quarta-feira, 14 de abril de 2010

A VEJA SÓ CULPA AS CHUVAS DE VEZ EM QUANDO

Adoro como a Veja é neutra e imparcial! Na capa de fevereiro, a manchete foi “Por que chove tanto”, e já vinha com resposta: “Uma rara combinação de fatores atmosféricos é a causa do dilúvio que há mais de 40 dias castiga o Sul e o Sudeste do Brasil”.Na capa de abril a coisa muda um pouquinho de figura: não precisamos nem de manchete, já que temos a foto do Cristo Redentor chorando. E o editorial: “Culpar as chuvas é demagogia. Os mortos do Rio de Janeiro que o Brasil chora foram vítimas da política criminosa de dar barracos em troca de votos”.
Quando SP estava debaixo d'água (e tem gente que diz que os bairros periféricos foram mais uma vez os mais afetados porque o governo paulista fechou as comportas para poupar as Marginais), a explicação era meramente meteorológica. Chove forte e o Sul e o Sudeste — nada de ênfase para o estado de São Paulo, que foi quem sofreu mais — é castigado. A culpa é de São Pedro. Culpados pelos dilúvios, em SP, só quando a prefeita era a Marta. Na capa, no cantinho à esquerda, o lembrete aos leitores: “São Paulo sob as chuvas mais fortes dos últimos 63 anos”. A causa do dilúvio não tem como ser a má administração pública, pois o estado é governado pelo mesmo partido há dezesseis anos. E a Veja gosta muito desse partido. Tanto que, quando houve a cratera do metrô (algo que seria tratado como escândalo se tivesse acontecido em outro lugar e fosse responsabilidade de outro partido), a capa da revista foi dedicada a nossos bichinhos de estimação, os cães (o título, "Uma história de amor", bem que podia ser referência ao caso amoroso entre um veículo de comunicação e um certo partido). E quando caiu parte do Rodoanel? Não lembro, mas algo me diz que deve ter sido sobre gatinhos ou sobre a última dieta da moda.
No Rio os governantes não são muito bem vistos pela Veja. Inclusive, um dos problemas do Serra (candidato que a revista obviamente apoia, mas não admite isso num editorial, como deveria fazer se quisesse ser minimamente transparente) é que ele terá dificuldade para arranjar palanque no Rio. Até agora, só surgiu o Gabeira (PV), que sairá candidato por uma ampla coligação que inclui PSDB e DEM (uma aliança que deve se repetir em âmbito nacional no segundo turno, quando Marina apoiar Serra). Logo, a revista não tem dúvida que os atuais governantes de lá adotam “políticas criminosas”. E repare no elitismo, no ódio de classe: os políticos cariocas dão “barracos em troca de votos”. Barracos! Coisa de pobre, argh!
E já que estamos falando nesse assunto desagradável que são os pobres, você deve ter visto a animação da Eliane Catanhade, da Folha, narrando a convenção do PSDB. Lá pelas tantas, na tentativa de fazer do PSDB algo que ele definitivamente não é — um partido do povo —, Eliane cita um assessor anônimo que disse que, desse jeito, a julgar pela convenção, o PSDB até parecia um partido da massa. “Mas de massas cheirosas”, reiterou o sujeito citado por Eliane. Porque as massas em geral não cheiram muito bem, sabe? Nem debaixo d'água.
Pra quem não estava vivo na época, uma das frases que imortalizou o nosso nada saudoso ditador Figueiredo foi quando ele afirmou que preferia o cheiro de cavalos ao cheiro do povo. Pra uma certa elite, as massas fedem.Pro Globo, outro monopólio da mídia que apoia Serra, quem fede é a Dilma, como o jornal fez questão de estampar numa foto.
No entanto, quando eu (e um monte de outras pessoas) digo que a nossa mídia não tem nada de imparcial, aparece uma multidão pra afirmar que não, imagina, parcial sou eu. Ué, lógico que sou parcial! A diferença é que não finjo ser neutra.
Sinceramente? Eu quero mais é que a Veja se afogue.

54 comentários:

marmota bobak disse...

A VEJA que se afogue, sem dúvida! Até alguém destreinado como eu quase teve um treco ao reparar na discrepância entre as abordagens em Sampa e no Rio. O que me entristece é esta seja a 'maior' revista do país, obrigatória em todo consultório de dentista, até no cabeleireiro...
Agora, cá entre nós, só ficou engraçado o governo de São Paulo fechando a 'compota', rs. Isto não é crime e eu também faço aqui em casa.
Beijo!

aiaiai disse...

lolinha,

eu já disse que te amo, né?

Mas digo de novo: te amo!

Samantha disse...

Ótimo post! Hahaha de chuva eu entendo...rs
Culpar São Pedro, em qualquer caso, é realmente uma tolice sem limites. Isso mostra muitras coisas:

1) As pessoas não entendem nada de ciências, infelizmente porque nosso ensino básico é uma porcaria, a religião acaba tendo mais credibilidade que a ciência, logo se chove tem que ter alguma explicação divina. É assim numa cultura extremanente supersticiosa, como a nossa.

2) Essa ignorancia acaba virando desculpinha pra político. Ou então dizem: Ah, foi coisa da natureza, foi uma FATALIDADE... hum, não é NADA ASSIM.

As mudanças climáticas estão ocorrendo, são motivo de bastante controvérsia científica e não se sabe os motivos, os pesos (o homem ou a própria Terra? Ou os dois?). Tem gente usando até aquecimento global para justificar tragédias.

O que o povo precisa saber é que a chuva sempre vai existir. Alguns anos mais, outros anos menos. Culpa do El Niño, do aquecimento anômalo de águas no Atlântico, da Oscilação Antártica, não importa.
Sempre vai chover no verão na região sudeste, sempre. É o nosso clima. É assim. Alguns anos mais que outros anos, mas é assim.

As desgraças não são culpa da chuva são culpa da falta de planejamento do espaço urbano. A elite acha que as pessoas constroem em morros e em beiras de córrego porque querem, e é um absurdo pensar assim. Os pobres não tem onde construir, os imóveis em São Paulo são caríssimos e é um parto conseguir um financiamento. Quem é pobre vai morar longe do trabalho e muitas vezes em áreas de risco. O mesmo acontece no Rio e em qualquer grande cidade. São erros acumulados em anos e anos e nenhuma providência.

Um outro fator é a falta de investimento no setor de previsão do tempo a curtíssimo prazo (nowcasting, em inglês). Mais radares precisariam ser instalados, um centro com poder de Defesa Civil para emitir alertas de chuvas intensas. Mais radares meteorológicos seriam essenciais para isso, numa rede integrada. Quando há tornados em algumas cidades dos EUA, emitem uma sirene na localidade. Só para dar um exemplo.

Um centro assim, com pessoal capacitado e ligado a uma rede de radares, ainda não existe. Existe alguma coisa em São Paulo, mas são poucos dados e não tem força de defesa civil, não há uma comunicação direta para evacuação.

E ainda tem a questão de que alguns cientistas da área de radar quiseram se enveredar pela política para benefício pessoal e nada fizeram para melhorar essa questão. Sei cada história escabrosa com relação a isso, mas por questões de ética preciso ficar quieta.

Com relação a Veja, eu nem leio porque me da dor de cabeça. Eles nem "disfarçam" a parcialidade, é impressionante. Fora que a revista é totalmente voltada para o público 'A', que em 99% dos casos é psdbista/dem ao extremo. Eu noto isso pelas matérias, quando falam sobre comportamento adolescente, sempre usam exemplos de escolas particulares, por exemplo.

Devaneios de Mulher disse...

Olá Lolinha.

Nem me fale jornalismo tendencioso.Esta aberta à caça as bruxas, do PT é claro. Amo ano eleitoral!

Beijo

Tati

Mei disse...

eu só olho as fotos.....

Laura disse...

O melhor do vídeo da Eliane são os olhinhos brilhando, a alegria de estar ali, o orgulho de pertencer à massa cheirosa. Praticamente uma alegria infantil, genuína. Bonita de se ver se não fosse numa matéria.

Só faltou a camiseta no PSDB. Aliás, nem precisava, né?

Não esperava outro tipo de comentário do PSDB e sua classemediawayoflife.

Drixz disse...

A Veja e a Isto É competem pelo mesmo público. O que eu mais detesto na mídia brasileira é que ela não se assume. Na França todo mundo sabe qual é a posição de Le Monde e qual é a do Le Figarro. Mas o mais engraçado é que quando o Sarkosi pisa na bola ambos os jornais metem o dedo na ferida. Aqui quem apoia simplesmente tenta apagar os defeitos de seus eleitos.

Carina disse...

É mesmo, só pelas fotos da pra perceber a discrepancia.

Masegui disse...

A veja é uma bosta!

Paula disse...

o maior problema do brasileiro é a memória curta.. sem +!
bjs

Roberta disse...

Lola,eu to com uma VEJA em casa.É que meu professor de geografia insiste para nos manter bem-informados.Ele tá certo,pq muita coisa no ENEM tbm depende disso.E como minha escola sempre compra VEJA religiosamente eu pego na biblioteca.
Pq eu não sei de outro lugar bom pra me informar,uma midia que não manipule informações,então leio VEJA e BBC leio na internet,pq preciso disso pra me dar bem no ENEM mesmo que seja uma informação mal dada.Eu não quero continuar assim,então vc podia,por favor,me dizer onde uma posso conseguir uma fonte de informação decente?Uma lista de midias que não sejam tão ruins quanto a VEJA?

PS:Amo seus textos,obrigada por escreve-los :D

Ines Ferreira disse...

Oi,
Descobri seu blog num comentário de um site amigo.
Acho superimportante que se abram bastante blogs que falam a verdade para contrabalançar com o PIG, tendencioso e anti-ético.
Muito bom seu blog, Parabéns!

Bruno Stern disse...

A Veja é realmente triste.

Perto dela, O Globo e FSP são até razoáveis.

Respondendo a Roberta, a melhor forma de se informar é consumindo informações de fontes diferentes e mídias diferentes. Revistas, jornais, blogs independentes, portais estrangeiros.

Com um pouco de tudo fica mais fácil filtrar o que vale a pena.

Mas não leia a Veja.

Anônimo disse...

VEJA - Veja que mentira!
Realmente, pena q seja a revista com maior índice de leitores! MANUPULADORA! FALSA!

Giovanni Gouveia disse...

Fico imaginando como seria a cobertura dos fatos históricos a seguir (com minha intervenção generalizando a matéria de capa dos membros do pig):

Êxodo do Egito:

Já vão tarde.
Fizemos um levantamento de como esses arruaceiros estão cuspindo no prato que comeram aqui no Egito.
Quem é Moisés?

Morte de Cristo:
Finalmente alguém pôs fim ao populismo desse subversivo.
Quem era Jesus, como era o plano de destruir o Império Romano e derrotar o poder de Herodes... Encontramos a ficha de filiação de Jesus ao PT

Queda do Império Romano:
Até quando o Império tolerará a baderna desses bárbaros petistas?

Revolução Francesa:
Matam o Rei e a Rainha, e ninguém faz nada?

Guerra de Secessão:
O que está por trás dessa sanha petista de acabar com a escravidão.


Abolição da escravatura no Brasil:
Princesa se rende ao populismo.
Confirmado, Princesa Isabel é militante do PT

Luís disse...

oi lola gostaria que você comentasse no seu blog sobre algo que estou vendo se firmar na sociedade jovem- adulta ultimamente...

estou meio revoltado com isso. Trata-se do surgimento do que chamo de um tipo de 'mini Patrulha da moral e bons costumes' entre esses jovens.

São grupos de amigos formados por casais de namorados, todos universitários, heteros, que curtem rock, enfim.. não é a maioria da população jovem. A questão é a seguinte, esse público costuma monitorar os seus relacionamentos de uma maneira misógina, e as mulheres também participam disso. Quando eles sabem de uma traição- no caso quando uma amiga deles, ou namorada de um amigo deles trai- todos se juntam bolam um e-mail fake, e mandam uma mensagem para o cara traído.

Até aí tudo bem... é amizade. Mas o mesmo nunca acontece se a menina for traída. Ninguém mandará um e-mail para a garota se ela for traída... nem mesmo suas amigas. Porque não precisa mandar e-mail o cara trai em público e todos sabem, e a menina geralmente faz vista grossa... todos fazem.


Fiquei chocado porque algo parecido ocorreu com pessoas próximas a mim, e pessoas que eu gosto fizeram isso, avisaram a um amigo deles que amenina que ia se casar tinha fama de puta e por isso mesmo ele não devia investir num casamento, pois se insistisse seria chifrado, mandaram o e-mail.

Hoje os dois são casados e tem um linda filha.

Poxa, ninguém se toca que isso é ridículo?

Victor disse...

Ótima postagem! a Veja é uma merda desde sempre e conforme as eleições forem se aproximando mais imparcial a revista vai ficar. Ainda vem muita sujeira por parte da Veja até outubro.

marinabernabe disse...

Lola, uma pergunta: pq vc acha que a Marina vai apoiar o Serra? O acha dela como candidata??

Só tenho boas impressões e elogios a ela.

Gostaria de saber a sua opinião a respeito.

beijos

Carolina disse...

Faço minhas as tuas palavras, Lola. Penas que somos uma parcela muito pequena da dita "massa fedida" que teve oportunidade de criar pensamento crítico suficiente pra ver as coisas dessa forma. Ainda quero ver um post com os números de educação no governo Serra. Sei que aqui no RS a coisa tá cada dia pior tanto no ensino público quanto no privado e nossa querida governadora tucana só sabe desviar dinheiro em benefício próprio. Apesar que depois do Dourado ter ganho o BBB ando até com vergonha de espalhar por aí minhas origens! hehe

Oliveira disse...

Lola:

É Veja que não presta; tudo bem.

Agora:

-Quem estava contra o plano real e agora se serve dele sem cerimônia? O governo Lula seria inviável sem o Real.

- Quem fica lambendo o presidente assassino do Irã.


-Quem da apoio aos Castros em Cuba, sendo que estes assassinam pessoas de esquerda contrários ao seu governo.

-Quem estava contra o Tancredo Neves?

-Quem fica de conchavo com
Sarney e o Collor?


-Quem apóia o estúpido militar/ditador presidente do Chile, sendo este o presidente, mais anti-democrático?



Eu acho que a Veja não presta porque está comprada, senão já tinha acabado com este governo bizarro.

Anônimo disse...

Concordo com dois terços do que o Victor disse: "conforme as eleições forem se aproximando mais imparcial a revista vai ficar. Ainda vem muita sujeira por parte da Veja até outubro"

Ainda bem que alguém aqui considera a Veja IMparcial (tá bom, ela tem alguns problemas, mas quem não tem?). E se há sujeiras a ser mostradas, que sejam, não é mesmo? Por exemplo, a Dilma ser assessorada pelo Dirceu, que todos sabemos muito bem o que fez nos últimos anos, é sujeira que deve mesmo ser denunciada!

Oliveira, admiro sua persistência! Marciane

Oliveira disse...

Marciane:

Porque a admiração?

O que eu escrevi não foi inventado.

Já aconteceu ou está acontecendo.

E eu não coloquei mais coisas pra não ficar longo demais.

wagner disse...

A Veja é imparcial, tendenciosa, distorce os fatos, é nojenta muitas vezes ? Claro que é, acho que ninguém tem dúvida disso. Quem lê a Veja lê sabendo o que vai encontrar. Se é alguém que compartilha as suas opiniões reacionárias vai ter orgasmos múltiplos, se é alguém que não concorda vai ler filtrando as matérias, ou lendo só as que não forem comprometedoras. É simples assim.


Agora, acho ótimo que possa existir a Veja, melhor com ela do que se ela fosse proibida de existir. Ela simplesmente tem opinião, contrária à do governo e a da esquerda em geral. E daí ? qual o crime disso ?. Esse e outros blogs também não são imparciais e tendenciosos ? É saudável que as tendências existam.


É óbvio que a Veja, e outros órgãos da imprensa, são contrários ao governo e carregam as tintas sempre que isso interessa e não vêem outras coisas que não interessam, como no exemplo óbvio das capas referentes à chuva (aliás a Veja sem dúvida é o pior exemplo).

Isso faz parte do jogo, agora esse papinho de PIG é muito bobo, eu acho.

Luna disse...

Eu tenho repúdio total à Veja desde que li uma matéria sobre um livro a respeito de Marat, um dos líderes da Revolução Francesa, e a Veja o chamou de marxista.

Aí desacreditei total.

Posso não ser uma historiadora, mas até eu consigo ver a diferença entre jacobinos e marxistas, a começar pelo contexto. Mas a Veja, cega pela noção esquerda é ruim, direita é bom, simplesmente taxou o cara de marxista, esquecendo todo o contexto em que ele vivia '-'

Aninha disse...

Lola, eu li meio apressada e talvez até desatenta, mas as manchetes nao falam sobre coisas relacionadas, porem diferentes? Pelo q eu entendi, e repito q posso estar errada, a primeira fala sobre a causa das chuvas, e a outra fala sobre a causa das mortes com as chuvas, q, ao meu ver, sao coisas diferentes, ainda q relacionadas...
Bjo

Laura disse...

wagner, eu sinto muito, mas nos ambientes que eu vivo (classemediawayoflife), as pessoas consideram a veja como imparcial. (Acho que o seu "imparcial" pra classificar a veja foi erro de digitação, né?)

Aliás, as pessoas acham que, na verdade, a parcialidade é que é um grande mito, uma grande conspiração.

Júlia disse...

cada post seu gosto mais de vc e do seu blog... sensacional!!

Dånut disse...

Oliveira: Me acorda no dia que o Itamaraty se envolver na política interna de outros países, sob qualquer governo que for, sim?

No mais, também admiro a tua persistência.

Patty Martins disse...

A Veja fede.

Mary Goes disse...

Lola: que bom ler este texto seu! Eu leio, ouço e vejo tanta bobagem mas quando eu penso que está tudo perdido, vc escreve um texto legal como esse.
Obrigada,
Mara

Júlia disse...

Lola vou deixar aqui um link para um artigo do Prof. Marcelo Badaró da UFF que trata das enchentes e dos posicionamentos políticos em relação a elas.
Aqui no Rio o que a gente ouvia das autoridades também era (e é) de revirar o estômago. Sérgio Cabral, Eduardo Paes, Jorge Roberto Silveira e Lula culpando os moradores de encostas foi o fim.
Entre essas figuras aí de cima e a Veja, eu nem sei para que lado olhar.

http://www.marcelofreixo.com.br/site/index.php?page=artigos&sectionid=6&catid=25

Oliveira disse...

Danut:

Seu cinismo e tergiversação não são boas ferramentas para argumentação.

O Lula está errando feio, como ser humano em relação as greves de fome em Cuba, como político em relação ao Irã e, principalmente, como pretenso líder da América Latina em relação a Venezuela. Eu sei que todo lulista/petista é cego aos desmandos dessa corja, mas você, um ser pensante, não precisa fechar os olhos.

Alberto Bilac disse...

Cara Lola e leitores do Blog,

Leiam mais um capítulo da série A Idade das Trevas, no blog http://terragoyazes.zip.net. No ar e na rede: Daniel Dantas como modelo de empreendedorismo e de como os oligarcas tucanos saquearam o Estado!

Oliveira disse...

Do blog do Tutty Vasquez:

"Lula voltou dos EUA falando para pequenos empresários que, para trabalhar por conta própria, o ser humano precisa encontrar o Ponto G da criatividade”.

Eu pergunto; como esse infeliz se acha no direito de dar conselho a qualquer empresário, grande ou pequeno, se ele mesmo nunca teve nem um carrinho de pipoca? Fora fato que sua metáfora do Ponto G é grosseira e inoportuna. Ninguém vê isso?

Mulheres Inteligentes Escolhas insensatas disse...

O que mais me irrita nisso tudo é que a veja, assim como a Globo, ainda consegue manipular mais gente do q todo mundo pensa. E sempre vem um pseudo intelectual ou um metido a super atualizado, pra dizer "saiu até na veja", com a propriedade de quem diz "ta na bíblia" (que cá entre nós é o mais forte instrumento utilizado pra manipulação de todos os tempos). Mas essa já outra discussão...
Beijo

Caio disse...

Existe alguma revista ou jornal que não seja de direita ?

Anônimo disse...

Oliveira, eu disse que admiro a sua persistência porque você continua dizendo o que pensa a despeito de tudo o que lhe dizem! A minha admiração é no sentido positivo.

E quanto às palavras "parcial" e "imparcial", parece que muitos aqui não sabem seus significados. Ser "imparcial" é não tomar lado, é ser neutro, é não puxar para um lado nem para outro. Ser parcial, claro, é o contrário: é ser tendencioso é puxar para um lado.

Lola, como você vê o fato de a Dilma estar de braços dados com o Collor nesta véspera de campanha política, já que você sempre o abominou? Será que ela não vai perder um monte de votos com isso? Marciane

piscardeolhos disse...

A Veja não tem nada de imparcial, verdade, todo mundo sabe disso.
Mas que foi um alívio alguém mencionar a indústria da troca barracos x voto, isso foi. Porque a imprensa nacional ainda é cheia de dedos para citar essa canalhice que é a venda de votos e que justifica parte desse circo administrativo que há décadas testemunhamos.

Masegui disse...

Não sei se eu já disse isto aqui, mas... Oliveira é um idiota!

Taiane disse...

Lola,

Já leu esse texto do Azenha, ex reporter da TV Globo?

http://www.viomundo.com.br/opiniao-do-blog/a-reprise-de-2006-agora-como-farsa.html

Quando li, me lembrei de vc e ao entrar aqui vejo que comenta a respeito da "imparcialidade" da Veja.

Beijos!

Anônimo disse...

http://www.avaaz.org/po/brasil_ficha_limpa/97.php?cl_tta_sign=dbffc72a534a9fe768de0f2190b9343b

Oliveira disse...

Nào havia entendido Marciane.

Obrigado!

wagner disse...

Laura,
Tem razão, o meu "imparcial" foi erro, quis dizer parcial, claro.

Concordo que há gente que considera a Veja o supra sumo do jornalismo, imparcial, isento, etc e tal. Mas, e daí ? tem gente que acredita em qualquer coisa.

O que quero dizer é que o fato de a Veja ser assim não tem maior significado. Se a imprensa fizesse a cabeça das pessoas como se fala, o Lula não teria 80% de aprovação, isso não parece óbvio?

Outra crítica boba é associar a Veja à classe média, como se a classe média fosse o fim do mundo. É também a classe média que lê Caros Amigos, Carta Capital e os blogs de esquerda, pela simples razão de que quem lê no Brasil é a classe média.

E se tem gente que pensa exatamente como a Veja, também é um direito, é legítimo ser contra o Lula. Criticar o Lula não significa necessariamente ser um idiota preconceituoso. Alguns são, claro, mas mesmo que sejam, os idiotas existem e têm o direito de existir.

Anônimo disse...

Oilvieira e Marciana Deve ser de outro planeta mesmo!), acho ótimo como vocês fogem do tópico do post, que é a diferença de tratamento dada ao mesmo tipo de "evento" no Rio e em Sampa e a clara motivação política para tanto, que NÃO É, DE FORMA ALGUMA, COLOCADA AS CLARAS. E, Wagner, também deverial ler o posto coma tenção, pois, quanto a ser parcial, acho que a Lola deixa claro que toda escrita é parcial, a questão da honestidade e/ou desonestidade intelectal não está aí. Está em FAZER DE CONTA que se é IMparcial, como se, de fato, pudesse existir tal bobagem. Talvez lá em Marte né? Ótimo mesmo é o cinismo da questão "e quem não tem problemas?". Ha ha aha. Justifica muita coisa. Agora, que tal vocês lerem as publicações internacionais, além da Veja e da Isto É, antes de falar da política externa?

Camila

Louise disse...

Lola, aqui no Rio nós já nos acostumamos com a cobertura sensacionalista que a mídia tucana faz com os problemas sociais do nosso estado, enquanto OMITE os de São Paulo. "Coincidentemente" no Rio ninguém é muito chegado ao PSDB, bem diferente do que ocorre em "Sampa", que é praticamente um feudo dos tucanos. Nos últimos anos, o Rio virou sinônimo de tudo o que não presta. Insinuam que só aqui há tráfico e violência, embora nas terras de José Serra o PCC continue reinando; insinuam que só os hospitais públicos do Rio são deficientes; só no Rio há favelas e só no Rio as autoridades são irresponsáveis. Fico me perguntando o que anda acontecendo por Minas e São Paulo... quem for se basear pela mídia, vai achar que estes dois Estados viraram a Suíça e que Aécio e Serra são o modelo máximo de competência política. Mas, pelo menos, isso tem um lado bom para o Rio: os cariocas e fluminenses conhecem os problemas sociais que os circundam, enquanto quem vive em terras tucanas está sendo iludido pela imprensa (os que acreditam nessa imprensa brasileira, claro).

Abçs!

Laura disse...

Wagner, associo a veja à classe média pq esse sim é o público dela. Nao tenho nenhuma pesquisa aqui na mão, mas já fiz trabalhos sobre perfis dessas revistas e era sim a classe média. Vamos só pensar quem tem dinheiro pra pagar a revista, né?

E observe tb que não foi só à classe média em geral que eu associei. Foi à classe média boba, a do classemediawayoflife.

Vc disse que não vê problema na veja. Eu vejo demais. Primeiro pq não é apenas uma questão de parcialidade, às vezes, é questão de mentira mesmo. E isso é leviano, contra o código de ética dos jornalistas, contra a lei etc.

Sem contar como os políticos se utilizam dela, né? No ano passado, o Arruda fez um contrato de milhões com a Veja. Ganhou, inclusive, uma capa em troca. Para onde foram os exemplares da Veja? Para as escolas.

Também não disse que as pessoas não têm direito a serem contra lula, pt etc. Mas já que vc entrou nessa discussão, vejo problema nos argumentos utilizados. Por exemplo, passei a fazer parte de um grupo de estudos para concurso. Semanalmente, mandam piadinhas desqualificando o Lula e o PT a partir de argumentos xulos e preconceituosos - como, por exemplo, o fato de ele ter um dedo a menos (!). É como se eu dissesse que não voto no José Serra pq ele é feio! Não to dizendo que todos os tucanos ou democratas são assim. Meu irmão é louco pelo PSDB e é a pessoa com a qual eu mais gosto de conversar sobre política.

Enfim, comentário só pra retirar os mal entendidos ;*

novavidanovelhomundo disse...

Enquanto a mídia for uma conseqüência de um trabalho humano, vai ser parcial, não importa o que digam. O que se precisa procurar é a menos parcial, e ainda assim ler com o 'desconfiômetro' em alerta.

Anônimo disse...

Gostaria de entender por que algumas pessoas são mal-educadas quando comentam algo... Por mais que se tenha opinião diferente, é sempre possível mostrar educação. A Camila, por exemplo, disse que parte do meu comentário teve muito "cinismo", quando eu disse que a Veja tem problemas - muitas publicações têm problemas. Num trecho do comentário, disse que o Wagner "deveria ler o post com atenção" porque "a Lola deixa claro que todo escrito é parcial". E daí que a Lola disse? É a opinião dela! Ou será que o que a Lola diz é lei? Tenha paciência, Camila! Não, não sou de Marte, não. Só porque penso diferente não significa que seja de outro planeta (você leu meu nome de forma errada e já foi fazendo crítica pensando que leu certo! Isso foi pobre de espírito.)! Ler publicações internacionais? Uau! Essa parte do seu comentário dá a impressão de que você faz isso... O que você nos ensinaria a ler de publicação internacional? Qual publicação está certa? Talvez você ache que o periódico "Granma" seja o que diz só verdades... E mesmo que leiamos, se a publicação internacional disser algo que está como na Veja, não presta (pra vocês); se disser diferente, aí que está certo! É isso? Aff... Marciane

Dånut disse...

Oliveira:
O que o Lula fala é, acima de tudo, o discurso do presidente brasileiro. O que ele pensa pessoalmente pode ser totalmente diferente, mas ele está no meio de um jogo político. O itamaraty nunca foi de se meter em política externa, a não ser em casos de golpes militares (como foi em honduras). (E eu sei que cuba também é ditadura, mas já é a muito tempo, to falando de golpes que acontecem agora)
Quando ele comparou os presos políticos com os presos de SP ele errou feio demais sim. Foi uma das piores coisas que eu vi ele dizer em 2 mandatos. Mas não dá para criticá-lo por não apoiar os presos. Nunca foi parte da política brasileira isso. Não é só com o Lula.

Na questão do Irã ele também só tá seguindo a linha política que sempre foi seguida, de dialogar, tentar a aproximação. O que eu quero dizer é que não dá para reclamar do Lula em algo que sempre foi a política do itamaraty.


Se a política externa do Lula é tão ruim, porque todo mundo fala bem dele?

Sobre seu outro post: A comparação foi grosseira? Eu discordo. Mas mesmo que fosse, e daí? Vai avaliar um governo por uma comparação?

@novavidavelhomundo:
Defina imparcial. Se disser que é "sem puxar para nenhum lado", então precisa definir onde que fica "nenhum lado". É na média das opiniões de todas as pessoas do mundo? É onde?
Imparcialidade não existe. Imparcial é o nome que damos a quem concorda conosco em tudo.

Maiara disse...

Concordo plenamente, a VEJA está tentando destruir a imagem de Lula e do PT, e sempre apontando os pontos positivos do Serra, está ficando chato de ler

Olga Elis disse...

É só passar um tempo sem acesso ao blog que já tem uma tuia de coisa boa pra ler.

Aqui em casa a Veja se foi há muito tempo. E já foi tarde, diga-se. Ficamos somente com a Carta Capital que por sinal é a única que faz uso de editorial por essas bandas [alguém me corrija se eu estiver errada].

Olga Elis disse...

Quanto a parcialidade X imparcialidade em pauta nos comentários.. eu não vejo problema algum em posicionamentos parciais. A questão é a tal da honestidade - e tem gente que nem sabe do que trata essa palavra. Fica difícil quando o único objetivo de uma mídia, do alto de sua parcialidade fantasiada de cordeiro, é manipular opiniões e degradar a verdade.

Anônimo disse...

Há anos, desde a eleição de Fernando Henrique que a Veja (o que nós queremos)é parcial- haja vista a capa desta semana. Eu não acho que ela deveria se manifestar sobre sua preferência partidária em editorial. Eu acho que ela deveria colocar o logotipo do PSDB em todas as suas capas.

elizabeth

Anônimo disse...

Ô Marciana,

Não é a Lola quem diz, qualquer pessoa com um mínimo de conhecimento acadêmico sobre mídia, discurso e linguagem, e que não seja cínica, chegou ao consenso de que não existe a tal da imparcialidade. Menos em parte. E, educação, formal ou mera polidez, a gente "gasta" com quem merece.

Camila