terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

FEMINISMOS EM PAUTA

Estou completamente sem tempo, agora que o semestre na universidade começou pra valer. Então hoje só vou deixar um texto e, principalmente, um vídeo, que saiu na Folha hoje.
O artigo fala sobre as ameaças que eu e outras feministas sofremos na internet. Já o vídeo, muito bem feito, mostra a gente lendo algumas dessas ameaças. Eu já tinha falado delas aqui, e quem acompanha o blog sabe do BO que tive que fazer no final de dezembro.

Aproveito para recomendar também esta matéria sobre os quadrinhos da Marvel, que recentemente transformaram Thor numa mulher -- uma mulher que dá um soco no vilão que lhe diz "Malditas feministas arruinando tudo!"
E a Revista de História da Biblioteca Nacional, em seu número mais recente, agora em fevereiro, trata sobre feminismos, no plural. Ela é vendida nas bancas de jornal e distribuída para todas as escolas públicas do Brasil. 
Amanhã farei o possível pra falar sobre a cerimônia do Oscar no domingo, que teve um discurso feminista. Aí eu recebo uns tuites dizendo "O feminismo morreu! Ninguém mais leva vocês a sério!".
Imagina se levassem, né?

40 comentários:

alexandre ferreira matos disse...

Boa tarde Lola! Lamento pelas ameaças sofridas. Infelizmente o radicalismo ainda impera em alguns setores da sociedade e não permite um diálogo sério. Passei a comentar nesta data em seu blog. O tema desperta meu interesse até pela sua complexidade. Eu fiz alguns cometários até com o intuito de aprender sobre o assunto, o qual eu confesso, ainda sou leigo. Em um destes comentários eu disse sobre a dificuldade que tenho em definir o que seja feminismo e machismo. Eu tento também enxergar alguns aspectos pela ótica do merchandising. Há mais mulheres consumindo, etc, etc, etc. Não sei se é verdade esta versão do Thor feminino( não tenho nada contra) porém, sem querer discutir mitologia nórdica, da qual sou leigo também, temos que Thor é o deus do trovão, filho de Odin, de forma que sua versão feminina só encontra respaldo no consumismo.

alexandre ferreira matos disse...

Há que se ressaltar que os quadrinhos tiveram seu ápice no período pós 2ª Grande Guerra. Várias nuances foram envolvidas como o ideário de liberdade, o anti nazismo, a ameaça de um conflito nuclear. Não vejo estas estórias como machistas, uma vez que retratavam uma realidade daquela época. É óbvio que a figura da super heroína ainda está atrelada ao fetiche, o que ao meu ver se volta mais uma vez para a questão sexual. Acho que dificilmente sairemos deste clichê. É importante salientar que o super herói também é retratado com exaltação ao seu corpo. Este culto às belas formas é explorado em ambos os gêneros.

Kittsu disse...

só pelo "damn feminists are ruining everything", eu vou até comprar os quadrinhos! mas se estiver barato, senão também eu não compro.
gostei mesmo hahaha

Lídia disse...

Eu acho que antes de mais nada, estes machistas babacas(desculpa a redundância) precisam aprender a ser minimamente educados.

Ninguém vai deixar de ser feminista por uma ameaça, vão é sentir mais repulsa a vocês e suas ideias.

Outra coisa, aprendam a passar a mensagem sem xingar. Por exemplo, quando se for falar de "mãe solteiras", ao invés de chama-las de lixo humano e os filhos dela de "esporrada alheia ambulante"(como se você não fosse uma, fosse um clone de si mesmos), digam simplesmente que preferem evitar se relacionar com uma, por não querer correr riscos da paternidade socio afetiva, que não gostam de crianças ou algo do tipo. Viram? Vocês não precisam ser burucutus raivosos, pra pregar suas "ideias"(mesmo que não concorde com elas)

Caio Marinho disse...

Pra galera que curtiu a Thor, recomendo o gibi da Ms. Marvel, com a Kamala Khan, uma super-heroína muçulmana, que também está saindo agora pela Marvel. E esse é escrito por uma mulher!

https://en.wikipedia.org/wiki/Ms._Marvel_(Kamala_Khan)

Pra quem se interessou, a criadora deu uma palestra aqui (infelizmente, sem legenda em português): https://www.youtube.com/watch?v=o9lev9739zQ

=)

Raven Deschain disse...

Thor é mulher, Batman é gay e Homem Aranha é preto! Deal with it!

Raven Deschain disse...

Caio a Kamala é maravilhosa. *-*

Julianatsume disse...

Eu li as quatro primeiras hqs da nova Thor e amei! Estou animada para ver minha nova queridinha arrebentando vilão anti-feminista. A história é bem legal, e sim, tal como os fanboys, os outros personagens estranham e ridicularizam o fato de Thor ser uma mulher.
A reação dos gigantes é engraçada, eles não acreditam que deixaram uma menininha magricela empunhar o martelo e um diz que talvez seja Thor transformado em mulher pelo magia de Loki kkkk . É tão humilhante Thor ser uma mulher que seria vergonhoso matá-la, eles pensam.
Mas eu gostei mesmo foi de uma das primeiras cenas, onde é narrado que Freya estava administrando o reino enquanto Odin estava fora. Ele retorna, encontra Thor todo deprimido e se irrita com a esposa dizendo: "isso é o que acontece quando deixam uma mulher no trono", ela vira pra ele e diz "mas ainda assim, as muralhas não foram derrubadas, que estranho, não?". Muito diva!

Anônimo disse...

Lola aparecendo no tv folha, ta ficando famosa heim!?

Um dia deixam de passar a novela das 9 para passar uma entrevista exclusiva contigo!

Panthro disse...

Já que estamos listando temas, essa matéria oi bem legal. E pelo visto as férias, foram boas, hein? Voltou preta!

Panthro disse...

E o burro esqueceu o link: http://www.buzzfeed.com/samimain/yes-all-knope#.ihaxYqz2b

Koppe disse...

É interessante notar que as mulheres nos quadrinhos Marvel e DC passaram a ter mais complexidade e a serem mais relevantes na década de 80, em pleno backlash que causava o contrário em outras mídias.

Quanto ao Homem Absorvente, ele é casado com a segunda mulher mais forte da Terra no universo Marvel, a Titânia. Uma personagem criada nos anos 80, pra suprir a falta de vilãs durante a saga "Guerras Secretas". Se não fosse o feminismo "arruinando tudo", talvez não tivesse demanda pra criação de uma personagem assim e ele nunca ia conhecer o amor da vida dele...

MonaLisa disse...

Lídia disse...
Eu acho que antes de mais nada, estes machistas babacas(desculpa a redundância) precisam aprender a ser minimamente educados.

Ninguém vai deixar de ser feminista por uma ameaça, vão é sentir mais repulsa a vocês e suas ideias [2]


Eu achei um disparate aquela delegada falar pra denunciar senão piora, primeiro pq a legislação não pune ninguém por ameaça e na delegacia e ainda fazem pouco caso, dizem pra não entrarmos mais na internet pra não arrumar confusão. tsc

Tu é super pacifista Lola, fosse eu já teria pago pra sumir com essas "coisas".

Anônimo disse...


Lola sou sua fã e feminista convicta, vou comprar a revista, até porque sou professora de História.

b) Lola a cultura do estupro é muito séria no Brasil, acabo de ver uma reportagem sobre trotes nas universidades paulistas, no jornal da Band, mulheres sofreram abusos e ainda foram discriminadas
coragem sua luta é nossa

Anônimo disse...

Lola, você é linda. :*

Anônimo disse...

Lola, te enviei um email. Espero que não tenha ido pro SPAM, rs.

Yas

Julia disse...

Essa Thor tem hq própria?
E a da Kamala já acha aqui no Brasil?


Quero comprar. E essa de história também.

Anônimo disse...

Machismo se aprende em casa. Por isso eu vejo esses relatos de machismo e me pergunto: Essas criaturas não têm mãe?

Acho q as mães podem ter um papel fundamental na eliminação do machismo, ao tomarem para si a responsabilidade de ensinar a seus filhos a verem as mulheres como seres humanos e não como propriedades.

Tomo como exemplo meu marido, q é filho de um dos maiores misóginos q conheço. No entanto, minha sogra sempre fez questão de afastar do filho dela essas idéias machistas, spre o ensinou a ver as mulheres como seres iguais, a respeitar a decisão delas, a ouvi-las. E essa moldagem do carater foi feito sem q houvesse o afastamento de pai e filho, apesar de pensarem de formas diferentes. Meu marido se dá super bem com o pai, são muito amigos, no entanto ele repudia todas as idéias, os conselhos e o modo de vida do pai, pois é um modo de vida machista, antiquado, q ele entende desde criança ser errado.


O q ocorre é q meninos tem seus valores sociais geralmente passado pelos pais e não pelas mães. Qdo o garoto entra na pré adolescencia, o pai, ou alguma outra figura masculina, toma pra si essa responsabilidade, a de ensinar ao menino "como ser homem" e assim perpetua-se o machismo.
E as vezes qdo não há figura paterna, o menino aprende nas ruas~, com os amigos, como lidar com as mulheres.

Ta-chan disse...

"MonaLisa disse...
Eu achei um disparate aquela delegada falar pra denunciar senão piora, primeiro pq a legislação não pune ninguém por ameaça e na delegacia e ainda fazem pouco caso, dizem pra não entrarmos mais na internet pra não arrumar confusão. tsc"

Tem que denunciar sim pq é através do numero de denuncias que se faz a primeira força pra mudar as coisas.Eu sei que fazer BO é a pior coisa do mundo, que os policiais não estão preparados pra acolher denuncias de violência de gênero e que efetivamente não dão em nada mas se as autoridades não tiverem esses números só vai servir pra dizerem que esse tipo de violência não existe.

PotiguarFeminista disse...

[Off- Topic] Cês já viram a última do Gustavo Guerra? Notei um burburinho nas redes sociais por causa de páginas racistas e tal, quando abro o link, lá está a foto do criador, nosso conhecido mascuzão >http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2015-02-23/pagina-que-faz-apologia-ao-estupro-e-ao-racismo-volta-ao-ar-no-facebook.html

lola aronovich disse...

Sim, Potiguar. Dei uma entrevista por telefone pra uma rádio gaúcha ontem de manhã. A batata desse neonazista mascu sancto tá assando. Ele será preso logo logo, pode ter certeza. Ele vai alegar insanidade mental, como sempre, mas acho que não vai escapar.

Anônimo disse...

"digam simplesmente que preferem evitar se relacionar com uma, por não querer correr riscos da paternidade socio afetiva, que não gostam de crianças ou algo do tipo."

Migs, não tente colocar palavras grandes na cabeça que contém uma mentalidade tão miúda ;-)

Anônimo disse...

"Tomo como exemplo meu marido, q é filho de um dos maiores misóginos q conheço. No entanto, minha sogra sempre fez questão de afastar do filho dela essas idéias machistas, spre o ensinou a ver as mulheres como seres iguais, a respeitar a decisão delas, a ouvi-las. E essa moldagem do carater foi feito sem q houvesse o afastamento de pai e filho, apesar de pensarem de formas diferentes."

Mesmíssima coisa com meu noivo. Minha futura sogra não é exatamente uma feminista, que se denomina assim. Mas é uma mulher independente, que ganhava o dela, que conciliou filhos, carreira e um marido bocó super machista mas que sobre ela não teve grande poder. Eles têm dois filhos, homens, e nenhum dos dois assimilou as asneiras machistas (redundância) do pai. Então sim, já que é mãe quem cria filho nesse país, então o lance é educar e empoderar essas mães para que elas identifiquem qualquer repercussão de comportamentos patriarcais em si e possam agir como agentes transformadores no lar e na educação das futuras gerações. Mais fácil que tentar dobrar a cabeça de um machista é ensinar e aliar quem ainda não é assim.

Anônimo disse...

O feminismo não morreu não, tá mais vivo do que nunca. Já não sou mais uma mocinha e desde meus tempos de estudante flower power que não vejo tamanha comoção no Brasil em torno do tema, é como se a segunda onda tivesse acabado de chegar aqui.

A parte lamentável da coisa é que o silenciamento continua, porém de uma forma muito mais agressiva e fortalecida graças ao coletivos de anonimidade. Fora do Brasil, à luz dos acontecimentos do GamerGate por exemplo, as mulheres ameaçadas encontram pouquíssimo respaldo aos ataques virtuais com profundo descrédito, basicamente as autoridades lavam as mãos e esperam o pior se concretizar. Aqui, temos recursos como a Ata Notarial, que permite uma excelente preservação de prova com fé pública, é possível processar fóruns, sites, blogs, até o Google e o Facebook e, ainda que dificultado, tem como chegar aos autores das atrocidades. O que não se sabe é se esse chegar ocorre em tempo hábil de evitar uma tragédia; creio que nem sempre.

É necessário que as pessoas ameaçadas façam valer seus direitos judiciais até para que uma jurisprudência de tribunais seja formada, facilitando assim defesas futuras e criando recursos instrumentais para coibir as agressões. É necessário aprender a não deletar provas antes delas serem preservadas, manter a calma e tomar as providências sem antecipar publicamente passos em favor desses mesmos agressores. Não é fácil mas estamos caminhando, iniciativas como essa entrevista são importantíssimas para tornar público o que acontece longe dos olhos da grande massa.

Se por um lado o feminismo é, de fato, plural, por outro cada uma das vertentes e escolas podem se unir em torno desse objetivo em comum, da judicialização de tais procedimentos e a organização de coletivos para a defesa desses direitos em massa. Temos mulheres advogadas, juízas, delegadas, desembargadoras, defensoras, membros do Ministério Público, policiais civis, militares e federais que devem ser aliadas à causa e chamadas ao dever. Sem essa organização de base o avanço tende a se retardar e, na minha humilde visão, passou da hora desse bom combate ser organizado à despeito das diferenças entre os vários feminismos.

Anônimo disse...

Em vez de inventar novas heroínas, que sejam interessantes e sensuais sem serem objetos sexuais patéticos, eles pegam um ícone masculino e simplesmente mudam o gênero, pra usar a popularidade e o nome como um atrativo. Não acho que isso seja algo a ser celebrado.

Vou continuar com a minha Tempestade que eu ganho mais...

Carol disse...

Não sei nada sobre a nova Thor, mas achei praticamente um deboche essa frase "damn feminists are ruining everything" seguida de uma porrada da heroína... não me pareceu ter sentido nenhum com a frase anterior, como se fosse só um artifício pra poder colocar feminismo na história e mostrar que feministas são mulheres malucas.

Quem já leu pode me esclarecer? Ela não nasce assim e pronto, chamada Thor? Ou ela é substituta de um Thor?

Anônimo disse...

Carol,

A moça é uma substituta do Thor, e ainda não teve a identidade secreta revelada.
Outra coisa, não é irônico ela bater no Homem- ABSORVENTE?

Marcia Baratto disse...

Oi Carol, tudo bem? Li pouco dessa nova HQ, mas vai aí o que sei

Essa nova Thor é uma substituta, vale a pena lembrar que outras mulheres já empunharam o martelo do Thor (incluindo a Mulher Maravilha num crossover entre marvel e DC). Ainda não se sabe a identidade secreta dessa Thor, mas possívelmente é uma mulher da sua família.

A frase no contexto acho que é uma 'tiração de onda com os 'mascutrolls', colocando-os como inimigos fanáticos. Até onde li, essa HQ tem algumas coisas interessantes, os desenhos são bons e se ainda entregam um pouco de fã service, pelo menos ela não está praticamente despida e nem é anorexica.

Vale a pena lembrar que a Marvel deu algumas declarações nos últimos meses se comprometendo a retratar mais mulheres como heroínas, depois da polêmica capa com o Milo Manara na HQ da mulher aranha, haverá inclusive uma mulher de ferro para substituir o Stark em um dos mundos alternativos.

Ainda sim... bhá, acho que não tem muito jeito a representação feminina no universo tradicional das Hqs, são machistas ao extremo. Ainda preciso ler com a minha sobrinha as histórias da mis marvel islâmica para ver se há alguma esperança... Conhece essa?

Um abraço.

Carol disse...

Anon e Marcia, obrigada por me responderem. Isso muda a minha visão, achei bacana. Também procurei imagens dela, gostei dela ser relativamente musculosa. Obrigada pelos esclarecimentos!

Carol disse...

Não conheço, Marcia, mas vou atrás. Pelas imagens, não me pareceu super sexy ou coisa assim, já é uma coisa boa que uma heroína não precise ser objeto de leitores pra ser relevante :)

Anônimo disse...

Eu sou a única que não vê vantagem na versão feminina de heróis homens?

Por que não fazem um Homem-Maravilha?

Anônimo disse...

Bom, tomara que mostrem cada vez mais mesmo a verdadeira cara desses babacas; mostrar que são uns imbecis patéticos, uns monstros, uns mimadinhos com delírios de grandeza mas que não passam de losers bundas-moles incapazes de crescer e encarar a vida como ela é.

Quanto aos tais quadrinhos, se os fanboys indignados não querem saber de mulheres heroínas que não sejam material p**etístico, não comprem. Pronto. Acabou. Até porque ninguém liga pros seus chiliques. A editora só faz alguma coisa quando o dinheiro para de chegar nos bolsos deles. Ou, no caso contrário, quando entra a grana nos bolsos deles.

Desde que a DC começou com os novos 52 eu não compro mais. Não vou ficar de mimimi na internet ameaçando machista de estupro e morte, eu vou é atacar onde realmente dói: no bolso dos editores. Não compro. Mas adoro o novo Homem Aranha e seus personagens. Toda mês tem meu trocadinho reservado pra comprar. Encho o rabo da Marvel de grana mesmo, porque na minha opinião eles merecem. It's this easy guys!

Vocês, mascus chatos, vão arrumar uma louça pra lavar, uma trouxa de cueca pra botar na máquina, um jantar pra fazer ou um cama pra arrumar. Estudem. Arranjem emprego. Pratiquem caligrafia. Montem quebra-cabeças. Leiam jornal. Se vistam de Carmen Miranda e saiam pelas ruas cantando tico-tico no fubá. Sei lá, façam alguma coisa que tenha sentido na vida.

Marcia Baratto disse...

Não fazem um homem maravilha por que há o super, ora bolas. Qual necessidade de se dizer que um homem é tão capaz quanto uma mulher?

Fazer um 'homem' ocupar o lugar de uma heroína teria que assumir outro significado, mas vamos por partes: por acho legal que mulheres ocupem o manto de super-heróis.

Quem realmente lê hqs a algum tempo sabe que super heróis, em sua grande maioria, são mais entidades, personas do que apenas uma pessoa. São ideais personificados, digamos assim.

Daí ser tão importante que mulheres, gays, negros, latinos, asiáticos, mulçumanos, hindus assumam a responsabilidade dessas personas, por que isso diz bastante sobre a igualdade que almejamos.

Thor também pode ser enquadrado nessa categoria de herói-persona "aquele que for digno, empunhará o martelo, e terá o poder de Thor", repito: sequer é a primeira vez que uma mulher assume o martelo, isso já aconteceu inumeras vezes desdes os anos 60 (a própria tempestade, ora bolas, já assumiu o martelo, o que faz todo o sentido, já que ela é a tempestade!!!), a jane foster, a mulher maravilha (crossover), e por aí vaí...

Já que para empunhar o martelo, é preciso ser digno do poder de Thor e nada mais.

Óbvio que o machistas de platão vão se incomodar com isso, afinal como é que pode uma mulher assumir a figura de um herói?

Mas esse argumento furado a gente já conhece... Mulher, esse ser tão inferior, não pode ocupar o lugar de um homem.


O legal da história do Thor, é que só impunha o martelo que for digno, daí a tamanha importância de que outras pessoas assumam a persona do herói, existe uma valoração positiva desse ocupar o lugar, que eu acho legal.

Afinal, uma mulher pode ser tão digna quando um homem, não é mesmo?

O contrário, vestir a pessoa de uma heroína, com um 'homem' (no sentido de socialmente reconhecido como do gênero masculino), também poderia acontecer: e seria maravilhoso para todxs xs trans, drescode, e mais!!

Nesse sentido, se um homem ocupar o manto de uma mulher, para dizer que ele é tão digno quando uma, acho que seria o máximo, alguém conhece uma história assim?

Bora lá fazer campanha para um homem assumir o laço da diana, seria ótimo para ampliar ainda mais a nossa compreensão sobre os papéis de gênero e como exercer várias formas de sexualidade não interfere em nada na dignidade humana e nem na capacidade moral de fazer o bem.

Paulo Marreca disse...

Lá fora parece ocorre o mesmo fenômeno. Vi esse post na NPR e lembrei do teu blog.
"A Toxic Stew: Risks To Women Of Public Feminism" http://www.npr.org/blogs/13.7/2015/02/26/389233371/a-toxic-stew-risks-to-women-of-public-feminism.
"Feminist writers are so besieged by online abuse that some have begun to retire."
http://www.washingtonpost.com/opinions/online-feminists-increasingly-ask-are-the-psychic-costs-too-much-to-bear/2015/02/19/3dc4ca6c-b7dd-11e4-a200-c008a01a6692_story.html
Returning to my lurker status.

Anônimo disse...

"Não fazem um homem maravilha por que há o super, ora bolas. Qual necessidade de se dizer que um homem é tão capaz quanto uma mulher?"

Errado.

Existe o Hulk e a She-Hulk
Existe o He-Man e a She-Ra
Existe o Superman e a Supergirl
(posso colocar aqui uns 15 exemplos sem pensar muito e outros tantos usando o Google)

Logo, mantenho a pergunta: por que não existe, então, o Homem-Maravilha?

Paulo Marreca disse...

Ué, o Captain Marvel não é o Homem-Maravilha?

Pryscila disse...

ADOREI as referências que você passou nesse post, Lola!!! Beijo!

Marcia Baratto disse...

Anônimo, ai que preguiça... lê o comentário inteiro que você entende.

Koppe disse...

Pro pessoal que quer ver um Homem Maravilha, pesquisem no Googl Imagens por "DC Earth 11", um dos universos alternativos da DC.

http://dc.wikia.com/wiki/Dane_of_Elysium_%28Earth-11%29

donadio disse...

"Thor é mulher, Batman é gay e Homem Aranha é preto! Deal with it!"

Mas todos fazem a apologia da violência, de forma que o machismo nosso de cada dia continua firme e forte...