domingo, 6 de outubro de 2013

MULHERES EM LUTA

Parte ínfima do público na noite de abertura do MML

Oi, gente! Estive uns dias ausente porque fui participar do I Encontro Nacional do Movimento Mulheres em Luta. Foi muito, muito bom. Um monte de debates, muita energia, cheio de mulheres guerreiras, entre sindicalistas, estudantes, operárias. 
A expectativa para o encontro era de mil participantes, mas 2,300 se inscreveram. A organização contornou da melhor forma possível a superlotação. Diversas participantes apontaram que este foi o maior evento de mulheres dos últimos vinte anos. Foi uma honra enorme ter sido convidada para a palestra de abertura.
Conheci muitas pessoas incríveis, entre elas Amanda Gurgel, vereadora (pelo PSTU) mais votada da história de Natal. Aliás, cometi mais uma das minhas famosas gafes, perguntando pra ela, no táxi que dividimos em Belo Horizonte, o que ela fazia. Eu não sabia que aquela Amanda era A Amanda! E ela, além de super competente, também é muito simpática.
Ontem no Encontro participei de um debate bem acalorado sobre prostituição. Preciso escrever sobre o tema, eu sei. Já estou devendo um post sobre isso há meses! O MML, embora um pouco dividido, é contra a regulamentação da profissão. Descobri durante o fim de semana que as próprias mulheres do PSOL são contra o projeto de lei do deputado Jean Wyllys (PSOL), que propõe a regulamentação. Mas não é tarefa fácil encontrar na internet qualquer nota das mulheres do PSOL quanto a isso.
Dani esteve lá pra me abraçar, me dar cookies que ela fez, e um livro do marido sobre direitos humanos
Em BH, mulheres discutiam como revolucionar o mundo. Em Fortaleza, cidade adorada onde moro desde o começo de 2010, hoje se realizou a segunda Marcha pela Vida. Ou seja, contra o aborto. Lembram da marcha do ano passado, com a presença de Elba Ramalho e de integralistas? Pois é, aposto como a deste ano não foi diferente. 
A novidade ficou por conta da defesa explícita do Estatuto do Nascituro. Eu tinha dúvidas se alguém em sã consciência poderia apoiar algo tão inconstitucional e grotesco como o Estatuto, que, se aprovado, dará mais direitos a um óvulo fecundado que a uma mulher adulta, resultando até, entre outras atrocidades, na criação do infame Bolsa Estupro. Essas pessoas realmente existem! É a extrema direita patrocinando a luta contra a legalização do aborto no Brasil. Parece piada, né, porque olha o poster do ursinho (vi vários outdoors espalhados por Fortaleza convocando pro evento). 
Bom, aproveito este post de última hora, ultra improvisado, pra mais uma vez lembrar que meu livrinho continua à venda. Acho que comprarei os últimos cem exemplares da segunda tiragem para revendê-los. Mas não deixa pra última hora, vai! Pra te inspirar, deixo aqui o depoimento da Cristal (lindo nome!):
"Já li tooodo o seu livro, achei maravilhoso! Gostei muito também da dedicatória, muito obrigada pelo carinho e pelo elogio ao meu nome hahahah. Em breve prometo que tiro uma foto minha ao lado do seu livro -- sou péssima com autorretratos, minha beleza não cabe em 2D! Mas pra você não ficar desamparada, minha adorável gata, a Lucy, se ofereceu pra tirar umas fotos. Você pode publicar no blog se quiser, gatos sempre são ótimos vendedores. Vou também indicar seu livro pra todo mundo, afinal me interessa muito que as editoras queiram publicar um eventual livro feminista de sua autoria".
Ah, fiquei sabendo de um site de ódio (acho que falarei nele amanhã) que eu vivo de vender livros e dar palestras. Ha ha, se eu dependesse disso pra ganhar dinheiro, passaria fome...

27 comentários:

Hamanndah disse...

Querida Lola:

O que vou falar nada tem a ver com o presente post.

Eu gostaria que vc me esclareca sobre a melhor resposta que eu posso dar a um comentario/post muito comum em blogs/de comentaristas mascus.

Seguinte: vc sabe? Lola, que biologicamente possuimos forca fisica/muscular bem inferior aos homens, nao e mesmo? Nenhuma mulher, em sa consciencia, negaria isto, ok?

Mas o meu questionamento e este:

Que resposta eu dou a um blog/ comentarista mascu quando faz um post/comenta que para mulher querer ter direitos iguais aos homens elas devem trabalhar em servicos perigosos/pesados com caminhoneira, mineradora, operaria e obra, carregadora de bujao de gas, etc

Eu possuo forca fisica inferior a maioria dos homens, entao quando um mascu faz este tipo de comentario/post eu penso em algumas respostas? mas nao sei qual(quais)delas seria mais apropriada(s), conforme abaixo:

1) ora, meu caro sao rarissimas as mulheres que, em forca fisica, possa fazer paridade aos homens mais frageis fisicamente. Se vc coloca este argumento para que mulheres metecem relacionamentos afetivod/finaceiros de mesma paridade com os homens,sabendo vc que isso nunca poderia ocorrer, entao o que vc esta escrevendo e que, na verdade, mulheres nao merecem os mesmos direitos que os homens, simples assim. Se e isso que vc pensa, assuma que e machista, nao venha dizer, apenas, que e contra o feminismo mas nao e machista porque ninguem aqui nasceu ontem

2) Bon, meu caro, se para uma mulher merecer ter direitos iguais ao homem ela ter que fazer coisas impossiveis para a sua biologia fisica, entao, se um homem e incapacitado fisicamente de carregar peso pesado, por exemplo, entao este homem tambem iria merecer ter menos direitos profissionais/salariais que os outros homens, os que possuem a forca masculina intacta, nao e mesmo? Se for tudo uma questao de forca....

3) existe alguma lei que obrigue os homens q trabalharem como mineradores, bombeiros,policiais militares, pedreiros,etc todas essas profissoes perigosas? Nao existe nenhuma lei que obrigue? Entao, se o homem nao e obrigado a trabalhar insalubremente para ter seus direitos sociais/econimicos/familiares garantidos entao porque a mulher deveria ser obrigada a fazer tais atividades, para merecer os mesmos direitos sociais/econimicos/familiares que os homens que tamem nao trabalham nestes oficios tambem merecem ter

4) Eu achava que este era um Pais livre e que ninguem deveria ser obrigado a trabalhar em um oficio que nao deseja para ter os mesmos direitos que as pessoas quw exercem estes oficios( pesados,perigosos?etc)

5) vc, meu amigo, trabalha como minerador,pilicial,bombeiro,pedreiro,(outra profissao perigosa e/ou que exige forca fisica)? SE VOCE NAO TRABALHA EM NENHUMA DESTAS PROFISSOES PERIGOSAS POR QUE UMA MULHER DEVERIA TRABALHAR EM QUALQUER UMA DELAS PARA MERECER TER OS MESMOS DIREITOS SOCIAIS/FAMILIARES QUE VOCE?

Entao, Lola e outeos(as)do blog, por favor vejam qual a melhor resposta ao argumento mascu que mulheres so mereceriam direitos iguais aos homens se realizarem tarefas fisicas acima dos seua limites biologicos.

Agradeco se opinarem qual das respostas que eu daria seria a mais dificil de ser refutada pelos mascus.

Sinceramente, os mascus dao a impressao que os homens sao obrigados a terem profissoes perigosas, como se nos vivessemos numa ditadura. Quem obriga um homem a ser tira, caramba. Quer dizer, o cara escolhe ser mineiro e culpa quem nao escolhe a profissao dele? Eu, hein, ninguem te obriga escolher sua profissao nao, cara. Arrisca muito e e mal pago?Lute para ser valorizado mas nao coloque a culpa no lugar erradi,cara

Alexandro F. disse...

Tinha visto uma nota sobre o projeto de lei do deputado do psol no blog do psol-londrina.
Numa busca rápida, apenas encontrei um texto contrário ao projeto no site da LSR, uma das correntes do psol
http://www.lsr-cit.org/mulheres/30-mulheres/1012-prostituicao-e-mercantilizacao-do-corpo-da-mulher--quem-ganha-com-isso-

Fernanda disse...

Lolita, fiquei tão triste, mas tão triste de não poder ir... caiu uma chuva enlouquecedora justo na hora de sair pra palestra, que ja era horario de rush... em plena sexta-feira! Eu nunca chegaria... que peninha! Acho que vou em alguma palestra que você der no RJ ou SP, que é perto daqui de BH. Com certeza você vai fazer alguma, porque vive disso, né? hahahahahahaha!!! E dos seus livros!

Falando neles... Quero comprar um! Como faço?

Beijo, minha flor! Juro que vou te conhecer um dia! Cheia de chocolates na mão! Hehehe!

lola aronovich disse...

Fernanda, querida, choveu pacas na sexta, né? Eu me molhei bastante. Tomara que eu volte pra BH logo! Mas mês que vem ou em dezembro eu devo ir pra Uberlândia. Quer dizer, dá a mesma distância que ir pra SP, né? Mas certamente teremos outras oportunidades. Afinal, se eu não palestrar, vou comer como? (visualize a Lolinha com aqueleas plaquinhas de “Will work for food”). Compre um livrinho meu e ajude a sustentar uma professora universitária! É bem fácil de comprar. É só ir no link que tá no post (ou clicar no livrinho no canto superior direito) e seguir as instruções. E fico no aguardo de todos os chocolates!


Alexandro, esse post eu também vi, muito bom, por sinal. Mas queria mesmo era ver a nota das mulheres do PSOL contra o projeto. Não é fácil de encontrar!

lola aronovich disse...

Hamanndah, você conhece os mascus tão bem quanto eu. Vc sabe que eles não têm argumentação nenhuma, que eles só querem encher. Por exemplo, primeiro eles fazem aquela chiadeira toda de que nós feministas somos a favor do alistamento militar pra homens (não somos! Nem pra homens, nem pra mulheres! Aliás, eu quero mais é que o exército se exploda). Aí quando mulheres ocupam cargos militares eles gritam “As mulheres vão acabar com o exército! Agora vai ter estupros no exército!”, e outras barbaridades. Eles parecem querer voltar aos anos 1950, mas eles gostariam mesmo era de viver nos tempos do Antigo Testamento. Aliás, minto: eles gostariam de voltar aos tempos das cavernas! Eles fantasiam com a época em que os homens tinham que sair pra caçar enquanto as mulheres ficavam quietinhas nas cavernas (há há, eles manjam muito de história, acham que Flintstones é documentário). Tudo pra eles é força física. Mas a gente vive num mundo em que a força física importa muito pouco. Temos máquinas e instrumentos que facilitam um pouco o trabalho. Hoje já há muitas mulheres na construção civil, que é um trabalho físico bastante exaustivo. E elas são consideradas excelentes profissionais. E muitas mulheres gostariam de poder trabalhar em cargos tradicionalmente masculinos, até porque esses empregos (que são ocupados por homens pobres com baixa escolaridade) pagam muito melhor que os empregos oferecidos a mulheres na mesma situação sócio-econômica (empregadas domésticas, manicures, costureiras etc). Mas eu acho que não tem que se discutir com mascu. É como discutir com a Ku Klux Klan. Não há diálogo com grupos de ódio.

Anônimo disse...

Não se preocupe Lola, os sonhos de vocês feministas estão a caminho de se tornar realidade, com os latentes ataques a masculinidade na civilização ocidental, utilizando-se de taticas gramcistas, logo teremos um mundo em que os homens serão :

1. Menos escolarizados do que as mulheres;
2. Ganhando menos do que as mulheres (este é atualmente o caso dos jovens, homens e mulheres);
3. Mais vulneráveis em tribunais de divórcio e família;
4. Sem uma definição clara de o que o assédio sexual é, e leis que vêem duas pessoas bêbadas fazendo sexo como estupro;
5. Os homens serão menos saudáveis do que as mulheres e morrerão mais cedo, e ainda terão menores orçamentos destinados a eles na saúde pública;
6. Com cada vez menos casamentos e os laços entre homens e mulheres tenderão a ser mais curtos, facilmente desmontados, com base em menos emoções e mais sexo.
7. A maioria das crianças nascendo fora do casamento (este número é atualmente de 42% nos EUA e deverá continuar a crescer).
8. Os rapazes serão criados mais e mais sem a presença de um pai, e as figuras dos homens são substituíveis, enquanto a da mulher não é. A maioria dos meninos não terá uma linhagem da família do sexo masculino, as meninas terão uma fêminina.

Claudia disse...

Pessoas, eu tietei a Lola o final de semana todo, morram de inveja!!! Lola, voce e uma gracinha, amei te conhecer! Sobre o encontro, fiquei super feliz por ver mais de duas mil pessoas engajadas e politizadas reunidas lutando pela causa feminista e socialista. O debate internacional foi muito enriquecedor e foi otimo ver mulheres dos quatro cantos dividir suas impressoes e anseios por um mundo melhor para todos.

Anônimo disse...

Por que o post de ontem foi deletado?

lola aronovich disse...

Claudia, querida, também adorei te conhecer! Manda um email com a foto que tiramos. Aí podemos manter contato. E sobre o que vc falou, é importante destacar: o Encontro foi internacional. Havia representantes de nove países. Foi muito bom mesmo!


Anon, o post não foi deletado. É que ele só estava agendado, e foi publicado sem querer (minha culpa, eu é que esqueci dele).


O post de hj vai demorar um pouco pra sair, porque preciso ir trabalhar... Aliás, eu queria muito ter um dia de 35 horas, porque tá difícil.

Hamanndah disse...

Pobre mascu, se o futuro de voces e tao ruim entao por que nao, so voces mascus, nao constroem uma nave espacial para morarem em outro planeta! Ah, nao esquecam de levar, com vcs, todo o estoque de bonecas inflaveis da Terra. Tenho certeza de que voces, com toda a sua inteligencia originaria dos 5 bilhoes de neuronios a mais do que nos, as mulheres, vao resolver, rapidinho, o problema de gerar bebes novos, sem mulheres para parirem.

Se vcs, mascus, tiverem dificuldades para raciocinar um jeito de fazerem esta proeza, levem todos os golfinhos e elefantes para o planeta novo de voces, afinal, se na sua logica as mulheres sao menos inteligentes porque possuem menos neurônios que vcs, então , como os golfinhos e os elefantes possuem mais neurônios que voces, sao mais inteligentes então podem lhe ajudar nessa tecnologia reprodutiva, para criar mulheres escravas e sem vontade propria para voces mandarem e humilhar a vontade, pois e esta a relação de "amor" que vocês desejam ter com as mulheres, De repente, tal qual o livro admiravel mundo novo, essas mulheres criadas podem morrer de "velhice galopante" aos 30 anos que, aliás , e a idade que vocês , mascus, "decidiram" ser o limite de vida util para nos, mulheres

Fica ai, mascu nojento, ruminando o quanto o feminismo lhe prejudicou e lhe injustiçou e, nos, os homens e mulheres feministas? continuamos muito, muito, muito felizes, pois nao precisamos de voces

Fiquem com suas bonecas infláveis e com as mulheres robôs que vcs querem criar para lhe servirem, em um planeta bem distante daqui.

voces nao farao a menor falta para nós , seus infelizes

Hamanndah, que deixou de existir há muito tempo e nao sabe

Apenas Uma Mulher disse...

Anon das 02:06. Não basta ter privilégios, não é? É PRECISO esfregá-los na nossa cara!!!!

Anônimo disse...

Lolinha!

Não sei se vc já viu esse vídeo, campanha na India contra a culpabilização das vitimas de estupro, gostei muito!

http://www.pragmatismopolitico.com.br/2013/10/video-ironiza-culpa-mulher-estupro-sucesso-internet.html

Carolina Langnor disse...

Gostaria de deixar um comentário para hamanndah...

Esse discurso sobre o corpo masculino forte e do corpo feminino frágil é mais um dos argumentos que tentam criar uma ficção disfarçada de 'verdade'. Esses argumentos machistas invisibilizam todos os corpos masculinos que não são nada fortes e viris para a lógica capacitista. Ao mesmo tempo, ele nega a existência de inúmeros corpos femininos que são altos, grandes, fortes e lindos. Minha dica é que sempre precisamos desconfiar dessas falsas verdades produzidas pelo discurso médico e pela mídia, pois corremos o risco de reproduzi-las mesmo quando estamos tentando questioná-las.
Um beijo pra vc, para todas e todos!

Helen Pinho disse...

Lola questão difícil essa da prostituição, eu confesso que fico perdida, pois 1) não acredito que a prostituição irá acabar em um futuro breve 2)havendo prostituição creio que a profissão deve ser regulamentada. Mas, li o texto recomendado pelo Alexandre e fico com mil dúvidas, mais ainda por ser um projeto do Jean Wyllys, profissional que tenho o maior respeito.

Anônimo disse...

Acho tão de má fé esse apelido "bolsa estupro".

A pessoa pode ser contra a proposta, mas esse tipo de subterfúgios é tão baixo.

Típico da direita apelidando as coisas de "bolsa esmola", "bolsa crack" e etc.

Anônimo disse...

hamanndah...

Penso que boa parte da diferença física entre homens e mulheres está associado ao estímulo muito maior que os homens recebem pra desenvolver força.

Se você pegar atletas de ponta, que assumimos ser as mulheres e os homens mais aptos a se desenvolverem naquela atividade, teremos índices de desempenho muito parecidos. Tudo bem, os índices masculinos são levemente superiores, mas isso na vida cotidiana, onde mulheres e homens com mais ou menos vocação pra desenvolver força física estão misturadas, faria realmente diferença?

Se mulheres fossem estimulados a desenvolverem suas habilidade físicas, a disparidade seria muito, muito, muito menor do que é hoje.
Pra mim esse papo de que mulher fortona é feio e que fica com 'corpo masculino' é só mais uma forma de nos podar. Se ela é mulher, malhou e ficou fortona, aquele é o corpo feminino forte, ora bolas...

Sem contar que várias dessas atividades que você listou podem perfeitamente ser realizadas por mulheres. Muito da força e superação estão no empenho, auto controle, inteligência. Um exemplo são as provas de resistência em reality shows...

Mais duas coisas:

1)Direitos iguais tem a ver com dar oportunidades iguais para pessoas diferentes.
2)Não perca seu tempo em forum mascu, dificilmente suas argumentações levarão eles a refletir.

Abraço





Ráisa Mendes disse...


"1. Menos escolarizados do que as mulheres"

ahahahahahaha, já rachei de rir logo no primeiro fator

Anônimo, vc esqueceu de colocar o seguinte:
9 - Graças ao feminismo, num futuro próximo, o homem será obrigado a arrancar o pênis para colocar uma vagina no lugar


kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

@dddrocha disse...

Ahhhh Lola, que fofa publicar nossa foto. Depois me conte se os cookies não ficaram muito úmidos e murchos =(.

Também adorei o encontro, apesar de ter participado apenas da abertura. Confesso que fiquei arrepiada com os discursos daquelas mulheres maravilhosas. Fiquei muito arrependida de não ter ido pra pousada, mas na próxima eu vou.

Achei estranho o pessoal do PSOL não apoiar o projeto do Jean, até achei que tinha ouvido errado na abertura mas pelo jeito é isso mesmo. Gente, a prostituição não vai deixar de existir, porque existe o mercado e ponto. Prefiro que haja uma regulamentação e essas moças consigam trabalhar de forma mais segura e digna.

Camila disse...

Oi Lola! Eu meu marido estávamos lá na abertura do evento aqui em Belo Horizonte, com chuva e tudo :D Até fomos tietar você no final, pra fotos e autógrafos, éramos o "casal feminista" como você colocou na dedicatória. Não sei se vai dar pra lembrar da gente, mas eu gostaria de deixar aqui que adoramos te conhecer, e te achamos a maior simpatia, mesmo numa noite cansativa como aquela. Já li o livro inteiro, e adorei, ainda que você tenha malhado Moulin Rouge, um filme que eu amo tanto (mas hoje em dia eu entendo porque muita gente não gosta). E a baratinha de Wall-e é uma fofura, vai. Eu fiquei me perguntando se você teria visto as baratas de "Encantada".
Lá na hora eu fiquei meio bocó, como eu geralmente fico ao encontrar celebridades, e esqueci de dizer que eu também tenho um blog de cinema! Ele é sobre filmes de maneira geral, mas foi se tornando mais feminista à medida em que eu ia lendo as coisas que você postava. Eu tinha até iniciado uma série sobre moças pouco vestidas, como Barbarella e Elvira a rainha das trevas. Agora falta só um pouco mais de ânimo pra continuar. Um abraço, e espero que você volte mais vezes.

lola aronovich disse...

Dani, querida, ia mesmo te mandar uma mensagem. Hoje inaugurei os seus cookies, e nossaaaaaaaaaa.... Foi difícil parar de comer. O maridão já tinha roubado um pra comer no café da manhã, misturado com iogurte e grãos como ele sempre faz, o que eu acho uma heresia. Mas mesmo ele sentiu que era uma delícia. Adorei mesmo, Dani. Super obrigada!
Pois é, todas aquelas mulheres que falaram antes de mim são excelentes oradoras. E super guerreiras! Eu me senti um pouquinho deslocada lá, mas adorei de qualquer jeito. Valeu muito a pena ter ido.


Camila, claro que lembro! Se tivessem sido dois casais feministas, talvez eu me esquecesse, mas só um eu vou lembrar! Obrigada pelo carinho. Foi muito bacana, embora cansativo. E isso que a gente chegou na pousada às 2 da manhã. Aí sim eu estava exausta. Cheguei, desabei na cama e dormi.
Claro que vc não foi bocó!
Ahn, não me lembro das baratas de Encantada. Mas eu jamais colocaria "baratinha" e "fofura" na mesma frase. JAMAIS!
A gente tirou foto? Se tiramos, manda pra mim!

Hamanndah disse...

O problema que enxergo na prostituiçao e o medo dela ser agredida pelos animais que a procuram. Se a prostituta nunca viu o cara na vida, nao sabe o endereço, como vai denunciar se o psicopata - aquele que não tem empatia pelo sofrimento alheio - a agredir. Se a mulher quiser comercializar seu corpo, está no livre árbitrio dela. Eu só não. quero que ela seja agredida por algum covarde na sua idéia torta que masculinidade e sinônimo de poder e agressão para com as mulheres. So quero uma proteçao que funcione para elas, por causa de alguns homens que a procuram

@dddrocha disse...

Que bom que gostaram então, hahaha. Mas essa mistura do Silvinho eu nunca vi/fiz. Minha versão preferida é com leite puro gelado rsrs.

Então, comentei com meu marido que te achei um pouco tímida mesmo lá na sexta, e achei que era natural porque está mais acostumada a interagir virtualmente.
Mas se saiu muito bem na fala (até onde consegui assistir) e sua força tem a mesma importância dos movimentos que estavam lá, porque você consegue atingir mais pessoas virtualmente. Eu mesma e várias amigas minhas conhecemos o feminismo pelo seu blog, meu marido está mais feminista também e por consequência, os alunos dele. Você fala melhor a nossa língua, se é que me entende. O MML é muito forte também, mas atinge outros nichos e foi ótimo juntar todo mundo naquela sexta, vai ser difícil esquecer a boa sensação.

Anônimo disse...

dddrocha, veja o modelo nordico, a exploraçao sexual de mulheres tem soluçao, sim, basta querermos

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Ah, ainda não foi dessa vez que deu pra te conhecer...
Sobre o assunto da legalização da prostituição, depois de ler um texto no blogueiras feministas, fico me perguntando se quem realmente é afetada por isso está mesmo sendo consultada...
Hamanndah, acho que a melhor resposta é dizer que mesmo tendo menos força e estando em menor número, existem mulheres em todas essas profissões que você citou.
Aliás, quanto mais pobre o homem e a mulher, menos alternativa eles vão ter que não seja pegar no pesado né. Aliás, mesmo profissões consideradas femininas e que são braçais, exigem muito do físico. Uma coisa é eu fazer faxina na minha casa uma vez por semana. Agora imagina uma emprega doméstica ou uma diarista, que faz isso todos os dias, as vezes em mais de uma casa, cinco ou seis vezes por semana.

Abçs Lola.

@dddrocha disse...

Anônimo:

Tudo bem, mas como disse, existe o mercado no Brasil (esse é o problema).
Teria que mudar muita coisa culturalmente e sabemos bem que penalizar as pessoas no nosso país não traz resultados efetivos.
Isso iria piorar a situação das prostitutas, que certamente procurariam lugares fora da fiscalização pra trabalhar e aumentaria o risco que correm.

O Brasil tem sérias dificuldades em fazer a coisa certa, dentro da lei. É uma coisa que é muito forte aqui, as pessoas não pensam no contexto e sim no que querem. É mudança pra daqui 50 anos.

Anônimo disse...

Anon 20:06

E no que o modelo nórdico ajudou contra a prostituição?

Tem tanto ou mais prostitutas na escandinavia do que antes da lei anti-putanheiro.

Anônimo disse...

Lola, queria agradecer a sua presença no Encontro. Valeu mesmo. Olha lola, já li seu blog, me identifiquei com vários textos, tive desacordo com outros, mas de qualquer forma te respeito muito enquanto feminista e acho que foi de qualidade a sua participação no I Encontro NAcional do MML.