terça-feira, 19 de julho de 2016

REAÇA USA MASSACRE PARA PEDIR A VOLTA DO MACHO PATRIARCAL OPRESSOR

Não vou dizer que Sara Winter se superou porque ela se supera todo dia. 
Mas que este textão que ela escreveu na sua página no FB (já com mais de cem mil seguidores) é memorável, isso é. 
Parece trollagem. Ninguém (principalmente uma mulher) pede o resgate do "homem macho patriarcal opressor" em sã consciência. 
Tuíte da própria Sara
Parece aquele tal de Milo, Nero? Não sei o nome. É um reaça de algum país de língua inglesa que se diz gay e tenta ofender o máximo de gente possível, tudo para chamar a atenção. Outro dia ele escreveu que as mulheres deveriam parar de usar a internet. 
Então. Mas não dá pra dizer que Sara se superou, já que esse amontoado de barbaridades escrito aí não é um pensamento original dela. É uma cópia do que uma jornalista dinamarquesa disse alguns meses atrás, na ocasião em que muçulmanos atacaram mulheres na rua em Colônia, Alemanha. 
Para ela, esses ataques foram culpa dos homens europeus, todos afeminados, que não conseguem proteger "suas" mulheres do ódio dos homens de verdade, os bárbaros islâmicos. 
E, lógico, a culpa maior é de nós feministas, que fomos responsáveis por transformar o macho opressor branco em franguinho. Sem falar que nós a-do-ra-mos muçulmanos e não perdemos uma só oportunidade de ir ao aeroporto segurar placas de "Bem vindo, refugiado".
Como eu disse em fevereiro, essa narrativa de "homens brancos precisam defender mulheres brancas de homens não brancos" é antiga. Vem sendo usada há séculos. Reaças tentam ressuscitá-la agora para iniciar uma nova cruzada. Sério mesmo, o que eu vi de reaça pedindo para que os cristãos voltem aos bons tempos das cruzadas não tá no gibi. Para eles, a Europa está perdida, porque virou secular demais, esquerdista demais, feminista demais. Talvez os EUA ainda tenham salvação, se Trump ganhar. 
Reaças adoram guerras. Eles não hesitariam por um segundo em invadir um país islâmico para... para... ensinar uma lição a esses caras do mal. Se no caminho tiverem que matar milhares de mulheres e crianças, tudo bem, é efeito colateral. Desde que não sejam as mulheres e crianças deles, vale tudo. 
O massacre de Nice, em que um homem jogou um caminhão em cima de pessoas na rua, que estavam comemorando a data da revolução francesa, é dos mais terríveis que já vi. Ainda assim, tem os mascus neonazistas de sempre celebrando e prometendo atentados por aqui.
Clique para ampliar
Aí a gente vê reaça falando "bem feito, ficam comemorando data comunista", aproveitando o atentado para pregar morte aos muçulmanos, pedir a volta do macho patriarcal opressor, exigir a liberação do porte de armas (afinal, escreveram eles, vão proibir caminhões agora?), e... fazer piadas usando a tragédia para atacar a única feminista gorda que eles conhecem. 
É triste, mas reaças são iguais em todas as partes do mundo. Ah, e em todas as religiões também.

112 comentários:

Anônimo disse...

Francamente, essa Sara inferno NUNCA foi feminista na vida dela, ela não sabe nem o que é isso. É uma maquina de falar merda.
Desde quando pro país estar protegido contra terrorismo precisa necessariamente voltar pro século XVII? Ah vão tudo pra pqp. Ridiculo uma mulher falar que não somos competentes pra nada.
E esses reaças, incrivel como que "pessoas do bem" são pior que qualquer merda existente. Esse povo prefere Temer no poder, Bolsonaro, Trump do que "comunista" ¬¬ .

Anônimo disse...

Não sei se essa Sara é uma ridícula que quer aparecer a qualquer custo, ou se é uma cabecinha de vento carente que fala essas asneiras pra conquistar amor e atenção de macho...

Anônimo disse...

Reaças são reaças e comunas são comunas. Se alguém pedir pra vc deixar de ser comuna não vai adiantar nada, né? Então por que espera que eles vão deixar de ser reaças?

@vbfri disse...

A Winter se supera mesmo. Incrivel a capacidade de um ser humano falar tanta merda.
Agora, esses neonazis anônimos merecem denúncias à PF e à ABIN. Se fosse nos EUA eu imagino que já estariam presos.
Enfim.
Medo dessas pessoas. Credo. CREEEEEDO.

Anônimo disse...

"Parece aquele tal de Milo, Nero? Não sei o nome. É um reaça de algum país de língua inglesa que se diz gay"

Milo Yannopoulos (Nero) "se diz gay"? Qual a necessidade de expressar dúvida, ainda que implicitamente, a respeito da orientação sexual de alguém? Será que isso é uma recusa em aceitar que minorias possam pensar diferentemente do que os movimentos sociais propõem?

Esse é um recurso constantemente usado para deslegitimar a identidade de pessoas trans (fulano "se diz mulher") e os relatos de vítimas de violência sexual (fulana "diz ter sido abusada"). Mas, aparentemente, em alguns casos não há problema em empregar tais expressões.

Anônimo disse...

Bom, adotar leis migratórias mais rígidas não funciona. Estimular o surgimento de uma mentalidade tradicional na apática população masculina europeia não funciona. Ampliar o acesso de civis às armas também não.

Então, qual é a solução empática e empoderadora que combateria, em curto/médio prazo, a expansão do terrorismo na Europa?

Anônimo disse...

Vocês não entenderam zorra nenhuma do que esta acontecendo na Europa, os estupros estão sendo organizados e cometidos por homens islâmicos em massa, a ponto de algumas estações de metrô de Estocolmo onde eles se concentram em grande numero para fazer nada o dia todo, estarem sendo evitadas por mulheres que preferem andar muito do que descer la. A policia local não tem preparo para lidar com este tipo de violência ate por uma questão histórica de baixos niveis de violência há décadas, de uma hora para outra os níveis principalmente de violência contra mulheres explodiu com a imigração de milhares de imigrantes ilasmicos.

E e algo estratégico organizado não aleatório, relatos dizem que quando eles atacam em bandos mulheres gritam palavras com "suja, imoral" e como uma demarcação de território, como se dissessem "estamos aqui agora, se conforme e se adequem ao islã mulheres"
E quem conhece como funciona algo compacto como e o islã sabe que eles não vão se adequar as regras locais, a religião diz que a lei de Maomé e maior que qualquer regionalidade, tanto que na Inglaterra há ate tribunais paralelos islâmicos em bairros de imigrantes e mulheres usando burca com medo de desrespeita-los e serem retaliadas.

Anônimo disse...

Em ciências demográficas e antropológicas se tem por base de estudo que para que uma cultura seja mantida por mais de 25 anos e necessária uma taxa de fertilidade de 2.11 crianças por família, qualquer numero menor que este por longos períodos a cultura entrará em colapso, nenhuma cultura sobreviveu historicamente a uma taxa demográfica inferior a 1.9 filhos por família, uma taxa de 1.3 e considerada cientificamente em antropologia impossível de reverter. se dois casais tem um filho só cada, em uma geração a frente existiram nesta sociedade a metade de filhos que haviam de pais.E se estes dois filhos deste casal tivessem apenas 1 filho? Em mais uma geração haveriam 1/4 de filhos/netos que haviam de pais e avôs.
Se nascerem nesta geração 1 milhão de pessoas, dificilmente vão haver 2 milhões de pessoas em idade produtiva em 2030>
Enquanto a população encolhe, a mesma coisa acontece com a cultura.

Vejam a taxa de fertilidade dos países europeus ate ano passado.
França 1.8
Inglaterra 1.6
Grécia 1.3
Alemanha 1.3
Itália 1.2
Espanha 1.1.

Na união europeia inteira senhoras, se juntarmos 31 países e tirarmos uma media, a taxa de fertilidade não passa de 1.38 filhos por casal.

Em popucas décadas (Duas segundo estimativa de alguns mais pessimistas, ou realistas) a Europa deixara de existir culturalmente como a conhecemos>
Mas ao mesmo tempo a taxa demográfica de Europa não está declinando, porque será?

A respota e IMIGRAÇÃO ISLÂMICA.

De todo crescimento da população jovem economicamente ativa europeia deste 1995 mais de 80% se deve a imigração islâmica, enquanto os nativos em suas taxas de fertilidade estão em claro declínio os islâmicos de segunda geração tem taxa de fertilidade gigantes.

Na França por exemplo a taxa de fertilidade por família e de 1.8 mas nas famílias islâmicas 8.2. No sul da França tradicionalmente conhecida por ser uma área de grande concentração histórica de igrejas, agora já há mais mesquitas que igrejas, hoje na frança já 30% dos que tem ate 25 anos são islâmicos, nos granades centro franceses como Nice, Marselha e Paris este numero sobe a 45 %, em 2030 estima-se que um em cada cinco franceses será muçulmanos, em 2050 estima-se que a França será uma republica majoritariamente islâmica.
Nos ultimos 30 anos a população islâmica de Inglaterra cresceu de 82 mil para mais e 2,5 milhões. Eles se reproduzem como coelhos.
na Bélgica e Holanda nos últimos 5 anos quase 505 dos recém nascido e de famílias islâmicos, em 15 anos metade da população economicamente ativa neste países será muçulmana. A União Europeia já declarou que 1/3 dos nascidos na Europa ate 2025 será de muçulmanos>

O governo alemão foi o primeiro a declarar isto publicamente.

"A queda da população alemã não pode mais ser detida, sua espiral decrescente e baixa natalidade e irreversível, este será um estado islâmico em 2050"

As mulheres europeias que se preparem para Shariah, e não achem que podem combater algo tão compacto como o Islã com revoluções, desconstrutivismo e secularismo literário, se acreditam nisto sugiro que leiam sobre a revolução islâmica xiita no Irã, e descubram o que aconteceu com os esquerdistas e progressistas que apoiaram a revolução logo após, todos enforcados a mando do Aiatolá por não aceitarem a conversão.

Paulo Tarso.

Anônimo disse...

Vejam só vocês como funciona a mente de um operativo de esquerda, aquelas tribos que compõe hoje os islamicos do oriente médio se matam há mais de 4 mil anos, e há pouco mais de 1500 anos surgiu um louco chamado Maomé que incrementou a nitroglicerina pura na região chamada islã. Dizem que "os cristãos ocidentais atacaram os pobres islamicos coitadinhos nas cruzadas" mas se esquecem que na verdade foi um contra ataque, os mauros islamicos estavam quase em paris quando se inciaram as cruzadas, e eles não foram contra "uma tribo pacifista de monges tibetanos" mas contra um grupo que exterminou cristãos no oriente médio e avançava sobre a Europa, que dominou a península itálica durante décadas e estupraram tanto as mulheres locais que mudaram para sempre a genética do povo local (Eram todos loiros, depois dos ataques bárbaros muslins se tornaram todos morenos)
Se esquecem do primeiro genocídio do Sec. XX na Armênia onde foram mortos um milhão e meio de cristãos (principalmente mulheres e crianças) por muslins turco otomanos.
Vocês deveriam frequentar mais as aulas de história em que se matriculam, e não cabularem todas as aulas para berber e fumar cannabis.

Anônimo disse...

Olhem esta, condenado na França por planejar atos terroristas junto a Al Quaeda estava contratado na UFRJ como professor, descoberto pela Policia Federal e pela ABIN (Agencia brasileira de inteligencia) ele foi deportado, dezenas de alunos e professores da universidade federal fluminense fizeram um ato de protesto contra a deportação do terrorista.
Realmente os esquerdistas seguem as teorias de Marcuse, e consideram crime, banditismo e ate o terror como ferramentas revolucionarias, por isto defendem tanto guerrilheiros, traficantes, bandidos e terroristas.

Anônimo disse...

Com a internet os imbecis perderam de vez os freios, o sujeito acha que tem o DEVER de comentar sobre todos os assuntos possíveis, especialmente politica e politica externa,nesses ataques então nem se fala, sem a menor compreensão do que acontece no mundo, o cara usa o que tem para "argumentar" contra um suposto esquerdismo que permeia a sociedade ocidental e o quanto o cristianismo é uma religião superior.Tá cheio disso na internet. Tempos atrás eu parei de ler qualquer coisa de gente não especialista no assunto tratado, olho antes quem escreve e ai vou ler o texto do sujeito, economizei tempo e curei uma úlcera.

Rafael

Anônimo disse...

Incoerente. Diz querer a vota do macho viril para lutar contra os muçulmanos. Mas os muçulmanos são machos viris na definição dessas pessoas.
Deveria ela achar um muçulmano para chamar de seu, e assim se sentir protegida...

Anônimo disse...

A Sara não é de esquerda nem direita. Não é politizada o bastante para entender alguns pontos básicos de ambos os lados.
O que essa menina quer é ser líder, entrar na política, etc. Não conseguiu respeito sendo de "esquerda" e quando em 2013 ou algo assim o assessor dela fez uma sondagem para ela se candidatar a deputada pelo PMDB e viu que ninguém estaria ai ou votaria, ela viu que "era hora de se reinventar" e renasceu como "direita política".

Daqui a pouco surge candidatura dela para alguma cousa. Espero que sejamos todos lucidos, independente da ideologia, e não elejamos nenhuma despreparada e oportunista.

lola disse...

Como vcs reaças mentem abertamente, sem o menor pudor, hein, anon das 13:32 (e de todos os outros comentarios reaças, mas so tenho tempo pra responder o seu). O "terrorista islamico" que dava aula na UFRJ foi contratado legalmente, via concurso, asssim como qualquer prof de universidade federal. Nao foi trabalho nenhum a ABIN "descobri-lo", pois ele ja havia sido preso e condenado na França. Cumpriu a pena e mudou de país, o que é legítimo para qualquer pessoa. Ele foi condenado por trocar emails e entrar em sites radicais, nao por cometer algum atentado. Nao vou defende-lo, nao o conheco, e acho o fim trocar emails com terroristas. Mas contem a historia direito, pô! Do jeito que vcs reaças falam, parece que o cara, que é físico, matou um monte de gente na Europa, fugiu pro Brasil, foi contratado ilegalmente por esquerdistas, descoberto pela ABIN, e deportado de volta. Isso é tudo mentira!

titia disse...

Porque não é o suficiente endurecer as leis e cumpri-las ao mesmo tempo em que estratégias pra encaixar os imigrantes na sociedade e cultura locais de modo que eles não se sintam isolados e recorram ao terrorismo pra chamar a atenção dos adultos. Voltar à merda é o suficiente.

Mascus, seguinte, a Europa vai ter que aprender a combater essa violência. Eles vão ter que desenvolver uma estratégia própria e dar um jeito, cada país vai ter que aprender a lidar com os próprios problemas. Nós do Brasil temos que nos preocupar é com a sharia que as bancadas dos merdas-ou religiosas, como preferirem-estão tentando impor aqui. Se vocês se preocupam tanto com os europeus por que não vão lá lutar por eles?

lola disse...

E demais reacinhas, deixem de ser tao ignorantes. Nao existe aliança alguma entre pessoas de esquerda e terroristas islâmicos. Sequer existe simpatia de pessoas de esquerda por muçulmanos. Ser contra a islamofobia (assim como qualquer outro preconceito) é totalmente diferente de ser a favor de terrorismo, machismo, whatever. Eu ja disse mil vezes, mas pelo jeito sempre tem que repetir: nossos inimigos no Brasil nao sao os muculmanos. Eu ja estudei com uma colega muculmana na escola, decadas atras, e nao gostei da religiao dela, assim como pessoalmente nao gosto de nenhuma religiao. Hoje eu nem sei se conheco algum muculmano. Nao ha muculmanos fazendo leis contra as mulheres no nosso Congresso. Isso de "feministas tem que combater muculmanos no Ira" vem de reacas ignorantes que odeiam feministas e acham que nao existe machismo no Brasil.

Anônimo disse...

Ainda bem que a maioria dos franceses não sabem português e dificilmente lerão esse texto.

Anônimo disse...

Eu acho essa idéia de "macho opressor" tão ridícula que não consigo levar a sério, os homens de hoje em dia podem fazer bastante merda, mas no quesito oprimir são uma merda(desculpem) digo isso em comparação com os homens de antigamente, eu poderia até dizer isso da mulheres, mas não conhecemos as mulheres de antigamente né.

Marcia disse...

Lola, aproveito o espaço para fazer uma denúncia:

"Liderança Valdelice Veron comparou atitude de Eduardo Bolsonaro com a de pistoleiros (CDHM)

Por Bia Morais

"Na sua saída ele disse eu não tenho medo, eu sou da polícia. Ele fez várias acusações que são inverdades e sair aqui ameaçando nós é atitude de pistoleiro". - Valdelice Veron

Muito antes de Eduardo Bolsonaro juntamente com o controverso pai - Jair - trabalharem para que a presidência da Funai fosse ocupada pelos seus companheiros de partido Pastor Everaldo, presidente nacional do PSC, e o general da reserva do Exército Sebastião Roberto Peternelli Júnior, durante reunião na Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM), ano passado, a liderança Guarani-Kaiowá Valdelice Veron (Aty Guasu) foi alvo alvo do seu autoritarismo.
Declaradamente anti-indígena e defensor da militarização da Funai (http://migre.me/unOu4) , Eduardo Bolsonaro retirou-se antes do término da reunião depois de 'disparar' contra os indígenas. A reação foi rápida. A líder Kaiowá, filha do chefe indígena Marcos Veron, brutalmente assassinado em 2003 na Terra Indígena Taquara, lá mesmo registrou "ameaça" à procuradora Debora Duprat presente na reunião. Vale a pena conferir novamente o audiovisual, a seguir:

http://migre.me/unOes

Quando todos os atos praticados em MS contra as etnias Guarani-Kaiowa e Terenas apontam para um genocídio a olho nu, em plena luz do dia sob os olhos da própria Justiça, o clã Bolsonariano atropela inconstitucionalmente trabalhando na rota inversa da política de demarcação, favorecendo aos amigos do 'tratoraço'.
http://migre.me/unOfh
http://migre.me/unOKm
http://migre.me/unOOq "

E quando a gente acha que não podia ficar pior a situação dos direitos indígenas no Brasil...

Anônimo disse...

"Nós do Brasil temos que nos preocupar é com a sharia que as bancadas dos merdas-ou religiosas, como preferirem-estão tentando impor aqui. " Titia, 13:51

Exato. Na véspera das Olimpíadas sediadas no Brasil, preocupar-se com a expansão do terrorismo e discutir o fracasso das estratégias europeias não é problema nosso. Ainda mais que o Estado Islâmico nunca demonstrou interesse em atacar o Brasil e nem há grupos aqui dispostos a se aliar aos terroristas...

http://noticias.uol.com.br/internacional/ultimas-noticias/2016/04/14/abin-identifica-ameaca-terrorista-no-brasil.htm

http://oglobo.globo.com/rio/grupo-brasileiro-manifestou-apoio-ao-estado-islamico-afirma-ong-19743218

Anônimo disse...

"mulheres brancas precisam ser defendidas por omens brancos de omens não-brancos", frase dita pelos direitóides e mascus (uma frase q por si só já indica q o câncer problemático todo se concentra no omen, e depois somos nós as "misândricas")

E em relação à máxima; os judeus são brancos e eles tb não gostam de judeus, então como faz?

"Diz querer a vota do macho viril para lutar contra os muçulmanos. Mas os muçulmanos são machos viris na definição dessas pessoas.
Deveria ela achar um muçulmano para chamar de seu, e assim se sentir protegida..."

CORROBORO e mais:

Os inimigos dos mascus, lista atualizada:

Mulheres (as maiores)
Judeus
Comunistas
Russos
Maçons
Árabes
Muçulmanos
Negros
Nordestinos
Suas mães
O papa francisco

Isto é, todo mundo odeia os mascus e eu tb

Anônimo disse...

Vamos ignorar essa Sara psicopata.

Anônimo disse...

13:19

deixa de ser burrinho e paranóico conspiracionista

Vc fala de um mudança da demografia europeia, mas na história da Europa isso SEMPRE ACONTECEU, os pagãos da itália até a grã-bretanha tb sofreram com a mudança demográfica promovida forçosamente pelos cristãos

Pq vc acha q hj seria diferente? Ontem eram os pagãos, hj são os cristãos, amanhã serão os muçulmanos (dúvido, mas né) e depois de amanhã será novamente os pagãos (se deus quiser)

Anônimo disse...

Se vocês acham que só os "reaças" estão preocupados com o crescimento do Islã na Europa eu sugiro a leitura do livro Infiel, da feminista e política holandesa Ayaan Hirsi Ali. Ele explica muito bem esse problema, e como afeta as mulheres da Europa:

https://www.skoob.com.br/livro/3118#_=_

Anônimo disse...

Então essa vai ser a sua reação mesmo, Lola? Ficar comparando a Sara Winter a cara X ou jornalista Z, ficar falando que "ain, ela tá dizendo que a culpa foi nossa" e ficar dando escavando postagens em chans e no Twitter?

Independente do que vocês pensem deles, o mundo tem medo dos muçulmanos. A "minoria" está armada, extremamente cruel e decidida a dominar o mundo (joguem no Google, que depoimentos de ex-escravas sexuais deles e arquivos vazados é o que não falta).

Enquanto a esquerda continuar a tapar o sol com a peneira, se esquivando do assunto e chamando de "machista opressor mimimi" todo mundo que reclamar, e a direita for o ÚNICO LADO A DAR ALGUMA PROPOSTA CONTRA O AVANÇO DELES, a situação vai continuar piorando pro lado de vocês.

O choro é livre.

Anônimo disse...

Uma verdade seja dita: a violência no mundo não vai cessar. Não precisa ser muito inteligente para deduzir isto. Como vocês sugerem aos povos do mundo que se protejam? Com discursos de paz e amor? Com cartazinhos coloridinhos e bonitinhos pedindo paz? Bom, eu me preparo. Tenho porte de armas e possuo técnicas de defesa pessoal. olhem, perdoem-me, respeito estas opiniões mas, prefiro seguir o provérbio latim: " Si vis pacem, para bellum".

Anônimo disse...

Titia, fiquei até comovido com pena que da pobre criança se sentindo isolada por culpa da sociedade. Aquela de Nice.

Anônimo disse...

Não é islamofobia. É que é a única religião cujos radicais saem trucidando gente inocente. Qual religião professava mesmo o monstro de Realengo?

Anônimo disse...

Lola leia o comentário da titia e depois me conta se não tem gente de esquerda tentando minimizar a responsabilidade de terroristas muçulmanos.

Anônimo disse...

Lola querendo ser politicamente correta, num mundo onde o politicamente correto está destruindo toda a civilação ocidental judaico cristã.

Bolsonaro cresce entre as mulheres. Tão feliz por ver as coisas começarem a voltar a realidade, e o esquerdismo começando a recuar na nossa sociedade.

Mila disse...

Esse papo de homem-branco-protegendo-as-mulheres-brancas é bem manjado. Sob esse discurso racista-misógino fortalece-se uma cultura, até hoje, do não-branco como ameaça à honra da mulher branca. Foi neste discurso que a KKK se fortaleceu para angariar o apoio de mulheres. Quase um século se passou e ainda vemos discursos como estes sendo propagados até dizer chega.

SW nunca foi feminista, mas eu não acredito que durante esse ínterim a moça não tenha aprendido nada, tipo nada, que a faça evocar essas palavras. "Opressor"? Oi? Não acredito, por mais que acredite estar munida de boas intenções, opressão não tem nada a ver com enfrentar o problema EI na Europa. Aliás, a tese da opressão (a não integração dos islâmicos em território europeu) foi considerada como fator importante de surgimento do EI. A BBC fez uma reportagem interessantíssima buscando compreender como era o modus operandi do EI nas prisões inglesas, cooptando rapazes e moças ao oferecer uma identidade e um ideal para lutar.

Anônimo disse...

só lendo os reaças com ojeriza aos "terroristas" que entram em sites radicais, mas nada de falar dos mascus acima batendo palma pra atentado terrorista e chacina contra mulheres, negros, esquerdistas etc. a hipocrisia tá pouquinha né.

Anônimo disse...

"É um reaça de algum país de língua inglesa que se diz gay"

"Se diz gay" haha. Milo sempre demonstra trejeitos afeminados, mesmo quando está "acuado" e em debates acalorados; ocasiões em que a suposta máscara haveria de cair. Haja atuação pro rapaz. Se ele não for homossexual, merece um Oscar.

Maria disse...

Pelo que entendi o texto é uma crítica à postura das pessoas que concordam que os homens devem defender as mulheres.
Mas que mal tem nisso? Por que os homens não devem defender suas esposas, filhas, mães, netas, amigas?
Se um homem vier estuprar uma mulher, por que outro homem não poderia defende-la? Eu na verdade ficaria muito agradecida se um homem vier me defender de um assalto, estupro ou ataque terrorista. Os homens são mais fortes que as mulheres, deixam eles utilizarem suas forças para nos ajudar.
Agora, dizer que o discurso é de que "homens brancos precisam defender mulheres brancas de homens não brancos" é jogo baixo. Você está colocando racismo onde não existe. Ninguém criticará um homem negro de defender uma mulher negra ou branca e vice-versa.

Anônimo disse...

Então, a solução para o fim da guerra e do terrorismo do EI é impedir que os radicais islâmicos estuprem, torturem, escravizem as mulheres europeias e as próprias e fazer com que os homens europeus estuprem, torturem e escravizem as próprias mulheres e as outras???

Nooooooooooossa!! Alguém ligue pra a comissão do Nobel em Estocolmo!!! Os mascus descobriram a solução para o fim da guerra - eles tem que ganhar o Nobel da paz!!!


0.0

Oh desgraça... eu vejo tudo e não morro!!!


Jane Doe

Maria disse...

No contexto dos ataques terroristas, os terroristas não escolhem se vão matar brancos ou negros. Aliás, há muitos negros morrendo na África devido aos atentados terroristas. Pouco importa se é um homem branco ou negro que vai matar um terrorista, ele estará salvando a vida de negros e brancos da mesma forma.
O mundo está em guerra. Só na última semana, foram registrados 41 ataques terroristas islã, com 364 pessoas mortas e 491 feridas (https://www.thereligionofpeace.com/attacks/attacks.aspx?Yr=Last30). Dos mulçumanos britânicos, 40% querem a lei Sharia no Reino Unido (http://www.telegraph.co.uk/news/uknews/1510866/Poll-reveals-40pc-of-Muslims-want-sharia-law-in-UK.html). Como o Paulo Tarso disse, se a Europa continuar a receber mulçumanos e não começar a reverter o decaimento populacional, ela será mulçumana dentro de 3 ou 4 gerações, com lei de Sharia. Se a Europa quiser paz no futuro, precisará pegar em armas para combater o terrorismo e fazer um processo criterioso para recepção de refugiados. Não será com discursos, flores e orações que conseguirão vencer o terrorismo.

Rodrigo Almeida disse...

Não acho que exista aliança entre esquerda e terroristas islâmicos, mas é evidente que gostam de passar o pano a cada atentado na Europa.

A poucas semanas aí, tivemos um massacre com caminhão, um atentado com machado no trem e uma garotinha que foi esfaqueada por estar usando biquíni e com oque vamos problematizar agora? A sim, os reaças do twitter...





Anônimo disse...

(Viviane)
Sobre o professor argelino contratado pela UFRJ, link de matéria com entrevista dele: http://jornalggn.com.br/noticia/adlene-hicheur-eu-estou-sendo-cacado-pela-midia-por-um-crime-que-nao-cometi

Gente, fala sério, dava pra fazer um jogo dos sete erros com esse texto da sara winter! Lola, lamento decepcioná-la, mas existe sim mulher que apela para "homens viris em defesa das mulheres": Maitê Proença, em 2010, escreveu artigo pedindo aos "machos selvagens" que livrassem o Brasil de Dilma...

Anônimo disse...

"Si vis pacem, para bellum". 15:50

Você sintetizou todas as respostas razoáveis a esse texto: Se queres paz, prepara-te para a guerra.

Anônimo disse...

(Viviane)
Titia, os mascus estão tão preocupados com os "muçulmanos malvados conta os puros europeus" que se esquecem que são brasileiros. E sobre brasileiro na Europa eu já cantei essa pedra num post deste blog no início do ano: lembrem-se do Jean Charles de Menezes...

Anônimo disse...

"Enquanto a esquerda continuar a tapar o sol com a peneira, se esquivando do assunto e chamando de "machista opressor mimimi" todo mundo que reclamar, e a direita for o ÚNICO LADO A DAR ALGUMA PROPOSTA CONTRA O AVANÇO DELES, a situação vai continuar piorando pro lado de vocês."

Exato. É só reparar nos posts a respeito do terrorismo na Europa: as comentaristas de esquerda misteriosamente somem. As poucas que aparecem dizem que isso não é algo digno da preocupação delas, ou se restringem a criticar as propostas conservadoras sem propor absolutamente nenhuma alternativa viável.

Anônimo disse...

Minha amiga brasileira que mora em amsterdã há tempos, tem me contado como tem aumentado o número de muçulmanos na região e as consequencias disso.

Outro dia ela fez como sempre faz: desceu com as cachorras para passear durante o dia. Um homem muçulmano no carro começou a mexer com ela (seguir devagar com o carro). Depois decidiu descer do carro e seguir ela e continuar mexendo, ela já estava apavorada quando chegou em um lugar movimentado (o homem deu no pé).
Depois um senhor muçulmano veio ralhar com ela por estar usando um vestido, dizendo que isso chama homens.

Fico imaginando receber visita em casa e ao invés de ela se adequar aos meus hábitos eu ter que passar a fazer isso.

Se cada um tem que se procupar com seus problemas, como a titia disse acima, afirmando que europeus vão ter q aprender a lidar com essa violencia, eu acho que na verdade os muçulmanos q resolvam os problemas dele na terra deles e fim.

Alícia

Anônimo disse...

a) Lola sou sua fã vc é uma mulher incrível.

b) Quando eu vejo o crescimento do fundamentalismo religioso no mundo temo o futuro do Brasil.

c) Eu vejo um congresso reacionário que aprova estatuto da familia igrejas querendo envolver se no supremo tribunal o Estado laico está sob risco.

d) Estados teocraticos são péssimos para as mulheres

Anônimo disse...

Defender alguém precisa todo mundo defende moça! Acontece que nenhuma mulher que um guarda costas que na rua paga de "defensor" mas na internet defende estupradores.

Anônimo disse...

Blogueira, aprenda a ler sem criticar. Só pq a moça tem uma opinião DIFERENTE da sua, não quer dizer que ela está errada. Talvez VOCÊ esteja errada, e não ela. Mas vc não sabe disso (ainda).
Lendo o relato dela que vc colou aqui, não acho nada exageradamente dito e/ou uma completa idiotice. NÃO!
É a opinião DELA e ela SIM deve ter voz, da mesma forma que vc deve ter voz. Nem todos concordam com VC, LOLA. Da mesma forma que nem todos concordam com ela.
Vc deve aprender a respeitar a opinião alheia, nem que ela seja diferente da sua. Isso vc não aprendeu, na sua vida. Talvez antes de sua morte vc ainda aprenda. Afinal, a vida é um grande aprendizado.
E acho SIM que a Europa está muito complacente com esse estupro diário que os islâmicos estão fazendo lá. Devem SIM ter uma reação forte contra os invasores. Senão vão ser dominados como um lobo domina uma ovelha antes do abate.

titia disse...

Alícia, então sua amiga foi assediada por um homem enquanto só queria andar pela rua, foi perseguida e ainda teve que ouvir de alguém que a culpa foi dela por causa do modo como ela se vestia. Olha, isso acontece aqui umas mil vezes por dia e todo mundo acha normal exatamente como os muçulmanos acharam normal A perseguição à sua amiga. A questão, Alícia, é que só a luta das mulheres de um país é que pode muda-lo. na Bélgica cantada de rua virou agressão e é punida nos rigores da lei. Quem conseguiu isso? As mulheres belgas lutando. No Brasil, feminicídio foi reconhecido em lei. Quem fez isso? As mulheres brasileiras lutando. No Iêmen, o pior lugar pra se ser mulher no mundo, as mulheres estão estudando. Quem conseguiu isso? As mulheres iemenitas lutando. Só a luta das mulheres faz com que a sociedade seja obrigada a reconhecer os direitos delas. As europeias que sofrem com o assédio vão ter que se levantar e lutar. É triste e injusto que elas sejam vitimas nessa guerra masculina estúpida "Meu pau é maior que o seu", mas pro melhor e pro pior, só a luta muda realidades. E por mais que a gente queira, não podemos lutar pelas europeias-e nem pelas mulheres muçulmanas que não concordam com essa merda, mas são obrigadas por violência a ficar. Elas vão ter que comprar a briga e fazer esses machos fracos fugirem com o rabo entre as pernas, que é exatamente o que eles fazem quando veem que as mulheres estão brigando pra valer.

Ai, meu saco... mimizentos reclamando que um terrorista foi encontrado pras olimpíadas do Rio e muçulmanos malvados vão dominar o mundo, parará pereré: quantos de vocês já foram ao Rio de Janeiro armados caçar terroristas islâmicos? Quantos se voluntariaram pra proteger o país? Quantos de vocês já se alistaram no exército pra ir combater os muçulmanos malvados? Nenhum, né? Vocês só querem usar os misóginos islâmicos como desculpa pra serem misóginos também. Ah, e não pensem que o fato de ter aparecido um terrorista islâmico no Rio vai nos fazer esquecer a sharia tupiniquim que estão tentando nos impor. Ao contrário dos seus cérebros de formiga, ninguém aqui é incapaz de se concentrar em mais de uma causa ao mesmo tempo.

titia disse...

Viviane juro que não sei por que esse povo vive de defender europeu, brasileiro é a tal ponto paga pau pra gringo que chega a ser uma doença. Os europeus tão cagando pra gente, se brincar a maioria ainda acha que o Brasil é uma selva, e esses manés só falta se jogar na frente dum europeu ou americano pra evitar que o tiro pegue neles. Vá ser trouxa assim lá na casa do carvalho.

Anônimo disse...

Primeiramente: segundo os dados da ONU, a maioria dos refugiados são homens jovens e solteiros. O que aconteceu com as mulheres e as crianças? Foram deixadas nos seus países de origem para sofrerem pelas mãos dos terroristas. A Europa precisa ser mais criteriosa em relação a seus refugiados, ajudando preferencialmente as mulheres e crianças, que são os grupos mais vitimados nas guerras e mandando os homens de volta a seus países de origem para lutarem contra o terrorismo que eles mesmos criaram.

Anônimo disse...

Sabe o que diferencia o oriente médio do ocidente? As mulheres, que lutaram a favor de maiores punições para estupros e menos impunidade, que foram contra a morte de mulheres por adultério enquanto o marido traía a esposa em todos os puteiros e transmitia doenças para ela. Os homens são todos iguais. São as mulheres que mudam as formas dos países agirem.

camila santos disse...

19:18 O problema é essa preocupação apenas com estupros cometidos por islâmicos porque estupros acontecem no brasil e vocês não tão nem ai pra isso tanto que só vejo feministas reclamando, se preocupando.Inclusive por causa disso ouvimos dizer que feministas são viciadas em estupro? É muito absurdo. Essa preocupação só existe por causa do assunto "imigração"?

Anônimo disse...

não dá pra esperar muito discernimento ou inteligência de câncervadores, direitóides e mascu

Anônimo disse...

"sem propor absolutamente nenhuma alternativa"

Eu proponho uma:

Redução populacional do mundo em pelo menos 90%

Anônimo disse...

"Fico imaginando receber visita em casa e ao invés de ela se adequar aos meus hábitos eu ter que passar a fazer isso."

Fico imaginando índio, africano, árabe, pensando a mesma coisa quando os europeus chegaram na casa deles

Cristina Simões disse...

Maria,

"aiin, os machos fortões tem que vir defender nos mulherzinhas inuteis, fracas e burrinhas!!"

NÃO, CARA!!! TERMINANTEMENTE NÃO!!
"aiin, mais eles são mais foorrtiiis..."
VC JÁ CONHECEU UMA FISIOCULTURISTA MULHER???? VOCÊ JÁ OUVIU FALAR DE AUTO-DEFESA PARA MULHERES???
MULHER SE DEFENDE E DEVE SE DEFENDER SOZINHA SIM!! CHEGA DE DEPENDER DE MACHO, CARA!! CHE-GA!!
NÃO VAI TER MACHO PROTEGENDO NINGUÉM E PRONTO, CHORA!!

Anônimo disse...

Anonimo das 19:18, 19/06

opinião de vermezinha machista que QUER COLOCAR A MULHER COMO INFERIOR, TEM QUE SE CHUTADA SIM!

agora , umas dicazinhas, LEIA COM ATENÇÃO!

1- Nem todo muçulmano é estuprador!
2-Se ele tem um comportamento de assediar mulheres, É PORQUE FOI CRIADO NUM LIXO DE CULTURA MACHISTA COMO A NOSSA, que acha que MULHER É PROIBIDA DE SAIR SEM MACHO!
3-Caso aconteça um aumento nos assédios - seja POR PARTE DE QUEM FOR!!!- AS MULHERES IRÃO APRENDER A SE DEFENDER!
4-A MULHER PODE E DEVE SABER SE DEFENDER SOZINHA!
5-MULHER PODE FAZER MUSCULAÇÃO!
6-MULHER PODE APRENDER AUTO-DEFESA!
7-MULHER NÃO PRECISA DE MACHO PARA PROTEGER ELA!
8-MACHO NOJENTO QUE SE DIZ "PROTETOR" ACABOU PARA SEMPRE E PRONTO!
9-NÃO VAI TER MACHO GANHANDO TROFEUZINHO DE "DEFENSOR!"
10- NÃO VAI TER MACHO GANHANDO NOMINHO DE HEROI
11- NÃO VAI TER BISCOITO PARA MACHO!
NÃO VAI TER BISCOITO PARA MACHO!
NÃO VAI TER BISCOITO PARA MACHO!
NÃO VAI TER BISCOITO PARA MACHO!
NÃO VAI TER BISCOITO PARA MACHO!


FUI CLARA OU TENHO QUE REPETIR/DESENHAR?????????

Anônimo disse...

Estou querendo saber até hoje a identidade real do meu mestre e ex-masculinista The Truth. Já sei quem é a amiga dele que veio aqui no blog em 2014 falando que o the truth recorreu a ela, eu sei onde the truth estudou (a Universidade), eu sei qual curso fez e eu sei o ano que ele formou. Só falta saber quem é a figura.


Ass: Beta a caça da identidade do the truth

CDO disse...

A Sarah Winter é maluca e fala um monte de bobagem, mas que o islamismo não é uma religião de paz e convivência fraterna, ah isso não é mesmo, aliás, não só o islamismo, mas todas as religiões que pregam que seus fiéis são melhores que os outros, como conviver em paz com o diferente se você crê que pertence ao bom rebanho e o resto não presta? Quem quiser pode ver esse vídeo aqui e fazer os mesmos questionamentos que faço. https://www.youtube.com/watch?v=ymU0VnggTaU

Anonimo disse...

Somente idiotas levam a Sara Winter a sério.

Pedro Agusto disse...

"Homens brancos defendes mulheres brancas de não-brancos". Em primeiro lugar esse clichê é tão patético e esquerdista. De onde saiu essa linha? Só mesmo de intuição barata e "datavivência ou dados que orbitam seu umbigo", né? Sem falar que além que essa mentalidade demagoga, mesmo confirmada, é irrelevante. Brancos também merecem ser protegidos; tanto negros/negras como brancos/brancas podem defender brancas/brancos, negros/negras. O padrão Europeu também é diversificado, mas enfim, nunca foi relevante. Não merece e nem deve ser ignorada invasão e a violência.

Não fale em opressão quando vcs se colocam na posição dos que não podem ser criticados ou serão denominados mascus/misóginos/intolerantes (quem é intolerante quando não sabe conviver com diversidade de opiniões por mais que considerem agressivas?); muito menos tirem o mérito de quem propõe solução enquanto vcs se viram para seus "problemas" fúteis. Enquanto diz que devemos nos preocupar somente com nosso umbigo e a temer a bancada evangélica, já revela sua inversão de prioridade e de noção de perigo. O que acontece lá, se refletirá aqui, seja a curto ou longo prazo. Ademais, quem disse que as pessoas não estão atentas ao congresso? Ser armar contra a invasão islâmica e fiscalizar os retrocessos locais não são mutuamente exclusivos.

Quando vc diz: "homens de verdade" claramente criou um espantalho. Não confunda a conduta de um homem que defende sua família — tendo que reagir pra tanto de maneira agressiva e os protege contra agressores. Não cola. Ninguém engole essa falsa associação. Não mais.

Anônimo disse...

Maria, homens só protegem o próprio ego e os próprios interesses. Você acha que essa suposta proteção é de graça? Sabe como os muçulmanos protegem as mulheres? Impondo véu, burca, proibindo de sair sozinha de casa, proibindo que se eduquem, proibindo até de dirigir (caso da Arábia Saudita em que se diz que dirigir faz mal pro útero).. isso tudo é pra proteger as mulheres, segundo eles. Sabe como homem cristão protege as mulheres? Da mesma forma. Mulher tem que ser dona de casa, submissa, mãe e esposa. Essas merecem ser "protegidas". As que andam na linha. E vc sabe o que acontece com quem desvia da linha 1cm que seja.
Nesse jogo entre "protetores" e agressores as mulheres são a bola que eles chutam de um lado pro outro. Nós temos é que acabar com a brincadeira porque nessa disputa nós sempre vamos perder. Não se engane. Não seja ingênua.

Anônimo disse...

E se a gente simplesmente parasse de dar bola para o que a Sara Winter fala? Imagina que loko ela não ter nenhuma repercussão entre as feministas reais? Os reaças que estão aturando ela não veriam mais benefício em continuar apoiando seus discursos.

Falta muita inteligência no movimento, gente. Vamos acordar.

Anônimo disse...

"Aliás, a tese da opressão (a não integração dos islâmicos em território europeu) foi considerada como fator importante de surgimento do EI"

Quer dizer que eu tenho que chamar o opressor de oprimido para que ele não me ataque? (Sim, porque a partir do momento em que um bando de muçulmanos atacam mulheres apenas por elas não usarem burqa, não serem da religião dele ou qualquer outro motivo, eles a estão oprimindo).

Se for assim, então a solução para os estupros no Ocidente seria passar a mão na cabeça dos estupradores e "integrá-los" da mesma forma? Ou será que estupro só é repudiável no Ocidente, e no Oriente Médio é relativizado?

Estupro, morte, terror, NADA DISSO É CULPA DA VÍTIMA, então parem de ficar falando "ain, mas ela é de uma cultura que fez isso e aquilo", parem de falar de algo que provavelmente A MULHER NEM FEZ, falem diretamente do problema dos abusos, como vocês mesmas sempre propuseram. E o fato de no Brasil haver brancos, negros ou índios estuprando não impede que conversemos sobre pessoas do Oriente Médio que também o fazem. Pessoas tem capacidade de conversar sobre duas coisas em um mesmo período, sabe?

É, mas eu sei que vocês, feministas, vão continuar chamando o povo aqui de mimimizento por defender as mulheres, a vitimizarem aqueles que praticam a violência e a usarem textões repletos só de falácias ad hominem, especulando o tipo de reacinha que os comentaristas desta page são, para assim não precisarem tocar diretamente no assunto.

Anônimo disse...

"Ai, meu saco... mimizentos reclamando que um terrorista foi encontrado pras olimpíadas do Rio e muçulmanos malvados vão dominar o mundo, parará pereré: quantos de vocês já foram ao Rio de Janeiro armados caçar terroristas islâmicos? Quantos se voluntariaram pra proteger o país? Quantos de vocês já se alistaram no exército pra ir combater os muçulmanos malvados? Nenhum, né?"

Oiii? Agora para eu defender algo eu tenho que ter saído na luta armada contra isso?? E você, quantas vezes saiu de madrugada para caçar estupradores com uma metralhadora também?
Eu pago meus impostos é, dentre tantas coisas, para a polícia me defender de bandidos como um todo! Eu debato o assunto também para ter uma opinião política.
Ahhhh, mas problematizar só é válido quando é feminista fazendo? Ah, me poupe. Solta mais falácia que tá pouco.

Anônimo disse...

Os machos querendo proteger as mulheres são machistas. Ok.
Mas, se eles não quiserem ajudá-las e darem a elas proteção contra a violência... eles não estarão sendo machistas também?

Anônimo disse...

Quem está matando (não, não tô falando de fazer o ato suuuper opressor de ir a uma missa/culto, estou falando de matar mesmo, sabe? Aquilo que se faz esfaqueando, atirando, afogando, explodindo...), na notícia tratada acima, são os muçulmanos, e a imagem que aparece é DE HOMENS NAS CRUZADAS? Haja incoerência, é a mesma coisa de vir uma notícia de um homicídio e um reaça tentar ilustrar o que ele sentiu colocando a culpa na esquerda, e um desenho do Che Guevara, Stálin ou Lênin matando gente.

E a tag "direita CRISTÃ"? O problema não é o machismo, afinal, e este independe de religião (existe também em locais não-cristãos e entre ateus)? Então que raios colocar o Cristianismo no meio? Por que não fizeram igual naqueles atentados do muçulmano na boate gay, em que disseram que "a culpa é da homofobia", e colocaram a religião fora da parada, em nome da "tolerância"? Ahhh, não, só tem graça quando é contra o Cristianismo. Daí, procuram-se desculpas para relativizar a moral, como "ah, temos bancada evangélica", o torna a violência mais tolerável entre outros povos... (ou seja, as vítimas que se explodam, afinal, os protestos são só porque temos bancada de crentes, e se não tivesse, podia fazer o que quisesse).

E podem arrebentar nas falácias ad hominem mesmo, podem pegar exemplos mega atuais de 1600 anos atrás como justificativa para passar a mão na cabeça de outros agressores hoje, podem ficar falando que chamar "gay" de "gay" é um ato criminoso e a sharia é linda, é "cultura", podem ficar xingando adoidado e sem motivo... Vocês mesmas NUNCA conseguem explicar essas incoerências, é compreensível.

Anônimo disse...

Lola, o blog é seu, então vc, obviamente, faz o que quiser...Mas vc não acha que dá muito ibope pra Sarah e mascus não?Acho importante falar deles porque antes de ler aqui eu mesma nem conhecia; porém vc posta tanto sobre isso que acho que eles devem até comemorar porque só assim pra ganharem atenção!

Anônimo disse...

Essa coisa de homem defender mulher é uma tentativa de botar as mulheres em uma posição inferior, até porque qualquer ser humano normal defende o outro e. Sem falar que essas coisas são ditas por homens machistas que não querem acabar com os problemas causados pelo machismo, na verdade eles querem que esses problemas aumentem só para pagarem de "defensores das mulheres" Percebi que isso começou quando o assunto cultura do estupro ficou mais popular, os homens ofendidos(por defenderem estupradores) por serem colocados no mesmo "saco".

Maria disse...

Cristiane Simões,

A aspas (" ") devem ser utilizadas em citações ipsis litteris de uma pessoa. Pelo visto você não sabe utilizar aspas ou então está propositalmente inventando frases e alegando que eu disse isso.

Sobre o comentário, se você não quiser ser defendida por homens, é direito seu. Faça o seu fisiculturismo ou musculação e quando um cara vir te atacar, se defenda sozinha. Você não tem obrigação de ser defendida por um homem. Se preferir, ande com uma camiseta escrita: não quero ser defendida por homens. Assim, não corre o risco de algum homem te defender.

Agora, se um cara vier mexer comigo na rua, qual o problema de meu pai me defender? Meu pai é maior e mais forte que eu e, naturalmente, irá proteger a filha. Ou você acha que se um homem vier mexer comigo meu pai deve ficar quieto olhando?

Um homem defender uma mulher é sinal de respeito e não submissão. Um homem que não respeita uma mulher não irá colocar sua integridade em risco para defendê-la. Alias, se ele não a respeitasse, iria participar do estupro ao invés de defendê-la. Como já aconteceu.

Maria disse...

Anônimo at 03:14,

Você está igualando a cultura muçulmana com a cristão. Na cultura muçulmana as mulheres são proibidas de estudar, dirigir, sair sozinhas e são obrigadas e usar vestimentas adequadas senão serão apedrejadas em públicos até a morte. E no cristianismo a mulher é "protegida" da mesma forma pois quer que a mulher seja mãe, esposa e dona de casa?
Você não precisa apoiar o cristianismo, mas igualar a posição das mulheres nas suas religiões é um absurdo. Querer que uma mulher seja mãe, esposa e dona de casa não é a mesma coisa que apedrejar uma mulher em público até a morte porque não está de véu ou proibi-las de estudar?

E o fato de um homem ajudar uma mulher a se defender não tem nada a ver com religião. Ou agora os homens ateus não ajudam as mulheres pois não acreditam em Deus?

Anônimo disse...

Ain a culpa é da esquerda, marxismo cultural e mimimi
Engraçado que tem um setor na sociedade adorando a mão-de-obra barata e a não-equiparação de direitos trabalhistas. Só acho que eles não são da esquerda né? Dica: são de direita e idolatram o Deus Mercado.

Anônimo disse...

E se a gente simplesmente parasse de dar bola para o que a Sara Winter fala? Imagina que loko ela não ter nenhuma repercussão entre as feministas reais? Os reaças que estão aturando ela não veriam mais benefício em continuar apoiando seus discursos.

Falta muita inteligência no movimento, gente. Vamos acordar.

Não só ela, mas um monte de gente, inclusive nos comentários, vcs dão muita conversa pra imbecil, sendo que tem um monte de comentário inteligente que perde relevância nessa enxurrada de burrice que é a caixa de comentários da Lola.

Anônimo disse...

Pedro Augusto,

Já foi citado lá em cima, brevemente, pela Mila. Mas aparentemente você desconhece história do colonialismo, darwinismo social etc ou está zumbificado demais pelo binarismo esquerda-direita para refletir acerca disso.

A história "esquerdista" de homens brancos para defender mulheres brancas sempre existiu em todo lugar que teve apartheid, velado ou não. É de praxe, quando se parte do pressuposto que existe uma raça superior, que ela não se perpetue entre as mulheres destas. Não bastando proibir, nominalmente ou não, as relações inter-raciais, o controle é ainda mais eficaz quando se cria essa cultura de que tal raça é inferior "não se misture com ela", eles vão lhe fazer mal.
Ainda não se convenceu? Procure pelo modus operandi da KKK. Aliás, aquela cena em Birth of Nation (do negro animalizado "black face" tentando estuprar a pobre mocinha branca é bem ilustrativa). A KKK, como a Mila falou, usou desses artifícios para angariar apoio das mulheres brancas conservadoras. Uma desculpa perfeita para caçar os negros antes que eles estuprem nossas mulheres.
Aconteceu em outras culturas também. Utilizavam disso para perseguir judeus que porventura se relacionassem com mulheres arianas alemãs e a mesma coisa ocorreu na África do Sul no período do apartheid.
O curioso é notar que a vida da mulher branca, para o homem branco, vale mais que as das mulheres das raças consideradas inferiores. Índias, negras, judias e agora muçulmanas. A elas, os homens brancos tratavam como não queriam que os outros tratassem suas mulheres. Não é à toa que o estupro de guerra está presente em qualquer conflito.
Como sempre, mulheres e crianças pagando pelas merdas que os homens fazem.

Anna

Mila disse...

Como sempre anti-feministas interpretam apenas o que lhes convêm, né anônimo de 06:25?
Não são as feministas que estão falando dessa tese. Isso foi constatado por uma reportagem da BBC que buscou entender porque jovens de origem islâmica ou não estavam sendo cooptados por integrantes do EI presos. O modus operandi do EI era esse: ofereciam grana, uma comunidade que os respeitaria, prometiam conforto espiritual etc.
As próprias autoridades britânicas reconheceram a eficácia desse recrutamento, o que contribui ainda mais para que o EI fosse essa entidade extremamente difícil de combater, pois ganha força dentro da Europa.
Ora, se querem combater um inimigo, conheça-o antes e principalmente, saiba o que ele faz para conter o seu tamanho. Isso também passa pela adaptação dessas novas pessoas no continente europeu, o que inclui, é claro, respeitar a legislação local.

Quanto a passar a mão na cabeça, isso foram apenas delírios seus ou tentativas pífias de acusar o feminismo por algo que não está na nossa alçada.

Mila disse...

Aqui tem uma reportagem onde mapearam a razão de mulheres ocidentais estarem se juntando ao EI, apesar de ser um grupo misógino.

http://noticias.uol.com.br/internacional/ultimas-noticias/2015/03/25/conheca-as-estrategias-do-estado-islamico-para-atrair-mulheres.htm

Cesc Biavati disse...

Só existe algo para combater a invasão islâmica e o fim do esquerdismo multicultural e relativista: A volta do espírito cristão não só individual de cada um, mas como uma expressão coletiva e política! Só assim poderemos combater a ferocidade de um povo que não teme a morte, não aceita os valores da "dita democracia laica e secular". Por enquanto, podem continuar com demagogia para com os maometanos. Eles vão votar na esquerda e depois devorá-los porque eles não negam sua fé, nem mesmo sob a mira de uma AK-47 em suas cabeças.

Luiza Bairros disse...

as mulheres têm direito á educação na maioria dos países muçulmanos. quanto a serem bem tratadas no cristianismo...hum... vamos a algumas passagens bíblicas:

Efésios 5, 22 Mulheres, sujeitem-se a seus maridos, como ao Senhor,

Pedro 3,1: Semelhantemente, vós, mulheres, sede sujeitas aos vossos próprios maridos; para que também, se alguns não obedecem à palavra, pelo porte de suas mulheres sejam ganhos sem palavra;

Timóteo: Da mesma forma quero que as mulheres se vistam modestamente, com decência e discrição, não se adornando com tranças, nem ouro, nem pérolas, nem roupas caras, mas com boas obras, como convém a mulheres que professam adorar a Deus.
A mulher deve aprender em silêncio, com toda a sujeição.
Não permito que a mulher ensine, nem que tenha autoridade sobre o homem. Esteja, porém, em silêncio.
Porque primeiro foi formado Adão, e depois Eva.
E Adão não foi enganado, mas sim a mulher, que, tendo sido enganada, tornou-se transgressora.
Entretanto, a mulher será salva dando à luz filhos — se elas permanecerem na fé, no amor e na santidade, com bom senso.
1 Timóteo 2:9-15


Quando um homem achar uma moça virgem, que não for desposada, e pegar nela, e se deitar com ela, e forem apanhados,
Então o homem que se deitou com ela dará ao pai da moça cinqüenta siclos de prata; e porquanto a humilhou, lhe será por mulher; não a poderá despedir em todos os seus dias.
Deuteronômio 22:28,29

Luiza Bairros disse...

mais algumas;


Mas quero que saibais que Cristo é a cabeça de todo o homem, e o homem a cabeça da mulher; e Deus a cabeça de Cristo.
Todo o homem que ora ou profetiza, tendo a cabeça coberta, desonra a sua própria cabeça.
Mas toda a mulher que ora ou profetiza com a cabeça descoberta, desonra a sua própria cabeça, porque é como se estivesse rapada.
Portanto, se a mulher não se cobre com véu, tosquie-se também. Mas, se para a mulher é coisa indecente tosquiar-se ou rapar-se, que ponha o véu.
O homem, pois, não deve cobrir a cabeça, porque é a imagem e glória de Deus, mas a mulher é a glória do homem.
Porque o homem não provém da mulher, mas a mulher do homem.
Porque também o homem não foi criado por causa da mulher, mas a mulher por causa do homem.
Portanto, a mulher deve ter sobre a cabeça sinal de poderio, por causa dos anjos.
1 Coríntios 11:3-10


vejam que o cristianismo também prega que a mulher cubra a cabeça com um véu.

Anônimo disse...

"Quantos de vocês já foram ao Rio de Janeiro armados caçar terroristas islâmicos? Quantos se voluntariaram pra proteger o país? Quantos de vocês já se alistaram no exército pra ir combater os muçulmanos malvados?"

Mas que questionamento razoável e pertinente! Aparentemente a única forma de se opor a determinada realidade é abdicar completamente da sua vida privada e ir à luta armada. Tenho certeza que você, notória keyboard warrior, mantém sua postura belicosa frente aos machistas e estupradores brasileiros na vida real.

Sugiro que tire uma folga dos blog porque nos últimos posts suas contribuições tem sido bastante equivocadas. Além disso, ficar um tempo sem manifestar ódio e raiva vai lhe fazer bem.

titia disse...

06:34 mas não são vocês que se gabam de ser nossos protetores? Que dizem que precisamos de vocês do contrário os muçulmanos malvados vão nos pegar? Que devemos aturar sua misoginia, seus assédios, estupros, agressões e violências porque são "melhores" que as dos muçulmanos? Cadê essa macheza toda então, babaca? Só é macho na hora de reclamar na internet e bater em mulher, mas na hora de provar que é protetor das mulheres vai se encolher num cantinho com uma bacia na cabeça e exigir que a polícia proteja você?

Pedro Agusto disse...

Anna,

Não só tive essa formação como também a de que não somente brancos escravizavam não-brancos. Vamos começar pelo colonialismo que por si não foi apenas unilateral. Os Mouros se anexaram há muito na região onde se encontra Portugal e Espanha escravizando os habitantes por mais de 700 anos. Corsários, a partir de Túnis e Argel atacavam navios pelo mediterrâneo, e a possibilidade de ser escravo da África do Norte não eram remotas tanto quanto quem passasse pelo litoral do Reino Unido como na Islândia, Itália, França, Espanha ou Portugal já desgastadas, fazendo cidades costeiras serem devastadas pelo abandono dos cidadãos locais, antes de finalmente alguns grupos reagirem. Deve imaginar quais.

Sobre Arianos, não tinham relação com fenótipo alemão, suíço ou finlandês, eram antes de tudo eram denominados aqueles construíram uma nação a partir de uma raça, a qual acreditavam ter vindo da região indo-europeia. Naturalmente, nunca deve ter ouvido falar dos Freies Arabian.

E como disse, continua sendo irrelevante e ilegítimo recriar uma tensão histórica como se não existisse exceção a regra. Antes de etnias somos humanos e se calar ou ser conivente com estupradores só pelo multiculturalismo, quando vem falar pra mim sobre estupros de guerra, é incoerência e oportunismo.

titia disse...

13:43 na verdade sim, eu digo pra machistas do mundo real que estão sendo machistas e digo por que estão sendo machistas, reajo a cantadas de rua, expulso vagabundo que se esfrega em mim no ônibus. Como não sou da sua laia não conheço estupradores, felizmente, mas se quiser me apresentar alguns dos seus amigos estupradores eu com muito prazer direi que são estupradores. O problema maior é que, sabe, eu não quero oprimir ninguém. Eu não quero direito de assediar, estuprar, objetificar ou matar homens porque as mulheres islâmicas vão fazer tudo isso. Vocês querem nos estuprar, oprimir, assediar, objetificar e matar e os islâmicos são a desculpa que vocês usam. Porque, por algum motivo que qualquer ser humano sem bosta na cabeça desconhece, vocês pensam que nós acharíamos melhor sermos oprimidas e mortas por vocês do que por islâmicos não-brancos. Dica, amigolino: nós achamos vocês tudo a mesma merda.

Anônimo disse...

Impressionante, se morasse na Europa, eu queria ver como seria o teor do post. A tal Sara W é de dar pena, mas a Lola anda mesmo sem tema para o Blog. Continue falando dos casos no Brasil, por favor, para não soar como se estivesse contra as mulheres que aqui moram. Só quem vive aqui é que sabe como a situação está.

Anônimo disse...

Afff, tudo uma bosta. Cristianismo sempre humilhou as mulheres, agora melhorou um pouco. O islamismo é uma praga. Moro na França e é horrivel o jeito com que tratam as mulheres. Eu venho de familia MUITO catolica, mas nuca vi ninguém bater na mulher pq ela respondeu que horas eram para um rapaz que perguntou na rua. Ja vi isso aqui, e coisa muito pior...

Dito isso: quem taca o terror no Brasil é a bancada evangelica. E se em termos absolutos o islamismo é pior que o cristianismo, no Brasil o islamismo não é problema. Se no Brasil o problema é a dengue, pra que ficar falando que em outro lugar existe ebola e é muito pior? So serve para distrair do problema verdadeiro.

Agora, muita palhaçada cobrar macheza dos "nossos" homens para nos protegerem das machezas de ouros homens. Essas imbecis que em vez de pregarem a "não-macheza" no mundo todo, pregam macheza aos nossos homens. Onde falo macheza, leia -se agressividade.

Tudo errado. Não sei quem é mais idiota. Os idiotas que falam essas coisas sem pé nem cabeça, ou nós, que damos ibope para esses idiotas...dure dure la vie...

Yara

Anônimo disse...

Pedro Augusto,

Nunca disse que brancos não escravizavam brancos, mas note que meus exemplos remontam a acontecimentos pós-colonialismo moderno, quando se firmou a raça branca (leia caucasiana) como a dominante. Em todos os casos que citei, esses acontecimentos se deram assim. Claro que podemos notar que o processo de demonização do inimigo consiste em atribuir-lhe características animalescas (Roma, bárbaros, negros comparados a macacos, isso lhe lembra algo?) ou moralmente contrárias.
Sobre arianos, estou me referindo à concepção ariana alemã HITLERISTA. O preconceito era fundado nesta premissa torcida ao bem entender do arianismo, portanto vamos nos ater ao que esta premissa apregoava e nas consequências dela em vez de interpretações modernas do fato? Quanto à irrelevância fenotípica, leia sobre a determinação fenotípica do arianismo hitlerista, você vai se surpreender que um nariz mais "judeu" era capaz de julgar um alemão "ariano" como um judeu, mesmo que ele jamais tivesse contato com qualquer aspecto religioso.
Baseado em que você considera irrelevante levantar tensões históricas? Note que em todas as tensões sociais, há de sempre entender os antecedentes para compreender o porquê dos fatos ocorrerem da forma como ocorrem e não de outra. Quando você nega a tensão social-racial que sempre houve entre os povos, é negar uma parte crucial e importante para a compreensão e resolução do problema. Mas é mais fácil acusar de defensores de estupradores e multiculturalismo aqueles que buscam saber como o EI se tornou esse inimigo invisível e implacável.
Mais uma vez é bom lembrar para a gente não esquecer: o estuprador e o bárbaro pode ser um ou outro, depende de qual lado você esteja analisando a questão.


Anna

Anônimo disse...

Esse argumento me lembra um: "Não estuprem as nossas mulheres. Só nós temos o direito de estuprá-las!"
Isso soa uma hipocrisia sem tamanho na boca de brasileiros. Não se façam de santos. Em qualquer notícia de estupro, vocês estão sempre defendendo o bandido. Se for branquinho, universitário e de classe média então. Aí agora vocês tentam disfarçar a treta com os muçulmanos com essa de "ain estamos preocupados com a segurança das mulheres!". Uma ova. Vocês não estão preocupados com segurança de mulher nenhuma simplesmente pq vcs não respeitam as mulheres do seu país.

Coerentes somos nós que não passamos pano pra estuprador de cor~/etnia/idade nenhuma. Pq homem, quando é conveniente, usa as mulheres para resolver as próprias tretas.

Maria disse...

Luiza Bairros,

Eu disse que a afirmação de que a relação entre mulheres na cultura muçulmana e cristã é a mesma é falsa. O fato é que na cultura cristã nenhuma mulher é apedrejada porque não está usando um véu em público.

Sobre as outras citações, nem adianta discutir aqui. Para entender textos Bíblicos é preciso estudar história da humanidade, línguas e teologia. Não é escrevendo citações soltas da Bíblia que você irá entender sobre cristianismo, judaísmo ou islamismo. E eu não tenho conhecimento apropriado para discutir isso.

Hele Silveira disse...

Tadinha da Sara Winter... Será que ninguém a alertou para o fato de que ela está pedindo a volta dos que não foram? O macho patriarcal opressor nunca existiu. O que sempre existiu chama-se ILUSÃO, porque homens tem um talento inato para o autoengano. O cara que batia no peito para dizer que foi à guerra jamais quereria trocar de lugar com sua mulher, que ficou em casa, assumindo a família e toda a carga emocional dos filhos. O cara que "protegeu" a família, dando um duro absurdo na zona rural jamais quereria trocar de lugar com a mulher, que se levantava de madrugada, para cozinhar à beira dum fogão a lenha, indo levar a refeição dum sem número de homens, muitas vezes, morro acima. E essa mulher ainda tinha que lavar, passar, costurar, limpar, cuidar de nem sei quantos filhos, aturar mimimi de homem, enfim... Macho patriarcal opressor? A figura protetora das famílias, a agregadora, sempre foi a Fêmea Matriarcal Agregadora. Porque as mulheres nunca precisaram oprimir a ninguém para mostrar seu valor e seu poder. Querem nos oprimir? Azar, somos indomadas como a natureza. Não nascemos para nenhuma forma de domesticação. Se algum dia vier o tal macho patriarcal opressor, ele terá de pegar seu banquinho e sair de mansinho. Com três nós no rabo. No mínimo, rs.

Pedro Agusto disse...

Anna, apenas a título de curiosidade, o conceito de ariano para Hitler era o tradicional. O aústriaco tinha pré-disposição a teosofia. Tanto por isso que se aprofundou nas ideias de Blavastky, tanto que foi em suas viagens ao oriente que trouxe a Suástica como símbolo do seu Reich. Exemplos de doldados da Wehrmacht que eram judeus — Paul Ascher, Walter Holisender, Johannes Zukerfort, Anton Mayer, Helmut Schmidt, incluindo Werner Goldberg que foi utilizado como garoto propaganda do Reich — dão um certo desafio pras versões mais conhecidas.Quando falei sobre a Freies Arabian, não foi a toa. Existiam legiões de etnia negra e árabe defendendo o Reich.

O que me espanta é essa redução a discriminação fenotípica que projetaram aqui como principal fator de deliberação para resolução do caso do terrorismo e abusos sistemáticos. A abordagem racista é infantil, apressada e limitada. Agora, se assim como muitas aqui, estiver insinuando que é tudo uma questão de disputa de território de estupradores ou pior que todos o são baseado em relativização, fique a vontade. Mas admita que as conclusões não passam de datavivência/dados que orbitam seu umbigo.

Ah, Hele,

Não sei se pode usar esse cenário levando em consideração que proteção de território e guerra não são exatamente um passeio no parque. Mas claro, pro seu tipo, isso só seria o cúmulo se fosse com mulher. Por exemplo se fosse dito que as mulheres precisavam tanto de homens como peixes de bicicletas, e que poderiam fazer tão bem o trabalho quanto eles, será que eles simplesmente não poderiam deixar vc pegar em armas ou até conseguir seu forrageamento?

Os Inuit são ótimos exemplos de tribo patriarcal pra vc amadurecer sua noção de mérito e proteção, quanto trabalho teria o homem para providenciar comida ao longo dos tempos para os membros de uma família que não produziria, em vez de tão somente se beneficiar a si? Esses homens poderiam, se quisessem, simplesmente se mandar.

"Ei, ela é ela é matriarca, pertence a si mesma, não tenho que prover nada e os filhos dela não são meus, são delas; deixa ela pegar a comida dela." É o que eu faria se alguém me convencesse disso tudo e portanto sem necessidade da provisão e proteção, em respeito a sua força.

Eles poderiam caçar uma foca a cada um ou dois meses, e coser uma roupa de pele só pra ele. Ele poderia, e teria um monte de tempo pra fazê-lo sem tanta boca pra alimentar. Agora imagine uma Inuit mesmo sem estar grávida, tentando sobreviver em meio a ambiente traiçoeiro, ter o braço arrancado em lutas corporais, durante dias fora de casa.

As formas mais extremistas de patriarcados ocorrem nos lugares de piores condições de vida. Vc acha que essas mulheres estariam melhores no lugar? Não está sendo muito, mas muito, além de cara-de-pau ou ingênua, parcial no seu exemplo?

Anônimo disse...

Precisamos colocar os direitos das mulheres acima de qualquer tipo de multiculturalismo. Se nós feministas ocidentais prezamos pelos direitos das mulheres, devemos ser contra os tribunais islâmicos na Europa, a mutilação genital nas garotas e mulheres, a qualquer tipo de roupa obrigatória, e que a religião da mulher não pode ser utilizada como forma de não se oferecer ajuda. E principalmente, que a etnia do violador não seja utilizada de forma para induzir a impunidade. Existem estupradores asiáticos,brancos,latinos,árabes,indígenas e negros, e como feminista, sempre vou defender a vítima, mesmo se ela for branca e o estuprador árabe. E mais, devemos sim levar em conta que a grande maioria das culturas são machistas e de modo nenhum nós precisamos concordar com elas. Elas que precisam ser transformadas ou proibidas.

Anônimo disse...

Os homens refugiados deveriam ser contidos, e precisaria dar preferência para mulheres e crianças refugiadas. Mas a maioria dos refugiados são homens né? Então porque caralho nós feministas devemos ser a favor dos refugiados quando a maioria deles (homens)deveria estar nos seus países de origem? Porque algumas feministas colocam o multiculturalismo que só traz desgraça as mulheres acima dos nossos direitos? Se todos os homens são estupradores em potencial, os muçulmanos não fogem a regra. Negro estuprador não foge a regra. Branco estuprador não foge a regra. Japa estuprador não foge a regra. Não se iludam.

Anônimo disse...

Anônimas da 22:54 e 23:20. Finalmente... logo vcs vão se dar conta do porquê. Apenas observem. A agenda socialista do precede a da mulher, mesmo que vcs paguem por isso, e estão apoiando.

Hele Silveira disse...

Faça-me rir, rsrsrs... Seu melhor argumento é esse? Cara de pau? Ingênua? Parcial? Na boa, cara, se você veio responder, o primeiro nó no rabo já entrou, rs! Iludido, tadinho! Valeu por espernear, validando meus argumentos. Beijo!

Anônimo disse...

E se a gente simplesmente parasse de dar bola para o que a Sara Winter fala? Imagina que loko ela não ter nenhuma repercussão entre as feministas reais? Os reaças que estão aturando ela não veriam mais benefício em continuar apoiando seus discursos.

Falta muita inteligência no movimento, gente. Vamos acordar.


==========================================

falando por mim mesma só

tem mais ou menos um ano e meio que comecei a me aprofundar sobre o feminismo, a ler coisas e procurar informações em sites, blogs, videos etc.

se eu fosse uma pessoa recém-chegada na coisa, pensaria: nossa, a gente não presta pra nada mesmo. Só pra apanhar, ser estuprada, ser queimada viva e ganhar menos.

porque é o que eu vejo nesses sites, blogs e videos. Só mulher se fodendo. E aí quando resolvem falar de uma mulher, qualquer uma, é pra falar mal! É a Sara Winter que fez não sei o que, é a Sheherazade que falou não sei o que.

o que as mulheres na nossa sociedade estão fazendo de bom?

quem são as grandes pensadoras feministas do mundo e quais suas ideias?

o que as mulheres na área de tecnologia estão fazendo, no sentido de inovação?

se dependesse só de blog eu não saberia, porque só se fala das que se foderam ou pior, de homens!

que os homens batem, que os homens matam, que os homens estupram, porque o Dado Dolabela falou isso, porque o Bolsonaro falou aquilo.

cadê a ação afirmativa gente?

o feminismo quer liberar as mulheres ou quer deixá-las mais acuadas, com mais medo de tudo, mais dependentes?

cadê os exemplos positivos?

cadê as pessoas, homens ou mulheres, que fazem o melhor para a questão da equidade social?

cadê as grandes advogadas, as grandes juízas, engenheiras, médicas, professoras? Será que não tem uma mulher pra se falar BEM neste país?

não sei, é só dos podres que se fala, é só os podres que são divulgados.

uma amiga minha, de 15 anos de idade na época, me indicou este blog e outros. Mas junto com a indicação veio o aviso:

"cuidado, você vai se sentir mal, por isso que eu parei de ler"

e não é que ela estava certa?

que eu saiba é o patriarcado que bota a gente na merda e não o feminismo. Menos no Brasil. Aqui o feminismo te bota na merda também.

usando a frase d@ anônim@, vamos acordar, pessoas influenciadoras de opinião......................

Anônimo disse...

Anonima que falou do multiculturalismo, concordo com vc 100%. Par mim esse eh um dos grandes problemas do feminismo. Sempre querer defender todos, o tempo todo, mesmo que para isso, sacrifiquem as mulheres.
Ah, eh culture, ele é pobre, vitima da sociedade, preto, indio, coitado. Ah, pq tem que entender, ela é da favela, sofreu qdo criança, a outra eh sinhá. Comer carne eh coisa de quem Nao respeita à vida dos outros...
Aff. Deveriamos defender as mulheres, e depois a gente ve o resto.

Anônimo disse...

As últimas anônimas arrebentaram, realmente não há nenhuma representatividade feminina exposta, mas não sejamos injustos, algumas vezes a Lola coloca bons exemplos e bons projetos, ocorre que ela sofre o que todos sofremos, focar no lado errado, dar vez e voz a Bolsonaros, Saras, e Constantinos, é tanto lixo nessa internet que fica difícil de selecionar, mas alguns como essa Sara são muito evidentes, ela não merceia nenhum artigo,enquanto ela ocupa espaço em uma página feminista tem mulher com risco de morte por lutar por outras mulheres que não ganha nenhum espaço, quando se dá espaço para mascus e etc, tem comentário inteligente que se perde na enxurrada de burrice.

Outro ponto, sim, a esquerda é condescendente quando o bandido é de um grupo social oprimido e mais, quando o crime não envolve ninguém de um grande centro, lembram de Castelo do Piaui? Aqui na minha cidade houve um estupro coletivo, autores menores, socialmente vulneráveis, silêncio total da esquerda.

Anônimo disse...

O feminismo para mim não deveria se colocar como algo de direita e nem de esquerda, porque antes de tudo, é sobre mulheres e não modelos econômicos. E tanto o empreendedorismo feminino (algo de "direita")quanto um maior numero de creches (algo de "esquerda") são questões importantes para as mulheres.

Anônimo disse...

Pedro, tão tradicional que limitava a composição do Reich? Entre as formações de todos os Reichs existiram diferentes concepções de arianismo. A do III era extremamente restrita. Os nazistas levaram em conta os grupos dominantes da economia europeia da época para justificar seus ataques à judeus, resgatando o antissemitismo histórico. Como você explica todas as pesquisas e postulados médicos indicando ausência de preconceito fenotípico que tentavam diferenciar o povo que pertencia ao III Reich e os que não pertenciam.

Contudo, eu entendo que essa é uma questão menor. Estamos debatendo o esquema de dominação baseado na xenofobia e machismo, algo que você está fugindo do debate. O meu postulado principal foi: sempre que houve uma dominação de uma "raça" sobre a outra, houve uma demonização histórica do inimigo como estratégia de apoio da população. No caso das mulheres, apelava-se ao temor de segurança pessoal e familiar. Deixar que uma mulher de seu povo gere uma criança com sangue inimigo é uma afirmação basal de sociedades que tendem ao racismo. Logo, apelação à segurança sexual das mulheres é uma ferramenta amplamente usada tanto para o convencimento das mulheres no esforço de guerra quanto de homens também.
Mudam-se os dominados e dominantes, mas a situação é enxergada em diversos momentos da história, o que você não negou. Ou você continua a afirmar que este aspecto na relação de dominantes e dominados continua a ser coisa da "esquerda"?


Anna

Anônimo disse...

Pedro Augusto, você esquece que as mulheres poderiam muito bem formarem grupos entre si para ajudarem umas as outras tanto na proteção dos filhos como na caça de alimentos. Centenas de espécies de animais agem dessa forma. E nesses casos, os machos são excluídos e as fêmeas que decidem o momento de acasalamento. Já foi mostrado que as mulheres ganham, E MUITO, com a ausência masculina, como um grupo de mulheres do Congo que se uniram depois de sofrerem violência doméstica dos maridos,das mulheres árabes que preferem não se casar, só pelo fato de que os homens são o principal fator de morte de mulheres. Independentemente da orientação sexual,seria muito mais prático se as mulheres formassem casais de ajuda mútua, que traria muito mais vantagens que um relacionamento heterossexual.

Anônimo disse...

"As formas mais extremistas de patriarcados ocorrem nos lugares de piores condições de vida. Vc acha que essas mulheres estariam melhores no lugar? " O patriarcado ocorre nos lugares de piores condições ou ele contribui para que o lugar CONTINUE em piores condições? O Congo é o pior lugar para ser mulher e os homens estão apenas piorando tudo, saqueando,matando e estuprando todas as pessoas que aparecem. No oriente médio idem. As mulheres estariam com certeza em melhores condições se não se casassem (a violência sexual e doméstica é altíssima) e se os homens, de algumas forma, fossem completamente proibidos de chegarem perto de uma mulher. A mesma coisa se dá em todos os países, uma mulher solteira tem mais chance de viver até a velhice e de forma saudável do que uma mulher casada com um homem. Com os homens é o contrário, os casados tem maior probabilidade de viverem melhor que os solteiros, as taxas de autores de crimes mostram isso também. A realidade mostra que os homens estão(e sempre) dependeram mais de mulheres do que nós deles. Deve ser por isso que odeiam o feminismo, rsrsrsrs

Anônimo disse...

Concordo 10:22. O feminismo, pra mim, é algo que transcende correntes ideológicas. Mesmo que a esquerda nos seja um pouco mais amistosa que a direita (que só cobra do feminismo quando as mulheres de direita são atacadas), nos alinharmos para um lado ou outro não nos traz muitos benefícios não.
O problema hoje é que qualquer pauta de direitos humanos (que é o feminismo por exemplo) é taxado como coisa de comunista, esquerdista e petralha.

Anônimo disse...

"A realidade mostra que os homens estão(e sempre) dependeram mais de mulheres do que nós deles. Deve ser por isso que odeiam o feminismo."

ASSINO EMBAIXO

Anônimo disse...

Aiaiai gente...

Criticando o islamismo pelas ações de seus radicais ? Bem... Vocês sabem o passado do cristianismo ? E alguns crimes cometidos por evangélicos e católicos nos dias atuais ? Pois é. Então vamos criticar o cristianismo também ! E olha que não faltam argumentos...

Não defendo o Islã, mas falar que todo mulçumano é estuprador, é terrorista... Aí eu vos mando a digníssima merd* ! É como se estivessem colocando a culpa na vítima. Sim, pois as religiões são os males da sociedade. (Mas entendo que alguns precisam do conforto de acreditar em algo)

E, bem, não é todo evangélico que concorda com algumas opiniões do grupinho, assim como não é todo muçulmano que vai concordar com tais práticas... Em todo grupo, seja qual for, sempre haverá divergência de pensamentos.

A bíblia é machista. O alcorão é machista. Ponto final. Ambas não dão nenhum benefício para as mulheres. É só ler. (E curiosamente, ambas dizem que é o "outro" que vai pro inferno...)

E o feminismo não é uma luta pela igualdade e liberdade de todos ? Desculpem, então acho que entrei no movimento errado... Ou são apenas as radicais que estão comentando isso ? Cadê a empatia com as minorias ? O feminismo também liberta outras pessoas, não necessariamente mulheres...

E a S.W... Por favor, essa menina é ridícula. E o blog é seu Lola, se você quer compartilhar os absurdos que essa menina fala (e sinceramente, só acéfalos concordariam com ela) - não ligue pra quem diz que você está dando "ibope" à ela... Têm como dar algo para aquela criatura ? Só se for pra rir da cara dela mesmo... A menos que você seja um acéfalo.

Anônimo disse...

Ah, claramente o povinho aqui confundiu a religião com o Estado Islâmico - um grupo extremista que faz as coisas bárbaras em nome do Islã. Assim como a Inquisição, as Cruzadas faziam pela Igreja Católica né ?

As pessoinhas querem fizer então que o Estado Islâmico representa os muçulmanos do mundo ? Representa, por exemplo, os palestinos que rezam pacificamente em uma mesquita em Jerusalém ? Representam os trabalhadores turcos que lavam seus pés antes de entrar na mesquita azul em Istambul ?
Putz... Então os crentelhos (evangélicos e católicos) são os responsáveis por inúmeros crimes cometidos no passado e nos dias atuais !

Apesar da propaganda desse grupo extremista que se autodenomina Estado Islâmico, eles não representam os muçulmanos do mundo. Existem bilhões de muçulmanos no mundo - e nem todos eles pensam igual ao E.I. Assim como não são todos os homens que concordam com o machismo, não é ?

Para deixar claro, não estou defendendo o Islã ou algo do tipo, e sim, criticando o E.I.

Leiam mais. Bjs no core

Anônimo disse...

Li em algum lugar que eles não se denominam Estado Islâmico. Esse é o nome que a imprensa deu a ele no ocidente. Não sei se é verdade.

Anônimo disse...

Não vi ninguém propor uma solução para o problema. Alguém se dispõe?

Anônimo disse...

Obviamente não é verdade isso. Eles têm até um site, pelo amor !

Anônimo disse...

E por acaso o senhor têm ? Sem que seja pedir a volta do "macho opressor" é claro.

Viu, não consegue.

Pois os grupos radicais do Islã (sim, têm outros, mas o E.I. é o mais "midiático") têm estratégias muito boas.

Falemos do E.I.
Porque é tão difícil combatê-lo ?

Bem, por ele ser não-estatal. O principal desafio das potências Ocidentais para é chegar num acordo em como o grupo precisa ser combatido. O fato de que é necessário lutar contra o Estado Islâmico já é consenso mundial.

É bastante difícil que se alcance uma vitória militar decisiva contra o Estado Islâmico nos próximos anos. O grupo tem se mostrado bastante resiliente, que mostra que mesmo sob ataque não tem problemas em recrutar e mobilizar. Além disso, diversas vitórias táticas contra o grupo não estão se traduzindo em uma derrota estratégica do Estado Islâmico, e essa derrota não será vista nos próximos dois ou três anos.

Todas as questões levantadas acima, entretanto, só são realidade devido a um robusto sistema financeiro construído por meio de contrabando de petróleo, saques, venda de antiguidades, negociação de reféns e outras atividades que mantém o Estado Islâmico de pé.

O fato é que a saída não é simples, e ela envolve múltiplos e conflitantes interesses. E acredite, o "macho alfa" (suposta solução milagrosa dos mascutrolls) seria esculachado pelos terroristas (que curiosamente têm a mesma característica que os terroristas).

E porque raios a solução têm que sair das feministas ? Isso cabe aos órgãos mundiais competentes... Aceite que dói menos.

Anônimo disse...

Perdão, me confundi. Correção do penúltimo parágrafo.

O "macho alfa", suposta solução milagrosa dos mascutrolls e que curiosamente têm as mesmas características que os terroristas, seria esculachado por eles...

Anônimo disse...

Eu acho engraçado ver OS MESMOS caras que choram pitangas na minha timeline porque "not all men" ao ser confrontados com estatísticas de estupro, defenderem que pode sim generalizar muçulmano como terorista porque "me fala um terrorista cristão". Também acho maravilhoso o feminismo de schrodinger, que "não é pauta exclusiva da esquerda" quando convém, e "coisa de esquerdista" quando eles querem.

Anônimo disse...

Congo

Que grande referência!!!

Anônimo disse...

Não somente o Congo, mas todos os países mais "patriarcais" sofrem com excesso de violência e instabilidade. Ou você acha que a Líbia, Afeganistão,Paquistão,Índia, síria, entre outros, são bons lugares para se viver?

Anônimo disse...

Ela falou : Oriente Médio idem. Ou seja... Leia mais.