sexta-feira, 11 de julho de 2014

NÃO SOU JUDIA, OBRIGADA

Eu e meu pai, décadas atrás
Por causa do meu lindo sobrenome (Aronovich) por parte do meu lindo pai (morto há 21 anos), muita gente me pergunta se sou judia. Não, não sou. Já escrevi algumas vezes sobre isso: fui católica por um breve período da minha vida; há mais de três décadas, sou ateia.
Mas tem gente que nem pergunta e assume que sou judia. Pior: insiste. 
Nada contra ser judia (muito contra ser pró-Israel, um estado bélico e imperialista; eu sempre fui pró-Palestina). É só que eu não sou. É meio como ser chamada de lésbica, com a diferença que as lésbicas não costumam invadir e bombardear outros países. Respeito e admiro muitas lésbicas, mas não faz parte da minha identidade. 
Fórum nazista falando de mim
(clique para ampliar)
Por que, afinal, tem mascu espalhando que sou judia? Simples. Porque tem muito mascu que é neonazista. Eles acreditam numa conspiração, uma nova ordem mundial, em que todas as líderes feministas são judias e que o feminismo é financiado pelos judeus. Como essas idiotices são sempre ditas por anti-feministas, o antissemitismo de quem as diz fica evidente. 
Por isso, reaças xingam feministas (e outros ativistas sociais) de "idiotas úteis". Porque ora embarcamos nessas como imbecis, sem saber nada, ora estamos sendo pagas pelos judeus pra destruir o mundo. Sei lá, pra mim idiota útil é gente que nunca será rica lutando pelos interesses dos bilionários de qualquer religião. A propósito, os cheques do George Soros e da família Rotschild ainda não chegaram este mês.
Há poucos judeus no mundo, cerca de 13 milhões. E como definir quem é ou não judeu é uma questão controversa. Na definição de Hitler (e eu juro que mascus citam Hitler), qualquer pessoa com um avô judeu seria judia. E seria perseguida e executada. Entendo perfeitamente que judeus discutam quem é ou não é judeu. Mas por que antissemitas discutiriam isso, a não ser para delinearem melhor seus alvos de ataque?
Se você vê judeus como uma raça (como fazem os neonazis) ou como um povo (hebreu, filhos de Israel), não uma religião, então qualquer um que, dois mil anos atrás, foi filho de Aabrão, Isaac e Jacó, é judeu. É como ser brasileiro: não envolve nenhuma crença nem comportamento. Se você nasce no Brasil, você é brasileiro. Acontece que, no caso dos judeus, que só passaram a ter um país há poucas décadas, isso se complica um pouco. 
Meu amado pai me
carregando na praia
Quem é judeu? Em linhas gerais, um judeu é qualquer pessoa cuja mãe é/era judia, ou qualquer pessoa que passou pelo processo formal da conversão ao judaísmo. Meus avós, ucranianos que imigraram para a Argentina antes da Primeira Guerra Mundial, eram judeus. Eles não seguiam os costumes judaicos (eram ateus comunistas), mas, pela definição ortodoxa, eram judeus. Assim como meu pai. Como a mãe dele era judia, ele automaticamente era judeu, por mais que nunca tenha se identificado como tal. 
Meu pai e eu no Maracanã. Na época,
a gente torcia pelo Flamengo
E euzinha? Bom, minha mãe é católica. Como o judaísmo é passado pela mãe, eu não sou judia. Sem falar que eu adoro bacon. 
Isso não importa: se estivéssemos na Alemanha nazista ou em países invadidos, eu bem provavelmente seria enviada pra um campo de concentração. Pelo meu sobrenome, ou por ser feminista (pois é: quem a direita chama de feminazi é quem seria perseguida pelo nazismo. Ou seja, tem muito neonazi chamando feminista de feminazi. Seria um elogio?).
Eu fui atrás de informações sobre se, e como, eu poderia ser judia. Encontrei e traduzi isso: "Uma pessoa pode ser judia por nascimento ou conversão. Tradicionalmente, o status judeu é passado pela mãe, não pelo pai. O Torá [livro sagrado dos judeus] proíbe uma mulher judia de se casar com um homem gentio. Mas, se ela se casar, seus filhos ainda serão judeus. 
O Torá também proíbe homens judeus de se casarem com uma mulher gentio. Mas, se ele se casar, seus filhos não serão judeus". Tipo: meu pai, judeu, se casou com uma mulher gentio. Logo, seus filhos (eu inclusa) não são judeus. 
O site continua: "É importante notar que ser um judeu não tem nada a ver com o que você acredita ou o que você faz. Uma pessoa nascida de pais não-judeus e que não se converteu, mas que acredita em tudo que judeus ortodoxos acreditam, e segue todas as leis e costumes do judaísmo, ainda é uma pessoa não-judia, até aos olhos dos mais liberais movimentos do judaísmo. E uma pessoa nascida de uma mãe judia, mas que é ateia e nunca praticou a religião judaica ainda é judia, até mesmo aos olhos dos ultra-ortodoxos". Ou seja, meu pai não tinha escapatória mesmo. 
E mais: "Neste sentido, judaísmo é mais como uma nacionalidade que como outras religiões, e ser judeu é como uma cidadania. […] Ainda que todos os movimentos judeus concordem nesses princípios gerais, há disputas ocasionais acerca de um indivíduo em particular ser judeu. A maior parte dessas disputas entra em duas categorias.
"Em primeiro lugar, o judaísmo tradicional mantem que uma pessoa é judia se sua mãe for judia, independente de quem seja seu pai. Os movimentos liberais, por outro lado, permitem que o status judaico seja passado através da mãe ou do pai, se a criança se identificar como judia. 
"Por exemplo, de acordo com o movimento reformista, o ex-jogador de baseball Mike Lieberthal, que tinha um pai judeu mas escolhe não ser identificado como judeu, não seria judeu, mas a ex-congressista Gabrielle Giffords, que tinha um pai judeu e adotou uma identidade judia quando adulta, seria considerada judia. 
"Por outro lado, o filho de um pai cristão e uma mãe judia que não se identifica como judia seria considerado judeu de acordo com o movimento ortodoxo, mas não de acordo com o movimento reformista. A questão se torna ainda mais complicada, porque o status dessa criança com duas crenças também é trazido à tona.
"Em segundo lugar, os movimentos mais tradicionais nem sempre reconhecem a validade das conversões feitas pelos movimentos mais liberais". 
Pra mostrar como a questão não é simples, traduzi uma pergunta de um homem a um rabino: “Minha mãe era protestante. O pai do meu pai era católico, mas sua mãe era judia. Minha família sobreviveu ao holocausto na Europa, com grande esforço. Sei que pela lei judaica tradicional não sou judeu, mas sinto que me qualifico muito a ser judeu. Leio livros sobre judeus. Apoio Israel. Até tive um bar mitzvá [cerimônia que marca a maturidade religiosa no judaísmo]. 
"A pior parte é que as pessoas que me dizem que não sou judeu são os rabinos! Eles dizem que eu teria que me converter ao judaísmo. Não entendo por que dizem isso. Minha família sobreviveu às piores atrocidades na história dos judeus. Como posso me converter, se eu já sinto que sou judeu...”
O rabino dá uma resposta longa. A parte que importa: “A criança cujo pai se casou fora da religião do seu povo ainda pode reclamar a herança de seu pai. Seu desafio é maior que o da criança cuja mãe é judia. Neste caso, cabe a este filho decidir se ele quer se comprometer a se unir ao povo de seu pai e de realizar as obrigações que o Torá exige. Ele também precisa ser circuncidado e ser imerso num mikvah antes de um bet din qualificado”. 
Outra pergunta, para um outro rabino: “O judaísmo reformista exige a conversão quando só o pai é judeu? O pai do meu noivo é judeu e sua mãe não é. Ele foi criado como judeu e se identifica como judeu. Eu não sou judia. Quando tivermos filhos, queremos criá-los como judeus. Uma congregação reformista considerará nossos filhos judeus baseados no meu noivo? Eu precisarei me converter para que nossos filhos sejam considerados judeus? Nossos filhos precisarão ser converter?”
A resposta: “Você pergunta se uma congregação reformista consideraria judias as suas futuras crianças apesar de você não ser judia e do seu noivo ter apenas um pai judeu. A resposta é sim. Em 1983 a Conferência Central de Rabinos Americanos (a organização de rabinos reformistas) adotou uma resolução sobre o status de crianças de casamentos mistos. 
"A resolução afirmava que o movimento reformista aceitaria como judias as crianças com apenas um dos pais judeus (pai ou mãe), desde que os pais confirmassem a identidade exclusivamente judaica da criança com 'os atos de identificação apropriados à fé judaica e a seu povo. […] Judeus conservadores e ortodoxos iriam exigir conversão para que seus filhos fossem considerados judeus. Pelos seus padrões, apenas filhos de uma mãe judia ou que se convertam podem ser considerados judeus.” 
O mesmo rabino responde à outra pergunta, de um homem cuja avó era judia, mas mais tarde virou cristã. Ele quer saber se poderia ser considerado judeu pelos reformistas (já que, pelos ortodoxos, sem chance: só se a mãe for judia). O rabino diz que a posição do Movimento Reformista em 1983 causa algumas confusões -– muita gente pensa que bastaria algum ancestral judeu para ser judeu. Mas não é assim, diz o rabino: precisa ser criado como judeu. “Para aqueles sem dois parentes judeus, ou sem um parente judeu e uma criação judia, a maioria das comunidades e rabinos reformistas exige uma conversão formal como uma pré-condição para a identidade judia”. 
Mais uma pergunta, a última, juro. “Minha mãe não era judia, meu pai é. Fui criada como judia reformista e me identifico como judia. Se eu tiver filhos com um homem considerado totalmente judeu, como eles seriam vistos aos olhos de Israel e da comunidade judaica americana?” 
Um rabino responde: “Os movimentos reformistas aceitam que um pai judeu pode passar seu judaísmo a seus filhos, mesmo que a mãe não seja judia. Isso é conhecido como 'descendência patrilínea', mas não é automático. Geralmente, os rabinos nesses movimentos exigirão atos de identificação judia da parte da criança para aferir o status judeu”. A resposta completa, que não vou traduzir, é bem bacana. Parece que a “Lei do Retorno” permite que ela seja vista como judia por Israel. Ter um só avô judeu já permitiria isso. Mesmo assim, o rabino daquela pessoa ainda seria consultado para ver se ela segue os costumes judaicos. 
Eu, meu irmão, meu pai, e um símbolo
judaico ao fundo -- opa, é uma árvore
de natal!
Os casos de pessoas que se identificam como judias, que têm pai judeu, que foram criadas como judias, mas ainda assim não são vistas como judias aos olhos de judeus ortodoxos, são bem mais sérios e comoventes que casos como o meu -- de uma mulher não judia que é apontada como judia por neonazistas. 
Pra resumir, eu não tenho como ser judia. Eu teria que ter uma mãe judia ou um pai judeu que me criasse numa família com costumes judaicos. Pra que eu fosse judia, eu teria que me converter a esta religião. Assim como qualquer pessoa não judia. 
Se eu gostaria de ser judia? Não, obrigada. Ao escrever este post, vi que, pra se converter ao judaísmo no movimento ortodoxo, é preciso que três homens judeus validem essa conversão. Uma oração comum entre esses homens é agradecer a Deus por não ser mulher. 
Quer dizer, se eu precisasse de uma religião, não seria uma que vê mulheres como inferiores aos homens. Eu me sinto muito livre por não ter qualquer religião. Conhece “Imagine there's no heaven, it´s easy if you try”? É o que eu vivo, e muito bem, desde os meus 13 anos. 

98 comentários:

Anônimo disse...

que texto interessante! sempre tive duvidas quanto a essa definicao de "ser judeu", se era questao de nacionalidade ou religiao, ou ambos, ou nenhum.

mas fiquei com uma duvida ao fim do texto: sendo o Judaismo (religiao) visivelmente machista, por que nao eh apenas a mae que transfere o "ser judeu" para a crianca? Sendo a mulher um ser de "classe inferior" dentro da religiao, por que so ela pode transferir a identidade pros filhos?

Suponho que seja pelo mesmo motivo pelo qual o Judaismo e suas religioes derivadas (Cristianismo) defendem a virgindade ate o casamento, com enfase na virgindade da mulher, justamente pois o homem (ou "seu senhor") tera certeza de que seus herdeiros sao realmente seus filhos.

Alguem confirma?

Anônimo disse...

Adoro Jerry Seinfeld.

Karol Ribeiro disse...

“Imagine there's no heaven, it´s easy if you try”

Leio o blog todos os dias mas quase nunca comento..
Lolinha, muuito obrigada, a cada dia que leio seu blog tenho mais certeza do quanto você ajuda as pessoas; inclusive a mim. Fui criada na igreja católica (apesar de religiosa, minha mãe é uma das pessoas mais liberais e sem preconceito que já conheci), mas ultimamente percebi que a igreja católica não representa mais minha forma de pensar- aliás, igreja nenhuma representa. Acredito em um Deus; em um ser de amor e bondade, mas me recuso a acreditar num Deus que castiga, julga ou segrega. Minha mãe foi casada por 25 anos com meu pai - que por sinal sempre foi um pai e marido péssimo, agressivo, viciado em jogos e bebida - e depois de divorciada, pela definição católica ela não pode comungar pois está vivendo "em pecado". Oi? Sim, é sério. Parei de acreditar em religiões, hoje acredito que o Deus que mora em mim é aquele que apoia as escolhas e crenças de cada um, que não julga e que entende quando digo que 'Não aprendi a perdoar'. Enfim.. obrigada mesmo Lola...

Anônimo disse...

Todo mundo sabe que vc serve a ideias sionitas Dolores.

Anônimo disse...

Israel e um pequeno país cercado por inimigos por todos os lados, que querem dizima-los da face da terra. A única opção que eles tem e se defenderem. A Geo politica daquela região e muito complexo, devido ao petroleo (abre o olho Brasil, equipe bem suas forças armadas)e todos conhecem bem a "tolerância" islamita. Aquele povo se mata há 5 mil anos, sunitas e xiitas fazem atrocidades uns com os outros, e com minorias como os curdos(todos que viveram os anos 80, se lembram de Sadan usando gaz mortal contra vilas curdas)Cristão são perseguidos como ratos, na atual guerra da Siria, vilas inteiras cristãs estão sendo massacradas, são torturas, crusificações e estupros em massa,nas ultimas semanas, rodou o mundo a imagem de rebeldes sirios,matado um casal em uma vila cristã, enquanto sua filhinha de 4 anos assistia acorrentada, depois arrancaram o coraçãozinho dela ainda viva. No Irã, um jovem que se converteu ao cristianismo, foi condenado a forca(nós cobra ter tolerância com eles, mas eles não tem nenhuma conosco)
Portanto antes de se declararem contra Israel(e pró grupos terroristas como o Fatah e o Hamas, que usam crianças como escudo)estudem um pouco a geo politica da região, e vejam o que espera israel se fraquejarem, e o povo judeu sabe historicamente muito bem, o que lhes acontece se não resistirem e lutarem para sobreviver.

Anônimo disse...

Essa questão da mãe judia é uma coisa muito louca porque, apesar dessa regra seguida à risca pelo judeus ortodoxos, a bíblia é toda patriarcal. Em resumo: judeus são os descendentes de Abraão. Porém, Sara, a mulher de Abraão (e mãe do Isaac), não era descendente de Abraão e, portanto, não tinha como ser judia (mas Isaac, seu filho, é). O mesmo com a mulher do Isaac, Rebeca. Isaac e Rebeca não eram irmão, portanto, ela não era descendente de Abraão, nem judia. Mas seus filhos (com Isaac) são judeus. Vai entender...

Anônimo disse...

A Primeira vitima da guerra, e a verdade. Veja este link Lola, e me diga quando soldados israelenses usam chinelos e fuzis AK 47(O padrão deles e o M-16)https://scontent-b-mia.xx.fbcdn.net/hphotos-xap1/t1.0-9/10532473_720192881371859_5135612924933536559_n.jpg

Anônimo disse...

A maioria dos masculinistas/realistas, e de direita cristã, e repudiam o nacional socialismo, ou partido nacional socialistas dos trabalhadores alemães, nome oficial do partido nazista. Quem e neo nazi, são os gatos pingados sanctus.
realistas/masculinistas repudiam também a chamada direita liberal, a quem chamam de "direita canhota' o pau quebra entre eles no Facebook.

Anônimo disse...

Quando se deu a ascensão nazista, pois, o partido nacional socialista fez um verdadeiro milagre econômico na Alemanha, um estado constituído de famílias destroçadas, talvez a principal base da ascensão de Hitler, (valendo-se da “democracia”.), foi a demagógica promessa de um marido para cada mulher (em um país onde os homens foram mortos na guerra ou em conflitos internos por intermédio da miséria; e com um “excedente” de mulheres, foi fácil subir ao poder pelo voto com uma proposta dessas; e de onde ele tiraria essa rapaziada eu não sei!). Outro fator foi o anti-semitismo, e isso é que gostaria de explanar antes de voltar ao assunto…*Considerando a etimologia da palavra, anti-semitismo significaria aversão aos semitas. Que segundo a Bíblia, são os descendentes de Sem, filho mais velho de Noé. (grupo étnico e lingüístico que compreende os hebreus, os assírios, os arameus, os fenícios e os árabes.). “Mas no caso em particular do que se pretende explanar: Os judeus.”…Uma das justificativas para o anti-semitismo era a de que a culpa da miséria germânica provinha dos judeus, essa propaganda ganhou força devido as massa miseráveis verem a comunidade judaica em uma situação financeira mais confortável. (apesar de quem mais lucrar com uma guerra são os banqueiros; e muitos judeus o são!) agora acompanhem essa linha de raciocínio: Os judeus seguem um código moral de conduta (digo apenas dos que realmente são tementes a Deus.), não gastam dinheiro com bebidas, nem prostituição, evitam confusão mantendo assim suas famílias a salvo, enfim, procuram zelar pelo seu patrimônio e família, os outros que fizeram a guerra e gastaram suas finanças e destruíram seus bens, multiplicaram-se de forma desordenada deixando muitos na rua, ao verem os outros numa situação mais confortável trataram de tomar o que era de outrem. Esperavam o que? …O líder nazista Hitler era satanista (satanista como o alto comando nazista também o era.), Ele pertencia a uma sociedade secreta denominada A ORDEM DO NOVO TEMPLO fundada por Adolf Luanz Von Lebbenfelds, que foi ligada á outra organização secreta Tulle Geslschaft, e à sociedade do Vrill, ambas com ramificações na Inglaterra através da sociedade secreta Golden Dawne (Aurora Dourada). Da mesma forma que Aleister Crowley que era a favor da liberação sexual e coisas do gênero. Por isso a vontade de exterminar os judeus “patriarcalistas”.
_” O Cristianismo é uma invenção de cérebros doentes.” (Adolf Hitler.)
_ “A grandeza do Cristianismo não repousa nas tentativas de negociação por compromisso com quaisquer opiniões filosóficas no mundo antigo, mas em seu inexorável fanatismo em pregar e lutar por sua própria doutrina.” (Adolf Hitler.)
_ “Os judeus sempre foram um povo com características raciais definidas e nunca uma religião.” (Adolf Hitler.)
_”Quem disse que eu não estou sob a proteção especial de ‘deus’?” (Adolf Hitler), (só que ele não falava abertamente qual “deus” ele servia! Mas que ele servia ele servia.)
_ “As mulheres possuem seu próprio campo de batalha. Com todas as crianças que elas trazem ao mundo, lutam uma batalha pela nação.” (Adolf Hitler.)

Anônimo disse...

O próprio Hitler dizia que, para se conquistar famílias para a causa nazista, era melhor investir na mulher, pois esta quando nazificada guiava por tabela os filhos para a causa e deixava o homem do lar isolado, a ponto de este só aderir a tal absurdo para não ficar isolado dentro do lar.

Julia Scherer disse...

Olá, Lola, tudo bem?
Essa é a primeira vez que saio do posto de observadora (assídua, devo dizer!) de seu blog e comento.

Sei que você deve ter um trilhão de coisas para fazer, mas vejo que o tema do judaísmo te interessa, então queria te intrigar um pouco com algumas informações, caso você queira se aprofundar mais no entendimento do judaísmo (que nem sequer tomo como religião, veja só!)

Sou:
- mulher
- judia, mas não religiosa
- ateia
- feminista
- sionista (!!! Como assim?? Pois é, essa é uma palavra complicada)
- socialista
- pacifista
- extremamente consciente das definições que descrevi, por processos de pesquisa, leitura, vivência, crítica e análise constantes.

O site que vc escolheu para pesquisa desse post é válido, mas bastante restrito em termos de produção cultural judaica. Recomendo então alguns nomes e materiais legais:

Amos Oz - esse cara é o máximo. Escritor israelense de esquerda, sionista e pacifista. Veja a entrevista com ele no Roda Viva: https://www.youtube.com/watch?v=QNpag6yirBI

Conexão Israel: site mantido por brasileiros judeus que moram em Israel. Muitos colunistas de esquerda, mas nem todos. http://www.conexaoisrael.org/

A Mamita Hebrea: comediante judia, fala sobre sua identidade (é bem curto!) https://www.youtube.com/watch?v=nr1Fodw1UZQ


PS: ah, importante destacar! Deixo claro que minha intenção ao escrever nada tem a ver com argumentar sobre sua identidade pessoal, que foi o tema do post! Haha, só compartilho aqui perspectivas com as quais você provavelmente não tem muito contato e podem ser de seu interesse! Grande abraço, obrigada pelas postagens!

Teresa Silva RJ disse...

Não sei se é verdadeira essa história que é contada na peça de teatro A alma imoral, baseada no livro do rabino Nilton Bonder e encenada por Clarice Niskier: contam que o povo judeu passou a considerar como judeus os filhos de mãe judia por que as judias eram estupradas por bárbaros, invasores e inimigos dos judeus. Eles faziam isso para engravidar as mulheres e fazer com que nascessem gentios entre os judeus, como forma de diminuir o número desse povo. Para evitar isso, os judeus deixaram de considerar judeu quem é filho de judeu para considerar judeu quem é filho de judia.

Teresa Silva RJ disse...

Depois que a Lola souber dessa história, aposto que aí é que ela não vai querer se converter ao judaísmo: judeu brasileiro se recusa a dar o get (divórcio) a judia americana, que é considerada pelos judeus uma agunah (acorrentada). Ela acusa o marido de exigir US$500.000 e a custódia do filho do casal para dar o divórcio. E sabe-se lá como o homem encontrou um rabino que o casou de novo, contrariando a lei judaica.

http://oglobo.globo.com/mundo/bigamia-de-judeu-ortodoxo-com-brasileira-detona-batalha-religiosa-nos-estados-unidos-12034021

Jhonata Dias disse...

"Aronovich" parece uma palavra alemã, mas produz um som que lembra o russo (lendo em português é claro)

Anônimo disse...

- off-topic -

acabei de ver esse video no facebook e fiquei chocada com poder ver mais um exemplo em carne e osso da elite nao tendo mais medo de escancarar seus preconceitos raciais e sociais. O video mostra uma mulher branca humilhando e tentando a todo custo chamar uma moca negra pra briga.
Nao se ve o que causou a briga, mas se ve a reacao exagerada, elitista, racista e homofobica da mulher que afirma “morar do triplex”, que pergunta se a moca vai “ousar” chamar a gerente” e dai pra pior. Vamos torcer pra que ela seja identificada e sofra as consequencias.
Ai esta o video: https://www.facebook.com/photo.php?v=738725896166920&fref=nf

Anônimo disse...

Menos Marx mais mises.

Carla Fonseca disse...

Oi, Lola!
Achei interessante o que vc falou no finalzinho: "Quer dizer, se eu precisasse de uma religião, não seria uma que vê mulheres como inferiores aos homens." Eu também não tenho religião, ultimamente tenho observado mais e feito perguntas aos meus amigos que tem uma, e ainda não encontrei nenhuma que trate homens/mulheres com igualdade, talvez o espiritismo. Será que o pessoal que comenta aqui já encontrou?

Anônimo disse...

Desculpe, eu tentei, mas confesso que estou falhando miseravelmente em ver qual a importância da Lola ou de qualquer outra pessoa ser judia, católica, atéia, livre-pensadora ou mesmo cultista de Cthulhu. Até pensei em anestesiar uns neurônios e usar só um pra pensar que nem os mascus, mas achei melhor não arriscar... vai que eles não voltavam da anestesia e aí eu tava frita.

Anônimo disse...

O feminismo virou uma religião. rs

Anônimo disse...

Anonimo das 12:41,

A Golden Dawn nunca teve nada a ver com a sociedade Tule. E Crowley chegou até a trabalhar com Churchil para ajudar na derrota do nazismo (o V da vitória é um simbolo esotérico que tinha por objetivo se sobrepor ao simbolo nazista da mão estendida).

Sara disse...

Li aqui mesmo ha um bom tempo, uma frase q guardei entre as melhores q já ouvi.
"A mulher religiosa faz tanto sentido como um judeu nazista"
Uma mulher lutar para ter uma religião, é algo q considero muito difícil de entender.

Maria Fernanda Lamim disse...

Oi, Carla. Já teve algum contato com o paganismo ? Nos trabalhamos sempre no equilíbrio das energias masculina e femininas, e últimos o Sagrado Feminino através da Deusa Tríplice. :)

Maria Fernanda Lamim disse...

Uma coisa que me espanta e gente acreditando que judeus "bancáriam" o feminismo quando eles sustentam tradições super machistas e patriarcais ...não faz nenhum sentido.

Maria Fernanda Lamim disse...

Ops , "cultuamos" o Sagrado Feminino (maldito corretor ) :p

Anônimo disse...

Se o "forum nazista" for o Stormfront, aquilo ali sim é asqueroso. Fui parar lá sem querer atraves do google e senti um misto de vergonha alheia, raiva e medo do que a sociedade está se transformando.

Larissa Petra disse...

Legal o tema, calha com oq está acontecendo agora em Gaza, e a nossa grande mídia (Globo, folha de sp, veja e outras merdas fecham os olhos), mas só pq essa mídiazinha q ainda domina nosso país é aliado aos interesses egoístas norte americanos- e todos sabem que eles são aliados de Israel- um Estado que já nasceu errado e injusto.
A Palestina não tem exército, não tem aeronáutica ou forças armadas, oq está acontecendo lá não é uma guerra é um genocídio, é eugenia, é limpeza étnica é cruel.
Nesse momento está havendo um Holocausto Palestino e nossa mídia finge que não vê.
(Uso o termo holocausto, pq eu vejo que os líderes Israelenses usam isso como desculpa para fazerem essas atrocidades e alguns judeus-ênfase no alguns- se escondem atrás do holocausto para justificar a matança do povo palestino)
Por isso sou 100% pró causa Palestina.

André Regis disse...

Fora do assunto:

http://jornalismob.com/2014/07/09/justica-de-mg-absolve-ex-namorado-por-entender-que-mulher-que-posa-para-fotos-intimas-nao-cuida-da-moral/

Larissa Petra disse...

Deixando claro para n tentarem de distorcer, não sou anti-semita, pelo contrário, o povo judaico sofreu muito com o nazismo, aliás qualquer tipo de eugenia é cruel demais, oq eu sou contra é a violência do Estado de Israel e o uso de uma trágica história q foi o holocausto como desculpa para tais atos, sei q essa violência n representa a cultura judaica, ou a todos os judeus, os maus judeus não representam o povo judeu.

Jackeline disse...

Gostei do post, bem informativo. (:
Sobre mascu neonazista arrumando mais pretexto pra te odiar, nem vou comentar nada.
Mas bateu uma curiosidade: por algumas coisas que vc disse da sua fase católica, a impressão era que vc era até que bastante devota. O que te fez decidir pelo ateismo? (pergunto por que me identifico mais ou menos com isso)

Anônimo disse...

Engraçado que pessoas como você que não gostam de Israel e reclamam deles serem militarizados, não falam nada sobre os muçulmanos/árabes (incluindo os Palestinos) que incluem nas suas prioridades a destruição total dos Judeus e de Israel, ou seja se Israel vacilar todos os seus vizinhos o aniquilariam.

Anônimo disse...

(Uso o termo holocausto, pq eu vejo que os líderes Israelenses usam isso como desculpa para fazerem essas atrocidades e alguns judeus-ênfase no alguns- se escondem atrás do holocausto para justificar a matança do povo palestino)
Por isso sou 100% pró causa Palestina.
--------------
Logico Larissa como se os Países vizinhos a Israel não fizessem um genocídio judeu se os EUA virassem as costas. E lembre-se Israel foi destruída e os Judeus foram expulsos testa região é direito deles sim estarem lá.

Anônimo disse...

Os judeus passaram por Egito, Babilônia, Assíria, Império Medo-Persa, Macedônia, Roma, foram espalhados pelas nações, e permanecem adorando o mesmo Deus e observando as mesmas coisas. Não foram influenciados mas influenciaram todos os países onde passaram.

A Verdade é aquela que é testada no Fogo e sai ilesa, e assim foi o povo judeu em todas essas nações.

Perseguição da igreja católica, anti-semitismo, Hitler, nada conseguiu destruir e desunir os judeus. Não se verá um judeu passando necessidade sem que outro o socorra.

O Prêmio Nobel foi concedido a 700 pessoas, e 140 eram judeus, e veja que de 7 bilhões de pessoas, apenas alguns milhões são judeus, e são responsáveis pelas grandes descobertas científicas do século.

O analfabetismo nunca existiu entre os judeus, e os judeus fazem parte do grupo mais filantrópico do mundo, pois a Tsedaká (Justiça Social) é essencial para o judeu.

Que povo imortal é esse que sobrevive a tudo e não é alterado por nada?

E as suas verdades? Foram-se nações e deuses para o cemitério do esquecimento mas o Deus de Israel e seu Povo permanecem. Hoje você é socialista, e amanhã? Hoje você é capitalista e amanhã? Suas filosofias e ideologias são como folhas jogadas ao vento, sem sustento e chão, vão conforme as tendências do mundo.

Mas os judeus são como estabelecidos na Rocha, sobrevivendo ao vento e ao fogo.

Vocês brigam entre si, enquanto os judeus são irmãos. Judeus não são influenciados pelo Estado, pelas políticas, pelas ideologias. As grandes crises mundiais não os afetaram.

O que é a verdade, a "atualizada visão moderna"? Certamente que não, pois no "moderno" já está implícito que um dia ele será "ultrapassado", tal como suas ideologias e filosofias modernas. A verdade é aquela que permanece, que é testada no fogo, e não a que aparece agora e depois some.

Aprendam com Israel.

Anônimo disse...

"A violência do Estado de Israel". Vocês realmente estão por fora do que os países islâmicos fazem com vocês feministas, mulheres em geral, homossexuais, cristãos etc..

Só pensam na Palestina, mas se esquecem que Israel está cercada de inimigos por todos os lados, e são países poderosos por causa do Petróleo, que apóiam grupos terroristas que treinam crianças para a guerra.

Vamos abrir os olhos né gente. Israel é a única nação democrática naquele lugar, queriam que o país ficasse como um cordeirinho esperando para ser devorado? Pra quem vive num lugar pacífico como o nosso é fácil criticar.

Patty Kirsche disse...

Que interessante, Lola! Em alguns pontos, a transmissão do judaísmo lembra a da cidadania austríaca. Olha só que louco... A mãe de meu pai é austríaca nascida na Áustria, então meu pai é austríaco, porque passa pela mãe. E como ele é casado com minha mãe, eu tb sou austríaca, mesmo tendo nascido no Brasil. Mas um primo meu que é filho de uma irmã de minha mãe com um tio de meu pai não pode ser austríaco porque os pais dele não se casaram. A mulher do consulado disse que ele pode não ser filho de quem pensa ser por causa disso! Ela o chamou de "filho natural". Vê se tem cabimento uma coisa dessa com exame de DNA? Claro que no caso do judaísmo tem a questão religiosa também envolvida, mas me parece que mesmo etnicamente ainda resta a questão da dúvida de quem é o pai.

Com todo o respeito, judaísmo é bem chato, né? Ortodoxo então é um soco no estômago. Imagina a mulher ter que usar peruca depois de casada porque o cabelo verdadeiro dela só pode ser visto pelo marido? Fora ter coragem de circuncidar um bebê, que absurdo. Eu acho que deveria ser proibido. E ainda matar os animais de formas mais dolorosas só pra ter comida kosher... Poxa, não concordo mesmo.

Larissa Petra disse...

Desculpe anon das 18:06, mas o Estado de Israel já nasceu errado, já nasceu querendo escorraçar um povo que ali vivia, achando tudo muito lindo. O Estado de Israel já nasceu querendo restringir o espaço Palestino, hoje oq acontece é um país totalmente militarizado está matando um povo que nem exército tem, pq grupos rebeldes nem de longe tem a força de um exército, e eles são uma resistência inevitável a essa matança ao povo palestino.
Se os EUA apoiam Israel é apenas pelo fato de que nos EUA grande parte dos homens poderosos e ricos são judeus, então é economicamente mais vantajoso apoiar Israel e matar o povo palestino.
Nada das brutalidades que o seu povo sofreu, e eu lamento muito de verdade por isso, justifica matar outro povo como se tivesse carta branca para isso, um povo que nada tem com isso, só pq pasmem! Alguns se acham no direito divino sobre aquele território. E os judeus tem direito de estarem ali também, mas não as custas do extermínio de outro povo.
Nada no mundo justifica uma limpeza étnica, mas uma limpeza étnica até justifica uma resistência a altura (e eu n concordo!) mas lá os palestinos não tem outra opção, ainda mais feita de um jeito tão cruel, de um povo que nem forças armadas tem, então acho uma covardia chamar aquilo de guerra, pois guerra ocorre entre militares, oq acontece ali é o uso do exército para matar civis palestinos, e tudo apoiado pelos EUA.
Então me perdoe vc, mas sim o povo judeu tem direito de estar lá, mas eles n tem o direito de matar ninguém por isso.

Larissa Petra disse...

Faço das palavras de Noam Chomsky as minhas:
ISRAEL usa jatos de ataques sofisticados e navios militares para bombardear campos de REFUGIADOS densamente lotados, escolas, blocos de apartamentos, mesquitas e cortiços, para atacar uma população que não tem força aérea, defesa aérea, sem marinha, sem armas pesadas, sem unidades de artilharia, sem blindagem mecanizada, nenhum comando no controle, nenhum exército, e isso é chamado de GUERRA ?

Israel é um criminoso de guerra.
(Ps: Não estou me referindo ao POVO judeu, mas sim ao ESTADO de Israel e sua violência contra o povo palestino)

Anônimo disse...

Lola, achei que o seu marido é bastante parecido com seu pai. Bj grande

Natalie disse...

Cristianismo é uma bosta, isso é fato. A bíblia simplesmente trata a mulher como incubadora (Afinal, Maria serviu pra mais alguma coisa?) e um ser extremamente inútil, que vive só pelo marido, sem ter outra função. Ela só presta na bíblia se for a "boa e submissa esposinha", se quiser ser independente e ter uma vida, é um demônio (Estou olhando para você, Lilith). Evangélicos são a mesma bosta. Além de serem chatos pra caramba. Tenha a sua religião, mas não me obrigue a segui-la.

O espiritismo eu acho que é bem melhor do que as outras, apesar de não praticar. Estou pensando nisso. Até onde eu li, não tem essa de homem e mulher serem tratados como diferentes. Vou procurar saber mais.

Também não tenho nada contra judaísmo, mas eu pessoalmente não gostaria de ser judia.

Anônimo disse...

Os judeus sempre habitaram aquelas terras cara Larisa, desde a época do antigo testamento.na historia moderna, aquela região fazia parte do império britânico, ate logo apos a segunda guerra. Foram os palestinos que roeram a corda em 1948, quebrando um acordo de independencia, s recusaram a dividir o território, e jurando aniquilar o outro lado, a quem carinhosamente" chamam d "cães infiéis" foram eles que iniciaram esta guerra.

Juba disse...

Oi, Carla, tudo bem?

Como espírita e por estudar o assunto, posso dar uma opinião a respeito da igualdade: a maioria das obras espíritas não chega ao nível de igualdade que desejamos, o que se deve principalmente à época em que foram escritas. E, claro, existem autores bons e ruins.

Entre muitos deles existe a crença de que homens e mulheres têm papeis diferentes na sociedade, e que esse papel pode se inverter muitas vezes por meio da reencarnação, mas nunca, jamais li alguma obra que defendesse privilégios masculinos, mesmo entre esses autores. Alguns autores ainda são nitidamente homofóbicos, e felizmente esses são minoria.

A doutrina original, porém, não defende essa desigualdade, e o próprio Rivail/Kardec nunca desprezou as mulheres enquanto pesquisadoras e estudiosas ou em qualquer outro âmbito. Os espíritos são considerados todos iguais, e o sexo biológico apenas uma polaridade transitória que por isso mesmo não traz méritos ou deméritos, ou direitos diferentes.

O que sinto que precisa/pode ser atualizado em novas edições é a linguagem, como trocar homens por seres humanos, esse tipo de coisa.

abraços

Larissa Petra disse...

na verdade, a ONU - que é um poodle dos EUA- queria restringir o espaço do povo palestino que era infinitamente maior que o povo judeu , com todo o respeito, mas os judeus chegariam ali já mandando td mundo rodar, pq a maior parte do território, inclusive jerusalém seria judeu, pois a Palestina não aceitou a "partilha" da ONU, pois ela era totalmente injusta, nenhum país na face dessa Terra aceitaria algo tão injusto.
Não é pq está escrito no seu livro sagrado q vcs podem ocupar aquela terra, que isso é bem verdade, aliás ocupar vcs podem, só n podem matar ninguém, pq vc só fala em "direito divino", eu falo em VIDAS CIVIS que são tiradas por MILITARES israelenses, inclusive de crianças, pois isso q vc chama de guerra não é uma guerra, guerras são entre militares, quando militares matam civis isso se chama genocídio .

Ps: pense bem, seu Deus realmente apoia isso, que vcs a qualquer custo peguem essa terra, nem que seja matando todo um povo ? Vc realmente acha que o Estado de Israel tem esse direito, de bombardear escolas, alojamentos ?
Olha eu não sou lá muito religiosa, mas me disseram que Deus é bom!

lola aronovich disse...

Anon das 19:43, o maridão não tem absolutamente nenhuma semelhança com meu pai. Nem fisicamente, nem psicologicamente, nada. E no entanto, durante os 3 anos em que eles conviveram, se deram muito bem. Um gostou do outro desde o primeiro dia em que se conheceram. Até então meu pai só tinha detestado todos os meus namorados e casinhos...


Jackeline, eu tinha 13 anos, né? É sempre uma fase conturbada. Meu período de "revolta" foi ficar mais intovertida e me tornar religiosa. Eu estudava em escola católica, e sofri influência (extremamente negativa) de uma freira ditadora que foi minha professora durante um ano, toda a sexta série. Hoje eu sei que quis ser freira pra tentar ser aceita pelas freiras da minha escola. Mas naquele breve período (não sei quanto tempo durou, se chegou a um ano) eu fiquei muito católica, de rezar todo dia, de arrastar (essa é a palavra) meus pais e irmãos pra missa todo domingo, de orar na capela da escola durante o horário de almoço... Mesmo assim, eu já era feminista, e a religião (super machista) chocava com meu feminismo. E as freiras não conseguiam responder minhas perguntas, do tipo: "por que freira não pode ser papa?", "por que vcs tratam deus como se fosse homem, pai, senhor?", "esse negócio de Adão e Eva é literal?". Não lembro de todos os passos, de quanto tempo levou pra eu passar da fase religiosa pro meu ateísmo. Só sei que, uma vez que chegou, nunca mais foi embora. Nem mesmo quando enfrentei a maior dor da minha vida, que foi perder meu amado pai.

vivian disse...

Espíritas são contra aborto em qualquer caso.

Eles são bem coerentes com sua posição, pois consideram que o feto já é uma alma, por isso proíbem abortos em todos os casos, inclusive estupro.

Porém, uma religião que obriga mulheres a serem incubadoras de filho de estuprador (pois a alma do feto é mais importante que a alma da mãe neste contexto), passa longa da igualdade entre gêneros.

Levem isso em consideração ao se associar ao espiritismo...

Anônimo disse...

Existe uma vertente neonazista entre os mascus que são os frequentadores de forums assumidamente neonazistas e este que a Lola postou com a foto dela é um dos mais extremistas. Teve ate um post em que diziam que quando o novo "Reich" voltasse iriam fuzilar mulheres "brancas arianas" que se envolvessem com homens "pardos" e negros. Eles vivem atacando negros, mulheres e sempre repetindo que comunistas e feministas são todos judeus, que todas as feministas são lésbicas e judias. Apesar de serem homofóbicos, machistas e católicos fanáticos, idolatram países nórdicos/escandinavos que ironicamente são os países menos homofóbicos, machistas e mais liberais a religiões. Se acham "arianos" legítimos, os que moram no Brasil costumam se declarar "eurodescendentes" e alguns são a favor de separatismo no Brasil e apesar disso a maioria tem medo de não serem considerados "arianos" pelos europeus de fato. Enfim, essa facção neonazi dos mascus é ridícula também. Todos uns perdidos e ainda iludidos que se acham "arianos".

Sara disse...

Lola, tenho pai judeu e quando o perguntei sobre essa questão da mãe passar o judaísmo aos filhos, ele me disse que isso vem de um tempo onde não existia o teste de DNA, logo a maternidade era um fato e a paternidade não. Por isso as mulheres, na função de educadoras dos filhos, passavam a tradição judaica a eles. Algumas outras tradições denotam isso, como o fato de que quando o pai morre os filhos não levam o caixão, diferente de quando a mãe morre. E existe toda uma coisa cultural em relação as "mães judias" que é bem interessante, também.

Anônimo disse...

Não é pq está escrito no seu livro sagrado q vcs podem ocupar aquela terra, que isso é bem verdade, aliás ocupar vcs podem, só n podem matar ninguém, pq vc só fala em "direito divino", eu falo em VIDAS CIVIS que são tiradas por MILITARES israelenses, inclusive de crianças, pois isso q vc chama de guerra não é uma guerra, guerras são entre militares, quando militares matam civis isso se chama genocídio .

-------
Não sou judeu minha cara.

Juba disse...

Vivian, tudo bem?

O espiritismo é contra o aborto. Os espíritas, não necessariamente. Eu acredito que exista uma alma ali desde o início, mas daí a querer impor isso para as outras pessoas, ou ser contra em qualquer situação, é bem diferente. Aliás,em relação à doutrina original do espiritismo, vc se enganou no "em qualquer situação", também. Quando se perguntou sobre os casos de risco de vida para a mulher, recomendou-se priorizar a vida da mulher e não do feto ou bebê.

E, detalhe: o espiritismo trabalha com pouquíssimos dogmas. não excomunga, não condena a um inferno, não existe pena x para crime y. A mulher que opta por abortar não é expulsa de uma casa espírita, não a chamarão de assassina, não dirão que ela vai para o inferno ou se ferrar de outra forma. SE ela desejar falar sobre o assunto em uma boa casa dessa doutrina, será acolhida.

E não, eu não acho o espiritismo feminista nem a religião perfeita. O ateísmo é +otimo para muitas pessoas, o catolicismo para outras e por aí afora. Abraços :)

Carol F. disse...

É porque ê ucraniano, como a Lola mesma informou.

Sara disse...

Entre israelenses e palestinos islamicos, um milhão de vezes Israel, machismo há no mundo inteiro e em Israel não é diferente, agora os palestinos dominados por essa religião islamica, pra mim são intoleráveis, não ha argumento na terra q vá me convencer q as barbáries q eles praticam são aceitáveis.

Anônimo disse...

Larisa Petra, vejo que a senhorita conhece bem a Geo Politica da região, me diga o que acha das ações do Hamas, Fatah, e da irmandade muçulmana, no Egito e principalmente na guerra civil da Siria? ações como esta por exemplo:
http://news.alkipage.com/extremistas-sirios-mantem-bebe-cristao-como-refem/

Anônimo disse...

O espiritismo considera que o espirito não tem sexo, em uma encarnação pode vir homem, em outra mulher. acreditam no carma, uma forma de aprendizado pelo resgate de erros passados.

Anônimo disse...

Talvez estas perguntas sejam destinadas mais ao ponto de vista étnico do que religioso.

Existem muitos judeus ateus, agnósticos, cristãos, budistas... E do ponto de vista político, há muitos judeus anti-Israel. Noam Chomsky talvez seja o exemplo mais óbvio.

A religião judaica é muito atrelada ao povo que a professa. No entanto, o judaísmo e a etnia judaica não são indissociáveis, apesar da relação estreita.

Abraços!

Erres Errantes disse...

Sara, não é questão de aceitar ou não as barbaridades cometidas por alguns muçulmanos. Concordo que há práticas extremamente machistas na religião muçulmana, mas se os muçulmanos são misóginos ou não, é outra questão: acontece que Israel está promovendo um verdadeiro genocídio ao povo palestino e nada justifica isso.

Luciana disse...

Acho complicadíssimo julgar essa questão Israel X Palestina. A gente só sabe notícias que vem de muito longe. Se quando falamos de marcha das vadias ou protestos, que estão aqui pertinho, as informações da mídia são tãããããão distorcidas, o que nos faz crer que as informações que recebemos de lá são reais? Por que toda a vez que ouvi relatos (longe das grandes mídias) todos eram bem parciais mostrando as tragédias que o outro causou, o que me faz crer que nenhum lado é certo.

Maria Fernanda Lamim disse...

Hm, qd o assunto e aborto,.acho que a única religiãoque não o condena e o. paganismo tb. Uma vez li algo a respeito da opinião dos ha re krishna sobre o assunto e acho que eles tb não condenam totalmente.

Raven~ disse...

Eu quero é ver esses neonazistas burros do caralho acharem algum "ariano" no Brasil.

Larissa Petra disse...

Para o anon mascu das 00:43 e aproveito e digo para a Sara.
Que me mandou um portal evangélico, me desculpem as evangélicas, mas daí já n posso levar mais a sério..hauahuahau
Todos os dias várias crianças palestinas estão sendo mortas, inclusive q não tem nada a ver com o grupo Hamas, o EXÉRCITO Israelense bombardeia até escolas, e para a Sara, nada do que a religião Islâmica (que não é essa merda que os EUA querem nos fazer pensar), na verdade alguns islâmicos machistas fazem, que justifica a morte de um povo.
Vc Sara, me desculpe, óbvio que a respeito mais que o anon mascu, quando a isso n tenha dúvidas, mas vc é a favor do genocídio de um povo, só por causa da religião deles?
Infelizmente vejo em algumas correntes feministas uma terrível islamofobia, muitas mulheres islâmicas usam o hijab, a burca, por opção, e as que não fazem não podemos condená-las.

A Religião Islâmica, assim como todas tem suas falhas, mas assim como todas tem lindos ensinamentos. Porém o conflito da Palestina x Israel tem pouquíssimo a ver com a religião, a questão é territorial. Mas repetindo seja lá qual for a questão nada nesse mundo justifica um massacre.

Ta-chan disse...

Nem queria falar disso mas, o problema, não são os judeus (fora os banqueiros, esses são um problema) a raiz de todos os males é o sionismo.

Não tinham nada que se enfiar naquele pedaço de terra com se ali existisse ninguém.Invadiram a Palestina e isolaram o povo em campos de concentração, também conhecidos como assentamentos, e agora partem pro extermínio total.

Espero viver o suficiente pra ver o estado de Israel queimando.

Anônimo disse...

Mascus neonazis tabm costumam dizer que feministas e comunistas sao gays, judeus e ainda vegetarianos tbm. Muito comum tbm ver mascunazi falarem que toda feminista é obrigatoriamente lésbica, judia e ainda vegetariana.
Tem uma pagina mascu no facebook chamada "mulheres contra o feminismo" em que um perfil fake de uma suposta mulher apoiadora da causa mascu, (e bem boca-suja por sinal), afirmava que toda feminista era lésbica e vegetariana e quem discordasse o fake dizia que o discordante não entendia nada de "feminismo", porque para este fake toda feminista teria que ser obrigatoriamente lésbica e vegetariana. E alem disso claro, afirmava tbm que todas as feministas eram comunistas, judias, ateias, satanistas, zoófilas, pedofilas e um monte de bizarrices e monstruosidades intermináveis, inclusive contraditórias e sem o menor sentido.

Anônimo disse...

Eu quero é ver esses neonazistas burros do caralho acharem algum "ariano" no Brasil.
===========
O que mais têm no interior de RS e SC, mas vc parece desconhecer a origem dessa região.

Sara disse...

Para os q criticaram minha opinião, não ha como dissociar a causa palestina do radicalismo islamico, abomino essa religião, pois pra mim, no planeta inteiro ela representa o q de pior o ser humano consegue ser, inclusive com o direito das mulheres, portanto , jamais vou defender um grupo q tenha essa religião como norma para suas ações e conduta.
Nem adianta me encher o saco, pois é visceral o modo como abomino tudo q se refere a esses grupos religiosos.
E mais Israel só ataca quando é atacado, se esta havendo massacres não é só de um lado, e nesse quesito os palestinos são extremamente cruéis, e seu ódio não é só dirigido a Israel, mas a todos os países que o apoiam.
Gostaria q de viver em um mundo onde a religião não tivesse mais influência, enquanto isso não acorrer torço por aqueles grupos ou países que sofram menos com essa influência nefasta.

Sara disse...


https://www.youtube.com/watch?v=4pKMV6e5kEo

A animação "This land is mine" resume bem o q acontece nessa parte da terra.
Procurar culpados ali é tão imbecil como o q mostra esse vídeo.

Mallagueta Pepper disse...

Sara, um pequeno conselho: não acredite em tudo o que a mídia (de)formadora de opiniões enfia na sua cabeça, ok? Eles distorcem os fatos pra que a gente acredite no que eles querem acreditar. Muçulmanos são machistas? Meu bem, machismo e misoginia existem em qq lugar e religião. Isso não é exclusividade do islamismo.

Vamos lá, tenta raciocinar um pouco: os palestinos estavam quietos, cuidando da vida deles quando um belo dia foram expulsos das suas casas, das suas terras sem nenhum tipo de indenização. Muitos saíram só com a roupa do corpo pra que os judeus ocupassem suas casas. Ninguem os defendeu, eles não tiveram pra onde correr ou pra quem reclamar. Tente fazer um pequeno exercício de empatia e me responda se vc ia gostar se te fizessem a mesma coisa.

Israel tem todo um exército, armamentos, aviões, bombas e a proteção dos EUA. O que os palestinos tem? Vc acha mesmo que essa guerra é justa e equilibrada? Sério mesmo? Oi? Não. os palestinos lutam do jeito que podem, são vistos como monstros por tentarem se defender e vc acaba acreditando no que a mídia quer que vc acredite!

E cuidado ao apontar o dedinho sujo pros muçulmanos, porque aqui no Brasil tb acontece muitas atrocidades contra as mulheres. Nós tb temos machismo e misoginia e nem somos de maioria muçulmana.

Israel foi fundada em cima do sofrimento do povo palestino. Vc quer mesmo que eles amem esse país e aqueles que o apoiam? tá forçando a amizade, né fofa? Além do mais, vc só vê o ódio que eles tem do ocidente, mas não para pra pensar do porque eles terem esse ódio. Não será porque o ocidente os desrespeita, tenta mudar sua cultura e ainda os retratam como monstros por tentarem reagir?

Abre os olhos, menina. Abre os olhos.

Julia disse...

Que graça de animação, Sara.
Religião é uma piada de mau gosto.

Sara disse...

Malagueta acho uma piada gente q vem dizer q vc recebe informações erradas ou distorcidas da mídia, (obvio q eu sei q existe manipulação e distorção nas informações q recebemos ok).
Mas a verdade é q se vc for ver comentários aqui por ex., ou nos canais de noticias sobre o q acontece nesse conflito entre os israelenses e os palestinos QUERIDA.., vc verá que a grande maioria defende a causa palestina, e mesmo as matérias que são apresentadas, sempre se mostra os palestinos feridos, é raro ver cenas onde judeus são feridos, (mas não pq eles não existam).
Eu realmente acho q as matérias q são mostradas são tendenciosas, mas não para o lado dos judeus.
Israel esta associado aos EUA, e esses últimos, por serem a nação mais poderosa da terra tem inimigos em toda parte.
E mais, ONDE vc consegue suas informações tão mais privilegiadas do q as minhas, para desclassificar o q eu penso minha filha???
Os palestinos não são o único povo q sofre com guerras, refugiados q perdem suas casas existem aos milhares nesse mundo para q eu exerça minha empatia, mas pra com eles eu não tenho nenhuma, por tudo q sei desse povo e da religião q é lei para essa gente, eles estão exatamente na direção oposta do q eu julgo q seja justiça e igualdade.
Já disse aqui várias vezes, tudo o q estiver ao meu alcance para fazer pra pelo menos diminuir a influência dos grupos e países que professam essa religião, eu vou fazer.
Não defendo NENHUMA religião, muito pelo contrário, acho q todas as religiões são misóginas e não contribuem em nada para formação de seres humanos melhores.
Mas a religião islamica estimula o q há de pior no ser humano.
E não serei eu q apoiarei um grupo que se for vitorioso nesse conflito, vai se tornar mais uma ditadura religiosa para oprimir mulheres de uma maneira q eu considero intolerável.

Anônimo disse...

Arianos no RS e SC? huehuehuee

Anônimo disse...

Os mascus/nazistas falam que todas as feministas são judias e vegetarianas e olha só o que mais tem nesse blog são feministas falando mal de judeus e também vivem falando mal de vegetarianos, que na opinião delas são todos "anoréxicos, frescos e capitalistas urbanos de classe-media". Mascus e feministas as vezes se merecem.

Anônimo disse...

na verdade sara, a birra dos esquerdistas com israel, e a favor da Palestina, não tem nada a ver com o conflito em si, e seus motivos hist´ricos, mas sim com o antiamericanismo latente neles. Israel tem apoio dos EUA, e para eles se os "grande satã do norte" "uzamericanos maus feios e bobos" penderem para o lado do corinthians, eles se tornam palmerenses na hora, rsrsrs.

O que ocorre em israel, e que os palestinos realmente não tem forças armadas regulares, mas tem financiamento de todos os países islamicos da região, que tentaram destruir israel na guerra dos seis dias, para desempenharem a chamada 'guerra assimétrica" guerra psicologica, que tem como arma principal o terror, e usar civis como escudo, para reverterem a opinião publica ao seu favor.
O que grupos como o Fatah e a irmandade muçulmana querem implantar, e a Sharia, a lei islamica, e acreditem, isto e o fim do mundo para as mulheres. Islamitas não toleram de forma nenhuma a forma de vida Judaica, que e muito parecida com a ocidental na terra santa.

Cão do Mato disse...

Esses evangélicos apoiadores do nazisionismo me dão nojo...

Cão do Mato disse...

Morro de rir com esse pessoal que tenta dissociar os judeus das políticas genocidas de Israel...O Estado de Israel só existe por causa do povo judeu e para o povo judeu. Se a maioria da população de Israel e dos judeus do mundo fosse realmente a favor de Israel esse conflito já teria sido resolvido...

Erres Errantes disse...

Sara, as "informações privilegiadas" que você disse que o Malagueta tinha na verdade podem ser encontradas em livros de história sobre a questão palestina.

"Israel esta associado aos EUA, e esses últimos, por serem a nação mais poderosa da terra tem inimigos em toda parte."

Se, por estarem associados aos EUA, Israel tem inimigos por toda a parte, certamente eles não estão no que é chamado de Ocidente, pois por aqui a grande mídia está fechadíssima com os EUA.
Entendo sua indignação com o islamismo, mas reflita: será que isso justifica um genocídio? Sobretudo quando boa parte de suas vítimas são crianças.

Anônimo disse...

Larisa Petra. chegará a hora de os soldados de cristos se levantarem novamente na terra santa.
Non nobis, Domine, non nobis, sed Nomini Tuo da
Gloriam, Deus lo vult

Raven~ disse...

Teu cu anon de 21 e 36. Vou pra la toda semana, e a última coisa que essa gente boa quer, é ser associado com essas burrices.

Sara disse...

tb concordo com o anon 00,29hs o anti americanismo embota as mentes ao ponto de defenderem o indefensável para impor suas convicções não importando a quantidade de horror q isso possa provocar.

Mallagueta Pepper disse...

Claro, claro, afinal o imperialismo norte americano não impõe terror nenhum, né? São uns santos coitados, anjinhos de candura e bondade. Tá bom. Vou ali chorar e já volto. Todo aquele lance da bomba de Hiroshima é mentira, assim como a guerra do Iraque (onde não encontraram nenhuma arma) e tantas outras que mataram inúmeros inocentes praticamente a troco de nada. Tudo fruto da nossa imaginação, nunca aconteceu e as pessoas é que ficam inventando coisas pra atacar os coitadinhos dos americanos.

E antes de alguém querer apontar o dedinho sujo pro islamismo, vamos lembrar de que o cristianismo já fez muitas atrocidades com as mulheres no passado, torturando e atirando na fogueira. Ou será que isso é só "intriga da oposição"?

vivian disse...

Oi Juba!

A religião ter seu posicionamento é fundamental, pois muitas pessoas não tem opinião formada sobre o assunto, então descobrem qual o posicionamento da religião que seguem e aí já viu né.

Eu não sei até que ponto os espíritas não "excomungam" os que pensam diferente. Uma vez comentei com uma amiga espírita que não teria filho de estupro, e ela praticamente me disse que eu seria uma assassina se assim fizesse. Fui completamente julgada e nunca mais toquei neste assunto com ela.

Desde este dia pondero o quanto de tolerância existe de fato dentro dos centros espíritas...

vivian disse...

Juba,

E abraços pra vc tb, obrigada pelos esclarecimentos =)

Anônimo disse...

Claro, claro MALAgueta. O inimigo do meu inimigo é meu amigo, entao deixe os muculmanos continuarem tratando mulheres como propriedade e querendo impor a sua cultura e religiao a todo mundo, e quem sabe explodindo quem nao concorda com eles.

O problema é que se um dia chegarem aqui tentando impor uma teocracia eles nao vao ser muito "amigaveis" com os antiamericanos alucinados que os apoiavam.

Anônimo disse...

anon 03:14, vai de retro, satanás!

Anônimo disse...

Israel sempre enfrentará enormes dificuldades para contra-atacar terroristas sem afetar civis. Por uma razão simples: o Hamas costuma usar palestinos como escudos humanos.

Crianças, mulheres, famílias inteiras estão sendo utilizadas como escudos humanos pelos fanáticos. Os inocentes são enviados para a morte pelo Hamas e não por Israel. Nenhum israelense obriga os terroristas a entregar palestinos para a morte.

A intenção do Hamas é justamente a de martirizar inocentes para culpar “os judeus”. Os fanáticos dizem que não é nada disso: os inocentes são voluntários para o martírio.

Sim, as crianças, as mulheres, as famílias: todos se entregam voluntariamente para a morte. Há algo de muito errado com uma cultura dominada pela pulsão da morte, que valoriza a imagem de suas próprias crianças destroçadas, de suas próprias mulheres dilaceradas.

Mas é este o nível de humanidade dos senhores do Hamas para com os seus!

A covardia é a principal característica dos fanáticos que se escondem em áreas de grande densidade demográfica, obrigando Israel a contra-atacar alvos cercados de inocentes.

A situação é tão surreal que até mesmo o Canadá – normalmente um país neutro em conflitos internacionais – tomou forte posição contra os atos desumanos do Hamas.

Anônimo disse...

Para apimentar a discussão entre EUA , Israel e Palestina…vi recentemente a CNN entrevistando um representante do Hamas e perguntado sobre a impossibilidade de uma paz alí no território, ele disse com muita, muita lucidez…acho que vocês deveriam pensar pq os EUA até hoje não respeita Cuba ao invés de ficar falando de uma questão complexa.

Alex Haddad disse...

Interessante. Todos os que defendem o genocício que ocorre em Israel dizem a mesma coisa "O Hamas usa crianças/civis/mulheres, como escudo." Pos me digam...

Quem é o real "terrorista" que joga as bombas nos "escudos", para acertar seus "alvos"????

Olha aqui como pensam os Israelenses:

"100 civis em um prédio, um "terrorista" no meio. BOMBA NELES!!!"

"Olha! Um "terrorista" no hospital. Pode matar todos os "escudos" dentro do hospital, porque assim a gente acerta um terrorista. E doente vai morrer mesmo, então não tem problema."

Olha! Tem umas coisinhas pulando na praia, joga uma bomba ali, pode ser que tenha um terrorista. Ah eram crianças brincando? Xi... que maus! Mas pelo menos a tente tentou matar o terrorista.

Olha, tem uns túneis ali com pessoas andando neles, vamos matar? Vamooos!!! Pode matar! Ih... eram civis. Ah, mas acho que deveria ter um terrorista dentro. Iupiiii!!!"

"Ei você, saia da sua casa em 3 minutos porque nós vam... BUUUUM Ih... não deu tempo de avisar, ah... mas pelo menos tentamos"

Agora uma análise "geopolítica":

"Pedimos a todos que deixem toda a faixa de Gaza, pois vamos bombardeá-los. ... ... Capitão, mas eles vão sair de lá pra onde? Tem água de um lado, Israel de outro e o Egito não vai deixar eles passarem... ah Então explode tudo. Criança vai crescer e ser terrorista. Mulher, vai parir terrorista. Velho, já foi terrorista. E terrorista é terrorista."

"Mas Capitão, se avisamos, os terroristas também não vão sair? É... então joga bomba antes, liga depois e divulga pra mídia que avisamos."

Isso! Vocês estão certíssimos! Tudo que não é israelense é terrorista. Israel está "só se defendendo". Somos o povo prometido, somos perseguidos, blá blá blá...

Na boa, meus queridos "anônimos", se vocês acham que o mundo vai engolir este discurso estúpido, como justificativa pra matar essas centenas de pessoas (só neste confronto, fora os outros todos), estão muito enganados.

Sara disse...

anon 14.37hs e vc acha mesmo que a lógica dos terroristas islamicos é muito misericordiosa com seus inimigos???
Explodir um avião, prédios cheios de gente q nem tem nada a ver com o conflito deles, UPS!!!!! chama atenção pra causa deles...
Explodir mercados cheios de gente tb, normal...e pela causa.
Faça me o favor querer colocar esses terroristas como vítimas é um pouco demais.

Sibele disse...

Boa, Alex Haddad.

Essa papagaiada de "defesa" de Israel não cola mais. E os tais "ataques cirúrgicos" são tão "precisos" que deixam um rastro de desolação e destruição.

O nome disso é um só: MASSACRE.

E anônimo nenhum que fica tecendo loas a Israel tem coragem de botar seu nominho por aqui... por que será?

NECROMAYHEM disse...

uma coisa certa aí, os judeus sempre sobreviveram a tudo, independente de mudanças sociais e economicas, independente se for no capitalismo ou comunismo etc eles parecem ser um povo unido mesmo. agora quanto aos não-judeus, ainda mais brancos europeus e seus descendentes, nunca haverá união mesmo. cheguei a frequentar o meio nazi black metal do orkut e o que mais vi foi bullying praticado por nazi gnosticos neo-pagãos contra qualquer tipo de cara que eles considerassem inferior afirmando que só os fortes merecem viver nesse mundo etc entao, com o tempo fui vendo que todas as pessoas que conhecia foram virando meus inimigos, independente da raça ou opção sexual, fui vendo que estou totalmente sozinho no mundo. hoje em dia me considero um inimigo da humanidade, odeio todas as religiões e o masculinismo me fez abrir os olhos pro que é realmente a vida social, fui vendo que só tem filho da puta independente se for branco, negro, judeu, índio, mestiço, direitista, esquerdista, fui vendo que o que mais fiz ao longo da minha vida foi inimizades, fui vendo que reina o bullying na vida social, e hoje em dia estou eu sozinho contra todos. o masculinismo me fez perceber o porque os homens se odeiam tanto, eles querem aprovação das mulheres, talvez os judeus entre eles, ajam de forma diferente.

Sara disse...

https://www.youtube.com/watch?v=fI0esAVfw3U#t=293

Isso é o q Israel esta lutando contra, me desculpem mas defender essa canalhice é de perder a fé na humanidade.

Sara disse...

Eu boto minha cara e meu nome dona Sibele babaca

Sibele disse...

Estou falando dos anônimos, Sara.

E vc já está descendo o nível gratuitamente. Por quê?

Sara disse...

pq pra mim é inconcebível alguem q defenda tanta canalhice e monstruosidades, se vc ver o video q publiquei talvez, e só talvez, saia dessa sua bolha.

Sibele disse...

Um vídeo postado num canal do YouTube chamado de "Canal da Direita"? Bem, assisti.

Quem é o "especialista" entrevistado? Como professor, sua fala é bem tendenciosa. E quer provar o quê, com meia dúzia de slides? Erros de radicais muçulmanos justificam a matança de civis palestinos promovida por Israel?

Não coaduno com radicalismos movidos por religião - qualquer que seja a religião. Mas esse vídeo é muito rasteiro e não agrega nada à discussão.

Veja: está tendo manifestações no mundo inteiro contra o que está ocorrendo em Israel. Inclusive entre os próprios judeus. É um genocídio!

E veja o que Hannah Arendt (uma judia!) falou em... 1950, sobre o então recém criado (1948) Estado de Israel:

"Os sionistas se fecham em si mesmos, mergulhados permanentemente na sua defesa física, o que enevoa todas as suas aspirações e conquistas; sua cultura deixará de ser seu legado, eles abandonarão o seu progresso social, o pensamento político se reduzirá até a estratégia militar, o desenvolvimento econômico do Estado Judeu será dirigido somente às necessidades de guerra, e mesmo que vençam na guerra, no final das contas, as conquistas sionistas estarão feridas e defeituosas, sem reparo. Seja qual for o número de imigrantes que absorverá, quanto mais ele expandir e alargar suas fronteiras, mais ele permanecerá uma nação pequena, isolada e rodeada de um número incontavelmente maior de pessoas hostis." (apud G. Knispel, In: Rev. Cultura Judaica, v. 5, n. 20, p. 4, 2007).

Profética, não?

Sibele disse...

E vc continua provocando, dizendo que estou numa "bolha"... Será que não há como discutir sem atacar o outro?

Sara disse...

Sibele abomino do fundo da alma quem defenda radicais fundamentalistas religiosos ainda mais se forem islamicos, se os palestinos conseguirem seu intento, a única coisa q teremos é mais uma ditadura islamica para oprimir mulheres, gays, e qualquer um q não professe essa religião imunda.

Anônimo disse...

Depende de qual Halachá, está inserida o Judaísmo.

Para ser judeu, é necessário que ambos os pais sejam judeus.

Eu vim da escola Bbailônica, sigo uma halachá mais severa.

Mas entre os Caraítas e reformistas, se o pai for judeu o filho é judeu.

Tem um judaísmo, de uma parte da Europa, que é judeu pela mãe.

Anônimo disse...

Amigos do blog,
O povo de Israel tem ligacao forte com a Terra de Israel. Qual e a ligacao dos povos americanos com a America?

Marco Marin disse...

Hum...alguém já estudou a fundo ( e praticou), o budismo? Pode ser o tibetano (linhagem niyngma como sugestão..ou o zen. Não religião, institucionalmente formal, quase um empresa, mas um mergulho no mais profundo de si e do universo através de inúmeras técnicas que vem sendo testadas há milênios? E depois de praticar por um certo tempo, ver o que sobra dessa discussão toda, sobre judeus, palestinos, feministas, gays, lésbicas? Ah, e ler Jung...e Proust, e Guimarães Rosa, e ir um pouco na Seicho No Ie, e frequentar a umbanda, e achar um preto velho ora se benzer de vez em quando (estão em extinção, o último que conheci morreu em 1987...)? E estudar filosofia sem se apegar a nenhum ponto de vista, deixando em aberto? E conhecer Belém do Pará e participar do Círio de Nazaré? Pois então...

Coeh'nn Goldhill disse...

O problema é que há o judeu povo, raça. E o judeu religioso. Em minha opinião deveria o povo ser classificado como hebreu e o religioso de judeu, melhoraria um pouco o entendimento por parte das pessoas. Exemplo: Silvio Santos é um judeu que segue ao judaísmo. Sua filha é judia, mas é cristã evangélica. Poderia ser o pai hebreu judeu e a filha hebréia cristã.

Anônimo disse...

Shalom, sou judeu, e um colega me enviou essa página. Gostaria de responder a alguns questionamentos da seção de comentários

1) "Sendo o Judaismo visivelmente machista, por que nao eh apenas a mae que transfere o "ser judeu" para a crianca? Sendo a mulher um ser de "classe inferior" por que so ela pode transferir a identidade pros filhos?"

- Sem entrar na questão de desigualdade, a vida surge da união entre o homem e a mulher mas é dentro da mulher que esta se desenvolve, e é da mãe que todos os seres dependerão quase exclusivamente no início da vida. A criança tem mais apego com a mãe, passara mais tempo com ela etc., e ciente disso D-us determina a Moshé (Moisés) que os filhos pertencem ao povo da qual a mãe faz parte, e é assim na Halachá. O que nossa mãe É é o que somos primeiro, e no caso de ser judeu isso é pra sempre, pois o povo judeu, dentro da religião judaica, possui uma aliança inquebrantável com D-us. Se sua mãe não é judia, você não é judeu, mas pode vir a ser através da conversão. Se sua mãe não nasceu judia, mas se converteu antes de você nascer, você é judeu.

2) "Essa questão da mãe judia é uma coisa muito louca porque, apesar dessa regra seguida à risca pelo judeus ortodoxos, a bíblia é toda patriarcal. Em resumo: judeus são os descendentes de Abraão. Porém, Sara, a mulher de Abraão (e mãe do Isaac), não era descendente de Abraão e, portanto, não tinha como ser judia (mas Isaac, seu filho, é). O mesmo com a mulher do Isaac, Rebeca(...). Vai entender... "

- Na verdade, Abraão e Sara eram parentes - meio-irmãos. Mas nenhum dos dois nasceu judeu. Abraão e Sara tornaram-se os primeiros judeus da história através do pacto abraâmico. Como já dito, o pacto se estende aos seus descendentes e aos que se convertem (se inscrevem) no pacto. Isaac era judeu pois Sara era sim judia. Aliás, uma curiosidade: os convertidos são considerados descendentes espirituais de Abraão e Sara. Todo judeu praticante tem um nome litúrgico, fulano filho de beltrano, e o nome litúrgico dos convertidos fica fulano filho de Abraão Nosso Pai e Sara Nossa Mãe (Ben Avraham Avinu v'Sarah Emanu). Sobre as demais esposas dos judeus históricos, é evidente que todas se converteram ao casar. No geral, era um costume de todos os povos que as esposas passassem a ser da "tribo" dos maridos.

3) "Não sei se é verdadeira essa história que é contada na peça de teatro A alma imoral(...) contam que o povo judeu passou a considerar como judeus os filhos de mãe judia por que as judias eram estupradas por bárbaros, invasores e inimigos dos judeus. Eles faziam isso para engravidar as mulheres e fazer com que nascessem gentios entre os judeus, como forma de diminuir o número desse povo. Para evitar isso, os judeus deixaram de considerar judeu quem é filho de judeu para considerar judeu quem é filho de judia. "

- Essa tese é sociológica, não religiosa; a tradição oral é anterior a esse período, então para os que acreditam na Halachá essa tese não faz sentido.

4) "Com todo o respeito, judaísmo é bem chato, né? Ortodoxo então é um soco no estômago. Imagina a mulher ter que usar peruca depois de casada porque o cabelo verdadeiro dela só pode ser visto pelo marido? Fora ter coragem de circuncidar um bebê, que absurdo. (...). E ainda matar os animais de formas mais dolorosas só pra ter comida kosher... Poxa, não concordo mesmo."

- A peruca é um costume apenas ashkenazi, e ainda assim não é tão difundida como se pensa. Eu, pessoalmente, acho estranhíssimo - sou sefaradi, e minha esposa jamais cobriu os cabelos. Somos ortodoxos. A maioria dos ortodoxos não se veste de preto, misturam haredi com ortodoxo o tempo todo, tem ortodoxo que se veste igual a qualquer não-judeu. Não devemos confundir norma religiosa com tradição, em nenhum lugar o judaísmo manda mulher raspar o cabelo e usar peruca. E a comida casher/kosher é exatamente o contrário, as leis são restritas justamente para minimizar o sofrimento animal. Aonde você leu que os animais são mortos das formas mais dolorosas?

Anônimo disse...

Lola, se Israel fosse extinto e um movimento como o nazismo ressurgisse, você seria considerada judia e morta. Essa é a verdade que aterroriza milhões de judeus.