segunda-feira, 16 de junho de 2014

MÚSICAS QUE DESCONHECEMOS O SENTIDO

Quinta cedo fui ao oftalmologista para um exame de rotina. Enquanto esperava, lia o ótimo livro de Michael Kimmel, Angry White Men (Homens Brancos Furiosos: A Masculinidade Americana no Fim de uma Era), e lá ele citava, pela vigésima vez, alguma letra do Bruce Springsteen.
Quando cheguei em casa, me deu vontade de ouvir sua música mais famosa, "Born in the USA". Eu nem sabia que, semana retrasada, o álbum comemorou trinta anos de seu lançamento. Claro que quem é uma cria dos anos 80, meu caso (fui adolescente nessa década perdida), lembra muito bem da capa do álbum e da canção. 
Mas eu passei a vida toda achando que "Born in the USA" era a maior patriotada do American way of life. E, putz: não é! Acho que eu nunca tinha prestado atenção na letra
Olha a primeira estrofe traduzida:
"Nascido numa cidade em que nada acontece
O primeiro chute que recebi foi quando caí no chão
Você acaba sendo um cachorro que foi surrado demais
Até que você passa metade da sua vida só se escondendo".
E aí vem o refrão "Nascido nos EUA, eu nasci nos EUA". Quer dizer... Em seguida o narrador conta que, após uma encrenca em que ele se meteu na cidadezinha, puseram um fuzil em sua mão e o mandaram pra uma terra estrangeira, "pra ir e matar o homem amarelo", numa clara alusão à Guerra do Vietnã. Após voltar, o veterano de guerra não encontra emprego nem apoio no seu país. Termina com ele dizendo "Nenhum lugar pra fugir, não tenho pra onde ir".

Eu sei que não fui a única otária a pensar que essa canção de protesto era/é um hino ufanista, mas pô, ninguém escuta a letra inteira não? Só o refrão?

O presidente republicano Ronald Reagan, ícone da direita, quis usar a música na sua campanha de reeleição em 1984, mas Springsteen não permitiu. Mesmo assim, num comício em Nova Jersey, cidade natal de Springsteen, Reagan citou o roqueiro, como se estivessem no mesmo barco (felizmente, Springsteen nunca foi um reaça). 
A capa do álbum, mostrando a bela bunda do Springsteen (numa foto da célebre Annie Leibovitz) com um boné num dos bolsos da calça jeans, lançou o roqueiro como símbolo sexual para toda uma nova geração de fãs (entre elas, euzinha, que não entendo nada de música, mas Springsteen foi sim um dos símbolos sexuais da minha juventude). Outra coisa que só fiquei sabendo agora é que houve controvérsia se, na imagem icônica, Springsteen não estaria mijando na bandeira americana, por causa da pose da sua mão direita. O lindão negou.
Enfim, mais uma pra sessão "músicas que a gente sempre achou que significavam uma coisa e aí de repente percebe que é exatamente o contrário e nosso mundo desaba". 
Claro que nesta época de Copa não posso deixar de dizer que a bunda do Bruce não se compara à do Hulk.

30 comentários:

Camila Gois disse...

Adorei o post!! Principalmente o final, adoro a forma bem humorada da Lola de escrever!
Beijos

1 mascu disse...

"O presidente republicano Ronald Reagan, ícone da direita, quis usar a música na sua campanha de reeleição em 1984, mas Springsteen não permitiu"
_
Pois é, se fosse em paraisos socialista como Cuba, Coreia do Norte, China, Venezuela, o Bruce não apitaria nada sobre os direitos autorais dele, usariam e dane-se.Se ele chiase era paredon...

g disse...

kkkkkk sem entender o segundo cometário. Raciocínio :Estamos falando girafas,mas eu quero falar de zebras.

1 mascu disse...

Só eu sei o esforço que tenho que fazer, para limitar a expressão de meus pensamento, e assim me fazer entender por ignorantes.

Gle disse...

Mais bizarro do que essas músicas "enganadoras", só mesmo os artistas nacionais que pegam a melodia de uma música internacional e criam uma nova letra (não que eu não goste das músicas, mas que é sacanagem e plágio, isso é!).
***Exemplos: Não Sei - TNT... música original Be my Lover - Alice Cooper. Astronauta de Mármore - Nenhum de Nós... música original Starman - David Bowie.
Enfim, nem sempre a gente se atenta a esses detalhes... e é até bom pra não perder o gosto pela música, né? Rsrs.
Quanto ao Hulk, tinha que ser a Lola!!! Hahahha.

Larissa Petra disse...

Amei o posto, meus pais também foram adolescentes nos anos 80, então conheço Bruce Springsteen, principalmente pela minha mãe que achava ele liindo..haahua..
Enfim, também nunca tinha reparado na letra, agora q eu reparei achei legal.
E para o masCÚ aí em cima, coitado mais um que caí em sensos comuns da mídia reacionária, by veja, globo e cia...hauhauahaua (e nós que somos as ignorantes para ele...)
Beijos Lola <3

Larissa Petra disse...

*Post

normalidaderealidade disse...

Hahaha, eu TIVE que comentar a bunda do Hulk, mas foi um negócio meio "uh, é uma bunda grande" e não "diliça, deixa eu dar uma pegada"

Claro que os homens da sala interpretaram SUPER mal, achando que eu tava desejando, objetificando, e mimimi, sendo que eu não achei ele gato, gostoso, não cobicei, nem nada. Não, galere, não. A gente não pode comentar nem de forma inocente - olhou pro corpo masculino, já é escândalo. Eles começaram a "reagir" falando das gostosas e etc, do tipo "parem! esse trabalho é nosso!"

Sobre as músicas:

http://www.cracked.com/article_18431_8-romantic-songs-you-didnt-know-were-about-rape.html

http://www.cracked.com/article_16442_6-famous-songs-that-dont-mean-what-you-think.html

http://www.cracked.com/photoplasty_827_35-popular-songs-that-dont-mean-what-you-think/

E no mesmo nível do "Every Breath You Take" tem a "The One I Love", do REM. O Michael Stipe considera a letra dessa música extremamente violenta, e vai ter quem ache que é romantismo e nostalgia. Pff.

Sara disse...

Não pude deixar de lembrar da musica do Seu batista Lola kkkkkk.
-Se cuida, se cuida seu Batista....

Mas se te consola eu tenho várias musicas q acreditava ser uma coisa e era bem outra.
A q mais doeu foi uma da Elis Regina, que eu adoro, chamada "Como nossos pais" que eu achava q ela dizia
-É vc que é mal passado, e que não vê...

Quando na verdade é..
-É vc que AMA O PASSADO, e que não vê...
Mas essa do Bruce eu tb pensava como vc, q era uma musica patriótica.

Unknown disse...

Tem um blog de esquerda simpatizante do pt chamado Mingau de Aço que eu acho super machista, vive falando mal das popozudas. http://mingaudeaco.blogspot.com.br/2012/08/por-que-vulgaridade-feminina-e-tao.html

Ana Carolina disse...

Uma que tava na minha cabeça outro dia e me lembrei aqui do blog é Janie's Got a Gun do Aerosmith, que é a história da vingança de uma menina abusada pelo pai (a letra também é óbvia, diz até que a banda deu uma amenizada pq era pra ser mais gráfica)

André disse...

No final de todo show de rock a galera pede "Toca Raul!". O Bruce Springsteen foi lá e cantou: https://www.youtube.com/watch?v=zKEJkixmLHQ. Vida longa ao Bruce Springsteen.

normalidaderealidade disse...

Sobre entender música errado, tem um trecho de um seriado da BBC que o protagonista - Alan Partridge, representado pelo comediante Steve Coogan - está falando com uns irlandeses e comenta "Ah sim, U2! 'Sunday Bloody Sunday' realmente captura a frustração de um domingo, não é? Você acorda de manhã, precisa ler todos os jornais de domingo, as crianças estão correndo por aí, você precisa aparar o gramado, lavar o carro, aí você pensa 'Sunday, Bloody Sunday!'"

Os irlandeses ficam super constrangidos e comentam que é uma música sobre um massacre (vocês sabem a história, a polícia matou covardemente manifestantes em 1972 na Irlanda do Norte, etc, etc), e o protagonista só comenta: "ugh, um massacre? não vou ouvir essa música de novo não D:"

http://www.youtube.com/watch?v=6RTJ4vHoYUs

Natalia Alencar disse...

NOSSA SARA, OBRIGADA!
Eu também sempre entendi "que é mal passado". Mesmo sabendo não fazer muito sentido, a ficha só caiu mais tarde, numa idade já constrangedora haueahieauehauehau

Natalia Alencar disse...

Gostei das listas hospedadas no Cracked, especialmetne a última.
A maioria eu não conhecia o real sentido da letra.

"Young Girl" foi citada numa dessas listas, por possivelmente se tratar de pedofilia. Tem uma foto de Glee e uma legenda meio acusadora... mas nesse episódio, o professor canta a música para uma aluna que está apaixonada por ele - mas na intenção dela perceber que não vai rolar. :)

Blonde disse...

Lola, já que você resolveu falar mal dos EUA (país onde você fez doutorado), então me responda uma coisa: Quantas mulheres foram presidentes de Cuba ou do Partido Comunista Cubano nos últimos 50 anos?

D Stoffel disse...

Falando na bunda ops quer dizer no hulk, ele respondeu uma pergunta preconceituosa de um jornalista falando que o povo nordestino era engraçado e ele disse que não faziamos graça duro e seco, bem feito.

Roxy Carmichael disse...

hulk maravilhoso!!!ainda retou reporter xenófobo que disse que nordestinos eram "engraçados".
é como rockin the free world do neil young. eu de ouvir só o refrão pensava que era uma ode neoliberal, mas é justamente sobre a porcaria de vida que o neoliberalismo propõe.

Roxy Carmichael disse...

oi blonde
tudo bem?
se vc fizer uma pesquisa no google, vai descobrir rapidinho duas coisas:
e o states é um dos países com menos mulheres no congresso, na vida politica. e que cuba é um dos países que tem mais mulheres. veja com seus proprios olhinhos:
"De acordo com a pesquisa “Mulheres na Política: 2012, da ONU Mulheres”, entre os países com maior percentual de mulheres no parlamento está Cuba, ocupando o terceiro lugar, com 45.2%, o que representa 265 mulheres num universo de 586 vagas. - See more at: http://www.fisenge.org.br/portal2/?p=2366#sthash.wlpHECWG.dpuf"

beijinho (no ombro pro recalque passar longe)

Luciana disse...

Tb não me conformo quando colocam "Eu sei que vou te amar" em casamentos. Será que as pessoas não escutam a segunda estrofe da música???

Cética disse...

Tive choque semelhante com Camila ( Nenhum de nós) gosto dessa música desde pequena e nunca tinha me tocado no significado dela ( pra mim era só uma canção de pop/rock bobinha) agora,continuo gostando,mas vendo?( ouvindo) com outros olhos,bem mais interessante,diga-se de passagem.

Ká _neta de Nair disse...

rs... Exato!

Julia disse...

Que vídeo lindo do Hulk respondendo a pergunta do palhaço <3

Hulk, você é muito mais que uma bunda. Te amo.


https://www.youtube.com/watch?v=BpYsNaD_QfU

Musicista Feminista disse...

E agora não pode falar da bunda do hulk, pq os caras ficam irritandinhos. Objetificar o coleguinha não é legal né gente?Só pode olhar pra bunda quando vs querem, afinal ela é de vcs. É isso que a gnt tenta ensinar faz tempo, mas não aprendem...

Diferente de machistas panacas, o fato de nós acharmos o jogador bonito não faz dele um jogador pior, ele continua sendo um bom atleta. Ao contrário de mascus que desqualificam as habilidades de atleta das mulheres que acham bonitas. Como nas reportagens, batendo foto da bunda delas, como se elas não estivessem jogando, e apenas ali para exposição .

Mari B. disse...

Lembrei da "Esse cara sou eu", do Roberto Carlos.
Se eu encontrasse um cara com esta descrição, fugiria!!!

Náy disse...

Já houve inúmeras músicas que eu jurava que queria dizer uma coisa, mas que dizia outra totalmente diferente.Uma delas, é a já citada aqui Camila Camila.Sempre amei essa canção, mas quando soube, há alguns anos que ela falava de violência contra a mulher, fiquei assustada.Ainda amo a canção, mas sinto uma tristeza grande quando a ouço.

Matheus disse...

Tudo Mais Download - http://tudomaisdownloadoficial.blogspot.com.br/

Anna disse...

Nunca tinha parado pra ouvir mesmo a letra de born in the USA! (talvez agora dê uma outra chance a música pq eu ficava perturbada em ouvir aquela coisa patriota.. Vc devia fazer uma linha de posts assim quando tiver tempo. Every breath you take ficou mil vezes melhor depois q li seu post e parei pra pensar no real sentido da música)

Anônimo disse...

Acho bem estranho não saber a lletra de uma música e julga-lá só pelo refrão. você não tem noção do que está perdendo.

natalia disse...

Quando ouvi esta música pela primeira vez, de cara gostei. Mais tarde, lembro de ter ficado muito satisfeita comigo mesma, quando traduzindo duramente a letra, pois não havia google tradutor na época, descobri que era uma música que protestava.