quarta-feira, 31 de março de 2010

CIRCUNCIDAR OU NÃO CIRCUNCIDAR, EIS A QUESTÃO

Nos comentários do guest post da Mari rolou uma discussão interessante sobre a postectomia. É a sua!, você deve estar gritando. Então, postectomia nada mais é que a circuncisão, a retirada do prepúcio. Um leitor, o Wagner, disse que considera a circuncisão algo tão violento quanto a mutilação genital feminina (a retirada do clitoris), e a Iseedeadpeople, que é médica, respondeu que não há relação nenhuma entre as duas mutilações, já que a remoção do prepúcio não afeta o prazer sexual do homem. Acho que não dá pra comparar mesmo. Mas vem crescendo a força de movimentos contra a circuncisão masculina, sabia? Muita gente vê esse método milenar como uma violência, um tipo de castração, e prefere deixar o menino “inteiro”. O problema em não tirar a pele do prepúcio é que pode juntar sujeira, por um único motivo: como somos puritanos, ninguém ensina a um garoto a forma correta de limpar o pênis.
Pra mim, a circuncisão masculina é uma dessas coisas tão naturais que eu demorei décadas pra descobrir que há inúmeras controvérsias a respeito. E nessas horas eu fico feliz por não ter filho, porque seria uma das ocasiões em que eu não saberia o que fazer: circuncidar ou não o menino? Por um lado, conheci poucos pênis não-circuncidados. Existe um certo preconceito contra eles; muitas mulheres dizem que eles têm uma aparência esquisita. E há esse problema da limpeza: se a circuncisão é uma cirurgia rápida realizada em bebês machos, por que não fazê-la para impedir algum problema que possa surgir? E apareceu até uma recomendação (polêmica e discutível) da ONU dizendo que a circuncisão pode ajudar a prevenir o vírus HIV. Por outro lado, tirar uma pelinha de um menino, sem perguntar a ele o que quer, só por causa de uma tradição, também não me parece certo. Além disso, até o século retrasado o pessoal sugeria a circuncisão (sem anestesia!) como uma forma de inibir (e punir) a masturbação entre meninos. E pô, é altamente estranho tratar o prepúcio como se fosse um defeito de nascença. E aí, o que você acha?

P.S.: Amanhã falo sobre a final do BBB 10, ok? Hoje não dá: tá tarde e tenho aula de manhã.

112 comentários:

Andrea disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

O fato de algumas famílias quererem que seus filhos sejam circuncidados tem a ver, geralmente, com tradições religiosas. Acredito que poucos o façam por motivos higiênicos, já que lavar aquela parte não é tão difícil... É o que penso. Ah, e o verbo é CIRCUNCIDAR (e não circuncisar; e o adjetivo é CIRCUNCIDADO e nao circuncisado). Marciane.

Andrea disse...

Oi Lola, acho que não teria coragem de mandar circuncisar um filho. Na minha opinião, toda cirurgia sem motivo de saúde é desnecessária. Imagina, fazer uma cirurgia em um bebêzinho!!! Mesmo com anestesia é crueldade! Sobre a questão de higiene, é hora dos pais acordarem e ensinarem os filhos a cuidar do seu corpo. Largar mão dessa vergonha de ensinar.
Abraço, Andrea
http://segredosdaborboletadomar.blogspot.com/

PS. E fico no aguardo do post sobre o BBB. Ontem assisti aquela coisa só pra me decepcionar com a escolha do Dourado. O que é que estão fazendo com a mentalidade dos brasileiros? Colocam aquele video tosqueira mostrando o bonequinho do BBB colorido dizendo que se respeita a diversidade. Daí o Dourado ganha? Como assim?

Claudia disse...

Coincidência você falar sobre isso, porque ontem à noite eu e meu marido estávamos falando sobre o assunto... eu estava questionando isso mesmo, mais por curiosidade, porque nunca vi um cara não circuncisado e tenho uma filha... então, também não tive que tomar nenhuma decisão sobre isso, ainda. Mas acho que é mais higiênico, né? Acredito que o prepúcio ficando, acumula impurezas e pode levar a uma infecção urinária com mais frequência (opinião totalmente leiga, ok?)

Ághata disse...

Cara, quanto ao Absurdo de comparar a circuncisão masculina com a feminina eu só vou dizer algumas coisas:
Nenhum cara fica traumatizado psicologicamente e fisicamente por perder o prepúcio!!
Fora a dor da cirurgia, ele não sente mais nenhuma dor!
Ele não corre o risco de morrer de hemorragia ou de infecções graves por causa desta cirurgia!!
Ele não perde o prazer sexual por conta disso!! Ou pior, ele não sente dor toda vez que faz sexo!

E Tem Mais! Quando fizeram pesquisas e trabalhos com estas meninas que sofrem a cicuncisão feminina, descobriram que elas apresentam os mesmos sintomas de traumas de meninas violentas sexualmente!!

Então, parem de falar sobre o que não sabem! Afe! Este negócio de comparar as duas circuncições só pode ser confusão por causa dos nomes ou machinhos fazendo choradeira por pouca coisa(tirar a porcaria dos cisos é muito mais dolorido e traz muito mais trantornos que a circuncição masculina)!
Me parece que a intenção de comprar procedimentos tão díspares é só pra tirar atenção do problema gravíssimo que é a circuncisão feminina! Pra pararem de reclamar!
Putz!

luci disse...

po, acho que nao da mesmo pra comparar a retirada do prepucio com a do clitoris. mas nao vou comentar sobre isso porque a agatha ja falou com mais... energia... o que eu penso sobre.

ao contrario de voce, o dificil pra mim era ver um pau circuncidado. ate que meu marido precisou fazer a cirurgia. nao sei se coloco entre aspas esse precisou. eu nem lembro direito porque, mas acho que tinhamos algum fungo chato e o medico acabou convencendo ele a fazer. foi e$perto. o fungo foi embora, mas duvido muito que tenha sido por isso. de qualquer forma, eh bom que as pessoas se informem. afinal, ele nao sentiu nenhuma grande mudanca no antes e depois. a diferença eh as veias somem, e a glande fica menos... lustrosa. ja tinha lido sobre isso antes da cirurgia e pude confirmar que eh verdade hahaha (agora tah todo mundo imaginando o pau do meu namorado, que beleza). sinceramente, acho que ficou mais estimulante assim, mas nao vale uma cirurgia pra isso! os homens na sua maioridade eh que deveriam decidir por isso. e ponto.

Simoneagua disse...

Que bom que tu vai falar sobre o BBB!!!!!!

bjo bjo

Conrado disse...

1. Circuncisão certamente facilita a higiene;

2. Certamente homens não-circuncisados podem ser tão limpinhos e saudáveis quanto os circuncisados;

3. Há uma diferença enorme (sic) entre manter prepúcio e ter fimose;

4. O prepúcio certamente possui sensibilidade erótica (eu sei, afirmo e poderia até provar, mas deixa pra lá) e a falta dele, bem, o meu vai continuar bem aqui;

5. Deveria ser expressamente fazer isso em bebês. É simples demais. Esperem o moleque crescer e decidir sozinho. Os pais e o moleque não vão perder nada por esperar alguns anos.

Mari Biddle disse...

Oi, Lola

eu sou casada com estadunidense e tive filho no BR quando moravamos ai. Meu marido obviamente eh circuncidado e tals e, quando o meu filho nasceu ele queria que o menino tambem passasse pela cirurgia. E ai comecou a guerra. Sogra americana se metendo no meio dizendo que TODO mundo no mundo faz circuncisao...e ai eu tive que explicar neh? So' nos EUA ela eh feita por motivos nao religiosos como parte da 'higiene'. Nem somos judeus, neh? E li que ateh os judeus estao mudando o ritual da circunsicao para outro 'simbollico e indolor'. O que ajudou muito a mudar a opiniao sobre o assunto aqui em casa foram as pesquisas com americanos que optaram por a nao circunsicao de seus filhos. A taxa aumentou e a pediatra de meu menino acabou por convencer meu marido de que a cirurgia nao necessaria e que natural seria o penis deslizar dentro da capinha. Tirando o prepucio, dizem certas teorias, perde-se muita sensibilidade.

Resumindo, eu tive que garatir para o marido que ensinaria o menino a lavar o penis assim como ensinaria o menino a escovar os dentes. Parece que esta responsabilidade ficou toda para mim.

Uma coisa engracada: meu marido morou muito anos no BR trabalhando e teve namoradas brasucas e tals. Dai que eu disse a ele que achei estranhisimo no principio ver que ele era circuncidado e que provavelmente outras mulheres tambem sentiram o mesmo. E ele queria saber porque eu nao parei e conversei com ele sobre isso. Nao dava, neh?

Natália disse...

Q coisa ridícula terem comparado a circunsição a retirada do clitóris! Seria comparável se tirassem o penis td fora.

Sou contra removerem só por qstões religiosas ou higiênicas. O homem médio costuma ter uma higiêne pessoal deplorável, q aprenda a tomar banho direito. Sou contra ficarem operando crianças se pode-se resolver a qstão com educação *básica*.

Agr, n é maravilhoso como está tendo movimento contra a circunsisão? Incrível como os homens se escandalizam com tão pouco e cobram logo seus direitos. E nós? Temos o clitóris estirpado e ainda ouvimos 'ai, mas é da cultura deles'. Saco cheio de mimimi de homem.

Nós fazemos trocentos tipos de intervenções cirúrgicas por estética, nos depilamos, temos nossas orelhas furadas desde pequenas, usamos sapatos ultra desconfortáveis q nos trazem problemas na coluna. Td isso por coação. E aí? Td mundo acha normal.

Masegui disse...

Lolinha,

Quando eu era garoto tive problemas com isso. Fui ao médico e ele disse que o meu caso era dos piores, a pele cobria todo o "dito cujo". Fiz a operação e nunca mais tive problemas, o "desencapado" sempre funcionou a contento (espero!).

O caso de meu primo foi diferente, o médico tirou apenas aquele "cabresto", mas quando ele se casou, tempos depois, teve que fazer nova operação, do tipo que foi feita em mim.

Resumindo: cada caso é um caso, porém, ser circuncidado é muito mais higiênico. Isso está mais do que provado.

Christina Frenzel disse...

Que doideira querer comparar a circuncisão à mutilações femininas, pelo amor de Deus.

Beijos

Conrado disse...

http://www.sexuallymutilatedchild.org/

Apenas para ciência.

aqueladeborah disse...

Lolinha querida,

Leio sempre seu blog, mas é difícil ter tempo de comentar por isto serei direta:

Acho que não é nada monstruoso fazer isto com a criança e só fazem esse barulho todo porque é pau.

Gostaria de recomendar um post que escrevi e acho que você pode gostar:

http://aqueladeborah.wordpress.com/2010/03/16/gorda-e-linda/

Túlio disse...

Certa vez li um artigo na internet afirmando que homens com pênis circundidado sentem menos prazer sexual, já que glande fica sempre exposta e em contato direto com a cueca, se tornando, assim, menos sensível.

Eu não teria coragem de circuncidar meu filho. Acho que não vale a pena visto o desconforto - e o perigo (mesmo que pequeno) - que a criança passa. Deixaria ele optar por operar ou não quando fosse mais velho e maduro o suficiente para decidir sobre a questão. Da mesma forma que não furaria a orelha da minha filha.

Mariana. disse...

Lola, quando li o texto fiquei como você: espantada que alguém pudesse comparar a circuncisão à mutilação do clitóris, e imagino que pelos mesmos motivos (o garoto não vai deixar de ter prazer sexual e nem vai sentir dor durante o sexo, a menina vai; fora a sensação de trauma, que eu, pelo menos, nunca reparei entre os homens circuncisados - ou circuncidados).

Mas lendo os comentários aqui, parece sim que a circuncisão afeta o 'nível' do prazer masculino. Imagino que só um cara que não era circuncidado até a idade adulta e depois resolveu fazer a cirurgia pode afirmar isso. De qualquer modo, acho que mesmo assim não dá pra comparar com a mutilação feminina, já que não há perda total do prazer, e nem aparecimento de dor.

O único pênis que eu conheço é o do meu namorado, e não é circuncidado. E me parece tudo muito limpinho (e não sei se há algo 'pouco limpo' e 'muito limpo': ou é limpo ou não é). Acho que se for só questão de higiene, o procedimento cirúrgico (muito traumático) pode ser evitado se os pais parassem com a vergonha de não ensinar os meninos a limpar o local corretamente.
Se for uma questão cultural, considero algo reprovável submeter alguém a qualquer procedimento cirúrgico, ainda mais numa idade em que não há maturidade para decidir.

Me surpreendi aqui: pensei que a maioria dos homens não fosse circuncidado, mas pelo visto é. Acho que a minha geração (a galera nascida entre 85 e 90), já não foi tão submetida ao procedimento como os caras mais velhos. Será que é isso mesmo?

---

O túlio falou que não faria a cirurgia no filho, assim como não furaria a orelha da filha. Eu nunca tinha pensado assim sobre colocar brincos em bebês meninas. Quer dizer, será que eu estaria impondo um padrão comportamental se furasse a orelha da minha filha e não furasse a do meu filho? Isso seria correto? Mas e aí: colocar roupas de menina e roupas de menino também não seria submeter meu filho a um padrão com o qual talvez eles não concordem ou não se adequem (por opção sexual, por exemplo)? Será que, agindo assim, os pais dificultam a aceitação que os filhos tem de si mesmos? Ou será que seria incorreto vestir meninos e meninas igualmente, dar os mesmos brinquedos, usar o mesmo vocabulário e deixar pra eles mesmos a tarefa de descobrir que são meninos ou meninas, deixando as supostas diferenças entre os sexos se manifestar naturalmente?

Eu viajei no assunto do post, mas queria saber a opinião de vocês. O comentário dele me encheu de questionamentos...

Anônimo disse...

Eu acho que a coisa deve ser vista pelo lado cultural. Se os judeus fazem a circuncisão por motivos religiosos, eu respeito. Se as mulheres islâmicas usam o véu na cebeça por motivos religiosos, eu respeito. Agora, se não existe esse aspecto cultural-religioso e a cirurgia é feita por higiene, como é nos EUA, penso que cada casal deve decidir. Outra coisa é ver a mutilação do cliotóris sob essa ótica...

Eu adoro a metamorfose do falo e conheci uns tantos e de todos os tipos. O natural, sem circuncisão, é mais divertido, entende? Mas esse lance de prazer está na cabeça das pessoas: fica difícil medir. Meu irmão mais velho fez depois dos 9 anos e o mais novo, depois dos 14, por conta da fimose. Concordo com alguém que disse aí: cirurgia, só se por necessidade!

Katia disse...

A circuncisão masculina só é rotina mesmo nos EUA (no mundo ocidental). Não acho nenhum disparate comparar a circuncisão masculina com a feminina, a meu ver, nos 2 casos, circuncisão é um eufemismo para mutilação. A circuncisão masculina diminui consideravelmente o prazer sexual do homem, as pesquisas que dizem que ajuda a diminuir o risco de infeccões e contaminacão por HIV são questionáveis, e sinceramente, mesmo que isso não fosse verdade, cortar uma parte de um bebê perfeito e saudável é um ato bárbaro e cruel. A diferença, o motivo porque a circuncisão masculina é socialmente aceita, é porque faz parte da sociedade ocidental, que é civilizada, entende? Se acontecesse somente em sociedades tribais e/ou muçulmanas seria uma prática tão condenada em nossa sociedade quanto a circuncisão feminina.

Debora Regina disse...

Olá Lola,
Estou escrevendo pela primeira vez apesar de acompanhar seu blog há um bom tempo. Sou mãe de três filhos, dois meninos e uma menina. Logo que o meu primeiro filho nasceu a pediatra já veio com a conversa de circuncisar, dizia que era mais higiênico etc. Resolvemos não fazer. Preferimos ensinar aos nossos filhos a cuidar direitinho de seus genitais. Mesmo a questão da fimose, acho relativo. Se formos observar, são raros os casos de fimose "verdadeira", daquelas que mal sai o xixi. Aqui em casa, eles próprios foram puxando o prepúcio, no tempo deles, e não apareceu nem sombra da tal "fimose" que a pediatra determinou que teriam. Quando eles crescerem e acharem que querem retirar o prepúcio, fica por conta deles. Assim como não furei a orelha da minha filha, ela decidirá no futuro.
Beijos,
Debora
PS: Meu marido não é circuncisado e é bem limpinho ; )

Mari Biddle disse...

Como eu afirmei no outro post, comparar a extirpacao do clitoris com a circunsicao masculina, colocando as duas coisas no mesmo patamar eh completamente sem sentido. Eh ignorar completamente como, quando, e porque as meninas tem seus clitoris extirpados. Aqui nos EUA os meninos sao circuncidados por preguica dos americanos em ensinar seus filhos a se lavar. Se a gente considerar a extirpacao clitoriana feito em meninas puberes na Republica Democratica do Gongo, por exemplo, nao faz o menor sentido a comparacao entre a atrocidade feita a estas meninas e a 'higienizacao' feita nos meninos.

Eu conheci muitos penis mas de brasileiros e eram todos nao-circuncidados. Por isso achei estranho, apesar de nao desconhecer o fato, quando passei a me relacionar com um estrangeiro circuncidado.

Quando eu estava pesquisando sobre o assunto vi que tem toda uma corrente que chama a circuncisao de mutilacao. Seria bom que todo o empenho em demonizar tal pratica em meninos fosse usado para acabar com o procedimento da extirpacao do clitoris.

Pediatras ensinam os pais a puxar a pelezinha do prepucio e lavar no banho. Mas muitas maes nao o fazem com medo de machucar o bebe. Eh preciso parar com esse medinho e limpar o filho corretamente.

Eu nunca tinha feito o link entre furar orelhas em meninas bebes e a circuncisao masculina.

Anônimo disse...

Uma mulher que tem o clitoris arrancado e tem os labios vaginais costurados para ficar apertadinha e dar mais prazer aos maridos sadicos NAO SENTE ORGASMOS! Entao, parem de comparar a circuncisao masculina com a feminina. Uma e' supostamente para deixar o menino limpo e a outra e' claramente para controlar o prazer feminino de tal forma que ele nao existe E, dar prazer imenso aos homens.

wagner disse...

Lola,
legal que você postou esse assunto, de forma equilibrada e inteligente, como sempre.

Além das mutilações discutidas, a lista de coisas bizarras que se faz em nome de religião ou tradição é grande (japonesas que usavam sapatos apertados para ficar com os pés pequenos, testemunhas de jeová que não aceitam transfusão de sangue, seguidores do daime que dão o chá alucinógeno para crianças, etc).

Defendo que, voluntariamente, cada um faça o que quiser com seu corpo, mas impor rituais a quem não tem escolha, principalmente crianças, acho que deve ser combatido, independente do grau de trauma ou dor que possam causar.

Isis disse...

Eu não faria um filho meu passar por uma cirurgia dessas, por mais simples que seja, sem necessidade. Nunca prestei muita atenção nessa questão da higiene. Talvez porque os meninos que eu conheço, como meu irmãozinho, foram ensinados com a maior naturalidade a limpar seu pênis direito e não posso imaginar que alguém tenha vergonha de ensinar algo tão básico (mas enfim, tem gente pra tudo nesse mundo). Assim como ensinam toda menina a se limpar tbm (sempre ouvi dizer que meninas são mais sujeitas a pegar infecções, fungos, etc por falta de higiene).

Mas tem tbm a questão religiosa, o que torna tudo mais complicado.

Esteticamente eu não acho mais bonito nem mais feio, mas tem muitas mulheres que acham horroroso. Seria o caso de um homem fazer a cirurgia por causa de uma parceira, por exemplo? Acho que não, assim como nenhuma mulher deve fazer cirurgia alguma por parceiro nenhum.
A Natália comentou sobre tudo que nós, mulheres, fazemos por coação e que ninguém liga. Não acho o caso de "fazem tanto comigo, e daí que fazem isso com eles?". Tudo que não tem necessidade, razão, não deve ser incentivado (seja o alvo homem, mulher, bicho...).

Giovanni Gouveia disse...

Alguns dados são interessantes sobre o assunto:
Israel é o país com menor índice de câncer peniano, seguido de perto pelos países muçulmanos.
Detalhe, a tradição Judaica realiza circuncisão com alguns dias de vida, enquanto a tradição do Corão o faz após alguns anos de vida.
Agora, comparar circuncisão com clitoridectomia só seria possível se, e somente se, a circuncisão envolvesse a retirada da glande, o que não é o caso.
Há quem diga que o prazer, embora não seja eliminado, a glande torna-se mais resistente ao atrito do coito, por estar mais exposta a atritos mais bruscos que uma vagina, portanto menos sensível do que a de quem não é circuncidado. Mas, como testar essa hipótese com precisão, se não há, sequer, o prazer idêntico de uma noite pra outra? (digo, cada transa é uma loucura diferente)

Isis disse...

Ah, e nada a ver MESMO comparar com a retirada do clitóris feminino. Vou nem comentar nada mais, sem necessidade.

Quando eu tiver meus filhos vou evitar fazer todo tipo de coisa com eles pequenininhos. Não vou tirar prepúcio, furar orelha, batizar, etc etc etc. Nada, nada. É questão de ESCOLHA. Tive uma conversa com amigos uma vez exatamente sobre batismo. Não tenho religião, não acho que faça nenhuma diferença, portanto por mim não batizaria meus filhos (muito menos só porque "todo mundo faz" ou "sempre foi assim"). Mas caso eles crescessem e se tornassem religiosos, nunca seria contra essa vontade deles.
Temos que lembrar que nossos filhos vão se tornar adultos um dia, um indivíduo único, e deixar certas escolhas livres.

Talita disse...

Oi Lola!!!

A mutilação genital feminina é de horror absurdo, e atinge não só o prazer sexual da mulher, mas também sua saúde e fertilidade.

Causa hemorragias, e muitas morrem por essa razão, até mesmo meninas pequenas (meu coração aperta só de imaginar... nenhuma mulher deveria ser submetida a este tipo de tortura, tortura que dura a vida inteira!!! Muito menos uma criança...).

Além disso, impossibilitam o parto natural, pois ao cicatrizar, os tecidos da vagina, naturalmente elásticos, tornam-se fibrosos, e não conseguem dar passagem ao bebê. Isso causa a morte de mães e bebês! Por isso concordo, é questão muito mais séria e urgente que a circuncisão masculina.

Não obstante, considero a circuncisão masculina um absurdo, uma crueldade e mutilação desnecessária. Apesar de ter menor impacto, muda alguma coisa sim!! Como disse a colega, aos poucos a sensibilidade.

Há pesquisas que demonstram mudança no vínculo de confiança com a mãe, retraimento, mudança no padrão de mamadas, alteração no nível de cortisol por estresse, especialmente quando realizada sem anestesia, como ocorre em rituais religiosos.
O bebê não tem um pensamento estruturado como o nosso, mas sente e sabe o que se passa com seu corpo sim!

Marilyn Milos, diretora do NOCIRC, grupo de proteção contra violência, afirma que a circuncisão é o primeiro encontro com a sexualidade marcado por violência. (Quem quiser bibliografia sobre isso, há uma tese de doutorado, da Dra. Eleanor Madruga Luzes, pela UFRJ, que trata do tema, entre outros. É possível baixar e ler na íntegra. O link é http://www.cienciadoiniciodavida.org e ela aborda a circuncisão na parte 8, “Os três primeiros anos de vida”)


Como alguém comentou, para que retirar uma parte do corpo perfeitamente saudável? Para agradar um padrão estético, que como sabemos ao estudar um pinguinho de história da arte, flutua imensamente?

Achar que o pênis ou a vagina são feios, tem aspecto estranho, aí já é uma construção social, e pelamordedeus, devemos nos trabalhar quanto à isso!

Em outras culturas, o pênis tinha apelidos lindos: "a espada de jade", "o bastão dourado"; a vagina era "o jardim perfumado" (esse eu adoro para a minha... o simbolismo do jardim em culturas orientais, como a árabe, era de algo muito precioso devido à falta de água. Era uma dádiva possuir um jardim, desfrutar da sombra, dos frutos, ouvir a água corrente, etc)

Eu acho o pênis do meu namorado a coisa mais linda do mundo... Como ele é, com seu prepuúcio, veias, glande, textura, cor, espessura, seja ereto, ou flácido.

É parte do meu amor!!!

É uma parte muito íntima, prenhe de significado para um homem.
É com ele que dividimos tanto prazer juntos... Não há como achar "feio" ou esquisito.

Para quem nunnnnnca viu um pênis, como tudo que é novo, leva um tempo para conhecer e aceitar o corpo do outro.

Que sociedade é essa que nos condena todos à imperfeição e à correção, mediante $$$$$$$$$$$$$$$$$$$? Pra quê gente?


Em "Admirável Mundo Novo", Aldous Huxley escreve: "a investigação das doenças avançou tanto que é cada vez mais difícil encontrar alguém que esteja completamente são" ...


Quanto à questão da higiene, é só ensinar a lavar!!!!

Agradeço imensamente à sogrinha! Ela ensinou direitinho... o pênis do meu bem é muito limpinho e cheiroso... com cheiro normal, de gente, e não de nhaca!!!

Temos que aprender a aceitar os odores corporais também. São normais, parte de nós... Só valem os cheiros artificiais?

Repito e friso: Cecê, como diz o povo, é uma coisa. Cheiro de limpeza, banho tomado, é outra!!!

Assim como bafo é diferente de cheiro de boca limpa e saudável, mesmo após sair o perfume da pasta de dentes, o odor é bom.

Ou me digam, devemos ser como na minha época de adolescente, em que só se beijava com halls?

Bom, desculpe por escrever tannnnnnnnnto! Mas precisava dizer o que penso.

Um abraço!

Conrado disse...

Não comparo circuncisão com mutilação feminina. Se eu conseguisse retorcer a lógica pra fazer isso, no final da comparação diria que a mutilação feminina é um quintilhão de vezes mais grave que a circuncisão de bebês.

Ainda bem que não sou contorcionista ao ponto de conseguir comparar...

Mas os "argumentos" da grande turma do "não tô nem aí", pras duas práticas, são sim comparáveis:

-Ah, são motivos culturais/religiosos, temos que respeitar, não quero me preocupar com isso, não é um assunto que me atinge, no Brasil não é um problema sério.

Ághata disse...

"Imagino que só um cara que não era circuncidado até a idade adulta e depois resolveu fazer a cirurgia pode afirmar isso."

Pois é, segundo os depoimentos de homens adultos que fizeram esta cirurgia e que já tinham experiência sexual anterior, não houve diferença quanto ao prazer.

"japonesas que usavam sapatos apertados para ficar com os pés pequenos"

...isso Era costume da tradição chinesa...

"Há quem diga que o prazer, embora não seja eliminado, a glande torna-se mais resistente ao atrito do coito, por estar mais exposta a atritos mais bruscos que uma vagina, portanto menos sensível do que a de quem não é circuncidado."

...não me leve a mal, mas pra mim isto faz tanto sentido quando dizer que uma pessoa que faz sexo com muita frequência tende a ficar mais "resistente" ao prazer...

Gaúcho disse...

Se eu tivesse sido circuncisado, nunca perdoaria minha família. Acho estranho essa história de "maioria dos homens serem circuncisados", porque na minha vida toda nunca vi família nenhuma, nem mãe nem pai nenhum, falar em circuncisão, nem de recomendação médica pra isso.

***

Também acho que furar orelha de menina é uma violação dos direitos da criança. Acho que é nesse momento que começa a morrer a soberania da mulher sobre o próprio corpo, ao ser perfurada só para atender uma vaidade ridícula de mães fúteis e desmioladas, já que uma criança não tem a mínima idéia do que é um brinco ou pra que serve.

Já vi falar muitas vezes sobre como muitas mulheres ajudam a manter e difundir o machismo, acho que esse é um dos maiores exemplos, olhem só essa página: http://br.answers.yahoo.com/question/index?qid=20061206223714AAK9jRC e vejam como a maioria das mulheres respondem favoráveis a isso. Pior ainda, não sei se ainda existe, já vi uma comunidade do Orkut chamada Adoro bebê de brinco ou algo do tipo. Coincidência ou não, a dona dessa comunidade tem seus motivos pra difundir essa prática, já que é uma enfermeira que provavelmente ganha dinheiro furando orelhas de bebês... Absurdo. E se a criança crescer e não gostar de usar brinco, vai ter que ficar com aqueles furos horríveis à mostra? Fazer cirurgia plástica pra consertar a orelha?

Não sei por que esse assunto me incomoda tanto. Acho que é porque quando eu tinha uns 6 anos lembro de um caso que aconteceu na farmácia que tinha perto da minha casa. Começou um choro muito alto, e gritos. Meu irmão foi ver o que era, voltou e disse que estavam furando a orelha de uma guria, mas não conseguiam porque ela já tinha uns 5 anos e se debatia, mexia a cabeça e o farmacêutico não conseguia furar mesmo com a mãe da guria segurando. Isso ficou marcado na minha memória não por pena, mas pela curiosidade mesmo de não entender por que faziam aquilo com ela. Hoje já passaram 20 anos e ainda não entendi.

E não, isso não chega nem perto de ser tão grave e desumano quanto a mutilação genital. Mas ainda é algo errado que acontece perto de nós e muita gente acha normal. O que acha, Lola, esse assunto não merece um post?

Eduardo Braga disse...

Eu fiz a cirurgia na adolescência! Tinha fimose e foi necessário! Gostei muito do resultado apesar que os primeiros dias do pós-operatório era insuportável a dor quando encostava no short! (fiquei uns dias sem conseguir usar cueca e andando com as pernas meio abertas). Mas a aparência do pênis circuncisado é muito melhor do que com o prepúcio! Meu "pinto" ficou mais bonito... Quando havia o prepúcio a minha glande não ficava toda pra fora e eu sentia um pouco de desconforto e dor na relação sexual! Caso tivesse um filho eu sugeriria a ele a cirurgia.

Luca Alemar disse...

A circuncisão com certeza ajuda a prevenir a propagação do virus HPV, o vírus do papiloma humano, que está diretamente relacionado ao câncer de colo do útero.

Mas a higiene do pênis é tão eficaz quanto, bastaria ensinar aos meninos a limpar o esmegma (aquela sujeira que se acumula sob o prepúcio) toda vez que tomassem banho e enxugar o pênis depois de urinar (fora de cogitação na nossa sociedade machistamente puritana, ou puritanamente machista, as you want).

E na minha opinião, se existe uma boa hora para se fazer a circuncisão, é logo após o nascimento. A cirurgia feita após o inicio da vida sexual do homem incomoda por muito tempo, até que a glande perca a sensibilidade.

Sobre a comparação com a mutilação do clitóris, não é tão absurda assim (disse "tão", não neguei ser absurda). Com a exposição constante da glande o pênis fica menos sensível. Não chega a diminuir o prazer sexual, mas certamente o tempo para se atingir o orgasmo aumenta, o que é um lado bom para quem é "apressado".

Leo. disse...

Pra mim a circunsisão só era necessária para meninos que tinham fimose, fora isso só por questões religiosas. Quanto a higiene, não tem nada a ver com ser ou não circuncidado e, ou nunca reparei direito, ou nunca vi um cara circuncidado.
Sou contra qualquer tipo de violação e mutilação numa criança se não for por questões médicas. Se não há necessidade, deixe tudo como está.

L. M. de Souza disse...

Não tenho nada contra. não sou judeu e fui circuncidado aos 3 meses, logo não lembro de dor nenhuma e pelo que minha mãe me disse foi recomendação médica. acho que o argumento da higiene é forte e importante e que independe de crença religiosa ou prazer sexual. é como o apendicê, são serve para nada, mas só damos bola para ele quando incomoda. só que o prepúcio pode acumular bactérias e logo, acho mais conveniente não ter do que ter que se preocupar em limpar um pedaço de pele que tá sobrando ali. talvez biologicamente ele tivesse alguma função (quando vivíamos pelados?).

Liana disse...

Só não concordo com pessoas q venham querer comparar uma circunsizão com a extirpação de um clitóris... Não dá pra comparar, muito menos com extirpação forçada de clitóris.

E assim... meu amore não é circunsizado e isso não influi em nada, nem pra ele e nem pra mim.

Fabio Salvador disse...

Lola e demais companheiros de blogadices: eu tenho uma visão muito pessoal sobre essa história de circuncisão porque a fiz, quando criança, por conta de problemas de saúde.

A primeira coisa a dizer é que não altera em nada a vida sexual do sujeito. E ainda por cima evita muitos problemas relacionados à higiene e tudo mais.

Eu sou favorável à circuncisão na infância, e já explico por quê com um exemplo prático: eu tenho um colega de trabalho que sofre de fimose. Então, ele tem problemas com sujeira, e uma namorada dele já largou ele de mão por causa do problema (parece que ele não fazia a higiene corretamente, e a menina percebeu, daí se enojou ou algo assim). O cara sabe que precisa operar, mas não tem coragem ("como assim, cortar e costurar a pele do PAU? AAAAH!"). Eu sou ainda mais covarde do que ele para encarar agulhas e médicos, de modo que se eu tivesse o mesmo problema, estaria provavelmente também protelando a solução.

Então, a coisa ficou assim: esse sujeito tem um problema, que causa desconfortos e perdas no campo sexual, e que já deve ter comprometido muitos anos do que poderia ser uma vida sexual ativa e normal. E ele não soluciona a coisa porque tem pavor de pensar em colocar o pênis diante da faca do médico.

Já eu, fui operado quando ainda não tinha essa noção toda sobre o pênis. Não fiquei com trauma algum, nem problemas de nenhuma ordem. Também não recebo reclamações da digníssima senhora minha bonequinha.

Daí vem aquela questão: eu acho que sempre é melhor resolver essas questões, relacionadas ao sexo, antes de o cara chegar à adolescência, quando os pudores tomam conta da mente do rapaz. A idade adulta também é cheia de pudores e de medo em relação a operar os órgãos sexuais. E se o sujeito vive sua adolescência enfrentando problemas com esses órgãos, ISSO SIM pode criar traumas, deixar o cara complexado, e tudo mais.

Ainda sobre essa lógica de que é uma operação desnecessária: é como a retirada do apêndice. Se fosse fácil retirar o apêndice, e não oferecesse riscos quando feita a operação em uma criança, o ideal seria todo mundo tirar quando nasce, para evitar que venha a incomodar no futuro. O prepúcio servia como proteção do membro em repouso, para que o homem das cavernas pudesse andar por aí sem sofrer, por exemplo, picadas de insetos diretamente na cabeça do pênis. Depois que inventaram as calças e, mais ainda, as cuecas, tornou-se apenas uma extravagância evolutiva inútil, pronta para dar problema.

AGORA, SOBRE OS JUDEUS - Os judeus fazem a circuncisão dos meninos por pura tradição, porque eles acham que Deus existe e pensam que este lhes ordenou este procedimento. Claro que, encarando de uma forma puramente focada no aspecto religioso e dogmático da coisa, a circuncisão torna-se algo parecido com o uso da burca pelas mulheres muçulmanas, ou o hábito de as mulheres chinesas de antigamente, de quebrarem os dedos dos pés.

Mas vale lembrar que, em um mundo que não tinha a noção atual de ciência, higiene e ordem social, a religião cumpria um papel fundamental na hora de passar valores e práticas desenvolvidas empiricamente. Assim, os judeus eram proibidos de comer carne de porco, basicamente porque o porco é um anima onívoro, que competiria com o homem pelos poucos recursos vegetais do Oriente Médio. Também a circuncisão, deve ter surgido como solução para vários problemas (infecções, fimose, etc.), e "pegou", virando depois uma das regras ditadas pela sabedoria dos antigos - e ganhando o viés religioso e tradicional que tem hoje.

Então, resumindo: sou A FAVOR de se fazer isso com meninos pequenos ou bebês, porque eles evitam a possibilidade de um problema que depois, maiores, poderão não ter coragem de solucionar. Ou terão, mas ficarão com a cabeça cheia de caraminholas (a cirurgia é feita com o sujeito acordado, vendo tudo). E não, o prepúcio não faz falta.

Katia disse...

Gente, dizer que não dá pra comparar circuncisão masculina com feminina porque a feminina é muito pior (claro que é, é muito mais traumática) é a mesma coisa que quando as pessoas dizem que a gente aqui no ocidente não tem motivo pra reclamar de machismo e misoginia, porque em outras sociedades a situacão das mulheres é muito pior, afinal, quando foi no Brasil que uma menina foi morta apedrejada pela família porque não era mais virgem? É claro que os problemas tem graus diferentes, mas no fundo é o mesmo problema: mutilacão de criancas inocentes. Nenhum procedimento cirúrgico deve ser feito em uma crianca sem necessidade, por motivo nenhum! Nem circuncisão, nem furar orelha, e muito menos tirar apêndice (que idéia mais absurda!!). Tá todo mundo esquecendo que TODA cirurgia envolve riscos, por mais simples e corriqueira que seja! Sem falar que submeter um bebê recém-nascido a uma dor horrível sem a menor necessidade é muita crueldade!

Katia disse...

Um site dos EUA, onde a circuncisão de meninos é muito comum, com muita informacão sobre a circuncisão. Ainda não chequei todas as referências, mas vale como um ponto de partida pra quer quer saber mais sobre a circuncisão de meninos.
http://www.mothersagainstcirc.org/

Ci. disse...

Tenho dois filhos (um adulto e outro adolescente)e nenhum foi circuncidado.Nenhum deles teve problemas com fimose, sugeira, infecção urinária etc. Na época em que eram bebês recebemos, eu e meu ex-marido,orientação do pediatra em como agir na higiene deles, além de exercícios feitos com cuidado no pênis durante o banho, na banheira, objetivando a soltura da pele da glande. Conforme forma crescendo os orientávamos na limpeza dos pênis. "Puxar a pelinha e limpar a orelha do pipi".
Simples, qdo crianças que tomavam banho sozinhos as perguntas eram comuns :_" Limpou atrás da orelha, bumbum, os pés, a orelha do pipi?" Senão a molecada fica só esfregando a barriga e brincando no banho, rs
Óbvio que a "orelha do pipi" foi uma tirada na hora para explicar a necessidade da limpeza de maneira lúdica. Eles aprenderam que pipi era o pênis, que mão é mão etc etc etc.
Contar essa experiência só tem o objetivo de dizer que a circincisão não é necessária, exceto se houver um problema de saúde.Discordávamos dela, por considerá-la uma violência ao corpo deles. Assim como não furaríamos as orelhas se tivéssemos uma menina. Aliás eu furei uma orelha minha qdo era adolescente e a outra junto com meu filho, qdo adolescente decidiu que queria fazê-lo. Fomos juntos à farmácia. Hoje ele tem alargadores, piercings, mas partiu de uma decisão dele sobre seu corpo. Penso que assim que deva ser!
Discordo da circuncisão de bebês e não a entendo no mesmo patamar de violência que a mutilação do clitóris (principal órgão de prazer feminino, há mulheres que apenas tem orgasmo clitoriano) e a costura dos lábios vaginais. Isso é de um abuso contra o corpo da mulher e de castração da sua sexualidade chocante e intolerável!!

Alberto Bilac disse...

Cara Lola,

Desculpe o off topic.
Saiu mais um capítulo da série A Idade das Trevas, em meu humilde blog (http://terragoyazes.zip.net). No ar e na rede: O Itamarati Tucano e a Diplomacia de Pés-Descalços!

Em tempo: sou circuncidado e acho que todo homem deveria ser... questão de higine...

Diêgo Cesar disse...

Aff, que assunto foi esse que vc arranjou...
Eu nunca tinha me questionado sobre esse tipo de coisa. Li um artigo nesse site http://seupenis.br.tripod.com/circuncisao/circuncisao.html
Comparei as imagens com o meu amigo (heheh) e acho que ele tá intacto -- será que eu devia perguntar pra minha mãe? Mas, minha opinião: nasceu com a tal pele/proteção, deixa ela lá. Se não faz mal, então... É só limpar o pinto direitinho rsrsrsr.

Masegui disse...

Não tive tempo de ler todos os comentários, mas alguns que li me obrigam a outros pitacos:

1) Comparar a circuncisão masculina com a mutilação feminina é um absurdo.

2) Eu tive experiências das duas formas, antes e depois da cirurgia e afirmo: não mudou em nada a questão do prazer. Aliás, após a cirurgia ficou muito melhor porque não havia dor.

3) Meus dois filhos são "encapados" e já conversei com eles a respeito e nenhum deles pensa em cirurgia "por enquanto". Mesmo assim, vez por outra, eu volto ao assunto, já que tenho quase certeza de que futuramente eles terão que ceder... questão de experiência.

Katia disse...

Pessoas adultas têm todo o direito de fazer o que bem entenderem com seus corpos, inclusive optar pela circuncisão. Circuncidar bebês sem nenhuma necessidade é sim uma violência.

Felipe Hautequestt disse...

Ufa, só agora acabei de ler todos os comentários! Tenho lá minhas dúvidas, mas estou seriamente inclinado a defender a circuncisão.

Duas pessoas contrárias à circuncisão utilizaram um argumento que me incomoda demais e que eu percebi de forma mais sutil em vários outros comentários:

"cortar uma parte de um bebê PERFEITO e saudável é um ato bárbaro e cruel"
"que sociedade é essa que nos condena todos à IMPERFEIÇÃO e à correção" [grifo meu]

Gente, pelo amor de deus! Que idéia louca é essa de vocês que nós somos perfeitos?! Eu me pergunto que perfeição é essa, que quer preservar um suposto estado de graça natural do corpo. Para mim, essa concepção, que demonstra aversão à tal intervenção cirúrgica, soa de forma extremamente moralista. Como se, operando o prepúcio dos bebês, nós estivéssemos cometendo um crime por tirá-los do estado original de pureza intocável que a Mãe Natureza provê.
Parece que, quanto mais nossa sociedade progride tecnologicamente, mais surgem pessoas clamando por um retorno a um suposto momento original do ser humano, com a imagem romântica (e até ingênua, eu acho) de uma plena comunhão do ser humano com a natureza (que, na verdade, nunca aconteceu).

Eu que estudo as particularidades da cognição de pessoas cegas vejo muito frequentemente essa clara dicotomia nas conversas cotidianas: nós, videntes, os perfeitos X eles, cegos, os imperfeitos. A meu ver, está na hora de mudarmos de mentalidade.

Até quando o post é pequeno, gera a maior discussão, Lola! hahaha
Beijos! :*

Katia disse...

Felipe, penso que você não entendeu o X da questão. Não é questão de preservar o "estado de graça", ou o "corpo humano é perfeito e é crime alterá-lo". Eu mesma tenho várias tatuagens, furos nas orelhas e pinto os cabelos, ou seja, altero meu corpo de várias formas, algumas delas permanentemente. A questão é: uma pessoa deve ter o direito de decidir sobre o corpo de outra pessoa? Minha opinião é que não, não deve! É claro que pais tomam decisões pelos filhos a todo momento: eu decido o que vestem, o que comem, que hora acordam ou vão dormir. Mas penso que qualquer alteracão permantente em seus corpos deve ser decisão deles, os corpos deles não me pertecem, e minha obrigação de mãe é preservá-los intactos até que tenham maturidade suficiente para decidirem alterá-los de alguma forma, com total conhecimento e bem informados das possíveis consequências de seus atos. É claro que há casos em que pais precisam tomar decisões pelos filhos, como quando há riscos para a saúde ou até à vida da criança. Mas no caso da circuncisão os supostos benefícios são questionáveis (mesmo supondo que dinimua o risco de infeccão por HIV, vc diria pro seu filho circuncidado que ele não precisa usar camisinha? Ou o risco de ele ser infectado, mesmo pequeno, não seria o suficiente para vc orientá-lo a usar camisinha SEMPRE?), ainda envolve todos os riscos de um procedimento cirúrgico (risco de infecção, por exemplo), e perda de sensibilidade (ou prepúcio não é cheio de terminações nervosas?). Ou seja, a circuncisão é um procedimento no mínimo desnecessário. Um adulto bem informado dos prós e dos contras tem todo o direito de optar por ela, mas ninguém tem o direito de decidir por um bebê saudável se ele precisa ou não de uma parte do seu corpo. Qualquer alteração no corpo de uma pessoa contra a sua vontade é uma violência.

brasil disse...

Credo, senti dor só de ver a figura ilustrando a circuncisão!!!

E sei lá, parece sem sentido pra mim, mesmo por motivo religioso.

Sem comparação com a mutilação do clitóris. Mas soa estúpido se o o motivo alegado for a higiene.

brasil disse...

Ah, e imagino que isso deva interferir sim no prazer sexual. Não deixa de ser uma proteção ali sobre os receptores sensitivos.

Não duvido que isso tenha sido pensado na origem desse costume.

Talita disse...

Felipe Hautequestt

Não entendi o pôrque do "moralista".
Então procedimentos cirúrgicos são apenas questão de valores individuais? Que eu saiba, devem partir de indicações médicas sérias. Lembrando que a medicina é um campo do conhecimento que se modificou... Havai indicações seriíssimas para eletrochoques e sangrias em outras épocas.

formei minha opinião baseada em pesquisas sobre bem-estar do bebê e consequencias da circuncisão. Você leu algo sobre isso? Creio que não. é complicado fazer afirmações irredutíveis sobre o que não se aprofundou.

Sei que não há neutralidade em nenhuma pesquisa; mas as pesquisas a que me refiro têm um viés de respeito ao corpo e ao ser humano sim... Ainda bem!! Eu escolhi sempre o respeito ao ser humano, em todas as fases da vida, pois é o que desejo para mim. Agora, se respeito é algo negociável, para você, é uma opção sua... Mas é complicado estender essa opção a quem ainda não pode articular defesa. Quem é adulto pode e deve arcar com as consequencias de suas decisões - desde que informadas.


Cego é quem não se detém a analisar os diversos aspectos de uma questão, e quem sabe, mudar de ideia se necessário... Em momento nenhum me coloquei como "vidente" ou "perfeita". Apenas me choca a dificuldade em pensar de uma forma fora do padrão.

Analise o que te incomoda quando alguém afirma que o corpo humano é perfeito... É algo relacionado à sua vivência, à sua autopercepção como "cheio de defeitos?"

Talita disse...

Katia, concordo com tudo o que vc disse. Eu só furei as orelhas aos 7 anos, porque EU quis e implorei a minha mãe que queria, achava bonito e tals...

Talita disse...

Maegui,

Fimose é diferente. Num pênis normal, o prepúcio consegue se retrair e expor toda a glande, até uma parte do começo do pênis. Dá para higienizar tudo direitinho :)

Talita disse...

Ops, Masegui.

Talita disse...

Conrado, queria saber ser concisa como você...

Fabio Salvador - o dezoito dos pampas disse...

Pelo que li adiante, acho que teve gente entendendo mal o meu comentário (tipo, comprar retirada do prepúcio com retirada do apêndice):

Eu não estou vendo a coisa pelo lado do direito do bebê a decidir. Estou vendo pelo lado prático.

A gente nasce com apêndice. Se um dia ele der problema, a gente vai lá e tira. Simples.

A gente nasce com prepúcio. Ele pode NUNCA dar problema, mas se der, teoricamente é simples: basta ir lá e tirar. Mas é JUSTAMENTE AÍ que vem o problema: quando o homem já cresceu, já é adulto ou adolescente, a retirada do prepúcio não é encarada da mesma forma simples que a retirada do apêndice. Porque lida com a sexualidade, e coisa e tal. Tem muitos caras por aí que têm vergonha de marcar hora com um urologista, ficam sem jeito, e talz.

Então, meu ponto é esse: a gente não tira o apêndice dos bebês, porque se um dia, quando grandes, eles precisarem tirar, eles vão procurar um médico e resolver o problema.

Mas, quando nós não tiramos o prepúcio do bebê, ele pode crescer, desenvolver um problema, e NÃO TER CORAGEM DE BUSCAR A SOLUÇÃO, como é o caso de um cara que eu conheço, e que citei no comentário anterior.

Só isso. Infelizmente, tem gente que ainda tem vergonha de lidar com esses assuntos.

Anônimo disse...

Adoro os textos da Lola, e estava ansiosa para ler o do BBB 10, mas nao to crendo que esse aqui gerou tanta polêmica. Nao nada a ver a feminina com a masculina. Em nenhum sentindo. Eh uma questao religiosa e higiência. Ponto. e pra quem disse ai que somem as veias...nada a ver, meu namorado fez a circuncisão e haja veia. kkkkkk

Leo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
rodrigo disse...

talita
acho que você não entendeu o que o felipe disse. em momento algum ele depreciou o corpo humano. ele se colocou contra, isso sim, posições de avaliação do corpo, classificações do que é saudável e do que não é, coisa que você acabou fazendo quando diz que o corpo é "perfeito". se a depreciação que você viu no comentário do felipe não se justifica, um elogio romantizado também não. assim como o que eu entendi do comentário dele, a circuncisão não é uma necessidade, mas antes disso, uma intervenção médica que pode ou não se fazer necessária. há também o aspecto cultural. no judaísmo há a circuncisão como rito simbólico do contrato do homem com javé. eu não me meteria no terreno da herança cultural do judaísmo porque, diferente da mutilação genital feminina, essa sim um ato cruel e desumano, não há nada que indique perda de qualquer espécie para o homem na circuncisão. e para os homens que procuram a circuncisão depois de adultos, bem, creio que eles saibam melhor que ninguém o que fazem com os pintos deles, certo? eu até agora não vi necessidade para eu fazê-lo, aprendi desde cedo a higiene adequada para o meu pinto e vou ensiná-la para o meu filho, se eu tiver um. pra terminar, achei muito curioso essa sua lista dos efeitos da circuncisão. como você deve saber, a vida é marcada de encontros e perdas e o amadurecimento do bebê vem justamente de encontros "violentos" com o mundo, onde ele aprende a diferença entre si mesmo e o outro, por exemplo. acredito ser extremamente arriscado apostar na circuncisão como um elemento destacado nesse fluxo confuso que são as experiências de vida para os bebês (e desculpe, mas não compro o que a elanor luzes diz)

Katia disse...

Leo, no Brasil a maioria dos homens NǍO é circuncidada. No mundo ocidental, apenas nos EUA a maioria dos homens é circuncidada, cerca 60%.

olhodopombo disse...

Eu prefiro homens circuncidados,
acho nojento homens com prepucios....

Anônimo disse...

Fico pensando que a maioria do povo, aqui, não conhce a mais antiga e mais saudável técnica para evitar esses probleminhas de fimose, falta de higiene e, fazendo a tal cincuncisão, diminuir o prazer: a masturbação! Não conhcem? Sabiam que a masturbação (ou punhetinha) é EXTREMAMENTE saudável e evita todas essas inconveniências e esse absurdo que é a circuncisão? Meninos que 'batem punheta' com regularidade, tipo 2 ou 3 por semana (tem alguns que, em algumas fases, essa quantidade é diária...), NUNCA terão fimose e, como o prepúcio 'sai' pela fricção, terão a higiene facilitada, além de, é claro, aumentarem o pênis em 2 ou 3 centimetros, pelo exercício, e terem MUITO mais prazer e não sofrerem de problemas como ejaculação precoce. Vive a masturbação!

Marjorie disse...

Já disseram tudo o que eu gostaria de dizer, sobre a comparação com a mutilação feminina não ter absolutamente nada a ver.

Então, vou pra um pitacozinho básico. Particularmente, prefiro os circuncidados. Acho que ficam esteticamente mais bonitos. Não que os não-circuncidados sejam feios, mas enfim. Conheci caras circuncidados e não-circuncidados e os primeiros afirmaram não sentir diferença nenhuma na sensibilidade.

Isto dito, a cirurgia "preventiva" não se justifica por conta da higiene. Basta ensinar o menino a se lavar, uai. Também não acho que desencapar o pau do menino só por questões estéticas seja uma justificativa muito boa. A justificativa que eu considero válida é: "não sei se o meu filho vai ter fimose ou não, então bóra tirar logo isso, pra ele não sentir dor caso venha a ter. Se eu tirar agora, ele não vai ter fimose de jeito nenhum". Ora, se a criança nem lembra de nada e não vai ter problemas com sensibilidade, não tem crueldade nenhuma aí.

Sinceramente? Acho que só estão fazendo essa histeria toda porque é pau. Furam as orelhas das meninas (por uma razão completamente fútil, que é demarcar que o bebê é menina) e ninguém fica discutindo se isso é crueldade ou não. Faz-se e pronto. Afinal, mulher taí pra sentir dor mesmo, né. Sentir dor com depilação, com salto alto, etc etc. Tá sempre tendo que engolir dorzinhas em prol da feminilidade. Menina pode sentir dor pra ficar bonitinha. Só porque são meninos, qualquer dorzinha, mesmo que para prevenir uma doença, já vira um estardalhaço.

Anônimo disse...

Olho de pombo, você anda escolhendo muito mal os homens pra quem você dá! Se você acha nojento os homens não circuncidados, você tem saído só com caras molambentos, hein! Que falta de opção! Cruz credo! Será que você não consegue caras limpinhos?

lola aronovich disse...

Anônimo, não liga não pro que a Fátima (Olho de Pombo) diz. Ela esqueceu de mencionar que idolatra TUDO que vem de Israel. Pra se ter uma ideia, no passado, quando Israel jogou dezenas de bombas na Faixa de Gaza, matando montes de crianças e mulheres palestinas, Fátima lamentou não ser parte da milícia israelense. É natural que ela só goste de homens circuncidados, já que este é um costume antigo entre os judeus.

Talita disse...

Oi Rodrigo

Interessante. Porque vc não gosta da linha da eleanor? Quero saber mais sobre o assunto.

O uso do "perfeito", foi empregado no sentido de funcional. Fica melhor? O corpo está funcional, e alguém "mete a colher", sem motivos curativos, que é o propósito da medicina, apenas culturais.

Quanto a herança cultural, tenho minhas dificuldades em aceitar... Herança cultural á justificou tanta coisa absurda.... Escravidão por exemplo.

Como você, acredito que há na vida uma série de perdas, e que lidar e elaborar com elas é importante. Mas acho que não deveríamos acrescentar "violência" a elas...
Mas geralmente, cada "perda", está relacionado a um ganho, uma aprendizagem, na verdade.

No parto perco o abrigo do útero, e salto para a vida, para o inicio da individualidade. No desmame, perco o leite, e ganho o contato com alimentação variada, e independência relativa da mãe, etc.... E na circuncisão? Qual o ganho, qual o aprendizado?

Talita disse...

Oi Rodrigo

Interessante. Porque vc não gosta da linha da eleanor? Quero saber mais sobre o assunto.

O uso do "perfeito", foi empregado no sentido de funcional. Fica melhor? O corpo está funcional, e alguém "mete a colher", sem motivos curativos, apenas culturais.

Quanto a herança cultural, tenho minhas dificuldades em aceitar... Herança cultural á justificou tanta coisa absurda.... Escravidão por exemplo.

Como você, acredito que há na vida uma série de perdas, e que lidar e elaborar com elas é importante. Mas acho que não deveríamos acrescentar "violência" a elas...
Mas geralmente, cada "perda", está relacionado a um ganho, uma aprendizagem, na verdade.

No parto perco o abrigo do útero, e salto para a vida, para o inicio da individualidade. No desmame, perco o leite, e ganho o contato com alimentação variada, e independência relativa da mãe, etc.... E na circuncisão? Qual o ganho, qual o aprendizado?

Katia disse...

Sinceramente, Marjorie, achei seu comentário desnecessário. O assunto virou debate não porque é pau, mas pq a prática da circuncisão é rotina em certas sociedades ocidentais e não é questionada no Brasil, apesar de (felizmente!) não ser rotina. Se a Lola tivesse escrito sobra a circuncisão feminina todos teriam concordado que é uma violência sem tamanho e que tradição nenhuma a justifica, não haveria debate. Se a Lola tivesse escrito sobre furar orelhas de meninas, talvez o assunto tivesse gerado discussão também, pq é uma tradição em muitos lugares, principalmente no Brasil, mas muita gente questiona. Eu mesma teria aparecido aqui pra dizer que é uma violência também, sou totalmente contra.
E isso de dizer que as mulheres enfrentam dor o tempo todo então bebês com pênis podem aguentar uma dorzinha também... Nada a ver, né? Se uma coisa é certa é certa, se é errada é errada, independente de se tratar de meninos ou meninas, homens ou mulheres. Queremos impor um pouco de dor aos homens também, já que sentimos tantas como mulheres, ou queremos acabar com todas essas dores desnecessárias pra quem quer que seja? Além do mais, uma mulher que escolhe fazer uma depilação (por mais que possamos questionar se essa escolha é realmente livre de pressões culturais ou não) sabe muito bem que vai doer e aceita sentir a dor em troca do resultado que vai obter, um bebê não tem escolha.
E se é pra circuncidar bebês do sexo masculino porque, quem sabe, talvez ele seja um dos poucos homens que tem a verdadeira fimose, então caímos novamente no argumento do apêndice. Vamos remover também os apêndices de bebês saudáveis pra evitar que tenham apendicite no futuro?

Anônimo disse...

O argumento de que "não é natural" é uma bobagem. Escovar os dentes, tomar banho, tomar antibióticos - nada disso é natural.
O que eu vejo de problema nessa tradição religiosa é a imposição de religião para crianças, algo difícil de defender como moral ou ético, embora seja bem comum.
A operação em si é inócua para as funções do órgão e as estatísticas demonstram redução de risco de doenças. Contudo, há o risco (mínimo) do procedimento cirúrgico. Há que se pesar esses fatores.

Anônimo disse...

Acho terrivel que cortem essa parte do penis assim. Ninguém mutila outros órgãos só porque pode ter sujeira - é só limpar. Eu hein.

Giovana disse...

Oie! Achei muito interessante o post... soh fiquei curiosa pra saber a maneira correta de se limpar um penis. =P

Pentacúspide disse...

A circuncisão, talegual alguns disseram, não tem nada a ver com a excisão. Eu fui circuncisado e não senti redução de prazer de forma alguma, o único problema que tive foi de não conseguir enfiar o pénis em determinados orifícios visto que o prepúcio foi para o lixo.
Eu fui circuncisado aos quinze anos, e até lá, eu sei, o meu pénis cheirava mal, criava uma espécie de "nata", como o chamávamos, mal se mexia nele. E, outra razão para circuncisão é o fato de muitos terem o prepúcio pouco elástico, ou seja, não consegue descobrir a glande nos momentos de excitação e causa uma dor do caralho, em todas as acepções do termo. De onde eu vim a prática de circuncisão era mais tradicional do que qualquer outra coisa, porém boa parte a pratica (como eu) por opção, porque tem benefícios. Não torçam o nariz porque pessoas se circuncisam, ninguém se torna monstro por essa razão. Já quando se fala de excisão, isso sim é crime.

Brazilian_bloke disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Brazilian_bloke disse...

Eu sou circuncidado e não tenho problemas quanto à sensibilidade. Fui circuncidado por motivos de saúde há menos anos. Na verdade, existe uma pequena perda de sensibilidade no quesito excesso de sensibilidade, mas no sexo ainda sinto bastante e é ótimo. O desconforto da glande tocando a roupa é enorme no começo, a ponto de você colocar papel em volta da glande para evitar o contato. Depois de um tempo você passa a sentir menos e menos... até que fica normal como se tivesse ainda o prepúcio. Porém, se sair sem cueca com calça jeans vai ficar tento ereção direto por conta do contato da glande. Da mesma forma, desde a cirurgia não consigo dormir pelado sem sentir o contato e ficar excitado. O pênis fica diferente, claro, mas não minha opinião só tive benefícios.
Quanto à aparência ele muda com toda certeza, mas você não tem mais odor ou um ambiente para a proliferação de bactérias que é natural por estar sempre abafado. Além, do mais, as parceiras que tive desde a cirurgia só elogiaram.

Sexo oral é bom demais da conta ainda, mas sinto menos isso tenho que admitir. Mas a diferença é pouca mesmo. Por outro lado o excesso de sensibilidade não existe mais e consigo controlar bem mais para gozar. Outra grande mudança foi quanto a masturbação. É bem diferente sem o prepúcio , mas não necessariamente pior. Só diferente. No mais, me excito da mesma forma, com a mesma intensidade e os orgasmos são tão bons quanto.

Espero honestamente não perder a sensibilidade com o tempo.... mas não posso fazer mais nada agora.

? disse...

então eu tenho 17 anos e gostaria de saber se eu deveria fazer a cirurgia pelo motivo da minha ultima relaçao sexual ter sido meio dolorosa pra mim pelo motivo do meu penis ter até machucado essa pequena "pele" digamos assim mais dai entra o receio da cirurgia né mais eu gostaria de saber se eu deveria fazer mesmo essa cirurgia e se ela é muito desconfortavel ? :/

Ribamar Bezerra disse...

Olá a todos
Descobri seu blog a pouco Lola e resolvi postar algo acerca da postagem sobre circuncisão.
Claro que não podemos comparar os dois procedimentos, a circuncisão na mulher é sim mais cruel e prejudicial, as vezes mortal.
Porém não deixa de ser uma agressão ao organismo que nasceu com um prepúcio não por acaso.
O procedimento é anti-ético, pois tira o direito de escolha, além da alteração fisiológica q causa.
Espero que isso um dia tenha fim. A sensibilidade é perdidia sim, em maior ou menor grau, o uso de cosméticos específicos pode ajudar. A mabilidade do orgão tmbém fic comprometida em maior ou menor grau pela quantidade de tecido removido. Ah, preciso dizer mais? Ah, a dor que o procedimento causa, a anestesia não é uma recurso que mtos sejam a favor e o procedimento é feito mtas vezes no cru. Ainda preciso justificar o fim desta prática? Mesmo em ambiente hospitalar deveria se tentar salvar o prepúcio ao invés de extirpá-lo. lamento que o procedimento seja tão arbitrariamente difundido. Higiene? Quem disse q genitais devem cheirar a flores? Não justifico a falta d higiene de jeito nenhum, água e sabão, sabonete, é mais q suficiente.

Álvaro disse...

Eu fiz a circuncisão por causa da dor que eu sentia quando mantinha relação sexual e vou falar mais fica muito mais facil a limpeza, e não perdi a sensibilidade do pênis. quanto a comparação da mutilação feminina com a circuncisão masculina é sem logica nenhuma, porque é no clitóris que a mulher sente prazer, eu fiquei impressionado com a materia de mutilação genital feminina e o pior que essa mutilação é feita por outras mulheres.

Ian disse...

Sou circuncidado graças a Deus! Meus pais simplesmente mandaram fazer a cirurgia quando eu era um bebê e agradeço muito a eles por isso! Discordo completamente que trata-se de uma mutilação, aliás, falar que circuncisão é mutilação é de uma ignorãncia...O pênis não é perfeito, pois um pênis não circucidado tem mais odores, aspecto estranho além de que com a circuncisão, a relação sexual é muito mais higiênica, o pênis torna-se mais bonito, etc..se eu tivesse 10 filhos homens, mandaria circuncidar todos eles, e se eu fosse mulher, não teria nenhum tipo de relação sexual com um homem que não fosse circuncidado.

Anônimo disse...

O lugar comum é o discurso de que postectomia implica em melhor higiene e não interfere no prazer; e que toda circuncisão feminina trata da remoção do clitóris. Ambos bullshit. Há mulheres que tem apenas parte dos pequenos lábios removida, assemelhando-se muito com a circuncisão masculina. Além disso, há meninos que perdem o pênis ou tem sérias sequelas em virtude da circuncisão em algumas regiões com condições sanitárias ruins mundo afora. Enfim, eu agradeço aos meus pais por terem me poupado. O prepúcio tem trocentas terminações nervosas que propriciam, SIM, mais prazer. Ao menos se considerarmos prazer o fato de que mais terminações implicam em mais estímulos. Sobre a higiene, novamente bullshit. Um homem postectomizado relaxado pode acumular toda a sorte de bactérias mesmo sem ter prepúcio, enquanto a simples retração do prepúcio viabiliza a higienização do local. E outra, a maioria das crianças tem dificuldade de expor a glande, mas com a adolescência a coisa se resolve ao natural com a maturidade sexual, masturbação, etc. Postectomia é mutilação, remover os pequenos lábios é mutilação, remover parte do prepúcio do clitóris idem e remover o clitóris nem se fala. Aliás, a desculpa da higienização serviria para os pequenos lábios, afinal, é uma região maleável, cheia de cantinhos e que poderia complicar a higiene. MUTILAÇÃO NÃO!

S. Sheimberg disse...

Bom, vou ser meio ríspida, mas sincera:

1. Cortar uma criança por preguiça de ensinar a lavar o pênis é um absurdo e nem vou comentar. É papel dos pais. Se não estiverem preparados ou não tiverem competência para criar um filho, não tenham. Simples.

2. Tenho um casal de filhos, e não permitiria jamais que alguém encostasse neles para machucar. É dever dos pais (pai e mãe) proteger o filho.

3. Circuncidar um menino é sim uma violência comparável a circuncidar uma menina. Meu marido não é circuncidado e posso GARANTIR que sente MUITO prazer com a estimulação do prepúcio.

4. Homens que passaram por isso na infância NÃO podem afirmar que não perderam sensibilidade. Se nunca puderam estimular, não sabem o que perderam.

5. Meu marido diz que JAMAIS deixaria que fizessem circuncisão nele porque perderia parte importante do prazer.

6. Dizem que o cheiro de um pênis não circuncidado é ruim. Para as mulheres que dizem isso, experimentem ficar um dia sem lavar a vagina para verem o cheiro que fica. Higiene se ENSINA. Se é por causa disso, que se eprmita a circuncisão feminina TAMBÉM.

7. Não acredito que há mães apoiando o sofrimento dos filhos. Isso é PERVERSÃO.

8. Feministas: Deixem de se achar inferiores. Meu marido me trata com TODO o RESPEITO e CARINHO possíveis a um homem. Vocês não falam NADA sobre condenar a circuncisão masculina porque têm ressentimento com homens.

9. Além de ser uma maldade, extrair uma parte da criança por capricho, já que ela não pode escolher, é COVARDIA. Deixe que o menino escolha quando se tornar um HOMEM e decidir se será bom ou ruim para ele.

10. Espero que não tenham se ofendido, mas não acho certo uma mãe fazer mal a um filho, mesmo que ache que está fazendo o bem. Vivemos numa época onde a informação é muito fácil de se encontrar. Não é uma simples pele, é uma parte da criança, DO SEU FILHO.

. disse...

Sou circuncidado, para as mulheres que não tem essa noção da higiene do penis,a diferença é grandessíssima, simplesmente não há mais nenhum tipo de problemas com isso a raradicalmente, a situação melhora radicalmente, e enquanto à redução do prazer sexual, na minha opinião,é um mito total portanto étotalmente recomendavel a cirurgia,orecado vai para as mamaes.

Anônimo disse...

Sou infeliz por ser circuncidado. Ponto. Quando eu tinha 5 anos, fui colocado numa mesa cirurgica contra a minha vontade, fui amarrado e deram uma injeção, tudo contra minha vontade. Quando acordei tive a maior decepção da minha vida: meu pênis estava sem prepúcio. Pimenta no olho dos outros é refresco. As pessoas se dão ao luxo de decidir o que é melhor para os outros, fazem afirmações que acreditam servir para todos, complicam as coisas, querem reinventar a roda. Por essas e outras sou contra qualquer intervenção cirúrgica. Se é para salvar a vida, ok, o resto é vaidade. Tudo é vaidade. As pessoas inventam 1001 argumentos para circuncidar, assim como furam a orelha de uma criança de 1 mês para pendurar brinco. Profanam os corpos. A minha vida teve um divisor de águas quando eu tinha 5 anos. Não quero dramatizar, nem me fazer de vítima, mas foi isso que aconteceu. Os pais deveriam parar de ouvir lorota de médico ou dos "pais experientes" e tratar de respeitar o que a natureza deu e pronto. A falta de água e sabonete causou a morte de milhares na Europa por conta da sujeira (peste negra) e ainda hoje temos os resquícios dessa época: pessoas que não se lavam direiro, lixo na rua, falta de esgoto, etc.

Bruno César disse...

Procedimento DESNECESSÁRIO.
Tenho pênis; sei do que falo.

Ávan Timber disse...

Sou circuncidado e infeliz. Os problemas começaram quando eu tinha 6 anos e fazia natação e todos olhavam com estranheza. Depois na adolescência vem a masturbação dolorosa, a ponto de esfolar e sangrar a cabeça do pênis e a mucosa que resseca, pois o prepúcio lubrifica e mantém a glande (cabeça do pênis)lubrificada e úmida. E depois vem a vergonha de uma menina ver e estranhar. È um trauma desnecessário. Ainda mais sabendo que eu só fui circuncidado porque meu irmão precisava e o açougueiro e mercenário do médico convenceu meus pais a "levarem os dois". Por incrível que pareça, mesmo tendo passado 30 anos, eu me lembro da cena de ser amarrado e da dor, tanto que cheguei na casa da minha avó berrando e dizendo que o médico cortou um pedaço do meu pipi com uma faquinha e perguntando o que eu tinha feito de errado. Garanto a vocês pois sou bissexual: pênis não circuncidado (natural) NÃO É SUJO! Por um acaso arrancamos os dentes para não ter mau hálito? Por tudo que há de mais sagrando mamães e papais: NÃO MUTILEM SEUS FILHOS. Primeiro aprendam a higienizá-los, tentem pomadas (importadas se não houver nacional), prepucioplastia (não há no Brasil, mas é um corte pequenino para abrir o prepúcio). No último dos últimos casos, tentem adiar a decisão até que seu filho tenha uns 11 ou 12 anos e possa decidir.

Anônimo disse...

Às vezes faz a cirurgia por causa de fimose ou algo do tipo, aí tem que fazer mesmo, porque dizem que dói e é desconfortável. Mas, vou dizer o que acho: muito mais higiênico um circuncidado! Melhor até no sexo oral! :)

marcelo r de almeida gatto disse...

diminui a sensibilidade e muito .

Anônimo disse...

eu fiz a cirurgia adulto, diminui a
sensibilidade e muito eu tinha fimóse não tinha outra escolha.

Anônimo disse...

Não façam isso.
Minha mãe autorizou esse procedimento em mim, sem a minha permissão claro, tinha um ano.
Motivos para não fazer tendo como exemplo eu.
Fere o direito de decisão do sujeito.
No meu caso (e acredito que na grande maioria deles) redução DRÁSTICA do prazer, pois o prepucio possui trocentas terminações nervosas.
Não é possível reverter a cirurgia (esperança nas células tronco).
Acho esteticamente feio, anormal. E agora?
Não me relaciono bem com a minha própria mãe, de fato a odeio, tenho vontade de matá-la, por não ter me protegido.
Danos psicológicos...
Quanto a higiene, já falaram e muito aí, água e sabão.
Quanto a dizer que retirar o prepúcio previne doenças, RS, próximo passo será arrancar os dentes das pessoas, pois assim, jamais terão cáries.
Se um cara sente prazer sendo circuncidado, com certeza sentiria ainda mais se não o fosse. Se você tem um orgasmo "nota 8" sendo circuncidado, tenha certeza que esse orgasmo seria nota 10 caso você fosse normal, se tem um orgasmo nota 4 seria 6 e assim por diante, com prepúcio sempre mais.
Depoimento de quem sofrerá pra sempre a maldição de ser circuncidado sem vontade própria.
Não sou mulher, mas se me sinto assim com algo que foi feito sem a minha permissão e que "apenas" reduz o prazer sexual, uma das coisas mais importantes na vida de um homem em estado "ativo", imagina para uma mulher ser mutilada dessa forma...
Claro, tenho noção de que o mundo tem infinitas possibilidades, tem gente que realmente prefere. Fato é, deixem que escolham. Não decidam por seus filhos. Se um adulto não quer seu prepúcio, basta ser circuncidado, mas se um adulto quer seu prepucio de volta, nada mais pode ser feito.
Faria o possível para ser normal de novo, mas não há nada que possa fazer... Quanto a minha mãe, apesar de todo ódio que sinto por ela, ela jura que não foi alertada desses malefícios. Ainda assim, o que mais pesa nessa hora é a falta de consciência dela. Mesmo que a circuncisão, de alguma forma, provesse vida eterna ao homem, ainda assim não deveria ser feita de forma imposta. Liberdade de escolha...

Carla Gunter disse...

rsrsrsrs... meu deus do céu, nós homens ouvimos tanto as mulheres reclamarem que os homens não conhecem e não entendem as mulheres e o que eu li na maioria dos comentários é que vcs mulheres tb não sabem muita coisa sobre os homens, primeiro ponto mais comentado.. HIGIENE...kkk pelo amor de deus, se vc acham q uma pelezinha causa problema de higiene imagina o orgão genital feminino que é totalmente interno... se a gente pensasse assim.. ECA né hahahha... todos homens seriam gays...kkkk isso é lenda, não causa problema algum de higiente.

pra vcs mulheres saberem, a cabeça do penis do homen é o nosso "ponto G" nosso "clitoris" masculino... e é comprovado que que penis circuncisado tem menos sensibilidade e isso diminui drasticamente o prazer do homem e pra algumas mulheres tb, ja ouvi varias reclamarem que até machuca um pouco a penetração com penis circuncisado, inclusive alguns amigos homens q fizeram a cirurgia depois de adulto se arrependem amargamente exatamente por diminuiu demais a sensibilidade na hora do sexo, sentem muito menos prazer.. mas lógico que muitas mulheres dizem preferir homens circuncisado e não podemos discutir as preferencias de cada 1 né.. por isso acima de qualquer coisa, desde que não seja algum problema de saude mesmo, eu sou a favor de não circuncisar e deixar para o homem decidir assim que ficar adulto.

agora esse papo de higiene beira o ridiculo hahahahhaa... existem homens e mulheres que não tem higiene adequada, todos homens ja reclamaram de cheiro desagradavel de mulher, todo homem ja passou por isso e nem por isso ficamos defendendo isso ou aquilo pq achamos que é mais ou menos higienico pra mulher..rsrsr

Anônimo disse...

Desculpe, mas a circuncisão é algo totalmente desnecessário. A única base disso é crença religiosa mesmo. O prepúcio protege a cabeça do pênis (glande), que é sensível, de modo que há sim um prejuízo com a circuncisão. E manter a higiene basta arregaçar e lavar, não tem dificuldade alguma nisso, não acumula impurezas e nem nada do que disseram aí em cima sem saberem o que é um pênis (rsrs). Seria como arrancar os dedos das mãos para facilitar lavar as mãos, ou arrancar os dentes para não ter cáries ao invés de escová-los. Eu não sou circuncidado e sou limpo, não vejo dificuldade alguma em manter a higiene ou ensinar um filho a manter. Não é algo necessário realmente e posso garantir isso. A única base disso é crença religiosa, e tão somente. Qualquer falta de higiene acentua riscos de infecções, mas manter a higiene de um pênis não circuncidado é algo tão simples quanto lavar bem as mãos. Ensinar um filho a arregaçar quando for urinar, a arregaçar quando tomar banho, são coisas normais e suficientes para manter uma boa higiene do local.

Frederico Pierre disse...

Deixa meu bichinho com a pelinha dele pq corta nem pensar, não quero meu pênis bonito quero ele e saudavel e sem cortes lol

Eliseu Zapotoszek disse...

Olha circuncidar ou não ou retirar o clitóris é uma questão de educação, caramba temos que melhorar a educação no mundo todo. Não somente os paises ricos ficarem com educação de primeira linha, somos tambem dignos de ter educação de qualidade, por isso digo: "EDUCAÇÃO DE QUALIDADE JÁ, COM EDUCAÇÃO FINANCEIRA DESDE O PRIMÁRIO"

Anônimo disse...

Gostei de sua opinião

Silva disse...

Bom dia a todos. Primeiramente não sou circuncidado , e a verdade sobre os mitos da sensibilidade irei relatar agora, meu pênis quando fica em contato direto com a glande, até a própria roupa intima cria um certo desconforto, uma cocega junto com uma dorzinha, quando base água estilo a do chuveiro fininha,a parte boa disso tudo é que por ele ter a capinha natural ele tem a sensibilidade normal, e se torna mais prazeroso qualquer tipo de relação, já que eu posso optar pela glande exposta ou não. Então um pênis circuncidado perde em grandes porcentagens a sensibilidade. E o lado religioso, na minha opinião, se não fosse pra ter essa "pelinha protetora" o criador teria nos feito sem a mesma. E evitar a masturbação como alegam, o homem vai buscar suas curiosidades de qualquer forma, tendo ou não, então vai de cada um, e cada homem vai responder pelos seus atos. Fim, não sou a favor da circuncisão. Pra o mesmo ficar exposto a todo tempo em contato com a zorba ele não tem a mesma sensibilidade de um homem não circuncidado.

Anônimo disse...

Circuncisão eh mutilação, eh melhor aprender a lavar o pinto do que tirar a pele e ficar broxa...quem experimentou o prazer com o prepúcio e depois sem ele quase não consegue ter uma ereção porque perde a graça...vc n consegue gozar, fica broxa, eh horrível...pratica idiota que só deve ser feita se ocorrer sangramento no ato sexual por conta de excesso de pele.

Anônimo disse...

Não sou circuncidado, uma vez resolvi perguntar para uma garota de programa o que ela achava, pois trabalham com homens e estava tímido em perguntar para uma ficante e ela disse que se fosse homem só tiraria a pontinha, já que seu cliente se arrependeu muito em retirar toda a pele pois dizia que depois da cirurgia esfola e perde a graça na masturbação e sensibilidade no prazer. Então fui no urologista e ele disse que a opção é minha já que não tinha nada clinico para isso ser necessário, mas que ele não retiraria só a pontinha ou é tudo ou nada. Estranho deveria dar para tirar só o começo. Como vi em outro blogg " é melhor brincar com o não circuncidado, só careca perde a graça"

Anônimo disse...

De fato, bom eu sou circuncidado e para mim não tem nem um problema com ato sexual. Não interfere em nada, a higienização e muito melhor, bom na minha opinião hoje em dia as mulheres preferem manter relações com um homem circuncidado pelo fato da higiene..
" esse ea penas um relato do que eu vivencio todos os dias!"

Anônimo disse...

Eu não sou circuncidado e não é por isso que meu pênis não é limpo meus pais me ensinaram muito bem como limpalo e cuidalo.

Carlos disse...

Sou contra e circuncisão, pois tratá-se de um ato primitivo, desnecessário, violento e castrativo; principalmente em meninos que não tem o discernimento e o poder de escolha, podendo até se tornar traumático. Quanto a higiene, esta dever ser feita da mesma forma, tato em circuncidados ou não e de igual maneira como em qualquer outra parte do corpo, nem mais nem menos. O pênis, diferente do feminino, é um orgão externo e de fácil limpeza e o prepúcio sua proteção natural. Além disso, ele é repleto de nervos e altamente agradável nem seu deslize sobre a glande; podendo ocorrer com sua retirada, um retraimento do pênis, uma perda da sensibilidade e sem dúvida, um grande comprometimento estético; principalmente em garotos. natsunset2020@gmail.com

Anônimo disse...

Como é que sabe que teve a sensibilidade reduzida se não conheceu a sensibilidade sem a circucisão???, fiz aos 22 e melhorou 200%...

Anônimo disse...

Sou circuncidado e a coisa não é como diz, fiz aos 22 portanto posso dizer que a sensibilidade aumentou, nunca peguei uma doença (e já passei dos 50), a glande não fica o tempo todo exposta, só quando quero...

Anônimo disse...

Tinha fimose extrema até os 22, nunca tinha visto a minha glande, passei pela cirurgia, ficou ótimo, sensibilidade excelente, limpeza fácil, nunca contrai doenças, as mulheres gostam, enfim, mesmo que para muitos não seja necessário, mal não faz e ainda traz algumas vantagens, na África descobriu-se que há muitos casais sorodiscordantes (mulher com HiV, homem sem) porque os homens são circuncidados, é como uma camisinha natural com 70% de eficiência, a OMS recomenda...

Yamil disse...

Na medicina, postectomia (circuncisão) e só indicado em fimose ou para fimose, quando existe um risco real p saúde da criança, os leitores devem lembrar que se nascemos assim é por que a natureza o quis assim, não tem nenhuma lógica passar por uma cirurgia inecessária só por crença/religião ou higiene, isso cabe ao indivíduo quando tiver ideia e opinião formada, não estamos mais no século XV.

Anônimo disse...

Cambada de hipócritas e fariseus ignorantes. nada haver com questões religiosas. Estamos no NOVO TESTAMENTO, no DEUS do AMOR. Além da higiene proporcionada, a circuncisão é feita quando geralmente, a criança em determinada idade, o prepúcio se torna mais enrijecido pelo tempo, assim sendo, em alguns casos, se tornando um causador de dores e desconforto no ato sexual. Assim se faz necessária a cirurgia de circuncisão.

Anônimo disse...

Testemunhas de Jeova circuncidam os seus filhos machos?

Anônimo disse...

SE ARREPENDIMENTO MATASSE JÁ TINHA MORRIDO. fiz e me arrependo até hoje, perdi muito a semsibilidade, fica dormente, não tenho prazer de como era. a circuncisão é foda. só Deus agora para me ajudar. pensem um milhão de vezes antes de fazer isso. pra mim foi horrível.

Unknown disse...

Eu não sou circuncidado , e digo que a pele que cobre a ponta do pénis , quando a egiene do pénis for bem acompanhada , como sempre que for urinar , secar bem com um guardanapo a pontinha do pénis , então mantendo sempre limpo a pele pode sim servir de proteção contra as bactérias que se encontram na cueca , até mesmo pode proteger-te do hiv Sida , é como os pelos do naris , servem para filtrar o as impurezas que entram pelas narinas

Anônimo disse...

Estranho que tenha gente que pense que o corpo humano não é perfeito e precisa de reparos...

Carlos disse...

A natureza sabe o que faz. Se o homem tem a cabeça do pênis coberta é para sua proteção. Além disso é grande fonte de prazer desde que eramos meninos. Basta reparar um grupo de garotos sempre tem um apertando ou puxando a pele de vez em quando. Operar para evitar doenças é pura ignorância, pois então viva dentro de uma bolha para se proteger e nem saia na rua. Quanto a higiene é só lavar em água corrente de manhã que não tem nenhum problema durante o dia. É que nem escovar os dentes, melhor quando acordamos.

Anônimo disse...

Quanta bobagem ... Tenho o prepúcio, meu pênis " abre e fecha" e higiene não tem nada a ver com ter ou não ter prepúcio... E como as mulheres vão preferir homem sem prepúcio se elas só vem depois ... que gente sem noção ...

anônimo disse...

Também tenho prepúcio e em nada atrapalha a higienização, basta saber se higienizar.

Pedro disse...

Àghata disse muita bobagem,
Não existe homem traumatizado por causa de circumcisão ? pesquise melhor por favor.

Não há perda de prazer ? são retiradas na postectomia, cerca de 20mil terminações nervosas, o prepúcio é a principal zona erógena do corpo masculino, após esse procedimento a glande fica queratinizada por conta do atrito perdendo assim mais sensibilidade do pouco que havia.

O prepúcio não é só um pedaço de pele, é um orgão análogo ao clitóris feminino, sendo responsável por 70% da resposta sexual masculina.

A cicatriz é horrível e motivo de vergonha e frustração sexual para mim e para milhares de homens postectomizados ao redor do mundo.

Muitas crianças entram em estado de choque tamanha dor que esse procedimento causa.

Resumindo, o título desse post já é um erro, o maior deles inclusive ''circuncidar ou não circuncidar ?''A DECISÃO É DO GAROTO !
circuncisão de crianças que não tem idade pra escolher é crime de mutilação sexual independente de gênero, cirurgia sem consentimento deveria ser crime, o corpo é meu, eu devo escolher,
tirar o preúcio de um garoto sem consentimento dele, é também tirar a liberdade de escolha. uma clara violação de direitos humanos

Carlos disse...

DIGA NÃO A CIRCUNCISÃO!

Anônimo disse...

A circuncisão (postectomia) é um ritual curandeirístico/iniciático pra remediar a falta de educação sexual masculina reproduzida pelo machismo! Primeiramente, o prepúcio tem a maior quantidade de terminações nervosas do pênis, é um tecido orgásmico; sua retirada violenta pode acarretar em traumas sexuais, disfunções e perda de sensibilidade na glande. Segundo, o prepúcio serve para que haja menos atrito entre o pênis e o canal vaginal, diminuindo as chances de que as mulheres sintam dor durante a relação sexual; um pênis circuncidado e com pouca sensibilidade exige mais atrito para que seja atingido o orgasmo, somando-se a isso a mentalidade machista, acarretando muitas vezes na falta de satisfação feminina no sexo e anorgasmia (que nós consideramos ser violência contra a mulher). Terceiro, quando a cirurgia de retirada do prepúcio (prepucioplastia) é imposta por um corpo de médicos ou por parentes à uma criança ou adolescente, trata-se também de uma violência, mutilação genital (não no mesmo nível da mutilação do clítoris, mas ainda sim uma mutilação), violação de direitos humanos fundamentais. Por último, ter prepúcio não é ter fimose, e essa última pode ser tratada com massagens diárias, pomadas (betametasona e hialuronidase), e cirurgias menos invasivas (como a prepucioplastia).
Portanto, é preciso dar aos homens o direito de escolher se vai ou não realizar a circuncisão em idade adulta, é preciso educar homens para realizar higiene íntima por amor a si mesmo e às (aos) parceiras (os) sexuais-afetivos, é preciso educar os homens para que valorizem e priorizem a reciprocidade nas relações sexuais e afetivas

FIM DA COMPULSORIEDADE DA CIRURGIA DE CIRCUNCISÃO
POR UMA CULTURA DE EDUCAÇÃO SEXUAL MASCULINA DE RECIPROCIDADE COM A MULHER
POR UMA SEXUALIDADE ANTÍTESE DO TABOO E DA SEXUALIDADE SACRAMENTADA

Anônimo disse...

Pra aqueles que falam demais, fiz a cirurgia da retirada do prepúcio, não por estética, fiz por questão de saúde e não tive escolha, pois o meu pênis tinha um prepúcio grande, que ficava sempre cobrindo a glande, propiciando o surgimento de infecções e fungos, pois a área ficava sempre úmida e com calor, não me arrependo de ter feito, pior seria eu continuar vivendo com reincidência de problemas e sujeito a contrair o câncer de pênis, então se vc está sofrendo pelo mesmo problema que o meu não pense duas vezes, mais abaixo tem a explicação do que eu tinha, a balanopostiste, leiam:

Balanopostite é uma inflamação conjunta da glande e prepúcio (balanite é inflamação da glande; postite é inflamação do prepúcio) desencadeada por diversos fatores. Os mais comuns são conseqüencias de fenômenos irritativos como hábitos higiênicos inadequados dos genitais, principalmente quando o paciente for portador de fimose(excesso do prepúcio).

Neste caso, há depósitos de restos de descamação celular, chamado de esmegma, o qual promove a irritação. Ainda dentro desta causa, está o uso de agentes irritativos para limpeza do pênis, sendo aconselhável o uso de produtos neutros (por exemplo: sabão neutro).

Causas importantes são as infecciosas como um fungo chamado Candida albicans que pode ser transmitido sexualmente.
A candidíase se apresenta como outro fator causador da doença.

Ela não é transmissível, e sim gerada pelo próprio corpo, quando ocorre a proliferação excessiva de um fungo que vive normalmente no corpo das pessoas.

Assim como os outros fungos, ele se aproveita do local quente e úmido existente entre a glande e o prepúcio. Esta doença é mais comum em algumas situações especificas como:obesidade, diabetes, uso prévio de antibióticos e indivíduos com baixa imunidade.

Anônimo disse...

Fiz relação sexual com meu namorado sem camisinha , e a pouco(Um dia)tempo descobrimos que ele estava com balanite , e agora estou com um pouco de medo em relação a isso .