segunda-feira, 27 de junho de 2016

GUEST POST: SOU VAIDOSA E SOU FEMINISTA

Luana, que assina como FeministVaidosa no Twitter, deixou sua indignação:

Eu vim desabafar sobre essa história de que toda feminista é peluda e suja.
Quero saber onde veio a história que toda feminista é peluda. Ou que ser peludo é ser sujo. Porque grande parte dos homens é peluda, e nem por isso é suja (ou é?).
Eu estudei e estudo sobre feminismo sei que o feminismo não é um amontoado de regras mas sim uma luta por direito das e para as mulheres serem tratadas como gente. Sei que há vários feminismos. Sei que existem feministas de todos os tipos -- que são mães, que não são mães, que não querem ser mães, que se pintam, que não se pintam, que usam salto, que andam de sapatilha. Sei que existe tanta diversidade no feminismo como existe entre as mulheres. 
Eu sou extremamente vaidosa e cuido da minha beleza.
Quero dizer que eu depilo o meu corpo porque não me sinto muito bem com os pelos. Mas aí vem algum mascu machão que exibe seus pelos do corpo mas sente nojo da parte íntima feminina estilo Claudia Ohanna. Parece que eles não sabem, ou não ligam, que pelos pubianos protegem a genitália das mulheres. Não sei se esses homens são frescos ou se têm  nojo das mulheres. Ou os dois.
Eu me depilo com a minha Gilette e creme depilatório. Mas quem manda no nosso corpo SOMOS NÓS e não os homens, que na verdade querem mandar na nossa vida. Eu tenho um recado pra esses mascus peludos que reclamam de mulher que não se depila: se vocês não gostam de pelos comecem a se depilar com cera quente. Aliás, muito quente mesmo, porque macho de verdade não deve ter medo de cera quente.
Por que esse pessoal está jugando o nosso corpo? E por que eles acham que podem mandar no nosso corpo? Eles não têm esse direito.
Às vezes eu vejo comentários de crianças, isso mesmo, meninos menores de idade que não têm nenhum pentelho, mas já reclamam das mulheres que não se depilam.
Eu me depilo. Eu uso maquiagem no meu rosto. Eu mudo o meu cabelo, deixo o meu cabelo natural, cacheado, faço escova. Faço exercícios físicos.
E sou feminista.
Porque quem manda no meu corpo sou EU MESMA e não vocês. 
Eu preciso muito do feminismo para ser tratada como gente e não como objeto. Pelo jeito, vocês também precisam do feminismo para começarem a tratar as mulheres com respeito. 

Cartum de 1905
Meus comentários: Luana, não ligue pro que reaças falam. Eles odeiam feministas e não têm qualquer compromisso com a verdade. Vale tudo pra atacar as inimigas. Infelizmente, eles são são muito criativos. 150 anos atrás os tararavôs desses reaças já chamavam as sufragistas (que cometeram o crime imperdoável de exigir o voto para mulheres) de ogras peludas bigodudas mal-amadas masculinizadas com inveja do pênis que odeiam homens mas que querem ser homens. Coerência não é o forte deles. Falta de originalidade, é. 
A boa notícia é que cada vez menos mulheres caem nessas ladainhas que eles contam. Eles sabem disso, o que só aumenta sua revolta. "Os cães ladram e a caravana passa", já diz o ditado. Nós somos a caravana.

86 comentários:

Mila disse...

Esse assunto de vaidade é bem polêmico. Eu particularmente não consigo ignorar quando se fala na beleza utilizada para silenciar mulheres, incentivar o consumo de coisas que elas não precisam e que não fazem efeito nenhum e mantê-las sobre controle. Depois de ler o Mito da Beleza fica impossível a gente não ter um pezinho atrás com vaidade. Até que ponto é nossa "vontade" e até que ponto é uma tentativa nossa de se enquadrar socialmente.
Como exemplo positivo, gosto de citar esse movimento de cacheadas e crespas. Dá um orgulhinho de ver o quanto o feminismo está chegando para essas mulheres, o quanto tem de empoderamento e o quanto se discute machismo e sexismo sem cair no estereótipo da feminista chata,tem muita mulher conservadora tendo contato com empoderamento feminino. E o mais legal de tudo é ver como está genuíno, nota-se que a vontade é muito nossa, não de agradar homem.

Ângela disse...

Isso de que "faço porque quero" não me convence, acho difícil saber se fazemos algo na beleza, por vontade própria.
Sobre a depilação, só falta cuspir em mulher que n se depila, somos porcas, nojentas, sujas... sério que alguém realmente se depila porque quer? Eu n.
Se n houvesse manipulação nenhuma isso tb seria exigido dos homens, já vi mulher dizendo q n se depilar é falta de educação com os pobres omis kkkkk
A autora sabe q pelo protege a vagina, assim como muitas sabem mas arrancam tudo dizendo q é higiene, a saude q se dane, o importante é n parecer nojenta.
Muito complicado.

Anônimo disse...

Qual o problema da mulher se enfeitar para seu parceiro? Se é recíproco é o prazer dela que está envolvido também, prazer aqui não só o sexual.

Anônimo disse...

Se você sente bem assim OK, mas não se deve negar a critica que toda esta industria da beleza feminina exerce sob pressão nas mulheres causando divisões e opressões de gênero sistemático.
Segundo que a mulher deve se sentir bonita pra ela e para outras mulheres para ter sua auto estima elevada nunca se esforce para se sentir bonita para homem, nenhum esforço neste sentido deve ser gasto com eles.

Luana Coelho disse...

Lola muito obrigado por postar a minha ´´revolta´´ sobre a falsa historia que toda feminista é peluda,suja e etc.
eu me inspiro muito pela cantora Beyonce que é umas das maiores feministas da atualidade e ela é vaidosa como eu e as musicas dela me inspiraram a ser feminista e que eu sei e como todas já sabem que o feminismo não é uma regra para deixar uma mulher ´´relaxada´´ peluda e suja e (la vem um mascu reaça bacaca chamar a Beyoncé de peluda e suja só porque é feminista e a Emma Watson do Harry Potter de feia só porque ela defende o feminismo) e vou ser franca para voces eu nao sou uma mulher ´´perfeita´´ e alias o mundo nao é prefeito e cada um tem o seus defeitos por exemplo eu que tenho problemas mentais desde criança e vou a psicologa e tomo remedios para resolver o problema e mas eu sou futura escritora (estou escrevendo um romance lesbico jovem e feminista tambem) sou pintora porque eu adoro pintar e criar os quadros de arte,gosto muito de politica (discutir,criticar e etc e até vejo os horarios eleitorais na tv apensar de sou de esquerda e até tenho um canal de you tube onde posto os horarios eleitorais antigos) e sou futura estudante de ciencias sociais. o que eu acho muito errado mesmo quando o homem reaça fica julgando,xingando e odiando as mulheres sem conhecer elas como elas sao eu fui xingada de vagabunda pelos mascus reaças na net só que eu sou assexuada e nunca tive uma relação com homem e vivemos essa cultura onde um homem acha que toda a mulher é vadia e interesseira sem conhecer a mulher como ela é e eles ficam dizendo todas as feministas sao iguais e ficam protestando nua na rua e faz nojeiras e abortam toda hora e eu que sou feminista nao faço isso porque eu nao quero ficar nua durante a manifestação e tambem eu nao faço nojeiras na rua e eu conheço varias feministas que sao maes educam o seus filhos homens para respeitar as mulheres e eu sou assim mesmo.
e eu ME AMO sabia porque eu uso maquiagem para mi mesma e nao agradar um mascu,eu quero mudar o meu cabelo para me sentir bem e ter a auto estima e nao agradar o mascu
e eu tenho um recado para todas as mulheres feministas ou nao que voces devem se amar primeiro,sejam voces mesmas e podem fazer o que quiser com seu corpo e seu cabelo e feminismo nao é uma cagação de regra para deixar de se depilar é movimento social que as mulheres sejam tratadas como gente e humanas e nao escravas domesticas e sexuais e se nao fosse pelo feminismo voces nao podiam trabalhar,estudar e votar e entendam isso que eu te falei

Anônimo disse...

Felizmente cada vez ouço menos o discurso:

- se a mulher decide não depilar/fazer unha/luzes/usar salto: percebeu que era manipulada pela mídia/homens/capitalismo e se libertou
- se a mulher decide fazer tudo isso: manipulada, não tá agindo realmente por vontade própria.

Alícia

Anônimo disse...

"Qual o problema da mulher se enfeitar para seu parceiro? Se é recíproco é o prazer dela que está envolvido também"

Nós sabemos que não, né? Não vamos tapar o sol com a peneira.

Anônimo disse...

"Qual o problema da mulher se enfeitar para seu parceiro?"

O problema é que esse se enfeitar custa dinheiro e muito tempo.

Eu sou muito pouco vaidosa e mesmo assim gasto dinheiro com cremes pra cabelo, salão de vez em quando, manicure.. muito raramente eu faço essas coisas mas só de ter o cabelo na altura dos ombros já me custa tempo e dinheiro pra cuidar/deixá-los apresentáveis.

Quando eu era adolescente meu sonho era ter cabelão porque na minha cabeça mulher bonita tinha cabelão. Além disso eu alisava o cabelo. De 3 em 3 meses minha mãe estava gastando 150 reais no meu cabelo, além da manhã toda do sábado em que eu passava no salão com a cabeça queimando.

Foram anos e anos pra me libertar disso. Isso porque eu tinha colegas que faziam pior - tipo escova toda semana.

Faz um cinco anos que mantenho o cabelo curto e ainda me dá trabalho assim. Tem coisas que realmente a gente tem que refletir do porque faz se não vamos seguindo o pensamento de ~mulher (bonita/que se cuida)tem que fazer isso ou ser desse jeito porque sim~.

Anônimo disse...

Anônimo disse...
"Qual o problema da mulher se enfeitar para seu parceiro?"

E seria esta pergunta? Analise a sociedade a sua volta e agora se pergunte se uma mulher que esteja lutando pelos seus direitos de emancipação ou reconhecimento social deve fazer alguma coisa mesmo que minima para agradar homem em uma sociedade criada pro eles para nos oprimir?

Anônimo disse...

Para mim mulheres não deveríamos nem falar com homens muito menos fazer algo para agrada-los.

Anônimo disse...

Uai, não há problema nenhum em se enfeitar para seu parceiro, para os outros, para si mesma, ou sei la pra quem, o problema é impor isso para os outros. E sim, se enfeitar custa tempo e dinheiro, mas tudo na vida gasta tempo e dinheiro, e dai?
|Se arruma quem quer, se não quer gastar dinheiro e perder tempo,não se arruma

Anônimo disse...

Pelo que eu entendi pelo comentário da moça, ela considera todo homem um mascu; E isto mesmo?

Anônimo disse...

(Viviane)
E lá vamos nós outra vez...
Acho que quem acompanha este blog e outros sobre feminismo sabe que escolhas precisam ser problematizadas, afinal, quando vivemos em uma cultura (qualquer uma), nossos gostos são moldados por ela. Inclusive a decisão de não se depilar/se maquiar/usar salto. O problema, a meu ver, é querer cassar a carteirinha de feminista das outras por isso. É fácil demais criticar a escolha do outro quando não tivemos a mesma história de vida. E quando propomos a alguém que repense suas escolhas, essa pessoa pode ou não mudar de ideia após a aquisição de informação. Querer que alguém mude de ideia porque lhe trouxemos a "verdade" é tão autoritário quanto dizer que "mulher tem de sofrer para ficar bonita".
Em tempo: já que levantaram a questão da dor da depilação, quero lembrar que dor tem um forte componente psicológico para além do físico. E deixar uma provocação: fazer tatuagem também dói, e eu não vejo nenhuma feminista contra isso porque aí é coisa de gente "empoderada", "contra o sistema" ...

Anônimo disse...

gente.

sobre gastar dinheiro e tempo: acho que cada uma de nós temos autonomia para decidir com o que gastar.
Eu, por exemplo, gasto 350 reais por mês alugando uma mesa exclusiva numa sala de estudos 24h, porque passo umas 40 horas semanais lá de domingo a domingo e sinto que rendo muito melhor ali do que se estivesse em casa, com mil distrações, ou numa biblioteca convencional, onde cada dia sentaria num lugar e teria que levar os meus livros todos os dias.
Ninguém aqui vai questionar a importância disso, tenho certeza, mesmo acrescentando aí cursos on line, video-aulas, livros atualizados, material de mesa em geral. Não são poucas as despesas que tenho relacionadas ao meu aprendizado.

Mas e se eu disser que gasto o equivalente a isso em salão, todo mês? com minha depilação, unhas em fibra, escova todo fds, retoque de luzes, hidratação, sobrancelha? Aí eu estou sendo oprimida, manipulada?

Ah, "mas isso toma seu tempo". Gente, o tempo é o mesmo. 24h pra todo mundo. Eu sinto que realmente não posso estudar mais horas do que estudo, não prejudico minhas 35 horas de trabalho por semana, não deixo de comer direito, fazer atividade física, dormir, pra ir no salão. Meu sono é prioridade máxima,

É uma questão de prioridades.
Eu poderia viver sem isso? poderia, mas não quero. Entendam que uma escolha diferente da de vocês também é uma escolha legítima, e não manipulação.

Alícia

Anônimo disse...

Nossa, primeira vez na vida que concordo 100% com um comentário da viviane
É exatamente isso.



Alícia

Anônimo disse...

SOu feminista e não odeio homem, acho uma baita de uma babaquice e ingenuidade achar que não deveriamos nem falar com homens, igual disseram acima.
Humanos são seres despreziveis, é o pior animal que já existiu, não acho que mulheres são seres superiores --"

Anônimo disse...

Acho que emponderamento mesmo tem que ser radical: sem nenhuma depilação, sem desodorantes, sem baton e etc, sem escovar cabelo, quando muito escovar os dentes e tá bom. Coma tudo que quiser e não liguem pra aparência. Afinal, é tudo uma imposição da sociedade machista.

Sportano disse...

Não faz mal algum refletir um pouco sobre o que leva a mulher a optar por buscar uma série de características para,assim,se sentir bonita.

Qual o impacto que uma revista Atrevida ou Capricho exerce em uma menina? Com matérias do tipo: use o esmalte tal para ser bonita,use a roupa tal para conquistar o gatinho, faça assim e assado...depois no dia a dia, essa mesma criança ou pré adolescente (pq salvo algumas adultas, o público leitor de revistas do tipo são meninas pequenas (apesar que depois só muda a revista mas o foco é o mesmo...Marie Claire,Claudia...),ai elas crescem e no dia a dia são bombardeadas pela midia, pelas pessoas, por todos que ela deve ser magra, que seu cabelo deve ser liso, que ela deve ser depilada, que deve usar roupa tal para ser respeitada, que isso é que aquilo.

A negra que alisa o cabelo faz isso porquê? Quem ensinou ela que cabelo liso é que é bonito?Quem ensinou que as mulheres devem andar sempre e totalmente depiladas?

Lembro que quando teve o concurso da loira do Tchan, que foi vendida a loira como sex symbol, um monte de mulheres oxigenaram o cabelo. Depois veio a morena do Tchan e a febre foi usar cabelo preto.

Basicamente,quando se diz livre para usar e ter aparência de como a mulher se sente bem, e você opta pelo padrão midiático, a pergunta que fica é: quem te ensinou que aquele padrão é a forma pra você se sentir bem?

Claro que no fim, não se tem que ser de uma determinada forma pra "ser a correta".Nem ter que ser a padrão midiático e nem ter que ser a contra o sistema pra se sentir bem.

No fim, o que vai importar é justamente a mulher se vestir, se portar, da forma como ela se sinta melhor.É isso que importa.

Fabianaaaa disse...

Concordo totalmente com você, Viviane.

Fabianaaaa disse...

Numa relação saudavel tanto o homem quanto a mulher se cuidam para seu parceiro. Eu digo numa relação saudável, e não das construídas na base da manipulação e da fragilidade.
Eu sou contra a parte em que temos que seguir a beleza padrão e a favor de ressaltar a beleza natural e a elegância e o estilo.
Eu não acho o desleixo, de vez em quando, um grande problema. Todo mundo tem seus dias. Mas quando a gente perde a vaidade total, acredito que muitas qualidades vão embora junto. Eu por exemplo não empregaria gente desleixada jamais. fight me
O normal deveria ser a mulher (ou qualquer pessoa, na real) cuidar de si mesma porque quer e usar o que ela quiser e que acha que vai bem nela, e ai vai da escolha de cada um, ao contrario de sair por ai experimentando n produtos e roupas só porque a midia diz que todos estão usando. Muitas pessoas confundem essas duas coisas.
Acredito que esse é um papo muito individual e não diz respeito apenas ao feminismo, mas à sociedade no geral.

Anônimo disse...

Essa história de "cassar carteirinha" já está virando silenciamento, não podemos problematizar nada que já somos acusadas de está cassando a carteirinha de fulana.

As muçulmanas também acham que usam o hijab por opção, mas vejam só: só elas que "escolhem" isso! Nunca vi uma pessoa de outra religião que tenha uma vontade louca de sair por aí com um véu cobrindo a cabeça! Dá mesma maneira, eu sou acreditaria que se depilar ou fazer qualquer outra coisa pra "ficar bonita" fosse uma simples opção se não fosse uma imposição cultural.

Márcia disse...

Eu sou feminista e gosto de me depilar, mas não todo corpo.
Prefiro meu parceiro depilado, não cobro isso dele, mas ele sabe , as vezes se depila.

Julia Antônia de Maria disse...

Gostei do post e da resposta da Lola. Eu faço porque gosto e não considero "imposição social" porque eu tenho acesso à leitura, informação, diversos pontos de vista a respeito de recursos de beleza e estética que levam a conversas sobre o consumismo e a escravidão ao mesmo. Eu tenho acesso a todo esse conteúdo e pontos de vista e por ESCOLHA e dentro das minhas possibilidades sem gastos exorbitantes eu uso maquiagem, faço depilação, uso esmaltes. Uso maquiagem como linguagem de expressão. Como mulher negra clara passei muitos anos sem poder comprar uma base porque as cores nunca davam na minha pele. Fora os anos de racismo na infância que me fizeram desejar lábios menores, uma pele mais clara, um cabelo liso. Depois de muito trabalho com minha imagem em quero as cores mais fortes para realçar o que aprendi a aceitar e hoje amar. Cuidar de mim é lúdico! Hidratante antes de dormir é um carinho com meu corpo
Muitas pessoas inclusive mulheres feministas veem a maquiagem, os acessórios como sendo algo unicamente fútil. E as pessoas que as usam TAMBÉM. Muitas pessoas inclusive mulheres feministas olham para outras mulheres como eu num momento de discussão sobre diversos assuntos e se "admiram" quando a moça de echarpe e maquiada abre a bocas para falar algo de relevância. Chegam a se espantar e até assumir que achavam estranho eu estar ali falando sobre feminismo toda enfeitadinha.Deixa as meninas fazerem o que querem! Rsrsrsrsrsrs. Não seria mais proveitoso se a gente fosse mais cúmplices sem perder tempo avaliando os pelos, sombras, delineados e batons umas das outras mas compartilhando conhecimento e nos articulando? :-)

Anônimo disse...

"Agradar a si mesmo é orgulho, aos demais, vaidade." (Paul Valéry)......................... Pobre feminista vaidosa, defende-se, e com muito fervor, da acusação feita pelos macus que "toda feminista é peluda e suja". Pelo visto a opinião dos macus tem muita relevância para essa feminista vaidosa e se contrário fosse, ignoraria a acusação......................................................... .Feminista vaidosa ainda afirma que:"Por que esse pessoal está jugando (sic) o nosso corpo? E por que eles acham que podem mandar no nosso corpo? Eles não têm esse direito." Tem se incomodaria com o julgamento de quem não tem direito de julgar?. .Sergio Carneiro.

S. disse...

Muitas querem tapar o sol com a peneira, por que em algumas coisas admitem a manipulação e em outras não?

O próprio conceito de vaidade é um padrão, se você alisa o cabelo, adora maquiagem, usa roupas consideradas femininas, se depila, você é vaidosa. Se não gosta disso, é desleixada e porca. A pessoa pode se cuidar de várias formas diferentes, pode cagar para a beleza e cuidar do que come, fazer coisas que gosta, estudar, viajar ou se importar com tudo, mas se n seguir esse padrão, se não ligar para beleza, a mulher é desleixada, n se cuida e n se importa consigo mesmo, blá, blá, blá...
Tem o padrão para os homens, que é muito menos escravizante do que é ser vaidoso.

O problema é saber se você faz algo porque gosta mesmo ou pela manipulação. Quando n tinha a pressão para mulher se depilar, a maioria cagava para isso. Agora por pura coincidência as mulheres gostam?
Sobre tatuagem nem dá para comparar, mulheres q n se depilam são porcas, homens q n se depilam são o máximo. Agora qualquer pessoa tatuada pode sofrer preconceito, não é só em cima da mulher.
Ser bonito é ser magro, daí por pura coincidência tem milhares de mulheres que odeiam o propio corpo, fazem dietas doidas, ficam bulímicas ou com compulsão alimentar, tudo por vontade própria?
Voces querem é fingir que a merda não fede tanto.

S. disse...

E questionar essas coisas não é cassar carteririnha de ninguém.

Anônimo disse...

18:55...
Concordo em parte com vc. Mas se vc não aceitar algumas regras sociais e não gostar um pouco de seu corpo e de sua saúde, pelo menos, vc vai acabar sua vida em companhia de TV e gatos. Nenhum homem sequer se aproximará de vc. Vc viverá o resto da vida sem sexo. Vc não terá filhos, nem companhia nenhuma na velhice.
Essa é uma boa escolha?
Prefiro cuidar bem da minha aparência senão vou ficar pra "tita", como dizem... Homem gosta de mulher lisinha e cheirosa.

Anônimo disse...

21:49, eu prefiro terminar minha vida cercada de cachorros (prefiro cachorros) do que com homem. Homem não vale nada, minha filha. Não case achando que você terá "companhia na velhice" porque com 50 anos ele pode de dar um pé na bunda. Isso se você não der o pé na bunda dele antes e ter que acabar criando os seus filhos sozinha sem ajuda. Pense nisso e pare de guiar sua vida por casamento e homem.

Dito isso, é óbvio que o anon das 18h55 é um mascu se passando por feminista. Escovar os dentes não é vaidade, é higiene. Mas pra mascu/homem se depilar é uma obrigação feminina então eles comparam com "escovar os dentes" pra fazer graça. São cínicos.

Anônimo disse...

Acho tão chata essa preocupação gigante em afirmar que nós feministas não somos sujas e nojentas, até porque para a grande maioria dos homens todas as mulheres são sujas e nojentas. Vagina é suja, fedida e nojenta para a maioria dos homens (e muitas mulheres internalizam isso, infelizmente, e tem nojo do próprio corpo).

E esse papo de escolha é tão cansativo também. Pra que isso? A gente sabe que gasta muito mais com isso, que perde tempo no qual poderia estar estudando, vendo série, dormindo, com merda de depilação, esmalte, cabelo, sem contar em outros procedimentos estéticos mais agressivos que são rotina para muitas (geralmente quase todas que podem pagar).

E daí vem povo nos comentários falar de reciprocidade do parceiro. Como se tomar banho e passar perfume (porque é só isso que eles precisam fazer) se equiparasse ao ritual feminino. Dá até um certo desespero de ler isso, não consigo entender.

Eu faço uma boa parte desse ritual, às vezes acho divertido maquiagem, mas na maior parte do tempo acho uma droga porque tenho filhos e meu tempo é escasso, mas faço mesmo assim porque se me virem na rua com buço vão rir de mim na minha cara (ou fazer coisa pior). Escolha não existe para nós. Se existisse, não precisava do feminismo.

Alguém falou em ficar pra tia, ou gatos. Gatos são maravilhosos, crianças são fofinhas e doces e sobrinhos são como filhos que vc pode devolver no fim do dia (ótimo demais). Sabe o que é ruim? Homem misógino, que diz que mulher vai "ficar pra tia" se não andar na linha e não seguir o ritual de submissão direitinho. Desses eu tenho asco, tenho medo, e tudo que eu quero deles é distância.

Anônimo disse...

Prefiro cuidar da aparencia PQ EU QUERO, não pq "corro risco de ficar pra titia", to cagando e andando para o que os homens querem, dá pra ser feliz SIM sem homens.

Anônimo disse...

Lola, fala sobre o comentário do Papa, que falou que a igreja catolica deve pedir perdão aos homossexuais

Anônimo disse...

Alícia, vc estuda pra concurso.

Nessa sua comparação o que me chocaria não em tanto o dinheiro mas o tempo que a pessoa perde mantendo toda essa vaidade. É uma vida muito fútil e vazia. Estudar não se compara a isso porque é uma coisa que vai te dar um retorno e além disso acrescenta algo na sua vida.

Anônimo disse...

Vivem vcs feministas tão cheia de julgamentos umas com as outras, isso não é imposição? Não é padrão? O cabelinho colorido e o suvaco cabeludo dos dces não é uma imposição cultural daquela turma?Ora, ora.

Anônimo disse...

1 – concordo com o anônimo em 19:27 essa expressão cassar carteirinha tá ficando problemática, porque sim é preciso questionar e confrontar e isso não é cassar carteirinha
2 – A linha é muito tênue gente, eu não sou ingênua de acreditar que a gente faz as coisas unicamente porque gosta, mas como falei é tênue. Eu por exemplo, sou suuuuper vaidosa, e para mim é relaxante e quase um hobby cuidar dos meus cabelos (comprar produtos e a rotina de cuidados), quanto a passar hidratantes na pele não faço com prazer mas faço porque gosto do depois, de me sentir bonita e cheirosa, perfume eu amoooo total, é algo super pessoal, passo para dormir até, pois gosto de dormir me sentindo uma rainha kkkk, depilação não tenho prazer nenhum, faço porque é o que se espera, mas faço. Unhas não pinto mas gosto de “fazer” lixar, tirar cutícula, fico me sentindo mau quando elas estão feias, desleixadas, mas não me sinto mau por não pintar, mas sei de mulheres que se sentem péssimas quando as unhas não estão pintadas.
Mas tudo isso que falei tem um pouco de me amo me cuido gosto disso e um pouco de faço porque é interessante que a sociedade me veja como atraente, uma certa imposição sim. É preciso sim parar com a ingenuidade de achar que é tudo porque simplesmente gostamos. Numa sociedade onde questões de aparência fossem totalmente desconhecidas, faríamos tudo isso??????? Não vivemos neste mundo ainda, e todo mundo tem seu tempo, é no meio de tantas variáveis que vamos vivendo mesmo, sem neuras.
3 – Mesmo sendo vaidosa eu pondero, não vou sacrificar outras coisas interessantes para gastar todo o meu dinheiro e tempo com isso, eu tento dosar, mas se culpa.

Agora noto que tem uma leva meio nova de feministas que querem a todo custo “descontruir” a ideia de que feministas são necessariamente gordas, peludas e desgrenhadas. Me pergunto, porque?????? Me parece mesmo um feminismo meio pão com ovo. Um feminismo soft que não quer desagradar ninguém.

Sandra

Anônimo disse...

A anonima em 00:01
Acho tão chata essa preocupação gigante em afirmar que nós feministas não somos sujas e nojentas,...

Assino em baixo, comentário perfeito

Sandra

Anônimo disse...

Chega a ser desonesta a sua comparação. Realmente um aparato social e cultural são fichinha perto de universitárias de dce. Razô no argumento hein?

Embora vc tenha falado de maneira ridícula, cabe crítica a quem quer combater uma tirania com outra. Ninguém deve se sentir obrigada a se encaixar em nenhum tipo de normativa ou padrão de nenhum lado. Ao contrário do que vcs trolls generalizadores pensam, a maioria das feministas repensa muito sobre vaidade, pois já nascemos num sistema que nos induz a sermos vaidosas sob severas penas.
Gostei dos exemplos citados sobre as mulheres negras. Taí um movimento que é muito sobre estética mas sobre empoderamento que feministas brancas talvez não captem com toda força o que ele realmente significa. A vaidade foi utilizada como ferramenta de auto afirmação e de auto estima, claro que os racistas de plantão já estão super incomodados.

Juliana Santos disse...

Depois de ler o livro O Mito da Beleza, esse post todo soa bem ridículo.

titia disse...

É epidemia. Muito macho babaca e sem noção por aí sempre reclamando das mulheres, 99% sem olhar pro próprio rabo, tá cheio de sujeito com a bunda mais peluda que a do King Kong reclamando duma mulher com sovaco cabeludo. Os pais ensinam que as opiniões deles são importantíssimas e devem sempre ser faladas, que ele não precisa ser educado, fica falando merda sobre mulheres na frente do filhinho e acha uma graça quando ele repete, dá nisso: um bando de merdinhas mal educados e mimados que acha que pode falar o que quiser pras pessoas e dá pití se respondem como ele merece. Quero dizer, porra, qual é o problema desses babacas? Os pais deles nunca ensinaram esses moleques a ter o mínimo de educação?

E só pra piorar ainda mais, agem como se qualquer crítica a eles fosse um crime contra a humanidade. A cartunista Fabiane Lagona, AKA Chiquinha, fez um cartum sobre tatuagens masculinas, criticando alguns tipos de tatuagens e fazendo uma tabela de imagens com espaço pras mulheres votarem se determinado tipo de tatuagem era hot or not... e adivinha? Um macho chegou nos comentários rasgando o cu com a unha de raiva, reclamando de "imposição reversa", falando que era "absurdo" uma humilde cartunista "impor" padrões de beleza aos homens enquanto defende que as mulheres não sejam obrigadas a se encaixar em nenhum. E não esqueçamos a campanha "Quero Ver Raspar" da Gilette, em que eles não ouviram um décimo do que as mulheres escutam e já começaram a chorar e espernear. Esses caras são tão patéticos que não dá nem pra ter pena.

Anônimo disse...

00:26

Então, estudo para concurso, mas não prejudico meu cronograma para ir no salão. se gasto 3h por semana nisso é muito! comparada com as 40h de salinha..... Realmente sinto que é inútil ficar mais tempo na frente do livro, tem uma hora q simplesmente não rende.
O meu tempo no salao é o tempo livre, sem prejudicar qualquer atividade.

Alícia

Anônimo disse...

Troll? O movimento feminista é tão sagrado que não merece nenhuma contestação?

AEPC disse...

Eu não gosto de sexo com pêlos. Meu namorado sabe disso, e depila as regiões baixas. Tb não gosto de barba me pinicando, e ele, sabendo disso, sempre deixa a barba bem lisinha quando vamos nos encontrar. Alguma feminista vê problema nisso??
Em contrapartida, eu tb me depilo pra ele. E agora, algum problema?
Qual é a diferença entre um e outro?

Anônimo disse...

Eu comecei a depilar a virilha quando era adolescentezinha, pq tinha vergonha de usar biquini com a virilha peluda. Quando fui morar num alojamento da facul, vi que algumas amigas tiravam TODOS os pêlos da ppk, e comecei a tirar tudo tb. Porque eu quis. E gostei. E desde então tiro tudo.
Meu namorado atual já me falou que não gosta muito de tudo pelado, pq fica parecendo criança... Ele disse que curte um pouquinho de pêlo. Mas eu gosto bem carequinha.
E agora, radicais? Devo continuar me depilando pra não agradar ao mascu?
Ou devo ficar peluda e deixar o omi feliz?
O que é mais importante? Desagradar meu macho, ou ficar peluda?
(porque parece que 'fazer o que eu me sinto melhor' é o que menos importa pra algumas rads)

Anônimo disse...

Estudar pra concurso que é inútil.

Bizzys disse...

Estou com a Sandra e com a anônima das 00:01. Não entendo essa necessidade e algumas feministas de provar para os homens que nem todas nós somos gordas/feias/sujas/peludas/lésbicas. Pra quê chamar atenção para o fato de que até entre as ~desprezíveis feministas~ existem mulheres que agradam o senso estético masculino? Isso não vai fazê-los nos odiar menos, no mínimo vão achar outro tipo de ofensa para tentar nos atingir.

Anônimo disse...

Eu simplesmente não tenho coragem de ficar com o sovaco cabeludo (além de outras partes importantes do corpo). Questão de higiene, migas...
Mulher feminista, mas antes de tudo... MULHER! O que nos leva à: delicadeza, cuidados com cabelo, pele macia, boa aparência, corpo bonito e sem estrias, etc...
Quem não dá importância a esses detalhes simplesmente não pode ser chamada de mulher feminista, mas somente de feminista (pq mulher mulher mesmo não são).

Blun disse...

Anõnimo " mulher feminista" das 16:46
Você não é feminista nem aqui nem em Plutão. E quem não tem boa aparência é o quê, então? ET? Prefiro ser ET que viver em função de ser bonita e e torrar meu salário em quinquilharia inútil pra atrair macho.

Anônimo disse...

15:20

só se for pra vc, que sabe que é um asno e não adianta estudar.
Eu me garanto.

Alícia

Anônimo disse...

(Viviane)
Ok, anon de ontem 19h45, continue silenciando as muçulmanas que não usam véu (fora dos países em que isso é obrigatório), tá serto...
Sobre a distinção entre escolha e imposição, ainda estou esperando alguém aqui responder à minha pergunta sobre tatuagens...

Anônimo disse...

(Viviane)
S., quando falei sobre tatuagem estava me referindo especificamente à dor. Isso por causa de outro post, no ano passado, em que uma comentarista disse que não compreendida como "alguém pagaria para sentir dor". Ora, dor por dor, tatuagem dói mais e é bem mais cara, mas nunca foi visto como "manipulação do patriarcado".
Bem, paro por aqui. Afinal, pessoas acreditam no que querem acreditar...

Anônimo disse...

16:46 Mulher É todo ser humano que possui cromossomo XX, independentemente de seria gorda,magra,alta ,baixa usar ou nao usar maquiagem,ter corpo bonito ou nao. Estude biologia. Segundo: Os homens que deveriam chamar a atenção das mulheres,se arrumar para elas no ponto de vista biologico,e nao o contrario. Isso se chama seleção sexual, presente em todos os animais, principalmente os vertebrados, onde a femea escolhe o macho para a copula e cabe a ele fazer de tudo para ser escolhido. Terceiro: atualmente nem é necessario para uma mulher fazer sexo para ter filhas. Apenas uma inseminação artificial ja é suficiente. Casar não é mais necessario. Sexo nao é mais necessario. Homem nao é mais necessario. Somente o espermatozoide. O resto a mulher nao precisa.

Anônimo disse...

(Viviane)
Até um relógio parado marca a hora certa, duas vezes ao dia ;-)

Anônimo disse...

Alícia,
Exponha aqui embaixo uma lista (o mínimo aceitável são 03) dos concursos em que vc foi aprovada e tenha sido nomeada e tenha tomado posse, minha querida.
Se vc ainda não tiver esta lista... SIM, é inútil.

Anônimo disse...

Esse não é meu nome verdadeiro, não preciso provar nada pra você e nada do que eu diga vai te convencer que é o que digo é verdade.

Mas é verdade. Não passei em três concursos, só em dois, tomei posse em ambos, um aos 22 e um aos 26 (ano passado), trabalho na minha área (direito), sou concursada do MPF (analista processual), salário com o qual pago meu salão, e estudo pro MPF (procuradora da república).

De qualquer forma, não é isso que determina a utilidade de alguém, meus pêsames pela sua visão de mundo.

Alícia

titia disse...

AEPC vocês dois cedem e agradam um ao outro. Não é só você que "tem obrigação" de se depilar e você não é a única se esforçando pra agradar. Acho que ninguém implicaria com uma situação onde os dois fazem coisas pra agradar o parceiro, e não apenas a mulher se rala pra agradar enquanto o macho coça o saco no sofá.

15:04 ué se você gosta totalmente careca fique assim. Mas esse tipo de depilação não é nada saudável.

Ci menoni disse...

kkkkk corpo sem estrias, se tiver estrias não é mulher? não há nada mais mulher do que estrias e celulites.

Ci disse...

Exatamente.

Rad com orgulho disse...

15:04

Olha anon, eu prefiro o radicalismo, n ignoramos a realidade. Voce mesma diz q começou a depilar por vergonha. De onde veio a vergonha mesmo? Ah é, da sociedade escrota que diz q somos porcas por ter pelo.

AEPC

Aí é diferente, os dois se depilam. O que acontece sempre é a mulher ter que se depilar para n ser porca, agradar o omi, enquanto o omi continua parecendo um macaco de tanto pelo e tá tudo certo.

É tão obvio a manipulação, que tem que fazer um esforço mental enorme para fingir que não é assim. Já viram uma reportagem que passou na record, de chinesas que deformaram os pés porque era bonito na cultura e na vila delas? Q se n fizessem isso não conseguiriam marido e n serviriam para nada? Usando um sapato minúsculo a vida inteira, deformando tudo, sentido dor a vida inteira, só para a bosta de um omi olhar e achar bonito e pensar que elas tinha algum valor e q serviriam para ser escravinhas do lar deles.
Com toda certeza do mundo, elas faziam isso por escolha, só rindo kkkkkkkkkkkkk
Não to criticando quem faz, mas é irritante ver que até feministas engolem o mimimi que nos ensinaram bem, q só passamos a vida preocupada com corpo e com beleza porque a gente quer...

Hele Silveira disse...

Vaidade é uma palavra que meu dicionário interno desconhece por completo. Não tenho um pingo de saco para fazer unhas, sobrancelhas, pintar cabelo, escovar cabelo, fazer maquiagem, experimentar montes de roupas e sapatos. Deixo bem claro que essa sou apenas eu e que a minha verdade não pretende ser verdade para ninguém. Eu jamais gastaria dez minutos arrumando cabelo, mas posso ler e escrever por horas. Eu jamais gastaria cinco minutos me torturando com uma pinça, para arrancar as sobrancelhas, mas posso cantar e tocar por cinco horas. Ou cozinhar. Ou desenhar, sei lá. O que não posso é ficar tirando uma cutícula que vai voltar a crescer ou passando esmalte só pra ter trabalho de tirar esmalte quebrado. Está limpo? Ótimo, para mim, nada mais é necessário. Mas deixo claro: essas ações de embelezamento só me incomodam se for EU a praticá-las, vez que para a minha pessoa, não tem sentido. Se outras pessoas quiserem usar e abusar de sua vaidade, ótimo. Tenho duas filhas adolescentes, ambas vaidosas e nunca interferi em suas escolhas. Pessoas são diferentes e as que são vaidosas merecem tanto respeito quanto as que não o são.

Hele Silveira disse...

Eu cubro a cabeça todas as vezes que me dá vontade, inclusive, no trabalho. Tenho perfil no Yammer, com os cabelos cobertos. Não sou muçulmana. Sou brasileira, feminista, gorda, peluda e desgrenhada, rsrsrsrs, enfim, se não caí na vala do senso comum, ótimo. Não nasci para me contorcer até caber nalguma caixa de estereótipo e assim, agradar à sociedade. Se dou peso zero a agradar a sociedade, homens, então, rsrs... dispensa comentários.

Anônimo disse...

Off topic

só se for pra vc, que sabe que é um asno e não adianta estudar.
Eu me garanto.

Alicia parabéns, vi que foi aprovada, mas é a exceção da exceção.

Explico:

Não tem vaga para todo mundo no concurso público,cada certames há milhares de candidatos e se for contar só os extremamente preparados, ainda assim são milhares, dai entra o imponderável, a sorte, o momento da prova, enfim , tem virado uma loteria, vc Alicia, disse que passou, mas para sua vaga ficaram milhares, pergunto, o que essa gente produz? O que esse povo que lambe apostila acrescenta ao conhecimento humano além de replicar ad eternum o que já foi produzido pelos doutrinadores? Nada.

Dai vc tem milhões de jovens, em idade produtiva, tentando virar funcionário público, "estudando" pra concurso, alguns, atualmente a minoria da minoria, passa, o restante nada faz.Ou seja, estudar pra concurso não é realmente estudar, não é se aprofundar sobre um assunto e dai tirar novos pontos de vista dele, trazer inovações, é só decorar,não se produz conhecimento, é para a maioria um grande desperdício de tempo e dinheiro.

Anônimo disse...

Isso é coisa de troll vagabundo, Alicia. Eles morrem de recalque em ver mulheres estudando, passando em concursos e em processos seletivos pois acreditam que o lugar delas não é lá. Vivem reclamando em como os negros malvados roubam as vagas deles e as mulheres dão para não sei quem e roubam as vagas deles... mas pergunta se algum desses senta a bunda pra estudar? Nenhum.

Anônimo disse...

Me depilo para minha parceira, não é imposição, é atender ao pedido dela, mas se eu não quiser não há sociedade que me obrigue ou diga que sou feio ou sujo, no máximo vai dizer que sou másculo, sem frescura, acho que dá para entender as diferenças.

Anônimo disse...

Eu sou uma boa escrava. Uso exatamente as roupas que meus patrões me mandam, mutilo meu corpo de modo a agradá-los, uso sapatos terríveis para meus pés mas em conformidade com as regras da casa mas é tudo porque eu gosto, eu me sinto bem sendo uma boa escrava, inclusive ouso dizer que não sou escrava não, na verdade sou mais livre que vocês aí que não sofrem dor, não sofrem incômodo, não têm movimentos limitados e podem correr tranquilamente com seus sapatos baixos e pouco femininos.

Passarinho canta mais quando tá na gaiola, dizem. Olha com ele tá feliz cantando, já que não precisa se preocupar em caçar, fugir de predadores e principalmente, voar.

Cantem mais, seus mestres gostam.

E fica aqui a pergunta: por que uma mulher se incomoda com a própria passagem finda da sua puberdade? Que eu saiba, quem não tem pelos são crianças. Será que é porque... não, não, claro que não, é só uma questão de gosto, nada disso foi construído na sociedade, coisa de feminazi achar isso aí. Que horror. Deixa eu botar aqui meu avatar pró-antipedofilia no Facebook, só por garantia.

Anônimo disse...

"Agora noto que tem uma leva meio nova de feministas que querem a todo custo “descontruir” a ideia de que feministas são necessariamente gordas, peludas e desgrenhadas. Me pergunto, porque?????? Me parece mesmo um feminismo meio pão com ovo. Um feminismo soft que não quer desagradar ninguém. "

Porque no neofeminismo 3.0 v. 2016/17 é assim, você tem que provar que não é tão feminista assim, que cede de vez em sempre, que homem continua sendo o centro de todas as atenções e debates, que ser mulher é uma mera identificação autoatribuída, que a sua opressão não tem a mais remota relevância perto de todos os outros problemas do universo e principalmente, que você não é como essas feminazis radicais misândricas odiadoras de homens por aí, negativo, olha como você é linda, cheirosa e bate um bolo como ninguém!

Falou em GORDA PELUDA, já sei que de feminista não tem nada.

donadio disse...

"Isso por causa de outro post, no ano passado, em que uma comentarista disse que não compreendida como "alguém pagaria para sentir dor". Ora, dor por dor, tatuagem dói mais e é bem mais cara, mas nunca foi visto como "manipulação do patriarcado"."

Até a hora em que machistas começarem a discriminar mulheres que não têm tatuagem. Aí começará...

O que me parece curioso é que tatuagem é vista como algo meio rebelde, mas, no fundo, a pessoa precisa ser extremamente conservadora pra fazer uma tatuagem: achar que vai continuar gostando daquela imagem até o fim da vida, ter muita certeza de que não vai mudar de ideia, de gosto, de vida...

donadio disse...

"Exponha aqui embaixo uma lista (o mínimo aceitável são 03) dos concursos em que vc foi aprovada e tenha sido nomeada e tenha tomado posse, minha querida.
Se vc ainda não tiver esta lista... SIM, é inútil.
"

Então na sua opinião, nenhuma das pessoas que passa em concurso estuda para se preparar?

Uma afirmação um tanto ousada, eu diria.

Anônimo disse...

Bom, muito válida a sua reflexão sobre a inutilidade de pessoas que estudam pra concurso, mas na minha opinião seu pensamento foi raso.

Uma pessoa que estuda para concurso e não trabalha (não é a realidade de muitos, eu mesma me divido entre meu emprego e meus estudos), mas mesmo alguém que não trabalha e "só estuda", continua consumindo.

Nessa "salinha" de estudos que alugo, por exemplo, vários estudantes passam o dia lá. Alguém está ganhando com isso, o dono de lá tem uma boa fonte de renda com eles.
Livros são lançados e comprados aos montes (muitas livrarias inclusive se especializam em livros voltados para concurso público, assim como editoras). Compramos muitos cursos, vídeo aulas, aulas em pdf, lotamos cursinhos. Concurseiros geram empregos, movimentam a economia, há todo um mercado altamente lucrativo voltado para essas pessoas. Venham a CERS, LFG, Damásio. Gigantes. Muitos professores dessas instituições, inclusive, são ex-juízes, ex-promotores, que largaram as carreiras públicas por compensar mais só dar aulas para esses "inúteis" estudantes.

Fora tudo isso, o conhecimento em si, só adquiri-lo, já deve ser valorizado. Amanhã essa pessoa que não conseguiu a aprovação vai dar aula, vai advogar, ou, no mínimo, vai ser conhecedor de seus direitos e deveres como cidadão.

O cara que escreveu o Novo Código de Processo Civil tentou por diversas vezes a aprovação na magistratura. Não conseguiu. É um inútil que ganha mais do que cinco juízes juntos hoje.

Alícia

Anônimo disse...

Alicia
Sim, há uma indústria em torno dos concurseiros, uma indústria movida a fé praticamente, porque poucos serão contemplados, já reparou como o discurso dos donos desses negócios são semelhantes aos dos pastores neopentecostais? Estude, se esforçe, compre aqui esse livro-apostila- cursinho- e seu lugar da garantido no céu(serviço público), só que a realidade é outra, bem outra e vai piorar, mas cada um segue a religião que quer, acredita no que quer, esse não é o ponto.

O ponto é que essa turma nada produz de útil, só decora e treina para as provas, de acordo com a organizadora, com as bancas, servindo apenas para alimentar a indústria acima descrita.Chego a ter pena, é uma indústria que vende ilusões, nem ao Direito serve, alias é um câncer que deixa nossa ciência rasa, sem aprofundamento, pois o mercado exige manuais e resumos.

Você diz, que uma parcela vai advogar, poxa, mas depois de quantos anos? Sem nenhuma prática, ou se já advoga não levando o trabalho tão a sério porque tem outros planos, vai dar aula? Sem mestrado? Sem doutorado? Sem produção cientifica? Que beleza de professor não? O cara que escreveu o novo cpc? Foi um cara só? Sei disso não, mas enfim, e dai que ganha mais que um grupo de juízes, tem gente sem curso superior que ganha também.

Se for verdade que é membro do MPF, parabéns, mas a realidade não é assim para a maioria dos concurseiros que vivem de ilusão.



AEPC disse...

AEPC
Gente, não querendo prolongar eternamente o assunto, mas queria dizer:

1 - Concordo que "fazer sobrancelha" e depilar pêlos das axilas, pernas, buço, braço, costas, etc... é imposição da sociedade SIM. Admito que muitas vezes não tenho vontade de depilar tais áreas, mais acabo fazendo porque sinto vergonha que as pessoas me olhem com essas partes peludas. Mas...

2 - Sério que vocês realmente não ligam pra pêlos pubianos?? Sério, eu não consigo entender como alguém consegue não ligar pra pêlos na garganta... É extremamente incômodo!!! Por isso meu namorado tira os dele (e do peito tb, que são grossos), pq eu peço, e eu tb tiro os meus sempre... Pra mim não dá pra rolar um bom oral com aqueles pêlos ali...

3 - Fiquei feliz com a resposta quanto ao meu questionamento se "teria problema eu me depilar mesmo com meu namorado tb o fazendo". Eu também acho que reciprocidade é essencial pra qualquer relacionamento, e não vejo mal nenhum agradar meu namorado se é uma via de mão dupla. Mas já vi "feministas" por aí falando que nunca fariam NADA por homem/ômi nenhum... Torço pra que os pobres pais delas morram de forma rápida, pq se ficarem acamados, vão morrer de sede, coitados...

Sportano disse...

Não existe esse negócio de "fila em concurso público". Mas,na boa, quem persiste acaba ingressando no serviço público. Basicamente, você acaba vendo tanto aquilo que as provas passam a ser bem tranquilas.

Digo isso como concursado e ainda concurseiro. A bronca maior é que o brasileiro, de forma geral, não tem o hábito de estudar,de ler, de se dedicar. Quer sempre o caminho fácil pra tudo. Pra vida,pra ganhar dinheiro (vide tantas e tantas pirâmides como telexfree). Não há nada de errado em tentar garantir um bom futuro através de um concurso público. É uma forma honesta e super válida. Você chega em um cargo através de seu próprio esforço, se mantém nele pelas suas próprias forças e,regra geral, não tem que se preocupar em ficar sem trabalho.

E ganha em qualidade de vida.Chega a ser impressionante. Não falo só em dinheiro não mas sim em rotina de trabalho (eu por exemplo, saio do trabalho às 13 horas.Em quantos locais de trabalho você tem isso?)

Anónimo disse...

Exatamente!!!! E nem preciso dizer de onde vieram os espermatozoides ;D

Anomimo disse...

E mais uma vez chegamos na encruzilhada feminista..

(Apenas como informacao: eu, homem, heterossexual, particularmente adoro vaginas nao-depiladas – aliás, mais que isso: nao só nao-depiladas, mas dentre as nao-depiladas, as que tem genética propensa a serem super peludas, cobrindo pubis, labios, regiao anal, interior das nadegas com pelugem densa, espessa, fechada, pelos longos e abundantes. Ou seja, de Claudia Ohana pra cima.)

Ok, feminismo nao é sobre o que a mulher deve fazer, mas sim sobre estabelecer que ela tem o direito de escolher fazer o que quiser. Pois bem: como saber onde acaba a imposicao do patriarcado e comeca a livre-escolha? Se uma mulher padrao amelia, dona-de-casa-que-nao-sai-de-casa, crista fervorosa e cheia de filhos lhe disser que faz tudo isso e é tudo isso porque quer e gosta e jamais mudaria qualquer minimo detalhe da sua vida, essa mulher esta sendo livre e seguindo sua vontade ou esta sendo vitima da manipulacao do patriarcado?

Duvida sincera.

Pois se me disserem que nesse caso fica claro que ela é vitima do patriarcado, mas que no caso da menina empoderada auto-declarada feminista que diz se depilar porque gosta é uma questao de escolha, a pergunta é: qual o critério? Ao longo de todas as situacoes intermediarias, os varios tons de cinza entre a feminista que se depila e a dona-de-casa crista, em qual ponto se traca a linha que separa vontade propria/Liberdade de escolha/empoderamento de imposicao do patriarcado?

Anônimo disse...

Digo isso como concursado e ainda concurseiro. A bronca maior é que o brasileiro, de forma geral, não tem o hábito de estudar,de ler, de se dedicar. Quer sempre o caminho fácil pra tudo. Pra vida,pra ganhar dinheiro (vide tantas e tantas pirâmides como telexfree). Não há nada de errado em tentar garantir um bom futuro através de um concurso público. É uma forma honesta e super válida. Você chega em um cargo através de seu próprio esforço, se mantém nele pelas suas próprias forças e,regra geral, não tem que se preocupar em ficar sem trabalho.

NADA DE ERRADO, É LEGÍTIMO, SÓ NÃO É PRODUÇÃO DE CONHECIMENTO, ALIAS DE NADA, É SÓ DECORAR, DECORAR, DECORAR E APRENDER A FAZER PROVA, SEM SEQUER TESTAR A APTIDÃO DO SUJEITO AO CARGO, PERDE A SOCIEDADE, QUE TEM UMA PARCELA DE GENTE INSTRUÍDA INUTILIZADA POR UM BOM TEMPO, ATÉ PASSAR NUM CONCURSO PARA FICAR COLANDO FITA CREPE EM PROCESSOS. BELEZA NÉ?

Ps.: caixa alta para destacar de seu texto

E ganha em qualidade de vida.Chega a ser impressionante. Não falo só em dinheiro não mas sim em rotina de trabalho (eu por exemplo, saio do trabalho às 13 horas.Em quantos locais de trabalho você tem isso?)

Poxa, olha que beleza, nos pagarmos por isso, 13 horas!!!PRECISAMOS DE UMA REFORMA ADMINISTRATIVA MESMO, ACABAR COM A ESTABILIDADE PARA TODOS OS CARGOS, REVER HORÁRIOS, CARGOS E SALÁRIOS.M
MAS ESSE NÃO É O PONTO, QUEM CHEGOU É SÓ OUTRA FACE DO PROBLEMA, A QUESTÃO É A GRANDE MASSA BEM FORMADA QUE SÓ SERVE PARA MOVER A INDÚSTRIA DOS CONCURSOS, OU RELIGIÃO? O QUE ESSA GENTE PRODUZ?UM PAÍS GERAÇÕES ATRASADO EM CIENCIA E TECNOLOGIA COM BOA PARTE DE SUA JUVENTUDE "ESTUDANDO" PARA ENTRAR NOS QUADROS DO ESTADO, E COMO SE VÊ, TRABALHAR POUCO E GANHAR BEM.

Anônimo disse...

Pois se me disserem que nesse caso fica claro que ela é vitima do patriarcado, mas que no caso da menina empoderada auto-declarada feminista que diz se depilar porque gosta é uma questao de escolha, a pergunta é: qual o critério? Ao longo de todas as situacoes intermediarias, os varios tons de cinza entre a feminista que se depila e a dona-de-casa crista, em qual ponto se traca a linha que separa vontade propria/Liberdade de escolha/empoderamento de imposicao do patriarcado?

Alguém pode responder?

Anônimo disse...

¬¬

Desculpa, mas esse seu comentário parece carregado de recalque por não ser um servidor público.

Olha, eu também acho que a máquina pública tem que diminuir como um todo, que a questão da estabilidade tem que ser flexionada, entre mil outras coisas.
Mas enquanto não é assim, eu faço o que é melhor para mim dentro da legalidade.

Eu concordo com quem disse que as pessoas em geral não tem o hábito de estudar.
Estudar para conquistar um cargo público dói.
A bunda dói, a coluna dói, a cabeça dói. A miopia aumenta.
É um sacrifício solitário. A gente abre mão da cia dos que amamos por um tempo, dorme pouco.

Apenas comprar material caro e atualizado não basta se você não ficar horas e horas lendo, fazendo exercícios. Acho triste também ver tanta gente comprando livros de auto ajuda do wilian douglas, que são um lixo e não ajudam ninguém, mas fico feliz com a quantidade de gente qualificada vendendo o seu conhecimento para me ajudar a conquistar meu objetivo.

Quanto a produzir conhecimento, que eu saiba isso a gente faz mesmo no doutorado, até lá a gente estuda o que outros fizeram mesmo. Mas que bom que vc é uma alma superior e produz muita sabedoria para a humanidade. E que bom que todos os empregos na iniciativa privada requerem essa criatividade e sapiência que vc tanto valoriza.

Sobre colar fita crepe no processo (???), meu cargo não é para isso. Mas sou muito grata aqueles que numeram cada página dos processos que manuseio, facilitam a minha vida demais. sou grata ao gari, aos faxineiros, aos estagiários. Todos somam e todas as funções tem valor.

Por fim, em relação a carga horária, não sei se é do seu conhecimento, mas é notoriamente verificado que a produtividade aumenta quando a carga horária é inferior a 8h por dia, ou em home office por exemplo. Não sei qual o problema então.

Alícia

Hele Silveira disse...

Esse ponto ou linha, NA MINHA OPINIÃO, não existe. Se existisse, o livre arbítrio seria uma piada, pois não haveria ampla liberdade de escolha. Penso que se a mulher quer ser cristã, amélia e peluda, pode ser, sim (sem generalizações) a expressão de sua escolha. E daí? Qual de nós recebeu, por direito divino, a atribuição de julgar o outro? Não julgueis, para que não sejais julgados. E há mais: muitos que julgam a mulher cristã e amélia tem, em suas vidas problemas ainda maiores. E não vêem. Por que? Porque estão ocupados com a vida do outro. Que cada um faça a sua escolha e respeite a do outro.

Helenilse Silveira disse...

Alícia, você está certa. Aliás, o problema é esse. Quando crescemos e evoluímos, incomodamos. Se você está incomodando, saiba: é porque está fazendo algo de bom e produtivo. Ninguém atira pedras em árvore sem frutos.

Anônimo disse...

Alícia, Alícia, tá vendo o que os anos lambendo apostilas fizeram com seu raciocínio?

Não se trata de uma dicotomia público x privado, mas uma realidade analisada e criticada, incomodou você porque é parte desse sistema, mas raciocina um pouquinho fora da caixa, tenta ver o todo e não parte.O fato é que há uma indústria que vende ilusões, uma massa que financia essa indústria, e que para o conjunto da sociedade nada produz de valor, só decora e decora, para provas que não selecionam o mais apto ao cargo, mais o mais treinado em fazer prova.É um problema social.

Recalque por não ser servidor público? Fala sério, nem todo mundo tem esse sonho, alias financeiramente pra mim nem compensaria entrar no serviço público.

E produtividade no serviço público? No judiciário?Isso nem é um valor levado em consideração por vocês.

Hele Silveira disse...

Eita, Anônimo... Já deu, viu? Deixe a Alícia em paz. Qual é o problema com a produtividade, no Judiciário? Sou servidora do Judiciário, tenho produtividade alta e quanto mais pressão colocarem, mais alta será. Adoro pressão, não tenho medo nenhum. Existem pessoas com os mais diversos perfis. Uns querem ser servidores públicos, outros não. Uns tem medo de pressão. Outros não. Como eu.

Anônimo disse...

Como um texto sobre vaidade vira uma discussão sobre o serviço público?

Rafael.

Anônimo disse...

Vai se catar Hele,

Seu umbigo não serve de parâmetro,se é que é servidora mesmo, e não é implicância com menina especificamente, só coloquei meu ponto de vista sobre o assunto, pode não? Tudo pode ser criticado menos o funcionalismo público e seus concursos?Fala sério.

Anônimo disse...

Amigo, as pessoas vendem o que outras querem comprar, lei da oferta e da procura, capitalismo, já ouviu falar? qual o problema em vender aulas, apostilas, livros, métodos de aprendizado se alguém quer consumir isso? Eu hein... Mania! As pessoas tem o direito de fazer suas escolhas de vida ainda que elas desagradem você. Suas críticas não me incomodaram, na verdade as minhas escolhas é que incomodam você, pelo visto.

Já disse que defendo inúmeras mudanças quanto a estabilidade do servidor público, meios de se medir a produtividade, e a redução da máquina pública, mas enquanto isso não ocorre, as aprovações são legítimas, quer você goste ou não.

Vou continuar lambendo apostilas aqui e ninguém tem nada com isso, é problema meu.

Alícia

Hele Silveira disse...

Caraca... a pessoa não sabe ler, rsrs... Qual parte do que escrevi diz que sirvo de parâmetro? "Se é que é servidora", soa como piada. O que eu ganharia cometendo a infantilidade de escrever mentiras? Sou técnico judiciário, minha matrícula é 01/23.761, meu nome, Helenilse Silveira de Souza e... vá se catar você, rsrs. Rindo muito, aqui. Na verdade, obrigada pelas risadas que me proporcionou. Beijo!

Hele Silveira disse...

Simples: tentar (só tentar, rs) esculhambar servidores públicos é essencial à vaidade de algumas pessoas que nunca passaram em concurso nenhum, rs.

Anônimo disse...

Vc é invejoso anonimo
Acabou de se formar e não tem no horizonte um emprego estável.so deve ser isso.

Guia dos Perfumes disse...

Assunto polêmico esse! De qualquer forma o que escreveu faz muitas mulheres pensar. Particularmente acho que feminismo e machismo não deveriam existir. Nada a ver com a inexistência dos gêneros... assuntos diferentes, mas esses dois ISMOS só trazem aborrecimentos. Somo um só... HUMANOS. De qualquer forma gostei muito do artigo. Parabéns.