domingo, 14 de março de 2010

PERÍODO POLÍTICO EMOCIONANTE

Fico muito chateada por estar tão, mas tão ocupada que não tenho tempo pra ler (ou escrever) análises políticas. Estamos vivendo um momento emocionante. Ano eleitoral, por definição, já é emocionante, pelo menos pra pessoas politizadas que não acreditam que todo político é corrupto e que é tudo farinha do mesmo saco. Mas este final de mês promete. Primeiro porque no comecinho de abril deve ficar definido quem disputará com Dilma a presidência. Será mesmo o Serra? O PSDB teria outra opção? Aécio desistiu pra valer? Como se sabe, Serra vem negando enquanto pode que é candidato. E é até compreensível que faça isso: quanto antes assumir sua posição, mais cedo será alvo de seus opositores. Por outro lado, por Serra ser o nome mais conhecido do partido, sua relutância deixa no ar um cheiro de indefinição e, por que não?, de covardia. Nas últimas eleições, ele desistiu de ser candidato e deixou que Alckmin fosse derrotado por Lula quando percebeu que o atual presidente era franco favorito. Quem narra essa história não é alguém do PT, mas o próprio FHC. É ele quem afirma que a decisão de ficar de fora da disputa em 2006 coube a Serra, que amarelou na última hora. E aí fica a dúvida se ele agirá assim novamente.
Lógico, Dilma não é Lula. Aliás, ninguém é Lula. Lula é único, e já entrou pra História como o político brasileiro mais carismático e popular de todos os tempos. Mas Dilma é do mesmo partido que Lula e terá todo o apoio do seu maior cabo-eleitoral. Se isso garante a vitória da ex-guerrilheira? Talvez não, mas é uma vantagem e tanto. Compare com o apoio que Serra terá de FHC (e como, na eleição passada, ninguém ousou defender os dois mandatos tucanos). O PT vai querer comparar o governo Lula com o de FHC. A oposição critica esse “caráter plebiscitário” que a eleição terá. Mas não é bom que o eleitor analise ações, propostas, ideologias partidárias, ao invés de se fixar num só candidato? Como ninguém governa sozinho, votar numa pessoa, e não num partido ou num programa de governo, já denota uma certa ignorância política, a meu ver. E também, focar-se em ideias e atos, não em pessoas, pode ajudar a politizar a população. Afinal, no fundo não importa se Serra e Dilma são simpáticos ou bonitos. Presidência não é um concurso de simpatia. Ajuda uma barbaridade que o eleito seja um grande comunicador popular, como é o caso de Lula. Mas só isso não basta. O governo Lula vem sendo muitíssimo bem avaliado pela população não porque Lula é um cara legal, mas porque o povo tem a percepção de que a vida melhorou nos últimos anos. E lutar contra essa percepção é que será o principal desafio da oposição. Ainda mais sem apresentar qualquer proposta concreta.
Mas a oposição vai tentar de tudo pra reverter o quadro. No começo do mês o Instituto Millenium promoveu um seminário em SP com os principais órgãos da mídia. Pra participar do “debate” (desde quando pensamento único gera debate?) tinha que pagar 500 reais de inscrição. Os palestrantes eram aqueles velhos usual suspects, tão onipresentes nos jornais, revistas e telejornais: Demétrio Magnoli (que agora se pôs como defensor oficial de um racista como o senador Demóstenes Torres, do DEM), Reinaldo Azevedo, Arnaldo Jabor etc. E o que eles pregaram já faz parte do ideário da direita faz tempo (falta só chegar ao resto do povo): que o PT não é um partido democrático, e sim autoritário (claro: democrática é a nossa mídia, nas mãos de quatro famílias); que a democracia corre risco com a eleição de Dilma, e que, portanto, a oposição deve ser agressiva e insistir no ataque anti-Dilma e anti-PT. Sabe aquela imprensa neutra e imparcial? Pois é, essa mesma não vai dar trégua aos “inimigos da democracia” (gente como eu, pelo jeito). O que foi dito no Seminário tá totalmente documentado pela Carta Maior. Os noticiários da grande mídia deram destaque ao evento, mas não falaram com todas as letras que seu alvo era a Dilma. Ué, a mídia vai lutar contra quem? Contra o Chavéz? Isso eles já fazem, há uns dez anos, mas convenhamos: o que acontece na Venezuela (ou em Cuba, ou em Honduras) tem pouco efeito prático sobre o Brasil.
Tem quem diga que as eleições deste ano serão mais agressivas que as de 1989, quando Collor derrotou Lula no segundo turno por uma pequena margem, graças a três fatores midiáticos: o depoimento (pago) de Miriam Cordeiro, ex-mulher de Lula, dizendo que ele queria que ela abortasse; a edição do último debate da Rede Globo entre os dois candidatos, claramente favorecendo o caçador de mara(cu)jás; as imagens dos sequestradores (capturados) do dono do Pão de Açúcar, Abílio Diniz, posando com camisetas do PT (a polícia obrigou os criminosos – estrangeiros – a vestir a fantasia), na véspera do segundo turno. Aí fica a dúvida: o nível de baixeza agora em 2010 poderá superar o de 1989? Ô se pode.
Mas vai ser emocionante. E naquela época não existiam alternativas, como os blogs independentes, para combater as invenções da grande mídia. Em 89 o Jornal Nacional tinha 80% de Ibope. Hoje tem 30, e caindo. Folha, Estadão e Veja encolheram até não poder mais. Eles ainda tem muito poder, mas muito menos que no passado. Nas eleições de 2002 deixaram de ser formadores de opinião capazes de determinar o resultado de um pleito. E coçam a cabeça até hoje por causa disso, sem conseguirem entender o que aconteceu. Ao que tudo indica, em outubro terão mais um bom motivo pra coçar suas cabecinhas.

41 comentários:

Fabiana disse...

Muito bom, Lola. Hoje mesmo tava assistindo a um programa da Mirian Leitão, na Globo News, em que estavam dois analistas dizendo que as opções do Brasil estão completamente equivocadas em política externa e que o governo do Brasil deveria apoiar mais as investidas dos EUA contra o Irã e contra Cuba, que esse jogo político do Brasil irá atrair grandes problemas econômicos para nós. Pois é, se o governo tivesse feito o que esse povo quer estaríamos enrolados até o pescoço. O desespero é tanto que a análise econômica desses veículos parte para uma futorologia apocalíptica. Eu fico rindo, porque ninguém com bom senso dá bola pra esse tipo de análise.

Isabela Campoi disse...

Delícia de post, Lola...
Adoraria assistir a uma aula sua!
Beijosss

Rachel Lambrecht disse...

Oi Lola
Estou super ansiosa pra ver o que vai acontecer nessas eleições.

No último fim de semana estive em uma conferência em Nova Iorque, onde bati um papo com um professor da Brown University, que inclusive foi colega do FHC por lá, e olha a previsão dele: está achando que na hora H o Serra vai amarelar de novo e vão lançar o FHC como candidato novamente, que teria grandes chances de derrotar a Dilma.
O que você acha dessa possibilidade?
Confesso que fiquei tensa quando ele falou.
Um abraço, e boa sorte no começo das suas aulas.

Roberta disse...

Lola me explica um negocio por favor?
Perguntei pro meu professor de geografia(um avido leitor da VEJA e da FOLHA,tanto que leva esse jornais pra sala de aula)o que ele achava do Lula.Aí ele disse que o Lula criticava as coisas quando ele não era candidato,que hoje ele faz como presidente,falou do mensalão por exemplo,e diz que o Lula continuo o governo do FHC e que ele não inventou nada,e diz que o bolsa familia é um bolsa esmola...enfim,não entendo nada de politica.Pode me explicar se o que meu prof disse é verdade,pq eu não soube o que responder,e vou votar esse ano,pode me ajudar?

aiaiai disse...

lolinha,

confesso que li o post inteiro querendo já te "bater" por ter colocado uma foto dessa coisa chamada diogo mainardi. mas no final entendi que o uso da foto e me engasguei de tanto rir.
thanks

aiaiai disse...

Bom, mas sobre o post, também acho que está emocionante....embora a oposição não ajude. Os caras tavam tão acostumados a vencer sempre que agora bateu o desespero.

não é fácil lutar contra as organizações globo, o lula sabe disso, o pt tá careca de saber disso. Mas eles não tem programa de governo apresentável (ou seja não podem falar o que querem fazer, como privatizar a petrobras e o Banco do Brasil - que foi o que sobrou depois do FHC), não podem dizer que o governo lula foi horrível (já que todo mundo ...80% pelo menos, sabe que foi o contrário), e arrumaram um candidato que é de uma covardia sem precedentes. Então, mesmo que não concorde em cantar vitória antes da hora (porque para mim será uma grande vitória o PT ficar mais uns anos no poder), tá difícil de disfarçar o sorriso no rosto.

beijos

Isaac disse...

Lola,

Independente da posição partidária e de quem pode ou deve assumir, você não é a favor da alternância de poder? Acha que para o país é benéfico o mesmo partido comandar por dois, três e até quatro mandatos seguidos (grandes possibilidades de ser novamente o PT)?

São perguntas sinceras, sem entrelinhas... Pois fui a favor do governo atual, e tenho tido bastante conversas políticas em que esse assunto surge.

lola aronovich disse...

Rachel, bom, acho que tá tarde pro Serra não ser candidato. Deve ser ele mesmo. Mas, se não fosse, duvido que FHC fosse opção do PSDB. Seu governo tem índices de desaprovação muito altos. E tem a idade tb. FHC é de 1931, tá com 78 anos. É uma idade um pouco arriscada pra ser presidente (ainda mais pra um país que sofreu a experiência traumática de perder um presidente pra doença, caso de Tancredo). Mas o principal é a falta de popularidade de FHC mesmo. Não vejo como ele poderia derrotar uma candidata indicada pelo Lula. Tudo que os tucanos NÃO querem é comparar Lula e FHC...


Roberta, é difícil responder a uma opinião (qualquer uma, sobre qualquer assunto) sem embasamento. Recomendo que vc passe a ler blogs políticos de esquerda. Falo um pouco sobre isso neste post. Também já discuti algumas pérolas da direita brasileira aqui. Desculpe não poder te ajudar, mas não dá pra derrubar uma acusação recorrente com uma ou duas linhas. Vc precisa se informar. Politize-se! É muito bom, vc não vai se arrepender.

lola aronovich disse...

Aiaiai, eu não sou tão otimista quanto outras pessoas de esquerda, que acham que a Dilma ganha no primeiro turno. Creio que vai ser uma eleição difícil e disputada, em dois turnos. Mas que, no final, teremos a primeira mulher presidente da História. E claro que a mídia vai ficar batendo nela e no PT pelos quatro anos seguintes, como é de costume. Só espero que a nossa mídia seja um pouquinho menos golpista que a da Venezuela.


Isaac, sou a favor da alternância no poder. Não acho bom que um só partido fique décadas no governo. E nem que existam apenas dois partidos, como acontece nos EUA e ocorria em vários países da América Latina (caso do México, por exemplo, e do Uruguai, que se alternava entre Blancos e Colorados). Mas, por outro lado, tenho muito receio que um partido nanico ganhe as eleições, como aconteceu com o PRN, do Collor. Não que haja chance de isso ocorrer atualmente... E também não quero que o PSDB/DEM volte, porque o governo FHC não foi voltado aos interesses da população. Então é aquele negócio: teoricamente, sou a favor da alternância no poder. Na prática, no momento, gostaria que o PT continuasse. Até porque não houve grande alternância no poder brasileiro nos últimos quinhentos anos antes do PT, né?

Claudia disse...

Lola,
Eu acho que a Dilma nao tem a menor chance. Ela nao tem o carisma que o Lula tem e se esconder atras dele na campanha nao vai adiantar. Vou te dar um exemplo: aqui em BH na ultimas eleicoes para prefeito tanto o governador Aecio Neves quanto o ex-prefeito Fernando Pimentel apesar de partidos opostos, se uniram para eleger um candidato que ninguem conhecia. Resultado: ele quase perdeu a eleicao e soh ganhou no segundo turno porque contrataram uma outra empresa de marketing. Claro que uma eleicao presidencial eh muito maior do que isto, mas vai ser a mesma coisa com a Dilma, a campanha vai ser em cima do que o Lula fez, do que o Lula representa, mas nao do que ela realmente eh. E eu acho que a populacao nao vai engolir isto. E realmente, apesar de nao ter achado o governo Lula ruim, eu sou a favor da alternancia. Tem mais um ponto (que ai sim em fico ressentida): acho que os brasileiros ainda sao muito machistas para considerarem votar em uma mulher, seja ela a continuacao do governo Lula ou nao.

lola aronovich disse...

Mas Claudia, todas essas ressalvas que vc faz a Dilma - não tem carisma etc - valem pro Serra. Se ela concorresse com alguém super carismático e conhecido, como um Lula, por exemplo, aí sim não teria chance. Como é contra o Serra, que tá longe de ser dos políticos mais simpáticos ou comunicativos, ela consegue. Vai ter muito machismo sim, a gente sabe. Mas acho (espero) que o fato d'ela ser mulher não lhe tire muitos votos. Segundo as pesquisas, entre os eleitores homens ela tem mais votos que entre as eleitoras. Tem muita mulher que não vota em mulher! Mas dá pra mudar isso. E o fundamental é que ela representa a continuidade de um governo aprovado e popular. E a oposição não tem discurso, não tem proposta, já decidiu que não vai bater no Lula, só no PT e na Dilma. E diz que vai continuar com as coisas boas que o governo faz (isso todo mundo diz, claro), sem dizer quais são essas coisas boas. Fica contraditório. Quando as pessoas souberem que Serra é do PSDB, partido do FCH, e Dilma é do PT, partido do Lula, vira um plebiscito. E aí não tem nem comparação entre os governos. Não é fácil. A gente sabe que político desconhecido custa se eleger. Mas após alguns meses de uma campanha presidencial, não tem mais desconhecido. E lembre-se que o PT provavelmente terá um tempo de horário eleitoral muito maior que o PSDB. A disputa pelo apoio do PMDB é mais pelo tempo do horário eleitoral que qualquer outra coisa...

Olga Elis disse...

Lola, esse teu blog é um perigo grande. Ao menos pra mim que o descobri tardiamente. Esses links pra outros posts no meio do texto são umas armadilhazinhas das boas. Acabei de passar duas horas e meia te lendo sem ao menos perceber. Sempre que isso acontece fico com uma invejinha danada dos alunos da UFC. É muito lugar-comum se eu disser que tu escreve muito bem e é maravilhosa, e que admiro essa tua relação com a consciência e conscietização? Pois é o que eu acho.

Preste concurso aqui na Paraíba, vá. Eu voto!!!

aiaiai disse...

lola, pra variar matou a pau!

esse papo de alternância no poder é uma graça agora que é o PT que tá no poder, né?
nos 500 anos anteriores ninguém reclamou da falta de alternância no poder
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

e sim, sou a favor de alternancia no poder e gostaria de ter opção para votar em outro candidato. mas não tenho. a unica que tem uma plataforma um pouco mais estruturada é a marina, mas eu não voto em quem coloca a religião pessoal no meio das questões públicas.
no mais, acho que ela é ingenua, tem que ralar mais antes de ser presidente. entender o peso do cargo, como o lula entendeu.

dizer que a dilma é sombra do lula é uma puta sacanagem com a dilma...ela não é sombra do lula, muitas das ações do governo lula foram criadas e gerenciadas pela dilma. mesmo antes de ela ser cogitada para ser candidata.

basta ver em que cargo ela começou o governo: ministra de minas e energia - crucial, fundamental, determinante para o desenvolvimento do país e que tava quebrado pelos desmandos e "doações" disfarçadas de privatização do fhc.

A dilma vai surpreender muita gente.

Anônimo disse...

Lola, gostou do hospital 'para mulheres' que a Dilma inaugurou?
Que 'tem até cabeleireiro e manicure?

Que acham disso as feministas doentiamente defensoras do PT (mesmo que o candidato seja Darth Vader).

Adri.

Mariana. disse...

"tem muita mulher que não vota em mulher".

Desculpe, o fato de eu não votar na dilma não tem nada a ver com ela ter uma vagina.

Tem a ver com o fato de que o partido dela, que eu tanto defendi, me decepcionou. (com esquemas de corrupção, com contradições ao que tinha sido dito antes - e não tô falando do lula 89 - , com a vista grossa pro que estava claramente errado, enfim.)

Foi o melhor governo da história? Foi. Mas isso não significa que outros, que ainda não tiveram a sua chance, não possam fazer mais e melhor.

Eu voto, por enquanto, na Marina Silva (que, olhem!, é mulher). Porque não vota nela, Lola? Vagina por vagina...

Se esse - ser mulher - é um critério tão importante pra você escolher seu candidato, por que não a marina, que, pra mim, reflete muito mais o que voce parece pensar do que a Dilma (não só em política, em tudo)?

Não venham me dizer que não votam nela porque ela é crente, porque além de ser preconceito (eu sou atéia), é um baita golpe baixo, já que ela nunca usou sua crença como bandeira política.

OU voce não vota nela simplesmente porque ela não é do PT? Acho que deve ser isso. Está muito claro, pra quem le seu blog, que você vota do partido, e eu não tenho nada contra isso. O triste é sua convicção cega, de não admitir falhas, de amenizar erros, como se fossem coisa pequena, quando obviamente não são... Parece que não faz diferença que o PT apresente como candidato, você vai acabar encontrando uma justificativa que faça dele o melhor entre todos.

--

Ou, claro, você vai dizer que não quer que um partido 'pequeno' ganhe. Embora, talvez, o PV não seja tão nanico assim.

No entanto você votou no Lula, lá nos primórdios, quando o PT era pequeno, tanto quanto o partido collorido.

Mas não é isso que me incomoda. O pior é que parece que voce não vota em partidos pequenos porque os generaliza, dando a entender que são todos uns vendidos, que nem o PMDB (que é, pros nossos padrões, um partido grande).

Não acho isso certo. Não acho que partidos como o PSOL não tenham personalidade política, muito pelo contrário. Acho que eles tem mais do que os grandes, inclusive.

A verdade é que você não vota nos pequenos - que parecem hoje tão mais dignos do que o seu pt - só porque é conveniente para seu discurso, sem levar em conta o que é conveniente para o país, e até para o que você pensa (mas esqueceu lá no fundo da sua mente, porque o partido é mais importante).

--

Talvez voce não vote na marina também porque ela, assim como a heloísa helena, decidiram que sua fidelidade deveria ser aos seus eleitores, e ao seu discurso de anos, e não ao SEU partido querido. E uma prova de dignidade como essa deve deixar o pt envergonhado até hoje.

--

E ainda coloca o hugo chavez no meio da conversa e, pior! pra defendê-lo.

Giovanni Gouveia disse...

O texto começa perfeito, Lolinha, mas fica horrível, com essa foto do sacripanta... ;)

Anônimo disse...

Quem defende o Hugo Chávez e acha que o Lula está certo em apoiá-lo também, assim como apoiar o Ahmadinejad, os Castros não merece crédito. A gente lê pra ver se aproveita algo, mas é lixo. O bom é ler comentários como esse da Mariana, que não teve medo de discordar da Lola. Essa da inauguração do hospital com manicure e maquiadora foi um golpe baixo no feminismo, não foi? Ou porque foi a Dilma que inaugurou é coisa boa? Se fosse a oposição, seria a pior das asneiras. Mas como foi a Dilma, a Lola vai achar algo de positivo para elogiar a candidata-sombra.

O Lula disse há poucos dias que a Dilma é um desastre nos comícios que eles têm feito (comícios, sim, ou alguém vai dizer que o que fazem nas inaugurações não são comícios?). Isso vindo do fã número 1 da Dilma é de arrepiar.

E Lola, se o seu Lula é tão magnífico como você pinta, como você o defende no episódio de Cuba, quando ele afirmou que fazer greve (e morrer) de fome para mostrar discordância (ser dissidente) é tão estúpido porque assim teríamos de libertar os BANDIDOS das cadeias de São Paulo caso eles decidissem fazer greve de fome também. Patético, não é? Eu daría 1 real para quem me dissesse o que a Dilma pensa dessa opinião do Lula...

As últimas notícias dão conta de que o tesoureiro da campanha da Dilma está até o pescoço com grupos que desviavam dinheiro da fundos de pensão para caixa 2 do PT, inclusive para a eleição do Lula. Foi o próprio tesoureiro que declarou isso.

O Dirceu, personagem asqueroso na nossa política, está novamente entranhado na turma do PT (e no governo, claro!). Ele foi banido temporariamente por seu comportamento totalmente reprovável. E o PT o acolhe novamente. E para trabalhar pra Dilma. Já dá pra se ter uma ideia do nível da campanha da Dilma, assessorada por Dirceu, Pimentel...

Vamos torcer para a justiça ter força de colocar esses seres nos seus devidos lugares. (Veja bem, Lola, são fatos. Não se trata de opiniões!) Lucas

Dária disse...

Somente um comentário à um comentário:

"Está muito claro, pra quem le seu blog, que você vota do partido"

Engraçado o tom de crítica que vejo aí, enquanto para mim parece algo realmente lógico votar-se num partido, e não apenas em uma pessoa apenas.

A Lola falou no post que ninguem governa sozinho, e isso é um fato... Quando você votar em Marina - personalidade com a qual até simpatizo - votará também no PV, partido que no momento governa minha cidade, coligado com o DEM e tendo eleito uma jornalista que nunca realizou nenhuma função política além de ser dona da SBT local...

Ehh, voto no PT, voto no programa do PT, voto nas pessoas do PT e não vejo o que há de absurdamente errado nisso. Se olho quem é o candidato? Claro! A boa escolha do candidato que o representa também ajuda a formar a imagem que tenho do partido... e na escolha Dilma o PT não me decepcionou!

E que venham as eleições...

Masegui disse...

Clap, clap, clap, clap, pro seu post!

Se o FDP, digo, FHC e sua turma voltar a governar o Brasil, o povo tá lascado!

Sou obrigado a usar uma frase criada por eles: eu tenho medo, muito medo!

Iara disse...

Poxa, tem gente que não entendeu que votar num partido, aprovar um governo, não significa achar tudo bacana e não ter críticas. Qualquer pessoa que tenho mínimo senso crítico vai desaprovar comentários e ações daqueles que apóia. Eu acho que o Lula muitas vezes diz besteiras, claro. E tem muita coisa nesse governo que eu desaprovo, ô se tem. Aliás, acho que a maior perda do país em relação à ascensão do PT ao poder foi a perda de uma oposição séria e articulada - o PSOL tenta fazer isso, mas ainda é muito pequeno. A coisa virou um Fla X Flu de disputa de poder que não é benéfica para o país. Mas, ainda assim, ainda com a corrupção, com besteioras ditas, com equívocos, acho que é a Dilma que tem o melhor projeto para o país. O que, de jeito nenhum, significa O melhor. É o better, não o the best (desculpe, mas acho que em inglês fica mais claro).

Contra a Marina, tenho o fato dela estar aliada, ainda que com boas intenções, à interesses de estrangeiros que querem enriquecer vendendo créditos de carbono para presenvar a amazônia. Gente que só se interessa pela preservação se isso lhe trouxer retorno econômico. Procurem no google Ana Paula Junqueira (que se associou ao PV), Johan Eliasch (o sueco marido dela queandou comprando geral na Amazônia) e o processo da polícia Federal.

Mariana. disse...

Como eu disse, não tenho nada contra votar em partidos, disse apenas que isso, quando sai da boca de uns e outros, soa como 'perdão' a todos os atos falhos que esse partido já fez. É fanatismo.

Além do mais, no Brasil, não faz muito sentido (a não ser em relação ao PT há um tempo atrás, hoje não mais) votar em partido. Partidos aqui - a grande maioria - não tem identidade política, personalidade.

O ideal seria que todos votassem nos partidos SE desse para diferenciá-los, o que é totalmente impossível hoje em dia (pelo menos os 'grandes').

Cantinhos da Surpresa disse...

Lola, seu post é bom,
agora realmente não sei em quem votar, as pesquisas dizem Serra x Dilma, e segundo Iara essas informações não conhecia fica mais dificil... escolher alguém para o Brasil, e nós, claro!!!

Vai ser bem complicado a maioria dos candidatos, são escolhas que previlegia a elite, e não pensa no que a população precisa...
PT é um partido polêmico, Luta é também, e as ações deles, sei lá...
pessimo exemplo

O caso da Marina, não sabia estas informações até cogitei vota-lá,
agora não sei mais nada, nada , nada...

Enfim esperar para ver se muda esse panorama trágico e triste no Brasil,
ah nem cito Aécio não voto mesmo nele...

E esperar pra ver...

Mariana. disse...

Prefiro os estrangeiros ganhando dinheiro E preservando a floresta (ainda que esta não seja a intenção prioritária deles), aos madeireiros ganhando dinheiro E matando a floresta (ainda que esta não seja a intenção prioritária deles).

Enfim, o que importa a nacionalidade da pessoa em questão? O importante é preservar a floresta e, se não vemos brasileiros realmente interessados (e que tenham condições) em fazer isso, que sejam então os estrangeiros.

Colocar o nacionalismo a frente da prioridade principal, que é a preservação do meio ambiente - importante até para a manutenção da vida no planeta - é mais uma vez colocar a causa em posição mais importante que a vida, é mais uma vez colocar o partido - os discursos - acima das atitudes que de fato ocorrem.

Mariana. disse...

PS: e DAÍ que as pessoas só preservam a floresta porque isso seria economicamente vantajoso para elas?

O que importa é que talvez isso seja muito mais efetivo na preservação do que ir lá abraçar uma árvore.

Anônimo disse...

Vai entender essa Mariana...

Será que tentar impor que a sua opinião (de maneira agresssiva, diga-se de passagem) - de que Marina Silva é a melhor escolha pra presidente - não é uma forma, também, de fanatismo?

Sei lá, pra mim cheira a isso!

Iara disse...

Mariana,

O ponto aqui não é, de jeito nenhum, nacionalismo, mas sim soberania nacional, que são coisas diferentes. A questão da preservação é toda muito, muito delicada. Porque há recursos naturais na floresta e a exploração (feita com muita cautela e responsabilidade - que fique bem claro) pode trazer retornos importantes ao país. Então eu não quero que um recurso estratégico esteja nas mãos de quem tem um discurso bonitinho e muita ganância por trás. Se você acha que isso é o melhor para o seu país, respeito sua opinião. Mas, definitivamente, não a endosso.

Mariana. disse...

Alguém falou acima da aliança PV DEM.
São alianças regionais que muito provavelmente não serão repetidas em âmbito nacional, mas de qualquer modo, acho engraçado os petistas falarem isso como se o PT não fizesse alianças duvidosas.

Em 2002 desceu no fundo do poço se aliando com partidos que não tem um pingo de afinidade política com o PT original (original!).

Foi tão vergonhoso que tiveram que literalmente comprar o apoio, comprar opiniões (mensalão).

Mas de qualquer modo, a gente tem que ver que - pra se eleger e pra poder governar - aliados são necessários. Acho que até a Lola concorda com isso, mesmo ela dizendo num post antigo que adoraria que não houvesse oposição.

O fato é que não há problemas em fazer alianças, o problema é quando elas são significativamente nocivas no governo.

No caso citado nos comentários, a Dária faz parecer que apenas o fato de o PV ter se aliado com o DEM já é indiscutível que o governo seja péssimo. NO GERAL, claro que não é um partido louvável e tem também o fato de que eu não vivo na cidade dela pra saber... Mas acho horrível essa generalização toda: DEM é mal, PT é bom. Isso já foi discutido aqui várias vezes e existem pessoas boas em ambos os partidos, e em outros tantos mais.

Historicamente, claro que eu me inclino pro PT, pela trajetória toda, e até pelas opiniões. Mas hoje em dia essas opiniões - em todos os partidos - tem ficado de lado, são menos relevantes numa eleição, me parece (eu não gostaria q fosse assim, mas...). E o que diferenciava o PT dos demais - que era o passado limpo - não existe mais... Então, me sinto no direito de nivelar cada um dos candidatos do partidos grandes, que já tiveram a sua chance.

Só olho com outros olhos partidos representados por pessoas como Marina e Cristóvão, etc.

Mariana. disse...

Anônimo, não estou tentando impor nada pra ninguém, na boa.

Estou apenas dando a minha opinião, ou voce acha que pensar diferente de voce é agredir? ou ser fanático?

e, se quer saber, até o dia em que eu vi o programa da marina na tv, eu não tinha nem idéia de quem iria votar.
E pra falar a verdade, até o dia da eleição, posso mudar de idéia: não estou presa ideologicamente a nenhum partido, felizmente.

Mariana. disse...

Iara,

claro que eu me importo com a soberania nacional e, se vivessemos num mundo ideal, um compatriota nosso - ou um grupo nacional economicamente significante já teria tomado frente da situação e começado a explorar a floresta com consciência, mas as coisas não estão acontecendo assim.

Voce diz que iniciativas pequenas podem ser eficientes nisso, mas eu discordo. Tanto que, ano a ano, só vemos a floresta menor, mais limitada, mais reduzida.

Então a questão é colocar as coisas na balança: soberania nacional OU preservação da floresta (que implica em preservação da nossa propria vida)?

Eu fico com a segunda.

Iara disse...

Mariana,


"Voce diz que iniciativas pequenas podem ser eficientes nisso, mas eu discordo"

Oi? Eu reli meus comentário e eu não disse isso.

Pois é, entendo seu ponto de vista, mas ao contrário de você, eu fico com a soberania. Eu definitivamente não confio em bilionário supostamente bem-intencionado.

Mariana. disse...

realmente vc não disse, eu é que li rápido e entendi outra coisa. mas enfim, isso não prejudica meu argumento. =)

Anônimo disse...

Tô gostando de ver as discussões - saudáveis, sem viseiras e com argumentos. E me inclino a apoiar o que a Mariana diz (não consigo ver radicalismo nem "cut and dried rule" no que ela diz; está aberta a trocas de ideias e discussões de argumentos, sem se prender a um partido esquecendo-se dos pecados dele). Partidarismo (sem analisar/levar em conta a pessoa que o representa) é uma lástima. Lucas

Kenny Guilherme disse...

Eu ia dizer tanta coisa, mas a Mariana chegou antes. Assino embaixo TUDO o que ela disse. Essa história de votar em partidos (que hoje não possuem mais identidade, aliam-se de acordo com a conveniência do momento) cheira a fanatismo. Como ficou demonstrado que o PT não é a virgem Maria, acho que no quesito ética estão todos empatados. No quesito economia o governo Lula foi melhor, mas nunca é demais lembrar que boa parte desse triunfo deu-se à continuidade de políticas tucanas e à bonança mundial (tanto é verdade que com a crise de 2008 o PIB de 2009 já foi negativo).
A princípio eu votaria na Marina, mas esses dias uma amiga tava me contando que leu o estatuto do PV e ficou assustada com o conservadorismo. Segundo ela, eles (PV) escondem uma mentalidade retrógrada atrás da bandeira da ecologia. Ainda vou conferir essa história.
Não vou com a cara da Dilma pelo pouco que conheço (e não é pelo fato dela ter empunhado armas na juventude), muito menos com a do Serra. Sobra quem? O Ciro Gomes? Nem pensar!
É, tá difícil.

Fabio 18 disse...

Ô Lola, só quero te fazer uma pequena crítica: essa tua referência ao Demóstenes Torres provavelmente faz sentido (eu não acompanho o trabalho desse cara, até porque nunca votaria em alguém do DEM), mas a fala dele tem pelo menos uma verdade histórica:

A escravidão não foi, mesmo, uma invenção branca, jogada sobre a África. Em guerras intertribais, os vencedores já costumavam escravizaros perdedores em muitas partes do continente negro. E quando os brancos começaram a comprar escravos, as tribos que mantinham contato com os europeus é que iam para dentro do continente, em busca de escravos. Os brancos não iam lá caçar pessoalmente os negros em suas casas.

Quanto à parte da violência sexual, claro, concordo que o senador falou besteira. Mas nem sempre dá para creditar uma asneira como essa na conta do racismo, do machismo ou do que seja. O sujeito pode ser apenas ignorante, ou sei lá.

Eu já vi um vereador chamando gays de "pederasta" em discurso do dia da passeata gay aqui na cidade, em frases que não eram ofensivas - o ignorante apenas pensou que "pederasta" era uma palavra melhor do que "bicha" (não, acho que não lhe ocorreu usar "homossexual", e acho que o sujeito nem conseguiria, porque ele nem sabe pronunciar "unanimidade"). Às vezes, o que parece maldade é apenas burrice - do político e de quem vota nele.

Eu também não posso concordar totalmente com as tuas opiniões quando tu falas sobre o governo FHC, como se ele criasse um embaraço para os políticos do PSDB. Eu acho, inclusive, que se o Brasil tem solidez para passar bem pelas crises, e é um país cada vez melhor, tudo isso é o resultado do fato de que, depois de décadas de autoritarismo, experiências frustradas, planos econômicos catastróficos e projetos falhos, o Brasil começou a achar seu rumo, em algum lugar ali pela primeira metade do curto governo Itamar Franco.

Sim, isso mesmo: Itamar Franco. Lula não construiu o Brasil atual sozinho. Na verdade, nosso país começou a tomar prumo no governo Collor que, apesar de ter acabado do jeito que acabou, abriu nosso mercado às importações, obrigando nossa indústria nacional a modernizar-se. Uma vez com os "pés na realidade", começamos a caminhar em direção a outras conquistas, como o Plano Real, já na era Itamar.

Os anos de FHC, por incrível que pareça, foram o ponto inicial de diversas políticas sociais que Lula apenas deu continuidade. E teve a estabilização econômica, que foi importante. Lembrando que Lula e o PT foram contra o Plano Real - o que não faz deles vilões, mas demonstra que não é só a direita que faz previsões apocalípticas furadas.

O fato é que, por sorte, Lula não levou as eleições de 1994, e não pôde travar o Plano Real. E depois, por sorte, o PSDB não conseguiu ganhar as de 2002, o que de fato estancou o lado mais negativo da gestão FHC: a febre das privatizações desenfreadas.

Claro que todos os governos deram suas mancadas, calcularam algumas coisas muito mal, e toparam com pedras pelo caminho. Mas, a trancos e barrancos, desde 1992, o Brasil vem andando num rumo que permitiu que emergíssimos como uma potência neste novo século.

Eu não idolatro o Lula. Nem o FHC e menos ainda o Itamar. Mas também não coloco eles em lados diferentes, do tipo "esse é bom, aquele foi ruim". Porque na verdade todos eles são atores seguindo basicamente o mesmo roteiro, cada um com um verniz diferente por cima. E basicamente não é um roteiro ruim. Foi com esse roteiro que nos trouxe do Brasil da moratória, da inflação e dos planos "cortadores de zeros" até aqui onde estamos. E parece ser ele o único capaz de nos levar a voos ainda mais altos no futuro.

Anônimo disse...

"Os anos de FHC, por incrível que pareça, foram o ponto inicial de diversas políticas sociais que Lula apenas deu continuidade. E teve a estabilização econômica, que foi importante. Lembrando que Lula e o PT foram contra o Plano Real - o que não faz deles vilões, mas demonstra que não é só a direita que faz previsões apocalípticas furadas."

Como é bom ler um texto que, além de bem escrito (gramaticalmente), tem conteúdo inteligente, IMPARCIAL, olhando todos os lados dos conteúdos. Parbéns, Fábio. É por comentários como o seu que dá gosto vir aqui. Inteligência sem parcialidade! Muito obrigado por dar-me a oportunidade de ler algo tão bem escrito! Marciane

Anônimo disse...

"As investigações do Ministério Público sobre desvio de dinheiro da Cooperativa Habitacional dos Bancários de São Paulo (Bancoop), envolvendo o tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, atrasaram a busca por nomes para cuidar das finanças da campanha da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, à Presidência da República." (Manchete do iG Último Segundo online em 16/03/10) Lideranças petistas declaram estar com dificuldades para encontrar alguém "de mãos limpas" para a tarefa... Júlio.

Anônimo disse...

Lolita, vem pro debate!

adri

L. M. de Souza disse...

ouvi o mainardi dizendo que teme por um regime autoritário caso a dilma vença. pode um negócio desse? o pior é q há quem acredite nisso.

Anônimo disse...

Gente, parece que vocês não entendem a ironia fina do mainardi, o seu tom sutil.

É claro que eu discordo de muita coisa que ele diz - acho as vezes que discordo mesmo de tudo - mas não há como negar que a sua escrita supera em muito a de uns e outros articulistas da esquerda.

Mainardi gosta de polemizar. Se voces acham mesmo que ele acredita que a dilma vai instaurar uma ditadura, tenho pena do nível de interpretação de um texto que voces tem.

Lulli

Anônimo disse...

"No quesito economia o governo Lula foi melhor, mas nunca é demais lembrar que boa parte desse triunfo deu-se à continuidade de políticas tucanas e à bonança mundial (tanto é verdade que com a crise de 2008 o PIB de 2009 já foi negativo)."

Olá, vc tem acompanhado o que a crise provocou no resto do mundo? Acha mesmo que o Brasil sofreu o mesmo impacto? Houve desemprego em massa no Brasil? Pois é, não houve, muito pelo contrário. Esperar que além de tudo o PIB aumentasse nesse contexto mundial é realmente exigir que o governo faça mágica, e não política.
E esse papo de continuidade das políticas tucanas em relação à economia é um blábláblá sem muita substância: se há um fator que realmente sofreu uma globalização foi a economia. não espere de nenhum partido (ou indivíduo, como querem alguns) nenhuma grande proposta de mudança econômica.

Anônimo disse...

Hello, anônimo das 9h25, você fez uma citação de um trecho de um comentário mas acrescentou algo que não tem nada a ver com o trecho. Não quis reconhecer a verdade do trecho citado e ainda faz chover no molhado. Que pobreza de interpretação e discernimento! Marciane.