sexta-feira, 16 de março de 2012

TENHA UMA IMAGEM POSITIVA DO SEU CORPO

- Sabe, talvez você não precise que o mundo inteiro te ame. Talvez vc só precise que uma pessoa te ame.

Adorei isto que encontrei aqui, e decidi traduzi-lo. Espero que você goste também.

Vinte coisas que pessoas com imagem positiva do corpo sabem
1) Que é importante cuidar bem do seu corpo.
2) Que nosso corpo faz muito por nós, mesmo quando o insultamos sem parar.
3) Que exercício físico deve ser prazeroso, assim vc só pratica as atividades físicas que são divertidas e que verdadeiramente te fazem bem.
4) Que haverá dias em que vc provavelmente vai odiar seu corpo e sua vida. E tudo bem.
5) Que os seus pensamentos negativos não são ações. Portanto, só porque vc se sente mal com seu corpo e quer restringir sua comida, ou abusar dos exercícios, ou não ir àquele encontro com amigos, não quer dizer que vc fará isso. É só um pensamento. Vc pode decidir se quer que isso se torne uma ação ou não.
6) Que uma imagem positiva do seu corpo significa mais que gostar das suas coxas, nádegas e barriga. Que isso engloba não só cuidar bem de vc mesm@ mas também honrar o seu corpo, respeitando suas fronteiras e indo ao médico para check ups regulares, e quando vc está doente.
7) Que dormir faz muito bem ao corpo e à mente.
8) Que vc sempre tem tempo para cuidar de si.
9) Que vc é mais que partes do corpo. Vc é um pacote completo e incrível.
10) Que vc é valoros@ e merece respeito em qualquer tamanho, formato e peso em que se encontra.
11) Que perder peso não é um elixir mágico para tudo que está errado na sua vida.
12) Que anúncios e revistas são fotoshopados à exaustão, tanto que as atrizes e modelos da vida real não são assim. É por isso que elas precisam “praticar” tanto para seus desfiles de moda. (E quando digo praticar, quer dizer adquirir hábitos nada saudáveis).
13) Que comer é flexível e prazeroso.
14) Que vc pode vestir o que quiser, não só roupas que te façam parecer mais magra ou blusas folgadas.
15) Que vc não tem que perder peso para poder ir atrás dos seus sonhos. Vc pode ir atrás agora mesmo (e espero que vc vá).
16) Que pessoas que fazem comentários maldosos sobre o seu corpo são cretinas, e os comentários delas são mais sobre elas que sobre você.
17) Que só porque tudo a seu redor seja sobre entrar numa dieta não quer dizer que é a coisa mais saudável a fazer.
18) Que seus sentimentos não são assustadores ou devem ser evitados a qualquer custo. Pelo contrário, eles te dão informação valiosa sobre suas necessidades e as ações que vc pode querer seguir.
19) Que ter uma imagem positiva do seu corpo é um processo. Diário. Pode parecer impossível no início, mas vá aos poucos, que a imagem melhora.
20) Que você pode amar seu corpo em qualquer tamanho, forma e peso!
(Na foto ao lado: "Comece uma revolução. Pare de odiar o seu corpo").

111 comentários:

Pedra do Sertão disse...

Tão bom ler isso...hoje, com as imposições de "ser bonita, magra, gostosa, sem rugas nem expressividade..." e outras imagens que não combinam com gente de verdade, que engorda, se transforma com o tempo, enfim, tem vida! Cuidar do corpo, com carinho, é algo que precisa ser feito sem cobrança!

Se eu tirar minhas rugas, como irei me ver camaleoa?!

Abraço do Pedra do Sertão

Bruna disse...

E como nós maltratamos nosso corpo e nossa mente em busca de algo tão vago. Obrigada Lola, estou aprendendo a me amar mais enquanto te leio.

Milady Carol disse...

"vc pode vestir o que quiser, não só roupas que te façam parecer mais magra ou blusas folgadas"

Como isso é verdade. Aí no Brasil a moda é TODA voltada para a camuflagem da gordura. Quando você vê, em um programa de TV brasileiro que fale de como se vestir: se a moça for minimamente cheinha, começa o disfarça daqui, coloca roupa escura, esconde o quadril, o bumbum, a barriga, etc.
Aqui na França eu acho que é diferente. Existe um programa de TV aqui, chamado Belle Toute Nue (porcamente traduzido, Linda Nua). As candidatas são moças extremamente complexadas, que odeiam o próprio corpo. Daí o estilista que comanda o show mostra para elas, com muita gentileza, que:
1)muitas vezes a imagem que elas têm delas mesmas é erradíssima, todas se vêem MUITO maiores do que são, por exemplo;
2)qualquer pessoa, de qualquer tamanho pode ser linda, é só se valorizar e não achar que a moda não é para você. E não tem isso de vestir só roupa preta e folgada não ! Roupas coloridas, justinhas, calça slim, cintos, decotes, minissaia, salto alto, e no final, uma foto artística, nua e sem photoshop, lindíssima.
O estranho é que as francesas, em média, são mais magras do que as brasileiras, mas que na França, mesmo sendo gordinha, me sinto MUITO mais à vontade com o meu corpo.

Lord Anderson disse...

Post lindo.

Como sempre mandou muito bem Lola.

Ta na hora de parar de dar atenção a cretinos que querem regular a vida alheia e cuidar da nossa felicidade.

Lord Anderson disse...

Renato

Desde o primordia da humanidade???

ta ruim de historia em filho.

va estudar renascença, era vitoriana, ver os quadros das mulheres de outras epocas.

vai se surprender que o padrão estetico de epocas e lugares diferentes eram bem ao contrario do que é pregado pela midia.

Marussia de Andrade Guedes disse...

É isso aí. Ame seu corpo independente do peso. Danem-se hipertensão, diabetes, doença vascular, estrias, celulites, flacidez. Danem-se muitos amores e muitos amantes. Numa sociedade conservadora como a nossa, nem pega bem ter muitos amores e amantes né? Um só pega até bem né? Eu vou continuar buscando um corpo que eu goste, de verdade, e que os outros gostem também. Sinto muito por quem desistir. Não consigo citar nada de bom que o excesso de peso tenha me trazido.

Luiz Prata disse...

Marussia, releia o item número 6. Lá é ressaltada a importância de se fazer check-ups regularmente para manter a saúde em dia.
Reler o resto do texto faria bem também. Assim você perceberia que seu comentário foi um tantinho equivocado.

Lord Anderson disse...

marusia

releiao texto, ele fala da importancia dos cuidados medicos (pessoas magras tbtem doencças sabia),de exercios, fala que por justamente amar, vc tem que cuidar.

Ninguem ta te obrigando a engordar moça, relaxa um pouco, se vc ama seu corpo como é o mantenha assim.

Não entendo pq sempre que se fala em aceitação tem gente que parece que fica com medo, como se fossemos obrigar alguem a engordar.

Milady Carol disse...

Marussia, como o Luiz Prata disse, é importante ficar com a saúde em dia, e o texto diz isso também. O importante é amar o seu corpo, seja ele como ele for. Porque as estrias, a flacidez, a celulite, etc. são realidades para quase todas as mulheres. Todas nós teremos que conviver com partes do nosso corpo que não nos agradam. O importante é você se ver por inteiro, como diz o texto.
Eu sou gordinha, Marussia. Tenho estrias e celulite. Tenho partes do meu corpo que não curto muito, e não só por causa do peso. Mas eu finalmente aprendi a gostar do meu corpo, e quanto a amores e amantes... Bem, eu nunca tive dificuldade em achar tanto uns quanto outros, mesmo sendo gordinha !

Milady Carol disse...

Ah, e estou com a saúde SUPER em dia, muito obrigada por se preocupar.

Gisele disse...

Gostei muito deste texto e tenho procurado me amar mais há tempos. E funciona! É só fechar os olhos para todas as pressões que sofremos para sermos perfeitos e cuidarmos de nós com mais carinho. Quem vive se comparando a atrizes, celebridades, etc. é um candidato(a) à infelicidade. E concordo plenamente: aqueles que zombam dos outros dizem mais sobre si do que sobre o outro que tanto criticam. Não passam de pobres de espírito.

Bruno S disse...

Hoje a caixa de comentários vai ficar em festa com:

- os que acham que ser magro é ser saudável e que todos os gordos são doentes;

- os que acham que ser magro ou não é só uma questão de esforço e que o esforço é o mesmo para todas as pessoas;

- os que acham que sempre foi assim e por isso tudo tem que continuar igual;

- os que vão entender o texto como incentivo para que todos sejamos gordos.

carolinapaiva disse...

Cara, na boa, algumas pessoas deveriam voltar para as aulas de interpretação de texto no colégio. Dica: leiam o texto novamente, principalmente o item nº 6, como já falaram.
Quanto a celulites e estrias: peso 46kg e tenho várias estrias na perna e celulites também. Não falem bobagem.

Anônimo disse...

Lola, na sua opinião a garota que esta na foto comendo chocolate deve ou não perder peso? Não pergunto se ela deve se amar, mas se deve perder peso.

Lord Anderson disse...

Bruno, pois é, vc resumei bem as posições.


Só queria entender onde a Melissa, a Marusia e tantas outras pessoas veem que a Lola quer que as pessoas parem de se cuidar.

Parece que vivem tanto com a paranoia de não engordar que não aceitam que outros vivam sem isso.

carolinapaiva disse...

"6) Que uma imagem positiva do seu corpo significa mais que gostar das suas coxas, nádegas e barriga. Que isso engloba não só cuidar bem de vc mesm@ mas também honrar o seu corpo, respeitando suas fronteiras e INDO AO MÉDICO para CHECK UPS REGULARES, e quando vc está doente."

Isso é o que mesmo? Deixar de cuidar da saúde? Na visão de analfabetos funcionais, sim. Dizer que se deve ir ao médico e fazer check ups regulares = não vá ao médico e fique doente.

lola aronovich disse...

Gente, peço que não deem atenção pros trolls. Melissa White Girl é só algum mascu sancto se passando por mulher (eles adoram fazer isso, o que é fantástico, já que eles odeiam mulheres). A Marussia é só uma pessoa meio chata que parece entrar aqui já com pré-disposição pra se irritar. Não é de hoje que ela vem virulenta discordar de tudo que escrevo... Discordar tudo bem, só não entendo essa virulência (e também uma certa paranoia no que se refere a “não sou feliz gorda, então ninguém pode ser”).


Anônimo, se eu acho que a moça da foto comendo chocolate deve perder peso? E eu sei lá? Não conheço a moça. E mesmo que conhecesse, o corpo é dela. Ela faz o que quiser com ele. Desculpa, mas esse tipo de pergunta é semelhante a “Vc acha que a moça da foto deve tingir o cabelo de loiro?”. Se a moça achar que deve perder peso, ela deve tentar fazer alguma coisa pra talvez conseguir. Não é a gente que decide!

carolinapaiva disse...

Show de pérolas... Tava demorando para aparecer a famosa frase: gordas são engulidoras de vagas no SUS.

carolinapaiva disse...

Malz, Lola. Vou parar.
.
É incrível como a imagem de uma mulher comendo causa rebuliço. Se a mulher em questão estiver acima do peso, é considerada uma criminosa do pior tipo.
Eu não fazia ideia de que a gordofobia era tão escancarada antes de ler comentários na internet.

Anônimo disse...

Entendi Lola. Mesmo que ela esteja obesa a decisão é dela.Agora sim, entendi sua imparcialidade.Não estava querendo lhe trolar. Só que a mim, a foto da moça desconhecida, me passa ideia de que talvez ela necessite perder peso. Agora compreendo sua posição. Ela pode até precisar (por saúde)mas ainda assim não devemos nos meter.Valeu.

Lord Anderson disse...

heheheh


e temos o mais novo comentario digno do trofeu "ameaça da quarta serie".

Isabellla disse...

Do que adianta dizer que está preocupada com a saúde da pessoa se ao mesmo tempo defende um discurso implícito de que não se pode discutir o sobrepeso?

Pq todo mundo que diz um A nesses posts já é rotulado de gordofóbico.

Isso pra mim é a verdadeira imparcialidade.

Carol M disse...

Isabella, não entendi seu comentário. O que a pessoa se amar tem a ver com discutir sobrepeso? O item 6 fala de saúde.
Alguém que faça exames e check up regulares e esteja com seus índices de saúde reais (glicose, colesterol, dst, etc) bons precisa se preocupar com quilos? Acho que a verdadeira discussão sobre sobrepeso é se ele realmente é um indicador de saúde relevante (e eu acho que nem um pouco).

Dri Caldeira disse...

Olha vou falar por mim, apesar q tem meia dúzia de imbecis que dizem que eu MINTO tudo o que eu digo...
1) Já fui magra (49 quilos) e muuuuuuuuuuuuuuuito gorda (132). Fui um ser humano abominável com 49 quilos, Era intragável. Não comia, vivia me patrulhando dia e noite para que nada desviasse minha atenção de ser magra. Perdi homens, amigas, parentes, muitas oportunidades por essa fixação doentia com meu peso. Até q aconteceu uma coisa ruim comigo. Fiquei um ano sem comer, só tomando sorvete, sim caros leitores, passei 365 dias comendo apenas sorvete, e não era um pote por dia, era um normal, com no máximo 3 bolas ou pela manhã ou pela noite. Meus pais quase enlouqueceram EU quase enlouqueci até que minha afilhada q tinha 6 anos na época falou: Madrinha, eu gostava mais quando tú não era bonita... A ficha caiu. Me envergonhei no que me transformei. Eu lutei contra minha essência, contra minha natureza e isso não aconselho pra ninguém. As minhas experiências e aprendizados são meus. Não prego que todos temos de ser gordos, pq tem gente q nem q queira consegue. Aprendi a me amar e me achar linda. Me olho nua no espelho e vejo não um corpo, mas uma pessoa. E a Marussia mesmo tendo os mesmos 49 quilos que eu tive, nunca vai ser uma pessoa feliz, pq ela vai sempre arrumar uma outra coisa pra botar a culpa na incapacidade dela em se aceitar.

Dri Caldeira disse...

2) Às vezes fico olhando minhas gorduras, meus pneus, minhas estrias e as considero companheiras. Nós sobrevivemos à tudo de ruim que aconteceu conosco e quando nos encontramos rimos à beça de tudo. Rimos até dos meus ossos que teimavam a querer prevalecer no meu corpo ma que foram devidamente colocados nos seus devidos lugares, debaixo de um monte de carne, banha, celulites, estrias, etc. etc....
3) SOU SAUDÁVEL!! Meu endocrinologista me encaminhou para o grupo de cirurgia bariátrica do hospital Ana Costa daqui de Santos. TEnho 1,70 e oscilo o peso entre 99 e 104 quilos. Cumpri todas as etapas do pré cirúrgico. Na última consulta, com o psicólogo, ele me entrevistou, me olhou e disse: Adriana, vc é tão bem resolvida, se aceita tão bem sendo gordinha assim, tem uma saúde ótima, vai operar o estômago pra q? Respondi que eu esperava dele essa resposta. Ele não me sugeriu a cirurgia. Fugi do dr. Manoel (o cirurgião bariátrico) o quanto pude. Troquei de plano de saúde.

Anônimo disse...

Se eu (que sou gorda) ouço de um semi-desconhecido que devo emagrecer, devo acreditar que essa pessoa está preocupada com minhas taxas de colesterol? Se estou andando na rua e alguém grita de um carro "vai gorda!" devo acreditar que esse é um protesto contra a "epidemia de obesidade"?
Não, essas são apenas maneiras que algumas pessoas arrumam para ofender e humilhar, talvez para que se sintam superiores, e acho que é isso que o texto tenta mostrar, que devemos nos aceitar melhor e levar menos em consideração a opinião alheia.
Se o gordo quer emagrecer ou não, se é doente ou saudável não importa, cada qual deve decidir como viver sua vida.

Eu sou uma gorda em recuperação da auto-estima, sei na pele o quanto é nocivo tentar ser perfeita. Porque é isso mesmo, você adia seus sonhos, deixa de viver por não estar "adequada" ao que os outros esperam de você.
Por isso acho tão importante ler textos como esse, que me ajudam a aceitar que eu sou muito mais que apenas o formato do meu corpo.

Dri Caldeira disse...

E pra chocar as magrelas, eu ando roupa apertada, curta, decotada, colorida, estampada. Kgay pra ojeriza que vcs tem por gordos. Não gosta da minha figura, vira o rosto ou atravessa a rua. Mas de boquinha fechada, sem falar nada a meu respeito!! Saio, danço, paquero como qq mulher. E ai do infeliz que pensar em me zoar ou me dizer q preciso emagrecer. Já dei umas chacoalhadas num vendedor desses tratamentos de obesidade.

Dri Caldeira disse...

Anônima - se vc fosse bulinada por mim, estaria no IML. Pois vc vale mais morta do q viva.

Repositório disse...

Muito bom!
As vezes nem só com vícios ou má alimentação maltratamos nosso corpo. A nossa mente é uma poderosa arma para o bem ou para o mal.
Adorei!

Carol disse...

É uma pena que se amar não seja tão fácil assim, especia,mente para aqueles que sofereram bullying quando eram crianças (eu sou um exemplo disso), eu acabei crescendo ouvindo que eu era feia, que eu era um lixo, então é tudo uma questão psicologica mesmo, não consigo me achar bonita NUNCA e sempre vou ficar me comparando com outra pessoa, baixa autoestima além de tudo é uma doença, não ajuda ficar repetindo pra si mesma "Eu me amo, sou linda" que não ainda.

Dri Caldeira disse...

Já tô ouvindo vc chorar. Vc chora por vários motivos, o principal deles é por ser essa pessoa asquerosa e nojenta q vc é. Jamais vai atingir o nível elevado q eu tenho ou o nível estratosférico da Lola. E não vou mandar vc TNC pq vc quer é isso.

Carol disse...

*não adianta

Dri Caldeira disse...

Mas nem morrer vc pode, pq vc já tá morto. Mulher vc?? Sei. Vc é mulher, o Michael jackson não morreu, o Naji Nahas tá falido e o Sílvio teu líder é poderoso. Vai lá ler a cartilha do painho Sílvio, pq daqui há pouco ele vai pra cadeia e todos os súditos deles vão voltar pra sombra.

Dri Caldeira disse...

Os mascus dizem q são bons, superiores, mas na verdade além de serem burros, estão todos desempregados. Olha qto vagabundo aqui... é o que dá não estudar e só fazer o primário. E no estado de SP então é mais fácil ainda, pq não tem repetência... estão todos se aproveitando do Bolsa Família!! Vagabundagem mode on

Marussia de Andrade Guedes disse...

Eu não disse que gosto do meu corpo. Não gosto exatamente por estar gorda. Flacidez, estrias e celulites acometem pessoas magras, mas esses problemas são muito mais "graves" em obesos. Eu sou médica e esse papo de obesos saudáveis é uma realidade pra poucos. Eu sou contra todo tipo de descriminação , mas não acho correto esse papo de obesidade inócua. Que a obesidade não é inócua eu vejo todos os dias diante de mim e também sinto na pele.

Anônimo disse...

dar ao corpo 1% da importância que se dá para ele.
pronto, o suficiente.

Anônimo disse...

e querendo emagrecer rapidamente: crack.
pronto, tudo resolvido.

Dani disse...

Lola, dá uma olhada no que está acontecendo na Libéria.
http://www.vice.com/pt_br/the-vice-guide-to-travel/guia-vice-para-a-liberia-parte-4

Shishiu disse...

Eu gosto de ser magro porque adoro comer gente fútil.

Anônimo disse...

Gordas e gordos:

Gravem essas 20 coisas positivas e ouçam três vezez ao dia, principalmente antes e depois de comer uma barra ou torta de chocolate inteira.
E quando vier o pensamento de comer arroz integral com brócolis aaaggrrr ou ficar um dia sem os dois litros de refri, não façam nada. Vai passar. D

Jefferson disse...

Eu sou um homem tipo ogro.

Eu uso esteróides anabolizantes, passo de 3 a 4 horas na academia 5 dias por semana. Gosto de uma alimentação rica, variada e saborosa.

Eu fico mal quando leio esse tipo de coisa na internet porque tenho a impressão que existe um movimento organizado para implantar a marombafobia no país. A cada dia que passa mais e mais pessoas me criticam, as vezes até mesmo na rua.

Essas críticas são extremamente desagradáveis e sempre acabam mal. Eu já estou respondendo 4 processos devido essas ofensas nas baladas e tem algumas casas que não permitem a minha entrada.

O pior que sempre vem de magrelos, franguinhas. Os gordinhos são sempre bacanas e são bons companheiros. Eu mesmo já tive um namorado gordinho muito bacana.

Nos EUA tem os points de encontro das Barbies, mas aqui no Brasil não existe isso e temos que nos misturar com essas frangas que nos discriminam. E o pior que eu acho que eles deveriam babar de paixão, mas sempre vem com ofensas e piadas de mal gosto.

Dani disse...

Lola, esse vídeo mostra a situação das mulheres de castas inferiores na India.

http://www.vice.com/pt_br/the-vice-guide-to-travel/prostitutas-de-deus-parte-2

Anônimo disse...

12) Que anúncios e revistas são fotoshopados à exaustão, tanto que as atrizes e modelos da vida real não são assim. É por isso que elas precisam “praticar” tanto para seus desfiles de moda. (E quando digo praticar, quer dizer adquirir hábitos nada saudáveis).


Lembre-se as profissionais da dança clássica também. Aquelas meninas estão sacrificando sua vida e sua saúde para lhe dar prazer visual e estético. Elas sentem dor e cansaço permanentemente e não podem comer como o resto de nós.
E não duvide pois elas são exatamente assim. Mas não tenha inveja e não queira ser como elas. Ser bailarina bem como ser top model não é pra todo mundo.

Dri Caldeira disse...

General da Real - burro vc sempre foi, agora, Santos não tem canhão. Há 3 séculos, coisas assim vc não sabe, pq não sabe ler. E já acabou o tempo na lan né? Tadinho, Parada de Taipas fica longe pra caramba, DE TUDO!! Fim do mundo pra vcs q são lixo é pouco. Mascus = o q?

Marussia de Andrade Guedes disse...

Lola, virulenta foi você que me chamou de chata só por eu discordar de você. E nem é verdade que eu discordo de tudo que vc diz. Já falei isso aqui no blog. Adoro seus textos sobre política, racismo, homofobia. Acho que eles são irretocáveis e é por isso que eu não os comento. Pode ser que eu esteja errada, mas acho meio que chover no molhado. Agora eu penso muito diferente de você em relação ao feminismo (vc coloca a mulher como uma pobre vítima e um ser passivo a espera de concessões masculinas) e em relação a essas questões de corpo e beleza. Por isso escrevo
para dar a minha opinião. Atualmente escrevo muito
menos pois já percebi que vc não gosta mesmo que
discordem de vc e não é a primeira vez que vc é agressiva comigo. E eu não tenho nada contra a felicidade dos outros. Ótimo se a pessoa é feliz gorda. Mas essa não é a realidade para mim e também não é para muitos homens e mulheres. E, levando em consideração que a obesidade não é INÓCUA, acho que a acomodação não é o mais adequado. Bom , eu estava até pensando em me matricular no curso que vc vai dar na UFC mas, depois de saber sua opinião sobre mim, vou desistir.

Dri Caldeira disse...

Marussia - vc curte se vitimizar, se fazer de vítima, lamento muito por vc. Lute, seja mais forte, mais firme, qq um que fale o contrário daquilo q vc pensa, já te faz desistir garota? Fibra não se compra na farmácia, nem médico nenhum pode receitar!!

Carol M disse...

Profissionais de dança vírgula, bailarinas clássicas. As dançarinas profissionais de dança do ventre têm a "licença" de serem gordinhas sem isso atrapalhar suas carreiras.

Carol, o primeiro passo pra se amar é entender que quem determina seu valor e beleza é vc e não os outros. Caminho difícil, mas vc consegue.

Joana disse...

Se amar vai além do gordo ou magro! Vai de você se enxergar na totalidade. E gostar de quem você é.
Ninguém tá obrigando ninguém a engordar quando diz pra se amar!!

Anônimo disse...

Acho que eu disse profissionais da dança clássica. Dança do ventre é dança de gorda. Estoura os joelhos, mas cada um faz o que quiser do seu corpo que estou me lixando igual a Lola.

Anônimo disse...

Dri Caldeira,

Por que vc perguntou se tal médica se formou na Bolivia?
O que vc quis dizer com isso?

Anônimo disse...

Muito curioso que em época que mais valorizamos o corpo, e menos valorizamos a "mente"..e por cima temos esta desconexão (falsa) de corpo-mente, saja a época que MAIS odiamos nosso corpo..

Anônimo disse...

como se magro tambem nao tivesse a bunda pelancuda e com celulite http://fabianacamilo.files.wordpress.com/2011/06/1904745-3197-atm14.jpg?w=619&h=464

Anônimo disse...

http://ego.globo.com/Gente/foto/0,,15868927-EXH,00.jpg

Anônimo disse...

Nossa Lola, como eu sou inocente, né? Conheci o blog há pouco tempo e não tinha percebido a dinâmica da Dri, que pode falar o que quiser, como quiser... Bem, o blog é seu. Não há nada que falar.

Quanto a ser gordo... Conheço gordos felizes e gordos infelizes. Não tem que ver com o peso, mas com o entendimento da vida, de como as coisas funcionam e a harmonização dessa loucura que é o mundo com a gente mesmo. Agora, conheço muito mais gordOs felizes que gordAs felizes, porque a cobrança recai mais sobre as mulheres. É foda, claro. Minha mãe é gorda e eu tenho vontade de bater no meu pai toda vez que ele se refere a ela de forma depreciativa por ela estar fora de peso.
Mas existem outras duas questões interligadas: de saúde pública - o governo brasileiro já está alerta ao fato de que a maioria das crianças que nasceu nesta década será obesa; e de economia: nos EUA, a situação é crítica e o governo precisa gastar horrores de dinheiro com as doenças advindas da obesidade de grande parte de população.

Anônima Beócia

Anônimo disse...

Sera mesmo que todas as mulheres se maltratam e odeiam seu corpo?

Isabellla disse...

Carol M

Eu li o texto, eu li o item 6.

O que eu discuti é o fato de nos textos da Lola há sempre uma politica para coibir qualquer posição que não seja essa do "seja feliz".

Pode colocar ai qualquer item 6 ou variantes, mas se alguem diz que é melhor ser saudavel e magra, dai já vem umas pessoas com pedras nas mãos e avacalhamentos de quem pensa assim tá liberado.

Qualquer crítica mais contundente visando esclarecer que essa resolução do seja feliz nem sempre se encaixa com o ser saudável, é duramente criticada e taxada de gordofobia.

Pronto, podem tacar as pedras.

Anônimo disse...

lindo post, lola!!! eu apagaria os comentários raivosos pq quem chegar buscando uma dose de amor e autoestima, não merece esse lamaçal (nem li, mas tenho certeza que são os mesmos comentários - e comentaristas - de sempre)

Milady Carol disse...

Nossa, impressionante e assustador isso aqui. Quanta gente intolerante, que horror.
Se eu me preocupasse com a opinião de trolls anônimos em caixa de comentários, estaria arrasada! Eu nao dou a menor moral para gente em falta de atenção que vem trollar para sentir que existe, mas fico preocupada com gente mais sensível, meninos e meninas jovens demais para ver que é o desespero de vocês que faz com que vocês falem assim...

Bruna disse...

Sem a internet eu não tinha ideia de que a gordofobia era tão assustadora. Quando li o texto de manhã agradeci a Lola por me incentivar a me amar mais, amar meu corpo do jeito que ele é, pq eu também como muitas mulheres já maltratei meu corpo em busca de uma felicidade que não existe ou que pelo menos não se consegue desse jeito. Só que eu peso 51 quilos e tenho 1,66m. E eu também preciso me amar mais, cuidar da minha saúde. Essa loucura de corpo "perfeito" faz mal a todas nós.

Diana disse...

Sem a internet eu não tinha ideia de que a gordofobia era tão assustadora² Os fracos precisam se esconder atras da internet

Anônimo disse...

Ô, sex pistol e anônimo, não faço parte da turminha de vocês e nem da turma da Dri. Não acho legal o que ela faz e nem isso que vocês fizeram.

Anônima Beócia

livia disse...

Maravilhoso texto! Fala não só com as pessoas que tem dificuldade com a aceitação do corpo, mas com toda a sociedade!

Anônimo disse...

Maltratou como, Bruna? stiletto o dia inteiro? jeans skinny no último?

Bruna disse...

Maltratei fazendo dietas malucas pra ganhar peso, (sim, na adolescência eu pesava 46 quilos), tomando vitaminas em comprimidos de qualquer jeito, fazendo musculação que nem louca e o mais bizarro de tudo usando duas calças, uma por cima da outra, só pra me sentir um pouco melhor. Não deu certo.

Anônimo disse...

se tiver alguma menina (ou menino) novinha que acha esse papo de "se ame" um blablabla que não ajuda. eu também já pensei assim. mas a gente tem que escolher parar de sofrer, escolher parar de ouvir pessoas que nos odeiam. é mais facil que passar a vida toda lutando contra oq vc é. até hoje, se vc me mandar imaginar uma pessoa bonita, eu vou pensar no padrão, vou pensar numa pessoa mais ou menos magra, jovem, branca, de olhos claros, cabelo liso. mas já sou capaz de achar beleza em tantas outras formas e cores, inclusive em pessoas mais parecidos comigo. é a forma mais fácil de começar a se aceitar, tentar ver beleza em pessoas fora do padrão (mesmo q ainda seja difícil de encontrar essa aceitação ao olhar no espelho). uma dica: no tumblr tem muitas páginas de aceitação da imagem, é muito legal ver gente se sentindo feliz e sensual do jeito que são. a gente não nasce achando a giselle bundchen bonita, nos convencem disso. da mesma forma que todos passam a vida nos dizendo q somos inadequados: não somos. eu parei de patrulhar a imagem dos outros pra conseguir encontrar paz comigo mesma. se começam a falar q fulana é baranga, q fulana se veste assim, q o cabelo de fulana é assado, eu ignoro. quem tem q se sentir bem é fulana, nao sou eu. nao sou fiscal da vida alheia, logo espero q o mesmo tratamento me seja dispensado.

sex pistol disse...

Aí Anônima das 18:08, Anônima Beócia eu nem tenho comentários para tecer neste post.Concordo plenamente com ele, que outras coisas diz: meta-se com sua vida.Isso vale para você também, que fica citando meu nome em vão aí.
Não tenho "turma", penso por mim mesmo, e quem segue é gado.

Anônimo disse...

Bruna, se você estava desnutrida, pq não foi ao médico? Se procurou a musculação, pq não fez direito? Se sentir um pouco melhor como? você estava com dor? A culpa é das vitaminas, da dieta séria e da musculação?

Bruna disse...

Deixa de ser ignorante! Algumas pessoas simplesmente são magras, assim como outras são gordas. Nunca estive desnutrida, nem doente e já passei da fase de acreditar que tinha algo errado com meu corpo por causa de infelizes como você.

sex pistol disse...

quem segue algo ou alguém é gado

Anônimo disse...

Gente, Lola, que baixria tudo aqui!
Quanto preconceito de todos os lados nossa...

Vi que a Dri Calderia tinha perguntado se a Marussia tinha se formado na Bolívia como médica.
Questionei a razão disso para a Dri Caldeira e agora não encontrei mais seu comentário sobre...?

Lola, com odo o respeito, e acho que a autoestima é MUITO importante, mas como essa caixad comentários vira uma guerra entre gordas x magras é incrível!
Assim, galera, vai ser difícil mudarmos algo, enquanto nós mulheres ficarmos na guerrinha..

Anônimo disse...

O link do post tem anuncio de psiquiatra e psicoterapeuta. Moral de la história: prá saber as vinte coisas que pessoas com imagem positiva do corpo sabem E FAZEM talvez passe por uma boa psicoterapia ou tratamento psiquiátrico, inclusive para tratar compulsão alimentar e não esse bla bla bla que todo mundo sabe mas NÃO FAZ.

http://psychcentral.com/find-help/

Mordred Paganini disse...

Sobre a opinião de alguém que falou algo como "é melhor ser magra e saudável", eu tenho algumas considerações:

1 - Assim como é difícil alguém obeso (obeso e sobrepeso são coisas diferentes) e saudável, também é difícil alguém ser magro e saudável. Eu já vi muita gente "estoporando o corpo" (eu inclusa) com dietas que funcionam para perder peso mas são um desastre físico e psicológico (e ninguém aqui vai me convencer que é saudável ficar sem comer), gente que acha que pelo fato de exercício ser saudável deve ser feito à exaustão, daí terminam cheios de lesões ou até mesmo com hérnia de disco, e ainda tem as pessoas que são naturalmente magras em excesso e que por causa disto têm sim problemas de saúde (pessoas abaixo do peso, mesmo as que comem podem ter problemas de saúde associados a isso). Existem também as pessoas que são magras dentro de um nível saudável e são realmente saudáveis, mas essas pessoas comem normalmente e tiveram a sorte de terem um organismo eficiente em não acumular gordura demais...
Eu não consigo ver em que medida pode ser melhor fazer dietas malucas ou passar horas fazendo exercícios por obrigação e não prazer.
Outro ponto relevante é sobre o caso em que ser feliz se sobrepõe a ser saudável.
1- Nem todas as pessoas acham importante viver muito. Algumas preferem ser felizes do que ficarem esfolando sua sanidade mental com a paranóia da "vida saudável". (aliás, curioso que o que é "saudável" vive mudando, não?)

2 - Há que se diferenciar ser feliz e estar à vontade consigo de puro e simples hedonismo auto-destrutivo. Em geral a "felicidade" que se sobrepõe à saúde não é de fato felicidade, mas sim um outro tipo de atitude auto-destrutiva que em nada combina com a idéia de felicidade e auto-aceitação contida no texto.

Lógicvo, há também o caso em que a pessoa tende a ter sobrepeso, mas com a ajuda de profissionais e hábitos saudáveis consegue emagrecer e se manter saudável. Mas, francamente, quantas pessoas vocês conhecem que recorrem a métodos mais seguros de emagrecimento? O que eu vejo de monte é gente que é magra porque não come, daí sabemos perfeitamente que esta patrulha ao corpo dos outros não tem a ver com saúde.
Obs: até onde vejo ninguém aqui defendeu a obesidade enquanto problema de saúde. Aliás, existe um nome técnico para isto, que é 'obesidade mórbida'(caso em que se indica uma intervenção médica ou até mesmo cirúrgica)

Anônimo disse...

Problemas de saúde associados a magreza: desnutrição, má absorção e pode levar à morte.

hipertireodismo causa magreza. facilmente tratável.

Outra doença associada a magreza eu não conheço.

Os maratonistas são uns palitos.

Jejum não é dieta.

:)

Isabell SFF disse...

Essa caixa de comentários já foi menos beligerante. Credo.

Eu não vejo essa associação entre querer emagrecer e se odiar. Por exemplo, eu amo comer, sou gorda e amo ainda mais o meu corpo. Já tive fases de odiá-lo, mas hoje eu tenho um carinho muito grande por ele (que me dá tantas alegrias!). Gostaria de perder alguns quilos e controlar meu peso porque várias das minhas roupas não cabem mais em mim, ou estão apertadas. E toda mulher sabe como achar roupas nas lojas é difícil. É perfeitamente possível querer mudar sem se odiar, embora esse não seja o caso na maioria das vezes. E é um exercício diário mesmo. às vezes a gente acorda se sentindo mais bonita, mais feia. O importante é saber lidar com isso.

Tenho umas amigas magérrimas e lindas super complexadas com o corpo delas, principalmente porque os seios delas são pequenos. Sempre que eu as vejo falando mal de si mesmas, percebo como esse padrão é cruel até para quem está dentro dele. A regra é clara: se vc é mulher, tem que achar defeitos no seu corpo e ser infeliz até conseguir mudá-los. Tento fazer por mim a mesma coisa que faço por elas: mostrar como são lindas :)

Mordred Paganini disse...

Não se esqueça do sistema imunológico, irregularidades menstruais, infertilidade...

Corredores de maratona são uns palitos, é verdade...E também levam seus corpos aos limites da exaustão. Atletas profissionais têm sua saúde acompanhada de perto, daí fica mais fácil ser saudável, mas não sei se concordo que os atletas maratonistas são saudáveis. Para ser atleta precisa ter hábitos impecáveis, mas não estou convencida de que levar seu corpo a tais limites seja saudável...
Exercícios em excesso (e excesso é um parâmetro pessoal) bem como o sedentarismo são extremos em que é melhor não estar se a sua prioridade é viver muito.

E hipertireoidismo é tratável, mas não é brincadeira...

Agora com relação a problemas de saúde relacionados á magreza, são muitos, mas é preciso que se saiba a causa da magreza (se é uma questão metabólica, anorexia, overtraining...)

Jejum não é dieta?

bem, tudo começa com "dietas". As pessoas seguem cardápios que em geral consistem em comer bem pouco, muita fibra, pouquissima gordura e bem, baixíssimos nutrientes no fim das contas...Cada dieta maluca que existe semanalmente nas dezenas de publicações "femininas"...
Mas depois as dietas não funcionam e a pessoa passa a comer ainda menos do que o recomendado pela tal dieta, daí, como a pessoa em questão já tem sérios problemas com a auto-estima, vai comendo cada vez menos ou sucumbe à tentação e depois provoca vômitos...
certa vez perguntei a uma amiga argentina o porquê de as argentinas serem tão magras...A resposta foi simples: elas não comem! Na argentina a anorexia é epidêmica...

Agora, que não se confunda dieta com reeducação alimentar, que tem por proposta ter um peso saudável em função de uma alimentação saudável. Mas francamente, quem tem saco?

Isabell SFF disse...

Eu tenho que perder peso por questões profissionais. Se não fosse por isso, emagrecer nem ia passar mais pela minha cabeça.

Quando eu digo que a pessoa deve amar seu corpo mesmo querendo emagrecer é para evitar dietas malucas e transtornos alimentares. Além disso, posso dizer por experiência própria: quem se odeia gorda vai continuar se odiando magra.

Anônimo disse...

galera, deixa o corpo dos outros em paz. deixem os magros serem magros. não é pra falar mal de um corpo no padrão, mas da existência de um padrão. é totalmente diferente.

que prepotência mandar alguém fazer musculação só pq é magro, eu hein. quase tão ruim quanto mandar gordo tratar suposta compulsão alimentar.
o pior é q esse comentário nem foi feito por um gordo revanchista, foi feito pela mesma pessoa desocupada que vive falando mal dos gordos aqui. quem precisa de tratamento psicológico/psiquiátrico é ela.

carol que postou às 14:55, adianta sim! continua tentando, mas de verdade. esquece a crítica, bota na gaveta. todo mundo que sofre bullying fica excessivamente crítico (consigo e com os outros). começa parando de criticar a aparência dos outros (mesmo que vc não o faça abertamente, tente evitar críticas internas, tente evitar avaliar o corpo os outros, ficar se comparando e se diminuindo). vai criando uma certa insensibilidade a opiniões sobre esse assunto, pensa no quão vazias de conteúdo são pessoas que vivem pra falar mal dos outros. sei que não adianta ficar falando muito, pq uma hora isso vai partir de você mesma. você vai perceber que é melhor começar a se gostar do que continuar se odiando o resto da vida. pq ninguém vai fazer isso por vc, sabe? não espere elogios te convencerem de que você é normal pq pra cada pessoa que elogia há 10 que estão ali pra te criticar. os odiadores vão estar sempre aí, infelizmente. a gente bem que tenta dialogar (eu tenho esperança que pessoas normais que chegam até esses posts da lola percebam o mal q elas fazem aos outros e parem). mas o importante é aprender a cagar pro q todo mundo pensa. não ligar nem mesmo para elogios (são legais, mas são dispensáveis, certo? tanta coisa boa e alguém vem te avaliar pq seu cabelo acordou bonito? totalmente irrelevante). e realmente desprezar críticas (fingir que não ouviu é fácil, a gente faz isso desde criança. mas é pra realmente não ligar, por dentro). boa sorte de alguém que está há uns 2 anos tentando se reconstruir (é o q a lola disse, um exercício diário)

Anônimo disse...

concordo com a anônima:

"não é pra falar mal de um corpo no padrão, mas da existência de um padrão"

Pessoal! Vamos acordar.
Muheres mais autoestima!!
Não vamos criticar os crspos dos outros!
Gordas são bonitas, e magricelas tb!
O que é feio é o preconceito!

Mordred Paganini disse...

Espero que tenha ficado claro o ponto onde afirmo que problemas de saúde podem ser associados à obesidade ou à magreza, entretanto somente são lembrados os problemas associados à obesidade. Quase literalmente 2 pesos e 2 medidas...

Manoel Rosário disse...

Poesia. O amor é poesia.

O poeta é a alma que sabe amar.

O grande poeta Vinicius de Moraes escreveu um poema que define a beleza da mulher.

Manoel Rosário disse...

Poesia. O amor é poesia.

O poeta é a alma que sabe amar.

O grande poeta Vinicius de Moraes escreveu um poema que define a beleza da mulher.

As muito feias que me perdoem
Mas beleza é fundamental. É preciso
Que haja qualquer coisa de flor em tudo isso

Qualquer coisa de dança,
qualquer coisa de haute couture
Em tudo isso (ou então
Que a mulher se socialize
elegantemente em azul,
como na República Popular Chinesa).
Não há meio-termo possível. É preciso
Que tudo isso seja belo. É preciso
que súbito tenha-se a
impressão de ver uma
garça apenas pousada e que um rosto
Adquira de vez em quando essa cor só
encontrável no terceiro minuto da aurora.
É preciso que tudo isso seja sem ser, mas
que se reflita e desabroche
No olhar dos homens. É preciso,
é absolutamente preciso

Carol disse...

beleza é algo relativo amigo de cima

lola aronovich disse...

Adoro quando alguém cita frases machistas (quando não misóginas) de Vinicius de Moraes, Nelson Rodrigues e outros como se fossem verdades incontestáveis. Tipo, assim falou Zaratustra. E falou, tá falado. Não tem discussão.
Mais legal ainda é que essas citações famosas (beleza é fundamental - só pras mulheres, claro -, ou mulher gosta de apanhar - só as normais, claro) são usadas como tentativa de validar o senso comum. Como se os dois gênios estivessem falando algo que não é dito pra gente todo dia!

Mordred Paganini disse...

Bem, beleza é fundamental e pode ser encontrada em todos os tamanhos...rs
(o meu é 44 com orgulho)

O engano principal é apenas encontrar beleza no padrão.

Meu namorido trabalha vendo várias e várias meninas-padrão todos os dias e prefere a mim, porque como ele mesmo diz, elas são todas iguais, são todas "padrão".

Eu sou bonita, como muitas outras pessoas, em minha diferença, o pacote completo.

Anônimo disse...

Embora ser antimisesiano, numa coisa eu concordo com o Ludwig von Mises: sobre a questão das drogas, o Mises dizia que se o indivíduo quer se drogar, o problema era dele, ele estaria se prejudicando a si mesmo, desde que não prejudique outras pessoas. Sendo assim, o problema é dos diabéticos: se querem continuar comendo adoidado, o problemas é deles, estão prejudicando só a si mesmo, não estão prejudicando outros. As recomendações médicas foram dadas, mas se não quer ouvir... Tá lhe fazendo algum mal? Não tem que se meter.

Anônimo disse...

Médica, Marússia? E escreve "descriminação"? Eu que não quero ser seu paciente. Se a "médica" não sabe, descriminação é o ato de não tipificar como crime uma prática que é considerada crime pela lei atual. Por exemplo: "descriminar o aborto", neste caso, tal prática que é considerada criminosa pela lei atual não é tipificada como crime, ou seja, uma mulher que aborta não é mais presa, deixa de ser caso de polícia, de tribunais. Entendeu?

Vai aprender o português antes falar sobre coisas mais complicadas como gordura e saúde.

Dri Caldeira disse...

Gente, vcs sinceramente acham que eu me ofendo com esses meninos tentando parecer macho me xingando? VCs acham q realmente isso me ofende? Tadinhos, eles são tão patéticos e simplórios que até das ofensas eu rio. Cú marrom? E vcs acham que eu lá tenho tempo e vontade de saber qual a cor do meu? Isso quem se preocupam são eles, ao serem abusados pelos outros "irmãos" mascus, pq eu sei q uma das provas pelo qual esses candidatos a "mascus" passam ao ter de entrar nesses cublinhos imbecis deles é o de oferecer a virgindade anal para o mestre supremo. Eu dou é risada lendo e dando graças à deus de nenhum ser da minha família, pq eu já teria colocado chumbinho no café faz tempo...

Dri Caldeira disse...

E Lola, ninguém lê seu blog todos os dias, pq já cansei de lvar várias broncas feias de vc, vc já excluiu posts meus e nem por isso eu fico de mimimi. Agora, quer dizer que eu sou preconceituosa quando afirmo que a medicina na Bolívia é bem mais fácil de ser cursada lá do q aqui e que é sabido que quem não tem competência pra cursar aqui vai pra lá? Ah, me poupq né, vamos também parar de ser idiotamente corretos.

nina disse...

E já repararam? Você pode não estar no padrão, ok. Mas se vc não estiver 'se esforçando' pra ser como todo mundo, aí você tem problemas.

Falando de outro ponto, vaidade é subjetivo - guardadas as proporções e influências dos padrões sociais - então cada um tem a sua. Há uns anos cortei o cabelo, beeem curto. Todo mês, quando vou retocar o corte, ouço tudo de novo "porque vc não deixa seu cabelo crescer". "Tá com cabelo de homem" "você tá passando por algum problema? porque vc cortou o cabelo tão curto..." e etc. Já até quis mandar um super e-mail desabafo sobre isso pra vc, Lola, porque leio seu blog e fico com a idéia de que, se vc não concorda com algo, você pelo menos entende que as pessoas se sentem bem de formas diferentes.

Anônimo disse...

Não sabia que cursar medicina na Bolivia era mais fácil.
Nunca na vida ouvi dizer isso, de ninguém.
Super precnceituoso este comentário.
Super ofensivo com todos os Bolivianos, que diga de passagem já sofrem horrores como imigrantes neste país.
Em Sp é sabido que eles vivem em péssimas condições, super-explorados, e tem todo o estereótipo de precoceito contra eles..
De que vem de um país ruim, feio, que são "atrasados" e agora alguém dizer isso da medicina deles só p reforçar, e isso é ser idiotamente correto?
Como assim?

Que horror, que horror..

Anônimo disse...

Sobre os bolivianos,
Ao tentar combater outros
preconceitos, ter preconceitos contra países considerados mais "atrasados" que o nosso é de uma feiura que só..
Já morei fora do Brasil na década de 90 e me pergutaram se aqui tinha geladeira, se aqui a pessoa não iria ser morta se andasse na rua, insunuando que eramos literalmnte selvagens.. etc etc....
Me lembrou isso.

Dri Caldeira disse...

É, eu realmente disse q a Bolívia tem de ser banida do mapa, que o povo boliviano é nojento, né suas energúmenas? Não, eu não disse isso. Mas tá bem já que vcs querem que eu seja falsa e fingida como vcs, nossa, que horror, nenhum estudante brasileiro vai estudar medicina na Bolívia pq não conseguiu estudar em nenhuma universidade brasileira. Hipocrisia tb é horrível. Mas vcs são muito superiores à todos nós, né? E estou cansada de ver pessoas fazendo manifestação na paulista pela forma cruel com que os bolivianos são tratados pelos donos de confecções em SP. Essa que está aqui reclamando é uma. Mais uma das curtidoras de mobilizações no facebook, q não levanta a bunda da cadeira nem pra apagar a luz acesa de um cômodo vazio pra economizar energia e ajudar o planeta. Ah, vão enxugar gelo. Que eu vou pra praia, fui.

Carol M disse...

Não sei sobre a qualidade dos cursos de medicina na Bolívia, mas o ingresso nas universidades tem uma concorrência muito menor que aqui, então o vestibular é mais fácil.
Isso nao justifica falar que médico ruim é médico boliviano. Até pq tem uma penca de médico ruim formado na usp e no fundão.

lola aronovich disse...

Gente boa, PAZ. Vamos parar de brigar, please? Deixe-mos os insultos pros trolls. É bem mais fácil deletar trolls e comentaristas anônimos agressivos. Eu nem penso duas vezes. Mas quando vejo comentaristas frequentes, ou mesmo anônimos (que não tenho como saber se são frequentes ou não, então eu sempre insisto: por favor, abram uma conta no Google, ou no mínimo assinem o comentário com um nome no final), sendo mal educados, e eu tendo que deletar o comentário, isso me dói, sabe? Gostaria de não ter que fazer isso. Então, peço a colaboração de vcs: nada de insultos, nada de ofensas, por mais suaves que vc possa pensar que elas sejam (chamar alguém de "tol@" ou "bob@"). Tente discordar do que foi dito sem mirar na pessoa. Quando isso ocorre e gera insultos, eu geralmente deleto o comentário. Não tenho como editar o coment., e mesmo que desse, meu tempo é bem curto. É sua responsabilidade redigir um comentário que não insulte alguém. Se vc for agressiv@, provavelmente ouvirá respostas agressivas. Mas é possível ser agressiv@ sem baixar o nível, sem apelar pra insultos diretos.

Dri, vc de vez em quando faz comentários preconceituosos, alguns homofóbicos. Esse sobre médicos da Bolívia foi totalmente desnecessário, até porque a doutora Marússia consegue se queimar sozinha (basta ler os comentários dela pra constatar que ela sequer lê os posts aqui do blog, e que já entra com cinco pedras na mão. Não merece nem resposta). Sei como é difícil se controlar diante de tanta baboseira dita na caixa de comentários, mas não vamos responder preconceitos com preconceitos. Pode ser? E quero saber mais dessa história de passar um ano comendo sorvete! Quero um guest post, quando vc se sentir pronta pra escrevê-lo, porque tudo isso que vc contou sobre o psicólogo dizer que vc não deve fazer cirurgia é muito interessante.
Abração, gente! Tô preparando o post de hoje. Atrasadona...

Anônimo disse...

esse negócio de bolívia é bobagem, mas eu concordo que é de uma arrogância extrema a marussia dizer quer gordo saudável não existe só pq ela é gorda e não é saudável. até onde eu vi, ela não é endocrinologista, mas pediatra, então não pode sair fazendo afirmações levianas, dizendo ser médica para dar validade a um discurso higienista.

tb é muito arrogante não aceitar que alguém possa se sentir bonita e ser considerada bonita por um parceiro. se a sua experiência não é assim (i.e. você foi rejeitada por ser gorda) não saia generalizando. você chega ao ponto de dizer que estria e flacidez são doenças. sério, a forma como você se expressa dá azo a piadas sobre o seu diploma em medicina.

neste post aqui dá pra ver a sua arrogância em não aceitar estilos de vida diferentes do seu.

você julga a monogamia como uma chaga social e não aceita que as pessoas sejam felizes desse jeito. você chega ao absurdo de dizer que mulher que diz que só faz sexo com sentimento está se fingindo de "certinha". não passa pela tua cabeça que algumas mulheres, por motivos variados, só sintam vontade de transar com um parceiro. eu posso citar um: confiança. eu não consigo confiar num desconhecido, não sei oq ele pensa, não sei como ele age, não sei se ele tem dsts, se ele é agressivo. eu preciso conversar bastante com alguém antes de me colocar numa posição de vulnerabilidade que exige entrega e confiança. se você não se importa com essas coisas, o problema é seu, eu não me meto com tua escolha e você não se meta com a minha.

em outro post você diz para uma moça que deixou de ser contratada por ser mulher parar de "se fazer de coitada", pq afinal a culpa das mulheres sofrerem discriminação no mercado de trabalho é de nós mesmas, basta que montemos empresas e só contratemos mulheres. parece esquecer que há concentração de propriedade (montar empresa exige muito capital, caso a senhora não saiba) na mão de certos homens.
não estamos dizendo que todos os homens são empresários machistas (a maioria dos homens não tem empresa, é empregado), mas que a maior parte das empresas pertence a homens machistas.

tão aí 3 exemplos de como você se comporta em relação ao diferente: toda gorda é feia e tem que ser infeliz, toda mulher monogâmica "se faz de santa" e toda mulher que narra um preconceito sofrido "se faz de vítima".

acho engraçado vc se dizer defensora dos gays (desde que eles se assumam, pq gays reprimidos vc não apoia) e não conseguir ter a mesma empatia por suas semelhantes.

você é sim virulenta e intolerante, marussia. que mal há em alguém se aceitar como está? se isso realmente significa que a pessoa vai ficar doente e morrer, isso não é problema seu. se isso significa que ela terá menos encontros sexuais, isso não é problema seu. você não tem q moldar o mundo à sua imagem e semelhança.

uma coisa é coibir práticas danosas a terceiros (por ex: fumar em locais fechados), outra é perseguir escolhas individuais. deixemos os fumantes em paz, eles não fazem mal a ninguém, senão a eles mesmos (quer dizer, imagino que fazem. estou me baseando na ciência mentirosa que diz que pesar 90kg causa diabetes)

Anônimo disse...

Oi Lola, cncordo que temos que debater, sem ofensas.
E combater preconceitos não é só qndo o preconceito te atinge, mas toda forma de discriminação, não? Com argumentos, sem partir p insultos certo? Não vejo por que apontar o preconceituoso comentário dos bolivianos dá direito à agressividade da resposta da Dri. Mesmo porque eu combato preconceito, me considero uma pessoa ativa e militante. Entretanto, por que a Dri tem que responder debochando o outro de falsa? Onde é que eu falso denunciar seu preconceito? Não importa o quanto ela tenha ido numa manifestação pró- bolivianos, o que isso retira seu preconceituoso comentário sobre a medicina daquele país? Pior, alguém que se sente tocada pela suas condições fazer um comentário de sua medicina, pô, muito contraditório. Posso estar errada, mas dá a impressão que a Dri, por ter sofrido por ser gorda parte p ataque, só que um ataque indiscriminado, preconceituoso com pessoas que não merecem! Estou falando isso numa boa mesmo, sem preconceito, mas na base dos comentários mesmo. O preconceito se combate, não se ataca a pessoa!! As ideias tortas se discordam não com outro preconceito! Não posso dizer se é o caso da Dri, mas as vezes tenho a impressão que certas pessoas não querem combater o preconceito e lutar p um mundo melhor, mas simplesmente combater o preconceito que atinge somente esta pessoa..
Fico muito triste Lola, com a caixa de comentários assim. E não desconsiderando em nada a terrível gordofobia que sei sim que é muito cruel.

Dri Caldeira disse...

Lola - já q vc me "protege" e eu amo vc, vou responder. É sabido que o nível de ensino na Bolívia é pior que o do Brasil, e q vários estudantes brasileiros que não conseguem entrar em faculdades brasileiras vão pra lá, como uma alternativa fácil para aquilo que aqui é muito difícil. Não é um problema da Bolívia, que é um país pobre e sofrido, é um problema do brasileiro que parte sempre em procura da facilidade em vez de conquistar as coisas com dificuldade;
2) a maior ofensa que um masculinho pode levar é a de ser chamado de viado. Peço desculpas aos viados, gays, transexuais, mas é querendo diminuir esses energúmenos, e não deixá-los ao nível desses estrumentos. Entre meus muitos amados defeitos, o maior deles é o de não ter um filtro quando a raiva bate e sair falando tudo, até aquilo que não sinto. Sem querer ser irônica ou hipócrita, tenho esse péssimo hábito de chamar um machão ignorante de viadinho. Sei que tô errada e vou maneirar. E eu melhorei bastante desde meu primeiro post. Não tem nem mais palavrão, gente.

Pensadora disse...

Olá Lola, como foi bom ler isso!
É dificil colocar tudo isso em pratica, mas aos pouco vou conseguindo ! Eu sou o tipo de pessoa q odeia o corpo e e usei o quando isso é ruim e tem me feito muito mal.
Mas de qualquer forma, gostei do que li.

Obrigada ^^

Anônimo disse...

Oi Dri, eu entendi o que vc disse. Fui eu que falei do seu preconceito. Mesmo não sendo sua intenção geralmete tem no Brasil uma “arrogância” com nossos vizinhos considerados menos “desenvolvidos”. E entendi que não foi sua intenção, mas esse comentário da medicina na Bolívia, geralmente é de gente que acha esses países “atrasados” sabe....Por isso nada legal... Precisamos ter muito cuidado não? Morei em um lugar em Sp onde havia muitos bolivianos e sei o quanto eles sofrem com todo tipo de comentários onde eles são considerados “atrasados”..

Anônimo disse...

Bom e só p complementar Dri, não sei se o nivel de ensino na Bolívia épiro não...pode ser diferete o vestibular, mas pior não sei...

Anônimo disse...

Lola, eu também achei um grande preoconceito por parte dos comentaristas dizer que esta "merdica" chamada Marussia cursou medicina na Bolívia. Isso aí não é médica porra nenhuma (tá mais pra "mérdica"), se efetivamente for médica, eu tenho pena dos seus pacientes. Mas uma pessoa que não sabe nem escrever (provavelmente ela não o vocábulo "descriminação"), vir aqui comentar sobre assuntos mais complexos como gordura e saúde (como se o fato de ser gordo/a fosse uma doença, ou que está relacionado à alimentação exagerado, etc.) e ainda vir com pose de "médica"?

Anônimo disse...

@mordred. concordo com muita coisa que vc falou. acho tbem que muitos atletas ficam no limiar entre saúde e estado de "cavalo de corrida". mas, em todo caso, são seguidos bem de perto por profissionais. convivi com uma mulher com fixação por magreza (me olhava com nojo. hahaha) e não era bonito ver aquele cabelo poroso, aquela pele sem vida... os extremos não são saudáveis. e aí eu realmente começo a me questionar se uma pessoa em algum extremo está feliz. eu tendo a achar que não, nunca. mas eu falo em extremos! o que eu acho errado é acharem que uma mulher que veste 44 é gorda e obesa mórbida. aliás, já viu as calças da levi's, com numeração igual, mas para diferentes tipos de corpos? amei.

nunca fiz dieta para perder peso. não consigo. sobre o que é saudável mudar sempre, acho que temos um mínimo de noção do que seria saudável ou não (mesmo com as modas de todos os verões). eu sei o que me faz bem ou não pelos meus exames. lipodograma e afins. até proteínas totais e frações... aí o que acontece? eu faço uma dieta própria pra me sustentar na academia. treino há uns 11 anos religiosamente. e amo. não é para perder peso, mas meu percentual de gordura diminuiu bem. ou seja, acabei emagrecendo, mas ganhei massa magra. dietas de fome acabam com músculos. sinto prazer de comer pensando nos resultados e de ver meu corpo respondendo. sinto prazer de ver meu corpo funcionando direitinho, de nunca me sentir empanturrada. mas isso sou eu. e faço tudo isso naturalmente. meu aprendizado passou pelo entendimento de como as coisas funcionam no meu corpo.

curiosamente, antes de frequentar academia, me sentia gorda demais, grande demais, esquisita demais. me afundei no mundo acadêmico. só que o corpo cobra. vida acadêmica = horas pesquisando, digitando, etc. muita dor no corpo e LER. arrumei tudo na academia (a de ginástica). hj sou "maior" que antes, sou bem forte e me sinto bem melhor do que antes, qdo eu me achava já enorme. no meu caso, acho que me sentir bem anulou essa ideia de que eu tinha que entrar num jeans de tal tamanho tendo quase 1,80. obviamente, hj saí do padrão mais ainda, já que comprar roupa tá cada dia mais difícil. mas me sinto bem e estou saudável. minha depressão melhora MUITO por conta de treinos pesados.

@jefferson. não tomo nada hormonal(não é preconceito, não posso), mas sei o que vc fala. se treino, sou acéfala. se treino, quero ser panicat. se treino, sou burra. e as pessoas tendem a se meter SEMPRE em como meu corpo é. já ouvi que meu braço é forte demais pra mulher. já ouvi mulher falando que acha feio mulher com perna muito grossa (desculpa, fala com meu ortopedista pq tenho joelhos soltos que ficam no lugar só por conta desses músculos)... a sorte é que não tenho mais 16 anos e, apesar de me perguntar de onde as pessoas tiram o direito de se meterem no corpo alheio, isso não chega a me atingir. no entanto, meu estilo de vida meio que fica em segredo no meu dia a dia fora da academia. sou saudável e escondo os braços para ocasiões de trabalho... parece que uma mulher fortinha perde automaticamente a credibilidade. [aí, lola, bora fazer um trabalho sobre isso? hahahah]

LisAnaHD disse...

"Marussia de Andrade Guedes disse... 16 de março de 2012 12:39
É isso aí. Ame seu corpo independente do peso. Danem-se hipertensão, diabetes, doença vascular, estrias, celulites, flacidez. Danem-se muitos amores e muitos amantes. Numa sociedade conservadora como a nossa, nem pega bem ter muitos amores e amantes né? Um só pega até bem né? Eu vou continuar buscando um corpo que eu goste, de verdade, e que os outros gostem também. Sinto muito por quem desistir. Não consigo citar nada de bom que o excesso de peso tenha me trazido."

minhanossa!!! isso eh modo de uma MEDICA se expressar?

LisAnaHD disse...

"Os seres humanos só merecem homenagens por suas atitudes."
http://marussiaguedes.blogspot.com/

taih um exemplo de quem escreve o que lhe soa bonito e nao passa disso, pois na prahtica a coisa eh outra... me refiro ao comentario dra. Marussia (aqui na pagina)... comentario que merece solamente rechazo.

Mayara disse...

eu sou TODA COMPLEXADA tb.... ai ai
tenho 1.52 m e 40 kg, e sofro pra achar roupa tb viu, fica tudo grande, muitas vezes tenho que mandar apertar as roupas. sou "petite" mesmo, e minha filha é igualzinha, tem 5 anos mas já dá pra ver, ela é muito menor que as amiguinhas dela, eu na infância tb sempre era a mais baixinha e magra.
minha relação com o corpo é bem difícil, eu sofri abuso sexual durante dois anos na minha infância, e soube que uma das sequelas que ficam é vc rejeitar o próprio corpo, ou se sentir desconectada dele. acho que faz todo sentido pq eu sempre maltratei o meu, só fui tentar me cuidar com mais carinho quando estava grávida e pela criança, por mim mesma nem um pouco... e até hoje faço um esforço, pq digo pra minha filha que ela é linda, pequenina, delicadinha... ela é minha cara, eu me acho horrorosinha, mas ela, eu acho lindíssima... mãe é uma coisa louca mesmo.... rs

Ana D disse...

Mayara, me identifico completamente com o que vc disse. Também sofri abuso sexual aos 13 anos, e nessa idade decidi que era uma maldição ser mulher e bonita, tomei a decisão de engordar, porque era a maneira mais fácil de "enfeiar" que eu encontrei.
Me desconectei sim do meu corpo, o maltratei por anos.
Eu fui da menina bonita que atraía olhares lascivos a uma gorda asquerosa.
Aos 13 anos eu passava boa parte do dia de biquini (moro no litoral), hoje eu estou a anos sem ir à praia. Sei que devo me importar menos com o que os outros dizem, mas isso requer tempo e muita prática. Mas eu chego lá!

Mayara disse...

eu fiz isso tb Ana, na minha cabeça ser uma criancinha bonitinha era o motivo de eu ter sofrido tanto. só usava roupas velhas e muito largas... tudo pra me esconder mesmo... ganhava roupinhas lindas e nem tirava a etiqueta, perdia tudo pq crescia e não usava. fiquei muito quieta, isolada, e até pra coisas básicas tipo escovar os dentes, lavar os cabelos, era uma luta. não comia direito, me alimentava mal mesmo minha mãe vivia enchendo o saco, só fui tentar comer direito quando fiquei grávida pra não prejudicar a bebê.
eu tinha só 8 anos quando os abusos começaram, mas permaneci assim até uns 16... nesta idade comecei a me esforçar pra me arrumar mais e tb fiz amizade com mais gente do colégio.
um tempo depois comecei a namorar, com 18 anos engravidei, foi dificil na época mas hoje vejo que foi a melhor coisa do mundo, sou muito feliz com minha princesa e graças a Deus sou uma mãe totalmente diferente da minha... meu maior medo é que aconteça uma coisa igual com ela. minha mãe sabia de tudo que eu passava e nunca fez nada, achava que eu com 8 aninhos sabia o que estava fazendo e acha "frescura" qualquer tipo de trauma...
beijos

Mordred Paganini disse...

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=cbwVGr5gfMw

Fiquei chocada com esse desfile plus size...Muitas tem manequim do 40 ao 44. Algumas são manequim 46...

Sinistro as modelos "padrão" seres as macérrimas e as mulheres comuns serem as "plus". Não era para elas serem, sei lá, "less size"?

Anônimo disse...

Carol M e anônimo, eu sou dançarina de dança do ventre e não posso ser gorda. Pelo contrário. Tenho 1,60, peso 56 quilos e sempre ouço que preciso chapar a barriga. Pra piorar, tenho estrias na cintura. Isso significa que eu danço 4 x menos do que uma mulher linda, magra, siliconada e loira. Você vai encontrar dançarinas gordinhas no oriente médio, e tirando o Egito, pode ter certeza que ela não ganha mais do que 50 dólares para estar ali. O mercado já foi dominado pelo padrão caucasiano ocidental. Tenha certeza que a bonitona que você vê em dubai é tudo, menos árabe...É só ver a quantidade de brasileiras lindas do sul que ganham a vida dançando no oriente médio...

Em tese, todo corpo pode dançar, estudar dança, se divertir assim. Dança profissional, assim como uma série de esportes é outra história.

Carol M disse...

Oi anonima, falei isso por causa de dançarinas profissionais que são gordinhas. Tem a Shadya, a Samra Sanchez e a Noor Farag, aqui do RJ. Em SP tem a Dunia la Luna que tem o melhor trabalho de quadril que eu já vi.
Muito lugares seguem a ideologia Khan el Khalili de pasteurização de dançarinas, mas eu acho isso muito caído, perde a variação, a versatilidade.
Claro que eu não acompanho o mercado de dentro, pratico por diversão embora pense em um dia profissionalizar e dar aula, mas ainda vejo espaço pra corpos variados.

Anônimo disse...

Carol, não é pq a khan el khalili não tem dançarinas gordinhas que elas são pasteurizadas, né? Até pq o preciosismo técnico/artístico (até pq tá mais do que na hora de entenderem que dança do ventre é cênica e diferente de folclore árabe) que a Suellem ou Aziza tem não é algo visto em todo esquina. Na maioria das vezes quem questiona o corpo é o público...

Mas voltando ao tema. Como já disseram é complicado, e absurdo, associar saúde a um corpo magro. Mas tbm é complicado achar que um excesso de peso (estou falando em obesidade não alguém manequim 46) não tem impacto negativo no corpo de um dançarino. Quem dança quer dançar a vida inteira e pra isso você precisa sim cuidar do alongamento e fortalecimento do corpo, tudo com muita consciência corporal. Não é a toa que é mais fácil encontrar coreógrafos, e até professores, acima do peso, mais do que pessoas que tenham uma rotina diária e puxada na dança como dançarinos.