sábado, 14 de abril de 2012

GUEST POST: A PSICOPATIA ESTÁ POR PERTO

Quando penso em relacionamentos abusivos, sempre lembro daquele filme com a Julia Roberts, Dormindo com o Inimigo. Apesar de ser ficção (e de nem ser um bom filme), ele mostra um comportamento que costuma se repetir e que muitas vezes acaba em tragédia. No começo o sujeito é o namorado ideal, atencioso, romântico, se bem que arrogante (ele se acha muito especial e moralmente superior a todos). Mas pouco a pouco vão surgindo problemas que a gente deixa passar. São pequenas coisas no início, ceninhas de ciúme, um pouco de controle demais, mas que visam separar a mulher do convívio com amigos e com a família. Em pouco tempo, a mulher sente que ele é só o que tem -- e é isso mesmo que ele quer que ela sinta. Com a mulher emocionalmente e, em vários casos, financeiramente dependente, começam os abusos. E, se a mulher tenta se afastar ou procurar ajuda, vem as ameaças (ameaças que tantas vezes terminam em assassinato, já que dez mulheres são mortas por dia no Brasil, quase sempre por parceiros ou ex-parceiros). E o pior é que este é um padrão -- o homem que age dessa forma com uma mulher provavelmente agirá assim em todos seus relacionamentos.
U
ma leitora, a Talita, teve uma experiência dessas, sobreviveu, e decidiu escrever para nos alertar sobre como age um namorado psicopata.

Recentemente passei por uma situação horrível e imaginei que você poderia alertar outras pessoas sobre essa questão em seu blog: me envolvi com um psicopata. Fui enganada de diversas formas, traída, humilhada, agredida física e verbalmente, depois que descobri suas falcatruas e tentei expô-lo às outras pessoas, que ele também enganava. Ele se aproveitou de minha situação vulnerável, pois sou uma mulher sozinha, sem família e amigos por perto, morando em uma cidade nova. Ninguém acreditou em mim. Pelo menos descobri tudo rápido e me livrei. Outras podem não ter a mesma sorte.
Descrevo aqui algumas formas de identificar um psicopata, baseada na minha experiência pessoal com o cara, e que cai como uma luva com as descrições da doença contidas na Wikipédia. Suas atitudes, no mês e meio em que moramos juntos, me confundiam; ele parecia uma pessoa completamente diferente daquela que conheci e com quem namorava havia 6 meses. Se eu tivesse tido informação sobre o assunto antes, teria me poupado. Talvez você tenha colegas psiquiatras que possam ajudar numa exposição mais adequada sobre esse assunto. De qualquer forma, fica aqui minha advertência, na esperança que outras também saibam identificá-los e livrem-se deles, antes que o pior possa acontecer.
Quando uma coisa é boa demais pra ser verdade, é porque geralmente não é verdade. Se o seu namorado parece príncipe ou santo, cuidado: ele pode ser um psicopata. Parece tema de novelinha, coisa de mau gosto que só acontece com a prima da vizinha da avó. Mas não é. Desconfio dos rótulos psiquiátricos e da frequência das suas aplicações, mas os “psicopatas comunitários”, ou casos “leves”, podem não ser assassinos, mas produzem muitos estragos e parecem representar até 4% da população. 3% é de homens.
Apesar de manipuladores egoístas, incapazes de amar e passíveis das maiores mentiras e maldades, eles parecem o homem que você pediu a deus. Isso porque são charmosos, têm uma tremenda lábia, sabem o que você quer e adaptam-se com perfeição aos seus desejos, te fazendo sentir a mulher mais amada/desejada/linda do mundo. Fazem-se de “corretos”, “íntegros” e “honrados” socialmente e podem adorar usar essas palavras para se descreverem (até parece papo de mascu). São amigáveis e profissionais exemplares. E porque eles mentem com muita calma e olhando nos olhos, as pessoas custam a acreditar que se trata de um sacripanta, mesmo quando existem provas de suas mentiras. Por causa de tudo isso, pode demorar um pouco para notar que existe algo errado com ele (além da perfeição excessiva) e, em muitos casos, você pode descobrir a verdadeira natureza do sanguessuga social apenas depois de estarem vivendo juntos e a sós. Pra evitar isso, informe-se, fique atenta, nunca confie cegamente e tenha um longo namoro, sem meter os pés pelas mãos num compromisso apressado. Sempre vale lembrar que príncipe encantado não existe e que a gente tem que seguir o coração, mas levar o cérebro junto. Seguem umas dicas:
Seja observadora quanto a contradições do bom-mocismo inicial -- possessividade, grude, chantagem emocional, vitimização, choro fácil (teatro). A agressividade costuma vir depois (principalmente quando você começar a questionar pequenas contradições, querer sair com amig@s, usar saias curtas). Passado familiar e amoroso conturbado (abandono de filhos e de mulheres grávidas são injustificáveis, e péssimos sinais). Fazer-se de coitadinho e falar mal da mãe e das ex, também. Se a própria mãe dele achar que ele não presta, talvez você deva acreditar. E não seja uma tapada competitiva, ouça as ex namoradas/mulheres do "apaixonado perfeito": se mais de uma disser que ele é cafajeste, acredite (isso também vale pra identificar o mau caráter comum. As pessoas têm capacidade de mudar até certo ponto). E se acha que com você será diferente, sente-se ultra-segura porque ele te faz sentir a última bolacha do pacote, não se deixe iludir, PSICOPATIA NÃO TEM CURA e você também poderá ser enganada, traída e agredida como as outras, ou coisa pior. Essa doença é, entre outros fatores, genética, então sejamos também responsáveis para não fazer um mal pra humanidade e botar outro psicopatinha no mundo.

114 comentários:

Anônimo disse...

Nossa, que horror que deve ter sido.....
Apesar de saber que tem muitos machistas que tem comportamentos bem parecidos com o descrito (deixar a mulher se sentir inferior, ser manipulador etc..) é verdade que psicopatia é outra coisa mesmo.
Teve um programa do Roda Viva que uma psiquiatra abordou o assunto. Eu achei bem esclarecedor

http://www.youtube.com/watch?v=9DBXPJ9T7yQ
(parte 1)

Ana Botelho disse...

Também passei por uma situação com características parecidas, só que acho que ele tinha transtorno de personalidade borderline. Os borderline também isolam a mulher, mudam de personalidade depois de um tempo de convívio mas normalmente tem problemas em relacionamentos sociais e também no trabalho, etc. Muitos se tornam agressores de mulheres. Também temos que ficar atentas a esse tipo. Abços e parabéns pelo depoimento!

LisAnaHD disse...

LoLa, sua introdução valeu pelo Guest Post, pois o post em si não descreve a a experiência em si da autora e sim proporciona um texto que podemos ler na Wikipédia ou em qq outra fonte que fornceça a definição para PSICOPATA.

Antes de alguém vir com isso e aquilo pracimademim, saliento que não estou negando o valor do Guest Post, apenas saliento que o Guest Post não é unicamente para dar definição disso e daquilo e sim para relatar experiências pessoais ou de outrem.

rizk disse...

"se acha que com você será diferente, sente-se ultra-segura porque ele te faz sentir a última bolacha do pacote, não se deixe iludir, "
Super verdade, isso...
Se o fulano tem ex "louca", ATENÇÃO.
Parece uma coisa contraintuitiva, né, porque nós mesmas às vezes falamos que os nossos ex são loucos. Mas se vem o fulano dizendo "não dê atenção, ela é louca" (ainda mais se existir mais de uma ex louca) é bem provável que a próxima ex louca seja você. :/

Anônimo disse...

meu deus que medo

Anônimo disse...

Já tive um psicopata na minha vida. E o pai dele era igual. Vivi um inferno...
Mas me livrei!

Vera Oliveira disse...

Li o relato da Talita e me identifiquei em algumas partes.Felizmente, nunca fui vítima de violência física ou verbal, mas descobri que ele já espancou uma de suas ex-namoradas.Infelizmente ainda não consegui me «livrar» do meu relacionamento doentio pois isso é muito mais complicado do que parece.

Anônimo disse...

" Conheço um Severino
Um cara irreverente
Na rua ele é bonzinho
Em casa ele é valente oi,oi,oi
Gentil com todo mundo
Tá sempre elegante
Em casa qualquer coisa
É todo ignorante" Nando Cordel

isso é um trecho de uma música que faz um certo sucesso aqui em Recife,há um tempo atrás,exemplifica claramente o comportamento desses caras,isso dificulta,e muito,que as pessoas acreditem nos relatos das vítimas,e em geral,sempre dão a desculpa "alguma ela aprontou pro cara fazer isso..."

Fico pensando nos "bonzinhos" que ficam no orkut e outros,reclamando das mulheres,querendo compensações por serem caras "gentis","educados",quantos desses,pra não dizer todos,se enquadram neste post?


Cética

Anônimo disse...

Essa estatística está errada. O percentual é muito maior. Digo isso pois sou neta de um psicopata, minha ex-madrasta (diagnosticada)é psicopata e suas duas filhas - uma delas minha irmã - também são psicopatas. E sempre que têm a oportunidade, além de mentirem descaradamente para denegrir a imagem de outras pessoas, assim fazendo as pessoas terem compaixão e desviando o foco de suas reais intenções, fazem maldades por puro capricho, só para se divertirem as custas dos outros.

Elas têm sucesso em te infernizar, pois você é sempre @ últim@ a notar que está sendo sacanead@ e usad@. E
às vezes obsessão delas pelas vitimas é tão surreal que na maioria das vezes você ignora os sinais por parecer mentira que exista alguém tão dissimulad@ e obcecad@, daí é numa dessas que você se dá muito mal.

Ess@s namorad@s por exemplo, vão estreitando cada vez mais o circulo social da vitima, para deixá-la desamparada e dependente del@, para ela(vitima) não ter onde buscar ajuda ou a quem alertá-la do mal que el@(psicopata) faz a ela.


Um conselho a tod@s vocês; não ignorem os sinais. Excluam o mais rápido possível essa pessoa do seu circulo social, e jamais deixem-n@s saber que você o/a afastou de propositalmente. Seja fals@, mantenha o controle e finja que está tudo bem, até realmente ter a oportunidade de estar o mais longe possível e/ou ter as relações completamente cortadas com ess@ individu@.

Nunca tente fazê-los mudar, el@s NUNCA vão mudar.

Teresa disse...

Esse post da Letícia também fala muito bem sobre esse assunto:

http://cemhomens.com/2012/04/isso-e-abuso

O comentário mais estarrecedor foi o dessa mulher, que tentou alertar a amiga pra um namorado psicopata:

"Compartilhei o link dessa postagem no meu perfil e o namorado (abusivo) de uma amiga veio me criticar e falar um monte… Se identificou, né? Éramos super amigas, de nos falar todos os dias, sair nos finais de semana… E, depois de algumas “cenas” que ele fez, decidi me afastar. Já passei por situações similares com uma pessoa da minha família e foi muito duro; mesmo não sendo o “alvo” principal, acabava sobrando para mim também. Então, logo nas primeiras atitudes controversas desse rapaz, antes mesmo de eles namorarem, alertei minha amiga. Pior que ele mascara o abuso com romance, do mesmo modo que a DeWinter relatou: primeiro xinga, chama de vagabunda pra cima (na frente de amigos e até da mãe dela, acreditem), depois diz que é a mulher da vida dele, faz mil promessas de casamento e o caramba… É muito duro, porque ele falava barbaridades e, no dia seguinte, estava ela falando que estava “feliz da vida” e era tudo o que ela queria. Como disse, por ser uma amiga e eu ter essa opção, me afastei totalmente, parei de falar com os dois. Mas bastou eu compartilhar esse link para ele vir com mil pedras, insinuar que na verdade a minha amizade com ela é que era abusiva, que eu deveria cuidar da minha vida e que é preciso estar em um relacionamento para se falar sobre relacionamentos (solteiros não podem falar sobre relacionamentos, tá? rs). Enfim, depois de tantas provocações e grosserias, ele apagou todos os comentários, me ligou de vários números diferentes, me mandou sms me chamando de filha da puta e o caramba… Lembrando: tudo que eu fiz foi compartilhar o link do seu post! Se eu já tinha meus receios em relação a essa pessoa, agora então… :/ A amiga acabou tomando as dores dele (claro!) e me deletou de todas as redes sociais, dizendo que eu o provoquei a troco de nada, me metendo na relação deles. Como uma pessoa que não conversa com o casal há meses pode se meter na relação deles? Compartilhando um link de algo que eu defendo (e sempre defendi)? Não vou deixar de falar/divulgar o que acho importante, nunca! E achei a campanha válida e mexeu comigo, não só por essa situação atual, mas principalmente pela situação passada, que aconteceu na minha família. Minha amiga não é burra, nem nada, é uma pessoa super esclarecida e que sempre se mostrou independente, forte, madura… Como a DeWinter disse, mais uma vez, nunca pense que não pode acontecer com você (ou com alguém muito próximo a você). É terrível, assustador e muito triste…"

Anônimo disse...

LisAnaHD triste porque citaram a Wikipedia antes dela :)

nina disse...

Bem, não fui eu quem definiu o guest post mas, pelo que vejo, os guest posts daqui não são 'para relatar experiências pessoais'. São posts de outras pessoas que não a Lola, falando de algum assunto que lhes parece importante e que ela decide compartilhar com a gente.

Não acho que a autora deveria ter contado detalhes do que ela sofreu, a menos que ela quisesse. Se não quis, não escreveu e tudo bem. Ela escreveu o que ela achou mais importante: um alerta pra quem vier ler o post tomar um pouco mais de cuidado. Particularmente, agradeço. Porque a gente vive esquecendo que estamos vulneráveis, nessas de 'ah, mas não vai acontecer comigo', mesmo ouvindo histórias de horror todo dia.

tatah disse...

Super necessário esse post.Passei por um relacionamento de quase 1 ano, e não tem como ter certeza, mas acredito que existem grandes chances desse ex ser psicopata. A situação era exatamente essa, ele mentia sempre, sempre, com a maior facilidade; quando era desmacarado invertia o jogo-me fazia sentir culpada, chorava, dizia que ia mudar-e nunca mudou. Suas mentiras eram sempre desnecessárias,tanto que ele inventou uma vida que não tinha, e falava pra todo mundo.Sem o menor constrangimento. Fazia chantagens emocionais, me afastou da família e dos amigos. A única solução, apos alguns estragos feitos, foi voltar para minha cidade pra poder me afastar do sujeito.

Anônimo disse...

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=Dj0c41hz9r8

Olhem isso que rídiculo,mais machista que isso impossível -.-

Anônimo disse...

Gente do céu, em diversos "guest post" (por que o uso do termo em inglês, Lola??) e comentários eu estou vendo uma porção de mulheres dando todos os poderes aos homens (eles seduzem, aprontam, mentem, calam, batem) e se colocando no papel discursivo de predicados (são seduzidas, enganadas, caladas, surradas). Além disso, seguidamente utilizam a narrativa da paixão, típica de comédia romântica, para justificar a razão pela qual entram em relações. É claro que os homens devem ser responsabilizados quando batem, agridem, chantageiam. Mas, gente, nós precisamos nos colocar como pessoas que decidem, que cobram, que pensam. Estamos repetindo toda discursalhada machista, como se fosse crítica feminista. É o fim da picada.

Anônimo disse...

Anonimo das 17:13.
Vc poderia explicar um pouco melhor o que seria “Estamos repetindo toda discursalhada machista, como se fosse crítica feminista”. Escrevo isto sem ironia mesmo, pois as vezes repetimos o discurso que vc acha que é “discurso machista como se fosse critica feminista” sem percebemos talvez. Ao achar fomos “seduzidas, enganadas, caladas, surradas” e usar o predicado seria uma posição passiva, é isto que vc quer dizer? Bom, se foi o que entendi, no geral, apesar de adotarmos este discurso não necessariamente quer dizer que somos passivas, não seria uma narrativa do ponto de vista da mulher? Qual seria a solução, ao seu ver, para não adotarmos esta postura? Vc poderia nos dar alguns caminhos? Digo isto porque vi sua crítica, mas as vezes as mulheres comuns leem o que vc escreveu por ex. e podem não entender como proceder a critica então, seria legal vc apontar exemplos de como não ter este discurso machista e de não usarmos a posição de predicado que vc diz que é adotado aqui...Acredito no caminho da crítica que possam apontar alternativas, não apenas negação, mas construção..

Anônimo disse...

Isabel Cristina da Silva esquartejou e fez salgadinhos com várias mulheres que o marido Beltrão Negromonte da Silveira matou junto com a amante Bruna Cristina Oliveira da Silva. A polícia encontrou 3, mas suspeita de 15 vítimas que foram convertidas em comida.

Adivinha aonde ela vendeu esses salgadinhos de carne humana. Na delegacia e uma das pessoas que comprava era o delegado Demócrito de Oliveira lá de Garanhuns, Pernambuco.

Se até o delegado foi enganado por uma psicopata, imaginem nós que não entendemos e nem conhecemos esses doidos.

lola aronovich disse...

Anônimo, por que não assinar sua crítica?
O uso do termo guest post é porque é mais curto que alguma tradução em português, como, sei lá, post convidado. Geralmente, sobra pouco espaço, depois de escrever “guest post”, pro resto do título. Só isso. Quanto ao restante da sua crítica, não estou vendo ninguém aqui se colocando como predicados, não como sujeitos. E sabe, a “narrativa da paixão” não é exclusividade da comédia romântica. Ela existe na vida real. As pessoas “entram em relações” por mil e um motivos, e um deles é a paixão. Então nem entendo o que você está criticando. Desde quando as pessoas que comentam ou escrevem guest posts não se colocam como pessoas que decidem, cobram e pensam? Ah, e outra coisa. Nem tudo que é escrito aqui é “crítica feminista”. Este guest post, por exemplo, não é feminista. Nem por isso o alerta que ele faz deixa de ser útil, já que mulheres em geral (entre elas feministas) entram em relacionamentos abusivos.

lola aronovich disse...

Escrevi o comentário antes de ler a resposta do anônimo das 5:31 ao comentário do anônimo das 5:17. Ô gente, POR FAVOR, assinem os comentários, vai! É tão chato ter que se referir a alguém como "o anônimo das 5:23"! Eu libero os comentários anônimos porque 1) estou por perto, logo, posso deletar trolls anônimos que aparecem com frequência (mas que não se limitam ao anonimato); 2) o anonimato permite que pessoas contem experiências traumáticas (estupro, por exemplo, ou algo vergonhoso, ou que é visto como crime no país -- aborto) sem se identificarem; e 3) há pessoas que não sabem usar a internet para abrirem um perfil no blogger, google, ou em qualquer outro lugar (e esse perfil não precisa ter o nome da pessoa), e não quero que essas pessoas deixem de comentar por não saberem abrir um perfil (mas aprendam, pessoal!). SÓ POR ISSO LIBERO comentários anônimos. Mas, nos outros casos, como no caso de dar uma opinião, ou de responder a um comentário, peço encarecidamente que assinem. Obrigada.

Fabíola disse...

Esse guest post me fez lembrar a história da minha professora de costura, uma pessoa tão humilde!
Ela me contou a história de terror dela, que na verdade é a história da vida dela:
ela começou a namorar um rapaz que vivia cantando ela, e pedindo ela em namoro, como o rapaz era de "boa família" ela concordou. Mas ela sempre quis ser freira e se sentia ruim namorando, mas ele era O príncipe, e a tratava muito bem. Tanto fez que ela desistiu de ser freira e casou com o tal namorado.
Um dia depois do casamento, quando os dois já estavam na casa deles, ele a agrediu. Ela então indagou onde estava aquele cavalheiro que ela conhecia e ele disse :" Eu fingi isso tudo para eu casar com você". Daí por diante ela apanhava sempre e apanhava calada. Ela não tinha pai e a mãe era enferma, então ela não tinha apoio de ninguém. Ela só parou de apanhar quando o filho mais velho cresceu o bastante p bater no pai e ameaçar ele. Aí o cretino saiu de casa e abandonou ela e os 5 filhos.
Fiquei com essa história marcada da minha mente, e a professora falando "nunca confie no sorriso de um homem". Quanta tristeza é não poder confiar nem na pessoa que queremos amar.

J. disse...

Lola

Você usa o termo "guest post" porque você não é uma brasileira patriota. Nasceu na Argentina e não tem nenhuma ligação patriótica com o nosso país e muito menos com a nossa língua materna. Venera a língua inglesa, sua referência de perfeição é os Estados Unidos. Só falta escrever um artigo sobre as Ilhas Falklands dizendo que elas não pertencem ao Reino Unido.

Raul disse...

Lola

Eu tive a experiência oposta. Sou homem e comecei a me relacionar com uma mulher.

Ela era muito bacana e formada em psicologia. O nosso começo de relacionamento foi bem clássico, saindo várias vezes só para conversar, depois algumas semanas de namoro inocente.

Mas bastou ir para a cama que a mulher começou a se comportar de forma estranha e cada vez pior. Até que um dia ele me trancou dentro do apartamento dela e começou a fazer todo tipo de ameaça e falar coisas sem sentido.

A intenção era clara. Ela estava forçando algum tipo de violência de minha parte, por alguma razão ela estava forçando uma situação para se vitimizar.

Foi fácil perceber essa intenção e eu fiquei em silêncio até ela cansar e desistir. Não foi fácil, foram várias horas, mais de 5 horas, até que ela estava realmente cansada, quase dormindo.

crítica construtiva disse...

Lola sou eu a anônima das 17:31, desculpe, mas as vezes, já que há o anonimato como opção, fica mais fácil assim para quem está escrevendo..
Escrevi aquilo para a anônima pois as vezes vejo feministas que criticam coisas aqui mas dificilmente elas apontam soluções construtivas, são apenas críticas, muitas vezes carregado de arrogância que eu não curto. Sabe, acredito que o feminismo é construído através do embate de ideias, mas quando alguém diz “vc está errado por X” é porque esta pessoa acredita em um caminho que não seja este X, certo? E estas críticas de algumas feministas (que fique claro que o problema não é a crítica em si, mas como é feita, e claro se esta crítica procede ou não) apenas apontam que aqui no blog adota discurso X (sei lá, maniqueísta), mas não explicam qual tipo de comentário, o por que de ser X , o por que ser X é ruim-machista-não feminista etc, além do que, o principal para mim, não apontam ALTERNATIVAS, construções, uma nova visão então do feminismo que estas criticam. É isso que me incomoda e acho arrogante. Porque se tem uma coisa que acho maravilhoso no seu blog é o poder de dialogar com diversas mulheres, inseridas nas teorias feministas ou não, militantes ou não, feministas de longa data ou não, de diversos grupos da sociedade, e uma feminista (como qq movimento que propõe emancipação), para que não fique restrita ao seu pequeno grupo, precisa dialogar com todos, saber expor, e propor alternativas já que negam e criticam uma postura....É assim que o feminismo caminha (com toda sua complexidade interna) ao meu ver...
E claro, este post vai muito além do feminismo, por isto talvez a crítica nem proceda mesmo...
Abraços Lola!

lola aronovich disse...

Estou confusa, J. Vc diz que eu venero a língua inglesa mas tenho ligação com a Argentina, onde nasci. Certo. Até aí eu entendi. Mas eu vou falar que as Falkland não são britânicas? Isso não cria um conflito entre a minha veneração ao Reino Unido e a Argentina?
Aliás, as Falklands são as Malvinas. E são argentinas. Até parece que vou ser a favor do imperialismo!
E sobre ser brasileira patriota, suponho que você deve ser um reaça que vive chamando o Brasil de Bostil e dizendo que brasileiro não presta, MAS deve se considerar super patriota. Tanto que pode determinar quem é brasileira ou não.
Eu nasci na Argentina, vim pro Brasil com 4 anos de idade, sou naturalizada brasileira, me considero brasileira, moro aqui há 40 anos. Mas adoro a Argentina também, posso? Mesmo que eu não tenha nenhuma ligação com a Argentina... Não sei escrever em espanhol, nunca votei na Argentina, não tenho mais nenhum parente lá. E eu adoro a língua portuguesa. E a inglesa. E o espanhol, que falo mal mas acho lindinho. Se eu gostar de uma não posso gostar das outras?
E quanto a considerar os EUA uma referência de perfeição... Parabéns, você é o primeiro que diz que eu venero os EUA. Quase sempre me chamam de anti-americana!
"That's a first!" pra vc, mi hijo.

Beatriz disse...

Tive um namorado com esse comportamento. Ele me traiu no fim do relacionamento e tentou me convencer de que a culpa foi minha quando joguei isso na cara dele. É exatamente o q o texto descreve. Só quero destacar que o pior tipo é o q se descreve bonzinho. Eles usam essa pretensa moralidade pra intimidar as mulheres e fazerem se sentirem culpadas.

J. disse...

Vou te explicar uma coisa simples.

O Reino Unido, terra de Lady Macbeth, é dona das ilhas Falklands a mais de século. Os moradores de Falklands são cidadãos britânicos e falam apenas o inglês.

Os únicos argentinos que estão nas Ilhas Falklands são os 600 soldados que foram enterrados por lá depois da guerra.

Aquela republiqueta subdesenvolvida está usando a farsa das Malvinas para enganar o povão e esconder a grave corrupção de está destruíndo o país.

O governo militar do seu país, a Argentina, usou a guerra para esconder a falência do governo militar, com a derrota, o governo ruiu. Agora a presidenta está usando o mesmo artifício para esconder os graves problemas.

Isso que dá esse povo que não trabalha e fica o dia todo lendo romances e livros supostamente intelectuais.

Pedro Almeida disse...

O escritor Nessahan Alita escreveu algo que explica a necessidade do homem se comportar de forma que possa parecer um psicopata. Não sei até onde ele tem razão, mas o que ele ensina funciona muito bem.

Ele disse:

Se você está sendo desprezado, isso indica que você pode estar cometendo os seguintes erros:

• Sendo excessivamente carinhoso;
• Falando muito;
• Tentando agradá-la todo o tempo;
• Demonstrando medo de perdê-la;
• Exigindo atenção, carinho e sexo;
• Exigindo a presença e a companhia dela;
• Correndo atrás dela todo o tempo, ligando sem parar etc.

A despeito das mentiras que as espertinhas contam, o fato é que um homem muito carinhoso se torna cansativo e serve apenas para ser rejeitado e tratado como um escravo ou como um cão vira-lata. O carinho deve ser bem dosado, racionado.
Seja carinhoso apenas de vez em quando e nas horas certas: em recompensa pela boa conduta. Seja mais frio do que carinhoso mas não totalmente frio.

Anônimo disse...

J.
você é reaça demais... Qual o propósito dessa pseudoaula de geografia e política???
Marta

Hamanndah disse...

Meu caro Pedro

Agora eu sei porque tantos masculinistas se queixam que "não foge mulher na horta deles"

"Mulher só gosta de dinheiro, como não tenho dinheiro, mulher não fica comigo"

Mulher que não gosta de carinho é mulher neurotica, da mesma forma que homem que acha que ganha todas as mulheres não demonstrando afeto, é homem neurótico, que depois abre blog masculinista se queixando do seguinte:

"Mulher só gosta de cafageste e homem rico, eu sou pouco carinhoso, gosto e puxar o cabelo na hora da transa e a nojenta da mulher me deu o fora, só pode ser porque sou um homem "bozinho e sem dinheiro""

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

lola aronovich disse...

Ah, Nessahan Alita, esse GÊNIO que só não recebeu o prêmio Nobel ainda porque vivemos numa sociedade b*cetista! Se não ele já teria o Nobel da Paz E o de Literatura pra enfeitar sua lareira!
Me diga, Pedro, Nessahan disse pros homens serem frios com as mulheres antes ou depois d'eles se virarem pra elas repentinamente com olhar fixo?
Aliás, esse gigante intelectual escreveu isso no mesmo livro em que disse que sêmen ejaculado se transforma em monstros astrais e que o fim do mundo está próximo? Ou foi em outro?

Hamanndah disse...

Olha, Pedro, o que li num desses blogs masculinistas que garantem como "Conseguir mulher"

"Para conseguir uma mulher, dê uns tapas na cara dela na hora da transa, dê umas "estocadas fortes", seja duro e dominador com ela na transa que ela gamará em você"

Se isso tudo funciona, Pedro, porque vocês masculinistas se queixam tanto que transam tão pouco?

Se uma mulher transar com vocês e for tratada com o desprezo que esse Nessa não sei o que aconselha vocês a tratarem é muito natural que ela não queira voltar para cama com você nunca, se ela for naormal

Então, o que você dirá

"Ela não vai para cama comigo só porque sou pouco carinhoso, só porque olho para outras mulheres na rua, só porque grito com ela, só porque a humilho, só porque, ao inves de penetrá-la, com o carinho que toda mulher diz que gosta, enfio o meu pau na b.... dela com muita força, para ela ver que eu que mando, só por causa, disso, ela não quer nada comigo"

Aí, você diz

"MULHER NAO GOSTA DE HOMEM BONZINHO, PORRA, NÃO QUER DAR PARA MIM SÓ PORQUE PUXEI O CABELO DA VADIA?"

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Hamanndah disse...

Só para irritar Pedro ainda mais:

Querido Pedro, a nossa vagina é elástica, tanto é que pode passar até cabeça de mais de uma criança, por isso aviso a você e a seus amigos masculinistas que se dizem "Homens bonzinhos, honrados e carinhosos" que não precisa uma força descomunal para penetrar uma mulher, como se ela fosse uma parede e seu pênis um prego e um martelo

Carinho mútuo na relação sexual não causa broxismo, nem encurtamente de pênis

Ser carinhoso não diminui a virilidade de ninguém e se você se acha carinhoso e mesmo assim não consegue, como vocês dizem, na vulgaridade e machismo de vocês, "comer nenhuma mulher", tá na cara que seu conceito de "homem carinhoso" deve ser o mesmo deste tal de Nessah nao sei o que

Tchau

Anônimo disse...

Meu nome é Isabel. Lola, pra quem é tão ligada no poder das palavras, você deixa barato demais as relações de força econômica e militar que existem por trás de a língua inglesa ser tão utilizada no mundo. Acho que meu comentário anterior não foi devidamente rebatido pelo teu comentário, que me pareceu - perdão pela sinceridade - bem fraquinho (como assim? O tamanho do título determina seu conteúdo?). Continuo aberta a respostas mais complexas.
Além disso, alguém perguntou pra eu exemplificar o discurso machista que anda na boca de algumas mulheres aqui. Animalização do outro (macho), inscrição de comportamentos na lista de patologias (psicótico bla bla bla), produção de discursos em que o eu determina o outro (o outro é potente, o eu é o mestre do discurso anti-potência) e assim por diante são lógicas dos discursos machistas mais elementares e ridículos. Por exemplo: muitas fêmeas são histéricas e passivas. Ao invés disso vejo muita gente aqui, inclusive a Lola, escrevendo: os machos são psicóticos e ativos.

Drica Leal disse...

Me impressiona perceber que quase todas as mulheres tem uma história dessas pra contar: se não aconteceu com ela, foi com uma amiga, parente... E o roteiro não muda! Claro que muitos desses homens são mesmo psicopatas, mas a maioria, imagino, age dessa forma porque temos uma sociedade que favorece muito esse tipo de relação doentia: mulher boazinha, abnegada e homem autoritário, abusivo.

Se apaixonar é muito bom, viver o amor com alguém idem... Mas em uma sociedade onde os gêneros e os papéis que lhes cabem tem uma relação tão desproporcional e absurda, o romantismo (a ideia de amor romântico, contos de fadas e blá, blá, blá) coloca mulheres e meninas em risco constantemente. Nossa cultura está impregnada pela ideia da mulher romântica e frágil e do homem cavalheiro, protetor e salvador. É impossível viver uma relação saudável dentro dessas camisas de força que são os modelos de masculinidade e feminilidade que a sociedade exige que usemos.

Anônimo disse...

Lola, o trecho "Olha nos olhos repentinamente, de forma fixa e firme", sempre me lembra do vídeo 'Dramatic Chipmunk'.

http://www.youtube.com/watch?v=a1Y73sPHKxw

hauahuahuahauhauah

Drica Leal disse...

crítica construtiva:

Uma das soluções que o feminismo apresenta para tudo isso é muito clara, pelo menos para a maioria: discutir os conceitos de masculinidade X feminilidade e o quanto esses modelos falidos tem trazido prejuízos às relações de gênero. A mulher estando livre das OBRIGAÇÕES sociais reservadas ao seu gênero,tendo seus direitos HUMANOS garantidos faria (fará, espero!)com que essa relação vítima/algoz que se estabeleceu entre os gêneros fosse desconstruída.

A sociedade patriarcal tem trazido prejuízos a todos, mas você há de convir que as maiores prejudicadas nesse modelo social são as mulheres. Isso não é queixa, não é crítica, é FATO, que precisa ser discutido sim, revelado sim, e também solucionado.

Anônimo disse...

Lola, a frase gigante intelectual foi cunhada primeiramente por Reinaldo Azevedo.Só para te lembrar.

lola aronovich disse...

Perdão, Isabel, se tenho coisas demais pra fazer e disposição e tempo de menos pra explicar alguma coisa pra alguém que já aparece com uma postura tão agressiva.


Anônimo, eu adoro o Dramatic Chipmunk! É verdade, vai ver que o Nessahan se inspirou nele pra criar suas teorias!

Anônimo disse...

A moça vai morar com um cara que conhece a 6 meses... E dai vem aqui se vitimizar. É dose! É importante reconhecer quando as mulheres se colocam nessas situações de perigo.

crítica construtiva disse...

Oi Drica, concordo com vc. Minha critica era para a anônima (Isabel) que criticou que há aqui, e por parte da Lola uma situação que para ela “Estamos repetindo toda discursalhada machista, como se fosse crítica feminista”. Só que não vi ela exemplificar como acontece isso nem propor ago que fosse diferente para ela.

----
Oi Isabel, foi eu que pedi exemplos, pois tem muita gente que critica de uma forma que não fica claro para todos qual foi a critica, já que para muitos, talvez, esta crítica possa ser algo que ela nunca ouviu falar, então não basta dizer “isso é machismo” entende? E tem gente que só critica sem propor algo no lugar, aí complica para mim.
Mas entendi o que vc disse. Só que fiquei com dúvidas.
Ao meu ver esta descrição como “macho” não é algo recorrente aqui, então não seria um caso mais pontual? Não sei, até a Helieth Saffioti tem livro com macho no título, mas pode sim ser algo a se pensar. O psicótico não seria porque este post se trata de psicopatas? Onde mais vc viu isso? “produção de discursos em que o eu determina o outro” eu não entendi, pois não tomamos um discurso do “nosso” ponto de vista, onde há uma hierarquia e relações de poder no machismo, no qual o homem dentro do patriarcado é uma potência em relação a mulher? Não se trata de potência – anti-potência, mas sim há potências desiguais no machismo não?
Me desculpe, mas poderia dar exemplos de discurso aqui onde “o outro é potente, o eu é o mestre do discurso anti-potência” e apontar alternativas para uma coisa além disso? Acho que ajudaria a galera a entender

lola aronovich disse...

Anônimo das 8, a frase foi cunhada pelo tio Rei? Quando? Eu a uso desde 2008, mas não a inventei. Eu vi em algum lugar (e não me lembro se foi em livro ou filme) a frase "intellectual giant", e passei a usá-la. Não pense que foi uma invenção do tio Rei, não. Aliás, nem lembro de ter lido a frase por lá (não que eu costume ler muito aquilo, mas as vezes que li, não vi).


Anônimo troll das 8:04, sei que "morar com alguém" deve ser um termo desconhecido pra vcs mascus, mas muita gente passa a namorar, morar junto, inclusive casar, com 6 meses de relacionamento. E às vezes menos ainda. Vcs, mais uma vez, culpam a vítima. Que é só o que sabem fazer.

Drica Leal disse...

Anônimo disse...
"A moça vai morar com um cara que conhece a 6 meses... E dai vem aqui se vitimizar."

Pois é, Anônimo, o correto seria que as mulheres passassem a considerar cada homem como um doente ou psicopata em potencial e...
OH WAIT!!! Isso não seria misandria?

Anônimo disse...

Gigante Intelectual
Quando ele fala do Celso Amorim e do Paulo Henrique Amorim. Só um lembrete.
Ele usa desde 2006.Abraço.

Alana disse...

Lola, desculpe se eu for grossa, mas é que se você tem tempo e disposição de menos pra responder algo, tudo bem, é um direito seu e ninguem vai te acusar de nada. Mas daí a dizer que não vai responder porque a Isabel teve uma "postura agressiva"? Como assim? Tem algumas pessoas que comentam aqui de forma realmente agressiva(nem estou contando os trolls),mas não parece ser o caso dela.

Anônimo disse...

Bom Lola! Eu sou A anonimA das 8:04, para começar mais respeito vindo da sua parte seria bom, não sou um troll e nem mesmo esse termo ai que vc utilizou. É uma pena mesmo que não de para participar de seu blog de forma sadia pois vc rotula todos mesmo sem saber quem fala aqui do outro lado. Realmente é uma sorte achar alguém ótimo para se viver com 6 meses de relacionamento, e sei que existem essas pessoas, mas digo pelo fato da moça ter relatado que ele aprontou muito e morou com ele apenas um mês, namorando 6, então a maioria das coisas que o homem foi na maior parte do tempo. Então ela se colocou numa relação perigosa indo morar com uma pessoa que já havia feito tanto.

Veja Lola, reveja seus conceitos, nem todos vem aqui trollar vc e seus posts, seu blog tem ficado conhecido, não haja como um cão feroz.

abobrino disse...

O texto levanta uma questão interessante, mas pessoalmente eu questiono a veracidade do uso da palavra psicopata na história. Foi xingada, traída, e daí? Ele tinha ciúmes??? Fala sério...

Teve comentário aí em cima de gente dizendo que conheceu psicopata e sabe que ele era assim pq ele "traiu". É brincadeira, não é???

Todas as características listadas -"possessividade, grude, chantagem emocional, vitimização, choro fácil (teatro)" - são comuns a homens e mulheres de todas as idades. Essas características revelam descontroles emocionais? Sim. São parâmetros para falar que fulano ou fulana é psicopata? NÃO. A não se que estamos relativizando o uso dessa palavra. Eu mesmo já levei tapa na cara de uma garota, mas não me passa pela cabeça chamar ela de psicopata.

Enfim, até que a autora esclareça os fatos e diga como foi agredida, isso é, se foi literalmente espancada e ameaçada, vou considerar que ele era só mais um ser humano ciumento no mundo tal como outros e outras.

Todo mundo é inocente até que se prove o contrário, e o texto é bem vago para ser prova de alguma coisa. A menos que estejamos dando uma dose extra de confiança devido ao gênero da autora, o que seria sexismo.

Juliana R. disse...

ia ser bem interessante se alguém da área de saúde mental escrevesse esclarecendo algumas questões sobre esse tipo de psicota social descrito pela autora do guest post.
certa vez tive uma experiência pessoal muito ruim com um certo rapaz. nos conhecemos num dos campus da federal, ficamos amigos (amizade em preto e branco mesmo, sem nenhum outro tipo de relação) e tudo certo. até que um dia ele resolveu "alucinar". sempre deixei bem claro pra todo mundo que comigo não é não (não suporto essas coisas de joguinhos). e ele não respeitou isso. chegou a conseguir meu endereço pela lista telefônica e me ligou para dizer que ia encontrar comigo. fiquei com tanto ódio. discutimos horrores ao telefone. mas ainda bem que ele se perdeu no meio do caminho.

lola aronovich disse...

Bom, Alana, pra mim ela pareceu agressiva. E posso ralhar um tiquinho contigo? Por que vc deletou o seu comentário no post sobre Jogos Vorazes (no meu segundo post sobre o filme, na terça)?! Foi vc, não foi? Eu havia escrito o texto de ontem citando o seu comentário e colocando um link pra ele, e quando vejo, vc o tirou... Que pena! Seu comentário estava ótimo!


Anônimo das 8:14, se não quer ser visto como um troll, não aja como um. Recebo dezenas de mensagens de trolls todos os dias. A maior parte é igualzinha a sua: anônima, com poucas palavras, culpando as mulheres.
Sem falar que NUNCA na história da humanidade um troll mascu se assumiu como tal. É impressionante como os masculinistas vestem a camisa do movimento! TODOS negam serem masculinistas!
E, claro, nenhum troll se acha troll... Eles acham que estão numa missão.

crítica construtiva disse...

Outra coisa,Isabel, quando falo em ter “alternativas” e soluções para o que vc aponta, não quero dizer para solucionar o machismo (se soubéssemos não estaríamos aqui..hehe), mas no sentido de quando vc critica algo, vc tem que apontar pelo menos pistas para que não se faça algo parecido com o que vc critica sabe? Neste sentido soluções, de propor uma outra crítica construtiva ao patriarcado que seja diferente então da qual vc critica...Penso que geralmente qndo criticamos algo, é poque temos uma “outra” forma de pensar não..? Então apontar esta “outra” visão seria interessante, não apenas negar a forma do outro...Bom eu penso assim..

Anônimo disse...

Lola,

_|_

Boa Noite

LisAnaHD disse...

Anônimo disse...
LisAnaHD triste porque citaram a Wikipedia antes dela :) 14 de abril de 2012 16:29

>>>Nada de errado em citar e consultar a Wikipedia... lamento que umas poucas cabeças tenham conseguido fazer a cabeça de muitos em contra à Wikipedia... por outro lado compreendo que quem depende unicamente do idioma português fica realmente restrito/a ao consultar a Wikipedia, mas ainda assim é um recurso a ser considerado e aplicado.

LisAnaHD disse...

nina disse... Bem, não fui eu quem definiu o guest post mas, pelo que vejo, os guest posts daqui não são 'para relatar experiências pessoais'. São posts de outras pessoas que não a Lola . . . e que ela decide compartilhar com a gente. Não acho que a autora deveria ter contado detalhes do que ela sofreu, a menos que ela quisesse. 14 de abril de 2012 16:36

>>>Os posts da LoLa fazem tanto sucesso pq ela detalha, explica, vai fundo... e tb não seria preciso a autora do Guest Post de hoje entrar em detalhes minuciosos de todo o sofrimento que ela enfrentou, pois para isso existe RESUMO que é tornar o assunto SUSCINTO.

LisAnaHD disse...

Anônimo disse...
Gente do céu, em diversos "guest post" (por que o uso do termo em inglês, Lola??) . . . 14 de abril de 2012 17:13

>>>hum... por que será "Guest Post", em inglês e não "Post de um/a convidada" ou "Post Convidado/a"? percebe algo?

Eu até lamento por quem frequenta este blog e não sabe o idioma inglês ao menos para ler, considerando todos os recursos tecnológicos pra gente lidar com outro idioma... outro dia uma pessoa me enviou um texto em russo, idioma totalmente estrangeiro para mim, mas usando os recursos tecnológicos eu traduzi o texto e passei por fresca que não quer admitir que sabe russo... ah o texto era uma receita.

LisAnaHD disse...

Tem gente aqui que me acha petulante...

Tem gente que me acha troll...

MAS tem gente que chega ao cúmulo de desafiar ou medir forças com LoLa, dona do blog!!!!

E o faz no ANONIMATO.

E pra quem fica com lerolero pracimademim a LoLa tem meu endereço, nome, telefone, e-mail, e-mail do meu marido... portanto, não estou aqui fazendo arruaça.

E, LoLa Querida, hoje preparei uma caixa com um monte de chocolate pravocê... truffles... daquelas que ajudam a aliviar qq contratempo... rs...

Anônimo disse...

Lola não sou psicologa nem entendo muito de problemas mentais, mas pelo que li desse texto o homem em questão não me pareceu ser um psicopata, achei até o comportamento do ex-companheiro da autora do texto nada incomum.
Até cansa ver quantos homens se comportam dessa maneira.
Eu como muitas aqui tambem ja conheci um homem desses, tentei muito me livrar dele, assim como a autora tentou tb, mas nunca consegui.
Tenho hoje uma convivencia pacifica com ele, aprendi a fixar limites e ter uma certa dose de liberdade, mas pra ser sincera tenho a impressão de estar sentada em um barril de pólvora, que de uma hora pra outra pode explodir.
Mas tenho certeza tambem que se me separar de vez dele o pior acontecera.
Muitos podem me chamar de covarde, e a esses eu digo que é facil criticar quando não é sua vida que esta em jogo, mas pelo menos assim eu talvez sobreviva a ele.
Sou feminista mas acho que para esse tipo de comportamento masculino não ha leis que possam nos proteger, porque pelo menos no meu caso o que percebo é que meu companheiro não consegue enxergar a vida dele sem minha presença, ele criou um apego tão grande que não vê sentido em viver sem mim, e caso eu o deixe ele estara disposto a tudo, sem se importar com as consequencias.
Não ha nada que se possa fazer por um homem que pense dessa maneira, é pra quem é crédula em alguma religião que reze para que um desses não atravesse o seu caminho.

Beatriz disse...

abobrino, vc está com um problema de interpretação de texto. Não disse em meu comentário que meu ex era psicopata PORQUE me traiu. Não disse sequer q ele era psicopata. Disse que no final do relacionamento ele me traiu, e tentou colocar a culpa em mim. Exemplificando uma postura típica de quem não assume os próprios erros, quase infantil.

Não saberia dizer se o meu ex era psicopata, mas ele era manipulador, mentiroso (muito. chegou a me mentir que tinha uma doença grave) e constantemente se vitimizava. Dizia sempre que era muito correto, muito melhor q os homens q haviam por aí, e por isso me exigia coisas irreais, como largar todas minhas atividades paralelas por ele (o que nunca fiz e sempre foi motivo de brigas). Quis ressaltar o alerta contra pessoas (não só homens, mulheres tb) q ressaltam demais a própria moralidade: minha psicóloga já me disse que é um indício seguro de comportamento controlador patológico. Não tem ninguém se fazendo de vítima aqui.

Beatriz disse...

E vamos parar de hipocrisia de guest post que "post" e "blog" já são termos em inglês. Muita coisa na tecnologia é assim, convencionada em inglês. Se vc fala "deletar", não vem encher o saco com uma bobagem dessa.

Babaquice. Parece q nunca usou a internet na vida.

(desculpa o desabafo lola, mas sou mestranda em linguagem e sintaxe do hipertexto e cibernética e fico possessa com gente falando essas bobagens como se estivéssemos tratando de norma culta da língua na internet)

Koppe disse...

Anônima 14 de abril de 2012 21:22

Não acredito que alguém consiga ser feliz nessa situação. Se tu não quer ficar com ele, é um direito teu, mas tu vai ter que lutar se quiser fazer valer esse direito. Livre-se do infeliz e prepare-se pro pior, mas que seja o pior pra ele, não pra ti. O pior pra ti já está acontecendo dia a dia, que é ter que se sujeitar a uma situação absurda dessas e viver com medo, e ainda com motivos pra ter esse medo. Arranja uma arma ou algo do tipo, declara numa delegacia o tipo de comportamento dele e faz um registro de que tem medo do que pode vir a acontecer. Se necessário, mata o inútil - que chore a mãe dele e não a tua. Legítima defesa é um direito, e numa prisão tu já está vivendo.

Anônimo disse...

Passei exatemente pelas mesmas situações (mandei um e-mail p'ra ti, Lola, uma vez falando sobre o assunto e nunca vou cansar de agradecer pelos conselhos.Obrigada.), só que infelizmente durou bem mais do que 6 meses.
Igual a descrição, todos os fatos iguais.
A pior parte é ver amigos teus a tua volta que tu acha que são TEUS amigos cairem na lábia de uma pessoa dessas.
Como tu mesma disse,Talita:"Pscicopata não muda."
Triste ver que ainda existem mulher que acham que podem mudar esse tipo de pessoa.

Beatriz disse...

Anônimo acima, o meu foi 3 anos... e pior: estava tão absorvida pela situação que só notei o comportamento doentio dele no terceiro ano. Força pq imagino como vc se sentiu.

Anônimo disse...

Olha, eu já passei anos com um controlador. Um ex namorado que ameaçava se matar o tempo todo... Quando o namoro acabou, ele ligava de madrugada pra falar das garotas que o tinham rejeitado (e era sempre a mesma coisa: "eu fui legal com ela, comprei presentes, e ela não quis nada comigo. aí fui estúpido, fiz chantagem, e não funcionou. vou me matar.") e que só eu poderia salvar ele. Tudo sempre estava errado, ele não. Ele chegou a querer processar a universidade por não ter aceitado ele, afinal "obviamente era um erro de correção".

Eu tive dó e tive medo a adolescência inteira. Ele me manipulava de várias formas (só reconstrui minha sexualidade, por exemplo, recentemente - pois com ele era tudo na base do "você precisa fazer agora, e precisa fazer desse jeito, ou você não me ama")... Eu lembro que me apaixonei porque ele era inteligente, um argumentador agressivo, tinha muito jeito com as palavras. Eu achava que tinha que ter paciência, que ele era só "um pouco deprimido"... Mas com o tempo ele começou a me engolir. Cada telefonema de madrugada para "salvar a vida dele" durava horas, e depois eu ficava sem dormir, com raiva, preocupada. E eu precisava acordar cedo. E ele sabia. Talvez até fosse de propósito, já que eu estudava e ele não.

Eu supostamente sou bipolar, sei que sou difícil, já fui injusta em vários relacionamentos... Mas eu tento ser melhor, sabe, controlar a impulsividade e não colocar peso em ninguém. Acho que o transtorno não justifica. Não posso culpar o mundo pelo que faço. Mas um psicopata não consegue sentir empatia, logo dificilmente ele vai se importar com o que traz aos outros.

lola aronovich disse...

Gente boa, vou copiar o comentário que a LisAnaHD deixou no post sobre "Depoimentos sobre anencéfalos" só pra poder tuitá-lo, já que quero que mais gente o leia. Como aquele post já está com quase 300 comentários, e passando do número 200 não dá mais pra direcionar direto pro comentário, reproduzo-o aqui (não tem nada a ver com o post).

LisAnaHD:
"LoLa, o comentário a seguir eu recebi de uma experiente enfermeira que dá treinamento a obstretas num renomado hospital na capital de um estado brasileiro:

Enfermeira:
"Quanto ao assunto sobre os anencéfalos, eu sou super a favor da interrupção da gestação! E fico indignada de ver comentários contra essa decisão. Comentários de mulheres (mas tem de homens também), xingando a tudo e a todos por conta desse "crime"(?!)consentido, legalizado. Veja bem, eu já acompanhei muitos casos de gestação de anencéfalos.

A mulher descobria cedo a malformação, pq isso dá pra ver por volta de 10 semanas de gestação, e dá pra ver tb qd se solicita a dosagem de alfa-feto proteína, mais cedo ainda, se não me engano. Imagine só o sofrimento desta mulher, que se descobruiu carregando um feto sem a menor chance de sobrevida (vivem em média 24 a 48 horas, qd já não nascem mortos ou morrem no parto), e sendo OBRIGADA a levar a gestação a cabo!!! Vi muito isso acontecer. Enquanto outras gestantes estão ali felizes esperando um bebezinho lindo e perfeito, o dela é chamado de "monstrinho", além do quê existe a curiosidade cruel das outras mulheres e até de funcionárias da rouparia e da limpeza quererem adentrar a UTI neonatal para ver a "aberraçãozinha" a todo custo!

Acho uma tremenda hipocrisia haver tanto protesto religioso (ou não) em relação a decisão do Supremo. Queria ver se cada mulher dessas que estão se dizendo chocadas engravidassem de um anencéfalo. Será que iam estar assim criticando ferozmente quem opta por esta interrupção de gravidez?

Sou contra aborto, sempre fui, mas num caso onde a sobrevida é sabidamente impossível, por razões óbvias, asseguro-lhe que estou satisfeita com a decisão de permitir o fim desta festação. Já não era sem tempo!!!"

Carol disse...

Lola, não sei se você já ouviu falar da Tavi ela tem 15 anos e já está dando palestras sobre feminismo e blogs:
http://www.youtube.com/watch?v=6osiBvQ-RRg&feature=player_embedded

Anônimo disse...

eu tenho uma amiga que está numa relaçao meio abusiva. acho que nao tem nada a ver com psicopatia, mas com a cultura machista mesmo.

o cara já disse a ela que saia curta era coisa de puta (ela está se vestindo de um jeito diferente de quando era solteira. mas se a gente - as amigas dela - fala alguma coisa, ela vai dizer que o gosto dela por roupas mudou ou algo do tipo). outro dia toquei nesse assunto e ela disse que tinha ESQUECIDO, que nem se lembrava mais que tinha sido xingada de puta.

acho que ha sim uma teimosia por parte das mulheres em tolerarem comportamentos abusivos. pq elas foram ensinadas a tolerar demais, a se anularem para ter um companheiro. a pior coisa na vida na cabeça dessas moças é ficar sem homem, então tolerar "pequenos abusos" faz parte desse jogo.

essa minha amiga nunca ficou solteira (assim como tantas outras amigas que eu tenho: pulam de namoro em namoro, nao conseguem ficar sozinhas). ta ha 2 anos com esse cara que falta com respeito a ela. imagina se eles casam e vao viver juntos?

e na nossa frente o cara é simpaticão, mas qd ele não está, eventualmente ela deixa escapar q está insatisfeita com alguma insensibilidade do cara.

ele ja disse que quer casar com ela, e eu acho q ela quer q funcione, mas - por enquanto - nao rola um entrosamento legal entre eles. ela nao dialoga bem com ele (eu lembro da relaçao dela com o ex, com quem ela conversava por horas e vivia apaixonadinha. com esse atual isso nao acontece)

honestamente, o ex tb nao teve um comportamento mto bom. foi, pelo oq parece, um bom namorado por anos. mas o fim do namoro foi um lixo, total falta de respeito, traições da parte dele, ele a tratando com mto desprezo. acho q foi ali q ela se convenceu que nao podia exigir muito, tinha q engolir sapos demais e tal. aí o relacionamento com o atual já começou num contexto ruim na vida dela.

espero q ela nao leia aqui os comentarios, pq nao quero magoa-la. eu ia contar mais um monte de detalhes, mas achei melhor nao especificar demais pq alguem pode reconhecer a historia. enfim.

Carol V. disse...

Interessante o post e muito importante o relato da experiência dessa leitora. Mas não acho de forma alguma que este seria um caso de psicopatia. Um psicopata é caracterizado pela ausência de sentimentos, enquanto nos casos mencionados parece haver mais um excesso de sentimentos, característica de um comportamento obsessivo. Isso explicaria o ciúme, a necessidade de controle e a dependência dos parceiros, culminando algumas vezes em casos extremos em crimes.
Além disso não é algo restrito a homens, como o texto sugere em alguns momentos, havendo muitas mulheres obsessivas (embora os casos de agressão física e isolamento do parceiro sejam provavelmente mais raros). Acredito que possa haver casos em que realmente se trata de uma psicopatia, mas não se pode afirmar isso com tanta certeza sem maior análise.
Não sou especialista nesse assunto, mas acho que seria interessante para quem se interessar ler um pouco sobre amor/paixão obsessiva e a relação de dependência que é criada a partir desse tipo de transtorno entre os parceiros. Li um livro sobre o assunto há algum tempo, mas não me lembro do título.

Anônimo disse...

Quando eu tinha dez anos, minha mãe namorou um cara. Ele era simpático, engraçado, gente boa mesmo. Ela tinha acabado de se divorciar, e acho que simplesmente precisava de alguém. Ele entrou nas nossas vidas, e, no começo, estava tudo muito ótimo. Até que ele começou a passar mais tempo lá em casa, e minha mãe a passar menos tempo com a família, com os amigos, e de repente era só a gente.

Ele começou a ficar violento, com ela, e comigo. Não sei exatemente como ele a intimidava, o que ele fazia, mas sei que ele batia nela. Comigo, ele vinha no meu quarto de noite, e abusava de mim, me forçava a fazer sexo com ele. Ameaçava matar minha família se eu contasse a alguém, e no outro dia me tratava como se fosse meu carinhoso padrasto. Não sei porque ela não largava ele, mas eles ficaram juntos dois anos. Acredito que tenha havido tanta manipulação quanto havia comigo. Lembro que ele batia nela na minha frente, e depois dizia que amava ela, queria ficar com ela pra sempre, que não podia viver sem ela. Realmente, eu não sei muito mais do que acontecia, fora o que acontecia comigo, e o que eu via.

Ele era uma psicopata? Quem sou eu pra saber. Não sou psiquiatra pra diagnosticar ninguém. Mas que ele tinha problemas seríssimos ele tinha.

Anônimo disse...

Oi, aqui é a Talita. Minha intenção com o relato não foi esmiuçar os podres da relação, provar q estou certa, fazer justiça. Não por meio do blog da Lola. Foi fazer um alerta. Usei referências da psicopatia, mas considerando APENAS as situações pelas quais passei. Não sei se ele já passou por um diagnóstico profissional. Li que mtas vezes eles enganam até os psiquiatras. Essa psicopatia referida, não é a do serial killer. É a do predador social. É uma pessoa que não tem sentimentos genuínos, mas sabe fingi-los mto bem e usa isso para manipular as pessoas. Argumentam aqui que todos podem fazer isso em certa medida, mas pelo que vi, não havia medidas. Era teatro total. Sugiro que leiam o texto do wikipedia e alguns dos mtos relatos que existem internet (tem gente que fica com eles por muitos anos), que conversem com psiquiatras. A intenção é justamente mostrar q existe essa psicopatia q, ao q parece, é muito mais comum dq a gente pensa. Não era uma relação de amor obsessivo, pois ele não me amava, apenas fingia que sim.

Sinto que devo repetir que o cara era ótimo ATÉ morarmos juntos, sozinhos. Nenhum sinal de desequilíbrio, agressividade, ciúme, possessividade, nada. Pelo contrário. Tinha um aspecto calmo, era inteligente, conversávamos, divertíamos, como qq casal. Me tratava muito bem, era muito apaixonado e todas as noites, desde que começamos a namorar, ele estava comigo. Eu não tinha motivo algum para desconfiar, absolutamente .Tlvz o anormal na nossa relação fosse justamente isso, ele era perfeito demais. Diferentemente do que colocaram por aqui, o comportamento dele, que mudou RADICALMENTE no mês e meio que nos vimos a sós, não teve NADA de normal. Acho absurdo dizerem que isto é comportamento normal, de homem. Eu já tive vários namorados e nunca havia passado por algo ao menos parecido. Pelo contrário, os homens com quem me relacionei não eram nada perfeitos, mas muito gente boa.

Sobre ser uma situação que apenas mulheres ingênuas, fracas ou que se vitimizam podem passar, não tenho como falar das outras e nem como "provar" o que sou ou não sou. Estava sim numa posição vulnerável pq sozinha. Só que já me relacionei com vários tipos de gente, trabalho, me sustento, vivo. Sou crítica. E me considero feminista. E por causa disso, é que a relação não se prolongou. Ele me agrediu fisicamente apenas uma vez, foi qdo descobri que ele me traia e o botei para fora do ap. E foi após o término, qdo continuou me procurando, que fui descobrindo muitas coisas e seu verdadeiro caráter. Não foi só "chifre", não. Ele engava muitas pessoas: mulheres; amigos, por dinheiro; colegas de trabalho, que não sabiam que ele tinha uma namorada com quem alugava um ap e tinham cedido a ele um todo equipado, enquanto estávamos juntos. Pensavam que ele morava lá. Ele é realmente um charme.

Concordo que somos responsáveis por quem colocamos em nossas vidas, tanto que o expulsei de minha convivência. Antes disso, ele foi mais esperto do que eu. Eu não sabia que existia gente assim. Só hoje sei que era um sinal o fato de que ele se vitimizava muito, contava muitas estórias familiares tristes, não tinha boa relação com os filhos e todas as suas ex, segundo ele, eram "loucas". Ele tb ressaltava muito a própria moralidade, como alguém aqui tb comentou de seu ex. Nunca imaginei ser enganada desta forma. Se tive culpa na agressão moral, física e emocional que sofri, foi essa. Por isso este alerta.
Foi uma estória cheia de mentiras. Fui sim vítima.

Clarissa disse...

Pra você ver, como se não fosse o suficiente a gente já ter que conviver com os psicopatas que nasceram assim, ainda me vem o tal do Nessahan Alita treinando os caras pra virarem psicopatas! #medo

Anônimo disse...

Gente, quanto preconceito junto! O que é isso, feministas? Nem todos os psicopatas matam ou são pessoas ruins. Posso lhes contar uma coisa? Eu passo com nível alto em teste de psicopatia. Sério, mesmo, e a descrição do wikipédia faltam alguns detalhes, mas pulemos isso. Eu sou psicopata COM ORGULHO, pelos três motivos citados no texto. Sou feminista, vegetariana, ativista (tanto em política, quanto animais e meio ambiente)... A psicopatia não é algo ruim. Pode ser moldada de uma forma muito boa se feito com cuidado. Já dizia Freud, é culpa dos pais.

Anônimo disse...

Os psicopatas em geral tem um série de regras as quais eles seguem à risca e tem uma concentração muito grande de sentimentos negativos. É engano pensar que psicopatas são sem sentimentos, eles apenas não sabem demonstrar. Alguns começam a ser muitos agressivos e explosivos, outro começam e ficar introvertidos, isso pela fase da adolescência ( por isso, passa tão despercebido ). O que importa é como você é criado como criança. Eu sempre tive contato com política e animais, sempre me interessou os assuntos mais maduros, é por isso que agora tenho um olhar crítico sobre isso. Eu posso não sentir remorso, mas tenham certeza que eu concentro todas as minhas energias negativas em quem merece.

Anônimo disse...

Anon 8:03, você nunca sente que estão atrás de você por algo que você fez ou por ser vulnerável a alguma coisa?
POr ex., você tem medo de ser assaltad@? Tem medo quanto ao futuro e coisas assim?

Silmara disse...

Eu tenho medo de mulheres psicopatas. Depois que vi aquelas duas loucas que esquartejavam jovens para fazer salgadinhos e vender na cidade eu não duvido de mais nada. Essa história me lembrou muito da Lady Macbeth.

As duas, esposa e amante, forçavam o marido a atrair as jovens para serem assassinadas. Assim as duas poderiam fazer a sua vingança maligna.

O cara de tão louco que ficou até escreve e registrou um livro onde contava com detalhes como matava e picava as jovens.

Livro do psicopata da empadinha disse...

Trecho do livro escrito por Jorge Negromonte, 50 anos. Marido da psicopata da empadinha.

“Vejo aquele corpo no chão, Jéssica desconfia que ainda se encontra com vida, pego uma corda, faço uma forca e coloco no pescoço do corpo, puxo para o banheiro e ligo o chuveiro para todo o sangue escorrer pelo ralo.

Ao olhar para o corpo já sem vida da adolescente do mal, sinto um alívio. Pego uma lamina e começo a retirar toda a sua pele, e logo depois à divido.

Eu, Bel e Jéssica nos alimentamos com a carne do mal, como se fosse um ritual de purificação, e o resto eu enterro no nosso quintal, cada parte em um lugar diferente”.

Anônimo disse...

"E pra quem fica com lerolero pracimademim a LoLa tem meu endereço, nome, telefone, e-mail, e-mail do meu marido... portanto, não estou aqui fazendo arruaça. "


Então você é tipo uma troll de estimação, é isso?

Gelsiany disse...

Lola

Você poderia fazer um artigo sobre essa história da família que fazia empadinhas com carne humana. Aqui tem alguns artigos:

Entrevista com os assassinos:
http://ne10.uol.com.br/canal/interior/policia/noticia/2012/04/13/exclusivo-entrevista-com-casal-que-matou-e-esquartejou-mulheres-em-garanhuns-337396.php

Sobre o livro:
http://ne10.uol.com.br/canal/interior/policia/noticia/2012/04/12/veja-detalhes-do-livro-escrito-por-assassino-de-mulheres-em-garanhuns-337183.php

A vítima que foi salva:
http://ne10.uol.com.br/canal/interior/policia/noticia/2012/04/12/terceira-mulher-ja-estava-marcada-para-morrer-crianca-pode-estar-enterrada-337191.php

Como a empadinha de carne humana foi feita:
http://www.diariodepernambuco.com.br/gastronomia/

Criança de 5 anos participava dos assassinatos e também comia as vítimas:
http://ne10.uol.com.br/canal/interior/agreste/noticia/2012/04/13/crianca-obrigada-a-comer-carne-humana-nao-e-filha-de-casal-assassino-diz-policia-337375.php

é isso.

Anônimo disse...

Lola. É a Isabel, de novo. Você falou que sou agressiva e que não tem tempo pra responder argumentos. Não respondeu meus questionamentos e ainda utilizou um termo, "agressiva", que ouço dos homens mais machistas que encontro no caminho. Se não quer responder, não responda, oras. Mas uma vez que você responda, acho que não é demais eu pedir que tenha algo mais a dizer do que me chamar de agressiva e afirmar que está sem tempo.

Anônimo disse...

Ok,... Tomei coragem e vou fazer meu mini comentário. Meu irmão é psicopata. Diagnosticado. Não, ele não é u serial killer, não é um psicopata "severo", mas colocando numa escala seria algo entre leve e moderado. Já foi usuário de cocaína. Tinha uma arma (dele, claro) em casa quando éramos adolescentes, e eu vivia com medo de ser morta por ele, que sempre me agrediu muito, verbal e fisicamente. O que mais dizer?... Sou uma mulher de quase 43 anos quase que completamente destroçada, apesar das terapias... Um ser humano inseguro, assustado, para muitos, risível, até... Como é de se esperar, tive muito namoros turbulentos (é a tal co dependência...), um casamento horrível e, agora, divorciada, cuido sozinha de um filho com graves problemas mentais... Até por causa das muitas restrições que o tipo de vida que levo (cuidados com meu filho), tive que interromper várias vezes minha psicoterapia; muitas vezes por problemas do plano de saúde, enfim... A psicopatia é arrasadora, só quem conviveu (no meu caso desde o nascimento, porque ele é mais velho que eu) diretamente com um demônio desses é que sabe.
Ah, claro que meu nome não é Rita, foi o pseudônimo que arranjei prá que não tenham que se referir a mim como a anônima das 10h45!
No mais, parabéns à Lola pela escolha excelente do conteúdo do post! Gente,... é tão frequente a psicopatia (e com um poder de destruição TÃO GRANDE!) que alguns comentaristas deveriam esquecer um pouco as piadinhas e rusgas desnecessárias, sabem?, e se concentrar mais no tema.
O livro da Dra Ana Beatriz Barbosa (Mentes perigosas) é muito bom! O auto biográfico "Mas ele diz que me ama"/Rosalind Penfold (um pseudônimo) prá mim, tbm, fala de um psicopata.
E tem esse blog aqui que descobri, coincidentemente, ontém:
http://fuivitmadeumpsicopata.blogspot.com/

Ainda não li muitos posts, mas me parece bom...

É isso...
Abraço!
RITA

Anônimo disse...

Ah!
Então, desconfio fortemente de um componente genético na minha família, vejam: meu irmão, emu filho com retardo mental grave e conduta agressiva, e meu avô paterno, que era esquizofrênico... Bem,... todos muito próximos na árvore genealógica, não? O filho do meu irmão, com 5 anos, começou a manifestar comportamento gravemente agressivo (mordidas e socos em coleguinhas) com menos de 3 anos de idade... Hoje, aos 5, apresenta crises convulsivas e usa medicação para isso...
Alguém aí comentou em tomarmos cuidados para não propagarmos o problema, gerasndo filhos de psicopatas, bem... a pessoa tá certa...
Abço
RITA

Sarah disse...

Lola,
Se eu te mandar uns bombons ou livros ou qualquer outro agrado posso fazer meus comentários e criticar a LisAnaHD sem correr o risco de ter meu comentário apagado? Poxa, ela fala tanta porcaria, Várias pessoas perceberam isso e você continua passando a mão na cabecinha da trollzinha de estimação...
Se for pelos presentes nao se preocupe, também lhe mando alguns...
Bjss
Boa semana
:)

abobrino disse...

Embora eu acredite sim que exista maldade como um componente genético, acho que isso de "fulano é psicopata então seus filhos serão psicopatas" é besteira.

Como vcs acham que uma pessoa agressiva cria seus filhos? Com amor e carinho? Não, é na violência física e verbal mesmo, então a criança repete esses padrões. Qualquer um (ou uma) aqui poderia ser extremamente violento, bastaria que tivéssemos nascido no ambiente propício para isso.

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Achei o guest post um pouco confuso, porque ela não relata exatamente o que aconteceu, só conta por alto...

Mas será que é psicopatia mesmo? Tenho minhas dúvidas, porque esse relato que ela fez, infelizmente está longe de se adequar apenas a 3 ou 4% da população.
Quer dizer, isso tudo que ela citou infelizmente é tão comum que me custa a crer que seja necessariamente a tal psicopatia.
O que me parece é que já é cultural, relacionamentos doentios que começam muito bem e terminam muito mal, que são permeados por violência no mínimo psicológica, abandono de filhos porque são frutos do relacionamento passado, pessoas mentindo pra conseguirem o que querem, etc.
Isso tudo infelizmente é o que mais tem. Quem dera que apenas 3 ou 4% das pessoas apresentassem esse tipo de comportamento e ainda por causa de uma patologia, pelo menos seria uma justificativa razoável.

LuanaJp disse...

Ah, quem tá reclamando que a moça 'só contou por alto' e que 'não foi bem um relato' tá é curioso pra saber da desgraça alheia.

A autora só quis compartilhar com outras pessoas suas impressões. E sem detalhes do caso tem comentários do tipo 'será que é isso mesmo?' e insinuações que a culpa foi dela, por confiar no cara, imagina se ela conta detalhes? Vai ter gente dizendo timtim por timtim que a culpa foi dela por isso ou aquilo...francamente.
(deixando claro que não estou dizendo que todos fariam isso, mas todos que lêem aqui sabem que esse tipo de comentário aparece com muita frequência)

E Lola, vc tem paciência, viu? Esses comentários aí de gente te atacando por você ter nascido noutro país são uma das coisas mais idiotas que tem.
Mas é a velha 'lógica': se não tenho argumentos, ataco a pessoa.

LisAnaHD disse...

Sarah disse... Lola,
Se eu te mandar uns bombons ou livros ou qualquer outro agrado posso fazer meus comentários e criticar a LisAnaHD sem correr o risco de ter meu comentário apagado? Poxa, ela fala tanta porcaria, Várias pessoas perceberam isso e você continua passando a mão na cabecinha da trollzinha de estimação... Se for pelos presentes nao se preocupe, também lhe mando alguns... Bjss Boa semana :) 15 de abril de 2012 11:41

>>> qdo eu tô esquecida da sua existência/presença lá vem vc me dando o mó cartaz, moça.. thank you sooooo veryyyyy much! -- e muito me admira que foi preciso EU começar a enviar presentes pra LoLa pra vc se tocar e considerar fazer o mesmo, hein?

qto ao que vc e suas "várias e variadas afins" acham dos meus comments, a recíproca é verdadeira... portanto, empatadas que estamos na opinião de comments, deixe de ler meus comments ou ao menos não me dê cartaz. E, sim, sim, é claro que vc deve presentear a LoLa! EU o faço e VOCÊ tb pode fazer... vc vai enviar brownines? É que não estou enviando brownies pra LoLa, mas estou enviando um livreto somente com receitas de brownies... la gran Madrecita de LoLa sabe inglês e isso não será problema... enqto LoLa trabalha e enqto ela se dedica ao blog, alguém estará na cozinha y cn mucho cariño preparando uns deliciosos brownies pra LoLa e pro SílVio... e VOCÊ, que não consegue deixar me prestar atenção aos meus comments, continue me lendo e me dando cartaz, tábãoassim? MAS seria melhor escrever algo que não denote despeito dentro dessa sua cachola... c'est tout!

LisAnaHD disse...

Ah! LoLa Querida, somente agora vi que vc reproduziu aqui o comentário sobre anencefalia... isso sim é um comentário com propriedade e conhecimento do assunto, não é mesmo?

Essa enfermeira é minha amiga virtual há uns 6 anos, se não mais... eu a encontrei qdo navegava pela net qdo eu queria saber algo sobre Euclides da Cunha (ele matou ou tentou matar o marido da ex-melher dele, algo assim ou foi morto em duelo) e cheguei a uma página com um comentário dela sobre a Amazônia Brasileira... bem, achei que ela estava equivocada em algum aspecto... enviei-lhe um e-mail e conversa vai e conversa vem, ela é uma que está me enviando vários livros da Literatura Brasileira... na verdade ela me envia, eu envio pra ela.

Com vc não há necessidade de troca de livros pq ter acesso ao seu blog pra mim é realmente algo especial... vai além de me atualizar com um aspecto da sociedade brasileira, pois é como ter uma prateleira de livros ao meu dispor, já que a partir de textos seus encontro livro e mais livros, LoLa. un besito, pero grandote, eh?

yulia2 disse...

Muitas vezes a chave das pessoas aguentar relacionamento abusivo é a cultura e a educação.
Somos doutrinadas SEMPRE a aceitar, relevar, baixar a cabeça, ser compreensiva.... a nos anular em função do outro...

Anônimo disse...

Acho que a psicopatia não é apenas falta de empatia, ou então, vem acompanhada de traços esquizos como o delírio persecutório.

Doença mental É HEREDITÁRIA SIM, e deveria ser forte fator desencorajador de procriação entre os membros da família de um psicopata ou esquizofrênico.

E antes que apareça um absolutista medieval, digo logo: vá se catar, pra não dizer outra coisa.

Al

Trícia disse...

[Off Topic] Desculpem... Fiquei estarrecida com a notícia do "trio canibal" de Pernambuco http://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2012/04/13/acusada-de-canibalismo-vendia-empadas-com-carne-humana-em-garanhuns-pe-diz-policia.htm que horror, gente!... E aí me lembrei do Sweeney Todd (lembram do filme? 2007) http://www.adorocinema.com/filmes/filme-53640/ e não pude deixar de imaginar que esse povo doente pode ter se inspirado no filme...

nina disse...

Trícia,
Vi a notícia e também lembrei do filme - mas porque minha mente associa tudo.

Na verdade, não acho que as pessoas se inspiraram no filme, não. Porque maldade, infelizmente, não precisa de inspiração. E esse crime bárbaro foi motivado por outras questões - de gênero, visto que as vítimas são mulheres porque tinham 'úteros malditos'.

Triste, chocante, terrível. Mas cadê imprensa discutindo essas coisas com propriedade?

Anônimo disse...

http://noticias.uol.com.br/midiaglobal/derspiegel/2012/04/15/com-medo-de-serem-assassinadas-e-torturadas-jovens-imigrantes-fogem-de-suas-familias-na-alemanha.htm

Anônimo disse...

Sara, não está te bastando implicar com a LisAnaHD, agora sua dor-de-cotovelo e despeito e falta de simancol te fazem cínica e sarcástica até mesmo com a Lola. E seu comentário, que não passa de criancice de garota mimada, merece sim ser apagado ou deletado, se você preferir o linguajar tecnológico.

LisAnaHD disse...

LoLa, tudo o que sei sobre esse canibalismo ocorrido lá em PE foi o que li de comentários aqui e ali no blog, sem acessar os links citados... se vc postar algo sobre o assunto, vou ler... mas não vou buscar outras fontes apenas acho o assunto estarrecedor, como alguém diz acima.

Não sei se você sabe sobre os indígenas Caetés... qdo eu li o romance de Graciliano Ramos, "Caetés", aprendi que os índios Caetés eram um grupo antropófago lá da região entre PE e AL ou talvez CE... os portugueses se empenharam no seu extermínio, mas algo sobrou, tá claro.

Sobre o romance... foi o primeiro de autoria de GR e mais tarde ele demonstrou insatisfação com o enredo, mas eu gostei imensamente do livro que é, de certa forma, autobiográfico. Uma pergunta que marcou foi a indagação de quem seriam os verdadeiros Caetés... bem, a partir daí fiz minha pesquisa, mas num tempo antes do Google, antes de todo o recurso de temos hoje.

Anônimo disse...

O Nessahan diz que o sêmen ejaculado se degenera e forma "monstros astrais e mentais (larvas)" porque Nessahan Alita é adepto do gnosticismo. Os gnósticos acreditam que os homens ao patricarem a União Kármica (também chamada de "karma-saya") passam a compartilhar seus karmas e defeitos, além de "compromissos kármicos" ((descritos no Livro do Karma). Os gnósticos acreditam que homens e mulheres que praticam muito sexo casual traz um "karma ruim" e pode ser danoso à própria energia. É hilário? Realmente é. Mas só para explicar a crença de Nessahan.

Anônimo disse...

esse caso das empadinhas é um crime misógino. as mulheres eram mortas pq, segundo eles, são IMPURAS.

LisAnaHD disse...

Sei lá, tive de pesquisar e...

Nessahan é anagrama de Nahassen. Nahassen significa Nahassenio. Nahassenio é uma linha do gnosticismo copta, da linhagem de Maria Madalena.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Nessahan_Alita

Thiago Vieira disse...

Minha amiga não conseguiu postar seu comentário aqui, então estou fazendo no lugar dela. Segue o comentário nas mesmas palavras.

-------------

Gente, estou vendo umas confusões acontecendo aqui e como psicóloga não pude deixar de comentar.

"Psicopata", ou mais corretamente, uma pessoa com transtorno de personalidade antissocial, abusa de qualquer pessoa que esteja a sua volta, desde que ele queira e tenha chance de fazer isso. E essas pessoas, abusadas, sejam mulheres, homens, pais, filhos, colegas de trabalhos SÃO vitimas.

Esse post por acaso falou de relacionamento amoroso, e nesse caso as mulheres são sim seduzidas, abusadas e agredidas; assim como outras pessoas também são seduzidas abusadas e agredidas no trabalho, na família ou em qualquer lugar que eles passem. Elas são vitimas também. É muito difícil pra qualquer pessoa, homens e mulheres, com qualquer nível intelectual, financeiro e social, não cair nos joguinhos dessas pessoas. Como já disseram aqui, é difícil de entender o que está acontecendo pq é surreal, é coisa de filme.

Eu sei que no blog da Lola são postadas muitas questões feministas, mas essa não é a questão aqui. Sim, eu concordo que a sociedade machista, as historias de príncipes encantados e a forma que as mulheres são criadas para "perdoar", "compreender" e às vezes até "suportar" acaba fazendo com que elas fechem os olhos, talvez por mais tempo do que outras vítimas, mas isso pode acontecer com qualquer um.

As pessoas acabam achando que existe outra explicação, que a culpa é delas e várias coisas pq o nível de maldade é muito grande. Poderia ter sido contada aqui a história de um homem que sofreu com uma mulher psicopata, um homem que sofreu com o filho ou um amigo, um irmão.. ele seria julgado por se considerar vitima ou isso serve apenas para as mulheres?

Nós lutamos por nossos direitos, isso não nos faz super-humanas. Somos pessoas normais.

Anônimo disse...

Lola, esse post trouxe um tema muito comum e que diversas pessoas vivenciam. É interessante ressaltar que por mais que tenhamos noção de que as coisas estão um pouco erradas,quando estamos no meio da situação não enxergamos com clareza.
Qdo eu tinha 20 anos conheci um homem com esse perfil, no começo ele era super atencioso, gentil, culto e interessante. Começamos a namorar e ele materializava todos os meus desejos, sempre tinha propostas para irmos ao teatro, shows, livros e tudo mais o que eu gostava. Parece-me que esse tipo de gente tem uma sensibilidade para perceber os desejos do outro e corresponder para nos atrair para a sua rede.Pois bem, tudo corria tranquilo, mas depois de um tempo ele começou a manifestar muitos comportamentos manipuladores, mas sempre disfarçado de "cuidado", assim, ele começou a me levar e buscar para o trabalho para que eu não precisasse mais pegar onibus e me expor aos perigos da "cidade grande". Depois começou a utilizar todos os mecanismos indiretos para que eu me afastasse da familia e amigos, com críticas disfarçadas de alerta e colocando em evidência os defeitos das pessoas que me cercavam e se mostrando como uma das poucas pessoas "honestas" em que eu podia confiar.
Por fim, a situação chegou a tal absurdo que nem poder visitar minha família no interior eu podia mais, ataques verbais de todos os tipos também passaram a ser comuns, ciúmes de dentista, professores e até de artistas estavam também na rotina. Quando ele percebia que passava dos limites e que eu estava prestes a escapar ele até chorava se justificando que era preocupação e "cuidado".
É muito importante frisar que quando estamos nos relacionando com essas pessoas não percebemos o insólito da situação e não é tão obvio ver que é uma imensa furada. Consegui sair da relação e nunca mais vi o sujeito, mas até hoje tenho calafrios de lembrar das suas cenas e discursos manipuladores.
Ps. o sujeito era psicólogo e sabia muito bem como fazer.
Abs Lola, carla

Anônimo disse...

'Poderia ter sido contada aqui a história de um homem que sofreu com uma mulher psicopata, um homem que sofreu com o filho ou um amigo, um irmão.. ele seria julgado por se considerar vitima ou isso serve apenas para as mulheres?'

Como vc é ingênua.Esse daí n é vítima de nada, esse é o mascu e se cair um meteoro na terra a culpa é dele

José Guilherme Wasner Machado disse...

Esse post é um bom alerta para todos (sejam mulheres ou homens) que pensam que ciúme e possessividade são demonstrações de amor. Não são. A pessoa controla com quem você sai? Fica espionando seu celular e email? Dá barraco porque outros estão te olhando? Te liga mil vezes por dia, querendo saber onde você está? Quer impor regras sobre o que você pode fazer, ou com quem, ou quando? Pé no traseiro do(a) infeliz. IMEDIATAMENTE. E sem segunda chance.

Relacionamento não implica em posse. NUNCA. Você não têm quaisquer direitos sobre o(a) parceiro(a). Exceto o de exigir transparência e honestidade. Quem não entende esse preceito BÁSICO corre risco de se torna a próxima vítima dos Lindembergs Alves da vida.

Anônimo disse...

lendo esse comentário da Carla me sinto mais idiota ainda parece que é um tipo script que esses caras seguem, parecem tão maravilhosos no inicio que vc fica com a sensação de ganhou na loto, não ha desejo que eles não satisfaçam, até que vc se vê presa em uma teia da qual não consegue mais escapar, sem nem se dar conta é separada de todo mundo que vc conhecia, familia, amigos , escola, emprego.
É manipulada a ficar totalmente dependente de um cara desses.
Ai vem os filhos que te prendem mais ainda nessa teia.
Sorte de quem consegue escapar com vida, porque muitas não conseguem.

A tal da menina xisdê disse...

Olá Lola. Achei o guest post interessante, porém, como estudante de psicologia, fiquei muito preocupada com o final: "PSICOPATIA NÃO TEM CURA", "Essa doença é, entre outros fatores, genética, então sejamos também responsáveis para não fazer um mal pra humanidade e botar outro psicopatinha no mundo".
Deve-se tomar cuidado quando se vai falar de um assunto que não se conhece muito bem. A afirmação científica de que certas doenças, tanto orgânicas quanto psicológicas, são puramente genéticas é bastante ultrapassada e MUITO perigosa. Hoje a psicologia e a psiquiatria compreendem que o ser humano não é apenas biológico, genético, assim como não é apenas "moldado" pelo ambiente. Sabemos que somos seres biopsicossociais, ou seja, há uma interação intensa e contínua desde antes de nascermos. Predisposição é muito diferente de preDETERMINAÇÃO... O fato de uma criança nascer com uma predisposição genética à psicopatia não determina em NADA que ela será um@ psicopata, pois a sua experiência servirá como um "turn on and off" para o gene.

Isso se comprova com várias pesquisas, uma delas foi uma avaliação de 100 mulheres que tinham predisposição genética para desenvolver câncer de mama e, adivinhe quantas desenvolveram? 10 ou menos.

Uma criança que não tem o gene de psicopatia, mas que passa por uma infância e uma vida totalmente carente de afetividade, amparo e repleta de violência e negatividade pode muito bem se tornar um@ psicopata.

Cuidadinho, wikipédia não tem uma suficiência tão fodassa assim. ;)

LisAnaHD disse...

A tal da menina xisdê disse... 17 de abril de 2012 14:52
". . . Predisposição é muito diferente de preDETERMINAÇÃO... O fato de uma criança nascer com uma predisposição genética à psicopatia não determina em NADA que ela será um@ psicopata, pois a sua experiência servirá como um "turn on and off" para o gene. Cuidadinho, wikipédia não tem uma suficiência tão fodassa assim.
====
Realmente, a Wikipédia carece em muito de autores no idioma português e se vc está devidamente qualificada, mãos à obra!!!

LisAnaHD disse...

. . . estudante de Psicologia na UNISAL, Lorena, SP, gosto de me expressar. --A tal da menina xisdê
http://xdgirll.blogspot.com/

>>> É, deu pra notar. E eu tb gosto de me expressar. Então vamos lá...

1. Você está cursando que ano da faculdade?

2. As impressões que vc postou e o que vc recriminou foi baseado em:

a. sua própria experiência unicamente;

b. sua experiência comparada com a experiência alheia;

c. o que prof. te ensinou dos livros didáticos aprovados pela faculdade onde vc estuda;

d. seus estudos independentes e abrangentes, incluindo estudos dos prós e dos contras efetuados por renomados psicólogos e psiquiatras brasileiros e internacionais?

Qdo expressamos nossa opinião (particularmentre da forma veemente e categórica como vc o faz), é preciso lidarmos com CREDIBILIDADE e isso precisamos passar ao leitor, particularmente qdo se trata de quem gosta de expressar.

A tal da menina xisdê disse...

LisAnaHD:

1. Você está cursando que ano da faculdade? 2° ano

2. As impressões que vc postou e o que vc recriminou foi baseado em:

d. seus estudos independentes e abrangentes, incluindo estudos dos prós e dos contras efetuados por renomados psicólogos e psiquiatras brasileiros e internacionais

A opção é a D. Se eu estou criticando uma suposição sobre algo que é determinado científicamente e que tem várias vertentes, como seria possível eu fazer isso apenas com base na minha opinião própria sem influência de autores mais experientes no assunto? Fiquei duvidosa sobre a relevância da sua primeira pergunta, em que ano estou na faculdade, afinal, isso realmente determina minha formação? Se eu estivesse no último ano, seria necessariamente mais experiente? Estranho, hein.
Há um documentário bastante interessante no qual vários cientistas e pesquisadores (dentre eles psicólogos e psiquiatras) que resume perfeitamente as pesquisas e as descobertas que fiz sobre o assunto. A fala de que predisposição é diferente de predeterminação é de um desses experientíssimos profissionais. O documentário chama-se Zeitgeist - Moving Forward, recomendo MUITÍSSIMO.

Não acho que as aulas e o material didático da minha faculdade são o suficiente para minha formação como psicóloga. Antes mesmo de conhecer o feminismo, discordava e questionava a mim e aos professores sobre muita coisa que aprendia, e procurei pesquisar os pontos de vista sobre variados assuntos... Se eu não tivesse a mente aberta, nem teria chegado ao feminismo.. Estudo numa faculdade salesiana, católica, então imagine os "foras" conservadoristas que eu ouço de vez em quando por lá...

Anônimo disse...

Que complicação essa discussão,rsrs
Os homens que mentem para vocês não são psicopatas; só que só veem uma bunda em vocês.
Da mesma forma que certas mulheres também só veem o status do homem, ou o patrimônio.
Na verdade, acho que tem mais homens enganados pelas mulheres do que o contrário.
Acho também que nem toda obsessão reflete algum nível de psicopatia.

LisAnaHD disse...

Fiquei duvidosa sobre a relevância da sua primeira pergunta, em que ano estou na faculdade, afinal, isso realmente determina minha formação? Se eu estivesse no último ano, seria necessariamente mais experiente? Estranho, hein.
11:21

É o que se espera de uma boa faculdade, que o aluno do último ano saiba e tenha mais experiência !!! isso é elementar e estranho é vc ter outro ponto de vista.

A tal da menina xisdê disse...

LasAnaHD
Wow wow wow wow! Quer dizer então que seu ponto de vista é elementar e que se o meu for diferente dele, ele é estranho?? Quer dizer que o aluno de uma faculdade é uma massa humana passiva? Só a faculdade e seus professores e materiais didáticos são o suficiente para a formação de qualquer pessoa? Hummm... Você já fez uma faculdade?
Não ensinam feminismo em faculdade, e também não ensinam TUDO sobre psicologia em faculdade nenhuma de psicologia, sendo ela boa, razoável ou péssima. O professor é um guia, ele simplesmente orienta para que o aluno trilhe seu caminho. Quer dizer que qualquer pessoa que você pegar do quinto ano e discutir sobre essas questões sobre psicopatia articulada com machismo e feminismo, ela COM CERTEZA estará mais apta para analisar e falar mais abertamente do que eu, só pelo fato de eu estar no segundo ano? Puxa, que elementar!

A tal da menina xisdê disse...

É LisAnaHD, desculpe pelo pequeno erro de digitação.

Anônimo disse...

Ha alguns meses me envolvi com um cara que parecia "um amor" de pessoa Queria se fazer de prestativo, "cuidador" (cuidado mulheres!), o fiel, o honesto, aquele que luta por belas causas (feminismo, contra o racismo entre outras)
Como passava bastante tempo com ele, não demorou nada para eu perceber quem era de fato
Um dia fui me encontrar com um amigo (homossexual), ele ficou mudo e irado na mesa, nem conversava com o cara e fazia questão de ser grosseiro Levantou-se e ficou com os braços cruzados, e chegou a pedir mais de uma vez para eu ir embora logo. Saímos depois de um tempo, quando andávamos pela rua, ele disparou, com ódio Essa bicha feia desse teu amigo, etc etc e uma onda de ofensas despropositadas
Mostrou a verdadeira face para mim aquele dia
Aparentemente, queria estar sempre presente em QUALQUER situação(família, amigos) me sufocando tremendamente. Quando eu estava com ele, ele fazia questão de falar sem parar e cativar as pessoas da minha família(e conseguia, muitas vezes), eu me sentia uma idiota, sem voz
Eu o peguei, e minha família tb, usando como suas idéias ou palavras que eu ou alguem proximo havia dito (tomando ideias e pensamentos que lhe convinham como seus)
Quando eu questionava seu comportamento, nunca conseguia uma explicação convincente, pior: ele dizia: Vá ver como andam os caras por aí, traindo, batendo nas mulheres (!!!) Você não vai achar alguem como eu!
Sufocada e frustrada, terminei. Ele se acabou de chorar.Fiquei firme. Dez dias depois estava com outra. Pediu a garota em casamento. Tenho pena da garota, pois ela deve estar achando que achou a sorte grande, só que só verá a verdadeira face dele quando estiver convivendo com ele.
Desconfiem SEMPRE de pessoas que se mostram "perfeitas" e que usam de discursos bonitos logo no início de relacionamentos, sejam eles amorosos ou de amizade Desconfiem SEMPRE de pessoas que tentam de isolar de teus amigos, família, e tb pessoas que te querem por perto o tempo todo Desconfiem tremendamente de pessoas que te ameacem, por menos que seja a ameaça (exemplo do "se vc fizer isso vou terminar"...ouvi isso todas as vezes que questionei atitudes agressivas ou estapafurdias)

Anônimo disse...

Mas é impressionante como as características deles batem...

Ainda bem que percebi logo antes de qualquer envolvimento. Prestei atenção às contradições entre discurso e ação- especialmente em confronto com o passado.Mas mesmo assim não foi fácil e a melhor das estratégias é diminuir o contato o máximo possível. Tenho dó de quem está vivendo hoje com ele e realmente acha que vai ser diferente. Já não está sendo e faz tempo. Triste é você saber disso e não poder fazer nada porque a pessoa jamais acreditaria, porque está cega pelos sentimentos que nutre por alguém que não tem a capacidade de retribui-los...

Liana disse...

Gente , alguém aqui comentou sobre o comportamento do cara não ser de um psicopata por que o cara não parecia ter ausencia de sentimentos, mas sim excesso deles...

Pois bem, eu me envolvi com um cara - felizmente não estou mais - que tinha um comportamento MUITO semelhante, mas também exitei em classificar ele como psicopata, apesar de que faltava muita empatia nele, ele tinha sentimentos demais e a mentira não era o forte...

Eu descobri que ele na verdade era um Mísógeno. Sim, esses misógenos que odeiam as mulheres, mas que a gente pensa que as mulheres deles eles amam... ele era machista, mas não era tanto, era bem moderninho até... mas descobri que o modo como ele me tratava não era de amor, era sim de ódio. Comecei a juntar os pontos de todas as coias que ele fazia que eram horríveis pra mim e vi que eram armas de destruição, não de amor. A ficha só caiu falando com uma amiga e descrevendo o problema, ela me disse que alguém que ama quer ficar de bem com a pessoa, e não ficar de mal. Aí me dei conta que praticamente todas as atitudes dele eram pra ficar de mal comigo.

Eu descobri que ele era misógeno, MISÓGENO. Eu, uma feminista convicta, com um misógeno ao meu lado. Triste reconhecer isso, mas uma vez que eu enxerguei, não conseguia mais aguentar a situação. Com muita clareza e esforço, dei um basta em tudo.

Para quem acha que está numa situação semelhante, recomendo o livro Homens que odeiam suas mulheres, da Susan Fowards. É o livro de uma psicóloga que tinha um marido misógeno, e resolveu escrever sobre ele.

Aline Mancilha disse...

Super interessante este post. Nos meu relacionamentos, me sentia dona da situação, ou pelo menos dona de mim, achava q era forte, e q uma situação assim, como a descrita, não aconteceria comigo, pq sou superrr esperta, buenas.... Certa feita conheci um rapaz numa balada, trocamos contato pelo face e começamos uma conversa, isso durou dois meses até q saíssemos da frente da tela e fôssemos conversar ao vivo, gatíssimo, inteligente e súper agradável. Começamos a sair, em seguida ele começou a botar pressão que queria oficializar o relacionamento, queria namorar, conhecer família, achei meio apressado, meio ansioso, mas pensei, quem sabe?! Aquela história de nos sentirmos especiais e tal, ele sabia fazer isso bem, e foi o q pensei? uau! Ele realmente está apaixonado, ainda bem q eu não!!!! Apesar, claro, de estar gostando das "provas de amor e afeta". Disse q me amava em 1 semana, começou a ficar ciumento, possessivo, querendo regular meu face, me ligava inúmeras vezes durante o dia, sem falar nas mensagens... Até q comecei a perceber incoerência na fala, e descobrir mentiras. Ele contava q tinha uma vida muito difícil, familiar inclusive, era um drama só, relacionamentos difíceis com pai, mãe, ex e todos ao redor...Até q um dia percebi uma mentira mto descarada, ele estava achando q eu estava totalmente cega, eu não estava, mas mesmo assim, foi difícil acreditar q as pessoas podem mentir dessa maneira, impressionante! Comecei a ficar desanimada, sem forças, parecia q ele me sugava, comecei com apatia, até q um dia ele deu um soco na parede pois não encontrava a carteira, e precisávamos pagar a conta... puro teatro!! Seria mto mais honesto dizer q tava sem grana. Resolvi terminar por telefone mesmo, pois aquele soco na parede poderia ser no meu rsoto, então, resolvi acabar tudo por telefone, ele fez o maio drama, disse q me amava, q estava desnorteado, que eu não poderia fazer isso com ele...e blá blá blá... Ligou umas 30 x, mandou msgs, veio na minha casa, trouxe flores, eu nem atendi, contei p meus pais, e pedi q nunca o atendessem. mandou 2 motoboys na minha casa com uma entrega suspeita, meus pais nem quiseram receber, andei um pouco com medo de sair do trabalho, até pq o vô dele tb trabalha lá, e podíamos nos encontrar pelos corredores... Foram apenas 2 meses de conversa e pasmem, 17 dias de namoro oficial, e o rapaz já se demonstrou dessa maneira... Ainda bem q consegui identificar o mal estar em tempo e saí dessa encrenca. Duas amigas tentaram me alertar, não dei ouvidos, e pedi desculpas posteriormente a elas.. Ainda bem q eu faço terapia tb há um ano e meio. Penso nessas mulheres que vivem anos sob essa situação, realmente ficam marcas fortes, q saem dificilmente. Eu fiquei meio cabreira depois disso, tanto q não me relacionei com mais ninguém depois desse rapaz, já se passaram 4 meses, e m~es passado ele ainda mandou msg no meu cel... Mas tb ele me botou a real, achei q nunca aconteceria comigo, mas se eu tivesse levado essa história mais adiante, seria tenebroso, ele estaria me dominando e para se desvencilhar, seria mais, bem mais doloroso... resumi algumas partes ainda, mas é isso, esse post é de total importância. Mto bom.

Anônimo disse...

Sobre ter filhos: apesar de tudo, Deus foi tão maravilhoso comigo, que mesmo sem saber o que hoje sei sobre o meu marido, mas, sabendo que alguma coisa estava muito errada, eu resolvi não ter filhos ( coisa que ele nunca questionou, aliás, quando uma vez eu suspeitei que estava grávida ele destestou a idéia). Quando por um lapso, uma esperança eu perdoei tantas coisas e tudo parecia ter mudado, eu pensei em ter filhos, então Deus em sua infinita misericórdia me tornou estéril, protegendo meus filhos de um pai assim, e protegendo o mundo de outras criaturas tão perversas. Só para se ter uma idéia da frieza e crueldade. Uma vez, chorando, eu perguntei para ele se ele não via que ele estava me matando e ele com desdém e caçoando do meu sofrimento disse: "maltratando, maltratando eu sei que eu estou te maltratando, mas matando não né."
Com um detalhe, ele é pediatra e até pouco tempo coordenava o programa de proteção a crianças vítimas de maustratos. ( como ele coordenava esse programa sendo que ele acha que não há problema algum em maltratar? )
Que bom que vc conseguiu se livrar. A quem tem fé, peço: orem, rezem, por mim e por tantas outras mulheres que ainda estão presas a esses predadores. Para que todas consigam se livrar, consigam cuidar de si mesmas de suas vidas, reconstruírem seus caminhos, suas profissões, sua auto confiança, sua fé. Obriga! Que Deus abençoe a todos!

Anônimo disse...

Aconselho todos a darem atenção ao mais ameaçador problema de nosso tempo: O TRANSTORNO DE PERSONALIDADE ANTISSOCIAL, TAMBÉM CONHECIDO COMO SOCIOPATIA OU PSICOPATIA. Digo sem receio de parecer exagerada, pois um sociopata quase destruiu minha vida, e até hoje (11 anos depois)luto contra os traumas. Depois de quase ter cometido o suicídio por causa de um deles, resolvi aprender o máximo que pudesse sobre isso. Inclusive, indico um livro ótimo: MEU VIZINHO É UM PSICOPATA, de uma autora estrangeira, Ph.D. Não vou explicar o que descobri sobre estes monstros, vou me ater a minha experiência. Ao ler o relato acima, foi como se tivesse vendo a minha história com meu ex-marido e acredito que as mulheres e homens que tiveram a desgraça de topar com um desses também. Pq a forma como eles atraem e destróem suas vítimas é quase igual, com pequenas alterações. Bom, conheci ele dentro de uma religião rigorosa, em cima de um púlpito; e esta é uma tática muito mais comum do que se pensa sobre eles: geralmente eles usam a religião para parecerem cidadãos confiáveis... Então, MUITA atenção! Achando que ele era um bom rapaz por ser religioso, marcamos de sair. No primeiro encontro, fiquei muito impressionada por sua inteligência e charme. Só havia um probleminha: ele tinha namorada, mas estava "em crise", quase terminando (também não caiam nessa...). Ficamos nessa noite, e (supostamente) ele terminou com a ex no dia seguinte. À medida que saíamos, me apaixonei, pois ele era "perfeito": romântico e refinado. Tudo começou a mudar certa tarde, qdo encontrei uma amiga que não via há anos; liguei para avisar que iria me atrasar e ele começou a ligar para o meu celular de 10 em 10 minutos... Fiquei sem graça e desliguei. Cheguei em casa e ele estava me esperando como se eu tivesse matado alguém. Outro acesso de ciúme aconteceu qdo um amigo me ligou dizendo que iria a minha cidade e perguntou se eu gostaria de pegar uma carona com ele na volta. Assim como a amiga do relato eu também estava numa cidade que não era a minha, sozinha. Estava de férias e aceitei a proposta. Qdo contei a ele, ele simplesmente estourou meu celular no chão! Fiquei chocada mas como sempre, ele terminou se fazendo de vítima, pedindo perdão e me fazendo sentir a culpada. Certa vez, ele me impediu de viajar com meu irmão; escondeu meu cartão do banco para que eu não fosse. Com 1 ano e 2 meses de namoro, ele cismou de casar. Tentei argumentar que ainda era cedo, e ele ameaçou de terminar. A essa altura, ele já tinha tomado o controle de mim: me afastou completamente de todos e me fez achar que só ele me amava. E eu acreditei, a ponto de me casar contra a vontade só para não perder "tudo" que tinha na vida! Seria cômico se não fosse trágico. Uma semana depois do casamento, ele se revelou: ameaçou me bater, tomou conta do meu salário e minou minha autoestima com constantes críticas e insinuações. Observei melhor o comportamento dele com a mãe: apesar de ela amá-lo loucamente, ele dizia que a odiava. As mentiras também começaram a aparecer, cada uma mais fantástica que a outra. Não sei como consegui sair daquela prisão sem grades... Agradeço a Deus! Depois da separação, várias pessoas me disseram que ele era gay... Por isso a insistência em casar! Foi apenas 1 ano e meio de casamento, mais o namoro, mas que deixou uma marca profunda em mim. Eu era confiante e otimista, e hoje não sou nem a sombra do que fui... Casei de novo com uma homem bondoso, bonito e que me ama, no entanto não consigo ser plenamente feliz pq ainda tenho fobias causadas por esse relacionamento. Repassem essas experiências e se informem sobre isso, pois essas imitações de humanos estão por aí, camuflados de pessoas de bem. Pais: orientem seus filhos e OBSERVEM o comportamento e o histórico de seus namorados e afins, para que eles não sejam vítimas também! SOBRE ELES, SÓ PODEMOS AFIRMAR DUAS COISAS: 1)ELES NÃO PODEM SER CURADOS; 2)POR ONDE ELES PASSAM, DESTRÓEM TUDO E TODOS.

Anônimo disse...

Tambem fui vitima de um ex namorado psicopata. Infelizmente foi a segunda vez na vida, o primeiro chegou a ser meu marido... Eles sao tao sutis que vc nao percebe que esta numa "areia movediça"., se vc nao der um jeito de sair, vai morrer. Seja uma morte real provocada por ele, seja uma morte simbolica (medo, depressao, tristeza, doeças..). Enfim, o que esta funcionando para eu me manter segura do primeiro sao os processos judiciais. Isso, oS processoS, pois nao foi so um. Ele se mostrou bem intencionado nas audiencias, mas na hora que o processo se encerra apos um acordo, ele volta a incomodar. Portanto se vc se envolveu com um psicopata, reserve uma parte de seu dinheiro para pagar advogados e custas por um longo periodo da sua vida. O segundo, que felizmente nao foi para um casamento, esta afastado por medida protetiva da lei maria da penha. Usufruam dos direitos que existem, se informem, nao fiquem em silencio. Vc pode ser vitima por anos e anos de um psicopata mesmo se separando dele, pois ele nao desiste de te incomodar. Um processo judicial ajuda, mas nao evita que ele transgrida a lei. É como um assaltante que vai preferir entrar numa casa sem cadeado do que numa com cadeado. Entao se vc se protege, ele vai procurar outra vitima mais vulneravel. Infelizmente é assim...