quarta-feira, 26 de abril de 2017

GUEST POST: QUANDO NÃO ACREDITAM QUE O ABORTO FOI ESPONTÂNEO

Este relato da Ana sobre algo acontecido com a sua mãe muito tempo atrás vale como um aviso: 
se o aborto for proibido em todos os casos (que é certamente o que os deputados fundamentalistas querem), qualquer mulher que sofrer um aborto espontâneo -- algo extremamente comum (calcula-se que quase 30% das gestações terminam em aborto espontâneo) -- será vista como criminosa. Poderá ter que provar que não provocou o aborto espontâneo. 
Esse pesadelo já faz parte da rotina de muitas mulheres em países onde o aborto é ainda mais criminalizado do que aqui. 
Pense bem: é isso que você quer?
Leia o relato da Ana:

Tenho lido e ouvido muito sobre abuso e violência médica. De fato, essa discussão começou há pouco tempo. Nem sabíamos que isto existia.
O que vou contar aconteceu há mais de trinta anos. Eu era uma criança, mas o que ocorreu me marcou tão fundo que sempre que este assunto vem à tona, relembro todos os fatos.
Estudava de manhã e quando cheguei na hora do almoço, minha mãe disse que estava com cólica, o que era estranho, já que ela nunca sofria disso. Umas duas horas mais tarde, saiu do banheiro assustada. Ela tinha sofrido um aborto espontâneo e o embrião estava no vaso sanitário.
Até aí, nada traumático para ela. Ela tinha dois filhos – e teve mais dois depois disso -- e nunca teve problema em engravidar ou parir.
O problema foi o que houve depois. Com uma médica. Na época, o ginecologista dela estava de férias e por isso ela foi em outro. Não sei se foi indicação de alguém. O que lembro é que uns dois dias depois da perda do bebê, ela estava triste e ao mesmo tempo, muito nervosa.
Ouvi ela comentando com minha avó que a médica não tinha acreditado que o aborto tinha sido espontâneo. Ela disse que certamente minha mãe havia tomado algum remédio ou injeção para perder o bebê. Disse que ela deveria ser presa como assassina. Minha mãe não queria que a médica realizasse o exame, mas foi ameaçada (“você não quer o exame porque tem medo de descobrirmos a verdade e contarmos para o seu marido”). No fim, ela deixou que a médica procurasse com uma lupa, por todo seu corpo, um sinal de que havia tomado uma injeção para abortar.
Eu não entendia por que aquilo tinha ficado na minha cabeça por tanto tempo. Achava que isso só tinha a ver com o fato da minha mãe, sempre tão calma, estar tão nervosa pela médica ter feito isso. Só anos mais tarde percebi que o que a médica tinha feito era uma coisa errada. Que aquilo era uma violência. No caso, por causa de sua religião, aquela ginecologista achou que estava fazendo o certo, dando um sermão sobre a importância da vida, sobre não abortar. Como sempre, essas pessoas pensam na vida futura, não na vida daquela pessoa que estava na frente dela e que havia acabado do sofrer um aborto espontâneo.

52 comentários:

Anônimo disse...

o machismo "nosso" de cada dia

[livrai-nos desse mal]

Anônimo disse...

Até quando aborto é natural a mulher é tradada como uma criminosa, que absurdo.

Anônimo disse...

é o q acontece quando homens "legislam" sobre o corpo das mulheres

só sai aberração

Anônimo disse...

já sofri aborto involuntário com 4 semanas de gestação, é uma sensação horrível

e ainda me vem o estado exigir "explicações", lastimável, o brasil é um dos piores países para se ser mulher, não é novidade pra ninguém

Anônimo disse...

Ao contrário do que a maioria das feministas acreditam (ou no caso de algumas, fingem acreditar por interesses de militância ideológica) existe sim muito abuso praticado por médicAs contra pacientes mulheres, principalmente ginecologistas/obstetras. Eu já denunciei uma e me arrependo de não ter denunciado outras 2 e encorajo muitas mulheres a denunciarem também. Qualquer abuso e violência vinda de médicos/as devem ser feitas denuncias. A vida, a saúde, o bem estar e integridade das pessoas de qualquer sexo e idade devem vir em primeiro lugar, antes de qualquer tipo de militância. Não se intimidem com as birras cheias de egoísmos, autoritarismo e totalitarismos de militantes, denunciem.

titia disse...

Por isso que homens devem sempre calar a boca quando o assunto é de mulher.

Anônimo disse...

11:16 cala boca mascu fanfiqueiro, ficou nervosinho depois q caiu a máscara dos seus coleguinhas ginecos homens? vá a merda, todos sabem q são os médicOs (homens), de qualquer especialidade, ainda mais ginecologistas/obstetras, os piores q existem

e não precisa flodar o mesmo comentário, sequelado

Anônimo disse...

Domingo passado tivemos eleições na França e uma mulher irá disputar o segundo turno. É estranho este blog não ter feito nenhum comentário! Ainda mais quando o mesmo defede conquista de mais espaço para a mulher na política! Porque será?

Fernando disse...

tentei me matar ontem lola e a culpa é sua. já liguei pro meu advogado. agora vc vai se foder proca

Anônimo disse...

hahahah que piada
o cara dizendo que a culpa da sua idiotice é da lola
lol

continue assim abiguinho, "tá serto" kkkkkkkkk

lola aronovich disse...

Pena que vc não foi bem sucedido, Fernandinho.
Não tenho medo de ameaça de morte e estupro, vou ter medo de processinho? Ainda mais de mascu que ME ameaça, calunia e difama?
O cara passa duas semanas ligando diariamente pra minha casa pra me xingar e ameaçar, e ELE quer me processar. Vai fundo, cara!

titia disse...

Ao invés da Lola você devia processar a escola que não te ensinou a ler, mascuzinho. Ah, e da próxima vez que tentar se matar, por favor, tenha sucesso. Ao menos nisso tenha sucesso nessa sua vida de fracassado inútil que só serve pra estorvar e o mundo e a vida dos outros.

14:45 você confundiu, fofo. O blog da Lola é o máximo. Sua vida é que é um lixo.

Cindy disse...

O pior nem é isso: os crimes contra a vida vão a júri popular. Pensa em cidades pequenas ou do interior, quantas não seriam condenadas por um júri repleto de pessoas com a mesma mentalidade dessa médica?

Anônimo disse...

Que porra é "fanfic"?

Gandalf disse...

Ano passado minha mãe sofreu um aborto espontâneo, o embrião tinha parado de se desenvolver, ela estava grávida há três meses, mas seu desenvolvimento foi como se fosse de apenas um mês.
Sentiu fortes dores e teve sangramento enquanto trabalhava, voltou para casa e então foi ao posto de saúde, ainda com dores.
Ao invés de tratá-la de uma vez os "profissionais de saúde" ficaram fazendo milhões de perguntas e um insinuou em um comentário cheio de ironia (algo sobre abrir as pernas e depois voltar atrás, tendo dor como castigo por isso) que o aborto havia sido intencional. Em resposta, ela apenas disse:
"Se foder, eu tô morrendo de dor e você de ironia? Não fale do que você não sabe"
Essa não foi a última situação desagradável daquele dia, mas no final, ela não pôde receber um medicamento abortivo que facilitaria o processo (que é bem longo, dias sangrando rios) e adiantaria as coisas
"não posso te dar esse medicamento, ele é abortivo"
"ué, mas eu JÁ ESTOU sofrendo um aborto"
Se o aborto fosse descriminalizado talvez ela não passasse por todo esse interrogatório e as pessoas que deveriam cuidar dela fossem mais profissionais, talvez ela recebesse a medicação necessária abreviando em muitos dias todo o processo, talvez, talvez ela nao fosse julgada por sofrer um aborto espontâneo e as coisas fossem mais fáceis, mas isso não aconteceu.

Guidi Vieira disse...

Que história péssima. Não é à toa que a filha dessa mulher nunca esqueceu dessa "estranha" sensação ao ver a mãe nervosa. Assédio moral é assim mesmo, faz com que tudo fique tenso. Ainda bem que essa pessoa que escreveu lembra de tudo e pôde, assim, rever e avaliar a situação

Anônimo disse...

A última vez que eu falei algumas pessoas acharam ruim, disseram que quem critica essa gente não é diferente deles. Esperneiem o quanto quiserem, mas nada me convence do contrário, de que a especialidade médica/profissão com a maior quantidade de gente miserável e calhorda são os GOs. E de fato não importa o gênero do médico (apesar de que médicOs, além de te tratarem como lixo você corre risco de assédio/estupro) - tudo farinha do mesmo saco.

Sim, existe profissionais bons e ruins em todas as áreas, mas há uma grande diferença aqui - eles são miseráveis por que tratam mulheres - e como agravante - tratam dos órgãos reprodutivos das mulheres. NADA nesse mundo é submetido a tanto controle e escrutínio, nada desencadeia tanto ódio e violência do que genitais femininos.
GOs tem poder absoluto para abusar de suas pacientes de todas as maneiras possíveis. Eles tem a desculpa de que estão "salvando vidas" dessas estúpidas que - como todos sabem - são incapazes de tomarem conta de si próprias. Precisam de cabresto e rédea curta. Precisam aprender que sua função é procriar. Precisam aprender que mesmo que você exerça sua função, você fez algo abominável pra isso - sexo - e precisam ser punidas por isso. Seja através de um parto humilhante que termina em mutilação, seja por que você não teve "competência" para manter a gravidez (nesse caso você não é só uma inútil que não cumpriu seu dever, você é criminosa e deve ser tratada como tal).

Aconteça o que acontecer - se você abortou por que quis ou foi espontâneo, manteve uma gravidez por que quis ou foi obrigada pelas circunstâncias, você não decidiu que é mais que uma matriz e não quer engravidar - você deve e será punida. De uma forma ou de outra. Mais cedo ou mais tarde...

Jane Doe

Anônimo disse...

Que você adora macho é público e notório, otário. Mas não tenta se passar por mulher que aí não funciona, babaca. Vai aprender a ler e escrever antes de tentar fazer novamente alguma outra merda mal feita pra falhar miseravelmente, fracassado.

Sabrina Florêncio disse...

Oi lola, tudo bem? Gostaria de convidá-la para uma palestra na universidade de fortaleza sobre temas de feminismo em dialogo com umas musicas da lady gaga e jennifer lopez. Você teria algum outro meio de contato? Ass. Sabrina Florêncio (wp: 986024191)

donadio disse...

Esse é o problema principal de equiparar o aborto ao homicídio, como quer a direita reacionária. Da forma como está construído o código penal, não existe "aborto culposo". Mas existe homicídio culposo, e a equiparação dos dois tipos penais vai levar imediatamente à figura do aborto culposo, ou seja, o aborto por negligência. Daí a criminalizar mulheres grávidas que perdem seus fetos por coisas tais como fumar, beber, dirigir, fazer ginástica, trabalhar, durante a gravidez, vai um passo.

Só não é pior por que o Estado brasileiro não tem capacidade investigativa para entrar nessa seara de forma sistemática, senão seria um 1984 ginecológico: toda gravidez interrompida deveria ser investigada como hipótese de crime, o que demandaria um verdadeiro Estado policial.

Mel disse...

A pseudo-médica esvaziou-se de empatia e intimidou uma paciente por causa da religião?
E ainda dizem que a religião é reflexo de uma evolução espiritual e de um coração virtuoso. Para além da violência propaga o machismo.

Anônimo disse...

Em que pese afirmações contrárias, a situação de vocês mulheres tende a piorar, e muito. O feminismo é apenas um movimento de barulho e mais nada. Cheio de concepções teóricas e pouca efetividade. O movimento falha de forma crassa no que deveria ser seu principal foco, que seria a mudança na mentalidade das mulheres, que em sua maioria, ainda continuam na busca por futilidades. Vocês não conseguiram nem manter uma representante de vocês na chefia do executivo e nem tampouco conseguirão outras expoentes e continuarão assistindo o domínio masculino. Nas próximas eleições majoritárias veremos, novamente, o domínio esmagador de homens nos cargos de Presidente, Senadores, Governadores e Deputados e vocês aqui discutindo abobrinhas e só xingando homem. kkkkkkkkkkkk

Anônimo disse...

O ativismo de vocês, atrás de um teclado é lindo de se vê. Aqui, xingam, esperneiam, são idealistas, neste mundo virtual é uma maravilha. Que tal ir para o mundo das realidades? Vão protestar lá nos aglomerados do Rio de Janeiro, como por exemplo em prol da mulher, negra, que foi "julgada" pelo "tribunal do tráfico" e teve seu cabelo raspado, por ter deixado seus filhos sem cuidados(há um vídeo no WhatsApp. O engraçado é que vocês como sempre vão culpar o patriarcado, mas a mulher está atolada até o pescoço nesta merda, é cúmplice. Pergunta se mulher não gosta de curtir o dinheiro de um traficante no morro? A "novinha gostosinha" lá, vai dar bola para o cara poderoso ou para o que não tem nada?

Sportano disse...

Donadio, sua explanação encontra-se equivocada. Primeiramente, acredito que essa reforma de equiparar aborto com homicídio não passe mas ainda que passasse, equiparando o aborto ao homicídio, vamos analisar as consequências :

1) Para configurar o crime culposo, faz-se necessário além de outros aspectos dois elementos básicos :

a) Violação de um dever de cuidado objetivo quando o agente atua em desacordo do que é esperado pela lei ou pela sociedade. A mulher dirigir grávida, trabalhar durante a gravidez, dentre outras coisas não são atitudes que a sociedade espera que a mulher não faça. É prática comum por exemplo, as mulheres trabalharem até o oitavo mês para então entrarem em licença maternidade.

b) Previsibilidade : No mínimo, solicita-se a possibilidade de conhecer o perigo.

2) Ainda que fosse configurado o "aborto culposo", que se passasse essa configuração de crime, quando ocorresse o aborto culposo, seria colocada a figura da sentença autofágica, do perdão judicial, como queira.

Art.121, §5° do CP : "Na hipótese de homicídio culposo, o juiz poderá deixar de aplicar a pena, se as conseqüências da infração atingirem o próprio agente de forma tão grave que a sanção penal se torne desnecessária."

Esse é o caso de quando a mãe ou o pai esquece o filho no carro e ele morre, ou no famoso caso de Cristiane Torloni em que ela deu ré no carro e atropelou o próprio filho. Julga-se extinta punibilidade no caso concreto, pois entende-se que não há pena maior do que saber que com sua atitude o agente acabou por matar o próprio filho.Julga-se que o agente já sofreu a sua condenação. Fica claro que, ocorrendo o aborto culposo tal raciocínio também seria aplicado pois entenderia-se que a mãe já teria sofrido a punição.

Nesse caso, ocorrendo a figura do perdão judicial que, conforme súmula não gera nenhum efeito condenatório, nem reincidência, por exemplo.

Súmula 18, STJ: “A sentença concessiva do perdão judicial é declaratória da extinção da punibilidade, não subsistindo qualquer efeito condenatório”.

Enfim, nota-se que no caso concreto a mulher não sofreria qualquer tipo de pena ainda que fosse o aborto equiparado ao homicídio, prevendo a modalidade culposa como você afirma. Ainda mais com condutas tão banais como dirigir ou trabalhar.

Anônimo disse...

09:52 cala boca, mascu, burro e imbecil, vc não tem moral pra "criticar" o movimento de ninguém, seu trouxa

Anônimo disse...

Anônimo Anônimo disse...

09:52 cala boca, mascu, burro e imbecil, vc não tem moral pra "criticar" o movimento de ninguém, seu trouxa

27 de abril de 2017 10:54


Calar a boca? Mas eu estou de boca fechada! Estou apenas escrevendo.

Anônimo disse...

12:09 como vc é burro hein, vc é imbecil assim ou é só masculinista?

Anônimo disse...

Anônimo Anônimo disse...

12:09 como vc é burro hein, vc é imbecil assim ou é só masculinista?

27 de abril de 2017 13:07


Vá lá, feminista inteligente! Altere o status quo com seu ativismo de teclado. Continuem que está dando certo! kkkkkkkkkkkkkkkk

Anônimo disse...

Vá lá, babaca mascu! Trolle algum blog com o seu teclado cheio de baba. Continuem que está dando certo! kkkkkkkkkkkkkkkk

Anônimo disse...

Vocês são tão retardadas! Eu não estou "trollando nada aqui". Vocês simplesmente tem dificuldade em admitir que o movimento feminista é inócuo, só barulho. A cada dia perde mais batalhas. Não querer enxergar isso é sacramentar sua derrota.

“Todos os caminhos estão errados quando você não sabe aonde quer chegar.”

William Shakespeare

Anônimo disse...

09:52 cala boca, mascu, burro e imbecil, vc não tem moral pra "criticar" o movimento de ninguém, seu trouxa


Movimento?? Está mais para "paralizamento". hahahaha

Anônimo disse...

14:07 não mascu, vc é só um burro mesmo, o q é seu tá guardado

Anônimo disse...

a) Porque machistas imbecis acreditam que estamos interessadas na opinião deles? O feminismo luta por todas as mulheres avançamos muito mulheres antigamente não podiam estudar e hoje estamos nas universidades.

b) Lola gostaria de sugerir um post sobre a estudante negra que foi humilhada em uma formatura em razão de um turbante

Anônimo disse...

eu vou te mandar pra lá

Anônimo disse...

17:25 mascu, o seu lugar é o inferno

titia disse...

Ai ai, o troll "vou salvar essas feminazis burras sem direção com minhas opiniões másculas" voltou. A lei do feminicídio foi aprovada, o aborto de anencéfalos foi aprovado, o feminismo está cada vez mais presente na mídia mainstream e o cara ainda vem aqui falar que o feminismo não tem direção "Hur durr vocês nunca vão conseguir nada porque não ouvem meus pitacos machistas". Amigo, se na vida real suas opiniões e sua pessoa já são insignificantes, imagine em um blog feminista ou no movimento propriamente dito.

titia disse...

17:50 teu comentário mandando o mascu pro inferno tá aí. Ele deve ter demorado pra aparecer, às vezes isso acontece.

Anônimo disse...

titia sua linda <3

Anônimo disse...

Louvado seja Kek.

_,-' - `--._
,'.: __' _..-)
,' /,o)' ,'
;. ,'`-' _,)
,' :. _.-','
,' . . ( /
; .:' .. `-/
,' ; ,'
_,/ . , .,' ,
,',' . . . .\,'..__
,',' .:. ' ,\ `\)``
`-\_..---``````-'-.`.:`._/
,' '` .` ,`- -. ) `--..`-..
`-...__________..-'-.._ \
``--------..`-._ ```
``

Anônimo disse...

11:04 cala boca, mascu de bosta

Anônimo disse...

Anônimo Anônimo disse...

11:04 cala boca, mascu de bosta

28 de abril de 2017 11:20


Estou de boca fechada, só estou escrevendo. kkkkkkkkkkkkk

Anônimo disse...

"Lola gostaria de sugerir um post sobre a estudante negra que foi humilhada em uma formatura em razão de um turbante"

curioso como numa festa com centenas de pessoas e todo mundo com uma câmera na mão ninguém viu isso acontecer, filmou ou fotografou, bizarra a invisibilidade da mulher negra na sociedade

Anônimo disse...

Na hora do "Vamos ver", vem o indício de que o ocorrido não foi bem assim...
"A figurinista decidiu não levar adiante o inquérito contra José Mayer, após acusar o ator de assédio sexual nos bastidores da novela “A Lei do Amor”. Na quarta-feira (26), ela esteve na Defensoria Pública ... - Veja mais em https://tvefamosos.uol.com.br/noticias/redacao/2017/04/27/figurinista-da-tv-globo-desiste-de-incriminar-jose-mayer-e-caso-e-encerrado.htm?cmpid=copiaecola"

Anônimo disse...

Engraçado como todo CUZÃO do planeta de repente se esquece que o Zé Cara de Maracujá de Gaveta Meyer ADMITIU o que fez com a figurinista

Anônimo disse...

11:23, cala boca, mascu imbecil, corte o seus dedos fora e coma eles, inútil

Anônimo disse...

a globo obrigou a mulher, sua MULA

Anônimo disse...

E agora tão dizendo q ela tinha um caso com o cara, q ela terminou e ele n quis aceitar e de novo a "vítima" fica quieta.

Anônimo disse...

E daí que ela teve um caso com o cara? Eles terminaram e o super galã de funerária continuou com gracinha.

Se eu termino com um namorado e depois de um tempo ele enfia a mão na minha buceta e me humilha em público, é direito dele fazer isso porque UM DIA NO PASSADO nos relacionamos?

Tá cheio de mulher sendo estuprada no mundo exatamente por seus ex-parceiros.

Anônimo disse...

Eu assisti foi um grupo de feministas manifestando contra a candidata. Apesar de a candidata ser mulher, o grupo tumultuou durante o pronunciamento dela. Cadê a liberdade, democracia, apoio às mulheres que tanto defendem e bla bla bla? Engraçado que falam que há poucas mulheres na política, não é mesmo? Na verdade querem é mais mulheres esquerdistas no poder, porque se a mulher for de direita não serve. Que luta pelas mulheres é essa?

Anônimo disse...

Se forem falar da eleição na França, vão ter de falar mal da candidata e daí fica contraditório.

Anônimo disse...

Se fosse um homem conservador, contra o casamento gay, republicano porém transsex como o Bruce Jenner aí sim elas estariam aplaudindo independente do que ele estivesse falando.

Diaba disse...

Já encomendei tua alma pra satanás, vai fundo Fernandinho!