terça-feira, 2 de dezembro de 2008

EU, SEXÓLOGA

Euzinha aos 15 anos explicando sobre as abelhas na lendária feira de ciências.

Esta é uma história real. Quando eu estava na nona série, ou seja, tinha lá meus quinze anos, decidi participar de uma feira de ciências na escola pela primeira vez. Mas não queria fazer o que minha irmã mais jovem já tinha feito (montar um vulcão de isopor; falar da vida dos hamsters). Não, eu era novinha, tava descobrindo a vida, então meu assunto de maior interesse era sexo. Portanto, decidi apresentar na feira, com uma amiga, uma exposição sobre anticoncepcionais. Só que a escola onde estudava, em SP, era americana e católica. Tinha freiras (poucas, apenas umas seis), e nhecas de educação sexual. O mais próximo que tive de educação sexual escolar foi uma aula só para meninas, na sexta série, explicando sobre menstruação (na realidade, acho que foi uma jogada de marketing da OB). Era o começo da década de 80 e, apesar da Marta Suplicy ter causado uma revolução na TV Mulher e lançar um livro importante, o Conversando sobre Sexo, sexo não era um tópico comum na sala de aula. Quando, alguns dias antes da feira de ciências, descobriram o que a gente iria apresentar, houve grande alvoroço. A diretoria da escola nos chamou e, depois que a convencemos que iríamos falar de sexo seriamente, ela deixou – desde que, junto aos anticoncepcionais, a gente apresentasse os métodos aceitos pela igreja! Bom, o papa João Paulo já havia condenado sexo sem fins procriativos, até entre os casados, mas digamos que alguns setores menos retrógrados da igreja toleravam métodos naturais, como a tabelinha, secreção vaginal (billings), e tirar a temperatura para ver se a mulher está no período fértil. Minha amiga ficou responsável por discutir esses métodos.
A gente se empenhou. Pegou emprestado um desenho de plástico em relevo de um pênis e de uma vagina. Encheu a mesa de pílulas anticoncepcionais, camisinhas, gel espermicida, um ou outro diafragma (foto) e um diu (dispositivo ultra-uterino). No dia da feira, era na nossa mesa que todo mundo queria parar. Tava cheio de adolescente que ainda não havia transado com ninguém, não tinha a menor idéia de como se fazia, e queria muito aprender. Lembro como se fosse hoje de uma professora entrando no auditório com sua turma de aluninhos e guiando os pupilos à nossa mesa. Ela entra. Aluninhos de uns sete anos, por aí, de mãos dadas, em grupo, gracinhas e serelepes. Professora nota o que está exposto na mesa. Vê visões do inferno: aquilo não seria um diu? Professora se joga na frente dos alunos, tentanto tapar-lhes a visão, enquanto grita, em pânico: “Isso não é pra vocês! Vamos pra próxima mesa ver um vulcão em erupção!”.
Tirando esse episódio, acho que nossa exposição foi um sucesso. Ganhamos um prêmio; ficamos em terceiro lugar. Na hora que nos deram uma medalha (acho que era uma medalha), anunciaram as novas regras pra feira do ano que vem: toda exposição teria de ser aprovada antecipadamente pela direção da escola...
Mas, enfim, aproveitando meu passado de quase sexóloga, tenho certeza que me qualifico para comentar algumas buscas do Google que chegaram ao meu bloguinho. Vamos a elas (todas com grafia original).

Sexo com animal e com adolescente, qual o melhor? - eu poderia dizer que depende do animal e do adolescente, mas acho que você deve evitar as duas espécies, ainda mais se for adulto.
Usar camisinha é abortar? - não, a menos que você ache que um ser humano possa ser feito apenas com um espermatozóide. Bastante gente crê nisso que “todo esperma é sagrado”. Essas pessoas que crêem nessa “essência masculina” geralmente acreditam que mulher só serve pra carregar um feto e, por isso, não deve ter direito sobre o próprio corpo. Daí a conexão com o aborto.
Sequisso com todos os tipos de seres? – eu acho tão bonita essa confraternização do universo, quando todas as partículas se unem e parecemos ser um só ser? Só pode ter sido isso que esse leitor tinha em mente. Somos a mesma poeira. Hare krishna pra você também.
Com que idade posso transar? – quando você tiver o corpo formado, um mínimo de maturidade emocional, e conhecer suas responsabilidades, você estará pronto pra mãos à obra. Em outras palavras, quando você não precisar mais fazer essa pergunta.
Transei sem camisinha e não engravidei pq? - porque você não estava no período fértil, fofa. Mas você está chateada por não ter engravidado? Quem é você, a Luciana Gimenez?
É normal um homem que se diz homen transar com um traveco? - Juro que li “é normal um homem que se diz himen transar com um traveco?”. Acho que tenho dislexia. Quanto a sua pergunta, normal é, inclusive porque é bem raro mulher transar com travesti.
Tutubarão faz sexo? – difícil eu responder essa porque toda vez que ouço Tutubarão lembro da única piada que sei contar. Aquela: você gosta de fofoca? (a pessoa responde, toda ansiosa: siiiiiiim!). E de tutubarão? Hi hi hi. Entendeu? Tu-tubarão, fo-foca... Desta vez eu nem errei a ordem da piada! Tô me especializando. Mas enfim, leitor sem senso de humor – porque como assim, não rir de uma piada hilária dessas?! -, acho que Tutubarão, Fofoca, e todos os seres vivos fazem sexo. Mas não sei se entre si. Será que meu Tutu fica com o Scooby Doo?

Como vocês podem ver, eu tinha um talento nato pra ser sexóloga. Não sei por que não segui adiante na profissão.

74 comentários:

Babs disse...

Lola, acho que você tem talento nato também para comediante... :P
Eu já tive "aula de educação sexual" na terceira série. Basicamente estavam informando que mulher menstrua, e ponto. E era escola pública. Tirando isso não me lembro de ter tido mais orientação que isso na escola. Mentira, eu fiquei sabendo que o DIU, a tabelinha ,a pílula, a camisinha e o diagfragma existiam, mas como usar e qual é o melhor não me lembro de ter sido discutido...
Bj

june carter disse...

hahahahahahahaha!
lola! amei o post!
super bem humorado!
dei umas belas gargalhadas!!!

:D

eh cada coisa esdruxula que passa pela cabeça alheia que eu fico com a cara no chao!

um beijao pra vc!!!

Juliana Bittencourt disse...

Engraçado que ontem coloquei as buscas do Google que levaram ao Rabiscola também, mas as suas são sempre pérolas. Mas é impressionante o tipo de pergunta, o tipo de informação que as pessoas não têm em casa e vão buscar resposta... no Google. ai, ai.

E estou voltando essa semana.O emdetroit volta à ativa e tudo mais, só não sei se vai ser muito atualizado porque a vida vai ser meio pacata, sem grana, trancada dentro do quarto andar de um prédio sem elevador, essas coisas.

Andrea Cristina disse...

Lola, acho que vocês ao conversarem sobre sexo em uma feira de ciências é que foram o “vulcão em erupção”! Uuahuahauha

E esse negócio das exposições serem aprovadas anteriormente pela direção ta me cheirando à censura!

Eu da minha parte apresentei temas “normais” em feira de ciências, uma vez foi sobre psicultura, outra sobre vitaminas dos sucos. Não lembro de ter visto nenhum grupo falando sobre sexo. Mas teve sim o tradicional vulcão. Aliás, é fermento em pó que se usa para fazer aquele treco explodir?

E por favor, que tipo de pessoa escreve “Sequisso”?
Perguntas do tipo “Com que idade posso transar?” e “Transei sem camisinha e não engravidei pq?” só demonstram o quanto as crianças e adolescentes de hoje PRECISAM CONVERSAR SOBRE SEXO seja na escola, seja em casa.

E óbvio que você não seguiu adiante na profissão de sexóloga por amor (antecipado) aos seus blogueiros. Imagina você sem o blog, e sem as criticas de cinema? Não, não pense!!!

PS – E a piada da fo-foca foi tosca. Desculpa, mas não consegui rir. Mas não te apedrejo que eu também sou horrível para contar qualquer piada (geralmente rio sozinha antes de terminar de contar a piada).

D. disse...

ahahahha. obrigada por me fazer rir muito! você era ousada já aos quinze, Lola. na faculdade, na disciplina de produção de textos argumentativos tínhamos de escolher um tema polêmico e nós optamos por 'aborto', menina fomos quase apedrejadas. Outro dia te conto. abraços.

Anônimo disse...

Luluzinha,
Adorei a volta dos "encontrados”no Google. Você sabe, sou grande fã. Continue com a série, please? É uma alegria sair pra trabalhar com um sorriso nos lábios e a cabeça balançando de prazer.
Amada, QUE TEMPOS AQUELES DAS FEIRAS DE CIÊNCIAS!!! Ta demais. Mas eu tenho uma outra percepção de como a coisa foi. Complementaria, apenas. Posso contar? É como em Rashomon, sabe. Talvez você nem conheça a continuação. Essa apresentação deu muito que falar no PTA. Seu pai e eu rimos muito.
E que nostalgia, a foto. Não conhecia. Você guardou da época? O Ig ta no cantinho, meu adorado filho.
Beijinhos mais que carinhosos, derretidos. Vai merecer um outro bolo bem antes das duas semanas combinadas.
Agora tenho que correr porque terça feira é meu dia full. De noite eu comento.

La Mamacita disse...

Lolô, eu não consigo entender cómo funciona o negocio das identidades. ( Freud explica?)Asvezes sai La mamacita, as vezes sai anónimo, precisso anotar, vai ver. É muito aleatório pra minha compreensão. La Mamacita

Babs disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Leila disse...

hauhauahauha
Ai meu deus com essas letristas virando sexólogas vou ficar sem emprego!
Meu deus essa piada do tutubarão é pior do que a minha piada do "yo soy paraguaio e vim para matar-la." "Para o que?" "Paraguaio" e olha o nivel da minha piada!
Eu tbm estudava em um colégio de freiras, agente tinha aula de educação sexual, eu lembro até da minha professora, a Dona "vc-nao-vai-ter-orgasmo-se-nao-estiver-com-alguem-que-você-ama-e-casada" ela contava histórias esdruchulas.
de qualquer maneira acho que aulas sobre isso devem ser feitas de maneiras criativas, e com pessoas um pouco mais liberais, se nao vc nao tira duvidas nem presta atenção, quem sabe eu faço estágio nisso...
hmmmm ia ser interessante, vc me ajuda? hehehe

Giovanni Gouveia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Giovanni Gouveia disse...

Lembrei de dois casos, um hilário, e outro seríssimo...
O hilário é aquele que o médico manda colocar o preservativo no órgão, aí, não tendo órgão em casa ele coloca no piano...
o seríssimo, durante a ditadura foram distribuídos métodos anticoncepcionais na zona da mata, aí as mulheres começaram a usar (não me lembro se diafragma ou diu), no meio do canavial, aí o dito cujo caía, no meio do canavial, e elas recolocavam na hora, uma das coisas mais "simples" foi a presença de larva de mosca no aparelho reprodutivo...


Quantos energúmenos "professores de português" (que d'antes era filósofo) que desconheça a palavra "energúmeno" você conhece, Lola?

Chris disse...

Lola, concordo com a Babs.. vc teria um ótimo Stand-up comedy, daria baaaanhos no Seinfeld!

Sobre sexologa, também acho que poderia ter sido uma outra carreira rsssss

Adorei!

Sim... a piada do tubarão... me lembra muito a dos tomates, né? Ai, ai...

Beijos

Bel disse...

Ai que ri demais com as perguntas, as respostas e a piada. Eu sou uma negação absoluta em contar piadas... nem eu consigo rir. Em compensação rio de todas que ouço, mesmo as repetidas, que eu inexplicavelmente não lembro de já ter ouvido. É mole???

Elyana disse...

Lola, vc tá parecendo aquela mulher que responde dúvidas no altas horas. Ela tb responde as coisas mais loucas com humor e cara de paisagem, haha.
Eu teoricamente tive educação sexual na escola. Mas foram duas palestras (iguais) que botavam o maior terror na gente de AIDS e doenças venéreas mostrando pacientes terminais e aqueles pintos podres cheios de pereba. Ecaaa!!!

Liris Tribuzzi disse...

"porque você não estava no período fértil, fofa. Mas você está chateada por não ter engravidado? Quem é você, a Luciana Gimenez?"

Huahuahuahuhauahuahuahuahuahuahuahu!!!!!

Me diz que os comentários googlísticos continuaram, vaiiiiiiiiii....

Bárbara Dayrell disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bárbara Dayrell disse...

oi Lola!
meu comentario nao tem nada a ver com o assunto... passei só pra t mandar o link de mais uma lista de melhores sei-la-o-que que todo dia aparecem... desta vez sao os 100 melhores personagens do cinema ( www.empireonline.com/100-greatest-movie-characters/default.asp?c=1) e adivinha quem ficou em primeiro lugar!?
Seu tao amado Tyler Durden... Parece que estao todos contra a lolinha!

ps. eu gosto de CLube da Luta, mas convenhamos, melhor personagem eh exagero demais...

lola aronovich disse...

Babs, imagina, mas que bom que vc gostou! Pois é, se a aula de ed. sexual se limita a falar de menstruação, fica difícil, né? Até porque isso nem pode ser junto dos meninos, porque eles ficariam horrorizados.


June, ótimo vc ter gostado. Fazer rir quem tá com depressão não é fácil. Vc tá bem, querida? Não, realmente, algumas buscas do Google são impressionantes... Hoje chegou uma assim: “Quais posições um marido deve usar pra estuprar a própria mulher video”. Hã?

lola aronovich disse...

Ju B, vc tá brincando! Vc volta pra Detroit esta semana?! Quero saber tudinho! Onde vcs vão ficar? Vai começar a estudar já? Vou ver lá no Rabiscola e no outro blog. Mas não acho que as minhas sejam pérolas não. Tem muita coisa horrorosa e tb muita repetição. Eu tenho que selecionar ao máximo. Quando dá pra usar 5% já é muito.


Andrea, eu sou assim, um vulcão extinto, fazer o que? Isso de vulcão é normal em qualquer feira de ciência que já vi. Não faço a menor idéia como eles fazem. Mas, digamos, educação sexual afeta mais a nossa vida que vulcão em erupção. Ainda mais num país onde graças a deus não temos vulcões (só nas feiras de ciência). Muita gente escreve sequisso. Eu fico impressionada. Começou com uma leitora bem-humorada, não lembro qual, acho que foi a Batata Naomi, escrevendo sequisso num comentário. Desde então começou a aparecer bastante gente procurando por isso. É COMUM! Eu sei que a piada do Tutubarão não é a oitava maravilha do mundo, mas é a única que sei contar. Quer dizer... tem vezes que erro a ordem.

L. Archilla disse...

"Sequisso com todos os tipos de seres" me lembra Coiote, do Roberto Freire. Já leu?

lola aronovich disse...

D, que bom que vc riu, e muito, ainda por cima! Não acredito que mesmo na faculdade vcs não podiam falar de aborto! E tinha que ser um tema polêmico?! Eles queriam que vcs falassem de quê, por que M&M's amarelos são mais procurados que os azuis?


Mãe, vou tentar continuar com a série do Google. Agora estou com uma grande lista que venho catando faz tempo, mas às vezes não vem nada que presto. Muitas coisas horríveis e repetidas. Ah sim, por favor, conta o que vc se lembra da tal feira de ciências. Manda pra mim, quem sabe vira um guest post? Pois é, o Ignácio (meu irmão) tá no cantinho da foto, fazendo careta. Lembro que ele ficou lá um tempão. Eu tenho mais duas fotos dessa feira. Uma dá pra ver o Mr. Perry (meu professor de ciências), avaliando, e noutra, eu e a Sabina. Mas as fotos estão péssimas, quase não dá pra ver. Foi vc que tirou, né? Acho que não havia luz.

lola aronovich disse...

Babs, uau, que história a sua! Muito relevante pra discussão. Primeiro porque faz pensar no que é essa indústria das cesáreas que existe no Brasil. Aqui é o país em que mais se realizam cesareanas no mundo, né? Faz parte da cultura. Mas ninguém fala que pode dar problemas, que a cicatrização é muito mais demorada... Tsc tsc. Eu nem posso falar muito porque não tenho nem terei filhos, e acho que a mulher deve poder escolher o que quer pro seu corpo. Mas tem que ser informada dos prós e contras. O parto natural realmente parece ter muito menos contras, a julgar pela Organização Mundial de Saúde. Ai, Babs, quer saber? Vou ter que transformar seu comentário num guest post, posso? Tá muito interessante e merece uma discussão por si só. Se quiser complementar mais alguma coisa, manda pra mim, ok?


Ahn, Leila, eu não entendi a sua piada. Explica pra mim? (vc precisa ver a minha cara de vergonha neste momento pra pedir pra explicar). Ninguém entende a minha piada do Tutubarão mesmo! É, esse tipo de ed sexual de que sexo é só pros casados não funciona. Quer dizer, eu acho que o envolvimento emocional deve ser mencionado, acho que pode e deve ser dito que sexo com amor é diferente de sexo ocasional, sem envolvimento. Mas pô, o pessoal é adolescente! Obviamente vai ter mais relações sexuais ocasionais, sem conhecer direito o parceiro/a, que “com amor”. Também acho que precisa ser alguém mais liberal pra ensinsar ed sexual numa escola.

lola aronovich disse...

Gio, puxa, horrível isso que vc conta dos métodos anticoncepcionais na zona da mata. Aliás, falar da relação entre Estado/anticoncepcionais/tratamento de mulheres já daria um belo post, né? E essas esterilizações em massa que ocorreram por aí, sem que as mulheres sequer soubessem?! E trocar voto por laqueadura?


Chris, obrigada, mas não seria não. Às vezes eu me acho engraçada, às vezes não. O maridão raramente ri das minhas piadas, se bem que ele só ri das próprias. Mas sexóloga eu sempre achei uma profissão ótima! Quanto às piadas, eu sabia algumas dos tomates. E aquela: como se chama um pontinho amarelo no meio de um grande azul? Resposta: Ruffles, a batata da onda!
(Tá, essa só tem graça depois de vc contar várias piadas infames com Ruffles. Aí essa fica hilária, de fazer xixi nas calças. Falo por experiência própria).

lola aronovich disse...

Bel, eu tb esqueço as piadas! Sou uma negação. Tinha uma amiga que era A PIOR pra entender piadas. Ela nunca entendia. O pessoal perdia a paciência com ela. Aí ela começava a rir... no meio da piada. Era muito triste.


Elyana, ah, tem essa mulher no Altas Horas? Eu nunca vejo isso! Puxa, mostrar pintos podres não é ed sexual! É terror! Que absurdo. Será que isso é eficaz? Faz algum adolescente deixar de transar, ou só associa sexo a coisas nojentas e a doenças?

lola aronovich disse...

Li, ah, tava com saudades da sua risada quilométrica! Então, vamos ver. Se o google search colaborar, os comentários googlísticos voltam.


Barbara, é uma conspiração! Agora é oficial! Obrigada por me mandar a lista, querida! Preciso fazer posts sobre várias listas.


Não, Lauren, não li Coiote! Sobre o que é? Aposto como o Roberto Freire nunca escreveu sequisso!

L. Archilla disse...

caramba, aula de educação sexual me lembra um episódio...

na 6a série, uma especialista em alguma coisa foi dar uma aula de educação sexual pra gente. meninas separadas de meninos, claro.

eu me lembro q tava achando tudo aquilo muito chato, muito be-a-bá... então, quando veio a parte das perguntas, eu aproveitei pra agitar um pouco... eram perguntas anônimas feitas através de bilhetinhos. rasguei um pedaço de papel do meu caderno e escrevi: "quantas costelas preciso tirar pra conseguir fazer sexo oral em mim mesma?"

lembro até hoje da cara de choque da muiézona. AHAHAHHA

Débora disse...

A lava do vulcão é bicarbonato de sódio com vinagre e corante.

Aulas de educação sexual foram na 5ª série com a professora de ed.física e só para as meninas e foi basicamente sobre menstruação.
Na 6ª, um professor de geometria e ciências tentou fazer uma espécie de tira dúvidas sexuais na sala de aula e quase perdeu o emprego. Alguns pais souberam e ficaram horrorizados, mas nem foi grande coisa a tal aula pois os meninos não paravam de rir e as meninas mal conseguiam olhar para o professor.
Talvez hoje os alunos não fiquem tão constrangidos e os pais não tenham esse tipo de reação.

Já percebeu que a maioria das buscas é de cunho sexual? Com tanta coisa legal na internet e esse povo perde tempo com pornografia.

L. Archilla disse...

Coiote é um romance bicho-grilo, onde os caras transam com o vento, a cachoeira... e tem gente que acha que é obra-prima. só rindo, mesmo.

june carter disse...

NOSSA!!! "Quais posições um marido deve usar pra estuprar a própria mulher video"
?????
creeeedooo!

entao, lola, eu ainda num to 100% (alias num to nem 25%), mas acho que ja esta rolando um efeitinho placebo apos 5 dias tomando o remedio, viu... sinto um pouco menos de tristeza.
to ate confiante que vou sair dessa!
:)
(brigada por perguntar!)

ah, e eu esqueci de dizer que eu ADORO essa piadinha do tu-tubarao!
hahahahaha!
eh tao boba e tao fofa!

um beijao pra vc!!!!

Samantha disse...

Lembro q tive aula de educacao sexual na quinta ou sexta serie. Era um material preto e branco, xerocado... mal dava para ver `as coisas` ..rs. No entanto, o material nao tinha muita informacao sobre camisinha, metodos anticoncepcionais, etc. Essa informa'cao me foi passada, coincidentemente, em uma feira de ciencias...rs. Minha prof. de ciencias fez uma apresentacao sobre o assunto, levou penis de borracha e tudo ..rs.

Eu encarei aquilo com naturalidade. Nao que eu ja soubesse tudo, mas meus pais sempre trataram o assunto com naturalidade, embora com muita discricao.

Achei q o ensino na minha escola foi bom nesse quesito. Mas eu ainda acho que deveiam ter falado mais sobre o assunto. Quanto mais falar, melhor. Se precisar fazer teatro, apresentacao, feira de ciencias, filmes, etc. Qualquer material pedagogico, bem preparado 'e valido. No final da decada de 90, quando fiz o ensino medio, ainda havia muitas adolescentes gravidas na escola. Lembro de umas 2 colegas minhas que ficaram gravidas.

Andrea Cristina disse...

Oi Lola, tive educação sexual na escola. Mas muito generalizada e muito fraca. A maioria das coisas que víamos era na aula de ciências, mas o professor era um palhaço e não comentava nada sem fazer alguma piadinha idiota.

Minha mãe falou comigo sobre sexo, mas muito pouco também. Ela tinha muitos livros (Todos quadradoes, e com figuras esdruxulas)que ela me emprestava pra ler. Mas espero, se tiver filhos, falar com eles mais abertamente, com menos vergonha.

Ah! Lembrei agora também da Sue Johanson, terapeuta sexual que tem um programa da GNT, conheces?


PS - Totally absent minded, mas ainda nao tinha me tocado que nao tinhamos vulcões no Brasil. É mesmo, entao pra que temos isso nas feiras de ciências???

Giovanni Gouveia disse...

Bem, eu estudei em colégio de padres da 5ª à 8ª série, na sétima, em ciências, era sobre o corpo humano além de uma matéria sobre "programa de saúde", e, claro, aparelho reprodutivo era uma das partes a ser estudadas. No primeiro dia de aula a professora Betinha, uma biomédica, avisou logo: "quando chegar a parte de educação sexual não vou tolerar nenhuma risadinha em sala de aula, caso contrário os responsáveis irão para a coordenação", e, apesar de ser uma turma mitológica do Salesiano do Recife, até hoje o coordenador da época lembra, quase que chorando, de tão baderneiros que éramos, a sétima série G aprendeu tudo direitinho sobre séquiço

Babs disse...

Claro Lola! É uma honra! Agora, nesse instante não posso escrever mais detalhes, mas mais tarde eu volto. Tô ocupada fazendo chocolate...
Adoro esse tema, como já disse.
Bjs!

june carter disse...

lolaaaa! vc entendeu errado!
nao eh meu namorado o cara cabeludo, barbudo, maconhudo do post, nao!
eh o cara que mora com a gente!
na mesma casa moramos eu, meu namorado (que nem maconha num fuma) e esse cabeludo-madaleno-arrependido!
hahaha!
:)

marjorierodrigues disse...

Eu tive sorte de ter tido aulas de educação sexual bem boas em uma das escolas onde estudei -- e olha que era um escola pequena, administrada por 3 irmãs (e, a cada ano, aumentava uma série. A escola crescia junto com as crianças), na periferia.

Mas tinha até uma psicóloga que eles contrataram pra "tirar nossas dúvidas" quando a gente precisasse. E isso foi na 5a ou 6a série, quando a maioria de nós nem pensava em fazer sexo ainda... Mas acho que é a época mais ou menos certa, porque é a puberdade e a gente quer entender o que tá acontecendo com o corpo da gente.

Por causa das aulas, eu me senti mais à vontade pra falar com minha mãe sobre o assunto. E, ainda bem, tive boa receptividade. Apesar de batista (o que serve pra mostrar que nem todo religioso tem cabresto), minha mãe é super a favor da educação sexual e até hoje nós conversamos sobre TUDO, muito abertamente.

E ela tentava fazer isso com minhas primas também, a maioria delas criadas num ambiente muito machista e religioso (minha família quase toda é evangélica). Minhas tias ficavam horrorizadas quando minha mãe dizia para as sobrinhas usarem camisinha, assim na lata, no meio do almoço de natal. Não sei se fez muito efeito, pq várias de minhas primas casaram grávidas e/ou são tão submissas aos maridos que chegam a colocar a comida no prato e levar à mesa pra eles em todas as refeições. Dá até dó. Mas pelo menos ela tentou.

Acho que minha mãe é assim porque ela própria engravidou aos 17 anos -- segundo ela, "porque não tinha muita informação". E, por ter engravidado cedo, teve que sustentar a filha cedo, foi trabalhar fora e ficou independente. O dia que meu pai levantou a mão pra bater nela, ela denunciou. Como nada aconteceu (erma tempos em que agressão se pagava com cestas básicas...), da segunda vez ela revidou. Meu pai tb cresceu num ambiente muito, muito machista, mas a gente foi "educando" ele. Depois de ter duas filhas e viver cercado de mulheres, hoje ele tem um comportamento exemplar e pede mil desculpas à minha mãe por sequer ter pensado em bater nela um dia.

Enfim, divaguei.

Quanto à minha mãe, ela continua contra o aborto, "porque, se todo mundo souber se cuidar, vai ser muito difícil engravidar sem querer". A gente às vezes discute sobre isso, mas respeito a opinião dela assim como ela respeita meu ateísmo. Acho que este é um meio termo bom entre o que a religião dela prega e o que ela considera certo...

Enfim, viajei total com o comentário, rs.

Sanduca disse...

Adorei a foto!! Por acaso é o Inácio no cantinho?? Vc pode ter certeza q para mim vc foi uma professora no assunto sexo. Sempre te achei a frente do "nosso" tempo...as vezes ate demais devo confessar.
Eu adoro sua maneira de escrever!!!

lola aronovich disse...

Lauren, ha ha ha! Coitada da mulher! “Quantas costelas preciso tirar” é ótima! Imagino a reação das suas coleguinhas.


Débora, obrigada por falar como funciona o carvão. É só isso? Até parece fácil!
Já que estamos falando de aulas de ed sexual, uma leitora avisou que saiu isso no Fantástico. Eu até queria escrever um post sobre isso, mas não terei tempo agora. Então, um pai em S. José do R. Preto reclamou do pênis de borracha levado pra aula de crianças de 12 anos. O que vcs acham?
Eu pergunto pq vc diz, Déb, que talvez hoje os pais e alunos não tenham essa reação... Não mudou muita coisa, né?
E é verdade, parece que pra muita gente (homens, principalmente) a internet serve pra sexo. E só. E o pior é que é pornografia da pior espécie, que lida com estupro, pedofilia, zoofilia... Pra mim isso nem é sexo. É doença e comércio.

lola aronovich disse...

Lauren, ah tá... Então é isso mesmo, sequisso com vários tipos de seres.


June, querida, desculpe, entendi TUDO errado. Isso que dá ler um post antes do outro e ainda ler rápido. Mas então a mãe perua é a do seu namorado ou do barbudão? Que bom que o remédio já tá começando a fazer efeito. Às vezes eles são mesmo necessários. Já já vc sai dessa. E pelo jeito o efeito é tão imediato que vc já tá rindo de piadinha infame como essa do Tutubarão!

lola aronovich disse...

Samantha, pois é, sinceramente, se nem numa feira de ciências se fala em sexo, vai se falar de quê? Vulcões, hamsters? São assuntos importantes, lógico, mas sexo tá incomparavelmente mais presente nas nossas vidas. E escola precisa ser lugar pra se falar nisso, sim. Faz parte da educação! E precisa ter muita informação pra parar com isso de adolescente engravidar.


Andrea, pô, professor palhaço não ajuda em nada nessa hora. Sei lá, em muitas das minhas aulas de inglês com adolescentes o assunto, não sei por que, muitas vezes descambava em conversas sobre sexo (em inglês!). Eu não fazia de propósito. Acho que eles tinham muita intimidade comigo porque eu não sou nada mandona, sei lá. Mas a gente falava bastante, e eles tinham cada dúvida.. Eles não falavam com os pais. E eram adolescentes de 13 a 16 anos, e os pais não falavam com eles, não ensinavam ed sexual na escola... Aí fica difícil, né? Eu vi um ou outro programa com a Sue J. É aquela velhinha, né? Gostei! Ah, vulcões nas feiras de ciências é só pra manter a tradição, eu acho. Deve haver uma lei dizendo que feira sem vulcão não é feira!

lola aronovich disse...

Gio, que bom que eles ensinaram sexo num colégio de padres. E talvez a professora tenha sido um pouco rígida demais, mas parece que deu certo, né? Porque acho que tem boa parte da sala que quer prestar atenção e aprender ed sexual, e tem outra que fica fazendo gracinha de tão nervosa e imatura. Isso atrapalha!


Babs, eu também adoro o tema chocolate! Foi isso que vc quis dizer, espero!

lola aronovich disse...

Marj, adorei a sua história. Primeiro que fiquei admirada pela postura da sua mãe. É bom saber que nem todos os evangélicos tem cabresto. Mas sua mãe deveria saber, por conta própria, obsrvando as sobrinhas, que estamos longe ainda de ter muita informação sobre sexo. Ainda é tabu! Fico com pena das suas primas, puxa.
Mas o que mais gostei foi que vcs conseguiram reeducar seu pai. Isso me dá esperança. Então é possível “reformar” uma pessoa!


Sanduca, querida! Que bom te ver por aqui! (pra quem não sabe, a Sanduca é uma grande amiga minha da época adolescente em Búzios. Hoje ela mora no Rio - quer dizer, já morava antes - e está curtindo sua primeira filhota). Então, esse no cantinho é o meu irmão Ignácio mesmo.
Ai, que bom saber que fui sua “professora” no assunto! Quanto estar “à frente do tempo” é só que eu era um ou dois anos mais velha, então, quando a gente é adolescente, esses anos a mais pesam muito. E também porque enquanto vcs estavam todos aí fumando maconha, eu tava transando! Muuuito melhor, né?
Ah, eu lembro de tanta coisa... Lembro de vc e da sua amiga (Adriana, né?) no meu quarto em Búzios, e aí sei lá de onde saiu uma revistinha Forum da Penthouse e a Adriana, que era excelente atriz, começou a ler as histórias com a entonação adequada. Aquilo foi tão hilário! Lembra? A gente riu horas daquela pornografia fajuta!

Juliana Bittencourt disse...

Juro que não entendi porque o seu blog não está nos blogs amigos, mas erro consertado.

Estou indo amanhã, pra ser mais exata. Tá uma loucura isso aqui, tentando arrumar tudo e ainda com coisas pra resolver... mas ainda é só de férias, infelizmente. Vamos ficar numa rua chamada Prentis, conhece? É perto no University Towers.

Ah, e nem te contei a melhor de todas: o Nick não votou! E nem foi por esforço meu. Ele tava toooodo atolado com trabalho e prova, não sabia direito onde era o local de votar dele, ainda mais porque na identidade dele só tem o endereço de Kalamazoo, aí ele nem sabia se não ia perder tempo de achar o lugar, ir até lá e nem poder votar, e acabou não indo, hahaha. Eu nem discuti muito, né?!

thais disse...

sentia falta das pesquisas do google que caem no seu blog. É muito engraçado! Perguntas bizarras e ortografia mais bizarra ainda. "Sequisso"!!!
Comento muito pouco, mas sempre leio seus posts e os comentários que deixam.
abraço.

Suzana Elvas disse...

"Como nada aconteceu (eram tempos em que agressão se pagava com cestas básicas...)"

Marjorie, esse tempo não acabou. Ainda é assim, infelizmente. A única diferença é que, condenado, se o dito cometer qualquer outro crime não será mais considerado réu primário. Só isso.
Bjs

Voz no Deserto disse...

amo seus posts!

é incrível que mesmo com tantas e tantas coisas evoluindo.. o tal assunto do sexo ainda é difícil para os pais.. mas a maneira como os pais abordam a sexualidade afetará totalmente, a sexualidade de seus filhos..

abraço

Cristina disse...

Lola

Tenho acompanhado o teu blog a um bom tempo e estou amando!
É ótimo ver uma mulher feminista, antenada com a realidade e com senso de humor.
Sabe o que mais...é ótimo e não é incomum, eu conheço várias e sei que tu também conhece. Mas o que as pessoas fazem questão de difundir é que somos mal-humoradas, mal-comidas, mal-vestidas e outros mals.
Adorei o tema da feira de ciências, eu falei sobre sexo na escola na 7ª série, minha professora era avançada para a escola. Passou um poligrafo com todos os métodos anticoncepcionais, trouxe vários deles para aula e ainda sugeriu que a gente deixasse o poligrafo para nossos pais lerem, afinal eles não deveria saber várias coisas que estavam ali. Ainda lembro a cara da minha mão quando mostrei pra ela. hehehe

PARABÉNS PELO BLOG E PELA FORMA
COMO DEFENDE AS TUAS POSIÇÕES!

Já indiquei teu blog para várias amigas e amigos!

Grande abraço

Cristina
Caxias do Sul - RS

Masegui disse...

Lola,

Você contando piada é uma piada!

Aula de educação sexual... no meu tempo não tinha essas pouca-vergonha (1922 + ou -)

Aliás, lembrei, na 7ª ou 8ª série uma colega ficou grávida e a professora de português tentou dar uma aulinha preventiva (ela era anos luz avançada), mas a galera ria tanto que não funcionou...

Certa vez eu perguntei a uma tia qual a melhor maneira de evitar doenças, gravidez, etc. Ela respondeu na lata "suco de laranja!" Eu perguntei "suco de laranja? mas como? antes ou depois?" e ela respondeu "ao invés de" :)

Volte com as besteiras do google, volte, pelamordeDeus!

Vocês agora me deixaram na dúvida: é sequisso ou sequiço?

Débora disse...

Na minha época, 12-15 anos era criança, brincávamos no recreio e sequer pensávamos em namoradinhos quanto mais em sexo, talvez os pais queriam proteger essa infância, mas hoje em dia, uma garota de 10 anos é bombardeada com o assunto sequisso a todo momento e ignorar isso é irresponsabilidade dos pais, por isso achei que hoje, os pais estariam mais conscientes da importância da ed.sexual, mas pelo visto ainda preferem fingir que filho não tem vida sexual.

Anônimo disse...

Lola posso ficar anônima, só hoje?
Vamulá:
1)Adorei o post.
2)Sem dúvida, você é uma comediante!
3)Me masturbei a primeira vez na
sala de aula, na terceira série primária(a profa. e a aula eram chatas), daí fui contar no confessionário e o padre ficou resfolegando lá dentro. O que seria, um mal súbito nele, Lola?
4) Contei pra minha mãe (do lance na escola)ela falou que aquilo era deselegante, para meninas. Pôxa custei a me livrar daquele costumezinho feio...mas acho que ainda não me livrei por completo.
5) Lola agora meu grande problema é que não lembro mais o que significa a expressão "fazer sexo".
HAHAHAHAHAHAH hoje eu li na revista Época que uma mulher dos EUA está lançando um livro macanudo
sobre um anúncio que ela colocou no jornal, aos 62 anos, assim:
QUERO FAZER MUITO SEXO. Vou comprar
o livro dela, pra ver se eu lembro
daquilo. Ehehehehehe. Lola não me entregue OK?

L. Archilla disse...

Anônima, oq era deselegante? masturbação ou masturbação em público? pq, se for a segunda opção, acho q concordo com ela... ;)

Masegui disse...

Êpa... "macanudo" é suspeito! :)

Anônimo disse...

L. Archilla vamos ao modo de Jack:
x)uma criança de 8 anos não se masturba do mesmo modo que um adulto, ou seja com a sequência:
vida - petit mort - ressurreição
y)lógico que a coisa era apenas um toque por sobre a roupa, discretamente, sob a carteira, sem
nenhuma explosão reichniana Digamos que era um aprendizado, um reconhecimento dos próprios territórios, averiguações in loco, etc
z)criança não tem muito essa noção de privacidade quando ela viaja e
nem acha que aquilo seja algo errado.
Por último: mamãe estava se referindo exatamente ao seguinte:
não ficaria bem uma mocinha fazendo
aquilo.
Fica tranquila L. Archilla, já perdoei: mamãe por ser ingênua.
o padre: por não segurar a onda dele sob a batina.
a professora: por dar aulas enfadonhas.
Aproveitei o embalo e me absolvi daquela, e das outras oitocentas mil e quarenta e tres vezes que se seguiram, pelos anos a fio.
Ih ih ih

iaeeee disse...

Bom, com certeza vc não ia mandar o pessoal do aeroporto relaxar e gozar só por ser sexóloga, né? Hehhe

Gabriela Martins disse...

Amei o post tb, assim como eu adoro o Monthy Phyton. Eh sempre bom rever alguma coisa dos caras.

lola aronovich disse...

Ju B, boa viagem hoje! Sei onde é Prentis, sim. Havia vários apês pra alugar por lá. Acho que é bom. E que ótimo que o Nick não tenha votado! Menos uma mácula no passado dele... Abração!


Thais, vou tentar colocar mais buscas do google, mas às vezes não é fácil. Cai muita coisa relacionada com pornografia, e é bem repetitivo. Abração!

lola aronovich disse...

Su, pois é, quando será que bater em mulher será considerado crime de fato?


Voz no Deserto, realmente, difícil entender como pais e filhos falarem de sexo segue sendo um tabu. E concordo, a visão dos pais vai afetar a sexualidade dos filhos.

lola aronovich disse...

Cristina, que legal ouvir isso. É, eu não acho incomum feministas com senso de humor. O pessoal que fala bobagem de feminista é porque não conhece nenhuma, né? Agora, sobre ser mal-vestida... Ahn, muita gente diria que eu sou.
Que ótimo isso da professora sugerir aos alunos mostrar o poligrafo pros pais. Porque ed sexual pode ser algo contínuo, não só pra adolescência. E os pais vão aprender sobre sexo aonde, lendo Nova e Playboy ou assistindo novela?
Apareça sempre, Cris, e continue indicando o meu humilde bloguinho. Abração!


Ha ha, Mario Sergio! 1922, é? Tá mais pra 1822! Gostei da dica da sua tia sobre sexo de laranja. Comigo não funcionaria. Se ainda fosse “chocolate ao invés de”...
Existem muitas variações sobre o tema, sendo que sexo não é um assunto acabado: sequisso, sequiço, séquiço, sekisso, etc.

lola aronovich disse...

Concordo totalmente, Débora. Uma menina de 10 anos “desperta” pra sexualidade muito antes que a nossa geração. Ela é forçada a isso por causa da mídia. É uma sexualidade precoce, e não é legal. Por isso, acho importante que haja ed sexual nas escolas já nessa idade. Inclusive pra contrabalancear o sexo-tipo-consumo vendido pela mídia.


Anônima, como posso te entregar, se não tenho a mínima idéia de quem vc é? Mas gostei das suas experiências! Pois é, se masturbação ainda não é bem vista entre os meninos, o que dirá pras meninas? Nessas horas que a gente vê como a divisão entre os sexos segue enorme. Masturbação é considerada “deselegante” pras mulheres porque quem disse que mulher deve sentir prazer ou explorar o seu corpo?

lola aronovich disse...

Lauren, é, eu também acho que ninguém deve se masturbar em público. Mas quando a anônima disse, não pensei em algo muito escancarado.


Mario Sergio, também achei macanudo suspeito... Será que a anônima é da sua época, 1922, por aí?


Anônima, obrigada pelos esclarecimentos. E que ótimo que vc conseguiu perdoar a todos e continuar tendo uma sexualidade saudável. Abração!

lola aronovich disse...

Iaeee, eu queria ser sexóloga, não política. Política dá muito pepino.


Gabriela, também adoro Monty Python. Eu preciso assistir Vida de Brian de novo.

Taia disse...

Oi Lola! A tua piada de fofoca é "fraquinha", mas os teus comentários em torno dela são ótimosss, me fez rir pro pc, hehe. Tb adorei a resposta para "com que idade transar". Vc já leu aquele texto da sexóloga estressada? É meio "besta", mas tb dá pra rir um pouco (se vc não conheçe o texto me fala que eu te envio).

Eu já dei aula sobre sexo para jovens de 12 a 17 aninhos, foi bem divertido (é claro que os meus aluninhos não tem noção do quanto me diverti com a ingenuidade deles). Só que depois dessas aulas eu nunca mais consegui ficar na sala-dos-professores nos recreios (essa palavra ainda existe??). Assim que dava o sinal para o intervalo as meninas me "arrastavam" junto com elas para o banheiro feminino e lá me enchiam de perguntas e pedidos de conselhos. A carência de muitos jovens em ter com quem conversar francamente é assustadora.

Dia 10 tem um evento legal aqui em Joinville para comemorar os 60 anos da Declaração dos Direitos Humanos. Vc vai?

Bjsss
Taia

Aline S. disse...

Lola, pesquisas médicas já nos mostraram que as crianças de hoje "despertam" sua sexualidade mais cedo do que nunca, em alguns casos antes mesmo dos 7 anos de idade. Uma das causas dessa puberdade precoce é cultural: através da super exposição e exploração do corpo da mulher em programas de televisão, anúncios de moda (me lembro de um anúncio que vc postou ao comentar o estupro em Joaçaba), e propagandas de cerveja, por exemplo, que induzem ao imenso apelo da busca por um corpo perfeito (dentro de um certo padrão que sabemos bem qual é), além, claro, da presença cada vez mais constante e explícita de imagens de caráter sexual, ao alcance do controle remoto ou do mouse. Acho realmente louváveis iniciativas de preparação e instrução sobre sexualidade para crianças e adolescentes, principalmente através do diálogo. O que eu acho crucial, também, é que o diálogo não deve ser apenas para explicar e orientar, mas também para habilitar esses jovens ao discernimento frente ao material exposto por aí. É fundamental desenvolver a capacidade de perceber que não é por acaso que uma propaganda de um certo colégio de classes média e alta de Florianópolis mostra mais de 10 imagens diferentes de uma menina bonita e sorridente estudando, e apenas 1 imagem com um menino (abraçado a 2 gurias!). Não é por acaso mesmo, é uma questão de imagem que vende porque é feita para atrair!! É super necessário, embora complicado, transformar uma questão cultural enraizada assim, não acha?
ps- espero vc em Floripa semana q vem, tá!

Aline S. disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
La Mamacita disse...

SANDUKA!! Querida!Que alegria te reencontrar, agora mamai, vejam só. Como se chama a bebita? Manda uma foto, please? Enormes saudades de nossas épocas de Búzios, enormes. To querendo muito te ver. A Consu chega dia 21, faltam 17 dias. Vamos nos ver neste verão, sim? Beijos mils e carinhos pra teus pais. Parabéns!! Nelly. La Mamacita

La Mamacita disse...

June Carter,
Ta muito tristinha, amor. Já vai passar. Vai sair do buraco negro e voltar a dar boas risadas. Tenho muita experiência nisso. A gente cura com os remédios e com um pouco de tempo pra gente. Tomar banho de banheira ajuda, com sais coloridas, como a Lolla Moon, comer comidinhas gostosas. Escutar seus discos preferidos. Tomar sol também ajuda. Muito amor do namorado, então. Mando um beijo grande. Força! Adorei teu post homenagem a minha inimiga. Preciso e cheio de humor. Nelly

lola aronovich disse...

Taia, nunca pensei que vc seria do tipo de MORRER de inveja da minha habilidade pra contar piada! Não é pra quem quer, é pra quem pode, viu? Ha ha, que legal que vc gostou. Eu vi o texto da sexóloga estressada.
É verdade, os adolescentes têm uma carência muito grande de gente com quem conversar sobre sexo. É realmente impressionante como eles têm dúvidas. Por isso ed sexual tem que ser uma disciplina levada a sério nas escolas. Pode fazer muita diferença.
Dia 10? Eu vou estar em Floripa! E vc, vai? Depois me conta tudo.

lola aronovich disse...

Aline querida, concordo com tudo que vc disse. Ed sexual não deve ser apenas ensinar sobre sexo, mas também educar pra ter uma postura crítica diante do que a mídia fala de sexo. Perfeito. E isso das escolas e faculdades... Toda propaganda de escola/faculdade mostra meninas bonitas. Não entendo isso muito bem. Será porque as meninas já estudam mais que os homens mesmo? Então o jeito de trazer os meninos pros bancos escolares é falando “Olha só, aqui tem várias iguais a essa do outdoor”?
Semana que vem, sem falta. É dia 10, né? A gente ainda precisa combinar o que levar de comida. Any ideas?


Mãe, no orkut da Sanduca tá cheio de fotos dela e do bebê. (Pessoal, convençam minha mãe a entrar no orkut, que pra ela é um templo da perdição). E tomara que a June leia o seu coment. Podia deixar lá no blog dela. Ela é uma gracinha, né? Opa, talvez vc queira ir, mãe, nessa comemoração dos direitos humanos? Pode ir com o seu genrinho querido.

La Mamacita disse...

Marjorie, você é um docinho. Adoro seu relacionamento com sua mom.E o humor de seus comentários. Brava moça, eu gosto muito de você. Nelly

La Mamacita disse...

Masegui,
tem razão. A Lola não leva jeito pra contar piadas. Já sua tia...E o jeito como você conta. Adorei.


Vou sim, Lolô. Eu sou toda direitos humanos, você sabe. O Silvinho sabe donde é? Nelly

Lila disse...

Puts, dá até vergonha escrever minha vivência, eu simplesmente não tive nenhuma orientação sexual em casa. Tive uma criação machista e a ínica coisa que meus pais me ensinaram sobre relacionamento é que homem não presta e que mulher deve ser cortejada e não tomar a iniciativa. Graças a Deus conheci meu namorado, que tá aí para provar o contrário, inclusive fui eu que o paquerei 1º.
Na escola, também não tive orientação, só tivemos umas aulas sobre sistema reprodutivo com uma professora muito legal do 3º ano.
Tudo que aprendi sobre sexo na adolescência li em revistas do tipo Capricho e em alguns livros e perdi a virgindade tarde, aos 19.
Agora me lembro de uma viagem de carro que estávamos fazendo, eu lendo um livro, me irmão olhou a figura e fiquei com vergonha, a figura era algo muito "erótico", imagine só: o desenho de um útero. Claro que quero mudar isso qdo tiver filhos, quero conversar sobre tudo com eles.

Lila disse...

No lugar de ínica, leia-se única.

lola aronovich disse...

Mãe, acho que o Silvinho nem tá sabendo que vai ter algo assim. Quem avisou foi a Taia. Quem sabe vcs conhecem a Taia no show?


Lila, que ruim, e isso que vc é jovem. Ou seja, a gente pensa que pessoas da sua idade já pegaram pais menos moralistas, mas não... Bom, o importante é que vc não vai repetir os erros deles. E vc conseguiu se tornar uma ótima pessoa, apesar das falhas na educação (pelo menos na educação).

Lila disse...

Lola, meus pais me ensinaram valores éticas: como honestidade, o incentivo ao estudo e à cultura, não mentir, ajudar quem precisa. Mas no campo da sexualidade e relacionamento eles foram omissos. Hoje entendo que eles falaram que "homem não presta" pra tentar me proteger e me deixar esperta contra os canalhas. Mas eu quero fazer diferente com meus filhos.

Anônimo disse...

E muito bom ver uma opiniao proficional...o meu problema e um pouco serio nao tenho minha vida sexual ativa sou casada com um Françes passamos ate 50 dias sem fazer nada;;;; meu interesse sexual por ele acabou por muitas vezes eu tentei chegar perto pra acontecer algua coisa mas sempre nao funcionava as vezes caio em depreçao nao sei aceitar o jeito dele de encarar o sexo...nao entendo como um homem pode ser tao frio...nosso relacionamento pede socorro eu tento mas e o jeito dele nao tem como mudar....ja tentei fazer muitas fantasias roupas intimas durmi nua mas nao funciona,,,,depois de ate 50 dias acontece uma vez por k ele ver k estou nervosa, depois e esperar os dias passar pra acontecer...ja tentei encinar minha maneira mas ele nao tem criatividade ja me cansei de sempre ser eu k tomo as redias na cama, o pior e k quando acontece nao me realiza sexualmente so k tenho k esperar alguns dias nunca fizermos 2 vezes em um dia so uma vez no dia k ele ver que estou istresada nao sei bem o k fazer quando vejo outros homens na rua tenho interesse sexual imagino como eles devem ser na cama etc preciso de ajuda mas sei k nao tem remedio sou um pouco quente pra ele,ele e frio d+++ pra mim...me ajuda por favor...