sexta-feira, 27 de março de 2015

O VALOR DA MULHER: O PREÇO DE SER UMA ARTISTA

Pedi a sempre querida e prestativa Elis para traduzir este relevante artigo de Anna Heyward que saiu na ArtNews:

Nunca houve um período em que resultados de leilões de obras de arte produzidas por mulheres tenham igualado as obras produzidas por homens. Ano passado, surgiu novamente a discussão sobre essa disparidade -– sobre o motivo e o tamanho da diferença nos preços das obras criadas por homens e mulheres. O catalisador foi o recorde atingido pela venda da obra Jimson Weed, White Flower No. 1, de Georgia O’Keeffe, da coleção do Museu Georgia O’Keeffe. 
O quadro foi vendido por US$ 44,4 milhões na Sotheby’s em novembro, o maior preço já alcançado por um quadro pintado por uma mulher em uma venda por leilão. Em segundo lugar, Sem Título (de 1990), de Joan Mitchell, fica bem atrás, tendo sido vendido por US$ 11,9 milhões em maio.
Georgia O'Keeffe
Ao ser questionada sobre por que a obra de O’Keeffe foi vendida por um valor tão alto (a estimativa estava entre US$ 10 e US$ 15 milhões), Elizabeth Goldberg, chefe do departamento de arte norte-americana da Sotheby’s, respondeu, “Era o momento certo de vender este quadro.” O quadro tem uma procedência impressionante, e viajou muito antes de subir no ranking. 
E havia os outros dois notórios pintores norte-americanos do período pré-guerra, Norman Rockwell e Edward Hopper, contemporâneos de O’Keeffe, cujos trabalhos bateram recordes em leilões pessoais em 2013, com Rockwell alcançando US$ 46 milhões por Saying Grace (1951) e Hopper US$ 40,5 milhões por East Wind Over Weehawken (1934). Mas, como Goldberg observou, a venda de O’Keeffe foi excepcional pois atingiu resultados correspondentes aos de seus colegas do sexo masculino, em vez de se apequenar diante deles.
Instalação de Cady Noland
Na lista das cem obras de arte mais caras já vendidas em leilão, não há uma única obra de uma artista. (Em abril, a Artnet divulgou uma lista geral dos artistas norte-americanos vivos mais caros, encabeçada por Jeff Koons, que trazia somente uma mulher, Cady Noland). Entre 2008 e 2012, os cem lotes que atingiram os preços mais elevados não continham nenhuma artista mulher. Novos recordes das maiores quantias pagas por obras de arte em leilões são batidos periodicamente, às vezes mais de uma vez por ano, por artistas que estão em voga. Mulheres quase nunca batem esses recordes.
Nos anos 80, as Guerilla Girls, com sua famosa odalisca com máscara de gorila, fizeram dessa disparidade entre os gêneros uma discussão central no mundo artístico pela primeira vez, ao mesmo tempo em que o boom da arte contemporânea criava os alicerces do atualmente inflacionado mercado da arte. 
O método principal das Guerilla Girls, no entanto, eram os “weenie counts” — pesquisas, a maioria delas em instituições públicas, avaliando o quanto os homens estão acima das mulheres nos rankings, cujas estatísticas eram vinculadas à subvalorização do trabalho das mulheres no mercado. A questão hoje ainda é a mesma. O que impede artistas mulheres de serem tão valorizadas quanto os homens?
Benjamin Godsill, especialista da casa de leilões Phillips, acredita que o mercado não é necessariamente eficiente na definição dos preços -– porque, historicamente, o colecionador médio é homem. Mas isso, embora reflita de maneira geral a distribuição de riqueza e poder no mundo, não explica completamente o desequilíbrio. Os mercados, afirma Godsill, seguem a tendência dos interesses dos curadores, e é por isso que os “weenie counts” são relevantes para os resultados dos leilões.
“É onde os valores são definidos”, diz ele. “E nos museus, artistas mulheres não são nem de perto tão proeminentes quanto artistas homens.”
Carta da Guerrilla Girls aos
colecionadores de arte: "Vcs
não têm artistas mulheres
suficientes. Sabemos que vcs
se sentem mal por isso e vão
resolver a situação
Menos mulheres no Met significa menos mulheres em todo lugar. Os colecionadores buscam importância, eminência e um diálogo com a história da arte (uma narrativa que não é necessariamente determinada pelo artista ou pelo consumidor), e as casas de leilão fazem seu marketing com base no valor histórico e cultural, não no valor artístico. Godsill, no entanto, “espera com certeza que os preços das obras de artistas mulheres aumentará”. Por quê? Porque “as pessoas estão buscando valor, buscando coisas que foram subestimadas e que não receberam a devida atenção”, diz ele.
Em 2013, Gemma Rolls-Bentley, curadora independente de Londres e diretora artística do grupo feminista East London Fawcett, decidiu fazer uma avaliação do mercado de arte do Reino Unido, não com o intuito de fechar lacunas, mas  de dar continuidade às discussões. “Eu percebi que não é possível nem começar essa discussão sobre igualdade no mundo da arte”, disse Rolls-Bentley ao The Guardian na época, “porque muitas pessoas acreditam que ela já foi conquistada. Porque pessoas como Tracey Emin desafiaram as estatísticas”.
My Bed, obra de Tracey Emin
A obra mais famosa de Emin, My Bed (1998), foi vendida por quase o dobro do preço estimado de £ 2,5 milhões (US$ 3,9 milhões), com a taxa de prestação de serviços, na Christie’s. “O raro sucesso dessas artistas leva as pessoas a pensarem, erroneamente, que as mulheres têm oportunidades iguais”, afirmou Rolls-Bentley. E provando o quanto essa percepção é incorreta, ela descobriu que somente 5% das galerias comerciais de Londres representam números semelhantes de artistas mulheres e homens, e que nas galerias não comerciais, quase um terço não apresentava nenhuma mulher artista em obras individuais.
Elizabeth Sackler, fundadora do Centro Elizabeth A. Sackler de Arte Feminista no Museu do Brooklyn, vem monitorando a desigualdade de gêneros no mundo da arte há anos. Ela acredita que o mercado da arte é apenas um dos problemas com que as artistas se deparam.
Leilão de Arte do Pós-Guerra da
Christie's, com obras de Andy
Warhol ao fundo
“As estatísticas de vendas das obras são um sintoma, lutar por mais dinheiro não é nada mais que um band-aid", afirmou ela por e-mail. “As doenças que enfrentamos são o desrespeito fundamental pelas mulheres e atitudes inaceitáveis que se baseiam na crença de que o pensamento, as observações e as soluções criativas das mulheres têm pouco valor. Basta observar que no leilão de 12 de novembro de 2014 de Arte Contemporânea do Pós-Guerra da Christie’s havia 82 lotes: 79 homens e 3 mulheres.”
Há, é claro, um pequeno grupo de vozes que alega que essas diferenças são facilmente explicadas pela inferioridade inerente da arte que é feita por mulheres. Em um artigo para o The New York Times no em dezembro, a escritora Siri Hustvedt citou o crítico Brian Sewell, que afirmou em 2008: “O mercado da arte não é sexista… Nunca houve uma artista de primeira linha. Somente homens são capazes da grandeza estética.” Assim como o pintor George Baselitz, que disse em 2013: “Mulheres não pintam muito bem. É um fato… Como sempre, o mercado está certo.” 
Dentre as inúmeras estatísticas devastadoras que poderiam ser usadas para ilustrar o tema, Hustvedt citou um boato que será familiar para os que acompanham publicações de arte. “Em abril de 2014, circulou um rumor na internet de que, em 2015, o MoMA iria expor somente mulheres. Havia até uma citação de Glenn Lowry, o diretor do museu, admitindo que o gesto ainda não compensaria os anos de representação desigual. Infelizmente, era uma brincadeira de primeiro de abril inventada pelo Art Slant, um portal especializado em belas artes.”

94 comentários:

Anônimo disse...

não pararam pra pensar que talvez não tenham tantas obras de mulheres, apenas pq elas não são boas ?
ou vcs pensam que só pq são mulheres, todos tem que aplaudir e se emocionar com tudo que fazem.
parem de criar machismo em tudo só pra justificar a necessidade do feminismo, tem assuntos bem mais importantes pra se lutar.

carol.

Karina disse...

Pelo menos em termos de consagração, o maior nome da arte brasileira na atualidade é Adriana Varejão.

Anônimo disse...

concordo com a carol. as vezes parece mimimi por tudo, isso é bem chato e deixa de lado assuntos mais serios.

Kittsu disse...

Ué.
Nós não raciocinamos tão bem quanto os homens, por isso eles são maioria nas carreiras de ciências e pesquisa.
Nós não trabalhamos tão bem, por isso merecemos ganhar menos.
Nós não sabemos o que queremos, por isso precisamos de um homem para dizer do que precisamos.
Nós não fazemos uma arte decente, por isso não nos destacamos.
Nós não sabemos sequer parir, por isso é que a partir de 2027 os homens é que irão parir e as mulheres apenas irão doar o óvulo.

SÉRIO que vocês querem esse bando de babaca admitindo que somos iguais em qualquer coisa que seja?

Anônimo disse...

Carol, desde quandoas obras de mulheres não são boas? Vou citar apenas algumas artistas brasileiras, senão a lista fica enorme : Tarsila do Amaral, Anita Malfatti,Ligia Clark,Beatriz Milhazes,Adriana Vareijão,Tomie Ohtake, Djanira de Mota e Silva, Ione Saldanha, Zelia Salgado,Leda Catunda,Regina Silveira,Mary Vieira,Maria Martins,Dalva de Oliveira, Renina Katz, Mira Shendel....

Isso é tão contraditório, homens vivem falando que não ligam para cores e que mulheres são mais detalhistas, desde o século xviii as menininhas ricas passavam o tempo pintando, mas nunca podiam ingressar em uma carreira profisionalmente artistica. O mesmo acontece com a culinária, musica,dança,teatro,desenho,moda. São tarefas tradicionalmente femininas, que as mulheres sempre tiveram que aprender para ser uma "moça de familia" e agradar o marido, mas nunca poderiam exercê-las profissionalmente, e quando faziam, eram desprezadas,tanto que ums tempos atrás as atrizes eram chamadas de "prostitutas",porque "se vendiam para as cameras" e moça de familia não deveria trabalhar.

Anônimo disse...

Quais são os assuntos mais serios então? Se falamos sobre violência fisica e sexual somos tachadas de psicoticas, se falamos sobre violência no parto é porque somos histericas,se falamos sobre a pressão sobre o corpo é porque somos gordas, se falamos sobre diferenças entre salários somos chamadas de mentirosas, se falamos sobre sexualidade somos vadias, se falamos sobre tristeza e medo somos fracas, se falamos sobre problemas em relacionamentos somos insensiveis....

Anônimo disse...

Em tempos antigos não aceitavam que mulheres fossem pintoras, escultoras, etc. Foi a partir do séc XX que as mulheres foram aos poucos conquistando cada vez mais espaço no mundo das artes.

Anônimo disse...

Estudo artes visuais numa federal. A professora de Currículo e Cultura trouxe esse manifesto do Guerrila Girls, com esse questionamento de que só 3% das mulheres conseguiam expor no MET, mas os nus femininos eram 80% das obras expostas. Um pouco mais tarde, pesquisando imagens pra um trabalho de outra cadeira, descobri que existem muito mais nus masculinos na arte do que normalmente são divulgados. Por que o nu feminino é escancarado e o masculino, tabu? Por que todo livro de Arte ou História traz centenas de nus femininos e quase nenhum masculino? Por que nus femininos são vistos com naturalidade, e masculinos, com estranheza? Por que nus femininos são exibidos e os masculinos, escondidos? E qual a relação disso com a sociedade? Resolvi fazer dessa questão o tema da minha monografia.

Carol e o anon reclamando aí em cima: meu professor (homem, vejam bem)de História da Arte do semestre passado dedicou um mês inteiro de aula às mulheres artistas do séc. IX, focado principalmente nos preconceitos e limitações que elas sofriam e como algumas conseguiram superar-se. Pesquisem antes de dizer que "elas não são tão boas assim".

Anônimo disse...

Anon das 14:09 é verdade. Aprendi na aula de História da Arte que até mais ou menos os anos 70 as mulheres estudantes de arte não podiam assistir aulas de modelo vivo, porque não queriam que elas vissem pessoas nuas. No séc. IX as pinturas mais valorizadas eram justamente as de nus, e como as mulheres eram impedidas de assistir às aulas de modelo vivo não podiam pintar nus com a precisão anatômica exigida. Por isso elas eram chamadas de 'amadoras' e consideradas pintoras de segunda classe. Elas não podiam expor em grandes galerias e não vendiam tanto quanto os homens. As que davam um jeito de estudar nu (tem um filme sobre essa questão da mulher artista, chamado Artemísia) eram tachadas de prostitutas e vadias. O filme mostra tudo isso, Artemísia aprendeu a desenhar nu masculino com ajuda de um amigo de infância e, embora ela fosse virgem e não sensualizasse nada quando desenhou o amigo, concluíram que ela era uma meretriz só por ter desenhado um homem nu. De certa forma é um negócio revoltante, por isso mesmo eu adoro(SÓ QUE NÃO) quando dizem que as mulheres artistas são desvalorizadas porque "não são tão boas assim").

Anônimo disse...

Arte é subjetiva e, como a anônima das 14:09 disse, o Brasil, mesmo um país machista, tem dezenas de artistas mulheres de ponta e valorizadíssimas.

Mas as mulheres só começaram a entrar em peso no mercado de trabalho (inclusive o da arte) no pós-guerra e foi um avanço gradual de um grupo que não tinha tanta tradição na matéria, em 1950 certamente não havia 50% de artistas mulheres.
Mesmo assim você tem nomes gigantes na cultura popular, desde de Frida Kahlo a Marina Abramovich.

Acredito que cada vez mais vai acontecer o destaque de mulheres nas artes, mas não dá pra querer que surja logo de cara o mesmo número de Hoppers em um grupo menor de pessoas tentando ser um.

Anônimo disse...

Boa lembrança sobre a profissão de atriz, na Grécia antiga eram homens que se vestiam de mulheres para interpretá-las, pois mulher não podiam ser atriz. Depois quando podia virar atriz tinha que pagar um preço alto ao sofrer discriminação. Foi um longo processo para chegar até hoje.

Raven Deschain disse...

'O mesmo acontece com a culinária, musica,dança,teatro,desenho,moda.'

Eu ia dizer exatamente a mesma coisa. Lugar de mulher é na cozinha. Chef: homem. Música é coisa de mulherzinha. Maioria dos músicos em qualquer orquestra: homens. Dança? Coisa de mulher e de viado? Dançarinos consagrados? Homens.

Nem vou nem começar a falar de moda.

Mas com certeza é pq não somos mesmo tão boas em nada neh? Deixa eles serem melhores.

Anônimo disse...

homem ou mulher tanto faz.
o cara que paga 44 milhões por um tela cheia de tinta tem de ser muito estúpido!

B. disse...

"o cara que paga 44 milhões por um tela cheia de tinta tem de ser muito estúpido!"

Tava LOUCA pra fazer esse comentário.

Anônimo disse...

Invejinha né Anon. de 27 de março de 2015 15:03. Ele paga pq ele pode.

Vera disse...

Vendo o quadro da Joan e do Jimson,tá bem óbvio pq cobraram menos que o dele.
O do cara é um desenho lindo,o dela é um rabisco!Parece q pegou a tinta,jogou na tela e pronto,e pelo que eu vi no google são todos nesse estilo.
Eu realmente n entendo como alguém acha q isso é arte e ainda cobra milhões.
Já vi vários quadros bizarros como esse,sendo considerados incríveis mas para mim de qualquer forma é absurdo pagar uma nota num quadro,nem se eu fosse rica.
Para mim ficou parecendo que mulher tem q ganhar mais porque é mulher,sem importar se tem talento ou não,a grana tem q ficar igual a dos homens de qualquer jeito(e nem eles recebem igual).E essa Joan tá bem fraquinha.
Pra vocês mulheres são as fodonas em tudo e acabou,e não é assim.
Como a falta de mulheres na política,vcs juram que é puro machismo,como se a gente fosse proibida de se candidatar,o fato de n ter tanta mulher interessada nisso nem é cogitado,é tudo culpa do patriarcado.

Anônimo disse...

Se não me engano no balé clássico e dança moderna, folclórica e na dança em geral as mulheres tem sim algum reconhecimento.
As cantoras, acho que até as de ópera também sofriam preconceito no início, igual as atrizes.
Na música erudita, as orquestras em maioria são homens. Maestro nem se fala, só conheço uma mulher maestrina, uma portuguesa chamada Joana Carneiro. No rock a mesma coisa, ainda são homens com mais destaque.

Anônimo disse...

Reproduzir o discurso de que "aceitem que talvez elas não sejam boas o bastante" reproduz machismo. Homens ganham mais mesmo quando comprovadamente são minoria na profissão. Fonte: http://www.valor.com.br/carreira/3979028/homens-ganham-mais-mesmo-quando-sao-minoria-na-profissao-diz-estudo

Anônimo disse...

A maioria das mulheres acabam não tendo muito interesse por determinadas áreas e profissões porque aprenderam que era "coisa de homem". Precisa mais campanhas para estimular e incentivar cada vez mais as mulheres na política, em todas as artes, todos os esportes, em todas as profissões e onde ela quiser.

Anônimo disse...

vcs sempre estão dispostas a assumir que tudo que uma mulher faz é melhor, arte é gosto, só pq uma mulher fez não tenho que achar maravilhoso e pagar milhões, reclamar que só pq é mulher que fez é preterido é dramatizar.
existem péssimos "artistas homens e mulheres"
eu pesquisei os quadros dela e não achei grande coisa, minha opinião não são bons.
não importa quantas artistas citem, se eu ver a obra e não achar boa não vou concordar pra agradar, quanto as atrizes que eram chamadas de prostituta, ainda hj se vê isso. por ex : eva green, NA MINHA OPINIÃO, uma ótima atriz que só por fazer várias cenas nua ou de sexo é chamada de puta francesa.
a resposta dela a isso é ótima, " ficar me queixando e pedindo respeito não muda o que fazem, o que funciona mesmo é mostrar meu trabalho e conquistar meu espaço".
ter uma atitude é melhor e mais efetivo que só reclamar, fazer manha na net não funciona, mas organizar ações pra forçar politicos a reverem leis que nos represente sim.
ex : um protesto pacifico, de preferência sem mostrar partes intimas em frente à câmaras politicas.
mostrar um grupo unido e coeso, que não briga pra abolirem a depilação e maquiagem, mas sim para acabar com imposições religiosas sobre nossos corpos. seria um bom começo, na MINHA OPINIÃO.

Anônimo disse...

COMENTÁRIO DE 15:46 É MEU
CAROL.

Anônimo disse...

Então Carol, quais temas vc acha mais importantes, necessários e interessantes para sugerir?

B. disse...

Apesar de não concordar em quase nada com Carol, ela foi respeitosa nesse último comentário e algumas coisas ali dão o que pensar.

Eu não acho reclamar no face "manha" "mimimi", mas muitas vezes não vejo essa mesma indignação na prática, sabe? Não só no feminismo, pra tudo!

Tem que ter mais mulheres nas artes? Sim, e devem ser mais reconhecidas, mas isso não nos obriga a gostar de todas as obras de mulheres (e ninguém aqui disse isso, Carol...)

Na política a mesma coisa...eu vi as campanhas "Vote numa mulher", como fazer isso se as poucas mulheres disponíveis em alguns Estados eram reaças e não me representavam?

E por aí vai. Teria uma longa lista de coisas que vejo acontecerem na teoria, mas na prática, nada.

Anônimo disse...

Ninguém nunca deve ser pressionada a votar numa candidata por ela ser mulher, mas se tivesse mais candidatas mulheres haveria também mais opções para votar.

Anônimo disse...

ANON 15:55

pra mim o principal é como cobrar das autoridades, só discutir na net não resolve.
marcha das vadias divide mais do que une pq nem toda a mulher concorda em sair mostrando os peitos pra protestar contra objetificação.
na minha opinião o mais importante é como iremos cobrar os governantes, de forma a sermos vistas e ouvidas.
quanto aos temas, depende. pra mim chorôrô "de artistas femininas não ganham milhões por um quadro feio" é bobagem.
a bancada evangélica querendo que todos vivam de acordo com sua fé e dogma, a pena para quem espanca a esposa ser ridícula, me parecem mais sérias que discutir se maquiagem e depilação são ou não práticas machistas.
importante é organizar para brigar pelo mais sério, e entender que todas as mulheres tem opiniões diferentes e que esse é um direito, de novo, essa é minha opinião. se discordarem não tem problema.

Anônimo disse...

comentário 16:15 é meu
carol, esqueci de novo de nomear..

Anônimo disse...

B, em nenhum momento tive a intenção de ser desrespeitosa. se foi o que pareceu, lamento mas, escrita é foda pq não ouvimos o tom de voz da pessoa..

eu acho que essa falta de ação na prática vem da falta de organização, e coesão. se o movimento tivesse isso, facilitaria nossos questionamentos sem contar que o sentimento de representatividade aumentaria.
pq sinceramente, adoro o blog mas quando vejo posts sobre maquiagem, depilação, entre outros temas nem tenho vontade de ler...

carol

Anônimo disse...

Se teve muita candidata "reaça" em alguns estados como únicas opções, já passou da hora de partidos ditos de esquerda terem mais mulheres candidatas.

B. disse...

"eu acho que essa falta de ação na prática vem da falta de organização, e coesão. se o movimento tivesse isso, facilitaria nossos questionamentos sem contar que o sentimento de representatividade aumentaria." Concordo.

Sobre os temas do blog, varia. Eu curto discutir sobre estética e afins, mas confesso que desanimo ao ver mil posts sobre mascus aqui. Claro que é importante saber quem são, mas toda hora post sobre eles vai gerar que debate? Só pessoas comentando "nossa, gente louca..." e não vai passar daí. A Lola faz muito bem ao ter registrado o BO pra esses loucos, mas pra mim, muitos posts sobre o mesmo assunto (mascus) é dar a audiência que eles querem.

Sobre o mundo da arte: não sou muito ~entendida do assunto~, admiro algumas obras, mas não pagaria não sei quantos milhões em uma tela, falo mesmo. E acho o meio um pouco elitista...

B. disse...

"Se teve muita candidata "reaça" em alguns estados como únicas opções, já passou da hora de partidos ditos de esquerda terem mais mulheres candidatas."

EXATO

Anônimo disse...

Eu te entendo Carol, eu também não gosto desses posts de quem acha se devem ou não caçar "carteirinha de feminista" para quem faz depilação, gosta de maquiagem, etc. Mas quanto a esse post eu discordo um pouco de vc, o lance do quadro ser ou não vendido ou de vc achar ou não um quadro feio e muito menos ser obrigada a achar um quadro bonito pela artista ser mulher. Não foi o tema principal e sim o reconhecimento das mulheres no mundo das artes que vem sendo conquistado há pouco tempo e ainda tem muito a ser conquistado, igual a muitas outras áreas.

Raven Deschain disse...

Internet é uma coisa maravilhosa, gente. Se o post não interessa, vc pula e lê o próximo.

Já tem um monte de homem pra vir aqui dizer com oq podemos nos ofender ou nos importar. Sinceramente? Não é necessário mulher tb fazendo isso.

Vera disse...

Essa garota aqui tem talento,quadros lindos!



https://www.akiane.com/store/

Anônimo disse...

Realmente, se não gosta ou não se identifica com o tema, o melhor a fazer é ignorar o post, afinal quem deve decidir o que deve ou não ser postado no próprio blog é a autora do blog.

Anônimo disse...

"Só pessoas comentando "nossa, gente louca..." e não vai passar daí. A Lola faz muito bem ao ter registrado o BO pra esses loucos, mas pra mim, muitos posts sobre o mesmo assunto (mascus) é dar a audiência que eles querem."

concordo, por isso naõ leio os posts e tão pouco os comentários.
sem contar que estética e afins, são gostos pessoais, eu não vivo sem minha maquiagem e adoro uma limpeza de pele. mas quando digo isso, ao invés de ser respeitada na minha escolha como respeito as outras, sou chamada de machista, e acusada se estar reproduzindo e perpetuando o patriarcado, nem param pra pensar que eu faço pq gosto.

carol.

Anônimo disse...

raven,
não me interessa, eu comento no post que eu quiser. eu não gostei deste e comentei, se vc não gostou ignora meu comentário e vai pro próximo.

carol

Anônimo disse...

A raven sem querer também está impondo regras no blog.

Anônimo disse...

anon de 16:35 - concordo que as mulheres devem mesmo entrar em todas as aréas que quiserem, só opinei que pra mim pareceu que a reclamação foi o valor de venda do quadro.

anon 16:39 - não estou querendo tomar pra mim a decisão do que é ou não postado no blog da lola, só expressei minha opinião. se não concorda siga o seu conselho "ignora", quem decide pelo que vou opinar sou eu.

carol

Raven Deschain disse...

Bosta nenhuma.

Anônimo disse...

raven, realmente me pareceu como criar regra sim.
não estou dizendo com o que devem ou não se importar, estou sugerindo dar uma olhada na organização para questionamentos frente ao poder politico.
quem concordar em tentar formas de organização, mandem idéias.
carol.

Raven Deschain disse...

O problema Carol é que vc leu, não entendeu e não gostou do post pelo motivo errado. O problema não são os milhões que um Zé Mané pagou por um quadre de outro Zé Mané. O problema é que artostas mulheres não tem a mesma valorização, por serem - wait for it - mulheres.

Não é pq elas não tem talento, nem pq o material é inferior, nem pq os compradores não tem idéia de que exista isso de artista do sexo feminino. É por puro machismo. E sim, vc está sendo machista ao reproduzir este discurso de 'ain, talvez elas nem tenham tanto talento assim'. Pode ser. Mas não é o caso na IMENSA maioria das vezes.

E só pra ser infantil tb: eu respondo o anônimo que eu quiser! Se preferir me ignore. Mimimim e tal.

Anônimo disse...

raven,

que lê e acha o que é mais importante no post pra mim. sou eu e não vc.
não te pedi pra me mostrar o x da questão, guarda isso pra alguém que te peça, pra mim, pelo que vi dos quadros dela não há machismo, só falta de talento.

carol.

Anônimo disse...

raven,
não estou sendo machista por discordar de sua opinião.
mas se vc se sente melhor, me ofendendo do que entendendo que não sou obrigada a concordar com tudo do post. o problema é seu.

carol.

Mila disse...

Lembrem-se de casos que homens enganavam as mulheres para se apropriar de suas obras, como dizem que é o caso Rodin - Claudel.

Anônimo disse...

O post mostra dados, estatísticas, que os proprios estudantes de arte citam acima que é fato de estudo. Apenas usou um caso X p ilustrar essa realidade. Ai vem gente discutir valor/ merecimento do quadro X? Por favor gente, estão desfocando do real motivo do post, que não é discutir gosto estético.

Anônimo disse...

Mila, é sabido que Rodin nunca deu o crédito que Camille Claudel merecia por sua participação nas obras dele. Camille trabalhou com Rodin pra produzir as Portas do Inferno (Les Portes de l'Enfer) e o monumento Os Burgueses de Calais (Les Bourgeois de Calais), mas Rodin ficou com o crédito de ter feito tudo sozinho. Se ele se apoderou de alguma obra dela é meio difícil dizer, porque os estilos deles eram tão parecidos que às vezes as pessoas não sabiam dizer se foi Rodin o Camille quem fez. Mas Rodin usou Camille em vários aspectos, tinha um caráter meio fraco, e eu não me surpreenderia nem um pouco se ele tivesse mesmo se apropriado indevidamente das obras de Camille, ou se tivesse tomado o crédito por algo que ela fez.

Anônimo disse...

E Beatriz Milhazes!!! :D

E temos outras artistas tão incriveis... Lygia Pape, Lygia Clarke, Maiolino (ok, originalmente italiana)... E já vi trabalhos delas no mundo todo.

Anônimo disse...

Não entendi. O que é irrelevante? A profissão de artista plástico ou as mulheres que trabalham nela serem desvalorizadas? o feminismo combate o argumento de que mulher ganha menos por ser menos competente e mais burra de uma forma geral. O raciocínio fica ok quando em situações específicas? "Ah, na arte elas são!"

Graciema disse...

Meldels...MAIS GENTE querendo dizer com o que as feministas devem se importar e o que elas deveriam estar fazendo e chamando todo o resto de mimimi? Bastava a porra dos caras fazendo mansplaing não?

Raven, <3. E o que ela disse é a postura da dona do blog, que é pessoal dela e ela posta o que quiser. Lide com isso.

Anônimo disse...

Minha avó era pintora antes de casar e depois foi proibida pelo marido, de quem apanhava quando pintava escondido. Depois da morte dele, sustentou a família com sua arte...

Anônimo disse...

Sabe o surreal? O mundo da moda é extremamente machista! Assim como o das artes plásticas. Os homens proeminentes nesses grupos -- incluindo os homossexuais -- acreditam que são muito mais criativos e relevantes do que as mulheres.

Anônimo disse...

Quem é o esperto? Quem paga até 200 reais? Ou quem caga pra arte mesmo e coleciona torrent de seriado, que é de graça e não ocupa espaço?

q disse...

Eu gosto de desenhar, pintar, fotografar. Mas acho idiota todo esse elitismo do mundo da arte, isso de pagar milhões em algo e reverenciar uma tela só porque alguém falou q é bonito. Varias obras são famosas, aplaudidas pq tem um valor historico e como muitas artistas não foram reconhecidas... Mas é que eu acho esse mercado da arte tão nada a ver, que prefiro ver mulheres artistas no meu instagram do que vê-las numa galeria de luxo.

Anônimo disse...

Voltando ao assunto do post. Tem também a historia da pintora Margaret Keane, que pintava quadros com tema de crianças com olhos bem grandes e o marido dela Walter a mantinha quase presa e em trabalho semi-escravo, usando as obras dela como se fossem dele e então ele acabou ficando com toda a fama e o sucesso que deveria ser da esposa prisioneira. Essa história é mostrada no filme "Olhos Grandes".

Mallagueta Pepper disse...

Não é necessariamente relacionado a pintura, mas aqui estão alguns exemplos de mulheres que "desenham muito mal". E aí, será que mais alguém aí vai abrir a boca pra falar que mulher não desenha bem?

Alguém?

Oi?

http://michellehoefener.deviantart.com/gallery/

http://jiuge.deviantart.com/gallery/

http://hellobaby.deviantart.com/gallery/

http://moawallin.deviantart.com/gallery/

http://loputon.deviantart.com/gallery/

http://shilin.deviantart.com/gallery/

Mariana K disse...

Gente, conselho amigo

se vc nao entendem de arte, parem de falar que fulane tem talento e ciclane nao tem talento. Seu gosto nao determina isso.


"ah mas eu nao acho quadro x bonito" - arte contemporanea nao eh sobre "ser bonito". Vc que compra quadro pra decoracao da casa, esta por fora. Ja faz mais de 100 anos que arte eh sobre ideias, processos, mensagem poetica, entre outras coisas que nao tem nada a ver com beleza num sentido convencional.

Vc pode achar tudo isso uma bobagem, que nao vale a pena estudar pra aprofundar teu conhecimento no assunto. Acho super justo. Ninguem tem que saber de nada.

mas nao venha querendo "destransar os transudos"

esse argumento "acho X feio e Y bonito, entao Y devia ser mais caro que X" so mostra que vc nao sabe como a coisa funciona.
Nao diga isso numa galeria ou perto de artistas, pq vc so vai gerar facepalms e vergonha alheia.


Enfim, acho que tudo pode e deve ser discutido. Mas as partes envolvidas tem que saber um pouco do que estao falando, e tentar sair do umbiguismo. Gosto nao eh fato. Eu concordar com X nao faz X a verdade absoluta.

Obrigada
e foi mal pelo teclado desconfigurado

Anônimo disse...

Não pago nem 1 real por estas obras, tanto de homem qnt de mulher. Eh lindo e tals mas eh melhor ficar em museus msm. Eu me contento com reproduções.

Mallagueta Pepper disse...

https://www.akiane.com/store/

Aqui tb tem outra mulher que, meldels, pinta super mal. Mas muito mal mesmo! Tanto que começou a pintar aos 4 e aos 12 anos foi considerada um gênio da arte.

Além disso, é muito burra tb pq fala lituano, russo, inglês e linguagem de sinais e aos sete anos escrevia poesias. Nossa, quanta burrice, não é mesmo? Ah, tá. É mulher e mulher é tudo burra, sem talento e não sabe pintar.

Aposto que o zé povinho que enche a boca pra falar que mulher não pinta bem deve ser capaz de fazer um trabalho muito melhor que o dessa garota, né?

Anônimo disse...

Mariana K. palmas para você.
Parece que todos tem que ter opinião sobre tudo mesmo sem entender. Custa estudar um pouquinho? "Arte é elitista então não me interessa", blá, blá, blá, arte é muito mais do que isso, gente.

Raven,
Matou a pau explicando que não é só sobre 40 milhões de dólares.

Ilka

Anônimo disse...

Ué, vc pode dizer o que acha importante, relevante, digno de ser abordado, mas as outras pessoas não? Da mesma forma que vc naoy ignorou o post e o tema, as pessoas não ignoraram seus comentários.

E só pra reflexão (nem precisa responder):

Se as mulheres não puderem falar sobre o que quiserem e sob a óptica que quiserem num blog FEMINISTA, elas não poderão falar sobre nada, em canto algum, pois o espaço público segue sendo eminentemente masculino, no qual apenas assuntos masculinos são considerados relevantes.

Quando a mulher abre a boca, EM QUALQUER LUGAR, SOBRE QUALQUER ASSUNTO, ela costuma ser calada com um argumento como o seu, carol.

PS. Acho que A carol não é A carol, se é que me entendem.

Anônimo disse...

Vc não é machista por discordar. Os seus argumentos é que são machistas.

Anônimo disse...

Apesar de que o mundo internacional tender a desprezar e subestimar as obras de artistas femininas em geral,eu acho que podemos nos orgulhar do brasil nesse quesito, em que as pinturas das artistas tendem a ser valorizadas tanto quanto seus colegas masculinos (pelo menos eu acho), e sem duvida uma das pinturas mais caras e famosas do Brasil, Abaporu, foi pintado por uma mulher, Tarsila do Amaral.

Anônimo disse...

Anonimo das 15:20

I veja com ceteza. Eu queria ter essa capacidade de enganar otarios que esses "artistas" tem.

juliê. disse...

Olha, quando faz parte de uma CULTURA, tem machismo em todos os aspectos. Então não da pra dizer que é mimimi. É parte de uma CULTURA de opressão sistemática das mulheres e de outras minorias sociais

Anônimo disse...

Sabe meninas isso acontece em TODAS as áreas . Se um cara resolver virar manicure vai ganhar mais que a gente. Esses dias discuti isso no meu trabalho. Eu trabalho em uma rede de varejo e muitos supervisores começaram na base como vendedores. Daí eu reparei no seguinte : se a base de vendedores da empresa e predominantemente feminina por que temos na regional 10 supervisores e só uma supervisora. Elas não devem ser Boas o bastante

Raven Deschain disse...

Uau. So much win nesses comentários. =) Lindeza.

Mallagueta, valeu pelos links. Vou morrer no deviantart hj. Haha

Raven Deschain disse...

Tá bom Carol. Pra mim tanto faz. Na próxima vez em vc for obtusa, rirei.

E se vc frequentasse o blog a tanto tempo quanto diz saberia que se eu quisesse te ofender, eu seria beeem mais cretina. Kkk

Anônimo disse...

Engracado esse post, porque me fez lembrar o quando e ruim vc compor uma obra artistica e alguem te desqualificar.

Toco piano desde os 10 anos de idade, aos 18 compus uma musica. Nao sei como, saiu da minha cabeca. No mesmo ano que compus a musica, prestei e passei no vestibular pra medicina. Por causa da faculdade, abandonei as aulas de piano.Depois disso, minha vida sempre teve ciclos: volto a ter aula de piano, paro de ter aula. Conforme o pique, tempo disponivel e $ pra pagar as aulas( $ na verdade e desculpa, o negocio e que da preguica de estudar mesmo kkk).
Atualmente estudo algumas musicas antigas por conta propria, quando da na telha.
O fato e que nunca fiz curso tecnico de musica, muito menos tive aula de composicao. Todo mundo que escutou minha musica me pergunta quando irei compor outra; respondo que e dificil, eu teria que ter aprofundado o estudo, e agora esse tempo nao volta mais, nao tenho disponibilidade... quem sabe depois de aposentada :)

O fato e que um amigo que tambem estuda piano, ouviu a minha composicao ( registrei direitos autorais so ha 2 anos!, embora tenha composto ha mais de 20 anos)- e solta essa perola " Nao gostei muito do comeco da musica, vc nao pode mudar?"
COMO ASSIM, MUDAR MINHA COMPOSICAO?? Ela e minha!!! eu senti assim, enxerguei assim. Seria a mesma coisa que vc chegar num autor e pedir pra mudar o final do livro, ou vc chegar num pintor e pedir " por cor de rosa de bolinha verde em vez de azul nessa parte do quadro ai que fica melhor" ( daaaa??)

Mas acho que esse meu amigo n falou isso por machismo nao, falou porque e sem nocao mesmo!!! hahahahah

Maria Valeria

Anônimo disse...

Carol, uma frase que gosto bastante sobre arte é "a arte é uma mentira, o que existe é a retórica". Basicamente, explica que arte não é simplesmente "ser bonito" no sentido convencional, como alguma outra pessoa comentou, mas sim uma discussão sobre o processo, o artista e a obra. Por isso tem homens que "jogam tinta na tela" e vendem milhões e uma mulher que faz o mesmo não é tão valorizada: como a figura masculina é mais valorizada, a retórica ganha mais significado. Concordo com você que nem sempre uma mulher que ganha menos o ganha só porque é mulher: às vezes, sim, ela faz um trabalho menos merecedor. Mas como tantos outros comentaristas apontaram, porque moda é coisa de mulher mas os designers aclamados são homens? Por que também acontece isso na culinária, na dança? Porque no caso que um anom falou, a base de vendedoras é majoritariamente feminina, mas os supervisores são quase todos homens? Concorda comigo que há casos em que mulheres não produzem tão bem quanto um colega homem, mas que há um sistema trabalhando para que se acredite que essa é a regra? Isso É machismo.

Anônimo disse...

Você briga pelo que você acha importante e eu brigo pelo que eu acho importante. A não ser que te incomode que outros possam ter agendas diferentes da sua. Se você não se importa com a diferença de gênero na valorização do trabalho, não se preocupe com isso e não me diga que eu devia me preocupar com o que você acha sério. E por favor também não venha me listar quais profissões são relevantes e quais não são. Irrelevante é a sua opinião sobre o que eu tenho que achar importante.

Anônimo disse...

Concordo plenamente com a Carol e outros anonimos acima: a arte eh ruim e pronto. Nao interessa se eh homem, mulher ou gay. O talento passou longe dali. E arte eh elitista sim, gente, nem venham falar o contrario. O lugar onde fui mais maltratada foi em uma galeria de arte de BH. Queria comprar um quadro para minha sala. A vendedora mal olhou na minha cara e apenas disse que nao sabia o preco dos quadros. Eu estava vestindo jeans e camiseta e tenho cara de pobre. Duvido se fisse uma madame ela nao teria sido bem atendida. E o pior eh que eu tinha o dinheiro pra pagar.

Kittsu disse...

arte não é elitista.Você encontra arte até na rua, debaixo de viaduto, no caderno de uma aluna desatenta.

As pessoas é que são elitistas e se utilizam de pequenas amostras do que é a arte para ressaltar o abismo entre a "elite" e o "pobre mortal".

Anônimo disse...

off topic

http://ela.oglobo.globo.com/blogs/milao/posts/2015/03/27/prefeitura-de-roma-proibe-outdoors-com-corpos-femininos-563628.asp

Diva

Julia disse...

Outros idiotas já sugeriram este motivo além de você, 'carol'. Inclusive está no texto mas vc nem prestou atenção e já veio trollar, né coisinha?

Julia disse...

O mimimi ta pouco anon, 12:46. Temos que mimizar mais! E quanto mais reclamam do nosso mimimi mais dá vontade de mimizar!

Julia disse...

Sobre o filme Olhos Grandes.. Na verdade os dois entraram num acordo de que as obras seriam consideradas mais relevantes se um homem fosse o autor delas, estamos falando de 1950, se tem gente falando que mulheres não são tão boas agora imagina em 1950, então ele se apresentava como o autor mas quando ela quis sair de trás dos panos e assumir as obras depois do sucesso aconteceu...

(assistam o filme)

Anônimo disse...

Não estou trolando, simplesmente não concordo.
Tentar ofender, por discordar é desnecessário. Um pouco mais de educação seria bom para o movimento.
carol

Anônimo disse...

Ah a arte a arte...como é triste ser incompreendida enquanto artista!
https://www.youtube.com/watch?v=_lbece7RqZU

Raven Deschain disse...

Como prometido: huashuahsuahsu

Anônimo disse...

Lola n sabe porque diminui o número de acessos ao blog,mas está bem claro,feministas barraqueiras que mal conseguem respeitar a opinião alheia.
Gente intolerante quero lutar por tolerância para as mulheres,no mínimo ridículo e hipócrita.

Anônimo disse...

No caso Margaret Keane, antes do acordo o marido pressionou para ela aceitar dizendo que ele já inventou a mentira que os quadros eram deles e não podia mais voltar atrás que todos iriam processa-los e precisavam pagar as contas. Em entrevista a Margaret relatou que trabalhava 16 hrs ao dia pintando os quadros e que o marido chegou a pedir para ensiná-lo a pintar como ela, mas como ele nunca conseguia fazer nada nem parecido, ele acusava ela de incompetente que não sabia ensina-lo direito a pintar como ela. Além de explora-la ele a humilhava.

Anônimo disse...

Tenho uma história pra contar terrivelmente triste que pra mim ressoou como "um abrir de olhos"... desculpem a digressão, mas eu preciso falar!
Bem, estavámos viajando de avião, eu, minha filha e meu marido. Ao nos acomodarmos em nossas cadeiras, as boas-vindas habituais e de praxe do comandante vieram de uma voz.... feminina!!
Pânico no vôo, dos homens claro, quase que todos os que pude observar e ouvir..
O vôo do Rio para Brasília não passa de 2 horas, mas parecia uma eternidade devido a "leva" infinita de comentários machistas, do tipo: q merda! ai se eu soubesse!, mulher no manche, perigo de sangue!, quem deu brevê pra essa carioca favelada metida à besta... se acha!
detalhe a voz da comandante parecia ter um leve sotaque carioca, bem sutil, mas que foi motivo dos piores achaques... foram tantos os achincalhamentos que me senti mal, profundamente mal... vi algumas mulheres rindo, achando engraçado, e a minha vontade era de chorar!! Quanto ódio meu pai! eu só conseguia pensar, o que essa mulher fez pra merecer tanto ódio assim... foram as duas horas mais difíceis que passei dentro de um avião! mas não por medo, fobia de voar ou qualquer coisa do gênero... mas sim por estar presenciando uma horda de haters motivados única e exclusivamente pelo fato da comandante do avião ser uma MULHER!!! Como se isso fosse crime. E pra piorar na saída, quando abrem-se as portas, geralmente a tripulação e o comandante estão lá para agradecer a escolha da companhia e se despedir. O que vi, foi estarrecedor: todos, digo todos os homens, inclusive meu marido, que de vez em quando tem alguns rompantes machistas... sutis, senso comum, mas ainda tem, fizeram questão de cumprimentar a comandante e dizer que ela estava de parabéns, alguns disseram que voou direitinho, outros "como manda o figurino", como se ela não fosse uma profissional altamente gabaritada para estar ali NO COMANDO! e pra "cerejar" o bolo, teve um cretino que ainda completou: já pode casar!! Q NOJO!! E eu só tive vontade de abraçar aquela mulher, por me condoer, por ter me sentido ultrajada como mulher também, por saber que mesmo tendo gabarito e profissionalismo, nada isso supera, é maior que o fato dela ser MULHER e está tomando o lugar de algum homem... ultrajante!!!
No final, pelo menos uma coisa boa, meu marido concordou comigo e disse que era triste mesmo ver as MULHERES, usou o plural, serem tratadas assim e que iria se policiar pra não ser mais machista, nem nas grandes e nem nas pequenas coisas! Me senti um pouco melhor... mas a sensação ruim, não passa! E fico me perguntando POR QUÊ?

Anônimo disse...

Hahaha voce eh mto engracada carol. chamou a menina de cretina e pede um pouco de educacao. Hahaha linda

Anônimo disse...

Chamei ela de cretina depois de ter sido ofendida.

carol.

Anônimo disse...

Raven, eu te acho sem educacão por só saber ofender e querer que todos concordem contigo.
estamos quites em termos de opinião.
carol

Raven Deschain disse...

Carol, agora vou te ofender: larga de ser burra, caralho! Não quero que vc concorde comigo, sua anta cabeçuda! Quero que vc entenda que o post fala sobre a desvalorização da mulher nas artes e não sobre os milhões que um cara tem pra pagar num quadro (bom pra ele aliás, eu faria um cruzeiro gay). Em nenhum momento ofendi vc ou xinguei vc ou disse que na vdd acho que vc seja um mascu disfarçado, já que mascu que vem aqui nunca escreve a porra do nome com letra maiúscula. Se vc pode vir ditar oq deve ou não ser relevante no feminismo dos outros, entenda que as pessoas vão mesmo te contradizer. Quem tem dificuldades em compreender discordâncias desdes os primeiros comentários desse post é tu, que simplesmente chegou cagando regra no feminismo alheio e em como devemos nos sentir ou não a respeito de arte, que é subjetiva, merda! Disse sim, que vc era infantil e vc é, afinal, argumentozinho de merda, - vou falar a abobrinha que eu quiser, vcs que me ignorem-.

Agora, largue do meu pé, porra!

Raven Deschain disse...

Desculpe por isso, Lola. Se quiser apagar esse comentário, diboas.

Anônimo disse...

Ah Raven, n precisa se desculpar nao.

A carol vem aqui dizer que o quadro X é mais bonito que o quadro Y, que claramente n presta, e que quem acha diferente está sendo hipócrita, querendo proteger mulheres a todo custo...
sem nem se dar conta do obvio, gosto é subjetivo, e arte n eh apenas sobre nossos conceitos pessoais de belo...

e que o post fala sobre discriminacao do trabalho das mulheres em MAIS UMA area. Pq ne, n eh soh essa artista em especifico que ela n gostou, mas NENHUMA artista conseguir tanto prestigio e reconhecimento quanto de seus pares (e isso reflete no preço dos quadros).

eh muita falta de interpretação de texto mesmo.

Acho que seu desabafo lavou a alma de mtas, assim como eu.

Rosanna Andrade

Julia disse...

Se eu tivesse nesse avião a pilota ia ter que fazer um pouso de emergência pq eu ia matar um.

Julia disse...

Iria ser uma maneira muito mais legal do meu nome nunca mais ser esquecido, ao contrario do piloto que derrubou um avião e matou 150 pessoas de propósito.

Anônimo disse...

'Quem tem dificuldades em compreender discordâncias desdes os primeiros comentários desse post é tu, que simplesmente chegou cagando regra no feminismo alheio e em como devemos nos sentir ou não'

Dona, vc não consegue compreender mas falando assim vc TAMBÉM tá cagando regra

Anônimo disse...

"Homem, mulher ou gay"

Porque gay não é homem nem mulher né?

Julia disse...

15:19 A pessoa que é toda equivocada se denuncia logo.

Anônimo disse...

é uma merda ver que quem não concorda co 100% é tachado, quem perde são vcs. por isso que o movimento nunca vai ser levado a sério.

chato isso lola, parece que agora vc só quer ibope e uma legião concordando com tudo, opiniões levam a discussões e mobilização. mimimi não leva a nada.