terça-feira, 28 de junho de 2016

A PREGAÇÃO MACHISTA DO PADRE MODERNINHO

Deus tá vendo

Não acompanho nada de Fábio de Melo, então não sabia que o padre era celebrado por parte da esquerda. 
Mas no domingo algumas pessoas me enviaram um vídeo com uma pregação horrível do padre moderninho, que havia sido colocado no Facebook. Pouco tempo depois o vídeo foi removido e logo me mandaram o link pro YouTube. Tá aqui. Não dá pra ver tudo a menos que você seja muito, muito devota. Mas o que interessa está entre os minutos 10 e 20. É um show de horrores, que causou indignação e decepção em bastante gente. 
Não vou entrar nem na discussão do que o padre diz sobre depressão -- "é a falta de amor por si mesmo" (em 10:20) -- reduzindo uma doença séria a um clichê de auto-ajuda. Depois dessa frase, ele compara mulheres promíscuas a praças públicas (cá pra mim, praças são espaços maravilhosos, que toda cidade quer ter, mas volto a isso mais adiante). E, em seguida, vem o trecho de sua pregação que mais gerou polêmica. Em suas palavras, tiradas do vídeo:
"Nós não saímos por aí com as plaquinhas: 'não abuse de mim', 'me respeite'. Porque essa placa não está escrita em palavras, ela está escrita nos seus olhos. É você com o seu jeito de olhar, com o seu jeito de ser gente, é o caráter que está exposto no seu rosto que vai dizer ao outro o que ele pode fazer com você ou não. Nós é que no momento em que nos construímos como pessoas é que sinalizamos o nosso território. Caso contrário, as pessoas virão, acharão que nós podemos tudo e farão tudo que querem conosco mesmo. Eu sempre digo, as mulheres que são agredidas fisicamente pelos seus maridos, no dia em que ela recebe a primeira agressão, ela que vai determinar para ele se ele vai ter o direito de agredi-lo a vida inteira ou não. É o jeito como ela olha pra ele. Não é nenhuma palavra, nenhum grito que vai dizer 'não me bata', mas é o seu jeito de ser mulher. O agressor, ele só se torna agressor porque a vítima o autoriza". 
É uma fala desastrosa porque coloca a culpa de ser agredida na mulher que é agredida. Muitas mulheres (pessoas em geral, aliás, homens e crianças também) não denunciam a violência que sofrem por uma série de motivos complexos. Por ser financeiramente dependente do agressor, por estar familiarizada com aquela violência, por achar que nada vai acontecer se ela denunciar (ela será devastada, ele sairá impune), por temer pela própria vida, por temer pela vida dos filhos (já que é comum um agressor fazer inúmeras ameaças), por ter motivos de sobra para não confiar nas instituições que deveriam protegê-la, por ter sido condicionada a crer que é melhor ter um homem violento do que nenhum, por achar que, se tivesse outro homem, ele também a agrediria etc. A baixa autoestima também é um fator, sem dúvida. Mas está longe de ser o único, sequer o mais importante. 
Eva foi incriminada
Além do mais, reduzir uma praga social (a violência contra as mulheres) a um problema individual é não querer encarar o problema. Não é "o seu jeito de mulher" que vai fazer tantas mulheres, independente de idade, classe, raça, religião, serem agredidas. É o "jeito que a sociedade vê a mulher". E um termo tão abstrato quanto "a sociedade" inclui acima de tudo a sua igreja, padre, que culpa as mulheres por todos os males da humanidade.  
A frase final desse trecho da pregação ("o agressor só se torna agressor porque a vítima o autoriza") é um resumo não só da culpabilização da vítima como também da cultura do estupro. Porque isso vale pra estupro também, certo, padre? É o velho "o que ela estava vestindo?" A roupa da mulher "autoriza o agressor"? E quando a vítima é criança, sua pregação vale pra ela também? A criança que é abusada sexualmente (muitas vezes por padres cujos crimes são encobertos pela igreja) também, com "seu jeito de olhar", autoriza o abuso que sofre? Em que momento ela não sinalizou seu território?
A fala do padre não é de agora, é de julho de 2007. E óbvio que todo mundo erra e que muita gente muda e se arrepende das besteiras que falou (tem um monte de crônica de cinema que eu escrevi dez, quinze anos atrás que eu olho e penso: "EU escrevi isso? Onde posso me esconder?"). O desafio é como se comportar diante de críticas merecidas. A atriz Fernanda Torres me veio à mente. Em fevereiro, ela escreveu um texto absurdo. No dia seguinte, publicou sua retratação. Um texto direto, simples, de muita reflexão, afirmando que errou e pedindo desculpas. Não daquele jeito "errei pero no mucho" de "Se eu errei, peço desculpas". Fábio de Melo não foi tão feliz:
O padre se diz "desconfortável", e assume que "culpar a vítima é abominável". Porém, responsabiliza "a linguagem" pela besteira que pregou, não o pensamento em si (e aposenta esse SE, padre! Você foi infeliz, não tem SE não!).
 
Ele pediu desculpas mas não mudou de opinião, nem passou por qualquer reflexão.
 
Pra ser franca, eu não achei o trecho acima o mais revoltante da pregação do padre. Como eu apontei, antes do trecho acima Fábio de Melo diz o seguinte, sobre quem tem depressão: 
"É aquela pessoa que já não tem mais nenhum cuidado consigo porque ela já perdeu todo o referencial do valor que ela tem. Por exemplo, uma pessoa que vive uma vida de promiscuidade sexual. Cada dia ela está com um. Um dia ela transa com um, um dia ela transa com outro. [...] É a consequência pior da vida moderna, que é a perda do sentido do corpo, da vida e do valor como pessoa . É a pior coisa, quando você descobre que a pessoa deixou a sua dignidade para se tornar uma praça pública. Existem pessoas que são semelhantes às praças públicas: todo mundo passa, joga o seu lixo, e ninguém volta pra cuidar depois. E aí você encontra essas pessoas por todos os lados, socializadas no nosso meio, em nome de uma modernidade, em nome de uma autonomia, de uma liberdade que a mulher conquistou, ela se sente no direito de passar a sua vida inteira experimentando. E o pior: os outros fazendo dela, tornando-a, transformando-a em espaço público que não merece ser respeitado. Porque você não tem placas proibindo pisar na grama. Proibido agredir. Proibido usar e depois ir embora. Você não tem essas placas". 
Ok? Essa foi a introdução do padre à história das plaquinhas. Aqui, ele ainda não está falando de vítimas de violência doméstica (ou de estupro), porque ainda não falou do agressor. Aqui, ele condena as mulheres promíscuas. Ele até pode estar falando de "pessoas", mas deixa claro quem são seus alvos na parte em que fala da "autonomia e liberdade que a mulher conquistou". Ele realmente compara mulheres promíscuas a praças públicas, mostrando o total desconhecimento que têm sobre mulheres e praças públicas.
Se, para ele, praças públicas são espaços ruins (tá cheio de indicador que mede a qualidade de vida de uma cidade pela quantidade dos espaços públicos), se para ele praças são lugares em que as pessoas vão jogar lixo, então tem que mudar a mentalidade que ele e as pessoas têm sobre as praças, não as praças em si. Porque quem está errado é quem vê praça como lugar pra jogar lixo, não a praça.
"Não acredito que ainda
tenho que protestar contra
essa m*rda"
Uma mulher, uma pessoa, assim como uma praça, deve ser respeitada de qualquer jeito. Seu caráter não pode ser medido pela sua vida sexual. Isso é um discurso moralista e misógino, porque implica que mulher "deve se dar o valor". Ou seja, não que uma mulher já tem valor, mas que ela precisa consegui-lo através de sua abstinência. Esse é um discurso que me revolta porque era o que eu ouvia trinta anos atrás, quando eu não tinha marido ou namorado e transava com quem eu quisesse, desde que o cara obviamente me quisesse também. É dureza ouvir tal discurso duas ou três décadas depois. Dá a impressão que tem gente parada no tempo, de que nada mudou.
E a parte do "os outros fazendo dela espaço público que não merece ser respeitado"? Aí não sobra muito espaço pra interpretação. Qual mulher "não merece ser respeitada", padre? Tem realmente mulher que não merece o respeito, porque respeito é algo que você, ou a sua igreja, tem que outorgar a ela?
Após a parte das plaquinhas ligadas à violência doméstica, o padre volta a pregar contra a mulher promíscua. Continua assim:
"Porque quando a falta de amor próprio se instaura dentro de nós, nós nos tornamos incapacitados de lutar por nós mesmos. Nós nos tornamos territórios baldios. É assim. Território baldio funciona desse jeito: você passa, vê que já está sujo mesmo, precisa jogar aquele seu lixo fora, o que você faz? Não tem ninguém olhando mesmo, já tá cheio de lixo, não vai fazer diferença, um pouquinho de lixo a mais, um pouquinho de lixo a menos, joga ali. Este é o grande problema do terreno baldio, porque ninguém está responsável por cuidar. Ninguém está fazendo sentinela para que os outros não continuem tratando como lugar de terreno baldio. Todo mundo vai jogando seu lixo e vai ficando. Minha gente, é lamentável que em muitos momentos da nossa vida, a gente assume a condição de terreno baldio mesmo. Porque os outros percebem em nós que aquilo ali você não precisa respeitar muito não. Você olha e já vê logo que aquela menina ali é fácil. É lamentável isso. Você olha pro rapaz e percebe, 'é, aquele ali não é muita coisa não, vamos, vamos fazer'. É lamentável que a gente vai colocando na nossa cara a condição de homens e mulheres que não se amam, e por isso não são respeitados, e por isso também não serão amados."
Desta vez o padre deixe a praça pública de lado (que certamente tem mais valor pra muita gente do que tem pra ele) e vai pro território ou terreno baldio, que não tem nada de positivo. O irônico é que quase sempre terrenos baldios não são espaços públicos. Pelo contrário, são propriedade privada. Se fossem propriedade pública, poderiam ser praças, deixando a cidade mais agradável. Aliás, tem algo de nefasto em comparar "mulher fácil" e corpos de mulheres a terrenos baldios, porque terrenos baldios são lugares especialmente perigosos para mulheres, onde elas às vezes são estupradas, onde seus cadáveres muitas vezes são abandonados. 
O padre continua seu sermão:
"E você aceita [que o "mais ou menos namorado" não dê notícias], você vai vivendo a condição de terreno baldio. Se ele percebe que a moça é séria, depois de uns três, quatro dias que ele ficou com ela, que ele sabe que não vai poder enrolar, o quê que ele fala? 'Olha, você é uma pessoa muito simpática, muito bacana, MAS...' Ele só não tem coragem de complementar, mas ele deveria falar assim, desculpe a palavra: 'eu prefiro uma puta. Eu prefiro aquela que viva a condição de prostituta no mundo de hoje sem saber que é'. Na verdade o que ele precisa dizer com coragem é isso".
Ou seja, Fábio de Melo compara a moça que não é séria (e a seriedade é medida pela sua abstinência sexual) a quem vive "a condição de prostituta no mundo de hoje sem saber que é". Discurso mais moralista que esse de chamar mulher que faz sexo de prostituta, impossível. Até porque tira toda e qualquer agência da mulher. Uma garota pode querer fazer sexo sem compromisso, e daí? Ela pode não se sentir "usada". Ela pode sentir que "usou", se a gente realmente quer ficar nessa narrativa utilitarista furada. 
Sou alérgica ao patriarcado
E o padre se contradiz: antes, disse que "mulher fácil" fica sozinha, porque não tem ninguém pra cuidar dela (quem disse que ela quer ser cuidada? Ela deve ser respeitada e acabou). Agora, diz que "moça séria" também fica sozinha, porque os caras preferem as moças fáceis, quer dizer, as putas. Olha...
Dá pra escrever mais 150 folhas sobre o discurso machista do padre, mas vou parar por aqui. Sinto por quem o idolatra, mas ele está muito equivocado sobre o que acha, ou achava, de mulheres e praças e terrenos baldios. Torço para que ele e seus seguidores, e principalmente suas seguidoras (porque a vasta maioria dos fiéis é mulher, basta ver o vídeo da sua pregação), possam refletir sobre o que pensam das mulheres. 
E mudar. Sempre dá tempo.

82 comentários:

Anônimo disse...

Postar isso sobre o padre tudo bem, não é dona Lola?
Mas na hora de falar sobre o que o papa falou você finge que nem sabe de nada.
Assim quem quer enxergar percebe o quanto você é oportunista, só faz comentários sobre o que te convém.

Anônimo disse...

(Viviane)
Eita, Lola, a matéria que eu vi ontem no BuzzFeed sobre esse vídeo omitiu ao menos 80% do que você trouxe hoje!
É muito pior do que eu imaginei! Não sou católica, mas achava que Fábio de Melo era um padre mais "progressista". Agora vi que sob o discurso "intelectualizado", esconde-se um misógino como tantos outros na ICAR...
Ela ainda tenta disfarçar, mas o inconsciente o trai a todo momento, quando começa a falar de "pessoas", mas logo usa exemplos de "mulheres". Ééééé... Deus tá vendo!

lola aronovich disse...

O que o papa falou, anon das 18:56? Não estou nem sabendo.
E sim, escrevo sobre o que mais me interessa e quando tenho tempo. Esses são meus principais critérios pra escrever. Sinto não escrever sobre o que vc acha que eu devo escrever pra agradar anônimo. Se vc quer chamar meus critérios de "oportunistas", fique à vontade. E assine sua opinião.

Cesc Biavati disse...

O Papa Francisco disse para os cristãos perdoarem os homossexuais.

Obs: A Igreja não condena o homossexual, somente a prática homossexual que, aos olhos de Deus, é sim pecado.

titia disse...

Esse papinho de bom moço vindo de padre/pastor/monge comercial nunca me convenceu. Não adianta, quem faz parte de uma instituição misógina é misógino também; só que pagar de bonzinho com papo de bom mocismo rende mais dinheiro, que é o que essas instituições querem de verdade. Dinheiro e poder. É só isso que interessa a eles, mais nada. O que me deixa muito feliz é que, de novo, a máscara caiu de forma espetacular e logo esse tal Fábio de Melo deixa de vender. Um a menos na luta contra as mulheres, HÁ!

Agora, confesso que eu adoraria olhar na cara desse misógino metido a bom mocinho e perguntar "Então, a menininha de 5 anos que foi estuprada pelo pai estava mandando sinais de prostituta?".

Ariani Martins disse...

To cansada de me decepcionar com as pessoas. Não pensei que ele pensasse assim, ainda... Não é pra menos, antes de ser padre é homem... claro que teria esse pensamento de que existe isso de mulher fácil e culpar a mulher pelo que acontece com ela.
Ta complicado, né?

Anônimo disse...

Ai gente, não sei porque vocês se importam com o que o padre diz, sério, eles são da ICAR, sabe? o que vocês esperam?

Gosto muito de um vídeo do dráuzio varela, quando ele comenta sobre aquele horrivel caso da menina que engravidou aos 9 anos (no nordeste, nao me lembro exatamente onde), a família descobriu os abusos sofridos por ela apenas quando estava no 5º mês de gestação e ela foi submetida a um aborto.

O bispo excomungou a mãe da garota e os médicos que realizaram o procedimento.
O estuprador não.

Como bem lembrou o dráuzio varela, no codigo penal canônico, o aborto (entre outros atos) é punido com excomunhão.
O estupro não está nesse rol.

Então, qual a surpresa? por que tantas pessoas ficaram indignadas?

Eu ficaria surpresa se tivessem tido empatia com a menina e criticado o estuprador. É a Igreja, gente.


Alícia

Anônimo disse...

AH lola: o que o papa falou foi que a igreja deveria pedir perdão aos homossexuais.

Alícia

Anônimo disse...

O papa falou que a Igreja deve desculpas ao homossexuais.

Elvis disse...

Pois eu nunca botei fé nesse padre. Aliás, em padre nenhum. Pode falar frase bonitinha no Twitter e tudo, mas a religião que ele representa e prega é sim machista, misógina, homofóbica.

Anônimo disse...

Cesc Biavati, o papa disse que era para os cristãos pedirem perdão aos homossexuais, e não o contrário.

Anônimo disse...

Sei que pode não ter muita a ver para a maioria aqui, mas logo que eu soube que esse padre cantava em vaquejada, passai a não vê-lo mais com bons olhos.

Engraçado é que tem muitas mulheres, algumas inclusive que se dizem feministas e que ao mesmo tempo são fanáticas por este padre e que estão espalhando as palavras dele de forma bem superficial justamente para amenizar o que ele disse e ainda defende-lo como a justificativa de que ele se ''arrependeu''.

Gai disse...

Alicia, quer dizer que o padre pode falar as meras que ele quiser e não pode ser criticado. Ele é um homem público, atinge milhões de pessoas, e suas palavras influenciam pessoas sim! Para mim ele não passa de um boneco enrustido escroto, com toda aquela presepada nis videos que publica. Um escroto de um machista! Afff...

Anônimo disse...

Anon 18:65, a igreja católica já perseguiu tanto os homossexuais (entre outras inúmeras vítimas) que não faz mais que a sua obrigação em pedir desculpas as vítimas.

Anônimo disse...

Se alguém fuçar minhas publicações antigas do face, de uns 4 anos atrás, vai me achar a maior machista reaça do mundo. Pelo amor né, eu acredito em mudança. Me parece um julgamento absurdo para um vídeo de 9 anos. 9 anos. 9. A.N.O.S.

Anônimo disse...

Fico assombrada como esse sujeito passa por "moderninho".
Na igreja católica, misógina e homofóbica, há muitos padres, mais velhos inclusive, infinitamente mais abertos para as questões dos oprimidos. Não sei de onde saiu esse padreco, mas está precisando urgentemente dar uma reciclada nas ideias.

Anônimo disse...

Lola, o Padre está errado e você também está igualmente errada justamente por você ser outra face do Padre.

Anônimo disse...

Off) Tem uma página no facebook chamada ''clube das feministas - feminismo individualista e liberal'' na qual a pessoa que adm a pag além de parecer ser da turma do psdb postou algo bem assim: "Cabem a mulheres parar de reclamar e mostrar que 'podem fazer' http://bbc.in/28Yj2An O que acham dessas supostas feministas neoliberais e da direita moderada?

ANINHA disse...

Na verdade, ele disse que os cristãos deveriam pedir perdão aos homossexuais. Faz mais sentido, né?

Anônimo disse...

Um clássico. Um Clássico exemplo de criação de um espantalho e não serei eu quem mostrará por onde as palhas saem. .......Sérgio Carneiro

Anônimo disse...

Padre já é uma figura abjeta, agora, um padre pop, e de esquerda, é de uma bizarrice atroz.

Anônimo disse...

As mulheres e s crianças são vítimas da superioridade física e da covardia de alguns homens, ponto. Isso só acaba com o equilíbrio das forças, senão ainda vamos falar muito anos disso aqui. Sobre o equilíbrio vou dar um exemplo: uma mulher que é chefe da uma máfia, ou uma senadora, por exemplo; nenhum homem covarde põe a mão nela, porque sabe que o resultado será desastroso pra ele. Simples assim.

Anônimo disse...

progresso mesmo vai ser o dia em que o catolicismo e o cristianismo forem criminalizados como ideologias de ódio e execrados assim como o nazismo e o fascismo, e levando-se em conta o números de vitimas que tem muito maior que os dois citados principalmente entre mulheres que foram mortas as milhares em nome do cristianismo/catolicismo e hoje a perseguição que se tem nas igrejas evangélicas contras homossexuais que causam com seu discurso de ódio puro milhares de vitimas indiretas todos os anos, não seria nada que mais justo ser crime ser cristão em uma sociedade igualitária e de direitos.
Mas um dia eu sonho que chegaremos a este nível de civilidade.

Anônimo disse...

A igreja católica não deve pedir desculpas aos homossexuais, a igreja católica deve acabar para que homossexuais e mulheres sejam livres, assim como devem sumir da sociedade estes crentelhos homofóbicos e machistas.

Anônimo disse...

Engraçado essa 'imparcialidade' dos ativistas contra a igreja.... não sabem lhufas da doutrina, só falam sobre os assuntos quando lhes convém e quando reforçam seus esteriótipos sobre os católicos. Nas poucas vezes que falam 'bem', usam as polêmicas falas do papa Francisco de forma deturbada e fora de contexto.

E o irônico é que o pobre do padre Fábio é super perseguido dentro da igreja, por parte dos católicos mais 'tradicionais', porque acham que ele chega muito perto da heresia... agora a galera pseudo moderninha vai cair matando também... deve ser uma grande provação em relação ao orgulho e a vaidade. Espero que Deus continue dando sabedoria pra ele sair desse momento como uma pessoa melhor.

Anônimo disse...

O padre e homem, e isto e apenas um homem sendo homem, sendo tudo e apenas o que um homem e capaz de ser. Intolerável uma atitude destas.

Anônimo disse...

A pauta urgente hoje e pela criminalização da homofobia da lesbofobia, do cristianismo e da misoginia assim como justo hoje o é criem o racismo, e se perceberem tudo o que citei está intrinsecamente interligado.

Juliana Santos disse...

Esse padre nunca me enganou : se vc procurar uma entrevista antiga dele para a Marília Gabriela, vc verá que todo machismo spre esteve ali.

titia disse...

23:24 eu já não disse que é pra parar de fumar aquelas ervas estranhas que seus amigos oferecem? Já pro quarto mocinho, você está de castigo!

Anônimo disse...

Olha sinceramente, sabe aonde mora o problema? Na galera ficar tentando encontrar em religiosos referenciais, isto estou falando de quem não é religioso, a galera de esquerda enfim, deu para entender.
Ele não falou absolutamente nada que fuja daquilo que a religião cristão prega. Logo ele está bem coerente.
O que as pessoas querem é um religião que se amolde a sua vontade, a sua forma de pensar. Penso o contrário, adere a religião quem quer oras.
Ele virou um padre estrela, mas a galera esquece que ele ainda é padre e que ele ainda é católico, e a igreja católica prega a abstinência sexual até o casamento. Então me falem aonde mora o problema dessa pregação dele afinal?
Isso que nem sou católica. Mas me angustia por d+ post´s que envolvem religião. Caramba só é de tal religião quem quer, a pessoa tem que aceitar os parâmetros/dogmas daquilo, caso contrário, é só não ficar.
Mas as pessoas querem o conforto da religião, as palavras doces de um padre gente boa, mas não suportam ouvir o outro lado. A igreja católica tem o catecismo, dogmas, ou a pessoa aceita tudo ou não aceita nada.
E só lembrando, não sou católica, mas gosto de coerência.
Quanto a parte da violência doméstica, é realmente muito mais complexo que isso, e embora eu não concorde com tudo que ele fala sobre isso, me pergunto se ninguém disser para as mulheres que elas podem e devem ser agentes ativos, que elas podem e devem cair fora, então estamos carimbando na testa de mulheres agredidas que elas são vitimas crônicas, que elas se acostumem mesmo. O que ele fala é – Ei mulher se um cara te agride a primeira vez caia fora, você tem esse direito, ele não vai mudar, ele não merece segunda chance.
E gente, sério, apenas parem, claro que o discurso dele não está para crianças abusadas, ele fala ali para adultos, capazes de se proteger. Pelo amor de qualquer coisa que vc´s quiserem não sejam desonestas.

Sandra

Anônimo disse...

Ô anon de 22:30, ele disse que ainda pensa da mesma maneira. Bora ler o post inteiro...

Maria disse...

O contexto do discurso é sobre falta de amor próprio.
Se uma mulher não sente amor próprio, se a mulher se sente um lixo, as pessoas irão tratá-las como tal. A mulher tem que se dar respeito para ser respeitada.

Não é saindo pelada, cagando, vomitando, mijando em público ou transando com todo mundo que a mulher vai ganhar respeito.

Querem ser respeitadas? Demonstrem respeito.


Anônimo disse...

Fazendo coro com o anônimo das 08:43, o cara é um padre, faz parte de uma religião, e está pregando dentro do que ela afirma, afirma alias a milhares de anos, ora, não gosta, não concorda ok, mas será que abstinência não pode nunca ser promovida? Será mesmo que o comportamento sexual só vale se for o mais livre possível e sem qualquer critério? Isso é benéfico para as mulheres? Só questionando.

Então, é padre, estava falando aos seus, quem não concorda a porta da rua é serventia da casa.

Ps.: Ah se fosse um clérigo maometano...

Cesc Biavati disse...

Mas qual o problema dele ter falado isso? É liberdade de expressão. Sabe qual o problema? Tudo nesse país vira ofensa, dodói, racismo, machismo, nazismo, sexismo, homofobia, etc, etc, etc, etc. Nos EUA não existe esse tipo de punição por falar a bosta ou merda que quiser. Você pode até falar contra negros, elogiar o Ku Klux Klan, fazer musicas racistas como fez Johnny Rebel e seu Alabama Nigger, falar a bosta que quiser. Desde quando falar isso afeta alguém? O que se deveria punir é o ato em si e não a fala em si. Falar merda todos falamos durante o dia. Sinceramente, tanto conservadores quanto esquerdistas, seja qualquer um, um padre ou uma feminista, deveria ter o direito de falar a merda que bem entender.

Eu vejo que esse tipo de controle de pensamento ou expressão como algo totalmente autoritário. Qualquer coisa que não agrade o politicamente correto, entra no tal de "apologia a ismos".

Mila disse...

Acompanho alguma coisa da Igreja Católica (mamãe é muito católica) e já tenho visto algumas coisas mudando, inclusive reforçado pelo próprio Papa.
Mas acho cedo a gente ficar comemorando e achar que esses padres "progressistas" são incontestáveis. Eles estão numa instituição que é muito patriarcal, misógina e homofóbica. Já foi mais, é claro, mas não é de uma hora para outra que a Igreja toda vai se desconstruir. Também vale lembrar que há correntes dentro do catolicismo ainda mais conservadoras.

Anônimo disse...

Engraçado que a maioria das pessoas que criticam o cristianismo foram pessoas criadas dentro dele e perceberam suas mazelas ao invés de agir como cordeirinhos. Diria um amigo meu: "me tornei ateu depois q li a Bíblia".
O mesmo eu não posso dizer sobre os antifeministas. Eles não sabem m.... nenhuma sobre o feminismo, no máximo ouviram falar que era um movimento de mulheres gordas/feias/cabeludas/lésbicas que odeiam homens. Mesmo sem ter lido uma linha sobre feminismo, propagam abobrinhas de blog em blog.

Anônimo disse...

Oh dona ''Maria'', se isso não for mais um fake de um mascu, a mulher não deve ''se dar ao respeito'', o respeito já é dela por direito. Homens costumam fazer tudo o que vc condena e mais um pouco e ninguém diz que eles devem se dar ao respeito.

Anônimo disse...

Maria de 09:29: respeito as pessoas não merecem, tem por direito. Não é como um diploma que você ganha após estudar, não é um prêmio que você consegue num campeonato. Respeito tem que ser dado e recebido como DIREITO, como o direito que todos temos de respirar. E mais: todos temos o direito de sentir felicidade, amor, alegria, medo, certo? Então também temos o direito de sentir tristeza e depressão! Ou vai dizer que você nunca ficou triste na vida? Ah, mas é errado, porque TODAS as pessoas tristes e deprimidas, não importa a sua situação, não saber o significado de AMOR PRÓPRIO, não é?
E que tal você tentar aprender um pouco sobre amor ao próximo?

Anônimo disse...

Se fosse um clérigo maometano seria criticado do mesmo jeito, mas aqui no Brasil onde é a nossa realidade e nosso cotidiano se tem padres pops, pastores pops, bancada da bíblia e não clérigos maometanos.

Anônimo disse...

Eu vejo tanta mulher fã e admiradora desse padre. Será que elas são simplesmente ignorantes ou concordam plenamente com o pensamento dele?

Anônimo disse...

O discurso dele foi muito mais voltado para mulheres e para julgar mulheres e não para adultos de ambos os sexos. Então não seja vc desonesta.

Anônimo disse...

Ele defende o que a Igreja prega. Ele é um padre. Qual o problema?

Todas temos o direito de discordar das ideias defendidas, mas apedreja-lo por isso, por dizer exatamente o que a Igreja manda ele dizer? Acho que não.

E como disse o anonimo das 09:55, reagiriamos da mesma forma se fosse um clerigo muçulmano falando sobre o que a religião dele prega?

Anônimo disse...

Sandra se vc não leu direito, o discurso dele se voltou completamente para as mulheres e na maioria das vezes as mulheres são fisicamente indefesas em relação aos homens, por isso ocorre tantos estupros, ou vai dizer que elas não se defendem por que não querem? Quanto a tal maria, sem comentários. Deve ser a mesma maria trolladeira do site Pragmatismo Político.

Anônimo disse...

Os vários comentários deste post são uma prova de que existe sim mulheres machistas.

titia disse...

Sandra, meu amor, mulheres morrem, crianças sofrem abusos, homens podem fugir das suas responsabilidades e estuprar impunemente porque a igreja se mete no que não é da conta dela. Porque se mete a proibir aborto, camisinha, a espalhar esse machismo idiota de que mulheres devem se dar ao respeito (mas homens não precisam se dar, né, eles merecem respeito mesmo que andem pelados pela rua). Ah, não esqueçamos o papa indo proibir o uso de preservativos no continente com o maior índice de AIDS no mundo. Sandra, essa instituição que você defende excomungou a mãe e os médicos que fizeram um aborto em uma menina estuprada de nove anos, do contrário ela ia morrer. O estuprador? Ganhou um carinho na cabeça e um passe livre pra estuprar mais menininhas. Não tem essa de "Ai, entra quem quer suas feminazis malvadas e todo mundo vive em paz". Não, minha filha, não, a igreja tá lá firme e forte estragando a vida de quem não tem nem quer ter nada a ver com a doutrina dela. E não vamos nos calar sobre essa tirania religiosa, aceita que dói menos.


Maria, minha flor de dedaleira, por que então só a mulher deve se dar o respeito? Por que os homens podem sair na rua pelados, transar com todo mundo, mijar, vomitar e cagar nos espaços públicos como eles já fazem que mesmo assim eles merecem respeito? Te respondo: porque você é outra iludida machista que acha que seguir as regrinhas vai te proteger da violência e do desprezo masculino. Dica de quem fez o mesmo por anos, amor: você vai servir de capacho pra macho a sua vida toda e vai se foder espetacularmente na mão desses mesmos machos que tanto quer agradar. Você vai se foder tão lindamente nas mãos deles que vai voltar aqui chorando, e essas mulheres que você tanto despreza por não se curvarem ao machismo como você faz vão ser o seu único apoio. Fica a dica, larga o machismo enquanto você ainda não se fodeu que vai doer menos.

Anônimo disse...

Interessante, Maria. Você chega pro seu pai/irmão/amigo/namorado/qualquerhomem e fala que ele tem que "se dar ao respeito" para ser respeitado também?

Anônimo disse...

clérigo maometano é muçulmano?

Anônimo disse...

^ Até que enfim alguém entendeu... mas não esperem que feministas entendam...

BLH

@vbfri disse...

Lola, querida... dando meus dois centavos:
Acho que ele foi infeliz em 2007 e um pouco mais infeliz agora.
Mas, honestamente, gosto do Pe. Fabio.
Só que... Ele É padre. Padre é padre.
Veja o caso dele com a travesti. É de uma fofura só. Ele mesmo busca quebrar os preconceitos.
Tá, no vídeo que ele fala da travesti, ele se refere a ela como "ele". Quando ele foi informado disso, ele se retratou.
Eu em 2007 achava que a Sarah Winter era feminista. Ó as ideia.
Ainda bem que a gente muda.
Abra seu coração pro padre. Ele é gente boa.
Limitado ainda pelas ideias machistas da igreja.
Mas, diante do show de horrores que tende a ser a ICAR, ele é um oásis de ursinhos carinhosos.
Beijos

Maria disse...

Lógico que homens também devem se dar o respeito. Isso é óbvio, nem precisava ser dito!
Lógico que eu não respeito homens que cagam, mijam, vomitam em público ou que transam com todo mundo.

Sim, se meu pai/irmão/amigo/namorado/ cagasse, mijasse, vomitasse em público ou transasse com todo mundo ele não teria o meu respeito.

Mas, não sei se vocês perceberam, o assunto é sobre mulheres.

Se a seguinte afirmação é verdadeira:

respeito as pessoas não merecem, tem por direito

Então assassinos, racistas, homofóbicos, pedófilos, estupradores tem o direito de serem respeitados.

@vbfri disse...

Maria disse:

>Se a seguinte afirmação é verdadeira:

respeito as pessoas não merecem, tem por direito

Então assassinos, racistas, homofóbicos, pedófilos, estupradores tem o direito de serem respeitados.<

SIM. EXATO.

Direitos humanos é o seguinte:

AINDA QUE a pessoa tenha cometido um crime, ela DEVE ser respeitada. A sua integridade física deve ser GARANTIDA e ela deve ter direitos BÁSICOS preservados.

Direito à saúde, à integridade física, à alimentação adequada, à defesa, ao contraditório.

AINDA que esteja PRESA, ela NÃO PODE ser violada em qualquer sentido.

Que BOM que você entendeu que SIM, até pedófilos merecem ser respeitados e ter seus direitos GARANTIDOS.

NEM O PEDÓFILO merece ser estuprado. Porque NINGUÉM merece ser estuprado. Porque TODOS MERECEM RESPEITO. Respeito às posses, ao corpo, à individualidade.

Entendeu??????

Maria disse...

Peraí, estamos falando línguas diferentes.

Estou falando de respeito de acordo com sua definição:

respeito
res·pei·to
sm
1 Ato ou efeito de respeitar(-se).
2 Tratamento com profunda reverência ou consideração.
3 Consideração demonstrada por uma pessoa ou por alguma coisa.
4 Deferência considerável.
5 Aquilo que determina o acontecimento de algo ou a existência de algum fato.
6 Sentimento caracterizado pelo medo.

De acordo com a definição de respeito, eu não respeito assassinos, racistas, homofóbicos, pedófilos, estupradores, pois eu não os trato com profunda reverência ou consideração.

É desse tipo de respeito que estou falando e não sobre direitos humanos.

Anônimo disse...

O troll maria comparou todas as mulheres com criminosos. Para a dona maria: Todas as mulheres devem ser respeitadas por direito = passar a mão na cabeça de bandidos.

Que é isso!

Maria disse...

O troll maria comparou todas as mulheres com criminosos. Para a dona maria: Todas as mulheres devem ser respeitadas por direito = passar a mão na cabeça de bandidos.

você disse exatamente o oposto do que eu escrevi.

Eu disse que ninguém tem o direito de ser respeitado.
Respeito(de acordo com a definição do dicionários) não é um direito.
Respeito é um sentimento positivo por uma pessoa, e isso ninguém tem por direito, isso é conquistado.

Anônimo disse...

O Padre Fábio tem razão. A mulher é quem decide agir e reagir.
A mulher só apanha até o dia em que ela decide dizer não.

@vbfri disse...

Vamulá, Dona Maria...

Tô achando que você é uma moça Cristã, certo?

Então, ok.

Vocês ouviram o que foi dito: ‘Ame o seu próximo e odeie o seu inimigo’.
Mas eu lhes digo: Amem os seus inimigos e orem por aqueles que os perseguem. Mateus: 5.43-44.

Quem odeia o seu irmão é assassino e vocês sabem que nenhum assassino tem vida eterna em si mesmo. Nisto conhecemos o que é o amor: Jesus Cristo deu a sua vida por nós, e devemos dar a nossa vida por nossos irmãos. 1 João: 3.15-16.

Seja constante o amor fraternal. Não se esqueçam da hospitalidade, foi praticando-a que, sem saber, alguns acolheram anjos. Lembrem-se dos que estão na prisão, como se estivessem aprisionados com eles, dos que estão sendo maltratados, como se fossem vocês mesmos que estivessem sofrendo. Hebreus: 13.1-3.

Pronto.

Já nem falo mais de respeito.

Falo de AMOR.

Beijo.

Maria disse...

@vbfri,

Sim, sou cristã.
Mas não estou falando de amor, muito menos de religião.
Estou falando sobre o direito ao respeito.

Você mudou completamente o assunto.

E, não julgue a oratória pelo orador, mas pelo seu conteúdo.

@vbfri disse...

E como você pode amar uma pessoa sem respeitá-la?

Anônimo disse...

Respeito não é sentimento. É simplesmente não violar o direito do outro. Por exemplo, eu não tenho nenhum sentimento pelos estranhos que eu encontro no ônibus, mas peço licença quando passo e procuro não fumar e ouvir rock na maior altura porque eu tenho respeito por eles. Ao contrário, o desrespeito que é conquistado. E que porra é essa de comparar mulheres promiscuas com criminosos? Sinceramente, o que tem uma coisa a ver com a outra? Por respeito, não vou xingar você apesar do meu sentimento. Eis a diferença.

Dan

Anônimo disse...

Maria, ninguém quer te obrigar a convidar uma mulher "que não se dá ao respeito" a ir na sua casa e ser sua amiguinha. Ninguém tá usando "respeito" como "profunda reverência". O "respeito" que estamos falando é que você não tem o direito de apontar ela na rua, de chamá-la de vadia, de achar "bem feito" se ela for agredida porque foda-se sua opinião sobre o estilo de vida dela. Não tenho "uma profunda reverência" por vc, mas te respeito o suficiente -como a qualquer pessoa- pra não te ofender ou diminuir pelo seu estilo de vida. E que ótimo que você é honesta o suficiente pra também "não respeitar" um homem pelado, promíscuo, que mija na rua e o escambau, mas sugiro qie você faça o teste do pescoço pra notar que é exceção - e que a maior parte das pessoas acha esse tipo de comportamento abominável, horrível, indecente em mulher, mas passável, "é só brincadeira", em homem.

Anônimo disse...

Maria, que adora um dicionário, esqueceu de destacar logo a primeira definição de "respeito":

1 Ato ou efeito de respeitar(-se).

Vamos então à definição de respeitar:

respeitar
verbo

1.transitivo direto
ter respeito, deferência por (alguém ou algo); ter em consideração.
"os filhos respeitam-no"

2.transitivo direto
demonstrar acatamento ou obediência a; cumprir, observar.
"r. as ordens"

3.transitivo direto
ter medo de, recear.
"r. o animal bravio"

4.transitivo direto
tomar em considerações; ter em conta; atender a.
"r. a vontade do povo"

5.transitivo direto
não causar qualquer prejuízo a; poupar.

"r. as obras do passado"

6.transitivo direto
ter cuidado com; não perturbar.

"r. o sono de alguém"

7.transitivo direto
demonstrar tolerância com; suportar, admitir.

"r. críticas"

8.transitivo indireto
dizer respeito a; concernir.
"esses fatos respeitam à justiça"

9.transitivo indireto
estar na direção; estar voltado; apontar.
"quando saiu, o navio respeitava ao norte"

10.pronominal
guardar o decoro que convém à sua situação, à sua dignidade; dar-se ao respeito.
"ele sabe r.-se"


As duas primeiras definições falam sobre acatar, obedecer, ter deferência por, ou até medo de alguém. Obviamente, não é esse sentido que usamos quando defendemos que todo ser humano tem o direito de ser respeitado (inclusive mulheres promíscuas e bandidos), mas sim o sentido das definições 5, 6 e 7.

Mulher alguma deveria "se dar o respeito" para não ser perturbada ou agredida.



Anônimo disse...

Eu também não condeno o cristianismo, mas abomino as práticas cristãs. Hurr, durrr...

Anônimo disse...

É homem, é padre, é religioso... não dava pra esperar muita coisa diferente... eles sempre vão colocar a culpa das merdas que fazem e dizem nas mulheres.

Afinal, é muito mais fácil jogar a responsabilidade nas costas das outras e sair de fininho...

Jane Doe

Raven Deschain disse...

Olha que surpresa, um padre machista. Hahahaha eswuerda liberal é foda.

Anônimo disse...

Concordo que devemos respeitar, no sentido de causar prejuízo, as mulheres prosmíscuas.

Mas isso não vale para os bandidos.
Se bandidos tem direito ao respeito, não podemos causar prejuízo a ele. Logo, ele não pode ser preso. Se o prendemos, o privamos da liberdade e isso é causar prejuízo.

Maria

Anônimo disse...

Ele é um padre, representa uma instituição arcaica, deve ter tido pouca experiência sexual, vive num conflito entre ser um sacerdote e ao mesmo tempo "gato". Ele prega para o público dele: conservador, retrógado, recalcado... Não fala para a esquerda, não faz discurso político muito menos correto. Ele apenas vende o que é necessário para as ovelhas da igreja: auto-ajuda, lições de moral e explicações bíblicas repressoras.

É uma bobagem escrever um texto deste tamanho atacando-o.

O feminismo deveria buscar explicações para o fenômeno da violência contra a mulher e assim oferecer novas ferramentas para protegê-la.

Ficar de mimimi pelo que o Silvio Santos falou, o Bolsaro falou, o padre disse, o pastou arrotou é ridículo!

Anônimo disse...

Certamente esse foi o pior post que já li por aqui.Acho ilegítimo iniciar o texto afirmando que não conhece o padre e depois colocá-lo na fogueira por algo que ele disse há tanto tempo, só porque o vídeo viralizou.
Também não "acompanho" o padre, sequer acredito em Deus, mas não gosto dessa abordagem de inventar inimigos. Acho que o feminismo perde muito com esse tipo de abordagem.
Fabi.

Anônimo disse...

O feminismo deveria buscar explicações para o fenômeno da violência contra a mulher e assim oferecer novas ferramentas para protegê-la.

A fala do padre, que é a fala da igreja, é uma das causas da permanência da violência contra a mulher. Se nada é dito sobre e para agressores, jamais solucionaremos essa questão da violência. Vítimas só existem porque existem agressores e não o contrário. Combater a violência é falar sobre agressores, não das vítimas. O pensamento das religiões é uma das causas da violência doméstica. É o homem que precisa mudar o seu olhar sobre a mulher, só pra ficar na fala do padreco em questão.

Anônimo disse...

O modo como o homem vê a mulher é uma das causas, diria a principal, da violência contra a mulher.

Hele Silveira disse...

Não entendo como um Padre estuda e se prepara por tantos anos, mas ignora o exemplo bíblico. Jesus impediu o apedrejamento duma mulher encontrada praticando o adultério. Ele disse ao povo arrogante e soberbo que somente aqueles que não tivessem pecado, poderiam atirar pedras contra a mulher. A partir dos mais velhos, todos começaram a se retirar, até que não restou ninguém e Jesus perguntou à mulher onde estavam os seus acusadores. A mulher respondeu que não restava nem um e, então, Jesus lhe disse: "Nem eu te condeno." Se Jesus preferiu ensinar o povo a pensar e a evitar julgamentos preconceituosos, é inconcebível que um líder religioso que se diz cristão ensine o contrário. Vê-se, hoje, nas Igrejas, muito de Instituição e pouco do Reino de Deus. É lamentável. Jesus jamais assinaria o infeliz sermão do Padre Fábio de Melo.

Anônimo disse...

E oq há de errado nisso?

Denize Silva disse...

Lolinha, cresci na igreja evangélica e uma frase que escuto ainda hoje até de outras mulheres é "Mulher tem de ser jardim fechado, não praça publica!"
Estão sempre arrumando um jeito de proibir a liberdade sexual! E alguns quando falam de depressão ainda falam "isso é falta de amor próprio, é falta de Deus no coração"
Fico indignada!
Esse tipo de comentário vindo de muitas pessoas no meio religioso infelizmente é comum!

Anônimo disse...

Quanto mimimi besta...o cara só disse a um público feminino que elas podem parar determinados tipos de violência ao decidirem não aceitar abusos. Por acaso ele disse que toda mulher em qqr situação de vulnerabilidade é capaz de parar qualquer tipo de ataque? Acho que não! A ideia da msg foi bem clara...instigar aqueeele grupo de pessoas, que compartilham da mesma crença que ele a denunciar abusos, largar o infeliz, denunciar! Ele não disse que a reação da vítima é capaz de abolir crimes...mas que a inércia das vítimas pode sim levá-las a sofrer mais! Oras...alguem pega na maozinha da mulher que foi estuprada ou q apanhou do marido e leva para a delegacia porq viu ou desconfia que ela está sendo abusada? Na maioria arradadora dos casos não! Loooogo a iniciativa é de quem?? E concordam que para entregar o algoz é preciso de coragem e decidir, nem que seja por um momento, afastar e impedir algum abuso?
O que esse padre falou foi que as mulheres podem se defender...e não que a culpa é delas por der abusada!
Mas nesses tempos de mimimi so se interpreta conforme lhe convém ne...melhor criar bafão dizendo q o padre acha que a vítima sofre por culpa própria e que mulher apanha pq quer!
Tremenda porcaria esse texto

Anônimo disse...

O único motivo pra homens quererem tanto reprimir a liberdade sexual das mulheres, é poder, de alguma forma, controlar a reprodução. O maior medo de qualquer macho é criar filho de outro achando que é seu. E o pior ódio de qualquer macho é que o controle da natalidade seja das mulheres, e não deles.

Selene disse...

"(...) não que uma mulher já tem valor, mas que ela precisa consegui-lo através de sua abstinência."

Tudo bem não concordar com um ensinamento religioso, mas ao menos, o entenda corretamente primeiro. A doutrina católica defende justamente o contrário: temos dignidade e pureza (o que você chama "valor") após o batismo, tanto homem quanto mulher, e só as perdemos com ações contrárias a isso, no decorrer da vida e com a falta de arrependimento.

A abstinência mantém o "valor", não o conquista. Discorde disso.

***

A autora rebate analogias ("praça pública", "terreno baldio") com uma interpretação material, urbanística! Que bizarro.

O padre disse que as pessoas (as normais, não as super heroínas feministas) precisam da presença é cuidado de outras pessoas e que o envolvimento sexual desregrado pode convencer um fulano que ciclana não precisa ou não tem como receber esse afeto.

Ideia errada? Talvez. Mas é ela que precisa ser discutida, e não o IDH de cidade com praça, professora de Letras.

***

Não entendo porque pagãos e ateus ouvem tanto padres e pastores. Vocês não são cristãos. Por que as ideias de sacerdotes de uma religião que vocês já descartaram importam tanto? Pra vocês, eles nunca vão acertar.

Hele Silveira disse...

"A abstinência mantém o 'valor', não o conquista. Discorde disso." Discordar? É pra já! É muita piração achar que algo que NÃO SE FAZ contribua para manter valores. Qual é o valor do que NÃO se faz, ora bolinhas? Acrescenta em que? Agrega em que? Tô pagando pra saber! Que eu saiba, mantemos nossos valores quando afirmamos o nosso caráter e as nossas ações. Valor no meio das pernas, via abstinência? É sério que eu li isso? Até agora, não estou acreditando. Valemos e mantemos nosso valor pelo que FAZEMOS, não pelo que deixamos de fazer. E... pessoa normal? Quem está interessado nisso? Se o mundo tivesse a mínima noção do que é normal, não seria o caos que vemos todos os dias. "Eu sou eu, Nicucu é o Didi", rs. Normal? Jamais. Que cada um seja do seu jeito e exerça sua autenticidade sem se importar com falsos moralismos e normalidade hipócrita.

Selene disse...

Hele:

É sério que você leu isso.

Se abster de fazer coisas ruins preserva a nossa inocência, sim. Agora, o que exatamente é ruim em relação ao sexo?

Segundo os católicos, não é o sexo, o prazer em si, mas se aproximar de pessoas com intenções sexuais e estar pronto pra abandonar e trocar quando depois que o desejo é satisfeito. Acho que nem dá pra chamar isso de sexo, mas uma corruptela sem sal dele, uma masturbação acompanhado e mediado por látex.

Acreditar que o sexo pode ser separado do afeto, da vontade de ficar junto, das memórias da intimidade que são levadas para o relacionamento seguinte, é acreditar que somos máquinas, mas nem o Frankenstein de Shelley ficou livre de ter um mundo íntimo complexo. (Aliás, Mary Shelley entrou na onda revolucionária e iluminista da sua época, fez as "liberdades" e morreu escrevendo cartas para a irmã falando sobre o seu arrependimento - não porque algum moralista cobrou algo dela, mas pelos resultados práticos do mal que ela fez a outras pessoas, vistos com os próprios olhos.)

Então, "afirm(ar) nosso caráter e as nossas ações" evitando a indulgência a vícios e taras íntimas preocupadas com o próprio umbigo e se lixando para os outros, é um caminho, sim. Se você acha que está acima ou livre disso, ou que está rodeada de pessoas que pensam e vivem igual a você... taca-lhe pau nesse carrinho, boa sorte! Só não pense que todo mundo deveria ir para o mesmo abismo da autenticidade dos robôs.

Falso moralismo e hipocrisia são abundantes nesse assunto, mesmo. Você tem toda razão. Eu sou hipócrita, pra começar. Mas não sou mentiroso: não é porque sou incapaz de fazer uma coisa boa que devo acreditar e falar para os outros que essa coisa boa é impossível, está errada, ou não existe.

***

Eu errei na palavra "normal", deveria ter dito "simples", "comum", "real", "de carne e osso", e não as ficções existencialistas (falando de Sartre e sua amante), carpe diem que vocês acreditam viver.


Se cuida.

Hele Silveira disse...

"Você tem toda razão - eu sou hipócrita." Eu não sou. E é você que aconselha que EU me cuide? Tire a trave do seu olho antes de enxergar cisco no olho do próximo e se cuide você.

Selene disse...

Bom, Hele, "se cuida" foi só um cumprimento qualquer.

Mas vou levar pro seu lado:

Sim, vou cuidar do meu cisco de hipocrisia. E agora, vou pedir pra você cuidar do seu da mentira e relativismo.

Se cuida.

titia disse...

Selene, odeio furar sua bolhinha, mas sabia que esse papo de "as pessoas só tem valor depois do batismo" justificava o assassinato de recém nascidos na idade média? É, antes da pessoa ser batizada, mata-la era como matar um animal e não era pecado. Matar um recém nascido que não tinha sido batizado, pra sua igrejinha amada, era o mesmo que matar um animal. Mudaram isso quando perceberam que, quanto mais maternidade irresponsável, mais ovelhinhas pro curral econômico deles. Instituição legal, né? Bom, minha filha, faça o que quiser da sua vida mas tire suas doutrinas machistas e primitivas da vida e do corpo das outras. Sabe, é meio chocante, mas... você não tem esse direito. Nem você nem seus padres podem impor suas opiniões particulares sobre as outras, embora tenham apelado até pra inquisição pra fazer isso. Quer ser ordenhada pela vida toda pra sustentar os mármores e sedas do Vaticano? Faça isso. Mas mantenha suas imposições pra você.

Neia Nunes disse...

Quanta ignorancia.

Neia Nunes disse...

Ele fala da religiao que segue nao gosta dele assista outra coisa