sábado, 26 de outubro de 2013

POR QUE NÃO FAZER PIADA COM PÊNIS PEQUENO?

No final de julho publiquei um guest post da Laís sobre a famigerada escola de princesas e, pra ilustrar, incluí este cartum (acima) do excelente Adriano Kitan, que obviamente, a julgar pelos seus outros trabalhos, é uma pessoa de esquerda. 
Eu adorei, e continuo adorando, a tira. Na ocasião, escrevi embaixo do quadrinho feminista: "Menção especial para a pichação na parede sobre o tamanho do cetro dos monarcas". 
Os mensagens no post não se centraram nisso, mas uma ou outra comentarista disse que rir de "pênis pequeno" não era legal. 
A Kika, por exemplo, foi das primeiras a fazer um comentário mais elaborado a respeito: 
"Sou contra o bodyshaming apresentado na figura que encerra o texto. Sou contra bodyshaming de uma maneira geral. Como mulher nunca achei legal as inúmeras sugestões que recebi para aumentar meus seios (que são muito, muito pequenos) e também de um ex que sugeriu que, além de aumentar os seios, eu deveria tentar diminuir meus pequenos lábios vaginais, que são bem grandes. De forma que eu me sinto pessoalmente ofendida quando se utilizam de bodyshaming, ainda que seja em uma figura feminista. 
Leio o seu blog há muito tempo e entendo que contradições são parte da natureza humana, mas me desculpe, Lola, vc me decepcionou nessa. Não vou deixar de ler o seu blog, nem serei infantil a ponto de dizer que perdi o respeito por vc, mas hj senti uma tristeza imensa de saber que nem aqui nesse blog eu posso ter a certeza que o corpo humano não será alvo de chacota, ainda que seja uma chacota 'com boas intenções'. Será válido fazer o mesmo tipo de argumentação que os opressores vem utilizando há tanto tempo para nos silenciar? Essa ilustração é deprimente, pra dizer o minimo."

Eu respondi: "Kika (e outrxs que reclamaram), vcs acham que 'monarcas têm pau pequeno', algo super genérico, sem citar ninguém, dentro do contexto do príncipe encantado dos contos de fada, é bodyshaming? Eu não acho. Não acho nem que as personagens fictícias que picharam aquele muro acham realmente que monarcas têm pau pequeno. Porque, que eu saiba, não há nada histórico relacionando monarcas (que têm todo o poder, todo o privilégio, então é bom a gente não cair em falsas simetrias) ao tamanho do pênis. É bem diferente, por exemplo, de dizer 'feministas são todas gordas'. Porque feministas SÃO constantemente acusadas de ser gordas, e porque 'fat is a feminist issue' (a gordura é um tema feminista). Agora, "small penis size is a royal issue" (tamanho pequeno de pênis é um tema real? Acho que não."

A Kika não deixou barato: "Sinceramente, não vejo como falsa simetria. Bodyshaming independe de contexto. Eu entendo que as mulheres, feministas ou não, são historicamente as maiores vítimas de abusos de toda sorte por causa da aparência física. Porém, não há como negar que historicamente o falo grande está sim relacionado ao poder e há uma ironização de homens que são sedentos por poder, que 'deve ter esse carrão pra compensar o pau pequeno'. A cultura patriarcal é danosa para todos. Eu já presenciei em uma rodinha de mães o escárnio em cima de um bebê de uma amiga que tinha o pinto muito pequeno. E os exemplos são vários. 
Sinceramente, não há desculpa para se engajar em piadinhas de cunho machista para atingir homens, nem que tais piadinhas sejam para enaltecer mulheres. Essa ilustração não se resume a seu contexto. Há todo um mito, toda uma bagagem cultural que cobra masculinidade, uma masculinidade que está atrelada ao tamanho do penis. A indústria pornográfica está aí para provar isso. E, não sei se vc viu, mas recentemente saiu essa reflexão muito interessante na Jezebel [sobre um concurso para escolher o menor pênis do Brooklyn]. Abraços, Lola, por favor não fique com raiva de mim, pois eu adoro o seu blog. Só fiquei bem triste mesmo com esse cartum, rs."

A Paula também quis deixar sua impressão: "Lola, o problema não é monarca ter ou não fama de ter pau pequeno e sim usar pau pequeno como xingamento. Que nem a Kika, tambem tenho peitos minúsculos, hoje desencanei, mas quando era mais nova sempre me sentia mal pra cacete quando eu via alguém usando peito pequeno como xingamento, porque, bom, eu também tenho, e se é ruim nos outros, é ruim em mim também, né? Quando se usa alguma característica física como xingamento, de certa forma você está criando uma pressão em todos um pouco mais inseguros que tenham essa característica, mesmo que você não dirija esse xingamento diretamente a eles. E sim, todo mundo sabe que tem muito homem complexado por causa do tamanho do pau e não tem que ser assim. Por isso discordo mortalmente de você."

E a Juliana: ""Eu adoro seu blog, me abre muito os olhos! Muitas vezes muda minha opinião, é sempre enriquecedor pra debate de ideias, pra gente repensar opiniões. Nesse espírito, quero concordar com a Kika e trazer um argumento a mais. Bodyshaming acontece quando vc identifica uma característica do corpo como negativa.
Mesmo que esteja se referindo a uma categoria abstrata, a ninguém em especial ou a alguém que vc quer mesmo confrontar, o que acontece é que a característica corporal em si fica estigmatizada, e todos que têm essa característica -- e que nem tem nada a ver com o que estava sendo criticado inicialmente -- vão se sentir incomodados, fora do padrão, passíveis de serem criticados por outras pessoas que simplesmente entenderam que pau pequeno é um defeito horrível, que serve pra xingar desafetos, sejam pessoas específicas ou características gerais. A mensagem é: pinto pequeno é uma ofensa, pq é horrível. Espero ter contribuído."

Então eu tive que me render: "Obrigada, gente, vcs me convenceram com este argumento, que é basicamente o mesmo: 'o problema não é monarca ter ou não fama de ter pau pequeno e sim usar pau pequeno como xingamento' (Paula) e 'Bodyshaming acontece quando vc identifica uma característica do corpo como negativa. [...] A mensagem é: pinto pequeno é uma ofensa, pq é horrível' (Juliana). Vcs têm razão. Embora eu nunca tenha usado tamanho do pênis como insulto pra ofender alguém, entendo que não é legal rir desse tipo de insulto. Mas continuo adorando o cartum, ok? (e imagina, Kika, claro que não vou ficar com raiva de vc. Sua crítica é válida, e vc a fez de uma maneira super educada. Só posso te agradecer!)."

Só queria deixar registrado aqui como aprendo coisas novas com minhas leitoras (e leitores também, menos os trolls, claro). Às vezes discussões saudáveis e educativas como esta ficam perdidas na caixa de comentários, já que nem todo mundo lê. Bom, como eu respondi, não uso características corporais pra insultar alguém. E como eu já disse duas vezes, sigo adorando o cartum, e rindo com ele, inclusive com o "monarcas têm pau pequeno" pichado na parede. Mas agora sinto-me um pouquinho culpada por rir. E aí fica a dúvida: devo me sentir culpada?

119 comentários:

Julyana Silva disse...

Bom, eu sou mulher, negra e nordestina, então eu sou um alvo fácil para esse tipo de coisa.

Lola, discordo um pouco de você. Acho que devemos ensinar as meninas a REAGIR.
Há pessoas que já tem o poder consigo, o sistema dá a elas essa condição sem que elas tenham que fazer o mínimo esforço. Se essas pessoas praticarem bodyshaming contra alguém, isso é COVARDIA.

Entretanto, há pessoas que já começam perdendo. Elas têm menos poder financeiro, menos poder social, menos poder físico. Para essas pessoas, TODO MEIO DE REAÇÃO É ACEITÁVEL.
Devemos ensinar nossas meninas a REAGIR SIM, tudo é valido contra o patriarcado. Os homens não se dizem os fortões? Então porque eles não podem lidar com uma mera ofensa ao corpinho deles?
Todos os dias ligo a TV e vejo a mulher sendo tratada como objeto, como burra, como lixo. ISSO SIM É OFENSA. Zombar de um pênis pequeno é uma gota no oceano. Tenho certeza que no dia em que todas nós mulheres reagirmos, esse oceano se transformará em uma marolinha acuada. Nada irá abalar a FORÇA FEMININA!!! Será a nossa hora e vez no poder.

Helen Pinho disse...

para repensar. quando a piada é com o opressor histórico é comum pensarmos que não se iguala a violência que sofremos. mas assim como a lola tenho que concordar com as gurias. é sempre horrível usar uma característica física para menosprezar e/ou rotular alguém.

DEMOGORGON DEADHAMMER disse...

do jeito que são as exigencias insanas das mulheres nessa sociedade, ate muitos caras de pau grande são rejeitados, as mulheres fazem muita exigencia - status social, dinheiro etc muitos caras de pau grande devem ficar sozinhos sem mulher, tenho certeza, as exigencias das mulheres são insanas.

Anônimo disse...

Respondendo a sua pergunta: acho que sim, Lola :(

Eu mesma me peguei pensando outro dia como ficar comentando o tamanho do pênis dos caras é algo que pode estar afetando muitíssimo a auto estima de muitos homens próximos a mim e eu nem tenho ideia de quão grande ou pequeno é esse efeito neles, já que eu não vi o pau da maior parte deles, rs.

Assim como as que comentaram o seu outro post, também tenho peitos pequenos e sempre me senti muito mal com isso. Tento superar e sei que no final das contas o tamanho deles não influencia em ficar com um cara, se o sexo vai ser bom ou não, etc. Mas mesmo assim, toda vez que vejo homens falando como peitos grandes (e isso deve ser, no mínimo, uma vez a cada dois dias) são A MELHOR COISA DO MUNDO, AI MEU DEUS, QUE COISA INCRÍVEL, O MEU SONHO É ARRANJAR UMA NAMORADA COM PEITOS GRANDES E LINDOS, é difícil não se sentir muito afetada. Por mais que eu saiba que o meu corpo não está "à serviço" de ninguém e que a minha auto aceitação não DEVE passar pela aceitação masculina (sempre tem aquelas pessoas que acham que estão melhorando a situação falando "tem homem que gosta de peito pequeno, de gordas, etc", não acho que a auto aceitação deva se dar desta forma), é difícil se aceitar quando a gente sabe que está sendo zombada e menos desejada por algo que eu nunca vou conseguir mudar (já que colocar silicone é algo fora de qualquer cogitação para mim)

Eu to em uma constante luta comigo mesma para deixar de zombar o corpo dos outros e parar de ficar noiada com o meu próprio corpo. Então, se eu rio de uma piada como essas, vou me sentir culpada sim por isso :/

Anônimo disse...

Sim, deve.

donadio disse...

É o problema clássico: quando o sistema é incoerente, a tentação natural é cobrar coerência dele. O que é uma porta entreaberta para o discurso reacionário.

Pegando um exemplo mais recente, esta semana um troll postou um link para um vídeo de uma professora da Universidade Estadual do Ceará (que ele, troll, identificou erradamente como Universidade Federal do Ceará, por ignorância ou por má fé e para criar um vínculo mais próximo entre a professora do vídeo e a Lola) "metendo a real" em um policial militar cearense. O problema do troll com a professora é o vocabulário, que, para citar Engels, é digno de uma verdureira de Berlim; mas para mim é evidente que se trata de um discurso radicalmente sexista e homofóbico, baseado na identificação, totalmente sem base na realidade, entre a postura passiva na relação sexual e uma postura passiva na política e na vida em geral.

Esse tipo de coisa é extremamente comum, mesmo entre militantes de esquerda, mesmo entre feministas. E levanta a questão: diante da contradição do sistema (que dá um belo símbolo fálico ao policial no objeto do cassetete, mas à custa da castração simbólica da disciplina militar), vale a pena expor a contradição nos termos do próprio sistema, dizendo, como a professora em questão, o que pode ser resumido como "você só é macho com o povo porque é fêmea dos seus oficiais"? Ou o preço a pagar, legitimando o lugar tradicional e falocrático das associações entre masculinidade e poder versus feminilidade e submissão é alto demais?

Da mesma forma, quando o lugar entre símbolo e simbolizado é invertido (como no caso do "monarca de pau pequeno", em que em vez do falo simbolizar o poder, o poder é que simboliza o falo): queremos realmente problematizar o tamanho do falo do tirano, com o risco de estarmos na verdade demandando um tirano que seja macho de verdade - que mereça a nossa submissão, por que tem um falo portentoso? Não obedeceremos mais ao tiranete ridículo, por que no fundo queremos um tirano sério, um tirano de verdade? É isso que queremos dizer?

Worm disse...

Eu sou homem trans é faço piada de pau pequeno.As vezes simplesmente ter senso de humor é bom e saudável.

aiaiai disse...

Oi lolinha,

Eu acho que a gente não deve mesmo fazer piada sobre pau pequeno. Mas, o meu motivo é outro. Essa piada reforça um conceito machista do que é ser homem: é o cara que tem pau grande, saco roxo, é forte, dominador, não leva desaforo pra casa, etc. Então, se somos feministas, não devemos reforçar algo que é essencialmente machista.
e, além disso, posso falar por experiência própria, o tamanho realmente não tem muito a ver com a qualidade de nenhum homem, nem sexualmente falando. Tem homem de pau grande q não sabe nada do riscado, assim como tem uns de pau pequeno que sabem tudo kkkkkkkkkkkkkkkkk, e vice-versa.

leonardo disse...

hipocrisia pura de feministas,ficam revoltadas com piadas sobre gordas,mulheres burras,estupros... mas debochar de homens de pênis pequeno n tem problema nenhuma,ai é senso de humor e n opressão e humilhação.
se é pra achar graça riam de tudo e de todos.

Leila disse...

Eu também acho que sim. É muito ruim se sentir diminuido por uma característica física.
Além do mais, estamos repetindo valores machistas ao usar o "pau pequeno" como xingamento. Imagino que haja homens profundamente incomodados com essa questão, assim como há mulheres incomodadas com o tamanho dos seios. Não é por sermos feministas que não teremos empatia com os homens.
(Não consigo deixar de achar graça do cartum, mas me sinto sim culpada. :))

Maria Valéria disse...

Existe uma única pessoa com quem tive vontade de fazer uma piadinha desse tipo( deboche físico)a pessoa merecia, pelo que me fez,
Mas,pensei mil vezes e fiquei quieta,
Aprendi a nunca rir da aparência física dos outros,tanto por ja ter sido vítima disso no passado,como por minha mãe ter me ensinado a nunca descer nesse nível...

Anônimo disse...

Se um homem a chacoteia por ser gorda,é tachado de gordófobo! Mas se ela chacoteia o homem,por ele ser "disprovido",é "penispequenófobA"?

Lilian Soares do Nascimento disse...

Aaah, eu seria bem mais prática em meus argumentos:

"POR QUE NÃO FAZER PIADA COM PÊNIS PEQUENO?"

Reposta: Porque eles precisam ter a cabeça erguida, ora essa!

:D

Anônimo disse...

E feminista la gosta de pênis grande, pênis médio ?
Feminista não gosta e de pênis nenhum.

Anônimo disse...

O problema não e o tamanho do pênis,o problema e que vem com um homem grudado nele :D

Joana Guilhermina disse...

Eu acho que esse feminismo água com açucar não vai chegar a lugar algum.
Como diria o sábio chinês: "A Revolução não é um convite para um jantar". Não vamos nos sentir culpadas por algo que não fizemos. Nós não estamos reivindicando nenhum luxo, nós estamos apenas arrancando privilégios a força.
Os homens chegaram ao poder jogando sujo: explorando, escravizando e matando. Nós não precisamos chegar a tanto, mas também não podemos agir como freiras.

Graciema disse...

Não acho bacana bodyshaming. Ponto. Entendo o ponto que a Julyana Silva levantou, da reação. Mas não acho legal. Mas meu ponto é outro. Se sentir culpada pra que? Culpa já é algo que jogam demais em cima de nós mulheres. É uma excelente forma de controle de nós tirar a segurança de nossas decisões e opiniões. Se os argumentos contra esse tipo de bodyshaming foram considerados válidos por ti, ótimo, não o faça de novo. Mas culpa não.

Maria Valéria disse...

Lola, quanto a sua pergunta " devo me sentir culpada por rir do quadrinho"?
Nao, acho que não

Vc pode rir do quadrinho,mas jamais imaginaria vc apontando o dedo pra algum homem e usando o " pau pequeno " como xingamento., ou ainda pensando " esse cara e machista porque tem pau pequeno " ...
Nao vi vc fazer isso nem com os trolls machistas babacas que vem postar aqui,
Uma coisa e vc sentir vontade de fazer e dar o troco( como eu senti uma vez na vida com uma única pessoa), outra coisa e você fazer propriamente,
Ninguém e cem por cento bom, cem por cento santo,
Se fosse assim, nos nao iríamos rir dos trolls babacas que comentam aqui,
Mas como as meninas que te escreveram ja comentaram, eu tambem( acima) assino embaixo : Jamais debochar de caracteres físicos de alguém.!!!
Beijo, querida.;))

André disse...

Rir de piada de pinto pequeno é o mesmo que rir das piadas do Rafinha Bastos.

Roxy Carmichael disse...

olha lola isso eu não seu responder
mas achei isso aqui MARAVILHOSO: http://questionamentos.tumblr.com/?og=1

Anônimo disse...

Sou homem, gay e já frequento seu blog há uns 6 meses.

Sim, eu me ofendo com piadas sobre pau pequeno. Bem o que uma mulher (que disse ter peitos pequenos) comentou aqui, que por mais que ela tenha "superado" isso, é sempre uma sensação ruim ouvir caras dizendo o quanto querem pegar uma peituda. No meu caso, apesar de já ter superado bastante certos complexos, é sempre um grande incômodo quando vejo homens ou mulheres debochando de pau pequeno. Como se isso fosse um grande defeito meu (e de outros)! Não escolhi meus genes.

Creio ser possível combater a opressão machista sem recorrer a bodyshaming (não conhecia esse termo).

Sylvio de Alencar. disse...

Não, não deve se sentir culpada. Nem acho que está se sentindo assim.
Não vi o cartoon, mas é bem possível que o acharia engraçado; se fosse bom.

Mas sim, é um aspecto muito delicado: as formas como alguns aspectos de nosso corpo se apresentam.
Para os mais jovens isso é uma tragédia, caso não concordem com seu aspecto.
Temos que ter uma certa atenção e aceitar que realmente se pode destruir (sem aspas, se a pessoa for fraca...),alguém através de chacotas e humilhações.

Adorei vc.
Abraço.

Sylvio de Alencar. disse...

Este coment é pro forma, esqueci de marcar a caixa para receber notificações deste blog. Marquei agora.

Abraços!

Anônimo disse...

Oi Lola, não sei se vc já ouviu falar nessa trilogia: a seleção, a elite e a escolhida da escritora Kiera Cass. Eu achei o enredo um tanto machista... mas gostaria de sua opinião. Esta trilogia é inspirada na saga de jogos vorazes e fala especialmente sobre um reino que faz uma seleção no estilo reality show de garotas que disputam um casamento com o príncipe do reino.

Sylvio de Alencar. disse...

Ôxe, nem tinha reparado no cartoon!
Muito bom!

Foi só a Cinderela jogar um verde, e as duas caíram de maduro rapidinho!
sorte da Cin, que ficou com o 'machista' todo pra ela!

Abraços!

MCarolina disse...

Achei o cartum divertido, mas o relato sobre a roda de mães debochando do bebê achei chocante.

Anônimo disse...

ja q vc n veem nada demais em rir de pau pequeno então n deem mais chilique sobre piadas com gordas,gays,loiras... menos hipocrisia.

Anônimo disse...

Deve.

hemhike disse...

Acho que quando se faz piada de pinto pequeno, incomoda mais os homens inseguros do que os machistas. Para um cara que se acha o senhor das mulheres pouco importa o tamanho do pinto dele, o que interessa pra ele é quantas mulheres experimentaram ele.

Quando se faz piada sobre o pinto pequeno de um homem outro homem pode pensar que essa característica física dele não é aceita pelas mulheres e isso dificulta um relacionamento mais seguro.

A.H.B. disse...

A auto-estima masculina não é nem de longe uma preocupação muito grande para mim como feminista, estou mais preocupada com os problemas de auto-estima das mulheres, pessoas trans, etc.

Fora isso a tirinha se dirigia a um monarca fictício e, ainda que fosse um monarca da vida real, alguém aqui acha que é importante defender nobres de alguma opressão?

Sem "culpa liberal" gente, pls.

O homem de lugar nenhum. disse...

Acho que isso gera mais insegurança nos caras legais, (não sei porque, mas acho que estes já tendem a ser mais inseguros). E isso é ruim pra todo mundo, não?

MonaLisa disse...

A auto-estima masculina não é nem de longe uma preocupação muito grande para mim como feminista, estou mais preocupada com os problemas de auto-estima das mulheres, pessoas trans, etc. [2]

Anônimo disse...

"A auto-estima masculina não é nem de longe uma preocupação muito grande para mim como feminista, estou mais preocupada com os problemas de auto-estima das mulheres, pessoas trans, etc."

É uma pena ter que ler uma coisa dessas. Que o foco do feminismo seja as mulheres, não há do que reclamar (é óbvio!). Mas não se esqueçam que nem todos os homens estão a serviço da opressão. E mesmo alguns que estão também são vítimas da cultura que lhes foi imposta (daí a necessidade da educação).

Eu pelo menos concebo o feminismo como parte de um movimento maior de luta contra toda opressão, o que inclui opressão por gênero, orientação sexual, aparência, cor, classe social, nível educacional, nacionalidade etc. Não consigo desvincular uma coisa de outra. Que há um foco em cada luta, há. Mas não deveriam se contradizer.

Ok. Só mais um homem inseguro escrevendo. Mas certamente não sou um inimigo, nem opressor.

Julia disse...

Anon 00:13

É uma pena mesmo mas tem que ser assim. Já existe feminista cheirosa demais no mundo, basta ver as que comentaram aqui. Concordo 100% com a Julyana Silva do primeiro comentário.

Cintia disse...

""POR QUE NÃO FAZER PIADA COM PÊNIS PEQUENO?"

Reposta: Porque eles precisam ter a cabeça erguida, ora essa!"


HAHAHAHAHA PQP QUE INFAME! AHAHAHA

Farofa disse...

Eu não vi problema na tirinha na primeira vez que eu li, eu até ri da piada do pinto pequeno, pois eu faço esse tipo de piada, mas parando pra pensar realmente não é legal.

Usar esse tipo de bodyshaming pra se vingar dos homens vai fazer você se vingar apenas de uma parcela da população pouco avantajada nesse quesito, mas vai descer você pro mesmo nível dos trolls.

Eu, como homem, luto constantemente contra o meu machismo e me sinto mal comigo mesmo quando eu acho graça em piada machista, quando eu penso em coisa machista ou quando eu ajo dessa maneira. Mas eu tento mudar algo.

Daí, quando eu analiso esse cartum, ou esse tipo de piada, eu vejo um certo machismo. Só porque não afeta negativamente as mulheres de forma direta não quer dizer que é válido. Esse tipo de atitude deveria ser evitada, na minha opinião.

Joana Guilhermina disse...

Esse sentimento de culpa é um freio que a sociedade judaico-cristã impõe às mulheres para que elas nunca cheguem a poder.
Eu também acho que todo instrumento é aceitável na luta contra o patriarcado. Pensem no seguinte: como vocês querem vencer uma luta se o adversário pode usar de todos os meios e a gente não?

A desculpa de que nem todo homem é opressor é a desculpinha mais mascu que existe. Quando eu escuto isso, no mesmo instante já colo o selo de autêntico mascu na testa da pessoa. Pensem no seguinte: se nossa sociedade é machista, e os homens são todos educados nessa sociedade, então TODOS OS HOMENS SÃO OPRESSORES EM ALGUMA MEDIDA. A diferença entre um e outro está apenas na quantidade da opressão. Isso é tão óbvio que eu fico boba em ver mulheres que seguem o movimento feminista e não enxergam isso.

Eu sou bissexual, durante muito tempo saí apenas com meninas. Pior do que as ofensas diretas eram as indiretas, era aquele olhar torto, aquela virada de cara. Então quer dizer que eu tenho que ser massacrada 24 horas por dia e ainda dar a outra face? Eu não concordo com isso.

Fernanda disse...

Nossa... achei tudo meio exagerado agora.

De qualquer forma, a primeira resposta que vem imediatamente na cabeça é: culpa não, pelo amor de Deus! Isso é um atraso de vida.

Compreendo xs leitorxs que se incomodam com bodyshaming, mas isso so reforça a ideia de que realmente o trabalho tem que começar é dentro. Sou gorda, SEMPRE fui, ja cheguei a ser obesa mesmo, e naquela fase critica de pré e adolecência. Claro que ja sofri bodyshaming, bullying, e todos os anglicismos que existirem por ai; até hoje adulta ainda sofro. Mas, honestamente, isso não me marcou nesse nivel, e sou totalmente capaz de rir de piada de gordo. Nunca fiz piada com os outros, mas eu mesma vivo rindo de mim, das minhas gordurinhas, e como a minha personalidade é totalmente voltada para a graça e o riso, é uma pratica que me faz bem. Traz leveza ao assunto, tira a conotação de peso, de discriminação, de culpa. Imprime naturalidade a esta que é simplesmente uma caracteristica fisica. Nada mais.

Acho que o melhor termômetro a ser usado é a intenção por tras da piada. E isso a gente sente logo, e facilmente. Se a intenção for de escarnio, então trata-se mesmo de um insulto, de uma ofensa ou até mesmo de uma agressão verbal. Mas se a intenção for leve, de brincadeira MESMO, buscando unicamente provocar o riso e relaxar, ai, pô, é tranquilo.

Porque senão a coisa fica séria demais, tudo muito rigido, muito severo. Ha de se ter um pouco de flexibilidade e acho que sentir a intenção da piada pode ajudar bastante nisso.

Anônimo disse...

É uma pena ter que ler uma coisa dessas. Que o foco do feminismo seja as mulheres, não há do que reclamar (é óbvio!). Mas não se esqueçam que nem todos os homens estão a serviço da opressão. E mesmo alguns que estão também são vítimas da cultura que lhes foi imposta (daí a necessidade da educação).

Eu pelo menos concebo o feminismo como parte de um movimento maior de luta contra toda opressão, o que inclui opressão por gênero, orientação sexual, aparência, cor, classe social, nível educacional, nacionalidade etc. Não consigo desvincular uma coisa de outra. Que há um foco em cada luta, há. Mas não deveriam se contradizer.



O feminismo não é uma luta para acabar com a opressão dos homens (se tratando de gênero) porque isso não existe. Rir do quadrinho não é certo porque de fato é body shaming e sinceramente eu acho escroto, mas falar que isso é opressão é ridículo..

E querendo ou não você é homem e com isso vem uma série de privilégios. Estar a serviço da opressão não é algo extremo como sair por ai espancando mulheres

Feminismo não foi feito para libertar os homens mas isso não significa que não traga coisas positivas para vocês

O homem de lugar nenhum disse...

Legal, agora relendo alguns comentários eu já não sei mais no que acreditar. Desde que comecei a acompanhar a Lola (no tempo em que ela escrevia as "cartas da Lola" pra um jornal da minha cidade), eu sempre entendi o feminismo como uma luta por uma sociedade igualitária, mas comentários como esse da Joana Guilhermina fazem pensar que se trata de uma guerra contra os homens, é isso mesmo?!?!

Quer dizer que, como sou homem, estou terminantemente PROIBIDO de simpatizar com o feminismo, estou PROIBIDO de tentar entender as mulheres e eu mesmo ajudar a lutar contra esta opressão machista, pois, de acordo com a joaninha ali, se eu simpatizo com o feminismo, isso faz de mim um mascu e ela vai grudar esse rótulo na minha testa.

Por favor, alguém me ajude a entender agora se eu posso ou não simpatizar com o feminismo.

Só pra constar, sou militante de esquerda socialista.

O homem de lugar nenhum disse...

"Pensem no seguinte: se nossa sociedade é machista, e os homens são todos educados nessa sociedade, então TODOS OS HOMENS SÃO OPRESSORES EM ALGUMA MEDIDA."

Nesse trecho do comentário você está ignorando completamente a existência da capacidade de pensar do ser humano, o SENSO CRÍTICO!

Ora, não é porque fui educado numa sociedade machista que eu vou concordar com o machismo. Eu penso, eu contesto, eu tenho opinião própria, eu tenho senso crítico.

Se fosse da maneira como você descreveu, não haveria, por exemplo, ateus criados em famílias religiosas. Quase todos os ateus com quem já conversei tiveram educação religiosa. Eu mesmo fui criado dentro da igreja católica, mas a partir de uma certa idade comecei a perceber a inconsistência daquilo tudo. Hoje tenho 23 anos, a 5 anos me declaro ateu.

Larissa disse...

Não entendo onde umas aqui pretendem chegar com esse revanchismo infantil. Tenho certeeeza que as branquinhas daqui adorariam que os negros tivessem essa mesma mentalidade revanchista e as tratassem que nem os negros são tratados pelos brancos. Certeza!

Bom, meu feminismo é liberdade e não opressão, se o de vcs é diferente, a única coisa que quero de vcs é distância.

Anônimo disse...

Esses zumoi são muito vitimista. O q q tem rir de pau pequeno???? Depois as feministas é que n tem senso de humor.

Ah, va.

Anônimo disse...

Nunca achei engraçado piadas que insultam os outros. Nem comentários que as pessoas costumam fazer, especialmente sobre os negros. Pra mim, humor que é humor não precisa ridicularizar ninguém para ser engraçado. Gente inteligente não faz isso. Por isso, acho os humoristas brasileiros tão amadores...

Joana Guilhermina disse...

Larissa, o feminismo não igual uma calça jeans que todo mundo usa quando está na moda e depois descarta. O feminismo é uma LUTA pela igualdade e liberdade das mulheres, se você não está disposta a lutar, é bom que mantenha distância mesmo.
Infantil é você que vive em um mundo cor de rosas. Eu sou realista é já conquistei muitos avanços pelas mulheres. Espero que você faça bom proveito.

pedro disse...

hipocrisia pura de feministas:

rir de piadas sobre mulheres,gordas=
pessoa babaca, ignorante e preconceiuosa.

rir de piadas insultando homens= ok,n tem nada demais,é ter senso de humor.

Cristina Martins disse...

É a segunda vez que vejo você apresentar essa postura, a de reconhecer um "erro", de refletir sobre o que disse, de usar de humildade ... E isso é muito, muito raro entre as pessoas. Parabéns prá vc, e que isso sirva como exemplo para as pessoas que acompanham o blog. :)
Ah! O outro post foi esse aqui http://escrevalolaescreva.blogspot.com.br/2013/10/o-cirurgiao-nao-quis-reduzir-meus-seios.html da garota com gigantomatismo (que eu não conhecia, nunca tinha ouvido e/ou lido nada a respeito) em que você, no final,faz um novo comentário dizendo à moça que depois que você se informou sobre o que é gigantomatismo, vc voltava atrás em tudo o que disse e a encorajava a, sim, buscar mesmo fazer a cirurgia. Minha admiração por você, que já era grande, ficou ainda maior!

lola aronovich disse...

Pedro, seu gigante intelectual, e outros mascus fazendo comentários tão inteligentes quanto: vcs leram o post? Não? Nem o título? Porque o post todo, os comentários reproduzidos no post, a minha opinião, tudo feminista, é JUSTAMENTE QUE NÃO SE DEVE FAZER PIADA SOBRE PÊNIS PEQUENO.
Aliás, acho que eu falei isso duas vezes no post que vcs não leram, eu nunca fiz piada sobre isso. Mas, em algumas situações, como a deste cartum, EU RIO. E, pra mim, rir é diferente de fazer piada. Eu não sou a autora da piada.
Engraçado é ver mascu, que passa 100% do tempo bodyshaming todo mundo (não só mulheres como homens, "gordos de tetinha", como VCS dizem), chamando de hipócrita feminista que escreve post dizendo que nenhum tipo de bodyshaming é legal...

Anônimo disse...

O homem de lugar nenhum, mas que comentário mais zzz. Vira e mexe tem um coment assim. Diz que acompanha há anos a Lola, uma pessoa que já escreveu trocentas coisas sobre feminismo, ai vem nesse post e vê uns comentários toscos e começa a ter dúvidas sobre o feminismo? mas generalizar homens baseado nas bobagens que eles escrevem em praticamente todo site não pode.. Parece o leitor chateado de uns dias atrás. Dizia ser feminista, foi num evento, não gostou e começou a ter dúvidas sobre o movimento como um todo..

Julia disse...

Larissa, vocês que são infantis e bobas. Muito bobinhas. Eu evito falar sobre isso, mas como existe mulher boba nesse mundo. Meu deus, como tem mulher ingênua.

Eu sou branca e se tiver, por exemplo, um evento para pessoas negras e não quiserem que eu entre eu não vou entrar. E mais, não vou dar um pio sobre isso. Se fizeram piadinha com brancx opressor, eu vou achar ótimo, tem mais é que fazer mesmo. Se eu achar que elxs apanham na cara todo dia e ainda tem que ser bonzinhos comigo eu vou estar sendo no mínino ridícula. Se negrxs me tratassem como são tratados pelos brancxs eu ainda teria a sociedade todinha pra aproveitar todos os privilégios pela minha brancura.

Não sou cristã e não compactua com a filosofia de oferecer a outra face. Se mexer comigo vai levar uma bolacha.

Reagir não é errado.
Errado é mexer com quem tá quietx.

Percebam que na piada da Cinderela ela apenas reagiu. O príncipe trata as mulheres como coisa, e elas apenas picharam o muro com uma piadinha.

Bobas. Vocês são bobas.

Anônimo disse...

Piadas com Pênis pequeno fazem parte da cultura falocêntrica que exalta o pênis grande do macho dominador.

Anônimo disse...

Erm, sim, deve.

Esse tipo de piada propaga uma insegurança entre muitos homens, e o resultado disso é variado mas quase nunca positivo, pra eles e pra sociedade... Afinal toda traumatização e construção de complexos na cabeça de qualquer pessoa faz ela tentar "se defender" em toda situação que sua insegurança vier à tona, o que para este caso dos homens pode resultar em desde uma filosofia de ostentação para compensar a desvantagem sexual com consumismo (carrões, relógios, roupas caras, etc...), até em outras formas de defesa, como comportamento violento.

Muitos homens acabam por se comportar como machistas não porque concordem ou racionalizem as ideias dessa desgraça de cultura, mas porque "se você não consegue vencê-los, junte-se a eles". Enquanto a sociedade, na forma de mulheres ou homens, pressionar e dar motivos para eles criarem essas inseguranças e terem que "se defender" essa cultura só irá se reproduzir.

É difícil ser compreensivo com seu opressor, eu sei, mas eu já consegui conscientizar muitas pessoas com métodos bem menos confrontativos como os da tirinha.

Sim, sinta-se culpada. :/

Liana hc disse...

Lola, eu acho que usar características físicas para pontuar críticas não é legal, nem quando dirigido a uma figura opressora. Acho que essa coisa de achar graça do "politicamente incorreto" faz parte da contradição de ser humano. Não cobro que as pessoas não achem graça, mas que se proponham a fazer uma reflexão e se esforcem em não reproduzir determinados comportamentos, com tempo isso vira conscientização e por fim uma cultura, o senso comum. Até lá, a gente se pega rindo de coisas que o nosso intelecto de militante discorda. Faz parte...

Rafael Barros disse...

"Ah, mas é só uma piada."
Já ouvimos isso demais, né?
Se a luta feminista é em favor de mulheres e homens, se a luta é contra o patriarcado, utilizar as armas desse patriarcado contra ele me parece, sim, equivocado.
Piadas quanto ao tamanho do pênis estão intimamente ligadas à masculinidade, eficiência sexual, pró-atividade, liderança, confiança, e etc. E o feminismo me ensina (enquanto homem) que isso é um argumento patriarcal falho, e que posso ter tais qualidades sem precisar ter um pênis - em relação a mulheres - ou ter um pênis maior - em relação à outros homens.
É claro, consciente de meus privilégios, sei que isso é mínimo comparado a enxurrada de ofensas e normatividades físicas que as mulheres recebem, e nem serve como argumento para desautorizar o post ou a tirinha (da qual, eu também ri), mas serve como um alerta: o patriarcado já normatiza homens pelo tamanho do pênis, queremos fazer isso também?
Por fim, como fica claro na própria tirinha que essa não é a mensagem que se quer passar - mas 'FODA-SE O PRÍNCIPE MACHISTA' bem mais destacado - , e é apenas uma 'ofensa divertida'. É uma ofensa, não constrói nada.

Rafael Barros disse...

Agora, pra não perder a oportunidade de resgatar o humor, vi isso no twitter:

"Chego no Subway e a pessoa me perguntou: 15cm ou 30cm? E eu respondi: caráter!"

pedro disse...

ah é ,todo homem q comenta aqui é mascu machista e babaca...
e eu n vejo diferença nenhuma no que vc disse lola,vc n fez a piada mas vc achou engraçado.

eu n vejo problema nenhum em rir de piadas mas cansei de ver vcs melindradas quando a piada é com as mulheres ,ai nem pode rir ,nem achar engraçado e isso é hipocrisia sim.

Anônimo disse...

hum...deeixa eu ver se entendi: piada esculachando mulher,pode,de uma certa forma..afinals,"não passa de uma piada" não é? Mas quando se brinca com o sagrado macho,nossa até as ditas "feministas" se ofendem!!É aquela velha estória,que mais parece lógica de mascu: misoginia pode,é "doença",coitadinho dos caras...mas misandria não,tem que sempre se baixar porrada nestas bruxas odiadoras malditas de homens. Really,gente??

Kika disse...

Olá Lola, que bom ver que você resgatou o assunto! E sabe, gente, a questão da auto-estima masculina também não é parte da minha agenda. Entretanto, eu não vejo o cuidado em não fazer bodyshaming com uma preocupação com os hômi, pura e simplesmente. Eu acredito que não dá para combater o patriarcado se utilizando das mesmas armas que ele utiliza. E se o patriarcado se utiliza da glorificação do falo grande (que eu já mencionei aqui que é algo óbvio na indústria pornográfica, por exemplo), porquê diabos eu me utilizaria de bodyshaming para desqualificar o pênis de quem quer que seja? Continuo não vendo como que isso pode ser desconstrutivo. Será que desconstrói a idéia de que quem tem poder teria o pênis grande? Seria isso algum tipo de alento para quem não tem poder? Porque, é exatamente essa a piada que eu já ouvi incessantemente em vários lugares, inclusive no meu local de serviço ("ahhh, fulano tem aquele carrão pra compensar a falta de documento hahahahahahhahahahaha").

E olha, pra quem ficou chocadx com o que eu relatei aqui sobre as mães que riam do bebê da outra pq ele tinha um pintinho pequenininho, há histórias muito piores, como essa aqui: http://www.huffingtonpost.com/2013/02/28/mother-kills-son-small-penis-indonesia_n_2779668.html

E Lola, acho que vc não deve se sentir culpada. Pelo menos vc está levantando o debate, e reconheceu que ele é muito necessário. Da minha parte, eu sigo achando que a resistência a todo tipo de escárnio por conta de características físicas é a melhor saída. Continuo sendo pontualmente contra o bodyshaming. Se reagir é preciso, reagir nos mesmos termos que o patriarcado é totalmente dispensável, na minha opinião.

Anônimo disse...

Rafael Barros, homemexplicanismo puro, estamos vacinadas contra estas bobagens.

Anna disse...

Discordo a gente fazer piada sobre pênis, não porque defendo homens,mas porque toda piada é em si preconceituosa e sou contra qualquer tipo de preconceito. Embora a maioria dos me olharem torto porque sou magrela tipo modelo sem peitão,sem curvas e bundão eu não perco meu tempo rindo de pinto pequeno ou grande. Há coisas mais importante para nós mulheres discutir.

O homem de lugar nenhum disse...

Anônimo das 15h33

Tá certo, tem razão e eu exagerei no comentário. Meu primeiro comentário estava mais pela emoção que pela razão. É um defeito meu, to tentando melhorar.

Não devo mesmo ter dúvida quanto ao movimento todo por causa de meia-dúzia, pois desta forma estou generalizando, e isso é idiota.

Eu só quis expor o quanto acho idiota e irracional esse tipo de comportamento, o de querer travar uma guerra contra o outro lado. Se você coloca todo e qualquer homem no mesmo saco de farinha mascu, você está se igualando a eles.
Isso é de uma ridicularidade sem tamanho.

É a mesma coisa com brancos anti-racismo ou héteros anti-homofobia, eles existem!

Brancos não são necessariamente inimigos de negros, alguém que pensa assim está julgando outra pessoa pela cor de sua pele, isso é o que mesmo? Ah sim, RACISMO. Não to tentando acusar os negros de racismo, só dizendo que brancos podem (e devem) apoiar também os negros na luta contra o racismo, tem pessoas brancas que são legais.

Eu sou homem-branco-hétero, pra não sofrer com nenhum tipo de preconceito, só faltava ser cristão, mas como sou ateu, também sou vítima de preconceito. E enquanto vítima de preconceito, tento também me abraçar à luta contra os preconceitos que não me vitimam, pois acho que a inclusão de minorias em minorias aumenta a força de todas elas.

Eu retiro o que disse no meu primeiro comentário e obrigado por me fazer perceber o erro.




sheila disse...

não entendi uma coisa, fazer a piada não pode mas rir dela está ok? então se ela for feita na cara de um homem todas vão rir ou só vale se for com tirinhas as escondidas para manter a hipocrisia?
porque já leio o blog a algum tempo e nenhuma de vcs rolaram de rir com as piadinhas escrotas de rafinha bastos,nenhuma vê graça em piadas com gordas.


pensei q feminismo lutava pela igualdade e respeito a todos, mas já vi que não,como podem reclamar dos homens,se algumas aqui querem agir exatamente igual,depreciando e humilhando?
a causa feminista ganha o q com isso?

julia,se um negro for racista para vc está ótimo?inacreditável...

Anônimo disse...

N fazer piadas faz toda diferença.... Por isso foi otimo aturar o bullying na escola ,uma pessoa só começou a me ridicularizar por ser gorda enquanto o restante ria.
Mas n fizeram q piada ,ai me senti melhor.com certeza ...

Bruna Fernandes disse...

É quase a mesma coisa que chamar alguém de viado. Não importa se o alvo é mesmo viado, mas essa caracterização a fim de rebaixar alguém demonstra que a pessoa que xinga a considera negativa. Se rebaixamos um homem por ele ter pinto pequeno, compactuamos com a cultura machista em que a importância de um homem está ligada ao seu falo e seu tamanho. Não significa que não podemos reagir, atacar e ofender, mas desse modo fica muito contraditório. Dá argumento para as acusações de que o feminismo é arbitrário.

Louise disse...

Lola, querida, olha só que tema legal que acabou sendo levantado aqui: até onde pode ir o humor, afinal? Salvo raras exceções, o humor é, e sempre foi, feito a partir da ridicularização de classes menos favorecidas. Fisicamente, intelectualmente ou financeiramente desfavorecidos. O problema é que esse ridículo reforça o estereótipo e ofende quem está do outro lado.

Aliás, esse tema já foi levantado em uma postagem sua, através da análise de piadas de estupro. (http://escrevalolaescreva.blogspot.com.br/2011/06/piadas-de-estupro-podem-ser-engracadas.html para quem não leu).

Não é fácil não rir das coisas que são apresentadas como engraçadas durante toda a nossa educação, não é fácil se libertar dos grilhões impostos pela sociedade. Mas, agora que paramos para pensar, será que é engraçado alguém ter o pênis pequeno? Ser estuprada? Ser loira? Bem, acho que a resposta para a pergunta com a qual você terminou o post é bem evidente.

Resta saber se ainda há margem para algum tipo de humor... E não adianta fazer como em algum comentário acima, dizer que o problema está exclusivamente em comediantes brasileiros, pois esse, realmente, não é o caso.

Um abraço!

Regina disse...

Oi Lola!

Acho que "culpada" é algo cristão demais para ser um dever de uma feminista em qualquer situação.
Me dou a licença de não me sentir "culpada"

Mas sobre isso de continuar achando engraçado uma coisa que já se entendeu ser opressiva...
Acho que de maneira geral, quando gostamos quando o opressor é oprimido, de alguma maneira é devido a uma vingançazinha íntima.
É algo muito comum entre pessoas oprimidas oprimirem de volta.
Nós, mulheres, temos formas muito restritas de atingirmos os homens, de dar o troco, de ofender na mesma medida em que somos ofendidas.
O que mais ofende um homem?
Viado?
Corno?
Pau pequeno?
Mete mal?
Já fiz uma pesquisa com meus amigos e todos eles disseram que o maior pesadelo da vida é ser o interlocutor daquela musica do chico buarque "e tantos homens me amaram bem mais e melhor que voce..."

Sinceramente já "xinguei" alguns caras dessa forma e hoje faço a reflexão do quão machista eu fui.
Acho sim que é machista. O que esse cara deveria ser? Machão? Metelão? Pintudão?
E o cara ter de ser tudo isso não é justamente o machismo ao qual nos colocamos contra?

Tendo em vista que essa piada do quadrinho é uma forma do mesmo discurso "ter pau pequeno é ruim",
Acho sim que é machista, e acho sim que a gente gosta de ver isso pq a gente sente uma vingançazinha na mesma moeda.
Como ofender um cara chamando ele de "cumplice do patriarcado"?

Diante disso não acho que caiba a culpa, mas sim a compreensão do que significa esse nosso prazer e de que é uma CILADA continuar reproduzindo ele...
É uma pista falsa de vingança que acaba reforçando o próprio discurso que nos oprime.

Renata disse...

Não é só uma piada, porra.
Assim como "piada" sobre estupro não é uma piada.
Assim como piada com gordx.
Piada com negrx.
Piada com loira.
Piada com portador de hiv.
Piada com paciente de cancer.
Piada com gay.
Piada com pobre.
E assim por diante.

NÃO É SÓ UMA PIADA.

Empatia mandou abraço.

Bruna Fernandes disse...

Ah, queria dizer também que existem muitas formas de revidar sem ser machista e fazer bodyshaming. Um dos jeitos mais legais que eu já vi é o que você vive usando, Lola : Escrotossauro!hahaha acho ótimo

Larissa disse...

Sra. Joana Guilhermina, eu NUNCA disse que deixei de ser feminista e sim que o meu feminismo não e o mesmo que o seu, ok? Vc não é não foi eleita a porta voz principal do feminismo e eu não sou menos feminista que ninguém por discordar de vc, se toca, fia. Eu nunca vou deixar de ser feminista por causa das (muitas) feministas estúpidas que já conheci nessa vida. Coontinue aí pensando que vc vai conseguir algo nessa vida falando pros outros que tem pau pequeno, pq isso é sim muuuito maduro, inteligente e eficaz!

Julia, quem é essa maioria da sociedade que iria te apoiar? Vc deve morar fora do Brasil, pq que eu saiba a maioria no Brasil são pardos e negros. Imagina um policial negro te vê na rua e te mete bala pq vc é branca opressora? Te banirem de lojas, te discriminarem nas entrevistas de emprego pq vc é branca opressora, te excluirem de todas as rodas socias pq vc é branca opressora? Vc viajou legal, querida boba e ingênua. Tenho certeza que vc só diz isso pq nunca aconteceu de fato com vc, se acontecesse ficaria toda mordidinha.

Anônimo disse...

Isso de tomar o tamanho do pênis como medida da masculinidade (e daí ter que um pequeno indica que o cara é pouco homem = "ofensa!") é bem complicado para o caso dos homens trans (é, não se esqueçam deles...).

Acredito que vocês sabem que uma boa parte dos transhomens possuem vagina, pois as cirurgias para criar um (neo)pênis não estão tão avançadas quantos as para criar uma neovagina e não são muitos os que se arriscam (pois alguns dos pênis criados ainda são bem estranhos).

Como vocês acham que fica então a questão da masculinidade dos transhomens (caso se siga no "argumento" de diminuir um homem por seu pênis)? O transhomem que não possui pênis... não é homem?

É, tem que mudar essa visão aí. Não passa de uma incorporação por algumas feministas (não você, Lola, entendi o que você escreveu) de uma visão falocêntrica machista patriarcalista.

Anônimo disse...

Bodyshaming é um problema secundário nesse caso. Relacionar o tamanho do pênis ao poder do homem é extremamente machista.

O pênis grande é o poder de machucar e/ou satisfazer uma mulher durante a penetração. Dominá-la e/ou fazê-la gostar de ser dominada.

Ao inferiorizar o homem de pênis pequeno está-se enaltecendo o modelo de macho interessado em dominar e machucar a mulher.

Inferiorizar o homem de pênis pequeno é algo extremamente misógino.

Anônimo disse...

Eu acho q não. Se formos politicamente corretas o tempo todo, estarão podados todos os meios de reagirmos, e isso só contribui pra opressão continuar existindo. É fácil ofender o físico de uma pessoa, quando vc sabe q se ela retribuir estará, em tese, caindo em contradição por ser contra o bodyshamming. Isso certamente será usado contra ela, q será chamada de hipócrita e incoerente. Eles ficam, então, blindados contra diversos tipos de ofensa e isso só contribui pra que nos humilhem ainda mais e nós não possamos reagir. A partir do momento em q eles sentem na pele o q é sofrer com isso, eles terão uma maior tendência a modificar o comportamento e a sentir empatia pelos outros. Não acho q isso seja hipócrita, pq não estaremos ofendendo alguém por achar, de fato, execrável q a pessoa tenha determinada aparência. Estaremos usando o discurso dela contra ela própria, usando o conceito q ela tem sobre determinada aparência pra fazê-la enxergar o quanto é ruim ser ofendido dessa forma. Não digo que devamos fazer isso sempre em qualquer situação, mas uma vez ou outra pode acontecer. Não somos perfeitas.

Julia disse...

"Te banirem de lojas, te discriminarem nas entrevistas de emprego pq vc é branca opressora, te excluirem de todas as rodas socias pq vc é branca opressora? Vc viajou legal, querida boba e ingênua. Tenho certeza que vc só diz isso pq nunca aconteceu de fato com vc, se acontecesse ficaria toda mordidinha."

Mas Larissa, a sociedade é racista com negros. No meu exemplo eu seria excluída de um evento de pessoas negras. E como eu disse ao sair de tal evento, teria a sociedade inteirinha para aproveitar o privilégio pela minha brancura. Não seria discriminada pela minha cor em mais.nenhum.lugar.
Se eu ficasse mordidinha por isso estaria sendo ridícula e mimada.

Mas vocês chegaram ao ponto de dizer que a frase "machista tem pau pequeno" é vingancinha e opressão. Sério?
Só posso rir.
Só mentes bobas, infantis e ingênuas pensariam que uma bobagem como essa é "vingança". Lamentável.

Lá no Feminismo sem Pedagogia chegaram ao ponto de publicar a imagem sem o "Foda-se".
Não se pode nem mais mandar o príncipe machista da Cinderela ir se foder, vai que ele se sente oprimido.. deus nos livre.

Lucas Petronilho disse...

Que triste ver aqui algumas "feministas" sendo tão opressoras quanto seus algozes machistas!
Quando irão entender que a "reação" deve ser no sentido de criar uma sociedade com relações que não se baseiem em poder determinados em qual órgão sexual a pessoa nasce. O primeiro comentário foi de uma garota falando que era a hora das mulheres no poder. Não gente, chega de poder! Feminismo não deve ser a luta por uma ditadura feminina. Feminismo é valorização da mulher, não desvalorização do homem! Menos autoritárias, mais libertárias, plz! Não invertam o jogo, não saiam do papel do oprimido pro papel do opressor..vamos acabar com esse jogo! Não a competição, sim a cooperação! Chega dessa visão dualista homem x mulher. Não sou homem, não sou mulher. Sou uma pessoa, e amo todxs vocês! =)

Júlia disse...

Concordo plenamente com as meninas, e fico muito feliz de ver essa reflexão por aqui. È muito difícil a gente enxergar todas as raízes da cultura machista / patriarcal, e o quanto elas nos influenciam sem que a gente perceba (eu só me dei conta de que praticava e ao mesmo tempo era vítima de gordofobia MUITO recentemente).

A questão do "pau pequeno" é uma dessas situações. Não precisamos entrar nas olimpíadas da opressão, precisamos? Precisamos discutir quem é mais oprimido, quem sofre mais com a pressão do corpo perfeito? Acho que não. Acho que é nosso dever combater qualquer tipo de preconceito, bodyshaming, normatização do corpo. Precisamos lutar pela nossa inclusão e aceitação, não pela exclusão e ridicularização do outro.

Então, respondendo à pergunta: sim, acho que todas devemos nos sentir um pouquinho culpadas, sim, por rirmos do "pau pequeno". A luta do feminismo é a de valorização da mulher (e do trans, do homossexual, do negro, de TODAS as minorias) pelo seu valor intrínseco, e não diminuição de nenhum grupo, por mais que eles possuam posição historicamente privilegiada.

Por fim, repito: que bom ler essa reflexão por aqui! :)

Lia disse...

Quando escuto amigas ou colegas comentando do pau do amante/ficante/namorado geralmente quando estao com raiva ou brigaram de que ele é pequeno, e todas riem, eu nao acho graça nenhuma. Acho vulgar e totalmente sem graça.
Eu sei que muitas mulheres usam isso para ridicularizar aonde mais dói nos homens. Eu mesma, quando meu namorado me deixou minhas amigas ficaram dizendo que ele tinha o pau pequeno (eu nunca comentei nada, mesmo porque pra mim ele o tinha normal)
Nao sei, nao acho engraçado, nao vejo graça nenhuma.
Assim como acho vulgar é sem graça homem falando dos peitos das mulheres, dos lábios vaginais, etc.

Anônimo disse...

Vou usar uma analogia idiota.

Nas novelas, sempre há o mocinho e o bandido. O bandido sempre faz maldades. O mocinho sempre sofre.

Até que chega uma hora em que o mocinho percebe o que o faz sofrer! O bandido e sua "inveja". A partir desse momento, o mocinho não somente revida, mas busca uma forma de anular e subjulgar o bandido.

Em um certo momento de raiva e falta de controle, o mocinho está com os argumentos necessários para, além de fazer justiça, implicar o mesmo sofrimento ao bandido!

E é nesse momento que se define quem é realmente bandido e quem é reamente mocinho! Porque, o mocinho JAMAIS implicaria sofrimento a ninguem. Isso o define como mocinho. Um verdadeiro mocinho não usa as mesmas armas do bandido, nem para fazê-lo sofrer, porque o que motiva o mocinho é um senso de ética e moral superior, e isso o faz a não querer causar sofrimento! O que vai além de seguir as regras.

Eu tenho visto inúmeros exemplos de feministas que usam as mesmas armas dos bandidos "em nome do empoderamento". Para mim, todas são umas bobas, estão sendo bandido e não sabem. Porque, os verdadeiros mocinhos são definidos por outras características.

Cada individuo pode achar o que quiser. Mas usar a mesma arma do bandido para atar o bandido, para mim, é ser bandido na mesma medida.

Eu acredito que se é pra fazer humor, que se faça de forma inteligente e rir de "pau pequeno" mesmo do lado do simbolo do feminismo é fazer um humor de zorra total. Humor reacionário de direita.

Tipo, a tirinha estava ótima até escorregar falando do pau dos outros...... Realmente precisava??????????

Anônimo disse...

Esse negocio de que "todo e valido na luta contra a opressão" e a justificativa de muito terrorista mundo afora, que exprodem bombas dentro de ônibus com crianças.

Anônimo disse...

Ser musculoso, ter pau grande, ter dinheiro, carro, tocar violão, saber cozinhar, saber dançar, tudo no homem (exceto jogar video-game) ao fim é esforço gasto pra poder fazer mais sexo e usufruir do seu pau. Então...

1.a réplica: Julyana Silve disse "Zombar de um pênis pequeno é uma gota no oceano."
Resp.: Gota no oceano na percepção feminina, na percepção dos homens é O oceano, tudo o resto são gotas.

2.a réplica: Graciema e Maria Valéria justificaram não necessitar de culpa ao ler o quadrinho.
Resp.: Reforço apenas o André das 16h04, e x Anônimo das 16h02 e x das 22h39.


Não vejo como o feminismo pode ganhar com ofensas ao pau.
Vejo como a mulher em si pode se libertar momentaneamente ao lançar um chute-no-saco-verbal a alguém, moralmente é hipócrita (ainda que libertador) e fatualmente a retaliação masculina seria implacável na maioria dos casos..!

Respeito esse tipo de postura em apoio ao feminismo, porém não concordo, e enfaticamente não recomendo.

Alexandre''

Anônimo disse...

Lucas Petronilho querendo pautar luta feminista, com o "iuzomi"

Só que não moço.

Lia disse...

Nossa Alexandre olha so a minha inocência, eu nunca entendi porque todo cara que vinha falar comigo TODOS (dizem eles) ADORAM cozinhar, tocam violão....
Nao tem UM que admite que cozinhar é um saco, comprar comida, ficar atras do fogão todos os dias, rs. O cozinhar deles é aquele macarraozinho sofisticado para duas pessoas uma noite de paixão! Rsrsrs....

Anônimo disse...

Lia, não ficou clara se foi irônica, mas na dúvida, vou retratar.

Cozinhar, foi só o exemplo aí menos comum de coisas que homens (de educação comuns machista) se propõe a fazer pra, no fim, impressionar e conseguir mais mulher.
Isso é figurado em um filme que assisti em que a personagem é sarcástica com um arrogante que sugere jantar à dois - "Quer cozinhar pra mim com o clichê de 'olha como eu cozinho, imagine como eu transo?' ", diz ela.

Violão tem bem mais pessoas que gostam simplesmente de tocar (até sozinhos), mas por outro lado é mais comum buscar a sinceridade de um o outro que admita que escolheu violão na adolescência porque impressionava as menininhas.

Enfim. Claro, não posso falar por todos. Generalizei pra contextualizar como tudo é falocentrista. Mas impliscitamente à tudo salva-se as exceções.

Alexandre''

Larissa disse...

Julia, a sociedade é racista com os negros, mas a maioria da sociedade é composta por negros, ou vc acha que negros não fazem parte da sociedade? Eu vejo eles em todos os lugares, não só em eventos, se vc não os vê vc deve ter sérios problemas visuais. Não estou falando de nenhum evento, estou falando da vida. Esse post aqui não é sobre o sujeito que se sentiu excluído em um evento feminista. Estou falando de feministas aqui falando em usar opressão como arma, coisa com a qual eu nunca vou concordar.

NANDA CURY disse...

curti esse comentário

Anônimo disse...

Puts, que besteira.

Alguém vai se sentir culpado por rir de uma piada.

Pessoal, é uma PIADA! Só isso.

Podem rir à vontade. Nenhum cara que seja homem de verdade vai se incomodar com essa piada.

Tenha o pau grande ou pequeno, o cara vai no máximo dar risada tb.

Mulheres têm muita suscetibilidade, homens não.

Riam, muito, sem culpa. É só uma PIADA!

Lia disse...

Oi Alexandre, eu nao fui irônica nao. Eu falei serio mesmo quando disse que sou muito ingênua porque apesar de ser adulta (+ 30 anos) eu sempre fiquei um pouco surpreendida como todo homem quando queria /quer me paquerar fala que ADORA cozinhar. Eu sou bem inocentona mesmo porque eu sempre respondo "nossa eu odeio, que chatice o que te faz gostar de fazer uma coisa tão chata que demanda tanto trabalho?" Rs.... Mas aí foi vc por em palavras algo que desconfiava vagamente pra cair a ficha,
Acho que foram muitos anos em colégio de freira rs
Quanto ao violão é que coincidentemente ultimamente ta um tal de "adoro tocar violão mas so sei uns acordes" que acho engraçado a coincidência,

Lia disse...

Anônimo 16:12 é so uma piada? Bom entao vamos rir dos defeitos das pessoas, do que mais as machucam.
Eu acho que como muitos já falaram nao tem graça nenhuma rir de tamanho de pau é machista sem graça, vulgar e burro,

Anônimo disse...

Lia, ressalto só que eu estava falando de homens comuns machistões, tipo uns que falam abertamente que faz uma ou outra coisa porque "rende mulher".
O papo divagou aqui. Não foi a intenção julgar os congêneres. Meu ponto foi apenas usar essas posturas pra figurar o tamanho da bomba que se mexe ao criticar pênis.

Se o sujeito volta a vida toda pra coisas que aumente a chance de usar o amado pau, aí vem alguém e zoa falando que ele tem pênis pequeno... (Ou seja: que ele é incapaz.) Você estaria ofendendo a vida dele; tudo dele. Dependendo, pro fulano é uma desonra que "não dá pra ficar barato".
E tem mais. A "união solidária masculina" compra essa briga fácil pra retaliar. Inclusive soube de casos assim duas vezes, bem de perto.

Sabendo disso: temo pelas garotas aqui que acham que xingar o pau é uma forma de igualar a balança. Eu vejo como comprar uma briga destrutiva. Eu só apoiaria em situações meio black-block: bater-e-correr de forma anônima.

Alexandre''

donadio disse...

"O pênis grande é o poder de machucar e/ou satisfazer uma mulher durante a penetração. Dominá-la e/ou fazê-la gostar de ser dominada.

Ao inferiorizar o homem de pênis pequeno está-se enaltecendo o modelo de macho interessado em dominar e machucar a mulher.
"

Opa, o cara que tem pau grande tb não tem culpa de ter pau grande, né? E aposto que existem homens de pau grande que são carinhosos (pelo menos uns dois ou três no mundo todo, não?), assim como também deve ter muito babaca machista e grosseiro de pau pequeno.

patricia disse...

oi, lola!

acompanho grande parte dos seus posts e os adoro. aprendo muito com eles!
só queria comentar que concordo com as meninas que discordaram da "piada de pau pequeno". não vou dizer que é só por body shamming, mas outras coisas que acho que estão no pacote.
me corrija se eu estiver errada!

ao meu ver, essa expressão não fere a auto estima do homem, mas sim algo que nós mesmas tentamos combater. essa reafirmação de virilidade através da dominação. "pau grande" = dominação sobre fêmeas. ou não?
então já não concordo com a tirinha nesse ponto.
mas principalmente, porque não acho que o oprimido deva se tornar o opressor. não acredito nessa de pagar com a mesma moeda. qual a nossa luta, afinal? inverter os papéis ou despertar tolerância e humanidade?
não acredito em vitória usando o mesmo ódio que tentamos combater. acho que para mudar, é preciso fazer diferente. ou será tudo em vão.
entendo que muitas vezes precisamos que o outro sinta na pele, mas acredito que nossa luta é muito maior que isso. eu não desejo opressão e humilhação a ninguém. mesmo que lááá no fundo role um desejosinho cruel.

é isso!
um beijo

Feminista capitalista disse...

Nossa, o post da escola de princesas, nem lembrava mais dessa coisa kkkkk, ok já falei no outro post e vou repetir aqui: acho errado fazer piada com pênis pequeno pois elas todas vem do machismo, ainda que não exista nenhum estigma com o ‘dote’ dos monarcas, existe sim todo um estigma contra pênis não-avantajados,um estigma que só existe porque somos uma cultura patriarcal.


É assim gente, se uma pessoa tem olhos azuis ou castanhos, é branca ou não, tem 1,70 m ou 1,80 m de altura, se tem narizinho ou narigão, são coisas sobre as quais não exercemos nenhum controle, elas são assim e pronto, só que essa sociedade cheia dos padrões coloca alguma dessas características num pedestal e outras lá no fundo do poço,de maneira que nos esqueçamos que essas características são todas humanas.

Da mesma maneira que uma mulher não tem controle sobre o crescimento de suas mamas ou do tamanho do quadril,os homens também não nenhum controle sobre o desenvolvimento do pênis, de maneira que um homem que tenha um pintão de 22cm(raro, homens não se iludam) não pediu pra isso acontecer,simplesmente aconteceu independentemente da vontade dele e o mesmo para aquele que tenha um modesto pinto de 10 cm, simplesmente aconteceu sem que ele pudesse fazer nada.

Só que nós vivemos numa maldita sociedade patriarcal e totalmente falocêntrica que considera o pênis humano uma grande representação de poder, de maneira que simbolicamente as mulheres não tenham NENHUM poder (pois são desprovidas de pênis) e os homens ‘mais bem dotados’,com os maiores tamanhos de pênis sejam os considerados os mais poderosos ou como a sociedade diz : ‘Os mais machos’ ‘Os mais desejados’ ‘Os mais adequados pras mulheres porque são os mais homens’ (o que quer que isso queira dizer) INDIRETAMENTE reforçando o preconceito contra o feminino (ex: pra ter poder é preciso ser muito macho AKA ter um pintão) Ou seja é um grande machismo,e existe toda uma cultura de adoração ao falo grande, encabeçada pelo cinema pornô que distorce a realidade dando uma amostra viciada da mesma e reforçada no dia-a-dia pelas conversas por aí nas ruas, os comentários e o escárnio ao pênis pequeno.
Ou seja, fazer piadinhas e comentários pejorativos de pênis pequeno é reforçar diretamente a idéia de que eles são necessariamente uma característica indesejada no corpo humano e negativa pois não representam ‘poder suficiente’.


Fora que eu estou sim preocupada com a auto-estima do homens, não principalmente a deles, mas a deles TAMBÉM, o que minar e destruir a auto-estima deles poderia contribuir pra nossa? não vejo nada de muito positivo nisso.
Não quero um mundo de homens totalmente inseguros,abalados, completamente intimidados pelas mulheres e ainda por cima com grandes índices de disfunção erétil devido a crendice que eles não podem ser bem sucedidos no sexo visto o tamanho de seus pênis.
Ainda mais no mundo de agora onde já existem garotos de 13/14 anos que mal entraram na adolescência completamente preocupados com o tamanho do penis,e se comparando com outros ,como se houvesse um padrão a ser seguido e como se humanos fossem robôs em serie,sem variedade.
Meu feminismo não é contra os homens, mas sim totalmente raivoso e contra todo o machismo e misoginia da qual eles são vetores, e em menor grau, as mulheres também são,meu objetivo é a destruição patriarcal e não da auto-estima alheia através de injustiças.

Não tenho nenhuma fantasia ou pretensão de passar de oprimida para opressora, apenas de oprimida para ex-oprimida.

Feminista capitalista disse...

Agora se eu dissesse que nunca faço uso dessas expressões patriarcais como ‘corno broxa’ ‘pau pequeno’ ‘pintinho meia-bomba’ eu estaria mentindo, pois faço uso delas sim, não encorajo piadas sobre tamanho pênis e nem saio por aí apoiando e usando essas frases, SÓ QUE se um homem me atacar e irritar usando frases machistas como ‘piranha’ ‘biscate’ ‘vadia’ e afins, eu chamo eles de pau pequeno sim,sem pestanejar, sou feminista, não sou santa!
Além do mais eles vêm me atacar com essas frases prontas feitas pra condenar e diminuir a sexualidade feminina e eu vou ficar calada? O caralho que sim!
Vem com machismo cantar de galo pra cima de mim, eu faço questão de mostrar que o machismo é ruim pra eles também.

Somos tão atacadas o tempo todo e não podemos ficar com raiva?

Pra mim atacar é diferente de defender-se, e eu apenas me defendo, não faço questão de atacar ninguém, SÓ faço questão que não me ataquem e uso as armas que posso pra isso.


** Também fiquei chocada com a história das mães que fizeram chacota do pênis de um BEBÊ, não conheço nenhum bebê de pênis grande, e o tamanho da ‘coisa’ quando nenê não tem absolutamente nada a ver com o tamanho que o pênis do garoto terá quando ele chegar aos 20 anos, é ignorância delas achar que sim!
Será que se fizessem piadinhas com os filhos delas elas gostariam?

-----------


E Alexandre quanto mansplaining, sai pra lá, tudo o que os homens fazem então é pra ‘conseguir mulher’?

Não meça todos os homens pela sua régua!


No mais, essa linha de raciocínio só prova o quanto os homens recebem uma educação deturpada, vazia e demente onde são hipersexualizados a ponto de enxergarem o sexo como valor número um da vida, e como se fosse o único prazer, o ar que a gente respira e como se a vida fosse única e exclusivamente pra isso,isso é tão vazio.


Não acho que todo essa loucura dos homens pelas mulheres seja natural, pelo contrário, eles enxergam mulheres como bonecas infláveis e medalhas de conquista justamente porque querem se exibir pra outros homens.
Ficam tão doidos por aprovação masculino que sequer ouvem o que as mulheres tem a dizer, é tudo por um afago masculino no ego deles. E os que não contam pra ninguém muitas vezes estão em busca de auto-afirmação sem necessidade de opinião alheia.

É o que penso.


------------

Maria Valéria

Sabe que já cheguei a pensar nisso?

Que pênis pequeno potencializa homens machistas? É claro que existem machistas de todos os tipos de pênis, incluindo os grandes, mas existem tantos e tantos de pênis pequeno que enxergam nas mulheres apenas um objeto que chego a pensar que essa é ‘defesa’ deles e a revolta deles contra mulheres, no melhor estilo : “Já que tenho pinto pequeno,vou comer muitas mulheres e mostrar pra mim mesmo que sou muito macho e posso dar muito prazer”

Tanto que eles adoram usar aquela frase : ‘Não importa o tamanho do brinquedo e sim a potência dele”


¬¬

Feminista capitalista disse...

Ah e sobre não sentir culpa,não sei se é bem por aí...
Não me sinto culpada de rir de piadas idiotas, mas esses dias me senti culpada por ter feito um body shaming mental, foi assim:

Estava no meu celular vendo um vídeo da Marilyn Monroe (adoro ela!) recebendo um prêmio e comecei a rir sozinha que nem retardada porque os peitos dela eram gigantes e pareciam espremidos dentro do vestido como se ela estivesse sendo sufocada, até que parei e pensei:

''Pera aí, mas quem disse que ter peitão é engraçado?''

''Onde extamente está a graça?''

''Porque estou rindo do fato de que as mamas parecem não caber dentro do vestido,quem disse que elas precisam?''


Pronto,a graça acabou na hora e parei de rir.

Tem pessoas que riem dos negros por eles serem negros e ao meu ver isso além de racismo é body shaming, será que elas não deveriam se sentir culpadas também ao invés de continuarem propagando a mentalidade?

Anônimo disse...

Sim, deve se sentir culpada e incoerente. Não é vc que vive falando do machismo que oprime mulheres gordas, fora dos padrões impostos pela sociedade e do quanto essa opressão as faz sofrerem? Pois é, Dona Lola, rir do pênis pequeno te coloca no mesmo lugar desses opressores. Vc pode até não sair na rua apontando o dedo para os homens de pau pequeno, mas o prazer que sente ao rir disso é o mesmo.

Anônimo disse...

Feminista Capitalista, olha... sabia que estava fadado a me apontarem como mansplainer mas OK.
Não expliquei o que devam fazer, sequer opinei sobre sobre sentir culpadas ou não. Expus meu ponto e recomendei, no máximo. Calma aí.

Expliquei bastante embasado, infelizmente. Já tive que ficar calado em ônibus, boteco, almoços, até em coquetel de empresa ouvindo ideias de "educação deturpada, vazia e demente" sim.
Tentei mostrar os bastidores do pior machismo, pra expor o inimigo, e que seja considerado que quando contra-ofendem um cara que mereça existe uma chance enorme de estar diante de um dos que enquadram nisto que apontei (já que fez por merecer).

Não é MINHA régua. Não medi a mim nem meus amigos, e nem medi todos, comecei deixando claro isso.

Tentei escrever com cuidado e ser útil. Vou sair desta discussão pra apaziguar. Abs.
Alexandre''

Bruna disse...

Essa tira (que eu gosto demais) sempre me incomodou pela parte do pau pequeno. A origem do pau pequeno como xingamento é a mesma origem dos problemas que nós, mulheres, sofremos, o machismo - que também dá origem ao modelo de masculinidade de merda que existe por conta da sociedade patriarcal. Eu, como boa ingrata com o patriarcado que sou, não gosto de nada que venha dele. Portanto, não acho engraçado atribuir características negativas a uma característica física de alguém, que deveria ser apenas isso, uma característica do corpo de alguém. Não acho coerente que uma feminista se utilize de uma arma do machismo e compactue com valores do machismo, mesmo que seja pra atingir os opressores (não acho que o feminismo seja uma luta contra os homens).
Mas também não acho que não fazer piada com pau pequeno deva ser uma das bandeiras principais do feminismo, afinal, os homens, que também sofrem os efeitos negativos do modelo de masculinidade de merda que está posto, têm total capacidade de se voltarem contra ele. E terão o apoio das mulheres nisso.

Helen Pinho disse...

muito bem dito bruna! particularmente eu não me incomodava com a tira e achei super graça quando vi, mas aqui tá o blog da lolinha pra nos fazer pensar, essa aprendi junto contigo lola :)

Feminista capitalista disse...

Ok Alexandre, concordo com você de que a grande maioria dos homens é machista e diz essas porcarias por aí até porque vivemos numa sociedade patriarcal, o que não significa que todos eles estejam falando sério, muito menos que TODOS os homens fazem tudo que fazem pensando em angariar mulheres, eles tem interesses genuínos que não dependem de mulher como jogar futebol,até mesmo videogame como vc citou, dou um voto de confiança que não sejam tão absolutamente vazios assim.
É óbvio que existem homens que fazem as coisas pensando que poderão ‘conquistar mais gatinhas’,mas isso não significa que 100% deles seja assim ou tenha essa mentalidade, como o seu comentário deu a entender.


E quanto a homens se irritarem com ofensas como ‘pau pequeno’,qual o problema?

O objetivo é justamente esse quando as mulheres apelam pra essas expressões, da mesma maneira que os homens não estão pensando em conceder nenhum elogio quando chamam uma mulher de ‘piranha’ ou ‘vagabunda rodada’. Quer dizer que as mulheres podem ser irritadas,provocadas e ofendidas com base em machismo,mas os homens não?

Por mim que experimentem o próprio veneno, da próxima vez quem sabe não pensem duas vezes antes de julgarem e criticarem tanto a mulher?


E não precisa sair não, se não quiser; rsrsrsr, ninguém tá fazendo guerra, muito menos te expulsando do blog alheio, apenas contestei o seu comentário pois ele me pareceu mansplaining dá maneira em que foi escrito, e isso não se deu por você ter sugerido ou recomendado qualquer coisa as mulheres, mas por você chegar aqui e explicar as coisas como se fossemos retardadas, cegas, e incapazes de enxergar a vida, precisando de uma ‘iluminação masculina’ pra ficarmos a par da situação e sabermos como nos defendermos.

Geralmente o que leva a uma acusação de ‘mansplaining’ não são sugestões,recomendações e sim o discurso no estilo autoritário do tipo ‘Eu sou homem logo sei o que estou falando,escuta aí’. Fica a dica, beijo.

Julia disse...

Pronto, o que quis dizer é só isso aqui:

"""E quanto a homens se irritarem com ofensas como ‘pau pequeno’,qual o problema?

O objetivo é justamente esse quando as mulheres apelam pra essas expressões, da mesma maneira que os homens não estão pensando em conceder nenhum elogio quando chamam uma mulher de ‘piranha’ ou ‘vagabunda rodada’. Quer dizer que as mulheres podem ser irritadas,provocadas e ofendidas com base em machismo,mas os homens não?

Por mim que experimentem o próprio veneno, da próxima vez quem sabe não pensem duas vezes antes de julgarem e criticarem tanto a mulher? """


Eu entendo tudo que vcs estão falando sobre falar de pau pequeno ser machismo. Entendo e concordo. Mas esse discurso de "isso é vingança, você estará sendo opressora" comigo não cola. Isso não é opressão.

Pra mim parece um discurso pra mulheres serem sempre boazinhas..

Anônimo disse...

"Pra mim parece um discurso pra mulheres serem sempre boazinhas.."

Não. Apenas para não serem nojentas como quem as oprime.

Podem combater o machismo de inúmeras formas que não recorram a bodyshaming.

Anônimo disse...

Engracado. Homem se revoltar com piada sobre pau pequeno. Realmente muito curioso. nao sao estes os mesmos que fazem piadas atribuindo tal caracteristica pejorativamente aos orientais? Parece que pimenta nos olhos dos outros doi menos nao?

Julia disse...

Anon 00:53

ah, mas é sempre bom pra causar uma comoçãozinha e dizer que feministas são "hipócritas".

Tem algumas feministas que caem nessa ainda. Bobocas.


Olha minha cara de preocupada..

Anônimo disse...

"Homem". Alguns, saiba bem. E isso é também machismo, obviamente, pois se está medindo o homem por seu pinto.

Que o feminismo esteja por cima desse resquício patriarcal machista.

Anônimo disse...

Eu sou homem e acho engraçadas as piadas sobre pinto pequeno. Tem as clássicas, como cara que compra carros grandes têm pinto pequeno,japonês tem pequeno, negão tem grandão, ou que os caras que fazem musculação e são bombadões também têm pinto pequeno...e por aí afora. Se é verdade que tamanho não é documento, o que importa é funcionar a contento, já ouvi de muitas mulheres que, para elas pelo menos, não só o tamanho importava como o funcionamento também...Claro, gosto não de discute, cada um ( ou uma ) tem suqa preferência.
E tem quem ache esse tipo de piada engraçada...hehe

thassio disse...

Como de hábito, o seu blog é um espaço de debate inteligente, (auto)reflexão, (auto)questionamento e crescimento.
Li o posto original e ri com o cartum. Aí lendo o novo post, tendo a concordar com as críticas, ressalvando a dificuldade de se ponderar diversos aspectos da questão (essa a maior dificuldade de qualquer sociedade, né, ponderar argumentos, achar equilíbrios onde não há uma única posiçao integralmente correta ou errada).
como você inicialmente defendeu, esse bodyshaming específico não seria "tão condenável", mas como a Kika apontou, isso "legitima" uma prática em si ilegítima por natureza.
e aqui eu queria adicionar um outro aspecto: essa legitimaçao do bodyshame em/através de um caso "nao tao condenável"(em razão do seu contexto), acaba reforçando a legitimação e/ou a repetiçao inconsciente (no sentido de desprovida da percepçao de seu malefícol de seu absurdo) desse tipo de atitude contra os grupos socialmente oprimidos. o risco de ser, portanto, um erro "estratégico" (para além do aspecto ético), é grande. se uma feminista usa o bodyshaming, acaba reforçando na sociedade uma aceitação difusa do ato em si, e as pessoas (no mais das vezes sem perceber) vão se sentir mais à vontade para fazer bodyshame EM GERAL... eu, particularmente, vou tentar ficar cada vez ainda mais atento para não praticar e não compactuar! valeu kika pelo alargamento de horizontes, e valeu Lola por ter dado o espaço à Kika em um post! ;D

Guidi Vieira disse...

Oi Lola! Adorei seu blog. Gostei da opinião das meninas. Também me fez pensar. Mesmo quando queremos fazer uma piada com o opressor (monarca), devemos ter cuidado para não sermos preconceituosas. Aprendi mais uma lição. Há um mês atrás, aqui no Rio, alguns manifestantes começaram a cantar "Robocop Gay" (além de gritarm "uh, uh é pau pequeno!") para os PMs, e um manifestante gritou: "Ei! Isso é homofobia, galera!". No calor das coisas, às vezes é difícil contermos estes sentimentos que nos levam a querer ofender o opressor de qualquer forma. Mas acho que estamos em uma época de muitas mudanças, muita autocrítica. E estamos melhorando. Estou me sentindo feliz de ver que esta questão também está sendo levantada: nem com o opressor podemos falar qualquer coisa, de qualquer jeito. Acabaremos ofendendo outros, inocentes. Beijo enorme e parabéns de novo.

fernando cardoso disse...

Nao sei pk tanta raiva da mulher contra os homens e de homens contra as mulheres , qual o objetivo de tanta disputa?
os homens nao vive sem as mulheres e vice-versa, rediculariza alguem devido ao seu aspecto fisico é vergonhoso e muito cruel...
grande ou pequeno tds nos temos nossas qualidades (H ou M)

Vejo muitas mulheres ou melhor meninas falando de pinto pequeno e redicularizando eles, e no exato momento penso q vadias nao tem vergonha de ser promiscuas..

tbem vejo homens falando de peito bunda pequena e axo ridiculo, para que isso, ninguem é perfeito entao pk apontar defeitos em outro alguem ..babaquisse sem tamanho ..

João disse...

Oi lola, tudo bem?
pode não interessar ha algumas, mas vou tentar contar um pouquinho da minha experiencia..
Tenho 24 anos, sou hétero, criado quase que integralmente pela mãe, e desde pequeno escuto dela que tenho que respeitar os outros, principalmente as mulheres.. bom, criado numa sociedade patriarcal, é difícil fugir de tudo, mas sempre tentei ter bom senso..
Desde moleque, ouço sobre a eterna duvida: "tamanho é documento?". Mesmo antes de ter qualquer tipo de envolvimento sexual com uma menina, já sentia a pressão da sociedade em cima de mim.. cresci com esse complexo, mas, sabendo que ainda tinha muito pela frente, continuei minha vida..
Cheguei no ensino médio, com nenhuma experiencia, mas com uma pressão maior ainda.. algumas garotas ja haviam começado sua sexualidade e ja julgavam, num senso comum, oque seria pequeno..
Enfim, cresci com esse quase que trauma, formado apenas pelo que eu ouvia da maioria das mulheres e meninas (muitas ainda nem tinham tido sua primeira experiencia)..
Então, acho muito injusto, quando as feministas só enxergam o machismo que atinge a elas, e querem crucificar qualquer homem que apareça pra dar opnião.. podemos ser todos machistas sim (inclusive algumas mulheres), mas pq nascemos dentro disso, acho que o que importa mesmo, é a boa vontade de querer mudar..

Li todo o seu post, da primeira palavra, ate o ultimo comentario, pois esse assunto mexe profundamente cmg e eu sempre estou atras de opniões femininas.. fiquei realmente magoado com a postura de algumas meninas (vale tudo contra o patriarcado? inclusive, oprimir outras pessoas? agora entendo por que feminazi)..acho engraçado elas quererem sair por ai ofendendo qualquer cara, sem saber do historico dele.. como se ter nascido homem fosse nosso 1º e maior erro.. sei que elas nao se importam com a minha auto estima, pq veem em mim um opressor historico.. porem nunca me vi nesse grupo.. sempre fui contra qualquer tipo de injustiça.. Acho que colocam todos os homens no mesmo saco, por focarem apenas nos que interessam a voces.. sempre me senti um pouco excluido da logica masculina, por justamente não fazer piada com os problemas alheios, por tentar ser sensivel a causa do outro... e esses caras (nós), nao são muitos bem vistos (ou não temos humor, ou somos "viadinhos"), pois muitas vezes a sensibilidade vem com uma capa de baixo-estima e não pode ser vista a olho nu...

João disse...

...As vezes, confesso que da vontade de fazer como elas e chutar o balde.. falar mau, fazer piada, rir da piada dos outros.. mas ai lembro que ja nao consigo mais.. afinal como posso pedir respeito, desrespeitando o proximo..
Apesar da generalização de algumas, fiquei muito contente de ver que existem mulheres, que usam a razão, independente da emoção (de ja terem sido oprimidas), me faz crer que eu nao preciso chutar o balde como os outros, me da esperança de encontrar alguem que, apesar de talvez sentir falta de um penis grande (pq acredito que realmente faça a diferença), va focar o relacionamento no amor e companheirismo..
Ja fiquei, ja namorei duas vezes durante um bom tempo... mas hoje em dia tenho passado por uma grande dificuldade para interagir com as pessoas(independente do sexo)por achar que a sociedade leva tudo pro sexual.. Não deixo de fazer minhas coisas, estudo, trabalho.. mas ja nao me entrego muito a amizades, por achar que uma hora vai chegar a hora de falar de sexo.. (ou de fazer, rs)

Entendo a posição das que querem reagir, mas acho que isso só vai afetar a parte dos homens que querem ouvir voces.. os que nao se importam, ja nao se importam.. não é com agressividade que vão chamar a atenção, bom, não uma positiva pelo menos.. alias, oque foi dito sobre caras de penis pequenos quererem compensar com piadas machistas, talvez pra se sentir melhores.. eu acho que é justamente o contrario, o cara que se acha fodão, pirocudo, é que nao sabe oque é sentir na pele, e zoa msm..
Bom vou me desculpar pelo desabafo, nao queria levar pro pessoal.. mas ainda tenho dificuldade de aceitar minha condição.. sei que as que podem escolher, nao o querem..
Espero, pelo menos, ter conseguido mostrar, que também há opressão por aqui..
quanto a se sentir culpada.. talvez ajuda inverter, se fosse pejorizando uma condição feminina voce riria ou se ofenderia?

Anônimo disse...

Cara pra nós que somos homem isso é quase a mesma coisa que estar em um abismo, sem saída, e realmente não tem saída, principalmente quando você escuta isso de alguém que você ama, (aconteceu comigo) se eu tinha problema antes? Não nunca tive sempre gostei do meu membro, mas, uma mulher fez isso mudar e desde então minha vida praticamente acabou, não consigo mais me olhar com os mesmos olhos, perigo informações, textos opiniões, mesmo tudo parecendo favorável nada faz com que eu me sinta bem ( também pudera além de ouvir que meu membro era pequeno, ainda fui comparado, e eu conhecia o cara) então hoje sou uma pessoa insegura, coisa que não era, e passei a ter minha auto estima baixa ao ponto de querer sair deste mundo. No momento o que me resta é procurar um psicólogo e ver alguma luz. Quem sabe um dia não faço uma cirurgia de faloplastia, por mais risco que exista se já eh péssimo e ficar pior não vai mudar nada. Pelo menos se der certo aumenta, se der errado não precisa mais se preocupar em usar.

André Câmara disse...

Sou homem, tenho o pau pequeno e, sempre que alguém usa "pau pequeno" como insulto, sinto vontade de morrer (literalmente).

claiton assalin disse...

Como Homem poço garantir que "pau pequeno" ofende muito um Homem e já ate vi homem matar Mulher por ter ouvido isso, alem disso hoje os Homens já estão lidando muito bem com ofensas desse tipo que na maioria das vezes vêm de recalcadas incapazes de satisfazer um homem na cama, e também uma ofensa que venho ouvindo muito de Mulher pra Mulher é de "arrombada" então oque seria pior? Ser homem de "pau pequeno"? ou Ser Mulher de "vagina larga"?

Vitor Salvatore disse...

Achava que deboxar de um homem de pau pequeno era tao feio quanto deboxar de um aleijado, meu penis é normal, porem larguei uma mulher sozinha no motel por ficar deboxando do penis do ex dela!!! Porem lendo os comentários de vcs mulheres me sinto envergonhado, quantas vezes zombei dos peitos da mulheres(nem sabia que vcs sofriam tanto) so olhava o lado dos homens, a partir de hj assim como eu sempre defendi amigos com penis P. Passarei a respeitar mais os seios e o corpo das mulheres. ..

Vitor Salvatore disse...

Um amigo meu ja se suicidou por ter o PP, cara acho tao feio deboxar de gente assim...
Antes de fazer merda, me mande um e-mail eu ajudo os homens PP, tenho amogos que viraram faloculturista outros fizeram a cirurgia, me manda um e-mail para agnt trocar idéias

Vitor Salvatore disse...

Vc pode ate ter pensado nisso, mas o discurso dela me calou a boca e aprendi a respeitar as mulheres, tenho o penis normal (16cm, bom eu acho normal), porem sempre defendi os homens traídos e de PP, depois ia la deboxar dos peitos das mulheres. .. e ainda achava que estava "certo". Agra depois deste texto acho tao feio deboxar dos seios quanto deboxar de penis... e peço desculpas as mulheres pelo meu maxismo

Anônimo disse...

Feminista capitalista, oq a autora quiz dizer foi "RESPEITEM", mas logico se te desrespeitarem, vc nao vai ser trouxa de se calar, tem que botar a boca no trombone e deboxar mesmo! Ai sim se te denegrirem vc tem todo o direito de brigar, oq a autora disse foi igual aquelas mulheres que ficam fofocando com as amigas e rindo dos penis alheio que nesse caso é tao feio quanto zombar de um aleijado....

Rodrigo Toledo disse...

Olá, querida. Obrigado por seu comentário e sua compreensão em relação à problemática que envolve pênis pequeno. Eu mesmo já quis, por diversas vezes na adolescência, me suicidar por causa do meu pênis pequeno. E se serve de ajuda:sim, eu amo mulheres com peitos pequenos. São super sexy e atraentes. Adoro!

Izabely Crhistina Francischini disse...

O tamanho do pinto não deve ser motivo de preocupação para nenhum homem. Sem dúvida alguma, o tamanho do pau não é documento. O importante é o homem saber comer a mulher de modo que ambos sintam prazer.
As partes mais sensíveis da boceta são o clitóris e os primeiros centímetros do canal da boceta. Algumas posições ajudam a mulher sentir melhor a pica entrando, e o movimento de vai e vem da rola dentro da boceta ("papai e mamãe", "de quatro", "a profunda", etc.).
Pegada firme, com carinho, sempre dá prazer e faz feliz, independente do tamanho do piru!
Mulher não se preocupa com o tamanho do caralho. Essa é uma preocupação exclusivamente masculina. E é uma preocupação supérflua, desnecessária.
“O importante não é o tamanho da varinha, mas a mágica que ela faz!”

Izabely Crhistina Francischini disse...

O tamanho do pinto não deve ser motivo de preocupação para nenhum homem. Sem dúvida alguma, o tamanho do pau não é documento. O importante é o homem saber comer a mulher de modo que ambos sintam prazer.
As partes mais sensíveis da boceta são o clitóris e os primeiros centímetros do canal da boceta. Algumas posições ajudam a mulher sentir melhor a pica entrando, e o movimento de vai e vem da rola dentro da boceta ("papai e mamãe", "de quatro", "a profunda", etc.).
Pegada firme, com carinho, sempre dá prazer e faz feliz, independente do tamanho do piru!
Mulher não se preocupa com o tamanho do caralho. Essa é uma preocupação exclusivamente masculina. E é uma preocupação supérflua, desnecessária.
“O importante não é o tamanho da varinha, mas a mágica que ela faz!”