, desumanizar, ver como sub-espécie)? Só pode ser coisa de gente super normal, né? Nada misógino.

Obs.: o Estado interfere em todos os tipos de contratos, do contrário, as regras gerais não seriam dispostas pelo Código Civil.

Raziel von Sophia disse...

Acho que eles estão passando dos limites. Deveríamos nos juntar e denuncia-los em massa.


.... Ainda bem que larguei essa merda,,,,

Liana hc disse...

"Você quer uma determinada mulher ? Vai lá e pega. É seu direito como macho fazer isso."

é bizarro ler isso. nem tanto por ser a fala de um mascu, mas por ser uma fala com o qual tantos se identificam (mesmo no casos daqueles que jamais ouviram falar em masculinismo), do contrário não teríamos a cultura do estupro.

isso me lembra aquele artigo sobre a dificuldade de se distinguir a fala de um estuprador condenado e de revistas masculinas. e durante o estudo, homens se identificaram mais com as falas dos estupradores, o que nos mostra como este tipo de mensagem (inclusive em forma de piadinha inofensiva) está internalizada na população e faz estragos.

tradução minha de um trecho da matéria:

"Muitos dos estupradores citados no estudo falaram sobre coagir as mulheres ou a fazer sexo com elas mesmo quando elas foram inicialmente relutantes. Assim como as revistas masculinas. Horvath diz, "estupradores tentam justificar suas ações, sugerindo que as mulheres levam os homens a isso, ou querem sexo mesmo quando elas dizem que não, e há claramente algo de errado quando as pessoas sentem que o tipo de linguagem usada em uma revista masculina poderia ter vindo de um estuprador condenado." Muitos destes estereótipos ... de fato foram normalizados, e é triste, mas não surpreendente que eles apareçam em um monte de revistas masculinas. Defensores de tais declarações gostariam de enquadrá-las como inocentes, ou mesmo úteis, observações. Mas, talvez, a notícia de que eles soam como estupradores vai fazer as pessoas - e revistas - repensarem suas palavras."

Talvez...

Os mascus são apenas a parte mais visível dessa cultura de desrespeito às mulheres. Por isso, mesmo com um laudo comprovando estupro, muitos ainda continuam culpando as vítimas.

Anônimo disse...

a misoginia não é maior hoje, é menor. os mascus representam os machos que se viram despidos de poder pela entrad da mulher no mercado de trabalho, só. eles representam perigo, claro. mas antes as mulheres não estavam mais seguras, nem mais felizes. os mascus são o correlato do bolsonaro, dos malafaia da vida. precisamos denunciar a estupidez extrema de seu discurso, sua falta de lógica e seu ódio, precisamos conhecê-los para nos defender, claro. contudo, não devemos considerar que têm um status que não têm - eles não representam MAIS ódio ou perigo, eles são só aquilo que não aparecia porque, afinal de contas, tudo estava nas mãos deles...

Anônimo disse...

"E não sei o que há de misógino no conselho que o cara dá para vencer a timidez. Ele só está dizendo ñ tem q se importa com "pegar mulher", tem que seguir o próprio caminho. Só isso."
-
Querido, se você não vê misoginia em trechos como "trate (a mulher) como se fosse um pedaço de carne que você vai comer e depois c*gar na privada." pra você essa palavra provavelmente nem existe

Clara Angeleas disse...

falando neles, ó eles aqui traveiz! ô lobo mau (hahahahahahahahahahahahahahahahahaha pausa para rir) quem foi que te disse que a sara winter e a "líder" do feminismo?! aliás, se você se desse o trabalho de pesquisar (pesquisa de verdade, ok? nada de "as vozes me disseram") a grande maioria dos movimentos feministas que existem no Brasil NÃO apoia o Femen.

vide aqui: http://jezebel.uol.com.br/10-motivos-pelos-quais-o-femen-nao-merece-atencao/?fb_action_ids=491494617530360&fb_action_types=og.likes&fb_source=aggregation&fb_aggregation_id=246965925417366

aqui: https://www.facebook.com/permalink.php?story_fbid=342661352486774&id=124764304276481

e aqui: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=461554160542831&set=a.396729613691953.99341.396630023701912&type=1

sem contar que a própria sara winter nega qualquer vínculo com esse tipo de movimento - não cabe a nós julgar o que ela fez no passado se, hoje em dia, ela mudou (um ÓTIMO exemplo é a raziel, que saiu de mascu para transexual). porém, existem várias falhas no femen e, por isso mesmo, que grande parte dos movimentos feministas brasileiros tem se posicionado assim.

Anônimo disse...

Lola, quando é que você vai fazer um post sobre a Sara Winter ter um símbolo Nazista tatuado no corpo?

Anônimo disse...

@Leandro:

Existe a possibilidade de Separação Total de Bens.

Neste regime, todos os bens atuais e futuros de ambos os cônjuges permanecerão sempre de propriedade individual de cada um.

Para dar entrada no processo de habilitação de casamento civil com este regime, é necessário que o casal compareça a um Tabelionato de Notas e faça uma Escritura de Pacto Ante-nupcial.

“A mulher para ter direito a pensão, por exemplo, tem que provar que não tem mais espaço no mercado de trabalho. Uma mulher com menos de 36 anos dificilmente consegue pensão alimentícia”, explica o professor e advogado Nelson Sussumo Shikicima.

http://www.conjur.com.br/2010-mar-13/advogados-advertem-quem-casa-separa-nem-seja-morte

Falando em casamento, Lola talvez seria uma boa idéia fazer um guest post sobre mudanças na legislação, tipos de união civil etc?

Luci

bg.amanda@hotmail.com disse...

Lola, vou usar este espaço pois não sei outro método para contata-la:
Gostaria de pedir que escrevesse a respeito da depilação masculina e os homens metrossexuais. Muitos blogs e reportagens com temática feminista tratam da depilação como imposição da "moda" sobre as mulheres, mas praticamente não achei textos que exponham o lado masculino. Eu, por exemplo, FAÇO QUESTÃO de homens sem pelos (barriga, virilha, costas, axilas) Acho deprimente, e não penso em virilidade masculina em homens peludos de modo algum, mas sei que existem mulheres que adoram. Ultimamente notei que uma porção de mulheres tem comentado que apoiam SIM a depilação intima masculina, afinal não acho que muitas apreciam a floresta negra nos países baixos.
Comento que me indigna e muito o fato de muitos homens te olharem com cara de nojo e evitarem o sexo oral se você não usa a cera lá em baixo. Mas são os mesmos trolls quando interrogados para depilar a área dizem: "Ai, não. Dói muito... Homem não depila!"
Não foi uma nem duas vezes que ouvi um comentário do tipo: "Mulher que raspa ao invés de depilar fica feia..."
Mas que diabos? Quer dizer que nós temos que passar por dor e incomodo e os mascutrolls não podem? Assim como eles (e nós também) gostamos da sensação de ter a nossa virilha lisinha, também gostariamos das deles assim!
Veja, Lola, já li muito a respeito da ditadura da moda, e do cinema pornô na questão da depilação íntima, e digo como porta-voz de uma porção de outras mulheres: Independente disso, gosto! Pela sensação!
Eu gosto da sensação de ter meu corpo sem pelos e exijo e gosto da sensação do corpo do meu companheiro liso também (sem excessos, por favor. Ninguém está pedindo corpo de nadador).
Tudo que me pergunto é: Será que o machismo é tão grande que os homens não podem se submeter à depilação pelo prazer da mulher? Afinal, é um relacionamento, um acordo. São feitas concessões. Eu, como mulher faço POR MIM o ato de retirar o excesso de pelos, mas não veria problema em entrar em acordo se fosse porque algum namorado quisesse, desde que recíproco!

Anônimo disse...

Toda vez que as feministas da Lola começam a se estranharem nos posts dela, ela apela para o bode espiatorio preferido dela,, conveniente não ?!!

Anônimo disse...

mascus estão planejando uma "expansão" que começa 1 de outubro.
dizem que querem expandir, foruns, facebook, orkut e etc.
planejam também denuncias em massa aos sites feministas.

Anônimo disse...

Se esses caras empregassem todo o esforço que eles fazem pra ficar espalhando ódio, em coisas que prestem, por exemplo investindo na sua própria vida e não na dos outros, eles conseguiriam diversas coisas boas e não iam precisar ficar se lamentando #ficadica

Anônimo disse...

Estes são o blogs doentes a serem denunciados, ficarmos somente no discurso não muda o fato de a cada dia mais garotos entram em contato com estes textos misóginos, portanto mãos a obra DENUNCIEM !

http://canal.bufalo.info/

http://omarxismocultural.blogspot.com.br/

http://detonandoamatrix.wordpress.com/

http://depaspalhoarealista.blogspot.com.br/

http://machismoesclarecido.blogspot.com.br/

http://sexoprivilegiado.blogspot.com.br/

http://blogdodoutrina.wordpress.com/
http://www.testosterona.blog.br/

http://enigmaticoerealistico.blogspot.com.br/
https://www.facebook.com/MasculinismoReal

https://www.facebook.com/MetendoaReal

https://www.facebook.com/FrasesDeNessahanAlita

http://reflexoes-masculinas.blogspot.com.br/2012/04/sobre-demonizadores-do-sexo-oposto.html

Bruna B. disse...

" Alec disse...
Mascus quase nem existem mais, tudo aquilo foi uma modinha passageira. Só uns gatos pingados é que ainda frequentam seus blogs.

O problema da Lola é fazer de uma gota um tsunami."


Alec, pelo jeito você não tem facebook, twitter, orkut... enfim. Porque eu fico abismada com a quantidade de mascus, misóginos, homofóbicos e babacas que encontro nessas redes sociais. Eles não são minoria, são maioria (infelizmente).

Anônimo disse...

Poxa, o cara começou tão bem né...

"O primeiro passo pra você deixar a timidez pra trás é começar a amar a si mesmo. Aprender a reconhecer suas qualidades, aceitar seus defeitos e saber perdoar seus erros. Ninguém é perfeito cara, todo mundo tem defeitos e erra. É assim que crescemos e amadurecemos. Não tenha medo de errar, a vida é assim."

Exatamente! Eu já tava cheia de esperança...por que ele não parou aqui? Por que ter que acrescentar tanta baboseira?

Mas não...na segunda parte o mascu conselheiro provou que não aplica nada daquilo que ele aconselhou na primeira parte. Em vez tentar viver com mais leveza, desencanar, não, ele passa de um extremo a outro. E continua preso ao mesmo círculo vicioso. O cara é emocionalmente fraco, tem que ficar diminuindo os outros e dissimulando pra ter a sensação de ser alguma coisa que não é. Incapaz de um convívio saudável em sociedade.

"Você quer uma determinada mulher ? Vai lá e pega. É seu direito como macho fazer isso." e esses mesmos caras vem falar em honra...

Luci

Anônimo disse...

Lola, também acho que é muito tempo gasto com os mascus.
Acho eles uma variação, ou vertente mínima do machismo. Como se fosse o sintôma mais cruel do machismo, mas de longe não representa a maioria, felizmente.
Quando se chega no nível deles, para mim, sinceramente não vale a pena gastar nossas lábias, mentes e escrita pra eles não.
Sério mesmo.

Abraço

Anônimo disse...

Eu não preciso de grandes estudos sociológicos para perceber que as mulheres estão mais presentes no mercado de trabalho: eu vejo isso no transporte público. Nos trens, nos ônibus, no metrô - elas são muito mais numerosas do que os homens. Percebo que há mais mulheres jovens trabalhando do que homens.
Sei que fugi um pouco do tema do post mas o que eu quero dizer é que, nas relações afetivas, como no mercado de trabalho, "quem não tem competência, não se estabelece".


( e verdade cara, hoje mesmo eu passei por uma obra, e a maioria trabalhando era mulher mesmo, assim como a maioria que morrem em acidentes de trabalho, por exercerem funções perigosas e mulher também)

Danielle disse...

Já viu isso,Lola?!
Achei o cúmulo do absurdo :

http://mulherescontraofeminismo.wordpress.com/

E elas tem canal no youtube tb :

http://www.youtube.com/channel/UCRD6ywiNgPP4xgJGzA8m1Pw

Anônimo disse...

Que nojo destes homens machistas, e infelismente eu noto no dia a dia que eles são maioria entre os homens, talvés culpa de nossa cultura latina, que e muito machista, triste.

Por isso e defendo que a misoginia, seja severamente criminalizada, e que se um homem ao menos olhar torto para uma mulher na rua, que va para cadeia !

Danielle disse...

Ah,não é de se espantar que uma das participantes mais ativas do blog seja a esposa do edu testosterona.

nina disse...

Não acho que os mascus são 'só um grupo besta de internet'. Pode ter nesses fóruns loucos aí muito cara que a gente conhece, com quem convive, que se esconde num perfil falso pra falar o que realmente pensa. Porque é triste admitir,
mas provavelmente algum cara com quem eu convivo, repete algumas asneiras consideradas menos perigosas, mas no fundo está pensando exatamente como esses aí. Ele só não fala abertamente, ou só não faz o que realmente acha que é direito dele por medo de ser pego.

E só faz sentido parar de falar em grupos de ódio, quando eles não existirem mais. Até lá, é um longo e tortuoso caminho pra abrir os olhos das pessoas pra verem o que está escondido em discursos supostamente leves por aí.


Bem, minha dica pra um mascu desses seria: se mulher é assim tão inferior e não merece o mínimo de atenção e respeito, parem
de querer se relacionar com mulheres. Vai buscar uma relação de igual pra igual com um homem como você.

Anônimo disse...

COMO FUNCIONA A ARMADLHA MASCULINISTA:
noas vivemos em uma época que passa por mudanças profundas em questão de comportamentos sociais, e muitos garotos estão perdidos nesta transisão, garotos que são criados na frente do computador, do video game, e com pouco traquejo social, que conforme passam pela puberdade, começam a se interessar por garotas, e todos sabemos que as mulheres não estão em um bufft a sua disposição como bem disse a Lola, E natural que se ouça nãos, que se tenha frustrações amorosas, e buscando saber como lidar com isso, o que esta geração "conectada' faz?
procura respostas na net, onde ao digitar palavras com, "como lidar com as mulheres" acaba entrando em contato com o masculinismo, com os escritos de Nessanhan Alita,o que acaba ao invés de lhe dar suporte para lidar com frustrações naturais da vida, acaba plantando semente de ódio ao gênero feminino, e misoginia nestes garotos com personalidade em formação, e infelizmente eles não são poucos como muitos aqui afirmaram, este e um erro de estrategia se quisermos combater este comportamento, e desconstruí lo machista, devemos conhecer o inimigo e não se enganem, seus lideres são extremamentes bem articulados e sabem muito bem distorcer os fatos,e um erro trata-los como debil mentais imaturos somente, pois eles não são, são uma corrente direitista, a batalha e ideológica, e por formar mentes, e isto e muito perigoso, para sociedade fultura, eu prevejo um conservadorismo violento a caminho, talves seja hora de o movimento feminista procurar chegar primeiro as mentes destes garotos, antes que seja tarde !

Elis disse...

Realmente, a existência desse tipo de movimento de ódio desanima, dá cansaço mental ler e reler esse tipo de violência com tanta frequência. Mas não é nem um pouco desnecessário.

Me preocupa um pouco a facilidade com que as pessoas se cansam dessas realidades e culpam quem as denuncia por esse cansaço. Se a Lola "fala demais" sobre isso, a culpa é da Lola? A "culpa" é muito mais de quem tem esse conhecimento e o ignora do que de quem segue denunciando.

Não acho que o suposto tamanho reduzido de um grupo desses desmereça a luta contra ele. A gente nunca sabe que tipo de comportamento gente assim pode incitar. Nunca se sabe quando um louco vai sair atirando numa escola, o que é o worst case cenario, mas tb não se sabe quando vc vai falar não prum maluco numa festa e ele vai quebrar o seu braço por causa desse sentimento de posse sem sentido, aliado ao álcool,aliado a uma mob mentality quando estão em grupo, aliado a não sei mais o que.

Quanto mais se denuncia, mais a gente vê a relação desse tipo de mentalidade com casos reais e cotidianos de violência, e mais fica claro que é um grupo de ódio e que devia ser tratado como tal.

Anônimo disse...

Lolinha, um pouco fora do assunto, mas gostaria que vc fizesse um post sobre cavalheirismo X educação/gentileza. Ultimamente esse assunto tem sido mto discutido na internet e ontem tentei explicar para um amigo, mas foi difícil... Gostaria mto de ler vc falando sobre isso. Grande bj

Sara disse...

me desculpe Lola mas nem considero mais esses mascus como pertencentes a mesma espécie, eles são algum tipo de aberração nociva, e precisam ser detidos urgentemente.
Sinceramente tenho muito mais empatia com qualquer animal até mesmo um rato, do que com esses seres asquerosos.

Marina Rodrigues disse...

Caramba! Haja gente doente nesse mundo! Queria realmente entender o que passa na cabeça dessas "pessoas" (se é que se passa alguma coisa lá)...

Anônimo disse...

Mas como vamos mudar isto? como vamos denuncia-los, se a maioria do judiciario e composta por homens, e a policia e 90 % masculina e patriarcal, se a maioria dos cargos de chefia e de homens, a mídia e controlada por homens, como ?

devemos nos preparar, estudar,nos esforçarmos mais superar os homens nos meios acadêmicos, para ai sim ocupar os cargos de comando na sociedade, e combater verdadeiramente o machismo, a cada dia mais e mais mulheres são mortas e agredidas, e so vamos mudar o sistema, se estivermos no comando, se estivermos elaborando as leis, e não as pedindo para serem elaborada, se estivermos pagando o salario dos policiais, se estivermos demitindo e contratando homens, e não sendo contratadas, a Suecia esta ai para provar o que digo, chega de vitimismos meninas, vamos tomar as redeas de nossa sociedade, e de nossas vidas, através do estudo, e do conhecimento, e os homens machistas, ou se enquadram na nova realidade, ou se excluam e não incomodem o avanço da humanidade !

Bruno S disse...

Eu acho esse tipo de discurso do cara "oldschool" bastante perigoso.

Como disse a Priscila, ele começa com um discurso até interessante. Falando sobre se aceitar, saber que ninguém é perfeito. Até quando fala que as mulheres são tão inseguras quanto.

Essa parte do discurso serve para cativar alguém em situação de desespero e jogá-lo em toda a misoginia que vem na sequência.

Quando o cara perceber queaparte de se aceitar, de saber que o outro tá inseguro, de ter autoconfiança funciona ele acaba levando o discurso misógino "contrabandeado" na peça de autoajuda do cara.

Flaram que se bate demais nos "mascus" e que os caras não são significativos. Podem até ser, mas não podem ser ignorados porque eles fazem uma compilação de grande parte da misoginia que vemos em boa parte dos homens(que nem imaginam que exista tal grupo).

Sil Teixeira disse...

Huan,

Também me sinto assim. Agora eu desconfio de qualquer um, infelizmente. Se vier com esse tipo de discurso eu me afasto na hora. :(

Anônimo disse...

Pra quem acha que a Lola faz muito alarde sobre mascus, é bom dar uma checada no facebook. Essa página mascu aqui, por exemplo, (existem muitas outras por aí) usando de fotos de mulheres semi nuas para conseguir mais seguidores, possui nada mais nada menos do que 378 mil curtidas https://www.facebook.com/OrgulhoHetero.Brasil Então a coisa tá mais feia do que parece. Acho que a Lola tá certa. Tem que expor esses doentes mesmo, senão acabam achando que é festa, que qualquer coisa que fizerem ou disserem tá ok.

Ana disse...

@Leandro
"Não sei qual o problema. O machismo é apenas o homem tradicional... Aliás, o machismo não é misógino, pelo contrário, ele PROTEGE a mulher."

'O machismo protege a mulher'.

Essa tem que ser a coisa mais absurda que já li na minha vida inteira. E olha que já li algumas várias coisas absurdas por aqui.

Leandro, como exatamente o machismo protege a mulher? Explica aí, vai.

"E não sei o que há de misógino noconselho que o cara dá para vencer a timidez. Ele só está dizendo ñ tem q se importa com "pegar mulher", tem que seguir o próprio caminho. Só isso."

Uh, não cara, ele disse bem mais que só isso:

"Dá próxima vez que você ver uma mulher andando veja o que ela realmente é: uma b*ceta ambulante que você vai esvaziar o seu saco. Nada mais do que isso. Não tem motivo pra ter medo, não tem motivo pra se desesperar... Simplesmente vá lá e tome aquilo que por direito é seu"

Boa sorte tentando me convencer de que 'ela é só uma buceta ambulante' não é uma coisa ruim.

"Ué, as próprias mulher que premiam os homens que as tratam assim. Basta observar como o "bad-boys" agem..."

Amigo, grande parte dos comentários aqui são de quem, mesmo?

AH É! DE MULHERES!

Eu quero dizer, o seu argumento é que existem mulheres que gostam de homens que agem assim, certo? Oras, mas tá cheio de mulher que não gosta (vide os comentários). Então assim, é meio complicado você tentar me dizer 'ah, mas as mulheres ditam como os homens agem!', porque (suprise! surprise!) existe mulher com todo o tipo de opinião no mundo. Só não enxerga isso quem não quer.

"Não é apologia ao estupro... Bom, vindo de uma pessoa que acha que impressionar a mulher tirando a camisa sem ela pedir é sinônimo de estupro..."

É, tem razão, arrancar a roupa dos outros sem eles quererem é ótimo jeito de causar uma boa impressão. Quem se importa com a opinião alheia, né? Essa história de consenso... pfftt, frescura! [/ironia]

Ana disse...

@14:30
"Querido, se você não vê misoginia em trechos como "trate (a mulher) como se fosse um pedaço de carne que você vai comer e depois c*gar na privada." pra você essa palavra provavelmente nem existe"[2]

Disse tudo!!!

@Priscila Boltão
"Cara, pior que ele tava indo bem no comecinho, quando disse que o importante é amar a si mesmo e que mudar o lado de fora não muda o de dentro. Quase me deu esperança... daí li o resto e dengrigolou de vez."[2]

A idéia de "amadurecimento emocional" do cara se resume a uma coisa: mulher não é gente.

Tipo, não sabe lidar com mulheres? Seus problemas acabaram!: compre nossa idéia e passe a enxergar só b*cetas! Problemas com humanos, nunca mais! E as dez primeiras ligações levam totalmente grátis um Certificado de Pessoa Altamente Evoluída e Madura, pra você poder fugir do problema e ainda achar que é o máximo!

Mas realmente, é muito mais fácil ignorar completamente o que o outro quer do que aprender a lidar com gente. Transformar todo mundo num bando de objetos sem vontade que você pode usar do jeito que quiser (direito seu, ué) facilita bastante a vida.

Da próxima vez que alguém me incomodar, vou olhar pra pessoa como se fosse meu Notebook... Aí vou poder resolver o problema na base da pancada, dando socos até a coisa voltar a funcionar... igualzinho como faço quando meu Windows trava. #LógicaFAIL

Priscila Boltão disse...

[rasgaçãodeseda]Só parando aqui de novo pra dizer que eu amo os comentários da Ana ok [/rasgaçãodeseda]

Pior que eu acabo nem querendo ler direito os comentários aqui. Tem horas nessa vida que prefiro botar os dedos no ouvido e cantar bem alto e fingir q gente ruim não existe. Infelizmente, como já apontou a feminista cansada no tumblr, "o ruim de ser feminista é que não dá pra desvirar". Você não consegue voltar àquele ponto de ingorância que você nem sabia que misoginia existia.
MAs eu continuo tendo uma pontinha de esperança a cada uma que vejo que concorda, que isso q a gente acredita é importante, que essas coisas tem q denunciar e que a gente ainda precisa de feminismo.
(Embora eu esteja querendo fazer um cartaz padrão pra usar na proxima marcha das vadias, onde se lê "I can't believe I still have to protest for this shit.")

Carolina Lucas Paiva disse...

@Ana

Ele não só chamou de buceta ambulante, como disse que é super normal e honrado tratar a mulher como ser inferior, e não como um ser humano igual a ele.
E depois não é misoginia isso, né...

Anônimo disse...

Será mesmo que os mascus tiram estes ressentimentos do nada ou nós mulheres somos colaboradoras com o machismo de uma forma geral?

http://www.youtube.com/watch?v=elEraRMvosI

Ana Lucia

Leandro disse...

Mas casar por separação de bens não evita que a mulher use da máquina estatal para extorquir metade do patrimônio do marido. Eu tenho um colega de trabalho que se casou por separação de bens, a mulher pediu o divórcio e mesmo assim e mulher pediu o divórcio e ficou com metade do patrimônio. Não tem jeito, só desestatizando o casamento...

E não é piada. O machismo protege a mulher. O machismo evitou que a mulher tivesse transtornos como dupla jornada (como corre atualmente). Afinal, ela ficava em casa, cuidando dos filhos, enquanto o homem tinha que trabalhar duro para prover sustento à família, e tinha que cuidar bem de sua mulher. Meu avô me contou como era o machismo antigamente: trabalhe duro e cuide bem da sua mulher. Fique preparado pra dar sua vida a ela. Olhe a boca na frente de uma dama. Ofereça seu lugar, mesmo que ela seja uma estranha. Se a desrespeitar pode tomar uma surra. Toque nela que você está morto.

"Amigo, grande parte dos comentários aqui são de quem, mesmo?

AH É! DE MULHERES!

Eu quero dizer, o seu argumento é que existem mulheres que gostam de homens que agem assim, certo? Oras, mas tá cheio de mulher que não gosta (vide os comentários). Então assim, é meio complicado você tentar me dizer 'ah, mas as mulheres ditam como os homens agem!', porque (suprise! surprise!) existe mulher com todo o tipo de opinião no mundo. Só não enxerga isso quem não quer."
- Sim, grande parte dos comentários aqui são de mulheres, mas eu não acredito no que vocês dizem, mas na maneira como vocês agem. Todas dizem que gostam dos "bonzinhos", dos "românticos", mas desprezam estes (e usam da carências e do apego destes coitados), enquanto dão o melhor pros tipos que tratam vocês como meras "bucetas ambulantes" e "um pedaço de carne" (vide Alexandre Frota que disse que "em mundo perfeito as mulheres poderiam ser compradas em um açougue", e não falta mulher pra ele). Aqui mesmo, num post sobre "friendzone", várias mulheres disseram que preferem transar com homens que agem assim. Teve uma (se não me engano foi uma tal de Beatriz) que admitiu ser molhadinha por um "cafajeste". E se contradisse: primeiro reclamou de homens que fingem ser amigos, que são mentirosos, depois disse que gostava de um cafajeste que até prometeu casamento. Ainda assim idolatrava o sujeito (pra ela era um "fofo", um "cavalheiro", tenho a impressao de que ela ainda tá molhadinha pelo cafa). Ou seja: gostam ou não de homens que mentem?
Em tempo: pode não ser todas que gostam de homens assim (não sei se é 40%, 50%, 70%). Mas é em número mais do que suficiente para estes tipos se fartarem de mulher.

Carol disse...

Ah, esses mascus...
Amiguinhos, cavar um buraco e se enterrar nas profundezas da "matrix" não te liberta dela.

Apesar do medo, é difícil levar a sério uma coisa dessas. Quando eu descobri a existência dos mascus, perguntei pra um amigo se era piada, ou se realmente eles levavam isso a sério. Até hoje não sabemos...

Anônimo disse...

Cara Danielle

Fiquei CHOCADA de saber que um verme misógino, ridículo e horroroso como aquele "Edu Testosterona" tem mulher.
Não me levem a mal, mas, esta mulher achou a "v..." no LIXO e a alto estima dela tá na LAMA. Ô mulher sem amor próprio viu?!



Sawl

Anônimo disse...

Não sei o que é MAIS RIDÍCULO E DOENTIO se são os mascus que não passam de um bando homens recalcados, mal amados, misóginos que só conhecem o ÓDIO às mulheres, ou certas mulheres machistas que fazem blogs e comunidades no face contra as representantes do seu próprio sexo! É muito patético!
Este povo(homens e mulheres machistas) tinha que se conhecer, casar (de preferência NÃO procriarem, para não gerarem pessoas cheias de ódio como eles), serem felizes(da forma deles) e deixarem homens e mulheres inteligentes e saudáveis em PAZ!


Sawl

Sara disse...

Outra coisa que irrita p caramba é uns Zé-manes que vem aqui, repetir a ladainha que a Lola não devia falar desses caras, ou pior q ela ta vendo pêlo em ovo denunciando esses criminosos, q ela ta cansando em falar deles e outras aboboras desse genero.
Pô meu, o que tem de pior para se denunciar em um BLOG FEMINISTA, do que esse tipo de canalha que fica propagando ÓDIO contra nós mulheres?????
Ainda mais com a violência contra a mulher atingindo niveis de assustar, como ja esta.
De q assunto essa TCHURMA quer falar que seja mais relevante q esse????

nanachan290 disse...

Realmente, os mascus sabem como deixar a calcinha de uma mulher molhada... de tando rir.

Laurinha (Mulher modernex) disse...

O problema desse tipo de discurso é mesmo a misoginia, porque até então, não haveria nenhum problema em dizer pra pessoa confiar em si mesmo, se gostar, não endeusar alguém que lhe interessa, não ter medo de dizer o que pensa, enfim, sou a favor desse tipo de discurso, tanto pra homens quanto pra mulheres.
O que não entendo, é que pra aumentar a confiança de um homem hétero, ele precise enxergar mulheres como lixo, como buracos ambulantes. Tem ressentimento demais em um discurso como esses. Um cara que diz coisas assim, não é indiferente à mulheres como tenta aparentar ser, pelo contrário, tem é muito sentimento aí, só que apenas os negativos.
Não dá pra ser confiante e feliz enxergando mulheres como seres humanos?

Talita Figueiredo disse...

Off topic: desculpe por fugir do tema, mas achei que vc pudesse querer ler a última entrevista da Sara Winter ao Opera Mundi. O jornalista fez boas perguntas, pressionou mesmo. A Sara teve q "rebolar" pra explicar mta coisa. Vai lá: http://operamundi.uol.com.br/conteudo/entrevistas/24457/feminismo+no+brasil+e+elitista+e+hermetico+diz+lider+do+femen+nacional.shtml

Ana disse...

@Priscila Boltão
"Só parando aqui de novo pra dizer que eu amo os comentários da Ana ok"

*_* Obrigada!

"o ruim de ser feminista é que não dá pra desvirar". Você não consegue voltar àquele ponto de ignorância que você nem sabia que misoginia existia."[2], [3], [4]... [29.674.738.236.482]

Eu concordo com isso. Muito. Tipo, milhões de vezes.

Depois que a gente descobre o feminismo, o jeito como a gente vê o mundo muda... A gente começa a prestar mais atenção nas coisas, a ser mais crítico com os discursos que encontra... E não tem volta.

Einstein tinha toda a razão...

"MAs eu continuo tendo uma pontinha de esperança a cada uma que vejo que concorda, que isso q a gente acredita é importante, que essas coisas tem q denunciar e que a gente ainda precisa de feminismo."[2]

Falando nisso... Depois de muitas briguinhas em casa (porque minha mãe jura que feminismo é 'fixação'), andei tendo umas surpresas boas esses dias.

Achei mulheres que concordam comigo em relação ao machismo (nenhuma delas feminista, mind you - sinal de que não precisa ser assim tão por dentro das questões de gênero pra se dar conta de que mulheres ainda enfrentam muito preconceito). Ouvi várias histórias envolvendo sexismo com os cenários e personagens mais variados, o que só reflete como o feminismo ainda é necessário.

@Carolina Paiva
"Ele não só chamou de buceta ambulante, como disse que é super normal e honrado tratar a mulher como ser inferior, e não como um ser humano igual a ele.
E depois não é misoginia isso, né..."

Sim! Impossível alguém achar que o discurso desse sujeito não tem nada demais. Quero dizer, se um texto que diz explícitamente que mulher é inferior não é misógino, então o que é?

Daqui a pouco só vai ser misógino/machista quem andar com uma cabeça de mulher enfiada numa estaca ou coisa assim (e de 'mulher honrada', né, porque se for uma 'vadia'... ah, mereceu... ¬¬)

Leio Lola Leio disse...

Qualquer grupo de ódio na internet deve ser denunciado exaustivamente, nesse caso me refiro aos que propagam ódio às mulheres, mas não exclusivamente.

Carol disse...

Tem um masculinista que volta e meia tá no meu ask.fm que se auto-intitula misógino e diz que só a misoginia salva etc. Porém, ao ser questionado, ele diz que misoginia (pra ele) é apenas desprezo às mulheres, e não ódio, pq ódio "é uma forma de amor". Então ele quer simplesmente deixar de se relacionar com mulheres.

Ou algo assim.

nanachan290 disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Nana disse...

Lola, o poder do feminismo é realmente IMPRESSIONANTE! Espia essa matéria na Salon e ria comigo

http://www.salon.com/2012/09/21/rush_feminism_shrinks_penises/

"Rush Limbaugh characteristically stressed the power and importance of feminism on his Thursday show. The firebrand host attributed to feminists (“feminazis” as he puts it) the power to determine the size of male genitalia."

"Scoffing at the idea that air pollution might influence our physical constitution, he stated, “I think it’s feminism… it’s tied to the last 50 years — the average size of [a male's] member is 10 percent smaller than 50 years — it has to be the feminazis, the chickification and everything else.”

tem áudio

Nana disse...

O que eu quero saber é quando finalmente vão criminalizar a misoginia, porque né? Já deu.

Nana disse...

" Então ele quer simplesmente deixar de se relacionar com mulheres.

Ou algo assim."

no fundo é o que todos eles querem fazer sem assumir a própria homossexualidade.

Luiza disse...

Eu só vou resumir essa história em uma expressão:

Mascus, sanctos e outros da mesma laia, é TODO MUNDO CORNO E DOIDINHO PRA DAR O KOO

Beijo, Lolita!

Tati M® disse...

Esse o tipo de criatura que deveria fazer um favor à humanidade e não reproduzir.
Felizmente, nem todo homem é um NEANDERTAL NO CIO.
Ou será que sou eu que tenho sorte de conhecer tanto homem legal?

lovely_vah disse...

Meu primeiro comentário aqui! Já venho lendo esse blog por meses e ajudou a lapidar o meu feminismo aos poucos. Posso dizer que, inicialmente, eu tive um ataque de riso com o "conselho" filosófico do mascu? Com esse nível de ignorância, só me resta rir. Falar na real com ele não rola. Depois, comecei a sentir pena, porque oh meu deus, pobre mascu, precisa se impor sobre a mulherada, não é? Sua vida foi sempre de opressão.
Mas no meio dos meus sentimentos, senti medo também. Medo porque a gente nunca sabe se esse mascu vai continuar "pacífico" assim e não vai partir para o ataque a alguma mulher. O que me acalenta (não muito) é que a quantidade de mulheres mais decididas e independentes está aumentando, mulheres que não aceitam esse discurso dos mascus. No entanto, a misoginia no Brasil ainda é forte.

Espero que o mascu envelheça assim, amargurado e sozinho no mundo.

nina disse...

A gente diz que não vale gastar tempo com eles, mas eles gastam seu tempo escrevendo e tentando convencer mais e mais pessoas por aí. A gente deve simplesmente ignorar?
Desculpa, mas saber que algo acontece, ter como - pelo menos, no mínimo! - falar a respeito, a gente deve continuar.

Quanto seria a quantidade adequada de tempo gasto pra combater um grupo de ódio?
Quantos dias são suficientes?

E 'machismo protege a mulher' uma ova. Machismo não protege ninguém!

Anônimo disse...

Mas porque ? de onde vem todo esse ódio ? será que eles sempre foram monstros ? o que terá escurecido tanto estes corações ?

perguntas, perguntas....

yulia2 disse...

quando que o masculinismo brasileiro vai ser considerado grupo de ódio????

Patty Kirsche disse...

Existe uma cultura de que mulheres são traiçoeiras e usam sexo pra conseguirem dinheiro. Esses mascus são completamente reféns dessa ideologia. Eles agem como se a vida sexual fosse uma luta na qual vence o cara que goza sem perder dinheiro. Deve ser muito cansativo viver assim. Às vezes eu quase sinto dó deles. Quase. O que eu acho curioso é que cada um deles tem uma mãe, mas mesmo assim não têm nenhum respeito pelo gênero feminino. Saber desses caras é um pouco broxante.

yulia2 disse...

o que me deixa mais triste é ver a policia cagando e o mp andando para isso......
sabemos que o engenheiro emerson só foi preso porque ameaçou matança na unb..... somente por isso.
se não fosse isso, estava até agora evacuando suas bizarrices....

yulia2 disse...

Mascus quase nem existem mais, tudo aquilo foi uma modinha passageira. Só uns gatos pingados é que ainda frequentam seus blogs.

O problema da Lola é fazer de uma gota um tsunami.
___________________

mudaram o rótulo , mas não mudaram seu conteúdo podre e fétido....

Anônimo disse...

Patty Kirsche disse...
Existe uma cultura de que mulheres são traiçoeiras e usam sexo pra conseguirem dinheiro
-
perfeito, e cultural !!

Ana Luiza Valério disse...

Eu não entendo isso gente...
São tantas ideias conflitantes mas olha...
Se você alimenta tanto ódio por mulheres por que meu santo vc quer se aproximar de algo que vc considera tão asqueroso?????????????
Nossa acho eu que todo mundo concorda que fugimos pras colinas diante de pessoas e comportamentos que consideramos reprováveis. Esses caras alimentam e retroalimentam ódio quando na verdade o que eles deviam fazer era simplesmente não se aproximar de mulher nenhuma, pelo bem das mulheres obviamente.
Outra coisa que não entra na minha cabeça de jeito nenhum, e que é reproduzida não só nos redutos mascus, é que MULHER gosta de dinheiro, MULHER só fica com quem tem boa aparência, MULHER é interesseira.
Isso não é um comportamento tipicamente feminino e sim dos SERES-HUMANOS EM GERAL, é da nossa natureza ser interesseiro, bajulador, gostar de estar rodeado de "gente bonita".
É o modo de agir de homens, mulheres, trans...........Por que só as mulheres agem assim? E quem não é mulher age diferente?
Conte-me mais sobre a última vez que vc bajulou seu chefe, entrou de graça na "balada top" onde só vai gente bonita, puxou o saco daquele amigo do amigo endinheirado, parou de sair com aquele seu amigo desempregado...

Mordred Paganini disse...

Clara Angeleas disse...
o pior disso tudo é que isso não é doidera não! antes fosse, porque lugar de doido, pra sociedade, é no manicômio. bem que eu gostaria de ver uns mascus usando o modelito camisa de força (aliás, ó ti mo nome de vestimenta para eles, não? combina bem com um "macho alfa"). Isso aí são décadas e décadas de construção de uma imagem deturpada de mulher e de homem no imaginário social... a tal da psicologia evolucionista imbecil (da mesma laia da ciência que explicava o porque dos negros serem inferiores).

_________________________________

Só para explicar que você soou muito preconceituosa e depois de décadas de luta antimanicomial, dá muito desgosto ler uma ignorância dessas, com todo respeito. Lugar de "louco", "doido" "maluco", etc. é na sociedade, como todo mundo.
Trancafiar a loucura é completamente contra os direitos humanos. É uma coisa vergonhosamente medieval!

yulia2 disse...

''Pô Lola, já chega né? Outro posts sobre os mascus?
Já estou cansanda, sinceramente. Os mascus são apenas
um grupo besta de homens inseguros na internet, não um
movimento ou coisa parecida, não faz diferença para mim.
Não são perigosos como os Sanctos, são apenas homens inseguros.''

cansada não..... CANSADO....
ou acha que a gente não se ligou que
vc é homem se passando por mulher?
o atirador de realengo também era um coitadinho
inseguro.....
CADEIA PRA ESSA CORJA!!!

''O que mais vejo por aqui é mais e mais
posts dedicados a eles. Tudo bem um e outro de quando em quando,
mas esse blog está virando cada vez um blog contra os mascus, não um feminista.''

ta com medo de que ???
da pf te pegar???
se está tão INCOMODADO.... porque vem aqui?

''Mascus não vão deixar de pensar o que
pensam porque tem um grupo de feministas
ficam fazendo troça deles. São vão se agarrar mais
ao pensamento preconceituoso que eles têm.''

ta com peninha deles....
entra lá no forum deles , fica por lá e
divirta-se...
a loLA vai continuar denunciando
esses lixos....


''com direitos e deveres,
regras e clausulas determinadas pelo CONTRATO.
Sem o Estado interferir com suas leis de pensão e divórcio.''

bla bla bla bla......
aposto que nunca protocolaram
uma petição via net para pedir isso
porque não propõe isso publicamente???
vcs são uma piada mesmo....
patéticos demais, a vergonha de mostra a cara
é tanta que vcs tem que se limitar a ficar chorando
na net mesmo com essas merdas...

''O machismo é apenas o homem tradicional...
Aliás, o machismo não é misógino, pelo contrário, ele PROTEGE a mulher.''

o machismo MATA a mulher....
é uma aberração... um cancer que tem
que ser extirpado da sociedade para sempre.


''Vivemos numa sociedade em que o homem que exige respeito, fidelidade e transparência de conduta de uma mulher que se comprometeu com ele, é acusado de machista/opressor.''

pode exigir.... mas nada de contrapartida né espertalhão???

yulia2 disse...

''Não sei identificar se o que vemos hoje são mais denúncias do que havia uma década atrás ou se, de fato, não está havendo uma reação distorcida por parte dos homens.''

acho que são as duas coisas....
quanto mais a mulher ascende socialmente,
mais a reação contrária é maior....
trágico


''Acho que eles estão passando dos limites. Deveríamos nos juntar e denuncia-los em massa.''


.... Ainda bem que larguei essa merda,,,,

pode cre... passou da hora... denunciar é uma coisa...
agora , a policia tomar alguma providencia...
a coisa já muda... sabe como é...


''Lola, quando é que você vai fazer um post sobre a Sara Winter ter um símbolo Nazista tatuado no corpo?''

o que a lola tem a ver com isso..???
hahahahah
denuncia vc....


''e verdade cara, hoje mesmo eu passei por uma obra, e a maioria trabalhando era mulher mesmo, assim como a maioria que morrem em acidentes de trabalho, por exercerem funções perigosas e mulher também''

mimimimimimmiimim

Anônimo disse...

Post ridículo vindo de alguém que não conhece nada sobre o movimento da real. Vamos elaborar uma resposta e postar em um dos nossos blogs, senhora lola. prepare-se para ser desmascarada.

lola aronovich disse...

Bom, eu tô sabendo que esses comentários assinados por mascus são fake, e desconfio quem esteja por trás deles (anões dos Chans?). Só vou publicar esses dois, só porque os mascus publicam muita mentira a meu respeito. Quero ver os guerreiros de um real explicarem que o que tá no post (tirado de um fórum deles) não é misoginia. Ou será que eles virão com discurso de “sou misógino mesmo”?


Ah, sobre falar da tatuagem da Sara Winter, sinto desapontar, mas já falei aqui.

Anônimo disse...

lola aronovich disse...
Bom, eu tô sabendo que esses comentários assinados por mascus são fake, e desconfio quem esteja por trás deles (anões dos Chans?).

-
O que e um chan ???

Carolina Lucas Paiva disse...

Leandro, ja que não acredita no que a gente fala, vaza. A recíproca é verdadeira.

Raziel von Sophia disse...

Lola, sinto em desapontar, mas os anões do Bananal ligam muito para aqui não... Se quiser depois te escrevo sobre os chans. ^^

abraços

Ana disse...

@Leandro (I)
“O machismo evitou que a mulher tivesse transtornos como dupla jornada (como corre atualmente).”

Transtorno é você não poder mandar na própria vida.

E se vamos falar de dupla jornada, a gente hoje trabalha e ainda por cima cuida da casa porque muita gente continua atrelada à idéia de que cuidar da casa/de criança é coisa de mulher.

... Onde mesmo que eu vi esse raciocínio antes? Ah, é – no machismo, aquela coisa que associa tanto crianças e serviço de casa à mulher que se um menino ousa brincar de casinha ele é zoado por ser gay.

“Afinal, ela ficava em casa, cuidando dos filhos, enquanto o homem tinha que trabalhar duro para prover sustento à família, e tinha que cuidar bem de sua mulher.”

Pergunta pra qualquer pai que cuida da casa e dos filhos se esse é um serviço fácil.

Longe de mim desmerecer o suor dos homens que ralaram tanto, mas do jeito que você fala parece que só o homem ‘trabalhava duro’, e a mulher ficava em casa na moleza. O que não é verdade.

“Meu avô me contou como era o machismo antigamente”--

Ah, que coincidência. Minha avó também me contava umas coisas, sabe? Como por exemplo o fato de que nem ela nem suas irmãs jamais puderam pisar numa escola, porque o pai achava que estudar era coisa só pra homens. Se elas podiam se opor a isso? Claro! O cinto do meu bisavô esperava por elas, e elas iam apanhar até aprender a ter respeito pelo homem da casa, mas né? Era tudo pelo bem delas, pra não ter que passar pelo inconvieniente de saber escrever o próprio nome.

Ana disse...

(II)
--“trabalhe duro e cuide bem da sua mulher. Fique preparado pra dar sua vida a ela. Olhe a boca na frente de uma dama. Ofereça seu lugar, mesmo que ela seja uma estranha.” --

Antigamente ninguém falava palavrão na frente de uma mulher, e os homens ofereciam seus lugares pra gente... Eu tenho duas palavras: Grande coisa.

Atenção para a revelação chocante: entre não ter que abrir portas e poder mandar na minha vida, eu fico com a segunda opção.

Todo o discurso de que antigamente os homens eram cavalheiros e o caramba é lindo. Mas vamos acordar: Um mundo onde você não pode ir pra escola, ou trabalhar, ou votar, ou se casar com quem quiser não é bom. Não importa se colocam um tapete vermelho pra você no chão, isso simplesmente não compensa todo o resto.

Se um cara te dá uma balinha e depois rouba seu carro, ele não está te agradando – está te roubando. Do mesmo jeito, se um homem abre uma porta pra mim mas se acha no direito de usar meu corpo quando bem entende, ele não está me me mimando - ele está me oprimindo. Uma sociedade que me protege de ‘indelicadezas’ mas leva meu direito de escolha como preço não está me protegendo de coisa nenhuma – só está fazendo da minha vida um inferno.

O mesmo marido que ralava trabalhando ‘pra cuidar bem de sua mulher’ tinha total liberdade pra dispor do corpo dela quando bem entendesse, quisesse ela ou não - e não era nem porque ele era um calhorda, era simplesmente porque tratar mulher como uma posse era absolutamente normal. Mulher não tinha voz nem na hora de escolher como seria sua vida, que dirá na hora do sexo. Isso tanto é verdade que tem gente até hoje que não acredita em estupro marital – porque né, se você assina um contrato de casamento, acontece uma mágica lá na sua vagina e você nunca mais sofre se tiver que fazer sexo contra a sua vontade (Só que não).
Outra coisa que não existia era a proteção contra a violência doméstica – se hoje, com lei Maria da Penha e o escambau, ainda tem cara espancando parceira, imagina como não era quando o marido tinha direito de ‘disciplinar’ a esposa.

Eu podia ficar até amanhã citando o monte de coisa que uma mulher não tinha antigamente e que importa muito mais do que a Grande Vantagem de não ter que lidar com maçanetas. O meu ponto é o seguinte: comparar cavalheirismo com direitos é extremamente desproporcional. Viver num mundo onde você tem um lugar pra sentar mas não tem direito de reclamar se te estupram ou te batem não é bom. #fikdik

Ana disse...


(III)
“Se a desrespeitar pode tomar uma surra. Toque nela que você está morto.”

Hm, tá. Vamos ignorar a parte do raciocínio que diz que se a mulher for dele, o cara pode dispor dela quando e como quiser; e isso não é desrespeito porque ninguém sequer se dá conta de que mulher pode opinar sobre seu corpo. Vamos pular a parte em que a mulher deve respeito ao homem da casa (pai ou marido) e pode apanhar se não souber fazer isso, por questão de ‘disciplina’; porque falar em ‘violência doméstica’ é piada. Vamos pular todos esses ‘detalhes’.

Eu quero chamar atenção pra outra coisa: Essa mulher intocável aí não era qualquer uma, né? Você mesmo usou a palavra – “dama”.

Existia um tipo de mulher que era respeitada, e era aquela que soubesse ser uma boa menina e vivesse sua vida exatamente como a sociedade queria. Pra merecer todo esse respeito e proteção não bastava ser ser gente, não bastava ser mulher, tinha que seguir as regras. Todo esse zelo vinha única e exclusivamente por um preço.

Então assim, menos, bem menos. O cavalheirismo não compensa todas as outras coisas bem mais importantes, e a tal proteção que não deixa ninguém encostar um dedo em você vem com um monte de notas de rodapé. Você fala como se antigamente a vida fosse ótima porque a gente tinha um monte de coisa de mão beijada – só que oi, nós pagavámos um preço ultra alto por isso.

Além disso, talvez eu deva lembrar que gentileza e integridade física não são luxos? Ninguém devia ter que ser “uma dama” pra merecer que sejam educados e não lhe machuquem. Essas coisas não são moeda de troca, elas são necessárias pra vida em sociedade e deviam vir de graça pra tod@s.

Enfim, machismo é uma ótima oferta... pra quem acha que liberdade é uma coisa supérflua que pode ser compensada com gentilezas.

Eu digo não, obrigada.

Anônimo disse...

Ai gente.

Eu me divirto.

Ok, não me divirto porque é tudo muito deplorável. Mas que sai cada pérola nos comentários, sai.

Leandro,

Diga-me como você quer que o casamento funcione doravante. Sua idéia é que uma vez assinado o contrato ele não poderia ser rescindido? Assim, nunca? E como ficam os filhos? Eles não podem receber pensão? Divorciou a mãe é quem cuida? Tipo isso? E se o Estado não pode se meter no casamento, ele estaria de agora em diante liberado para os gays? Ou NISSO o Estado tem que se meter?

Estou curiosa para ver os detalhes dessa declaração genial.




Clara Angeleas disse...

@Mordred Paganini, olha, desculpe, mas achei que ficou claro que quando eu disse "antes fosse, porque lugar de doido, PRA SOCIEDADE, é no manicômio" que as pessoas entendessem que é pelo julgamento do PADRÃO VIGENTE. não acho que lugar de "doido" é no manicômio, ok? até porque, o que é doido pra você? o que é doido pra mim? o que é doido pra sociedade? por isso mesmo que defendo que eles NÃO SÃO DOIDOS. são fruto da sociedade em que estão inseridos. achei que isso tivesse ficado claro...

Ana disse...

@Leandro
“Sim, grande parte dos comentários aqui são de mulheres, mas eu não acredito no que vocês dizem, mas na maneira como vocês agem.”

... Então basicamente, não importa o que eu te diga, você não acredita. E eu não tenho como provar que realmente vivo assim. Hmmm.

A gente tá tendo essa conversa porque, mesmo?

“Todas dizem que gostam dos "bonzinhos", dos "românticos", mas desprezam estes (e usam da carências e do apego destes coitados), enquanto dão o melhor pros tipos que tratam vocês como meras "bucetas ambulantes" e "um pedaço de carne" (vide Alexandre Frota que disse que "em mundo perfeito as mulheres poderiam ser compradas em um açougue", e não falta mulher pra ele).”

Eu podia dizer pra você que eu não sou assim, e que conheço mulheres que não são assim, mas você não acredita, então...

“Aqui mesmo, num post sobre "friendzone", várias mulheres disseram que preferem transar com homens que agem assim. Teve uma (se não me engano foi uma tal de Beatriz) que admitiu ser molhadinha por um "cafajeste". E se contradisse: primeiro reclamou de homens que fingem ser amigos, que são mentirosos, depois disse que gostava de um cafajeste que até prometeu casamento. Ainda assim idolatrava o sujeito (pra ela era um "fofo", um "cavalheiro", tenho a impressao de que ela ainda tá molhadinha pelo cafa). Ou seja: gostam ou não de homens que mentem?”

Uh, mas porque você tá perguntando? Você não acredita na resposta! XD Véi, isso não faz sentido nenhuuuuum...

“Em tempo: pode não ser todas que gostam de homens assim (não sei se é 40%, 50%, 70%). Mas é em número mais do que suficiente para estes tipos se fartarem de mulher.”

Bom Leandro, então a gente chegou num (possível) consenso: Nem todas as mulheres gostam de homens assim. Você admitiu, né, que pode não ser todas e tal.

Agora se você me permite corrigir o seu discurso de antes: os caras que agem assim não são assim porque ‘as mulheres querem’ - As mulheres não são todas iguais, existem mulheres que gostam de homens diferentes. Então vamos colocar os pingos nos i’s: Se um cara quer ser um “cafa” pra agradar mulheres, não é por obrigação, “porque as mulheres querem”, “porque esse é o único jeito de conseguir garotas” - É por escolha própria.

Contanto que não seja 100% o nº de mulheres que gostam de neandertais (e acredite você ou não, esse número é bem menor que 100%); não há uma desculpa suprema pra ser um boçal.
Ficar nessa de “ah, eu até seria bonzinho, porque acho o que os cafas são muito escrotos; mas sou forçado a fazer essas coisas que não aprovo porque as mulheres querem” é uma desculpa muito da esfarrapada. Se um cara adota o comportamento “cafa” porque acha que isso vai atrair as mulheres, não é porque as Mulheres Malvadas o forçaram a isso - É porque ele topa qualquer estratégia não importa o quão escrota ela seja. É porque ele não tem autonomia o suficiente pra dizer “E daí se ele conquistou mulheres, EU não acho bom o que aquele cara fez, então não vou reproduzir”.

Pronto, falei.

Minerva Meirelles disse...

Isso pode parecer ridículo da minha parte mas eu tive pena do cara... Pode parecer clichê escrever isso, mas ele (e aposto que muitos que compartilham dessas ideias sexistas nojentas) são homens com baixo auto-estima, com sério problemas de auto-coonfianca e são misógenos porque tem medo de mulheres. Estava vendo uns dados de uma pesquisa bem antiga, mas extremamente significativa, de quê acima dos 30 anos 4 entre cinco mulheres conseguiam citar pelo menos um amigo(a) íntimo enquanto a média dos homens era de 1 pra 5 (não lembro se eram exatamente esses números, porém semlhante . Eu fiquei realmente triste com isso, é deprimente pensar que noós vivemos num sistema que condena as mulheres a opressão e os homens a um desenvolvimento psicologicamente solitário e infeliz. Sei lá, parece que pelo menos no âmbito emocional o pratiarcado fode mais com os homens bastante com os dois lados... Óbvio que não se deve passar a mão na cabeca deles por isso, mas acho que talvez ajude a compreender melhor..

L. disse...

Ai, Ana, obrigada. Tô até pensando em dar um Ctrl+C nessas suas últimas postagens para a próxima vez que alguém tiver a cara de pau de vir dizer que ter portas seguradas (...para que o cavalheiro aprecie a bunda, rs) é uma compensação justa por ter de escolher entre se encaixar em um papel rígido e degradante ou virar uma pária social sujeita a todo tipo de abuso. Fique com seu cavalheirismo, que eu prefiro ficar com meus direitos humanos.

Anônimo disse...

Sawl, o cara é casado com a acidgirl. Tá explicado...kkkkk




Sphynx disse...

Certa vez eu tive uma discussão com a Raziel, quando ela ainda era do meio masculinista, e falei que eles também são, de certa forma, vítimas do machismo, o das pessoas que eles conhecem e principalmente do próprio.

Por que eu acho isso? Vou dizer, correndo o risco de esse comentário ficar com tamanho de tratado, hehe. Enfim.

Tudo que a Lola "cola" dos blogs mascus, como também o que eles mesmos postam aqui repetidamente nos comentários, deixa uma coisa clara e totalmente fora de dúvida: eles são assim porque tiveram algum problema de relacionamento com mulheres, e saíram achando que todas são maquiavélicas manipuladoras emocionais, ou então não conseguem iniciar um relacionamento com nenhuma e acham que isso acontece porque todas preferem os "alfas" os "bad boys", e não caras bonzinhos, corretos e cumpridores da lei como eles. E por isso, no raciocínio deles, para conseguir mulher eles precisam botar uma armadura de Darth Vader e ser o mauzão sem emoções que não valoriza ninguém.

Mas por que eles querem tanto uma mulher, se acham que nenhuma presta e que ficariam muito mais em paz sem conviver com essas manipuladoras terríveis?, pergunta-se. O meu palpite é o de que isso acontece simplesmente porque todas as ideias machistas de que eles são cercados e com as quais eles foram criados (se não na família, pelos amigos ou pela mídia) faz com que eles se sintam uns merdas perdedores e inferiores por não serem bons o suficiente para atrair as mulheres, que supostamente gostam mais dos "vagabundos". E que isso faz deles menos machos.

Eu me arrisco até a dizer que muitos deles de fato gostam mais de homem que de mulher (basta ver como praticamente se derretem quando falam do ideal deles de "macho-alfa", eles falam como se fosse o que eles querem ser mas pra mim soa muito mais como o que eles querem ter na cama), mas, outra vez, não podem e/ou não querem assumir isso porque, na mentalidade machista, a homossexualidade é a única vergonha maior do que ser virgem. São as duas grandes nóias dos machistas, ainda mais os adolescentes e jovens adultos.

Inclusive, acho bem possível que os mais desesperados para "usar" (no termo técnico coroneljesuinístico) uma mulher sejam aqueles que querem a qualquer custo provar uma heterossexualidade que não têm. Mas acham que precisam ter para mostrar à sociedade. Um indício disso é que eles, a julgar por tudo que dizem, não querem uma mulher para conviver, mas para exibir como troféu para os outros.

Ora, se o que eles quisessem fosse só sexo, convenhamos, até as moscas fazem, não é possível que um homem que realmente queira não consiga, ainda mais com a prostituição sendo tão alarmante. Não, o caso deles é muito mais de satisfação moral que física, de auto-afirmação. A auto-estima deles está na cova e o masculinismo se apresenta como uma cura milagrosa.

Talvez se eles soubessem que a maioria das pessoas na verdade não acha que eles são uns fracassados de bosta por não terem mulher, ou por serem virgens, ou por terem sido trocados por outro cara, ou por preferirem outro cara, mas que podem passar a achar isso - e nesse caso com bastante razão - no momento em que eles começam com os papos machistas e misóginos, quem sabe não fossem masculinistas e nunca tivessem sido.

Mas quem sabe. Todo mundo tem seu ritmo de desenvolvimento emocional e intelectual. Vai que um dia, cedo ou tarde, eles percebem que o machismo que eles defendem é pior pra eles mesmos também.

Drica Leal disse...

Ana, te aplaudo de pé! Disse tudo o que sempre pensei sobre essa ladainha que vem sendo repetida por homens e mulheres ultimamente que diz que o feminismo acabou com o cavalheirismo. Essas pessoas nunca pararam pra pensar o que significa cavalheirismo?

Uma pessoa gentil, disposta a fazer algo bom por outra pessoa, faz porque quer fazer, não precisamos desse código de honra chamado cavalheirismo pra dar ou receber gentilezas. Quem é gentil é e pronto. Me irrita profundamente tanta gente não raciocinar sobre as entrelinhas desse pacto social chamando cavalheirismo, onde o mesmo nobre homem que poupava a delicada dama de abrir portas ou puxar a própria cadeira tinha o DIREITO de agredi-la ou até mesmo matá- la caso ela o desobedecesse ou o "desonrasse".

É, o cavalheirismo era mesmo muito bom para as mulheres! Tudo o que a mulher tinha que fazer era abrir mão do desejo de ser um ser humano autônomo e pensante e em troca era sustentada e recebia gentilezas dos homens. Bons tempos aqueles...

Rose disse...

Eu tenho observado um tipo de masculinismo que faz intimidação e ameaça velada. Não me refiro ao machismo diário, disfarçado, mas algo mais ameaçador. Eu percebo, por exemplo, em casos de violência de gênero uma certa justificativa plausível aos olhos da sociedade. Como se a mulher denunciando, fica a mercê da fúria do homem.
existe um termo cada dia mais comum entre as espanholas que define bem essa ideia. elas chamam de Terrorismo de gênero, acho que é isso que os mascus fazem. E não me refiro apenas aos mascus da ~real matrix do sagrado eletrodomestico~. Eu me refiro aos jornalistas, aos juristas, aos humoristas, teólogos, cientistas etc etc etc.

lee disse...

Tempos atrás eu achava que a Lola exagerava a questão dos mascus. Na verdade, considero eles bem diferentes do machismo mainstream,,mas existe alguns pontos de contatos.E agora,com as feministas ganhando um espaço na mídia tradicional, não sei... O discurso deles é contraditório (não tem nem coerência interna, as vezes um texto no mesmo blog contradiz o outro).E por outro lado sinto pena, dá para notar que é um grupo de homens tão perdidos emocionalmente e afetivamente. De qql forma vou prestar mais atenção,o contexto atual talvez peça isso

ta´-chan disse...

Conheço alguém que deve frequentar esses fóruns.
Ele é um cara muito legal quando não está stalkeando alguma garota bonita.Ele é um tanto nerd, tem boa aparência sabe conversar tem um papo muito legal!Esse cara é meu amigo há vários anos, nos conhecemos no ensino médio, e desde sempre vejo ele correndo atras das garotas "legais" aquelas que são as magrinhas gostosas tem cabelo liso loiro rosto delicado falam com voz de menininha...enfim as princesinhas.Serio ele se transforma quando está atras de uma menina assim!Fecha a propiá vida para servir a garota, não tem tempo para sair e se divertir com os amigos, faz os trabalhos de faculdade da pessoa, leva o cachorro dela pra passear, vende a alma se for preciso.Pra no final a menina dizer que o caso deles não tinha nada a ver com atração física ela só poderia vê-lo como amigo...Ai ele acha que toda mulher é interesseira só quer saber se o cara tem carro se o emprego dele paga bem se ele tem corpinho definido...Super deprimente ver meu amigo assim.
Em compensação tem uma moça do no grupo de RPG que SUPER afim dele e todo mundo incluindo ele sabe.Falo com ele sobre dar uma chance pra garota que é uma pessoa super bacana bonita e inteligente tem vários interesses em comum...Ele na cara mais limpa vem e me diz que é porque ela é pouco feminina!!!!tipo a gente sai ela toma chopp!Isso é coisa de homem pra ele!Ela não esta nem acima do peso mas como qualquer mortal tem uma barriguinha, não faz as unhas pq trabalha numa fabrica de joias,pra ele ela serve como amiga mas é uma baranga..

Esse deve ser o caso desses dai,querem as princesas do colégio, da facul mas elas tem seus própios padrões e não são obrigadas a ficar com alguém só pq ele é legal com elas.Olham tanto pra elas que se esquecem de quem tá em volta.Se acham merecedores de tudo e muitas vezes não querem dar nada em troca..

Muito triste isso.

Mordred Paganini disse...

@Mordred Paganini, olha, desculpe, mas achei que ficou claro que quando eu disse "antes fosse, porque lugar de doido, PRA SOCIEDADE, é no manicômio" que as pessoas entendessem que é pelo julgamento do PADRÃO VIGENTE. não acho que lugar de "doido" é no manicômio, ok? até porque, o que é doido pra você? o que é doido pra mim? o que é doido pra sociedade? por isso mesmo que defendo que eles NÃO SÃO DOIDOS. são fruto da sociedade em que estão inseridos. achei que isso tivesse ficado claro...

__________________________

Sim, eu também defendo que eles não são doidos.
Mas seu comentário foi ofensivo, sim. Você não pareceu discordar da "sociedade" em nenhum momento. E ainda mandou um "antes fosse", como se realmente fosse natural trancafiar a loucura. Isso fora naturalizar um INSTRUMENTO DE TORTURA (camisa de força).
Não dá pra ser feminista e olhar apenas a própria opressão.

yulia2 disse...

Em compensação tem uma moça do no grupo de RPG que SUPER afim dele e todo mundo incluindo ele sabe.Falo com ele sobre dar uma chance pra garota que é uma pessoa super bacana bonita e inteligente tem vários interesses em comum...Ele na cara mais limpa vem e me diz que é porque ela é pouco feminina!!!!
___________________________

é... depois o babacão chora e fica falando de
friedzone.....
eles choram choram choram..... mas na hora
de escolher mulher ,só aceitam as panicats.....
quando não conseguem , choram e falam que estão
na friedzone bla bla bla que é legal e deveria em troca
ter sexo com elas.. e mais choradeira.... aposto que ele já veio com
uma conversa dessa pra vc.....

muito trouxa.... quero ver o dia que essa garota arrumar outro cara
ai ele vai ficar desesperado.. sem panicat e sem a mina que gostava dele.

Mordred Paganini disse...

Texto perfeito sobre o assunto:http://papodehomem.com.br/homem-que-diz-que-homem-bonzinho-so-se-da-mal-so-se-da-mal/

Aqui vai um trecho genial:

"O bonzinho não sabe, nem intui, que tratar as mulheres como rainhas-princesas-deusas é quase tão objetificante quanto tratá-las feito um pedaço de carne. Ele ainda acha que as mulheres são seres de Vênus e que deve reverenciá-las, e nunca as trata como seres pensantes e iguais.

O bonzinho ainda cai na lenga-lenga do “friendzone”. Quem fica ofendidinho por ser amigo de uma mulher e acha que sexo é o contrário de amizade está longe de ser bonzinho.

O bonzinho costuma se surpreender se todas aquelas contas do restaurante, todas aquelas portas abertas, os rapapés, as noites escutando os problemas dela, todo esse “sacrifício” que ele fez “porque eu sou legal”, não são pagos em dobro com um par de pernas abertas e amor eterno."

Outro:

"Por não saber expressar seus limites, o bonzinho acaba atraindo e se relacionando com mulheres também manipuladoras que se aproveitam dele, o que acaba por reforçar essa visão de mundo maniqueísta e estreita. Ele ainda não entendeu: não é que todas as mulheres sejam vacas, só as que aturam ele."

Cristina Moreira disse...

"Mas seu comentário foi ofensivo, sim. Você não pareceu discordar da "sociedade" em nenhum momento." achei que não precisasse colocar em letras garrafais "OLHA GENTE EU NÃO CONCORDO COM INTERNAR PESSOAS CONSIDERADAS LOUCAS, VIU? ESTOU SENDO I RÔ NI CA - I ERRE Ó ENE I CÊ A". e, mesmo assim, depois de ter postado outro comentário dizendo que NÃO CONCORDO - inclusive pedindo desculpa - você ainda afirma que não foi uma crítica, então, realmente, fica difícil um diálogo.

"E ainda mandou um ´antes fosse'. como se realmente fosse natural trancafiar a loucura. Isso fora naturalizar um INSTRUMENTO DE TORTURA (camisa de força)." eu dexei bem claro - pelo menos no meu segundo comentário - que é de acordo com a sociedade vigente. porque ninguém vê os macusculinistas como loucos - pelo contrário. quando houve "exposição" do masculinismo na mídia, foi da forma mais leve possível. não foi como misoginia. não foi como ódio a uma parcela significativa da sociedade.

"Não dá pra ser feminista e olhar apenas a própria opressão." bom, se você quis definir assim, com o perdão da palavra, o problema é todo seu.

Clara Angeleas disse...

opsssssssss, postei o comentário de outro computador e ele foi com o login errado oO é Clara Angeleas ali em cima

B. de Campos disse...

Será que eles pensam a mesma coisa das próprias mães?...

Cara, detestar um gênero inteiro dessa forma é como odiar o nitrogênio! Não tem lógica, explicação, motivo...

Algum(a) psicanalista leitor(a) do blog pode nos dar algumas considerações, por favor?

Anônimo disse...


"Por não saber expressar seus limites, o bonzinho acaba atraindo e se relacionando com mulheres também manipuladoras que se aproveitam dele, o que acaba por reforçar essa visão de mundo maniqueísta e estreita. Ele ainda não entendeu: não é que todas as mulheres sejam vacas, só as que aturam ele."

Exato, alguem precisa chegar nele e dizer:
Vai lá otário, manda mais uma mensagem, como se ela não tivesse recebido todas as suas trezentas mensagens anteriores. Enche a caixa de entrada do celular dela, como se esta obsessão doentia fosse fazê-la sentir algo por você além de nojo. Nojo do teu exagero, nojo do seu tipo, nojo de quem insiste em dançar sem musica, sem ritmo, sem dança, sem pista, sem par. Que tal se valorizar?

Sphynx disse...

"ta´-chan disse...
Conheço alguém que deve frequentar esses fóruns.
Ele é um cara muito legal quando não está stalkeando alguma garota bonita."


Eu conheço um exatamente assim, que se enquadra em todo o resto dessa história (sempre foi "friendzoned" pelas garotas que ele gostava e também parece se interessar só pelas "populares") e um dia desses mesmo vi que ele frequenta o Testosterona. Não por acaso ele compartilhou do blog uma frase que era algo como: "Quem tem o dinheiro tem o poder, quem tem o poder tem as mulheres", do filme Scarface.

Mordred Paganini disse...

Clara Angeleas:

Não, não tinha ficado claro. Ao invés de ficar alimentando uma animosidade que não faz sentido, seria mais construtivo sim pedir desculpas pelo comentário ofensivo. Sem "sarcasmo", "ironias", etc.

Seria mais construtivo para você, como ser humano, rever sua postura e pensar se o que você disse realmente não dá margem a pensamentos preconceituosos.

Nenhuma classe de ser humano é mais marginalizada em nossa sociedade do que os "loucos".

Não há uma boa definição do que vem a ser loucura. As pessoas não sabem exatamente o que é, mas temem. E esse temor, produzido historicamente, é o que justificou e justifica até hoje a segregação dessas pessoas.

No seu segundo comentário, eu entendi que você não acha que loucos devem ser detidos.

Não é esse o problema, mas sim o fato de que o seu comentário dá margem à interpretações que justificam esta ignóbil opressão.

Aqueles que percebem a realidade de maneira distinta são apenas seres humanos. Nem mais, nem menos perigosos do que qualquer um de nós.

Atualmente, no Rio de Janeiro e em outros lugares, pessoas são recolhidas e colocadas em depósitos de gente por conta dessa produção de "periculosos". (e sim, fazer piada com camisa de força e eletrochoque por exemplo, é tão opressivo quanto piadas de estupro)

Mas eu não acho que tampouco os mascus devam ser trancafiados.

Essas pessoas (os mascus) precisam sim de cuidado. São seres humanos com alto nível de sofrimento psíquico e possivelmente eles podem vir a machucar/matar pessoas em função disto.

Mas como lidar com isto? Até agora eu não tenho uma resposta satisfatória. Não dá para cuidar de alguém compulsoriamente (ao contrário do que acha o tal do Eduardo Paes), mas se não tivesse jeito, eu jamais teria cursado psicologia.

Eles não são "incorrigíveis", mas o machismo os faz cegos para o quanto de opressão eles também sofrem.

Mas enfim, não é com prisão nem camisa de força. Precisamos de alternativas humanistas para enfrentar estes problemas.

E sinceramente? Acho até bom que os mascus estejam aqui. Quer dizer que em algum nível eles se importam com o que é dito aqui por nós e eventualmente, podemos fazê-los enxergar a própria opressão. Mas é trabalho de formiguinha.

Talvez por isso eu seja tão paciente às vezes com eles. Eu tenho fé! (e haja fé, convenhamos)

Ju disse...

Lições de como acabar com um mascu by @Ana:

"Era tudo pelo bem delas, pra não ter que passar pelo inconvieniente de saber escrever o próprio nome."

"Atenção para a revelação chocante: entre não ter que abrir portas e poder mandar na minha vida, eu fico com a segunda opção."

"O meu ponto é o seguinte: comparar cavalheirismo com direitos é extremamente desproporcional. Viver num mundo onde você tem um lugar pra sentar mas não tem direito de reclamar se te estupram ou te batem não é bom. #fikdik"

Sou sua fã, Ana! Bju!

Ju disse...

"Era tudo pelo bem delas, pra não ter que passar pelo inconvieniente de saber escrever o próprio nome."

"Atenção para a revelação chocante: entre não ter que abrir portas e poder mandar na minha vida, eu fico com a segunda opção."

"O meu ponto é o seguinte: comparar cavalheirismo com direitos é extremamente desproporcional. Viver num mundo onde você tem um lugar pra sentar mas não tem direito de reclamar se te estupram ou te batem não é bom. #fikdik"

Sou sua fã, Ana! Bju!

Liana hc disse...

Excelentes os comentários da Ana sobre as supostas "vantagens" do cavalheirismo em detrimento da autonomia feminina.

Toda vez que alguém vem com esse papo de que "antigamente era melhor, havia mais respeito, menos violência etc", eu pergunto melhor para quem, o que pode ser melhor do que ter direitos sobre a própria vida. Viver numa gaiola dourada não é vantagem nenhuma, e opressão também é violência, pior ainda se isso começa no berço e se torna um valor básico para tratar metade da população. Além disso, a realidade da maioria das mulheres não tinha nada de dourada, nem externamente. Para muitas, a vida era bem rude.

Leandro disse...

Pois é, vivem falando que a vida da mulher nos anos 50 era um inferno. Mas várias pesquisas e estudos revelam que as mulheres estão mais depressivas e infelizes hoje do que antigamente. Claro! Viram que a vida no ambiente de trabalho não era uma maravilha. E hoje vivem depressivas, reclamando de dupla jornada, transtornos no trabalho, etc.

Agora, vamos parar pra analisar um pouquinho a História. Hoje em dia, as fábricas são mais automatizadas. Com o desenvolvimento do setor de serviços, o trabalho foi ficando mais leve, e hoje temos condições de trabalho bem melhores. No passado, não havia nada disso. O setor de serviços quase inexistia. Tecnologia rudimentar. A maioria dos serviços antigamente eram trabalho sujo, braçal, pesado e em condições de trabalho degradantes. Vejam de que as mulheres no passado eram protegidas. Então, a mulher ficava em casa cuidando dos filhos; e o homem ia trabalhar duro, de sol a sol, num trabalho pesado, braçal e em condições de trabalho degradantes. Este contrato foi uma maneira muito inteligente de manter uma sociedade razoavelmente civilizada num diícil e perigoso de se viver. Pensem nisso, mulheres. Como a vida das mulheres e crianças no passado sem aquele contrato? Hoje em dia, mesmo em condições de trabalho melhores, vocês não aguentam o tranco. Imagine trabalhar naquele serviço e naquelas condições de trabalho antigas.

Eu não vou negar que muitos homens antigamente, tratavam a mulher como lixo. Mas parafraseando o nosso ex-presidente: "nunca na historia deste país" houve tanta mulher vítima de violência doméstica como há hoje.

Agora vamos desfazer alguns mitos sobre a vida no passado.
"o fato de que nem ela nem suas irmãs jamais puderam pisar numa escola, porque o pai achava que estudar era coisa só pra homens. Se elas podiam se opor a isso? Claro! O cinto do meu bisavô esperava por elas, e elas iam apanhar até aprender a ter respeito pelo homem da casa, mas né? Era tudo pelo bem delas, pra não ter que passar pelo inconvieniente de saber escrever o próprio nome." - Este mito cai por terra quando vemos que houveram muitas escritoras na literatura brasileira até os anos 50, como a poetisa famosa Célia Meirelles, Maria Camila (autora de "Sinhá Moça", publicado em 1950) só para citar algumas. Este site apresenta uma lista de escritoras da literatura brasileira nos séculos XVIII e XIX:

http://www.amulhernaliteratura.ufsc.br/catalogo/catalogoIndex.html

Então, esta história de que mulheres não podia aprender a ler e a escrever é mentira.

Prosseguindo:
"As mulheres não podiam votar". Naquele tempo, o voto era censitário, então muitos homens pobres também não podiam votar.

yulia2 disse...

''Pois é, vivem falando que a vida da
mulher nos anos 50 era um inferno. Mas várias pesquisas e
estudos revelam que as mulheres estão mais depressivas e
infelizes hoje do que antigamente.''


não adianta falar...
COMPROVE-AS....
quais pesquisas? quais insitituos,
links......
sem fonte, sem credibilidade.

''Viram que a vida no ambiente de trabalho não era uma maravilha''

com certeza não é pior que ser mucama em casa...
passar, varrer, fazer comida SEM RECEBER NADA EM TROCA
a não ser comida e teto, mas até aí , escravos negros
recebiam o mesmo....
fora ser, espancadas, proibidas de sair
de estudar, de trabalhar.... eram tradadas
feito amebas.

''Vejam de que as mulheres no passado eram protegidas''

protegidas de que??? trabalha em fabrica quem quer.....
ninguém é obrigada a fazer isso se ela não for atrás..

yulia2 disse...

''Então, a mulher ficava em casa cuidando dos filhos;
e o homem ia trabalhar duro, de sol a sol, num trabalho pesado,
braçal e em condições de trabalho degradantes''

como se essa tarefa fosse fácil....
varrer, passar, cozinhar, limpar a roupa FORA..
cuidar dos filhos era uma tarefa tão ardua
e dificil quanto! se fosse fácil e agradável
vcs não relutariam TANTO em fazer o mesmo...


''Este contrato foi uma maneira muito inteligente
de manter uma sociedade razoavelmente civilizada num
diícil e perigoso de se viver. Pensem nisso, mulheres''

não há mais o que pensar....
está decidido , desde os anos 60.
o retrocesso não cabe mais...
esse modo de vida era tão bom que caiu por terra....
SÓ um lado lucrava e é por isso que vocês estão desesperados
depois que ela descobriu que pode estudar , trabalhar
e ganhar O SEU dinheiro... não tem mais como voltar atras.
e não adianta chorar o passado... ele não volta mais
prefiro muito mais as coisas com estão agora do que como
era antigamente, onde não tinhamos autonomia em nossas vidas.

yulia2 disse...

'Hoje em dia, mesmo em condições de trabalho melhores,
vocês não aguentam o tranco''

hahahahahahahah coitado desse cara....
vai discutir aguentar o tranco com a dilma roussef
vai??? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
o que ela passou na sua vida toda aposto que tem muito
homem que não aguentaria nem 1/10 do que ela passou!!!

''Eu não vou negar que muitos homens antigamente,
tratavam a mulher como lixo''

tinha e ainda tem....
a diferença BÁSICA... é que
antigamente a mulher casada com
esse cara não podia fazer NADA a não ser aguentar
ele para o resto da vida, levando uma vida desgraçada e miserável
dessas...
tive mãe e avós , tias.... TODAS eram mal tratadas
pelos seus maridos
PRINCIPALMENTE minha vó!!! ela era constantemente traida
a ponto dele ter uma outra familia NA CARA DELA, e ela não
podia fazer nada, se separasse além de
ficar marcada na cidade , ela morreria de fome com os filhos
pois ela não tinha trabalho!
minha tia era espancada e proibida
de sair de casa...TODAS falam que hoje está muito melhor
e que a vida delas era muito dificil
TODAS olham para mim e dizem com queriam estar no meu lugar
vivendo os tempos de hoje!
Não invente Leandro.... e não fale por toda as mulheres..
vc não sabe como ocorria...aliás, vc sabe sim...mas vc tenta INUTILMENTE
nos ludibriar distorcendo os FATOS! aqui não...vá fazer sua pregação para as acéfalas que curtem o video da MISS CURURU!!! (acid girl)
lá vc fará mais sucesso.

yulia2 disse...

'Mas parafraseando o nosso ex-presidente:
"nunca na historia deste país" houve tanta mulher
vítima de violência doméstica como há hoje''


a quantidade de mulher que apanha hoje é exatamente a MESMA
de antigamente.... a DIFERENÇA, é que HOJE existe MAIS DEUNCIA
hoje todos sabem disso, antigamente elas apanhavam caladas..
e tem cadeia para os vagabundos que fazem isso.

passar bem Leandro, aqui vc não vai conseguir nada...

Liana hc disse...

"Então, a mulher ficava em casa cuidando dos filhos; e o homem ia trabalhar duro, de sol a sol, num trabalho pesado, braçal e em condições de trabalho degradantes."

Leandro, em que mundo você vive?

A maior parte da população era, e ainda é, pobre. Sabe o que isso significa? Que todos tinham que trabalhar, inclusive as crianças. A vida era "pesada, braçal e degradante" para todos, não só para os homens.

Eu fico escutando algumas pessoas com esse papo de que mulheres entraram no mercado de trabalho recentemente e estão com a tal dupla jornada, mas isso é besteira. A maioria das mulheres sempre trabalhou e sempre tiveram a tal dupla jornada. A diferença é que hoje se reconhece e se dá um nome pra isso. Antes eram simplesmente "obrigações de mulher". Sequer era visto como um trabalho.

Sabe aquela imagem de uma mulher africana carregando um enorme balde d'água na cabeça, debaixo de sol forte e com o filho menor amarrado nas costas dela por um pano? Pois aquilo é o retrato de uma realidade muito mais abrangente do que isso aí que você concebeu no seu comentário.

Outra coisa comum eram as famílias terem muitos filhos, não só porque "tá na bíblia", mas também para servirem de mão de obra, e o mais cedo possível.

O trabalho de meninas como empregadas domésticas (que os outros "pegam pra criar porque empregada mais velha é cheia de manias") é um dos mais invisíveis, e mais difíceis de se combater, até hoje. Isso pra não ficar aqui desfiando rosário sobre tráfico sexual de crianças (grande maioria meninas) e sobre as implicações do casamento forçado (quase sempre meninas com homens bem mais velhos).

E mesmo no caso das mulheres de classe abastada (ínfima minoria da população), ainda está valendo o conceito da gaiola dourada. Meu amigo, gaiola ainda é gaiola, não importa o que você diga. Liberdade e autonomia são valores preciosos demais pra você ficar aí relativizando isso. E ainda vem falar em "estresse" nos dias de hoje.

Então que papo é esse de que mulheres eram todas umas dondocas bordadeiras mimadas? De onde você tirou isso?

lola aronovich disse...

Isso daí é ideologia mascu, Liana, da qual Leandro é um fiel adepto. Pra eles, toda menina é uma princesa mimada que cresce e continua mimada. Lembre-se que, no nuniverso alternativo mascu, não existe patriarcado, e sim "sociedade b*cetista", ou "mundão vaginante", em que as mulheres não apenas não são vilanizadas, como são colocadas num altar.
Ah, e nem adianta falar de pobres com eles, que pobres não existem. Nem homens nem mulheres. Quando mascus dizem que mulher só se casa com alguém superior, e aí a gente lembra desse detalhe chamado "pessoas pobres", que são a maioria da população mundial, eles não sabem nem como responder.
Mascus não são seres exatamente racionais.

Artemis disse...

Uma coisa que me revolta é essa idéia equivocada de que homem é racional e mulher, irracional. É uma ideologia machista repetida tanto a exaustão que as próprias mulheres acreditam. Algumas tontas têm orgulho disso.
Acontece que o patriarcado definiu que características masculinas são racionais e desejáveis e as femininas, justo o contrário.
Na verdade, os homens, na média, são auto-centrados, voltados para eles mesmos, para seus próprios interesses e com desinteresse ou dificuldade de expressar idéias e sentimentos (alexitimia). Mas, vejam bem, isto não é prossocial.
Mulheres são em média empáticas e sensíveis (há as exceções) e são menos auto-centradas e focadas em seus próprios interesses. Isso é prossocial.
Portanto, minha opinião: mulheres são racionais pois se comportam de maneira construtiva para a família, comunidade, sociedade e humanidade. Homens são irracionais e violentos (sempre na média, não estou generalizando) pois são voltados para a obtenção de seus próprios objetivos. É preciso ser muito burro para acreditar que homens são racionais se são 90% da população carcerária, dos criminosos, estupradores, ladrões, estelionatários, agressores de uma forma geral. Isso é ser racional em que mundo?!?!?!

Mordred Paganini disse...

A ideia de que as mulheres são seres irracionais e incapazes de se controlar e de que, por outro lado, os homens são um primor de autocontrole é extremamente equivocada.

Se por um lado, os homens são vistos como seres 100% racionais, também são vistos como bestas incontroláveis.

Por outro lado, apesar do fato de que as mulheres são consideradas seres irracionais, sempre se espera que elas possuam auto-controle de monge para aceitar certas coisas tranquilamente.

Em minha vida cotidiana me sinto muito cansada em relação a isso...As mesmas pessoas que me veem como louca também esperam que eu seja um poço de tolerância...

Mas para os homens eu vejo o discurso contrário: tido como racional e sempre apto à condescendente frase "ah, mas ele é tão imaturo", "ele é tão jovem". E não importa se o infeliz beira os 30 anos. Desculpem o desabafo, mas estou de saco cheio dessa ladainha.

Sara disse...

ALELUIA , esta dando gosto de ver os ultimos comentários, Mordred e Artemis, é tão claro e transparente essa verdade, mas o patriarcado nos enterrou nessa mentira por tantos milenios, de que somos seres inferiores que infelizmente boa parte de nós mulheres acredita nisso ainda e internalizamos esse sentimento.

Lord Anderson disse...

Mascus, homens tão racionais e concentrados, até a primeira mulher não baixar a cabeça pra eles, ai largam a racionalidade e ja passam po xingamento.

Totalmente racionais e logicos, mas sempre que ocorre um estupro estão prontos para dizer que o "pobre" agressor não se controlou pq a vitima estava com o calcanhar a vista...


Em suma pateticos, ridiculos, mas sim sempre podem ser perigosos.

Mordred Paganini disse...

Sara: Valeu ^^

Aliás, estou devendo um gest post a respeito de um tema que toca nesse assunto.

http://www.uff.br/periodicoshumanas/index.php/Fractal/article/view/647

Propus aqui uma discussão sobre ciência e gênero, obviamente muito distinta daquela baboseira de psicologia evolucionista...
Só estou tendo dificuldades em estruturar os assuntos, porque afinal de contas, são muitos temas dentro deste tema.

Mas é por aí as contradições da nossa sociedade: os homens são racionais, mas descontrolados, os homens têm mais tesão do que as mulheres mas é a sexualidade delas que deve ser controlada, tudo culpa dos hormônios quando é conveniente...E por aí vai uma lista que segue até o infinito.

Ana disse...

@Leandro (I)
"Eu não vou negar que muitos homens antigamente, tratavam a mulher como lixo. Mas parafraseando o nosso ex-presidente: "nunca na historia deste país" houve tanta mulher vítima de violência doméstica como há hoje."

... Por onde eu começo?

1. As mulheres não estão apanhando mais, Leandro. É que agora você fica sabendo, porque agora as pessoas acham isso ruim. Antigamente ninguém dava a mínima importância pra isso - Justamente porque esse 'tratar a mulher como lixo' que você mesmo assume que acontecia era visto como algo Normal. Porque o machismo, essa coisa ótima pras mulheres, não vê problema nenhum em nos tratar como lixo, pro caso de não terem te dito isso ainda.

O termo “Violência doméstica” nem sequer existia tempos atrás. Como iam existir vítimas de violência doméstica, se ninguém sabia o que era isso? Sim, mulheres sempre apanharam – só que originalmente ninguém via nada demais nisso, porque o machismo diz pra todo mundo que mulher às vezes merece apanhar, zuzo bem. Hoje, se você é agredida pode denunciar. Antigamente, PFFFFTTT.

Só pra ter noção, eu tenho uma tia avó que diz até hoje pra quem quiser ouvir que "a mulher do fulano tá muito displicente, é falta de laço!" - porque no tempo dela era A Coisa Mais Normal do Mundo o marido bater na esposa. Tipo, só mais um dia na Terra.

Chama-se “banalização da violência” – e é cortesia do seu amigão do peito, o machismo.

2. Vamos SUPOR por um segundo que as mulheres estivessem apanhando mais. O que você prova com esse argumento, mesmo...?

Assim, você admitiu que nos Bons Tempos Em Que o Machismo Reinava, mulheres eram ‘tratadas como lixo’ – e estou tendo sérios problemas em perceber como isso se encaixa na tua idéia de que “machismo protege as mulheres”, mas tudo bem. Eu vou pular essa parte...

Só que além disso, eu não consigo entender como raios provar que as mulheres apanham mais hoje depõe a favor do machismo. O que você quis dizer? Que se tudo tivesse continuado igual, muitas surras não teriam acontecido? Tipo, “Antes era muito melhor – vocês apanhavam, mas era menos! Olha só que maravilha! Então aceitem o machismo e torçam pra não estar na parcela de mulheres agredidas!”.

... Sério? Isso é o teu conceito de “bom”??

Amigão, o machismo não impede as agressões, ele as Justifica. Muitos homens tratavam mulheres ‘como lixo’ antigamente porque o machismo não via problema nisso, pra começo de conversa. E as mulheres continuam apanhando hoje porque (surprise! surprise!) o mundo ainda é machista! (Aliás, é por isso que o feminismo ainda existe... Porque ainda é necessário).

E vale lembrar que existem homens que apanham das mulheres também - mas não denunciam porque nosso maravilhoso machismo de cada dia adora pregar que o homem é sempre mais forte que a mulher, que apanhar de mulher é coisa de frouxo, etc etc etc...

Ana disse...

@Leandro (II)
"Então, esta história de que mulheres não podia aprender a ler e a escrever é mentira."

HAHAHAHAHAHA

Não amigão, essa história é verdade. Aconteceu. Na minha família (mas deixa eu adivinhar: você não acredita!).

Você pode dizer que não era assim pra todo mundo, ok. Mas já que você resolveu retratar como o machismo era bom pras mulheres pela ótica do seu avô, como se fosse um ótimo ponto de partida, bem, nada mais justo do que eu contar o que acontecia com a minha avó, né?

Alguns pais permitiam que as filhas fossem alfabetizadas e outros não. Whatever. A minha avó é da década de 40, não foi à escola porque o pai não deixou, e ninguém viu isso como absurdo porque quem tinha o poder de decidir as coisas eram os homens. Então assim, "o machismo fazia bem pras mulheres" depende muito de pra quem você pergunta, filho. O pai da minha avó era machista, e olha que maravilha de vida ela teve.

Ó, o que houve com minha avó podia não acontecer de maneira Exatamente Igual em todos os lares, mas eu aposto meus dois braços com você que como ela existiram muitas outras que também não foram alfabetizadas. O motivo? Um só: O machismo, essa coisa tão boa que você acha o máximo.

Mesmo nas casas ondes as filhas iam à escola, o machismo podia estar presente gerando uma série de outros problemas. Então assim, "ah, mas havia mulheres que iam à escola" não ajuda a provar nem por um segundo que o machismo é bom. Demonstra que em um mesmo período existiram mulheres com realidades diferentes, mas nem de longe prova que o machismo era bom pra todas elas como você sugere.

Ana disse...

@Leandro (III)
""As mulheres não podiam votar". Naquele tempo, o voto era censitário, então muitos homens pobres também não podiam votar."

Duas coisas:

1. Referente ao “naquele tempo”
Leandro, quando você diz 'machismo', você se refere estritamente à epoca em que seu avô vivia?

Porque assim, quando você defende o machismo, não está defendendo a vidinha que seu avô levava na época x. Está defendendo uma lógica que diz que não tem problema nenhum negar direitos às mulheres. Você se deu conta disso, né?

Quando eu leio 'machismo' não faço distinção de época, de lugar, de nada. Quando você escreve "machismo protege as mulheres", eu leio: "dizer que as mulheres são seres inferiores protege as mulheres"/"não dar direitos iguais às mulheres e aos homens é bom pras mulheres". Não penso no seu avô. Penso na ideologia em si.

Ao escrever sobre mulheres não poderem votar, me referia ao fato de que, graças à visão machista, mulheres tiveram que lutar até pra convencer o mundo de que também merecem decidir quem governa.

Originalmente, mulher não votava, e isso é um belíssimo exemplo de como o machismo é "bom" pra nós, fim da história.

Não estava falando só da minha avó, ou só de um certo período da história, estava dizendo pra você que o machismo que você defende tão lindamente não vê nada demais em não deixar mulher votar (sinceramente espero não ter que te explicar Porquê votar é importante pra todo mundo). Como também não vê nada demais em mulher apanhar, ou não poder decidir com quem casa, ou não poder decidir quando vai fazer sexo, ou não poder reclamar de uma cantada (olha, um exemplo contemporâneo! Yay!).

Não faz diferença nenhuma como era o voto 'na época x'. O importante é que pela ótica machista que você adora, pode-se tranquilamente dizer que mulher não precisa ter direito a votar. Porque segundo o machismo, quem tem que decidir as coisas são os homens. Porque segundo o machismo, lugar de mulher é cuidando dos filhos. Dane-se que as consequências da votação vão atingi-las também, política não é coisa de mulher, cozinha é que é - logo, vão votar pra quê?

Sim, ao longo da história o voto foi mudando... Mas isso não interessa. O que interessa é que se não fosse pelo machismo que você acha tão belo, não teria sido necessário lutar pra conquistar esse direito.

Enfim, não dá pra dizer que "machismo facilita a vida das mulheres" porque na época do seu avô algumas mulheres votavam e/ou podiam ler e escrever.

Porque ainda que TODAS as mulheres pudessem votar e ir à escola "naquele tempo", isso não anularia o fato de que originalmente, graças ao machismo não podíamos fazer nenhuma das duas coisas. E ainda que TODAS as mulheres pudessem votar e ir à escola DESDE SEMPRE, mesmo assim sobrariam muitos outros problemas causados por esse raciocínio.

Não, machismo não é bom, desculpe estourar a sua bolha.

2. Referente ao “muitos homens pobres também não votavam”

... E daí?

Eu quero dizer, putz, absurdo isso. Todo mundo deve ter direito a voto.

Agora, não sei porque alguns homens não votarem é relevante. A sociedade da época além de machista era elitista, wow. Péssimo, mas o último não interfere no primeiro.

Esse argumento teria feito algum sentido se você estivesse tentando dizer “veja, várias pessoas não votavam, independente do sexo; logo, as mulheres não eram discriminadas, machismo não exisitia”.

Mas você Não está tentando me dizer que machismo não existia. Você sabe que exisitia. E acha isso lindo.

Então só posso concluir que teu argumento é tipo, “as mulheres não votarem não é um problema tão grande, veja, alguns homens também não votavam”. O que não faz droga de sentido nenhum.

Ana disse...

@ L., Drica Leal, Ju, Liana
Haha, obrigada pessoas! Que bom que vocês gostaram dos comments! Pelo visto bastante gente concorda que uma porta aberta não compensa uma agressão, isso é ótimo.

Pra ser bem sincera isso tudo já tava entalado na minha garganta faz tempo...

@L.
“Fique com seu cavalheirismo, que eu prefiro ficar com meus direitos humanos.”[2]

@Drica Leal
“Me irrita profundamente tanta gente não raciocinar sobre as entrelinhas desse pacto social chamando cavalheirismo, onde o mesmo nobre homem que poupava a delicada dama de abrir portas ou puxar a própria cadeira tinha o DIREITO de agredi-la ou até mesmo matá- la caso ela o desobedecesse ou o "desonrasse".”[2]

@Liana hc
“Viver numa gaiola dourada não é vantagem nenhuma”[2]

‘Gaiola dourada’... Adorei a expressão!

“Leandro, em que mundo você vive?”[2]

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Eu fico boba como tem gente que acredita nessa história de que a vida das mulheres de antigamente era fácil porque ficavam em casa com os filhos.
Só se fossem as ricas, que eram e ainda são minoria da população.
Meu avô era sapateiro e minha avó era dona de casa. Ela costurava as roupas de toda a família (dez pessoas ao todo), lavava aquele tanto de roupa em um ribeirão, cozinhava e limpava pra aquele batalhão de gente.
No fim das contas, o trabalho dela era mais pesado que o dele e não era remunerado.
E ficar nisso de que antigamente todo mundo era mais feliz é desculpa, nem se falava nisso, mulher tinha que casar logo, ter filhos e pronto. Não tinha essa discussão se fulano era feliz ou infeliz. Se era infeliz, que aguentasse, não tinha absolutamente nada a fazer sobre aquilo, diferente de hoje em dia, que podemos mudar nossa trajetória.

Carolina Lucas Paiva disse...

As mulheres pobres e as crianças trabalhavam até pouquíssimo tempo atrás, a diferença é que eles não tinham direitos trabalhistas.
O que mascus são incapazes de entender é que as mulheres que ficavam em casa era minoria, e que a luta não foi para as mulheres saírem de casa de um modo literal, mas simbólico. Isso quer dizer que queriam o reconhecimento de sua força de trabalho, ao invés da exploração.
Mulheres podiam ir a escola, desde que com permissão. Era comum sim os pais não deixarem as filhas estudarem.
O fato de existirem mulheres escritoras não refuta o fato de que o tratamento era desigual sim, e que as mulheres tinham N restrições a educação.
Também existiram várias mulheres cientistas, que colaboraram para o avanço da sociedade, mas tiveram que fazer um esforço a mais, remar contra a maré, pois a ciência era vista como prerrogativa masculina.
Achar que o machismo "não é nada de mais" porque algumas mulheres conseguiram, com muito esforço, se destacar em áreas masculinas, é muita alienação. É dizer que não faz mal tratar os outros de forma desigual, sem os mesmos direitos e as mesmas oportunidades.
Vão ser burros assim na pqp.

yulia2 disse...

''Mascus, homens tão racionais e concentrados, até a primeira mulher não baixar a cabeça pra eles, ai largam a racionalidade e ja passam po xingamento.''

isso se não partir já pra porrada né???

''Totalmente racionais e logicos, mas sempre que ocorre um estupro estão prontos para dizer que o "pobre" agressor não se controlou pq a vitima estava com o calcanhar a vista...''


PERFEITO!!!!

''Assim, você admitiu que nos Bons Tempos Em Que o Machismo Reinava, mulheres eram ‘tratadas como lixo’ – e estou tendo sérios problemas em perceber como isso se encaixa na tua idéia de que “machismo protege as mulheres”, mas tudo bem.''

HEHEHEHe
mascus cara....

Raziel von Sophia disse...

Gente, olha, comecei no BRChan uma discussão sobre O Feminismo e seus benefícios ao "Macho Beta".
Quem quiser acompanhar, ou até mesmo opinar, é bem vindis.

http://www.brchan.org/d/res/16842.html

O /d/ é um "board sério" do BR, onde discussões devem seguir algum padrão mínimo de qualidade e respeito. Espero conseguir desenvolver algo e iluminar a cabecinha dos betinhas que acham que machismo é a salvação da humanidade.

PS> NÃO clique no link, copie o cole no navegador. Pois é característica dos chans evitar acessos por cliques. É assim até mesmo nos chans japoneses (os "originais")

Anônimo disse...

"Vejam de que as mulheres no passado eram protegidas. Então, a mulher ficava em casa cuidando dos filhos; e o homem ia trabalhar duro, de sol a sol, num trabalho pesado, braçal e em condições de trabalho degradantes."

Vamos analizar a história...

1950:
'Em 1950 a população brasileira era de 51.944.397 hab. e em 2000 o Censo Demográfico do IBGE contou 169.590.693 hab.(14), o que representa um crescimento de 226,4% em cinqüenta anos.

Os dados dos Censos Demográficos do IBGE mostram que em 1950 a população urbana brasileira era de 18.782.891 de hab., sendo a taxa de urbanização de 36,1%.

Em 1950 a população rural brasileira era de 33.161.506 hab. e correspondia a 63,84% da população total.'

Gráficos aqui: http://www2.fct.unesp.br/nera/atlas/caracteristicas_socioeconomicas_b.htm

Como era a vida da mulher rural? Dá pra se ter uma idéia olhando os dados de 2003:

'Em 2003, elas representavam 80,8% das ocupações não remuneradas do setor agropecuário. Maior número de mulheres (91,3%) do que de homens (82,5%) no campo dedicava-se à produção para o autoconsumo. Na lavoura, elas exerciam 77,3% do trabalho não remunerado e 72,8% do trabalho na mesma condição, na pecuária.'

Fonte: http://www.fomezero.gov.br/noticias/inclusao-produtiva-de-mulheres-rurais-tera-r-19-milhoes

Luci

Mirella disse...

Leonardo, veja bem. Vou te falar umas coisas que sei que você não irá acreditar(deve ser masoquista para ficar vindo aqui, mas a escolha é sua), mas ficará provado que sua lenga lenga contínua é derivada da sua deficiência cognitiva, preconceito e misoginia. Não vou dizer para você, mas para mim.

"Vejam de que as mulheres no passado eram protegidas."

Eu não preciso ser protegida, seu cretino. Não preciso que ninguém faça nada por mim. NADA. Aprendi com minha mãe como se troca chuveiro, resistência de chuveiro, sifão de pia, como se corta grama, se emenda fio. E com ela aprendi o valor do trabalho, a ganhar meu dinheiro e poder contratar alguém para fazer o que não sei. Vocês mascus é que precisam ficar repetindo que mulher é frágil e precisa de proteção para tentar se sentirem menos inúteis. Se não são vocês se lamentando ninguém perceberia que vocês existem. Vocês são PATÉTICOS. Só sabem se lamuriar e o único momento em que conseguem se sentir melhor é tentar chamar alguém de "pedaço de carne mimimimi". Ninguém aguenta vocês porque são um PORRE de vinho barato.
Sua existência é tão miserável, mas tão miserável, que precisa vir aqui todos os dias para apanhar. Sugiro mudar a antológica frase do Nelson Rodrigues: "Nem todo mascu gosta de apanhar, só os normais". Imagina o nível de auto estima de alguém que frequenta um ambiente no qual é desprezado? Você seria digno de pena, se não fosse tão tonto e imaturo. Eu sentiria pena de uma criança que fosse insegura assim, mas um adulto? Meh.

"bla bla bla década de 1950 Cecilia Meireles Maria Camila"
A existência de escritoras não invalida o que toda uma geração viveu. E por que você não compara a quantidade de escritores versus escritoras? E por que você não estuda a história direito e analisa o tipo de família em que as escritoras nasceram e foram criadas? Ou o tipo de preconceito que enfrentaram? Ahh, imagino que aí seja estudar história demais pro seu gosto. E jura que Sinhá Moça, escrita por Maria Dezonne Pacheco Fernandes, uma história de uma jovem que luta contra o próprio pai motivada por ideais abolicionistas é a descrição de mulheres livres de um patriarcado de uma sociedade gostosa de se viver? Puxa vida. Mulheres, eternamente ingratas com o patriarcado.

Desestatizar o casamento = risos eternos. Tá preocupado com o que, não são vocês que vão fazer marriage strike? Vai que é tua. Aliás, sugiro fortemente que vocês também neguem seu sêmen às portadoras de b*ceta. Sério, eu imploro. Poupe a humanidade de mais gente igual você.

Na real(garçom, me vê um trocadilho?). Se os homens são tão mais honrados que as mulheres, POR QUE VOCÊS NÃO CASAM LOGO COM UM?

No mais, passa em casa que tem roupa pra lavar. Bêj.

Leandro disse...

"varrer, passar, cozinhar, limpar a roupa FORA..cuidar dos filhos era uma tarefa tão ardua e dificil quanto!" - Naquele tempo, quando as ferramentas e as máquinas eram rudimentares, quando quase todos os serviços eram braçais e pesados e em condições de trabalho degradantes e muitas vezes perigosas; este tipo de serviço era leve. Se para você, cuidar de filho é tarefa "árdua", imaginem se tivessem que levantar peso numa obra... Nenhuma respondeu a minha pergunta: como seria a vida das mulheres no pasado sem aquele contrato? Elas teriam tempos difíceis. Então o trato era o seguinte: a mulher cuidava da casa e dos filhos, e o homem ia trabalhar em algum serviço penoso e degradante (geralmente perigosos e nojentos) para prover sustento à família. Os homens de antigamente não queriam ver suas esposas e filhas trabalhando em um serviço pesado, sujo, degradante e perigoso. Nem as mulheres queriam estes tipos de serviço, elas preferiam ser protegidas pelo marido. Depois, com o desenvolvimento tecnológico, com a automação industrial, com o desenvolvimento do "setor terciário" e com o advento da informática, as condições de trabalho melhoraram e tornou mais fácil e vida do trabalhador, e assim, facilitou o ingresso da mulher no mercado de trabalho.

lola aronovich disse...

Gente ótima, vou publicar o comentário do Leandro, mas nem sei se vcs devem respondê-lo. O energúmeno simplesmente ignorou tudo que vcs disseram. E ele não tem a menor noção da História (História? O que é isso?). Não adianta não. Mascus vivem num universo paralelo em que passado, presente e futuro são moldados a seu bel-prazer. Eles estão convictos, por exemplo, que Hitler e o nazismo foram de esquerda. Daí pra achar que mulheres ficavam em casa numa boa sem fazer nada (no máximo varrendo a casa e cuidando dos filhos, o que é facílimo, como toda dona de casa pode atestar), enquanto homens passavam os dias dando duro nas minas de carvão, é um passinho. Pra mascus, Branca de Neve e os Sete Anões é documentário (tirando a alegria daqueles anões manginas que permitiam que uma mulher dormisse na casa deles sem transar com eles, onde já se viu?).

Lord Anderson disse...

Leandro

Cara, vc só pode estar de trollagem...

Serio pegue um livro de historia, qualquer um e vc vai saber que alem dos trabalhos domesticos, mulheres trabalhavam nas lavouras, platio e colheitas e quando ocorreu a industrialização, mulheres e crianças trabalhavam até 15 horas por dia em pessimas condiçoes assim como os homens, mas elas ganhavam menos e tinham menos direitos sociais.

Se vc quer se eludir que antigamente era melhor pras mulheres, mesmo com todas elas dizendo que não ok, mas tente arrumar argumentos melhores.

Anônimo disse...

O Leandro tem toda razão ,vocês são mestras em distorcer os fatos, eu nunca vi uma mulher trabalhando em minas de carvão, cabos de alta tensão etc.
A sociedade e o mundo em que vivemos não foi erguido sozinho, do nada, mas com suor de muitos homens, coisa que vocês ingratas não dão a minima.
A sociedade e machista ? claro que sim, o dia em que as mulheres pararem de parasitar os homens e construirem sua própria sociedade, com trabalho duro, e não rasgação de papel em escritório, ai vocês podem reclamar de alguma coisa.

Anônimo disse...

Nazismo = nacional socialismo

desde quando socialismo e ideologia de direita lola ?

Anônimo disse...

"como seria a vida das mulheres no pasado sem aquele contrato?"

Como seria a nossa vida hoje se tivéssemos plenos direitos civis? Seria ótima. Por isso lutamos para que isso aconteça.

Por que as mulheres daquela época lutaram para mudar esse "contrato" e deixarem de serem socialmente inferiores? Se era tudo tão melhor pra mulher-mãe-dona de casa, por que mudou, por que foram justamente essas mulheres que exigiram participação no mercado de trabalho, divisão de tarefas etc? Obviamente porque não era bom como era. Continuamos lutando porque obviamente ainda não está bom! A nossa infelicidade não existe porque perdemos supostas regalias ou porque gostaríamos de ser tuteladas e sim porque ainda não somos vistas como seres humanos plenos nessa sociedade!

Luci

Mirella disse...

Lendo os posts do Leonardo penso: you can only be de zuera.

Leandro disse...

Não sou Leonardo. Sou LEANDRO. Viram? Vou soletrar: L E A N D R O. Éle E A Êne Dê Érre O. LEANDRO.

"Por que as mulheres daquela época lutaram para mudar esse "contrato" e deixarem de serem socialmente inferiores?" - Claro, claro. Até os anos 60, o pós-guerra, quando já até havia até máquina de lavar Constructa, quando a pílula já existia, quando a indústria se tornou mais automatizada, quando as condições de trabalho já estavam melhores, as mulheres eram cada vez mais submissas, certo? Todas estas invenções, a mecanização e automação da indústria, pílula, o desenvolvimento do setor de serviços, em vez de trazer mais conforto e melhorar as condições de trabalhar e possibilitar que as mulheres ingressem num mercado de trabalho mais confortável, lograram apenas tornar as mulheres mais submissas, mais oprimidas, né? Até que finalmente um grupo de iluminadas nos anos 60 investaram o feminismo e alteraram tudo, inclusive as leis econômicas. O mundo, finalmente, ficou inteligente, as mulheres finalmente foram "libertadas" pela "opressão"!

Carolina Lucas Paiva disse...

Leandro

Você não está aqui para debater e já deixou isso bem claro ao dizer que não acredita em nada do que a gente fala (o que abre precedente pra gente não te levar a sério).

Ficar repetindo os seus achismos não vai mudar a opinião de ninguém. A gente ouviu sua opinião e já refutou tudo o que você apresentou. Ao invés de fazer o mesmo, você segue repetindo o que já foi discutido. Se não tem mais nada a acrescentar, vaza manin.

yulia2 disse...

''Se para você, cuidar de filho é tarefa "árdua", imaginem
se tivessem que levantar peso numa obra..''

não é pra mim... É PRA TODOS!!!!
vc , que é um cara totalmente deslocado da realidade
certamente
deve estar confundindo cuidar e educar filho com criar
cachorro gato... NÃO SÃO A MESMA COISA VIU???
e se fosse essa moleza toda que vc acha que é...
vcs fariam isso numa boa e não ficava TENTANDO fugir
dessa responsabilidade... vide vário homens que correm
longe quando fica sabendo que a mulher engravidou dele...


e de resto Leandro.... nem vou comentar mais nada que tudo
o que vc fala não passa de mera repetição... suas perguntas
foram todas respondidas nas minhas e nas outras ´postagens
e vc ignorou porque quis... ou porque é incapaz de contra argumentar

fala fala fala, do desenvolvimento tecnológico... porque não fala da primeira e segunda guerra?? que obrigou a mulher de soldado a ir trabalhar para se sustentar ela e seus filhos enquanto milhares de homens morriam e desapareciam nas guerras? dá um tempo... vá fazer telecurso segundo grau...

não perca seu tempo aqui, seu proselitismo é
inutil.

yulia2 disse...

''O Leandro tem toda razão ,vocês são mestras em distorcer os fatos, eu nunca vi uma mulher trabalhando em minas de carvão, cabos de alta tensão etc''

e o que te impede de ir pra rua fazer uma marcha pedindo isso?
chorão....

''A sociedade e o mundo em que vivemos não foi
erguido sozinho, do nada, mas com suor de muitos homens,
coisa que vocês ingratas não dão a minima''

ingratas???? quem cuidou de vcs? educou?
onde vcs se alimentavam?
onde dormiam? quem arrumava tudo para vcs?
não fale bobagens!

''A sociedade e machista ? claro que sim,
o dia em que as mulheres pararem de parasitar os homens
e construirem sua própria sociedade, com trabalho duro,
e não rasgação de papel em escritório, ai vocês podem reclamar de alguma coisa.''


mimimimimimimimimimi ta com invejinha?
quer rasgar papel em escritório também?

Mirella disse...

Leonardo,


ops, quer dizer, Leandro. Que foi, se incomodou com o fato de que alguém possa nem ter lido seu nome, que dirá o que escreveu?
Poxa, será que é remotamente parecido com as dezenas de argumentações que se seguiram à sua demonstração de total falta de conhecimento básico de História?

O feminismo surgiu agora graças à pílula anticoncepcional, é?
Nada a ver com Margaret Sanger e Katherine McCormick e seu trabalho durante a primeira metade do século XX. Imagine. Se bobear, quem inventou a pílula anticoncepcional foi você, né!


(comento não pelo ser cognitivo-deficiente e sim por alguma alma desavisada que leia estas bobagens e as tenha como verdade. Uma coisa é opinião pessoal, que não tenho desejo nenhum de mudar. Outra é espalhar a ignorância, esta sim tento combater, inclusive a minha própria).



Chorei lágrimas de toddynho com a sua coerência.

Ana disse...

@Lola
"Gente ótima, vou publicar o comentário do Leandro, mas nem sei se vcs devem respondê-lo. O energúmeno simplesmente ignorou tudo que vcs disseram."

Pra variar, né Lola?

Vou responder de novo, depois jogo a toalha (eu não devia nem estar aqui, a vida acontece lá fora e listas de exercícios me esperam nesse exato momento, mas e cadê que eu me aguento, né?)

@Leandro
"Nenhuma respondeu a minha pergunta: como seria a vida das mulheres no pasado sem aquele contrato? Elas teriam tempos difíceis. "

Amigão.

Elas JÁ TINHAM tempos difíceis. Elas não eram Gente, lembra?

"Os homens de antigamente não queriam ver suas esposas e filhas trabalhando em um serviço pesado, sujo, degradante e perigoso."

Os homem eram almas bondosas e altruístas que se sacrificavam pelas mulheres do mundo. Para mantê-las sãs e salvas, eles trabalhavam em seu lugar. Depois eles as tratavam como lixo.

...espera, quê?

"Nem as mulheres queriam estes tipos de serviço, elas preferiam ser protegidas pelo marido."

Claro, porque sempre perguntavam o que as mulheres preferiam... Só que não.

"Depois, com o desenvolvimento tecnológico, com a automação industrial, com o desenvolvimento do "setor terciário" e com o advento da informática, as condições de trabalho melhoraram e tornou mais fácil e vida do trabalhador, e assim, facilitou o ingresso da mulher no mercado de trabalho."

AHAHAHAHAHA

A sociedade não vê problema na mulher querer trabalhar. A gente só não trabalhou antes porque não tinha nenhum serviço fácil o suficiente pra gente - Mas só por isso mesmo! Porque se a gente quisesse uma profissão segura, todo mundo apoiava na boa. Longe do machismo querer nos oprimir, se um dia tiraram nosso direito de escolha foi pro nosso bem.

Tem mulher ralando até hoje pra provar que é tão capaz quanto um homem, mas isso é só pro bem dela. Ouvir que "até pedreiro entende mais de obra do que uma engenheirA" é só um toque pra mulher perceber que o trabalho dela é muito arriscado e que se ela ficasse em casa na beira do fogão ela estaria bem mais segura do que ficando na volta de uma -eca!- construção.

Arrã.

Agora me conta, como é que tá o tempo aí na outra dimensão? Sol? Muitos unicórnios na rua?

Ah, me faz um favor - se o Agente Smith passar por aí pega o telefone dele pra mim, pode ser?

@Lord
"Serio pegue um livro de historia, qualquer um e vc vai saber que alem dos trabalhos domesticos, mulheres trabalhavam nas lavouras, platio e colheitas e quando ocorreu a industrialização, mulheres e crianças trabalhavam até 15 horas por dia em pessimas condiçoes assim como os homens, mas elas ganhavam menos e tinham menos direitos sociais."

Exato... Pesquisinha básica de google, ó:

"Desde o final do século 19, organizações femininas oriundas de movimentos operários protestavam em vários países da Europa e nos Estados Unidos. As jornadas de trabalho de aproximadamente 15 horas diárias e os salários medíocres introduzidos pela Revolução Industrial levaram as mulheres a greves para reivindicar melhores condições de trabalho e o fim do trabalho infantil, comum nas fábricas durante o período."

http://revistaescola.abril.com.br/historia/pratica-pedagogica/8-marco-dia-internacional-mulher-genero-feminismo-537057.shtml

Mas sei lá Lord, pras mulheres estarem trabalhando é porque vai ver o mundo não era machista - afinal, quando o mundo é machista, as mulheres e as crianças são postas em redomas de vidro e/ou preservadas em resina.

@Luci
"Por que as mulheres daquela época lutaram para mudar esse "contrato" e deixarem de serem socialmente inferiores?(...) Obviamente porque não era bom como era."[2]

@Mirella
"Lendo os posts do Leonardo penso: you can only be de zuera."[2]

Ana disse...

@Mirella
"Que foi, se incomodou com o fato de que alguém possa nem ter lido seu nome, que dirá o que escreveu?
Poxa, será que é remotamente parecido com as dezenas de argumentações que se seguiram à sua demonstração de total falta de conhecimento básico de História?"

NO MEEEEIOOOOO

Mirella, me dá um autógrafo!

Isso não foi um argumento, foi praticamente um Fatality... #MortalKombat

Chorando de rir aqui.

Anônimo disse...

Leandro, sério mesmo que você acha que o feminismo é uma "invenção" dos anos 60? Anos 60 do século 20, é isso mesmo?

Luci

lola aronovich disse...

Ah, gente, vcs deixaram o Leonardo nervosinho e ele veio xingar, dizendo coisas desagradáveis como “Leonardo deve ter sido o cafa que só te usou, sua histérica”, e aí eu tive que deletar. Assim como o Leo nunca ouviu falar nesse detalhe chamado História, ele tampouco nunca deve ter ouvido falar em Leandro e Leonardo.

Aninha querida, que fixação pelo Agente Smith, hein? Ele é alfa, cafa, ou os dois? Afinal, nós mulheres só gostamos de caras assim. Ou pode ser que o Agente Smith seja um beta, mas ele te fisgou com aquele olhar penetrante e gargalhada esquisita dele. Acertei?


E sabe o que gostei dos comentários deste post? Nenhum mascu sequer se preocupou em nos convencer que as coisas postadas no texto não são misóginas. Será que eles finalmente assumiram sua misoginia, ou vão continuar com discursinho de "lutar contra o feminismo é misoginia"? Sendo que até poucos meses eles se ofendiam quando eram chamados de machistas, e hoje ostentam o rótulo com orgulho...

Liana hc disse...

lol² --> comentários do Leonardo, quer dizer, Leandro.

Leandro disse...

Me desculpa, é que insistiram tanto nessa história de "Leonardo" que a sua amiga estivesse fixada em algum Leonardo...
E "Leandro e Leonardo" é um dupla de cantores de música Sertanejo. Eu não tenho nada a ver com isso. Me nome é Leandro, entendeu? Não é um nick.

Espere um pouquinho: eu listei um monte de coisas: progresso da indústria, desenvolvimento tecnológico, automação da indústria, desenvolvimento do setor de serviços e vocês vem falar que eu atribuo unica e exclusivamente à pílula? Vão aprender a ler um texto...

Mirella disse...

Ana <3

saudade dos teus comments! Mas se vc se afastou daqui pra se dedicar aos estudos, tá perdoada! #aquelas haha

Já ganhei meu dia, gente, pode fechar a internet por hoje.


ah...
BEIJO LEONARDO. MUACK.

(desculpe, Lola, parei de desvirtuar o post)

Lucas disse...

Cara, na boa...

Qualquer novela de época mequetrefe da Globo acaba com essa sua muito bem montada (só que não) "argumentação".

As únicas mulheres que eram "protegidas" eram as filhas da nobreza e, posteriormente, das classes dominantes do capitalismo, pois tinham que ser guardadas a sete chaves para depois serem comerciadas em contratos de casamentos com outros nobres ou burgueses.

Essas pobres coitadas eram mantidas alienadas e submissas para se tornarem parideiras, e só. E nem cuidar dos filhos cuidavam, olha só... porque isso era trabalho para amas e empregadas que eram, veja você, mulheres pobres que tinham que dedicar todo o seu tempo a uma outra família pra dar de comer a sua própria. E apenas esses serviços eram permitidos a elas. Lavadeira, cozinheiro, ama, faxineira... e pra onde ia todo o dinheiro? Pro marido, lógico. Que nem assinar um contrato de propriedade essas mulheres podiam.

E antes do capitalismo industrial, das fábricas, as mulheres pobres (imensa maioria), vivia como? Na economia doméstica TODO mundo trabalhava, homem, mulher, crianças, na roça, na oficina, onde fosse. Mas com quem ficava o dinheiro? De quem era a propriedade, quem mandava e desmandava na vida de todos os seus "subalternos"? Uma chance.

(Mas é engraçado notar, só a título de curiosidade, que alguns estudos indicam que nas camadas mais pobres urbanas do Brasil, as relações sociais e até sexuais eram mais flexíveis, até com mais independência das mulheres, num cenário onde tudo era mais informal e menos tradicional.)

Leandro disse...

Sim, as mulheres trabalhavam em serviços "pesados" como tecer roupas (muitas vezes costuravam em casa como um passatempo, pelo eu vejo nas novelas da Globo do tempo), limpar, varrer... Agora, não registros na História de mulher trabalhando na manutenção de açudes, na construção e manutenção de aquedutos, minas de carvão, construindo castelos... Até os escravos o senhor organizava por gênero: as escravas nos serviços mais leves (cozinhar, limpar) e os homens nos serviços mais pesados (abate de gado, no corte de cana-de-açúcar)...

andrea saores disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
andrea saores disse...

..'pelo que eu vejo nas novelas da globo do tempo" uauauaua.

gente, serio, pra que perder tempo respondendo essa criatura que romantiza ate a escravidao? uma coisa e' tentar educar os homens para que eles vejam como machismo, sexismo, homofobia sao tragicamente violentos, outra coisa e' perder tempo com quem nao quer aprender nada que abale seu mundinho.
Lola, um grande abraco, sempre sigo voce ( Iam not a stalker- alias stalkers geralmente nao sao mulheres) mas nao comento por falta de tempo.

andrea saores disse...

So faltou ele dizer tambem que durante a inquisicao as fogueiras eram feitas pensando na conforto da mulher, ahh acho que globo nunca fez novela sobre a inquisicao entao ele nao tem acesso a informacao sobre esse periodo historico.

Leandro disse...

"durante a inquisicao as fogueiras eram feitas pensando na conforto da mulher" - Na inquisição, as fogueiras não eram feitas pensando em queimar mulheres, eram feitas pensando em queimar hereges, inimigos do regime, quem cometia crimes como assassinato, adultério (a pena era aplicada tanto para homens como para mulheres). Realmente, a Inquisição foi um excesso, mas dizer que a Inquisição foi feita para queimar mulheres já é distorcer a História...

Anônimo disse...

haha que doentes

Carolina Lucas Paiva disse...

Mulheres nunca trabalharam em minas de carvão, em açudes? Senta lá, Cláudia! Rs

É muita vontade de distorcer tudo a seu bel prazer, né Leleandro?

Carolina Lucas Paiva disse...

Dois links pro leleandro, sobre mulheres trabalhando nas minas de carvão:

1- http://www.revistadehistoria.com.br/secao/artigos/silencio-nas-minas

2- http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2004000200019

Mordred Paganini disse...

Carolina Paiva: não adianta vir com ciência. Ele só aceita as coisas que dizem as vozes na cabeça dele. Mais um pouco e eu vou perguntar onde ele mora para indicar o CAPS de referência da região dele.

(ainda acho que ele tem jeito)

Mirella disse...

Carolina Paiva, link do Scielo? O Leleco não gosta de artigo científico. Como Mordred disse, tem de ser algo de uma fonte confiável, tipo o Meia Hora, Notícias Populares. #prioridades.

yulia2 disse...

hahahaahah
totalmente sem credibilidade esse leandro....

coitado, tem que ter pena de um ser desse....
chamar serviço de casa de LEVE....
ele ta de tollagem mesmo...

a carolina deu OUTRO fatality no mascutroll...

Leandro disse...

Já que vocês querem debater História, vamos debater Historian, e com fatos e números, não se embasando em novelinha da Globo.

Tenho dados do Censo da Grã Bretanha de 1851, na época da Revolução Industrial. Os números da época confirmam o que eu disse: que na época as melheres ficavam em casa e os homens iam trabalhar duro num serviço pesado. Mais de 83% da mulheres não trabalhavam, ou seja, ficavam cuidando da casa e dos filhos. Vejam os números do Censo de 1851:

http://eh.net/encyclopedia/article/burnette.women.workers.britain

O interessante é que os números confirmam o que eu disse: a maior parte da mão-de-obra feminina estava nas indústrias mais leves como têxtil e costura (e mesmo nestes, a força de trabalho era dividida: 54% da mão de obra era feminina, e na inmdústria têxtil, 49% da mão de obra era feminina, ou seja, na indústria têxtil, as mulheres ainda eram minoria). Enquanto os trabalhos mais pesados e mais perigosos como agricultura, construção civil, mineração, mais de 80% da mão-de-obra era masculina. Até em serviços que não eram muito pesados como papel e impressão, apenas 20,5% da mão de obra era feminina. Aliás, pasmem (essa nem eu esperava, imaginava que havia mais mulheres neste setor que citarei agora): no comércio (que é um serviço leve) não havia uma só força de trabalho feminina, segundo dados do Censo de 1851 (não é Instituto de Pesquisa "Mascu", são dados da época).

Ju disse...

Leleco? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Vcs são muito engraçadas. Continua aí leandro, que está divertido.

Ju disse...

"Mais de 83% da mulheres não trabalhavam, ou seja, ficavam cuidando da casa e dos filhos."

Mas tu é idiota mesmo, né?
Tem que desenhar pra vc entender?

Anônimo disse...

Eu quero protestar aqui, hoje eu fui vitima de um motorista de ônibus feminista, sofri preconceito por ser homem, eu tava atrasado para o trabalho, sai de casa e fui para o ponto do ônibus, eu estava virando a rua quando o ônibus passava la em cima, jÁ tinha saido do ponto, subi correndo e dei sinal, mas o FDP não parou, passou batido.

pois para minha surpresa, la perto do farol, uma moça com um decotão deu sinal, e ele parou e abriu a porta, fiquei puto da vida, piis ele parou no sinal, que e demorado, eu não deixei quieto, desci correndo e falei um monte, disse que era so porque ela tinha b%$#ta, que ele era um safado anti-ético, que eu também pago passagem e imposto, que ela não dava a minima para a gentileza dele,aquele trouxa.

EU SOFRI PRECONCEITO POR SER HOMEM, O FEMINISMO ME DISCRIMINOU HOJE !!

Leandro disse...

Eu tenho de fazer uma correção, tenho de admitir que cometí uma gafe no meu comentário. Mas essa não anula o meu argumento. Os números não dizem que 83,3% das mulheres eram desocupadas. O que os números dizem é que 83,3% de desocupados eram mulheres. De qualquer maneira, os números confirmam o meu argumento: pouco mais de 30% da força de trabalho do Reino Unido de 1851 era feminina. O que significa que a maioria das mulheres ficavam em casa cuidando dos filhos e do lar... Aquele trato era o melhor pras mulheres num mundo difícil e perigoso de se viver...

Anônimo disse...

anon 0205

se você não percebeu, foi o machismo que te discriminou, lindinho!!

depois galera aqui diz que esse bando de homem mimimi que reclama do feminismo não sabe o que tá fazendo, vocês reclamam.

fazer o quê? cérebro de ostra dá nisso!!

a maior parte das queixas que vocês colocam na conta do feminismo na verdade são devidas ao machismo, mas vocês são tão burros que não percebem.

ps. com todo respeito pelos burros e pelas ostras.

Anônimo disse...

"Mais de 83% da mulheres não trabalhavam"

Trabalho doméstico É trabalho.

"Women mule-spinners in Glasgow, and their employers, were the victims of violent attacks by male spinners trying to reduce the competition in their occupation."

"While the highly skilled and highly paid task of mule-spinning was a male occupation, many women and girls were engaged in other tasks in textile factories."

Por ser trabalho mais leve? Não, por ser menos remunerado!

"At age 30, women factory workers earned only one-third as much as men."

"For the period 1787 to 1815, 66 percent of married women in working-class households had either a recorded occupation or positive earnings. For the period 1816-20 the rate fell to 49 percent, but in 1821-40 it recovered to 62 percent."

Já naquela época, a maioria das mulheres do proletariado assalariadas. Cadê o "contrato" que estava aqui?

"While many wives worked, the amount of their earnings was small relative to their husband's earnings. Annual earnings of married women who did work averaged only about 28 percent of their husband's earnings. Because not all women worked, and because children usually contributed more to the family budget than their mothers, for the average family the wife contributed only around seven percent of total family income."

Impressionante, até crianças eram melhor remuneradas. Claro, tudo pela proteção e conforto das mulheres trabalhadoras, que trabalhavam tanto dentro como fora de casa, mas ganhavam muito menos.

Luci

Bruna B. disse...

Chora mascuzinho, chora.
Enquanto choras, eu estudo, voto, faço o que bem entendo com meu corpo, ganho meu rico dinheirinho, pago minhas contas e rio de babacas como tu.

Mirella disse...

"However, economic historians have demonstrated that these numbers are misleading. First, many women who were actually employed were not listed as employed in the census."

traduzindo:

"Entretanto, historiadores econômicos demonstraram que estes números são enganosos. Primeiramente, muitas mulheres que estavam de fato empregadas não eram listadas como tal no censo."

Fonte: o link que o mascuzin Leleco postou.
Poxa, Leleleleleornado, você não lê o que posta?



"At the same time, the census over-estimates participation by listing in the "domestic service" category women who were actually family members. In addition, the census exaggerates the extent to which women were concentrated in domestic service occupations because many women listed as "maids", and included in the domestic servant category in the aggregate tables, were really agricultural workers."


AI AI AI AI AI LELELELELELELELELELEELeonildo.

traduzindo:

"Ao mesmo tempo, o censo superestima a participação ao listar na categoria "serviços domésticos" mulheres que eram membros da família. Além disto, o censo exagera a extensão de mulheres concentradas nas ocupações de serviços domésticos porque muitas mulheres eram listadas como "criadas" e inclusas na categoria de serviços domésticos nas tabelas agregadas, quando na verdade eram trabalhadoras agrícolas."

Lucas disse...

E desde qualquer divisão sexual do trabalho foi feita pra proteger alguém? A cultura desde sempre dividiu o que era trabalho de homem e de mulher como um reflexo do papel de gênero, dentro da dicotomia "ativo/passivo".

Tentar transformar essa realidade em "ah, mas os homens queriam proteger suas mulheres" é idealizar o passado, como os nazistas idealizavam um passado de pureza ou qualquer reaça idealiza um passado de "ordem e moral". É tentar reescrever a história e colocar seus valores como algo de "primordial e certo", contra o mal do "hoje em dia".

Mas recado pra você, se o passado foi assim tão bom, porque diabos as mulheres lutariam pra chegar onde chegaram hoje? Masoquismo?
Elas lutaram pra mudar porque não tava bom, cacete!

Sem contar essa balela de "quando a economia de serviços surgiu era mais fácil trabalhar" e "feminismo dos anos 60".

Já foi mais do que falado aqui sobre o trabalho abusivo nas fábricas da revolução industrial e dos salários menores para mulheres e crianças, e da luta das mulheres contra isso.

E outra... 15 horas por dia numa fiandeira é pra proteger a mulher de carregar peso em outro lugar? Fala sério.

Carolina Lucas Paiva disse...

Uma coisa que eu acho ridícula nessa discussão com mascus (pra quem não sabe, mascu vem de masculinista, e não de masculino em geral, como eu vi um troll falando em outro post), é que eles parecem estar presos ao programa da Xuxa até hoje! Sabe aquelas competições entre o grupo das meninas e o dos meninos? Pois é.
Eles falam das descobertas e grandes feitos de homens notáveis como se fossem conquistas deles próprios, ou uma prova cabal da superioridade masculina em tudo.
Há dois erros estruturais nesse raciocínio:

1- O fato de Einstein ter existido e sido um dos cientistas mais marcantes do séc. XX diz respeito somente a ele. Porque os mascus se sentem tão merecedores de créditos e louvores pelas descobertas de outras pessoas?
Mascu, se você quer ser reconhecido pela sua superioridade, ou maior utilidade, comece fazendo algo pelo mundo VOCÊ mesmo. É muito fácil vir falar que "homens são melhores em tudo" quando você se baseia nos feitos de outros para se vangloriar.

2- Só por que vocês não conhecem mulheres que realizaram grandes feitos na História, não significa que elas não existiram, mas somente que vocês não procuraram saber sobre elas. É fácil manter o mito de que "os homens construíram a sociedade sozinhos" (detalhe, OUTROS homens, não vocês mascus) sem procurar saber sobre o papel que mulheres desempenharam nas ciências.

O mesmo exemplo vale para os trabalhos braçais.

EneidaMelo disse...

Eu ia postar o mesmo trecho que a Mirella postou. O Leandro sequer se deu ao trabalho de ler o link que ele mesmo postou. É má-fé ou preguiça Leandro?

Segue links de representações de escravos na agricultura. Conte-me como não há mulheres na agricultura...

Na época da escravidão, escravidão no campo:
http://3.bp.blogspot.com/_I0nWXM6CzBA/SoL_ZkcwFoI/AAAAAAAAAu4/IztkEFs0MPM/s1600-h/escravos+trabalhando+no+campo.jpg

2ª Foto - imigrantes trabalhando na lavoura:
http://profcmazucheli.blogspot.com.br/2009/10/agricultura-brasileira-historico-da.html

Épocas anteriores, outras culturas ocidentais:
http://www.google.com.br/imgres?q=escrav+agricultura&start=196&hl=pt-PT&sa=X&biw=1217&bih=588&tbm=isch&prmd=imvns&tbnid=HymuqpQ56xbPrM:&imgrefurl=http://fehet.blogspot.com/2011_01_01_archive.html&docid=hToTuZgYtNS7TM&imgurl=http://1.bp.blogspot.com/_PXkzGcPGbHc/TAsVLvNhl2I/AAAAAAAAAMs/kee6Fc7-NsY/s1600/Mita%252Be%252BEncomienda.jpg&w=373&h=290&ei=qfhhUJCyO-ar0AHx4YC4Dg&zoom=1&iact=rc&dur=2&sig=108870584529149096978&page=9&tbnh=124&tbnw=168&ndsp=25&ved=1t:429,r:22,s:196,i:75&tx=88&ty=76

Ex-Masculinista disse...

Eu conheci um masculinista, antifeminista radical... QUE ERA ABORTEIRO!!! ELE ABORTOU CRIANÇA DA NAMORADA FAZENDO CHÁS DEMONÍACOS!

Mordred Paganini disse...

A ideia de que o trabalho braçal, o "serviço pesado" deve ficar a cargo apenas dos homens é uma construção histórica muito contextual.

Em algumas sociedades as mulheres são as que carregam peso.

Isso sem falar que, ao longo da história e ainda hoje em muitas sociedades a agricultura é feminina.

Mas esquece Lelé, você vai continuar achando que os homens fizeram tudo sozinhos, embora você mesmo não tenha feito PORRA NENHUMA.

Qual a sua cidade? Gostaria que eu indicasse profissionais qualificados pra você. Sem zueira, estou falando muito sério. Você precisa de ajuda!

Anônimo disse...

Respondendo ao Lucas:

""""E desde qualquer divisão sexual do trabalho foi feita pra proteger alguém?"

A divisão de trabalho não foi feita para proteger ninguém, mas sim para dar trabalhos que sejam mais adequados às diferenças de cada um, como trabalhos que requerem esforço físico para homens e trabalhos que requerem maior habilidade manual para mulheres...


"""Mas recado pra você, se o passado foi assim tão bom, porque diabos as mulheres lutariam pra chegar onde chegaram hoje? Masoquismo?
Elas lutaram pra mudar porque não tava bom, cacete!"

Na verdade não foram todas as mulheres, mas sim um grupo delas. O que aprendi é que o feminismo foi criado inicialmente para colocar a mulheres para fazer vários trabalhos "braçais" em indústrias para assim acelerar a evolução industrial e ao mesmo tempo poder diminuir os salaçríos dos funcionários, portanto o início do feminismo era o de empresários (como Rockfeller) para baratear a produção colocando as mulheres para fazerem trabalhos em condições ditas por alguns como desumanas... mas depois o feminismo evoluiu para um movimento com cara própria e inclusive começou a ser apoiado por esquerdistas.


A "igualdade" que as feministas buscavam já foi atingida há bastante tempo e até superada, pois atualmente as mulheres inclusive têm direitos "constitucionais" que os homens não têm e ainda por cima elas têm ferramentas judiciais que as permitem de atacar diretamente qualquer homem, invertendo o princípio básico do Direito de "todos inocentes até prova ao contrário" para um novo princípio de "todos culpados até prova ao contrário caso uma mulher tenha feito tal denúncia".

Não apoio o ódio entre homens e mulheres, pois estas "brigas internas" da civilização (como briga entre religiões, etnias, gêneros, etc.) só atrasam nossa evolução.

Não havia nenhum movimento antigo de ódio às mulheres (a não ser talvez na Grécia onde os homens tendíam a ser homossexuais), mas sim um "consenso masculino" de que as mulheres e crianças (crianças também) deviam ser protegidas a qualquer custo... Não concordo e julgo que a maioria das mulheres aqui não concordam que vocês devam montar um movimento de ódio contra os homens.

Todas as mulheres sempre tiveram o direito de serem executivas, tanto que há várias mulheres que eram estudiosas, filósofas, etc. Inclusive, há mulheres que se comportam como homens no meio de trabalho e ainda têm um marido feminilizado dentro de casa apoiando a carreira dela... só que é óbvio que elas não íam aos trabalhos onde havia alta taxa de mortalidade de funcionários (deixando os homens morrerem) como ser mineiradora, etc. Preferíam que elas se concentrassem em fazer mais filhos e cuidassem deles, pois a taxa de mortalidade infantil no passado também era alta e eles precisavam de mais homens para reporem os que morríam...


Talvez muitas pessoas aqui não concordem, mas a "definição" de feminismo que me mostraram é que o feminismo "atualmente" é um movimento com 3 objetivos:

1 - retirar direitos dos homens e dar estes direitos às mulheres (não querem deixar os mesmos direitos aos homens, mas somente à elas);

2 - Punir os homens;

3 - repetir os 2 primeiros objetivos indefinidamente.


Estas são só algumas opiniões minhas.
Não sou nenhum frustrado, namoro sim só que de forma moderada para não atrapalhar os estudos e julgo que tudo deve haver um "equilíbrio", que cada assunto têm vários pontos de vistas diferentes e que para sermos justos, precisamos analisar todos os pontos de vistas (não sou um dos especialistas em ideologias, religiões, etc. mas só vim aqui dar uma opinião da forma mais imparcial que posso dar, não me levem a mal). Isto foi o que discutiram comigo, mas é claro que algo que eu digo pode estar errado...

Lucas Cameron disse...

Admito que infelizmente, já fiz parte dessa "creche", mas me ocorreu algo que fez eu mudar minha conduta e visão. Eu arrumei um emprego! (Não, não é piada, por mais irônico que pareça o comentário)

Hoje em dia, eu vejo os fóruns "da real" (real estupidez) se baseiam unicamente em três objetivos:

* Dizer o quanto as mulheres são vagabundas, sem caráter e manipuladoras enquanto incentivam o adultério e que não é errado trapacear na vida, para com os "confrades";

* Pregar o quanto os cafajestes são amorais, entretanto, postar mil livros de técnicas PUA's para "apavorar nas baladas";

* Dicas de academia, saúde, estética em geral;

E ISSO TUDO SOB A CONDIÇÃO QUE, ELES "CAGAVAM E ANDAVAM" PARA A APROVAÇÃO FEMININA.

Ian Leigh. disse...

Oi, Lola. Tudo bem? Eu estava pensando o seguinte: já parou pra pensar que, em vez de você disseminar mais ódio, você não deveria tentar ajudar essas pessoas? Digo ajudar com posts falando onde eles erram nas teorias deles sobre mulheres (sobre o que elas gostam, por exemplo), porque na verdade é gente que precisa muito mais de ajuda do que de risada na cara. Aí, talvez, haveria uma boa oportunidade de debates.

Valeu!