quinta-feira, 24 de junho de 2010

“AMO MEU NAMORADO MAS TRANSAMOS POUCO”

Uma leitora querida mandou o seguinte email:

"Leio teu blog todo dia mas não comento. Enfim, estou te mandando email pedindo uma ajuda...
Namoro faz 6 anos e meio com o cara da minha vida, vivemos juntos faz um ano e meio mais ou menos, rimos muito todo dia, conversamos horrores, nos divertimos, ele é meu melhor amigo e eu a dele (sei que pode pensar 'mais uma deslumbrada com o namorado que não é tudo isso', mas ele é tudo isso sim); toda minha família ama ele, a família dele me ama, é tudo uma beleza... e é mesmo.
Bom, tirando o sexo.
O sexo é bom, mas quando acontece, que ultimamente (tipo no último ano) tem sido uma ou duas vezes por mês. Falamos sobre isso (porque não tenho nenhum segredo com ele, aliás, quando você posta sobre pernas de jogadores ou qualquer outro assunto que seria polêmico, falamos sobre isso numa boa, não tem ciúme descabido e coisas dramáticas, não preciso disso na minha vida). Voltando... o negócio é que as coisas pra esse assunto estão muito frias e sim, me preocupo com isso porque quando o sexo acontece é ótimo, mas raramente tenho vontade de transar. Ele claro que sente mais vontade, mas nunca força nada e respeita, diz que não se importa, mas um dia que transamos, ele disse: 'digo que não faz falta mas quando transamos noto o quanto é bom e fico mais feliz'.
Não sinto pressão, tanto que não transo quando não tô a fim, o que tá me deixando triste é que não tô sabendo como lidar com isso de forma a solucionar o problema.
Te mando este email porque minhas amigas não namoram faz tanto tempo e ainda não têm esse tipo de questão na cabeça...
Não sei, talvez minha química com ele acabou e era isso, mas não quero 'largar desse osso' porque em TODAS as outras categorias nos damos muito bem e não me imagino com ninguém além dele.
Até tem um programa que passava na GNT que falava sobre como 'ligar' novamente o sexo, dizia pra beijar no mínimo 10 segundos por dia e várias outras tarefinhas que no fim resultavam no sexo como era no começo do namoro. Vou tentar fazer isso e ver no que dá.
Era isso, espero que possa responder. Adoro muito teu blog."

Eu respondi: Vc deve saber que a libido é uma coisa individual de cada um. Há pessoas que sentem mais desejo e têm mais vontade de transar do que outras. E não são só mulheres não, tem bastante homem com a libido baixa. E não são pessoas tristes nem nada, só que não têm o mesmo tesão que outras. Sei que a mídia tenta fazer do sexo um produto para ser consumido, e dita regras de quantas vezes por semana se deve transar, como, com quem, em que posições, quantos orgasmos devemos ter etc etc. Mas não é assim que funciona, claro! Devemos ignorar essas mensagens e respeitar nossos corpos e o de nossos parceiros.
É verdade que o desejo que temos pelos nossos parceiros diminui um pouco (ou muito) à medida que o tempo vai passando. Creio que isso aconteça em praticamente todos os relacionamentos. Quando é novidade, sempre tem muita coisa pra descobrir. Com o tempo vira rotina, o que não quer dizer que fique ruim, apenas diferente.
Seu namorado parece ser uma pessoa muito compreensiva, e isso é ótimo. Mas é isso mesmo: conversem sobre o assunto, veja o que te desperta o tesão, o que pode ser feito durante o dia para que vc sinta vontade de transar à noite (ou durante o dia mesmo, se vcs tiverem tempo). Pra muitas mulheres, e eu sou uma delas, o dia a dia da relação afeta a vontade de fazer sexo. Se eu e o maridão passamos o dia brigando, nem eu nem ele teremos vontade de transar naquela noite. Mas se foi um dia bom, com vários carinhos, beijos, palavras de amor, toques, aí o desejo aumenta. O sexo fica veiculado ao amor.
Há também fases, lógico, em que a gente tá estressada, trabalhando demais, e isso afeta a libido. De repente vc não está passando por uma fase?
Acho que isso de "erotizar a relação" é muito importante. Lembrar diariamente que vcs se amam tb fisicamente. Isso de beijos longos durante o dia pode ajudar muito.
Acontece também da pílula anticoncepcional poder ser responsável por diminuir a libido. Isso ocorre com muitas mulheres. Não sei o método anticoncepcional que vc utiliza, mas, se for a pílula, fale com sua médica sobre esse possível efeito colateral da mais alta importância (afinal, pra quê tomar pílula, se ela vai tirar o desejo de transar?).
Parece que estão realizando testes científicos para ver como se aumenta a libido. Como é pra mulher, e sexo pra mulher é visto como algo secundário e sem importância, os testes são recentes, e ainda não há muitos resultados. Mas começaram a investigar os efeitos de "viagra pra mulheres" e outros medicamentos, e imagino que em breve se chegue a alguns resultados. Mas o principal mesmo, imagino, é o companheirismo e a cumplicidade do casal, e isso vcs parecem ter de sobra.
Fale com ele sobre suas fantasias sexuais, invente algumas, e tente executá-las, se possível.
Muitas vezes o que acontece num relacionamento de vários anos é pura preguiça. Uma amiga minha dizia que transar era que nem academia de ginástica - dava uma preguiça imensa de fazer, mas quando se faz, é muito bom. Discordo da parte da academia de ginástica, mas sei como é a parte da preguiça: vc deseja o seu parceiro, ele te deseja, mas vc fica com preguiça de transar. Daí, quando transa, vê que é ótimo. Assim como a gente fica com preguiça de várias coisas na vida - de sair, de comer fora, se ler, inclusive de fazer exercício em academia de ginástica (pros masoquistas), sei lá mais do quê. E não porque a gente não goste. Então tem que se esforçar um pouquinho, e não deixar de ficar muito tempo sem sexo. Mesmo que vc tenha que se programar um pouquinho pra isso. Parece meio forçado isso de "sexo todo sábado", mas a gente tem rotina pra um monte de coisa na vida, e acho melhor programar um dia pra fazer sexo do que simplesmente ficar sem fazer durante muito tempo. Claro que se pintar um clima noutro dia, é pra fazer tb! Mas que tal ir começando com um dia, erotizando a relação, e, pouco a pouco, aumentar a dose pra duas vezes por semana?

Pedi autorização da leitora para publicar o email (sem o nome, claro), pra ver se o meu querido time de comentaristas pode dar alguma sugestão. Vamulá, pessoal!

79 comentários:

Bia Carvalho disse...

Acho que isso é bastante normal. Já tive fases também de estar totalmente sem vontade de fazer sexo e olha que eu e meu namorado temos muita qúímica e estamos sempre inventando coisinhas novas para apimentar a relação.
Talvez, o que esteja dificultando as coisas, seja exatamente essa preocupação dela.

Boa sorte para nossa amiga!!

aiaiai disse...

Achei as suas considerações muito boas. Eu recomendaria, ainda, uma conversa com um psicologo. Pode ter alguma coisa escondida que ela não está expressando nem para ela mesma, né?
A única vez que passei por situação semelhante foi por um rancor que eu tinha sublimado. Só fui descobrir meses depois de terminar o relacionamento...que era ótimo e poderia ter durado mais se eu não tivesse me apavorado com os problemas. Fica a dica.

Umrae disse...

Exaustão do dia a dia para mim é o pior dos problemas. Desde que comecei a fazer outra faculdade, por 5 dias na semana sequer vejo meu noivo. Às vezes chega o fim de semana e temos mil coisas para fazer, tenho que estudar ou trabalhar, ele tem que terminar projeto do trabalho ou participar de convenção de vendas, ou comprar alguma coisa para a casa, ou pesquisar apartamento, ou um dos dois está doente, e não é que não haja vontade, a gente simplesmente não tem energia. É meio frustrante.
Eu era a favor no começo disso que a Lola comentou de "programar dia" pelo menos, mas ele não gosta da idéia. E às vezes não dá muito certo na prática mesmo (considerando-se que essa vida de trabalhar/estudar/não dormir/comer sem horário acaba com a resistência da gente. Aí você vai tentar "se forçar" sendo que está com aquela gripe horrorosa? Não, você quer capotar e dormir.).
Agora que chegaram as férias da faculdade, fica tudo ótimo por um mês, pelo menos.
Mas acho que quando o caso é esse, a única solução é arranjar uma maneira de diminuir o ritmo do dia a dia para que ele pare de nos massacrar. Mas até parece que é fácil...
Mas nada do texto diz que esse possa ser o problema da leitora. Concordo com a aiaiai na sugestão do psicólogo. Pelo menos ele terá mais condições de ajudar a descobrir os motivos.

Livia disse...

Concordo com a parte da preguiça que a Lola falou, é a mais pura verdade... Às vezes vc tá mesmo sem pique de se mexer, de começar alguma coisa, mas quando começa não quer parar! Tem uma dica que eu li em algum lugar e que funciona perfeitamente na prática: quanto mais vc transa, mais vontade tem de transar. Numa comparação tosca, é como adquirir o hábito de beber água - vc se esforça um pouco no começo, depois vc não fica mais sem. E é isso mesmo, eu percebo com meu marido, quando estou numa fase "mais ou menos" me empenho um dia ou dois, depois a vontade vem que vem, heheh.
E tente ler mais coisas picantes. Aquela revista "Nova", idiota até o extremo por tentar nos passar padrões, pode servir pra isso se você a lê como um relato, não como um procedimento padrão. Várias histórias e reportagens sobre sexo, acaba inspirando você a fazer do seu jeito, não do deles.
Sorte aí!

Sheryda Lopes disse...

Lola, vc tá virando a nova Carmem da Silva! |Ela aconselhava as leitoras da revista Claudia e era feminista (a Carmem).

Prity disse...

Os homens nem se apresentam no assunto?

olhodopombo disse...

talvez ela goste de "meninas" e ainda não se deu conta?

Masegui disse...

Pitaco masculino:

Isto é normal, eu também tenho o mesmo problema e acho que a grande maioria tem. Aliás, na minha idade a coisa é ainda mais comum. Rotina e preguiça são os vilões da história. E claro que se um dos dois não está bem, qualquer que seja o motivo, a coisa piora.

Sou contra o "dia marcado" porque torna a coisa meio forçada e nem sempre os dois estão no ponto ideal. O jeito é "inventar moda" e usar de todo artifício possível para incrementar o negócio.

Eu tenho um casamento de 25 anos. Até hoje sempre que passo perto da patroa, invariavelmente passo a mão na bunda dela! Ela sempre responde "quer agora?" Eu dou uma desculpa esfarrapada e saio de fininho. Quem vê pensa que a gente trepa todo dia...

Quer uma dica quase infalível? Saia pra jantar fora ou apenas pra tomar umas biritas... na volta sempre "tem". Comigo funciona 90% das vezes...

É isso aí, vamos voltar pra copa do mundo...

Werner Wild disse...

Bem, como homem achei interessante a questão levantada no mail. Já tive um problema semelhante ao do namorado da moça em questão. Sou novo e estou num mesmo relacionamento à mais de 11 anos (não tenho nem 30!!!). Acho que o dia-a-dia de trabalho/estudo é cansativo demais! Sair de casa às 07:00 pro trabalho, sair às 18:00, depois estudar até às 21:00 não dá! Não tem tesão que aguente! Para nós, homens (animais incivilizados), se encostou na gente estamos querendo! Sou compreensivo com minha companheira, não forço nunca a barra com ela, mas uma coisa é você compreender e levar na boa, outra é aceitar completamente a situação. Já cheguei a passar um ano com mais de 1 mês sem transar, todos os meses, e foi uma das piores experiências da minha vida! Me senti jogado para escanteio! Parecia que minha companheira tinha nojo de mim! Só não acabamos o relacionamento porque, assim como a moça do mail, TODOS os outros quesitos para um bom relacionamento eram perfeitamente atendidos. Somos os melhores amigos um do outro, conversamos sobre tudo! Acho que nunca a chamo pelo nome quando estamos juntos, é sempre um apelido carinhoso ou uma brincadeira que fazemos um com o outro.
Minha companheira trabalha e estuda muito. Enquanto não terminei faculdade, ela se formou e ja fez 2 línguas e uma especialização em português! Acho que as mulheres estão aproveitando muito bem a oportunidade de sair do julgo masculino, elas estudam mais e trabalham melhor que os homens (na minha opinião). Mas, como disse a Lola, para as mulheres o sexo vem junto com uma série de fatores que pesam a favor ou contra, como o cansaço; já nós, homens (animais incivilizados), não estamos nem aí!
Pra encurtar o texto, ainda hoje minha companheira trabalha e estuda muito, o sexo continua irregular, mas agora é mais frequente. Só o fato dela agora demonstrar desejo (o que antes não acontecia), já melhorou bastante o relacionamento. E por mais que ela faça isso com muito esforço, mostra o quanto ela está comprometida, o que me deixa feliz e envergonhado. Feliz por perceber o quanto ela me ama, e envergonhado por reconhecer no sexo uma necessidade tão forte. Boa sorte pra moça do mail!

Clara Gurgel disse...

...e por falar em futebol,Masegui,quarta-feira,(se ele gostar de futebol,campeonato brasileiro,for fanático por algum time)pode ser o dia.Só dois inconvenientes:se o time dele perder,e se vc não aguentar o jogo acabar e dormir antes...rsrs Mas,na guerra do "felizes para sempre",vale tudo prá driblar o tédio.Só não falo de jeito nenhum para que time meu marido torce,porque senão toda quarta,quando esse time gannhar,vcs estarão se lembrando de mim.kkkk

Gisela disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Gisela disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Gisela disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mari disse...

Nossa, eu tava pensando nesses dias mesmo na questão do qto a mídia/sociedade passa a idéia de q o "normal" é transar muito, em todas as posições possíveis e tal, q é A coisa mais importante da existência de um ser, e no qto as pessoas aceitam essa imposição, emitindo opiniões nesse sentido como se realmente isso partisse delas, como se fossem uma máquina de fazer sexo... pff... Fora as conclusões simplistas decorrentes dessa idéia, como a de q se alguém eh mal humorado(a), é pq dormiu de calça jeans, haha, ou q eh mal amado(a)... aff... isso é p/ quem tem preguiça de pensar, só pode! haha
bjkas!

Gisela disse...

fiquei lendo os comentários e para mim "dia marcado" é o "uó". Não sei o que é pior: dia, hora marcada ou fazer tudo igual: chegar em casa, dar um beijinho, cronometrar no relógio, jantar, lavar a louça e depois transar. Eu sou sincera, correndo o risco de terminar o namoro. Fico sozinha mas pelo menos transformei a relação. Procure outra que seja assim "milimetricamente sexuada" ou volte para a ex-esposa.

Hoje em dia quero ter filho. Então a próxima será com esses fins. Ai... Adeus ficar "pendurada no ventilador". ;-)))

Gisela disse...

A propósito, lembrei de um filme ótimo, mas se a pessoa for fraquinha, não vai aguentar tanta porrada. Chama-se "Romance", é francês e de Catherine Breillat, ótima diretora de "À ma soeur", "Sex is comedy", "La vieille maîtresse" (recente), entre outros. No filme há cenas de sexo explícito, vou logo avisando. E ainda tem o ator pornô Rocco Si Fredi fazendo uma ponta. Se focar nessa coisa de "oh, meu Deus, cenas assim, não dá", vai perder o ponto principal do filme. Lembrei justamente por causa do assunto d mensagem enviada pela menina e a cara do moço aí da foto. Cara total de assexuado-metrossexual-gélido.

Clara Gurgel disse...

Gisela vc é uma figuraça...quando vi o tema do post,já fiquei esperando seus comentários.Só te digo uma coisa;quando vc tiver seu tão esperado e amado filho,verás que as coisas mudarão bastante.Não que a libido morra necessariamente, mas digamos que, a "dinâmica da coisa",com certeza muda e muito.Se vc achar que o relacionamento vale a pena,vai ter que se adaptar...ou não?!

Aline Schmitt disse...

A Livia recomendou ler a revista Nova e eu acabei lembrando de uma série que eu gosto bastante, Secret Diary of a Call Girl. É inspirado na história real de uma prostituta de luxo e blogueira, que teve os seus contos publicados em um livro. A série é leve, divertida e bem sexy! A trilha sonora é ótima também.

Se o casal curte séries, poderiam assistir juntos e tal...

Ah... E nada tem a ver com o livro da bruna surfistinha... "cavalguei, cavalguei, cavalguei" tédio...

Tanize Monnerat disse...

Como muitos falaram, acho que o pior inimigo é a rotina. Quando se mora junto você vê a pessoa o tempo todo e de maneiras não muito elegantes, entende? Isso tb tira um pouco do tesão (pra mim, principalmente, se ele fizer muita bagunça e sujeira)
Acho que a melhor dica é (a mesma da Lola): descubra o que te faz sentir desejo. E fale sinceramente para ele isso.

Umrae disse...

Werner: o cansaço afeta os homens sim. Não é qualquer um que, depois de um dia fatídico de sair de casa às 6:30h para trabalhar, aturar reclamação de chefe / colega oportunista/ cliente sem razão que acha que tem sempre razão, fazer resolver um monte de imprevistos "para ontem" , sair do trabalho às 21h, pegar mais 1h, 1:30h de trânsito para chegar em casa irritado, frustrado e estressado, está com pique para isso. Dia péssimo no trabalho consegue derrubar qualquer pessoa.

Gisela: ué, ninguém consegue fazer cronograma na vida para determinar quando vai achar uma pessoa extremamente compatível e se apaixonar. Com alguns isso acaba acontecendo cedo. Mas não quer dizer necessariamente qualidade pior, até porque se essas pessoas pesam o que encontravam antes de se comprometer e o que estão tendo depois e optam pelo segundo, é porque para elas está compensando. Mas tenho algumas teorias. Uma delas, que observo, é que hoje o resto do mundo (família, principalmente) já não faz toda aquela pressão contra de "você é muito novo, tem que namorar bastante (entenda-se vários(as)), blá, blá, blá" que ajudava a sabotar qualquer relacionamento sério que uma pessoa nova demais tentasse ter. Outra é uma certa liberdade maior que os casais tem hoje para falar sobre sexo, o que acaba melhorando a qualidade e prolongando o tempo de química.

Mari: e se está mal-humorado e não dormiu de calça jeans, então só pode ser intestino preso, que, segundo as propagandas, é a raíz dos males comportamentais do mundo! Hahahaha!

Eu tomo pílula desde antes de iniciar atividade sexual (trocada há uns dois anos por adesivos por causa de um problema no fígado). Dependia disso, não tinha jeito, porque eu tinha dores absurdas, náusea, quedas bruscas de pressão e desmaiava o tempo todo quando menstruava antes de começar a tomar. Felizmente, ela nunca me prejudicou nesse sentido (até voltar a estudar à noite em todos os dias úteis e nos sábados de manhã, estava tudo ótimo). Mas a reclamação é comum mesmo, já ouvi bastante.

Umrae disse...

"Adeus ficar "pendurada no ventilador". ;-)))"
Gisela: depende, se você conseguir se pendurar pelas pernas (pressupondo um ventilador de teto) é capaz de ajudar, não?

Gisela disse...

hihi Gente, boa idéia se pendurar pelo pé, não tinha pensado nisso. ;-)))

Olha, Umrae, como eu disse, não sou exemplo porque já tive muitas relações e fiquei muito tempo sozinha. Aliás, ninguém é exemplo, claro. Mas quando alguém vem pedir um conselho, sinto-me no direito de dar como uma mulher vivida (ui!).

O que eu falei de tempo, cronograma não foi me referindo à questão normal do dia-a-dia. Isso afeta mesmo, por isso nem toquei nesse assunto. Ainda mais quando o horário é comercial. Aí corre o risco de sexo virar atendimento de telemarquetingue. ;-) "Alô, amorrr. Nós temos 4 produtos: fellatio.com, mais barco à vela (Juliana Paes q disse aí), mais essa aqui e essa. Digite 1 para.. tal, 2 para isso.." ;-)))

Mas sério, eu queria falar sobre os casais que se acomodam logo cedo na vida, por recusarem o que nossos avós fizeram. Meu pai canceriano não "queimou sutiã", nem foi às ruas, mas aquela coisa de revolução. Faça na cama também.

Hoje nem sabem mais pelo que vão lutar. Aí fica tudo sem graça: "amorrrr. amorrr.. " Acho arriscado. Sei lá se é o medo de ficar sozinho. Eu como aprendi a perder desde cedo, já conto com essa possibilidade. Fico até paranóica demais, admito.

Gisela disse...

Clara, esqueci de vc. Pois é, menina, foi por isso que eu dei o exemplo do ventilador. Acho que a família toda vai ter q se pendurar no ventilador. Nem sei se pretendo ter babá. De repente, ela vai também. Mas aí vai ser mais caro! ahahah ;-) Ter filhos é uma grande responsabilidade mesmo. Por isso não tive até hoje.

Mari Moscou disse...

Adorei o post! Acho que é uma situação muito comum que por não ser tão polêmica acabamos quase não discutindo...

Bom, o meu namorado, leitora daqui do blog tbm, já foi casado muito tempo e me disse que a vida sexual deles não era muito ativa, embora isso não tenha tido relação nenhuma com o término. A minha, pelo contrário, sempre foi muito ativa.

Mesmo assim, noto que de uns anos pra cá minha libido também mudou. Não tenho certeza se "aumentou" ou "diminuiu", pois penso que devemos olhar pra fatores como frequência, intensidade, variedade de contextos que despertam tesão, etc. Mas certamente mudou.

Com o final de semestre, muito trabalho e morando em duas cidades diferentes, eu e o Gatinho acabamos achando algumas estratégias. Nós combinamos dias que são nossos dias especiais. Nestes dias especiais, se não tivermos tesão não transamos. Mas sabemos que são dias que reservamos só para ficarmos um com o outro, sem mais nada nem ninguém. Da última vez tiramos três dias pra viajar, uma viagem curta e barata. Foi delicioso.

De repente descobrir o prazer em provocar tesão e libido pode também ser uma ferramenta poderosa. Nestes "dias especiais" nós preparamos "surpresas" um para o outro e sempre conseguimos transas mais bacanas do que em dias de rotina.

A pílula também é algo a se ver. Escrevi um Guest Post outro dia aqui, sobre "prazer para quem?", questionando o descaso da ciência e da nossa sociedade com o prazer feminino. Eu descobri uma pílula que quase não afeta minha libido. É possível, sim! :)

Bom, boa sorte e espero ter ajudado!

Werner Wild disse...

É verdade, Umrae, mas quis dizer que não afeta os homens como afeta as mulheres. Afinal, somos incivilizados mas não somos máquinas!
Acho que a Gisela tem alguma razão quando fala sobre, quem sabe, mudar de parceiro. Se prender a uma ilusão, uma idealização é realmente horrível. Ainda mais quando se é novo, e não se tem a coragem de acabar com algo que está lhe prejudicando e se dá mil desculpas para manter o relacionamento. Mas talvez não seja esse o caso, talvez a moça apenas esteja passando por uma fase difícil; e talvez até o amor dela pelo rapaz seja mais uma forte amizade com uma nuance amorosa, quem sabe? Mas o fato dela querer lutar pelo relacionamento, abrindo o coração aqui no blog, mostra que por mais discutíveis as atitudes dela quanto ao seu relacionamento, é isso o que ela quer. Muitos podem achar isso simples comodismo ou covardia. Mas acho que, pela atitude que ela tomou, de se expor desse jeito, esse é um namoro que vale a pena lutar.

primeirocego disse...

A Mari falou da idéia que eu ia falar - criar dias ou momentos especiais só pros dois mas que não têm obrigação nenhuma de terminar em sexo. Funciona que é uma beleza, pelo menos pra mim.

Agora dito isso, há que pensar também até que ponto as pessoas envolvidas consideram genuinamente essa situação um problema e até que ponto isso só é problema por imposição cultural. É perfeitamente normal que pessoas diferentes tenham níveis diferentes de desejo sexual (algumas nem têm nenhum) e também que esse desejo varie com o tempo. Se a pessoa não quer, não quer. Isso não é necessariamente mau.

@Werner: Não entendi, você acha que os homens têm naturalmente mais desejo sexual que as mulheres ou você tá falando é do seu caso particular?

Werner Wild disse...

Tô falando do meu caso particular, primeirocego! Seria muita ignorância minha dizer que homens tem mais libido que mulheres. Mas homens são bem mais fáceis de "esquentar" que mulheres, pelo menos na minha opinião. Enquanto mulheres (não todas) precisam de preliminares e dedicação para entrar no clima, homens só precisam imaginar as mulheres nuas para ja estar em "ponto de bala". Ou seja, não é falta de desejo, mas uma maior facilidade de excitar-se. Ou essa é só mais uma das "teorias" do machismo? Agora você me pegou! Seria bom entrar em mais esse assunto! Passo a bola para vocês!

Mari Biddle disse...

Oi, Lola...achei tao lindo vc dando os conselhos para o moça.


Então, tipos que ela faz sexo 2 vezes ao mês em média. Tá melhor que aqui em casa, sô. O negócio é que em um casamento e com filhos a gente tá quase marcando dia e hora porque sensualizar e ficar a fim de transar tem ficado cada vez mais problemático. Eu já estive em um relacionamento com o problema parecido com o da leitora. Tudo se resolveu conversando mas não somente isso, descobrimos que era um problema de horário. Ele estava sempre disposto no começo da manhã e eu só acordava de verdade lá pelas 10 da manhã.

Mas deixando minhas histórias de lado, recomendo a leitora que procure dialogar mais com o namorado a respeito dessa falta de desejo e procure apimentar a relação para ver se a quimica, o desejo volta. Não tô falando de gastar os tubos em sex shops e curso de sexo tantrico não....tô falando de fazer coisas os dois juntinhos para tentar voltar aos velhos tempos.

Boa sorte.

primeirocego disse...

@Werner: Ok, entendi. Mas não sei se concordo com essa idéia de que homens esquentam mais rápido. Por um lado, pode até ser que seja verdadeiro. Por outro lado, se é verdadeiro tem provavelmente um fator cultural muito forte influenciando essa diferença. Pense, por exemplo, em como desde cedo os homens são incentivados a pôr o desejo sexual em prática - quanto mais sexo eles fizerem, melhor para sua imagem - enquanto as mulheres são incentivadas a ser mais recatadas, a esperar o parceiro ideal, a não fazer sexo com qualquer um.
Também acho que essa idéia de os homens serem assim tão excitáveis é muitas vezes usada para legitimar certos tipos de abuso, como cantadas grosseiras que muitos homens fazem a mulheres na rua, ou quando se vê em casas de dança etc. homens que já chegam puxando as mulheres pelo braço, ou se põem na frente não deixando uma mulher passar e assim por diante, essas coisas são comuns.
Enfim, minha opinião é que essa idéia que homens esquentam muito rápido reforça um pouco essa cultura de que no sexo o homem é ativo e a mulher é passiva, e que essa cultura muitas vezes leva a violência.

Eu, falando por mim, nem sei se sou fácil ou não de esquentar. Às vezes suponho que até muito fácil, outras vezes não esquento de jeito nenhum. Mas e aí, o que isso quer dizer? Pra mim não quer dizer nada.

L. Archilla disse...

bom, já que tá todo mundo dando pitaco, vou dar o meu também.

acho que o conselho mais sábio que deram até agora é o da terapia. porque existem milhares de hipóteses para a causa do problema, entre elas, estar com a pessoa errada, ter naturalmente menos desejo que a "média" (se é que existe uma), ter recalcado alguma magoazinha de alguma briga do passado, não se permitir ter prazer (por outros mil motivos), sabotar o relacionamento inconscientemente, etc, etc, etc. qualquer uma dessas alternativas seria descoberta e tratada em uma boa terapia.

além disso, achei importante a dica da pílula. também há outros medicamentos que mexem com a libido, como alguns antidepressivos, calmantes, etc. qualquer coisa que a menina tome deve ser checada com o médico que receitou, ou com um farmacêutico (formado, não o balconista), ou os dois. de repente é só trocar o remédio e a gente aqui viajando.

L. Archilla disse...

sobre "quem esquenta mais rápido", há estudos que comprovam que, por motivos hormonais, o homem tem menos necessidade de preliminares, porém, após o orgasmo, "esfria" rapidamente, enquanto a mulher é o contrário. lembro de uma comparação que ouvi não sei onde, de que o homem é um forno elétrico e a mulher, um forno a gás. porém, pelos mesmos motivos hormonais, a coisa se inverte perto dos 40 anos, a famosa "idade do(a) lobo(a)", onde o homem precisa de mais preliminares, enquanto que o corpo da mulher fica pronto para o coito rapidinho. (nossa, como fui técnica agora! ahah)

isso no geral, claro. há variações individuais.

a natureza é engraçada, né?

obs: tem algum biólogo/sexólogo/clínico geral que pode explicar isso melhor?

primeirocego disse...

@L. Archilla: Você lembra qual a fonte desses estudos que você falou? Pergunto mesmo porque eu gostaria de vê-los, não para desqualificar. Para mim em princípio parece complicado fazer um estudo que prove isso, porque imagino que não se possa fazer uma pesquisa experimental sobre influência de hormônios em libido/comportamento sexual, então o máximo que se prova é uma correlação, não causa.
Não descarto a hipótese, claro, de que haja um componente biológico aí nessa diferença, mas quando o componente cultural exerce pressão no mesmo sentido fica difícil dizer qual é qual.
O problema, do meu ponto de vista, é quando se usa uma base biológica de uma diferença (mas que não explica completamente essa diferença) para justificar preconceitos ou estereótipos.

Gisela disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Gisela disse...

É meio irônico que todos gritaram "liberdade sexual" nos anos 70. E qual é a luta hoje? Lutar contra um nada, algo que nunca aparece.

Gisela disse...

Analisando melhor o que ela escreveu, porque essa coisa de mensagem em internet fica embaralhado, não sabemos quem é a pessoa, coisa e tal: ela fala em "categoria".

Não há categorias. As pessoas tem mania de separar porque foram ensinadas assim. Mas tudo está junto. O que vai e pode existir é contrato para firmar uma vontade de estar junto (casamento), não que seja necessário, mas aí entra status, carreira, filhos, países diferentes (como já foi meu caso e eu caí fora depois de uma espera de 5 anos), etc. A vontade estar junto é o principal, claro, mas quando se é novo muita coisa rola, muitas 'novidades', mídia e o escambau, se é que vocês me entendem.

Ele aceitar a situação me surpreende bastante, porque apesar da libido na mulher ser tão acesa quanto no homem (ninguém nunca disse que não era) existe a questão da anatomia e dos hormônios. Homem fica cansado, mas quando a mulher quer, raramente dois brigam. Tenho 35 anos e NUNCA vi isso. A não ser que seja um "gatão de meia idade" (peço licença, Miguel Paiva) ou um de mais idade (60 anos de repente, não sei..) 'workaholic' com medo de fraquejar. Cabe a mulher relaxar a ansiedade do 'pobrezinho'. Que me perdoem as feministas. ;-)

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Que legal vcs tratarem desse assunto aqui!
A mídia e muita gente, aliás, fala tanto de começo de relacionamento, sexo nos primeiros encontros, nos primeiros meses e acaba que, comentários sobre sexo em relacionamentos mais longos, são deixados bem de lado.

Como eu nunca tive um relacionamento mais longo, não posso colaborar, mas sobre as discussões paralelas que surgiram acho que posso dar meus pitacos.

Eu por exemplo sinto vontade quase todos os dias, mas não sei se caso estivesse em um relacionamento longo, como seria. Vai ver que varia de pessoa pra pessoa mesmo...

Sobre o que a L.Archilla comentou, eu também já ouvi essa comparação de mulheres como fogão a lenha e homens como forno elétrico. O homem esquentando rápido e esfriando rápido e a mulher esquentando devagar, mas depois que esquenta também, não esfria mais, rsrs... Já até ouvi a frase que o desejo do homem é mais frequente e o da mulher é mais intenso e na época concordei. Mas só estou fazendo um comentário, afinal como alguém já disse, isso entra em várias discussões a respeito de biologia, construção social, cultura e é um assunto bem complexo...

Agora, por experiência própria, o que posso dizer é que na adolescência e comecinho dos 20 eu era como o tal "fogão a lenha",rs... Mas com o passar dos anos, a medida que fui me conhecendo melhor, experimentando mais coisas, hoje em dia parece que é tudo mais rápido, a excitação e o orgasmo com poucos minutos... Aí entra nessa história de novo, não sei se varia de pessoa pra pessoa ou se pessoas que são mais estimuladas, menos constrangidas (tal como os homens são desde a infância) sentem desejo com mais frequência e passam por essas fases mais rápido... Já ouvi falar que homens atingem o orgasmo em média entre 3 e 15 minutos, e mulheres em um mínimo de 15 minutos. Mas se eu sou mulher e se quiser não preciso de cinco minutos pra chegar lá, eu não sei se sou uma exceção nesse aspecto, se aprendi alguma coisa diferente ou se é porque varia mesmo de pessoa pra pessoa e não dá pra ficar generalizando...

Enfim, esse assunto daria teses e mais teses... rs

Abçs pessoal! E parabéns Lola, uma discussão dessas encarada com seriedade e ao mesmo tempo simplicidade, é importante pra muita gente!

Vivian S. disse...

Algumas pessoas já disseram isso, mas acontece que a libido é uma coisa hormonal, né? E em certas situações, não dá pra controlar a taxa dos hormônios. Acho uma boa ir num clínico e contar o fato, perguntar o que ele acha de fazer uns exames e ver como anda as taxas, etc. Não custa nada, ou pelo menos não custa muito. O fato de andar meio apagadinha pode indicar algum problema de saúde, e essa história da pípula é 100% verdade.
O fato é: a libido é algo natural. Ela existe. E se não tá existindo, tem alguma coisa errada.
Acho que ninguém melhor que um médico pra dar uma investigada.
Beijo pra gata e boa sorte.

Flovi disse...

Eu não consigo acreditar nesse argumento de que homem esquenta mais rápido que mulher. Simplesmente porque as mulheres são podadas em seus desejos desde a mais tenra infância. Aliás, as maiores religiões da atualidade demonstram um empenho constante em 'domar' as mulheres e isso já é uma velha e conhecida história nossa. Mulheres são retratadas como vulneráveis e que precisam estar sob o comando. Aliás, não é essa lógica que faz com que atrocidades sejam cometidas todos os dias contra as mulheres no mundo todo? Vide mutilação genital, para 'conter' os desejos femininos. Desejo feminino é coisa demoníaca, gente.

Daí me aparece uma pesquisa ou outra dizendo que o homem é biologicamente mais preparado e pronto... nojinho total. E o que é engraçado, e já foi até largamente discutido nesse blog aqui, é que sempre cabe às mulheres o papel de 'apimentar' a relação. É sempre cobrado delas que se virem, que arrumem técnicas de sedução - muitas vezes das mais esdrúxulas e acrobáticas - para manter o bofe acesinho. E ao mesmo tempo em que tudo isso é feito, me vem a 'ciência' dar o respeitoso aval dela, dizendo que homem é 'naturalmente' mais fácil de esquentar. Faça-me o favor, né.

Lembrei-me de um email que recebi esses dias aí, comparando 'cientificamente' o cérebro da mulher e do homem. O email fechava com a seguinte pérola:

Mulheres naturalmente preferem o discurso indireto. Por exemplo, quando Geetha diz 'Vinay, você gostaria de tomar um café?', ela quer dizer que ela quer tomar café. Já os homens usam o discurso direto. Quando Vinay quer tomar um café, ele diz isso diretamente 'Geetha, eu quero tomar café'. Não é de rir? Principalmente considerando-se um contexto como o indiano, em que as mulheres são treinadas desde cedo a ficar sob a sombra do marido? (não tô nem entrando no mérito de discutir o que seria discurso direto e indireto para esses tais 'cientistas', enfim).

Daí que essa história de que o homem fica 'no ponto' mais rápido me soa muito parecida com o discurso indireto da pobre da Geetha. Colocam como puramente biológico um fator que tem nuances culturais que não poderiam ser descartadas jamais.

E para a leitora do post, saiba que eu aplaudo a sua maturidade. Eu já estive em um relacionamento assim, em que estávamos em perfeita sintonia em todos os outros aspectos, menos no sexo. Daí troquei-o por uma paixão tórrida, e descobri que, quando as coisas esfriaram, eu e o novo bofe não tínhamos nada a ver. Nada mesmo, e a relação fora da cama era simplesmente insuportável. Portanto eu te falo: vc está agindo de forma muito madura e pensada, e ponto pra vc. A terapia pode te ajudar. Chutar o balde e se arriscar com outro(s) pode te ajudar. Mas tenha certeza que está te ajudando muito o fato de você estar levando em consideração todas as suas afinidades e o enorme sentimento que os une.

Werner Wild disse...

Por isso passei a bola para o pessoal do blog sobre essa história de "esquentar". Afinal, além de ser algo biologicamente discutível, é algo imposto social e culturalmente. Por isso, quando tive esse problema, sempre pensei o que EU estava fazendo de errado, e não minha companheira. Conversando, chegamos a conclusão que ela simplesmente não tem tanta necessidade de sexo quanto eu. E aí? O que fazer nesse caso? Acabar com um bom relacionamento por causa disso vale a pena? Dependendo da pessoa, sim. Eu não quis, e colhi os frutos da minha decisão, para o bem e para o mal. São tantos os fatores que influenciam uma situação como essa...

L. Archilla disse...

primeirocego, eu infelizmente não me lembro da fonte da pesquisa, por isso pedi ajuda de profissionais mais qualificados.

tb acho que o fato da mulher ter a sexualidade podada desde que nasce poderia (pode) contribuir para que ela demore mais para se soltar e sentir prazer, porém, o fato da situação se inverter por volta dos 40 anos não pode ser explicado por esse argumento. por isso a história dos hormônios não me parece tão inverossímil.

quanto à terapia, as pessoas tem uma ideia tão fora da realidade sobre isso! acaba de ser aprovada uma lei que diz que convênios devem cobrir no mínimo 40 sessões por ano. fora isso, há postos de saúde (poucos) e clínicas-escola que fornecem tratamento gratuito à população. sem falar em profissionais recém-formados que cobram valor simbólico com o intuito de formar clientela. claro que, se a ideia for procurar um psicanalista ortodoxo super qualificado, dificilmente a consulta sairá por menos de 200 reais - por isso mesmo esse método está sendo cada vez menos procurado.

e, Gisela, vc acha SIMPLES de ser resolvido um caso como esse e REDUTOR mandar pra analista? como assim? redutor é achar o problema fácil de resolver... aliás, acho que se fosse fácil ela não estaria aqui expondo a intimidade pra todo mundo meter o bedelho, né!

Umrae disse...

L. Archilla: é, você tocou num ponto importante que é a disponibilidade, que não é tão impossível quanto a gente pensa.
E ainda acho o psicólogo/analista, aliado a uma consulta ginecológica para ver contagem hormonal e afins, a melhor opção, porque essas pessoas são especialistas, nós somos só palpiteiros (é verdade, ué). Eles com certeza já terão visto muito mais casos parecidos, conhecem as ferramentas para identificar o problema e tal. Nós temos apenas nossas experiências particulares que podem ou não ter alguma coisa similar com a dela, mas é uma extrapolação arriscada demais.

Teresa Silva disse...

Já considerou a possibilidade de, com o passar dos anos, ele ter deixado de ser namorado e virado um irmão pra você? Pede ajuda de um terapeuta pra ver se o problema não é esse.

Gisela disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Gisela disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Gisela disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Gisela disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
marmota bobak disse...

Lola,

parece que um futuro tema para post está dado nesta discussão que acabou rolando aqui.

Afinal, homem esquenta rápido com qualquer nudez e mulher precisa de preliminar?

Como desmontar este mito (admitindo que é um mito)?

marmota bobak disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
L. Archilla disse...

Gisela, é justamente por ser psicóloga e entender a dimensão do problema que recomendo fortemente uma psicoterapia. não sou uma pessoa que leu freud por conta própria, nunca fez análise e sai diagnosticando as pessoas por aí. :)

Gisela disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Gisela disse...

Archilla, ninguém precisa cursar 4 anos (muitos param aí) para entender e estudar Psicologia. Há mestres, talentos natos e disciplinas espalhados em várias áreas. Não é uma exclusividade de um recinto acadêmico. Graças a Deus, o saber não é confinado. Aliás, pobre daquele que precisa da faculdade para ler, aprender e ter acesso a um mestre.

A propósito e RE-lembrando: isso é um blog, não um divã.

L. Archilla disse...

que bom q vc tem noção que isso não é um divã. porque, como amante da psicanálise que vc é, deve saber que não se faz diagnóstico fora do setting terapêutico. nem se vc for um gênio autodidata.

Gisela disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Gisela disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
L. Archilla disse...

sim, dizer que ela NÃO precisa de tratamento porque o problema é muito simples é dar diagnóstico, coisa que só um profissional deveria fazer - ou uma "autodidata autodenominada" como você, claro!

abraço!

=Maíra= disse...

Viajar costuma ser uma boa: sair do ambiente de sempre e ficar naturalmente mais relaxada pode ajudar até mesmo a sair da paranoia de não querer/conseguir transar. Tive um namorado com problemas de disfunção erétil. Depois de várias conversas, programamos uma viagem. E o legal é que íamos falando sobre como desejávamos fazer sexo quando viajássemos, o que gostaríamos de fazer, etc. Desde então, o sexo no nosso namoro passou a funcionar melhor.

Vivien Morgato : disse...

Não sei, sempre olho torto pra quem pede conselhos por email porque lê o blog da pessoa. Lola, acho muito, muito estranho abrir sua intimidade assim, sempre acho que é fake...
Sei la´.

Liana disse...

se são melhores amigos em tudo mas sexo não... olha, desculpa contrariar muita gente, mas pra ser melhor amigo em tudo e não na parte sexual da coisa, tenha um amigo, é desnecessário namorado-marido-noivo. Ou estou errada? Pq pra mim, o lindo de um relacionamento é, além de a pessoa ser seu melhor amigo, ser tb alguém com quem vc faz sexo, alguém q te dá tesão, etc etc. Relacionamento sem sexo pra mim é o fim do mundo, pra isso tenho ótimos amigos.

desculpa quem discorda, mas eu acho sexo importantíssimo num relacionamento e isso de transar de vez em quando com a pessoa pra mim não existe. Não tenho 20 anos há bastante tempo, já tive relacionamento looongooo (só não falo q era casamento pq não teve assinatura de papéis, mas morávamos juntos) e pra mim é inimaginável passar mais de uma semana sem sexo morando na mesma casa q a pessoa por quem eu deveria ter desejo. E desculpa, mas corre-corre da vida adulta nossa de cada dia, de trabalho e outras obrigações, não é desculpa pra não fazer sexo. inclusive sexo relaxa e deixa mais feliz, dorme-se melhor, acorda-se melhor...

trabalho, estudo, malho, corro o dia inteiro pra cima e pra baixo, não sou uma garotinha... e acho absurdo as pessoas me falarem q têm preguiça de fazer sexo. Preguiça eu tenho de assistir tv globo. Preguiça de fazer sexo?!!???

Acho q se as pessoas gozassem mais o mundo seria mais feliz.

Anônimo disse...

assim, namoro a seis meses com uma pessoa...e eu amo muito esse garoto! + vamos ao que enteressa,talvez vc devesse apimentar a relação, inovar procurar coisas novas, sair de vez em quando tambem é bom novos lugares novos climas a dois fika otimo garota pode ter certeza que vai dar certo ta experimentar novos ares é otimo... fetiches com lingerie tambem é bom um strepe tease... rsrsr ele num vai querer largar de vc

@CriativoCharles disse...

Acredito que na maioria das vezes a falta de interesse acontesse pela tambem falta de cumplicidade, uma vez que ambos estejam envolvidos de igual maneira no relacionamento, o desejo volta a tona, outra grande frustração é planejar mal a logistica da relação, planejamento é tudo e muitas pessoas gostam quando a situação ja esta previamente planejada.

Anônimo disse...

Esse post é, realmente, muito interessante. Meu relacionamento é ainda recente...1 ano e 4 meses?? E eu e meu namorado já tivemos fases de transar todos os dias, toda hora, aquela coisa do começo que uma maravilha, mas com o tempo percebo uma certa diminuição, e às vezes fico meio sem jeito de dar a entender que quero fazer sexo quando ele parece não dar muita importância ou não dar sinal algum que quer (inclusive, eu gostaria de pedir a Lola que escrevesse algo sobre essa questão, de quando o homem ou a mulher deve dar a entender ao parceiro que quer fazer sexo, ou pedir, sei lá. Pq acho que essa atitude não deve partir apenas do homem, mas de cada um quando haver vontade e claro, saber respeitar também se o outro não estiver afim). Pois bem, voltando...é, acontece esse lance de preguiça e de cansaço também, mas não deve ser algo frequente ou que comprometa a relação. No caso da amiga do post, já é específico, psicológico?? Mas, nada que não possa ser resolvido com um pouquinho de esforço. Tenho certeza que com a prática sexual mais frequente seu relacionamento ficará ainda melhor. Vou dar umas dicas: eu costumo fazer provocações, chegar por tras de fininho e dar um beijo na nuca, ou fazer brincadeiras pegando nas partes intimas dele, é sempre divertido, sorrimos de nossas brincadeiras e aí.....vc já deve imaginar. Acho super importante esse contato do dia-a-dia, de fazer uma provocação, uma brincadeira, sempre com bom humor. Creio que faz uma grande diferença em um relacionamento.

Anônimo disse...

Tenho 52 anos e já passei por isso com meu marido. Ele simplesmente havia parado de me procurar na cama. Passei a fazer sexo oral nele todos os dias de manhã cedo. E não tenho frescura, vou até o fim e faço ele gozar. O homem fica doido. De noite ele esta que nem cachorrinho atrás de mim. Acabou-se o problema de falta de sexo.

Anônimo disse...

Olá estava vendo sua resposta....Estou casada a 15 anos e o problema é parecido antes meu marido tinha muito desejo é hoje não tem mais...quero engravidar mas como temos pouca relação sexual as chances diminuem. Tento pegar nas partes íntimas dele mas mesmo assim ele não se manifesta. Gostaria de umas dicas...hehe..hje temos relação em média de uma vez por semana ou até duas vezes por mês

Anônimo disse...

Bom tudo depende so tem que ter cuidado com os comentários alheios da perdição! Pois pessoas para por influências negativas na sua cabeça haverá um monte. Devemos sim antes de qualquer atitude, buscar conhecimento e a razão mais logica para o ocorrido. Eu tinha muitas dúvidas a respeito deste assunto mas ao ler este blog me confortei bem mais.....

Anônimo disse...

Dica!!!! Sempre comece devagar ..."seja um carinho ou uma provocação intima" e nunca termine simplesmente vire as costas e o deixe no vacuo.....vai por mim faça no máximo duas vezes ao dia esta atitude e vamos ver se no prazo máximo de duas semanas ele não vai reagir #semprefunciona

Anônimo disse...

Tenho 26 e minha esposa 22 fazemos 70 x por mes todos os dias de manha e a noite a nos finais de semana a tarde tb

Anônimo disse...

Estou sofrendo em vê minha relação se acabando, não transamos mais e até os beijos estão ficando raros. Sinto muita vontade de fazer amor ,mas ele nem liga pra isso. Ja tive várias conversas e nao muda nada. Ele me ama e eu também.
Nao sabemos o que fazer pra salvar nossa relação.

Anônimo disse...

Será que devo terminar essa relação que se transformou em amizade? Sem sexo ,sem beijo , sem carinho. Até o toque de mãos mudaram. Ele nao aceita o fim .

Vans Cris disse...

Quando chega neste estágio, é melhor terminar! Toda pessoa precisa de calor humano. Ele tbm pode ser gay, já pensou nisso?
Ninguém vive sem sexo! Sexo é vida. Até o nosso humor muda quando fazemos sexo, todo mundo fica mais feliz.
Eu me recuso a acreditar que existam mulheres vivendo nesta situação, de menos amor, aceitando migalhas da pessoa amada. Vcs não precisam viver nessa relação destrutiva.
Aconselho que vcs leiam o livro "Ele simplesmente não está a fim de vc".

Ana Ariana disse...

Passo pela mesma situação da garota do email: casada há seis anos e sexo somente 2x por mês (e olhe lá!). Não sinto mais vontade. Acho que por mim, passariam-se 6 meses sem que eu sentisse tesao, e de boa, pois eu curto mesmo é todo o resto do relacionamento: cinema, jantares, praia, caminhada, dormir juntinho, etc... O chato é que ele sente vontade todo dia. Eu cuido muito do meu corpo, sou malhada e ele tem muito tesao em mim. Sei que ele sofre com isso e chegamos à conclusão de que devemos nos separar, mesmo com muito amor, pois eu empaco a vida dele nesse sentido (ele tem 36, é jovem). Além disso, descobri que eu tenho o prazo de validade de 2 anos. Em todos os relacionamentos anteriores , não só neste atual, somente até o segundo ano eu tinha fogo saindo pelas ventas, depois disso começava a perder total o interesse, e ai eu passava a ouvir a mesma reclamação: falta de sexo. Imagine que estou com meu marido há praticamente 4 anos numa relação sexual morna. Acho que já insisti o bastante e pra mim é uma chatice tudo o que é forçado (dia marcado pra sexo, fitoterápicos pra libido, brinquedinhos e etc) porque no fundo temos que entender e aceitar a nossa natureza. Coragem e bola pra frente! Vou ficar pulando de galho em galho a cada dois anos pra ter sexo apaixonante de qualidade? Sim, vai ser o jeito. Muito provavelmente, imagino, não me apagarei tanto a mais ninguém depois deste casamento, ou, se me apegar, já vou logo avisar (e aceitar): eu expiro em 2 anos!

Anônimo disse...

Todas as vezes que perdi o desejo foi porque eu não queria mais estar com a pessoa, e pouco tempo depois o relacionamento acabava. Neste momento estou em um namoro onde minha namorada diz que ainda me quer, que sente tesão mas não transamos com frequência e quando transamos está uma bosta. Acho que não aguento mais um mês se as coisas continuarem assim.

Anônimo disse...

olha, tô numa situação bem parecida com a minha namorada/esposa. Com certeza se eu for conversar isso com os meus amigos, eles irão me dar o mesmo conselho: Arrume outra. Tipo assim, eu era bastante ativo sexualmente, porém era com uma e com outras (mil), posso afirmar que era um "viciado sexual". Dai a conheci, e tipo foi tudo maravilhoso, até que abri mão de todas que "eu tinha" para ficar apenas com ela, sendo que nem transavamos ainda. Com o passar do tempo as coisas passaram a acontecer... confesso que foi a melhor coisa que me aconteceu, pois pela primeira vez eu não apenas transei, mas sim, fiz amor. Porém, com o passar do tempo fui percebendo que o apetite sexual dela fica bem abaixo do meu, bem abaixo mesmo, numa proporção em que por mim transariamos todos os dias e por ela uma vez por semana ou até quinzenal. Então, de certa forma, tá muito complicado pra mim, pois, se tento conversar ela briga, ou simplesmente transa, mas percebo que é mais por que eu falei do que porque ela quer. Ai começa as partes chatas: 1° nas preliminares ela sempre falar que tá com sono. 2° olhar na cara dela e ver que ela queria tá dormindo e não está transando. 3° saber que ela tá fazendo porque, de certa, eu cobrei. Isso acaba me deixando pra baixo, fico meio que ofendido. então tento me controlar e me convencer de que eu que sou ativo de mais, mas, no fundo, sei que não é isso. Dai começa a vir na cabeça, aquilo que todo homem cria em sua mente em situações parecidas: "ela não me deseja mais", "será que tem ou gosta de outro", "ou não à satisfaço?". Dai fico na minha sabe. Então, nao quero seguir os possiveis conselhos do amigos e procurar outra. Porém, quero saber como agir, diminuir minha vontade ou, sei lá, aumentar a dela. Amo ela e a quero na minha vida, e não quero cometer a burrada de terminar sem saber o que, de fato, está acontecendo.

Flavio Renato disse...

Haaa,tenho esse problema tbm,namoro a 4 anos e transamos no máximo 2 vezes por semana,tem hora que eh estressante pq eu sinto muita vontade e ela dorme,seu la as vezes não sou bom suficiente,pq eh assim que me sinto e vejo que muitas vezes ela teansam SÓ pra me agradar....A gente se da muito bem em tudo,mas chega nessa parte to sexo vishi,complicado....

Anônimo disse...

Meu problema é o contrário o meu namorado me procura pouco, o relacionamento tem todas essas qualidades que ela citou damos certo em tudo. Sempre adorei sexo. Agora o boy vem me procurar se estou menstruada já não "mete" mais! Aff acho isso brochante! Nessas horas da saudades dos ex que não se importavam com isso e me alegrava nos dias de mais tesao que é quando estou menstruada. Minha vontade é procurar algum boy fora, mas estou resistindo. Porque quando transamos é muito bom!

Giovani disse...

Eu acho esse assunto bem interessante e deve ser discutido mesmo. Percebo o caso da leitora anonima. Gosto de sexo, gosto de novidades e de transar várias vezes quanto possível. pode ser que eu tenha que procurar tratamento nao sei. Estou noivo e minha noiva dorme comigo apenas de sabado para domingo ou feriados por causa de trabalho faculdade etc. Estamos passando por isso, por vezes a alguns meses ela tinha mais vontade que eu e agora eu tenho mais vontade que ela. Sugeri recentemente que nós experimentássemos coisas novas para apimentar a relação, fizemos isso no passado mas foi outra briga mas fizemos compramos uns oleos, cremes e brinquedos no sexy shopp. Agora ela diz que quero sair da rotina porque quero lembrar a epoca que eu nao tinha rotina e era solteiro. A realidade e que fazemos sexo todo o final de semana mas é sempre ou a noite ou de manha ou 1 so a noite ou uma so de manha é intenso mas não variamos, não trocamos tanto as posições e ela quando goza parece que desmaia não me ajuda a continuar, muito raro ajudar, mas enfim isso é oura briga porque acha que não tenho tesao com ela por eu não gozar junto. Eu tenho tesão, mas eh que como sei no que vai dar não consigo me concentrar. Acho que a leitora voltando ao caso dela deveria tentar apimentar mais a relação acredito que brincadeiras são muito legais e fazer algo inesperado nem q seja uma mordida sei la.

Izabela Pereira de Lima disse...

Boa noite, namoro um homem a 3 anos e assim como o caso de cima tudo e ótimo. O único problema é que no meu caso ele é que parece não querer. Nesse tempo so fizemos 3 vezes e já tentei de tudo que li e de conselhos.
Ele parece não sentir nada. Até nem um beijo caliente da. Parece frio. Conversei com ele e nada se resolve.
Sei que sexo não é tudo na relação mais e essencial.O que faço????

Izabela Pereira de Lima disse...

O problema de alguns homens e que fixam de frescura sobre programar as coisas. Dizem:programar e chato e nem eles tomam iniciativa. Afffffff

Anônimo disse...

Eu namoro tem 6 anos eu tenho 21 anos e ele tem 29 só que depois que os anos foram passando eu parei de amar ele ouve o desgaste vivemos em uma rotina falo com ele ,ele não aceita tudo dele é dizer que a situação financeira não tá boa e que não dá pra sair e tal não temos relação sexual a um bom tempo eu estou disposta a terminar mais so aue ele não aceita o término e tbm não faz nada pra mudar não sei mais oq fazer

Luciene Vaz disse...

Meu marido é mm coisa qdo a gnt faz é ótimo mas parece preguiça mexe bastante com o meu autoestima, já cheguei a chorar por causa disso, tentei conversar milhares de vezes mas ele smp me diz q não se passa nada, estamos a 9 anos juntos e morando junto a 1 ano e meio antes só no víamos nos finais de semana e era muiiiito sexo, tem dias q quero sair pra paquerar mm mas nunca cheguei a vias de fato, passei a me masturbar qdo ovulo que eu subo pelas paredes mm kkkkkk queria eu q ele tivesse a minha libido, mas fora isso tens dias q me entristece, qdo a gnt transa eu fico parecendo criança q ganhou doce.