sábado, 17 de novembro de 2018

MÉDICOS BRASILEIROS PATRIOTAS QUE VÃO SUBSTITUIR OS CUBANOS, FAÇAM FILA

E o fascista eleito não para de mentir e passar vergonha
Ontem ele encerrou uma entrevista coletiva ao ser questionado sobre a saída dos médicos cubanos. Mas não sem antes falar um monte de besteiras contraditórias. Primeiro, disse que a situação dos médicos cubanos é "praticamente de escravidão" (como será que ele classifica a situação de professoras brasileiras que ganham metade do que um médico cubano ganha no Brasil?).
Em seguida, duvidou da qualidade do atendimento. "O que temos ouvido, em muitos relatos, são verdadeiras barbaridades. Não queremos isso para ninguém no Brasil, muito menos para os mais pobres". 
E concluiu: "Nunca vi uma autoridade no Brasil dizer que foi atendido por um médico cubano". Será que é porque as autoridades no Brasil têm plano de saúde e não vivem nos lugares atendidos pelos médicos cubanos?
Para combater mais esta onda de fake news que os bolsobots divulgam para justificar uma ação da piada internacional que virou presidente do quinto maior país do mundo, reproduzo o texto de Renato Janine Ribeiro, professor da USP e ex-ministro da educação:
Balanço da questão Mais Médicos, emergência (isto é, os médicos, sobretudo cubanos, que agora vão embora graças às decisões do presidente eleito) :
1. De mais de 10 mil que vieram, uns 150 processam para ficar aqui, com rendimento integral. A meu ver, uma pequena proporção.
2. Quando o programa foi iniciado, o DEM criou um telefone especial para quem quisesse desertar o programa e ficar aqui. Uns foram para os EUA, mais tentadores que o Brasil, aliás. Pelo que li na imprensa, não chegaram a dez.
3. Reportagem ontem falava de um cubano que saiu do programa, porque se casou com uma potiguar e hoje clinica aqui, normalmente. Ele lamenta o fim do programa.
4. Sim, a maior parte do pagamento fica com o governo cubano. Mas terça-feira fui tratar os dentes. A dentista fez um restauro e, quando assinei a guia, vi que ela (brasileira, formada pela USP) recebe do Bradesco Saúde R$ 17,37 pelo tratamento que fez em mim. É 1,5% do que eu pago de plano de saúde. 
Talvez fosse bom comparar o que é comparável.
5. Foi lembrado que em Cuba não há médico como profissional liberal. Todos são empregados do Estado. Mas no Brasil é cada vez menor o número dos que têm consultório próprio (profissionais liberais). Aqui os mais pobres usam o SUS (que é melhor do que se diz), a classe média paga convênio (que por sua vez paga mal os profissionais, ver caso da minha dentista acima) e só da classe média alta para cima é que se vai como praxe ao médico profissional liberal.
É bom comparar o que é comparável. 
Nunca defendi a ditadura cubana. Já a critiquei aqui e alhures, inúmeras vezes. Mas é preciso levar em conta a realidade, mais que as ideologias. E a realidade eu aponto num brinde que vai nos comentários: o município  amazônida que nem pagando 40 mil reais por mês conseguia médicos, isso antes do Mais Médicos. 
Não procurem soluções fáceis para problemas complexos. Elas não existem.
E uma rápida explicação do médico de saúde da família Daniel Sabino:

29 comentários:

titia disse...

Desde que ouvi essa papagaiada de que os médicos cubanos eram escravizados que duvidei. Agora, tenho certeza de que é mais propaganda mentirosa do mais descarado mentiroso que esse cabaré já teve na presidência. Na boa, eu desisti. Esse povo estúpido e orgulhoso da própria estupidez vai afundar esse país na lama.

Anônimo disse...

Conheço três estudantes de medicina. Nenhum deles quando perguntei pretende se candidatar a tal programa quando se formar.

Será que este país vai sobreviver ao governo desse anormal?

Henrique disse...

Solução fácil para problema difícil é contratar escravos cubanos.

Hanna Ribeiro disse...

Escravos? Leia a explicação do Daniel Sabino e tente aprender o que "era" o convênio brasileiro com Cuba. Pare de repetir como papagaio o que recebe nas correntes de whatsapp. Esse papinho de "trabalho" escravo é desculpa para defender as atitudes absurdas e ideologicas desse inepto que elegeram como presidente. Até pq as mesmas pessoas que vomitam que médicos cubanos são escravos defendem terceirização e esse absurdo de MEI até para empregadas domésticas (uma desculpa para tirar direitos trabalhistas). Aí acham lindo né? Poupe-me. E aprenda a ler o post antes de comentar. Faz mais sentido.

maguialto disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

https://brasil.elpais.com/brasil/2018/11/17/opinion/1542484079_447948.html

Anônimo disse...

[Entrevista] "Imprensa e ensino viverão sob ataque permanente na era Bolsonaro": pesquisador que monitora meios digitais afirma que estratégia de ataque usada durante a campanha do presidente eleito será mantida em seu governo, com foco nos chamados valores tradicionais da família https://www.wbca.st/yNdsHTw

Anônimo disse...

Não, Jumento robô. A ONU não respaldou Bolsonaro. ViVo mais uma vez foi enganado por fakenews. Continuaremos no mesmo assunto.

Jane Doe disse...

Eu sinto muitíssimo pelas pessoas que vão ficar sem atendimento médico. Sinto de coração. Na cidadezinha do interior de SC, onde vivi por muitos anos, tem um pequeno hospital. Uma das médicas era cubana, muito boa por sinal. Muito gentil no trato com pessoas (coisa cada vez mais rara nos prof. de saúde). Meu avô teve uma emergência e foi atendido muito bem e com muito carinho por ela (e olha que ele não é dos pacientes mais fáceis! Sabe idoso que volta a ser criança?).

Eu fiquei muito, muito triste com a situação. O que está acontecendo é por pura birra ideológica. DOS DOIS LADOS!!!! Por que de boa, eu acho SIM que o salário deveria ir integralmente para os médicos. Não acho correto o governo cubano receber pelo trabalho deles e repassar o que eles tem vontade. É quase como ter que pagar dois impostos: no país que você vive e no país de origem... é viver e trabalhar pra sustentar uma cambada de vagabundos que são a maioria dos políticos.

Vergonha para os dois países...

Cão do Mato disse...

A explicação para o governo cubano ficar com 70% do salário já foi dada inúmeras vezes. A adesão ao programa é voluntária. E o que você ACHA que eles devem fazer não vem ao caso.

Anônimo disse...

Boa noite,
Desde fazer quase 2 anos que não comento aqui , rsrsrs
Vim somente para dizer que inicialmente fui contra o programa mais médicos ( independente da nacionalidade destes ) e que hoje tenho vergonha de um dia ter pensado assim .
Literalmente cuspi pra cima e caiu na testa , pois vieram cubanas do mais médicos trabalhar comigo num momento eu que estava sobrecarregada e fazendo sozinha o serviço de 3 .
Eu não tenho NADA pra falar contra as médicas do MM que estiveram comigo ; e ao contrário do que imaginei , mesmo “ sem ter recursos “( falta de remédios, de insumos de materiais m de profissionais ) a vinda delas fez MUITA DIFERENÇA pra mim . E não só diferença pra “ dividir o serviço “ , mas como colegas de trabalho mesmo .
Poderia ficar escrevendo e falando horas sobre varias injustiças e discriminações que essas médicas sofreram aqui por parte de “ colegas “, ou sobre brasileiro que adorava meter o pau nelas, mas não sabia / não queria fazer metade das tarefas que elas sabiam e nunca se recusaram a fazer,
Aqui em Campinas que é cidade grande já falta médico mesmo sem os cubanos saírem , mesmo em postos da região central tem vaga que “ ninguém quis “ocupar. ...

Minha vida mudou muito de 4 anos pra ca,
Não tinha amigos com a mesma visão política e visão de mundo que eu, ( agora encontrei varios e jamais me sentirei sozinha nisso ) ; e isso prejudicava e “ contaminava “ meu discurso em varias questões, Estou refazendo a vida aqui há 4 anos ,e cada vez mais certa de que escolhi o caminho correto .

Beijo pra vc, Lola

Maria Valéria




Anônimo disse...

A situação é bem complicada. Porém, os governos anteriores permitiram que o Brasil se tornasse refém de Cuba num setor estratégico que é a saúde pública.

donadio disse...

"O que está acontecendo é por pura birra ideológica. DOS DOIS LADOS!!!!"

Pois é.

Um lado que, por pura birra ideológica, deixa a população mais carente do país sem atendimento médico.

E o outro lado que, por pura birra ideológica, coloca médicos à disposição da população mais carente do país.

Por algum estranho motivo, eu prefiro a birra ideológica do segundo lado.

*********************

Mas esse "doisladismo" está cansando. Não, não é um Fla-Flu. Quando o Flamengo ganha, eu não perco direitos. Quando o Fluminense perde, eu não amplio meus direitos. No caso, trata-se de ampliação ou redução de direitos. E, sabe de uma coisa, se um dos "lados" quer ampliar meus direitos por "pura birra ideológica", viva a birra ideológica!

lola aronovich disse...

Eu lembro que vc era contra os médicos cubanos vindo pra cá, querida Maria Valéria! Mas vc é muito diferente de vários dos seus colegas médicos, e estava aberta pra vinda deles. E lembro que vc foi mudando de ideia sobre eles à medida que vc convivia com eles. Que bom que vc está refazendo sua vida, querida! Se puder, volte a comentar aqui! Vc faz muita falta!

Anônimo disse...

Resumindo: Maria Valeria virou esquerdista.

Anônimo disse...

Explicação beeem rasa. Não sou a favor de ditaduras, mas tbm não é justo criticar por criticar.
Cuba é um país de pouquíssimos recursos e o dinheiro que recebiam do Mais Médicos representa uma boa fatia do seu PIB, não dá pra abrir mão disso de uma hora pra outra. Vc pode fazer inúmeras críticas ao país, mas não pode negar que é admirável um país pobre como aquele oferecer uma ótima educação e saúde gratuitos para a população, coisa que não temos aqui na nossa "democracia".

Ou seja, o dinheiro arrecadado tbm faz diferença na vida do povo cubano, é uma coisa muito maior do que dizer que é apenas um dinheiro pra "sustentar vagabundos". E os médicos que vieram de lá fazem muita diferença pra população pobre daqui, esse programa não podia ter acabado de forma tão leviana.

Fora que Cuba também faz missões humanitárias com seus médicos onde não cobra nada de alguns países, e o programa financia esse custo, me diga se isso é ruim.

Mas tbm concordo que poderia ser negociada uma porcentagem maior do salário para os médicos, mas se realmente houvesse boa intenção isso teria de ser feito com diplomacia, não com simples imposições.
E não foi birrinha das duas partes, desde o começo do programa o Bolsonaro foi contra, vivia difamando os cubanos e chegou a dizer que eram guerrilheiros disfarçados e outros absurdos. O cara foi um completo irresponsável e cagou pra população.

Anônimo disse...

Errado rsrss . Sempre fui de esquerda . Não " virei"
Maria Valéria:)

Anônimo disse...

Concordo Donadio !!!
Maria Valéria

Felipe Roberto Martins disse...

Como sempre a população mais pobre e necessitada vai sofrer ainda mais...

Anônimo disse...

Meu teclado nao acentua, so avisando.

Que eu saiba, Bolsonaro AINDA nao tomou posse e nem obrigou ninguem a sair do Brasil. Logo, quem esta tirando o atendimento aos brasileiros eh o governo cubano que apesar de ter os medicos mais picas da galaxias da medicina mais pica das galaxias nao querem passar pelo Revalida.

Cristiane Lira disse...

O governo de Bolsonaro vai acabar com a pobreza. A primeira medida tomada é deixar que os mais pobres morram privando-os de médicos.

Cristiane Lira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Me incomoda o "um peso, duas medidas". Nesse caso, se o contrato diz que o governo cubano pode reter 70% dos rendimentos dos trabalhadores que vem para o Brasil, tudo bem. Ninguém é obrigado a aceitar.

Mas quando o assunto é reforma trabalhista, reforma da previdência, a conversa é bem diferente.

Cristiane Lira disse...

Na Venezuela todo mundo morre de fome, por isso a direita critica o regime venezuelano. Aqui só vão morrer os mais pobres sem tratamento médico. Dos males o menor, dizem os bolsominions.

Verdade 07:44, mas este comportamento de "dois pesos, duas medidas" não é exclusividade da esquerda. Você ainda não percebeu isso?

Anônimo disse...

Cristiane, concordo que esse comportamento ocorre dos dois lados e ambos me incomodam.

Anônimo disse...

Esse povo da esquerda que chama Bolsonaro de facista é esse povo da direita que chama PT de comunista não percebe que só está ressaltando a própria ignorância. Vão estudar história! Lola, por favor, você é professora, não deveria ser tão leviana com o que escreve só por ser contrário à sua ideologia política.

Anônimo disse...

Anônimo disse...

Esse povo da esquerda que chama Bolsonaro de facista é esse povo da direita que chama PT de comunista não percebe que só está ressaltando a própria ignorância. Vão estudar história! Lola, por favor, você é professora, não deveria ser tão leviana com o que escreve só por ser contrário à sua ideologia política.

20 de novembro de 2018 18:46


E ainda usam "nazista" a rodo. Coitados dos que sofreram na mãos dos nazistas de verdade tendo que ouvir isso. É um desrespeito total.

Tinúviel disse...

Maria Valéria, que saudade de te ler por aqui! Bom saber que está bem, que encontrou parcerias com uma visão de mundo mais parecida com a tua e que teve a oportunidade de descobrir na prática que a vinda dos médicos cubanos pra cá através do programa Mais Médicos era, em verdade, algo muito benéfico para a população brasileira, especialmente a sua parcela menos favorecida.

E donadio, muito lúcido o comentário.

titia disse...

"Esse povo da esquerda que chama Bolsonaro de facista é esse povo da direita que chama PT de comunista não percebe que só está ressaltando a própria ignorância. Vão estudar história! Lola, por favor, você é professora, não deveria ser tão leviana com o que escreve só por ser contrário à sua ideologia política."

O nome que você está procurando é neofacismo, colega. Uma ideologia pós-II Guerra Mundial a qual inclui elementos significativos do fascismo. O neofascismo geralmente inclui nacionalismo, nativismo, anticomunismo e oposição ao sistema parlamentarista e à democracia liberal - e aí, não soa familiar quando estamos falando do Bozo e dos seus palhacinhos amestrados?