quinta-feira, 7 de novembro de 2013

GUEST POST: AS MUITAS POSSIBILIDADES DA ASSEXUALIDADE

A Eli me enviou este post pra comemorar a Semana da Visibilidade Assexual, que aconteceu no final de outubro. 
Mas eu esqueci (desculpe, gente!). Ainda assim, considero que a assexualidade seja um assunto relevante, e que sempre é deixado de lado quando se fala de orientação sexual. 

A primeira vez que eu entrei em contato com o termo “assexual” foi no blog da Lola através de um guest post. Mas ao mesmo tempo que aquilo parecia ser eu, também não parecia. Eu havia pensado na possibilidade de eu ser demissexual [quem sente atração sexual por alguém apenas quando sente atração romântica], mas como não havia conseguido entender direito coloquei esse pensamento no fundo da minha mente e esqueci.
Há alguns meses eu me deparei com o termo novamente e decidi pesquisar com a certeza de que eu não era aquilo e iria comprovar isso. Horas depois eu ainda possuía um grande sinal de interrogação na cabeça, mas uma quase certeza de que eu era realmente demissexual.
A certeza e o conforto vieram de ativistas e de pessoas assexuais comuns que discutem suas experiências. Com o tempo eu fui entendendo esse mundo melhor e entendendo onde eu me encaixo em tudo isso. O contato com a comunidade me faz refletir e aprender uma coisa nova todo dia. Porém eu sou privilegiada por ter conhecimento em inglês. A falta de material, de informação e de uma comunidade brasileira, além da invisibilidade e do apagamento de assexuais, impedem muitas pessoas de se identificarem ou de nos compreenderem, e é pra essas pessoas que eu escrevo.
Eu não conseguiria explicar a assexualidade sem explicar as diversas formas de atração. A primeira delas é a atração física/estética, que é simplesmente achar alguém bonito, atraente; a atração romântica é se apaixonar e desejar entrar em um relacionamento amoroso com determinada pessoa; a atração sensual é o desejo de praticar atos sensuais (mas não sexuais) com outra pessoa, como beijar, abraçar, tocar; a última é a atração sexual que nada mais é que o sentimento que faz com que as pessoas desejem fazer sexo com outra pessoa.
É esse último tipo, a atração sexual, que a pessoa assexual não possui. Logo, uma pessoa assexual é alguém que não sente atração sexual. Isso não é uma escolha, assim como homossexualidade também não é -- trata-se de uma orientação sexual, que já foi constatada até mesmo em outros animais. 
Como cada indivíduo é único e possui desejos e sentimentos diferentes, existe também uma variedade de indivíduos assexuais. Existem assexuais que se apaixonam, que desejam relacionamentos, que não desejam relacionamentos, que tem a libido alta, que se masturbam, que querem fazer sexo, que fazem sexo, que gostam de fazer sexo, que não fazem sexo... E o que une todas essa pessoas diferentes é simplesmente o fato de não sentirem atração sexual. [Nota da Lolinha: Eli, isso tá confuso! Como assim, têm a libido alta e não sentem atração sexual?!]
Entretanto, nada no mundo é apenas preto e branco. Quando falamos em (a)ssexualidade devemos compreender que existe um espectro que parte de uma pessoa totalmente sexual até uma pessoa totalmente assexual. Mais próximo da assexualidade existe um grupo de pessoas denominadas Gray-A(ssexuais). Essas pessoas podem se identificar desse modo por várias razões diferentes, como, por exemplo, sentirem atração sexual raramente, muito baixa ou somente sob determinadas circunstâncias.
Dentro da Gray-Assexualidade existe uma categoria chamada de demissexualidade. Pessoas demissexuais entrariam na categoria de Gray-As que sentem atração sexual sob determinadas circunstâncias. A circunstância de demissexuais é a de que haja uma conexão intelectual e/ou emocional com outra pessoa. A princípio parece puritanismo, mas não é. Novamente não é uma escolha: do mesmo modo que uma pessoa sexual não escolhe por quem ter uma atração sexual, uma pessoa demissexual também não. 
Essa conexão normalmente demora meses ou anos para se formar até que chegue ao ponto do indivíduo sentir a atração sexual, e obviamente nós não vamos sentir atração sexual por todas as pessoas com quem tivermos um tipo de conexão, senão eu sentiria isso até pelo meu pai. 
O fato de Gray-As e demis se inserirem na comunidade assexual se dá justamente por esses compartilharem experiências parecidas com assexuais e por se identificarem mais com assexuais do que com sexuais, afinal essas pessoas normalmente passam por longos períodos em que se identificariam como assexuais, conseguindo até mesmo contar o número de vezes que sentiram atração sexual.
A comunidade não é excludente. Tanto pessoas trans* como homossexuais, bissexuais, e panssexuais podem se identificar como assexuais. É comum encontrar pessoas que se identificam como assexuais, mas que romanticamente sentem atração pelo sexo oposto (assexual homorromântico) e afins.
Eu sei que se compreender e se aceitar é uma longa jornada, mas lembre-se que existem muitas outras pessoas lá fora que se sentem como você. Você não é quebradx, não é anormal, não é um robô. É uma pessoa como outra qualquer, com sentimentos e necessidades.

Para quem quiser saber mais, eu aconselho a AVEN (Rede de Visibilidade e Educação Assexual), em inglês, o fórum sobre assexualidade em português, e eu estou começando um tumblr sobre assexualidade, em que responderei dúvidas, ouvirei desabafos e discutirei assuntos relacionados à assexualidade. Mas também responderei dúvidas neste post.

63 comentários:

Anônimo disse...

na realidade a maioria das mulheres esta entre estas duas vertentes, assexual e demissexual, ao contrario dos homens, devido a testosterona, a sexualidade feminina e em maior parte construção social.
A prova maior disto e que a grande maioria das mulheres sente repudio, a qualquer investida de interesse sexual masculina, que não esteja inserida dentro de um padrão de fetiche. Muitos sexológos defendem a tese,de que com a revolução comportamental se aprofundando 9 homens não tem mais utilidade para a mulher moderna, nem de ordem sexual nem afetiva) de que em alguns anos, a grande maioria das mulheres será lesbica, bi, ou assexual.

Larissa Petra disse...

Antes de ler esse post eu achava sinceramente que a Demissexualidade era algo meio que inventado, algo que não existia, só pq eu ignorantemente não compreendia, tipo como assim sentir vontade de transar com uma pessoa que ela tenha um sentimento romântico ? Conheço tanta gente assim que não faz sexo casual....(affffs eternos para mim).Mas claro que eu sempre respeitei quem se denominava assim, e nunca jogava isso na cara, afinal as pessoas tem o direito de se classificarem como quiserem quem sou eu para julgar ?! Mas no meu íntimo eu não acreditava sei lá....
Mas quando vc comparou a conexão de um pai para uma filho, algo clareou em minha cabeça...oras um demissexual ele AMA seu parceiro, só não quer transar com ele (parece idiota, mas foi quase uma epifania), para resumir acho que acabei de mudar minha vida, sem exageros.
Então gostaria até de me desculpar pela minha ignorância, é que são tantos anos presos na normatividade social, que diz que casais se beijam e fazem sexo, que o amor de casal é sexual e ponto, que sentir vontade de fazer sexo é normal.
Enfim...parabéns pelo post, espero que a assexualidade seja mais visível para termos menos ignorantes como eu.

Anônimo disse...

bem, anônimo ignorante das 11:27, leia isso e chore: http://www.alternet.org/when-women-wanted-sex-much-more-men?page=0%2C1

Helena disse...

Excelente post, Eli! Precisamos mesmo de mais visibilidade, especialmente no Brasil, com essa cultura ultra-sexualizada que leva pessoas como o Anônimo das 11:27 a confundir assexualidade com abstenção ou "puritanismo", sempre carregados de valor negativo. Checando seu blog agora!

Lola, a melhor metáfora (embora ainda falha) que encontrei para a questão da libido e da atração sexual é a seguinte: pensando em alimentos a libido seria como a fome. Vc sente fome, mas não necessariamente a vontade de comer um alimento específico; qualquer um já a saciaria. A atração sexual seria como um "craving" ou um vício em determinado alimento, uma vontade urgente de comer um bolo de chocolate, ou uma maçã. Hmmm, lendo isso agora eu vejo o problema da comparação... Enfim, atração sexual é o fator que diferencia heterossexuais, homossexuais, pansexuais, etc - a atração específica por determinado gênero ou pessoa. A libido é simplesmente tesão, não necessariamente direcionado a alguém.Um asexual nunca (ou raramente, se for Grey) vai olhar para alguém e pensar "putz, eu super transaria com essa pessoa", mas pode olhar para alguém e pensar "caramba, podia ficar sentad* olhando o dia inteiro para essa pessoa (atração estética)/discutindo a vida, o universo e tudo o mais com essa pessoa (atração intelectual)/de mãos dadas ou trocando beijos (atração sensual)/etc".

Anônimo disse...

ok, gentes, demissexualidade e assexualidade. eu acho q a sexualidade humana é variadésima. agora, será que não vale a pena pensar mais nas questões e viver mais, pra saber se você é realmente demi ou assexuado ou se só inculcaram na sua cabeça que sexo é uma coisa suja e feia que só presta se tiver relação com o romantismo ou nem isso? pq, né?, sexo pode ser uma coisa maravilhosa. mas você realmente só percebe isso se é livre para realmente dizer se gosta ou não de sexo. mesmo o anônimo testosterônico das 11:27 não sabe o que é isso. não sabe o que é sexo MARAVILHOSO - ele acha que sexo é uma obrigação de macho inscrita em seu corpo (e no corpo de todos os homens) pelos hormônios. alguém assim vai ser feliz sexualmente? LÓGICO que não. o anônimo pode gozar todas as vezes que trepa ou se masturba, mas nunca sentiu felicidade de fato no sexo. existe uma diferença gigantesca entre gozar e ter prazer, sabiam? gozar é fugaz e fraco, ter prazer é intenso e feliz. então, só retomando, claro que acho que a assexualidade e a demissexualidade são vertentes da sexualidade humana, que é virtualmente infinita em sua diversidade, mas façam um exame de consciência e testem seus limites, experienciem, não sejam joguetes desse mundo hiperssexualizado que, no fundo, relaciona o sexo ao que é sujo e mau; nem da igreja, q relaciona o sexo ao que é sujo e mau; nem a esse sentimento generalizado de que sexo é sujo e mau. Controlar o sexo é controlar o prazer e controlar o prazer é controlar o corpo, aka, escravizar. Gente não disposta a sacrificar o corpo, é gente perigosa presse mundo decadente.

Leila disse...

Gente, desculpem, sou totalmente ignorante a respeito, mas não entendi nada. Como assim a pessoa tem libido mas não tem vontade de transar????

Anônimo disse...

Sou assexuada, e fui criada livre, sem repressões.
Tive vários namorados e nunca fiz sexo com eles. Não sinto vontade. Às vzs tinha vontade de abraçar, beijar, fazer carinho, mas transar não. Óbvio que nenhum deles me entendia. É difícil, pois você quer a companhia de alguém, mas não quer fazer sexo. A maioria pensa que é c* doce (desculpem a expressão).
Enfim, sigo sozinha, talvez um dia um assexuado cruze meu caminho e podemos fazer companhia um para o outro.

lola aronovich disse...

Off topic, mas essa é especial pro Leandro, meu troll libertário de estimação, aquele do "loja é propriedade particular, e o dono pode fazer o que quiser, discriminar quem quiser, se recusar a vender roupas para negros, mulheres e gays, e ninguém tem nada com isso". Então. Lembra do dono da Abercrombie & Fitch, que em maio deu uma declaração dizendo que sua marca era só pros "cool kids", e que não tinha roupas plus size porque não queria gordas e gordos usando suas roupas? Muita gente ficou indignada com suas declarações, e teve gente que comprou roupas da marca e as deu pra moradores de rua. As ações da marca na bolsa despencaram, de 34 para 10%. Pois é, karma is a bitch, diz o ditado. Agora o dono da empresa anunciou que vai oferecer marcas em tamanhos maiores...

Marussia de Andrade Guedes disse...

Eli:
Gostaria de saber qual o percentual de homens e mulheres entre os assexuados.

Anônimo disse...

Sou demissexual, rs.

Já os mascus são heterossexuais porém não conseguem amar as mulheres... legal, né? /soquenao

Leandro disse...

Foi o que eu falei, Lola. Ele é burro. No livre mercado, quem pratica este tipo de discriminação, vai se estrepar.

Anônimo disse...

Adorei lola ! Esse cara tinha é q falir,agora vai vender roupa em tamanho maior? Espero q ninguém compre nessa merda de loja.

Eu realmente n entendi o post se a pessoa é assexuada como é q ela transa bastante?

Eli disse...

@Larissa
Muita gente pensa isso de que demissexualidade não existe, às vezes até assexuais. Mas na verdade a diferença é que o demissexual só vai sentir atração sexual e sentir desejo em fazer sexo quando houver uma conexão emocional (não necessariamente amor) com a outra pessoa, mas essa conexão pra acontecer leva MUITO tempo. Eu já vi casos de pessoas q eram amigos de infância e que só lá depois dos 20 anos vão sentir algo por essa pessoa que passou anos e anos juntos mas que até então não sentia nada sexual por ela.
Mas realmente sexo é algo que se imagina que todo mundo faça e por isso que a gente se sente como um peixinho fora d'água. E muito obrigada pelo apoio!

@Helena eu tenho que pegar firme no blog agora! haha

@anônimo das 12:25
Eu entendo de onde você está partindo. Mas normalmente mesmo assexuais não usam a classificação como uma forma de se controlar, muitos assexuais fazem sexo e gostam. Eu nunca disse que eu não vou fazer sexo algum dia na minha vida, eu não tenho nojo de sexo (ainda que você encontre assexuais com repulsa a sexo), e eu não acho sexo algo sujo ou ruim. O exame de consciência você pode acreditar que a gente faz quase que diariamente, não é fácil chegar nessa conclusão. Mas o fato é que eu normalmente não sinto vontade de transar com outras pessoas. E o contrário do que você falou estava acontecendo. Eu estava me forçando a ficar interessada nas pessoas, eu mentia pra mim mesma, na minha cabeça eu falava "uau eu super transaria com ele", mas a verdade é que eu não sentia nada. Sabe o que é vazio? Seria o mesmo que falar pra um homem homossexual "ah mas você já tentou sexo com uma mulher? Por que é MARAVILHOSO". Existem chances das pessoas estarem enganadas? Existem, mas o número é mínimo. Será que então eu deveria questionar a sexualidade de toda uma maioria de assexuais por causa de um grupo mínimo? Eu deixo isso pra você também fazer um exame de consciência.

@Leila
Um assexual com libido vai se satisfazer só com masturbação, porque ele não tem um desejo direcionado à uma pessoa, o que uma pessoa não-assexual normalmente não vai conseguir.



Eli disse...

@Marussia
Não existem grandes pesquisas feitas quanto a isso. As pesquisas realizadas foram sempre na AVEN e a última delas em 2011 deu um percentual de cerca de 60% mulheres e 40% homens. Mas como eu disse não é algo definitivo e esse número pode mudar de acordo com o número de assexuais cadastrados na AVEN e que respondem essas pesquisas ou que vão atrás de entender sua (a)ssexualidade.

Eli disse...

@Anônimo das 14:18
Porque assexualidade não é sinônimo de abstinência, mas sim uma falta de atração sexual, sabe aquele pensamento "céus que pessoa maravilhosa, eu quero transar com ela"? Assexuais não experienciam isso. Mas mesmo sem atração sexual a pessoa pode transar, existem n motivos pra isso: porque a pessoa quer satisfazer o parceiro, porque mesmo sem atração sexual ela tem prazer com o ato sexual, porque ela quer ter filhos,etc.

Anônimo disse...

Eu sou demissexual, de uma família liberal e acreditem, é um saco ver os outros pautarem sua vida sexual como se vc fosse doente. MAS SEXO É BOM É BOM.
Poxa que bom, vai lá champs.
Pq as pessoas precisam se meter e palpitar na vida sexual dos outros?

Anônimo disse...

Vocês estão cada vez mais loucos. Ninguém "é" isso ou aquilo. As pessoas estão sempre se transformando. É triste ver um site feminista essencializando pessoas e definindo comportamentos em caixinhas conceituais pobres.

Anônimo disse...

O que me confundiu um pouco foi a questão da atração sensual. Nunca senti desejo por contato genital, mas sempre tive atração romântica. Ocorre que a sensual eu também sempre senti, ai entra um problema da classificação.

beijar a menina "lá" é sensual ou sexual? .-.

Eli disse...

@Anônimo das 14:50
Sexualidade é fluída, então sim, nós constantemente estamos mudando, tanto assexuais quanto não-assexuais. Mas é praticamente impossível uma pessoa homossexual mudar tanto a ponto de "virar" heterossexual, o mesmo acontece com a gente. É claro que classificações são falhas e talvez por isso com o tempo mais e mais surjam. Mas você acha realmente inútil haver termos/classificações como "transexual" ou "feminista" ou qualquer outra classificação em que nós nos dividimos exista? Se pra você esse tipo de classificação quanto a sexualidade é inútil que bom, mas se pra outra pessoa o for é bom também. Se essa classificação existir pra uma pessoa se compreender, compreender a sua própria sexualidade e se identificar com outras pessoas, qual o problema nisso?

@Anônimo das 13:01
Até onde eu entendo fazer sexo entra como apenas penetração. Então "sexo" oral seria sensual. Existem muitos assexuais que fazem sexo oral e afins (porque ainda entraria como toque), mas não tem penetração. Pelo o que você falou você sente atração sensual, mas não sexual. Claro que isso só você pra ter certeza.

donadio disse...

A coisa fantástica na internet é que a proporção de pessoas que são coisas-diferentes-sexuais é muito maior do que no "mundo real"...

Eu tenho que concordar com isto:

"essencializando pessoas e definindo comportamentos em caixinhas conceituais pobres"

E me parece que existe um amplo movimento caixinhasexual na internet. Ninguém é cool se não tiver uma "identidade", e quanto mais rara e/ou inédita ela for, mais cool a gente fica.

Anônimo disse...

Lola, você sabia dessa história? http://www.pragmatismopolitico.com.br/2013/11/o-triste-fim-das-viuvas-da-ocupacao.html

Muito triste! Mulheres na França pós-guerra que se relacionaram com alemães eram humilhadas em público: seus cabelos eram raspados, elas eram despidas, as vezes até tatuavam ou queimavam a brasa em suas testas o símbolo do nazismo. Chocante essas fotos.

Anônimo disse...

num intindi, como assim a pessoa é a assexual e tem libido alto, transa, gosta de transar? fiquei confusa, mas tbm a ignorante aqui nem sabia que existia um dia de visibilidade e muito menos essa variedade toda. Mais uma pra conta da WikLolaPedia.

Fernanda disse...

Eita, acho que eu sou o outro lado do extremo do assexual.

Se pudesse, transava com uma enormidade de pessoas.

Adoro a intimidade do sexo.

:D

ma1w disse...

Eu fiquei bastante confuso. Por favor, me corrija se eu estiver errado.

Eu imaginava que a assexualidade se tratasse somente de uma variação de libido entre as pessoas. Alguns naturalmente tem mais libido, outros menos, e por isso não teriam necessidade de manter relações sexuais.

Mas pelo que você contou é mais do que isso. A assexualidade também pode ser uma diferença na direcionalidade das relações (não sei se é o termo mais adequado).
De certa forma, todos somos sexualmente atraídos por um gênero ou ambos. Os assexuais não possuem direcionamento nenhum e no caso dos demissexuais precisa haver algum grau de envolvimento emocional. É isso?

Além disso, um assexual com libido poderia se masturbar vendo um filme pornô. Neste caso o
um impulso sexual não é direcionado aos atores. Mas afinal, ele se sente atraído pelo quê, então? Por um ideal estético?

Tudo isso é novo pra mim, por isso estou confuso. Mas tanto essa última parte quanto a demissexualidade soam muito como amor platônico. E eu tenho a impressão que estas idealizações envolvem sim construções sociais.

selena disse...

para que tantos termos gente,só para confundir todo mundo.
n sei se sou demi,assexuada,gray, só não sou como a maioria q parece obcecada por sexo e acha q todo mundo deve ser igual,por isso a primeira coisa q me perguntam quando vou na casa de parentes ou quando conheço alguém ,é onde está meu namorado.

tenho 26 e nunca namorei mas já me apaixonei uma vez só e era platônico e até agora n aconteceu de novo.
n olho para um cara e penso q quero transar com ele,mas fico admirando se eu achar bonito.
tenho vontade de transar mas só me masturbo e as vezes passam meses e nem isso eu faço,as vezes da vontade mas eu desisto pq vai me cansar e eu tenho coisa melhor pra fazer kkkk

eu penso em namorar sim mas só se eu gostar muito,como n aconteceu ainda,n vou ficar com qualquer um só para n ficar sozinha ou para satisfazer os outros.
sem falar que n suporto homem machista e achar q um q n seja n é tão fácil e tb me assusta ver quantos psicopatas tem por ai matando mulheres.

tenho certeza q todos pensam q eu sou lésbica e eu n dou a minima kkkk uma prima lésbica cismou q eu tb era e queria me apresentar uma mulher...
já me falaram q eu devia ter problemas mentais.
apesar de eu n me importar muito,as vezes da vontade de mandar todo mundo tomar no c*,pq se metem tanto na vida alheia? eu n chego em ninguém para ficar dizendo o q eles devem fazer,fazendo perguntas intimas,n me importa se eles transam ou n.


eu vi o site q a autora indicou bem legal,acho que quase todos lá
são considerados gays ou lesbicas pq n namoram ninguém.

e ainda tem os arromânticos q n se apaixonam nunca e tem certeza q isso n vai acontecer,eu n me enquadro nisso.

Anônimo disse...

É sempre interessante ver como a sexualidade é variada. E a "pregada" pela norma é só uma entre várias opções.

Mas fiquei em dúvida: Como seria um Demissexual arromântico?

Acho que um arromântico sexual seria aquela pessoa que transaria com várias pessoas diferentes mas apaixonaria por nenhuma. Enquanto o arromântico assexual não teria qualquer espécie de desejo sexual.

Philis disse...

Nunca tive desejo,prazer, orgasmo nada! E um colega uma vez questionou o motivo de eu nunca falar em sexo ou namorados.No barzinho que estâvamos tinham muitas pessoas e ele pegou como exemplo duas pessoas e perguntou:
O que sente ao ver mulher nua? Falei que nada além de constrangimento. E o que eu sentiria ao ver um homem nu? Nada também além de constragimento. E ele falou que eu era assexuada e que segundo a filosofia um ser sem nenhum tipo de desejo sexual é anjo. MAS NADA A VER. Não é psicológico nem problema físico ou de saúde. Sou uma mulher saudável e atê atraente aos olhos de quem ver. Assim como não é interessante uma pessoa se expor como heterossexual, bissexual,homossexual também não é interessante ou importante se expor assexuado . O valor do ser humano não está na sua sexualidade. E definir alguém assexual é complexo. Uma pessoa pode ter vários parceiros e não desejar nenhum, ou seja, tem uma vida sexual ativa e aí? É assexuado mesmo tendo vida sexual ativa? Para chegar num denominador comum falta muito.

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Achei o texto um pouco confuso.
Nunca fui muito a favor de excesso de categorização, em colocar tantos rótulos quando o assunto é sexualidade.
Pra mim as pessoas são diferentes e passam por fases diferentes ao longo da vida. Acho que a maioria em algum momento se sente perdida porque não se encaixa nos estereótipos existentes: homem máquina de sexo, mulher romântica ou mulher fatal, porque o senso comum quer que a gente creia que as possibilidades são só essas e são fixas.

Anônimo disse...

Desculpem a minha ignorância no assunto, mas fiquei com algumas dúvidas/curiosidades. Eu até então achava que compreendia o termo assexual...sabia que eram pessoas que não possuíam desejo sexual, porém , algumas podiam ter interesses românticos, ou seja, gostar ou até amar alguém, desejar a companhia desta pessoa e este interesse podia ter um direcionamento hétero, bi, ou homo (da mesma forma como ocorre c/ quem é sexual). Porém, ao ler o relato do post e de mais algumas pessoas aqui me surgiram, algumas dúvidas: por exemplo, a questão da libido alta e da masturbação. Fiquei realmente curiosa, pq quando me masturbo tenho vários pensamentos na cabeça e eles envolvem pessoas... podem ser fantasias, mas sempre envolvem pessoas. Quando um assexual se masturba ele pensa no quê? pelo que sente tesão? é algo mais abstrato? Outra questão que me chamou a atenção foi alguém mencionar que o sexo oral ou até mesmo o ato de masturbar alguém estaria incluído no desejo sensual (e não sexual). Isto porque está relacionado ao toque, como o beijo e o abraço. Aí, eu realmente fiquei confusa.Porque quando recebemos sexo oral ou somos tocados por alguém e sentimos prazer, bom, se este prazer nos é dado por alguém, ele está inerentemente ligado a uma pessoa e não à algo abstrato, certo? Além do mais, o desejo sexual não visa somente a penetração, tanto que mesmo no mundo dos sexuais é muito comum não ter prazer através da penetração e sim do sexo oral ou de outras carícias. Isto não configura um desejo sexual mesmo assim? Enfim, como disse no começo desculpem a minha ignorância, mas achei o post muito interessante!

Anônimo disse...

"será que não vale a pena pensar mais nas questões e viver mais"

"se só inculcaram na sua cabeça que sexo é uma coisa suja e feia"

O que enche o saco de quem não acredita em deus não é a falta dele. São os crentes que não acreditam no discernimento alheio.

Fernanda disse...

Ô gente, a bem da verdade também achei bem confusas todas essas categorizações (sem pejorar).

O pessoal dos comentarios ta trazendo situações mais complexas e menos definidas.

Enfim, creio que o post visa, antes de mais nada, legitimar a assexualidade como uma opção.

Eli disse...

@ma1w
Basicamente você entendeu. Assexuais com libido alta vão se masturbar, mas não pensar nisso como algo sexual, mas como uma obrigação, algo pra diminuir o stress. Estímulos como o toque podem deixar um assexual excitado como qualquer outra pessoa com libido alta. Quanto a vídeo pornô não vai passar de uma fantasia. Se você colocar os atores na frente dessa pessoa ela não vai sentir atração sexual nenhuma.

@Anônimo das 17:40
Um demisexual arromântico vai sentir atração sexual por pessoas com as quais ele tenha um tipo de conexão emocional (lembre-se: conexão emocional não é necessariamente romântica), por exemplo uma conexão intelectual.

@Philis
O denominador comum é exatamente o fato de nenhum assexual sentir atração sexual. E acredite aparecem muitos casais com problemas no casamento porque um deles é assexual e nenhum dos dois compreende o que tem de diferente nessa pessoa até chegarem à comunidade.

Só esse último ponto que tá tendo discussão. Quando se está dentro da "norma" é fácil falar "pra que tantas classificações?". Mas do mesmo jeito que vocês não-assexuais não compreender a nossa perspectiva, pessoas assexuais também não entendem a de vocês. E então você tem um jovem passando por uma puberdade totalmente confusa porque não sabe o que está acontecendo ao seu redor, e um adulto que se obriga a ter relações sexuais e a se casar porque esse é o "normal".

Rodrigo Antonio Toso disse...

Acho curioso como sempre que se discute algum grupo muito pequeno e/ou socialmente ignorado aparece gente reclamando de rótulos. Caramba, se você não gosta de rótulos, ótimo pra ti, colega. Seja feliz assim. Mas por que se incomodar tanto com gente que se sente de forma diferente, que gosta de ter nomes para o que sente e na forma como se identifica? E por que encarar todos os rótulos como coisa imutável e inflexível? Não é porque determinada pessoa se defina X hoje que daqui um tempo ela não possa se enxergar Y - e se enxergar Y a partir daí não invalida seu tempo enquanto X.

Curioso também que raramente aparece alguém tentando invalidar termos já fortemente estabelecidos, como "heterossexualidade" e "homossexualidade". Mas quando é algo pouco debatido e novo para aquelas pessoas, elas querem logo bater o pé e dizer que isso tudo é bobagem.

Por que tanto medo do "novo", gente? Por que tanto medo do "diferente"?

selena disse...

eu n acho que é medo do novo rodrigo,o ser humano é muito complexo e esses termos n conseguem definir um pessoa completamente.
eu pelo que li aqui tenho um pouco de cada e ai eu sou o q?

eu acho q o mundo seria melhor sem tantos rótulos,cada um faz o que quiser e é do jeito q quiser,sem ser taxado disso ou daquilo,mas para a humanidade atingir esse nível vai demorar muito.

e mais uma coisa me confundiu,pelo q eu li no forum q indicaram aqui, um arromântico nunca se apaixona ,então como pode ter demissexual arromântico se demissexuais tem q sentir algo pelo outro pra ter vontade de transar?

Anônimo disse...

Estou sem saco pra fundamentar, mas libido é diferente de vontade transar efetivamente. A pessoa pode ter libido, se masturbar, pensar em sexo, desejar alguém, mas não querer executar o ato em si.

Sim, é complicado, mas se você não entende, favor respeitar quem não é representado pelo modelo simplista de sexualidade.

Calíope Corcovia disse...

Gosto cada vez mais de acompanhar o blog! Mesmo sem comentar, estou por aqui.. Devoro cada linha e me deleito nos comentários.

Parabéns pelo espaço que construiu online, Lola!! Você não faz ideia do valor que isso aqui tem... (:

Muitíssimo obrigada, Eli, pelo post. Gostei muito de ler, visitarei seu Tumblr periodicamente. Adoro conhecer e tentar entender o máximo de variedades sempre e achei bastante esclarecedor o que escreveu por aqui.

Sucesso!

Rodrigo Antonio Toso disse...

Mas, Selena, não acho que nenhum desses termos tenha a intenção de definir uma pessoa como um todo. Isso seria impossível. O ser humano é plural. Ser uma coisa não te impede de ser várias outras, de transitar entre todas elas ou entre algumas, seja constantemente ou não.
Dar nomes as coisas é dar o primeiro passo para entendê-las. Um grupo sem nome não é um grupo.
Eu acredito que o problema não está nos rótulos, mas na forma como nós os encaramos. Querendo que eles sejam definitivos e excludentes; palavras marcadas em pedra.
Como existiria ativismo por causas sociais se nós não nos rotulássemos? Como existiria o próprio feminismo se não nos autointitulássemos "feministas"?
Acho utópico demais a ideia de uma sociedade que não precise categorizar de modo algum.
Ninguém precisa usar termo nenhum pra se autodefinir se não se sentir confortável ao fazê-lo. E ninguém tem o direito de ditar como os outros se identificam ou não. Mas mesmo que haja gente que não se sinta confortável com esses termos, eles são muito úteis para outras pessoas. São termos assim que ajudam algumas pessoas a compreender a si mesmas, a se aceitarem e aprenderem a conviver bem consigo mesmas e a descobrir que elas não estão sozinhas.
Imagine quão tenebroso seria se descobrir gay em um mundo em que a palavra “gay” não existisse (ou qualquer outra equivalente)!

flordelanoche disse...

Muito interessante o post e os comentários!
Visitei o forum e vi pessoas desejosas de algum contato humano.
Pessoas sensíveis percebem como é difícil uma verdadeira intimidade com o outro.
Parabens pela iniciativa Eli!

Anônimo disse...

Muito bom o guest post, parabéns. Espero que ele ajude o máximo de pessoas que se encontram dentro desse espectro da assexualidade, assim como seus parceiros.
No mais, o Rodrigo disse tudo: "se você não gosta de rótulos, ótimo pra ti, colega. Seja feliz assim. Mas por que se incomodar tanto com gente que se sente de forma diferente, que gosta de ter nomes para o que sente e na forma como se identifica?"

selena disse...

vendo por esse lado ,acho que vc tem razão rodrigo.
mas para mim infelizmente ,fiquei mais perdida com tantos termos.

Anônimo disse...

Colocando em anônimo para não expor ninguém. Bem, eu tenho uma pergunta, e por favor, não leve a mal.

E quando a pessoa não consegue sentir a atração sexual por causa de um algum trauma ou questão psicológica? Não quero julgar a sexualidade de outra pessoa, mas, nesse caso, eu não consigo ver a assexualidade como algo "normal".

Eu tenho alguns amigos que não mantêm relações sexuais por esse motivo. Como a garota que alega não se interessar por sexo por ter sido estuprada na infância; uma pessoa trans que se sente tão mal em relação ao próprio corpo que sequer suporta ser tocado (nem mesmo um beijo, que dirá sexo).

Simplifiquei bastante os exemplos, mas acho que deu para entender o que eu quero dizer. Vocês tem esse tipo de discussão em sites sobre assexualidade? Não é para desqualificar ninguém, é para eu entender mesmo.

Eurritimia disse...

Quanto à questão de necessidade de rótulos, eu poderia chegar aqui e dizer, por exemplo, que esses rótulos de homossexualidade, heterossexualidade, transexualidade etc, nada disso existe, o que existe são seres humanos. Quando vocês questionam essa necessidade de classificação, no fundo vocês não estão sendo diferentes de quem diz, por exemplo, que não existe pessoas cis, somente trans e "normais".

Pelo pouco que frequento nas comunidades assexuais, a classificação é mais usada como indicação do que uma camisa-de-força. É mais pra se orientar e se perceber dentro de sua sexualidade - tem gente que nem liga pros nomes, simplesmente se considera assexual no sentido mais geral da palavra.

No mais, o post é excelente.

L disse...

Muito legal ver um post sobre assexualidade aqui no teu blog, Lola :)

Vitória disse...

Não tenho dificuldades para conceber a assexualidade. Acredito que tenham indivíduos que se identifiquem assim, e que isso não significa, necessariamente, que eles não tenham nenhum tipo de pulsão sexual. Contudo, não consigo conceber a demissexualidade.Se é uma pessoa que sente desejo sexual por alguém, contanto que tenha forte ligação emocional, então conheço inúmeros demissexuais! Talvez eu até seja uma, e não acredito que seja o caso.

Para mim existem diversos níveis de atração sexual, mas isso não significa, necessariamente, que aquele indivíduo que não se encaixa na cultura hipersexualizada que nós temos, seja demissexual.

Mas enfim, se alguém puder me explicar melhor esse conceito e me convencer que estou errada, sinta-se à vontade.

Anônimo disse...

Ser demissexual é pior do q ser gay nesse mundo e pior ainda se vc for homem como eu.
Pq nós sofremos pressão para sermos pegadores,fodões,transar o mais rápido possível.
Todos da minha familia acham que sou gay,meus primos me infernizavam querendo me levar em puteiro,me empurravam garotas e eu não ficava com nenhuma .por n sentir nada por elas.
Só fui namorar com 22 anos pq me apaixonei pela primeira vez,foi ridiculo ver a alegria dos meus pais,sentiram alivio pq pensaram q eu era gay me deram parabéns como se eu fosse um herói. Mas não deu certo,eu sentia vontade de transar com ela mas era pouco,tentei explicar como eu me me sentia e ela n entendeu e achamos melhor terminar.
Quando contei a elas q havia terminado e o motivo a cara deles foi impagável kkkkk a certerza de q eu era gay voltou firme e forte.
A maioria das pessoas n entende ,acham impossível n ser louco por sexo,isso é culpa dessa sociedade hiper sexualizada,tudo gira em torno de sexo.
E tb das pessoas q vão engolindo tudo que lhes dizem ,sem parar um segundo para pensar por conta própria.

Julia disse...

O que basicamente tem no artigo que a anon das 12:02 é que antigamente acreditava-se que mulheres tinham maior desejo sexual

"from ancient Greece to beginning of the nineteenth century, women were assumed to be the sex-crazed porn fiends of their day."

Esse desejo sexual maior, no entanto, não era considerado uma coisa boa e servia como justificativa pra as mulheres serem submetidas a pais e maridos, pois possuiriam moralidade, razão e inteligência inferior e a incapacidade de auto controle.

"heir sexual passion was seen as a sign of their inferior morality, reason and intellect, and justified tight control by husbands and fathers."

O interessante é notar que sempre que uma característica é atribuída ao feminino é considerada inferior, errada, justificativa para submissão e abusos.

Quando é atribuída aos masculino é boa, superior, o padrão.

Anônimo disse...

O que é sexo?Como defini-lo?

Anônimo disse...

Vitória
Mas é justamente essa a questão. Eu considero a sexualidade uma questão tão diversa quanto a quantidade de pessoas existentes, cada pessoa tem uma (a)sexualidade que é diferente da outra se apresentando em muuuitos níveis e formas, nem seria possível nomear todas elas. Como já foi dito, essas classificações são para identificação e para permitir o debate, eu aprendi muito sobre a minha sexualidade, lendo sobre assexualidade, eu passei a me conhecer melhor e adquiri um certo alívio por saber justamente que não são necessários rótulos e que toda (saudável) forma de amor/atração ou o que seja, é válida. Tomando eu mesma como exemplo, a ~caixinha~ em que eu melhor me encaixo seria bissexual, mas a verdade é que eu me atraio sexual e romanticamente de formas diferentes por homens e mulheres. Talvez tenha um termo pra isso, mas isso não é importante pra mim depois que eu percebi essa diversidade toda.

Anônimo disse...

Vitória, não sei se é seu caso, mas eu vejo muita gente confundindo demissexualidade com alguma escolha pessoal como abstinência ("só quero transar quando achar a pessoa certa") ou ser estritamente monogâmico, não sentir vontade de ter relações sexuais com alguém que não for seu parceiro, etc.
Talvez seja porque eu sou demissexual, mas na verdade é bastante simples... é uma ausência inata de desejo de manter relações sexuais com quem quer que seja, a não ser que você forme um vínculo emocional com alguém.

Vou dizer por exemplo, como é para mim: estou solteira há uns 4 anos e nesse meio tempo, desde meu último namorado, não senti desejo nenhum de ter relações. Quem sabe um dia, se eu voltar a me apaixonar, eu vou sentir novamente.

Antes desse namorado eu também não sentia desejo, mas pra mim era normal porque não fazer sexo antes de casamento era o esperado. Mas desde então virei atéia e feminista ;) ou seja, minha falta de vontade de contato sexual também não é resultado de ser reprimida.

Depois que terminei o namoro, cheguei a achar que tinha ficado com algum trauma por não sentir mais atração por ninguém. Até que eu me apaixonei por outra pessoa, só que por ele cheguei a sentir somente atração romântica mas não sexual (talvez por ter sido uma coisa mais platônica).

Anônimo disse...

Ah esqueci de acrescentar:
"Se é uma pessoa que sente desejo sexual por alguém, contanto que tenha forte ligação emocional, então conheço inúmeros demissexuais! Talvez eu até seja uma, e não acredito que seja o caso." -- e quem sabe demissexualidade seja algo bem mais comum do que se pensa, mas é algo que nunca foi discutido até recentemente.

Anônimo disse...

Não é porque discordamos de uma forma de se colocar as coisas que quer dizer que estamos desrespeitando, incomodados, com medo do novo, achando que é bobagem ou "batendo o pé".
Então só podemos comentar um texto se concordarmos totalmente com ele?
Senão, ótimo pra você, seja feliz com sua opinião contrária que não foi solicitada e pronto.
Eu hein.

Eli disse...

@Anônimo das 10:31
Pessoas que sofreram abuso sexual exitem na heterossexualidade, homossexualidade e claro na assexualidade também. Claro que qualquer pessoa que tenha sofrido um abuso sexual precisa procurar tratamento psicológico e ali essa pessoa vai saber/perceber se o que ela sente (ou não sente) é por conta do abuso ou por ela ser de fato assexual. Nós sempre aconselhamos às pessoas nunca fazerem esse tipo de pergunta "Mas será que não é por causa de algum trauma/abuso que você é assim?", obviamente porque trás más lembranças.

Quanto a transexuais é a mesma coisa, se houver um ódio ou repulsa ao próprio corpo o conselho é procurar tratamento psicológico. Mas do mesmo modo há também transexuais assexuais, vai depender da pessoa se identificar ou não, só ela sabe, só ela sente o que ela sente. Ninguém tem o direito de dizer o que ela é ou não ou com o que ela deve identificar ou não.

Eu entendo que além de querer compreender, as pessoas também tentam nos ajudar, mas tentar encontrar justificativas para a nossa assexualidade não nos ajuda em nada, porque nós já ouvimos essas mesmas coisas antes. E lembrando assexualidade é uma orientação sexual, não uma doença ou distúrbio.

Anônimo disse...

Acho que meu problema é esse. Sou menina,gosto só de mulheres e sinto desejo por elas mas na hora H não sinto tesão a não ser que eu esteja alcoolizada. Achei que era só comigo

Anônimo disse...

Para Eli, que me respondeu (sou a pessoa que perguntou sobre traumas). Obrigada pela sua resposta, mas parece que você não entendeu muito bem o meu ponto.

Eu realmente não estou tentando "ajudar" ou "orientar" ninguém, estou tentando ME entender aqui. Não estou procurando justificativa para a sua assexualidade, mas para a minha (as)sexualidade. Por isso é importante para mim entender.

Eu me identifico um homem trans, embora eu me apresente totalmente como mulher. A sociedade me considera uma garota muito bonita, dentro dos "padrões" estéticos. Sexo é um assunto delicado para mim porque eu sinto atração sexual, sim, mas eu não tenho vontade de "colocar em prática".

Independente do meu gênero, eu sinto atração por homens. Alguns homens correspondem essa atração, só que eles se interessam pelo meu corpo feminino. E é extremamente frustrante para mim pensar em me relacionar sexualmente com outra pessoa assim. Eu já tive algumas (bem poucas) experiências sexuais e aí vem outro problema: minha mente meio que deleta as lembranças. Não como "eu enchi a cara e não lembro do que eu fiz". Eu não consigo me lembrar muito bem dessas experiências, mesmo tendo estado sóbria, tendo sido na minha casa, com uma pessoa da minha extrema confiança. Isso é estranho e frustrante. Eu consigo em lembrar de um bom filme pornô gay que eu vi, sei lá, no ano passado, com um dos meus porn stars favoritos. Mas não consigo lembrar direito de nenhuma experiência sexual que eu tenha realmente vivido.

Acredito que existam pessoas realmente assexuais, mas olha o meu caso. Eu obviamente tenho um problema. Preciso de orientação psicológica - e talvez psiquiátrica - e sim, já busquei isso, melhorou um pouco, só que é difícil, complicado. É por isso que eu estou perguntando. O mais perto que eu cheguei de conversar com alguém que se identifique como assexual é um amigo trans que tem um grau muito alto de disforia de gênero, e por isso não consegue nem pensar em fazer qualquer coisa sexual.

Claro que eu não vou sair perguntando para as pessoas se elas são assexuais porque tem traumas, mas poxa, eu queria ao menos saber se vocês (como um grupo, ou movimento) têm levantado alguma questão desse tipo.

Edson S. disse...

Eu já percebi em mim, que não sinto atração sexual por quem me apaixono.
Sinto atração sexual por outras pessoas, menos por quem me apaixono.

Sou gay e tenho dificuldade pra fazer sexo anal, sinto vontade, mas por causa da dor é muito complicado pra mim.

Nane disse...

Só para colaborar:
Eu já sofri diversos abusos sexuais, inclusive estupro por dois homens e ainda assim não perdi minha libido e meu interesse sexual por homens.

Anônimo disse...

Porque temos que dividir tudo em categorias e rótulos? Ficou bem esquisito esse texto...

lica disse...

Acho que o que gerou incômodo em relação aos rótulos, é que o autor citou, sei lá, uns dez tipos diferentes de assexuais, e ainda com características contraditórias ao que a própria classificação estaria indicando a priori, e daí ficou confuso...

Gabriel disse...

Existem casos que a pessoa tem a libido alta e é assexual mesmo. Possuem fantasias, sentem tesão, amam pornografia, mas fisicamente, não consguem fazer com outra pessoa. Apenas sozinhx.

Nat Muniz disse...

a sexualidade humana é tão, tão complexa...

Anônimo disse...

Cada um é unico! Uma pessoa unica, uma alma unica, um corpo unico! Um zilhao de pessoas no mundo? Um zilhao de classificacoes sexuais! Acho que em 2013, tanta classificacao e subsub classificacao, tira a singularidade. Ninguem vai ser exatamente assim ou assado! Sexualidade saudavel (nem doetia, nem perserva) protegida (evitar dsts), cada um é dono da sua, da maneira que lhe for natural, espontanea!! Cada um é um!

Anônimo disse...

Eu sempre vivi uma confusao mental muito grande relacionada a minha orientacao.Gostava de homem,depois de mulher,mas sem me relacionar sexualmente com ninguem.Atualmente nao gosto de mulher nem de homem.Nao sinto absolutamente nada,nem atracao romantica nem sexual.Quer dizer eu devo ter sido sempre assexual.Quem nao entende acha que a pessoa tem algum trauma,mas eu nao tenho nenhum.A verdade e que eu realmente nao gosto nem de homem nem de mulher.Eu nao gosto de namorar,de beijar,de me relacionar sexualmente.Nao e um problema.

Daniela Rabelo disse...

Essa noite eu estava no facebook e casualmente descobri uma página sobre assexualismo. Decidi acessar a tal página por achar esse assunto interessante e por essa questão surgir na minha mente, às vezes. Eu nunca tive um relacionamento amoroso, mas já cheguei a me apaixonar umas duas ou três vezes e não lembro de já ter sentindo atração sexual por alguém. Até tive acesso a material pornográfico... Mas sempre achei tudo aquilo extremamente sem graça. Eu sempre me perguntava: "É esse o tão famoso sexo que todos adoram?" Enfim, eu ainda estou confusa no meio de toda essa história, sinceramente não sei se devo me considerar assexual ou não, mas posso dizer que esse texto ajudou a clarear muitos pontos... Acho que nesse momento o que eu tenho que fazer é refletir sobre isso...