terça-feira, 10 de novembro de 2009

O PIOR CENÁRIO POSSÍVEL E MINHA CRISE PASSAGEIRA

Gente boa, muito obrigada de coração por todos os conselhos e palavras de apoio que vocês me deram durante a minha crise existencial. Como eu disse nos comentários, uma das vantagens de ter postado sobre o meu ataque de pânico tão pessoal é que minha mãe veio falar comigo com uma reação diferente do que eu esperava. Nada de desespero. Ela disse que se solidarizava comigo, que entendia o receio em largar a vida boa que temos aqui pra nos aventurarmos numa outra cidade, que a criminalidade de Fortaleza realmente é um problema, mas, em compensação, teríamos uma vida cultural mais intensa e com mais amigos que a que temos em Joinville, e diagnosticou, talvez corretamente, que o meu medo maior era de voltar a morar numa cidade grande, mais do que de um novo emprego. E emendou que, caso eu decida que iremos permanecer em Joinville, devo avisá-la com antecedência pra ela poder se matricular nas aulas de cerâmica e pintura a tempo.
Não sei por que estou desse jeito, tão medrosa. Não tem muito o que dar errado. Quando eu me mudei de São Paulo pra Joinville, 16,5 anos atrás, em julho de 93, eu não tinha nada além da casa, que havia acabado de comprar por 7,500 dólares. Todo o dinheiro que tinha era o que sobrou dos dez mil dólares que eu havia guardado nos sete anos anteriores. Eu tinha 26 anos, não tinha diploma, não tinha profissão definida (até então eu havia sido redatora publicitária, assessora de imprensa, e revisora), e mal tinha um namorado (o maridão hesitou em vir pra Joinville e só se mudou pra cá um semestre depois, o covardão—bom, ele me ajudou com toda a mudança, mas só veio em definitivo em janeiro de 94). Ele também não tinha grande coisa: um Chevette vermelho ano 78 que pouco tempo depois começou a ter goteira, e um “patrimônio” calculado em portas de madeira (é uma longa história: a família do maridão, nos anos 80, teve um depósito de material de construção. Quando o troço fechou, o maridão teve que optar se ficava com um apartamento ou centenas de portas. Adivinhem o que ele escolheu? Isso tudo foi antes d'ele me conhecer e poder evoluir como ser humano, então o perdoo. Mas ele trouxe as centenas de portas pra Joinville, e elas ocuparam nossa garagem durante vários anos. Ainda que muitos dos móveis que ele fez pra casa tenham sido feitos usando algumas portas, podemos dizer que ele superestimou o valor de seu patrimônio). E, lógico, a gente tinha o nosso charme, a nossa juventude, e nossa habilidade de jogar xadrez (a dele mais que a minha, cof cof). Num outro post eu contarei mais sobre minha primeira atividade comercial em Joinville, prometo. Tenho certeza que realmente tínhamos pouca coisa porque, uns poucos anos depois, surgiu a oportunidade de comprar um terreno por 20 mil reais, e a gente ficou muito inclinada a comprá-lo, mas ia ficar com a conta zerada. E, apesar de chegar aqui sem nada, nunca passamos pela menor dificuldade. Somos privilegiados e sabemos disso: conseguimos emprego, juntamos dinheiro, eu fiz (nesta ordem) especialização, graduação, mestrado e doutorado.
Quer dizer, não dá pra comparar a situação que tínhamos quando chegamos a Joinville com a situação que teremos chegando a Fortaleza. Dinheiro no banco, uma casa que vale mais, mais experiência profissional, diplomas e títulos. Apenas isso já seria suficiente pra avalizar nossa mudança. Some-se a isso que pelo menos um de nós dois terá um emprego garantido com um ótimo salário, numa profissão que estudou anos para poder exercer, e o medo que a nossa nova vida possa dar errado cheira mesmo a estupidez. Mas eu sou humana, né? (ok, há divergências). E, lógico: querer mudar quando a situação está ruim (como estava quando eu vivia em SP) não é difícil. Mas quando ela está boa, ninguém quer mudança nenhuma.
O legal dos recados que vocês me deixaram é que pude ver como vários deles são parecidos com os que eu dou a pessoas em situação parecida. Então por que eu não pulei uma etapa e dei eu mesma esses conselhos pra mim? Porque não funciona assim, evidente. Mas só posso concordar com vocês: nada é para sempre, nada impede que, se algo der errado, eu me mude de novo, ou mesmo se der certo eu ainda posso me mudar e curtir a aposentadoria noutro lugar. Eu adoto sempre uma tática do worst possible scenario, mas desta vez isso me escapou, o que foi um erro. Nessa tática do pior cenário possível, eu imagino tudo de ruim que pode acontecer. Eu adoro isso porque, quando a gente pensa em termos mais específicos, menos abstratos, acaba vendo que o pior, muitas vezes, nem é tão horrendo. Claro que em certas ocasiões me falta imaginação pra pintar cenários de horror, portanto, conto com vocês. Mas e aí, o que pode acontecer de tão ruim se eu me mudar pra Fortaleza? (sem altos terrorismos do tipo “eu posso ser assaltada e como sou pão dura e nunca tenho dinheiro o ladrão pode me matar como retaliação”. Essas fatalidades mais extremas não contam. Porque senão eu usaria “eu posso ser atingida por um helicóptero enquanto estou descansando na minha casinha em Joinville”). Vejamos os piores cenários:
a) eu pego Fonética não só no semestre que vem, mas no ano inteiro. Seria horrível, mas seria a mesma disciplina. Não teria que preparar tanta aula na segunda vez.
b) eu percebo que estou muito mal acostumada e que cansei de trabalhar duro, mas isso depois de no mínimo um ano, né? Eu largo o emprego e dou aulas de inglês numa escola de idiomas de Fortaleza. Até lá o maridão já tem renda pra nos sustentar.
c) eu não me adapto a Fortaleza (e a cidades grandes em geral) por vários motivos: sou assaltada, o trânsito é caótico demais pra eu dirigir nele, algo muito ruim acontece com meu gatinho Calvin (eu morro de medo disso, porque aquele inútil sai toda noite por aqui, mas em Fortaleza haverá mais carros, mais cercas elétricas, mais perigos). Eu aguento um pouquinho mais enquanto me preparo para outro concurso numa cidade menor, e aí nos mudamos.
d) adendo ao c: não há outros concursos porque o PSDB ganha as eleições de 2010. Esse realmente é o pior cenário possível! A gente se muda pra Suécia. Ou pro Uruguai. Não, sério. A gente pode se mudar pra uma cidade brasileira mais tranquila, onde dou aulas de inglês numa escola de idiomas.
e) os alunos, revoltados com a minha suprema ignorância em Fonética, armam uma reação à la Uniban. Reúnem-se diante da minha sala gritando “Bur-ra! Bur-ra!”. Tenho que pedir escolta policial pra sair. Após sindicância interna, a UFC decide que eu provoquei quando falei de palato mole e me demite. No dia seguinte ela revoga a decisão. Eu vendo a casa em Fortaleza e, com o dinheiro, compro uma noutra cidade.
Tá, tirando o cenário da volta do PSDB ao poder, nenhum deles parece assim tão terrível.
Estou mais tranquila. A crise passou. Eu disse que minhas crises eram vapt-vupt, não disse?

32 comentários:

Giovanni Gouveia disse...

Então não tem "cenário tão horrível", pq a opção "volta do PSDB" não existe...

Tô esperando as fotos do sítio... ;)

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Lenita disse...

As noites de lua cheia em Fortaleza são indescritíveis, chega a emocionar...
O povo cearenese é muito acolhedor...
O povo nordestino de maneira geral é mais culto...portanto seus alunos serão mais interessantes...
E fique tranquila, o PSDB não volta ao governo, pois o plano petista é para 20 anos.
Até lá você já estará aposentada.
Apesar de discordar em muitos aspectos, espero que continue a nos brindar aos sábados com sua coluna.

Erika disse...

Lola, morri de rir do último pior cenário possível. Desde que conheci seu blog não consegui mais parar de te acompanhar. Beijos

Mi disse...

"Isso tudo foi antes d'ele me conhecer e poder evoluir como ser humano" HUAHUAHUAHUAHUAHUA melhor frase!!!! AMHEY!!

Bom, legal q você pesou os prós e os contras, acho que vai dar tudo certo, e se não der sempre dá para voltar atrás né? Bjos e boa sorte!!!!!!!!

Arslem disse...

Huahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahauhauhauhauhauhauhauhauhauhauahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuah...

A do Uniban foi ótima!!!!

Giovanni Gouveia disse...

Lola, tua crise foi "Só uma marolinha"... :)))

Mei disse...

Lolita (e todo mundo que lê este blog)...na hora do stress, crise, desespero, palpitações, e falta de ar, tente isso:
http://www.youtube.com/watch?v=lvc-jvmHAnw

dizem que funciona maravilhas!

La Mamacita disse...

Lolô, minha adorada filha,
Sabia que em algum momento iria dar uma crisesinha. Normal e lógico. É porque a gente acostumou aqui, vive bem aqui, e o desconhecido da um medo grande, isso dá. Mas eu vou tentar mostrar os cenários possíveis de Fortaleza, e ai você vê. Vamos supor que você não consiga uma casa tão bonita como a nossa agora. Bem. Você compra uma, a melhor que puder e deixa com a Mamacita e o genrinho. Eu transformo sua casa na casa de Frida Kahlo, com paredes (externas) vermelhas, telhado verde, bancos de madeira, almofadas coloridas, muitos vãos de cerâmica com cactos, murais de argila nas paredes, e dois gatitos muiito esticados no chão. Já pensou? Sol e calor.
Ai você vai à Universidade e descobre que as pessoas são amorosas, receptivas, -se já são agora no blog, imagina ao vivo- e convida pra um almoço em casa. . (Ai a gente vê os detalhes, porque sei que você, filha cruel, não vai deixar fazer peixes nem mariscos, em Fortaleza!) Mas a gente faz Parfait de Damascos, Sacher Torte e Pudding de café, e você vai ver que as pessoas não param de nos convidar pra conhecer Fortaleza. E as praias.
Ai você começa a dar suas aulas de fonética e começa a correr um rumor de um novo approach – feminista, desta vez- na fonética e a classe lota. Vai ver.
Ai você consegue com as suas colegas organizar um projeto de implantação de mestrado em língua inglesa. Vai dar trabalho e toma muito tempo, mas da pra fazer, sim, e vocês
Vão ficar felizes. Quer cenário melhor?
Enquanto isso, genrinho, depois de arrumar todas as coisas na casa comigo, inventa de dar cursos de xadrez nas escolas e vai enfrente. Ele vai adorar, e como ele é muito querido vai ser muito bem recebido, você vai ver.
Já pensou? A gente conhece um monte de gente, faz amigos novos, freqüenta os cinemas do Dragão do Mar, vai na praia de ônibus local? É muita mordomia, muita. Imagina e pensa. Ânimo, você dando fonética vai transformar a matéria, tenho certeza.
La Mamacita que te ama.

MANU disse...

Lolinha!vc me mata de rir!estas suas hipoteses apocalipticas são hilárias demais!pois é a pobre e gasta vestibulanda aqui vai prestar vestibular para medicina pela milésima vez!triste né?infelizmente não vou poder ter a honra de ser sua aluna..too sad.mas eu já iniciei o curso de letras aqui,só que não foi na UFC,foi na UECE,a nossa estadual,e eu fiz letras portugues,mas não gostei e abandonei.mas não descarto a possibilidade de vir a cursar letras ingles.eu amo ingles! fiz curso de ingles na UFC ,básico e avançado,lá no campus onde vc vai dar aula,lá funcionam as casas de cultura da UFC,onde ensinam linguas estrangeiras.por enquanto dei um break no meu querido english e tou fazendo francês agora ,lá na casa de cultura francesa.quem sabe se vc começar a dar aula na casa de cultura de britânica eu possa ser sua aluna em algum curso avançado hein?would be great!qnt ao que vc falou na sua resposta sobre os custos da cidade acho que o que há de mais caro aqui em relação a joinville são os preços das casas msm pq aqui a especulação imobiliária é grande.mas de resto acho q td vai te sair mais barato.qnt a insegurança tb...eu nunca fui assaltada aqui.ando a pé pra ir lá pro campus do benfica,vou pro cursinho que tb é lá perto e volto pra casa,td isso gastando as minhas solas e felizmente até agora nada me aconteceu.aqui tm umas zonas de perigo maior sabe?e vc passando longe delas acho que dá pra sobreviver.qnd vc vier vou te dar tds as dicas de como andar seguramente pela cidade ok?hahaha assim que der respondo teu email.o vest é domingo e a ufc está a mil!mando notícias!bjjjjjjjjjjjj MANU

La Mamacita disse...

E os planos pessoais da Mamacita? Aqui vão: vou continuar pintando. E ainda que duvide muito que eu consiga uma teacher tão fantástica como a Asta de aqui, alguma outra eu vou encontrar. Vou continuar a querer pintar como Lucian Freud e Paula Rego e Jenny Saville, oh, sonhos meus.
Vou querer fazer um trabalho voluntário duas ou três vezes por semana, vou ter meus alunos de espanhol, I hope- e sonho meu, insano, delirante, vou querer cursar Belas Artes na Universidade. Sim, uma coisa bem acadêmica pra aprender de uma vez a desenhar bem. Ao mesmo tempo vou querer voltar ao trabalho e ao convívio com professores, pois meu trabalho em andamento sobre Anunciação está me chamando. Me falta com quem conversar, trocar idéias e fazer um projeto. Vamos ver.
Mas também ir todos os dias bem cedinho na praia e fazer ginástica e caminhada. Tem um grupo da terceira idade que faz tai-chi-chuan na praia!, (isso, eu não me atrevo, mas algo mais levinho, quem sabe? ) Já pensou? Sol, calor, mar, praia? Ai ,ai, ai. Qual cenário melhor?
Lolô, cidade grande dá medo grande. Mas a gente supera com as vantagens. E tenho certeza que vai ser melhor pra todos nós. Sempre foi. Toda mudança foi pra melhor. Sempre fui de um lugar lindo pra outro melhor. É assim, é a gente que faz os lugar. Só não quero que pense que o insano e demente do Calvin é bobo. Ele é louco, certo, mas fica medroso com o barulho do trânsito. Ele é muito aventureiro, isso ele é. Mas a gente da uns catnips no começo pra ele acostumar a ficar dentro de casa. Você vai ver. Lolô, com toda essa torcida amorosa que você tem no blog, só pode dar certo. Deixa a marolinha passar. Ne, Giovanni? E a lua caindo mar? Ai, ai, ai. La Mamacita

MANU disse...

Lolinha!dá uma olhada no que tá acontecendo aqui na UFC esses dias! http://opovo.uol.com.br/opovo/vidaearte/926644.html
tá mt legal a programação pena que não poder ir pra nada! bj

Giovanni Gouveia disse...

Lola, eu também queria uma mãe que soubesse fazer uma casa igual a de Frida Kahlo... ;)
Besos, mi amiga Nelly!

sujeito disse...

O pior cenário seria vc estar lá passando pelo calvário de dar aula de Fonética e logo depois o curso de Inglês ser extinto. Aí então vc teria que ser aproveitada para dar aula no curso de Português. Isso é possível?

Alessandra disse...

tô rindo muito com o "burra, burra".
Acho que o Uruguai é mais viável que a Suecia e tem melhores sorvetes e carnes. :)

Débora disse...

Lotetes, com toda essa rede torcendo por você, e com os planos da Mamacita em ação, tudo vai dar certo e você vai até gostar de falar sobre o tal do palato mole (é de comer? se for eu quero o meu de chocolate).

Pedido com olhinhos tremidinhos: Mamacita transforma meu apartamento caixotão branco na casa da Frida Kahlo? Os gatos esticados no chão eu já tenho.

Veruska disse...

Lola: sou leitora do seu blog há muito tempo, quando você basicamente só escrevia resenhas sobre filmes. À medida em que o blog foi ficando mais pessoal e intimista, passei a agostar mais ainda dele e de você. Claro que você vai se dar muito bem em Fortaleza. Lendo os comentários desse post, conheci um pouquinho de sua Mamacita e entendi porque você é tão livre e legal. Acho que você tem consciência do privilégio que teve. Beijos e felicidades para as duas.

=draupadi= disse...

uau, prestame la mamacita porfa?!
Que linda ela!
Bom, some o pior cenário com o melhor (o da mamacita) e divida por dois: vai ser quase igual ao melhor cenário, já que se o PSDB voltar ao poder vamos todos pra Suíça. Combinado?
Vou ali voltar a rezar pra esse vudu de PSDB voar longe!

iaeeee disse...

que bom que a crise passou !^^

Natália disse...

difícil msm fazer essa mudança toda. eu estou numa situação semelhante, de mudar por conta de concurso, mas o fato de estar pra casar, começar vida nova, facilita a aceitação de mudanças. :) tenho certeza de que você vai gostar de todos os cenários, se bem q esse da direita no poder, realmente...


ah, precisava de vc pra me ajudar com uma disputa c/ o maridón-to-be. tb sou feminista, e o noivo eh um crítico do feminismo no q tange a só ver ataques contra a mulher e ignorar o aos homens. por isso, adoro qd vc diz q o feminismo quer tb libertar o homem do peso da imagem de como um 'macho' deva ser. mas agora ouvi uma música q descreve o homem como objeto (uso exclusivo da casa!!!). será q vc poderia comentar? http://www.youtube.com/watch?v=TZrYQ9ZGOLk

Paola Sartoretto disse...

Bah Lola, nem te conto, eu vi um anúncio de vaga para pós-doutorado em literatura inglesa aqui na Universidade de Estocolmo. Pensei em ti quando vi o anúncio. Mas olha, nao vai para o sul da Suécia nao, porque la TEM barata!

aiaiai disse...

kkkkkkkkkk, entrei para dizer exatamente o que o giovanni disse logo no primeiro comentário...então, tá dito!

Marcos Vinicius Gomes disse...

Lola ,



Alguns dados sobre cesta básica Fortaleza (DIEESE)

Janeiro 2009 (aumento)
http://www.dieese.org.br/rel/rac/trafev09.xml#FORTALEZA

Abril 2009 (queda)
http://www.dieese.org.br/rel/rac/tramai09.xml#FORTALEZA

Setembro 2009 (aumento)
http://www.dieese.org.br/rel/rac/traout09.xml#FORTALEZA

Outubro2009 (queda, mas o número de horas trabalhadas para adquirir a cesta é maior entre as capitais estudadas
http://www.dieese.org.br/rel/rac/tranov09.xml#FORTALEZA


Post Jangadeiro Online "Fortaleza tem o maior custo de vida do Nordeste"
http://jangadeiroonline.com.br/economia/fortaleza-tem-o-maior-custo-de-vida-do-nordeste/


Trecho de matéria que mostra estudo onde Fortaleza é mais cara no quesito alimentação
http://vocesa.abril.com.br/desenvolva-sua-carreira/materia/custo-vida-cidades-brasilerias-499581.shtml


Os dados são contraditórios como toda a pesquisa(rsrsrs), mas percebi que Fortaleza tem maiores aumentos no preço da cesta básica no geral (o que deve influenciar muito no custo de vida, pois alimentação é necessidade básica...)

Abs
Marcos Vinicius

Bárbara Reis disse...

UHAUAHHUAHUAUHHUA... eu ri.

Você deu uma viajada gigante agora, ir pra Fortaleza é fichinha. uhahuuhahuauhuha...

Eu moro em São Paulo há 20 anos, e eu gosto muito daqui, não troco por nada... mesmo eu tendo passado um puta nervoso no onibus, voltando pra casa, agora há pouco, estava abarrotado de gente, e o ser que estava diriginto, conhecido como motorista, ficava entuchando mais gente pra dentro do bus, me senti uma sardinha enlatada... eu queria comprar uma moto, mesmo meus pais sendo totalmente contra... e eu tenho medo também... de virar uma sardinha morta ou atropelada. uhuhahuahuuha...

Acho que a pior coisa que pode acontecer, é acontecer alguma coisa com o Calvin, eu ficaria muito muito muito triste, por você. :(

Beijão, Lola!

Anônimo disse...

Olá, Lolíssima.
Está por vir, dias lindos, de grandes descobertas. Talvez você demore um pouco a se acostumar,... a aventura vale tudo. Tudo da origem dos fatos nordestinos é deslumbrante.
Pessoa querida com tanta competência, vai sobrar muito mais posts, para nós seguidores...
É isso...
Beijos.

Alba Almeida disse...

Lolíssima os dedos são mais rápido que os pensamentos... é a hora!!!
o comentário anterio é meu.
bjs

Bau disse...

Querida, não tinha visto que você estava em crise...que bobagem, e onde vou ficar quando for passear em Fortaleza? Lola, as mudanças são estressantes, cansativas, mas vc vai com o maridão, lembra? E toda a família felina. Mais mamacita. Entao, linda, fique sussa. Você vai se dar bem! A violência existe em toda parte...a gente só tem mais sorte. Beijos, te adoro!

Samantha disse...

Gente, fiquei fã da Mamacita!

Vai dar tudo certo, realmente essa crise é normal, quando mudei de cidade para trabalhar, senti o mesmo. Depois mudei de volta, senti o mesmo novamente.

Parece que uma pequena parte de nós fica nos lugares que deixamos. Mas acho q é assim mesmo.

Dai disse...

Lolinha,

Você vai gostar de morar em Fortaleza, aposto minhas fichas que sim. As qualidades da cidade superam os defeitos. Natal, por exemplo, é linda e tranquila, mas não tem o charme de Fortaleza nem a alegria dos cearences(eu sou daqui, posso falar).
As adaptações pedem sempre um pouco de desmprendimento, um pouco de investimento, deixar as coisas germinarem, acreditar,vc sabe, pq as dificuldades iniciais são inevitáveis, uma ou outra há de surgir, o que importa é saber que tudo irá se estabilizar.
Mas, o que gostaria de comentar é que seu blog sempre me emociona. Hoje fui do riso, com seu texto, ao choro, com o comentário lindo da tua mãe. Tb queria uma mama para transformar a minha casa da Frida Kahlo e me dizer coisas tão inspiradoras. Um abraço mamacita!
Tudo vai dar certo, sim, o melhor de sua vida viaja com vc (o maridão, a mama, os gatos) você terá um trabalho ótimo (sério, estou ensinando em uma uni privada, meu sonho dourado segue passar em um concurso)que não se resume a sala de aula, pois há a pesquisa, a extensão, as orientações, os grupos de pesquisa. Muitas possibilidades aguardam. Não perca energia pensando no pior, não! Vai dar certo.
beijos.

Dai disse...

faltou o 'na' antes da casa da F.K.
E sobrou um 'm' em desprendimento.
Eu e minha dislexia em digitação.

bj.

klaudioca disse...

Eu tenho medo do DEMo!

Georgia Martins disse...

O Calvin, se é passeador, vai precisar mesmo de cuidados especiais. Só catnip no começo não vai resolver.
Já pensou em confiná-lo dentro de casa?

Acho que é mais difícil depois que ele já tá há anos passeando todos os dias... Mas tenho 6 gatos e nenhum deles sai de casa nunca. Eu jamais deixaria, com tantos carros, cercas elétricas, pessoas maldosas por aí.

Aliás, sabia que o sexto dos meus gatos é justamente um que tiramos DA BOCA de um pitbull? O cachorro do namorado (que apesar de ser pitbull é um amor)curte mastigar todos os gatos que entram no ultra-mega-giga quintal que ele tem na casa dele. Então já foram mais de 5 vítimas (conhecidas), e o Xurupito por acaso foi um que ele conseguiu salvar. O Bufo (cachorro) esmigalhou a bacia do pequeno-vesguinho-de-olhos-azuis e ele ficou todo torto, mas a recuperação foi boa.

Falei pra apavorar mesmo, espero q tenha funcionado. Lugar de gato é dentro de casa!!!