segunda-feira, 20 de abril de 2015

"FINGI SER HOMEM NO TWITTER E NINGUÉM AMEAÇOU ME ESTUPRAR"

Se algum homem acha que mulher não é ofendida e atacada nas redes sociais apenas por ser mulher (independente do que diga), faça uma experiência: passe-se por mulher durante um tempo. Você vai ver como é ser agredida, quase sempre por outros homens.
Esta americana fez o contrário: durante uma semana, ela fingiu ser homem. E narrou a diferença. O texto, publicado no Xojane, me foi recomendado pela Barbie, uma ex-aluna, que tem um blog. E foi ela quem traduziu (thanks, Barbs!).

Tó que o mundo é seu, homem!
Por uma semana, pude ver como era ser tratada com respeito.
Semana passada, tornei-me um homem. Já havia sonhado em ser um homem-cis [não trans] antes, me perguntado como seria ter genitais que balançam, imaginei poder andar na rua com fones de ouvido, despreocupada, fantasiei sobre sair para correr à noite. Não consegui experimentar isso. Mas tornei-me um homem no Twitter. 
Meu parceiro e eu conversamos muito sobre injustiça. Ele tem consciência de seu privilégio de gênero. Ele é feminista. Ele twita sobre como somos tratados diferentes. 
Meu nome no Twitter é @hippoinatutu porque me identifico com aquelas grandes, belas hipopótamas usando tutus no filme Fantasia. Body-shaming nunca é aceitável para mim, e falo abertamente sobre ser uma mulher gorda. Tenho consciência que sou gorda. Também sou baixa, mas, ninguém nunca "discorda" de mim me chamando de "baixa nojenta". 
Bolsonaro diz a Maria do Rosário
que ela não merece ser estuprada
Escuto que sou gorda e feia o tempo todo. Recebo ameaças de estupro com frequência, mesmo que também me digam sempre que sou "muito feita para ser estuprada". Mesmo que essas pessoas na internet não sejam espertas nem estejam dizendo nada de novo, isso dói. Esse abuso online é apenas uma pequena parcela do que mulheres escutam todos os dias. 
Não somos só ameaçadas por ovos sem rosto na internet. Somos atacadas. Uma em cada seis de nós será sexualmente abusada/estuprada. Pessoas assassinam a gente. Não somos apenas mandadas calar a boca por usuários do Twitter com quatro seguidores, somos caladas por nossos chefes e silenciadas pela mídia. Não somos só ditas que somos gordas, somos ditas que devemos ter vergonha do nosso corpo por pessoas que nos amam, pessoas que deviam ter mais noção. Os trolls são simplesmente um eco do assédio que ouvimos todos os dias. 
Foda-se. É errado que não possamos falar, nem na internet, sem medo de assédio verbal, ameaça de estupro, pressuposições sobre nossas vidas sexuais. É agonizante que não possa expressar minha própria experiência, falar sobre a MINHA dor, porque trolls passam horas tentando me calar. Poderia mostrar-lhes coisas doentias, muitos printscreens de insultos horrendos. Mas só vai chamar atenção indesejada para cá. 
Então, tornei-me um homem. Assim, meu nome é Alex e eu mudei minha foto no Twitter para um (suposto) homem-cis. Falei com alguns colegas escritores que me lembraram de quando Stephen Colbert sugeriu que mulheres negras se tornassem jovens homens brancos e os resultados edificantes do experimento. Resolvi tentar fazer isso por uma semana, fazendo tudo que faço normalmente, mas com uma foto masculina. 
"As pessoas não vão se espantar com meu nome no Twitter?", perguntei ao meu parceiro. 
"Não acho que vão notar. Quando as pessoas veem um homem, elas veem um homem."
Então eu tentei. 
NADA ACONTECEU. Me retuitaram, algumas pessoas favoritaram o que eu tinha dito, e ninguém me disse que eu era gorda ou feia. Ninguém ameaçou me estuprar! Acontece que eu não tinha mudado de "mulher" para "homem", mas de "objeto" para "ser humano". 
Passei a semana discutindo opressão do sistema e raça. Como qualquer feminista, falei sobre cultura de estupro. Falei sobre a necessidade de responsabilizar a polícia, condenei violência doméstica e amplifiquei outras vozes, quase sempre sem interrupções. Minha voz pareceu tão irrestrita. Como foi bonito poder falar sem medro de retribuição. Me senti tão livre. 
Por uma semana, vi como é ser tratada com respeito. Como homem, podia usar as mesmas palavras e ter uma conversa, com opiniões diversas, ou nenhuma opinião, em vez de insultos. Tornei-me um ser humano "igual", cuja voz merece ser ouvida. A desumanização de feministas ou de lutadorxs pela justiça social também desumaniza a mim e a muitos outros, porque não somos apenas esses rótulos, somos pessoas. 
Algo entranho aconteceu. Experimentei privilégio de uma forma que não esperava. Jessie Hernandez, uma garota lésbica, latina, de dezessete anos, foi morta por policiais em um carro roubado. Eu, assim como muitos outros, expressamos revolta  com sua morte. Expressei revolta com o que vejo como brutalidade policial contra pessoas não-brancas, e quis divulgar seu nome: Jessie Hernandez, uma criança morta pelo que eu vejo como sendo um sistema falido. 
Com milhares de latinas para escolher, uma vasta comunidade com perspectivas pessoais, o Buzzfeed "me" escolheu para, no topo de sua matéria, expressar a revolta. Fiquei surpresa. Embora tenha sido citada inúmeras vezes, nunca fui a primeira citação e tive que questionar o porquê da minha identidade de homem branco, cis (com um erro de digitação, ainda mais) estar no topo da matéria. Não seria tão importante ver uma mulher? Ou uma mulher lésbica? Ou, deus me livre, uma mulher negra lésbica? 
Não entenda errado, a revolta deve ser mostrada, na página da frente, e revolta de homens brancos não é algo ruim de se incluir, mas tenho certeza que a minha revolta sobre brutalidade policial não é o que mais precisamos amplificar nesse momento. Sério. Sério mesmo. 
Ontem acordei ansiosa. Já tinha passado uma semana. Não queria mudar minha foto de volta. Na maior parte do tempo, gostei do privilégio que experimentei. Gostei de ser um ser humano. 
Mas acredito que parte da luta é ser eu mesma: mulher, gorda, queer, falante e honesta. E para ser honesta, senti que minhas palavras deviam ser ditas com meu próprio rosto por trás delas. 
Então, mudei a foto. Ainda tenho o grande privilégio de ser branca, e, assim, a habilidade de abandonar conversas sobre raça a qualquer momento (mesmo que eu não faça isso), mas não posso mais falar livremente como é viver numa cultura que apoia estupradores, que não pune aqueles que cometem assédio regularmente, estatisticamente contra mulheres. Não posso mais dar minha opinião sem assédio. Como a concha em O Senhor das Moscas, perdi o suposto pênis que me dá o direito de falar. 
Então falo enquanto posso: 
Você consegue me ouvir quando digo que dói? Sente empatia pela minha dor? Suas ameaças de estupro machucam uma pessoa de verdade. Elas me lembram do trauma que sofri. Você realmente quer que eu sofra só porque não sou um homem? 
Como negar minha humanidade te serve? O que você perde em canalizar sua energia em outra coisa? Eu não quero gritar com você. Eu não quero te tirar nada. Eu quero que você me ESCUTE. E reconheça minha humanidade. 

130 comentários:

Anônimo disse...

Nunca fingi ser homem, no máximo me confundiam com um quando meu nome era suprimido do email empresarial que utilizava e sobrava somente o sobrenome...
Mas é tão estranho sempre prestei atenção em como tudo que nós mulheres afirmamos precisa ser corroborado por homens... Não importa se vc é bem sucedida ou se domina um tema mais do que a maioria das pessoas... As pessoas te respeitam se houver a palavra de um homem. Quantas e quantas vezes a msm idéia dita por um homem é prontamente acatada enquanto a de uma mulher é vista com desconfiança e desdém...
É assim que me sinto constantemente vista com desdém por muitas pessoas, especialmente homens. Quando falo da minha vida profissional e meus planos sempre vem a perguntinha fatal - O que seu companheiro acha disso?
Por mais independentes que tentamos e possamos ser a nossa imagem ,por enquanto, ainda é muito atrelada a figura masculina. O negócio é ensinar as próximas gerações a não repetirem esse erro de anular a voz feminina, e lutar pela nossa representatividade.

Anônimo disse...

Sim, aqui na França é uma catastrofe. O nome e sobrenome do marido sempre aparecem antes. Por exemplo: senhor Marcos da Silva e senhorita... mas ai a linha acaba. Ele tem titulo, nome e sobrenome. Eu não tenho nem titulo, pq pedi para mudarem para madame e não mudaram... ai que raiva.

Pois é. tem tanta coisa ainda pra ser mudada. O caminho está longo e difcil. Tem hora que eu acho que não tem jeito, nem saída. MAs ai vejo o caminho que percorremos e me digo que sim, uma hora as coisas mudam.

Luluzinha

Anônimo disse...

Não só nas redes sociais. Uma mulher não pode sequer jogar um jogo online, sem ser incomodada de 2 maneiras.
-
1 - Assediadores que nunca ouviram falar do nome dela e saem solicitando amizade
-
2 - Machistas que não admitem perder pra uma mulher e ficam xingando ela.
-
Se acham que é exagero, dêem uma olhada neste vídeo gravado por uma garota que gosta de jogar jogos de tiro. O tanto de babaca que não admite perder pra ela no FFA : https://www.youtube.com/watch?v=t68WF8A-8fc
-
Isto para não falar da Anita do Gamergate, que a Lola já escreveu sobre. Uma coisa é discordar do que ela prega

Anônimo disse...

E lá vem Homem fazendo omice de novo... meu filho, por que você não faz o mesmo que a autora do texto? Passe-se por mulher no twitter por uma semana. Uma só. Bote um avatar e um nome femininos e converse com todo mundo como se fosse mulher. Aí você terá alguma noção e direito de opinar sobre assunto.

Mas vamos deixar ainda mais claro:

ISSO NÃO É SOBRE VOCÊ, K7! É sobre as mulheres. Sobre a violência verbal e psicológica que elas sofrem por causa do seu gênero. Apenas entenda que você não é tão importante assim. Não é sobre você. Nunca foi. Não vai ser.

E não, policiais pelo menos no Brasil nunca mataram um branco sem motivo. Aliás, quando foi a última vez que policiais mataram um branco, de repente, sem ninguém entender por que, assim, do nada? Nunca nem ouvi falar. Policias matando negros sem motivo nenhum, ao contrário....

Anônimo disse...

Um dia estava eu com dois conhecidos de longa data jogando conversa fora, e sempre que eu tentava falar algo, vinha um ou outro e me interrompia ou simplesmente me ignorava de forma sutil. Percebi tbm a dificuldade que era para que olhassem pra mim. Tipo, seja qual for o assunto sempre a palavra era dirigida primeiramente ao outro homem presente. Nas redes socias não é muito diferente, pois para começar uma briga é só postar algo sobre liberdade feminina e já vem a renca de homens questionando e partindo pra baixaria. Estou aprendendo a me impor mais e soltar um belo " porra, me escuta carai" ou um " foda-se" se for necessário, mas na boa, é irritante isso e acabo ficando com preguiça de tentar continuar.

Anônimo disse...

Entrei no twitter dela e ainda está como "Alex Millard", não entendi.

Anônimo disse...

E dizem que temos mais privilégios que os homens, é muito triste. Porque não basta apenas sermos iguais perante a lei, porque o que é a lei hoje em dia? É o que o povo decide.
Como por exemplo, assédio moral é contra a lei, mas nunca vi um empresário sendo preso por humilhar seu empregadx. O máximo que acontece é um processo que dura anos, gasta muito dinheiro para o cara ainda sair por cima por ter condições de pagar um advogado ainda maior.
O mesmo acontece com as mulheres. Dizem que podemos nos expressar, mas também dizem que temos que aguentar sermos xingadas e ameaçadas de estupro. Isso são direitos iguais?
Isso é o que vemos em mulheres machistas e negros racistas, isso devia ser um paradoxo, não é? Mas a vontade da "liberdade" é tanta, que cabe a aceitação de uma sociedade cheia de falhas, sem perceber que ele mesmo está sendo atacado.
Agora que lá nos EUA está tendo uma crise severa, isso está mais do que claro. Aumento da criminalidade, polícia corrupta, nem parece mais "país de primeiro mundo". Onde já se viu um policial atirar 8 vezes em um homem negro PELAS COSTAS e alegar legítima defesa?
Sempre tive a fé de que as coisas iam melhorar aos poucos. Afinal, estamos caminhando no começo de um século, cujo não faz muito tempo que o preconceito ainda era descarado. Mas o mundo está ficando muito acomodado. Tudo agora é "mimimi" (que raiva dessa expressão)
Onde você é xingadx por falar qualquer coisa e ainda dizem que temos que aguentar, porque é direito deles xingar.

Anônimo disse...

Anon das 13:37, sou feminista mas não gosto dessas generalizações. "Policiais NUNCA no Brasil mataram um branco sem motivo", sério que nunca? E o caso do surfista de SC? E o PM atirando dentro da boate em Curitiba? Aí vc dá margem pra um bando de antifeminista vir postar aqui notícias do tipo, desqualificando todo teu argumento por causa dessa parte. Não, essa não é uma boa estratégia de argumentação. Problema que vejo em muitas feministas é isso, não sabem argumentar aí dão margem pra que mascus postem absurdos embaixo se achando o máximo.

Anônimo disse...

E que coisa bem podre esse argumento "não é sobre você". Tem lógica nenhuma, tá mais pra ad hominem do que argumento racional. E vcs acham mesmo que usando essas frases "não é sobre você" junto com palavrões em caps lock ("K7") vai mudar alguma coisa na outra pessoa que tá lendo? Se fosse eu o homem só ia pensar que não passa de uma sexista mal educada, nível de debate zero. Porque ne, o objetivo é melhorar a sociedade conscientizando as pessoas, ou ficar mostrando com palavrões e frases prontas que vc é superior?

Raven Deschain disse...

Bingo 1341!

Outro dia rolou treta lá em casa. Saiu uma "" "pesquisa""", dessas manjadas, que "provam" que mulheres falam mais que homens. E eu disse: o caralho. Quando tentamos falar vcs nos interrompem ou nem escutam! Praqqqqquuuee fui fazer isso? Mil omis me interromperam - oh the irony- pra me chamar de louca e dizer que sim, nós não calamos a boca. Nem preciso dizer que não consegui mais falar depois disso neh?

Anônimo disse...

Até porque, anon das 13:43, as pessoas não tem coragem de denunciar. Eu mesma sou a única que brigou com o diretor safado de onde trabalho e acontece que ninguém mais vai com a cara dele mas preferem fingir que não viram. Se não fosse a covardia deles eu teria no mínimo feito um abaixo-assinado contra ele há muito tempo.

Anônimo disse...

Se tem uma coisa que eu não queria era ser homem, mas já me fingi de homem em um fake no orkut e pude ver como é fácil a vida um homem, tinha muita mulher atrás de mim, mas quando eu era fake mulher as coisas não saiam fáceis assim. Eu nunca conseguia um namorado...

D Stoffel disse...

Uma vez escutei uma colega dizer que queria ter nascido homem, eu fiquei espantada, mas hoje eu entendo algumas nem querem a forma e sim o jeito que as pessoas tratam os homens, tem lugares que nascer mulher é quase um pecado, os pais ficam insatisfeitos.
Eu entendo que quando os homens dizem que as feministas querem ser homens eles dizem, elas querem ser seres humanos, embora eu ache as mulheres bem mais humanas.
E contudo isso tem muito mais homem querendo ser mulher que o contrário que contradição.

Anônimo disse...

Lola, por que você não faz um post sobre o Self-made Man da Norah Vincent?
Uma experiência MUITO mais completa e menos tendenciosa sobre o que é ser homem do ponto de vista de uma mulher (e feminista) realmente se passando por um no mundo real...
Ah é, daí tem que admitir que não é esse privilégio todo...

D Stoffel disse...

Lola queria até saber o que vc acha que o baixo numero de lésbicas em comparação ao dos gays?
será que tem haver com a imposição da mulher depender de homem e constituir uma família?

Bizzys disse...

"Quanta frescura, sou homem e isso não impede ninguém, de me xingar na net,até por besteiras"

É, mas no seu caso, o máximo que vai acontecer é uma ou outra pessoa postar um comentário xingando e pronto. Não vão juntar um bando para te ameaçar de estupro, não vão procurar e publicar seu telefone e endereço na internet, não vão incentivar outras pessoas a te atacarem, não vão dizer que você só não gosta do filme X "porque é homenzinho", não vão te mandar fotos não-solicitadas de pinto... Mas vão fazer isso com as mulheres, principalmente as que falam sobre feminismo ou as que jogam online. Se ainda não acredita, lê um dos milhares de posts que a Lola publicou sobre isso.


"E vcs acham mesmo que usando essas frases "não é sobre você" junto com palavrões em caps lock vai mudar alguma coisa na outra pessoa que tá lendo? Se fosse eu o homem só ia pensar que não passa de uma sexista mal educada, nível de debate zero"

Talvez não mude o pensamento da pessoa, mas se for um troll (como esse "Homem", que já veio aqui no blog mil vezes falar bosta), talvez ele perceba que a gente não está nem aí pro mimimi dele.

E só pra lembrar, nenhuma feminista é obrigada a ser professorinha e pegar na mão do machinho e ensinar tudo com o máximo de finesse pra não deixar o cara ofendidinho. Nós mulheres estamos reclamando e mostrando que somos hostilizadas diariamente no mundo real e no virtual, chega uma criatura desqualificando nossos relatos e a gente ainda tem que pedir desculpa? Me poupe. Se fosse alguém querendo aprender, tudo bem, mas em geral é só mascu troll querendo desviar o debate ou fazer iuzomismo. Feminista não é Madre Teresa não.

Anônimo disse...

EU já fiz esse experimento por conta própria várias vezes. Tenho duas contas no Twitter bem acessadas e às vezes escrevo A MESMA opinião como homem e como mulher. A como homem é retuitada de monte, a como mulher hauhauaha é uma ameaça de estupro por dia no mínimo.

"Homem" falando bem do feminismo: ai que lindo maravilhoso vamos dar uma medalha pra esse ómi

Mulher falando bem do feminismo: vaca escrota gorda peluda vamos te estuprar.

D Stoffel disse...

Bizzys
o que eles fazem na internet é o queriam fazer na vida real, alguns tem coragem outros não.
Eu li um comentário sobre a morte da funkeira, um rapaz falando que ela traiu ele e por isso ele a matou, como se justificasse, agora quando uma maluca resolve cortar a pica desses infelizes pelo mesmo motivo eles fazem até comunidade que otários.

Anônimo disse...

anonimo homem falando de feminismo pra mulher é lindo mas pra homem é traidor do patriarcado escravos de boceta pra mim não eh mais que a obrigação dele apoiar algo que inclusive e pelo beneficio dele

Jonas Klein disse...

Bom tem uma seria de coisas neste texto que merecem uma observação.

"faça uma experiência: passe-se por mulher durante um tempo. Você vai ver como é ser agredida, quase sempre por outros homens."

Claro desrespeita e agredir moralmente as pessoas na onde quer que seja e condenável, mas importante que se diga que, mas Isso vai depender muito do que você diga onde você esta, homens também são moralmente agredidos dependendo do que digam e onde dizem, e eu posso falar isso com conhecimento de causa, pois eu já fui moralmente agredido e chamado de tudo que você possa imaginar muitas vezes na internet, e vi o mesmo acontecer com muitos outros homens.

"imaginei poder andar na rua com fones de ouvido, despreocupada, fantasiei sobre sair para correr à noite. Não consegui experimentar isso."

Isso quase que qualquer mulher americana faz, pois nos EUA existe uma coisa que nos aqui no brasil nem conhecemos que se chama segurança publica, outra coisa quem mora nos EUA pode anda armado na rua, logo alguém te agredir você pode saca uma arma e manda bala, as mulheres no Brasil também poderia ter este beneficio, mas por causa lixo jurídico chamado estatuto do desarmamento (amplamente apoiado pelas esquerda), as mulheres no brasil não podem porta armas de fogo (mas arma branca ate que não tem problema), neste ponto você pode dizer que privilegiada mesmo por morar longe deste do brasil.

"Ele é feminista. Ele wita sobre como somos tratados diferentes." sorte sua.


"Escuto que sou gorda e feia o tempo todo"

ser chamada de gorda nem deveria ser ofensivo para você, e mesma coisa que ser chamada de negra, isso dito em função característica física da pessoa.

Agora em vez de reclamar de ser chamada de gorada, não seria bem mais inteligente, fácil e saldável para a sua saúde, começar controla a sua alimentação e começar malhar, para daqui 1 ou 2 anos você esta com seu peso e corpo em dia? ser gordo(a) para pessoa normais e uma opção.

"Somos atacadas. Uma em cada seis de nós será sexualmente abusada/estuprada"

Embora não vá resolver por completo este problema, pois isto envolve uma questão de educação também, você sabe bem que porte de arma e treinamento de defesa pessoal reduziria muuuuuuuuuuito mesmo, o numero de assassinatos e abusos cometidos contra mulheres.


"Foda-se. É errado que não possamos falar, nem na internet, sem medo de assédio verbal, ameaça de estupro, pressuposições sobre nossas vidas sexuais."

Realmente isto e tenso mesmo, agora você a de concordar comigo que as mulheres também tanto por ação quanto por omissão, também tem a sua cota de culpa nisso, pois quem não respeitas as mulheres e porque não foi ensinado(a) a respeitar, 95% destes trolls que você cita foram criados por mulheres, e dai porque estas não ensinaram estas pragas respeitarem as mulheres em primeiro lugar?

"e ninguém me disse que eu era gorda ou feia. Ninguém ameaçou me estuprar!"

Só para lembrar, ameaçar uma pessoa e crime e apologia ao crime também crime, logo quem faz isso pode e deve ser denunciado a policia.

"Como homem, podia usar as mesmas palavras e ter uma conversa, com opiniões diversas, ou nenhuma opinião, em vez de insultos. Tornei-me um ser humano "igual", cuja voz merece ser ouvida."

Você diz isto por que? te chamaram de vagabunda, vadia, puta coisa do tipo? quanto a isto eu ate já estava querendo abordar este assunto a tempo aqui.

Eu sem querer descobri uma forma de fazer com que as mulheres parem de serem ofendidas moralmente em função da sua vida sexual ou da forma que se vestem etc.

Uma pausa porque comentário ta muito longo.

Jonas Klein disse...

CONTINUANDO.

O que vou dizer e tão poderoso e eficiente e simples de aplicar que se eu quisesse cobrar por essa dica o preso de uma Ranger top de linha zerinho, eu já estaria cobrando barato, mas como eu estou aqui para colaborar e não para faturar financeiramente, não vou cobra nem proso de um popular pé de boi, como se diz.

Sem mais delongas vamos ao que interessa, a forma de fazer com que as pessoa parem de serem ofendidas, homiliadas etc, e TRATAR AS OFERNSAS MORAIS EM ELOGIOS OU ALGO NEUTRO, isso a principio pode parecer algo absurdo.

Porque normalmente para ofender uma mulher chama ela de vadia e não de linda? porque segundo dicionário a palavra vadia por si só já tem uma conotação pejorativa, a palavra linda tem uma conotação elogiosa, agora se você ignorar por completo conotação pejorativa de qualquer palavra quer for dirigida você, tratando como um elogio ou algo neutro dependendo da palavra, você deixa os hipócritas, estúpidos, machistas, trolls e etc, de plantão sem ter o que dizer, pois sem ter como te ofender em independente do que digam, e aqui que parece impossível acontece, estas coisas que citei acima normalmente se calam.

Para ilustrar vou cita um exemplo, eu não sou isso, mas se me chamarem de Gay, bixa, viado, baitola ou utilizando qualquer outro termo eu não me ofendo com isso, pois ser gay para mim não e nada pejorativo, feio, nojento ou qualquer coisa ruim que seja, quando isto acontece eu apenas rejeito acusação e pronto, mas jamais me ofendo, ou seja, não importa do que chamem o que em função do que vocês faz na sua vida pessoal, o importa e não tratar os rótulos, como algo defensivo jamais.

Outro exemplo pratico, a mulher que chamada de vadia por troca de parceiro sexual com frequência, isso e bom tratar como elogio, pois se pessoa gosta troca parceiro(A) sexual com frequência e porque ela gosta disto, logo qualquer coisa que te chamem em função disto, aquilo deve ser tratado como elogio, pois referesce a algo você gosta.

Outro exemplo se mulher for chamada de deposito de sêmen, vulgarmente chamado de porra, levando se em consideração, que sêmen e uma fonte de vida (apesar de que chamar alguém disto e uma idiotice), pois sem isso nem tem reprodução, logo nem tem porque se ofender com ser chamada(o) de algo que e uma fonte de vida.

Claro que eu estou me referindo quando e chamada de vadia, broxa, viado, dragão (quando mulher tida como feia) isso dependendo da situação e melhor tratar como um elogio.


Agora se me chamarem de racista por ser branco (isso já aconteceu), ai buraco e mais embaixo, pois estamos falando de uma falsa acusação de um crime, ai eu não digo que vá me sentir moralmente ofendido, mas vou me sentir atacado pessoalmente, o que neste caso me da direito processa pessoa.

"Jessie Hernandez, uma criança morta pelo que eu vejo como sendo um sistema falido."

Uma "criança" de dezessete anos? lê uma besteira destas, tira o bom humor e tesão de qualquer um!!!

Bom eu não sei se ela neste caso reagiu abordagem da policia, se reagiu pediu para leva e levou mesmo, e só faze um alto de resistência, enterra ela e assunto encerado. Questão racial ate que se prove em contrario nada haver, com o caso.

Outra pausa

Jonas Klein disse...

Por fim

" mas não posso mais falar livremente como é viver numa cultura que apoia estupradores,"

Muita calma nesta hora, não e bem assim, eu tenho certeza que se for feito um projeto de lei, determinando pena de morte a os estupradores, 80% da população apoiaria.

Eu tenho exemplo pessoal disto.

Um vez cerca de um anos atrás eu li matéria sobre estupro no terra, ai eu comentei fazendo uma pergunta, quem concorda que:

ESTUPRODOR BOM E ESTUPRODOR MORTO.

Mais de 40 pessoas concordaram comigo, e só 4 se manifestaram contra o minha opinião, talvez se tivesse citado a prisão perpetua, no lugar de matar, fossem todos contra zero.

a maioria da sociedade tem o péssimo abito de dividir culpa do estupro com vitima, mas dai dizer que tem uma cultura que poia o estupro já um exagero.

"Eu quero que você me ESCUTE. E reconheça minha humanidade."

a sua finalização foi interessante, lembre-se do que disse acima sobre cota de responsabilidade das mulheres nisso.

Acho que este foi maior a comentário que já fiz ate hoje.

Boa tarde.

Anônimo disse...

Lola, os mascus catalizam essas violências contra mulher, já viu aquele site mundorealista? Ele é conservador e misógino é um verdadeiro perigo para as mulheres. Eles querem normalizar a violência contra a mulher.

Anônimo disse...

Lola, os mascus catalizam essas violências contra mulher, já viu aquele site mundorealista? Ele é conservador e misógino é um verdadeiro perigo para as mulheres. Eles querem normalizar a violência contra a mulher.

Anônimo disse...

Anon das 13:49 que comentou de novo às 13:55. Bom, eu nunca cheguei a ter conhecimento dos casos que você mencionou, falha minha de fato. Mas qualquer pessoa que leia um jornal ou assista qqer coisa além de novela sabe muito bem que casos de brancos assassinados sem motivos são muito raros, enquanto que negros são assassinados sem motivo algum TODOS OS DIAS. Mal aí, mas dizer que racismo não existe pq um ou outro branco é morto sem motivo (enquanto negros morrem às dezenas) e que os negros deviam parar de mimimi por isso... bom, o que você pensa dessa situação?

Acha absurdo? Bom, é isso que o Homem está fazendo. Porque ele é xingado na internet (sem assédio, sem ameaças de estupro e morte, sem perseguição e sem sofrer desrespeitos por causa do seu gênero) é a mesma coisa. Aliás, lamento furar sua bolhinha, meu bem, mas eu em expresso como quiser-principalmente pq o Homem é um troll e nada mais. Aparece de vez em quando pra polemizar, tanto que só fala besteiras.

Pena que você não leu o post sobre a menina que foi estuprada por três garotos e cujo vídeo foi divulgado na internet. Você teria descoberto isso antes lendo os comentários do Homem lá. É troll.

Quanto ao "Isso não é sobre você" é o seguinte: o Homem veio aqui desqualificar as experiências das mulheres pq a dele foi diferente. Se você tem algo a dizer que não se encaixe no que ELE quer, pensa, acha ou prefere (aquele tipo que fica o tempo todo EU, EU, EU, EU), ele diz que não acontece assim e é frescura sua. Esse pessoal precisa sim ouvir um "isso não é sobre você" pra entender q o mundo não g gira ao redor da vontade os das opiniões machistas e mesquinhas dele.

Anônimo disse...

So sei que ser insultado hoje em dia eh muito comum. Se voce eh gordo, te insultam, se eh magro te insultam, se eh petista voce eh petralha, se eh de direita eh coxinha. Se eh mulher os mascus xingam se eh homem as feministas nao tem paciencia. Ou seja estamos vivendo uma era sem respeito algum por ninguem. Esta faltando amor no mundo.

Anônimo disse...

Se as meninas forem educadas para ter amor ao dinheiro, poderemos ter uma geração com poder de fazer o que quiser.

A chave para a mudança é o amor incondicional ao lucro.


Anônimo disse...

Concordo com o Thomas.

Qualquer pessoa que pense diferente da maioria e discriminada, se apontar qualquer incongruência, qualquer descoberta feita POR MULHERES, como LAURIE SANTOS, HELEN FISHER ou SUZANA HERCULANO HOUZELL, professora da UFRJ, será avacalhada, será diminuída.

Quero fazer um desafio, que tal fazer um post sobre essas 3 mulheres super respeitadas no mundo científico? Quero ver se haverá coragem de divulgar trabalhos que mostram aspectos criticados pelo feminismo.


Anônimo disse...

Jonas Klein não é seu melhor comentário pode ter certeza disso , mas enfim vamos lá...

A questão não é vc não levar em consideração como te chamam, mas sim que isso desencadeia uma série de situações. Se a mulher ou garota é tida como "depósito de porra" isso saí do campo das palavras e passa para o comportamento de muitos homens. Uma coisa é escreverem se nome na porta do banheiro outra coisa é quando saí da porta e passa a acontecerem ameaças reais, abusos e violência.
Eu particularmente não me ofendo se me chamam de piranha, por exemplo, a questão é q 2 ou 3 falam e depois surge alguém querendo conferir, daí sim vem situações de abuso, objetificação da mulher e etc...
Porte de arma, pena de morte, defesa pessoal resolvem no seu ver pq? pq calam os agressores? Mas a raiz é cultural. Não se resolve uma violência com outra... Não adianta...
Ensinar homens a respeitar as mulheres surge como meio de diminuir as ações de violência contra mulher.
Gorda e feia não deve ser encarado como elogio, te desqualificam por isso por sua própria característica física e vc acha q td bem? Vc se torna um objeto descartável por conta de outro q propaga a mensagem que vc merece ser desqualificada pq está acima do peso e por conta da opinião dele é gorda e vc acha q td bem? é so emagrecer e me anular me encaixar em um padrão que não é o meu que paro de ser agredida, afinal de conta sou agredida porque eu sou gorda e portanto a culpa é minha e não do agressor por ser no minimo "desrespeitoso".
Jonas faz vc o experimento ao contrario, cria um perfil fake feminino, com td q é "condenavel" pela sociedade (mulher, gorda, feia) e vem falar o que vc acha... leva como elogio... vai nessa e boa sorte...

Anônimo disse...

Parece que a pesquisa da LAURIE SANTOS chocou os pesquisadores quando os animais descobriram o poder do dinheiro...

donadio disse...

"Aliás, quando foi a última vez que policiais mataram um branco, de repente, sem ninguém entender por que, assim, do nada? Nunca nem ouvi falar."

Vladimir Herzog.

E sim, acontece.

Mas a questão, naturalmente, é outra: homens brancos que são assassinados pela polícia não são assassinados por serem brancos (são assassinados por serem homossexuais, desempregados, sem-terra, etc. Antigamente, por serem comunistas; não está mais na moda, mas tem gente querendo uma sessão nostalgia disso aí). Já homens negros que são assassinados pela polícia são assassinados por que o simples fato de serem negros os torna suspeitos.

donadio disse...

"Praqqqqquuuee fui fazer isso? Mil omis me interromperam - oh the irony- pra me chamar de louca e dizer que sim, nós não calamos a boca. Nem preciso dizer que não consegui mais falar depois disso neh?"

Sugestão: grava e cronometra o tempo de "falação" seu e deles. E cada vez que tentarem falar, só responda: "tá vendo"?

Raven Deschain disse...

Excelente idéia. Huashua

Anônimo disse...

kd comentário sem noção

Anônimo disse...

Eu soube, donadio, já fiz uma mea culpa num comentário anterior. Mas concordo com você, só vi a polícia matando homem branco gay, sem terra ou sem emprego. Branco ser assassinado só por ser branco (e automaticamente suspeito) acho que nunca vi mesmo.

Anon das 16:32 muito irônico o defensor de um sistema machista que trata mulher como objeto, que é contra a descriminalização do aborto, que pune a sexualidade feminina com morte, que acha assassinatos de mulher coisa normal, que acha que Maria da Penha injustiça, que acha que mulher que exige pensão pro filho é vagabunda exploradora, que apóia crianças sendo abandonadas em orfanatos e/ou maltratadas pra "dar uma lição" na "vadia que abriu as pernas", que culpa a vítima pelo estupro mesmo se ela tiver 10 anos, que quando uma mulher fala de alguma agressão que sofreu (seja verbal, psicológica, sexual ou física) manda ela calar a boca que é mimimi reclamar que tá faltando amor no mundo. Bom, pelo menos já serviu pra encher minha canequinha de male tears. Licença, vou ali fazer cházinho e já volto.

Anônimo disse...

Cara, analisando as coisas que eu vejo, ouço e vivo, eu cada vez chego mais a conclusão:

Um dos grandes motivos por que muitos homens são contra feminismo é pq feminismo necessariamente desencadeia uma revolução sexual interior. Pra algumas feministas antes, pra outras depois. Mas essa revolução interior sempre acontece.

E, à medida que a gente ganha maturidade e liberdade pra analisar nossa sexualidade (e nosso ato sexual) no contexto da sociedade patriarcal, a gente vê que o papel que foi relegado à mulher é um lixo.

Aí a gente começa a questionar esse papel secundário, a gente quer uma sexualidade com mais satisfação e protagonismo. E os homens não gostam disso.

Pq pra maioria dos homens, é muito melhor ter uma mulher que não questione a qualidade da foda. Ou que finja que está satisfeita e se comporte como tal. Isso alimenta o ego deles.

Aí pronto! Questionou a capacidade sexual, o cara não aguenta e sai atacando feministas: Essas vagabundas que inventaram que mulher tbm gosta de sexo!

Fernanda

Anônimo disse...

Jonas Klein...

Fui pesquisar na internet pra um trabalho da faculdade sobre Segmentação do Mercado Alvo, e cai diretamente num artigo seu.
Achei muito hilário pois o mundo é mesmo muito pequeno!
Me ajudou bastante, obrigada!

Pepper.

Anônimo disse...

Anon das 17:47

Falou tudo no seu segundo parágrafo. Reuniu os mais clássicos exemplos de misoginia (muitas vezes disfarçados de pró-vida e outras demagogias).

Todas as formas de crueldade que vc elencou estão ou podem estar presentes na história de toda e qualquer mulher. Apenas por serem mulheres.

Fernanda

Anônimo disse...

Sim, até porque todas as mulheres feministas pensam exatamente como Norah Vincent e teriam tido exatamente a mesma experiência que ela, nada subjetiva!

Raven Deschain disse...

"Sem mais delongas vamos ao que interessa, a forma de fazer com que as pessoa parem de serem ofendidas, homiliadas etc, e TRATAR AS OFERNSAS MORAIS EM ELOGIOS OU ALGO NEUTRO, isso a principio pode parecer algo absurdo."

Parece absurdo pq é, oras.

Ignorar ofensa? U fuckin kiddin? Então não precisa de uma lei pra combater o racismo. Nós, pretos, só devemos ignorar esses racistas cara de mamão. O que vc diz se encaixa, Jonas, e muito, no conceito de culpabilização da vítima. Afinal, não são os loucos da internet que ofendem essas moças, são ELAS que SE ofendem.

Ainda bem q vc não cobra nem faz disso seu trabalho. Ia morrer de fome.

E a questão não é só ser chamada de gorda. Existe ainda o "vou te estuprar". O "um dia vão encontrar seu corpo nao vala". O telefonar pra casa da mulher, ameaçando-a. Acho difícil ignorar isso.

Jonas Klein disse...

Anon 16:52

"Porte de arma, pena de morte, defesa pessoal resolvem no seu ver pq? pq calam os agressores? Mas a raiz é cultural. Não se resolve uma violência com outra... Não adianta..."

Pelo tom do teu comentário da para ver que você provavelmente de esquerda, apesar de eu saber que o que não adianta mesmo discutir com esquerdista vamos la.

Isso que citei adianta sim, tanto que tem um estado americano, se não me falha memoria a florida, que foi alguma forma incentivado que as mulheres portassem armas de fogo, e não tem tenho certeza se defesa pessoal também, só me lembro que lá reduziu uns 90% o numero de mulheres vitimas de estupro.

Pois quando você não tem o seu espaço respeitado pelas vias normais, o jeito impor este respeito pela via da violência mesmo, pois você pode ate não respeita uma peço pelo que ela é, mas se aquela pessoa pode lutar de igual para igual com você, você dificilmente agrediria aquela pessoa e se aquela pessoa você sabe que esta com uma arma ao alcance da mão, ai sim você não levanta nem voz para aquela pessoa que dirá tenta agredir ela.

"Gorda e feia não deve ser encarado como elogio, te desqualificam por isso por sua própria característica física e vc acha q td bem?"

Acho que você não leu direito que eu escrevi, você pode encarar isso como algo neutro também.

Outra coisa nenhuma mulher e desqualificada por se gorda nem feia, ela pode ser tida no máximo como uma pessoa que não atraente fisicamente, isso e que acontece na pratica.

O que esta por traz da ideia que eu passa e a destruição alongo prazo dos conceitos que destroem imagem das pessoas, afetando a sua imagem, a medida que você muda conceito sobre certas coisa, muda o efeito social delas ou as abule da sociedade...


Pepper.

Que bom que você gostou do meu artigo, você não sabe o tempo que passei estudando para elaborar ele.

Jéssica disse...

Olá Jonas, segue sua fonte: http://www.frontpagemag.com/2013/dgreenfield/sexual-assaults-fell-90-after-colorado-springs-university-legalized-campus-guns/

Uma universidade fez isso, não todo um estado. Seria absurdo esperar que mulheres pobres tivessem acesso a armas e curso de defesa pessoal. Ou que mulheres negras e latinas não seriam mortas pela policia por carregar armas.

Inclusive, essa fonte parece ser fake, já que os links dela apontam uns para os outros, com prints do mesmo gráfico mas sem a fonte para a pesquisa. O site também parece ser de extrema direita.

Cerca de metade dos estupros são cometidos por conhecidos da vítima, frequentemente homens que ela confia. Armas não ajudam. Você não fica com uma arma em mãos visitando a casa de um amigo ou namorado. Mesmo se ajudassem, o historico dos EUA para mulheres que acabam matando ou até só usando a arma para tiro de aviso é que que elas são presas e punidas severamente. Tanto para estupro como para casos e violência doméstica. Porque esses crimes não são considerados importantes.

E a parte de "Nos EUA é seguro andar sozinha a noite!", você claramente não sabe do que está falando.

Anônimo disse...

Belo comentário Jessica!!! E Jonas eu não sei o que vc sabe sobre ser ou não esquerdista, eu não me defino desse jeito... E bem Jessica demonstrou bons argumentos (que eu concordo plenamente)... Imagina só como seria nos casos de filhas estupradas pelos pais, caso elas seguissem sua lógica: se fossem pobres seria homicídio...
E como vc estenderia isso às pessoas trans? Pq sim elas tb poderiam ser violentadas certo?
Medidas desse tipo funcionariam se pudessem ser estendidas à td população sem problemas... popularizar a violência como vc diz não resolve...

Anônimo disse...

Anon chorão das 19:41

Quantos homens já foram assassinados por terem terminado relacionamento?

Quantos homens já sofreram revenge porn e foram linchados pela sociedade só porque fizeram sexo?

Quantos homens já fizeram um trabalho brilhante e ouviram que "uma mulher tinha feito por ele, porque homem não é tão inteligente assim"?

Quantos homens já tiveram como resposta a um texto na internet ameaças de estupro e morte?

Quantos homens não podem entrar num jogo ou fórum online sem ser assediados por gente desconhecida?

Quantos homens morrem por dia porque a igreja os proíbe de ter um atendimento de qualidade por não quererem a paternidade e tomarem providências pra impedir?

Quantos homens se privam de sexo porque serão chamados de vadios?

Quantos homens evitam roupa curta por medo de ouvirme um "estava pedindo" em resposta a uma queixa de violência sexual?

Quantos homens ficam presos em relacionamentos abusivos porque são donos de casa e não tem renda própria, ou morrem de fome comos filhos na rua?

Não tô aqui pra secar suas male tears e te dar um abraço. Eu quero mesmo é que vocês chorem.

Elen disse...

"Outra coisa nenhuma mulher e desqualificada por se gorda nem feia, ela pode ser tida no máximo como uma pessoa que não atraente fisicamente, isso e que acontece na pratica."


Nada a ver o que vc disse, eu posso olhar para uma pessoa e não achar ela atraente por qualquer motivo, mas se eu uso esse motivo para depreciar e humilhar estou desqualificando sim, e é isso que acontece na prática.
Se fosse como vc disse, n existiria bullying. E quanto as pessoas gordas que são dispensadas ou rejeitadas no emprego por serem gordas? Isso não é desqualificar? Imagina se fosse.
Já vi uma pesquisa que diz que 70% dos empresários admitem descartar gordos. E esses dias mesmo, fui numa loja que vende roupas para gordas, eu sou gorda, a dona da loja é gorda e ela falou na minha cara que não sabia se ia me contratar,porque eu não ia aguentar o trabalho, pqp!
Ia ser pesado mesmo, arrumar roupas e atender clientes...

Anônimo disse...

Pelo tanto que vc reclamou anon 21:14,tá chorando mais que eu.
toma um lencinho.

Anônimo disse...

Olha o que ocorreu na China: http://www.gadoo.com.br/noticias/adolescente-da-a-luz-no-banheiro-de-fabrica-e-abandona-bebe-no-local-para-voltar-ao-trabalho/



Adolescente dá à luz no banheiro de fábrica e abandona bebê no local para voltar ao trabalho
Adolescente dá à luz no banheiro de fábrica e abandona bebê no local para voltar ao trabalho

Anônimo disse...

Esses mascus são uma piada!

Anônimo disse...

Anon chorão das 19:41 volta lá para seu mundo "realista". . .

Anônimo disse...

Engraçado como certos mulatos falam que são pretos para mostrar que tem personalidade forte mas são meras marionetes do eurocentrismo. Mulato é negro pra branco e é branco pra negro.

Anônimo disse...

Fato!

Anônimo disse...

Olha um mascu gringo falando besteira http://blogs.diariodonordeste.com.br/navegando/esporte/britanico-diz-que-mulheres-nao-tem-cerebro-para-jogar-xadrez/

Anônimo disse...

Eu não concordo muito de que "mulato" é branco para negro.

Anônimo disse...

Na verdade, anon das 21:17, eu comemoro cada mascu e machista tão desesperado pelos privilégios preconceituosos que vem chorar num blog feminista, o último lugar do mundo onde eles vão encontrar quem concorde com suas ideias ridículas. Tô me divertindo muito, ADORO ver machinho tosco espernear pela perda do direito de ser opressor. Quanto mais mimizento é o chorão, mais gostoso é meu cházinho! :D

Anônimo disse...

Essa caixa de comentários está uma tristeza, dos dois lados da moeda.

Anônimo disse...

Beleza, eu só não entendo,e que apesar disto tudo, mulheres ainda querem a companhia masculina? Porque não criam comunidades só de mulheres,jogos on line, onde só participam mulheres...
A não ser que gostem da companhia de que só lhes faz mau, masoquismo?
E antes que venham com "mas os homens podem mudar, se o feminismo abrir a mente deles"
Não eles não vão, mil anos de feminismo não vão mudar os homens em nada. Não seria melhor as mulheres irem, criarem seu proprio mundo, em vez de ficarmos mendigando migalhas do deles?

Anônimo disse...

Mas confesso que dei boas risadas com a ideia genial do Jonas. Realmente ainda bem que ele não tá cobrando, se isso aí vale uma Ranger top de linha imagina os conselhos da minha vó, não tenho dinheiro pra tanto

Anônimo disse...

Como as mulheres vão criar o seu próprio mundo se elas não tem acesso a 1) capital 2) poder ? E as que são hetero, como faz?

Anônimo disse...

Eu sei que esse conceito pode ser difícil para alguns entenderem mas qualquer um pode criar o seu próprio mundo criando seu próprio poder/capital/etc (seja lá como for, existem milhões de exemplos disso na história). Mas ao que me parece algumas pessoas preferem ficar reclamando e mendigando ajuda.

Estão com medo de andar na rua? Quem se importa? Se não se importam com a violência que uma parcela da população recebe, porque essa parcela vai se importar com a que a outra sofre? No passado até funcionava, as ideias tradicionalistas abriam essa possibilidade. Agora com a noção tão difundida de que todos somos iguais, esqueça...

Estão te ofendendo na internet? Nossa, que peninha! Estão te ameaçando de alguma coisa? Nossa, que peninha! Ninguém se importa, e nem deveria, quem é adulto que se vire, procura a polícia, compra uma arma, i.e., se vira!

Estão te chamando de gorda, de vagabunda, etc? Problema seu, se vira, você tem várias opções: ignorar, mudar, xingar, etc.

A sociedade não vai mudar por causa de mimimi, seja de feministas ou de qualquer outro grupo. O efeito desse mimimi todo está sendo dessensibilizar parte da população, estão usando tanto o método de "envergonhar" (shaming language) que começo a ver muitas pessoas aceitando muito mais facilmente o rótulo de: machista, racista, fascista, etc. Nos só temos a perder com isso...

Eu sou a favor que todos sejam tratados como adultos capazes. Sou contra qualquer mimimi. Quem fica de mimimi não resolve seus próprios problemas e acaba tendo uma vida infeliz.

Anônimo disse...

Concordo com voce anonimo das 08:18, tem mimimi demais no mundo.

Anônimo disse...

Então, anon. das 13:48, por que continua sendo feminista sabendo que todo mundo tem problemas, não só mulheres e negros? E vou acrescentar: nos casos de assassinato em série nos EUA a polícia vai atrás de homens brancos porque raramente negros fazem isso.

Raven Deschain disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Raven Deschain disse...

Oxxi indireta pra mim? Que buni. Amigo, tu tá certo. Enquanto usarem a palavra 'mulatx', somos meros, como é? "Marionetes do eurocentrismo", mesmo.

E na boa, me defino com oq me identifico. E certamente não me identifico com gente branca e babaca (tipo tu deve ser).

E antes que eu esqueça: vá se foder. :)

Anônimo disse...

É verdade, anon das 08:18, mil anos de feminismo não vão mudar a sociedade, é só ver como as mulheres não podem estudar, não tem permissão de trabalhar, não podem ter propriedade no seu nome, não podem morar sozinhas, não escolhem com quem vão casar, são jogadas na rua se perderem a virgindade. Assim como os negros ainda são escravos, não tem permissão pra estudar, são proibidos de entrar na faculdade, a lei ainda garante o direito de castigá-los fisicamente quando o chefe deles quiser, ainda são considerados bem semoventes e podem ser livre e abertamente vendidos como animais nas ruas.

Quer se matar de vergonha agora, ou precisa tomar um remedinho pra cura suas alucinações de ainda estarmos vivendo no séc. XVII? Ou você é mascu mesmo, e nesse caso é só a burrice terminal típica desses babacas?

Anônimo disse...

@Raven, que belo comentário racista o seu... qual é a relevância da cor do fulano que você quer agredir?

Na minha opinião qualquer tipo de racismo é de uma burrice sem par! O racismo não passa de uma generalização feita a partir de um conjunto de observações. Ter um conceito prévio em si não é uma coisa ruim. O problema é quando se aplica esse conceito prévio sem critério, generalizando.

Claro que eu conheço a cartilha feminista que repele argumentos como o meu com alguma modificação da definição de racismo (tipo recismo = preconceito + poder). Porém, a necessidade de modificar a definição para mim já é prova suficiente da fraqueza do contra-argumento.

E por fim, você sabe que a internet é para sempre né? Acho que no futuro você vai se arrepender bastante de parecer tão ingênua e infantil na sua argumentação... bom no fim o problema é seu, quem sou eu para julgar qualquer um...


Anônimo disse...

É anon das 08:47, tem mimimi demais no mundo, principalmente dos machistas e mascus que não aguentam perder seus privilégios e seu direito de oprimir os outros. Aí eles vem com essa choradeira patética pra cá achando que vão dar peninha nos ativistas, e quebram a cara. Aí mimizam ainda mais.

Anônimo disse...

"me defino com oq me identifico". Sério? Imagine um negro que se identifica com brancos dizer:"nós brancos..." Aposto que até você acharia estranho. Já que a carapuça serviu, vá para um país de negros pra ver se eles vão ve-la como negra. Rihanna é considerada "branca" no país dela que é de maioria negra e até sofria bullying na infância por isso. Já nos tablóides os autores que geralmente são brancos a consideram negra. "nossa...!mulata o caramba. sou negra mesmo." Pior que já ouvi isso umas 4x. Falta de noção.

Anônimo disse...

@10:02 você parte da premissa que o mimimi foi responsável por essas mudanças, a partir daí tece uma série de conclusões simplistas e eu sou o burro? Ok, cada um com seu cada qual...

Se você estudar um pouco a histórias dessas transformações que você citou, vai ver que tem muito mais que mimimi por trás delas.

Você acha mesmo que o que o movimento feminista moderno (pelo menos a parte que tem poder institucional) faz o mesmo que as primeiras ondas? Minha crítica é que, atualmente, não passa de um movimento que fica reclamando dos problemas do mundo e esperando alguém resolvê-los...

Não gostam dos videogames? Criem os seus ué, ou feminista não sabe programar? Não gosta de uma certa comunidade, crie a sua!




Anônimo disse...

Concordo plenamente @10:04, esses movimentos pelos "direitos dos homens e meninos" está criando a contrapartida masculina do mimimi.

Agora temos dois grupos criando um contingente de adultos infantilizados que só sabem reclamar e não conseguem resolver seus próprios problemas...


Priscilla Franco disse...

Só eu tenho sentido falta de ver assuntos importantes no blog da Lola? Kd a discussão sobre o Caso Verônica, que trouxe à tona a questão do feminismo x transfeminismo? É o tipo de assunto que não passaria em branco por aqui no passado. É muito guest post, muita intervenção de terceiros. Lola, estou com saudades.

Raven Deschain disse...

Ué caralho. Importa a partir do momento em que ele vem ME dizer de que cor devo ser pelos olhos DELE. Ou seus. Sei lá. Anônimo é tudo igual.

Serião? NUNCA vi preto nenhum dizendo: olha cara, vc nem é branco. Vê? Tá mais pra rosa. Mas branco adora vir retirar a negritude de qualquer um.

Raven Deschain disse...

Cê é da zoeira neh? Nunca vi preto nenhum dizer esse absurdo. Oq vejo são brancos dizendo 'somos todos macacos'. Vejo brancos fazendo rap. Vejo brancos usando dread.

Encerrei por aqui.

Anônimo disse...

@Raven,

"NUNCA vi preto nenhum dizendo: olha cara, vc nem é branco. Vê? Tá mais pra rosa. Mas branco adora vir retirar a negritude de qualquer um."

"Nunca vi preto nenhum dizer esse absurdo. Oq vejo são brancos dizendo 'somos todos macacos'. Vejo brancos fazendo rap. Vejo brancos usando dread."

Você não consegue perceber a quantidade de generalizações que vocês fez nesse comentário? Você está repetindo o comportamento que você mesmo diz combater... Veja bem, você esta usando sua experiência pessoal para dizer como as coisas são.

Qual é a relevância de você nunca ter visto negros fazendo alguma coisa? Absolutamente nenhuma, você só esta sendo preconceituosa, você está julgando que todos os negros vão agir ou agem de uma certa forma. Isso é racismo, e nesse caso contra negros. A grande diferença é que você não esta generalizando uma característica ruim. Portanto, não parece que você fazendo uma coisa errada, mas a forma de pensar é a mesma, e é essa forma de pensar que faz uma pessoa que teve uma experiência ruim com um negro (ou ouviu uma história, ou for criado com essa ideia) generalize dizendo que todos os negros são isso ou aquilo.









Anônimo disse...

Encerrou por aqui porque só fala besteira. Aposto que nem ela própria sabe o que está dizendo.

Anônimo disse...

É verdade, anon das 08:18, mil anos de feminismo não vão mudar a sociedade, é só ver como as mulheres não podem estudar, não tem permissão de trabalhar, não podem ter propriedade no seu nome, não podem morar sozinhas, não escolhem com quem vão casar, são jogadas na rua se perderem a virgindade. Assim como os negros ainda são escravos, não tem permissão pra estudar, são proibidos de entrar na faculdade, a lei ainda garante o direito de castigá-los fisicamente quando o chefe deles quiser, ainda são considerados bem semoventes e podem ser livre e abertamente vendidos como animais nas ruas.

Quer se matar de vergonha agora, ou precisa tomar um remedinho pra cura suas alucinações de ainda estarmos vivendo no séc. XVII? Ou você é mascu mesmo, e nesse caso é só a burrice terminal típica desses babacas?
-------------
Eu não sou mascu, e jamais diria que o feminismo não foi, é, e vai ser muito importante para emancipação feminina, o que eu disse, e que feminismo não muda homens, não surte efeito nenhum neles, e me irrita ver mulheres mendigando atenção e compreenção deles. Já passou da hora do feminismo revolucionário, romper este ciclo, e se dedicar a sua função utopica, uma sociedade de mulheres, para mulheres.

Anônimo disse...

D Stoffel disse...
Lola queria até saber o que vc acha que o baixo numero de lésbicas em comparação ao dos gays?
_
Viajou legal agora, segundo ultima pesquisa na União Europeia, entre os homens, o numero de homossexuais chega a 8%, já entre as mulheres e de 19%.

Anônimo disse...

Fábio, o que eu quer saber é: e o mingau? Tá pronto?

Fernanda

Anônimo disse...

verônica q virou pobre coitada e martir só por ser transeuxal,travesti,sei lá...
se for da minoria n precisa ter caráter.
n foi certo espancarem ela, mas o engraçado é que só se revoltam com o abuso contra ela, agora ela ter tentado matar um velhinha e ter arrancado a orelha de um cara e supostamente ter se masturbado na frente de todo mundo na cadeia,n choca nem um pouco...

Anônimo disse...

"É verdade, anon das 08:18, mil anos de feminismo não vão mudar a sociedade, é só ver como as mulheres não podem estudar, não tem permissão de trabalhar, não podem ter propriedade no seu nome, não podem morar sozinhas, não escolhem com quem vão casar, são jogadas na rua se perderem a virgindade. Assim como os negros ainda são escravos, não tem permissão pra estudar, são proibidos de entrar na faculdade, a lei ainda garante o direito de castigá-los fisicamente quando o chefe deles quiser, ainda são considerados bem semoventes e podem ser livre e abertamente vendidos como animais nas ruas."

Os homens deram esses direitos às mulheres por mera conveniência. Trabalhar pro homem poder ganhar menos sem a família passar fome, votar pela mesma razão que jovens de 16 anos votam, como ficou caro sustentar mulher trancada em casa foi melhor soltar as cabritas na rua. Mas luta feminista? Não, economia de mercado. Idem para os negros, não foi a luta que os libertou mas o cenário econômico mundial que tornou a escravatura cara demais.

Anônimo disse...

"n foi certo espancarem ela, mas o engraçado é que só se revoltam com o abuso contra ela, agora ela ter tentado matar um velhinha e ter arrancado a orelha de um cara e supostamente ter se masturbado na frente de todo mundo na cadeia,n choca nem um pouco... "

Esse é o """""""""""feminismo""""""""""" que privilegia HOMENS em detrimento às mulheres verdadeiras (como a senhora agredida, por exemplo, essa aparentemente não-merecedora de sororidade alguma por parte das ativistas).

Anônimo disse...

Se os homens que deram poderes as mulheres, porque eles reclamam dos direitos que as mulherea receberam? Contraditorio não?

Anônimo disse...

Uso nick neutro na internet desde que comecei a usar, pra evitar a fadiga. E sempre deu muito certo.

Anônimo disse...

Anon das 10:15, as feministas não mimizam, elas vão à luta mesmo. Quem você acha que lutou (e conseguiu) aprovar a lei do feminicídio? Lei Maria da Penha? Quem faz campanhas contra a violência de gênero? Quem lutou peos direitos das mulheres na última década? Feministas. Elas não mimizam, quem mimizam são os homens que veem seu direito de ser opressor escorrendo pelo ralo, gritam nããããão!, e vem pros blogs feministas gaslaitear pra ver se elas desistem. bom, deixa eu te dar uma má notícia, colega: gaslaite não funciona aqui. Você perdeu. E se não sabe o que é gaslaitear, pergunta ao google que eu não sou obrigada a te pegar pela mãozinha e ensinar tudo.

Anônimo disse...

Anon das 14:28 os homens deram direitos às mulheres por conveniência?

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK!!

É mesmo, é tão conveniente pra vocês homens que só o que fazem é vir aqui chorar que as mulheres já tem direitos demais e que vocês machochinhos é que estão sendo oprimidos por essa sociedade matriarcal agora. Quem você pensa que está enganando?

Anon das 12:57 eu não afirmei que você é mascu, eu perguntei se era. E o feminismo muda sim os homens. Meninos criados por feministas e homens capazes de ver além do próprio umbigo, de enxergar mulheres como seres humanos, ter empatia e se solidarizar com elas vão ser homens diferentes. Várias comentaristas e a própria Lola tem namorados, pais, parentes, amigos e maridos completamente diferentes do modelo de masculinidade tradicional. E ninguém aqui mendiga a atenção e compreensão de homens; exigimos que eles deixem de ser babacas e tratem mulheres como gente, não como cidadãs de segunda classe ou objeto pro prazer do macho.

Cão do Mato disse...

Experimentem parar de dizer que "todo homem é um estuprador em potencial". Talvez haja algum reflexo na Internet com relação às agressões e ameaças. Tentem dizer a frase da maneira correta, como por exemplo :"não dá para saber quem é ou não é um estuprador "...

Anônimo disse...

@22:25 Acho que seu primeiro erro, que é um erro bem comum feito por Brasileiros, é achar que problemas são resolvidos com leis. O Brasil já tem leis suficiente... o que resolve alguma coisa é a aplicação da lei que no fim se reduz a polícia+judiciário de qualidade.

Segundo, as duas leis que você citou tem histórias bem diferentes. A Lei Maria da Penha (LMP), no meu entender, foi criada com muito boas intenções e no fim, mesmo sendo discriminatória em gênero, tem sido bem aplicada. E veja bem, existem várias aplicações da LMP que favorecem homens vítimas de violência doméstica, o que é ótimo! Mas foi necessária uma interpretação especial de alguns juízes para isso, não seria o caso se a lei não fosse discriminatória por natureza.

A lei do feminicídio é uma aberração que ainda vamos (todos homens e mulheres) pagar muito por ela. Mas isso é só minha opinião que não irei estender muito nesse espaço.

A questão toda é que esses avanços vem em uma época de transição na qual os políticos começam a ver que não precisam do voto dos não-feministas. Esse processo está muito mais adiantado nos EU e Canadá, mas no Brasil já tem uma certa forma.

Isso se dá em conjunto com uma "nova" forma de fazer política "inaugurada" pelo George Bush, política pelo medo. Bastar gritar terrorismo que conseguem aprovar qualquer porcaria. Veja a quantidade de leis absurdas removendo as liberdades individuais que foram aprovadas nos EU! No atual pacto patriota o presidente pode mandar prender e matar alguém sem o devido processo legal! Isso foi possível devido a situação de pânico constante que parte da população de lá vive.

No momento atual estão jogando com os medos (que na nossa sociedade atual) são mais fáceis de manipular nas mulheres. Então, usar o medo da mulher é muito útil e provê um grande contingente de eleitores. Muitas mulheres que sofrem o medo e muitos homens que se sensibilizam. Pessoas com medo votam diferente e aceitam leis diferentes.

Basicamente, ao meu ver, o feminismo hoje está sendo usado para criar uma histeria em massa de forma criar um rebanho de eleitores que podem ser facilmente manipulados a dar mais poder ao estado.

Dessa forma não acredito que as feministas fizeram (recentemente) nada mais que mimimi. A diferença é que é politicamente útil escutar os mimimis.

Julia disse...

Porque não foram homens que deram direitos as mulheres por isso reclamam. Agora faz mais sentido, né?

Julia disse...

O seu choro já está chato, cara. Aceita a derrota com dignidade pq essa "aberração" da lei do feminicidio é só o começo.

Anônimo disse...

Anon das 05:07 fui com toda a boa vontade ler esse calhamaço que você escreveu, mesmo dizendo que não ia se estender. E quer saber? Não adianta você tentar minimizar a importância e as conquistas do feminismo moderno, porque ninguém vai acreditar mesmo. Acha que só porque você é homem vou me curvar às suas palavras e fazer o que você diz? Visualiza:

Eu sambando em cima da sua aprovação, que virou pó antes mesmo de você comentar.

Eu sapateando sobre sua opinião sobre feminismo, que também virou pó há décadas.

Eu dançando regatteon em cima da sua vontade de calar as mulheres, que praticamente já sumiu.

Eu fazendo o Lago dos Cisnes em cima do seu blábláblá que já foi até varrido.

Eu, depois de tanta dança, me refrescando com um cházinho feito das suas male tears por perder seu direito de ser opressor.

E aí? Já deu pra entender o quanto sua opinião machista não significa nada pra mim ou preciso desenhar e colar aqui?

Anônimo disse...

"Uso nick neutro na internet desde que comecei a usar, pra evitar a fadiga. E sempre deu muito certo."

Melhor coisa, ninguém me amola em fóruns, jogando online, comentando em blog (e sempre que dá comento anônima, não preciso de medalhinha). Acho que certas coisas, enquanto o mundo não muda, a gente mesmo pode fazer pra evitar a imensa fadiga.

Anônimo disse...

Quem você acha que lutou (e conseguiu) aprovar a lei do feminicídio? Lei Maria da Penha? Quem faz campanhas contra a violência de gênero? Quem lutou peos direitos das mulheres na última década? Feministas.


-----------------------

E quem deu todos esses direitos? Homens. Homens cis heteros, a maioria absoluta e histórica em todas as casas legislativas brasileiras nas esferas municipal, estadual e federal. Por essas que eles não deveriam ser vistos como inimigos, como pretendem algumas correntes feministas e sim como aliados porque de fato, são.

Anônimo disse...

@Julia, acho que vocês tem que se decidir. De duas uma, ou quem tem o poder no mundo são os homens então naturalmente qualquer "direito" recebido pelas mulheres foi dado (ou tomado) dos homens. Ou na verdade a distribuição de poder no mundo é bem mais complicada que a velha ladainha do feminismo...

Por mim, que façam leis com o feminicidio ou qualquer bobagem do tipo. A questão é que a humanidade passou por muitas coisas até conseguir eliminar da lei, quase a totalidade das menções a raça, gênero e status (por um tempo, só votavam aqueles que possuíam terras, etc). Agora vocês querem regredir, o que só vai dar mais poder de controle ao estado. Qualquer uma dessas leis poderia ter o mesmo efeito sem mencionar gênero, mas... como disse isso é problema de vocês, eu tenho minha vida ganha...

Outra coisa que parece que algumas pessoas não entenderam. Eu não tenho nenhuma esperança em mudar a cabeça das pessoas que já foram doutrinadas na ideologia (religião) feminista. Acho uma pena, sabendo a quantidade de sofrimento que isso potencialmente gerará para elas. Toda doutrina limita o raciocínio, toda pessoa que escolhe parar de raciocinar sobre questões importantes da sua vida acaba sofrendo bastante, de uma forma ou de outra.

Eu escrevo para as pessoas em geral, se alguém vem em um blog desses procurando explicações e ideias, elas vão também ver um outro lado da moeda que pode ser bem razoável. No fim, vocês fazem meu trabalho ser bem mais simples quando se comportam como crianças mimadas que não sabem argumentar com racionalidade.

PS. acho muito engraçado o uso indiscriminado do termo "male tears", em alguns lugares isso é gíria para esperma. Então toda vez que leio uma feminista dizendo que vai beber alguma coisa com "male tears" acho realmente engraçado :D



Anônimo disse...

Porque os homens deram direitos para as mulheres então? Porque eles cansaram de estuprar e bater nas suas esposas e se tornaram bonzinhos? Ou foi porque eles sofreram pressão da metade da população que estava se tornando mais esclarecida?

Anônimo disse...

"acho muito engraçado o uso indiscriminado do termo "male tears", em alguns lugares isso é gíria para esperma"

Hahahah só se for no seu mundo imaginário. Os homens mesmo começaram com essa gíria de "male tears" para dizer que se emocionaram com alguma coisa, mas como não queriam parecer "mulherzinhas" (já que mulher é quem chora), eles passaram a falar que choraram "lágrimas masculinas". Essa sua tentativa de fazer as feministas pararem de usar a gíria foi bem imbecil, se esforce mais da próxima vez.

Enquanto isso, vou enchendo a minha xícara com as lágrimas duzômi.

Anônimo disse...

@15:01 boa sorte para encontrar um cara que consiga encher uma xícara inteira! Para quem quiser procurem: urbandictionary + "male tears".

As pessoas esquecem que existem muitas culturas no mundo, e muitos povos que falam inglês, cada um com suas gírias e termos.





Cheers!

Anônimo disse...

@14:42 "Porque os homens deram direitos para as mulheres então?"

Os homens não deram nada. Homem em geral não tem poder nenhum... quem tem poder sempre foram as mesmas pessoas (pouquíssimos homens e mulheres). Eles devem achar bem engraçado as pessoas lutando entre si, fizeram isso com os escravos, fazem isso com o povo agora. A melhor maneira de controlar um grupo é jogar uns contra os outros.

O motivo é simplesmente econômico. Antes da mulher entrar no mercado de trabalho da forma que entrou, um adulto era capaz de sustentar uma casa somente com o seu contracheque. Com a entrada da mulher precisamos agora do casal trabalhando para sustentar a mesma casa, ou seja, dois contracheques.

Isso não é culpa das mulheres! Eles atenderam uma reivindicação importante das mulheres mas aproveitam para distorcer em seu benefício. Foi uma jogada econômica, quem estava no governo e quem tinha influência fizeram de forma a aumentar o numero de pessoas trabalhando e consequentemente diminuindo seus salários.




Anônimo disse...

"Essa sua tentativa de fazer as feministas pararem de usar a gíria foi bem imbecil, se esforce mais da próxima vez."

Esqueci de dizer: Quem sou eu para dizer quais os termos que os acólitos do feminismo podem ou não usar. Eu só acho bem divertido, a imagem mental é hilária!




Anônimo disse...

MY EYES! Oh, gosh, my eyes! Não acredito que tive que ver isso! Se o flooder entendesse qualquer coisa de gíria norte americana, saberia que o único sinônimo de male tears é "suar pelos olhos". O sujeito nunca leu um rótulo de sorvete em inglês na vida e quer se passar por linguista. E eu que passei anos estudando gírias, trocadilhos e piadas em inglês, pesquisando na internet, em revistas, em livros, em mil e um dicionários, inclusive fazendo do tema meu trabalho no curso de Letras, sou obrigada a ler essa abominação logo na minha frente.

*Pausa para vômito*

Mas pode fazer suas imagens mentais à vontade, é o mais perto que você vai chegar de algum contato sexual com uma mulher. Ninguém vai te tirar sua pobre fantasia, que é só o que você tem. Somos más, mas nem tanto.

Ah, e onde eu consigo male tears? Colega, só as suas já deu pra fazer dois bules de chá, cinco porções de caldo e quatro escalda pés! É male tears pra encher a cantareira, por quê ao invés de se lamentar aqui você não vai chorar lá pra encher o volume que falta e ao menos uma vez na vida ser útil?

Anônimo disse...

"Os homens deram esses direitos às mulheres por mera conveniência."

"Os homens não deram nada. Homem em geral não tem poder nenhum..."

Menino, se decide.

Anônimo disse...

@17:16 você está confundindo dois anônimos...



Anônimo disse...

Quanto mais condições e estudo uma mulher tiver, menos filhos ela vai ter e a mão-de-obra se torna mais qualificada. Isso acontesse nos países de primeiro mundo. Com isso, a entrada da mulher no mercado de trabalho foi sim um bem para a sociedade. Agora, se o motivo foi apenas econômico, porque então os "homens" deram o direito de voto as mulheres? Não era necessário apenas colocar elas para trabalhar e ponto anonimo das 15:57? Ou eles se tornaram bonzinhos e largaram de serem sádicos com o sexo feminino?

Anônimo disse...

@17:09 Opa! Não sabia que eu estava discutindo com a autoridade máxima das gírias norte americanas. Imagino que você estudado (estudou?) em um das nossas maravilhosas universidades publicas? Ou talvez nas ótimas privadas? Você deve ser um gênio!

Pois bem, para alguém que fez letras, acho que você esqueceu de ler algumas letrinhas dos meus posts. O mundo anglófono é bem maior que os EU...

Novamente, esse tipo de resposta histérica e incoerente é muito útil para que outros leitores possam concluir por si qual lado do debate tenta ser razoável...

Porém, não entendo essa fixação que algumas pessoas por aqui tem com a vida sexual das outras, se eu ou qualquer outro temos namoradas/esposas/etc. Qual é a relevância? E se eu for uma mulher? Ou se for gay? Ou bissexual? Ou poli-sexual? Ou ...-sexual? Me parece uma tentativa (para mim bem infantil) de envergonhar a outra pessoa... De qualquer forma, é inútil e demonstra a sua fraqueza como debatedora.






Male cheers!

Anônimo disse...

@17:27 Nossa! Você é uma péssima feminista. "Quanto mais condições e estudo uma mulher tiver, menos filhos ela vai ter e a mão-de-obra se torna mais qualificada."

Quer dizer então que quanto menos estudo mais filhos? Ou seja, mulher que tem mais filhos é menos instruída? E com isso ela vai ser mais qualificada? Nunca vi tanto machismo junto!!!! Que loucura, vocês não pensam nas implicações do que escrevem? Você esta correlacionando uma escolha pessoal da mulher (número de filhos) com a instrução que ela vai ter... e eu que achava que o feminismo era um movimento libertador para as mulheres, onde elas poderiam fazer suas escolhas sem serem julgadas...

"Com isso, a entrada da mulher no mercado de trabalho foi sim um bem para a sociedade."

Se os salário tivessem se mantido iguais, sim teria sido ótimo. O casal poderia nesse caso se revezar trabalhando, ou cada um meio expediente, podendo dividir a rotina de trabalho e doméstica. Pena que não foi o que aconteceu...

Mulheres branca e ricas fizeram o movimento pelo voto da mulher. Algumas nem queriam que as mulheres negras votassem, entre outras maluquices... Mas novamente, é útil dar o voto para as mulheres pois os políticos viram que é mais fácil manipulá-las para votarem neles, simples assim. Não existe "os homens" como uma entidade única, quem está no topo está se lixando para o resto.






Anônimo disse...

Anonimo das 17:50 isso não é julgamento feminista ou machista, é o fator básico da causa do envelhecimento da população, leia sobre demografia populacional em um livro de geografia para poder se esclarecer mais,por exemplo as mulheres do afeganistão tendem a ter muitos filhos (mesmo com a alta taxa de mortalidade infantil) porque não possuem acesso a educação. Uma coisa é uma mulher decidir ter 3 filhos mesmo trabalhando e estudando, outra coisa é ela ter 7,8 filhos como antigamente.

Anônimo disse...

@18:36 sim, você tem razão, existe uma correlação entre instrução e número de filhos (a partir de uma certa quantidade). Foi um jogo baixa que eu fiz... mea culpa, mea maxima culpa!

Claro que a entrada da mulher no mercado de trabalho foi uma coisa boa, meu ponto é também teve um aspecto negativo pois foi usado para baixar o "valor" do trabalhador na época. Com o passar do tempo essa injustiça (feita contra homens e mulheres) foi atenuada.

Contudo, meu ponto é que havia um motivo financeiro que se juntou com uma demanda social razoável. Quem está no governo ou nas esferas de influência tenta manipular a população exatamente assim, usando as dificuldades sociais e as manipulando em seu favor.

Isso que me entristece no feminismo moderno. Veja os comentários acima, é o típico "nós vs eles". Argumentos como: "os homens são violentos", "as mulheres interesseiras", "male tears", não tem namorada, não arruma macho, etc, etc, etc; são totalmente inúteis e só servem para dividir as pessoas. Isso tudo facilita muito as manipulações sociais, enquanto as pessoas estão ocupadas lutando contra si, as grande decisões importantes (e não se engane, estamos passando por um momento crucial na economia do mundo) passa desapercebidas...






Anônimo disse...

17:27, o unico ao fugir do assunto aqui é você ao ficar chamando os outros de histéricas ou "não é feminista,não é feminista" sem ao menos conhecê-las. . Não demonstre a sua fraqueza como debatedor.

Anônimo disse...

@19:02 Cuma? Seu comentário não faz muito sentido.

"Não demonstre a sua fraqueza como debatedor." Diferente do que muita gente pensa, eu acho que se você percebe que usou um argumento fraco, você deve reconhecer isso no mesmo fórum onde o usou. Qual é o problema de reconhecer um erro?

Em relação a histeria, bom, ela está bem evidente no post que me referi, basta voltar lá e ler...

O mais curioso é que estou respondendo um monte de posts que ignoram todos meus contra-argumentos fazendo ataques infantis direcionados a minha pessoa e não ao que eu escrevi, e eu que estou fugindo do assunto....

Novamente, eu não estou escrevendo aqui para mudar a cabeça dessas pessoas, mas sim para influenciar ao máximo os leitores ainda não catequizados


Anônimo disse...

Anonimo das 18:55, a divisão das pessoas começou quando o homem diminuiu a mulher ao nivel de um animal e não conseguiu até hoje aceitá-la. Sinceramente,se possível, quero manter distancia de todo homem machista que existir. E mais, vale muito mais fazer inseminação artificial e cuidar sozinha do bêbê do que passar a vida inteira sonhando com um casamento para no final ficar com um bruto que não te respeita por causa da pressão externa,etc.

Anônimo disse...

Bem, mesmo sendo apenas as mulheres ricas e brancas, segundo você, que lutaram a favor do voto das mulheres, elas conseguiram mostrar sim a sua importancia, senão nem teria sido util aos "homens" bonzinhos,amaveis, concederem o voto a elas.
Obs: não foram apenas as mulheres ricas que fizeram o movimento pelo voto da mulher. Na verdade, grande parte delas eram operarias que viam o voto como uma forma de melhorar a qualidade de suas vidas. Tanto que na suiça, com uma população predominantemente rica, as mulheres só puderam votar nos anos 70, enquanto que na russia agrária foi em 1917. Depende de país para país.

Anônimo disse...

@19:26 E quando foi isso? Quando foi que "o homem" começou a diminuir a mulher ao nível de um animal? Quem é "o homem"? São todos os homens?

"E mais, vale muito mais fazer inseminação artificial e cuidar sozinha do bêbê do que passar a vida inteira sonhando com um casamento para no final ficar com um bruto que não te respeita por causa da pressão externa,etc."

Sim, existe uma pressão social enorme sobre as mulheres para elas se conformarem a certos papeis de gênero. E sim, isso é muito ruim e deve ser combatido. Mas esses problemas dificilmente podem ser descritos como opressão, opressão foi o que os escravos sofreram, ou que as mulheres no começo do século XX, ou vários outros grupos ao longo da história.

Meu problema, é que existem papeis de gênero para todos os gêneros, e isso é um problema para todos, inclusive homens. Não precisamos fazer campeonato de sofrimento para ver se hoje quem sofre mais é um ou outro. Principalmente porque isso varia muito da região do mundo e do nível social.

Por fim, sim eu sei que o feminismo também reconhece que os papéis de gênero são nocivos para os homens. O problema é que isso vem atrelado a ideia do onipotente e onisciente "Patriarcado" do qual todos os homens participam e que beneficia todos os homens, e que no fim a culpa é de todos os homens...

Se essa tolice de ficar querendo culpar todo um grupo, indiscriminadamente, não fosse tão forte no feminismo atual, eu entre outras bandeiras também levantaria a do feminismo.

Precisamos resolver os problemas, um a um, sem ficar apontando dedo. As pessoas tem que ser julgadas pelo que fazem e não pelo seu gênero, orientação sexual, cor da pele, etc, etc.

Não quer um homem imbecil na sua vida? Não escolha um homem imbecil... o grande problema é que o mundo está cheio de gente imbecil, de todos os sexos...

Anônimo disse...

@19:57 Sim, mas ai a questão é um pouco mais complicada. Eu acho que todos devem ter o direito de votar, mas o sufrágio masculino (que também é bem recente) foi em geral "dado" aos homens em troca do serviço militar. Então, não parece justo dar o mesmo direito as mulheres sem fazer o mesmo requerimento. Ao meu ver, ou tira o serviço militar obrigatório para os homens (o ideal) ou faz o mesmo requerimento para as mulheres.

Essa é uma questão bem complicada e ainda não tenho uma posição totalmente esclarecida sobre o assunto, então paro por aqui.





Anônimo disse...

Olha, eu não acho que o sufrágio universal masculino foi dado aos homens por causa serviço militar não, primeiro que o serviço militar obrigatório existe desde a idade antiga,média, onde os governos não eram democráticos. Segundo, até no brasil,durante a republica das espadas, aboliram o voto censitário e todos os homens maiores de idade podiam votar, exceto as mulheres,analfabetos,padres e MILITARES!!!

em relação ao serviço militar obrigatório, alguns homens querem que seja obrigatorio para as mulheres ao mesmo tempo que falam que elas não poderiam ficar na linha de frente porque são fraca blablabla, e quando eu falo que sou contra o serviço obrigatorio aparece um monte de marmanjo que falando que é necessário para os homens e para o país patatipatata....
Os homens querem que as mulheres resolvam esse problema ao mesmo tempo que querem que elas não façam nada a respeito, ou melhor, que o infeliz serviço obrigatorio viesse com beneficios como proibir a esposa de sair de casa ou poder estuprá-la sem ouvir reclamação...

Anônimo disse...

Anon das 17:40 HUAHUAHUAHUAHUAHUA!! Você é mesmo uma grande piada! Adoro humor mascu, é mesmo a única coisa que presta em vocês. Cara, você quer argumentos? Vamos lá: você começou c*g*ndo regra sobre como as feministas deviam agir. Depois, quis pautar os posts e a agenda do movimento. Então quis dizer o que xs comentaristas deviam pensar, sobre o que deviam falar e como deviam agir de acordo com o que lhe agrada. E isso sendo homem e não tendo nenhuma intenção de agir ou pensar com empatia.

Depois você choraminga por ser um pobre macho oprimido numa sociedade matriarcal. Chora porque as mulheres tem direitos, insinua que devemos abrir mão deles pra agradar os machinhos perdidos. Aí, pra aumentar sua linha de argumentação, inventa uma mentira a respeito da expressão male tears, tentando intimidar as comentaristas e fazê-las se calarem com "gracinhas" sexuais de mau gosto. Quando eu digo que sua história sobre a expressão male tears é lorota e depois mostro por que eu tenho competência pra te desmentir, tenta menosprezar meu trabalho e meu aprendizado no meu antigo curso de Letras numa Federal cujo diploma é o mais valorizado da região e com uma professora laureada que estudou inglês europeu E americano no exterior.

Então, usou o xingamento histérica. Não preciso explicar toda a carga machista que vem com esse xingamento, como ele é usado desde sempre pra atacar a pessoa pra não precisar rebater os argumentos; e como você é cara de pau de usá-lo e depois me acusar de estar atacando sua pessoa. Na mesma linha me dá uma ordem, de não ser uma debatedora fraca, como se tivesse o direito de mandar em mim (Não, você não tem) só por ser homem. E, claro, insinuando que sou uma debatedora fraca porque não concordo com você. O que vc quer é um debate igual ao da real, com todo mundo concordando com todo mundo e trocando tapinhas nas costas. Lamento te dizer, mas isso não é debate.

Aí, veio reclamar que estou tentando envergonhá-lo com referências sexuais (alôu, piadinha com esperma?) quando a primeira coisa que tentou fazer quando eu comecei a responder a você foi justamente isso. Então, diz que arrasou no debate (qdo só repetiu a mesma porrada de clichês machistas de sempre, que já foram rebatidos à exaustão no blog) e vai floodar o blog mais um pouco. Sem querer debater, só reprovar toda e qualquer opinião que não se alinhe com o que você pensa e dizer como as feministas devem agir. É só ler seus outros comentários.

E eu sou uma debatedora fraca? Eu é que estou fazendo tentativas infantis de desviar o debate usando sexualidade (alôu, piadinha com esperma²?)? Eu é que estou atacando sua pessoa em vez de seus argumentos? Vocês mascus... depois vai pro fórum dizer que meteu a real nas vadias feminazis e ser aplaudido pelos outros perdedores achando que fez grande coisa na vida.

E não, você não é mulher. Não é gay (aparentemente), não é bi (de novo, aparentemente, mas isso só porque mascu nunca assume), não é casado, não tem namorada. Por que? Porque você é mascu. Vocês tentam disfarçar mas não adianta, uma hora a máscara cai. Na hora que você abre a boca, toda a lixarada mascu sai dela. É tão inevitável quanto a morte e os impostos: cedo ou tarde um mascu que abriu a boca vai mostrar o que é. Nunca falha.

Anônimo disse...

Infelizmente tenho que concordar com vc julia.
Nao foram os homens que deram direitos as mulheres, foi o mercado e o capital

Anônimo disse...

@21:40 Veja, a história é bem mais complicada que isso. Da uma olhada na história do sufrágio dos países que participaram das duas grandes guerras...

Em relação ao resto, concordo, existe muito homem idiota falando besteira sobre homem ser melhor ou mais alguma coisa.

O problema é que existem provavelmente a mesma porcentagem de mulheres falando besteira similares, todo homem é violento, etc.

Honestamente, da uma estudada na formação dos estados nacionais (meio do século XIX), antes disso é meio dificil falar sobre voto já que a maioria dos lugares funcionava com sistemas absolutistas onde 99% da população não decidia nada. É uma parte da história que eu acho fascinante, vale a pena dar uma olhada.













Anônimo disse...

@22:12 Você sabe que as pessoas em geral são diferentes né? Da forma que você fala, todos os homens que comentam aqui (classificados como mascú) por você fazem sempre a mesma coisa.

O melhor é que você acredita que conhece inclusive as motivações de todos eles! Não só você sabe quais de fóruns eles participam mais sabe da vida sexual/amorosa deles. Deve ser complicado ser onisciente como você...

"tenta menosprezar meu trabalho e meu aprendizado no meu antigo curso de Letras numa Federal cujo diploma é o mais valorizado da região e com uma professora laureada que estudou inglês europeu E americano no exterior."

Você não tem ideia do quão infantil você parece ser a fazer comentários como esse... ela estudo no exterior! Deve ser outro gênio! Falando sério, academia no Brasil é em grande parte piada. Existe muita gente boa, e muita gente com potencial, mas em geral a pesquisa é desconectada do resto do mundo e com uma qualidade sofrível! Tenho esperanças que os recentes programas de pós no exterior estejam melhorando isso.

"Então, usou o xingamento histérica."

As vezes um charuto é só um charuto... as vezes quando dizem que alguém está histérica é só porque alguém está histérica...

"Aí, veio reclamar que estou tentando envergonhá-lo com referências sexuais"

Veja bem, eu não estou nem ai para o que você pensa ou diz de mim. Pode fazer isso a vontade, sério mesmo, para mim é um tanto divertido. Mas é claro que vou sempre chamar atenção a esse fato para deixar evidente a qualidade do que você fala.

"E eu sou uma debatedora fraca? Eu é que estou fazendo tentativas infantis de desviar o debate usando sexualidade (alôu, piadinha com esperma²?)?"

Acho que não estamos lendo os mesmos posts... você conhece o termo projeção? Se não, da uma olhada, você vai entender um monte de coisas...

"E não, você não é mulher. Não é gay (aparentemente), não é bi (de novo, aparentemente, mas isso só porque mascu nunca assume), não é casado, não tem namorada. Por que? Porque você é mascu. Vocês tentam disfarçar mas não adianta, uma hora a máscara cai. Na hora que você abre a boca, toda a lixarada mascu sai dela. É tão inevitável quanto a morte e os impostos: cedo ou tarde um mascu que abriu a boca vai mostrar o que é. Nunca falha. "

Você me parece ter problemas bem sérios. É por isso que acho que o feminismo tem sido super nocivo. A última coisa que pessoas como você precisam é de uma ideologia que reforce seus preconceitos, e é exatamente isso que o feminismo está fazendo com você. Tente se livrar de todas essas suas ideias pré-concebidas, você está chamando de mascú qualquer um que discorda com você... Provavelmente não discordamos em tudo, o problema é que como a coisa para você é "nós vs eles" quando alguém discorda de alguma coisa você sente a necessidade de combate-lo.







Anônimo disse...

Olha aí o mascu de novo... querendo sair pela tangente, fingindo que não fez os comentários que ele mesmo fez, usando umas palavras bonitinhas e uns termos da psicologia pra tentar disfarçar o lixo monumental que está cuspindo e tentando me convencer que eu é que tenho problemas por não querer fazer as coisas do jeito que ele quer, nem ficar calada e aceitar sua "superioridade masculina"... e o pior é que depois de despejar todo o chorume mascu típico, ele ainda acha que pode enganar alguém. Jura que ninguém percebeu. Eu teria muita pena dessa criatura tão desligada da realidade... se não fosse uma feminazi malvada que odeia homens e adora vê-los chorando pra usar as lágrimas em minhas poções, huahuahuahua!

Ai, vou voltar pra vida porque não sou babá de mascu.

Anônimo disse...

@09:11 que dó! que dó que dó que dóoooo!



Julia disse...

Ri alto disso. Quero entrar nesse samba também!!

Julia disse...

Hahahaha vc é foda, anon 9:11.
Ainda volto aqui pra ver se vc sapateou mais na cara desse chorão.
Tá divertido.

Anônimo disse...

@Julia,

Exatamente! Siga o exemplo da sua colega, feche seus olhinhos bem apertadinho e bata com os calcanhares e pense: sim, eu estou certa! sim, eu estou certa! Aposto que você vai se sentir ótima.

Isso aqui só não é mais engraçado porque é bem triste, espero que com o tempo a dissonância cognitiva seja aliviada. Bonne chance!



Anônimo disse...

Bem, que homem é mais violento que a mulher é fato. Em todos os paises do mundo a maioria dos crimes são feitos por homens. TODOS. Vários biologos concordam que o macho é o mais agressivo. E isso não é nenhum motim feminista não,apenas verdade.

Anônimo disse...

Apois vamos sambar na cara ele, Sara! Que agora está fazendo a maior técnica mascu de todas: o "Hahahaha agora eu venci as feminazis malvadas porque elas tem uma vida lá fora e não vão ficar aqui respondendo a todas as asneiras que eu já postei e fico repetindo comentário após comentário. Já que eu não faço nada de útil da minha vida e posso perder dias e noites falando com gente que eu odeio pra que me deem atenção, eu venci."

Bom, se o carinha se orgulha tanto assim de não ter vida pra ficar pentelhando gente que nem liga pra ele, à vontade. Vamos ao samba! Enquanto ele vai no fórum e diz que meteu a real nas feminazis loletes e abre um Danoninho pra comemorar.

Se um dia/
Meu coração for consultado/
Para saber se andou errado/
Será difícil negar/
Meu coração

Anônimo disse...

@14:34 Digamos que seja absoluta verdade que o homem seja mais violento que a mulher.

Primeiro ponto, isso significa que todos os homens são mais violentos que todas as mulheres? Não, por exemplo, é fácil encontrar um exemplo de uma mulher específica que seja mais violenta que um homem específico. Ou seja, em média você vai encontrar mais homens violentos que mulheres violentas.

Segundo ponto. A violência é resultado da agressividade direcionada de forma irracional, a violência é uma agressividade "burra". A mesmo agressividade que pode levar a violência pode ser usada como combustível em competições e como consequência pode levar a excelência.

Só porque temos alguns traços mais comuns em homens ou mulheres (seja por motivos biológicos ou culturais) isso não significa que devemos ser julgados por isso. Imagina, o seguinte, a maioria de nós humanos, por motivos evolucionários, somos vulneráveis a gordura+açúcar. Isso é usado contra nós o tempo todo por indústrias que tentam colocar gordura e açúcar em quase todos os alimentos para aumentar o consumo. Isso significa que devemos ser julgados como seres depravados que não conseguem lidar com suas urgências alimentícias? Eu pessoalmente acho que não. Cada um lida com suas vontades da forma que acha bem para si.

Ao meu ver, qualidades comuns em homens ou mulheres são irrelevantes. Podemos sempre usar nossas características fundamentais, sejam elas biológicas ou culturais, positivamente!

Não vê o quão fácil é transformar isso em uma guerra de acusações, onde no fim ninguém tem razão nem sai ganhando?






Anônimo disse...

@15:47

Tu-tua falsi-si-sidade é pro-profunda
Tu tu tu tu tu tu tu tu
Tu vais fi-fi-ficar corcunda!








Anônimo disse...

Rapaz, o mascu até gaguejou agora! Coitado, deve ter sido muita emoção ter duas mulheres falando dele! Acho que hoje ele vai chorar até dormir e soltar fogos, de tão feliz que ficou por ter sua (triste) existência reconhecida não por um, mas DOIS seres humanos portadores de duplo X.

Anônimo disse...

Vocês são ótimos, me proveram com a procrastinação ideal! Agora, de verdade, boa sorte para vocês, tentem pensar com algum rigor intelectual que talvez com o tempo vocês possam diminuir o efeito da lavagem cerebral que estão sofrendo.





[]

Mirella disse...

esse epistemólogo de meia tigela que diz conhecer as variações do significado das male tears ao redor do mundo parece não se preocupar tanto assim com a origem do termo "histérica".
mas vai ver o profundo conhecedor da história não tem lá um vocabulário muito extenso. afinal, usar um termo cunhado para relacionar instabilidades mentais com o útero não tem nada de misógino, não, imagina. rsrsrsrs
esses anônimos que tem tanto medo de identificação que nem com uma letra assinam.

Anônimo disse...

Pois bem, @Mirella, eu acho um pouco pomposo demais recorrer sempre ao "cunho vernáculo do vocábulo". Usei histeria no sentido coloquial mesmo para significar uma torrente emocional descontrolada. Quem quer se ofender, vai sempre encontrar um motivo, e parabéns, você encontrou o seu...

Novamente, a banalização do termo misoginia. Vocês estão conseguindo diminuir bastante o seu significado... Vocês usam esse termo para tudo! Basta que alguém não concorde com vocês, e já vemos o grito "misógino"! Vocês se comportam como a criança que grita lobo...

E por fim, sacanagem heim! Eu odeio epistemologia...





Julia disse...

Teve mais samba? Teve sim.
Não vem com mais gaslighting não, mascu, que a anon já dissecou inteiro. Não deixou passar nada. Você perdeu mas não sabe aceitar derrotas com dignidade..