quinta-feira, 29 de setembro de 2016

DEZ MOTIVOS PARA VOTAR EM MULHERES NESTE E NOS PRÓXIMOS DOMINGOS

As eleições municipais já são agora neste domingo!
E é importantíssimo votar bem, conhecendo os candidatxs, porque ações políticas da cidade costumam impactar mais diretamente as nossas vidas.
Imagino que eu já tenha deixado claro o meu posicionamento: eu procuro sempre votar em mulheres. Eu jamais votaria em alguém só por ser mulher. Mas a falta de representatividade feminina na política brasileira é vergonhosa. Precisamos de mais mulheres na política, pois as mulheres conseguem entender o que muitos homens não veem. Creches e combate à violência obstétrica, por exemplo, não são prioridades de políticos homens. 
Não quero qualquer mulher. Quero mulheres de esquerda, feministas, negras, com histórico de luta, com garra pra trabalhar. Certamente deve haver candidatas à vereadora com esse perfil na sua cidade (e talvez à prefeita?). Vote nelas, por favor! 
A Carol, que trabalha como voluntária na campanha de Marina Helou, candidata à vereadora de SP pela Rede Sustentabilidade, me enviou este texto. 

1. As mulheres representam quase 53% do total de 146.470.880 eleitores no País.
2. As taxas brasileiras ficam abaixo da média mundial, que chega a ser de 22,1% de mulheres ocupando cadeiras nos parlamentos. Os números brasileiros são ainda inferiores aos da média do Oriente Médio, com uma taxa de participação feminina de 16%.
3. Tanto na Câmara dos Deputados Federais quanto na Câmara dos Vereadores de São Paulo, o número de mulheres não chega a 10%.
4. Lugar de mulher é aonde ela quiser, com total autonomia para decidir sobre sua vida e planejar seu futuro, sem que o fato de ter nascido mulher represente uma barreira adicional para se alcançar qualquer objetivo.
5. O ambiente político é predominantemente masculino e isso influencia na forma como muitas políticas públicas são elaboradas e conduzidas nas diversas esferas.
6. A maior participação feminina na política vai possibilitar uma visão mais equilibrada sobre as propostas e formas de implementar as políticas públicas, garantindo que os grupos historicamente marginalizados da sociedade possam ser vistos com maior importância.
7. Apoiar a candidatura feminina a um cargo político é uma forma de tentar mudar a situação de opressão que as mulheres vivem na sociedade, dando voz e espaço a elas.
8. No Poder Executivo das 26 capitais, somente duas têm mulheres como prefeitas.
9.  O Brasil apresenta um dos maiores níveis de disparidade salarial. No país, os homens ganham aproximadamente 30% a mais que as mulheres de mesma idade e nível de instrução. Ter mais mulheres no poder pode contribuir com essa mudança de cenário.
10. Mulheres que ocupam cargos executivos são vistas como melhores líderes do que os homens, de acordo com um estudo da Universidade Duke, dos Estados Unidos. Muitas vezes, as mulheres têm que trabalhar duas vezes mais para obter a metade do reconhecimento conferido aos homens. Então, executivas bem-sucedidas podem se beneficiar dessa percepção, levando vantagem no posto de líder.

48 comentários:

Anônimo disse...

Não. Vou votar em candidato homem e de direita.

Alessandra disse...

É isso aí! Eu apóio! Precisamos seguir unidas pra ganhar essa luta!
Aqui no Rio temos a Marielle Franco do PSOL, negra e feminista (50777).

lola aronovich disse...

Puxa, mascutroll das 15:37, a sua opinião anônima é tão relevante pra gente! Obrigada aí, cara!

Anônimo disse...

Discriminação de gênero da forma mais escancarada possível, a maior hipocrisia é dizer que luta pela igualdade. Você deve votar em quem tem ideas alinhadas com as suas e que você acredita que seja honesto, o gênero ou raça da pessoa jamais deveria ser critério pra receber voto.

Anônimo disse...

Enquanto os trouxas ficam falando pra voltar num ou noutro... os políticos acumulam salários vitalício, empregam parentes e estão cagando e andando pros eleitores!

Anônimo disse...

oba!
tb to super com a Marielle aqui no RJ!!!!

"Marielle Franco é mulher, negra e mãe. Cria da favela da Maré, é socióloga formada pela PUC-Rio e mestra em Administração Pública pela Universidade Federal Fluminense (UFF)."

Anônimo disse...

Vc fez um pedido para os seus leitores(as). Eu sou seu leitor. Não precisava se irritar só porque eu neguei o pedido.

P.S: O que é um mascutroll ?

Anônimo disse...

Se tivesse alguma que valha o meu voto... mas não é o caso.

Que saudade da Margareth Tatcher... aquilo sim era mulher que entendia de política!

Anônimo disse...

Prefiro votar nulo. Com meu voto essas corjas não se elegem

Mariana disse...

Em Recife temos Karla Falcão 17700.

Lara disse...

Off topic: Vocês já leram esse texto? Eu achei super interessante:

http://www.rascunhocomcafe.com/2016/09/porque-sua-filha-deve-assistir-os.html

Flavio Moreira disse...

Oi, pessoal. O site Blogueiras Feministas está publicando o perfil de várias candidatas feministas. Pode ser uma boa fonte para as pessoas que ainda não escolheram.
E pro moço com problemas de leitura que falou em "discriminação de gênero", leia o post de novo. Serem candidatas feministas e de esquerda não é ter as ideias alinhadas com as da grande maioria das pessoas que frequentam este blog? E sim, gênero e raça, junto com os outros elementos que você cita, são importantes sim, dada a pouca representação política que mulheres e pessoas negras, entre outras minorias, têm nas diferentes esferas do poder público.

Anônimo disse...

a) Aqui na minha cidade vou votar no Marcelo Freixo 50 mas sua vice é Luciana Boitex uma feminista mas para vereador vou votar no Tarcísio 50123 vou votar na linha progressista.

Anônimo disse...

"a maior hipocrisia é dizer que luta pela igualdade". É por isso que precisam parar de dizer isso. Mas nesse caso como se vai chegar a igualdade de representação na política sem votar em mulheres. Deixa o seu cinismo de lado e explica pra gente.

Anônimo disse...

Quem ainda está em duvida acesse o site merepresenta.org.br. Infelizmente só há candidaturas de algumas capitais mas pode ajudar muita gente a escolher vereadora.

Anônimo disse...

Antes de ser vendida para crianças do sexo feminino, a boneca Barbie era um brinquedo sexual na Alemanha.

Anônimo disse...

O casal norte-americano Ruth Handler e Elliot Handler foram os fundadores da empresa de brinquedos que fabrica a Barbie, a Mattel. Em 1956, eles passavam as férias com a família na Suíça quando Ruth, fazendo compras com sua filha adolescente, viu uma boneca adulta que não conhecia. A menina quis comprá-la para enfeitar seu quarto e a mãe levou duas bonecas para a filha e uma para entregar aos executivos da Mattel. Ruth havia vislumbrado a possibilidade de fabricar uma boneca com corpo adulto, como há anos desejava criar.

A boneca se chamava Lilli, era personagem de caricaturas de um jornal alemão. Nos quadrinhos, Lilli apresentava-se como uma derrotada no pós-guerra que fazia de tudo para trazer de volta sua prosperidade: estampada nas histórias de maneira sensual, ela costumava perseguir homens ricos em busca de dinheiro e sucesso. A personagem Lilli fora transformada em boneca e era uma espécie de mascote para os homens adultos. Vendida em bares e tabacarias, Lilli não era direcionada para crianças; a boneca ficava sentada com as pernas abertas em um balanço ou em um burrico e servia tanto para ser colocada no painel do carro como um presente para as namoradas no lugar de flores.

Inspirada em Lilli, Barbie foi lançada no mercado em 1959, e seu nome foi dado em homenagem à filha de Ruth, Barbara. Mas Ruth Handler procurou se esforçar para adequar sua boneca a um padrão de garota norte-americana “respeitável”. A fabricante precisou elaborar um pacote de propagandas que sanasse a insegurança e o ódio que as mães tinham em relação a uma boneca adulta.

Um dos discursos publicitários era o de que Barbie, com toda sua elegância, ajudava meninas travessas a se comportarem como pequenas damas. Assim, as propagandas iniciais da boneca seduziam as garotas fazendo com que estas conseguissem convencer os adultos a comprar o brinquedo.

É crescente, nos dias atuais, o lançamento de inúmeros desenhos animados que abrigam uma publicidade eficaz em designar a Barbie como uma personagem distinta, amiga e real, criando uma expectativa de valor de uso como fonte de prazer. A publicidade insinua e sugere um universo que não vem junto com o brinquedo. Barbie aparece sempre em extravagantes cenários recheados de milhares de acessórios e equipamentos sedutores: palácios imensos e rosados, bichinhos de estimação, fadinhas encantadas, pôneis com asas, sereias etc.

Barbie também ensina para as crianças como elas devem se apresentar corporalmente, vendendo não só seus produtos, mas o estilo de vida que está em alta no mercado. Desde pequenas, as crianças são incentivadas a se apoderarem desse corpo de plástico e desejá-lo para si mesmas. No mundo virtual da boneca, é possível participar de diversas atividades com a Barbie e aprender que é essencial ter uma roupa para cada ocasião e não repetir o mesmo traje dentro de certos espaços de tempo. Barbie e suas amigas mostram como a mulher pode ficar mais bonita e descolada ao usar roupas que valorizam as formas femininas mais admiradas socialmente. Entrar no mundo da Barbie e ser como uma destas bonecas está cada vez mais “fácil”: qualquer mulher que não possuir o desejado corpo magro, jovem e esguio poderá contar com serviços de drenagem linfática, bioplastia, depilação a laser, lifting, dieta natural, limpeza de pele, aparelho de ginástica passiva, bronzeamento instantâneo e lipoescultura.

A boneca Barbie é cuidadosamente arrumada nas lojas formando um comprido e rosado corredor de “brinquedos exclusivos para meninas”. As crianças aprendem que seus brinquedos surgem das prateleiras, naturalmente oriundos de um espaço delimitado por hierarquia de gênero. Os brinquedos vêm imbuídos de normas que definem o que é permitido e o que não é permitido para cada sexo, há um abismo que separa os brinquedos destinados para meninos e os destinados para meninas.

Do Rosa ao Choque: http://revistapontocom.org.br/materias/barbie-50-anos-ditando-a-moda-de-meninas

Anônimo disse...

Certamente eu votaria em uma mulher se ela for progressista. Só que aqui onde moro, no DF, não vão ter eleições.

Mas eu me orgulho de ter votado na Erika Kokay para deputada federal. Todas as vezes que a vejo discursar ou como ela vota nas propostas legislativas, eu vejo que ela está representando o que eu acredito.

Em 2018 - a não ser que ela se meta em algum escândalo de corrupção - eu pretendo votar nela de novo.

Anônimo disse...

Para as pessoas que vão votar em Goiânia: Se você está em dúvida em relação a vereador, pesquise sobre a Doutora Cristina, que está concorrendo. Ela defende os direitos da mulher e os humanos.

Anônimo disse...

Lola, tenho uma pergunta pra vc:

Você acha que se fosse o Lula o presidente eleito em 2014 , ele teria sofrido o impeachment como a Dilma ?
Sei que o Lula também está sendo caçado, perseguido, etc., mas minha pergunta é : você acha que o fato de Dilma ser mulher pesou pra terem conseguido tira - la do cargo ?( e que se fosse Lula, Suplicy , Haddad ou outro homem do PT ) o impeachment não teria se concretizado ?
Beijo

Maria Valéria

Anônimo disse...

Armas

A arma que eu estou querendo dizer aqui, é qualquer objeto que pode ser capaz de matar uma pessoa.

Uma dessas coisas é a faca de trincheira, que parece ser bem eficiente para isto.

Vou colocar em armas também um balde de água, sim eu sei que um balde de água não é um dos objetos que podem matar uma pessoa, mais um balde de água pode ajudar a não deixar pistas. É só depois do crime você jogar água no corpo da vítima, mais não se esqueça também do álcool, se for necessário, pois o álcool evita o fedor do cadáver.

Sumir com o corpo

Já vi isso como uma coisa difícil mais agora já não acho mais, a não ser que você seja uma adolescente igual eu, e tem os pais que não saem de casa. Você tem que escolher o lugar onde vai sumir com o corpo, pode ser num riu, ou você pode queimar, ou até mesmo colocar na casa do vizinho. Mais acho que essa parte de sumir com o corpo, pode ate mesmo depender de onde você vai matar a pessoa, e de como vai matar. Se você matar ela nos matos então já fica mais fácil sumir, não é mesmo?, Bom pode até ser, mais eu não acho tão fácil assim, se você matou a pessoa em um lugar, talvez seja melhor colocar o corpo em outro, porque você pode ter deixado uma pista sem perceber, e com certeza eles vão investigar o local do crime, para verificar se a alguma pista, mais cuidado, tem que ser em um lugar sozinho, que ninguém possa ver quem colocou aquele corpo ali, para que não haja testemunhas e que ninguém te veja, por isso é até bom se você for disfarçado(a). Se você morar em uma casa que tem mais ou duas casas em uma só (uma em cima da outra) , acho que não seria bom você jogar o corpo pela janela de noite, talvez a policia pode descobrir a altura que o corpo foi jogado e chegar a conclusão de sua casa.

Anônimo disse...

(Viviane)
Maria Valéria, desculpe por responder antes da Lola, mas acho que, ao menos, evitaria os ataques da própria "esquerda", que chamou Dilma de fraca, histérica e outros adjetivos impensáveis para se dirigir a um homem. Ao menos, essa "munição para o inimigo" não teríamos.

Murilo disse...

Sempre disse isto: mulher tem que votar em mulher, porém não em qualquer mulher, mas sim naquelas progressistas!

Aqui em Porto Alegre temos uma mulher vereadora que é tão conservadora que não representa 2% das mulheres da cidade. Votar ela, mesmo sendo mulher, é desperdiçar o voto!

Anônimo disse...

Não vejo diferenças nenhuma seja homens ou mulheres na política todos querem só se aproveitar.

Feminista capitalista disse...

Eu tenho uma única razão para votar exclusivamente em mulheres de 2016 em diante:

O terrível golpe dado pelos homens a democracia brasileira e contra a presidenta Dilma Roussef, mais honesta que 99% deles,tenho certeza que se a maioria d@s senadores e deputadxs fossem mulheres, essa palhaçada de impeachment não teria ido a frente,por isso não voto mais em homens NUNCA MAIS!!!!
PSDB E PMDB que tanto ajudaram no golpe e financiaram o mbl pra mim tbm morreram,só votarei em homem,se um dia o Jean Willys se candidatar a presidente,fora isso, não quero saber de nenhum outro,pois sonho com um Brasil e um mundo completamente livre do poder dos homens.Eles já provaram mil vezes que gostam de usar o poder de maneira errônea.

Evandne da Silva disse...

Em Mauá-SP meu voto será de Marilene Delespote , mulher, lésbica e o mais importante coxinha. Marilene sai pelo PSDB n@ 45121.

Anônimo disse...

Viviane, obrigada por dar sua opinião , nem precisa pedir desculpas por responder antes da Lola !
Teve gente de esquerda contribuindo pra atacar a Dilma com xingamentos machistas ? Se teve , lamentável .... Entre meus amigos de esquerda não vi nada disso , graças a Deus .
Mas lembro daquela capa horrorosa da Veja ou época dizendo que Dilma tinha perdido o controle, que estava histérica ,etc. mas aí já era a mídia de direita . Eu não tenho muita dúvida de que o machismo contribuiu , e muito , para afastar Dilma do cargo ...

Maria Valéria

Julia disse...

Vou votar na Alice Portugal para prefeita. Admito que pra vereadora ainda estou em dúvida mas resolvo isso até domingo.

Anônimo disse...

E burra, né? Mulher lésbica de direita. É uma anta mesmo.

leonardo neves disse...

Adotando a mesma linha de raciocínio da autora, posso dizer que precisamos de homens na política porque os homens conseguem entender o que muitas mulheres não veem?

Anônimo disse...

" posso dizer que precisamos de homens na política porque os homens conseguem entender o que muitas mulheres não veem?"

Mais omi do que já tem?

donadio disse...

"Em Recife temos Karla Falcão 17700."

Do PSL (partido social-liberal, nem liberal nem muito menos social), em coligação com o PMDB do usurpador Michel Temer.

Nenhum voto para essa senhora, que apóia a destruição do Estado de Direito no Brasil.

donadio disse...

"Doutora Cristina, que está concorrendo. Ela defende os direitos da mulher e os humanos."

Do PSDB, partido que promoveu o golpe de Estado que derrubou a primeira mulher eleita presidente do Brasil, que apóia o desgoverno Temer e luta pela destruição dos direitos de todos nós, inclusive as mulheres.

Mila disse...

Moro no DF, ou seja, eleições aqui pra gente são realmente de 4 em 4 anos. Para a galera que vai votar: espero que seja uma oportunidade da gente repensar que futuro nós queremos da política e do país. Vai ser interessante ver como vai se configurar o poder durante esse momento atribulado, com anti-petismo, reacionários na loucura etc.

Em tempo, outra coisa vem me chamando a atenção, são os casos de candidatos assassinados sendo o mais recente esse de Itumbiara. Talvez isso sempre tenha existido e só não muito divulgado, vai saber.

Anônimo disse...

Donaldino, você já pesquisou sobre a vida dela por acaso? Sabe que ela teve 80% do corpo queimado pelo namorado e por isso quase morreu? Eu e outras mulheres podemos eleger as mulheres de outros partidos que quisermos que possuem um pensamento igual ao nosso e não em apenas socialistas.

Anônimo disse...

(Viviane)
Leonardo, precisamos de todos: homens, mulheres, brancos, negros, indígenas, LGBT, deficientes, ricos, pobres...
A questão é que um determinado grupo, o dos homens brancos ricos, jamais é questionado sobre isso porque sua participação política é vista como "natural", quase um "direito divino".

Anônimo disse...

(Viviane)
Eu também não votaria em uma mulher de direita. Já acho uma imensa contradição que existam, para mim, é tipo negro racista. Na minha cidade, a única candidata a prefeita é do PMDB e aliada do atual titular do cargo, cujo grupo político está no poder há nada menos que 20 anos! Não dá, desculpem!
E infelizmente, anon de 17h44, história triste não credencia ninguém à política. Afirmo também para os políticos de esquerda que usam desse expediente.

Alessa disse...

Minha mãe foi mãe aos 17 e 20 anos. Não sabia o que isso significava, e por não ter direito ao próprio corpo, teve uma vida difícil e de privações. Nossa relação sempre foi complicada.
Tive filho aos 31 anos. Não tinha certeza do que queria, mas nossa sociedade hipócrita não nos dá direito de escolha. Meu filho tem algumas complicações. Apenas aos 3 anos e 5 meses dormiu sem acordar pelo menos 6
vezes a noite. Gasto todo meu salário com seu tratamento, que não está disponível na rede pública. Sempre me pego pensando em como seria bom voltar no tempo para ter uma vida difrente da que tenho hoje. E ainda me perguntam qdo vou ter outro filho. Quanta insensibilidade dessa gente...

Anônimo disse...

Centenas de municípios pelo Brasil afora onde PT está coligado com PMDB ou PSDB para cargo de prefeito... E gente ainda polarizando...

donadio disse...

"Eu e outras mulheres podemos eleger as mulheres de outros partidos que quisermos que possuem um pensamento igual ao nosso e não em apenas socialistas."

É evidente que podem. Podem até mesmo fazer campanha para ela num blog de esquerda, omitindo o partido ao qual ela pertence. Estarão votando e agindo contra os interesses de vocês mesmas, mas podem.

Da mesma forma como eu posso dizer a que partido ela pertence, e alertar as pessoas para que não votem nela, para não fortalecer o desgoverno.

Anônimo disse...

Lola, Donaldinho e outrxs:

Tô louca para ver o resultado das urnas hoje. O PT e a esquerda em geral vão sofrer uma derrota tão grande, mas tão grande, que vai ficar para a história.

E isso vai contribuir para o futuro do pais, pois vai dificultar em muito que em 2018 sejam eleitos deputados federais e senadores de esquerda, pois os candidatos simplesmente não contarão com o apoio da maioria dos prefeitos.

Sério, acho que eu vou gozar, de tanto prazer ao ver o resultado das eleições de hoje...Vão ser orgasmos múltiplos.

Ah, e vou votar Tia Eron: negar, mulher e empoderada.

Anônimo disse...

11h54 típico pensamento de antipetista.

Quando há desequilíbrio de poder, ou seja, oposição fraca e ampla maioria de situação, as coisas não costumam dar muito certo.

Mas né, o importante é tirar o PT. Não importa o monstro que cês tão criando.

Anônimo disse...

Ainda acho que um ciclo de direita nesse país vai ser terrível e infelizmente instrutivo. Só espero que a gente sobreviva.
Mas a esquerda vai estar presente nos bastidores e espero que amadureça. Aqui no RJ psol elegeu um bom grupo de vereadores, inclusive nossa querida Marielle, feminista do PSOL, com mais de 50mil votos.

leonardo neves disse...

-------------
Leonardo, precisamos de todos: homens, mulheres, brancos, negros, indígenas, LGBT, deficientes, ricos, pobres... A questão é que um determinado grupo, o dos homens brancos ricos, jamais é questionado sobre isso porque sua participação política é vista como "natural", quase um "direito divino".
-------------

Concordo, Viviane, mas existe um método para que essas representações se efetivem: montar plano de governo, angrariar apoio e votos.

Acho de uma desonestidade intelectual absurda organizar o mundo em classes do tipo "homem branco rico", "homem negro oprimido" - como se elas fossem absolutas.

Essa revisão da luta de classes não fez bem pro cérebro. Se você quer pensar as pessoas e o mundo de uma forma sincera e livre, não se apegue a esses estereótipos preconizados por quem tem interesses políticos mesquinhos, seja à direita, seja à esquerda.

-------------
Anônimo disse...
" posso dizer que precisamos de homens na política porque os homens conseguem entender o que muitas mulheres não veem?" Mais omi do que já tem?
-------------

O mesmo que respondi no primeiro parágrafo para a Viviane.

Anônimo disse...

Leonardo Neves,

Você sabe como se estrutura uma campanha? Ou melhor, sabe como são indicadas as pessoas que vão se candidatar em um partido?

Seja sincero. Você acha que é só chegar com um belo sorriso no rosto, montar uma proposta de governo e ser eleito?

Até parece. Eleição demanda grana. Tipo, muita grana mesmo. E além de grana, demanda apoio político, coisa que gente que tem grana consegue. E quem tem grana neste país tem sexo, cor e posição política bem marcadas.

Você vive no Brasil? Na boa, é muita ingenuidade achar que um candidato é eleito com apoio, votos e plano de governo bom, somente. É muita ingenuidade achar que votos são conseguidos por "mérito" do candidato em ter boas propostas e ser honesto.

leonardo neves disse...

Oi, anônimo 14:47, vivo no Brasil sim,

Quando escrevi "[...]montar plano de governo, angrariar apoio e votos." achei que dava pra entender que a questão do $ tava aí dentro também.

Longe de ser um especialista, tenho alguma noção do lance das campanhas. Tô em Brasília e alguns amigos enveredaram para esse campo, infelizmente.

Vejo que plano de governo, apoio e votos são sim o tripé essencial para alguém se eleger, o que varia é o limite ético de cada um para dar solidez a cada um desses elementos.

Não sei se é bem como você diz, anônimo. Tipo um Haddad não é rico. Um Reguffe. Alguns servidores públicos que conheço. Uma Dilma, cara. O que era a Dilma? É ricona?

Votei nela, pra me arrepender bastante. Mas não fiquei olhando se ela sabia das coisas dos homens ou não. Confiei tolamente na sua capacidade, no seu plano... enfim...










Anônimo disse...

Então Leonardo, eu também moro na cidade. Vi amigos também indo por esse caminho. Já que você está aqui, sabe que funciona o esquema de apadrinhagem. Não precisa ser rico, é claro (embora ajude), mas precisa sim ter muito contato político. Dos amigos meus envolvidos no mundo político, todos possuem um Quem Indica bem estruturado. Achei que isto estava implícito no meu comentário. Não necessariamente você necessita ser ricão, mas olha, saber onde e quem tem dinheiro ajuda bastante. Conte na nossa Câmara Distrital deputados do "povão". Eles são a exceção.
Depende de muitas variáveis. Veja o exemplo do Roriz: ele tinha plano de governo bem estruturado (vide a loucura dos 28%)? Não. Mas tem grana, tem apoio político e tem apelo popular. Como residente da capital, você deve saber que não é um bom plano de gestão política.
Ter apelo popular, você sabe, é algo que conta muito mais que capacidade técnica ou bons planos de governo. Dos políticos eleitos com recorrência aqui na capital, são poucos os que a gente consegue apontar com boas propostas técnicas.

É claro que a gente tenta votar pelas pautas que nos interessam. Mas a gente tem que pensar que nem todo mundo consegue ter discernimento político para diferenciar políticos, partidos e imagem pessoal. Tem gente que vota num candidato porque ele é bonito, tem gente que vota noutro porque é da mesma Igreja ou da mesma região, tem gente que faz voto de protesto.
Quando vc é minoria social e quer algo além, sabe que dificilmente conseguirá avanços para a mulher colocando um pastor evangélico reacionário ou um racista para melhorar e pensar na vida de negros e indígenas. Esse é o sentido que a Lola quis passar.

leonardo neves disse...

Oi anônimo, prazer em conversar com um conterrâneo hahahaha. :)

Ao contrário do outro argumento, neste eu concordo com você: "não preciso ser rico, é claro (embora ajude)".

Agora pensa comigo "Tem gente que vota num candidato porque ele é bonito, tem gente que vota noutro porque é da mesma Igreja ou da mesma região", não podemos situar na mesma categoria quem vota num candidato só por que ele é do gênero feminino? Foi o que compreendi do texto principal deste post.

Além disso, podemos ter candidatas pastoras, racistas, cabulosas. Por isso, penso que o voto tem que ter como base as práticas e ideias da pessoa (as que vc consegue mapear), não seu sexo.

Sei que aqui sou voto vencidaço, mas isso aí em cima é só minha opinião.