quarta-feira, 11 de junho de 2014

UM COMENTÁRIO QUE DÁ PANO PRA MANGA

Eu me lembro de ter lido faz tempo (mas não lembro onde), antes da primeira eleição de Obama, vários perfis sobre ele. 
Um deles era sobre sua mãe, branca. O perfil dizia que, ainda que ela não fosse racista (afinal, casou-se com um negro), era do tipo que cruzava a rua ao ver um negro numa rua meio deserta à noite. 
Aquilo me fez pensar: de quem é que eu tenho mais medo na rua? Acho que nunca cheguei a atravessar a rua com medo de alguém, mas certamente meu coração bate mais rápido, pensando "É hoje que serei assaltada" ao ver algumas pessoas (vale lembrar que inúmeras mulheres têm muito mais medo de serem estupradas que roubadas). 
Pra mim, particularmente, não faz diferença se é branco ou negro. A idade importa: quanto mais velho, menos medo eu tenho. O modo de vestir também. Note que não estou oferecendo nenhuma estatística sobre quem rouba, e sim a minha reação (que pode ser totalmente irracional) a pessoas desconhecidas na rua. Uma coisa que percebi a meu respeito é que tenho mais medo de quem vem na minha direção de mãos abanando. Se estiver segurando cadernos ou livros, é estudante, e aí não tenho medo. Tipo: tenho mais medo de quem não carrega nada do que de quem carrega uma mochila (estranho, eu sei).
Mas obviamente que o que me causa maior temor é se é homem. Se for mulher, não tenho medo nenhum, até porque nunca fui assaltada por uma mulher, e não conheço quem tenha sido. Se for casal hétero, também zero de medo. Mas se for homem, sozinho ou, pior, em grupo, tenho medo. 
E claro que não são apenas as mulheres que têm medo de homens. Homens também têm medo de homens. Não porque homens são estupradores em potencial (não acredito nisso) ou ladrões e assassinos ou naturalmente agressivos, mas porque a enorme maioria de toda a violência no mundo é causada por homens. Esta não é uma suposição, é um fato. O que todxs nós precisamos discutir é por que isso acontece, e como pode ser mudado.
Enquanto mulheres são tachadas de irracionais, praticamente todos os serial killers são homens. Causadores de massacres em escolas? Quase todos homens (e dos EUA -- por que isso acontece tanto por lá?). Quem se envolve em mais acidentes fatais no trânsito? Apontar o óbvio é totalmente diferente de dizer que todos os homens são serial killers ou atiradores em massacres ou motoristas agressivos. Mas há algo de muito errado num modelo de masculinidade que gera tanta violência.
E não me venha culpar as mães e professoras. Mulheres não criam crianças sozinhas. É a sociedade que educa. 
Enfim, não quero me prolongar nessa discussão, até porque estou completamente sem tempo. Queria era deixar um comentário da Vivian, que no post sobre o assassino de Santa Barbara escreveu:

Já existe uma sociedade praticamente sem violência.
Se chama a parte das MULHERES da sociedade.
Em qualquer tipo de crime, QUALQUER, mulheres são a extrema minoria dos responsáveis. Mulheres praticam crimes em escala muito, mas muito menor que os homens.
A diferença como homens e mulheres são educados tanto pela família quanto pela sociedade está aí, gritando na nossa cara, gerando resultados completamente discrepantes de quantidade de violência produzida por gênero. Enquanto a sociedade sabe que não precisa temer mulheres em geral, sabe que precisa temer os homens em geral (inclusive os homens temem homens).
A solução para a violência é mesmo a educação, mas não a educação que existe hoje. A solução é uma educação com consciência de gênero e consciência das consequências em criar homens e mulheres de forma diferente.
Passamos anos ensinando as mulheres a agir como homens, mas chegou a hora de inverter este quadro. Chegou a hora de educarmos os homens do mesmo jeito que educamos as mulheres. A solução para a violência na nossa sociedade está na nossa cara.
São inegáveis os benefícios sociais que existem na forma como mulheres são educadas. Imaginem uma sociedade com um percentual de crimes equivalente à quantidade de crimes cometidos por mulheres hoje. É ínfimo.
Esta é uma questão polêmica por ser praticamente ignorada, mas tão óbvia que é de se pensar por que ainda não está sendo discutida com base em resultados, como por exemplo que gênero efetivamente comete crimes na sociedade.
É realmente algo a se questionar.
(Este ponto atribui à cultura a violência impregnada nos homens da nossa sociedade. Algumas opiniões dizem que é inerente ao homem ser violento, porém admitir isso é admitir todas as consequências desta declaração, inclusive de que se homens naturalmente são violentos, então a sociedade deve empregar meios de limitar a atuação dos homens enquanto sujeitos. Por este motivo, refuto este argumento, pois acredito que o homem não é naturalmente violento.)
Atualmente, 580 mil pessoas estão presas no Brasil. Quase 37 mil são mulheres, o que corresponde a 7% dos encarcerados.
Já pensaram em uma sociedade em que a criminalidade fosse reduzida em 90%?
Já existe, e se chama metade das mulheres na sociedade.
Avaliem o porquê deste fenômeno.

100 comentários:

André disse...

Mas tem que achar um meio termo, porque a educação das mulheres é opressora, ser manso e oprimido também não é muito bom.

Anônimo disse...

Já fui assaltada por um casal hetero. Nunca ia desconfiar do casal andando abraçadinho na minha frente, até que cheguei bem perto, eles viraram, me encostaram na parede e assaltaram. Acontece.

GHOST disse...

voce diz que as mulheres ganham o esteriotipo de irracionais mas os homens são os maiores causadores da violencia. sim homens são mais violentos, mas se as mulheres são tão racionais assim, porque quase todas elas se relacionam com homens e muitas vezes com homens violentos? ate o goleiro bruno conseguiu uma nova parceira. isso não seria uma prova da irracionalidade da mulher?

lola aronovich disse...

"Quase todas elas se relacionam com homens violentos"... Vc é uma piada, Ghost. Que tal tentar comentar o problema, em vez de criar mais um dos seus ghost problems?



Anon das 15:59, claro que pode acontecer, e acontece. Mas convenhamos que é raro. Ultimamente tenho ficado com medo de dois caras andando de moto, porque (dizem) que está tendo muito assalto de dois homens em moto.

notyourmari disse...

Eu já fui assaltada duas vezes, por dois homens adultos, brancos, e bem vestidos (bem vestido = calça jeans, camiseta limpa e passada, cabelo bem cortado, tênis novo) então eu meio que percebi que os estereótipos e medos da população eram, em boa parte, balela, principalmente falando de adolescentes negros e pobres.

Preconceito contra homem eu infelizmente tenho :( Já fui cercada na rua por um jovem que só queria fazer graça com o meu terror (branco, e pelo jeitão provavelmente um privilegiado da universidade de humanas, porque tava fazendo cosplay de pobre e claramente não o era, logo, bem educado), já quase fui estuprada por um conhecido, já fui humilhada por namorado, comi o pão que o diabo amassou na mão do pai, tenho tias vítimas de violência doméstica, assim como minha mãe também é, tenho uma avó que foi mutilada pelo próprio marido e céus, por aí vai. Já tive motivos pra ter medo de professor, de homem que senta ao meu lado no busão, de homens da internet, de homens que se declaram feministas (afinal, eles podem ser feministos. e eu sei de um feministo estuprador que usava o feminismo pra justificar a própria violência) e por-aí-vai. As mulheres da minha família inclusive me pedem pra eu NÃO me relacionar com homem, ficar com eles só por diversão e JAMAIS casar, porque TODAS elas têm histórias de horror pra contar.

E eu tava pensando aqui que não dá pra descartar que o machismo seja, também, relacional. A mulher precisa ser empática, boa, cuidadora, humanista, amorosa, e blábláblá, porque isso É COERENTE com a outra parte que é enérgica, violenta, agressiva, etc. Se o machismo fosse magicamente abolido, quem ia ter esse papel? A educação das mulheres não é assim só porque mulheres são inerentemente boas. Toda essa empatia e bondade pode levar à inércia, por exemplo, enquanto o "boss" precisa ter um monte de "qualidades" que são assustadoras. Será que a gente não teria que mexer nas bases das bases da sociedade? Será que a parada não é sistêmica?

Anônimo disse...

Sim, Lola, assalto por casal eh rarríssimo. Só comentei porque a gente tem que estar atentas a todos na rua, infelizmente.

Angélica disse...

Hum, eu achei interessante o ponto dela, mas concordo com o André: as mulheres são educadas com opressão, e a opressão vem justamente dos homens. Educar os homens da mesma forma significaria inverter a opressão, e quem faria esse papel? Nós, mulheres? Não, certamente não queremos isso.

Concordo plenamente que a violência do mundo está diretamente ligada ao machismo e à forma como os homens são educados, mas isso não se resolve de forma tão simples. Não somos violentas, mas nessa educação que recebemos nos ensinam a não reagir, a ter medo, a sempre arranjar uma forma de nos protegermos do agressor natural, o homem. E sofremos com isso todos os dias. Não dá pra desejar isso pra eles, né?

D Stoffel disse...

Infelizmente há mulheres que fazem isso, mas é verdade temo homens se tiver naquele estilo mochila nas costas e boné então já fico de olho.
já fui assaltada por esses tipos, e são realmente os mais comuns.
Temos que fazer uma reeducação na sociedade até homem tem medo de homem tem algo errado aí.

Sara disse...

Esse é um tema q sempre me preocupou, inclusive diversas vezes já falei sobre isso aqui mesmo.
É notável como os homens são violentos e agressivos, em todas as áreas.
Quando se discute assuntos relativos a violência com meu marido ou com grande parte dos homens q eu conheço, ou até mesmo aqui nos comentários, é muito simples e fácil constatar que eles sempre tem a tendência de querer resolver quase todas as questões com violência, sempre estão sugerindo q a violência é a solução pra muitos problemas, muitas vezes até banais.
Outra coisa q eu já notei é como os homens dirigem no trânsito, não respeitam regras, nem pedestres, se enfiam em espaços impossíveis, andam qse sempre em velocidades muito acima do q é permitido, estão qse sempre buzinando e xingando todos os outrXs motoristas, não é atoa q as seguradoras dão descontos as mulheres, pois é muito óbvio o descuidado com que homens dirigem, e pior é q fazem piada de mulheres no volante, como se isso fizesse algum sentido diante das estatísticas de acidentes.
Eu gostaria muito q houvessem estudos mais conclusivos sobre esse assunto, pq diferente de vc Lola, eu creio q essa violência faz parte da biologia masculina, mas espero sinceramente q eu esteja errada, e q esses comportamentos sejam construídos e portanto sejam passíveis de desconstrução.

Marcos Alves disse...

Um outro lado da história...

http://www1.folha.uol.com.br/mundo/2013/10/1355974-albinos-sao-alvo-de-mutilacoes-e-assassinatos-em-paises-africanos.shtml

Anônimo disse...

Homens tem que ter força, não pode chorar, e revidar com a raiva.
A mulher externaliza sues sentimentos com mais frequencia, observe que mulheres se expressam mais com o rosto do que homens, e não sou eu que estou dizendo já foi feito um estudo sobre isso.

Anônimo disse...

E também não sei o porque da mulher sofrer mais depressão que o homem, será que tem haver com isso do homem não poder externar seus sentimentos, ou será que é por conta da mulher sofrer mais cobranças , machismo etc... pq machismo cobrando na tua cabeça + problemas pessoais te afetam diariamente a gente pira.
em fim não sei queria achar essa resposta.

Anônimo disse...

E lendo isso que é só uma constatação.
Eu ainda não sei como dizem que a mulher é menos racional.
Só de viver sobre as regras do patriarcado já te faz pensar 2as vezes quando tomamos uma decisão.




Anônimo disse...

Marcos alves isso ocorre em vários lugares infelizmente até com crianças.
Normalmente usado para rituais e sacrifícios.







notyourmari disse...

Sabe o negócio do "mulheres querem ser iguais mas pegam o pior do homem"?

Olha, eu era do tipo de pessoa que, quando confrontada, chorava. Se alguém me tirasse algum direito, eu abaixava a cabeça e ia embora. Quando alguém vinha me pedir abrigo e ajuda, por mais que a pessoa estivesse errada, eu ia lá e ajudava, meio que esperando que a pessoa fosse mudar - não mudava, mas era "meu papel" cuidar de todo mundo.

Hoje eu aprendi a cometer pequenas agressões no dia a dia. Engrossar a voz pra negociar o preço de alguma coisa numa situação que qualquer homem o faria também, pra deixar claro que alguém estava errado, pra afastar pessoas que estavam invadindo meu espaço, pra defender meus pontos. Com a minha voz fina de criança, minha altura ínfima, e minha delicadeza, eu nunca conseguia nada, e junta isso com uma ansiedade social e baixa autoestima eu podia perceber nos olhos das pessoas que elas achavam que eu não existia. Eu era ignorada mesmo, ou as pessoas achavam minha revolta "uma graça". QUANTAS VEZES eu já não ouvi "ah, você fica muito fofinha brava :)"

Então eu aprendi a agredir :( Aprendi a gritar com ficante abusivo ao invés de tentar "mudar ele com carinho", aprendi a bater o pé quando passam por cima de um direito meu, aprendi a me meter em briga pra calar quem me desrespeitava. Aprendi a ofender, ser grosseira, e por aí vai.

Claro que eu me mordo de arrependimento no fim do dia. Minha "natureza" é ser fofa, cuidadora e quietinha - coisas que toda menina aprende. Minha mãe inclusive me ensinou a antes de ficar brava com uma situação, pensar "mas o que EU fiz de errado?". Mas sei lá, cansei.

Verô! disse...

Concordo plenamente com o comentário da Vivian. Deixa só eu acrescentar uns dados. Os 5 países com maior igualdade de gênero segundo dados da United Nations Development Programme são:

1. Holanda
2. Suécia
3. Suíça
4. Dinamarca
5. Noruega

O Brasil está na posição 85.

Os 5 países com maior desigualdade entre gêneros são:

1. Iêmen
2. Afeganistão
3. Níger
4. Arábia Saudita
5. República Democrática do Congo

Ai vão me dizer que não existe relação entre igualdade de gênero, qualidade de vida, desenvolvimento e segurança? Aham, mascu, senta lá.

Daniela disse...

Deve ter sido um erro de digitação, mas "Pra mim, particularmente, não faz diferença se é branco ou pobre." ficou com um paralelismo estranho, Lola.

lola aronovich disse...

Putz, que erro grotesco, Daniela! Muito obrigada por corrigir.


E gente, concordo que a educação da mulher é opressora. Mas, de algum jeito, cria seres humanos que convivem muito melhor em sociedade. Como eu disse, dá uma ampla discussão...

Anônimo disse...

O curioso é que os pais repreendem os meninos que "agem que nem mulherzinha", deveriam ficar felizes...

Marussia de Andrade Guedes disse...

Mas deve ser por toda essa passividade que boa parte das mulheres do mundo vive submissa acatando regras de conduta absurdas. A violência masculina é um problema que deve ser debatido e resolvido mas a passividade feminina , nem de longe , é algo de que devemos nos orgulhar.

Ana Nazaré disse...

Eu não acho que a agressividade e o mau comportamento é uma coisa só de homens. A verdade é que estamos a milhares de anos sob o domínio masculino, vivemos numa sociedade machista que cria o homem diferente da mulher, é importante podermos trabalhar hoje mas ainda mto tem que mudar, pq na essência a sociedade ainda é a mesma, emocionalmente ainda é difícil da mulher se desenvolver, .Afetividade, empatia,espírito de comunidade em detrimento da competitividade, tudo isso faz parte de uma cultura onde o feminino existe, é abrigado, onde as mulheres têm poder tanto quanto os homens. Eu acho que as mulheres precisam despertar desse sono coletivo,realizar ações, círculos de mulheres, para sairmos desse amortecimento e começarmos a pensar em alternativas para o bem do planeta, de todos.

Anônimo disse...

Inclusive quando fui comprar meu cachorro a garota do petshop falou que os machos eram mais agressivos,talvez seja a biologia do corpo ou o fato do "sucesso" que a sociedade impõe são para homens ser rico ou famoso e mulheres bonitas e gostosas.
De fato o problema esta em parte na sociedade mas não do jeito que você diz.

Musicista Feminista disse...

Anônimos destilando a sua sabedoria....já foi feito estudo e blá, blá, blá...homens são mesmo assim...
Se não houvesse uma diferença brusca na criação de meninos e meninas eu até acreditaria.
E mesmo se vc tiver o gene da estupidez, o resto do mundo não tem que arcar com isso, pois vc é um ser humano, e não um animal irracional que ataca por instinto, tem muita noção do que está fazendo.

FEMEN no poder disse...

nao sei como essas aberraçoes podem andar na rua sozinho,no seculos passados eles nos oprimiram mas nesse seculo o oposto vai tomar forma e eles trabalharao e serao oprimidos e as mulheres poderao matar homens se julguem eles mal educados .o homem branco vai pagar por tudo,SÓ ESPALHE A SEMENTE LOLINHA .

jorge disse...

nossa,feministas mais uma vez com sua arrogância.
o mundo vai ser uma maravilha mesmo,se todos se comportarem como mulheres...
eu n pesquisei numeros para saber se está certo mesmo,mas vc vem dizer 37 mil bandidas é ínfimo?
mulheres matam,traficam,roubam,são tão cruéis quanto alguns homens.

paraíso mesmo vai ser o dia que mais ninguém for violento e pelo visto isso está bem longe de acontecer.

Anônimo disse...

Poso ser burra e ter entendido errado, mas a ideia básica é : "mulheres são criadas de forma a serem submissas e oprimidas. Mulheres cometem menos crimes. Vamos oprimir e fazer todo mundo ser submisso". É isso?

Anônimo disse...

ALGUMAS mulheres gostam de homens alfa, traficantes, violentos, presidiários. Elas têm esse direito. Não se pode generalizar. E não cabe a nós julgar quem vai namorar com quem. E irracional é você.

GHOST disse...

''FEMEN no poder disse...
nao sei como essas aberraçoes podem andar na rua sozinho,no seculos passados eles nos oprimiram mas nesse seculo o oposto vai tomar forma e eles trabalharao e serao oprimidos e as mulheres poderao matar homens se julguem eles mal educados .o homem branco vai pagar por tudo,SÓ ESPALHE A SEMENTE LOLINHA .''

voce só tem papo, mas não é capaz de fazer nada. voce não tem poder nenhum no mundo. a realidade da vida é que todas ideologias políticas só servem pra fazer lavagem cerebral e movimentar a sociedade. poucos como eu, conseguem perceber que a essencia do ser humano é ser sozinho, nessahan alita tambem percebe isso. o que vale nesse mundo é meu egoísmo, e os interesses do individuo não batem com os interesses de grupos ou nações. ate mesmo ayn rand era burra por confundir egoísmo com elitismo, uma vez que egoísmo é focado no individuo, elitismo em um determinado grupo. eu refuto ela completamente, nunca teve uma mulher pensadora que tenha falado algo decente.

Anônimo disse...

tem uma tedtalk do colin stokes sobre educação de meninos e filmes animados bem fofinha sobre isso

Anônimo disse...

Não vou dar respostas. Mas acho que essa análise não pode ser feita sem considerar a questão racial. Por que a maioria dos crimes são cometidos por homens e mulheres negros e negras? Miséria? Machismo? Cultura? Biologia? Respondam por favor!!!!!!

Rebecca Souza disse...

Estranho quando me vejo na outra mão dos acontecimentos.sempre pratiquei luta,em uma época que era 2 meninas pra 30 meninos em uma sala de artes marciais.
Então cresci em um meio que as mulheres conseguem ser tão agressivas quando os homens,existe até uma constatação que lutas de mulheres costumam ser mais agressivas e competitivas que as dos meninos.
Mas,lógico que tenho medo de ser roubada,fui uma vez,mas,era um menino ,e tava com uma faca então consegui me defender.
e já tive amigos que lutavam e morrera pq tentaram reagir a assaltos com armas de fogo
Uma realidade é que realmente acabamos reproduzindo o pior dos aspectos masculinos.Durante muito tempo reparei que ficava agressiva com qualquer coisa,não conseguia dialogar,uma simples discurssão já era motivo para querer ´´dá uma lição em alguem´´
HOj já me controlo mais,penso primeiro que sou treinada e que posso machucar mais seriamente uma pessoas,se não me controlar.
Nâo precisamos de pessoas agressivas,nem mulheres,nem homens

Anônimo disse...

""a enorme maioria de toda a violência no mundo é causada por homens.""

Vou tomar violência como agressão física. A maioria segundo a autora seria causada por homens. Pode ser, mas isso é devido a terem força física maior. As mulheres produzem menos violência, não por escolha, mas porque nas áreas que são necessárias o uso da agressão as mulheres não conseguem competir com os homens. Mas no campo do pensamento as mulheres tem ideias tão violentas quanto a dos homens, só um imbecil para achar que não. Nessa semana uma ministra da Tailândia pediu para sair porque tinha dito que era pra matar todos que protestassem.

"praticamente todos os serial killers são homens""Causadores de massacres em escolas?"

Está tomando exemplos de marginais, ditos com problemas mentais, pelo resto dos homens. É totalmente desonesto querer colocar junto homens comuns com psicopatas. Compare os psicopatas homens com as psicopatas mulheres. Agora se o seu argumento é que existe maior quantidade de psicopatas assassinos homens, isso não é devido a uma educação mais violenta (física e psicológica) com os homens?

"Quem se envolve em mais acidentes fatais no trânsito?"

Nunca passou pela sua cabeça que homens são naturalmente mais agressivos? No reino animal, por exemplo com leões, tudo bem os machos serem mais agressivos, afinal eles não disputam verbas de ONGs, mas com o homem tem que ser cultural assim se captam bastante verbas.

"Mulheres não criam crianças sozinhas. É a sociedade que educa."

E mulheres não fazem da sociedade?? Que argumento lixo esse.

""por exemplo que gênero efetivamente comete crimes na sociedade.""37 mil são mulheres, o que corresponde a 7% dos encarcerados."

Os crimes que dão pena na cadeia são os crimes violentos e nesses as mulheres não disputam com homens pela força física como já disse anteriormente. Agora quero ver essa senhora provar que nos crimes sem uso de força os homens são maioria.

O feminismo não passa de por homens contra mulheres, os idiotas úteis seguem isso e fortalecem o Estado. Parabéns.

Fernanda disse...

Lola, exatamente hoje li uma matéria com abordagem parecida à do post: http://brasil.elpais.com/brasil/2014/01/25/opinion/1390669671_059501.html

Título: O macho, arma de destruição em massa.

Raven~ disse...

A garota do pet shop mentiu pra vc. Qualquer um que já tenha criado cachorros sabe que as fêmeas são mais agressivas.

Thomas disse...

"praticamente todos os serial killers são homens"

Falou besteira, Lola. Você devia dar uma pesquisada antes de escrever certas coisas. Há um número enorme de serial killers mulheres, segue a lista das que se tem notícia até agora.

http://unknownmisandry.blogspot.co.nz/p/index-female-serial-killers.html

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Lola, você só disse verdades. Mas acho que infelizmente a maioria dos homens não foi criada pra ler um texto como esse de mente aberta, sem responder com alguma agressão ou tomando como alguma espécie de competição. Acaba sendo uma ironia.

Anônimo disse...

"Então cresci em um meio que as mulheres conseguem ser tão agressivas quando os homens,existe até uma constatação que lutas de mulheres costumam ser mais agressivas e competitivas que as dos meninos."

Eu li num blog feminista que a competição entre homens era do tipo "corrida": você precisa ter mais recursos e chegar na frente; já a feminina era um blood sport onde você tinha que eliminar suas concorrentes.

Isso era fazendo crítica à competição e hostilidade entre mulher.

Anônimo disse...

Essa questao da educação é muito influente mesmo. Exemplos da minha criação (pai militar, eu filha mais velha, meu irmao filho mais novo. minha mae era professora, virou dona de casa cujo argumento preferido é "eu abandonei minha vida por voces"):

-Sempre fui mais exigida em questao de disciplina, notas na escola e comportamento
-Quando meu pai tentava me ensinar alguma coisa quando criança ele começava a gritar e minha unica reação era chorar (ate hoje tenho que me controlar pra nao chorar nem lacrimejar quando tenho uma discussao com ele)
-Tinham mais restrições comigo em relação a começar um curso novo, estudar a tarde, estudar longe (argumento de que mulher e mais fragil, eu ficaria cansada, era perigoso voltar tarde etc)
-Eu tinha que participar mais nas tarefas domesticas porque sou mulher, a sociedade é assim (se eu engravidar preciso saber cuidar da casa e do filho)
-Nunca permitiram que eu falasse palavrao (tudo bem com o meu irmao)
-Se eu sou agressiva em discussoes recebo tapas na cara , se meu irmao é agressivo , somente palavras (isso pq a mulher e mais fragil ne... as vzs eles tavam com medo do meu irmao reagir ;P)
-Eu nao posso dormir fora, ir a festas de noite e se volto tarde, é um desespero, com ele nao (inclusive se ele corta relações e nao responde celular etc)
- as conquistas dele sao muito mais valorizadas (ele tem mais apoio tbm, eles tem a noção de que "mulher amadurece mais cedo" e que eu ja entendia o que era melhor pra mim)

Enfim, ate esqueci o que isso tem a ver ;P

Isso pq eu sou parte de uma familia bem normal , classe media, etc. E isso foi o que eu CONSEGUI perceber, imagina o que eu nem reparo.

Anônimo disse...

É óbvio que ensinar uma pessoa a se anular, viver se submetendo a abusos, sempre quietinho e só se importando com o que os outros querem é péssimo. Mas mulheres não são educadas pra resolver tudo na porrada, nem pra achar que o mundo lhes deve algo, e consequentemente não saem por aí atirando em quem não lhe deu o que "lhe é de direito". A agressividade é desestimulada e o incentivo é para que as mulheres resolvam os problemas com outrxs através do diálogo e da negociação. E isso é bem melhor do que a educação que os homens tem.

Sara disse...

Excelente esse artigo q vc postou Fernanda, até arquivei pra ler com mais calma.
Mas essa frase me chamou muita atenção...

"Reconheçamos: os homens são a maior arma de destruição em massa que a história da humanidade já viu, e há 3,5 bilhões deles à solta por aí."

Mas pelo menos fico feliz q mais pessoas assim como eu estejam preocupadas e buscando uma solução pra agressividade e violência masculina.
Pro inferno com esses brutamontes q vem aqui dizer q nós mulheres feministas queremos mudar sua natureza ou coisa q o valha, como se o mundo saturado da violência machista estivesse ótimo pra todos, o q queremos apenas é conviver pacificamente com todos os sexos.

Anônimo disse...

Lola:

Já li em fonte séria (mas como vc, não me recordo mais onde) que uma das explicações é genética (´´obvio que isto não exclui a questão da educação): tudo indica que o cromossomo Y (ou o desbalanceamento de algum gene que só exista na parte do cromossomo X sem a parte correspondente do Y) traz consigo a agressividade.
Pesquisas em prisões dos EUA mostram que há uma proporção muito, mas muito maior, de homens XYY na população carcerária do que na população em geral.

Anônimo disse...

Já eu desconfio de todo o mundo porque já vi "lixos" que são homens, mulheres, negros, brancos... não importa, gente ruim não tem cor nem sexo. E acho estranho essa gente que desconfia só de homem ou qualquer outro tipo específico. Talvez seja porque vive num mundo menor, não tem muita curiosidade das experiencias dos outros que não sejam amigos ou parentes.

Anônimo disse...

Já fui assaltado e confesso que é uma experiência muito ruim.
Na ocasião eu tinha 16 anos e um garoto de não mais que isso (arrisco dizer que tinha 14) e era claramente um usuário de drogas saiu de repente de uma esquina e anunciou que tinha uma faca embaixo da camisa e pegou meu celular, eu acertei algumas pancadas nele e ele acabou fugindo(com o maldito celular), algumas conclusões que eu tirei do fato:

1ª Não tenho medo de homens na rua só por serem homens, eu só me preocupo quando eles aparentam ser drogados (sujos, com blusa de frio ou sem camisa...), claro que não são só drogados, mas a maior parte dos assaltos com certeza é praticada com o intuito de conseguir droga.

2º Bandido-mirim não tem o menor medo de cometer crimes a luz do dia, afinal a lei não pode puni-lo, se não fossem os meus socos (e provavelmente um nariz quebrado) ele teria saído totalmente impune.

Então minha conclusão é que se tratando de ASSALTOS, o problema não é o homem ou sua educação, o problema é o poder viciante da droga, que faz a pessoa querer mais a todo custo, mesmo que pra isso ela tenha que tirar a vida de alguém e também a impunidade, que dá a aquelas pessoas a certeza que não serão punidas por seus atos contra os outros.

O fato das mulheres drogadas não cometerem tanto esse tipo de crime só acontece porque elas tem uma moeda de troca: o corpo, enquanto ao homem só resta usar a força pra conseguir o que quer.

Claro que existem muitos ladrões que não são viciados, mas a maioria é, e a maioria é que mais preocupa.

Agora vou ser um pouco hipócrita: Não acho que deva existir pena de morte, mas adoraria se a bateria daquele celular tivesse explodido e todos os usuários e traficantes em volta morressem intoxicados com lítio da bateria.

Não vejo diferença entre colocar qualquer nome ou assinar anônimo, ninguém vai saber quem sou na vida real, mas se alguém quiser responder, pode me chamar de L6

Ana disse...

Muito interessante o que você fala, Lola. Nos comentários de algum post mais antigo, alguém mencionou o Dr Dráuzio Varella e a constatação que ele fazia de que somente as mulheres cuidam dos doentes nos hospitais. Acabei assistindo a participação dele no Roda Viva em 2012,
http://www.youtube.com/watch?v=GTPFyx7p4yE&feature=kp
e ele observa exatamente as diferenças entre homens e mulheres no que concerne a criminalidade. As mulheres, além de representarem uma ínfima parcela da população carcerária no Brasil, são responsáveis por crimes muito menos graves, a maioria tráfico de drogas. E essas mulheres são abandonadas pela sociedade. Não são sequer visitadas. Enquanto que nos presídios masculinos, as filas já na véspera do dia de visita são imensas, e formadas obviamente por... mulheres.

Somos ensinadas a cuidar, a sermos responsáveis pela nossa família e amigos, a resolvermos os conflitos de forma pacífica, a deixarmos nossos interesses pessoais em segundo plano, enfim, o post e os comentários dizem tudo isso mais e melhor do que eu.
Precisamos sim de uma educação igualitária para meninos e meninas. A sociedade como um todo se tornaria menos violenta e mais justa.

Anônimo disse...

E isso de homem-branco-hetero ser o opressor.onde moro parece que quanto mais homem-branco-hetero é, mais analfabeto-puxador-de-carroça é.E ainda os que conheço são tão tranquilos e humildes. Por isso que esses movimentos feministas,LGBT e de igualdade racial não fazem muito sentido ,além de alimentar o ego de certos homens-brancos-heteros-psicopatas, por chama-los de opressores. O que deve existir é um movimento só em pró da igualdade e contra quaisquer discriminações.

Thomas disse...

Aliás, eu discordo totalmente do post. Mulheres cometem tantos crimes violentos quanto homens. A violência é algo natural do ser humano, independe do gênero, não é à toa que somos os mais terríveis e bem sucedidos predadores que este planeta já viu.

A diferença é que as mulheres costumam escapar mais de condenações do que homens, principalmente quando as mulheres matam homens. Graças ao machismo e a maneira como a mulher é considerada frágil, carinhosa e bondosa, dá um trabalho absurdo condenar uma mulher por um crime violento. A mulher raramente sequer é considerada suspeita por um crime que, se fosse cometido por um homem, ele seria considerado o principal suspeito.

Duvidam? Tem um caso recente aí rolando na mídia sobre um homem do litoral de são paulo que matou e esquartejou o zelador do prédio em que morava, com a ajuda da esposa (que inclusive foi liberada da cadeia no mesmo dia em que ambos foram presos). Só depois que a polícia entrou no apartamento do casal assassino e encontrou evidências comprometedoras, a esposa foi considerada a principal suspeita do assassinato do ex-marido, morto a tiros, crime que até então estava sem resolução desde 2006, quando essa mulher sequer havia sido considerada como suspeita.

Agora imaginem se fosse o contrário, se o marido tivesse assassinado a esposa a tiros. Vocês acham que ele não seria nem considerado suspeito?

Isso é só um exemplo recente, há muito mais por aí e nem é preciso procurar muito.

Sem contar que é só vocês assistirem ao Cidade Alerta ou Brasil Urgente pra verem que a divisão de crimes, brutais e menos sérios, é até que bem balanceada entre os gêneros.

Lógico, homens cometem mais crimes mesmo. Há motivos pra isso, mas são tão óbvios que não vou subestimar a inteligência de vocês tentando explicar.

Mas vão pensando que é só criar os homens da maneira que se cria as mulheres que o mundo vai ficar lindo. Não vai. Violência, brutalidade, agressividade, disposição pra destruição, opressão e tudo de ruim que existe está intimamente ligado com o que significa ser humano. Paz e harmonia entre os homo sapiens sempre existiram apenas até o interesse imediato de alguém ter mais valor que o bem estar do próximo.

Pra ser feminista acho que não precisa ficar viajando num conto de fadas. Quem leu o post da Lola e concordou com ela precisa acordar pra realidade o quanto antes.

Anônimo disse...

Mulheres discutindo masculinidade, e como homens querendo pautar o feminismo.

Anônimo disse...

Homens quando estão dispostos a cometer um ato violento, eles comete. Mulheres quando querem partir para a violência, elas seduzem um homem para faze-lo por elas, assim funciona a logica por exemplo de mulheres de bandidos.

Bruna disse...

Meu padrasto e o amigo foram roubados por dois rapazes brancos e bem vestidos. Se aproximaram num posto de gasolina pra perguntar sobre o carro do amigo do meu padrasto que estava com um cartaz de "vende-se". Conversa vai, conversa vem, mostraram a arma discretamente e disseram pra entrar no carro, que não iam fazer nada, só queriam o carro. Largaram os dois num lugar deserto e ainda tiveram a cara de pau de dizer que só iam usar o carro pra uma "parada" e depois devolviam. Eu só ouvindo o relato e pensando "se fosse uma mulher ia ficar apavorada com medo de estupro", mas aí um tio babaca meu dias depois resolveu fazer uma piadinha perguntando com deboche se os caras não tinham se "aproveitado" deles. Como se isso fosse engraçado.

Anônimo disse...

Anon 18:06, já tive 5 cachorros na vida. 4 fêmeas e 1 macho. Duas fêmeas eram agressivas, o macho não é, aliás ele é muito meigo. As duas cadelas agressivas que tive foram compradas em pet shop. Acho que isso explica muito mais a agressividade de um cão. Penso que cachorro de pet shop é traumatizado.

Raven~ disse...

Se o homem é naturalmente violento anon de 20 e 12, talvez vcs devessem ser mantidos em jaulas não? Burro.

Eduardo Nobre disse...

O homem pode ter uma maior tendência biológica para a violência, mas isso não é determinante, se assim fosse em países como Holanda e Suécia teríamos os mesmos índices de criminalidade que no Brasil (afinal, se o problema é biológico e não social, não deveria fazer diferença).

Concordo com a Lola de que não criamos filhos sozinhos, a sociedade "ajuda", e MUITO. Antes de ir para a creche nosso filho mais velho era um doce, educado, pedia obrigado para tudo, licença, não falava palavrões, não brincava de lutinha etc., agora que está convivendo com outras crianças está aprendendo a xingar, a bater nos outros, e temos que ficar repreendendo, acho que tudo isso deve ser meio confuso pra ele.

E nós estamos confusos também, porque ele terá que viver em sociedade, não podemos criar uma criança em uma bolha. Está sendo difícil disputar a admiração dele com a sociedade, mas ainda estamos prevalecendo.

Anônimo disse...

Lola,

Concorso que a criação é fundamental, mas Acho q não podemos ignorar a questão biológica. Homens têm mais testosterona, um hormônio que em maior quantidade gera maior agressividade.

Mulheres transex q passam por reposição hormonal e ingerem grandes doses de testosterona para fazer a transição para o fenótipo masculino costumam relatar que se sentem mais agressivas tb.

Seres humanas não são apenas produtos do meio. São tb resultado da biologia.

Anônimo disse...

Thomas Toddy, claro que existem serial killers mulheres. Inclusive estou atualmente fazendo pesquisas sobre uma, talvez a primeira da história, Elizabeth Bathory. Mas se você comparar a lista de serial killers mulheres com a de homens vai ver que os homens são sim a esmagadora maioria dos assassinos. E é sério que você esperou chegar aqui e ser levado a sério com um site chamado "unknow misandry"? Se mesmo entre as assassinas do sexo feminino a maior parte das vítimas é de outras mulheres ou crianças (vide a senhora que eu citei ali em cima)? Não sei se rio ou choro... (mentira, tô rindo muito aqui XD)

Anônimo disse...

Alguém aqui falou em depressão. Eu acho que a prevalência de depressão em mulheres está muito ligada à questão da agressividade. O ser humano é agressivo. Homens são ensinados a externar a agressividade. Mulheres são ensinadas a reprimir a agressividade e a internalizam.
Será que seria bom educar homens como hoje se educa mulheres? Eu acho que não. Mas não é disso que trata o texto. Não se trata de reprimir TODO MUNDO, mas de criar homens e mulheres para a igualdade. Criar mulheres e homens para a empatia e também para a competição, porque o mundo é feito das duas coisas. Não segregar. É o que eu penso.

Anônimo disse...

Sou mãe de menino e percebo que meu filho tem uma necessidade enorme de se mexer quando está com raiva (bater, morder coisas, socar - ele tem 2 anos). Mas opa, eu também tenho isso! Minha raiva se alivia quando eu pulo, soco almofadas... Por muito tempo evitei e ignorei essa necessidade de movimentos bruscos na raiva. E percebi a violência crescendo em mim, só que a violência voltava para mim mesma. Me batia, me arranhava. Depois que saquei a necessidade, comecei a fazer o que meu corpo pedia.... socar almofadas é milagroso.

E quando estou com raiva sentia vontade de bater no meu filho, demorei para aceitar isso. Mas quanto mais eu negava, mais perto eu ficava de agir assim.

Para mim a violência nada mais é que a raiva reprimida, não permitida! Quando aceitamos a raiva, ouvimos nosso corpo não precisamos machucar ninguém (nem nós mesmos!). Então, para mim mais que educação o essencial é educação emocional!

Porque o problema não é sentir a raiva. Temos de parar de demonizar os sentimentos ou colocar o racional neles ("não posso sentir raiva por isso, é errado"). O problema é como nós reagimos a essa raiva.

Anônimo disse...

Sobre depressão, nota-se que a mulher por lidar mais abertamente com seus sentimentos,ela veste a depressão. O homem a engole seco, a depressão masculina se nota somente no olhar. Por isso a taxa de suicídios masculinos e quase 4 vzs maior que femininos.

Anônimo disse...

Plano feminista para "mudar o mundo":
Como descobriram que não se muda metade de um mundo, vão usar a única arma que tem neste sentido, a maternidade.
Vão afastar os filhos homens dos pais(estes reduzidos a um cheque no fim do Mês)e vão emascula-los desde a infância, usando todo tipo de experimentações sociais, como lhes vestir uma saia e manda-los para escola por exemplo.

Anônimo disse...

Eu acho um reducionismo enorme, quando comparam países minúsculos e subpovoados, como Holanda e Suécia, que tem uma cultura planificada, com o Brasil de pressões multiculturais e históricas a vassaladoras.

Natalie disse...

Oh puxa. Para os babacas que disseram é é normal "homem ser violento", uma pequena pergunta:

O que vocês estão fazendo fora das jaulas?

Anônimo disse...

Durante minha tese de mestrado, eu pesquisei por vários estudos comportamentais, que analisaram esta diferença de agressividade entre os gêneros. Os norte americanos tem uma vasta experiência neste campo.
E em muitos estudos, notou-se que os homens, ao contrario do que pensam, fazem um esforço colossal para conter sua agressividade.
As relações interpessoais femininas, são sim marcadas por muitas intrigas, mulheres quando entram em um circulo de competição, são mais irônicas e dissimuladas do que homens em um estado de competição social.
Mas acalmem-se, eu explico, não por o homem socialmente ser superior ou mais centrado que mulheres, e justamente ao contrario, e por homens serem mais violentos e agressivos, e quando notam tensão social com outro homem, o popular "O santo não bateu" eles mantem uma "distância de segurança" por assim dizer uns dos outros.Justamente para evitar uma tragedia.
estudos no campo psicológico, mostram que Mulheres durante relações interpessoais com outrem, matem um contato visual maior Homens por sua vez olham muito pouco nos olhos quando estão em relações interpessoais. Biologicamente se encarar, e considerado uma provocação entre machos.Obvio que somos também produto cultural de nossos meios, mas não podemos descartar o campo biológico, e seus bilhões de anos de evolução, isto seria negar nossa própria humanidade. o feminismo por se tratar de uma ideologia desconstrutivista, ate criou inteligentemente, toda uma teoria de retorica sobre este fato, o "determinismo biológico"

Enfim, homens tem como grupo mais pre-disposição para o violência física? Sim, mas não como indivíduos, assim como mulheres como indivíduos não tem disposição determinante para a passividade, mas sim como grupo.
Mulheres não entendem um dos aspectos do patriarcado, que sentem que mais as oprimem, o código de honra masculino, a necessidade de freios morais, de uma religião para nos conter neste aspecto. mas e justamente para conter os impulsos violentos, que são necessárias. Foi assim que por exemplo nasceu a filosofia grega.O homem sente necessidade de transformar sua agressividade, em algo construtivo. Todo menino tem o sonho de se tornar um "super herói" de transcender do comum, de 'fazer a diferença" e sito se bem direcionado pode ser fantástico.

Mas se por um lado a virilidade masculina tem muitos aspectos negativos, tem outros lados a serem ressaltados também. Como por exemplo a curiosidade, o invencionismo, e o espirito desbravador.
Mas isto e uma questão masculina, que poucas mulheres tem como entender, ate por não terem interesse na psique masculina. A solução da crise de masculinidade atual, de o homem se sentir cada vez menos necessário em um mundo de facilidades tecnológicas, e também na vida de sua contraparte feminina,esta no próprio homem.
E assim como homens não tem como determinar os rumos do movimento feminista, e nem serem protagonistas nele, mulheres não podem determinar os rumos das questões masculinas.
Ou vocês discordam feministas?!
Paulo Tarso.

Anônimo disse...

Um questão da violência que poucas aqui comentaram, e que ela e destinada sempre do agressor, a um mais fraco. Homens tem cometido mais violência física contra mulheres sim, não tem como negar este fato.
Por sua vez a violência contra idosos e crianças tem aumentado de forma avassaladora também, e esta violência contra crianças principalmente, parte em grande maioria de mulheres, ate por uma questão cultural, mulheres são maioria das cuidadoras de idosos e principalmente crianças.
Segundo a UNESCO, de cada 10 agressões cometidas contra crianças, 8 são cometidas por suas cuidadoras.
A lei da palmada veio em boa hora, devemos mudar este fato.

natalia disse...

Penso que tem gostos que são realmente de homem. Filmes, por exemplo. Meu pai sempre gostou de faroeste, filmes de guerra, etc. Meu irmão caçula, que já tem 37 anos, gosta, também de filmes de ação. Eu, que estou longe de ser mulherzinha, prefiro filmes de amor, que conte uma estória legal, de preferência com final feliz. Me considero bastante pragmática, mas se é para ver um filme, que seja com final feliz, sem ter que ver carro explodindo e cabeças rolando.

Anônimo disse...

Sawl

Para Paulo Tarso

Eu concordei em boa parte do que escreve mas DISCORDO que curiosidade, o invencionismo, e o espirito desbravador são qualidades APENAS do sexo masculino(escreveu um comentário tão inteligente, mas, foi completa besteira este trecho).
Antes que diga que "homens sempre inventaram coisas enquanto poucas mulheres inventaram" se deve há séculos de opressão, moralismo e misoginia contra as mulheres! Não quer dizer que meninas não tenham o mesmo espírito inventivo e desbravador dos garotos, apenas que são extremamente reprimidas por isso(mesmo em pleno século XXI).
Tanto homens quanto mulheres tem uma cota de agressividade. Sim homens tem muito mais pelo aspecto físico e pelos hormônios o que não quer dizer que boa parte das mulheres também não possam cometer certas agressões.
Eu NÃO acho(assim como você) que agressividade tem que ser "oprimida"(como no caso das mulheres, falo por conta própria, embora eu reconheça que a partir do final adolescência eu tenha adotado uma postura mais rebelde) e sim DIRECIONADA!
Não acho que meninos tem que serem comportados, não sujarem coisas, nem terem atitudes rebeldes, mas, sou contra os EXCESSOS como por exemplo achar que por ser "homem" tem direito de dar tapa e soco(ou em alguns casos, até matar) em mulheres que não estiverem interessados nele(entendeu?) e achar que masculinidade está preso à dizer baixarias pra desconhecidas ou desrespeitar todas as mulheres que passem por sua frente. E admita tem muito pai que acha o máximo o filhinho filmar transas com ex-namoradas! Estes excessos é que sou totalmente contra!
Eu acho que na verdade a educação das meninas é que tem que totalmente mudada!
Porque só bonecas e brinquedos de casinha?
Porque usar roupas apenas com a cor rosa?
Porque NÃO reagir quando um menino empurra ou comete agressão maior?
Porque achar que quando um garoto, e anos depois, um homem agride é porque "ama e quer proteger"(uma das maiores RAIVAS que tenho da educação feminina! Tá vendo não é só homem que é agressivo).
Porque querer casar com o "Eike Batista"(exemplo) invés de ser uma "versão feminina dele"?
Porque não incentivar a filha a gostar de carros, de Matemática, de esportes radicais, etc?
Porque não ter os mesmos direitos dos irmãos?
São estas questões que pais e mães de meninas deveriam refletir pra criar uma educação NÃO de repressão dos instintos mas de ESTIMULAÇÃO á atividades que exijam inteligência, dinamismo e até agressividade de ambos os sexos(mesmo que sejam em escalas diferentes).

Sawl - Always the rebel

Anônimo disse...

isto aqui ainda e um blog feminista? Porque fazem uns três dias que os posts so falam duzomis

Anônimo disse...

Agora troque o "homem" por "negro", "homossexual" ou qualquer outra minoria e vejam choverem comentários dizendo sobre o preconceito do texto.

Sabia que também é fato que homens negros têm maior tendência a comportamento violento que homens brancos? Dizem que é porque têm, em média, mais testosterona, e esta seria a mesma razão pela qual as mulheres teriam menos comportamento violento: condicionantes biológicos.

Os homossexuais têm mais tendência ao suicídio, À poligamia e ao uso de drogas. Problem? Há alguma coisa de errado em ser homossexual?

Todo mundo tem seu lado B. Inclusive mulheres.

BLH

Luiza Original disse...

Então, fodeu, né? Porque eu sou mulher cis, hétero e ODEIO filme de romance. Se é gosto de homem, por que eu também gosto de filme com sangue e cabeças rolando?

Não sei como conseguem escrever essas coisas numa página feminista. Estamos cansadas de dizer que os homens são habituados desde sempre a assistir ação; mulher, não. Se fosse determinismo, se fosse "gosto realmente de homem", então eu seria o quê, meio mulher, meio homem? Meu DNA está fodido?

Anônimo disse...

Sawl

Natália discordo de saa afirmação que "tem gostos que são realmente de homem". Acho errada qualquer tipo de generalização.
Tem gostos que são mais direcionados à "Homem" e à "Mulher" mais por uma questão cultural e social do que biológica.
Eu sempre gostei de filmes violentos e sou heterossexual, assim como conheço muitos homens héteros que gostam de filmes românticos. O ser humano é complexo demais pra ser rapidamente definido. Abraço. :)

Anônimo disse...

"Os homossexuais têm mais tendência ao suicídio, À poligamia e ao uso de drogas. Problem? Há alguma coisa de errado em ser homossexual?"

Caro BLH, os homossexuais têm mais tendência a tudo isso por fatores sociais.

Anônimo disse...

Samael
Minha esposa lê o blog e conversamos sobre... Eu até ia comentar esse post, mas lendo os comentários pra ter uma base... ninguém aqui quer um comentário elucidador, tudo se resume a machismo e a opressão da mulher e as decepções que cada uma teve com um particular homem se refletem em todos.
Quem sabe se buscar motivações mais sociológicas, biológicas, hormonais, motivações que não dependem do ser humano independente do gênero.
hahahahaha ai gente, mais Lola, sempre me divirto muito com seus posts.

Anônimo disse...

Lola,pode uma mulher ser feminista e gostar de apanhar na cama?Mas so na cama,fora dela tem que ter respeito.

Sara disse...

Paulo Tarso achei seu comentário interessante, mas vc sugere q a religião e códigos morais teriam sido inventados por homens como um freio moral para a agressividade latente dentro dele?
Examinando a história da humanidade, me parece q não deu muito certo, alem do que esses códigos e religiões restringiram a mulher de todas as formas, portanto concordo com vc q nós mulheres não devemos ditar regras no comportamento masculino, mas os homens tem q aprender a conviver pacificamente com mulheres que não aceitam mais esses códigos morais injustos bem como os preceitos religiosos opressivos herdados do patriarcado.
Então como é q fica amigo????

Raven~ disse...

Isso é vdd anon de 3 e 14. Cachorros de pet shop são estressados pq são tirados das mães muito cedo. Se alguém acredita que eles são levados a venda com 60 dias... Bom, ISSO tb é uma mentira deslavada.

Raven~ disse...

Sem contar que ngm curte ficar o dia e a noite preso numa gaiola. Comercio de animais deveria ser proibido.

Raven~ disse...

Sawl, eu não concordo com o Paulo. Homens não tem espirito "desbravador" por biologia. Desde sempre, sempre as meninas são menos. Deuses gregos eram fodões, mandavam um tsunami te destruir ou um raio na sua cabeça. Deusas, bom elas cuidavam das flores. Ou do casamento ou da virgindade. Tiveram que inventar uma deusa até pra isso, senão a gente saia liberando geral. Deuses nórdicos a mesma coisa. Se formos analisar a historia e a cultura e principalmente, as religiões, meninos são sempre os "desbravadores" e as meninas... Ué essas cuidam dos heróis feridos quando eles voltarem pra casa. Se ISSO não é cultural peço a conta da raça humana.

Raven~ disse...

Então Luiza. Quando vejo isso penso: Myfickingdog, sou homem. Huashua

Raven~ disse...

Sara, já respondi mas vou falar de novo. Não concordo com esse Paulo. Mulheres mimimi ditar. Porra, os caras se deram ao trabalho de inventar deuses pra dizer que não devemos nem trepar e quando dizemos que arghhh eles precisam parar de matar mulheres estamos ditando comportamento? Plmdds!

Sara disse...

concordo plenamente com vc Raven...

Anônimo disse...

Raven~, Diana e Atena mandam lembrança!

Anônimo disse...

Paulo, só vamos determinar o que nos afeta, ok?

O resto vocês que se f...

Erres Errantes disse...

90 por cento dos crimes são praticados por homens.
Então a solução é educar os homens como são educadas as mulheres.
Mas a educação das mulheres é castradora.
Então a solução é castrar os homens, assim como são castradas as mulheres?
A solução é uma educação castradora, ou uma educação livre para todos e todas?

Thomas disse...

"Thomas Toddy, claro que existem serial killers mulheres. Inclusive estou atualmente fazendo pesquisas sobre uma, talvez a primeira da história, Elizabeth Bathory. Mas se você comparar a lista de serial killers mulheres com a de homens vai ver que os homens são sim a esmagadora maioria dos assassinos. E é sério que você esperou chegar aqui e ser levado a sério com um site chamado "unknow misandry"? Se mesmo entre as assassinas do sexo feminino a maior parte das vítimas é de outras mulheres ou crianças (vide a senhora que eu citei ali em cima)? Não sei se rio ou choro... (mentira, tô rindo muito aqui XD)"

Então você nem leu o link que postei, ficou focada no nome do site (que eu nem tinha notado, só joguei no google e foi a lista que apareceu, o que não importa porque fatos são fatos) e nem se deu ao trabalho de dar uma lida na parada antes de vir falar groselha. A tal da Elizabeth não é a primeira serial killer, tem umas 30 antes dela só naquela lista.

O número de serial killers mulheres conhecidas não tá muito longe do número de homens serial killers, aquele site compilou cerca de 700 dessas mulheres. E esses são apenas os números conhecidos, considere que mulheres costumam sequer ser suspeitas de crimes violentos quando não há evidências óbvias, e você vai concluir que o número de serial killers mulheres é ainda mais próximo dos homens (se não for maior, VAI SABER).

Não importa se elas matam mais mulheres e crianças, (apesar de vítimas homens serem tão comuns quanto)isso já serve pra quebrar a ideia falaciosa da Lola de que praticamente TODOS os serial killers são homens, e de que a "sociedade feminina" é um mundinho secreto de Oz onde a única violência que acontece é elas ficarem gordas de tanto comer chocolatinho do Willy Wonka.

Carol F. disse...

Dá mesmo. Sei que existem assaltantes mulheres, mas se uma tentasse me assaltar eu ficaria surpresa. Aliás, ia me pegar de surpresa mesmo, desconfio mais de homens na rua.

vivian disse...

Aquele momento em que entro no site da Lola e vejo que meu comentário despretensioso virou post. =D

Obrigada pelo espaço, Lola!

Gênero X criminalidade é um nicho que eu nunca vejo sendo discutido. E é fundamental!

Essa discussão vai muito além do que confundir "não violência" com passividade. Uma coisa é abaixar a cabeça pra tudo, outra é resolver conflitos através da não violência. Pensem nisso.

No mais, se o preço para sair a rua e não ter medo NENHUM de homens é criar os homens do jeito que eu fui criada, o preço é mais do que justo. Eu seria 100% livre hoje se pudesse andar em paz na rua. Não tenho a menor dúvida de que a troca vale a pena.

Quero lembrar a vocês que esse modelo já existe. A solução para a violência é expandir este modelo para a outra metade.

Uma sociedade de não violência. É disso que estamos falando, galera. E o preço não é prender a todos, ou viver em uma sociedade totalitária. O preço é educar os homens como educamos as mulheres.

Beijo grande <3

Anônimo disse...

Sawl

Erres Errantes

Meninos e meninas devem ter uma educação igualitária e que os ensinem a serem criativos, aventureiros, livres, corajosos e inventivos. Porém, liberdade com RESPONSABILIDADE(que não tem a ver com "castração).
Pra uma sociedade melhor, mais evoluída.
Tipo: corra de bicicleta, se suje na lama, solte pipa, brinque com carrinhos, jogue videogame, invente objetos, brinque de boneca(mas NÃO se restrinja a isso), escale morros, etc. E isso deve valer pra TODOS(meninos e meninas)! Deve ser ensinado sim que NÃO se agride amiguinhos e amiguinhas (mas se tiver que se defender, aí é diferente), não arrume confusão à toa, não ofenda desconhecidas, etc. Tudo isso NÃO é castração, é apenas uma disciplina saudável para que um menino cresça um homem seguro que não vai achar que dizer na rua pra meninas de 12 anos "vou te chupar" ou filmar(sem permissão e depois jogar na web) transa com ex-namoradas seja um suposto sinônimo de masculinidade!
A educação das meninas também tem que ser revista seriamente! Acabar com o conceito FALSO de feminilidade que ser submissa, frágil, dependente de homem e aceitar ser traída e apanhar do namorado ou marido seja SUPOSTAMENTE "ser mulher". Estes conceitos FALSOS de masculinidade e feminilidade tem que ser extintos!
A educação tem que ser LIVRE e ao mesmo tempo RESPONSÁVEL e isto vale para os dois sexos. Sem mais.


Sawl - Always the rebel

Anônimo disse...

É mais uma vez a merda da religião andando de mãos dadas com a ignorância...

Raven~ disse...

Oras obrigada anon, por reforçar meu argumento. :D
Artemis (pls, Diana é seu nome romano. É a mesma merda, mas vamos manter uma coerência) era uma pré adolescente que escolheu a virgindade e recrutava garotas mais ou menos na mesma faixa etária tb virgens para serem suas caçadoras. Essa aliás é a própria deusa da virgindade. Era uma guerreira, true,MAS sópode se for virgem tá bom?! Atena, aquela lindona, deusa da guerra, da arquitetura, das coisas bem feitas. Bom, tb era uma deusa donzela. Assim como ela nasceu dos pensamentos de seu pai Zeus, nasciam seus filhos. De seus pensamentos e estratégias.

Resumindo: Só pode ser guerreira se for virgem. Nada de pinto ou xoxota pra vc.

Anônimo disse...

De tudo a Sawl foi a mais sábia:

"O ser humano é complexo demais pra ser rapidamente definido".

Anônimo disse...

Eu e minha irmã somos heterossexuais cis mas completamente invertidos em nossos comportamentos. Ela sempre foi mais "menino" que eu.

donadio disse...

"Ai vão me dizer que não existe relação entre igualdade de gênero, qualidade de vida, desenvolvimento e segurança? Aham, mascu, senta lá."

A existência de uma relação é bem óbvia. O que não é tão óbvio é se a igualdade de gênero causa a melhoria da qualidade de vida, ou se a melhor qualidade de vida causa a redução das diferenças de sexo. Ou se as duas coisas têm uma terceira coisa coisa como causa em comum. Ou se se realimentam uma à outra.

Domingos Tavares disse...

@Sawl
Geralmente eu não concordo com o que você diz, mas dessa vez sou obrigado a concordar com cada letra de um comentário seu, no caso o da 00:08.

Obrigado. Eu não teria escrito melhor.

Cão do Mato disse...

Nossa, descobriram que a agressividade masculina é fruto da educação que recebemos!! Parabéns a todas as "cabeças brilhantes" envolvidas na conclusão!

Cão do Mato disse...

Uma grande parte dos atos de violência dos homens acontece por causa de mulher (DE mulher, não DA mulher). Um exemplo é o trânsito: se um cara levar uma fechada, por exemplo, a chance de ele querer resolver o problema na base da porrada cresce exponencialmente se ele estiver acompanhado de uma mulher (sabe como é, para muitas mulheres, se o cara deixar passar é "bundão"...). Cabe, portanto, às mulheres, desestimular esse tipo de comportamento, mostrando que "macho" não é aquele que resolve tudo na base da porrada e, principalmente, que o cara machão não é necessariamente sexualmente atraente.

Anônimo disse...

Thomas Toddy, mulheres podem cometer crimes violentos tanto quanto os homens? Sim, mas primeiro: elas são beeem menos numerosas que assasinos homens, e segundo: mulheres cometendo crimes violentos em geral não tem droga nenhuma a ver com misandria. Ok? Aceite isso. Esse unknow misandry que você falou (é, eu vi) é mimimi puro, é um bando de idiotas tentando justificar seu ódio contra mulheres como se todas elas tivessem a obrigação de serem boas e pacíficas pra "merecerem" respeito. É, na boa, você realmente esperava ser levado a sério com aquela porcaria... claaaaro que a misandria está dominando o mundo, é só ver quantos homens são assassinados por dia pela companheira, quantos são estuprados e nunca tem as agressoras punidas, quantos sofrem abusos nos espaços públicos, quantos crimes contra homens (cometidos por mulheres) não são punidos, quantos foram sequestrados pelo tráfico humano, quantos meninos foram vendidos como escravos sexuais desde crianças, como os homens são tratados como objeto que pode ser descartado e jogado fora, quanto homem já morreu por querer a separação e a mulher não aceitar... é, de fato. Seu caso é mesmo rir pra não chorar.

Sara disse...

anon 15.04hs clap clap clap!!!!

se ele n entender depois dessa, já vai pra esfera de problemas de cognição, ai não tem jeito mesmo...

Anônimo disse...

Não sei porque, mas este clip para mim tem tudo a ver com o tema.
http://www.youtube.com/watch?v=6Ejga4kJUts

domingosjornal disse...

@Anon das 15h04
claaaaro que a misandria está dominando o mundo, é só ver quantos homens são assassinados por dia pela companheira


No Brasil são por volta de 2.862 homens assassinados pela esposa por ano contra 1.805 mulheres assassinadas pelo marido por ano. Por dia dá em média 7,85 homens assassinados pela esposa por dia contra 4,95 mulheres assassinadas pelo marido diariamente. Ou um homem a cada 3 horas contra uma mulher a cada 4 horas e 48 minutos.

Isso considerando os números do mapa da violência(números totais na página 21, de mulheres na página 75), considerando que 6% dos assassinatos de homens sejam cometidos por suas esposas e 40% dos assassinatos de mulheres são cometidos pelos seus maridos.

quantos são estuprados e nunca tem as agressoras punidas

Nunca vi uma estupradora indo a julgamento. Aliás, nunca vi uma estupradora sendo presa. Não que não exista, mas quando a mulher força sexo pro homem, "não é crime", "ele é sortudo", "não é estupro", "ele quis" e todas aquelas desculpas que todxs aqui já estão candadxs de ler/escutar quando a vítima é uma mulher.

Isso confirma que exista uma cultura do estupro, verdade. Mas ser invisibilizadx e culpabilizadx pelo crime que sofreu não é "privilégio" das mulheres. E feministas como você tem tido um papel importante quando o assunto é invisibilizar e culpar a vítima quando trata-se de um homem.

Seu feminismo é sobre igualdade mesmo?

quantos sofrem abusos nos espaços públicos

Mais de 47 mil homens são assassinados anualmente, sendo 94% deles assassinados no espaço público. Entre as mulheres, esse número fica em pouco mais de 4.500 mortes, sendo 60% deles no espaço público. A taxa de suicídios de homens é 3 vezes maior que a de mulheres. Será que homens não sofrem abusos? Será?

quantos meninos foram vendidos como escravos sexuais desde crianças

Se tirar o "sexuais" da palavra e ver quem trabalha, por exemplo, em carvoarias ou em plantações de cana, verá que meninos sendo escravizados não são tão raros quanto você alega ser.

como os homens são tratados como objeto que pode ser descartado e jogado fora

Preciso MESMO repetir os dados e mostrar que o Estado faz absolutamente nada para reduzir as mortes de homens para demonstrar o quão descartáveis eles são considerados?

Sabe como é, bateu uma preguiça de explicar de novo...

quanto homem já morreu por querer a separação e a mulher não aceitar...

Como se correr risco de morte ao separar fosse algo exclusivo das mulheres.

Anônimo disse...

Domingos jornal, vc está meio atrasado mas vou responder assim mesmo: se homens fossem mesmo assassinados pela esposa nessa proporção q vc fala, haveria campanhas contra violência contra o homem de mesmo jeito que há campanhas pelo fim da violência contra mulher. Mas não há e eu conheço essa sua falácia dos 6% contra os 40%. Você já tentou usar antes e não, não convenceu ninguém. Desista. Segundo: homens em geral são estuprados por outros homens, não por mulheres. Estupradoras são, o quê, 0,5% dos casos? Mas independente do sexo do estuprador, os homens não denunciam. Não vão em busca de justiça, não processam xs agressorxs, não lutam contra o machismo que exigem que eles fiquem felizes ou façam silêncio sobre o estupro pra não serem chamados de viados. Ah, é cruel exigir que os homens denunciem pq senão vão ser ridicularizados e oprimidos pela sociedade? Bom, mulheres q denunciam estupros tbm sofrem com isso e mesmo assim lutam por justiça. Simples.Agora diga, quantas das mulheres nesse blog vc já viu dizerem que a culpa é da vítima qdo um homem manda um post contando q foi vítima de agressão sexual, hein? Onde? Eu nunca disse nem vi isso.

Homens no espaço público são assassinados por outros homens. Homens se suicidam mais provavelmente pq ensinam a eles q eles não podem ser fracos, não podem ter sentimentos, não podem pedir ajuda quando tem problemas emocionais, e não é o feminismo que exige isso dos homens. É o machismo. E as meninas são escravizadas pra trabalho tbm, mas além do trabalho escravo elas sofrem violência sexual. Quantas vezes isso acontece a um menino? E quem protesta contra escravidão sexual em geral é contra TODO tipo de escravidão. Eu sou. Não admito uma criança escravizada, mas meninas além da escravidão de trabalho sofrem escravidão sexual. É tão difícil entender isso? Cara, o q me dá é preguiça de te explicar MIL vezes q homem morre porque quer. Pq só resolve as coisas com violência. Pq qqer discussão no trânsito é motivo pra meter bala. Pq não vai no médico a menos que esteja morrendo. Pq não adianta investir em campanhas pra q homens façam exame preventivo, eles não fazem. E correr risco de morte ao se separar é MUITO maior pra mulher q pro homem. Leia os guest posts daqui pra vc ver quanta mulher saiu de relacionamento abusivo, sofreu agressão, ameaças pq queria terminar e o homem não. Que tal parar com esse 'mimimi, como eu sou injustiçado pq as feminazis não querem resolver meus (poucos) problemas nessa vida pra mim' e ir fazer alguma coisa pelos homens, hein? Faça campanhas, vá conscientizar seus conhecidos sobre estupro, incentivá-los a denunciar, a se prevenir fazendo exames médicos (inclusive o exame de próstata). Explique q eles não vão perder a masculinidade por se cuidarem, vá. Faça algo útil pelos homens ao invés de mimizar em blogs.

Anônimo disse...

Lola, sou professora da educação básica, séries iniciais.Quando as turmas são formadas por maioria de meninas tenho um ano tranquilo. Quando ocorre o inverso as turmas são dificílimas, a violência exagerada, suspensões constantes.
Uma colega tem uma classe de alfabetização com 17 meninos e 8 meninas de 6 anos. Provavelmente ela não conclua o ano letivo sem se afastar. É uma classe dificílima.

A disse...

Sobre a questão envolvendo deusas aí nos comentários (gosto de mitologia, então não posso deixar de comentar, mesmo sendo post antigo... :)
Atena, Héstia e Ártemis (ou Diana - a cultura helênica foi bastante importada para Roma) são realmente deusas virgens, mas o conceito de virgindade na Antiguidade não tinha nada a ver com castidade, uma virgem era uma mulher independente, que não pertencia a ninguém.
Além disso, Atena tem mãe sim. Ela é filha de Têmis, a primeira esposa de Zeus. Têmis foi transformada por Zeus num inseto para que ele a engolisse por estar grávida da criança que, segundo uma profecia, seria poderosa o suficiente para destroná-lo (como Zeus destronou seu pai Cronos e como Cronos destronou Urano). Ele só não contava que Atena nasceria mesmo assim. Dos filhos de Zeus, Atena é a mais próxima dele e sem ela nenhum dos heróis teriam conseguido alcançar glória.
Há uma visão muito equivocada sobre o deuses hoje, porém principalmente a respeito das deusas (os motivos são óbvios, né?) Héstia nunca cedeu seu lugar para Dionísio no Olimpo nos mitos clássicos; nos modernos sim.
PS: a propósito, hellenismos é uma religião reconstrucionista politeísta que adapta as crenças étnicas gregas à modernidade (os mitos não são todos interpretados literalmente, rsrs). São bem mais liberais do que as religiões dominantes e eu sou bem mais simpática a eles.