sexta-feira, 10 de abril de 2015

UM PESADELO CHAMADO TERCEIRIZAÇÃO

Ano passado dei uma palestra na Unilab, em Redenção, próximo a Fortaleza. 
Um gentil motorista me levou, e conversamos a viagem toda. Ele me contou que, antes de virar motorista, trabalhou durante anos como técnico de cabos de telefonia. Parou porque, segundo ele, toda essa área de serviços foi terceirizada. Ele viu seu salário despencar, e mudou de profissão. 
Infelizmente, ele também era terceirizado no seu trabalho como motorista. Ele ficava à disposição da Unilab, uma universidade federal, para buscar e levar palestrantes, mas não era contratado pela instituição. Era contratado por uma empresa que cobrava uma nota da Unilab para disponibilizar carros e motoristas, e pagava uma mixaria pros motoristas. O lucro ficava inteirinho com a empresa que terceirizava. Um grande negócio. Só que não pra universidade, nem pros motoristas, nem pra nós, contribuintes.
Eu e o motorista começamos a fazer uns cálculos bem chutados sobre como seria muito mais negócio se a universidade comprasse uns dois carros e contratasse diretamente, sem intermediários, dois motoristas para ficar a sua disposição. Assim, seria feito um concurso público. E os motoristas que fossem contratados ganhariam muito mais do que ganham como terceirizados.
A terceirização, um sintoma do neoliberalismo, chegou com tudo no Brasil na década de 1990. Hoje, um em cada cinco trabalhadores brasileiros é terceirizado. E isso é uma praga, ou você conhece algum funcionário terceirizado que esteja feliz no emprego? Os trabalhadores terceirizados ganham um salário 25% menor, em média, que os regulares, pelo mesmo serviço, segundo estudo do Dieese. No setor bancário, um terceirizado recebe em média um terço do salário dos bancários regulares. Apesar de terceirizados ganharem menos, trabalham mais horas, e ficam 3,1 anos a menos no emprego. 
Mas lógico que a terceirização não é péssima pra todos: os donos das empresas de terceirização ganham três vezes mais que o que pagam ao empregado terceirizado. 
Porém, tirando os lucros gigantescos dos donos de empresas que terceirizam, todos os índices de qualidade de emprego são piores para funcionários terceirizados. Não é só que eles trabalham mais horas e ganham menos. Eles sofrem mais acidentes de trabalho (4 em cada 5 acidentes envolvem terceirizados; na área petrolífera, por exemplo, um terceirizado tem 5,5 vezes mais chance de morrer em acidente que um efetivo), mais assédio moral e sexual e cometem mais suicídio 
Esse estrago todo é causado já com as limitações ao trabalho terceirizado (veja o documentário Terceirizado, Um Trabalhador Brasileiro). Afinal, as empresas são proibidas de contratar terceirizados para atividades-fim, e podem contratar apenas para atividades-meio (por exemplo, segurança, limpeza, manutenção). 
Mas o projeto de lei 4330/04, aprovado anteontem na Câmara, visa modificar isso. O texto ainda tem que ser votado no Senado e, depois, vai para sanção ou veto presidencial. Se passar, todas essas limitações viram pó. Qualquer empresa poderá contratar funcionários terceirizados para qualquer cargo (privado e, inclusive, público). 
Todas as empresas poderão subcontratar todos os seus serviços, inclusive os serviços principais que a empresa oferece (tipo: uma escola poderá contratar professores terceirizados). Sem limites! Imagina que beleza: uma empresa contrata uma prestadora de serviços, que contrata outra para fornecer funcionários pra ela (uma quarteirização), que contrata outra (uma quinteirização)... Se hoje uma empresa já tenta fugir pela tangente quando a empresa terceirizada faz algo de errado ("ah, a gente não sabia, não somos responsáveis, não são nossos empregados, são terceirizados"), imagina com essas subcontratações. 
Lembra de quando a Lojas Marisa foi pega explorando trabalho escravo? Ah sim, não foi a Lojas Marisa! Foi apenas uma empresa terceirizada contratada pelas Lojas Marisa. Essa empresa terceirizada achou que tudo bem manter imigrantes ilegais bolivianos num porão em SP trabalhando 16 horas por dia. Eu boicoto a Lojas Marisa desde então. Se bem que não foi só ela, lógico. Nos últimos quatro anos, 90% dos trabalhadores resgatados nos dez maiores flagrantes de trabalho escravo contemporâneo eram terceirizados. 
Quero registrar o posicionamento do procurador-geral do Trabalho, Luís Camargo, sobre o PL 4330: “Na prática, o resultado será a maior fragmentação dos trabalhadores, mais precarização, menores salários e piores condições de trabalho. O cenário também levará ao desaquecimento da economia, problemas na arrecadação fiscal e rombo na Previdência Social. Junte-se a isso a redução da produtividade e a prestação de serviços de baixa qualidade para toda a população”.
Pois é, tem o rombo da previdência também. De uma forma ou de outra, quem garante o lucro dos donos de empresas somos nós. Muitas empresas terceirizadas não oferecem treinamento ou segurança a seus funcionários, nem recolhem INSS ou FGTS, não pagam vale-transporte, atrasam ou cancelam pagamentos. Fazem isso durante anos e, quando finalmente são intimadas (malditos direitos trabalhistas estrangulando os empresários!) a pagar o que devem, fecham as portas. Reabrem pouco depois com um novo CNPJ, para explorar uma nova leva de funcionários. 
E melhor nem falar o que o PL 4330 fará com o serviço público. Já existem comissionados demais nos repartimentos, e todos sabemos que esta alternativa de contratação é uma porta aberta para a corrupção e o nepotismo. É duro ver reaças, que prezam a meritocracia acima de tudo, aplaudir um texto com potencial para acabar com os concursos públicos. 
E cadê a transparência dos terceirizados? O que sabemos? Eu sou professora universitária, servidora pública concursada. Meu salário é público. Está no Portal da Transparência pra todo mundo ver. E o salário dos terceirizados?
O projeto pode causar um estrago tão, mas tão grande ao país, que até deixou alguns reaças confusos:

Ué, não eram os sindicalistas os sanguessugas dos trabalhadores, enquanto os empresários, tão altruístas, tão sem ganância, eram aqueles que faziam o favor de pagar um salário ao funcionário? Então como é que esses empresários estão querendo "flexibilizar" (adoro esse eufemismo) os direitos trabalhistas, se possível acabando com todas as conquistas da CLT de 1943, que tanto "engessam" (ha ha, direitos são ruins!) a economia?
Concordo com o que vários sindicalistas estão dizendo: o PL 4330 é o maior ataque aos direitos trabalhistas das últimas décadas. E pode apostar que não será o único.
Mas como uma atrocidade dessas, tão nociva à enorme maioria da população, passa no congresso mais conservador deste 1964? Opa, acho que acabei de responder minha pergunta. O projeto foi aprovado com facilidade: 324 votos a favor, 137 contra, duas abstenções. Só três partidos (PT, PSOL e PCdoB) orientaram seus parlamentares a votarem contra o projeto. PMDB, PSDB, DEM, PPS, PV, PP, PR, PSB, PDT (Brizola deve ter feito duplo twist carpado no túmulo), todos votaram a favor (veja em quem seu deputado votou, cobre agora, e guarde o nome pras próximas eleições).
O mais incrível foi o Solidariedade, partido da Força Sindical, votar em peso a favor do projeto. Isso porque a Força conta muitos terceirizados entre seus filiados. 
Paulinho da Forca e Eduardo Cunha
Terceirização significa dificuldade de negociação, porque os funcionários de uma mesma empresa ficam todos espalhados, e a Força se vale dessa alienação. Espero que a partir de agora a Força Sindical altere seu nome. Sindicato que apoia a terceirização deve se chamar Forca Sindical.
Mas tem gente que jura que a terceirização é ótima, porque é melhor trabalhar sem segurança, tendo os seus direitos trabalhistas rifados, ganhando menos e trabalhando mais, do que estar no mercado informal. Esse tipo de lógica me faz lembrar o comentário que li quando o trabalho escravo da empresa terceirizada pela Lojas Marisa foi descoberto: 
“É mais decente ver homens e mulheres trabalhando neste ambiente de trabalho, mesmo sem registro, mesmo com seus filhos a tira-colo, do que nos faróis pedindo esmola, roubando ou usando as crianças... e a Marisa só cria mais e mais empregos! Deixem ela em paz!”
É balela que a terceirização vai aumentar o número de vagas. Terceirizados trabalham três horas a mais por semana que os regulares. Alguma dúvida que, se o projeto for aprovado, vai aumentar muito o número de terceirizados? O número de vagas vai é cair, pois eles trabalharão mais. Segundo o Dieese, se os terceirizados trabalhassem o mesmo número de horas que os efetivos, teriam que ser criadas 880 mil novas vagas.
A hora é de fazer o máximo de barulho para que o PL não passe. O Senado atual é um tiquinho menos retrógrado que a Câmara, então vale a pena pressionar. Se passar essa aberração, esperamos que Dilma vete. Se bem que aí volta pro Congresso, e o veto pode ser derrubado. Sério, depende da gente. Se não houver pressão popular, o PL 4330 será aprovado.
A terceirização não me afetaria muito. Já sou contratada por uma universidade pública e só pretendo sair daqui quando me aposentar (talvez daqui a 8 anos, se der?). Mas eu sou humana. Meus colegas na faculdade não são apenas os professores e secretários, mas todos que lá trabalham. E todos os serviços de segurança e limpeza já são terceirizados. Os guardas e serventes que cumprimento diariamente, que trabalham no mesmo prédio que eu, aqueles que têm que bater cartão, estão numa categoria de emprego inferior. Não por não terem mestrado ou doutorado, mas por serem terceirizados. 
Eu quero viver num país em que os trabalhadores não estejam divididos entre aqueles com direitos e os sem direitos, entre os de primeira e segunda classe. Ou melhor, os de terceira classe: os da classe terceirizada.

75 comentários:

Jamile disse...

Lola, eu só tenho um pequeno cometário a fazer, o PL não tem como acabar com a exigência de concursos públicos para administração direta (união, estados, DF e municípios) e indireta (autarquias, fundações publicas) pq é exigência constitucional. Para isso, teria que ser uma PEC (proposta de emenda à CF) e não um PL (projeto de Lei).
Fora isso, o que vemos claramente nessa tentativa do congresso de aprovar essa lei é proteger seus financiadores. Eles receberam milhoes pra conseguirem se eleger e agora estão dando o retorno. Há muito tempo que nossos representantes representam apenas interesses pessoais e não da população como um todo. Se isso for aprovado, será um dos maiores retrocessos na historia do Brasil. triste e revoltante. Só espero ue aqueles que vão protestar contra o governo federal no dia 12.04 incluam o legislativo na pauta e exijam o arquivamento, incineração e total esquecimento desse projeto

Anônimo disse...

Quem apoia isso a direita machistas anecefalos,eles são as escória do país.

Anônimo disse...

Oi Lola! No caso do motorista, este cargo e extinto do quadro funcional da União. Então, a Universidade Nao poderia fazer concurso para contratação não somente de motoristas, como serventes, copeiras, porteiros, ascensorista e outros. Esse lance de terceirizaçao abre brecha pra que is cargos que ainda existem em quadro funcional desapareça também. Bjs, te admiro muito. Carol

Anônimo disse...

nossa parece a pior coisa do mundo, mas eu eu acho sensacionalismo demais, isto seria o pior dos piores cenários, todos os empresarios terão de ser as piores pessoas do mundo. um cenário bem "distopico", a não ser para aqueles que demonizam os empresarios aí é um prato cheio.

hoje 1 em cada 4 empregos no brasil ja é terceirizado e nem por isto vivemos uma situação de plena escravidão com funcionarios morrendo de trabalhar.

diminuir imposto ninguem quer, facilitar a contratação e diminuir a carga tributaria ninguem quer, diminuir a tamanho do estado ninguem quer..

vai ter terceirização sim e não gostar vai ter quarterização (isto já existe hoje e nem por isto o brasil acabou)

Anônimo disse...

Aposto que o anônimo das 16:48 é empresário e está doido para explorar ainda mais seus funcionários e lucrar muito mais com isso.

Anônimo disse...

acho interessante este exemplo do motorista. acham que é simplesmente comprar um carro e contratar alguem (fazer concurso), mas esquecem de colocar na ponta do lapis todos os custos. o carro quem vai pagar pela depreciação? manutenção do carro? combustivel? seguro? ipva? dpvat? aí tem dois motoristas, se sele ficarem doentes, não puderem trabalhar? numa terceirização basta chamar outro motorista, se ele é funcionario não funciona assim. se em algum momento ver que 2 é demais e 1 apenas resolve, no caso de terceirizada é simples, no caso de funcionario concursado não ..

é tão simples quando o dinheiro é publico resolver tudo falando é só contratar é bem melhor do que terceirizar ..

Anônimo disse...

Eduardo cunha aquele pra quem os machistas dão o cu sem lubrificante.

Anônimo disse...

Isso aí anon 16:48. Vai ter até a Lola&cia entenderem que não dá pra todo mundo ter os "direitos" dela (na vdd privilegios) como funcionario público, nem pra motorista ganhar R$ 3 mil em um país pobre como o Brasil

Anônimo disse...

o anonimo das 16:48 é sim empresario e sim qq economia que eu consigo eu reinvisto na empresa, quero crescer e com isto contratar mais funcionarios. é muito comodo as pessoas chegarem e falarem que empresarios são as piores pessoas do mundo. eu assumo riscos, faço emprestimo, pago todos os salarios corretamente e alguns casos acima da media do mercado pq quero os melhores funcionarios. pago creche, tenho politica de valorização de funcionarios, treinamento, e total equiparação salarial entre homens e mulheres no mesmo cargo. esta crise que começou com uma marolinha já me tirou muito o sono e se eu fechar serão dezenas de pessoas que perdem o emprego. mas é muito fácil me pintar como o malvado da historia

Mila disse...

Jamile, embora não seja regulamentada, a terceirização é uma realidade nos órgãos públicos da Administração Direta e Indireta. Pelo menos onde eu trabalho, se pudessem terceirizavam tudo e foi uma luta para alocar os servidores novos. Por isso, vejo com muito pesar e temor a regulamentação das terceirizações. Aos poucos essa filosofia de diminuir a atuação do Estado ganha fôlego, daqui a pouco estarão regulamentando a terceirização nos órgãos da Administração Direta e Indireta.

Anônimo disse...

Que bom 16:56, então, pelo seu perfil, por querer os melhores funcionários, por se preocupar com o bem-estar dos outros, é óbvio você é contra a terceirização. Tomará que você consiga manter seus funcionários diretos e não preciso recorrer aos terceirizados para competir no mercado. Aliás, as pequenas empresas também vão sefu... com isso.

Anônimo disse...

Gente vcs viram isso
Uma mulher afegã que foi forçada a se casar com seu estuprador e ter uma filha
http://noticias.uol.com.br/internacional/ultimas-noticias/2015/04/08/mulher-afega-e-obrigada-a-casar-com-seu-seu-estuprador.htm

Jamile disse...

Mila,
também sou servidora pública e no órgão onde trabalho também há terceirização de serviços, no caso, serviço de limpeza. Mas o que quero dizer é que apenas esse tipo de serviço pode ser terceirizado, os demais nao. Trabalho no MInistério Público e aqui apenas as servidoras da limpeza são terceirzadas. Eu concordo que se terceirizassem tudo sairia mais barato "pra eles", mas não se pode deixar de fazer concurso para contratar apenas terceirizados, viola diretamente a CF que EXIGE realização de concurso público. Se a adm pública não está fazendo e contratando terceirizados pra tudo é motivo pra entrar com alguma ação judicial (que agora eu realmente não vou saber qual kkkk). as atividades que podem ser terceirizadas sao as relacionadas com transporte, conservação, custódia, operação de elevadores, limpeza e outras assemelhadas serão, de preferência, objeto de execução indireta.

Anônimo disse...

Vcs ainda se iludem que essa lei vai beneficiar micro/pequenos e médios negócios? Aqui é Brasil.
Os políticos empresários tão se lixando pra esse tipo de negócio (embora eles sejam responsáveis por grande parte da geração de emprego na iniciativa privada). Eles estão legislando em causa própria: abrindo mais um filão para arrancar contratos superfaturados e encostar os seus por lá.
A meritocracia, que vcs tanto defendem, vai cair por terra quando eles começarem a engolir as estatais. Vai ser mais cabide de emprego do que já é.
E que a Administração direta e indireta se cuidem. A vez de vocês está chegando.

Mila disse...

Jamile, o órgão que eu trabalho foi criado recentemente as atividade sadmninistrativas orçamentárias, financeiras, de gestão de pessoas e de contabilidade é terceirizada. Inclusive, uma trabalhadora terceirizada conseguiu dar um desfalque imenso no órgão.
Inclusive, me parece que os servidores que estão na fila para entrar, moveram uma ação judicial para acabar com as terceirizações.
Os órgãos são obrigados por lei a realizar concurso, claro. Mas toda essa articulação abre brechas para enfiarem de vez as garras na máquina pública.

Anônimo disse...

Lola, também trabalho na UFC e hoje mesmo conversei com alguns terceirizados. É bem como você expôs. Um horror. Há algumas imprecisões no teu texto, mas não vou ocupar com elas o espaço dos comentários, pois o mais importante é o debate que o texto traz. E o debate é da máxima relevância: terceirizar tem sido uma prática humanizadora? A resposta é clara: não.

Quanto aos empresários que reclamam de ter sido representados como "vilões". Acho que, em parte, vocês têm razão. O debate tem que ser feito na esfera política, não na esfera retórica. Empresários democráticos e compromissados precisam ser incorporados ao debate, pois trazem conhecimentos e demandas importantes a respeito do problema.

Anônimo disse...

Esta e a maiar medida para tirar o pais do atraso, principalmente no setor público, acabou a teta, em duas gerações mais ou menos, já era a estabilidade para ficarem encostados parasitas, ou produzem e apresentam resultados, ou passam fome

Anônimo disse...

Toda vez que tenho que ir em um órgão público, resolver alguma coisa, tenho vontade de levar um copo de leite de magnésia pra cada funcionário, porque tamanha preguiça no e má vontade atendimento, só pode ser lombriga, não e possível.

Anônimo disse...

Esse projeto é uma verdadeira facada nos direitos trabalhistas. Dentro do banco onde trabalho, já é possível ver a movimentação que diretorias estão fazendo para num futuro terceirizar nossa atividade.

Dia 15/04 está prevista uma paralização nacional de diversas categorias. Eu irei!

aiaiai disse...

Lolinha,


excelente post como sempre.
Gostaria de convidar você e todos comentaristas q estão contra esse retrocesso nos direitos trabalhistas que façam uma campanha junto aos seus senadores. Uma das formas de brecar esse PL é ele não ser aprovado como está no senado. tá aqui a página p saber tels de cada senador. tb dá p mandar mensagens, clicando no envelopinho - vejam lá http://www.senado.leg.br/senadores/senadoresPorUF.asp

aiaiai disse...

Outra coisa importante é que, esse PL começou porque os serviços terceirizados precisam ser regulamentados, para melhorar as relações entre os empregados com as empresas prestadoras de serviços e também com as empresas que contratam essas empresas. Do jeito q está, os empregados têm poucos direitos e muitos empregadores tentam burlar a legislação, pois ela não é clara. Então, não é q não pode ter terceirização. apenas que ela seja feita de forma correta, respeitando os direitos trabalhistas e a legislação fiscal. e, muito importante, apenas para determinados tipos de serviço que NÃO são relacionados com a atividade fim da empresa que contrata. Então, o diálogo com os senadores pode ser feito para que sejam retirados do PL os itens que abriram a terceirização p qq trabalho. Há um projeto de lei que foi rejeitado em 2010 que era bem melhor do que esse. Aqui tem informação sobre isso http://portal.mte.gov.br/imprensa/concluido-projeto-de-lei-que-regulamenta-terceirizacao.htm

Belle disse...

Se isso acontecer em um governo do PARTIDO DOS TRABALHADORES vai ser muito triste... Mas nada além do que se esperar deste Congresso atual, que, afinal, também foi democraticamente eleito. Que pena.

Anônimo disse...

Os empresários brasileiros são feladapatamente gananciosos. Superaturam tudo pra extorquir o consumidor, e quando as pessoas cortam os supérfluos eles arranjam um jeito de superfaturar os itens de primeira necessidade. Eles não se importam com os empregados ou os consumidores, só querem lucrar e são tão corruptos e sem caráter quanto os políticos que querem aprovar essa atrocidade. Mas o pior é ver os brasileiros, principalmente reaças, aprovarem essa pataquada e depois ficarem reclamando que tá faltando dinheiro. Hellou, manés, os empresários que vocês tanto admiram e exaltam estão sugando seu dinheiro cobrando muito mais do que o produto deles vale, e diminuem seu salário e seus direitos trabalhistas terceirizando seus empregos. Deixa de ser trouxa e olha bem quem é que come seu dinheiro.

Tipo, eu uso aparelho ortodôntico fixo e quando tenho uma ferida na boca ou o dentista não consegue cortar o fio e sobra uma ponta afiada que machuca, eu preciso comprar cera ortodontica pra proteger a mucosa. No atacado, onde eu passei a comprar a cera, uma caixinha com 5 bastões custa R$ 1,40. Numa farmácia (a única que vende esse produto no meu bairro, aliás) a mesma caixinha custa R$ 6,50. R$ 6,50. E cada caixinha sai por R$ 1,50 pras farmácias-eles simplesmente cobram cinco reais a mais cada caixinha. Isso é que é superfaturar, meu amigo! Ah, e não esqueçamos o empresário chorão que acusou os sacoleiros de estarem acabando com a economia do país quando ele e seus colegas vendem produto de quinta qualidade por cinco vezes ou mais o preço justo. É pra matar um de desgosto, viu!

Anônimo disse...

Muito bem escrito o texto e bem colocadas as informações.
Tem pelo menos um abaixo-assinado contra esse absurdo: www.change.org/p/senado-federal-não-aprove-a-lei-da-terceirização-que-vai-reduzir-os-salários-e-empregos-terceirizaçãonão
(Não acho que abaixo-assinados sozinhos tenham muito impacto: acho que eles valem quando se somam com outras formas de manifestção. E, de qualquer forma, é tão fácil assinar essas coisas... Se mais alguém souber algum, eu gostaria de saber)

Náy disse...

A minha mãe trabalha como terceirizada em uma grande faculdade aqui em Goiânia.E de fato, a terceirização é u retrocesso, pois o salário dela é extremamente baixo e vive atrasando.

Náy disse...

Aqui em Goiás, a educação e a segurança estão de forma muito similar a terceirização.Ao invés de convocarem os policiais e professores aprovados nos concursos, esse governo sujo contrata, com bem menos benefícios e pela metade do salário profissionais não concursados!A coisa está tão feia por aqui que o nosso "querido" governador está pagando menos de um salário mínimo para professores contratados, um verdadeiro absurdo!

Anônimo disse...

Deixa o empresário apoiar a lei, é lógico que ele vai, pq vai ser beneficiado. Isso nao está em discussão. O ponto é que ostrabalhadores celetistas peões vão se lascar, e fim. O que me irrita é o cinismo de quem tenta argumentar que não é bem assim. Não, não, certamente os partidos que aprovam o pl (DIREITA) fizeram isso pensando no povão, como alias a direita sempre faz.
Agora vai lá seu assalariado com carteira protestar dia 12 contra o pt, vai.

Ofensor Público disse...

Lola, só um detalhe... muito embora o PT tenha votado contra essa estrovenga, o Levy foi um dos coautores do projeto. O dedinho da Dilma, interessada no arrocho fiscal, está por trás do projeto. Não existe a menor chance de veto integral.

Jesse disse...

Se a terceirização puder ser de atividade fim, não há motivo pra concurso público na prática.

André disse...

Num congresso, o perdedor não estabelece as regras. O perdedor pode, no máximo, tentar arrancar concessões do vencedor. E a obrigatoriedade das terceirizadoras fiscalizarem as terceirizadas e o recolhimento de tributos antecipados é isso, concessões arrancadas do vencedor. Pode-se olhar o copo meio vazio do ajuste fiscal ou o copo meio cheio da garantia de recolhimento de algum direito do trabalhador.

Kittsu disse...

Na minha empresa, desde que fui admitida eu fico surpresa e decepcionada com como Até agora o dono da empresa de terceirização da limpeza ainda não foi processado e teve a personalidade jurídica desconsiderada. É o mesmo dono de outras empresas que atuam na terceirização em órgãos públicos a anos. A 5 anos os empregados dessas empresas não têm férias porque sempre no fim do ano ela fecham a empresa, abrem uma nova e recontratam todas as mesmas pessoas. Fazem isso para evitar pagar impostos, 13° , etc. Deixam de pagar vale transporte ticket alimentação a cada menos de 6 meses. .. É desumano. E aí na licitação pra contratar os serviços o puto sempre consegue ganhar e não tem como evitar isso pois ele preenche os requisitos e a nova empresa tá limpinha limpinha. Dá muita raiva o que fazem com essas pessoas. é muita desonestidade, ganância e ruindade pra fazer isso e conseguir dormir de noite sem nenhum peso na consciência.

Anônimo disse...

De boa, por qual razão o pessoal autoproclamado "de esquerda" é tão ruim assim de economia?
É tanta asneira no post, que fica até difícil contestar.
Exemplo: com a 3ªzação, pode-se criar uma escola só com professores terceirizados. Ora, se a empresa terceirizadora tivesse "empregados professores" em número e qualidade suficiente para montar uma escola, ela não os terceirizaria, mas abriria diretamente a própria escola, pois seu lucro seria maior...
Exemplo 2: ao contrário do afirmado no post, no exemplo do motorista da UFC, é muito melhor para o povo, pagador de imposto, que o motorista seja terceirizado, pois seu salário como "funça" seria muito maior, sem contar a questão da aposentadoria, sendo que a função não tem nada de especial que necessite que ele tenha as garantias do funcionário público.
E pensar que o post foi feito por uma doutora...Tristes trópicos...

Anônimo disse...

"Os trabalhadores terceirizados ganham um salário 25% menor, em média, que os regulares"
_
Lola vc já ouviu falar em piso salarial por categoria?
Pois é, nenhuma empresa pode pagar menos que o piso salarial para seus empregados, sejam eles terceirizados ou não.

Jéssica disse...

"Exemplo: com a 3ªzação, pode-se criar uma escola só com professores terceirizados. Ora, se a empresa terceirizadora tivesse "empregados professores" em número e qualidade suficiente para montar uma escola, ela não os terceirizaria, mas abriria diretamente a própria escola, pois seu lucro seria maior..."

Qual foi a parte de "terceirizados tem menos direitos" que foi tão difícil de entender? A susposta escola daria mais lucro sendo toda de terceirizados, sim.

Anônimo disse...

Eu não comento muito aki, mas não consegui ficar quieta. O exemplo do motorista é perfeito. A sua não efetivação pode - até- comprometer a qualidade e andamento do caledário letivo do ensino em cursos universitários. Vou dar uma de chata aqui antes q digam q estou inventando, mas de certo modo, meu objeto de estudo esbarrou nesta questão.
Há cursos q NECESSITAM DE VIAGENS. Não é turismo, é pedagógico, científico. Eu estudei em uma universidade com 2 motoristas - concursados - e com 2 ônibus a disposição do nosso curso. Fiz minha graduação sem gastar com transporte, ou seja, pude participar de todas as visitas propostas pelos meus docentes. Sei de uma universidade pública, q não pode ter o seu motorista concursado, por causa da atividade meio, e q tem as suas Viagens de estudos a depender de LICITAÇÕES. Na prática, em alguns casos os estudantes pagavam do bolso deles. Qdo tem verba e a licitação sai pro busão: tem saída técnica; Qdo não tem: esquece essa importante atividade pra um monte de carreiras! O motorista não é um zé ninguém ou um cargo menor na ótica torta de alguns aqui, q onera o bolso dos pagadores de impostos... ele tem função sim e merece ser um empregado das universidades e respeitado. Me coloquei no lugar de um motorista lendo alguns comentários e ficaria meio chateada, como se minha função fosse inútil. Não, não é: e importante. O qto essa universidade não perde com isso? Mantém a sua reconhecida excelência as custas de muitos perrengues, q poderiam ser sanados com um simples cargo, ou dois, e um ônibus por campus. O mesmo vale por DRE, ou delegacia de ensino, na educação básica. Quem é professor sabe o quanto é custoso levar os seus alunos em passeios pedagógicos... muitos pagam a empresas de turismo pedagógico, q funcionam mas cobram, ou alugam ônibus que também cobram... Temos motoristas, por exemplo, em uma prefeitura: o que é mais importante, ficar transportando o chefe de algum gabinete ou ele levar alunos de alguma escola para alguma atividade pedagógica?? O que vai trazer retorno pra sociedade? O mesmo vale pra universidade? Pq tem pra carregar alto escalão de reitoria de cima abaixo e pra levar aluno pra visita técnica não tem??

Anônimo disse...

Eu acho a terceirização uma delícia. Brasileiro gosta de pegar atestado médico por tudo. O cara tá com uma unha encravada e consegue 2 meses de atestado.
O cidadão tá com uma ressaca (porque é um cachaceiro), aí liga pro patrão e diz que está "indisposto".

Tem que terceirizar tudo. Acho que a próxima etapa é terceirizar o ensino universitário. Professor universitário passa 6 meses por ano em greve e já ganham salários astronômicos.

Eduardo Cunha é um mito!

Anônimo disse...

Vc não entende bosta de funcionalismo público se acha que é assim que funciona.

Roberto de Araujo disse...

Muda-se o cenário, os personagens e a época, porém a história se repete: exploração do homem pelo homem.
A História também ensina que a manifestação popular é o único meio de conter a avareza dos nossos dirigentes, independente da sigla do partido político.

Anônimo disse...

Jéssica: ou não me fiz compreender bem, ou você não entendeu.
Imagine que eu seja uma terceirizadora e tenha professores em número e qualidade suficiente para abrir uma escola.
É mais lucrativo para mim abrir a própria escola (pois terei não só o "lucro" que já teria sobre os meus empregados, como o "plus" de ganho que a escola que me contrataria tivesse), do que "alugar" a força de trabalho.
Mesmo se fosse verdadeira a questão dos "menos direitos" dos terceirizados (não é), a minha terceirizadora do exemplo continuaria tendo a mesma relação trabalhista com sua força de trabalho, seja "locando-a" para a terceirizante, seja ela abrindo a própria escola...

Anônimo disse...

Anônimos das 13:09:
O seu exemplo dos motoristas da Universidade é antes um belo exemplo da INCOMPETÊNCIA dos servidores públicos efetivos(não-terceirizados) do setor de licitação da sua Universidade, do que dos males da terceirização.
Não tivessem os servidores da licitação as "garantias" dos servidores públicos, aposto que a situação estaria bem melhor. na pior das hipóteses, estariam no "olho da rua" se não mostrassem sua competência.

aiaiai disse...

1. pra quem falou q o governo petista tem um dedo no PL: tá errado. O levy negociou para que o troço não ficasse solto livre de pagamentos de impostos e direitos trabalhistas. só isso. o governo é todo contra esse projeto. Ele atrapalha o projeto de governo de dar mais empregos com mais renda, de arrecadar mais para o SUS e para a previdência. portanto, tudo o q o governo puder fazer para modificar/vetar vai fazer.
2. a Dilma não tem como vetar integralmente, pois neste caso o pl voltaria para a camara e eles simplesmente recusariam o veto. tem que negociar sim para ver se conseguimos algo menos pior. A Dilma pode vetar partes e, mesmo assim, vai ter que negociar, pois também neste caso, o pl volta para a camara.
3. a luta agora é no senado, para que eles reprovem ou pelo menos modifiquem. por isso o meu apelo para q todos pressionem seus senadores.
lembro q 2/3 dos senadores atuais terão o fim do mandato em 2018. portanto, eles são mais suscetíveis à pressão popular.

Anônimo disse...

Não estou entendendo quando reclamam, dizendo que o PT ou a Dilma é contra a lei.
Ora, o PMDB, o PP e o PR são partidos da base aliada do governo. Aqui em Alagoas, a Dilma fez campanha pro Calheiros, pro filho do Calheiros e pro Collor. Agora vem pagar de boazinha?

Anônimo disse...

Você é terceirizado para estar defendendo isso?

Anônimo disse...

Não, 1228. Quem paga pelo trabalhador é a contratadora não a terceirizadora. Por isso não seria mais lucro terceirizadoras abrirem uma empresa própria.

Por exemplo: a contratadora paga 5 mil reais pra terceirizadora contratar um "pacote-funcionário". Salário, benefícios, direitos, abonos, anything por esse valor. A terceirizadora paga 724 de salário, 150 de alimentação, recolhe o INSS (quando o faz) e tcha-nan: embolsa o resto. É daí que o lucro vem. Portanto, não. Não seria mais lucrativo abrir uma escola com professores próprios.

Quanto ao "empresário" lá encima: demonizar empresários? Tá falando sério? Precisa? Pensando em grandes empresas, tipo, sei lá, a Nestlé. Vc consegue sequer imaginar o tamanho do lucro da Nestlé? Sequer chegar perto? Pra oq? Contratar um aux adm e pagar 800 reais pra esse cara? Hahaha, vc só pode ser da zoeira.

Se vc é um bom empresário, massa, legal, bom pra vc. Mas duvideodó que os salários, benefícios e afins dos seus funcionários sejam compatíveis com seus lucros. Nunca são.

Maristela Guimarães disse...

Não se iludam. Essa Câmara e esse Senado podem tudo! Desde acabar com os concursos como também acabar com o direito a estabilidade dos servidores. Como?Agindo da forma como agem:manipulam, mentem,desvirtuam os discursos.Estou enchendo de notícias as páginas do face dos deputados federais que votaram a favor com artigos explicando o sentido da PL. Artigos de juristas, este da Lola. Quem sabe as pessoas leem. Não podemos esquecer que muitos não leem e que o Brasil é pouco politizado e aqui impera o famoso "não gosto de política". Nosso papel e nosso dever é denunciar de modo que as pessoas comecem a compreender o que se passa.

Anônimo disse...

Anôn das 15:21h. Estou com dificuldades em me fazer entender.
Imaginemos: sou a terceirizadora e tenho um pool de professores, faxineiros, etc, pelos quais EU pago um salário médio de, sei lá, R$2.000,00.
Se eu "alugasse" a mão de obra para a escola-Contratadora ela me pagaria, digamos R$4.500,00 por cada. Meu lucro seria de R$2.500,00, certo?
Só que a escola-Contratadora, após pagar a terceirizadora e outras despesas, por óbvio, ainda tem lucro!
Pois bem, raciocinemos: nesta hipótese, porque EU, terceirizadora, em vez de "apenas locar" a mão de obra (e ganhar apenas o lucro desta locação), não abriria uma nova escola, ganhando além daquele lucro, aqueloutro que teria sido apropriado pela escola-original-Contratante?
Isso mostra que o receio de que seria terceirizado, de forma maciça, a atividade-fim, não faz qualquer sentido econômico. No mundo real isso não ocorreria.
Ou a terceirizadora passaria a exercer a própria atividade das Contratadoras(com maior lucro), ou aquelas não simplesmente não conseguiriam essa mão de obra de qualidade...
Gente, vamos acordar para o século XXI. O Brasil possui baixa competitividade mundial. Sua produtividade é muito ruim. Um dos culpados é a legislação trabalhistas. Ou reformamos, ou ficaremo pior que a Grécia.

Anônimo disse...

Só sendo mais claro: pior do que a Grécia nós já somos.
Ficaremos em uma crise pior do que a da Grécia.
Incrível: a salvo engano, na Grécia, em razão da crise, o PIB per capita caiu para U$27.000. No Brasil, antes de entrarmos em recessão, a renda per capita era de U$11.000.
Quem quiser ler um contraponto muito bom, também escrito por um professor, só que da UnB: http://rgellery.blogspot.com.br/

Fábio disse...

"Quem apoia isso a direita machistas anecefalos,eles são as escória do país."

Você não sabe nem escrever direito e nós é que somos anencéfalos?

Isa disse...

Vigilância e limpeza são terceirizados no serviço público, há concurso para eles? Se terceirizar atividade fim, simplesmente, a obrigatoriedade do concurso público vai existir, mas não será aplicável.

Anônimo disse...

Vamos torcer para que seja aprovado e as leis trabalhistas flexibilizadas, deixando a gente um pouco mais próximo dos países de primeiro mundo. Um dos maiores entraves ao desenvolvimento econômico do país são as relações trabalhistas de caráter fascista (copiadas descaradamente da Carta del Lavoro, aprovada por Mussolini em 1927) que são impostas à população.

Vocês não entenderam o básico do raciocínio econômico e estão chamando os apoiadores da terceirização de "machistas". Já foram menos piores.

Anônimo disse...

Uma feminista fala de terceirização. É engraçado.

http://www.criticapolitica.org/2015/04/uma-feminista-fala-de-terceirizacao-e.html

Jana disse...

Lola, parabéns pelo texto, gostei muito de encontrá-lo por aqui!
Que outros modos há para pressionar o senado para além de ir às ruas? Se puder, faça um pequeno post divulgando!

Anônimo disse...

Recomendo o conteúdo do link acima. Vale muito a pena ler.

Anônimo disse...

Vc não tá se fazendo entender pq tá falando merda. A terceirizadora não tem dinheiro. Quem tem dinheiro é a contratante.

Anônimo disse...

E so uma questao de matematica. A empresa q contrata uma empresa terceitizada nao vai pagar mais por cada terceiro do q pagaria a um funcionario. E a empresa terceirizada quer ter lucro, claro, pois nenhuma empresa vai fazer caridade. Assim q terceirizada tem de pagar os salarios de seus emprrgados e retirar seu lucro desse montante q rrcebe. Entao ao fazermos as contas, e logico q a trceirizacao diminui o salario do trabalhador.

Anônimo disse...

Negativo, o salario não pode ser menor que o piso da categória, o que diminui em médio prazo para as empresas, são os encargos trabalhistas com dispensas

Anônimo disse...

Errado é a sua observacao. Na pratica nao e isso q acontece. Fui terceira durante mais de 15 anos na area de informatica. Ganhava muito menos q o pago ao funcionarios, outros analistas, e trabalhava mais sem receber os direitos trabalhistas

Anônimo disse...

Piso salario ? Kkkkk. Em q pais vc vive? Isdo nao e respeitado em empresas terceiras. So quem foi terceiro sabe disso

Matheus Bianchini Alves disse...

Fico impressionado como alguns aqui ainda tem a postura do empresario. Muitos aqui n se veem como trabalhadores, mas sim como gente que possui uma imensa quantidade de k e discute como se fossem da parcela que vai gerar milhares de empregos.

Problemas da terceirizacao sao diversos:

Primeiro, pessoal que trabalha com informatica, serviços de saude, manutencao etc pode começar a tremer, pois essas atividades sao consideradas, em 99% dos casos, atividade meio e se vc reclama que ganha 3k pra dar suporte, provavelmente sera substituido por alguem que ganha 1k e que trabalha em terceirizada.

Segundo, existem 2 especies de funcionarios publicos (tem outros, mas n interessam ao contexto), os estatutarios e o empregados publicos. Os empregados publicos trabalham sob regime da clt, em empresa publica ou sociedade de economia mista - correios, petrobras, bancos etc - esses podem vir a sofrer num eventual pdv. Os estatutarios (cada estado, bem como a federacao, tem seu estatuto), nao serao demitidos e nao sofrerao qualquer problema em razao da terceirizacao.

Terceiro, se vc for trabalhar como terceirizado, pode escrever que existem grande chance de nao vir a receber suas indenizacoes quando for demitido. Isso pq o atual projeto permite que o tomador dos servicos nao seja responsavel em paga-las e muitas das empresas que prestam o servico sao montadas no nome de terceiros e pra servicos especificos que permitem que se dissolva rapidamente e nao pague as parcelas que deve. Fiz estagio, em parte, no mpt e qause 100% dessas empresas, bem como cooperativas, sao empresas de fachada.

Quarto, ao permitir terceirizacao, os cargos serao preenchidos por apadrinhados, pois a empresa prestadora coloca no cargo quem ela quiser.

Quinto, muita gente, como a maioria aqui, corre o risco de ficar desempregado ou ter que aceitar uma vaga pra ganhar muito menos e ter que ficar satisfeito.

Sexto, terceirizacao de atividade-fim ainda pode ser barrada no STF, via controle de constitucionalidade, o que da um alento a quem precisa.

Se vc tem uma grande ou media empresa, a terceirizacao sera otima pra vc, se n, so lamento.

Anônimo disse...


a) Sou professora de História, estou preocupada por um lado porque a grande verdade, é que este congresso conservador foi eleito pela elite deste país e pelos idiotas que adoram defender sua ideologia machista e racista e homofóbica, muitos estão reclamando desta atitude do congresso, mas quando eu pergunto, pelo voto na última eleição confessam que o voto foi conservador, agora não pode mudar

b) Para os que defendem esta medida, eu discordo porque, somos um país com uma herança escravocrata forte, patrão, quer explorar empregado mesmo, sem ter que pagar os direitos, esta medida apenas vai beneficiar os empresários

c) Apesar das críticas, eu acho que o concurso ainda é um modo democrático de avaliar a competência de um candidato, terceirizar o serviço público pode gerar corrupção e ainda mais clientelismo político

Caroline Alves disse...

Olá Lola, ainda não conhecia seu blog e a partir de agora começarei a acompanhar seus post. Gostei bastante, pois trata de assuntos atuais de uma forma muito inteligente.
A respeito do texto acima, acho que as pessoas precisam valorizar o trabalho uma das outras em tempos onde o desemprego bate recordes, infelizmente não escolhemos trabalho, somos escolhidos e muitos se aproveitam disso para pagar muito pouco, acho um desrespeito.

Urgência emergência disse...

A terceirização só tem desvalizado a classe de trabalhadores, e muito pior quando esta é realizada na área da saúde, acho que principalmente no serviço público, o governo tem que se responsabilizar pela saúde da população, e ao invés disso embolsa o dinheiro das empresas contratadas e ainda deixa a população nas mãos destes empreendedores que não estão preocupados com a saúde e sim com lucro, em raras casos melhora o atendimento mas normalmente a curto prazo, pois sempre a novas licitações para arrecadações maiores para o governo.

Anônimo disse...

Trabalho numa empresa de economia mista, sou concursada. Vários terceiros que trabalham comigo são a favor dessa lei. Falei pra eles que eu também; afinal, serão menos pessoas concorrendo comigo para crescer na carreira (terceiro não tem carreira); salário congelado por anos, sobrando mais para mim na participação nos lucros (fora que terceiro não recebe participação nos lucros); posso demitir à vontade, o que é muito mais difícil com um concursado (ou mesmo com próprios em empresas privadas).

O ponto de vista da empresa, ou de quem é próprio e tem emprego estável em uma empresa, é fácil entender. O que eu não entendo de verdade é por que alguém quer tanto ter menos direitos, menos dinheiro e menos perspectivas. Por solidariedade, sou contra essa lei. Se estivesse pensando no meu umbigo, seria a favor. Prefiro um país em que as pessoas têm perspectivas, e não apenas eu e mais uma meia dúzia.

Anônimo disse...

Ex-estágiario do mpt e Professora de História: vcs só estão considerando o curto prazo.
No médio e longo prazos, a redução dos custos trabalhistas incentivará a abertura de novas empresas ou a ampliação das existentes, gerando por consequências mais vagas de trabalho. Mais vagas, o salário tende a aumentar. É a lei da oferta e da procura.
Não podemos perder de vista a globalização. Atualmente, se os custos no Brasil, inclusive de mão de obra, são maiores do que no exterior, simplesmente se abre a empresa no exterior (ou não se abre aqui, pois ela não terá condições de concorrer com a estrangeira)...
Ou por qual razão vocês acham que nossa atividade industrial declinou para níveis da década de 80? As indústrias brasileiras simplesmente não coseguem competir com as estrangeiras. Um dos motivos (além da carga tributária absurda): mão de obra cara e péssima (preguiçosa, desinteressada, burra..)

Anônimo disse...

Então vc não trabalhava terceirizada, e sim na ilegalidade. E a ilegalidade existe muito pela terceirização não ser regulamentada, ate hoje.

Cão do Mato disse...

Acho o fim da picada esses empresários choramingões reclamando dos "custos" dos direitos trabalhistas! Será que eles esquecem que trabalhador com mais direitos injeta mais dinheiro na economia? Além do mais, pagar direitos trabalhistas faz parte do conjunto de desafios que alguém que pretende se meter a ser empresário tem que encarar. Querem abrir uma portinha hoje e amanhã já estar enchendo o rabo de dinheiro? Se não tem capacidade pra aguentar o tranco, não se arrisque como empreendedor...

Cão do Mato disse...

Tipo as montadoras, que tiveram isenção de impostos e depois, na primeira crise, chutaram os funcionários pra rua? Faz-me rir...

Anônimo disse...

A industria brasileira nao consegue competir com a chinesa, alias nenhum pais no mundo consegue. Pudera: eles usam trabalho escravo. Ai fica facil

Anônimo disse...

Nao. Eu era ligada a uma empresa de terceirizacao , q como a maioria rasga a CLT. Gracas a Deus hj trabalho no TRT e vejo bem de perto o q acontece com os terceiros.

Anônimo disse...

Como choramingam esses empresários brasileiros. Como se a culpa fosse da carga tributária. Muitos se esquecem que:
- São péssimos gestores. Não sabem fazer avaliação de mercado, identificar concorrentes indiretos e diretos; contratam mal (o mais barato e menos qualificado; o QI de alguém; excluem pelas aparências ou baseado em preconceitos);
- Grande parte negligencia seu público. Alguns nem sabem quem é o público deles.
- Não investem em pesquisa de mercado, publicidade e inovação, perdendo oportunidades de cativar o cliente;
- Não incentivam a permanência do profissional. Alta rotatividade de pessoal prejudica em algumas funções (tempo e custo de adaptação, treinamento, sem falar no entendimento do funcionamento da empresa q profissionais com mais tempo de casa possuem).
Mas né, tudo é sempre culpa do governo.

Rafael disse...

Ao anônimo das 16:48...


Que conveniente para você, comentar como anônimo. Sim, com certeza a esmagadora maioria senão todos (nunca vi uma única exceção) os empresários são sim malditos capitalistas cegos de ambição que só tem olhos para o próprio lucro. Sim, isso é totalmente distópico e totalmente real, pois, não sei se você já reparou no lado de fora da sua BMW, mas o mundo real é exatamente isso mesmo, distópico. Ou você acha que o capitalismo é possível sem a pobreza e a exploração dos trabalhadores? É necessário que existam pessoas pobres e desesperadas dispostas a qualquer coisa para garantir o lucro dos empresários, que aliás é a única coisa que nunca pode diminuir, nem mesmo ficar constante, tem sempre que crescer, senão o megalomaníaco não fica feliz.

Talita Barbosa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Trabalhei para uma -- a única, na verdade -- concessionária de energia aqui da Bahia. Eu fui contratada por uma empresa terceirizada para trabalhar no atendimento. Resumindo: o ambiente de trabalho era precário, mas tão precário, que eu adquiri uma inflamação no quadril direito por conta da cadeira ridícula que eu ficava sentada o dia todo, além de passar meses com insônia por conta do estresse ao qual eu era exposta todos os dias lá. Eu e todos os meus colegas éramos ameaçados pelos clientes quando não podíamos atender a solicitação deles por conta das normas da empresa, mas mesmo assim nunca atenderam as nossas reclamações sobre a instalação de porta giratória e um segurança. Ah, não podíamos reclamar, afinal, ninguém nos ouviria. Todos os funcionários da empresa mandavam em nós. Todos mesmo, sem exceção. E, vale lembrar, o salário era ridículo. Por fim, eu pedi para sair, pois não aguentei. Essa PL é um retrocesso.

Anônimo disse...

Os "Empresários" brasileiros se julgam muito inteligentes. Mas, esta terceirização é um tiro-no-pé, senão vejamos: - Queiram ou não queiram, vivemos uma década de pouco desemprego e salários levemente crescentes. Isto tem criado uma espiral positiva em investimentos públicos e privados. A massa salarial tem aumentado 2% ou mais que a inflação nos últimos 12 anos e isto impacta em maior capacidade de consumo individual e coletivo. Lenta e gradativamente mudou-se o perfil da sociedade brasileira e muitas pessoas puderam acessar o consumo de bens de maior custo. Nós temos um mercado interno que superou a crise internacional desde 2007 e manteve índices razoáveis de desenvolvimento econômico e social. Agora, a ganância de alguns grandes empresários levará a precarização das relações de trabalho e a precarização da renda dos trabalhadores. Só que, não se engane o pequeno e médio empresário, logo logo as portas das suas empresas ficarão ás moscas. Ora é simples. Menos renda, menos compras... Aí vocês podem fazer as contas. Menos vendas, menos receita, redução no número de trabalhadores ativos. E não se preocupe com o mercado externo. Ninguém bate os chineses, indianos, filipinos. Lá fora o teu produto não entra... Então, parabéns, senhor Empresário brasileiro, você conseguiu Daqui alguns poucos anos você vai fechar as portas da sua empresa e vai sair por aí pedindo uma vaguinha para usar um avental cinzento de terceirizado.
Abç.
Cabreira.

eva ribeiro disse...

Fiquei tonta!