quarta-feira, 28 de setembro de 2016

LEGALIZAÇÃO DO ABORTO: A LUTA FEMINISTA É PARA QUE MULHERES POSSAM ESCOLHER

Hoje, 28 de setembro, é dia da luta pela descriminalização do aborto na América Latina e no Caribe. 
Várias ativistas organizaram uma Virada Feminista, que consiste em 24 horas falando de aborto. Desde a meia noite, dezenas de mulheres estão e continuarão falando ao vivo sobre a legalização do aborto. Confira a programação, acompanhe os vídeos ao vivo, e use a tag #PrecisamosFalarSobreABorto 
Minha contribuição é responder a um simples email de uma leitora.

"Oi Lola, gostaria de entender por que feministas são a favor do aborto se existem métodos contraceptivos pra evitar a necessidade de se fazer? Não estou colocando a responsabilidade apenas na mulher. Sou contra o aborto apenas pelo fato de existirem maneiras de evitar o 'uso' dele. Mas se eu entender o porquê feministas apoiam o aborto, passarei a defender também."

Minha resposta: Oi, L. Bom, em primeiro lugar, há diferença entre ser a favor da legalização do aborto e ser a favor do aborto. Não sei se conheço gente que seja a favor do aborto, sinceramente. Mas muita gente é a favor do direito de que as mulheres possam escolher ter um filho quando quiserem, se quiserem. Há pessoas que pessoalmente nunca realizariam um aborto, mas apoiam o direito das outras pessoas decidirem por conta própria.
Em segundo lugar, não são apenas feministas que são a favor da legalização do aborto (inclusive existem feministas que são contra, embora haja divergências se essas mulheres são de fato feministas). É uma grande ilusão pensar que feministas inventaram o aborto ou que apenas feministas abortam. Aborto existe centenas de anos antes do início do feminismo. Mulheres de todas as culturas sempre tentaram interromper a gravidez. O Código de Hamurabi, no século 5 A.C., já mencionava o aborto. Na Grécia antiga se abortava. Platão e Aristóteles defendiam o aborto, se bem que interrupção da gravidez era considerada crime ao ferir o direito de propriedade do pai sobre um potencial herdeiro.
A Grã Bretanha passou suas primeiras leis anti-aborto em 1803 (não passariam leis se aborto não existisse, certo? Isso muito antes de qualquer movimento sufragista). No Brasil, o aborto é citado na legislação de 1830. Na época, aborto era um procedimento muito mais perigoso do que hoje, realizado com agulhas de tricô ou cabides (que se tornou o símbolo contra aborto clandestino). 
Pesquisas atuais indicam que o perfil da brasileira que aborta não é exatamente o que associamos a feministas. A mulher que aborta (e são muitas as que já abortaram, provavelmente uma em cada sete brasileiras entre 18 e 39 anos) é geralmente casada, já tem filhos, e é cristã. Há grandes chances que você conheça e conviva com mulheres que já abortaram. 
Lógico que existem métodos contraceptivos, mas muitos falham, e muitas mulheres não têm acesso a eles, enquanto outras não têm conhecimento sobre como usá-los. As feministas que defendem a legalização do aborto também defendem educação sexual nas escolas e distribuição grátis de contraceptivos -- exatamente para que menos mulheres precisem recorrer ao aborto. Ademais, as feministas não se preocupam apenas em garantir que as mulheres tenham acesso a fazer aborto, se assim o desejarem, mas também se preocupam com os fatores que levam uma mulher a querer fazer aborto. Quem é contra aborto é também contra anticoncepcionais e educação sexual. 
Vale lembrar que em 74% dos países do mundo o aborto é legalizado nas primeiras semanas. Apenas nos países mais pobres e religiosos, caso do Brasil, o aborto é proibido. Hoje em dia a maior parte dos abortos não é mais feita por cirurgia, mas com remédios. É mais barato e menos perigoso. Mas, com o aborto proibido, as mulheres continuam abortando clandestinamente, correndo risco de vida e morrendo, em muitos casos -- principalmente mulheres pobres e negras.
Estima-se que vinte milhões de abortos inseguros são feitos todos os anos no mundo. É um aborto inseguro para cada dez gestações. Um aborto inseguro para cada sete partos. 90% desses procedimentos acontecem em países em desenvolvimento, como o nosso. Basta olhar algum mapa que indica quais países permitem o aborto para ver que são justamente os mais pobres que o proíbem. 
Como os "pró-vida" veem as
mulheres: depósitos de bebês
A razão da legalização do aborto ser uma das muitas pautas feministas (longe de ser a única) é bastante óbvia: o aborto clandestino é uma das maiores causas de mortalidade materna, e feministas defendem mulheres. Além disso, é uma exigência feminista que o corpo das mulheres seja visto como pertencente às mulheres, não como propriedade dos homens. Até hoje mulheres são tidas como receptáculos de bebês, e os "pró-vida" não escondem que, entre optar por um feto e por uma mulher já nascida, priorizam sempre o feto.
Mais de duzentas clínicas de aborto já foram bombardeadas nos EUA, onde, só pra lembrar, o aborto é legal desde 1973 (se bem que cada vez mais restrito por leis estaduais claramente anti-constitucionais). Bombardear clínicas e matar médicos que realizam aborto são atos terroristas que provam que os "pró-vida" não têm qualquer preocupação com a vida de quem já nasceu. 
Lembre-se também que grande parte dos conservadores quer proibir aborto em todos os casos, incluindo aí os poucos em que são legais no Brasil (risco de vida pra mulher, gravidez decorrente de estupro, e se o feto for anencéfalo). Parece justo forçar uma mulher que foi estuprada ter o filho do estuprador? (se ela decidir que quer seguir com a gravidez, tudo bem, é escolha dela). Parece justo forçar que uma mulher que pode morrer se não interromper a gravidez continue com a gestação? (se a mulher achar que sim, que a vida do feto é mais importante que a dela, a escolha é dela. Mas o Estado não pode fazer essa escolha por ela). 
Não existem feministas que defendam forçar uma mulher a abortar. A palavra-chave é escolha. Mulheres devem poder escolher se querem abortar ou seguir com a gestação. Qualquer forma de pressão é vista por feministas como uma ameaça aos seus direitos reprodutivos. Somos tão a favor da legalização do aborto quanto contra a coerção a abortar. Cada mulher deve decidir sobre o seu corpo, só isso. 
Se nem toda feminista é pró-legalização do aborto, uma coisa é certa: praticamente todo "pró-vida" é anti-feminista. Reaças -- anti-feministas em sua totalidade, e anti-mulheres em sua maioria -- lutam para manter o controle histórico sobre o corpo da mulher. São eles que querem que você acredite que aborto é uma invenção feminista, que toda feminista aborta (eu sou feminista e tive a sorte de nunca engravidar, logo, nunca abortei), e que só feminista aborta. Eles vivem à base de mentiras e são hipócritas, já que costumam ser anti-aborto só até a namorada ter uma gravidez indesejada. Aí mudam de ideia rapidinho.
São essas pessoas que se julgam moralmente superiores e querem mandar no corpo das mulheres. Não vamos deixar.

139 comentários:

Anônimo disse...

você nunca abortou porque é anti religião, anti família, anti todos os valores cristãos e conservadores estabelecidos no mundo há séculos. Quando é que vai aparecer comentários aqui que opõem-se a sua visão. Isso é desenvolver um debate saudável?

Anônimo disse...

O que mais tem é dona-de-casa da família conservadora e tradicional abortando na surdina.

Anônimo disse...

Ah é, quais são as suas fontes para provar essa afirmação? Ou é achismo mesmo?

Anônimo disse...

Quando assumem cheios de ódio os filhos dessas namoradas, ainda as xingam de vadias e falam que o filho é custo de mais pra eles.

Anônimo disse...

Para mim o aborto é a máxima expressão do egoísmo humano, sem falar que se trata de assassinato.
O fato de ser mulher não me faz ser a favor do aborto, nem do "direito de decidir" sobre abortar ou não, pois não se deve poder decidir, sem consequências legais, se posso praticar um crime ou não.
No mais, o Pacto San José da Costa Rica dispõe que a vida inicia-se com a concepção, o que leva à conclusão de que abortar é, sim, tirar uma vida humana.

Marcia disse...

O direito de escolha sobre o aborto é o mínimo a ser reconhecido. Não, não acho que se faz um aborto como se escolhe um batom. Encarro a medida como necessária, por três motivos principais: 1. uma mulher é dona do seu corpo, 2. uma criança merece ser desejada, 3. filho não deve ser pena por sexo desprotegido (quando não estupro).

Para mim, tanto quando uma questão de direito individual, é também uma questão de responsabilidade. Se uma mulher acha que não poderá amar uma criança, que não tem condições (sejam econômicas ou emocionais) de se comprometer com os cuidados necessários para parir, cuida e, o mais importante: amar uma filha, um filho, eu acho cruel com a mãe e criança obrigar o nascimento.

Gente, crescer sem amor, sem cuidados suficientes, sem apoio da família é receita de sofrimento e, quando não, de muita crueldade futura contra outras pessoas.

Nem todo mundo que é odiado pela família se torna um criminoso, mas 97% dos assassinos em série vêm de lares marcado pelo ódio e abandono. Maternidade forçada é cruel, para mulher, para criança, para sociedade. Não tem defesa abstrata da vida que me convença que vale a pena correr o risco do desamor, do descuido e do sofrimento.

Mila disse...

Eu já ficaria bem satisfeita se simplesmente o debate fosse permitido. O tema é tabu porque os conservadores colocam como assassinato e se recusam a permitir que haja um diálogo sobre o tema.
Eu também tinha a visão de que se o aborto fosse permitido, as mulheres iriam abortar toda semana e se esquecer de métodos contraceptivos. Eu também achava que aborto era fugir da responsabilidade. Mas depois que a gente resolve sair da caixinha e conhecer outras realidades, as coisas ficam muito mais claras.
E aí eu fui conhecer como é o procedimento do aborto. O aborto mecânico é extremamente invasivo e pode trazer consequências graves para o corpo da mulher. Não é um procedimento a ser realizado todos os dias, com frequência. Depois, métodos contraceptivos falham, pouco, mas falham. Ainda que a eficácia de alguns se aproxime quase da totalidade, você não iria gostar de ser aquele 1 ou 2% que se preveniu, mas aconteceu. Além do aborto, a discussão sobre métodos contraceptivos é vetada pela ala conservadora e "liberais" conservadores. Eles acham um absurdo a distribuição gratuita de preservativos. Dinheiro dos meus impostos para os outros transarem, dizem. A única saída para eles é a abstenção total. Sabemos que isso jamais iria acontecer. Enquanto isso, eles pagam para suas amantes abortarem ou não assumem os filhos fora do casamento. É muita hipocrisia.
Mas além da legalização, eu gostaria de saber da implementação. Se defendemos o aborto até x semanas - e, sabendo que a mulher descobre a gravidez próximo ou além desse limiar - como fazer com que o procedimento seja célere?

Unknown disse...

Anônimo das 09:59, a Lola não é anti família, ela endossa uma diferente da maioria. Ela não é anti religião, ela simplesmente não professa nenhuma. Por séculos a escravidão, o estupro como arma de guerra, a pilhagem das cidades inimigas, a morte do filho primogênito, também foram práticas aceitas e muito tradicionais, e nem por isso são menos odiosas.

E sobre o debate, o que te impede de fazê-lo? Absoluta tacanhice intelectual, ou falta de vergonha na cara para defender os valores que você diz que acredita?

Era só o que faltava para as feministas: borra lá defender valores que não concordamos, por que os cristãos machistas do mundo não podem se defender sozinhos...
Acho, só acho, que isso é um indício do quanto nem você acredita nos tais valores conservadores.

Anônimo disse...

Seria legal um show de abertura com as Putinhas Aborteiras.

Aninha disse...

Respondendo à pergunta da moça sucintamente: métodos contraceptivos falham.

Anônimo disse...

Sabia que aqui iria se encher de trolls, os mesmos de sempre. Quando os ataques dos trolls são apagados, os trolls choramingam dizendo que estão sendo censurados e que as feministas malvadas não querem debater. Chega de trolls!

Maria disse...

O que tem a ver o fato do aborto existir desde a Antiguidade com a descriminalização dele? Homicídio existe desde que o homem existe, nem por isso devemos descriminalizá-lo.

Anônimo disse...

Eu só queria entender porque um feto pode ter mais direitos que uma pessoa viva. Se alguém me explicar isso, mudarei minha opinião de pró-escolha para anti-aborto.

donadio disse...

"Quando é que vai aparecer comentários aqui que opõem-se a sua visão. Isso é desenvolver um debate saudável?"

Qual o problema? A página da torcida do Flamengo na internet deve estar aberta a comentários que desqualifiquem o Flamengo? A troco?

Há espaços públicos e espaços privados. Aqui é um espaço privado, é o blog da Lola, não o do Ministério Público ou do Senado.

E é engraçado como essas democratices de vocês só valem para quem discorda de vocês. Nenhum de vocês fica exigindo que haja comentários a favor da legalização do aborto na página da Igreja Universal.

Vai um óleo de peroba aí, para lustrar o rosto?

Anônimo disse...

Lola,

Segue mensagem encaminhada via link (abaixo) para os deputados acerca do projeto de Lei 4880/16, do deputado Rômulo Gouveia (PSD-PB) sobre obrigatoriedade de notificar a policia sobre casos de aborto:

"Sou contra o projeto de lei. As mulheres não devem ser criminalizadas pelo aborto, que deveria ser legal. Aborto deveria ser direito da mulher, muitas vezes arrimo de família, ao ter autonomia sobre sua vida e seu corpo. Não há motivo fútil, mas muitos condicionantes sócio economicos e culturais que arrastam as mulheres a este recurso que deveria ser permitido e não punido. Legislativo mostra-se assim machista, misógino, perseguidor dos direitos e de quem deseja a liberdade de fazer suas próprias escolhas. Estou ultrajada, enojada e totalmente em desacordo com esta lei punitiva e medieval."

http://www2.camara.leg.br/camaranoticias/noticias/SAUDE/516758-PROJETO-EXIGE-QUE-HOSPITAIS-INFORMEM-A-POLICIA-OCORRENCIA-DE-ABORTO.html

Anônimo disse...

Então: A discussão é mais sobre legalizar um procedimento que salva a vida de mulheres que muitas vezes são arrimo de família e tem outros filhos pra criar. Quem quiser não faz. Muitos abortos inseguros que podem levar até 1/5 da população feminina a óbito poderiam ser evitados. Há pesquisas que dizem que a maioria que aborta inclusive tem filhos, é casada e religiosa.

As que tem recursos, principalmente as mais ricas vão continuar fazendo mesmo. As mais pobres acho que continuam até tendo mais filhos mesmo porque moralistas acham feio que elas tenham acesso a educação sexual, métodos contraceptivos e aborto até a 12 semana. Pra aí pessoas como muitos moralistas que vieram aqui jogarem pedra naquela que abandona recém nascido ou nos jovens que viram "bandido bom é bandido morto".

E como sempre, na hora do aperto é a mulher que paga com a vida a hipocrisia da sociedade, que quer controlar o corpo da mulher.

Anônimo disse...

Mulhres já podem escolher, só tem que comprar uma passagem pro uruguai.

leonardo neves disse...

Cada um sabe onde o calo aperta. Penso que seria correto haver uma estrutura de apoio no SUS às mulheres que não querem seguir com a gestação.

Por outro lado, entendo o ponto de vista dos conservadores e religiosos que apregoam a vida como um valor supremo.

A família ainda é um princípio basilar desse Estado, legalizadas novas possibilidades de aborto damos um ok àqueles que por pura irresponsabilidade concebem um filho sem ter condições mínimas de seguir adiante.

Ainda assim, ver mulheres no açougue é uma alternativa nada reconfortante.



Anônimo disse...

Unknow - Deus disse não matarás.Qualquer coisa em contrário é anti palavra de Deus e anti religião.
Os homens quando engravidam as mulheres são obrigados pela lei a prestarem assistência se não vão para a cadeia!! As mulheres quando engravidam, muitas vezes de maneira irresponsável, querem matar seus filhos, com o dinheiro público, e serem louvadas por isso. please.

Anônimo disse...

Então 14:43, vc prefere que uma mulher morra?

Segundo a ultima pesquisa pelo UNB as que mais abortam são casadas religiosas e com outros filhos.

ate a 12a semana tem uma formação no utero dela que não sobrevive fora dele. Retirar isso num metodo seguro é salvar a vida de muitas mulheres que tem outros filhos para criar e passam por situações economicas geralmente muito dificeis

Anônimo disse...

Para 15:09: Não, eu quero que as mulheres tenham sexo no casamento e façam uma família feliz. se ela quer ter sexo fora do casamento, que se previna e fique ciente das consequencias. Pois é, nossas ações tem consequencias.

Não acredito nessa pesquisa da UNB, me desculpa, isso não é argumento e essa pesquisa nunca foi feita em lugar nenhum em país nenhum.

Ah é, Amigue, então a mulher fica grávida e aborta por questões econômicas???? Deus disse também não adulterarás, se a mulher casa não adultera, ela não precisa abortar. Deus disse para o homem trabalhar seis dias da semana. Se o homem fizer isso ele terá como sustentar a sua família dignamente. E Deus também disse para nós ajudarmos as viúvas e os órfãos. Se fizésse o que Deus pediu e não o contrário, nossa vida seria mais simples.

Anônimo disse...

15:28. Normal. Vocês não se permitem ao diálogo. Só acreditariam se a pesquisa apontasse mulheres feministas como sendo as que mais praticam aborto. Na boa, eu não sei o que vocês querem aqui neste espaço, se não trollar. Não adianta mostrar um sem número de pesquisas que corroborem nosso argumento. Vocês continuam a dizer que são todas fajutas, já que não concordam com a sua visão de mundo. Vocês não querem debater, vocês querem continuar jogando a culpa da gravidez toda em cima da mulher.

"(...) E o venerável cardeal disser que vê tanto espírito no feto
E nenhum no marginal (...)
(Haiti, de Gil e Caetano)

Anônimo disse...

15:38

Rs ok, entao a UNB e a ONU dizem coisas que são pra acreditar?

https://nacoesunidas.org/aborto-inseguro-ainda-esta-matando-dezenas-de-milhares-de-mulheres-alertam-especialistas-da-onu/

Parece que tratam de informações, não de fé e crenças.

Eu disse que a maioria que faz aborto é casada, baseada nestas pesquisas, não foi Deus que me contou.

Pelo seu raciocínio, ou melhor, o que você diz que Deus quer, então melhor ter pencas de filhos, trabalhar e viver em condições miseráveis, socialmente vulnerável, que é a realidade da maior parte das mulheres que estamos tratando aqui.

As que tem dinheiro, mais ricas abortam também. Te digo que elas não vão pedir autorização de religião nenhuma, mesmo a que elas professam. Só que elas vão ter condições de viver, e viver com mais qualidade, enquanto vc parece preferir que as que tem menos recursos sejam mortas ou sejam hostilizadas por abandono ou ter filho de qualquer jeito, passando privações.

E de novo, esta se falando de uma formação celular que não sobrevive fora do utero, que não tem filhos, familia, amigos, trabalho

Anônimo disse...

15:28, essa sua profissão de fiscal de buceta alheia precisa de diploma superior ou só é necessário notório saber? Paga bem? A gente faz concurso ou é celetista? Precisa conferir in loco as bucetas ou você faz relatório por amostragem? E teu deus não tem mais o que fazer, não? Tipo explodir uma supernova, se preocupar com as criancinhas famintas da África, as órfãs dos conflitos bélicos? Que bosta de deus é esse que se preocupa que a mulherada tá dando em vez de se ocupar com quem tá matando criança? E seu deus também disse que não pode usar dois tipos de tecido. Se sua calcinha é de lycra, sorry, a gente se vê no inferno...

Anônimo disse...

O problema do aborto é que é um assunto que a pouco tempo atrás era tabu, viendo a tona a pouco tempo. É difícil ter uma opinião formada

Anônimo disse...

Já opinei sobre a questão aqui e fui escrachada.
Não acho que trolls mereçam comentar aqui, mas não é porque alguém discorda que é troll e não merece espaço. Se a própria lola cedeu espaço do POST para responder a alguém que pensa diferente dela, quem são vocês para dizer o contrário?!

Enfim.

A maioria das gestações indesejadas ou não planejadas acontecem por descuido. Fato. A pessoa conhece um ou mais métodos contraceptivos, tem acesso à médicos (vocês mesmas estão dizendo que o perfil da mulher que aborta é casada, classe média, mãe, cristã) e poderia ter prevenido corretamente (a verdade é que as mulheres são sim muito displicentes nisso, e os homens nem se fala!).

Acho que a legalização do aborto até poderiam ser pensados em casos de situação de vulnerabilidade e hipossuficiencia (não somente financeira), mas não para todas as mulheres.

Alícia

Anônimo disse...

É melhor matar o indivíduo do que obriga-lo a ser criado por uma irresponsável que não tem condições e nem vontade de dar uma educação digna pra criança.
Certeza que se o governo ajuda as marginais a abortar a criminalidade no país vai cair.

Kasturba disse...

Lola, escrevi sobre isso hoje no meu facebook. Se me permite, vou reproduzir aqui:



O porquê de eu ser contra o aborto, a favor da legalização do aborto, e isso não ser uma incoerência

1
Sigo uma religião cristã. Ela diz que abortar é pecado. Acredito na minha religião, considero o aborto errado. Logo, sou contra o aborto.

2
No Brasil, legalmente uma pessoa é dada como morta após a ocorrência de morte encefálica (paralisação irreversível das funções cerebrais em decorrência da destruição do cérebro superior e do tronco encefálico) - lei nº 9.434, de 4 de fevereiro de 1997. Ou seja, mesmo que o corpo ainda seja mantido VIVO, por meio de aparelhos, não existe mais VIDA HUMANA. Aquele corpo VIVO já não é mais um SER HUMANO com VIDA.

Se consideramos, nos termos da lei, que a destruição do cérebro superior e do tronco encefálico determina quando uma VIDA HUMANA deixou de existir (mesmo havendo células humanas VIVAS), então é óbvio supor que antes da existência do cérebro superior e do tronco encefálico, não há VIDA HUMANA. O que há é um conjunto de células humanas VIVAS, que em condições ideais poderão se tornar um ser humano. Mas ainda não o são. Assim como um espermatozoide é uma célula humana VIVA, que em condições ideais pode se tornar um ser humano. Mas ainda não o é.

E por não ser uma VIDA HUMANA e sim um conjunto de células humanas VIVAS (como um fígado, um óvulo, uma amostra de sangue, um tumor, uma amostra de sêmen), não vejo o porquê de existir uma lei que criminalize a retirada deste conjunto de células (quando indesejadas) do útero de alguém.
Portanto, sou a favor da legalização do aborto.

3
Embora pessoalmente (pela minha FÉ) eu acredite que a vida humana se inicia no ato da concepção, quando então Deus destina (ou cria, em outras religiões) um espírito para animar aquele corpo, À LUZ DA LEI não podemos dizer que uma única célula, ou uma mórula, ou um embrião desprovido de cérebro superior e do tronco encefálico, é um ser humano.

E, embora eu ame a minha religião, ame meu Deus e minha fé, se tem algo que eu pude aprender nas aulas de história, é que a mistura mais perigosa que existe é POLÍTICA + RELIGIÃO.
Por isso, não quero que leis sejam feitas baseadas em crenças religiosas, mesmo que sejam as minhas. Nosso Estado é LAICO, e eu quero que continue assim. Não quero que PECADOS virem CRIMES, e nem que os comportamentos julgados CORRETOS pela minha religião virem LEIS.

Aqueles que quiserem seguir os preceitos da minhas religião, irei auxiliar em tudo que for possível. E aqueles que não quiserem, farei tudo o que puder para assegurar seu direito de escolha.

Precisamos proteger o Estado Laico contra as religiões, inclusive contra as nossas próprias.

Anônimo disse...

Ola Alicia, boa tarde.

Falei bastante do perfil da mulher pobre que aborta porque é a face mais extrema da necessidade de legalizar o aborto.

Mas então vamos falar de quem tem dinheiro pra pagar um aborto e teve uma gestação por descuido. Exatamente essa aí.

Tire da historinha a mulher cujo parceiro não queria usar camisinha de jeito nenhum ou de surpresa, ou praticamente obrigou a mulher a transar assim. Principalmente quando ela é casada, imagina mulher casada negar sexo pro parceiro? (ironia)

Você diz que a mulher que se descuidou então seria obrigada a ter. Ok. A lei já diz isso pra ela. Mas os números estão aí, quer vc ache descuido ou não.

Vamos pensar algumas coisas que essa gestante com dinheiro poderia fazer para conseguir interromper a gestação?

Primeiro: Conseguir os medicamentos ilegais, que podem não concluir a interrupção da gravidez e deixar sequelas para a mulher e ma formação na gestação. Pode demorar até conseguir e ela continuaria grávida. Mesmo que ela consiga, teria que ir para o SUS ou algum hospital particular, para TENTAR receber o tratamento adequado para não ter complicações e morrer.

Segundo: Não é tão fácil achar uma clinica segura de aborto, geralmente são formadas mafias criminosas, que teriam ligação até com milícias, como no caso Jandira.

http://odia.ig.com.br/noticia/rio-de-janeiro/2014-11-14/miliciano-esquartejou-corpo-de-gravida-que-morreu-ao-tentar-fazer-aborto.html

O que acontece é que temos mortes de mulheres em todos os casos, por causa de de uma formação celular que não sobrevive fora do utero, que não tem filhos, familia, amigos, trabalho.

Não prego uma visão utilitarista da vida mas é um jeito de sublinhar que temos nesse caso um moralismo e uma hipocrisia quanto a liberdade da mulher, em ter autonomia para gerenciar seu próprio corpo, pois o Estado e a sociedade querem tutelar uma decisão de foro íntimo e que vai interferir para sempre na vida daquela pessoa.

Ou seja, nada de mulher ter autonomia sobre si mesma.

É minha opinião, e se vc tem outra opinião, de achar que é descuido, ok, que vou fazer.

Só acho que ter e criar filho também é estar disponível e responsável, emocional, econômica e socialmente. Quem não está não deveria ter. E ver mulheres sendo barbaramente mortas por não ter autonomia sobre seus corpos me parece terrível também.

titia disse...

"As crianças ali não têm medo mais da morte. Elas preferem morrer a se ferir - dizem que quando você morre não tem de se preocupar com mais nada."
Rami Adham, o "contrabandista de brinquedos de Aleppo", que cruza a fronteira da Síria em guerra a pé carregando até 70 kg de brinquedos e comida sobre as crianças sírias refugiadas vítimas da guerra.

Enquanto isso, todos os hipócritas que choram sobre a vida do pobre embrião que a "piranha" quer "assassinar" preferem ser cobertos de mel e jogados num formigueiro de saúvas vermelhas a ir na favela da esquina entregar um chiclete pro "trombadinha" que mal tem o que comer e dizem que se preocupam com a vida? Nem eles mesmos se enganam mais. Eles mesmos SABEM que a questão não é nem nunca foi a vida do embrião. Eles SABEM que o negócio é punir a mulher por fazer sexo e que estão cagando pra vida do embrião. Apenas fingem que podem se enganar.

Bom, Alícia, essa seria extremamente arbitrário, e de qualquer forma, como você vai saber que mulher deve ter o aborto autorizado ou não? Como você vai fazer a classificação dessa ou daquela mulher como hipossuficiente? Ler a mente dela? Se ela não usou contraceptivo vai ser obrigada a ter, como punição (do mesmo jeito que os pró-morte-à-vadia-que-se-atreveu-a-transar fazem hoje)? E isso ainda seria querer mandar no corpo da outra, o que não é da sua alçada.

Maria, homicídio mata uma pessoa que JÁ NASCEU, já tem consciência, já sente e pensa. Aborto simplesmente impede que um punhado de células se torne um ser humano. E se você quer falar de lei, há exceções em que o homicídio não é punido ou é legalizado - tipo, não se pune assassinato por legítima defesa, e na legislação brasileira, crime contra a pátria em tempo de guerra dá perna de morte. O inciso 47 do artigo quinto da Constituição, diz que "não haverá penas de morte, salvo em caso de guerra declarada". A lei não pode ser a desculpa dos machistas que assassinam mulheres simplesmente porque elas se atreveram a transar e não querem aceitar a punição que os misóginos querem impor - um tipo de homicídio, aliás, com o qual "defensores" da vida estão completamente confortáveis.

E só pra esfregar um pouco de sal na ferida, vou lembrar aqui o fato que essa gente que se diz tão preocupada com a vida acha que maternidade é castigo pra "vagabunda" e pensam nas crianças do mesmo jeito - punição pra "piranha" que se atreveu a fazer sexo pra gozar. Pessoal, não precisa ser um Sherlock Holmes pra deduzir que quem reduz criança a castigo pra mulher que trepa caga pra dita criança e pra vida dela.

10:28 mas um pai sair correndo e abandonar os filhos passando fome, sem amor, sem cuidado, sem educação e talvez nas mãos de uma mãe ou padrasto abusivo é perfeitamente natural, não? Como você consegue se olhar no espelho sem vomitar e arrancar os olhos fora com as próprias unhas diante de uma visão tão abominável?

EneidaMelo disse...

Vocês sabem quanto tempo dura um parto? 12 horas em média. 12 horas de contrações de 5 em 5 minutos ou menos. Contrações, na imensa maioria das vezes, dolorosas.

Em que outro caso, a lei prevê tortura em prol da vida de outra pessoa?

Anônimo disse...

O que mais tem é mulher casada, católica/evangélica fazendo abortos. Vai nessa achando que mulher casada não faz aborto mascutroll

Hele Silveira disse...

Vamos resumir e desenhar, para a questão da legalização do aborto ficar mais clara:

1-Deus disse não matarás. - Se ainda não existe vida, não há que se falar em morte. Na boa... Deus deve ficar pasmo com o que se discute, usando o nome Dele na tentativa de validar absurdos.

2-A mulher devia ter se prevenido. - O homem também, ora! Homens não gostam tanto de falar que sem eles, mulheres não engravidam? Não querem ser pais? Protejam-se, p****!

3- Se a mulher engravidar, o homem "tem a responsabilidade de contribuir com o sustento da criança". - Jura que tem? Então, por que a maioria deles tem que ser acionada por via judicial, muitas vezes, sem resultado? VOCÊ teria um filho confiando em homem e contando com homem? Tá louca?

4- O aborto não deveria ser para todas as mulheres, apenas nos casos cabíveis. - Ah, tá. Agora tem mulher menos merecedora e mulher mais merecedora, rs! Ou o direito se estende a todas ou rasgamos o que ainda nos resta da Constituição. Perante a lei, todos devem ser iguais. Não acontece e ainda vamos achar bonito, julgando quem merece mais, menos ou nada?

Anônimo disse...

Ah e só pra complementar sobre o descuido nosso de cada dia, gostaria de relatar aqui um comentário interessante que ouvi estes dias:

Ninguém fica escandalizado quando alguem por descuido se machuca ou se fere gravemente vai ser atendido no hospital, publico ou particular quando:

Quando não usa proteções adequadas ao fazer um trabalho ou uma atividade;
Quando resolveu fazer um trabalho que não tem conhecimento adequado para executar (ah mas eu precisava do dinheiro, etc);
Quando toma drogas;
Quando dirige perigosamente e/ou bebe ao dirigir e quase mata a a si mesmo e seus acompanhantes;
Quando foi atropelado porque estava ao celular;
Quando é fumante e têm cancer porcausa disso
(imagina só ouvir "bem feito, agora aguenta, e não vai tirar o câncer não porque você sabia o risco que tava correndo, vai aguentar calado até o fim".)

Evidente que são situações que não se comparam a um aborto, mas entendo que a lógica do descuido me parece meio estranha.

juliana disse...

Também sou a favor do direito de escolha, mas não por isso acho que todo argumento utilizado a favor desta posição seja válido. Alguns inclusive utilizados no seu texto, Lola. Quero destacar alguns e convidar a uma reflexão, para que seu próximo texto argumentativo seja mais forte. vamos lá:

"Mas, com o aborto proibido, as mulheres continuam abortando clandestinamente, correndo risco de vida e morrendo": Ainda que seja um argumento importante, pode levar o leitor a um hiperdimensionamento do problema, criando uma visão equivocada. Cruzando informações da mídia a respeito de abortos ilegais (estimados 750 mil por ano) e 180 mortes decorrentes de abortos ao ano, temos uma taxa de 24 por 100.000 abortos por ano. A taxa de homicídio no Rio de Janeiro, segundo a OMS, é 32,4 por 100.000 habitantes ao ano.
Ora, é mais perigoso ser vítima de homicídio morando 9 meses no rio de janeiro do que morrer de complicações ao se realizar um aborto.
Repito, é um dado relevante e não deve ser ignorado. Mas será que sua argumentação leva a uma percepção desproporcional do leitor? Depois de saber desses dados, sua percepção mudou?

"Quem é contra aborto é também contra anticoncepcionais e educação sexual. ": Esta eu não sei nem comentar. De onde surgiu essa afirmação? Não corresponde ao que eu observo

Anônimo disse...

Eu sou doadora de órgãos e tecidos (com exceção - adivinhem - dos órgãos reprodutivos. Afinal já existe transplante de útero). Isso significa que, quando eu morrer, outras pessoas terão a possibilidade de continuar vivendo devido minha doação.
Mas eu tenho todo o direito de não querer doa-los. De ser cremada/enterrada, de deixar as minhocas comer meus tecidos. Milhares de pessoas morrem todos os dias por não receberem órgãos em tempo. Por não existirem doadores o suficiente.
Pode ser cruel não querer doar órgãos, mas ninguém pode te coagir a faze-los e ninguém pode, NEM MESMO DEPOIS DA MORTE, tirar partes do corpo sem sua permissão ainda em vida.

Eu comparo um embrião sem sistema nervoso funcional como um paciente na fila de espera por um coração, rim, fígado, etc...
O embrião precisa que alguém "doe" um útero para que ele possa sobreviver. Pode ser cruel, pecado, errado - ou seja lá qual for sua crença - não querer doar seu útero.
Mas por que raios uma mulher, um ser humano senciente, deve ser coagida pela família, sociedade e pelo estado a "doar" não só seu aparelho reprodutivo mas todos os outros aspectos da sua vida???


Jane Doe

titia disse...

Pessoal, alguma dúvida que esses mascus que tanto choram sobre casamento e responsabilidade (pras mulheres, só) não saem do puteiro e chifram as mulheres com qualquer pobre coitada que esteja desesperada o suficiente? Mais ainda, que eles não usam camisinha, transmitem doenças na cara de pau pras parceiras e se elas engravidarem apontam-nas como as putas traiçoeiras que seduziram os pobres coitadinhos inocentes, e vão ou forçar um aborto ou abandonar a criança pra morrer de fome e/ou nas mãos de gente abusiva e violenta? E o 15:28 mais do que qualquer um, porque esses que mais posam de carolas na internet são os que mais tem o pau mais gasto que couro da mão direita de mascu, de tanto rodar no puteiro? E duvida que nenhum deles usa camisinha?

Mascus, vocês não querem aborto? Mas querem MESMO evitar os abortos? É simples! Eis aqui a solução pra evitar abortos: guardem seus paus sujos nas cuecas ou enfiem-nos no rabo do outro mascu mais próximo e deixem as mulheres em paz. Fácil, né? Nós não vamos sentir sua falta. Nós não queremos vocês nem seus paus cheios de AIDS e HPV. Mantenha-nos guardados nas suas cuecas furadas ou introduzam-no em outro mascu de merda como vocês. Ficaremos felizes.

Anônimo disse...

Primeiramente, quem já foi em ginecologista já ouviu que deve combinar não só anticoncepcional mais também a camisinha, a camisinha porque além de se proteger das doenças, E também pq já avisam que só o anticoncepcional NÃO DÁ CERTO. Medicos dizem que só o remedio NÃO é suficiente. Nao basta isso? Ah tá, só pq transou obrigatoriamente ela quer ter um filho? Obvio que nao. As pessoas não transam com o objetivo de procriar. Se usou e a porcaria da camisinha estourou, a merda do anticoncepcional falhou, e a pilula do dia seguinte também, e por acaso não quer ter um filho por qualquer motivo que seja? Legaliza essa porra

titia disse...

18:24 'Quem é contra o aborto também é contra educação sexual e contraceptivos', essa afirmação veio da realidade, colega. É só ver o mascu carola do pau oco aí em cima. Chegue em qualquer pessoa que se diz contra o aborto e pergunte se ela é a favor de distribuição gratuita de contraceptivos e educação sexual nas escolas. A maioria vai lhe dizer que não, que vai "influenciar" os pobres jovens tão inocentes, que vai transformar o país numa orgia, que vai acabar com a família, que não vai pagar impostos pra patrocinar "safadeza" dos outros, etc. É só ler os comentários dos posts do blog que fala sobre aborto, creches públicas e quaisquer benefícios pra mulheres com filhos estudarem e trabalharem.

Vamos lá, faça isso. Cate todos os "pró-morte-pra-piranha-que-transa" e pergunte se eles são a favor de educação sexual nas escolas e distribuição gratuita de contraceptivos na rede pública de saúde. Pergunte também quantos fariam uma laqueadura numa mulher jovem e sem filhos se fossem médicos, mesmo que a lei diga que uma mulher com 25 ou mais OU dois filhos vivos (não é 25 anos e dois filhos vivos, é 25 anos OU dois filhos vivos. Letra da lei) pode fazer laqueadura sem ônus pro médico. Pergunte. Depois venha aqui constatar o óbvio.

Anónimo disse...

Gente , seguinte, quando se faz sexo sem proteção acontece de a mulher engravidar sabiao? Todas sabem e sao elas que carregam a criança, o cara tbm todos sabem dos riscos mas correr de contrair doencas e fazerem filhos,burrice eh foda,mas seguinte, se a pessoa foi fecundada e o inicio da vida deu o start eh obvio que seria assassinato colocar medicamentos para parar o desenvolvimento dessa vida, pois normalmente ela viveria, eh igual vc dar veneno pra alguem.... se liguem

Anônimo disse...

Oi Juliana

Eu mencionei algo parecido com isso "Quem é contra aborto é também contra anticoncepcionais e educação sexual"

porque tem gente religiosa que não acha bom anticoncepcionais, para muitos o metodo adequado é tabelinha. Mesmo com o Papa "autorizando" recentemente.

porque tenho visto que muita gente acha que falar em educação sexual é corromper crianças, vide alguns simpatizantes da "escola sem partido".

Quanto a questão do numero de mortes é um ponto interessante, porque a taxa das que conseguem pode até ser um número considerável, embora o número das que morrem seja relevante sim. 24 pra 32 é proporção relevante, pelo menos pra mim. Ainda assim isto até pode ser um argumento para liberar o procedimento, pois os investimentos para tal não teriam um impacto de custo tão alto assim no sistema de saúde.

O argumento que visualizo para a situação das que conseguiram é que elas não são obrigadas a sustentar uma decisão de foro íntimo que irá determinar mudanças em toda sua vida e de quem estiver ao redor dela. Maternidade não deveria ser obrigação. De novo, a escolha deve ser para quem está disponível, responsável, emocional, econômica e socialmente. Quem não está não deveria nem precisa ter.

Mas acredito também que nenhuma morte em decorrência de procedimento inseguro deve ser aceita, o que completaria, em minha visão, a defesa da legalização.

Alguém falou que na antiguidade se abortava e que era crime etc mas me parece que não era em todas sociedades e mesmo assim, parece mais ligada aos casos em que não tivesse questão de propriedade envolvida, o que dava em um ressarcimento ao homem/proprietario. Era essa antiguidade em que se tinha uma penca de filhos ou escravos pra trabalhar na agricultura também.

Hoje não é mais antiguidade. O que temos hoje é uma superpopulação mundial e economias que não são mais essencialmente sustentadas por trabalhos braçais. Cada vez mais se vê é a busca da formação individual de gente, com custos cada vez mais altos, pra se adequar as exigências econômicas de hoje. Cada vez mais mulheres tem filhos mais tarde ou não os têm.

Anônimo disse...

Os misóginos não tem um mínimo de solidariedade aos órfãos, para essa turma adotar criança de um orfanato é uma grande desonra, mas usa os órfãos em nome da religião dos seus preconceitos para fazer ataques ao assunto do aborto.

titia disse...

Traduzindo o comentário do Anónimo: já que eu não engravido vou fingir que não tenho responsabilidade nenhuma, tirar o meu da reta e foda-se a otária que transou comigo, vou me negar a usar camisinha, a assumir o filho e se ela abortar sem a minha permissão vou chama-la de vadia assassina e sair aliviado por não ter que sustentar fedelho e vadia golpista. E se ela abortar como eu quero, vou chama-la de vadia assassina do mesmo jeito, fingir que não tenho responsabilidade nenhuma e ainda usar isso como desculpa pra largar a piranha e ir arranjar outra otária. Ah, e claro que se ela não abortar eu não vou assumir nem cuidar do filho, e vou fazer de tudo pra não pagar pensão. E fodam-se todas as mulheres.

Não precisa agradecer.

Anônimo disse...

(Viviane)
Eneida, isso porque ainda não se mencionou a violência obstétrica - passar por isso que você falou ouvindo barbaridades de equipes de saúde, bem como procedimentos desnecessários que só servem para "punir a vadia". E ainda tem quem defenda ter o filho e dar para adoção... tão fácil... #sóquenão

Anônimo disse...

Errado. Adotar uma criança de um orfanato é um gesto de amor, cuidar de uma criança que é fruto da relação de sua mulher com outro homem, ex. mãe solteira que é uma grande desonra.
Não que eu concorde, mas é isso q eles pensam.

Leonardo Vieira disse...

Eu sou contra o aborto s tem como evitar portanto não e necessário. Sou a favor de um forte investimento em educação sexual(sem besteira de ideologia de gênero embutida no meio como muitos querem fazer)para acabar com essa distorções.

Os maiores motivo para eu ser contra o aborto são:

A forma como muitas mulheres iriam lidar com isso, muitas tratariam o aborto como um procedimento banal. como forma de escapar de suas responsabilidades. tipo a mulher e casada engravidou do amante solução, abortar. a universitária fez sexo sem proteção e acaba engravidando solução, abortar. ETC

O custo que isso traia para o sistema de saúde ja debilitado. gravidez e algo que pode ser evitado ao contrario de muitas doenças ( gravidez não e doença. não e justo pagamos por causa da promiscuidade dos outros ( homens e mulheres).

E por ultimo a mulher tem escolha sim, sabe em que momento, naquela hora que vocês estão deitadas com as pernas abertas, vocês podem escolher se o cara vai penetra com o sem camisinha.so uma observação eu sei que isso não se aplica aos caso de estupro ao qual so a favor da mulher abortar( não porque eu ache que avida dentro dela não tem valor, mais pelo fato de a mulher ter sido obrigada a realizar o ato)


Bela Campoi disse...

Faz tempo que não comento, mas lendo os coleguinhas aqui de cima, eu ri! Pelas argumentações divinas e as respostas hilárias e muito inteligentes, como costuma ser os comentaristas da Lola... não falo dos trolls, acho até engraçado lê-los, mas rebater é alimentá-los, apesar de alguns comentários serem muito bons mesmo rebatendo essas pestes!! Feminista que não defende a descriminalização do aborto, não pode dizer-se feminista!! É nossa pauta principal no Brasil...

Anônimo disse...

Ta bom ô Leonardo, conta essa que vai aumentar muito o aborto pra ONU, que diz que os abortos diminuiram ou se mantiveram estaveis nos aonde sao legalizados.

De novo: pra vc, mulher que morra, mas não tira o amontoado de celulas que nao sobrevivem fora do utero ne

Conta essa também de educação sexual e camisinha na escola pras igrejas, pros conservadores, pra pá de cara que só transa sem camisinha e exige isso das parceiras... Quero ver deixar kkkk Mas claro, quem abre as pernas é que se vire

pelo que vc diz, pensei, mas pensei alto, q todas as mulheres casadas engravidam de amantes ne kkk de maridos necas???... kkkk

E universitarias e varias ja abortam, vc ta chovendo no molhado que vai aumentar. E se aumentar, se eu for muito escrota so com a droga do custo pra porcaria do Estado, pense na quantidade de custos que menos nascimentos gerarao pro estado, pense no quanto menos pessoas terão que ser atendidas quase morrendo no SUS, na justiça policia e MP que não vão ter mais que investigar crimes, mafias e mortes relacionadas ao aborto

E por fim, vá fiscalizar os seus paises baixos, moralista hipocrita

Anônimo disse...

Falou a presidente do feminismo do Brasil. Que decide qual é a pauta principal e qual opinião você deve ter para se dizer feminista.

donadio disse...

"se a mulher casa não adultera, ela não precisa abortar"

Isso, por que maridos nunca ficam desempregados, nem nunca abandonam suas famílias.

A Idade Média acabou, cara. Viva com isso.

Anônimo disse...

a) Lola vamos enfrentar a realidade o tema aborto não vai avançar no Brasil e não duvido que este congresso nacional repleto de conservadores e religiosos proibam abortos até em casos de estupro pois mulheres devem parir mesmo nas piores circunstâncias.

b) A maior hipocrisia destes conservadores é que a maioria é contra projetos sociais e querem a redução da idade penal na verdade eles enxergam o nascimento destas crianças como uma punição a mulher que fez sexo eles querem que estas crianças se explodam.

c) Nós feministas que lutamos por creches projetos sociais mas na hora de discutir o tema aborto as malvadas somos nós

Prof. Ane Santos disse...

O feto só tem individualidade jurídica no Brasil quando nasce; além disso, existem estudos que reforçam que feto em início de gestação não sente dor - derrubando um dos argumentos dos "pró-vida". Considero importante o DIREITO da mulher decidir. Sou professora e refuto comentários de certas pessoas que só engravida quem quer. Estes indivíduos talvez nunca pisaram em sala de aula para presenciar e refletir sobre a realidade da sala de aula. Protegem a "vida" do feto, mas na hora de ajudar a escola em projetos sociais e educação sexual, passam longe. E se a criança se desenvolve sem apoio moral da família e vira ladrão, aí a vida do jovem não é mais importante. Também falam que a escola não tem direito de interferir na educação sexual das crianças; mas se a família não dá um mínimo de estrutura, e a jovem engravida, foi porque quis???? ... Hipocrisia.

Maria disse...

Titia,
Um dos argumentos a favor da descriminalização do aborto utilizado no texto é de que ele existe desde a Antiguidade. Eu só disse que esse argumento não é válido. E dei como exemplo o homicídio.
Só isso.
Agora, o que o aborto tem a ver com legítima defesa ou crime contra a pátria?
O que tudo isso tem a ver com machistas que matam mulheres?
E de onde você tirou que as pessoas contra o aborto são condizentes com assassinato de mulheres?

Anônimo disse...

Acho engraçado que homens queiram ter opinião sobre aborto.

Com mais de cinco milhões de crianças sem o nome do pai no registro no Brasil, vcs tinham é que ter vergonha nessa cara e largar mão de ser nojentos e cínicos. Sério, calar a boca nessa hora é o melhor que vcs fazem.

Vcs não se importam com as crianças, ou talvez se importem sim, querem ter mais meninas vulneráveis para poderem abusar à vontade.

Se se importassem com crianças, com bebês, estariam envergonhados pelo que sua classe faz, deveriam estar conscientizando os outros homens pra que usem camisinha, deveriam estar fazendo doações para casas de abrigo.

Mas é tão mais cômodo ficar ofendendo e agredindo mulheres, não é mesmo? Cínicos.

Anônimo disse...

Aborto né? Eu defenderei o dia em que o abortado for a favor.

Rodrigo Almeida disse...

Sou a favor da legalização do aborto, porém em certos casos acho criminoso interromper uma gravidez de 8 meses, por exemplo. Tanto que se alguém machuca mãe a ponto dela perde o bebê, o criminoso será julgado pelo homicídio dessa criança, então não entendo pq com a mãe que opta por abortar (com o bebê já formado) tem q ser diferente.

Anônimo disse...

O fato de você ser mulher e ser contra não vai mudar a opinião.

lola aronovich disse...

3... 2... 1... pro cara vir aqui reclamar que seu comentário não foi publicado mimimi censura mimimi não ataquei ninguém mimimi vcs não querem debater.
O cara deixa um comentário chamando mulheres de vadias e vagabundas e quer ser publicado num blog feminista.
Se vc chama mulher de vadia e vagabunda vc não tem lugar num blog feminista. Vc não tem lugar nem no mundo.

Anônimo disse...

Hurrr, durrr...

Anônimo disse...

Mário, no uterus, no opinion.

Anônimo disse...

Ei 23:45 min vc não quer que ela decida a pauta no próprio blog? quem deve decidir é vc então? Por que não cria seu próprio blog?

Anônimo disse...

Maria

Pessoas contra o abroto, mesmo que pensem viver no reino dos unicornios, são hipocritas e defendem a morte de mulheres.

Você está se mostrando uma misógina e tanto hein. Ta caprichando. Alias to ate começando a crer que isso é mario, como algumas insistem aqui.

Ah e pra quem veio aqui dizer "Eu defenderei o dia em que o abortado for a favor" eu queria ser a primeira da fila, nao pedi pra nascer.

Anônimo disse...

"Acho engraçado que homens queiram ter opinião sobre aborto."

Pois é, não é como se matar crianças (tanto garotos quanto garotas) fosse algo a ser discutido por toda a sociedade.

"Com mais de cinco milhões de crianças sem o nome do pai no registro no Brasil, vcs tinham é que ter vergonha nessa cara e largar mão de ser nojentos e cínicos. Sério, calar a boca nessa hora é o melhor que vcs fazem."

Você acha que esses caras são contra o aborto? Homem que não quer assumir a criança geralmente é o primeiro a incentivar.

"Vcs não se importam com as crianças, ou talvez se importem sim, querem ter mais meninas vulneráveis para poderem abusar à vontade."

Você é doente.

"Se se importassem com crianças, com bebês, estariam envergonhados pelo que sua classe faz, deveriam estar conscientizando os outros homens pra que usem camisinha, deveriam estar fazendo doações para casas de abrigo."

É, como todos sabem, lutar contra o aborto e usar camisinha são ações mutuamente exclusivas, impossível fazer as duas! Doações para casas de abrigo? Têm idéia de quantos orfanatos, creches, ongs de proteção a crianças, etc. são mantidos por organizações religiosas com ideais totalmente opostos ao aborto?

"Mas é tão mais cômodo ficar ofendendo e agredindo mulheres, não é mesmo? Cínicos."

Cínico é dizer que negar o "direito" de destruir outro ser humano é ofender e agredir.

Maria disse...

Pessoas contra o abroto, mesmo que pensem viver no reino dos unicornios, são hipocritas e defendem a morte de mulheres

Você está dizendo que uma pessoa contra o aborto defende que as mulheres sejam mortas?????

Acho que eu sei quem vive no reino dos unicórnios!

titia disse...

Maria, por favor não se faça de inocente que não cola. Você sabe muito bem que a ilegalidade do homicídio não é um argumento válido pra manter a ilegalidade do aborto, uma vez que 1) aborto não mata um ser humano nascido e formado que é sujeito de direitos, e 2) que a ilegalidade do homicídio não é absoluta, portanto, não é desculpa pra legislação misógina a respeito do aborto ser absoluta também. Mas quem liga não é, são só umas vadias pobres morrendo e uns trombadinhas miseráveis crescendo sem ter o mínimo de cuidado e dignidade, imagina se uma grande dama da classe média vai se importar com a morte de umas piranhas pobres e com os trombadinhas que não tem o mínimo, é até uma limpeza!

13:02, caro hipócrita reclamão que não usa camisinha nem paga pensão, e quando for a sua carteira na reta com certeza vai mandar a pobre otária abortar:

Embriões não são garotos e garotas. Na verdade, eles não tem nem mesmo sexo definido, quanto mais um cérebro funcional.

Claro, porque mandar a mulher não abortar, pagar uma pensão mixuruca que mal dá pra comprar comida, pegar o filho nos fins de semana só pra jogá-lo no colo de outra mulher (a avó, a tia, a irmã) e nem mesmo falar com ele, bater, humilhar e negligenciar a criança - pra fingir que ela nem existe depois de arranjar outra mulher - e depois tirar selfie posando de paizão do ano no facebook é muito mais digno que admitir que não tem condição nenhuma de cuidar e fazer um aborto.

Na verdade, doente é quem odeia a tal ponto a sexualidade feminina a ponto de achar que ela merece ser punida com a maternidade ou a morte. E eu vou repetir, quem vê criança como punição pra vagabunda que abriu as pernas tá se fodendo pra vida dela. É só ver quanto o senhor Hipócrita Reclamão e seus pares ajudam essas crianças.

Quem mais luta contra o aborto são justamente os que não querem usar camisinha nem querem educação sexual e nem distribuição de contraceptivos gratuitos. Se você tirasse a cabeça de dentro do cu e olhasse o mundo real de vez em quando saberia disso.

Cínico é fingir que defende o direito à vida e gozar cada vez que uma mulher morre num aborto inseguro, é assassinada pelo ex, ou um jovem da favela leva um tiro porque "tem cara de bandido" e morre, ou diz que a menina de 13 anos estuprada por um adulto provocou, ou que não é mais inocente, ou defende linchamentos e execuções.

Acredite, vocês não enganam mais ninguém. Nem a vocês mesmos. Nós SABEMOS que vocês cagam pra vida e pras crianças. Sabemos que o que vocês querem é punir mulheres por fazerem sexo e as crianças que se fodam.

Anônimo disse...

Maria

Sim, repito pra sempre que vc vive no mundo dos unicornios. Não gostou é problema seu.

SIM EU REPITO QUE UMA PESSOA CONTRA O ABORTO DEFENDE A MORTE DE MULHERES

é preferencial: prefere que mulheres morram do que uma formação que nem tem cortex ate a 24semana.

Estamos falando de legalizaçao ate 12semanas (3meses)

vc e todos os moralistas como disse muito bem a Titia são uns cinicos hipocritas homicidio assassinato é seletivo em tudo nesse mundo e principalmente aqui no brasil em que muita gente que é religiosa tb defende pena de morte e vive dizendo que bandido bom e bandido morto, comemora cada carandiru que aparece.

vai ser seletivo assim com o corpo dos outros la no inferno...

Leonardo Vieira disse...

Eu sei que não sera publicado mais eu sei que você irar ler, primeiro que eu não generalizei, não chamei todas as mulheres de vagabundas e nenhuma em especifico.

EU apenas critiquei aquelas que eu considero que mereçam serem chamadas assim( as adulteras, as promiscuas etc). Eu não vejo mau algum nisso assim como acho que deve ser chamado de estuprador o homem que e estuprador.

E so para finalizar não vou ficar reclamando que você me censurou, que não gosta de debater mimi como você disse. o blog e seu e você decide o que deve ser publicado ou não, posso discorda mais e um direito seu assim como e de sua responsabilidade o conteúdo que esta presente aqui. quem tem essa mania de perseguição e censura são vocês de esquerda.

Maria disse...

Não, titia, eu não disse que a ilegalidade do homicídio é um argumento válido.
Eu disse que alegar que o aborto é cometido desde a Antiguidade não é argumento válido para descriminalizar o aborto. Dei como exemplo o homicídio, que é cometido desde a Antiguidade e não deve ser descriminalizado. Mas pode usar como exemplo o roubo.

E anônimo das 15:53, se uma mulher não abortar, ela não vai correr risco de vida. Logo, ela não morrerá.
Conclusão: Não abortar, salva mulheres.

Anônimo disse...

Que tal você largar a sua preguiça e ir atrás de dados que contradigam o texto? É o q eu faço quando discordo de alguém e não estou disposta a ser convencida.

Anônimo disse...

Que tal vc largar a sua preguiça e ir atrás de dados q contradigam o texto? É o que eu faço quando discordo de alguém e não estou disposta a ser convencida.

Anônimo disse...

Falou tudo

Anônimo disse...

(Viviane)
Da série:
1) Passando recibo: a Lola fez a gentileza de não citar seu nome, mas você faz questão de assumir o comentário;
2) Óleo de peroba: reforçando o comentário do Donadio, vá cobrar imparcialidade dos jornalistas da Veja - diferente da Lola, eles têm essa obrigação e não cumprem.

Anônimo disse...

O aborto - como previsto em lei, nos países onde é devidamente legalizado- apenas prejudica a mulher (pode prejudicá-la fisicamente e psicologicamente, muito embora seguir com uma gravidez indesejada possa ser muito pior) e por isso ela tem direito a escolha. Roubo, homicídio e outros crimes afetam pessoas já nascidas e conscientes. Comparação fail, Mário. E pare de fingir que você está preocupado com as mulheres, porque todo mundo aqui já percebeu que você não está.

Anônimo disse...

Não devia ter mesmo Lola, mas ainda tem, o mundo ainda é dos homens e aparentemente seu blog também.

Anônimo disse...

Esse Mario é muito cínico, putz...

titia disse...

Claro, dona Maria. Porque todo mundo sabe que gravidez e parto não matam ninguém. Mais ainda, desrespeito e agressão moral durante a gravidez, violência obstétrica, maternidade forçada, cobranças desumanas, obrigação de se encaixar em padrões impossíveis e violência quando a mãe não é perfeita não existe. É tudo papo de feminista mal amada e misandrica.

Ah, e maternidade irresponsável nunca matou nenhuma criança, nunca causou violência doméstica, nem abusos físicos, emocionais e sexuais, nunca facilitou a ação de predadores e nunca causou sequelas psicológicas em crianças. Maternidade irresponsável nunca criou assassinos nem bandidos nem gente desajustada que vai repetir o ciclo de descaso e violência com os próprios filhos até o fim dos tempos.

Sabe, Maria, esse seu "Se as mulheres não abortarem não morrem, portanto sou a favor que as mulheres sejam proibidas de abortar e forçadas a uma maternidade doentia e indesejada como castigo por terem feito sexo" foi a coisa mais cínica que já li aqui. Que bom que estamos na internet, porque eu adoraria dar um tapa na sua cara se você me dissesse isso pessoalmente. Espero sinceramente que você arranje um jeito de se castrar e nunca tenha filhos na sua vida. Os pobrezinhos não merecem essa desgraça.

E obrigada por mais uma vez provar meu ponto de vista: você caga montanhas pra vida, como qualquer outro pró-morte-pra-vadia-que-abriu-as-pernas. Você caga pras crianças, caga pras mães e o único motivo pelo qual não caga para os embriões indesejados é porque pode usá-los pra punir mulheres por fazer sexo. Embora pros embriões que são produzidos pra inseminação artificial e descartados você cague espetacularmente também. Repito, vocês não enganam mais ninguém. Desistam. Todos já sabem que vocês são todos uns psicopatas misóginos com menos dignidade que o Champinha, já que nem ao menos se assumem como os monstros que são.

Anônimo disse...

Não é Maria, isso aí é homem. Nem admitir o próprio gênero o misógino admite. Perceba que ele fala com um enorme distanciamento, como alguém que nunca viveu os problemas que uma mulher vive. Começo a pensar que o melhor a se fazer é ignorar. Não jogue pérolas aos porcos (apesar de eu adorar suas respostas, rs).

Anônimo disse...

Mário

Faça um favor a si mesmo Vá arrumar o q fazer nada esgoto onde vc vive ninguém quer saber do seu ódio aqui

A gente já entendeu seu recado vc odeia mulher

Anônimo disse...

Que outro ser humano?
O único ser humano nascido e consciente nessa história é a mulher.

titia disse...

Obrigada, 23:14. Embora esse país machista esteja cheio de mascus com pepeca, também tô achando que essa Maria tá mais pra Mário justamente pelo tom alheio do discurso, e como essa criatura abominável já fez a gentileza de provar que os pró-morte-pra-mulher-que-transa são mesmo psicopatas assassinos e misóginos que se lixam pras crianças e só querem punir a sexualidade feminina, vou deixar Maria/Mário falando só. Gentinha podre, hein?

Anônimo disse...


"Quem é contra aborto é também contra anticoncepcionais e educação sexual. ": Esta eu não sei nem comentar. De onde surgiu essa afirmação? Não corresponde ao que eu observo


Na verdade, juliana, muitas pessoas contra o aborto com base religiosa desconsideram o sexo como necessidade fisiológica e como culturalmente prazeroso no ser humano. Elas acreditam que a distribuição de métodos contraceptivos induz ou estimula sexualização precoce, maior número de parceiros e eventos sexuais. O sexo, na concepção que elas desejam para as mulheres (pq os homens podem sair fazendo sexo adoidado desde que mantenham a fachada) é com fins estritamente reprodutivos. Logo aborto seria contra a finalidade do sexo. Trata-se de uma visão extremamente misógina e de caráter punitivo para a mulher, pois "como essa vadia se atreve a fazer sexo por diversão".

Feminista capitalista disse...

'Mas se eu entender o porquê feministas apoiam o aborto, passarei a defender também.''

Poxa,isso me motiva a contar porquê passei a ser a favor do aborto,foi de um dia pro outro, até 2008 eu era CONTRA,justamente porque tbm pensava que havia métodos pra evitar a gravidez, porque era menos feminista, até que um dia eu me lembrei de uma professora,já de certa idade que tive em 2004, quando estava na (antiga) sétima série, me lembro que ela iniciou um debate sobre aborto,dizendo que discutia esse assunto com seus alunos do ensino médio,mas que não deveria discutir com a gente porque não tínhamos maturidade pra tal.

Ela começou a se dizer contra o aborto,porque na visão de mundo dela era uma crueldade e tal; até que um aluno discordou dela e se declarou a favor do aborto, gente, a véia surtou, começou a berrar que isso era uma irresponsabilidade e que a 'criança' não podia 'pagar' porque (nas exatas palavras dela) "NÃO TINHA CULPA",ela repetiu essa frase de que '' A criança não tem culpa'' umas três,quatro vezes e encerrou a discussão dizendo que nós não possuíamos maturidade nenhuma pra discutir a questão,numa atitude bem autoritária,pois bem,ninguém mais se manifestou e ela voltou ao assunto escrita e produção de texto,fiquei em silêncio,sem entender direito o ataque dela,mas permaneci calada e sem achar ruim até porque também era contra o aborto nesse dia,mas por alguma razão, nunca me esqueci deste momento.

Pois bem, passaram-se quatro anos, eu mais velha,num dia como outro qualquer,em casa,
sabe-se lá a razão, simplesmente me lembrei desse dia,assim do nada, e me lembrei exatamente do que ela proclamava exaltada "MAS A CRIANÇA NÃO TEM CULPA",quando me lembrei disso,automaticamente me questionei em pensamento :

"Mas culpa de quê? que culpa? e quem é que tem essa culpa?"

Pois bem,em questão de dois segundinhos,agora mais velha, entendi que o que ela estava dizendo nas entrelinhas é que A MULHER, a suposta responsável pela gravidez (como se mulher alguma desse mundo engravidasse sozinha) era quem tinha a tal CULPA.

Em seguida,eu me perguntava "Mas que culpa? de estar grávida sem querer?"
Não precisei de nem mais um minuto pra deduzir o óbvio, que a tal culpa que a professora se referia, era a 'culpa' de ter FEITO SEXO, que obviamente, incomodava muito a nossa sociedade que uma mulher, pudesse fazer sexo,só por fazer, somente pelo prazer do sexo e mais nada, sem nenhum interesse de passar por uma gestação, sem objetivo de querer ser mãe ou assumir essa responsabilidade imposta pela sociedade, a tal culpa, era a culpa da mulher fazer sexo só pela questão carnal, só pela gratificação do prazer físico.

{continua}

Feminista capitalista disse...

Entendi que era isso que estava sob julgamento naquele dia, a conduta sexual da mulher que quis transar,sem querer ser mãe e sem ter nenhum plano de aceitar uma maternidade surpresa e fora de hora, entendi que na cabeça das pessoas era muito feio, uma mulher transar só por tesão, sem plano nenhum de vir a ser mãe.

Pois nesta mesma hora, eu passei a ser favor do aborto; e fiquei mais a favor ainda, quando compreendi que o que pessoas como essa minha ex-professora pensam, é que a gravidez, não é algo lindo e natural, MAS SIM, uma espécie de PUNIÇÃO pela qual devem passar as mulheres que dissociaram a idéia de sexo da idéia de maternidade.

Pensava em choque comigo mesma:

'Mas gente, como pode a gravidez virar motivo de punição?'

'Como este povo pode querer, que uma mulher que está DIZENDO de maneira clara,que não ficar grávida,nem quer ser mãe, seja forçada a conceber um filhx que ela está obviamente REJEITANDO?'

'Essa gente, acha legal,que um criança TENHA QUE vir ao mundo, só porque a mãe dela quis transar, e sabendo que essa crainça pode ser negligenciada, mal tratada ou nunca se sentir amada e desenvolver um vazio existencial porque a própria mãe, assumiu ao tentar optar pelo aborto, que não queria aquela criança,que não tinha CONDIÇÕES EMOCIONAIS,de tê-la,mesmo essas condições sendo cruciais?? Como pode isso ser bonito,com tanta gente sofrendo no mundo, ou se sentido vazia, sentindo um profundo abandono desde a infância?'


Conclui que se ninguém quer a criança, é melhor que ela nem nasça, porque nascer,só por nascer, nascer pra nunca receber afeto, não vale a pena.


Isso foi há cerca de oito anos, e desde então sou a favor do aborto, nunca mais pensei em um dia voltar a ser contra, e tenho PLENA CONVICÇÃO de que pelo resto de minha vida eu continuarei sendo sempre a favor, pelo simples fato, de que pra mim gravidez não é punição, não é consequência, É ESCOLHA! Tenho a minha consciência tranquila de saber que se a própria mulher que seria a mãe da criança está assumindo pra si mesma que não tem condições emocionais, financeiras e psicológicas de criar aquela criança, e estabelecer com ela um vínculo,que seria natural, então é melhor mesmo que a criança nem nasça, porque ninguém merece a infelicidade de nascer pra ser lamentadx, ao invés de celebradx, nascer pra ser completamente indesejadx.


Agredeço muito a essa minha professora conservadora,e sua visão deturpada de mundo com seus gritos, por me abrir os olhos,sobre o porquê do assunto aborto incomodar tanto, NÃO FOSSE POR ELA, eu talvez tivesse levado muito mais tempo e muitos mais anos pra me tornar a favor do aborto e enxergar o que REALMENTE está por trás dele: A misoginia escancarada.



Quanto mais injustos forem os reacionários, MAIS FEMINISTA EU FICAREI,com toda a certeza.

Anônimo disse...



"Os maiores motivo para eu ser contra o aborto são:

A forma como muitas mulheres iriam lidar com isso, muitas tratariam o aborto como um procedimento banal. como forma de escapar de suas responsabilidades. tipo a mulher e casada engravidou do amante solução, abortar. a universitária fez sexo sem proteção e acaba engravidando solução, abortar. ETC"

Você já parou para pesquisar como são os procedimentos de aborto. É um procedimento cirúrgico como outro que precisa ser recomendado por um médico e possui riscos. Pode deixar sequelas e causar até a morte da mulher. A legalização do aborto acompanhada por atendimento multidisciplinar, que visa entender o porquê da mulher vir a abortar, diminuiu a incidência de abortos. Logo, é inverídica essa percepção de que aborto é método contraceptivo (procedimento cirúrgico) e que a mulher o fará como vai à manicure.




"O custo que isso traia para o sistema de saúde ja debilitado. gravidez e algo que pode ser evitado ao contrario de muitas doenças ( gravidez não e doença. não e justo pagamos por causa da promiscuidade dos outros ( homens e mulheres)."

A saúde não atua somente em "doenças". A saúde atua também nos problemas de saúde pública, saneamento básico etc. Note que a gravidez é condição para que toda mulher tenha direito ao acompanhamento de sua saúde. Você está pagando também pela "promiscuidade dos outros". E como defensor dos métodos contraceptivos, você também estará pagando pela promiscuidade alheia. E aí?


"E por ultimo a mulher tem escolha sim, sabe em que momento, naquela hora que vocês estão deitadas com as pernas abertas, vocês podem escolher se o cara vai penetra com o sem camisinha"

O gran finale do comentário transborda misoginia. Ao que me consta, a gravidez é consequência de uma ação entre um homem e uma mulher. Mas a responsabilidade, tanto de evitá-la quanto de arcar é sempre da mulher. Notem que o homem só aparece para condenar a vadia que faz sexo, mas nunca é cobrado que ora, a moça ficou grávida porque ele também contribuiu.

".so uma observação eu sei que isso não se aplica aos caso de estupro ao qual so a favor da mulher abortar( não porque eu ache que avida dentro dela não tem valor, mais pelo fato de a mulher ter sido obrigada a realizar o ato)"
Informe-se melhor sobre a interrupção de gravidez mesmo em casos amparados por lei. Nem todos os médicos estão dispostos a fazê-lo, nem todos os hospitais são aptos a realizar o procedimento e a vítima necessita passar por um verdadeiro calvário antes de conseguir o que lhe é direito.

Leonardo Vieira disse...

anônima 12:14

EU acredito sim que se tornaria, um processo banalizado, não por ser algo simples porque sei que não, eu quero dizer seria a solução que todas procurariam toda vez que considerassem que não querem mais a gravidez como nas situações que eu coloquei no meu comentário. E so me tira uma duvida, vocês sempre dizem que o corpo da mulher e soberano que a escolha deve ser dela e tudo mais, então porque toda vez vocês reclama doa falta de responsabilidade do homem nessa horas, que ele foge dos compromissos e o principal que vocês não fizeram sozinhas. quer dizer então que na hora de abortar a escolha e so de vocês mais afinal a criança e so um feto e tudo mais e poder por para fora a hora que bem entenderem mais na hora que nasce todas correm para pedir pensão?




EU nunca disse que a gravidez não traz custos também assim como educação sexual, e difusão de métodos contraceptivos, mais ai primeiro estamos provendo educação, a vida sabe afinal e uma vida. Quanto mais pessoas tiverem acesso a educação sexual mais escolhas inteligente podem fazer, planejar sua famílias se assim desejarem ter. O aborto não resolve problema alguma ( não venham com essa historia que "em países que que o aborto foi legalizado......" cada povo, cada pais tem sua particularidades, o que funciona em um lugar não significa necessariamente que vá funcionar no outro, tem que levar em conta uma serie de fatores.)outro ponto importante nesses países foi tomada uma decisão democrática seu governante, decidiram de uma forma licita e constitucional. e essa decisão deve ser respeitadas, assim como os nosso decidiram pela não legalização. Eu não concordo com todas as leis do pais mais mesmo assim eu as respeito. Vocês tem que parar de ficar toda tentando mudar que ja foi decidido.




Quando eu falei sobre a escolha da mulher na hora do ato sexual eu estava rebatendo aquele velho argumento "muitos homens se recusam usar camisinha e obrigam suas parceiras a não usar", pois se obrigam por uso da força ou da intimidação e estupro e crime, e gravidez resultante desse ato hediondo ja esta previsto na lei. Agora se ele convenceu ela,se ela decidiu de livre espontânea vontade a realizar um ato sexual sem camisinha ou outro método contraceptivo esse argumento não e valido. ser ingênua não e desculpa. ser promiscua não desculpa. não estar preparada para ter um filho não e desculpa ou argumento. Tem que assumir seu ato e suas consequência assim como o homem( aqueles que se dizem homens) aborto e uma forma covarde de fugir e não responder pelas suas ações( homens e mulheres)


NO CASO DE ABORTO PREVISTOS EM LEI: tem que se brigar sim pelo uso dessa mulheres do direito de abortar exigir dos conselhos de medicina que punam medicos que não cumprem com seus deveres, exigir mais estruturas na rede publica para essa mulheres seja bem acompanha e tradas. e simples.


Anônimo disse...

Vou responder sua dúvida:
Diferença crucial. Ninguém quer matar/abandonar seres sencientes aqui. Estamos falando de algo num estágio sem diferenciação. Outra coisa é abandonar uma criança já nascida com direitos judicialmente já reconhecidos.
"Correr para pedir pensão". Elementar meu caro. Pensão alimentícia é para suprir as necessidades da criança UM SER VIVO NASCIDO E JUDICIALMENTE DE DIREITO. Mãe não deveria ser obrigada a criar filho sozinha. Mas aí é que tá né. Vocês reclamam de pagar pensão, mas reclamam que a mulher tenha direito ao aborto. Um dos motivos que as mulheres abortam é justamente esse: é saber que prosseguir com a gravidez e o nascimento da criança implicam numa responsabilidade que será totalmente da mãe. É saber que o pai vai dar o fora, se tanto, pagará 100 reais de pensão enquanto desce combo na balada. Você expõe o pagamento de pensão como um favor e como se as mulheres estivessem se aproveitando disso quando, na maioria das vezes, o valor de uma pensão não cobre nem uma saliva dos gastos financeiros, emocionais e físicos que a mulher tem para o marmanjo pagar de bom pai no facebook.

"EU acredito sim que se tornaria, um processo banalizado, não por ser algo simples porque sei que não, eu quero dizer seria a solução que todas procurariam toda vez que considerassem que não querem mais a gravidez como nas situações que eu coloquei no meu comentário."

Você acredita nisso pois acha que a legalização do aborto seria implantada aos trancos e barrancos. Não existe isso. Como eu disse, aborto é um procedimento médico que envolve riscos. Ora, todo procedimento é precedido de pré operatório e recomendação médica. Podem existir mulheres desinformadas que acham que aborto é solução contraceptiva? Claro que podem. Mas querer não é poder. Não vai existir mulher fazendo aborto todo dia porque cirurgias não são feitas todos os dias.

"outro ponto importante nesses países foi tomada uma decisão democrática seu governante, decidiram de uma forma licita e constitucional. e essa decisão deve ser respeitadas, assim como os nosso decidiram pela não legalização. "

Nesses países houve o debate. Aqui não há. Como tomaremos decisões sem que a liberdade para o debate seja discutida. E na liberdade para o debate há de se convir o equilíbrio de forças. Enquanto continuarmos a enfiar opiniões de religiosos na população, não avançaremos no debate em diversos temas "tabus". Legalização do aborto, drogas... eles são tabus porque uma parte conservadora da sociedade não quer sequer que esses assuntos sejam discutidos e assim que as decisões sejam tomadas com neutralidade.

"Vocês tem que parar de ficar toda tentando mudar que ja foi decidido."
Sério? Devemos estacionar no tempo, não modernizar nossas leis conforme a modernização da sociedade e viver de acordo com leis antigas e anacrônicas. Nossa, ainda bem que tinha esse povinho que não quis "parar de ficar toda hora tentando mudar o que já foi decidido" do contrário ainda teríamos escravos, mulheres não poderiam votar, seria válido marido matar esposa por adultério...

"ser ingênua não e desculpa. ser promiscua não desculpa. não estar preparada para ter um filho não e desculpa ou argumento."

Outras pessoas aqui já falaram. Maternidade não deve ser castigo para ninguém e ainda mais mulher. Você utiliza expressões misóginas (promíscua) para se referir apenas às mulheres. Ter uma relação sexual é sinônimo de promiscuidade? Seríamos, logo, todos promíscuos. Ou seriam apenas as mulheres?
O dicionário diz que promiscuidade é o ato de se fazer sexo casual com diversos parceiros. Mas o perfil das mulheres que abortam não é o de mulheres promíscuas. Pelo contrário, são mulheres cristãs e casadas. Seriam elas promíscuas ao fazer sexo com seus maridos dentro do rege a religião cristã?
Nem vou falar aqui de como os métodos de contracepção falham. Na ampla maioria das vezes, eles são eficazes, claro. Mas ninguém quer ser parte da margem de erro, como já disseram aí.

Leonardo Vieira disse...

anônima 15:22

acho que você esta me entendo então vou ser mais claro:

Quem não que ter filhos que se previna e muito simples. sabe uma coisa que eu nunca vejo ser defendida por ninguém, não vejo nenhuma bandeira nesse sentindo sendo levantada, que se abaixe a idade minima para uma mulher poder fazer uma laqueadura e um homem fazer vasectomia, isso ja seria de grande ajuda.

outra coisa que não vejo ninguém reivindicando, uma educação sexual nas escolas, mais um de verdade, como métodos elaborados por especialistas, da area da pedagogia, psicologia e areas afins. isso ajudaria os jovens a ter mais importância a respeito do sexo, quebrar tabus e o principal faria com os jovens levassem mais a serio essa tema.


so salientar o estado deve ser laico, e acredito que seja. A igreja não deve tomar decisões pela sociedade e graças a deus esse poder que ela tinha outrora diminuo bastante com o tempo. mais isso não significa que essa instituição que integra a sociedade não deva ser ouvida, o fator do estado ser laico não revoga o direito da igreja se posicionar.

e por ultimo os nosso governantes( neste caso os legisladores) estão para representar a população e sua maioria, e essa maioria não quer a legalização do aborto e simples. e democrático e legal. se um dia vocês conseguirem convencer essa maioria e aprovar a lei pro aborto também sera legitimo e democrático coisa que vocês não vem conseguindo.



Leonardo Vieira disse...

Sabe anônima eu ja tentei procurar ideias novas, não sou cego e vejo que nosso pais tem muitas mazelas, muitas delas causada por anos de escravidão, desigualdade social.
logico que a diferença de gêneros também influencia no nosso cotidiano.

por isso através de intensa pesquisa cheguei a alguns fóruns, que debatiam a "diferença de gêneros" e soluções dos problemas resultantes deles. mais que decepção e so ódio e fúria acumulada. um bando de caras que so sabem ofender diminuir e humilhar mulheres o dia inteiro. Não sei como esses caras não se casam, acredito que odiar cansa a alma. . ai vi que aquilo era so um bando de homens frustrados que não conseguem lidar com seus demônios internos.

bom ai vim ver o outro lado(por indicação da minha amiga. achei que o feminismo seria diferente, veria conteúdo, substancia, embasamento, ideias inovadoras. que nada, o que eu vi foi mais do mesmo, a vela briga "nos conta eles e eles contra nos", os mesmo discursos com outa roupagem e palavras mais rebuscadas.


não vi nem uma proposta, no campo filosófico de como podemos mudar a mente da nossa população para caminhamos para um real desenvolvimento, ou invés disso vi um enxurrada de proposta todas contaminadas com doutrinas politicas( esquerda, direita, centro diagonal, transversal).

Mais não desisto quero melhor a nação, e vou continuar na busca de pessoas que como eu quer o bem do brasil. Pessoas que tragam coisas novam(métodos, processos ideias).

Anônimo disse...

Leonardo, vai se foder.

Anônimo disse...

Leonardo

Uma opinião: achei sua fala engessada. Claro q vc pode ignorar isso etc Mas vou te passar alguns porques. Tentar desenhar. Textao. Não vai ser resposta prontinha.

Neste blog da Lola, há esta caixa de comentários na qual se pode debater, se expressar livremente até para falar qualquer bobagem, menos agressões (em tese). Mas o foco e sobre pautas feministas, que acabam tendo a ver com política tb. E principalmente troca de pontos de vista e vivencias.

O aborto é um desses temas, que inclusive pautou eleições presidenciais. A Dilma voltou atrás pra vencer e disse amém, por exemplo rs.

Vc diz que aceita educação sexual nas escolas pra prevenir aborto. Vc é um progressista? Muita gente acha que é safadeza pecado e "coisa de comunista" "coisa do Pete". Tem pânico de educação sexual em escolas. Vai ter protesto contra a educação de gênero no CPII aqui do RJ. Já trabalhei na baixada fluminense RJ (indiretamente com escolas) e vi escolas municipais em que era regra cantar hinos das igrejas neopentecostais. Por mais q a secretaria tivesse orientação laica, as diretoras, os pastores, os políticos, tem toda uma rede articulada de pessoas que promovem esse ambiente "religioso".

A vida pautada por essa regulagem... Não deve ser fácil ir lá mudar esse tipo de educação. Embora seja lugar que tb é violento, expansivo, alegre, tb tem baile funk, tem samba, tem pagode, tem boteco, tem terreiro. Tem uma comunidade plural. Mas é uma vivência q n é a minha.

Sabe qdo algumas feministas mais exaltadas dizem ah vc eh homem vc n tem útero não pode falar?

Eu mesma não concordo muito da maneira como é falada mas tem uma verdade nisso. Eh que as vivências, o estar na pele do outro eh algo q mtas vezes vc nunca vai saber. E a vida do outro. Outro corpo. Outro sexo.

Imagina ser socializado como mulher? Ou como uma pessoa negra? Ou branca? Ou homem? Num bairro rico? Num bairro pobre?

Então eu podia falar de outros mas vou falar então de mim, como uma referência. Claro que não a única, é só um exemplo. Eu fui socializada como mulher. Tenho 40 anos, bom nível sócio econômico. Até hoje não tive filhos nem me mantive casada por escolha própria e pq não aconteceram pessoas e situações como eu queria. Tive uma vida sexual razoável. Pode ser muito pra alguns, pouco pra outros. "Me preveni", como vc repete, inexorável.

Mas sempre há o risco. Sempre houve, sempre o medo o pânico de passar uma situação como um aborto. Pq não dá p contar com apoio d família. Pq o seu parceiro e nem vc são super homens. Pq é ilegal. Pq é risco d morte. Até hoje passo esse medo.

Pq é o risco de uma maternidade q cada vez mais vejo q não é pra mim. Não cabe n minha personalidade e minha vida. E deve ser muito doloroso pq já fiz uma intervenção cirúrgica parecida e eh realmente muita dor, é invasivo e perturbador. Fragiliza. Entretanto pra mim é muito claro q se acontecer eu vou fazer sim, pq significa ser fiel ao meu bem estar e das pessoas a minha volta. Não é só por manter uma situação econômica. É manter uma rotina de vida com a qual estarei mais inteira e farei bem a mim mesma e a sociedade. Vou ter a capacidade de responder ao outro com mais de paciência e tolerância.

Até hj encontro parceiros que colaboram tão bem de um lado - e falham tao miseravelmente em outros. E eu tb. A vida não é esse controle absoluto e previsível. "Basta se prevenir" soa pra mim como uma cobrança, uma utopia. "Basta fazer por onde" e vc terá garantido seu happy end, como nas comédias românticas? Nao... a vida não é filme... Ja vi muito, mas muito: da pessoa te dizer uma coisa, vc viver com ela e ela fazer outra coisa. E eu tb. A vida não é ciência exata. E eu prefiro: pra mim certezas engessam a alma; e as decepções, ao invés de virarem sombras do passado, viram fantasmas q atormentam os dias.
(Continua)

Anônimo disse...

Continuação
Isso tudo q to tentando te dizer é que pra entender um conceito, uma ideia, mais do q ler, mtas é preciso viver isso pra ter noção do que realmente significa. Ainda mais quando se trata de situações que não tem a ver com a sua realidade.

Senão vc vai lá atrapalhar, e não ajudar. Vai fazer pessoas sofrerem e se sentirem obrigadas, julgadas. E não se sentirem bem e felizes.

Sentir na carne, nas entranhas. No utero. Ah quando vc não tem? Dizer q mulheres tem mais dificuldade em receber educação sexual é uma realidade sim. Meus pais jamais me orientaram. Nem uma palavra. Tive sérios problemas p me relacionar. Na adolescência passei o q muitas relataram no "meu primeiro assédio". Aí vc aprende na vida, no tapa, na marra a se defender. Até hoje tenho dificuldade em me proteger nos relacionamentos pq a educação q recebi não me dá força pra toda hora ser firme e recusar certas situações na convivência. A gente fraqueja, é pressionada, se ilude, tropeça. Mas segue em frente. Segue mesmo tendo um monte de gente que não consegue te enxergar. Que quer só ver o filme que está na mente delas mesmas.

Querem que a mulher amada seja somente a mulher imaginada.

Será que essa mulher é real? Um ser humano, com suas contradições e dilemas? A gente tem mesmo que saber tudo? A gente sabe? Mas muita gente diz que ser digno é ter certezas. É ser intransigente em seus valores. "basta se prevenir" e acabou.

Acabou? Sem lamentos, não. Tb devo ter errado, mas sei que fiz o máximo pra jogar limpo com os outros. Sei so que fiz uma escolha e foi por minha vida. Penso que nada é tão definitivo. É preciso ter flexibilidade para viver.

Por que pra mim uma grande verdade é essa aqui: o critério com que vc julgar, sera usado no seu julgamento; e a medida que usar para medir a outros, igualmente medirão vc. E isso no meu julgamento vai ser cobrado com sofrimento, nesta vida mesmo, e não diante de Deus.

Leonardo Vieira disse...

ANONIMA 12:42

Entendo tudo que você falou. Em nenhum momento, eu disse ou afirmei que a nossa sociedade e igualitária, ou que as mulheres não sofrem com a discriminação de gênero.
isso tudo eu sei e na medida que eu posso eu tento acabar com essa distorções(não que eu seja um feministas)mais por acha que e justo.

Quando eu defendo a educação sexual nas escola, e justamente para que mulheres não tenham que passar pelo o que você passou tendo que aprender tudo meio que na marra. sou homem e nem por isso tive que essa educação que para vocês e dada a todos os homens assim de graça e negada a vocês. eu aprendi tudo por conta própria, tenho 26 anos e nunca engravidei uma mulher por me prevenir. ter filhos também não esta nos meus planos.
Quanto ao tema aborto, realmente métodos contraceptivos não dão 100% de segurança mais os casos em que isso ocorre e bem pequeno, isso não justifica um lei tão drástica.

E o mais importante toda ação que nos tomamos acarreta riscos por mais cuidados que possamos tomar. quando você sai de casa você corre o risco de inúmeros sinistro( assalto, estupros etc), muito provavelmente você tenta se cuidar, ficar atenta e tudo mais. mais mesmo assim o risco existe e nem por isso você vai deixar de sair de casa afinal você precisa trabalhar, que se divertir enfim. No sexo e a mesma coisa, você faz porque sente vontade, porque que ter prazer e como ter filhos e algo que você não deseja você se preveni. Ai você me pergunta mais se mesmo assim eu engravidar, se o método que eu uso falhar o que eu faço. bom na minha opinião você encarar que a gravidez e decorrência de ato consensual seu, que a gravidez e uma possibilidade e que você assumir suas responsabilidades bem como seu parceiro.

E ruim, pode ser. você não queria ter filhos e isso irar atrapalhar seu planejamento de vida. mais você assumiu o risco, você tomou um decisão. Quando você e o seu parceiro foram realizar o ato, estavam ciente que isso poderia ocorrer, tiveram prazer aproveitaram do sexo.

volto a repetir aborto e uma forma covarde e preguiçosa de fugir das responsabilidades. o que eu vejo em muitos relatos e mulheres que abortam pelo simples desejo de não ter filhos, e que na grande maioria das vezes ela fez o ato sem proteção.


fez aproveito o prazer que o sexo proporcionar, mais não se preveniu aguente as consequências.
fez aproveitou o prazer que o sexo proporciona, se preveniu mais mesmo assim engravidou, aguente as consequências pois era um risco que você sabia que existia.





Anônimo disse...

Desculpe.

Mas sua fala significa uma punição para mim.

Eu novamente reafirmo que mesmo tendo cuidado, se eu não me sentir bem com a gravidez inesperada, vou abortar sim.

E nunca jamais vou pensar que sou preguiçosa e fugi de minhas responsabilidades.

Se assim que vc julga, é seu julgamento.

Eu tenho outro julgamento e visão. Já tentei explicar. Assim como outras falas minhas e de outras mulheres.

Há sentimentos, questões existenciais, financeiras.

Se vc não deseja entender, lamento. Nem sei o que vc veio fazer aqui.

Anônimo disse...

Desculpe.

Mas sua fala significa uma punição para mim.

Eu novamente reafirmo que mesmo tendo cuidado, se eu não me sentir bem com a gravidez inesperada, vou abortar sim.

E nunca jamais vou pensar que sou preguiçosa e fugi de minhas responsabilidades.

Se assim que vc julga, é seu julgamento.

Eu tenho outro julgamento e visão. Já tentei explicar. Assim como outras falas minhas e de outras mulheres aqui neste forum.

Há sentimentos, questões existenciais, financeiras. Eu teria que arcar com coisas que já escolhi na minha vida. Se eu sei que posso contornar isso, eu vou faze-lo.

Se vc não deseja entender, lamento. Até fico sem entender bem o que você vem fazer aqui então.

Ou vc está numa cruzada pelo bem?

Aquele bem que salva a humanidade, que ja gerou cruzadas, guerras, matanças pela verdade?

Se você está tentando me convencer que minha escolha é equivocada, vc não conseguiu. Jamais mudaria minha atitude por causa de suas palavras. Suas idéias, como dizia a música, não correspondem aos fatos da minha vida.

Sua fala para mim não faz sentido, soa pra mim agressiva punitiva e me julga.

Não compensa nem paga minhas contas, minhas demandas emocionais afetivas ou psicólogicas.

Só me faz sentir como um pano jogado num canto.

É algum tipo de conversão para alguma religião? Ficou parecendo.

Anônimo disse...

Lola não consigo apagar este comentário, por favor gostaria de publicar só o seguinte que é correção deste. Obrigada.

Anônimo disse...

Isso mesmo, o aborto é legalizado desde 1973 nos EUA. O caso Roe vs. Wade legalizou tal prática na América, e algumas feministas não sabem disso, pelo que acompanho o que algumas escrevem e falam. Mas alguém poderia dizer que não é necessariamente importante uma feminista brasileira saber desse acontecimento, mas acaba sendo importante mencioná-lo. Sabe por quê? Porque a esquerda aqui no Brasil pode odiar os EUA, mas esse país é importante paradigma em movimentos sociais e civis. A verdade é essa. Um monte de pessoas da esquerda adora dizer que os EUA é país conservador. Que o conservadorismo é um movimento forte na América é verdade, apesar de que nos últimos anos vem perdendo cada vez mais força. No entanto os americanos são muito mais avançados que os brasileiros em muitas questões, principalmente as ligadas aos valores, o que nos EUA se chama de guerra cultural. Seria ótimo Lola, se já fez isso desde já perdoe minha ignorância, você falar do movimento feminista nos EUA, que é extremamente organizado e estruturado, e é um norte para qualquer movimento feminista ao redor do globo terrestre. Falar também da Planned Parenthood e de outras organizações similares, cito a Planned porque nesse mês de outubro a organização irá complementar seu centenário de fundação, e porque ela é uma entidade de máxima importância para o avanço da pauta feminista nos EUA. Enfim, é isso. Grato pela sua atenção, Lola.

Anônimo disse...

Também admiro muito isto nos EUA! Para mim é um alento, um exemplo.

Vejo este caso com admiração, como eles fazer valer seu direito a liberdade de escolha! As coisas são faladas e debatidas.

Eles fazem piadas sobre advogados mas eles recorrem direto ao judiciário de lá para viver a vida que eles quiserem por livre escolha.

Eu morreria por minha liberdade. Eu faria por isso ate um aborto inseguro.

Eu acredito profundamente que, mesmo diante de circunstâncias e pessoas divergentes das minhas crenças, apenas eu decido como eu devo viver minha vida. Com todas as limitações e por mais que não exista uma liberdade absoluta. Somos todos responsáveis por nossos atos e prontamente eu me disponho a responder e assumir. Nem que eu tenha que ir ser queimada na fogueira, como uma bruxa.

Leonardo Vieira disse...

Anônima 17:43

Acho que você me entendeu mau, não era minha intenção te converser de nada assim como acredito que não era a sua me converser de qualquer coisa.

esse espaço aqui pelo que entendi, e para debates sendo assim varias opiniões e vertentes de pensamentos irão aparecer.as vezes essas vertentes irão convergir em direção daquilo que acreditamos e as vezes não. isso aqui não e julgamento das suas escolhas(mesmo hipotéticas). entendo perfeitamente seu ponto de vista mais assim como você não concorda com a minha, eu discordo da sua ótica. ela é simplistista, egocêntrica, narcisista e ate certo ponto leviana. Exatamente o mesmo traço de pensamentos que possuíam os reis e sultões que se enfrentavam nos tempos das cruzadas.


Você nunca realizou um aborto então não entendo essa sua amargura na resposta.


Anônimo disse...

Engraçado que pensei que quem abortasse fosse tudo isso que vc citou anon das 09:59 do dia 28 de setembro.
Realmente é um povo hipócrita. Se aborta, ta errada, se nunca abortou e nao quis engravidar, ta errada também. Parece que o único certo é ser uma parideira de um macho provedor. E ainda assim tem que ter cuidado pra nao aparecer um dizendo que vc não é a favor da família. Vai entender

Anônimo disse...

E como vc sabe que ele não o é? Ja perguntou em alguma sessão espírita a opinião do abortado com relaçao a isso?
É que nem quem fala que somos a favor da descriminalização por que ja nascemos. E como saber que quem não nasceu é contra?

Anônimo disse...

Não entendi mal não Leonardo.

Pra mim está muito claro agora.

Eu q sou uma escrota, vc explicou bem. Ficou bem claro.

Eu que tenho que me preparar pra ser queimada numa fogueira pelas pessoas de bem como vc, que vão atrás da defesa dos bens morais contra pessoas levianas preguiçosas, egocêntricas, narcisistas, simplistas que fogem de suas responsabilidades, essas mulheres escrotas como eu, que pensam em abortar. Pior as que abortaram, nem devem ser seres humanos pra vc.

Mas eu ainda vou tentar explicar outras vezes pras pessoas pq uma mulher desejaria abortar. Eu sou uma incuravel sem juízo. Pq eu persisto numa liberdade de ser... Mesmo que eu vire uma escrota pro mundo.

E se vc não entende minha amargura depois de tudo que disse, do que todas estas mulheres disseram aqui e vc não pôde mudar nem um palmo de seu entendimento, entao desculpa sou incapaz de conseguir te explicar. Quem sabe outro dia?

Mas é isso aí. Cada um com suas opiniões.

Leonardo Vieira disse...

Anônima 23:45

Porque vocês que defendem o aborto são assim? porque pegam trechos da fala ou texto de quem discorda de vocês e distorcem tudo?

Eu nunca te chamei de escrota ou disse que você merecia a fogueira por pensar em aborta. eu chamei de simplista, egocêntrica, narcisista a sua ideia. assim como você criticou firmemente a minha ótica.

Se um dia você engravidar e resolver abortar, a decisão(apesar de ser ilegal)e sua. quem deve ser o seu juiz e a sua consciência se você que irar conseguir lidar com isso tudo bem.


mais isso não me impede de ser contar o aborto, não porque eu sou religioso( apesar de acreditar e deus e ser católico, eu não sou um fanático, aliais quase todo mundo que e religioso são pessoas de bem, ao contrario do que a maioria das feministas pensam) mais porque acredito sim que seja uma forma de abreviar uma vida em prol de motivos que na sua maioria e fútil, superficial e egoísta.

sabe anônima o que e mais interessante, você defendeu o aborto utilizado sua vida como exemplo( não sei porque ja que você nunca realizou um aborto, então assim como eu não tem como emitir um visão aprofundada),que não parou para pensar que a sua realidade não e da maioria das mulheres que realizam aborto nesse pais.


Nossa discursão toda se focou no fato das mulheres que se previnem e mesmo assim engravidam, sabemos que esse caso são bem raros. mais a grande maioria das mulheres que engravidam não utilizaram qualquer tipo método contraceptivos, realizam um ato consensual, mais não querem assumir os atos de correntes da sua escolha.



agora anônima se você poder me responder uma pergunta iria ser muito grato


Se um dia você fizer sexo sem proteção, por um descuido do momento sabe aquela situação onde o desejo fala mais alto. mais mesmo assim continuar com o desejo tem não ter filho. voce irar aplicar essa mesma logica que você defendeu nos seus textos?


por favor se quiser me responder eu agradeço!


Anônimo disse...

Rs

eu apenas interpretei a sua fala de acordo com meu ponto de vista.
Como minha lógica vc não entende nem aceita acho q vai parecer sempre p vc que o que falo é absurdo.
De resto, acho que vc não entendeu que falamos de aborto pra qq mulher e me coloquei como exemplo.
Em qualquer circunstância, se for minha decisão, não ter filhos claro que eu faria.
Por isso me coloco no lugar de qualquer mulher que passou por uma situação que eu poderia ter passado também. Independente de qualquer julgamento moral que tantas pessoas que são contra adoram fazer.
Seria lindo se quem é contra simplesmente não fizesse aborto e não atrapalhasse quem precisa fazer. Mas vcs precisam tomar conta da vida dos outros né? Enfim, desisto por hora, vamos ver se me inspiro outro momento. Muito inútil falar com alguém que não consegue aceitar que o outro tem autonomia e liberdade pra fazer o que quiser dá vida.

Leonardo Vieira disse...

Anônima 18:11

E assim caminha a humanidade. E uma pena que seu folego para o debate tenha acabado, ainda tinha alguns pontos interessante sobre o seu texto que gostaria de conversa. mais não quero ser chato e impor nada.

Apenas dois postos que gostaria de dizer( se você voltar a ler este post)

Primeiro na vida em sociedade não fazemos sempre o que queremos, existem leis e normas que precisamos seguir, gostando delas ou não. Porque se assim for para que vivermos em sociedade, e para cada fazer o que bem entende sem precisar responder por seus atos, não precisamos de leis, constituição, código civil e penal etc. Querendo ou não aborto e ilegal que faz comete um crime isso não so porque este fato te deixa frustrada ou vai contra aquilo que você acredita ou defende. e algo que você deve seguir.
Que mudar isso você e aqueles que querem mudança devem continuar lutando para tentar converser pessoas como eu. sim pois e faço parte dessa sociedade bem como a aqueles que não concordam com o aborto e adivinha nos somos a maioria. É dos nosso impostos que também irar sair o dinheiro para pagar toda a infraestrutura necessária para que se possa fazer um aborto no brasil caso um dia seja legalizado. Então se comigo que esta aqui debatendo com você de forma tranquila, imparcial, sem ofensas, você ja esta cansada o como será com aqueles mais radicais. As grandes conquistas das minorias vieram com paciência isso que esta te faltando no momento. Paciência para debater e conscientizar por que todos que ja lutaram por um causa e venceram sabe que essa conquistas não vão vir de forma fácil.



segundo ponto: para de menosprezar todos aqueles que discordam de você. eu falei varias vezes no meu texto que compreendo o seu posto de vista apenas não concordo com ele. Já disse também que suas decisões, o único julgador e a sua consciência, jamais lhe tacaria "pedra ou mandaria você para a fogueira por causa disso". faça o que acha melhor ( nem sei por estou falando dessa forma ja que você não esta gravida e nem realizou um aborto na vida)mais isso não vai mudar o fato do que eu penso sobre o aborto ser algo patético e nojento.



Você pelo que vi no texto e uma mulher esclarecida e bem articulada, então seja menos individualista e pense mais no coletivo.

titia disse...

Caro, Léo varejeira. Porque criar mal os filho indesejados certamente é ótimo pro coletivo. Veja-se o próprio Brasil como exemplo: pouquíssimos assaltos, quase zero violência contra a mulher, pedofilia zero, abuso sexual e violência doméstica quase zero, crianças largadas pela rua e abandonadas zero, crianças à mercê de predadores zero, famílias desestruturadas é mito, gravidezes precoces não existem, os psicólogos quase vão à falência porque não existe ninguém com traumas causados por pais bosta, enfim, isso aqui é um paraíso. Porque nada como maternidade forçada e irresponsável pra criar crianças equilibradas, éticas, emocionalmente saudáveis e seguras, que crescerão e se tornarão futuros cidadãos éticos, que contribuem para o bem estar coletivo e que serão excelentes pais pros próprios filhos.

Claro que sua preocupação é o bem estar social coletivo, e nunca punir mulheres por fazer sexo. Você já considerou a eutanásia? Sabe, às vezes escrotice machista tem cura, mas não estou tão otimista no seu caso...

Anônimo disse...

Os argumentos "pró-vida" centram-se em dois pilares: o sexo para finalidade reprodutiva e a punição do desvio de finalidade do sexo com a maternidade.
Se liga:

Para o pró-vida, o perfil da mulher que aborta é: mulheres promíscuas, mimadas, que fogem de suas responsabilidades e que merecem ter um filho para aprender a se comportar e não desviar a finalidade do sexo. Notem isso na argumentação do pró-vida acima. Contem quantas vezes ele considerou que o perfil é este. Eles ignoram gravidez não é level que você alcança com o número de XP (parceiros ou eventos sexuais) que você tem. Para engravidar, basta uma vez. É nessa que guria engravida na primeira vez. E isso não a torna uma vagabunda promíscua, embora os pró-vida insistam.
Notem também que, até os que se dizem defensores de métodos contraceptivos, caem em suas próprias contradições. O amiguinho acima começou com um discurso até progressista, mas depois caiu no velho papo de se "aproveitar os prazeres do sexo, mesmo com proteção, acarreta o risco de engravidar". Percebam o discurso de que mesmo com proteção - e se essa proteção falhar - a mulher não pode reclamar, afinal fez sexo. Minhas amigas, a única solução possível é vocês fecharem essas pernas e só darem quando quiserem ter filhos. Do contrário, bora baixando esse fogo na bacurinha.
É extremamente contraditório porque os que mais dão piti ao se falar em métodos de contracepção são justamente os pró-vida mais fanáticos, porém, mais honestos. Eles reforçam que o sexo tem apenas a finalidade reprodutiva e todo desvio deve ser punido com a maternidade.
Por fim, a maternidade como punição. Essa é uma das coisas que mais irritam no argumento pró-vida, mas mostra como eles são contraditórios. O pró-vida acredita que depois de abrir as pernas, as mulheres que aguentem as consequências. Enfatize essa palavra: MULHER. Mulher que ousou abrir as pernas, promíscua, vadia... Tome esse filho e veja se arrume um jeito na vida. Pare de abrir as pernas para qualquer um. Pai não assumiu? Problema seu, vadia, que não escolheu para quem abrir as pernas. A maternidade é vista pelos pró vida para corrigir a mulher. Notem que isso só acontece com a maternidade, já que o homem tem a prerrogativa de ser pai se quiser. Vivemos num país em que é preciso ter lei para o pai pagar qualquer miséria para criar seu próprio filho.
Aí entram as contradições e o porquê de pró-vidas não serem pró-vidas p nenhuma. Tudo o que acontece com o muleque depois de nascido é culpa da mãe. Todas as ajudas governamentais são vistas por eles como financiamento da promiscuidade alheia. Eles nem mesmo ligam no que vai resultar o fruto do castigo da vadia, também conhecido como filho.

Anônimo disse...

Caro Leonardo

Estou sim com preguiça de fazer alguém que só me vê como um depósito de esperma mudar a opinião.

É chato pq isso deprime, ter essa consciência mais nítida de como os homens e a sociedade machista quer punir as mulheres o tempo todo. De ver desenhado como vcs acham a gente umas vadias escrotas.

Mas uma hora me recupero e tento novamente argumentar pq não vou desistir de legalizar aborto no Brasil só pq tem gente que não consegue ter empatia e entender as dificuldades e liberdades do outro.

Vc que menospreza o tempo todo minha fala. Parece que ela só seria válida se eu concordar com vc.

Vc mesmo não vê a contradição na sua própria fala o tempo todo! Vc diz que o único julgamento é o meu. Se eu julgo que abortar não tem problema, eu tenho sim que convencer pessoas como vc de liberar a modificação da lei para que eu e outras mulheres possamos optar pela interrupção da gestação sem sermos presas ou mortas.

Vc diz que pagador de impostos. Em tese quem usa esse argumento o faz porque seria um custo a mais pro sistema de saúde. Como vai ser maior se:

1- menor número de nascimentos, por conseguinte, pessoas que tenham que receber investimento do governo

2- mais atendimentos simplificados para interrupção de gestação avançada, ja que não se perderia mais tempo com medicamentos e atendimentos falsos

3- menos atendimentos de pessoas com complicação e com risco de morte. Lembrando que significa salvar a vida da maioria que abortaram, cujo perfil é casada com filhos e em idade produtiva para o Trabalho, o que significa mães conseguindo terminar de criar os filhos anteriores e contribuindo com seu trabalho para a sociedade

4- acabar com as mafias de medicamentos e clínicas abortivas

5- cessar os vultuosos investimentos de mobilização de aparato jurídico e policial para prender mulheres que abortam e criminosos que exploram a rede ilegal de abortos.

A sua punição pra mim por enquanto é:

A- contribuir com seu discurso moralista pela permanência da legislação que criminaliza o aborto.

B- a maternidade. Significa abrir mão de meu status financeiro e social.

E mais, pra muita gente cada vez mais afinada a discurso de ódio nesse país eu tenho muito medo sim que minha luta por direitos seja encarada como desvio social (que o tempo todo vc me acusa de fazer) e que deve ser limpo da sociedade, com punições não necessariamente jurídica mas tratamento hostil e discriminatório socialmente pra quem assume a favor.

Lembrando que há cerca de 128 anos era legalizada a escravidão no Brasil. Há cerca de 70 anos pessoas foram enviadas a câmaras de gás por serem judias, posicionamento político diferente. Com sociedade que apoiaram o que hoje chamamos aberrações.

Se vc diz que entende meus argumentos e continua contra a legalização do aborto é pq tudo o que disse não tem o menor valor pra vc e ok precisaria achar outras maneiras de convencer pessoas como vc, por exemplo, para um eventual plebiscito. Que tão cedo n vai ocorrer com a maior bancada conservadora dos últimos tempos.

Por enquanto tento mudar um pouco as consciências sem me forçar tanto pq sei que não posso fazer tudo, que não tem como mudar tantos preconceitos tão arraigados que nem o preconceituoso se dá conta de que está sendo preconceituoso... Por isso há momentos em que paro de debater, fica meio inútil mesmo. Conto com o tempo p ajudar um pouco a reflexão, num nível mais profundo de consciência.

Anônimo disse...

13:06 nem adianta

Para mim, está bem clara a posição do nosso amigo. É punição da vadia-que-fez-sexo com a maternidade.
Maternidade é uma responsabilidade muito grande, gente. E se mulheres que sonharam e se prepararam para ser mães já encontram desafios, magina pra uma mulher que não quer ser mãe?

Sério, pra mim, os "argumentos" ficaram estúpidos quando ele diz que se o legislativo atual é contra o aborto, é fim, pronto, a gente não discute mais isso. Mano, em tese, o legislativo muda de 4 em 4 anos. A sociedade muda. Querer calar a discussão só porque você não concorda é autoritarismo. Imagine agora se a esquerda começasse a empurrar as pautas dela sem nenhuma discussão pra ver se esse "argumento" iria colar.

Leonardo Vieira disse...

Resposta a titia

Sabe nunca tinha parada para pensar, todos esse problemas sociais que você narrou, "Veja-se o próprio Brasil como exemplo: pouquíssimos assaltos, quase zero violência contra a mulher, pedofilia zero, abuso sexual e violência doméstica quase zero, crianças largadas pela rua e abandonadas zero, crianças à mercê de predadores zero, famílias desestruturadas é mito, gravidezes precoces não existem, os psicólogos quase vão à falência porque não existe ninguém com traumas causados por pais bosta". e claro tudo isso e porque mulheres não podem aborta meu deus como eu conseguir viver todo esse tempo sem perceber isso. vou agora ligar para o deputado e senador para que eu votei para que ele posso lutar pela legalização do aborto. e quando ele perguntar porque vou responder: para resolver os problemas do pais afinal e justamente pelo fato das mulher não poderem interromper a gravidez que temo autos indices de violência, crianças abandonadas, famílias desestruturadas e gravidez precoce. não e por causa da corrupção, falta de investimento e educação saúde, não e por causa da flat de responsabilidade dos pais. vamos liberar o aborto e caminharmos todos juntos para um novo pais desenvolvimento, acolhedor, sem preconceitos um verdadeiro jardim do éden.


para a anônima 11:43

Como vocês conseguem ignora um texto com mais de duzentos caracteres me diz. em que momento eu disse que mulher deve ser punida por fazer sexo, ou que homens não devem ser responsabilizados pelo ato que ele também participou. eu penso sim que vocês mulheres precisam assumir o que fazem bem como os homens, e quando eu falo isso me refiro a todas mulheres casadas, solteiras, novas, de meia idade dentro ou fora do perfil bem como os homens.


Leonardo Vieira disse...

continuação

Anônima 13:06

Essa falácia e velha. você acha mesmo que aprovando o aborto vai acontecer tudo isso que você falou. essa indústria do aborto o vai e crescer, vai para legalidade e vai continuar faturando alto, como ja faz hoje em dia so não vai ser mais clandestino. porque você ignora um segundo problema, o sus mau consegue prover o básico para a população, você acha mesmo que ele vai conseguir suprir a demanda. eu repondo não.
sabe o que acontecer, o mesma coisa que acontece hoje, as que tem dinheiro vão pagar um tratamento de qualidade as que não tem irão continuar usando os metodos arcaicos e perigosos de hoje.


Outro ponto, pare dizer que eu disse o que eu não disse. nuca te chamei de deposito de esperma nem de sequer nenhuma daquelas palavrinhas com v( afinal espero que um dia a dona desse blog possa me explicar por que aqui podem me chamar de escroto lixo, sugerir que eu sou um estuprado e s o meu vadia e vagabunda e ofensivo). Apenas não concordo com você assim como um dia possa vir a concordar. ja fui convencido de tantas coisas nessa vida. por exemplo antes eu achava que um mulher que tivesse mais de três parceiro sexuais na vida era aquela palavra com v. eu era adolescente, machista e bem conservador. hoje acredito que a mulher tem pleno direito de ter sua vida sexual com quantos homens ela desejar, em direito a ter prazer pois o corpo e seu e ela compartilha com que quiser desde que ela não expresse isso em publico. sabe como mudaram a minha concepção as minha amigas me mostraram isso, me dizendo e demostrando que elas tinham os mesmo direitos que eu.


então sim um dia posso mudar o meu pensamento e assim muitos homens e mulheres que pesam como igual. mais não vai ser com agressividade, falsas estatística,falta de bom senso, histerismo, incentivo a irresponsabilidade, encorajamento a praticas ilegais e arriscadas.
Quando você diz, que se um dia ficar gravida e não quiser levar a gravidez a diante irar aborta , você nem percebe que esse blog aqui pode ser lido por um jovem que acabou de descobrir que esta gravida, que pode estar assustada e ansiosa, que pode esta sozinha e perdida e sem saber o que fazer. Esperando aqui encontra alguém que possa dar uma luz, um sugestão. ai você com seu estilo de vida que não corresponde a maioria da mulheres brasileiras, uma realidade que muito possivelmente essa jovem desconhece, diz que se ela abortar tudo bem. que ela pode fazer algo que irar. mutilar seu corpo abrir um ferida no seu emocional que talvez nunca se cure.

sera que não percebe que isso e uma irresponsabilidade, que você esta incentivado essa jovem, a cometer uma agressão ao corpo dela, que muito provavelmente irar mata-la. olha seu um "pro-vida" como fui chamado aqui não estou preocupado com vida dessa jovem/mulher, vocês (autora desse blog e todas que defendem o aborto incluindo você anônima ) muito menos. elas so servem para as suas estáticas infladas e para fundamentar as propostas sem conteúdo de vocês. logico também para esfregar na cara dos conservadores/ reaças.

Leonardo Vieira disse...

Anônima 14:54

Todos tem direito a brigar por mudanças no pais, eu apenas disse que as decisões devem ser respeitadas enquanto elas ainda tem validade. não concorda com uma lei não te da o direito de descumpri-las.

Ja disse que não estou qui para condenar mulher que faz sexo. apenas penso que ja que fizeram assumam as consequência que por ventura possa acorrer, e parem de ficar choramingando por algo que foi feito com o consentimento de vocês.

Invés de arranjar dinheiro de conseguir dinheiro para realizar um aborto que tal compra o enxoval do seu bebe, invés de ficar perdendo tempo procurando métodos abortivos que tal usar esse mesmo tempo arrumar um emprego. para aquelas que são casadas e estão pensando em fazer um aborto( não entendo porque um mulher casada queira abortar, a não ser que tenha feito sexo outro homem e filho seja dele), se o filho e do seu marido não tem porque aborta, se o filho não for do seu marido tome vergonha na sua cara e faça o que tem que ser feito se separe e vá exigir do pai da criança que ele cumpra com o dever dele. as solteiras, casadas, amasiadas ou quer que seja, não querem ter filhos se previna, tem camisinha, pílula, tabelinha, dill, laqueadura mais se mesmo assim o medo for maior que tudo existe abstinência. parem de fugir daquilo que vocês procuraram para suas vidas.


Aos homens digo o mesmo engravidou, assuma suas obrigações, der dinheiro amor, cuidados. e sua função também. não jogue tudo nas costas da mâe( mais antes verifique se o filho e seu mesmos, se for cumpra com o seu deve,se não for deseje tudo de bom a mãe e a criança e se afaste)

Anônimo disse...

Querida 14:54

Pois é. E como o nosso próprio amigo disse, (tb n acho ele dos piores, ele pelo menos até conversa rs) há muitos mais deles, mais ferozes e perversos. E mobilizam mais pessoas com o discurso fácil do odio.

E essas pessoas votam.

Não vejo outra saída senão nos unirmos cada vez mais e buscarmos diálogo e consciência. Simplesmente carimba-las como isso ou aquilo não vai mudar voto nem entendimento muito menos empatia.

Por isso desculpem se vou dizer algo decepcionante, mas eu ando cada vez mais pé atrás com a militância feminista que quer brigar com o mundo todo, quer gritar "vc não tem útero" ou falar sem argumentar, sem embasamento. Eu tb morro de vontade de gritar mas desconfio até que ponto essa política pode ser vantajosa para nós.

Acho q uma militância on line precisa ser cada vez mais consciente e buscar transformar, pode ser até incisiva e agressiva mas não estimular ódio. É debater, cansativamente apresentar outras lógicas e pontos de vista, pra ajudar as pessoas a pelo menos conhecer mais outras linhas de raciocínio do que as facinhas, que passam cada vez mais perto da intolerância e ódio gratuitos.

Isso tb não significa aturar violência dos nossos opositores. Lola por ex colocou um bom limite no nosso amiguinho pra que ele repensasse por ex o uso da palavra "vagabunda". Mas claro, depois pudemos verificar aqui o conteúdo dessa maneira de se expressar, através de sua, assim por dizer, contundente explanação.

Anônimo disse...

Continuando comentário anterior p 14:54, tb quero dizer q minha fala é mais q uma crítica, é autocrítica, é dúvida. E de jeito nenhum eu saio de feminismo, acho mesmo que são muitos feminismos e o feminismo possível p mim por enquanto é este mas quero aprender cada vez mais.

Anônimo disse...

" eu apenas disse que as decisões devem ser respeitadas enquanto elas ainda tem validade."

E quem aqui está desrespeitando? Só estamos dizendo que essa questão tem e deve ser debatida. Ao contrário dos conservadores, que preferem empurrar a questão aborto para baixo do tapete. Aviso: não falar sobre aborto não vai fazer mulheres pararem de abortar - e morrer - por isso.

Mais uma vez você reduz a mulher que faz abortos a estereótipos. Dessa vez você acrescentou um: a de vagabunda ( no sentido estrito da palavra de mulheres que não têm emprego). Não dá para debater com alguém que continua insistindo que o aborto é uma questão individual e não olhando para a coletividade. Não dá para discutir com alguém que:
- reduz a mulher que aborta a estereótipos
- continua julgando a maternidade como punição, ou seja, a mulher tem que dar à luz para pagar pelo crime de fazer sexo e não querer engravidar. Dane-se se ela será uma boa mãe.

Só para ilustrar, não gosto desse argumento de que aborto impede que a criança vire um futuro marginal. Para mim, é simplesmente uma questão de liberdade com o corpo. Estado nenhum, e ainda mais com prerrogativas religiosas, deve mandar no seu corpo.

Anônimo disse...

"em que momento eu disse que mulher deve ser punida por fazer sexo, ou que homens não devem ser responsabilizados pelo ato que ele também participou."

Releia seus comentários Leonardo. Eu li todos, cada vírgula, por isso digo que sua visão é punição da mulher que faz sexo com a gravidez.
Vi a quantidade de vezes que você atribuiu a responsabilidade à mulher. Abaixo alguns trechos:

- quer dizer então que na hora de abortar a escolha e so de vocês mais afinal a criança e so um feto e tudo mais e poder por para fora a hora que bem entenderem mais na hora que nasce todas correm para pedir pensão?
- Se um dia você fizer sexo sem proteção, por um descuido do momento sabe aquela situação onde o desejo fala mais alto. mais mesmo assim continuar com o desejo tem não ter filho. voce irar aplicar essa mesma logica que você defendeu nos seus textos?
- se ela decidiu de livre espontânea vontade a realizar um ato sexual sem camisinha ou outro método contraceptivo esse argumento não e valido. ser ingênua não e desculpa. ser promiscua não desculpa. não estar preparada para ter um filho não e desculpa ou argumento.
-mais a grande maioria das mulheres que engravidam não utilizaram qualquer tipo método contraceptivos, realizam um ato consensual, mais não querem assumir os atos de correntes da sua escolha.

Mesmo que algumas vezes você emende: "assim como seu companheiro", note que em nenhum momento você se dirige aos homens como irresponsáveis, inconsequentes e promíscuos como você faz com as mulheres.


Leonardo Vieira disse...

Anônima 10:14

Muitas aqui( não sei se você afinal todas são anônimas) dizem ou dão a entender que se um dia engravidar e esse filho não estiver nos planos de vocês, irão sim cometer um aborto. ate onde eu sei o aborto não e legalizado no pais.
sobre o debate concordo que deve haver mesmo, mais mesmo nos poucos que existem eles não são conduzidos de forma seria pois a radicalismos de ambas as partes.

ANONIMA 10:29

Sabe o que e curioso, vocês me acusam de querer a gravidez como punição para a mulher que faz sexo, pois se assim vocês ou muitas de vocês fazem terrorismo com o tema. muitas de vocês tratam a criança como um praga, um ser que virar o mundo para exterminar todos os sonhos e desejos da mulher. uma chaga que irar impedi-la de seguir em frente e realizar todo o que ela planejou para a vida.


Aborto não um problema individual e sim coletivo nunca disse ao contrario.

Algumas de vocês que são doutoradas em estatística, podem me dizer quais são as principais razoes uma mulher abortar? medo, insegurança, falta de condições financeira ou psicológica ou ambas.
ou na verdade e so egoísmo, promiscuidade e uma deficiência crônica em assumir responsabilidades.

Anônimo disse...

" dizem ou dão a entender que se um dia engravidar e esse filho não estiver nos planos de vocês, irão sim cometer um aborto. ate onde eu sei o aborto não e legalizado no pais."

Note o tempo verbal "se". Muitas aqui não teriam coragem/vontade de fazer um aborto. E o perfil da mulher que faz aborto não é o da mulher feminista. Pretender, cogitar fazer um aborto não é crime, meu caro. Logo, ninguém aqui está desrespeitando leis.

"sobre o debate concordo que deve haver mesmo, mais mesmo nos poucos que existem eles não são conduzidos de forma seria pois a radicalismos de ambas as partes."
Acompanho o debate sobre o aborto no Brasil há 10 anos. E até hoje o tema traz pouquíssimos avanços. Sabe a razão? Todo debate sobre o aborto, o ponto de vista predominante é o religioso. Não querem discutir o aborto por causa da visão conservadora de algumas pessoas. Só que essas pessoas têm poder né?

"muitas de vocês tratam a criança como um praga, um ser que virar o mundo para exterminar todos os sonhos e desejos da mulher. uma chaga que irar impedi-la de seguir em frente e realizar todo o que ela planejou para a vida."
Meu caro, aí você voltou à sua diminuição de estereótipo. É um fato muito comum nos acusar de sermos contra a maternidade. Muito pelo contrário. Somos a favor de maternidade responsável. Que pessoas que queiram e estejam prontas para assumir esse compromisso se tornem mães. Não estamos aqui defendendo mães irresponsáveis ou relapsas que têm que ter um filho como forma de punição.

"Aborto não um problema individual e sim coletivo nunca disse ao contrario"/ "egoísmo, promiscuidade e uma deficiência crônica em assumir responsabilidades."
É incrível o seu poder de contradição duas sentenças depois. Claro, aborto é caso de saúde pública porque as mulheres (ah, sempre as mulheres!) são egoístas, promíscuas e deficientes crônicas em assumir responsabilidades. Sabe, as mulheres.
E de novo você colocando mulheres como promíscuas (uma garota que engravida na primeira vez, uma mulher que engravida do marido é promíscua?, eis a questão). As mulheres, esses seres tão malvados e mesquinhos, que só são responsáveis por cuidar de crianças órfãs de pais vivos; esses seres egoístas que fazem tripla jornada para cuidar dos filhos pq o pai não dá um tostão furado. Essas vadias promíscuas que engravidam mesmo na sua primeira vez.

A discussão do aborto não avança por isso. Você insiste em tratar o aborto como questão individual e circunscrita apenas ao egoísmo e promiscuidade das mulheres, você despreza fatores internos e externos por isso. Enquanto a gente enxerga a questão como uma decisão pessoal, não há como ter viabilidade em discutir o papel da sociedade no caso da mulher que aborta. Enquanto varremos a sujeira para debaixo do tapete, vamos continuar ignorando que as mulheres estão abortando por inúmeros motivos - e a gente quer que as mulheres não sejam levadas a tomar essa decisão tão forte sobre o seu corpo. Simplificar tudo e atribuir como egoísmo e promiscuidade não vai ajudar a discussão a avançar.
Mas né. Você tem sua opinião muito formada sobre isso. Ficou bem claro pelos seus comentários que você é contra o aborto porque a mulher não se preveniu na hora do sexo e agora tem que ter um filho para aprender a não ser promíscua (por promíscua leia-se toda mulher que não tem vida sexual ativa). Você é contra o aborto, porque segundo você, se fez sexo, agora que aguente menino chorando no ouvido. Se fez sexo, se preveniu e deu ruim, que aceite as consequências de ter feito sexo. Se não quiser o risco, que não abra as pernas. Não são meia dúzias de posts que irão mudar sua opinião mesmo.

Anônimo disse...

Essa estatística não existe. Se vc achar mostre.

Pelas sua próprias palavras, parece estar bem explicado:

"razoes (para) uma mulher abortar:

medo, insegurança, falta de condições financeira ou psicológica ou ambas.


ou na verdade (segundo julgamento moralista conservador) e so egoísmo, promiscuidade e uma deficiência crônica em assumir responsabilidades.

* disse...

E no fim, o colega afirmou tudo o que dizia que não era.

Moralista, conservador e acredita que a gravidez é uma punição para a mulher.

Esses pró-vida nunca enganam.

Leonardo Vieira disse...

Anônimas e bem cansativo debater com vocês, mais vou continuar tentando.


Sabe homens e mulheres tem vontades e desejos, e o sexo e um deles. sendo assim todos os sexos tem direito de satisfazer essa vontade.
Caminhando nessa linha de raciocínio, podemos concluir que o sexo e um ATO CONSENSUAL,(estão acompanhando, coloquei em Caps Lock para vocês visualizarem melhor)um decisão tomadas por ambos. então e justo dizer que ja que essa decisão foi tomadas e ambos tiveram prazer e conseguiram o que queria e justo que essas mesmas pessoas tenha que arcar com as consequência do que vier acontecer posteriormente.

A gravidez e uma dessas possibilidades.


Legalização do aborto, não vai diminuir os casos que existem no pais, e vai e jogar essas numero para a estratosfera. vai virar uma festa ja que vai o meio mais rápido e cômodo para se livrar do problema independente do motivo.

E vamos ser sinceros que abrem as pernas são vocês e quem fica com a criança dentro do corpo são as mulheres, sendo assim o maior cuidado tem que vim de vocês, justamente para depois não virem com essa ladainha "se fez sexo, agora que aguente menino chorando no ouvido. Se fez sexo, se preveniu e deu ruim, que aceite as consequências de ter feito sexo. Se não quiser o risco, que não abra as pernas".

titia disse...

Falou comigo, varejeira? Nem li e nem lerei, porque é só a mesma merda machista sendo cagada pela boca de um bosta misógino chamado Leonardo Vieira que tem um imenso tesão no sofrimento feminino. Volte aos meus comentários anteriores e leia as mesmas respostas.

P.S. Você não vai enganar ninguém. Desista. Todos nós já sabemos que o que você quer é punir mulheres por fazer sexo.

Anônimo disse...

kkk Ja cansou de debater Leonardo?

Aqui a gente tá bem disposta a mostrar o quanto vc é preconceituoso, conservador, e limitado na questão do aborto...

já ta bem desenhado que pra vc a culpa é das mulheres e que elas tem que ser punidas mesmo pq tiveram a ousadia de abrir as pernas. Quem não quiser passar por isso que se tranque dentro de casa ou se mate.

Pra vc q é homem bem facil vir aqui pq não é seu o onus. Mas a gente vai continuar falando que essa conta ta errada e que a gente tem direito sim de fazer aborto. E isso não vai pra estratosfera, vai so na sua cabeça intransigente.

O que se quer é a legalização do aborto pra principalmente nao continuar assistindo 47mil mulheres mortas por ano... isso vc nao quer saber, pra vc elas merecem isso, como quem apoia pena de morte...

Aqui vc não vai converter ninguém pra seu raciocínio que não conseguiu demonstrar nada, só o quanto vc insiste em não ver o que as mulheres passam. Hipocrisia e falta de empatia mandou lembranças

Leonardo Vieira disse...

Anônima 14:30

Eu não sou nada disso que você falou.

Querer que as mulheres sejam responsáveis pelas as suas escolhas e ser preconceituoso, conservador e limitado.

O corpo e de vocês mais o ser que se desenvolve dentro dos seus úteros não e. vocês não tem essa liberdade de simplesmente abortar so porque não e conveniente. vocês fizeram uma escolha na hora de fizeram sexo então vão arcar sim com as consequências das suas ações. se não querem filhos nas suas vidas e so tomarem as providencia para que eles não venham. Porque uma vez dentro dos seus úteros, vocês perdem o poder de escolha.


Tomem vergonha na cara e parem de querer impor o desejo de uma minoria em cima da maioria isso também e uma forma de ditadura. Querem legalizar o aborto, partam para o campo das ideias.


não vai ser com radicalismos e bravatas que vão conseguir.


Anônimo disse...

Macho só fala merda, impressionante. Devem receber diploma de mestrado e até doutoramento em tanta bosta.

Anônimo disse...

Já demos idéias Leonardo. Vc que me desculpe mas nunca vi tanta contradição em argumentação como vc faz.

Vc simplesmente quer suprimir o debate e não vamos nos falar.

E vc não pode falar pela maioria pq sequer temos plebiscito aqui no país pra saber mesmo o q o povo diria

http://www25.senado.leg.br/web/atividade/materias/-/materia/119431#tramitacao

Anônimo disse...

corrigindo eu mesma de 18:21: nao vamos nos calar! kkkk

mas falar vamos falar muito!!! e vc pode vir que tamos de prontidão kkkk

Leonardo Vieira disse...

anônimas

Eu sempre estou sempre pronto para o debate,não estou fugindo e não preciso ter medo eu sou homem, minha voz e ressoante.
A minha opinião tem mais peso, força e mais impacto.

Pode parecer arrogância mais no fundo vocês sabem que e verdade.

Mais sabe o que eu queria mesmo, que a nossa constituição fosse como a americana e permitisse que cada estado pudesse decidir temas como esse. acho que o debate por estados seriam mais produtivos e mais aprofundados. tenho certeza que o meu estado o amazonas nunca seria aprovado o aborto, aqui somos mais conservadores que estado como são Paulo, rio de janeiro enfim sul e sudeste do pais. sem falar que as mulheres aqui sabem se comportar.

Acredito que os debates deveriam vir para os estados. fica tudo centralizados em brasílias e ai como a nossa querida anônima ai de cima falou precisamos saber o que o pais todo pensar sobre esse tema.

Não so ficar restrito a meia dúzia de deputados , e uma bando coletivo feminino radical.

Anônimo disse...

Rs não parece arrogância. É pura arrogância.

Eu postei um link NACIONAL que prova q maioria a favor de aborto. Sua opinião é melhor do que a maioria das pessoas? pq sua opinião tem mais peso força e impacto? Ah pq vc é omi né

Se vc quer mudar corre atrás. E aí n amazonas é mais conservador é? Ah tá... Deve ser mesmo... Foi fácil catar no Google uma ilustração pro seu comentário edificante:

"'Fui estuprada': Buscas no Google mostram uso da internet por vítimas em Estados brasileiros"
"O Amazonas, no entanto, é o campeão de buscas pela expressão "fui abusada".

http://www.bbc.com/portuguese/brasil-36402028

Anônimo disse...

Sabe que gostei dessa história, Leonardo? Que amazonas é mais conservador?

E principalmente, que as mulheres do amazonas sabem se comportar, né?

Vamos ajudar o Léo a provar os argumentos dele:

“Amazonas é o paraíso da pedofilia”, diz relatora de CPI contra exploração sexual"

http://amazoniareal.com.br/acusados-de-pedofilia-impoem-o-terror-e-silencio-no-amazonas/
http://noticias.r7.com/cidades/amazonas-e-o-paraiso-da-pedofilia-diz-relatora-de-cpi-contra-exploracao-sexual-25092013


"Manaus registrou mais de um estupro por dia em 2015; foram 427 vítimas
Sociedade machista, vítimas com medo de falar, estupradores nas ruas... Mais que a cultura do estupro, a violência sexual é um crime que pode acontecer em qualquer esquina e precisa ser encarado"

http://www.acritica.com/channels/hoje/news/manaus-registrou-mais-de-um-estupro-por-dia-em-2015


"Medo do estupro
O levantamento revelou também que 85% das mulheres entrevistadas têm medo de ser estupradas. Entre os homens, esse percentual é de 46%. O temor é mais frequente entre as adolescentes e mulheres mais jovens e entre as moradoras das regiões Norte e Nordeste do país.

Segundo a pesquisa, nove em cada dez mulheres que vivem no Nordeste afirmaram ter medo de sofrer violência sexual. No Norte, o percentual é de 87,5%."

http://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2016/09/21/um-em-cada-3-brasileiros-concorda-que-mulher-tem-culpa-por-estupro-diz-pesquisa.htm

Anônimo disse...

No fundo eu sei que vc é um analfabeto cognitivo radical e pq vc tem um pinto acha q é de ouro. Vai lavar uma louça que vc passa menos vergonha

Leonardo Vieira disse...

ANINIMAS

primeiro esse post aqui e sobre aborto não é? ja desvirtuaram para estupro que pelo o que eu sei gravidez decorrente de estupro pode ser interrompida. A anônima que disse que maioria da população aprova o aborto, cade os dados você tirou da onde essas afirmação. sobre as estatísticas em percentual pode ate ser mais em números absolutos duvido que aqui o estupro e medo do estupro seja maior que são Paulo e rio por exemplo.

Segundo o amazonas e sim mais conservador não termos pejorativos que vocês sempre usam, conservador não e porque aqui as mulheres não fazem sexo, quando eu digo que sabem se comportar não porque elas são submissas aos seus maridos. e sim porque elas assumem as responsabilidades pelos seus atos.

Anônimo disse...

Então, o analfabetismo cognitivo grassa.

Os dados sobre estupro, abusos e insegurança altos no amazonas demonstram o quanto mulheres são forçadas a serem "comportadas". A obedecer. É medo da violência.

E os dados que vc duvida são frutos de uma pesquisa nacional amplamente divulgada que afirma que mulheres têm mais medo sim no norte e nordeste.

Mas claro uma pesquisa nacional n vale nada, vale só o q vc pensa da sua cabeça.

Esse "assumem as responsabilidades pelos seus atos" equivale a natalidade do amazonas, que tem as mais altas taxas do pais, o que corresponde a menos acesso a métodos contraceptivos, saude e educação, bem como manutenção de padrões culturais e sócio econômicos arcaicos. Esse atraso é que vc chama de conservador. Ou seja, ser retrógrado em termos sócio culturais e econômicos é ser conservador kkkkk

Se vc conseguisse abrir mão do seu orgulho e fazer uma simples associação cognitiva, há todo um cenário que as força a procriar mais, não necessariamente por escolha própria mas por uma conjuntura. Dizer que elas assumem responsabilidade a mais, é loucura, arrogância e prepotencia sua, pois julgar e afirmar um disparate destes acerca da decisão privada de ter filhos de milhares de mulheres, é como se vc fosse um telepata e soubesse como todas essas mulheres pensam. É como se vc fosse Deus, sabia?

Mas não, vc vai ficar despejando sua ignorância aqui e vou ter o prazer de desmascarar vc quantas vezes for preciso, seu irresponsável arrogante.

Anônimo disse...

Ignore este troll lixoso.

Leonardo Vieira disse...

Anônima.

PESQUISA NACIONAL, duvido sempre dessas pesquisa por que sempre são conduzidos por institutos ligado a causa feministas e como sabemos e sempre e mencionado nesse blog pesquisas podem ser direcionadas.

Bom e mesmo que essas pesquisa sejam verdadeiras, vamos analisar o que elas querem dizer. Primeiro os estupros e um problemas nacional, os indices são grandes sim e esse crime deve ser combatido, pois nunca defendi estupro ou qualquer violência conta a mulher. as taxas de natalidades são altas no brasil inteiro e falta de acesso a métodos contraceptivos e também um problema do pais inteiro ( ou no sul desenvolvido e diferente), e como as mesmas pesquisa dizem esse problemas se concentram mais no interior do estados que por definição ja e atrasado em muitas coisas, e sempre defendi aqui um investimento forte em educação sexual para jovens e adultos.

Outro fato e que so porque essas mulheres engravidaram não significa que elas não queriam ter filhos, ou que fossem obrigada a gestação( duvido muito que suas pesquisas rasas e pouco profundas desse todas essas informações. E por fim mesmo que elas engravidassem sem querer, isso não significa que elas tenham preferencia para o aborto. porque se eu não sou telepata você e as pessoas que conduziram suas pesquisas também não eram.



Desistam eu estou certo e vocês estão erradas, vocês dizem que querem que a mulher possas escolher mais no fundo, o que querem de verdade impor mais um vez a vontade de vocês como se fosse algo que fosse o desejo da maioria das mulheres. o aborto nunca sera legalizado no pais. a decisão foi tomada, ja foram feitas revisões e lei permaneceu. e direito de vocês feministas brigarem e lutarem pelo o que vocês quiserem mais tem que respeitar o desejo dos governantes que não fazem mais do refletir o desejo da maioria.

duas coisas

Parem de falar como se representassem todas amulheres brasileira, vocês não são órgão estatal, vocês são um coletivo que não possuem representatividade para tanto.

Segundo se estão tão preocupadas com as egoístas, irresponsáveis que querem abortar sugiro que criem um fundo que possas patrocinar a viagem e o procedimento em pais que sejam legalizado o aborto, se não me engano aqui na américa latina temos o Uruguai, cuba olha que lindo nem precisam viajar tão loge( e para as de esquerda Cuba, o paraíso na terra ara o pessoa do pt e companhia)e para as mais sofisticas tem os países europeus como a Holanda( dizem que Amsterdam e linda essa época do ano). Melhor vocês podiam ir todas marar la, países desenvolvido para pessoa desenvolvidas olha que legal. assim podem viver naquele eterno circulo de engravida e aborta que vocês tanto sonham.

ASSIM finalmente poderiam nos deixar em pais e para de tentar empurrar esse procedimento nojento e medieval goela abaixo de pessoas de caráter.


So uma observação, a ultima ANÔNIMA troll eu que tenho nome e sobrenome, que ja disse aqui ate o estado onde morro. por favor trolll e você que se esconde de atrás do anonimato.

EneidaMelo disse...

Só pra constar, o Norte é a região brasileira que tem a segunda maior taxa de aborto no Brasil. Perde apenas para o Nordeste. Fora as subnotificações, tradicionalmente mais altas nessas regiões não só pelo menor acesso a unidades de saúde, como também pelo maior conservadorismo.

EneidaMelo disse...

"eu estou certo e vocês estão erradas" Oi?

Anônimo disse...

Kkkk ele acha q até a pesquisa on line no senado - nacional é falsa. Veja só - esta e todas pesquisas linkadas erradas, com estudos fundamentados e só ele está certo! Kkkk é de chorar.
É o que chamo de arrogância delirante. Daqui a pouco teremos um novo Napoleão ou Jesus nessas bandas kkkkk

Anônimo disse...

Você é um troll misógino e lixoso. Tô pouco me fudendo para o seu nome.

Ezco Musaos disse...

"Eu sempre estou sempre pronto para o debate,não estou fugindo e não preciso ter medo eu sou homem, minha voz e ressoante.
A minha opinião tem mais peso, força e mais impacto."

---> Caraça, olha só o nível de debate da criatura. É de dar pena. Kkkk