domingo, 8 de fevereiro de 2015

GUEST POST: PREFEITURA DE CURITIBA TEM PÁGINA ENGRAÇADINHA

Acabei de voltar da linda e maravilhosa Buenos Aires e já publico este email que recebi ontem. Sinceramente, não tenho opinião formada sobre o caso. Não conhecia a página. Esta é a opinião da D.:

Eu não sei se você já ouviu falar que a página da Prefeitura de Curitiba faz o maior sucesso entre coxinhas. Lembra que, ano passado, no Dia da Consciência Negra o prefeito Gustavo Fruet posou de blackface? Pois bem, revoltante.
Desde que o prefeito Fruet (atualmente no PDT) assumiu, ele deixou a equipe de comunicação livre para fazer o que quiser na página, como se ela fosse uma "entidade" separada do órgão Prefeitura, tanto é que se referem ao Facebook como "Facebook da equipe de comunicação" ou simplesmente "Facebook da Prefs". 
Desde o começo a página prima por dar a si mesma a reputação de "hipster", usando uma linguagem que só faz sucesso entre adolescentes coxinhas ou gente muito alienada. A página sempre posta vídeos descolados, faz montagens com capivaras -- aliás, esse é o grande mote da página, onde a equipe pode colocar capivaras, fazer montagens com mangás e desenhos animados que acha descolados, e promover também em seus comentários alguns linchamentos públicos com quem ousa discordar de qualquer ação da "prefs", ou com pessoas que apenas manifestam suas opiniões sobre serviços básicos como cobertura de buracos em ruas e reclamações sobre bairros que sofrem enchentes. A página permite comentários machistas, racistas, sexistas, só não pode falar palavrão.
No início do ano passado a página da prefs disse oficialmente que iria processar uma mulher que contou no Facebook que ouviu de um funcionário do zoológico que eles estavam fazendo vaquinha entre os funcionários para comprar carne para o leão semanalmente. Ela escreveu o que ouviu e em reação a prefeitura disse que estava abrindo um processo contra ela e o uso "irresponsável da internet", sendo que eles são os maiores irresponsáveis nesse uso, além de ser um absurdo colocar a máquina de uma prefeitura juridicamente contra uma cidadã que estava apenas relatando o que havia ouvido no zoológico. 
Em vez de esclarecer os fatos e orientá-la, o então presidente da Rede de Proteção Animal mandou mensagens de texto no celular dela "intimando"-a a comparecer no zoo e dar uma voltinha no local, para entender a realidade, mas quando ela disse que iria acompanhada de um advogado e de mais algumas pessoas, disseram que iriam processá-la e cancelaram a visita. Foi bem feio, e não consegui descobrir se eles foram adiante com o processo, acho que na verdade ficou só na ameaça, pegaram a mulher "como exemplo", sabe, de "não mexa com a gente".
É como se toda a equipe de comunicação da prefeitura fosse composta por "piás de prédio", como chamamos aqui gente que nunca pisou na periferia da cidade, que só sai do gabinete pra lanchar no shopping mais chique da cidade, e só anda de carro, uma playboyzada bem reaça.
Isso é apenas um resumo, poderia me aprofundar muito mais nisso, te contando mais alguns fatos. Mas o que eu queria te passar nesse momento é um print de um post de um dos integrantes, um analista de mídias sociais da página da prefeitura de Curitiba e responsável por algumas das ideias postadas na página e respostas -- na maioria irônicas, cínicas e mal educadas para as pessoas que comentam. Tá treinando pra virar um Danilo Gentili da vida. 
Por favor Lola, se você for divulgar o print que estou te passando, não me identifique. Curitiba é uma cidade provinciana e posso sofrer as mesmas retaliações que a moça da história do zoológico sofreu, a chamaram até de vagabunda mentirosa durante a repercussão horrível que a prefeitura fez do caso, jogando os seguidores da página contra ela. 
A ótima campanha "Busão Sem Abuso"
Lembro também que recentemente a prefeitura de Curitiba fez uma campanha chamada "Busão Sem Abuso", incentivando as mulheres a denunciarem casos de abusos que acontecem dentro dos ônibus. Mas pelo jeito esqueceram de orientar seus próprios funcionários para os abusos que acontecem na internet.

95 comentários:

Anônimo disse...

Lola não vai divulgar o print? Até entendo, se eles virem isso exposto aqui vão dar chilique e dizer que vão te processar tb, mas eu publicaria escondendo o nome e rosto do indivíduo.

Anônimo disse...

Eu acho bem tosca essa adoção de "socorro blackface, não pode" aqui no Brasil porque ela tem 100% a ver com o contexto estaduniense e não brasileiro. Aqui é preciso explicar que é absurdo - e corre contar a história do blackface americano - simplesmente porque a origem é de lá, e não daqui. Racismo é ato volitivo, implica intenção. Sequer existe um termo brasileiro para blackface que não seja importado também.

Em tempo, a página da Prefs é ÓTIMA.

Julia disse...

Já utilizaram black face no Brasil. Na novela A cabana do pai Inácio um ator branco se pintava de negro para representar o personagem título da novela. Racismo é racismo. E quando alguém apontar o racismo não fique criando desculpas para continuar sendo racista. Apenas pare.

"Em tempo, a página da Prefs é ÓTIMA."

Olha eu perdendo tempo com um idiota.

Anônimo disse...

A Página da Prefs é uma das coisas mais legais dos últimos tempos. Conseguiu inclusive doações para a cidade com suas campanhas.
Qualquer pessoa que já tenha lido ou ouvido entrevistas com o pessoal que trabalha na página, sabe bem que eles não são "pias de prédio". São pessoas honestas com história. Grande parte da equipe, inclusive, formada por mulheres.
Mas as pessoas parecem que não podem ter mesmo nada de bom. E já começam a querer denegrir a imagem de um serviço que tem feito muito pela cidade.
Moro em Curitiba, adoro a página da Prefs, e ela é sim um caso de sucesso.

Raven Deschain disse...

Quando ela diz que Curitiba é uma cidade provinciana, ela tem toda a razão. Por aqui sempre dizemos que Curitiba é uma cidade grande com alma de vilarejo. Todo mundo se conhece, tem as mesmas tretas e sabe das mesmas fofocas.

Eu acompanhava a página no fb quando eu usava e pra falar a verdade, via que eles permitem alguns absurdos mesmo, mas a gente podia responder tb. Nunca me censuraram lá, por exemplo. E eu enchia bastante o saco, já que Cwb não tem uma boa política com relação a animais de rua (aliás, não tem nenhuma). Se bem que me lembro de um episódio em que a clínica que eu era voluntária, comentou algo sobre a patrulha animal e foram meio que humilhados, aí eles resolveram que o melhor seria se afastar da página.

Mas tb esperar oq? Povo besta vota nessa Fruet e quer reclamar do fb da prefeitura?

Anônimo disse...

No Brasil sempre foi assim, o povo paga impostos pra sustentar a corte e se tem alguma coisa errada ainda tem que pagar mais pra resolver. Paga impostos pra construir escolas, e depois tem que pagar uma escola particular. Paga imposto pra ter o SUS e depois tem que pagar plano de saúde. Paga imposto pra ter um zoológico e depois tem que pagar a comida pros animais. Paga imposto pra assistência social e depois tem que pagar pra ONGs de auxílio social. E o pior é que o brasileiro, de tão trouxa que é, ainda aplaude essa corte cara, corrupta e trapaceira como fizeram os babacas que xingaram a moça que denunciou a incompetência do governo em fazer o mínimo que é dar comida aos animais. Brasileiro é um bicho trouxa mesmo.

E essa página citada no post é simplesmente patética. Os autores dessa excrescência internética deviam ser proibidos de chegar perto de um computador.

Anônimo disse...

É u mpost pessoal, não sei pq falaram da prefeitura. Ele está errado, mas estão tentando misturar as coisas. Se um racista trabalha na Petrobrás - e com certeza a empresa tem muitos funcionários racistas - isto não implica que a empresa seja

Anônimo disse...

Rindo de quem usou exemplo de uma novela do tempo que a televisão era preto-e-branco para justificar a grande problemática do blackface brasileiro.

Anônimo disse...

"Desde o começo a página prima por dar a si mesma a reputação de "hipster", usando uma linguagem que só faz sucesso entre adolescentes coxinhas ou gente muito alienada. A página sempre posta vídeos descolados, faz montagens com capivaras -- aliás, esse é o grande mote da página, onde a equipe pode colocar capivaras, fazer montagens com mangás e desenhos animados que acha descolados,"

essa D deve ter uns 90 anos de idade, não é possível.

Anônimo disse...

Nossa mas essas montagens com essas capivaras são realmente engraçadissimaszzzzzzzzzz
Não é preciso ter 90 anos pra achar essas montagens muita forçação de barra.
Finalmente alguém que me entende quando reviro os olhos pra essa página da prefeitura de curitiba. A impressão que eu tenho é que só inventaram isso pra amenizar a fama que Curitiba tem de linda, porém antipática.
(Mas ó, agora é linda, porém coxinha)

Anônimo disse...

Achei o post uma imposição de uma opinião pessoal. Não vi evidências de ser uma página "coxinha", apenas de ser uma página jovem e descontraída (um tanto boba, muitas vezes, mas nenhuma característica "coxinha"). Eles conseguiram um numero absurdo de seguidores e, se o que os jovens querem ver são posts bobos, não vejo problema. Aparentemente, noticias relevantes também são postadas, então cumpre seu trabalho.
Sobre relatar uma Curitiba que não existe, nunca vi uma pagina da prefeitura que mostrasse o que está errado na cidade.

Anônimo disse...

Nao vi grandes problemas com a pagina, tem algumas coisas engracadas, outras nao. Mas humor eh bem subjetivo.

Raven, cidade nenhuma no pais tem politica para resolver o problema de animais de rua. Soh nos resta mobilizar nas ongs.

Maria Lia.

feminista e curitibana com orgulho disse...

gostaria de entender pq a pagina é coxinha. sou feminista, sigo a pagina, gosto e tirando uma ou outra escorregada, não consegui entender o pq desta raiva contra a página.

parece que ninguem entende que não é um canal oficial - para isto existe o site da prefeitura, bem formal - a pagina do fb é para fazer propaganda, e como toda propaganda ela mostra as coisas do melhor angulo

gostaria de ver os exemplos das prefeituras petistas mostrando o lado ruim de suas cidade para compararmos a linguagem institucional, ou então alguma propaganda que fale mal

Anônimo disse...

Um adendo: a campanha contra abusos nos ônibus está longe de ser "ótima". As peças informam um telefone para denúncias sem esclarecer que é o da Guarda Municipal, um órgão ainda menos preparado que a polícia para lidar com o assunto. E ainda é extremamente hipócrita, porque uma coisa que poderia ser feita para coibir abusos em ônibus é melhorar o transporte público, impedindo que pessoas viajem como em latas de sardinha - uma reclamação recorrente dos passageiros que a Prefeitura só faz jogar no colo do governo do Estado e vice-versa. Sinceramente eu preferiria um governo que funcionasse bem do que um que tem uma página engraçadinha feita por dezenas de comissionados.

Anônimo disse...

Olha, também não achei toda essa maldade na página não. Vi muita acusação e pouca prova, e sim, eu acho capivara um bicho engraçadíssimo.
A pior parte mesmo foi o processo da moça, achei desnecessário e ficou mais feio pro lado da prefeitura, que ao invés de apurar a denúncia caiu matando em cima da testemunha.

Raven Deschain disse...

Nossa, eu acho as montagens com capivaras engraçadas, na boa mesmo. Já deitei no Baeigui no meio delas. São bonitinhas e bobas.

Então, Maria Lia. O problema foi que havia um pit bull ou rottweiler atacando pessoas em uma rua próxima ao terminal barreirinha, e a gente ligando praquela equipe que deveria lidar com animais de rua que ofereçam perigo e a resposta foi algo do tipo: não temos nada a ver com isso, se virem. E o pessoal da clínica foi reclamar na página. A resposta foi mais ou menos a mesma. E a gente ainda luta por uma melhor política pra esses animais. Nem que seja CED. E isso deveria ser responsabilidade das prefeituras tb. Mas como tudo, eles tiram o corpo fora.

Anônimo disse...

Cadê o print? Quais os argumentos provando é "coxinha"?

Post sem pé nem cabeça, só cagação de regra, no caso opinião.

Raven Deschain disse...

E é meio difícil não ficar putp da vida com a prefeitura, pois todoo protetor de animal por aqui votou no careca por causa de promessas de campanha que nem são lembradas de serem feitas. A UFPR fazia castração grátis e até isso foi proibido pela prefeitura (na gestão anterior). É foda.

Jac disse...

Misturar hipster com coxinha já faz o post perder toda a credibilidade.

Anônimo disse...

Raven, me mudei pra Curitiba faz pouco tempo, vou estudar engenharia na UFPR. Queria ingressar em algum coletivo feminista mas na UFPR só tem o de Direito. Não tem nenhum coletivo feminista "geral" aqui não? Achei estranho isso, pesquisei na internet e não encontrei. To pensando em me integrar ao da UTFPR.

Anônimo disse...

Se jovial e engraçadinho sao caracteristicas coxinhas, seriam sizudez e formalidade caracteristicas progressistas?

Errou feio, errou rude.

Anônimo disse...

Lola, vc já escreveu algo sobre preservativo feminino? Tenho muita curiosidade de ler sobre o assunto, mas é difícil de ler algo interessante sobre ele inclusive em sites feministas....

obrigada

Anônimo disse...

Arte coxinha de mangás e imagens irônicas com capivaras fofas não passarão!!! Queremos Arte de Rua viva na página, muito grafite e stencil!

confusa disse...

Para entender, a moça fez uma acusação sem provas . a prefeitura estando ciente que não era verdade subiu o tom de voz, o que não está errado, mas tb não foi a melhor forma de lidar com o assunto, porem usar este unico exemplo como prova de serem coxinha é muito fraco.

pessoas erram, já vi várias vezes eles assumindo os erros, prefiro 1000 vezes uma pagina divertida do que uma simplesmente institucional, mesmo pq é uma pagina ela não resolve problemas para isto vc tem os canais oficiais da prefeitura

no final diante as milhares de fãs da pagina com certeza algumas não irão gostar de uma ou outra piada ..

Anônimo disse...

Eu acho grafite e stencil uma merda, eu estou feliz com as artes da pagina vc está triste, não dá para agradar a todas as vertentes

Julianatsume disse...

Misturar hipster com coxinha já faz o post perder toda a credibilidade 2

ps: e Capivaras são umas gracinhas s2

lola aronovich disse...

Anon das 20:22, ótima ideia! Nunca escrevi sobre preservativo feminino, até porque nunca usei. Alguém com bom conhecimento de causa topa escrever um guest post? Adoraria publicar algo sobre o assunto!

lola aronovich disse...

(Voltei de Buenos Aires hoje. Vou sentir saudades dos helados de lá. E também das empanadas).

Anônimo disse...

Off Topic: http://www.collegehumor.com/post/6987202/great-figures-of-the-mens-rights-movement

Lola, dá uma olhada hahahaha!

Anônimo disse...

Achei esse post nada a ver, o que é isso gente?
A página da Prefeitura é engraçadinha e nunca vi nada do que essa pessoa está falando.

Kittsu disse...

Acho curioso que funcionários da prefeitura se apropriem da assessoria de comunicação para, travestidos de poder público, fazerem as vezes de "voz da prefeitura" em causa própria e se isentarem da (ir)responsabilidade de seus atos alegando tratar-se de "uma mera página de particulares, sem vínculo com o município", e a própria prefeitura ainda dar cobertura a cada um dos atos destes "particulares se vínculos".

É vergonhoso que este governante não tenha controle nenhum sobre como a máquina pública se relaciona com os seus cidadãos, pois se os trata com desrespeito, é sinal de que a própria administração, como um todo, não respeita os cidadãos também.
E ao não ter controle sobre estes subordinados que se apropriam livremente, sem controle e critérios, da voz da administração pública, só existem duas coisas para dizer sobre este prefeito (e porquê não do governador): Politicamente fraco e desinteressado.

Como pessoa, deve ser um puta dum pau-no-cu também.

Anônimo disse...

Não entendi o que a foto da "Churrascaria Sapatão" tem a ver com esse post.

Anônimo disse...

E a Lola ainda não respondeu cadê o print.

Karina disse...

Maria Lia, São Paulo tem dois hospitais veterinários gratuitos que realizam centenas de atendimentos todos os meses, inclusive cirurgias complexas. Além disso tem um programa de castração totalmente gratuito onde cada cidadão pode levar até 10 gatos para serem castrados, além de terem um programa de castração e devolução de gatos adultos às colônias felinas urbanas, além de um programa de castração e doação de filhotes. Há uma boa política para animais de rua já há algum tempo.

Karina disse...

Quanto à página, não vi nada demais, não entendi qual o problema. Muitas pessoas possuem preconceito com os curitibanos e senti um tanto de preconceito em alguns comentários. Em todas as vezes que lá estive fui muito bem recebida, não encontrei uma só pessoa que eu pudesse considerar antipática. Aliás, foi lá que eu jantei no restaurante mais simpático da minha vida, onde os donos tocavam e cantavam e sorriam o tempo todo, e todos os clientes cantavam juntos. Uma festa!

Raven Deschain disse...

Exatamente isso, Karina. A prefeitura daqui tá prometendo um hospital veterinário público a anos e nada. Enquanto isso, tiramos do nosso bolso algo que a prefeitura (e o governo estadual) tem a obrigação de ao menos apoiar.

Anon, não sei. Frequento facu particular e na minha não tem mesmo. Na Puc há alguma organização, mas não conheço as moças de lá.

Sierra disse...

Na verdade qualquer um que veja as discussões na página vê que quem pública é MUITO mais progressista que o público em geral.
A campanha Busão sem Abuso pode não ter sido perfeita, mas foi bem ampla e divulgada em vários veículos de comunicação.
Teve uma ocasiao em página da prefeitura, inclusive, passou por cima de uma decisão da Câmara de Vereadores ao republicar uma imagem que legitimava o casamento homoafetivo.

Eles não tem absolutamente nada a ver com Danilo Gentili, e mesmo sendo "piás de prédio", não são necessariamente reaças.

Erram muito em algumas respostas? Erram, inclusive foi criada a page "Prefrescura de Curitiba" para atacar a alienação da page oficial. Mas isso que é bom, dois lados da mesma cidade.

E Raven, em quem votar em 2012? No Ratinho Junior? No Ducci? A gente não tem opção...

Anônimo disse...

Lola qual é a sua opinião sobre esse texto?

https://www.texton.com.br/cronicas/1631#_=_

Anônimo disse...

Curitibano é muito alienado mesmo. Se diz contra o PT sempre (pffff), mas elegeu o Fruet... esquecendo que o PT é o principal partido de sua coligação. Cidade mais coxinha possível.

Anônimo disse...

Tem cidade mais coxinha sim, vai no interior do RS pra vc ver. Contando só os meses pra me mudar dessa ... , tá complicado aguentar a coxinhisse aqui.

só olhando esta zoeira disse...

preconceito com curitibanos .. não vi a parte coxinha da pagina, o post poderia ter dado mais do que apenas um exemplo, foi uma generalização bem fraca

KITTSU
"em causa própria e se isentarem da (ir)responsabilidade de seus atos alegando"

que atos irresponsaveis foram estes ? do jeito que falam parece que só tem posts homofobicos, racistas e machistas, quando na verdade é bem o contrário.

Só pq alguem não gosta do humor - questionavel é verdade - e capivaras não quer dizer que é coxinha ou preconceituoso

Eu mesmo devo achar graça de 1 a cada 5 ou 10 posts na pagina, mas graças a este humor eles tem uma grande base de fãs e podem fazer campanhas e ajudar muito mais do que uma pagina toda certinha e sisuda. que é o que ops criticos gostaria. pagina institucional com apenas um punhado de pessoas.

Ligia disse...

Dificilmente comento em blogs, por motivos de preguiça. Mas sigo a página no facebook, as vezes entro la para rir das postagens 'bobas', sou do público que gosta, me julguem. Gente, nenhum humano é perfeito, vamos conversar. Eles inovaram com a abordagem na pagina do facebook aproximando o público jovem não só das brincadeiras como de outras divulgações mais sérias, que inclusive eu acho que são muito bem explicadas. Algumas piadas acabam escorregando, mas sempre que há reclamações, eles deletam o post e pedem desculpas, já vi isso mais de uma vez. Os projetos da prefeitura não sao perfeitos? Ok. A página não é perfeita? Ok. As piadas não agradam a todos, ok. Mas eles estão tentando, e isso pra mim é muito mais mérito do que ficar achando problema no trabalho alheio.

Anônimo disse...

Quando as pessoas entram na página e olham apenas as piadas, sem se dar ao mínimo 5 minutos lendo os comentários, vai achar gracinha o post da capivara, bonitinho, vai querer abraçar as capivaras, mas não se põe no lugar de mães e pais que estão sem vagas para colocar os filhos em creches, que estão sem os remédios para doenças graves que são fornecidos gratuitamente por lei pela prefeitura, mas estão em falta, não se colocam no lugar de pessoas que na gestão do Gustavo Fruet estão passando sem o básico, como asfalto, corte de mato próximo de suas casas, situação precária nos postos de saúde, que não conhecem a realidade que é andar de ônibus em Curitiba, não compreendem o gravíssimo gesto de uma prefeitura colocar o seu departamento jurídico para processar e linchar publicamente uma mulher que apenas reatou o que ouviu de um funcionário no zoológico, então, só podem se identificar e achar tudo muito fofo e engraçado.

Anônimo disse...

O comentário da Ligia me fez lembrar que a prefs deletou um post apoiando o casamento gay por causa da reaçarada cristã da província. Muito íntegra essa prefs né gente?! http://www.parana-online.com.br/editoria/cidades/news/832199/?noticia=POSTAGEM+DA+PREFEITURA+SOBRE+CASAMENTO+CAUSA+REACOES

Anônimo disse...

Lola, alguns comentaristas acham grave e ofensiva a palavra "coxinha", mas não se manifestam sobre a BLACK FACE do prefeito no Dia da Consciência Negra, data que foi descartada como feriado na cidade numa "parceria" entre o prefeito de Curitiba e a Associação Comercial do Paraná. Pessoas que acham que a Black Face não se aplica à realidade brasileira, deveriam ler aquele seu post sobre a Zorra Total.

Evy disse...

Eu acompanho a página de Curitiba já faz alguns anos e posso dizer que ela é uma página muito mais positiva do que negativa. Eles conseguiram utilizar o humor para falar de coisa séria, acho muito importante o trabalho deles.
Quanto a eles permitirem os comentários reaças, acho que os comentários da página são bem livres. E vamos confessar que ultimamente essa guerra de feministas x reaças está em todo facebook né? Afinal gente idiota tem em todo lugar, mas no geral a página luta bastante em pró dos direitos das mulheres, não só com essa ótima campanha contra abuso no busão, mas com diversas campanhas contra violência doméstica e outras informando a população de políticas especializadas para atender a mulherada, pra mim é uma das páginas que mais entendem o lado das mulheres.
Achei muito preconceituoso a autora do guest post afirmar que a página só faz sucesso com adolescentes coxinha e gente alienada, claramente a página faz sucesso para maioria da população da cidade e utiliza muito bem o humor para falar de coisa séria.

Anônimo disse...

Lola, encontrei em um site o print sobre a moça que sofreu retaliação da prefs no Facebook na história do zoológico, e o relato dela sobre ter sido convidada à ir sozinha, em um dia que o zôo nem abre, pelo diretor da Rede de Proteção Animal de Curitiba. Ela tentou criar um evento no Facebook e levar mais pessoas, mas ele nem se deu ao trabalho de respondê-la. Tenso. http://folhacentrosul.com.br/geral/3080/internauta-que-denunciou-problemas-no-zoologico-de-curitiba-e-perseguida-pela-prefeitura.

Anônimo disse...

Raven, será que você pode explicar melhor essa passagem sobre "foram meio que humilhados, aí eles resolveram que o melhor seria se afastar da página"?

Anônimo disse...

Tava me sentindo estranha aqui por não ver nada (*) de errado na página da Prefs e fico feliz que não sou a única.

(*) - sim, eles escorregam às vezes e eu já desci a lenha reclamando e nunca fui censurada.

A pessoa que escreveu a postagem me parece bastante antiquada (hipster, coxinha, não entender a dinâmica dos memes etc).

Anônimo disse...

A GRANDE denúncia é tão idiota que um monte de gente não percebeu que é a piadinha infame sobre o nome da churrascaria publicada na página pessoal do cara.

Anônimo disse...

A da churrascaria foi pra apelar.
Agora lésbica não pode gostar de pênis, viva a sexualidade humana gente!!! Posso namorar uma mulher e pegar uns caras aleatoriamente. Mas acho que eles não sabe disso

Anônimo disse...

Pro anônimo da camisinha feminina: Meu namorado foi no posto fazer os exames de DST's dele quando reatamos e eu já tinha feito os meus. Bom, não importa. A médica de lá deu vários preservativos femininos pra ele e ele me deu pra experimentarmos. Mas nós odiamos. Eu ficava paranóica com medo de sair e não dá pra ficar em qualquer posição tranquilamente. A experiência foi tão ruim, que um dia só tinha o preservativo feminino e preferimos ficar sem fazer nada. Acho a ideia do preservativo feminino genial, mas pelo menos os do posto de saúde, eu odiei.

Anônimo disse...

Até onde eu sei, infelizmente, pelo menos um hospital veterinário aqui de SP fechou esses dias...

Eu sinto a mesma revolta da Raven. A gente vota nesses lixos porque eles supostamente defendem animais, mas esse tipo de coisa acontece e cadê?

Bom, acho que isso é só o que se conhece por política...

Anônimo disse...

Desde quando só ser reaça é o problema?
Porque, né, pode ser babaca e abusar do próprio poder pra ameaçar e constranger, mas não reaça!
Aí já é vandalismo


Anônimo disse...

Karina, pelo que sei esses hospitais veterinarios de sp nao funcionam tao bem assim nao.

Lola, conta pra gente como voce se organizou depois do problema da identidade na viagem pra BA. :)

Maria Lia.

Karina disse...

Maria Lia, quando eu morava em SP funcionava bastante bem, foram inaugurados pelo prefeito Kassab. Justamente me mudei há dois anos, quando começou o mandato do Haddad. Se ele desativou um dos hospitais e o outro não está funcionando bem, isso é um absurdo! SP tinha uma política pública consideravelmente boa para animais de rua e domésticos de residências de baixa renda. A causa animal não tem visibilidade, de longe eu não poderia imaginar que o prefeito Haddad estivesse destruindo um projeto tão bom!

Anônimo disse...

Gente, sério, muito mal humor nesse post, a página da Prefeitura é boa sim, traz informaçãod e um jeito leve e descontraído.

A campanha contra abuso no ônibus foi uma boa iniciativa sim, e essa tentativa de invalidar no final ficou até um pouco ridícula.

No mais, teve um episódio de que gostei bastante. A página pisou na bola ao retirar um post engraçadinho sobre casamento gay (a pedido da Câmara de Vereadores) e depois reconheceu o erro e voltou atrás. Achei essa atitude bem bacana, porque quem reconhece que errou hoje em dia? O normal são desculpinhas no nível "desculpe se vc se sentiu ofentido".

E por mais que essa administração tenha problemas, ela, na minha opinião, é muito mais aberta que a anterior.

Aliás, quem mora no Paraná e fica aí falando mal do PT (pq realmente a vice do Fruet é do PT), mesmo vendo o PSDB desadministrando o Estado, olha...

Anônimo disse...

A página pode ser boba e sem graça, acho que até aí não há problema. Sempre vai ter gente pra gostar de tudo.

O problema é que, pelo relatado, houve um caso em que quem administra a página agiu de uma forma totalmente equivocada, constrangendo uma pessoa. Isso não é uma conduta correta nem do prefeito, que dirá de um pessoal que faz gracinha por ele.

Anônimo disse...

Dizer que a página teve uma ou outra conduta é equivocada é completamente diferente de dizer que a própria página é equivocada, reaça, coxinha ou seja lá o que for.

Anônimo disse...

OFF TOPIC

Gente do céu. Lola o post sobre mães solteiras, eu sei de que blog é, já tinha

lido algumas vezes, menina se vc ler o ultimo post que o menino colocou, vai

chorar, vai entender porque tanta fúria e ódio a mulheres, ele tem uma auto

estima muuuuuito pequena, acho que até as meninas que mandam relatos para você

falando que querem se matar tem uma auto estima 1000x maior que a dele, dá pena.
Mas ao mesmo tempo é pavoroso, porque mulheres com problemas agridem a si mesmas,

homens com problemas agridem os outros.
No caso deles, eles canalisam para as mulheres, é um sentimento de revolta por

não serem recompensados como pensavam que mereciam sabe?
É trágico como a maioria das mulheres cresce achando que não é digna de muita

coisa e homens crescem achando que TEM que ter o mundo a seus pés.

Anônimo disse...

sobre o caso da postagem do casamento coletivo que tinha sido retirada por pressão da bancada evangélica, o desfecho está aqui:
http://www.gazetadopovo.com.br/blogs/caixa-zero/prefeitura-volta-a-publicar-mensagem-que-irritou-bancada-evangelica/

aliás, procurando "prefs" na coluna do galindo, dá pra ver o responsável pela forçação de barra com a imagem do prefeito na página:
http://www.gazetadopovo.com.br/blogs/caixa-zero?s=prefs&cx=014606829777116571431%3A9apb6tjyjba&cof=FORID%3A11&ok=

o blackface ficou mais feio ainda por conta da vitória da acp contra o feriado. ao mesmo tempo a página combate o racismo em alguns casos, como os episódios contra os haitianos. às vezes é o tiozão oriundo do casseta&planeta, às vezes tem uma pegada didática igual a que a gente tem que ter nos jantares de família, não?
__

não sei dos coletivos feministas da ufpr pq faz tempo que saí de lá, mas a programação acadêmica feminista tá aqui:
http://www.generos.ufpr.br

sei que tem umas minas agora que têm até programa de rádio no prédio do dce. vc vai se encontrar logo, espero. =)

__

sobre camisinha feminina, colocando direitinho pra mim funcionava bem. é até mais fina, eu acho que diminui menos a sensibilidade. ela fica soltinha e não "gasta" tua lubrificação indo e voltando como acontece com a masculina. o grande problema é que tem que tirar logo (mas isso a masculina tb) e na hora de colocar, dependendo do grau de misoginia do teu parceiro, ele pode preferir não ver. e se ele tiver o pênis curto talvez vc tenha que segurar a argolinha externa aberta na hora da penetração. dito tudo isso, teste, coloque direitinho conforme as instruções, e decida. é uma questão muito pessoal, varia conforme o casal. com meninas é que nunca tentei usar. a dica é cortar a camisinha feminina no meio, formar com ela um tipo de tecido (a "sainha") pra tribadizar com segurança. essa é uma prática que acaba ficando só pra relações mais sérias no meu caso, contando com que a outra pessoa se previna nas suas demais relações.

Anônimo disse...

sobre a campanha "não toleramos abuso", um monte de fatos muito tristes vem junto. por eu ser uma feminista mais velha, que já fez parte do neg/ufpr, uma jornalista me ligou um tempo atrás pra falar contra um projeto de lei que criaria ônibus especiais para as mulheres. eu achei engraçado ela já ter em mente que uma feminista seria contra o projeto, porque tinha acabado de ler um texto da hailey kaas acusando as feministas de rifarem os direitos das trans, como se todas as feministas defendêssemos vagões e ônibus especiais, subentendendo imediatamente que trans não poderiam entrar.

eu indiquei pra repórter uma amiga que era do movimento passe livre antes do racha que teve aqui em curitiba (a mesma que havia me mandado o texto), mas ela não foi entrevistada, acho que queriam uma "acadêmica".

eu não tinha opinião formada sobre isso porque venho da periferia, e com 11-12 anos já sabia entrar no ônibus com os cotovelos pra trás, porque sim, todos os dias um homem vem se esfregar nas meninas, e eu os repelia com cotoveladas. funcionava. ficou muito fácil simplesmente jogar o projeto fora já que o proponente é um evangélico (que já foi cobrador de ônibus e presenciou muita coisa). acho que perdemos uma chance de união sobre esse ponto específico (mas será possível?) pra chegar a outra solução -- simplesmente dobrar o número de ônibus, sem pra isso pintar alguns deles de rosa, por ex.

então o projeto foi derrubado e a solução foi divulgar o telefone da guarda municipal, pra menina que está com medo de gritar sussurrar bem baixinho no celular, se ela tiver. a campanha tem vários problemas, começando pela mulher da "we can do it". essa é a imagem de uma propaganda pra chamar as estadunidenses a trabalhar nas fábricas de armas, suprindo temporariamente a ausência dos homens que estavam matando na segunda guerra. quando os rapazes voltaram, os empregos foram tirados delas. essa imagem conta uma história de mulheres sendo enganadas pelo governo através da publicidade, que puxa que ela tava na campanha publicitária da prefeitura.
mas a agência que fez essa foto mais uma vez não estava se referindo a isso. estava dando uma piscadinha pra marcha das vadias, que tb usa essa figura. então acho que não dá pra tacar pedra na publicidade quando a gente mesma abriu o precedente. só uma coisa em particular podia ter sido evitada: a modelo tem o bíceps muito mais fino do que a "we can do it" original. porra, usam o photoshop pra tanta coisa...

daí tb a gente sugere o que pra pôr no lugar? uma menina magricela de 11 anos, com cotovelos muito pontudos e uma bunda enorme, esticando os braços dobrados o máximo que consegue pra trás?

isso não seria transferir pras crianças e adolescentes, que é quem mais sofre assédio sexual, toda a responsabilidade?

então a agência de publicidade tem que fazer o quê? uma campanha incentivando os homens a não abusar, talvez. uma campanha indicando um número de denúncia que atenda sms e realmente funcione -- que agência de propaganda pode garantir isso? o que fica, pra mim, mais à vista é que certos problemas não se resolve com publicidade. a agência pode ficar semanas pesquisando (e fazem isso mesmo, com os métodos mais inacreditáveis), descobrir a raiz profunda do problema, só pra no final criar o cartazinho mais inofensivo possível, porque é o que vai criar menos problemas. não estou falando da página do facebook, mas de quem cria essas peças de propaganda à moda antiga. são duas coisas separadas.

uma coisa que ficou fermentando na minha cabeça é que, com as cobradoras de ônibus às vésperas de perder seus empregos, como já aconteceu nos ônibus menores (que agora só aceitam cartão-transporte), talvez elas devessem ser treinadas para interferir nesses casos, com aulas de defesa pessoal e de feminismo mesmo. ah, e dobrar o número dos ônibus nos horários de pico (que onde eu morava era o dia inteiro), já falei?

Raven Deschain disse...

Anon, não foi nem pela própria página. Foi pelos outros comentaristas. Coisas que todo mundo que lida com animaiz já ouviu... Tipo: trabalhar num asilo, creche, orfanato, whatever vcs não querem, mas na hora de cuidar de bichi ficam reclamando. Essas besteiras.

Patty Kirsche disse...

É, o Paraná é um estado bem conservador. Já estive em Curitiba umas duas vezes, tenho uma amiga que mora lá, mas não deixo de perceber uma levada meio paulistana, no pior sentido, por lá. E parece que é um pacote fechado, pois quando a pessoa é de direita na política, ela já fantasia que não existe discriminação contra nenhum grupo, que tudo depende de "escolhas" individuais e fecha o raciocínio. Eu não tenho muita paciência.

Anônimo disse...

Depois desta bobagem de Post, algo realmente que deveria nos mobilizar, enquanto feministas.
http://www1.folha.uol.com.br/mundo/2015/02/1587234-ex-escravas-relatam-rotina-de-horror-que-sofreram-com-faccao-radical.shtml

Anônimo disse...

Nessa coisa dos ônibus, considerando a violência, a problemática da coisa toda que inclui falta de confiança por parte das mulheres e capacidade de ae defender, bem como coisas a parte como sedentarismo e obesidade, não seria melhor incentivar gurias a praticarem artes marciais? Não falo aqui daqueles cursos fajutos de defesa pessoal que só servem para passar uma falsa sensação de segurança, mas acho que incentivar as gurias a praticar artes como Kickboxing, Muay Thay, Kyokushin ou até um Taekwondo mesmo, resolveria esses e muitos problemas, não apenas as gurias teriam capacidade de se defender, como principalmente teriam mais confiança para fazê-lo, além de serem mais saudáveis.

pe e cabeça disse...

Inusitado, foi exposta uma situação, houve uma generalização, houveram acusações sem provas, as pessoas estão debatendo violencia nos onibus, mas a pagina ficou estigmatizada como coxinha. O que existia antes? que tipo de comunicação havia? preferem a comunicação institucional seca e fria? ainda não entendi onde estão estas reclamações e rros, para a pagina ser coxinha imagino que ela deva ter inumeros post racistas, preconceituosos, algo fácil de provar.

Mas não, quem escreveu o gust post apenas reclama da reação da pagina em relação a uma denuncia sem provas, que é calunia e difamação ..

reclama o que as pessoas como pessoas fisicas postam o que não tem nada a ver com a pagina.

para mim são apenas reclamações sem conteudo. Se há problemas deveriam pesquisar melhor, ter mais embasamento, senão fica simplesmente: não gosto de capivaras, logo a pagina é para coxinhas, uma conclusão sem pé nem cabeça ..

Anônimo disse...

Tem que ensinar artes marciais pra mulher se defender????

Não, amigo, não tem. Tem que ensinar os homens a não praticarem violência.

Kittsu disse...

"Tem que ensinar artes marciais pra mulher se defender????

Não, amigo, não tem. Tem que ensinar os homens a não praticarem violência."

Tem que ser os dois. Afinal, não podemos contar com a boa-vontade alheia, apenas.

Anônimo disse...

Não é questão de boa vontade. É questão do que é o certo. O problema está na violência, logo, é a violência que tem que ser combatida.

Anônimo disse...

Oi Lola e anon das 07:23, sou eu a anon das 20:22.

Então, acho que o assunto é bem rico, eu mesma tenho curiosidade sobre a praticidade e o conforto que o preservativo pode oferecer ou não. Essa experiência de deixar de fazer certas posições já seria um empecilho pra mim.

Tb queria discutir sobre o preconceito do uso, pq tudo que é política de saúde voltada pra mulher é renegada né? Falando em controle de natalidade então....

Só de curiosidade... (se vc anon se sentir confortável de dizer, é claro), quais seriam essas posições?

Anônimo disse...

"Tem que ensinar artes marciais pra mulher se defender????

Não, amigo, não tem. Tem que ensinar os homens a não praticarem violência. "

Então tá, quando me molestarem em um ônibus ou na rua, vou oferecer uma flor ao estuprador e dizer meu amor, por favor, não faça isso, é errado.

Anônimo disse...

Eu não preciso que você ou ninguém me defenda, se enxerga!

E se você parar de agir como idiota, fingindo que o problema não está no agressor, mas está na vítima ser ninja ou não, já vai ser bom. De comportamentos como o seu, a sociedade já está cheia.

Kittsu disse...

"Não é questão de boa vontade. É questão do que é o certo. O problema está na violência, logo, é a violência que tem que ser combatida"

Eu entendi. Mas nem sempre um possível agressor vai ter a boa vontade em concordar com a não-agressão, em se conscientizar para não agredir. Tem que educar? Sim. Mas precisamos ficar passivas e indefesas enquanto esta educação não surte efeito? não.
ÓBVIO que aprender a se defender não deve ser um fardo que toda mulher TEM que carregar, pois nem sempre é possível/viável, e nem mesmo elas têm que QUERER. Não têm. Mas não deixa de ser útil até por outros motivos, como desestressar e se manter saudável.

Anônimo disse...

Já que desvirtuaram o post, Em israel são 3 anos de serviço militar obrigatório para homens e mulheres, gostaria de saber se alguem tem as estatísticas sobre estupros no pais, pois uma parte significativa da população feminina tem conhecimento sobre como se defender.

Anônimo disse...

Eu entendo, Kittsu, e acharia muito bom, adoro artes marciais. Mas, como a gente sabe que é comum (e você pode ver no comentário do outro anônimo), muita gente leva esse pensamento ao "vou dar beijinho no estuprador pra ele não te estuprar", como se a responsabilidade fosse toda da mulher, aquele pensamento de "não sabe se defender, aguenta".

Anônimo disse...

Eu também acho importante as mulheres saberem se defender, mas e as garotas que não tem como pagar aulas de artes marciais? e as garotas de familias conservadoras que acham feio "mulher que sabe fica batendo nos outros"?

Anônimo disse...

E as mulheres que nao querem, nao gostam?

Kittsu disse...

"Já que desvirtuaram o post, Em israel são 3 anos de serviço militar obrigatório para homens e mulheres, gostaria de saber se alguem tem as estatísticas sobre estupros no pais, pois uma parte significativa da população feminina tem conhecimento sobre como se defender."
=o
alguém tem dados sobre isso?
Suponho que não surta efeitos quanto a agressões contra crianças, idosas e deficientes. E nem contra familiares, que são a maioria. No geral deve ter um efeito bem limitado, só naqueles casos clássicos - E quando não envolve a diminuição da capacidade, tipo embriaguez ou sedativos ("boa noite cinderela").
É, acho que no geral é uma ação bem, bem limitada, e não serve como política pública para evitar a violência contra a mulher.
Mas não deixo de achar interessante, do ponto de vista do indivíduo. Ainda quero esses dados.

donadio disse...

"(Voltei de Buenos Aires hoje. Vou sentir saudades dos helados de lá. E também das empanadas)."

Lola, se você esteve em Buenos Aires e não comeu alfajores, então você não esteve em Buenos Aires...

Lésbica de Exatas disse...

Sou anon das 11:56
Fica a pergunta para pensarem: Se 20% das mulheres fossem totalmente capazes de não apenas se defenderem, mas espancarem um "macho comum", os machos teriam tanta confiança em mexer conosco nos lugares públicos?

Anônimo disse...

BEM EMPODERADOR esse "feminismo" que defende que os homens sejam educados e enquanto eles se educam, as mulheres passivamente esperam a boa vontade dos seus estupradores desenvolverem em si a consciência da gravidade de seus atos.

Vamos lá distribuir bombom pra vagabundo e ofertar-lhes consciência.

Anônimo disse...

Lola, se você esteve em Buenos Aires e não comeu alfajores, então você não esteve em Buenos Aires...

perdeu nada, os do Uruguay são infinitamente melhores.

Anônimo disse...

não seria melhor incentivar gurias a praticarem artes marciais? Não falo aqui daqueles cursos fajutos de defesa pessoal que só servem para passar uma falsa sensação de segurança, mas acho que incentivar as gurias a praticar artes como Kickboxing, Muay Thay, Kyokushin ou até um Taekwondo mesmo, resolveria esses e muitos problemas, não apenas as gurias teriam capacidade de se defender, como principalmente teriam mais confiança para fazê-lo, além de serem mais saudáveis.

Também acho, pela questão de autoconfiança principalmente. De conseguir manter a calma diante de uma situação de perigo, de saber que você pode sim agir com o que tiver à mão, inclusive seus punhos.

Se heterossexualidade não é indicativo de estupro, por que homens raramente são atacados por outros homens, fora de situações de confinamento? Porque presume-se que um homem tenha força o bastante para defender a si. É só por isso, porque estupro, como se sabe bem, não tem nada a ver com sexo e sim com poder. No momento em que as mulheres deixarem de ser princesinhas indefesas que precisam de um HOMEM para defendê-las, o cidadão vai pensar duas vezes sem a menor dúvida.

Lembrando que para quem sabe defender a si com a técnica correta, o fato do agressor estar portando uma arma não faz a menor diferença.

pp disse...

ai que preguiça desse guest post! nem se fosse na minha cidade eu teria paciência...

Anônimo disse...

Anon de 19:18, como você pode dizer que somos passivas só porque não somos praticantes de artes marciais?

Sério, é tanta idiotice que nem vale a pena...

Anônimo disse...

Bater num homem dentro do ônibus, desculpa te dizer, não vai acabar com o machismo. Você tem todo o direito de se defender, mas, como disse a Kittsu, isso não serve de política pública. Falar que isso resolveria muitos problemas é bem ingênuo, no mínimo.

Anônimo disse...

A página da Prefs tem seus defeitos sim, inclusive já se retrataram deles várias vezes mas daí a chamar de "coxinha", falar em hipster de uma forma negativa, associar com alienação, sinceramente é um exagero bastante grande e também concordo com quem disse que falta aí uma boa interpretação contextual da dinâmica dos memes de internet. Fora o preconceito exalado no guest post. Mas, diferente do que acontece no Facebook, a pessoa em questão dificilmente irá repensar e se retratar.

Anônimo disse...

O que é tribadizar?

Anônimo disse...

http://pt.wikipedia.org/wiki/Tribadismo

Anônimo disse...

Que preguiça, este post consegue ser mais preconceituoso que a página, com o acrécimo de ser pedante.
Erros e acertos acontecem, mas não se pode julgar todas as postagens e perfil da página alguns erros (caso do zoológico e da foto do blackface). Agora a página está cheia de comentários revoltados sobre as passagens e não está tendo nehuma censura.
Concordo que a pessoa que escreveu parece ter 90 anos. Não precisa ser hipster, coxinha ou adolescente para gostar da página e perceber como ela agrega os jovens para a cidadania, os levando a pensar mais sobre a própria cidade. É uma página boa, com resalvas, mas cumpre seu propósito.

Sou feminista, estou longe de ser coxinha e tenho mais noção que a escritora do post, pois quando não gosto de algo não preciso fazer um chilique e tentar denegrir em todos os níveis quem me desagradou. Um texto mais equilibrado sem tanto mimimi e julgamentos pessoais com certeza levaria a uma maior reflexão para os erros que foram cometidos pela página.

Anônimo disse...

Olá amiguinhas, que tal todo mundo parar por gentileza de usar o termo DENEGRIR? É racista, faz isso não tá legal? Bjinhos.

Anônimo disse...

Eu conheço uma pessoa que rouba terra e as frutas do zoológico de cwb e traz pra casa. Comofaz pra denunciar?

Anônimo disse...

Somos racistas, somos "coxinhas". Não venham para nossa CWB. Não são bem-vindos.

ANDRE GONÇALVES DA SILVA disse...


20 pessoas que se deram mal tentando bancar os engraçadinhos

http://www.mestresabe.com/2015/07/20-pessoas-que-se-deram-mal-tentando.html



meu blog de uma passadinha http://www.mestresabe.com/

aproveite e veja meu site de vendas

http://www.lojadomestreandre.com.br/