domingo, 19 de junho de 2016

NOTÍCIAS QUE NÃO PODEM FICAR SEM REGISTRO

Este anúncio de um grupo de mães contra as armas nos EUA é poderoso. Ele diz: "Uma criança está segurando uma coisa que foi banida da América para a sua proteção. Adivinhe qual". Embaixo, outra linha: "Não vendemos ovos de chocolate Kinder para a segurança das crianças. Por que vendemos armas de fogo?"
Talvez você não saiba (eu não sabia), mas o Kinder Ovo Surpresa é proibido nos Estados Unidos, já que é considerado perigoso para as crianças, que podem engolir os brinquedos. Porém, armas não são proibidas nos EUA, e é lógico que elas matam muito mais crianças que ovinhos de chocolate (e não só armas matam crianças, mas são usadas por bebês de 1 a 3 anos para matar). 
Loja na Flórida em que atirador
comprou seu semiautomático
Em quinze minutos é possível comprar um rifle militar -- o mesmo que o atirador usou em Orlando para matar 49 pessoas que se divertiam na boate LGBT Pulse. É só o tempo que leva para mostrar a identidade, esperar a confirmação de que não há antecedentes, e pagar. E é exatamente isso que querem implantar no Brasil. 
Imagina que bacana esses fascistas (ainda mais) armados... Imagina todos os infelizes que passam o dia na internet prometendo atentados misóginos finalmente tendo os meios para colocar esses planos em prática!
Ameaça de hoje do Marcelo em seu chan
Enquanto isso, um estudo que será lançado nas próximas semanas comprova a eficácia do Estatuto do Desarmamento. Em dez anos, entre 2004 e 2014, o controle de armas evitou 133 mil mortes no Brasil. 
A taxa de homicídios por armas de fogo cresceu 8,1% por ano no Brasil entre 1980 e 2003. No entanto, com o Estatuto, ela cresceu "apenas" 2,2% por ano entre 2004 e 2014. Ainda é demais, tem que cair, mas, com mais armas, é óbvio ululante que haveria muito mais mortes. 
Aliás, houve queda de homicídios por armas de fogo -- mas, pra variar, só entre os brancos. Entre 2003 e 2014, o número de brancos mortos caiu 26,1%, mas o de negros aumentou 46,9%. É um dado parecido àquele divulgado no ano passado, que mostrava que, em dez anos, o feminicídio de mulheres brancas havia caído 9,8%, o de mulheres negras subiu 54%. Um indício evidente que as políticas públicas estão mal direcionadas e precisam ser dirigidas a grupos que correm maiores riscos. 
Nesta sexta, dia 17 de junho, um grupo de cerca de 15 (ou 30) fascistas invadiram a UnB.
O ataque foi convocado por uma subcelebridade autointitulada Kelly Bolsonaro, de Brasília. Na invasão, os bolsonazis utilizaram uma arma de choque de uso proibido e atiraram bombas. Sei lá, parece um ato terrorista pra mim. Além disso, gritaram para os estudantes: "Gay safado parasita! Maconheiro! Vai pra Venezuela! É Bolsonaro presidente, porra!"
Bolsonazis já tentaram invadir a UFC duas vezes em maio, e não conseguiram, graças à resistência dos alunos. Mas é uma situação realmente perigosa, um retrocesso total. 
Na terça passada, um aluno de Relações Públicas denunciou um estupro que teria ocorrido na Universidade Federal de Goiás, em Goiânia. 
O relato do aluno
(clique para ampliar)
Ele contou que viu uma moça ser deixada por um carro, que saiu correndo. A moça, dopada e ensanguentada, se refugiou no banheiro. O aluno tentou ajudá-la, gritou por socorro, mas a universidade estava vazia e não havia seguranças por perto. A vítima desapareceu, não sem antes deixar uma calcinha com sangue no banheiro masculino.
O relato fez com que dezenas de estudantes da UFG se manifestassem para pedir mais segurança e o fim da cultura de estupro. Na sexta, houve uma reviravolta: a delegada responsável pelo caso declarou que o aluno inventou o estupro
Foram encontradas imagens do rapaz virando a câmera direcionada para o banheiro masculino uma semana antes do relato. Além do mais, segundo a delegada, outra câmeras mostram que havia seguranças e estudantes no local. 
O aluno alega que há outra testemunha e que nem se lembrava de ter virado a câmera do banheiro no dia 7. 
Ahn, sério? Quantas vezes na vida a gente mexe num câmera instalada? Se comprovada a mentira, o rapaz será expulso da UFG. Merecidamente, a meu ver. Já existem tantos estupros no mundo (50 mil por ano só no Brasil, e este é o número dos que foram denunciados, o que representa entre 10% e 35% do número real) -- pra que inventar um?!
Não sei por que o aluno fez isso, se foi pra alavancar a chapa do DCE (uma moça me disse isso pelo Twitter), ou se foi pra conseguir ser protagonista. A declaração que ele deu ao jornal indica isso: "Eu me sinto meio que a voz de tudo, eu que tenho que falar sobre tudo que aconteceu porque sou a única pessoa que viu". O cara inventou estupro pra ser "a voz de tudo"?
Reaças estão rindo à toa com o caso. Pra eles, estupros não existem mesmo, a menos quando os acusados são trabalhadores do MST ou qualquer homem ligado à esquerda. Em todos os outros casos, é denúncia falsa, mimimi de feminista. Agora os reaças estão xingado as feministas que fizeram o certo -- se manifestaram para exigir mais segurança no campus e o fim da cultura de estupro. Um estupro falso não invalida 50 mil estupros por ano, reacinhas. 
Desde ontem está rolando no Twitter a tag #ViolênciaEmDobro. 
Ela se refere à demissão de uma jornalista do IG. No dia 3 de junho, um caso tomou conta da mídia: o cantor MC Biel assediou uma repórter que o entrevistou. A jornalista denunciou o assédio, e, vários dias depois, o cantor acabou pedindo desculpas. E, agora, a moça foi despedida! O IG ainda não explicou a demissão.
Este é mais um bom exemplo da cultura de estupro, que sempre culpa a vítima. A jornalista fez bem em denunciar o assédio, e o que ganhou com isso? Uma demissão! 
No meio de todas essas calamidades, uma boa notícia: deus, ou melhor, Chico Buarque de Hollanda, faz 72 anos hoje! Parabéns, músico, poeta, cantor, compositor, muso!

57 comentários:

Kittsu disse...

Vai ter tanso que não vai ver relação entre a demissão da repórter com cultura do estupro. Vou explicar: desencorajamento das demais vítimas com o meigo recadinho que "ser abrir o bico vai ser dar mal". De que não vale a pena denunciar. Que a vítima sempre é quem vai se dar mal depois e o agressor vai se dar bem.

Anônimo disse...

Mascus e reaças tão fazendo a festa com esse caso da UFG. Um falso caso de estupro automaticamente anula todos os verdadeiros que acontecem diariamente, né?

Anônimo disse...

Vc acha que um terrorista do estado islâmico não conseguirá uma arma com a proibição?
Ter arma é um direito do cidadão, se vc acha perigoso, simples, não tenha.
Armas não matam,pessoas matam

Ale disse...

"Porém, armas não são proibidas nos EUA, e é lógico que elas matam muito mais crianças que ovinhos de chocolate (e não só armas matam crianças, mas são usadas por bebês de 1 a 3 anos para matar"

Olha Lola, admiro vc e o blog, leio sempre que posso e aprendo muitas coisas, mas as vezes você exagera e usa uma postura um tanto alarmista que chega a ser desonesta. Bebes usam armas para matar?Sério? Soa como se houvesse um exercito de bebes assassinos e não que, por descuido dos adultos, essa criança tenha acertado outra pessoa acidentalmente ao manipular uma arma. Por favor, reveja certos argumentos antes de postar um texto.

lola aronovich disse...

Ale, já é a terceira vez que dou o link pra notícia do Washington Post, e talvez não esteja bem redigido mesmo. Não foi isso que eu quis dizer, que existe um exército de bebês querendo matar. É claro que é acidental. Mas o dado é real: só este ano, só até maio, bebês de 1 a 3 anos já mataram 23 pessoas, só nos EUA. Não consigo imaginar como crianças tão pequenas conseguiriam matar alguém se não fosse com armas.

Anônimo disse...

Armas devem ser banidas e ponto final. Elas estão dizimando a população infantil americana, além de serem completamente desnecessárias em um contexto de crescentes atentados protagonizados por terroristas e por doentes mentais.

Uma população desarmada estimula o desenvolvimento da empatia nos agressores, que certamente não utilizarão meios ilegais para adquirir suas armas.

Armas só servem para matar; antes da invenção de tais artefatos, a humanidade vivia em plena harmonia, que foi quebrada graças à ascensão de interesses capitalistas e patriarcais.

Anônimo disse...

"Não consigo imaginar como crianças tão pequenas conseguiriam matar alguém se não fosse com armas."

Eu também não consigo imaginar como deter pessoas agressivas, fisicamente fortes e armadas sem o uso de ferramentas que possibilitem uma resposta à altura.

Anônimo disse...

Olá

Sou uma estudante da UFG e quando soube que tinha acontecido um caso de estupro na faculdade, nem fiquei muito surpresa. A verdade é que a faculdade tem sofrido a muito tempo com a falta de segurança e uma péssima iluminação no período noturno. Muitos alunos e materiais já foram roubados dentro do campus, independentemente do horário. Ano passado,um professor contou um caso de uma mulher que foi roubada em plena duas horas da tarde. Mesmo se esse estupro sendo falso, não tira de modo algum a razão da manifestação de alunos e alunas e de muitos professores e funcionários por maior segurança,porque continua sim tendo um risco enorme de ser roubado e estuprada no campus. A situação é ainda pior para os alunos do noturno,que precisam se locomover do centro de aulas até o ponto de ônibus praticamente no escuro e esperar tarde da noite no ponto.

Anônimo disse...

Os "assassinatos" realizados pelos bebês são resultantes do desrespeito a normas básicas de segurança relativas às armas.

Qualquer curso de tiro minimamente decente ensina as regras adequadas de acondicionamento e de manuseio do armamento, que praticamente extinguem a possibilidade de tais eventos.

Apontar esses acidentes (causados por pessoas tecnicamente ignorantes no uso de armas) como um forte argumento pró-desarmamento mostra total desconhecimento acerca do tema.

Anônimo disse...

A violência é parte integrante da humanidade. Cabe a você se preparar e adquirir meios de enfrentá-la.`

É uma imensa ingenuidade pensar que a proibição de objetos tradicionalmente utilizados em ações violentas mudará essa realidade, principalmente quando se constata que tal restrição se destinará majoritariamente às pessoas bem intencionadas.

Anônimo disse...

Ah pronto, agora além de ter medo de bandido, medo de sair a noite, medo de ir comprar pão, medo de ir de onibus pra faculdade e pro trabalho, também vou ter que ficar esperta com aquele vizinho grosso que toda vez explode quando alguém faz festa, com o machista que apela pq olharam pra mulher "dele", ahhh pqp, o povo inventa merda demais, parece que não raciocina.
Deve haver um controle na compra de armas SIM.

Anônimo disse...

Mesmo com as armas proibidas,casos como esse acontecem no Brasil:

http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2016/06/troca-de-tiros-dentro-de-hospital-do-rio-deixa-morto-e-feridos.html

Então, se a polícia não consegue desarmar os bandidos, é certo desarmar as pessoas honestas que não podem/querem confiar no Estado para defendê-las.

E os EUA é um país muito grande, com mais gente que o Brasil, então 23 casos em 5 meses é uma exceção bem grande. Não podemos com alarmar com as exceções mas ver a porcentagem do tanto de bandidos que morreram por civis que se defenderam com armas de fogo, e o tanto que se desencorajou a roubar porque a vítima estava armada. com certeza foi bem mais que 23, provavelmente alguns milhares!

Anônimo disse...

Arma no Brasil não é legalizada como nos EUA, só que isso não te impede de comprar. Barato ainda. Nem precisa ir ao Paraguai, compra pelo Facebook, manda trazer, paga em dinheiro e ninguém fica sabendo. Vamos lembrar aqui que em favela, traficante tem armamento pra derrubar até helicóptero.
Arma é a única coisa que anula a diferença física de uma mulher pequena e indefesa pra um marmanjo de 1,90 enorme e agressor. Eu com certeza teria uma, se pudesse adquirir legalmente.

Anônimo disse...

ei anon pró-armas, você fala que é ignorancia usar o argumento dos bebês que matam com armas porque um bom curso de tiro evitaria esses casos. Mas qual é o país que realiza teste para a pessoa provar sua capacidade técnica e psicológica com armas? O Brasil, não os EUA. O seu argumento serve para defender o modelo brasileiro.

na definição americana, massacre é quando pelo menos 4 pessoas morrem, que não tem envolvimento em gangues. Por essa definição os EUA tiveram centenas de massacres na última década. O Brasil teve 1 (o de Realengo). Centenas vs 1.

sabe da onde vem a maioria das armas do trafico do Rio? Das armas legalizadas. Mais armas legalizadas leva a mais armas no tráfico.

de novo, no brasil o perigo é principalmente nas favelas que tenham envolvimento com o trafico, e em segundo lugar nas ruas. É muito raro acontecer algo em igrejas, escolas, universidade, escritórios, hospitais, universidades, etc... (antes de você apontar para o link que você passou, esse é 1 caso esse ano, os EUA já teve alguns, e nem qualifica como chacina tanto por ter apenas 1 morto como por ser relacionado com gangues)

e antes que alguem fale "ah, mas não tem gangues nos EUA!", vá se informar...

"o bandido iria conseguir armas de qualquer forma!". Quantas armas dá para se conseguir se você tem acesso na própria cidade legalmente, versus se você tem que importar ilegalmente na fronteira? E o calibre dessas armas? Como se um cara qualquer como o que atacou a Pulse fosse mesmo conseguir um rifle de assalto e um revolver em 15 mins 1 semana antes do ataque se fosse para ele obter ilegalmente. Ele levaria mais tempo, e dificilmente obteria o rifle, as chances é que ele cancelaria o plano.

Anônimo disse...

"Deve haver um controle na compra de armas SIM." 15:15

Esse controle também é sugerido pela maioria dos indivíduos pró-armamento. Ninguém, até o momento, defendeu a liberação completa aqui.

Anônimo disse...

Mais uma noticia que não poderia passar batida.
http://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2016/06/09/universitaria-admite-que-inventou-historia-de-estupro-no-rs-diz-delegada.htm

Anônimo disse...

Os dados sobre homicídios dependem muito da região Lola, em SP por exemplo e diferente, a maioria e homem branco e em casos de latrocínio.
http://sao-paulo.estadao.com.br/noticias/geral,em-sao-paulo-maioria-dos-mortos-e-homem-jovem-e-branco,1657964

Anônimo disse...

O Canadá e um dos países com maior numero de armas entre seus cidadão no mundo, e tem uma das mais baixas taxas de homicídio do planeta. o problema e cultural e as tensões sociais causadas pelo chamado multi culturalismo.

Anônimo disse...

Viajou!!

Anônimo disse...

Tem pessoas que transformam o carro em uma arma da matança em massa, obviamente um teste psicotécnico bem aplicado deve excluir estas pessoas de terem carteira de motorista.

Anônimo disse...

Facas matam pessoas, proíbam as facas.

Anônimo disse...

13:30 viajou e 13:43 precisa aprender a interpretar o q lê.

Anônimo disse...

Vai haver pluralidade de ideias sim nas universidades publicas, vai haver liberais, conservadores, nacionalistas sim, universidade publica não e feudo da esquerda.

Anônimo disse...

Isso mesmo, pessoas comuns muito bem armadas estarão em condições plenas de combater esses agressores armados, nem precisaremos de polícia!

Anônimo disse...

"sabe da onde vem a maioria das armas do trafico do Rio? Das armas legalizadas. Mais armas legalizadas leva a mais armas no tráfico." 16:46

1º - O tráfico de drogas carioca notoriamente utiliza armas de calibre restrito, como o 9mm, .40, 45acp, 223 e 308. Esse armamento, logicamente, não veio do cidadão comum, que apenas tem acesso a calibres muito inferiores.

2º - Dizer que as armas legalizadas abastecem o crime organizado implica necessariamente assumir que o Estado é falho na prevenção do roubo de armas. Como você pretende desarmar a sociedade para confiar unicamente em um Estado que, como você assume, é incapaz de garantir a segurança de seus cidadãos?

"Mas qual é o país que realiza teste para a pessoa provar sua capacidade técnica e psicológica com armas? O Brasil, não os EUA. O seu argumento serve para defender o modelo brasileiro." 16:46

- As pessoas que se submetem aos testes psicológicos não são as responsáveis pelos índices absurdos de criminalidade no país. Os homicídios são praticados majoritariamente por criminosos contumazes e por indivíduos em posse de armamento ilegal. Portanto, o modelo brasileiro não é o responsável pelos níveis de delinquência no país, apesar de ele dificultar a defesa pessoal do cidadão bem intencionado.

titia disse...

Ahn brasileiros usando armas de fogo? Quer dizer, o mesmo povo que literalmente mata um torcedor do time adversário de porrada? O mesmo povo que resolve discussão de bêbado puxando uma faca e metendo no peito do outro? O mesmo povo que quebra o braço de quem lhe dá um fora na balada? O mesmo povo que bebe e pega um carro? O mesmo povo que joga pedra na cabeça de criança umbandista? O mesmo povo que se junta em bandos pra surrar e matar gays na rua? Que estupra lésbicas pra "curá-las"? O mesmo povo que se for contestado em alguma ideia grita, faz escândalo, ameaça de estupro e morte?

Desculpa, meu amigo, mas você não precisa ser um gênio pra perceber que arma de fogo nas mãos de brasileiro, um povo infantil e mimado, um bando de bebêzões prontos a fazer birra e resolver tudo na violência, é uma tragédia anunciada.

Anônimo disse...

"Desculpa, meu amigo, mas você não precisa ser um gênio pra perceber que arma de fogo nas mãos de brasileiro, um povo infantil e mimado, um bando de bebêzões prontos a fazer birra e resolver tudo na violência, é uma tragédia anunciada."

Esse também é um forte argumento para se desejar a flexibilização das leis desarmamentistas. Como essas características do povo não vão se alterar tão cedo, armar-se constitui um mecanismo de proteção contra as violências mencionadas.

Larissa disse...

para os defensores do porte de armas para que o cidadão de bem possa se proteger: quantos casos reais vcs conhecem de pessoas que efetivamente conseguiram evitar alguma violência porque tinham arma? só por curiosidade mesmo

Anônimo disse...

"para os defensores do porte de armas para que o cidadão de bem possa se proteger: quantos casos reais vcs conhecem de pessoas que efetivamente conseguiram evitar alguma violência porque tinham arma? só por curiosidade mesmo" 18:26

Pessoalmente sei de apenas um caso, mas isso se deve ao fato de eu conhecer no máximo 5 pessoas que possuem porte de arma (que é raríssimo para civis). No mais:

http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2016/05/1772807-policial-com-filho-no-colo-reage-e-atira-em-assaltante-na-zona-norte-de-sp.shtml

http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2016/04/1760097-filho-de-jair-bolsonaro-atira-contra-assaltantes-na-barra-da-tijuca.shtml

http://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2014/04/28/delegada-reage-a-assalto-em-mg-e-diz-comigo-e-tiro-porrada-e-bomba.htm

http://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2016/04/05/interna_gerais,750132/pm-a-paisana-reage-e-mata-assaltante-no-mirante-do-bairro-mangabeiras.shtml

http://g1.globo.com/rs/rio-grande-do-sul/noticia/2016/05/oficial-da-reserva-da-bm-mata-assaltante-em-porto-alegre.html

Rael Sill disse...

Boa noite, Lola!

Acompanho seu blog a bastante tempo e tenho uma grande admiração pelo seu material. Nunca tive muita coragem pra comentar seus posts mas dessa vez precisei deixar a timidez de lado e vir lhe parabenizar por suas opiniões e iniciativas. Continue! <3





MEU BLOG: http://obaucultural.blogspot.com.br/

Anônimo disse...

http://g1.globo.com/rs/rio-grande-do-sul/noticia/2014/09/idosa-que-reagiu-e-matou-assaltante-no-rs-diz-que-atirou-no-susto.html

Anônimo disse...

Beleza, Lola. Então quer dizer que o caluniador da UFG era conservador... KKKK, faça me rir, todo mundo sabe que ele é de esquerda. Usava até avatar com cores do arco iris em seu instagram. Acho bacana vc ser feminista, mas acho que você manipula muito a informação, chega a dizer inverdades, para não dizer que mentiras absurdas.

Anônimo disse...

"Ale, já é a terceira vez que dou o link pra notícia do Washington Post, e talvez não esteja bem redigido mesmo. Não foi isso que eu quis dizer, que existe um exército de bebês querendo matar. É claro que é acidental. Mas o dado é real: só este ano, só até maio, bebês de 1 a 3 anos já mataram 23 pessoas, só nos EUA."

A culpa é dos pais imbecis que não tomam medidas efetivas para evitar que as crianças tenham acesso a esses objetos. Água sanitária, muitas plantas decorativas (como copo-de-leite e comigo-ninguém-pode), brinquedos pequenos, e um monte de outras coisas podem levar a mortes se crianças tiverem acesso à elas, mas não faz sentido proibi-las.

Anônimo disse...

http://www.bonde.com.br/?id_bonde=1-3--601-20160618

http://g1.globo.com/ac/acre/noticia/2016/06/empresario-reage-assalto-e-mata-tiros-suspeito-em-rio-branco.html

Anônimo disse...

Esse Anonimo que postou os links, só digo uma coisa : 'todos eles eram policiais, é CLARO QUE SABEM pra onde estão atirando, um civil burro, ruim de mira, vai atirar em trocentas pessoas antes de pegar no bandido, então lamento, adiantou nada esse discurso seu

Anônimo disse...

Bem, se um cara de 1,90 vier pra cima de mim, eu vou querer ter uma arma. Mas... Se eu tiver uma arma, o vizinho que me detesta também pode ter, e o cara que estava tendo um dia ruim com sangue no olho também, a doida que acha que eu to querendo o macho dela também... É uma questão de pesar os dois lados. Pra mim, vai virar faroeste mesmo; vai viver quem for mais rápido no gatilho. E quem é cidadão de bem, pelamor? Não cometer crimes não significa que a pessoa presta.

Dan

lola aronovich disse...

Anon das 20:08 me acusando de dizer mentiras absurdas: comece dizendo onde que eu escrevi que o carinha que inventou o estupro na UFG era conservador. Eu não disse que ele era de esquerda ou direita. Nunca tinha ouvido falar do cara, não sei nada a respeito dele. Isso não tá no meu texto. Portanto, quem tá mentindo é vc. NEXT!


Anon das 20:16, esse seu argumento é tão batido!... Sim, água sanitária pode matar, mas água sanitária tem várias utilidades. Não foi feita para matar. Já as armas de fogo... A única utilidade é essa. Isso é tão óbvio que é absurdo que seja o único argumento de vcs. Outra: na notícia não está escrito que as criancinhas de 1 a 3 anos mataram outras crianças. Mataram PESSOAS. Podem ter matado adultos também. Como mais uma criança de 3 anos vai conseguir matar uma pessoa, se não for com arma de fogo? Bom, talvez se um adulto estiver numa banheira e a criança sem querer derrubar um secador de cabelos ligado na banheira, aí a pessoa morre eletrocutada. "Então vamos proibir a banheira e o secador!", gritam os reaças. Não, pessoas desprovidas de inteligência, banheiras e secadores de cabelo têm outras funções além de matar alguém. Que, aliás, nem está entre suas funções.

Rafael Cherem disse...

Nos da esquerda deveríamos concordar com a venda luvre de armas,já pensaram no mst;mtst e tantos outros podendo ter armas?

Larissa disse...

lola, off topic, mas vc viu o caso da parlamentar britânica morta por um radical de direita?? to muito chocada por ter visto só agora
http://g1.globo.com/mundo/noticia/2016/06/suspeito-de-matar-jo-cox-grita-morte-aos-traidores-ao-chegar-tribunal.html

Anônimo disse...

Afff!
Armas não matam pessoas. Pessoas matam pessoas. Se tivesse mais gente armada naquele antro de boate de viado além do terrorista tinham sido mortas menos pessoas. FATO.
Vcs esquerdistas gostam de incutir ideias erradas nas cabeças de gente fraca como a população brasileira - analfabeta e imbecilizada de propósito pelo governo.
E outra: porque o MST durante o governo esquerdista era uma milícia ARMADA e ninguém fazia nada para desarmá-los? Será porque o discurso é "é proibido para vcs, mas não para nós"?
E os vagabundos da UNB tiveram um gostinho (pena que muito pouco) do que é estar do outro lado de uma ocupação/passeata/baderna. Só que de direita agora. Mesmo discurso das armas do MST: "Mimimi vcs reaças não podem fazer isso. Só nós, da esquerda mortadela".
Ahhhh! Poupe-nos da hipocrisia de vcs.



Anônimo disse...

a) Lola sou sua fã adorei o texto.

b) A direita Lola quer partidarizar casos de estupro eles ficaram contra a vítima de estupro coletivo no Rio mas encheram o saco das páginas feministas no face cobrando atitudes no caso do estupro do MST que depois foi desmentido.

c) O que a direita quer é criminalizar movimentos sociais pois eles identificam se mais com a esquerda.

d) Faculdade tb é um local de debates mais invadir um local para impor uma ideologia não é bom

Anônimo disse...

Lola, esse Ale tá te trolando... primeiro diz que admira o blog, pra logo te acusar de desonesta.
Tipo aqueles trols que dizem " já fui feminsita mas vi que..."

Anônimo disse...

Engraçado que nesse link aqui a maioria dos comentários diz que é mentira, ela está inventando a historia pra pagar de valente, que ela é muito arrogantes. Homens estão dizendo isso, claro.

http://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2014/04/28/delegada-reage-a-assalto-em-mg-e-diz-comigo-e-tiro-porrada-e-bomba.htm

É incrível que mesmo quando a mulher se defende dizem que a história é mentira. Até nisso tem machismo.

Mila disse...

A gente perde muito, em reflexão e postura autocrítica como sociedade, quando o debate de segurança pública vira uma defesa ao porte de arma. Algumas pontos podem até fazer sentido, mas levando em conta a forma como ocorre a violência no Brasil, há que se considerar várias situações. Primeiro porque vivemos na terra do jeitinho, "do você sabe com quem está falando", do "meu filho é advogado", "minha filha trabalha com o governador". Vivemos numa terra onde as pessoas que têm um pouquinho vivem a pisotear nas que não têm nada e que os filhos da classe média alcoolizados atropelam trabalhadores na rua e fica por isso mesmo. Se até os policiais se valem do porte de arma para atender às suas finalidades pessoais, que dirá do "cidadão comum"? Imaginem toda briga de trânsito sendo resolvida na bala, imaginem um esbarrão numa balada virar motivo de tiro, imaginem as vítimas de violência doméstica tendo mais uma coisa a se preocupar? Se tem uma coisa que cada dia me dá mais certeza é que o cidadão de bem do Brasil é capaz de cometer as piores atrocidades se o fim justificar o meio.

Anônimo disse...

Só sei q, com a frouxidão legal dos EUA em relação as armas, é 5 massacres por mês lá

Aqui com todo controle, é menos de 1 por década

Vai vendo, arma não é solução PRA NADA

Anônimo disse...

10:20, não apenas esse Ale mas o anon das 20:08 que mentiu afirmando que a Lola disse que o cara que fez a denúncia falsa era conservador. Vão se foder, cambada de mentiroso.
Esse povo de direita é muito mau caráter. Vivem inventando coisa e espalhando mentira por aí. E não são só essas coisas pequenas como "vc afirmou que ele era conservador" eles inventam história muito mais cabeluda.

Anônimo disse...

Acho que é por isso que eles sempre desconfiam de qualquer denúncia de estupro, assédio, abuso. Como eles vivem inventando história pra tentar queimar os outros acabam pensando que todo mundo faz o mesmo.

Anônimo disse...

Esse cara só vai pegar 6 meses de cadeia? http://brasil.elpais.com/brasil/2016/06/07/internacional/1465318550_812678.html?id_externo_promo=ep-ob&prm=ep-ob&ncid=ep-ob

Anônimo disse...

seguir, 20 fatos pouco conhecidos que comprovam que, ao redor do mundo, mais armas deixam uma população mais segura.

#1 Um estudo publicado pela Universidade de Harvard — Harvard Journal of Law & Public Policy — relata que países que têm mais armas tendem a ter menos crimes

#2 Ao longo dos últimos 20 anos, as vendas de armas dispararam nos EUA, mas os homicídios relacionados a armas de fogo caíram 39 por cento durante esse mesmo período. Mais ainda: "outros crimes relacionados a armas de fogo" despencaram 69%.

#3 Ainda segundo o estudo da Harvard, os nove países europeus que apresentam a menor taxa de posse de armas apresentam taxas de homicídios que, em conjunto, são três vezes maiores do que as dos outro nove países europeus que apresentam a maior taxa de posse de armas.

#4 Quase todas as chacinas cometidas por indivíduos desajustados nos Estados Unidos desde 1950 ocorreram em estados que possuem rígidas leis de controle de armas.

Com uma única exceção, todos os assassinatos em massa cometidos nos EUA desde 1950 ocorreram em locais em que os cidadãos são proibidos de portarem armas. Já a Europa, não obstante sua rígida política de controle de armas, apresentou três dos seis piores episódios de chacinas em escolas.

#5 Os EUA são o país número 1 do mundo em termos de posse de armas per capita, mas estão apenas na 28ª posição mundial em termos de homicídios cometidos por armas de fogo para cada 100.000 pessoas.

#6 A taxa de crimes violentos nos EUA era de 757,7 por 100.000 pessoas em 1992. Já em 2011, ela despencou para 386,3 por 100.000 pessoas. Durante esse mesmo período, a taxa de homicídios caiu de 9,3 por 100.000 para 4,7 por 100.000. E, também durante esse período, como já dito acima, as vendas de armas dispararam.

#7 A cada ano, aproximadamente 200.000 mulheres nos EUA utilizam armas de fogo para se proteger de crimes sexuais.

#8 Em termos gerais, as armas de fogo são utilizadas com uma frequência 80 vezes maior para impedir crimes do que para tirar vidas.

#9 O número de fatalidades involuntárias causadas por armas de fogo caiu 58% entre 1991 e 2011.

#10 Apesar da extremamente rígida lei desarmamentista em vigor no Reino Unido, sua taxa de crimes violentos é aproximadamente 4 vezes superior à dos EUA. Em 2009, houve 2.034 crimes violentos para cada 100.000 habitantes do Reino Unido. Naquele mesmo ano, houve apenas 466 crimes violentos para cada 100.000 habitantes nos EUA.

Continua...

Anônimo disse...

Continuação:

#11 O Reino Unido apresenta aproximadamente 125% mais vítimas de estupro por 100.000 pessoas a cada ano do que os EUA.

#12 Anualmente, o Reino Unido tem 133% mais vítimas de assaltos e de outras agressões físicas por 100.000 habitantes do que os EUA.

#13 O Reino Unido apresenta a quarta maior taxa de arrombamentos e invasões de residências de toda a União Europeia.

#14 O Reino Unido apresenta a segunda maior taxa de criminalidade de toda a União Europeia.

#15 Na Austrália, os homicídios cometidos por armas de fogo aumentaram 19% e os assaltos a mão armada aumentaram 69% após o governo instituir o desarmamento da população.

#16 A cidade de Chicago havia aprovado uma das mais rígidas leis de controle de armas dos EUA. O que houve com a criminalidade? A taxa de homicídios foi 17% maior em 2012 em relação a 2011, e Chicago passou a ser considerada a "mais mortífera dentre as cidades globais". Inacreditavelmente, no ano de 2012, a quantidade de homicídios em Chicago foi aproximadamente igual à quantidade de homicídios ocorrida em todo o Japão.

#17 Após essa catástrofe, a cidade de Chicago recuou e, no início de 2014, voltou a permitir que seus cidadãos andassem armados. Eis as consequências: o número de roubos caiu 20%; o número de arrombamentos caiu também 20%; o de furto de veículos caiu 26%; e, já no primeiro semestre, a taxa de homicídios da cidade recuou para o menor nível dos últimos 56 anos.

#18 Após a cidade de Kennesaw, no estado americano da Geórgia, ter aprovado uma lei que obrigava cada casa a ter uma arma, a taxa de criminalidade caiu mais de 50% ao longo dos 23 anos seguintes. A taxa de arrombamentos e invasões de domicílios despencou incríveis 89%.

#19 Os governos ao redor do mundo chacinaram mais de 170 milhões de seus próprios cidadãos durante o século XX (Stalin, Hitler, Mao Tsé-Tung, Pol Pot etc.). A esmagadora maioria desses cidadãos havia sido desarmada por esses mesmos governos antes de serem assassinados.

#20 No Brasil, 10 anos após a aprovação do estatuto do desarmamento — considerado um dos mais rígidos do mundo —, o comércio legal de armas de fogo caiu 90%. Mas as mortes por armas de fogo aumentaram 346% ao longo dos últimos 30 anos. Com quase 60 mil homicídios por ano, o Brasil já é, em números absolutos, o país em que mais se mata.

Quantas dessas notícias você já viu na mídia convencional, que dá voz apenas a desarmamentistas?

Armas são objetos inanimados, tão inanimados quanto facas, tesouras e pedras. Costumes, tradições, valores morais e regras de etiqueta — e não leis e regulações estatais — são o que fazem uma sociedade ser civilizada. Restrições sobre a posse de objetos inanimados não irão gerar civilização.

Fonte e links das referências: http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=1974

Anônimo disse...

(Viviane)
Mila, em outro post, na semana passada, você (se não me engano) mostrou um argumento interessante contra a ampliação do porte de armas: que essa liberação só beneficiaria aos homens brancos de classe média, pois negros seriam mais ainda perseguidos pela polícia caso andassem armados e mulheres não poderiam se valer delas para se defender, pois os juízes homens e brancos costumam (nos EUA) condenar essas mulheres por isto. Como foi a primeira vez que li esse argumento e o achei muito bom, quis trazê-lo de volta. Você poderia desenvolver essa ideia?

Anônimo disse...

16:20 NEMLY e NEMLEREY, só pela fonte já pra saber q é só mais um alienado pelo instituto MIMIMIses, kkkkk tinha q ser:

"Só sei q, com a frouxidão legal dos EUA em relação as armas, é 5 massacres por mês lá

Aqui com todo controle, é menos de 1 por década

Vai vendo, arma não é solução PRA NADA"

CORROBORO

Anônimo disse...

#1 Que diga Honduras.

#2 Em vários estados a venda das armas foi restrita ou proibida e a redução dos assassinatos foi nesses estados.

#3 Isso porque as armas nesses países são exclusivamente para a caça. Na suécia, atirar em um ser humano é crime, independente do motivo. E a venda de armas nesses locais é muito controlada.

#4 E essas pessoas compraram as armas em estados liberais na venda de armas. Além disso, isso não impediu que ocorressem massacres em estados como o Texas, onde a venda e posse de armas é liberado. Aliás, só no Texas tiveram 21 desses massacres só em 2015.

#5 O número 1 dessa lista tem venda e porte de armas liberado. E é Honduras.

#6 E como já dito acima, a regulação aumentou no mesmo período. Além disso, o número de assassinatos involuntarios caiu bastante no mesmo período. As voluntárias continuaram praticamente estáveis nos estados onde não houve a proibição.

#7 A cada ano, 84 mil mulheres notificam as autoridades por estupro. Estima-se que o número de casos de estupro ultrapasse 800 mil por ano nos Estados Unidos. Ou seja, armas não evitam estupros.

#8 Na verdade, essa pesquisa desconsidera que as pessoas que supostamente tentam impedir um crime estão enfrentando pessoas que estão usando armas para cometer crimes.

#9 Veja #6.

#10 Crimes violentos é uma categoria muito grande de delitos. Dirigir alcoolizado, por exemplo, é considerado como tal.

A, propósito, a Grã Betanha reduziu pela metade o número de homicídios, que é o menor desde 1978. Em relação à taxa geral de crimes violentos na Grã-Bretanha, o estudo revelou uma queda de 1.255 por 100 mil habitantes (em 2003) para 933 por 100 mil (em 2012).

Sabe como? Adotando técnicas mais avançadas de investigação e prevenção de crimes pela polícia, reduzindo o consumo de álcool e aumentando os salários reais da população. E armas continuam proibidas lá.

#11 Provavelmente porque há mais denúncias. Assim como acontece na Suécia.

Hugo de Angelis disse...

#12 Veja #10

#13 Veja #10

#14 Mas continua sendo um dos países com menor taxa de crimes violentos. E preciso lembrar que Honduras tem armas liberadas e é o que tem a maior taxa de assassinatos?

#15 Veja #14

#16 As leis de desarmamento não eram tão restritas quanto os armamentistas alegam. Além disso, a maioria das armas usadas em Chicago foram compradas... De lugares onde a venda é permitida. Será que isso não é uma evidência de que pessoas que compram armas planejam cometer algum tipo de crime violento?

#17 Veja #16

#18 Kennessaw também é o palco de alguns massacres. Como o caso do cara que matou 6 funcionários da FedEx, o cara que abriu fogo em uma escola, o penske shootings, etc, etc, etc.

#19 Reaças adoram citar Pol Pot, sendo que a maioria dos corpos que contam foi fruto do agente laranja, lançado sob ordem de John Kennedy. Quanto aos outros, se eles explicarem como um cidadão individual sem qualquer treinamento portando um trezoitão pode se defender de uma tropa fortemente treinada e armada, aceito o argumento.

#20 Isso aconteceu porque o Estado falhou na contenção do tráfico de armas. E legalizar as armas apenas terá o efeito de transformar os traficantes em empresários, fazendo pessoas que financiam a violência no Brasil ganhar ainda mais prestígio e poder.

#21 O Brasil não é os Estados Unidos. Não é a mesma cultura, a população não tem as mesmas ideias. É ingenuidade - para dizer o mínimo - esperar que o povo brasileiro use armas só para se defender. Em média 1/3 dos assassinatos no Brasil são por motivos fúteis e 70% deles são por impulso. Não é difícil imaginar que a liberação das armas apenas fará com que o número de assassinatos dispare.

#22 Costumes, tradições, valores morais e regras de etiqueta no Brasil permitem que uma pessoa mate por motivos fúteis. O que impede que mais pessoas matem são justamente as regulações estatais e a ação Estatal para impedir e punir quem faz isso.

#23 Para que a sociedade seja mais civilizada, é preciso estudar TODA a educação que uma pessoa recebe. Isso inclui os valores passados pelos pais e o que é ensinado na escola. E isso tem nada a ver com o acesso dessas mesmas pessoas a ferramentas que foram desenvolvidas para matar pessoas.

Anônimo disse...

Hugo Angelis,

Você refutou fatos sem referências.
Onde estão os estudos e dados estatísticos?


Sobre algumas refutações:
#1. Os estudo mostram que países que têm mais armas tendem a ter menos crimes. dos 10 países com maior facilidade de compra de arma, somente Honduras foge da regra (). Logo, Honduras é uma exceção. (http://www.gunsandammo.com/network-topics/culture-politics-network/best-countries-gun-owners/)

#2. Oakland, California é a terceira cidade mais violenta dos EUA. Baltimore (Maryland) é a sétima e Stockton (California) é a nona. Carlifornia e Maryland são os estados com maior controle de armas (http://www.forbes.com/sites/danielfisher/2015/10/29/americas-most-dangerous-cities-detroit-cant-shake-no-1-spot/#701e525212c8 e http://gunlawscorecard.org/)

#4 Só dizer os números de massacres não quer dizer nada. Quantas pessoas morreram no massacre. Tiveram que esperar a polícia chegar para matar o assassino ou algum cidadão matou-o e impediu um massacre maior?

#5. A Honduras vive um uma guerra civil, é exceção.

#18 A lei era para armas em casa, os massacres foram fora dos domicílios...




Mila disse...

Viviane,

Não fui eu (estava de férias e não acessei o blog), mas não é um argumento que eu discorde não. Ontem estava pensando sobre os argumentos do pessoal pró-armamento e tem vários furos nisso aí.
- Numa briga de trânsito, por exemplo, teve alguém em posts passados que argumentou que os crimes diminuiriam pois o bandido se sentiria menos tentado a assaltar/estuprar/caçar briga com alguém com arma. Superficialmente, isso faz sentido. Porém, é bom nos atentarmos ao fato de que armas são caras em qualquer lugar do mundo, não seria diferente no Brasil. Um pai de família trabalhador mal e mal tá conseguindo comprar feijão, vai poder comprar arma para se defender? Então, só por isso, dá para imaginar que pobre vai continuar sendo vítima.
- Depois tem essa questão que você citou. Quem é grupo marginalizado neste país sabe que a lei funciona mais para um que para outros. Ok. Temos armas e podemos nos defender, ainda responderemos por eventuais assassinatos e lesões corporais. Imagina como será mais tranquilo para um rapaz branco e de classe média provar que o rapaz negro que veio lhe pedir esmolas estava tentando roubar seu carro? Imagina para a moça que mata o homem que tentou estuprá-la que o fez por legítima defesa? Vivemos num país que até vídeo comprovando estupro não isenta a vítima. Tenha certeza do mimimi que os machistas farão com a vadia que acabou com a vida do pobre ômi.
- 70% dos casos de estupro ocorrem em casa. Destes, o número de crianças vítimas é gigantesca. Tenho minhas dúvidas se uma criança de 6 ou 7 anos conseguiria se defender do pai estuprador com uma arma.
- Por fim, olhemos a forma como as coisas estão. As pessoas que possuem porte de arma para fins institucionais carregam suas armas aí para brigar por mulher em balada. Apontam arma um para o outro numa batida de trânsito. E isso são pessoas que teoricamente passaram por uma avaliação e são treinadas para usar armas. As pessoas que defendem a liberalização das armas se esquecem que aqui é Brasil né?

Toda vez que ocorre um caso de violência, vide que a tragédia na boate foi citada aqui, a gente perde uma oportunidade de pensar no cerne do problema quando se propõe o porte de arma como solução para tudo. Esquecemos de discutir as noções de civilidade, responsabilidade e respeito ao próximo; esquecemos de discutir onde a segurança pública está falhando. Coloca-se a responsabilidade toda no indivíduo vítima como uma maneira de lavar as mãos. Isso é superproblemático a meu ver.

Anônimo disse...

Em um Estado que garanta a segurança dos cidadãos eu até entendo que proíbam armas. Mas, no Brasil e em alguns estados americanos isso é meio contraditório. Proíbem o estado não proteje e aente é que se fode.