domingo, 27 de maio de 2012

O GRANDE SUCESSO DA MARCHA DAS VADIAS

Pelas fotos e vídeos que pude ver, as várias Marchas das Vadias realmente tomaram o país ontem em pelo menos 14 cidades. Hoje tem mais, em Belém e Porto Alegre, e ainda haverá outras nos próximos dias. 
Pelo entusiasmo das participantes e também dos participantes (já que, em todas as marchas, tem muito homem bacana que protesta junto), pela consciência política que esse ativismo incita nas manifestantes, até pela vasta divulgação na mídia tradicional, não se pode negar que as marchas sejam um sucesso. Só não sei até que ponto a mensagem é entendida por pessoas leigas, sem nenhum envolvimento com feminismo, luta política, movimento estudantil, nada. Não estou falando dos machistas -- a gente sabe como qualquer protesto por direitos é "entendido" por eles --, mas de pessoas comuns mesmo. 
Mas esta foi apenas a segunda edição e temos muito chão pela frente. E claro que a resistência contra qualquer um de nossos avanços é e será forte. Quanto mais conquistas, mais resistência. É sempre assim. Se olharmos por esse lado, a indignação dos machistas é um claro sinal de que estamos conseguindo mudar o mundo.
Selecionei algumas fotos que mais me agradaram. Uma escolha totalmente pessoal. Há cidades que tiveram a marcha e não encontrei fotos, só vídeos (como este animadíssimo da marcha em Natal, ou este que deve ter sido o começo da marcha em Vitória).
Adorei esta frase, "Eu não vim da sua costela, é você que veio do meu útero". Apareceu em diversos lugares. Esta é da marcha de SP.
Esta frase captada na marcha de Florianópolis (ou será a de Brasília?) também é ótima: "Quero borrar meu batom e não meu rímel". O pessoal que não entende os propósitos da Marcha das Vadias também vai quebrar a cabecinha pra entender esse cartaz.
Na marcha de Belo Horizonte, manifestante segura cartaz que já virou um belo grito de guerra.
Super cheia a marcha de BH, hein? Adorei o cartaz de "Respeito é bom e a gente goza", que pode ser visto neste ótimo vídeo da marcha de BH.
E a Tetê, esta menina fofa na marcha de BH, adaptando o clássico "Meu corpo, minhas regras", desde já vira a mascote das marchas.
A única foto que encontrei até agora da Marcha das Vadias de Florianópolis.
Antes da marcha de SP começar, manifestantes se reuniram para bolar cartazes. Obviamente que os cretinos usarão talvez o único cartaz escrito errado (mexer com ch, não na foto) pra inviabilizar o feminismo em todo o mundo. Vão se catar, reaças!
A gloriosa marcha de SP em plena Rua Augusta. Quanta gente! Parabéns, pessoal, por tornar a marcha de SP um evento com organização coletiva e claramente feminista.
Na marcha do Rio, manifestante usa seu corpo para promover uma revolução.
Dizem que houve um princípio de tumulto na marcha do RJ, quando @s manifestantes passaram em frente à uma igreja. Mas, a julgar por esta notícia na Folha, é uma não-notícia (quer dizer, percebam à ênfase dada à "confusão" com o restante das linhas dedicadas ao fato). Aliás, baseando-se nesse episódio, a grande mídia tratou a Marcha das Vadias da mesma forma que trata qualquer manifestação social: como baderna. A manchete do Jornal do Brasil é "Marcha tumultua Copacabana". Pros conservadores, protestar é sinônimo de tumultuar.
A gente pode -- e deve -- gritar contra o reacionarismo da igreja, só que não precisa entrar em uma pra isso. Enfim, não sei o que aconteceu, e desculpe, não parece importante. E não sei se este vídeo é referente ao "tumulto", mas gostei de como as manifestantes enfrentaram os policiais: "a rua é nossa!".
A faixa principal da Marcha das Vadias, Recife, 2012.
Várias manifestantes da marcha de Recife protestaram contra o professor da UFPE, que foi condenado pela Justiça por abusar de uma orientanda, mas continua dando aula (pois cabe recurso). Tenho recebido emails de alunas da UFPE perguntando o que podem fazer -- elas não querem ter aula com uma pessoa dessas, mas também não querem atrasar sua graduação. Como é que fica, UFPE?
Esta é de Brasília. O manifestante usou uma frase daqui do blog, que honra! Mas acho que resume bem: nosso barulho é permanente. E o seu machismo?
Acostumem-se: viemos pra ficar. 
Desculpem usar este espaço, mas daqui a pouquinho viajo pra Campinas. Amanhã, às 17:30, estarei na Unicamp (Anfiteatro do IEL, no corredor da pós-graduação) para uma mesa sobre o machismo na universidade. Também estarão na mesa representantes da ANEL (Assembleia Nacional de Estudantes - Livre) e do coletivo feminista Rosa Lilás. Tem uma página no Facebook sobre o evento, que vai contar com várias outras atividades fascinantes, em outras datas. Pessoas de Campinas, apareçam! 
Ainda não sei todos os detalhes, mas dia 4 de junho (ou seja, não amanhã, mas na outra segunda) estarei em João Pessoa para uma palestra nos Correios. A organização reservou trinta vagas para o público em geral. É grátis, é só se inscrever pelo email ascom-pb@correios.com.br (passo mais detalhes num post mais pra frente).
E só vou poder falar do lançamento do meu livro (segunda passada, em SP) na semana que vem. Foi muito bom, veio um monte de gente, recebi vários chocolates, presentes e abraços, e ainda consegui vender 45 exemplares! Lá pela metade de junho quero fazer uma noite de autógrafos aqui em Fortaleza também. Eu aviso.
Por enquanto, o livro pode ser encontrado nas livrarias Edusp (se não tiver, pode encomendar) ou pelo televendas (11) 3091-4150 ou 3091-4008. É ridículo, eu sei, mas ainda não tenho um link pra vendas pela internet.
Agora preciso sair correndo! Pego o voo em breve. E lógico que ainda não preparei nada pra amanhã.

112 comentários:

Daniel disse...

Fantástico. Adoraria ter participado (tinha um oceano no caminho, mas da próxima espero estar lá!)

Infelizmente, as seções de comentários dos jornais (Terra, Folha, etc) estão cheias de gente que não entende MESMO a idéia da marcha. Mas quem sabe depois da 3a ou 4a marcha, eles resolvam gastar o tempo que eles gastariam escrevendo comentários idiotas procurando informações sobre a marcha, e feminismo. Quem sabe...?

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Acho muito legal a ideia da passeata, mas confesso que tenho minhas ressalvas, fico sem saber se a maioria das pessoas consegue compreender a ideia.
Ontem estava lendo os comentários de uma matéria de um jornal a respeito da marcha, eram uns duzentos comentários, a maioria masculinos, e infelizmente a maioria se dividia em dois grupos: uns que ficavam avaliando os corpos das mulheres nas fotos, como já fazem no dia a dia (a matéria deu destaque pra fotos de mulheres que protestaram com seios à mostra) e outros com aquele discurso machista do tipo "esse mundo está perdido, elas não se dão ao respeito". Uma minoria fala da marcha dentro do seu contexto.
Parece que a maioria não capta a mensagem, então não sei se a passeata atinge o objetivo.

cuteychao disse...

A foto não identificada é da Marcha de Brasília, da qual tive o prazer de participar. :)

Blanca disse...

Essa do manchar o rímel... tipo, chorar?

Boeiei.

AAAAAH, MARAVILHOSAS AS FOTOS! Fui ano passado na Marcha do Rio, mas esse ano não pude, tive aula. Ano que vem to lá! ♥

Daniel disse...

@Laurinha, manifestações sempre costumam ter algum dilema do tipo "clareza na proposta x alcance". Se não fosse o nome, e as roupas provocantes (ou ausência delas) talvez a manifestação não ganharia tanta visibilidade, e se ganhasse, talvez focaria em alguns pontos mais específicos, como violência sexual.

Muitas pessoas concordam que estupro seja errado, mas acha que encarar os peitos de uma mulher no ônibus é perfeitamente aceitável. E o caráter "agressivo" (como alguns acham) da marcha ataca esse ponto, coisa que uma manifestação "comportada" possivelmente não faria.

Dafne disse...

Olá Lola!

Descobri seu blog há um tempo, e gostei muito dele. Com você aprendi a me indignar com o machismo e a violência contra a mulher disfarçada no nosso dia a dia. Aprendi a ser mais crítica, inclusive comigo mesma. Foi a partir do seu blog que conheci outros blogs feministas, e hoje posso dizer com orgulho que SOU FEMINISTA, porque não concordo com a desigualdade de gênero que a gente ainda vive, porque não tolero piadinhas machistas estúpidas e acho que somos todos SERES HUMANOS independente de sermos mulheres ou homens, por isso deveríamos ser tratados de maneira igualitária.
Bom, eu sou de Campina Grande, na Paraíba, e aqui no nosso estado não se vê muita mobilização a favor dos direitos das mulheres, por isso eu e uma amiga pensamos inicialmente em organizar uma Marcha das Vadias por aqui, mas depois expandimos a ideia e pensamos em fazer um evento maior, com palestras, debates, exibição de vídeos e etc, sobre feminismo e direitos humanos e a Marcha das vadias seria apenas uma parte do evento. Ficamos empolgadíssimas com a ideia, e já estamos articulando as coisas. Conhecemos muita gente que se identifica com a causa, homens e mulheres, e acho que o evento seria muito importante para a Paraíba. Por isso eu gostaria que você me indicasse alguma leitura sobre esse assunto, sobre feminismo e tal, porque acho que sou uma feminista por identificação da causa, mas tenho pouco embasamento teórico. Se você pudesse me ajudar eu agradeceria bastante. Idéias sobre temas também são muito bem vindas! :D

Abração Lolinha, desde já agradeço
P.S.: Por favor, entra em contato comigo? Queria muito mesmo sua ajuda! dafne.campos@hotmail.com

Rose disse...

Adorei ver que aumentou o número de homens nos apoiando(os HOMENS, não os machistas). Mas me entristece ver que algumas (muitas) mulheres fazem campanha contra esse movimento.

BRchanner - www.brchan.org/b/ disse...

Esse movimento, no fundo, é meio idiota. Teve uma origem idiota, uma mentora idiota (quem não se lembra de quando ela falou mal do feminismo, dando a entender que feministas são lésbicas ou coisa assim?) e apoia uma causa idiota. No fundo, acho que só existe porque há falta de outra movimentação feminista mais bem fundamentada e organizada que essa.

Nascimento, Lilian S. disse...

Adoreeeeeeeeeeeeeeeeeei!!!!!!!!!!!!!!
.
Eu n~çao vi mda sua costela vc que veio do meu útero! hahahahahaha

PERFECT

nina disse...

Eu adorei ver as notícias. E gosto de pensar que mesmo os leigos, como vc disse, se não sabem o que está acontecendo podem muito bem chegar e perguntar: e aí, qual a parada?
Sei que não vai mudar a opinião de todo mundo, mas prefiro acreditar que pelo menos alguns vão perguntar, ouvir algo sobre o movimento e pensar sobre o assunto - nem que seja por alguns minutos. Revoluções não acontecem do dia pra noite, mas aos poucos, acredito que as mudanças acontecem. Só a gnte não desanimar.
Super queria uma dessas aqui na cidade, mas vai eu falar disso =/

Renan Rosenstock disse...

Eu acompanho o blog tem algum tempo, e o acho bem importante, porque a gente deve lutar sempre, e pra me alertar sobre alguns comportamentos que não reparo, mas que podem ser reproduções ideológicas machistas (eu, na condição de professor, sei bem como as coisas são difíceis, como o respeito e a luta por igualdade é difícil). O que me intriga, me desanima, me deixa bem triste é ver como as pessoas lidam com isso, como a opinião pública lida com isso. Aqui em Cuiabá, o que o jornal destacou foi "luta pelo aborto" (também pode ser, mas não só) e aí vieram os ataques. Mas vai sair uma nota de repúdio e espero que ocorra tudo bem (a marcha aqui será no próximo dia 2). Voltando à opinião pública, ontem me detive a ler os comentários da notícia do G1, sobre alguém ter invadido a igreja, e diz que era uma missa para crianças e tal... aquele blablabla de sempre da mídia que representa "o homem de bem" (o que eu mais temo nesse mundo). Pois bem, li cada, mas cada absurdo, cada xingamento, cada coisa, que fiquei bem mal, porque, por um momento, não pensei que pudéssemos (nós, seres humanos) ser tão baixos, tão vis e mesquinhos. Mas acho que é isso mesmo. As coisas que chocam e desconfortam a opinião pública são as que, futuramente, fazem efeito (espero eu, na minha crença de mundo melhor). Acho que uma hora esse "homem de bem", que se diz "honesto, cristão, trabalhador e preocupado com o futuro do Brasil", vai sumir. E aí seremos somente humanos, com nossos entraves, confusões, mas também planos e esperanças. E que sejam coisas boas, porque agora anda tudo muito difícil (desculpe o tom de desabafo).

Sandra disse...

Lola, já divulguei isso em algumas comunidades feministas do Facebook mas acho que preciso de sua ajuda pra dar visibilidade a isso aqui também.

Campanha "Universo Masculino" do Carrefour (e-mail marketing, recebi hj):

http://img.carrefour.com.br/emailmkt/20120527/20120527_email_universo_masculino_v2.html

Home Theater, TV, frigobar, churrasqueira...

Devemos supor, então, que às mulheres cabe o micro-ondas e a geladeira do Dia das Mães? Até quando as empresas continuarão a perpetuar más práticas como essa?

E mais: até quando as consumidoras ficarão quietas sobre isso?

Achei lamentável. E ainda está muito longe do dia dos pais para usarem essa desculpa.

Um beijão

Anônimo disse...

'Acho que uma hora esse "homem de bem", que se diz "honesto, cristão, trabalhador e preocupado com o futuro do Brasil", vai sumir.'

Espere sentado então.Até a quadrilha que está no poder hoje sabe muito bem que a maior ameaça pra eles na conquista da classe C é a força e o crescimento das igrejas evangélicas.
Ainda bem.

Anônimo disse...

Que coisa boa as muheres estão acordando e vendo que o mundo não é pra ser assim como esta,mas ele pode ser mudado pra melhor com direitos iguais entre homens e mulheres,vamos a luta companheiras e não liguem para o que os machistas falarem eles só estão fazendo o seu papel de brutamontes mas até os piores brutamontes não podem ir contra o progresso e melhoria social para sempre.

Sandra disse...

PS: mandei um e-mail ao SAC do Carrefour a respeito disso. Se vai dar em algo eu não sei, mas aprendi faz tempo que machismo a gente combate abrindo a boca.

Ludmila disse...

Lola, que honra a foto da Tetê, aqui!!! :-) A mãe sempre se inspirou nesse blog! ;-)

Anônimo disse...

hahaha, só falta o carrefour pôr mulher pra vender. Não me admiraria.

Anônimo disse...

Que coisa fofa,até arrepiei aqui,vendo essa garotinha com o cartaz,quem dera essa corrente pegasse todas,desde a mais tenra idade.


Cética

Mariana disse...

Lola querida, a segunda foto também é da Marcha das Vadias de Florianópolis!
AMO O SEU BLOG. Acho que consegui compreender e abrir a minha cabeça pra muitas coisas das quais antes eu não entendia muito bem.
Fui na Marcha e não me arrependo. Vi muita gente ler o meu cartaz e sorrir, apoiar, bater palmas, cantar com a gente. Vi muitas pessoas também(homens e mulheres) torcendo o nariz e virando a cara. Mas esses na verdade foram poucos. Muitos olharam com curiosidade. Com o passar da marcha, várias meninas distribuíram panfletos explicando os objetivos da marcha.
Acredito que a violência não é só sexual, É PSICOLÓGICA. Vai dizer, eu mesma já me senti tantas vezes pressionada pra estar sempre "apresentável". Pra tentar seguir um padrão. Hoje eu procuro me afastar de tudo isso.. Não quero ninguém me dizendo o que eu tenho que usar, que numero de calça eu tenho que entrar nem que profissão escolher. A propósito, vou ser professora de História COM MUITO ORGULHO, e pretendo depois me especializar e fazer meu mestrado em História da Arte e museus. Lola, você me ajudou nessa mudança de comportamento e pensamento, acredito muito!!! E te agradeço, de coração pelos textos, pelas críticas construtivas que li aqui. Se apegue em quem te quer bem, nas mulheres e nos homens que encontram aqui muitas respostas e muitas perguntas (pq não? perguntas que passam e repassam na cabeça).
Venho aqui desde o ano passado e pretendo continuar.
A Marcha teve o propósito de incomodar mesmo, incomodar todas as pessoas que acham que mulher é só objeto, é só carne, vendedoras de sexo. Se mulher gosta de sexo, ela tem o direito de fazer com quem ela quiser, quando ela quiser, o corpo é dela. E tem o direito de ser o que ela quiser. É só uma questão de RESPEITO.

Amanda Pavani disse...

Ei Lola!
Então, essa foi minha primeira marcha! Foi maravilhosa. As partes em que passamos pela rua guaicurus aqui em BH, e as prostitutas acenaram das janelas, as velhinhas dos condomínios de classe média, sem falar de que tava super cheio - os jornais variaram uma contagem entre 200 e 3000 pessoas, mas foi definitivamente mais de 1000 quando chegamos na Praça da Liberdade... A gente tem a impressão de que realmente está ocupando a cidade em que vive, e não sendo restrito por ela. Estou confiante que a causa só ganha com isso!

Carol M disse...

A marcha aqui do rio foi maravilhosa! O lance da igreja foi o seguinte. Pessoal entrou na escadaria e hall da igreja, e não na parte onde tem os cultos. E do hall e escadarias cantamos versos pró legalização do aborto. Depois td mundo saiu e a marcha continuou pra delegacia da mulher como previsto.

Mastrianni disse...

O vídeo da marcha do Rio de Janeiro que mostra bate-boca com policiais não foi na hora da igreja,foi assim que a gente ia começar a marchar. Eles queriam impedir a marcha se sair! Mas a rua é nossa.

Sara disse...

Lola acho q vc tem uma boa parcela de responsabilidade por essa marcha estar se popularizando cada vez mais, a primeira vez q ouvi falar o termo "Slut walk"foi aqui no seu blog, e foi atravez dele que vc nos explicou o significado dessa marcha que começou no Canada.
Hj passei o dia vendo noticias , imagens e videos que ja foram postados sobre todas as marchas que aconteceram em nosso pais.
Tenho muito orgulho de ter participado, tentei mobilizar o maximo de pessoas do meu circulo de amizades, e bem verdade que bem poucas entenderam e foram, mas minha expectativa é que esse movimento cresça cada vez mais, tenho muita fé nisso, pois ja vivi o bastante para perceber que as coisas só mudam se saimos do nosso conforto e corremos atraz dos nossos objetivos.
E a julgar pelo número de pessoas que se engajaram no pais inteiro, não devemos estar muito longe do que pretendemos, que nada mais é do que igualdade e respeito.

Geíza Bolognani disse...

Já que perguntou...
Minha opinião - de mulher normal - aqui: http://insanidadetemporariabyge.blogspot.com.br/2012/05/marcha-das-vadias-serao-mesmo.html
Abraços e beijocas.

Claudia disse...

Fui na marcha em BH e foi realmente um sucesso, tinha muita gente. Mas estou sentindo falta de uma cobertura jornalistica de verdade sobre o assunto. A maioria dos comentarios dos leitores dos jornais mineiro sao preconceituosos e machistas, no entanto a propria reportagem nao ajuda e os editores escolheram as fotos das mulheres mais descobertas para ilustrar a materia. Assim como a Laurinha disse no comentario acima, tenho um pouco de ressalva com relacao a marcha, mas nao me impede de participar porque acho que tem que ser feita de qualquer forma. Gostaria que alguem da imprensa desse mais atencao e fizesse uma materia explicando o real intuito da marcha.

aiaiai disse...

puxa, parece q a marcha aqui em vitória foi sensacional...eu não fui. é que surgiu uma oportunidade de vadiar e...me culpem! kkkkkkkkkkkkkk

carolinapaiva disse...

Marcha de Poa foi excelente! Todo mundo reconheceu e abraçou a causa feminista da Marcha.

Anônimo disse...

Sobre o professor de Pernambuco: Será que as feministas nunca ouviram falar em presunção de inocencia ? E se o sujeito for inocente ? Sabiam que a maioria das denuncias de abuso são forjadas ?

carolinapaiva disse...

"Sabiam que a maioria das denuncias de abuso são forjadas ?"

Não, na verdade a quantidade de denúncias falsas de estupro são as mesmas de qualquer outro crime. Alguns estudos apontam 3%, outros 6% das denúncias. Sem contar muitos abusos não são denunciados.

Sara disse...

http://www.youtube.com/watch?feature=endscreen&v=NuCStnCvbpI&NR=1

É bem lamentavel o que a religião prega em relação a mulher, apoiando o machismo que mata milhares de mulheres, da nojo.
Parece q a marcha das vadias incomodou essa gente, e muito.

carolinapaiva disse...

Anônimo 21:19
Mostra então, porque eu nunca vi, e pesquisei sobre o assunto recentemente.

Anônimo disse...

Lolinha, você vai gostar desse vídeo. É a marcha de São José dos Campos, interior de SP

Falou o nome de várias mulheres assassinadas por causa do machismo.

Link
http://www.youtube.com/watch?NR=1&feature=endscreen&v=yqQ2PwS5qqQ

Sara disse...

http://www.youtube.com/watch?v=UjpyB0nUR10

Esse é parte do manifesto lido antes do inicio da marcha, foi muito emocionante, tod@s ficaram comovid@s.

disse...

Fiquei toda empolgada quando vi que teve a marcha na minha cidade também, apesar de não ta morando lá, fiquei feliz sabe?

Mas agora fui perguntar pra um amigo como que foi, e ele me contou que foi ótimo e que fizeram a marcha das vadias conjunta com a marcha da maconha. Nossa fiquei muito puta, achei ridículo, nada a ver misturarem as coisas, fiquei pensando que as pessoas agora vão achar que é um bando de maconheiro que quer ficar doidão e andar pelado por ai... Já tem a confusão com o nome que muita gente não entende a ironia, misturando com drogas então, acho que seria mais difícil ainda de entender. Fora que acho que surtiria muito mais efeito pras duas causas se tivessem marchar separadas...

Mas queria outras opiniões, to sendo preconceituosa por achar isso, ou realmente faz algum sentido o que pensei?

Maria Beatriz disse...

A Marcha das Vadias em BH foi linda, Lola! Escrevi sobre no meu blog: http://biacentrismo.blogspot.com.br/2012/05/ei-machista-meu-orgasmo-e-uma-delicia.html

=*

@vbfri disse...

"Sabiam que a maioria das denuncias de abuso são forjadas ?"

Sabia que não? E sabia que a grande maioria das mulheres (2 em cada 3 ou 3 em cada 4, dependendo da pesquisa) já sofreu algum tipo de violência sexual? E que aproximadamente 10% delas denuncia? E menos ainda vai parar nos tribunais? E que muitos casos acabam não dando em nada por falta de provas? E que isso é um pesadelo para qualquer uma? E que, normalmente, quem é abusada sexualmente não é abusada só uma vez? E que, normalmente, as mulheres são abusadas, violentadas, espancadas e assassinadas pela própria família (pai, marido, etc)?

Pare. Pense. Reflita.

Forjado é o seu nariz.

@vbfri disse...

Sobre o professor de Pernambuco e a "inocência presumida":

Se ele estivesse sendo processado por um furto de uma galinha, ou por falsidade ideológica, ou qualquer coisa do gênero, seria mais fácil aceitar que ele estivesse dando aula.

Mas existe uma coisa: ele poderia (deveria, na verdade) ser afastado do cargo até a solução definitiva do caso.

Afinal, se há a suspeita de um professor abusando sexualmente de um(a) aluno(a), me desculpa, mas não dá para ficar esperando o trânsito em julgado de uma sentença penal condenatória com ele na sala de aula.

Para quem estuda lá: força e muito protesto nessa hora.

Eu não aceitaria ter aulas com o suspeito de um crime sexual. Aliás, nem de um crime contra a vida.

E eu, como cidadã me reservo esse direito, ainda que atrase a minha formatura.

Fora que isso é um tapa na cara de quem o denunciou.

Sério, se as pessoas soubessem o quanto é difícil fazer uma denúncia dessas, não falariam umas baboseiras como tenho ouvido/lido por aí.

BETO disse...

Lola, achei seu livro, por enquanto, nesse link.

http://www.travessa.com.br/ESCREVA_LOLA_ESCREVA/artigo/DBC83EB8-3D44-4BC0-8903-F8D0B49D8BF9&pcd=028?utm_campaign=buscape&pcd=43

Anônimo disse...

"Sabia que não? E sabia que a grande maioria das mulheres (2 em cada 3 ou 3 em cada 4, dependendo da pesquisa) já sofreu algum tipo de violência sexual? E que aproximadamente 10% delas denuncia? E menos ainda vai parar nos tribunais?" - E cadê a fonte? Cadê as pesquisas dizendo isso? Por outro lado, há pesquisas revelando q 2 em cada 5 acusações de estupro são falsas.

Anônimo disse...

"Tem pesquisas que dizem que 40% das acusações de estupro nos EUA são falsas..."[citation needed]

LisAnaHD disse...

mecher... mexer... deichemos de lado a orthographia ao menoz uma veiz, minha jente, gente. oxente!ochente!

@vbfri disse...

Google it. Se estivesse no computador, postaria o link para uma reportagem da Globo que está bem razoável. 10% ainda é número otimista, pelo que a vida me leva a acreditar.
Tenho um monte de dados para rebater seus argumentos (afinal, você esta usando dados de uma pesquisa dos EUA e querendo aplicá-la ao Brasil? Tipo, se lá acontece isso, aqui também é igual?
Mas vou economizar meu tempo. Se quiser conversar, no meu blog tem meu email e o meu nick aqui é o mesmo do twitter. Não vou perder tempo com anônimos.

Citations disse...

Tá bom então:

Jordan (2004): 41% ("false" claims), 38% (viewed by police as "possibly true/possibly false")
Gregory and Lees (1996): 45%
Harris and Grace (1999): 10.9% ("false/malicious" claims), 25% (recorded by police as "no-crime"), ou seja, 35%.
Grace et al. (1992): 24%

Querem mais?
Agora falta a vocês citarem as pesquisas q dizem q "2 em cada 3 ou 3 em cada 4" mulheres já foram vítimas de alguma violência sexual.

@vbfri disse...

Achei uma reportagem sobre isso. E o que ela diz é qe 40% dos casos são INOCETADOS por diversos motivos: falta de provas, palavra dele vs palavra dela, etc. UM dos motivos é alegação falsa de estupro. Mas a própria reportagem deixa claro que é muito difícil saber qual é essa porcentagem.
Lembrando que o abuso sexual muitas vezes não deixa uma marca sequer (não é como roubar um carro ou uma jóia), que se obtem provas de forma fácil.
E outra reportagem diz que 40% dos policiais americanos abusam das mulheres.

lola aronovich disse...

Queridas, vcs juram que querem ficar discutindo estatísticas sobre estupro com mascus?! Mascus não acreditam que estupros existam. Quer dizer, só nas cadeias, contra os homens. E acabou. De resto, eles acham que estupro é coisa de mulher que “se arrependeu de dar”. Alguns mascus, feito esse Fábio aí, diz defender castração e pena de morte para estupradores. A gente não sabe muito bem que estupradores são esses, já que mascus não acreditam na existência de estupros. Mas digamos que eles acreditem em algum caso. Aí eles pregam pena de morte. E acham que nós feministas queremos castração e pena de morte para estupradores. Conheço pouquíssimas feministas que defendam isso. A maior parte de nós é humanista. Defende punição, mas também reabilitação. Sem falar que feminista é inteligente (ao contrário de mascus) e sabe que apenas 20% a 30% dos estupros são aqueles clichês que nos ensinam a temer desde criancinha (rua escura e deserta à noite, homem estranho escondido etc). A enorme maioria dos casos de estupro é cometida por conhecidos da vítima (amigo, parente, etc). E são justamente esses casos que são os menos denunciados.


Mariana querida, a segunda foto é da marcha de Floripa ou de Brasília? Agora fiquei na dúvida... Muito obrigada por todo o carinho! Fico muito feliz em saber que eu te influencei um pouquinho. E siga em frente! O mundo precisa de mais professor@s de História!

lola aronovich disse...

Amanda, parabéns pela sua primeira marcha! Não é o máximo? É tão legal todo mundo protestar junto... Uma energia muito boa mesmo.


Ludmila, vc é a mãe da Tetê? Ah, que fofa ela! Adorei a carinha que ela fez pra foto. E o cartaz ficou lindo, meu corpinho, minhas regrinhas. Muito criativo!

@vbfri disse...

40% possibly true/ possibly false = não temos a menor ideia do que aconteceu. Me diz agora qual é a porcentagem que é processada por falsa comunicação de crime? Pq se o governo acha que houve comunicação falsa, pode ter CERTEZA que processa. Aliás a pena para isso no Brasil é (ou era) de 9 a 12 anos de prisão (salvo engano). Crime bem sério.
Você acha que estupro não acontece? Que a Xuxa contou historinha para ganhar audiência?
Eu fui molestada quando criança e não tive qualquer marca. Então é mentira né? Vamos tapar o sol com a peneira...

@vbfri disse...

Verdade, Lola. Vou ignorar, me jogar nos braços de Morpheu e curtir uma bela noite de sono.
Beijos.

Anônimo disse...

Acho esse nome de marcha das vadias um pouco infeliz. Sei q tem um contexto histórico, que há ironia por trás d nome e etc, mas simplesmente não ajuda, não esclarece o objetivo. Muita gente acha q é protesto sobre prostituição. Tb acho totalmente fora de contexto o ato de mostrar os seios. Qual o propósito? A menos q haja algum simbolismo nisso e eu não esteja sabendo interpretar. Nesse caso, me desculpem a ignorância.
Aliás alguém q esteve no protesto poderia por gentileza me esclarecer um fato: Ouvi dizer q a confusão na igreja em copacabana foi pq uma das manifestantes entrou sem blusa na igreja, durante o culto. Como a mídia, principalmente globo, folha e etc adoram uma mentirinha, não tenho muito como saber a verdade. Vcs q foram a marcha, isso é verdade ou exagero da imprensa?

Anônimo disse...

Não é coisa de mascu, Lola. É a realidade. Há poucos dias lí uma notícia de um americano que 10 ANOS depois de ter sido condenado (ele já tinha cumprido a pena de 6 anos), a própria "vítima" confessou que mentiu. E não é primeira notícia que vejo sobre isso. Agora, pense se este e outros inocentes presos que ja foram ou ainda estão presos por estupro (que segundo as estatísticas não são poucos, representam de 20% a 45% dos presos por este crime). Os outros presos não perdoam, Lola. Você sabe disso. Um homem ser preso por estupro ou crimes contra a criança (nesse caso qualquer crime: seja espancamento, maus tratos...) é a pior coisa que pode acontecer. Os outros presos espamcam, abusam sexualmente e fisicamente... Se realmente cometeu o crime, tá pagando justamente. Agora, se for inocente, é a pior coisa que pode acontecer na vida de um homem.

Mariana disse...

Oi Lola, obrigada pela resposta. Não saio mais daqui agora! Parabéns pelo blog.
E a 2ª foto de cima pra baixo é sim, pq tem uma amiga minha logo no canto direito e umas meninas da UFSC no meio... eu estava lá atrás, não apareci nessa foto! :)
Beijão!

Anônimo disse...

Agora, se for inocente, é a pior coisa que pode acontecer na vida de um homem.

Ué, e as multidões de mulheres INOCENTES passam na mão dos abusadores todos os dias e continuadamente? só é a pior coisa se a pessoa for homem. Sei.

Laura disse...

a Marcha das Vadias de BH foi maravilhosa, maravilhosa. pra gente como eu foi mais emocionante ainda, a primeira oportunidade de se manifestar, de fazer algo pela causa feminista. teve momentos fantásticos. teve a hora em que uma moça, velhinha, hasteou um pano de prato como uma bandeira, sorrindo, de uma das janelas do centro, e todo mundo aplaudiu (foi bonito, foi afirmativo, foi solidário, foi pessoal, foi orgulhoso); teve a moça que foi toda embrulhada em plástico bolha com a etiqueta "pra comer ou pra casar?" (genial!); teve a moça com seu filho pequeno nos ombros, um menininho muito fofo que segurava os dizeres "reprodução é opção, não obrigação" (quanto amor!); teve a menina muito fofa do "meu corpinho, minhas regrinhas"; teve as prostitutas que se uniram ao evento e com quem eu pude conversar de uma forma que dificilmente poderia de outra forma; os muitos homens, engajados, de batom vermelho, de vadias ou não, cheios de empatia; teve o abraço a todas as causas (contra o racismo, o machismo e a homofobia); teve tanta coisa (como a Bia disse no post dela), ah, acho que inspirador é a palavra, porque, já que a causa é genérica, o efeito é esse mesmo: o de inspirar um mundo livre, de brotar um pensamento, de acusar o machismo e sua naturalidade extra-oficial; de provocar e tudo o mais. e de motivar a luta, de a gente ver que não está só. não é nada muito concreto, é verdade, mas é muito importante. eu fui tão despreparada, e curti tanto.

mas é, como muita gente disse, também fico profundamente chateada com a má interpretação do evento. vi uma mulher, poxa vida, uma amiga, colocando a palavra mulheres entre aspas pra desqualificar as (e os) participantes. mas puxa! o sentimento na Marcha de BH era incrível. a Marcha foi feita por pessoas vestidas de todos os jeitos possíveis (todas essas pessoas muito orgulhosas em serem vadias, todas muito confortáveis). mas assim, deu pra sentir, pelo menos eu achei, que a motivação das moças seminuas não era conseguir mídia: é sério! um dos cartazes mais bonitos dizia "meu corpo não é um insulto". a sensação que passava era essa: era uma afronta ao pensamento de ponha-se-no-seu-lugar-de-mulher que elas estivessem ali exibindo seus corpos, um convite a olhar pra elas e ver a liberdade antes de qualquer outra coisa, e logo depois a bandeira, a palavra de ordem. bem contagiante, eu juro. e o evento tinha sua própria cobertura, não tava desesperado por atenção da mídia. é claro que a discussão ainda tem que acontecer, porque é claro que o efeito nefasto ainda acontece (repercussão demais sobre a nudez das moças, gente estúpida sendo estúpida, etc). mas realmente não me pareceu o objetivo, me parece que a coisa toda escapa da questão de se "os fins justificam os meios". e bom, teve cobertura bacana da mídia também, houve boas matérias. a galera na rua foi muito respeitosa, ficou intrigada, teve até aplauso. quem falou mal parece só preguiçoso de se informar. não sei como foi o alcance da mensagem, mas sei que foi muito bonito.

e todo mundo sabia muito bem que era um movimento feminista! maior exaltação ao feminismo, com o maior orgulho. um dos gritos de guerra mais legais era "se cuida, seu machista! a América Latina vai ser toda feminista!" - e eu achei particularmente fantástico o abraço aos nossos irmãos latinos nessa luta que abraça a todas e todos.

Anônimo disse...

01:36, alguém está se doendo por um inocente abusado na prisão e desconsiderando a multidão de inocentes abusadas aqui fora cujos perpetradores saem impunes.
Deve ser um homem, obviamente. Inocência por inocência, qual é a que vale mais? a do homem ou da mulher ou menina?

Anônimo disse...

se a minha filha virar uma dessas vadias, a deserdo na hora....o mesmo digo do meu filho de 7 anos se for gay...e é assim mesmo...além do mais toda feminista é assim , solteirona, sem filhos, daih arruma qualquer pé rapado lá pelos 40 anos e se diz "feliz"..como a dona desse blog...

Anônimo disse...

Deserta como? Tá falando bobagem. Se o seu filho for gay, bem feito pra você. Estou na torcida aqui para que seja. Não esquece de pisar nas calças depois.

lola aronovich disse...

Anônimo das 01:55, a maior parte das feministas que conheço está na faixa dos 30 anos, é casada (com homem) e tem ou quer ter filhos mais tarde. E, pois é, essa realmente é uma constante – é feliz. Quanto a mim, estou com o mesmo “pé rapado” desde os meus 23 anos (vou fazer 45 em junho). A situação financeira dele, que é enxadrista, logo não tinha como ser rico mesmo, nunca foi importante pra mim, ou a minha pra ele. Ele é classe média, eu também, temos tudo que queremos e precisamos. E somos felizes. Sem filhos, pois nunca quisemos tê-los. Nunca fizeram parte do nosso projeto de felicidade. Mas, né, dica: quando quiser generalizar e dizer que “Toda [qualquer coisa, no caso, feminista] é assim [monte de bobagem]”, e aí terminar com “como a dona desse blog” para comprovar que toda feminista é assim, e aí a dona do blog contraria diretamente tudo que vc disse de “toda feminista”, sei lá, meio que enfraquece seu argumento. Procure pesquisar um pouco antes.
E pena que sua filha feminista ou seu filho gay não possam deserdar vc...


É isso aí, anônimo das 1:19. Pega UM caso de um cara que foi acusado injustamente e use-o para ilustrar como toda mulher mente sobre estupros. Porque, como bem sabemos, estupros não existem. Mulher é sempre mentirosa mesmo.

lola aronovich disse...

Mariana, é que antes tinham me falado que essa foto era da marcha de Brasília. Mas se vc diz que é de Floripa...


Laura, querida, primeira marcha a gente nunca esquece! É muito emocionante mesmo, a gente se sente mais viva, sente-se parte de um todo. Participe sempre mais!

Laura disse...

aaaah Lola, é sim! minhas amigas e meu namorado e eu, que fomos todos juntos e despreparados, temos todos uns 17 anos. quando mais novos a gente pensava as coisas, se revoltava, e fazia umas escolhas desajeitadas pra tentar ser mais livre, mas eram todas pessoais. a partir do momento em que a gente descobriu o feminismo, nossas escolhas pessoais se tornaram políticas. a coisa é que a gente tem muita vontade de se engajar, mas não sabe como! não sabe por onde começar. tem esse mérito da Marcha de dar um contexto pra quem é muito novo e inquieto e não tem contato com o feminismo por outro meio que não seja a internet (que é poderosa e ótima, é claro), e de permitir que feministas de longa data e/ou de muita estrada (como você!) passem esse espírito pra nós, do que é possível fazer.

uma das cabeças do evento de BH, falando nisso, parece que tava vestida de Chapeuzinho Vermelho, mas ela tinha seu próprio machado. achei genial!

cuteychao disse...

A foto do cartaz sobre batom e rímel é de Brasília, eu conheço as duas pessoas da foto, uma é a Olívia e a outra é a mãe dela...

Claudini disse...

Oi, Lola!
Tem fotos da Marcha em Floripa aqui:

http://www.facebook.com/media/set/?set=a.317106641697071.71236.100001932121495&type=3

https://picasaweb.google.com/105332032829731289432/OCorpoFalaMarchaDasVadiasSC2012

=)

Anônimo disse...

hehe, olha quanta maldade estão fazendo com o Dominique Strauss-Khan, um senhor acima de qualquer suspeita, ex-futuro candidato à presidência da França, oh là là
Que injustiça com este pobre abusador.


http://www.meionorte.com/noticias/internacional/prostituta-acusa-strauss-kahn-chefe-da-fmi-de-estupro-coletivo-165036.html

André disse...

Eu não acredito que apareci na foto
aqui! Adorei ;D

Carol disse...

Queria muuuuito ter ido, mas eu tava ocupada :\, alguém sabe quando vai acontecer de novo?

Anônimo disse...

Outras pessoas comentaram a respeito, mas vou repetir: a cobertura midiática das marchas das vadias apaga todas as reivindicações e centra nas fotos dos corpos das mulheres presentes. Por outro lado, as próprias vadias oferecem o corpo como imagem paródica, pintado com frases etc. Contudo, o efeito geral é reduzir a marcha a objeto do machismo. Vale uma grande discussão a respeito de quais são os melhores procedimentos para as próximas marchas, sempre levando em conta, é claro, horizontalidade, autonomia e iniciativa própria.

Lorena disse...

A Marcha desse ano também foi minha primeira, e eu confesso que nunca imaginei que seria tão importante, que me empolgaria tanto. Eu nem pretendia seguir, queria ir apenas pra fotografar, como espectadora. Mas, eu digo, é IMPOSSÍVEL não se contagiar com a energia, com a vibração positiva dos manifestantes, com a alegria de estar ali, com a vontade, a garra, a luta das pessoas que estão ali.

A Marcha das Vadias de BH foi isso tudo mesmo que as comentaristas já disseram: foi MUITO bom! E acho que só vai falar baboseira quem não teve a oportunidade de estar lá ou de ver a marcha passar. Porque as pessoas das ruas, dos prédios, homens, mulheres, senhoras de idade (a senhorinha que agitou o pano da sacada do prédio arrepiou, emocionou todo mundo que estava na rua), trabalhor@s comuns, passantes comuns de um sábado à tarde no Centro de BH... observaram, aplaudiram, incentivaram (alguns tentaram tulmutuar, mas foi a minoria, e não conseguiram), sorriram, pareciam entender o que estava acontecendo, foi isso o que eu observei: EMPATIA. Se compreenderam tudo o que estava sendo reivindicado ali?? Não sei, não temos como saber. Mas a Marcha empolgou! E acho que a empatia é o primeiro passo para as pessoas aderirem, se não à Marcha, pelo menos ao propósito dela.

Ano que vem tem mais, espero poder ir de novo, levar a namorada a tira colo dessa vez (ela não pôde ir, chegou só no finzinho, quando já estávamos chegando na praça da Liberdade), levar um cartaz (se eu estiver menos tímida, quem sabe :P) e juntar minha voz a dos manifestantes. Mas fica aqui muito obrigada a todos @s organizador@s e a todo mundo que fez uma caminhada tão linda e tão simbólica, nunca vou me esquecer!

Sara disse...

Eu ja esperava q a midia não fosse dar destaque a causa feminista, acho q ja era bem patente que a midia não nos ama.
Mas meu entusiasmo se baseia no numero de pessoas que participaram desse evento, aqui em São Paulo a massa de gente foi tão grande, que ao passarmos as pessoas em suas casas e comercios saiam as ruas, muitos nos saudavam, praticamente todos iam buscar camaras e celulares para registrar, tive a nitida impressão que as pessoas ficaram muito impressionadas com o tamanho da manifestação.
Essas fotos e videos que o povo tirou no percurso ja estão invadindo as redes sociais e internet, então mesmo q a imprensa não faça seu papel a internet fara.
Outra coisa que quero registrar, adorei a organização do evento, a participação de algumas mulheres que vieram de Campinas/SP e nos proporcionaram um jogral que achei ideia de gênio, as mulheres leram um texto muito significativo, e suas palavras eram repetidas por toda a platéia que estava ali presente, portanto essas palavras ecoaram e foram ouvidas por tod@s.
Foi um momento super emocionante muitas até choraram.
A única coisa na marcha que incomodou, pelo menos a mim foi que uma das organizadoras impediu a imprensa se não me engano uma reporter da globo de trabalhar.
Essa organizadora justificou seu ato ao dizer que as cameras de TV
estavam sendo muito invasivas, e justamente citou o que a anônima das 7.43 disse, que os reporteres estavam ali para filmar as garotas que tiravam suas roupas.
Eu protestei nesse momento contra a organizadora pois achei que toda publicidade que recebecemos ainda que não fosse aquela que desejariamos era bem vinda, precisamos que esse movimento se espalhe, a midia ja nos ignora, achei que não tinha propósito expulsar os reporteres que estavam ali para registrar.
A reporter tentou argumentar que iria se comprometer a falar da nossa causa, mas acabou sendo repelida.
Acho valido que algumas mulheres tenham usado o proprio corpo para protestar, afinal o nosso corpo ainda é um campo de batalha.

Letícia H. disse...

Fui na marcha de Porto Alegre, que aconteceu no domingo, e adorei! Pena que muita gente não entende a mensagem...
E a maior empresa de comunicação aqui do RS deu mais destaque em seu portal para a Marcha da Maconha, que aconteceu no sábado (nada contra quem quer marchar pela maconha, mas, pô...).

Anônimo disse...

mascu é tão burro que não percebe como o machismo faz mal a eles

fui na passeata de SP e tava show!!!!! muitos homens lá também, vestindo essa camisa, até meu pai e minha mãe foram comigo!

ano que vem tem mais!!!!!!!!!

May Pacheco disse...

Presenciei a Marcha de Santa Maria e foi ótimo. As meninas e meninos estavam super empenhados e distribuindo panfletos aos leigos que explicava o movimento, assim quem não entendia passou a entender.

Foi engraçado pois fotografei e meu sogro (deve ter pensado muito mal de mim) me censurou com as fotos que ele viu na camera... frases como Nem putas, nem vadias, lutamos para sermos livres. E respeito, mulher não é só bunda e peito quebraram a cabeça machista dele. Sorte que meu namorado saiu de outro modo e apoiou o manifesto assim como apoia a luta feminina por direitos.

Anônimo disse...

http://www.facebook.com/notes/mariana-rodrigues/marcha-das-vadias-o-que-%C3%A9-isso-%C3%A9-uma-palha%C3%A7ada/311773215568379
Vergonha alheia, a menina é tão limitada e só enxerga o próprio umbigo. Detalhe, ela tem boa condição financeira, mora com os pais e se locomove somente de carro/moto, ou seja, não está exposta a quase nenhum perigo que uma mulher que saia de sua cidade de origem e vá fazer faculdade em outra cidade está submetida.

BRUNA disse...

lINDA A MARCHA NO RECIFE. pARA QUEM SÓ CHEGA NA SAÍDA AÍ VAI A DICA: É INDESCRITÍVEL O CLIMA DA CONCENTRAÇÃO COM PINTURA DE CARTAZES E CORPOS, APRESENTAÇÕES TEATRAIS, LEITURA COLETIVA DE MANIFESTOS. cONTAGIANTE TAMBÉM VER CADA VEZ MAIS A PARTICIPAÇÃO MASCULINA (MUITOS NAMORADOS E MARIDOS) GRITANDO CONTRA O MACHSIMO E TAMBÉM A PRESENÇA DE PAIS ACOMPANHANDO FILHAS. aPESAR DE TAMBÉM TER RESSALVAS COM O NOME,SEMPRE ESTAREI GRITANDO JUNTO A MARCHA. mUITO FELIZ DE PARTICIPAR DE UM MOVIMENTO COM TANTA CONSCIÊNCIA COMO ESTE.

Anônimo disse...

Não, Lola, eu não pego só "um" caso. Será que 20% a 45% dos presos por este crime ser inocentes é apenas um caso isolado? O Veja: 20% a 45%. Ou seja, pelo menos 1 em cada 5 acusações de estupro é FALSA, é CALÚNIA. E como já disse, um homem ser preso por estupro sendo inocente é a pior coisa que pode acontecer, os outros presos ñ perdoam.

Sara disse...

anonimo 10.55 va chorar por esses gatos pingados se é que existe de fato algum, eu prefiro lamentar pelo numero absurdo de mulheres estupradas ok.

Victor Cunha [BlackBeatle] disse...

Isso aí! Participei da Marcha das Vadias de Floranópolis, foi linda DEMAIS! Parabéns a tod@s que participaram! Lola, aqui estão as fotos da Marcha de Floripa:

https://picasaweb.google.com/105332032829731289432/EstavaEscritoMarchaDasVadiasFlorianopolis2012

May Pacheco disse...

Gostaria de organizar uma marcha na minha cidade. Como faço? É uma cidadezinha pequena, mas tem muitas mentes pensantes e sei que terei apoio destas.

Dayane disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sara disse...

Que bom vc de volta Dayane, um abraço...

Luciana disse...

Uma vitória as Marchas das Vadias terem sido um sucesso em várias cidades do Brasil. Espero que se espalhe para outros estados, e que as pessoas entendam sua mensagem. Estou orgulhosa das mulheres e dos homens que participaram da marcha. Vocês são incríveis!

Fantástica a frase: "Eu não vim da sua costela, é você que veio do meu útero". Adorei!

A mídia *cof* “especializada” *cof* sempre associa passeatas como badernas. Claro, não defendendo o interesse do chefe e dos patrocinadores, tudo é inválido. A atitude patética da policia com @s manifestantes do RJ foi desnecessária. E as mulheres que enfrentaram os policiais foram corajosas. Todos ali estavam exercendo um direito. @s manifestantes não estavam fazendo nada de errado, querer igualdade e abolir a violência contra as mulheres é querer uma sociedade mais humana.

O que mais me entristece são os comentários hostis de homens e mulheres com mentes limitadas e machistas espalhados por alguns sites. Essas pessoas não entenderão em nada o objetivo da marcha. Mente alienada, falta de interpretação e em alguns casos perversidade, tornam esses indivíduos intolerantes.

Por isso deixo esta frase do socialista francês, Charles Fourier, como reflexão: “O grau de civilização de uma sociedade se mede pelo grau de liberdade da mulher”.

P.S.: Lola, estou ansiosa pela sessão de autógrafos do seu livro aqui em Fortaleza =].

Bela disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bela disse...

Lolaaaa eu sou aqui do Rio de Janeiro.
Olha oq escreveram nesse site católico sobre a Marcha das vadias daqui ...

http://humanitatis.net/?p=6283

os comentários tb são "lindos".

Anônimo disse...

"Marcha das Vadias" é aquela manifestação em que as mulheres se fantasiam de prostitutas para saciar as taras masculinas ao mesmo tempo em que defendem sua suposta independência do desejo alheio no plano do mero discurso.

Algo como: "Sou feminsta, mas também sou uma boa fêmea entre quatro paredes."

Anônimo disse...

Eu sou super a favor da marcha,adoro ver homens e mulheres unidos em uma causa tão interessante a TODOS, à HUMANIDADE, já que o feminismo nem de longe diz respeito apenas às mulheres.

Vi homens carregando cartazes muito legais, do tipo "estou sem camisa, isso é um convite ao estupro?" e por aí vai. Legal ver gente esclarecida colocando a sua voz no mundo!!!!

Só tenho uma crítica a fazer. Peitos.

Evidente que peitos desnudos não me incomodam em nada, tenho um par deles comigo desde que nasci e vivo bem com isso. Topless na praia também não me estressa e nem fico com nojinho quando vejo mulher amamentando em público. Porém, as moças que exibem as mamas na marcha infelizmente podem prestar um serviço digamos assim ruim à causa, atraindo uma atenção de gente q não tá ali pra admirar a verdade de nossas idéias. Tenho uma opinião parecida com o FEMEN, aquele grupo ucraniano de ativistas modeletes. Ninguém liga pro que elas falam, só para seus corpos... então aí eu já acho que é depor contra a própria causa.

Dayane disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
lola aronovich disse...

Dayane, bem vinda de volta! Segunda passada a Sara (ex-Denise) esteve no lançamento do meu livro, super querida e sorridente, e ela lamentou vc ter sumido. Mas sei que é assim mesmo, algumas pessoas somem, outras somem e voltam, outras não voltam nunca mais, outras continuam lendo o blog mas param de comentar, etc etc etc. E existem mil e um motivos pra cada uma dessas opções. Respeite o seu ritmo. É claro que eu sinto saudades de muitas ex-comentaristas, mas fazer o quê? Não dá pra obrigar ninguém a comentar!

Yuri disse...

Não pude ir aqui em Natal porque estava organizando um evento. ;(

Anônimo disse...

Sobre o que aconteceu no Rio, uma amiga tava lá e me contou q o povo tava quase entrando na igreja. Simbolicamente pode até ser um revide a todas as vezes que a Igreja Católica "entrou" em nossas vidas, corpos e leis sem permissão, mas isso também acaba atraindo uma antipatia desnecessária ao movimento.

Anônimo disse...

Eu acho que é exatamente isso que me incomoda muito na Marcha, Nem é tanto o nome (q eu tbm não gosto), mas não vejo sentido algum em mulheres estarem com os peitos de fora ou andarem de lingerie, Pelo menos pra mim, isso só faz voltar a questão de que "mulher só se vale pela sexualidade". Pra quea ficar andando seminua?No que isso mostra alguma coisa?

na teoria é um jeito de dizer: ainda que eu esteja PELADA, vc não tem o direito natural ou divino de me tocar contra minha vontade

mas na prática é isso aí q vc falou

Dayane disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Giulia disse...

A Marcha de Porto Alegre foi tri a fudê!!! hahahahhaa

Já tô ansiando pela do ano que vem!

LisAnaHD disse...

ai que vontade de fazer uma boneca com essa carinha da Tetê ou estampar a carinha dela numa caneca.

LisAnaHD disse...

DAYANE !!!! que bom que vc voltou! qta falta tenho sentido de vc... gostava tanto de ler seus comments. agora fica, tá bão?

Anônimo disse...

Lolinha veja como um mascuzão é corajoso na defesa de suas idéias fálicas:

http://www.youtube.com/watch?v=e6CBqYxFcF4

ai que amorrrrrrrrr né?
e agora vem falar que é PERFORMANCE, aham senta lá Cláudio

Anônimo disse...

Marcha das Vadias invade missa das crianças:

http://www.youtube.com/watch?feature=endscreen&NR=1&v=ayIbYfbmc6Y

Nas imagems é possível ver um idosa sangrando após ser aredida pelas feministas.

Anônimo disse...

"Ei você para de gracinha eu dou pra quem quizer a porra da b*ceta é minha"

Com certeza vocês vão conseguir muito respeito com isso....

LisAnaHD disse...

Nesta segunda-feira, mais uma mulher ganhou os céus a partir da Base Aérea de Canoas (RS). A 1° tenente-aviador Adriana Gonçalves, 27, entrou no Boeing 707 (KC-137) da Força Aérea Brasileira para a sua segunda aula prática. Até o final do ano, ela deve ser a primeira mulher da FAB a comandar a maior aeronave da corporação. Na última terça (22), a tenente Joyce Conceição, 28, foi a primeira mulher piloto militar, no Brasil, apta a comandar uma aeronave C-130 Hércules Fernando Gomes/Agência RBS/Agência Estado
fonte: www.uol.com.br

Anônimo disse...

Os muleques que reclamam dos peitos de fora têm um probleminha sério com o sexo oposto, eu ein? Deviam se sentir nas nuvens de estarem apreciando tanto peito junto, mas não, morrem de vergonha de sentirem desejo. Ponham as mãos pro céu, homarada, que vocês ainda sentem alguma coisa.

Anônimo disse...

povo se choca com peito né? hauahauhaa
só no carnaval q pode? tão tá

Anônimo disse...

todo moleque de 0 a 100 anos de idade já viu um peito na vida dele, dois aliás, os da mãe

pq o peito ofende tanto?

Maria Octavia disse...

fotos da Marcha aqui em Florianópolis:

https://picasaweb.google.com/102023122277637257885/MarchaDasVadias?authkey=Gv1sRgCKKl4JPovOSfkQE

https://www.facebook.com/media/set/?set=a.3903274615715.2163254.1094714693&type=1

http://www.flickr.com/photos/nocultural/7283415846/in/photostream/

https://picasaweb.google.com/105332032829731289432/FaiscasEPalhaMarchaDasVadias2012FlorianopolisSC

https://picasaweb.google.com/105332032829731289432/EstavaEscritoMarchaDasVadiasFlorianopolis2012

https://www.facebook.com/media/set/?set=a.3897136194378.165268.1458309728&type=1

Sara disse...

Anonimo das 20.27
Eu tb pago a mesma quantidade de imposto que vc e o resto da população, e tb não gosto de ver meu dinheiro financiar tratamento psicologico para doentes mentais como vc, que ficam nessas condições por viverem se reprimindo, e reprimindo todas as outras pessoas.
A sua religião tb me ofende profundamente, pois trata a mulher como um ser humando de segunda classe, e seus representantes pressionam por leis que só interessam a vcs mesmos não ao resto da população.
Quanto aos peitos, os homens mostram os seus pelas ruas em qualquer ocasião e ninguem se sente ofendido com isso, pq o peito feminino é considerado ofensivo?????????????
Guarde seus recalques para vc mesmo, ou então vá se tratar no SUS com o dinheiro do MEU imposto.

camilalala disse...

Lola,

Eu concordo com todo o propósito da marcha e endosso tudo o que é dito lá. Mas me sinto contantemente incomodada com uma coisa, a hipocrisia. Na real, eu sei que boa parte daquelas mulheres que estão ali julgam outras mulheres que usam roupas mais curtas, mais justas, que mostram mais e mais do corpo. é certo que não as julgam culpadas pelo estupro.. mas julgam culpadas pelocomportamento masculino em tornar a mulher em objeto.

Eu me incomodo muito, pq parece que a mulher não pode QUERER ser desejada, NÃO PODE QUERER mostrar o corpo que ama, NÃO PODE EXIBIR o corpo que é dela e de mais ninguém. Independente de qual seja o proposito dela, e se a mulher quiser se vetsir assim pra ser chamada de gostosa? e se ela gosta disso..

Não fui e não irei a nenhuma marcha das vadias, e garanto a você que minhas atitudes são todas voltadas para a mudança da sociedade em relação a mulher.

mas eu não consigo ir a uma marcha onde boa parte das meninas está fantasiada coma roupa que eu uso no dia a dia. Eu uso roupas curtas, decotadas, transparentes e me amo. Não uso para provocar nem nada, uso pq eu gosto de mim. Uso pq eu tenho vontade, uso e não deveria nem justificar os motivos. E constantemente sou alvo de feministas que dizem que o meu jeito de vestir, ou meu comportamento sexual são contra tudo o que o feminismo luta. Ai eu penso "opa, a ideia e de que a mulher é livre, mas eu só posso ser livre dentro de um padrão decidido por outra pessoa.. então como eu sou livre?".

enfim, foi uma escolha minha.. maslá no fundo em sinto culpada por não fazer parte de um movimento como esses. Mas como eu já disse, o incomodo de estar lá é muito grande.


e lola, mudando de assunto, eeu estudo na UFRN e látemos um professor que manda as meninas sentarem na parte de trás da sala de aula " pq não gosta do cheiro de mulher" e que diz que mulher é incapaz de apresentar o mesmo resultado que um homem.. entre outras coisas. esse professor tem diversas queixas na ouvidoria, etc.. e NADA é feito. Gostaria que vc me desseuma luz, pois ele é professor d euma disciplina obrigatória e a universidade não disponibiliza outros professores.

Dan Dan disse...

Estava lá na marcha de Sampa. Foi muito legal! Especialmente porque tinha bastante homens lá!
Lola, vc ouviu o comercial do Fiat Bravo?

Anônimo disse...

"e lola, mudando de assunto, eeu estudo na UFRN e látemos um professor que manda as meninas sentarem na parte de trás da sala de aula " pq não gosta do cheiro de mulher" e que diz que mulher é incapaz de apresentar o mesmo resultado que um homem.. entre outras coisas. esse professor tem diversas queixas na ouvidoria, etc.. e NADA é feito. Gostaria que vc me desseuma luz, pois ele é professor d euma disciplina obrigatória e a universidade não disponibiliza outros professores."


Primeira coisa, desafie o homem. Junte um monte de garotas e sente lá na frente. Passem a gravar e a filmar tudo o que ele fala, escondido, façam mil cópias, criem um CD e em grupo, sempre em grupo, apresentem o CD para a direção e todo e qualquer responsável na Universidade. Mas não pare aí, coloque no YouTube também, criem diversas contas. Faça um "blur" na cara dele, não cite seu nome por enquanto, diga que "essa é a forma que um renomado professor trata seus alunos universitários em uma região x do Brasil" e faça bombar nas redes sociais. Não tenha medo de processo, jamais.

Ele vai chorar e espernear, vai ameaçar vocês de processo mas não tenham medo. Vocês não disseram seu nome, nem mostraram seu rosto - POR ENQUANTO. É um aviso pra ele sobre o que vai acontecer dali pra frente, caso não mude.

Ao mesmo tempo, entrem em contato com o coletivo de blogs feministas e divulgue o vídeo ao máximo, fazendo blogaço e twittaço. Jogar na mão da imprensa também ajuda e tá cheio de jornalista ansioso por uma matéria assim.

Também em grupo, vá ao Ministério Público estadual e federal. O promotor de justiça está ali também para atender cidadãos e esclarecer dúvidas e obviamente a universidade está sendo omissa quanto ao caso, em detrimento de todas as mulheres. É um caso grave e é da alçada do MP tratar disso também. Protocole tudo o que vcs tiverem que protocolar POR ESCRITO, não aceitem nada oral, peguem comprovante de tudo

E finalmente, contratam um advogado para representar judicialmente a universidade. Mas conselho: faça isso SEMPRE em grupo.

Um professor de mestrado obrigou a mim e a mais 25 mulheres a chegarem até o passo 2, ou seja, gravação e divulgação no YT - inicialmente fizemos a divulgação através de vídeos não listados, ou seja, distribuindo os links para as pessoas verem. Ele acabou sendo afastado de suas funções, ameaçou a lot mas nunca processou ninguém.

vivian dallalba disse...

Uaaaaau!

Estive sem acessar a internet alguns dias, e agora que voltei, me dou conta que teve uma Marcha das Vadias na minha cidade e não fiquei sabendo!

Estou MUITO FELIZ por ver a proporção que a Marcha tomou!

Estou feliz vendo conceitos que penso no meu dia a dia reproduzidos em cartazes e nos próprios corpos de homens e mulheres.

Estou feliz por ver que os blogs e os textos virtuais estão atingindo uma grande repercussão na vida real.

Estou feliz por ver que a revolução está acontecendo apesar de todos os que são contra.

Estou feliz por ver que não sou a única pessoa que acha que esse mundo tem que mudar não só pela corrupção e pela pobreza, mas também tem que mudar o modo como se elaboram as desigualdades entre gêneros!

Quero deixar meu mais sincero obrigada a todos que fizeram dessa Marcha tão bombástica quanto foi.

Um grande abraço,

Bia disse...

Você viu isso, Lola?

http://marchadasvazias.tumblr.com/

Como faz com isso?

Oades Farley disse...

Lola, seu blog foi sitada no vídeo da marcha em Belo Horizonte duas vezes. O pessoal do Vlog Mete a Boca gravaram. veja.
http://escrevalolaescreva.blogspot.com.br/

Oades Farley disse...

O link é este da marcha em BH.
http://www.youtube.com/watch?v=IYFrVnjBKs8

Anônimo disse...

Olá, dia 9 de junho a marcha ocorrerá em João Pessoa-Paraíba.

Anônimo disse...

Lola pq vc acha tão importante sempre declarar que é casada ou que tem um "maridão"...se liga...se vc é mesmo feminina e defende essa causa, veja a sua volta, as mulheres com maior nível intelectual (vide reportagem folha de SP) estão solteiras aos 40, pq não encontram ninguém a altura. Sou doutora e tenho várias amigas com grau de escolaridade como o meu, todas na mesma situação e não achamos ruim essa "nova ordem" dos fatores...Escreva mais para nós que incentivam nossas alunas a serem iguais a gente, que casamento hj em dia não significa mais nada, o que vale é o conhecimento...seja mais feminista...precisamos do seu apoio...nossa sociedade acha que somos a sobra por ainda permanecermos solteiras mesmo que tenhamos uma enorme vontade de contribuir com o crescimento científico e tecnológico desta nação....Qdo me aposentar juro que vou morar em algum país civilizado na Europa nórdica ou anglo-saxônica.....

lola aronovich disse...

Anônima, eu não acho importante declarar que sou casada ou que tenho um maridão. É que ele faz parte integral da minha vida. Eu falo bastante do Calvin também, meu gato. Se eu tivesse filhos, eles apareceriam aqui o tempo todo. Este é um blog pessoal, então eu falo muito da minha vida. E grande parte da minha vida é o maridão, meu lindo e amado Silvinho. E eu olho a minha volta e vejo todo tipo de mulheres. Mulheres com uma situação parecida com a minha, ou seja, casadas, hétero, monogâmicas, mulheres desse mesmo perfil mas com filhos, mulheres lésbicas em relação monogâmica com filhos, sem filhos, mulheres hétero divorciadas, viúvas, que de repente nunca se casaram (na minha convivência pessoal é mais raro, mas existe também), mulheres em relacionamentos não monogâmicos, mulheres que não querem relacionamentos por um tempo... Mulheres que estão sozinhas e não acham isso ruim, e mulheres que estão sozinhas e gostariam de reverter a situação. Como eu falei no comentário de outro post, eu quase sempre escrevo sobre temas próximos a mim, temas sobre os quais eu tenha o mínimo conhecimento. Por que vc não escreve um guest post pra cá sobre essa sua situação, sobre como a sociedade vê mulheres “solteiras” aos 40, sobre como casamento não é mais importante, sobre o que podemos/devemos ensinar as nossas alunas sobre isso? Escreva, mande pro meu email (lolaescreva@gmail.com), que eu publico.

Luiz Claudio Lins disse...

Lola,

em 1º lugar sou seu fã e seguidor do seu blog e de suas postagens que sempre me emocionam.

Mas acho importante as ressalvas, até porque elas sinalizam não uma admiração xiita e messiânica que desmerecia e muito suas postagens críticas e reflexivas.

Desta vez (acho que é este é o 2º comentário que faço) duas questões:

A 1ª é minha concordância, infelizmente a partir de um comentário anônimo, sobre essa promoção do "bem" casamento, marido, etc. Felicíssimo com sua felicidade conjugal mas isso também me soa um tanto quanto anacrônico e mais: uma visão perigosamente modeladora de relações.

Obviamente não é essa sua intenção, e seria uma vileza acharmos o contrário, mas quando penso nas minhas filhas (sou pai de duas jovens adultas) foi justamente a desmontagem dessa matriz que eu e minha esposa nos preocupamos. Ela é perversa pois condiciona a mulher a um papel que, na maioria dos casos, é limitador e neutralizador de seus devires.

2ª questão, é focado no teor do post. Quando você faz a crítica, justa e opinativa, ao significado simbólico da Marcha das Vadias, surge uma sensação (me corrija se estiver errado) de conservadorismo.

Aquele parecido (você deve se lembrar) que fez artistas da MPB criticar e fazer uma passeata contra o uso de guitarras elétricas na década de 60.

Me parece muito menos um problema de conexão do discurso com a realidade do leigo (as 1ªs Paradas gays de SP foram alvo de chacota e reações intimidatórias da população) do que um erro de discurso e práxis da "next generation".

Acho que a crítica ao movimento deve contemplar isso também. Ele coloca em xeque as formas de organização e da maneira de lidar com a mensagem.

Sai o velho jeito paternalista da esquerda tradicional de "popularizar" o que é de origem complexa e entra um "neo paulo freireanismo cibernético" que propõe uma provocação ousada, crítica e cênica que nada fica a dever ao Maio de 68 francês.

Podemos ter receios ( e temos) mas devemos (os que já vivenciaram o se colocar contra o establishment de outros tempos) nos permitir ao choque do novo.

Ainda me emociono quando relembro esse slogan
"Sejamos Realistas, Exijamos o Impossível"

Beijos e Paz