sexta-feira, 21 de março de 2014

"COMO POSSO TER UMA PESSOA RACISTA DO MEU LADO?"

A T. me enviou esta dúvida:

"Eu e meu namorado estávamos assistindo uma matéria do Globo Repórter que falava como ganhar um bom dinheiro de forma alternativa no verão,  e em um determinado momento a matéria contava que um rapaz negro fazia sucesso vendendo lanches naturais fantasiado de um personagem que ele criou, a Lili.
Fernando, que se veste de Lili
Na ocasião, o rapaz que se chama Fernando contava que vendia muitos mais lanches vestido como a personagem do que como ele mesmo. Meu namorado comentou que ele tinha mais credibilidade vestido como Lili do que como Fernando, porque segundo as palavras dele, 'uma pessoa branquinha aparenta ser mais higiênica do que um negro ao vender lanches'. Eu fiquei atônita e ele usou uma analogia pra me convencer, me perguntando se eu não escolhia onde iria comer pela aparência do restaurante.
Ele já havia manifestado alguns pensamentos racistas em outras ocasiões (como dizer que todo negro fede horrores) mas acho que essa foi a pior (se é que dá pra qualificar). São duas horas da manhã e até agora não consegui parar de pensar nisso. Como eu posso ter uma pessoa assim do meu lado? Triste (acho que até por mim mesma).
E pior, não sei como argumentar, nunca tive resposta na ponta da língua pra rebater nada (NA VIDA) e hoje não foi diferente. Apenas ouvi, fiquei e continuo indignada.  O que você faria?"

Minha resposta: T., seu namorado é racista. Qualquer pessoa que falar essas atrocidades é racista. Agora, ele sabe que é racista? Ou ele acha que racismo é espancar ou matar um negro, e que tudo bem dizer que negros fedem e não são higiênicos? Será que ele sabe que racismo é socialmente construído? Que esses pensamentos que ele tem hoje não são nada originais? Que esses preconceitos já são espalhados faz séculos, e não é porque tenham algum pingo de verdade?
Livro de Ali Kamel deveria se
chamar "Não Somos Só Racistas"
Se você não sabe rebater esses argumentos, sugiro que você pesquise na net. Tem muita coisa disponível. E, para ajudar a identificar racismo, surgiu um Twitter bem legal, o Não Sou Racista, Mas...
Mas você tem que avaliar se vale a pena ficar com alguém racista. Até porque alguém que diz uma barbaridade dessas provavelmente também é preconceituoso em relação a outros grupos historicamente oprimidos (geralmente vem um combo de preconceitos). E racismo é algo muito nojento e irracional. Quem diz o que o seu namorado disse automaticamente se rotula de "idiota preconceituoso". 
Mas não sei como é o relacionamento de vocês. Vai ver que ele tem alguns pontos que o façam "valer a pena" (eu, pessoalmente, não aguentaria me relacionar com uma pessoa preconceituosa). Vai ver que seu namorado pode mudar, que ele possa refletir, pensar, estudar, e deixar de ser racista. É você que tem que analisar isso. O primeiro passo você já deu: ficar indignada. Agora você tem que ver o que fará quanto a isso.
É horrível quando alguém por quem a gente sente afeto se revela uma pessoa tão ignorante, né?
Hoje, 21 de março, é Dia Internacional de Luta contra a Discriminação Racial. Um dia que seu namorado provavelmente considera uma besteira, porque, afinal, não existe racismo. Talvez ele nem se veja como racista. Mas é. E tem que deixar de ser. Sério, não é uma opção. Não é uma "opinião". Não é "gosto pessoal". O racismo (e o machismo, e a homofobia, e tantas outras opressões) simplesmente precisa acabar. 

48 comentários:

Anônimo disse...

Lola, aproveitando o tema racismo, vc acha que um branco q usa dreads é racista? Eu ouvi isso com todas as letras de algumas feministas, elas falam em apropriação cultural, dizem q é uma enorme ofensa aos negros se apropriar de símbolos de luta deles. Eu não vejo como, individualmente, uma pessoa, só por usar dread, possa ser racista. Vejo ,por exemplo, q se uma página sobre dreads só coloca fotos de pessoas brancas, isso é claramente apropriação cultural. Mas individualmente não consigo enxergar assim. Qual é sua opinião? Obrigada

Anônimo disse...

T.infelizmente a Lola esta certa, um preconceito geralmente vem acompanhado de outros, creio q vc deve ser bem jovem ainda, eu tb conheci meu marido muito jovem, embora ele fosse muito bonito, logo no começo do namoro descobri q ele era muito preconceituoso, lembro q estava lendo um livro que falava sobre racismo na época, mas era sobre o q aconteceu no interior da Alemanha Nazista, fiquei extremamente revoltada com ele, e terminei o namoro nesse mesmo dia, mas ele nunca permitiu q terminássemos nosso relacionamento, moveu céus e terra para q eu o aceitasse novamente.
Alguns anos de namoro ele se mostrou preconceituoso até mesmo com meus irmãos, chamando um deles de "bugre" enquanto pegava uma mexa do próprio cabelo que sempre foi bem claro e loiro, em uma demonstração de q era superior, nesta ocasião disse a ele q fosse embora novamente, pois tenho parentes próximos negros, embora minha aparência não demonstre, mas a verdade é q ele nunca aceitou terminar nosso relacionamento e sempre conseguiu me manipular de varias maneiras pra continuar nossa relação.
Acabei casando e tive problemas enormes com ele, como a Lola falou, gente preconceituosa é machista tb, e comi o pão q o diabo amassou, até agora mais recentemente continuo tendo problemas com ele, pois nem o namorado japones da nossa filha ele aceita, inclusive já até agrediu o rapaz, numa cena lamentável.
Espero q vc não tenha q passar por tudo q passei e ainda passo, o preconceito é um defeito de caráter arraigado, bem difícil de se tirar e de se conviver com ele.

Anônimo disse...

Amiga, se tu ama muito ele conversa, dá exemplos, mostra sites, mostra também outras lutas.
Eu já fui reaça um dia, na adolescência especialmente, mas com o coração aberto, amigos bacanas e boa informação a gente amadurece e muda. Quem sabe ele não precisa de você para abrir os horizontes e jogar esse preconceito todo no lixo duma vez?
Todo mundo pode ser salvo da ignorância, vai?! Eu acredito!

Um abraço!

Anônimo disse...

Minha família é racista. Namorei um mulato em 2012. Minha mãe nunca comentou a respeito, mas quando ele me traiu e a gente terminou, ela comentou "vc merece coisa melhor né minha filha? aquele cabelinho dele era uó!"

Ele, (o ex) também era racista. A mãe dele era negra e o pai loiro. Ele não gostava da família da mãe, falava mal deles o tempo todo e chamava as vizinhas de "neguinhas faveladas" (ele morava perto do autódromo - SP).

Tenho um amigo mulato que só namora branca (e quando eu digo branca, estou falando das mocinhas loirinhas mesmo, zoio azul, etc).

Trabalho numa gráfica onde a maioria dos funcionários são pardos, negros e mulatos. Entrou um estagiário (que é negro) e ele ficava assistindo iCarly e Eu, a patroa e as crianças o dia inteiro, ao invés de trabalhar.

Eu comentei com as colegas na hora do almoço sobre isso. Elas começaram uma chuva de ofensas.
"Preto safado, crioulo folgado, blá blá blá".
Elas são negras, mas se auto-intitulam "moreninhas".
Agora me respondam, o que tem a ver o cara ser folgado com a cor dele? Pra que enfiar a COR da pessoa na conversa e nas ofensas? Quer ofender? Chama de folgado, de à toa, kkr coisa.

Enfim, as vzs eu fico sentada observando o comportamento racista das pessoas ao meu redor. Brancos, negros, asiáticos fazendo comentário maldosos contra a etnia negra.

Às vzs me sinto alienada. Sei lá. Não sei se estou no direito de intervir e falar "calma lá seus racistas!"

Enfim...

Igor Pedras disse...

Minha ex-namorada era exatamente igual a ele. Ela tinha "ciúmes" porque eu tinha amigas mulheres. Uma delas era negra, e ela falou: "Não tenho preconceitos, mas ela é uma macaca suja". Falei que era racismo e ela respondeu que eu vivia em um "fantástico mundo de Bob". Foi broxante... :(

Anônimo disse...

Meu namorado também é racista, além de vários outros prenconceitos. Mas é essa cultura, ele nem sabia que era racista, homofóbico, etc. Toda vez que ele comenta alguma coisa, eu respondo. A visão dele está mudando, e muito.
Infelizmentee, aquela tinha sido a visão que ele foi criado - sem ninguém falar nada que negasse. Eu fui criada bastante diferente, e já tive muitos preconceitos na vida também.
Pessoas mudam, muitos nem sabem os preconceitos que tem. Só precisam estar abertas a mudanças.

carol disse...

Olha, vou contar minha experiência pessoal porque talvez possa te ajudar na tua.
Sou branca, hetero, nasci no sul e numa família com bastante dinheiro do tipo que faz ensino médio e faculdade na Europa.
Cresci rodeada por reaças, ouvindo diversos comentários, que sempre achava errado, mas que as vezes até eu mesma repetia.
Quando entrei na universidade comecei a ler, a ver o outro lado. Me eduquei e mudei.
Logo depois comecei a namorar um alemão (que veio pro Brasil com os pais e irmãos ainda muito novo).
Tive que ouvir comentários preconceituosos vindos dele algumas vezes, mas sempre rebati.
Chegou a um ponto que falei pra ele que estava pensando em terminar porque não conseguia mais viver com o preconceito dele com negros, pobres e nordestinos.
Acontece que nesse dia a gente teve realmente uma conversa muito seria e ele notou que talvez realmente fosse preconceituoso (ele nunca tinha notado!) e, desde então, ele melhorou muito.
Claro que as vezes ele ainda solta uma coisa aqui e ali, mas esta melhorando.
Então eu acho que as pessoas podem sim mudar, se tornarem melhor. Você tem que ver se seu namorado está disposto a isso... tem que partir dele!

Elisa Cazorla disse...

Uma amiga quis me apresentar um rapaz, amigo dela, que havia se interessado por mim. Na primeira vez que nos encontramos, depois do treino de vôlei que ele faz parte, esse rapaz falou diversas vezes do quando ele se incomodava em jogar com meninos gays (bichonas, no vocabulário dele). Eu fiquei muito ofendida e disse que eles são pessoas normais como qualquer outra pessoa. Ele continuou com seus comentários homofóbicos. Quando minha amiga perguntou o que eu havia achado do rapaz eu respondi que não queria vê-lo nunca mais pois, eu não saio com racistas e nem com homofóbicos. Para minha surpresa, ela respondeu: você não acha que está exagerando? Acredita nisso? Perguntei a ela se eu recusasse a sair com um pedófilo ou estuprador estaria exagerando também. Não falamos mais no assunto. Pessoas ainda não enxergam racismo e homofobia como um crime tão bárbaro quanto estupro ou pedofilia. Eu vejo e não sinto muito se acham que estou exagerando. NÃO SAIO COM HOMOFÓBICOS E NEM COM RACISTAS.

Zrs disse...

Complicado, mas acho como a Lola que um cara racista sempre tem outros preconceitos arraigados...acho que compensa procurar em outras lugares uma pessoa mais bacana, digo isso pois em um casamento,por ex, as afinidades e visões de mundo semelhantes são cruciais para uma relação feliz, não só o amor.

Joana disse...

Acredito que no geral, são duas categorias de pessoas. Algumas são racistas e tem outros preconceitos simplesmente por contextualização. Ou seja, são o fruto do senso comum da nossa sociedade racista e preconceituosa, apenas repetem o mantra que nasceram ouvindo e nunca pararam para refletir de onde veio isso. Essas pessoas, quando começam a ter contato com o outro lado, sozinhas ou por influência de alguém, acabam percebendo o tamanho da ignorância que é o preconceito e ficam até envergonhados por um dia terem sido tão "gado do sistema", apenas reproduzindo o que era imposto. Esses valem muito a pena. Agora alguns tem defeito no caráter mesmo, são prepotentes e se julgam realmente superiores. Alguém com o radar mais apurado, identifica esse tipo pretensioso em uma única conversa. FUJA rápido deste tipo, porque são a desgraça da sociedade!

Joana disse...

Sempre que há um debate sobre racismo, algumas pessoas, mesmo que nas entrelinhas, fazem questão de dizer que alguns negros são racistas. As vezes fazem isso para validar o racismo, uma vez que há negros racista, o racismo fica validado.
Mas é muito óbvio para mim que isso ocorre mesmo porque igualmente são frutos da nossa sociedade racista. Desde que nascem são bombardeados com todas as faces do racismo. A primeira coisa que aprendem é que ser branco é melhor, mais bonito, mais limpo. Aprendem que sua cor é feia (por isso racistas tendem "amenizar" falando "moreno"), que seu cabelo é "ruim", crescem ouvindo piadinhas que o negro é sempre safado, ladrão e fedido. É obvio que muitos vão comprar essas falácias e ser "gado do sistema". Tem que ser muito guerreiro para superar esse massacre. Mas felizmente muito já se caminhou e o orgulho negro veio para ficar e libertar a mente de muitos aprisionados pelo sistema.

Renata disse...

Off topic:
Lola, pessoal, você já leram o livro e viram o documentário Half the Sky?
Sugiro.
É sobre mulheres em situação de violência e alto risco pelo mundo, principalmente nos países menos desenvolvidos.
Fala sobre estupro, cultura do estupro, valor que o patriarcado dá paras as mulheres, escravização sexual, tráfico de mulheres, educação feminina e mais um monte de coisas.

Anônimo disse...

So acho que se formos excluir todas as pessoas que tem algum tipo de preconceito de nossas vidas acabaremos sem ninguem. E muito dificil encontrar apenas pessoas livres de preconceito. Eu mesma, feminista e negra, nao me dou bem com gays. Tive problema com um homossexual na faculdade e ele me prejudicou muito. Fiquei com um pe atras e nao consigo me aproximar hoje de nenhum. Se e preconceito eu nao sei, trabalho com dois gays hoje, mas nao gosto deles.

Anônimo disse...

Lolá, falando em raça...

Eu andei lendo uns blogs gringos sobre questões raciais e apropriação cultural.

Aí eu fiquei bem mal porque eu sou branca (tá, eu tenho fenótipo branco, geneticamente é outra história completamente diferente) e sou de religião brasileira que tem elementos negros. No meu terreiro tem muito branco, não sou só eu de boba lá, e todo mundo trata a religião e a cultura com o maior respeito, querendo conhecer melhor os mitos e a simbologia, e por aí vai. Não é só um bando de branco classe média querendo ser "exótico", a relação deles é séria.

Também tem o caso dos meus amigos de pele clara (não são super caucasianos arianos europeus, mas têm pele clara) que fazem dreadlocks, tocam em grupos de maracatu e se envolvem em atividades culturais relacionadas à memória negra.

Se eu fosse me pautar pelos blogs gringos, eu e todas essas pessoas que eu conheço seriam uns tremendos filhos da puta. Todo mundo errado, e eu teria que largar minhas crenças.

Eu sei que o protagonismo não é meu (se algum dia tiver uma manifestação de rua a respeito de religiões afro, eu sei que a palavra não é minha e nunca vai ser, por exemplo), óbvio. E eu não estou "me misturando com a cultura negra" como se fosse exótico ou uma novidade fashion. É só... natural pra mim, sei lá.

Os blogs norteamericanos a respeito de relações raciais não se aplicam completamente à realidade brasileira, eu acho. É isso?

Anônimo disse...

Sou branca e namorei um rapaz negro que acha as mulheres negras feias, prefere as brancas e de preferência loira. Cada um sente atração por quem quiser, do jeito que a pessoa for, mas ele mesmo sendo negro, jamais fica com mulheres negras (do jeito que ele falava parecia ter nojo até...) ele só se envolver com mulheres brancas... eu sendo branca, mas com cabelo castanho ele já ficava falando: ah porque você não fica loira?!... Seria isso racismo por parte dele?

Tem mais, ele me contou que quando mais novo, saia na rua para briga ( bater) em gays, nordestinos... já imaginou isso?! quando me contou, fiquei chocada, falei para ele na época, cara você é NEGRO, sofreu e sofre preconceito até hoje e fazia uma babaquice dessas, e mesmo que não fosse negro, ainda assim era babaquice, burrice... ele disse que não era mais assim, mas pelas atitudes dele, o preconceito continua, quando ele via um gay, já fazia cara feia e também tinha pensamentos machistas.

Felizmente fui percebendo isso e terminamos, nunca tinha me envolvido com alguém tão babaca e espero que isso nunca mais aconteça, hoje sinto nojo por ter ficado com uma pessoa assim.

Caroles disse...

Credo eu jamais conseguiria me relacionar de qualquer maneira com alguém que diz uma barbaridade dessas, que é isso. Dá um pé nessa criatura.

Anônimo disse...

Apropriação Cultural?

Não tá mais para segregação socio-cultural?

Esse tipo de separação "branco não pode isso, negro não pode aquilo" vindo de pessoas de ESQUERDA, é muito bizarro.

Gente, é um pensamento muito anos 60, onde o mundo era muito mais maniqueista, separado entre "bem" e "mal" até o último, vamos voltar ao novo milênio?oi?

Já vi "rockeira" que vai em baile funk, já vi "punk" "nazi". Já vi tanta coisa...

Se uma pessoa está usando um Dread, não é pq ela se identifica? Isso não é legal? Vejo mais como empatia, a cultura deveria nos UNIR e não nos separar.

Nessas baboseiras que me dá desanimo das militâncias...

Elaine Pinto disse...

Difícil. Eu acho que vale a pena apontar o racismo, dialogar... Até porque tem gente que repete discurso e coisas introjetadas e nem percebe a burrada que falou. Mas, olha, também tem a outra mão da rua: ele tem que estar aberto para isso. Não vai adiantar nada abrir espaço para diálogo se a outra parte também não estiver aberta para essa conversa. E aí, na minha opinião, é fim de relacionamento. Tem certas questões que são questões de princípios, e nossos princípios são muito fundamentais para serem ignorados.

Anônimo disse...

Nao sei quantos anos vcs têm. Se forem novinhos, ainda adolescentes eu até tentaria conversar. A pessoa ainda está em formação, se liberando das influências familiares, virando gente grande. Vale a pena tentar. Se for adulto, eu perderia as esperanças. Vi mta gente comentando que conseguiu abrir os olhos de seus parceiros e tal. Fico feliz por elas (e pelas pessoas que puderam evoluir) mas desconfio que isso seja uma exceção. O racismo é uma violência irracional e não dá para argumentar muito nesses casos. E, definitivamente, não dá para viver com uma pessoa assim. Imagina ter filhos com ele? E com esses valores que vc gostaria de criar seus filhos? Eu pularia fora. Gabi

Anônimo disse...

Acho dificil achar gente sem preconceito nenhum,como falaram ai ,vamos ficar sem ninguém.
Mas se for um preconceito muito forte,como os babacas que acham que podem zuar e agredir um gay,um negro na rua,n dá para aguentar.
Tem umas feministas bem loucas,brancos n podem gostar da cultura negra?
Eu n gosto mas se alguém gosta qual é o problema????
Adoro algumas coisas da cultura coreana mas n posso pq sou branca? É besteira demais.

Anônimo disse...

Anônimo 21 de março de 2014: Seja independente meu filho (a), você não precisa de APROVAÇÃO da sociedade, dos negros, nem de ninguém pra usar o cabelo que você quiser.

Se esse post foi sério, você sofre de sérios problemas de opressão, você está sendo oprimido por grilhões que te aprisionam. Saia dessa prisão! Liberte sua mente!

A lola só quer dar regras e mais regras, ELA MISTURA COISAS SÉRIAS COMO VIOLÊNCIA, ESTUPRO, ETC. com coisas menos importantes, E TRATA AS DUAS COISAS COMO DE IGUAL IMPORTÂNCIA.

Hello, vocês não perceberam isso ainda???

Anônimo disse...

Combo de preconceitos? Quer dizer que se uma pessoa é racista, deduz-se que ela é homofóbica, xenofobica, de direita, etc? Isso também é discriminatório e preconceituoso.

Anônimo disse...

A lola só quer dar regras e mais regras, ELA MISTURA COISAS SÉRIAS COMO VIOLÊNCIA, ESTUPRO, ETC. com coisas menos importantes, E TRATA AS DUAS COISAS COMO DE IGUAL IMPORTÂNCIA.
------------------------

Você lê mesmo esse blog?

quais são as coisas menos importantes? fiquei sinceramente curiosa....

Quanto ao "branco de dreads" também considero muito mais um ato de empatia, respeito e homenagem à cultura negra do que apropriação...


E quanto ao tema do post, acho que as pessoas podem abrir os horizontes sim, em qualquer idade. Porque perder a fé na humanidade?
Alguns não mudam de jeito nenhum, ok. Mas por causa desses alguns, deve-se desistir de todos?

Anônimo disse...

Feministas medianas da Vila Mariana estão proibidas de comerem sushi, pq não são japonesas.

Isso é apropriação cultural!

Anônimo disse...

Pra moça do post: vale a pena tentar um diálogo, sempre vale. Mas se notar que não vai dar em nada, sai fora.

Agora, já que comentaram aí em cima, vou comentar sobre amigos preconceituosos também.
Tenho uma amiga que casou com um coxinha, coxinha mesmo, do tipo machistão, homofóbico, racista, e o caralho a 4. Nos nossos últimos encontros, conversando sobre machismo, ele chegou a usar sua condição econômica pra humilhar minha amiga na frente de todos, dizendo que ele servia pra pagar as coisas mas estava sendo acusado de machismo. O cara é um babaca, enfim... a amizade continua, mas percebi que ele se afastou da gente, e ela está se afastando também, mas sutilmente. Isso porque somos amigas há 16 anos.

Sobre ficar sem amigos no mundo, acho que ao invés de pensar nesse risco, devemos sempre combater esse tipo de pensamento, mesmo que a pessoa se afaste.

Anônimo disse...

Cabelos, cabelos...
Lembrei do Miss Brasil 2006. Sim, minha memória é excelente.
Entre as 3 finalistas lá estava ela, a Miss Acre, Maria Cláudia Barreto.

Fotos:
http://allbeautyofworld.blogspot.com.br/2008/06/miss-brasil-2006-rafaela-zanella.html

http://4.bp.blogspot.com/__igTw41QL08/SLaxZaIG92I/AAAAAAAABE4/fy40PnkqZ6Y/s1600-h/bac09-02.jpg

Eu achei ela maravilhosa, e pensei "ah, já ganhou, que mulher lindaaa!!!"
Mas aí eu lembrei do nosso país racista. E o primeiro lugar foi para a gaúcha. Não desmerecendo a beleza da vencedora, mas sei lá...

Minha prima deu o palpite dela: "ah, ela é até bonita, mas tinha que passar uma chapinha nesse cabelo, né?"

Ouvir esse comentário de uma pessoa branca, q tem cabelos ondulados, mas f*deu o próprio cabelo de tanta chapinha, é de lascar né?
"Ah não, mas cabelo liso é mto mais bonito..."
É sim... Aham... ¬¬

Ednaldo Farias disse...

Lola, considerando que o que você respondeu sobre o racismo vale para qualquer outro preconceito, que tal deixar de ser especista?

Eu ainda sou, mas estou tentando deixar de ser!

Helena Bera disse...

T., eu lamento por você estar ao lado de uma pessoa desprezível como seu namorado. Não o conheço - e nem preciso/quero - pra saber que se ele pensa que negros cheiram mais mal e não apresentam higiene, do topo de todo seu privilégio de homem-branco-heterossexual ele realmente tem opiniões macabras sobre como todxs os outros seres humanos diferentes da norma de padrão dele merecem/são, baseados em pré julgamos e preconceitos tão imbecis e ancestrais, que juro, dá muito ódio de saber q pessoas falam isso sem se ouvir, sem qualquer pingo de noção.
Não se cale! Questione-o, enfrente. E de coração? Separa.

Pra anônima das 09:59 eu logo que cheguei aqui pra comentar vi teu post e lembrei que vi no blogueiras negras exatamente um texto sobre apropriação cultural. Também tinha/tenho váarios questionamentos sobre isso e o texto dá uma oxigenada e uma baita reflexão http://blogueirasnegras.org/2013/11/27/tirem-maos-simbolos-luta/

Renata disse...

"vc acha que um branco q usa dreads é racista?"
Não sou a Lola, mas..
Gente racista não gosta das cosias da cultura negra, como os dreads por exemplo.
Um branco de dreads quer dizer que ele curte, não que ele odeia..

Porém, um colega meu foi pra Jamaica uns anos atrás.. ele é branco, hippie e usava dreads na época.. Lá, pediram pra que ele tirasse os dreads, porque muitos consideravam um absurdo um branco usando dreads.. Disseram que era uma coisa exclusiva negra e que brancos não deveriam de usar..
Isso, pra mim, é absurdo.

Ana Carolina disse...

Sobre apropriação cultural, o comentário da T. e o texto linkado: é um assunto complexo, espinhoso e beeeem complicado. Até gostaria de um post mais elaborado sobre isso.

Só que eu vejo quilômetros, um OCEANO, entre uma feijoada light (e vamos ser sinceros, cozidos de pedaços de carne com feijão não são exclusividade da sociedade brasileira. Um cassoulet light, então, pode ser? Um chilli?) e um "bolinho de Jesus".

Sei lá, preciso de mais conteúdo para ter uma posição, o texto é um início, mas não acho a última palavra para meu convencimento.

vera disse...

Gente racista não gosta das cosias da cultura negra, como os dreads por exemplo.

como vcs apelam! eu n gosto da cultura negra,tipo pagode,samba,aquelas batucadas que eu n sei que ritmo é.
n gosto de dreads.
algumas religiões como macumba acho estranho mas respeito e eu n sou racista.
agora se vc n idolatrar tudo da cultura deles é racismo? tenha dó!
isso que é absurdo.

alguém ai falou que fulano n namora negro então é racismo,pq gosto pessoal n existe,claro.
e quando um branco só quer namorar um pessoa negra é o que?
meu irmão por exemplo só gosta de mulher negra,ele esta discriminando as brancas?
é ridículo demais.

tem que inventar coisa onde n tem pra lutar contra racismo ou é paranoia mesmo?

RavenClaw~ disse...

Ednaldo, que bom que vc apareceu. Pelo seu comentário deduzo que vc está no caminho do veg(etaria)nismo neh? Eu seeempre tive esse dúvida mas nunca tive pra quem perguntar: como um veg(etari)ano se vira quando tem animais de estimação? Como os alimenta? Pq as rações são feitas basicamente de restos de outros animais neh?

RavenClaw~ disse...

Ah vou dar minha opinião de mulata sobre o texto que postaram das Blogueiras Negras (umas lindas). Eu tive um namorado branco, branquissimo, transparente. E mesmo assim, ele tinha o cabelo mais crespo que o meu. E a gente curtia, ele usava black power. Eu não concordo com tudo das Blogueiras sempre. Como acontece nesse caso. Quer dizer que por ter a pele branca, ele DEVIA ter alisado o cabelo? Sou bem ignorante nessa questão de apropriação e tal. Se tiver alguém pra escrever um guest que saque bem do assunto tenho ctza q a Lola topa. Hahaha

Anônimo disse...

Anon das 12:13, tenho preconceito com gaúchos. Penso que tendem a ser racistas e segregacionistas. Eu sou baiana (acho nordestina muito geral, são 9 estados com cultura muito diferente. Minha Bahia é muito especial então digo que sou baiana.). A mesma coisa com paulistas. Mas eles me dão motivo pra isso por causa da cultura desses lugares. Então estou no meu direito. Não foi uma atitude individual de um paulista ou gaúcho comigo que me fez pensar assim.

Anônimo disse...

Anon 12:15, acho isso uma babaquisse. Eu sou baiana e branca (do mesmo jeito que você, na aparência) e aqui não tem isso não. A cultura daqui é de origem africana e é de todo mundo. O Saulo Fernandes que era da Banda Eva é branco, loiro, e tem uma musica linda falando sobre a cultura africana na Bahia - "Raiz de todo o bem". Procurem no youtube pra ouvir, é linda. Ele veste às vezes roupas étnicas africanas também. Será que acham que ele é racista por isso?

Helena Bera disse...

Raven, pois é! essa questão do especismo é foda. Por exemplo, eu sou vegetariana e já tentei algumas vezes comprar essas rações veganas mas além de serem beeeem mais caras elas veem em menor quantidade, foda.
Normalmente esses produtos especificos são bem mais caros e só atingem um público muito restrito($$$).

Tá ai Lolinha, acho q ia ser massa você ~um dia~ vc abordar em algum post teu o veg(etari)anismo por aqui!

RavenClaw~ disse...

Pois é. Eu tinha ouvido falar e a reclamação geral é de que é muito caro mesmo... Tipo, um absurdo! Hahaha como lidar?

Anônimo disse...

Que ótimo, hein, baiana? Então também estou no meu direito de não gostar de baianos e de outros nordestinos pq tive, de verdade, problemas com alguns indivíduos antes. Afinal de contas, estou no meu direito. Eu também tive problemas com um palmeirense roxo fanático então é óbvio que hoje em dia eu não gosto de nenhum palmeirense - só que não.
Sério? Sério mesmo???

Anônimo disse...

Os animais não tem nada a ver com a escolha de alguém ser vegetariano ou vegano. Aliás, como veterinária eu posso e vou dizer com todas as letras: SEU ANIMAL DE ESTIMAÇÃO NÃO PODE SEGUIR UMA DIETA VEGETARIANA/VEGANA!!!
Gente, é sério, vocês tem um cérebro? Vocês não conseguem dar uma simples pesquisada no Google? Um cão é ONÍVORO, um gato é CARNÍVORO. Super claro e simples, não? Proteínas de origem vegetal não são a mesma coisa que proteínas de origem animal. Não me importa se vocês fazem uma comida caseira para os seus animais ( orientados por um veterinário, nada de fica dando só bofe ou fígado para eles! ) ou se vocês compram ração. Vocês acham que estudamos tanto e investimos tanto em pesquisa nutricional a toa? Pq é legal? Usem a droga da massa encefálica que aparentemente está dentro do crânio de vocês e tenham um pouco de bom senso! Parem de serem ignorantes extremistas!!!!

Anônimo disse...

Ração vegana. Que maravilha. Com que veterinários vocês andaram falando? Quem foi o veterinário que falou que tá tudo bem dar ração vegana pra qualquer bicho? Fala o nome aí pra eu poder denunciar e esse ignorante ter o CRMV cortado ao meio. Tirando casos de alergia alimentar severa, e mesmo assim nunca vi um caso de ser necessário usar algo vegano, pensar em usar rações desse tipo é no mínimo triste. Ninguém percebeu que essas rações existem por causa de veganos extremistas que existem por aí? Pergunta pro seu bicho se ele quer parar de comer carne. Solta ele no campo pra ver se ele não vai tentar caçar alguma coisa, nem que seja inseto (vocês acham que inseto é o que? Planta?). Extremistas.

Maria Valéria disse...

Eu nunca namorei um cara racista ( pelo menos , nao que eu soubesse ou que o cara tenha me dito )

Mas pela experiência que tive , posso assegurar : a pessoa que e intolerante ou extremista com alguma coisa o será com você quando tiver oportunidade ou quando achar que você " merece"

Um ex ( blergghhh ) namorado , uma vez implicou por eu ter dado carona pra um amigo meu depois de um curso, teve um ataque histérico de ciúmes e chamou meu amigo de " medico de merda" .
respondi que eu nao estava acostumada a falar nessa linguagem chula, que se ele quisesse falar comigo ia ter que mudar o tom de voz ou entao ir lá na casa dos pais dele falar assim, ja que eles o tinham criado assim.e que ele nao ia xingar meus amigos e eu ia continuar dando carona o quanto meu amigo quisesse e precisasse!!!

Eu ja estava de saco cheio desse namoro por conta do ciúme doentio dele, e essa foi a gota d'água, nao foi o único motivo ( o xingamento ) que me fez terminar com ele. Mas que pesou bastante pra eu terminar e me fez começar a ter nojo dele isso pesou SIM.

Terminei uns 4 dias depois,
Adivinhe o que escutei em seguida , da boca dele, e inclusive que ele escreveu em redes sociais ?
Que EU era uma " medica de merda "
...entao, muito cuidado com gente intolerante,...
Nao existe gente agressiva com um e carinhoso com outro,ele so será carinhoso com vc enquanto achar que você " merece" ser tratada com carinho,

Hoje, condição sinequanon pra eu namorar ou nao alguém:
Usou adjetivo chulo, grosseiro, estilo " vagabunda , puta, qualquer coisa de merda " pra se referir a outra pessoa, a porta da rua e ali em frente,comigo nao fica e nao tem chance,
Ou na primeira oportunidade vai me xingar do mesmo nome,?? To fora.
Fica a dica e a advertência :))
Bjs

Anônimo disse...

Quanto ódio no seu coração, veterinária...
Com mel a gente conquista mais abelhas, sabia?

Julia disse...

Veterinária, a RavenClaw apenas fez uma pergunta. Pq está tão irritada?

Eu hein.

Julia disse...

Vera, querida, cultura "deles" é o caramba! Nossa cultura! Samba, pagode, candomblé e tudo mais que tem influencia africana, e coincidentemente, você não gosta, fazem parte da NOSSA cultura, ok? Cultura brasileira. Brasileiríssima. E quem não gostar que vá se ferrar :)
Uma cultura tão, tão ampla, riquíssima, e você não gosta de nada, nadica de nada dela mesmo?
Muito interessante isso pra uma pessoa não racista...

donadio disse...

Olha, acho que cultura é uma coisa, "raça" é outra.

Detesto música "sertaneja" - o que não quer dizer que eu desgoste de paulistas do interior, ou que ache que são menos capazes. Por acaso, eu gosto - e muito - de samba. Mas poderia não gostar, e isso não me faria racista, ou preconceituoso contra cariocas ou baianos. Não dá pra ser assim, gente. Cada um de nós tem limites em termos de gosto estético, que a gente precisa respeitar - no outro e em nós mesmos.

Bem diferente, é claro, é querer que o nosso gosto estético se transforme em regra para os outros. Ou para o Estado. Cada um é livre para gostar ou desgostar de forró, por exemplo. Agora achar que o Estado não deve investir na preservação ou na divulgação do forró só por que eu não gosto, isso não dá...

E quanto à ração vegana para animais domésticos... a não ser que o animal doméstico em questão seja um coelho ou hamster, não tem o menor cabimento. Aliás, querer transformar um cão ou um gato em vegetariano, isso sim, é crueldade para com os animais - no caso, com o cachorro ou o gato.

Me parece que a única coisa coerente para quem quer ser vegetariano (por questões outras do que gosto pessoal ou preocupação com a própria saúde, claro) é não ter animais domésticos que sejam carnívoros.

Aliás, a gente não deveria exterminar esses monstros assassinos, não? XD

Raian moreira disse...

O irmão da minha namorada faz piadas de negro direto, eu sou moreno claro, mas me sinto mal, porque sempre fui criado respeitando as pessoas e estou horrorizado com isso, minha namorada é um amor, ela me respeita, mas ja briguei com ela por causa do racismo do irmão...o que faço? quero rebater ele, não falei nada até agora para não dar briga, mas ja briguei com minha namorada por isso, tenho que fazer algo...me ajudem, quero piadas de branco ou como falar coisas a altura...obrigado desde já.

Anônimo disse...

Gosto muito do meu namorado. Mas percebo que ele é racista não quer ter filhos comigo, já insinuou o lado racista, fico muito triste com isso, sou mulher bonita e atraente, pelo menos é o que dizem, mas as vezes quando estou com ele mi sinto a pior mulher do mundo, não sei porque ele mi si sentir assim, ele é branco, as vezes acho que está comigo só por sexo.nao sei mais o que fazer .

Anonima disse...

Eu gosto muito do meu namorado, mas as vezes ele tem umas atitude racista, já insinuou várias vezes, q não quer ter filho comigo, percebo q é porque sou negra, mi considero bonita, atraente, pelo menos é os elogios q recebo , mas pra ele parece q não está tão satisfeito, mi sinto muito mal, com isso ,ele não nada carinhoso, as vezes tenho impressão q só estar comigo , por prazer, já pensei desistir mas gosto dele,