domingo, 14 de abril de 2013

"O EX-NAMORADO QUE ME ESTUPROU REAPARECEU. E AGORA?"

A Z. me enviou um email muito interessante esta semana:


"Oi Lola, tudo bem? Sou fã do seu blog, leio todo dia, e ele foi o que tirou todas as minhas dúvidas em relação ao feminismo! Obrigada, de coração por fazer esse trabalho maravilhoso!
Eu preciso de ajuda. Três anos atrás eu fui estuprada. Namorava um machista, não chegava a ser mascu, mas era bem perto de um. Eu nem sabia que consistia em estupro se fosse um namorado, e como era meu 'primeiro homem', eu achava que não podia negar sexo, que ele precisava mais que eu, mesmo que doesse de vez em quando.

Teve um dia que passou todos os limites. Ele avançou em mim, mesmo tendo brigado comigo antes por conta de ciúmes do nosso chefe (trabalhávamos juntos), arrancou meu pijama e fez sem proteção. Eu fiquei tão chocada que não reagi. Ele acabou rápido e foi tomar banho e eu vesti minhas roupas pra ir embora, chorando muito. Depois ele voltou ao quarto pra me convencer que eu era uma psicopata por não 'entender' que ele precisava de mim num momento tão difícil (a avó dele tinha acabado de morrer). Eu me senti o lixo do lixo. Estava em agonia, em posição fetal no chão, chorando pela minha mãe. Era uma cena patética, e eu queria genuinamente morrer. Ele não quis me deixar ligar para a minha mãe.

Acabou que minha mãe me salvou, o namoro foi terminado e descobri o feminismo. Tornei-me uma pessoa melhor. Consegui superar o medo de sexo, gosto de ter relações, seleciono os meus parceiros MUITO bem antes de me engajar em qualquer coisa. Faço exames de sangue regulares (tudo limpo!) e me cuido ao extremo, uso anticoncepcional e proteção (e mesmo assim exijo exame de quem eu me deito).
Agora, com essa nova era de redes sociais, ele me encontrou. Facebook. Está lá o pedido de 'add' dele, junto com uma mensagem que começa por 'Oi linda' e tem 'saudades' também. Passei mal. Meu estômago embrulhou. Não consigo nem tomar água.


É um sonho antigo poder encontrá-lo e confrontá-lo. Vomitar todo o ódio pelo mal que ele fez em mim, dizer que independente do trauma eu me tornei uma pessoa melhor, e finalmente seguir adiante. Mas agora o sonho virou realidade e estou com MEDO. Não sei o que fazer. Não sei o que dizer. Não sei se o melhor é bloquear e largar para lá. Estou tendo uma crise de ansiedade...
O que você faria, Lola?
Um beijo e mil obrigadas!"


Minha resposta: Querida Z., em primeiro lugar, sinto muito pelo que vc passou. Agorinha mesmo [isso foi na quarta] acabei de ver uma notícia sobre uma menina canadense de 17 anos que foi estuprada por quatro rapazes, que espalharam as fotos do estupro na internet. Ela foi bullied por causa dessas fotos e se suicidou. É terrível demais. Existe algum outro crime além do estupro que faça da vítima a principal culpada? E depois tem gente que nega a existência da cultura de estupro...
É difícil te sugerir alguma coisa porque não estou na sua situação, e felizmente nunca passei por algo assim.
Mas olha, se é um sonho antigo confrontá-lo, e agora surgiu a oportunidade, eu falaria tudo que está entalado pra ele. Falaria mesmo. Soltaria os cachorros.


Só que, claro, sugerir isso é fácil. Difícil é concretizar, porque há riscos. Você não deve de maneira alguma chegar perto dele, principalmente se estiver sozinha. Imagino que vc não pensou em se aproximar fisicamente dele, mas há outros riscos. Vc escrever ou falar pelo msn ou pelo telefone ou pelo skype ou qualquer coisa assim deixa rastros. Ele pode gravar ou copiar a conversa e divulgá-la. Por mais que o criminoso seja ele, na cultura de estupro em que vivemos, em que vítimas de estupro são sempre questionadas, consideradas suspeitas, e muitas vezes condenadas por aquelas pessoas do "ela pediu" e "o que ela estava vestindo?", não vai faltar gente pra te apedrejar. O seu anonimato vai pro ralo. Seu ex pode te expor.

Só que quem tem mais a perder é ele, pelo menos aos olhos da lei. Vc também pode aproveitar uma conversa online com ele pra conseguir alguma confissão, gravá-la, e aí denunciá-lo. Não sei quantos anos vc tinha quando isso aconteceu, mas, se você era menor de idade, o crime de estupro agora leva até 20 anos pra prescrever. Se vc já era maior de idade, ainda assim pode denunciá-lo, pois a prescrição em geral equivale ao dobro da pena (que, em caso de estupro, é de 6 a 10 anos -- advogadxs, corrijam-me!). Mas, lógico, cabe a vc decidir se quer levar o caso à corte ou se uma grande bronca já é suficiente.
Vou publicar seu relato no blog pra perguntar se alguém tem alguma sugestão, se alguém já passou por isso...

61 comentários:

Anônimo disse...

A grande questão é: vc tem estômago para isso?

Se sim, seja extremamente cautelosa, planeje seus passos, registe tudo, não perca o foco nem se deixe levar pelo calor da hora. E boa sorte!

Paula disse...

sei lá... com a quantidade de feminicídios que a gente vê por aí, eu deixava quieto..

vc não tem muito como provar o estupro, ta feliz hoje... vira a página..

o cara sendo machista como é, não vai custar a te dar uma surra ou algo pior... desse tipo de gente tem que se ter distância..

Panthro disse...

Ele falou que tem saudades? Responda: "Eu não". E bloqueie. Pronto.

anti-machismo disse...

Lola, os mascus além de racistas,homofóbicos e misóginos, também são adeptos da "lei de Gerson", ou seja, levar vantagem, praticar furtos e lesar empresarios alegando "econimia extrema".

Veja o que um mascu disse num fórum mascu:

"RE: Dicas de Sovinagem do Pobretão
ROSTON WAY OF LIFE

Dicas de economia extrema.

Se for comprar alho no mercado, descasque as cabeças e pese só os dentes de alho, afinal, vc não vai comer a casca.


Se for comprar banana, compre banana d'água(mais barata); tire o talo e descasque todas as bananas, assim diminui o peso e sai mais barato. Da pra conservar as bananas descascadas na geladeira.

Vá ao mercado na hora do desjejum/almoço/jantar, fingindo que esta pesquisando preços coma várias frutas disponíveis(sem exageros), assim você economiza uma refeição se alimentando de graça com alimentos saudáveis.

Geralmente as filas em supermercados são longas, enquanto vc espera na fila, BEBA um refrigerante e coma algum biscoito enquanto aguarda sua vez, mas seja frio e aja natualmente. Na hora de pagar, pague só o que vc vai levar pra casa e jogue as rmbalagrns dos produtos consumidos no chão/carrinho. Se algum fiscal te repreender, diga que vc "pagará" o qur consumiu, mas não se iniba pois geralmente eles não ficam no pé pra ver se vc vai pagar.

*Faça isso somente em supermercados grandes(EXTRA, CARREFOUR, ROSSI, PÃO DE AÇÚCAR, DIA%, ETC... ), onde a fiscalização e quase nula. Caso seja repreendido, diga que está "degustando" e que vai "comprar"; geralmente o pessoal do mercado só adverte, mas se enxer muito o saco, diz que vai enfiar o dedo na garganta para vomitar e mandar o cara pesar o qur vc comeu.

Se vc gosta de tomar um cafezinho fora de casa, vá em barraquinhas de café dentro do mercado, ou algum consultório, escritório, perto de onde vc trabalha, assim vc economiza o dinheiro que gastaria todos os dias.

Água mineral custa caro. Se no seu trabalho tiver algum filtro ou cilindro de água, BEBA bastante água durante o dia, e encha uma garrafa pet de 1 ou 2L de água mineral e leve para sua casa todos os dias. Já que passamos o dia no trabalho, bebemos pouca água em casa, então da para armazenar para o fim de semana, fazer suco, cuar café tudo com água mineral de graça. Sugiro que encham a garrafa quando não estiver ninguém por perto, para evitar fofocas ou constrangimento.


Há anos não compro papel higiênico, raramente cago no trabalho, mas todos os dias levo uns 15 metros de papel higiênico do banheiro do trabalho pra minha casa, assim acúmulo papel higienico para usar em casa, gratuitamente.

Geralmente nossos colegas de trabalho deixam um creme dental no banheiro da empresa. Não escove os dentes em casa antes de ir pro trabalho, pois da pra vc fazer o desjeum e tirar os. restos de alimento com água. Como vc vai tomar café antes de ir pro trabalho, o gosto e odor do que foi consumido amenizara o mau halito, mas assim que vc chegar no trabalho, escove os dentes com o creme dental dos seus colegas. Faça o mesmo depois do almoço, assim vc economiza seu creme dental por um bom tempo.


Geralmente no banheiro das empresas, tem um sabonete disponível para lavar as mãos. De 15 em 15 dias eu surrupio um sabonete para tomar banho em casa. O pessoal nunca percebe pois a zeladora sempre repõe, assim economizo no sabonete.

PS2: Todas as dicas de economia hardcore são praticadas diariamente por eu. Venho obtendo ganhos significativos com isso.

O Barão acha a dica do Miojo tosca pq e um gastador compulsivo hehehe.

Tem mais dicas, se preparem que o bagulho vai ficar mais sério. Aconselho ler as dicas somente ogros sovina hardcore, pois direi a que extremos que chego para poupar."
http://forum.bufalo.info/showthread.php?tid=3154&page=9

MAIS UMA PROVA DO MAU CARATER DOS MASCUS!

Juliana Brito disse...

de boa? não responde, só bloqueia e segue sua vida. É a melhor resposta que vc pode dar e não te expõe. Confrontá-lo vai te obrigar a reviver todo o trauma. É o que eu acho

Clara Lopez disse...

Acho que bloquear é a melhor solução, mas se você está com medo ele vai 'farejar' (cachorros farejam o medo de suas presas, lembra?), então acho que eu faria o seguinte: mandaria uma msg pra ele em que o ameaçaria furiosamente, dizendo que se ele se atrever a se aproximar de você, vc vai à polícia denunciá-lo por assédio moral e sexual. Que ele fique longe de você, nunca mais a procure ou sequer pronuncie seu nome. Tomara que vc encontre forças pra colocar esse verme no lugar dele. Um abraço, força e sorte, Clara

Anônimo disse...

Anti-machismo, minha mãe já teve um namorado que furtava lâmina de barbear, sabonete e creme dental toda a semana. Ela percebeu que andava sumindo uma coisa ou outra e um dia ela se ligou que poderia ser ele, então foi olhar na mochila dele, e os produtos estavam lá. Ela pegou o que deu de volta e guardou no lugar certo e ele percebeu. Nunca mais esse cara apareceu em casa, esse FDP, rsrsrsrsrs.

Lu_ud disse...

Ha um tempo atras li um texto num blog que falava exatamente sobre isso: a menina foi estrupada na adolescencia, e depois de adulta o estrupador adicionou ela no Facebook. Ela pegou o telefone dele, o confrontou, depois escreveu um texto a respeito: MY RAPIST FRIENDED ME ON FACEBOOK (AND ALL I GOT WAS THIS LOUSY ARTICLE): The hour-long phone conversation with the man who raped me that was more helpful than 1,000 hours of therapy.

http://www.xojane.com/sex/my-rapist-friended-me-facebook-and-all-i-got-was-lousy-article

Cada caso é um caso, no dela o estuprador sabia que a tinha estrupado e se arrependia. Mas acho que talvez seja uma ajuda no caso da Z., uma inspiracao sei la. Se ela souber ler em ingles, recomendo o original. Senao, o link abaixo esta traduzido pelo Google Translate. A traducao é longe de perfeita e bem confusa, mas da pra tirar o contexto geral e entender o que aconteceu, caso ela nao saiba ingles:

http://translate.google.com.br/translate?sl=en&tl=pt&js=n&prev=_t&hl=en&ie=UTF-8&eotf=1&u=http%3A%2F%2Fwww.xojane.com%2Fsex%2Fmy-rapist-friended-me-facebook-and-all-i-got-was-lousy-article

Fica o desgosto de vivermos numa sociedade tao machista e com uma cultura de estupro tao arraigada, que o estruprador adicionar sua vitima nas redes sociais seja comum a ponto de encontrarmos textos como esse na internet. :(

Unknown disse...

Uma coisa a se considerar é que, na cabeça dele, ele não deve nem achar que fez alguma coisa errada quando vocês estavam juntos.

Anônimo disse...

Não responda nada, bloqueie e siga a sua vida.

A vida vai trazer muita coisa boa pra você, use a sua energia pra viver isto.

Não é deixar passar um fato grave que passou, mas é se proteger.

Anônimo disse...

que cara nojento,ainda volta e fala com vc como se nada tivesse acontecido.
que bom que vc superou!
mas como é que ela vai provar que foi estuprada,se já passou 3 anos?

Anônimo disse...

Dê uma de linda e diva e pergunte: "Vem cá, eu te conheço?" e o bloquei antes dele responder!

Isabela Candeloro Campoi, disse...

Como eu "pago" pra não me envolver com a justiça, nem pensaria em criar provas para uma ação judicial: imagina a perda de tempo e energia!? Se vc está bem hoje, bloqueie o idiota e segue sua vida de cabeça erguida. Ao mesmo tempo que é ruim pensar que um cara desse tipo sairá em pune... Enfim, eu seguiria em frente sem ele entre meus contatos, só isso. Ou, pensando bem, no mínimo mandaria uma mensagem em off pra informá-lo sobre o acontecdido, afnal, talvez ele sequer tenha consciência dessa agressão.

Julio Cezar Klein Puglia disse...

Não sou mulher e nem psicólogo, porém gostaria de dar uma sugestão.

Aceite a adição no facebook e confronte o seu medo. Não permita mais que o sujeito se aproxime de você, mas aproveite a impessoalidade da rede social e exponha a ele o quão violento e cafajeste ele foi.
Depois disso, bloqueie e exclua ele do seu perfil para que ele não possa visualiza-la através de sua conta.
Se conseguir uma confissão, melhor, mas se não, não permita que ele possa seguir as suas atividades pela rede social (que ao meu ver, deve ser uma atividade prazerosa)

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Acho que ela tem que se perguntar o que vai fazer com que ela se sinta melhor.
Bloquear simplesmente ou escrever alguma coisa desabafando antes de mandá-lo definitivamente pra Júpiter.
Como alguém aí em cima disse, na cultura em que a gente vive, é provável que ele nem ache que tenha feito alguma coisa errada, que forçar a barra com a namorada porque está triste ou com raiva é justificável, que impedí-la de alguma coisa, é normal.
Pessoalmente acho que uma pessoas dessas merece no mínimo ter esfregado na sua cara o que fez.
Mas essa sou eu, ela tem que saber o que é melhor no caso dela e também pensar nas possíveis consequências.

Anônimo disse...

Ja viram um filme chamado Depois de Lucia? É sobre uma menina que sofre bullyng na escola depois de um carinha espalhar um video dos 2 fazendo sexo, é bem forte e perturbador, lembrei na hora do caso dessa menina canadense

Anônimo disse...

Eu acho uma perda de tempo e um risco muito grande para alguém que provavelmente carece da força espiritual para enfrentar um agressor sem se envolver com ele. Bloqueia o cara, vá se tratar e fim da história. O passado só existe na sua cabeça e em nenhum outro lugar e nada do que você fizer vai reverter o que já aconteceu.

Clara Lopez disse...

Só mais uma observação: quando vivi algo parecido, na juventude, a terapia ajudou um bocado. É como ter um apoio pra ver melhor e de fora o que a gente faz ou fez pra se envolver numa situação dessas, o que ainda não foi entendido na história de cada um@.
abraço, clara

Anônimo disse...

Eu bloqueava e deletava, sem falar nada.

Anônimo disse...

Não sei o que a autora do post publica no seu Facebook,mas tem mt gente que posta a vida toda!
Desde o que comeu na janta,passando por onde estuda e o que faz a onde está na rua e para onde vai sair.
Tem gente que se expõe demais,facilitando a que alguém má intencionada faça alguma besteira.
Então se ela o adicionar,correrá o risco dele ver onde ela tá,onde estuda,onde trabalha,por onde está viajando,com quem tá,etc,etc e etc.
Todo cuidado é mt pouco.

Anônimo disse...

Acho que não compensa tentar denunciá-lo. É minha opinião. Como vc vai provar o que está dizendo? Depois de tanto tempo, será apenas sua palavra, e só isso não é suficiente pra uma condenação. Teria que ter mais elementos. A menos que vc queira buscar esses elementos, como uma confissão dele, ou testemunho de alguém, etc.

jessica disse...

Passei por uma situação mto parecida, e não sofri um ou dois estupros do meu ex parceiro, sofria varios.

Nas ferias de dezembro e de junho eu ia pra cidade dele, dormia la, e toda manha ele me obrigava a fazer sexo com ele, eu dizia "não, nao quero", "to com sono, me deixe dormir"...mas ele não se importava e forçava a relação!Na época- apesar daquilo me incomodar muito- não sabia tbm que se tratava de um estupro!

Fui entender tudo através desse bloguinho aqui, que me serviu de apoio qdo o relacionamento abusivo terminou. Pouco tempo depois do fim do namoro sentia um nojo imenso do individuo(sentia ânsia mesmo)e ele continuava me procurando, como um stalker mesmo, lembro de ter falado pra ele varias vezes o nojo que sentia dele. E ele continuou a me procurar. Quando me encontrei feliz, sem nem mais lembrar dele e dos abusos, simplesmente não o respondia mais...e ele foi parando...ainda faz as vezes, mas muito raramente...resolvi me desligar dele, não o denunciaria hj, não quero qualquer tipo de contato com ele.

Se vc não tem a intenção de denunciar, acho que deveria ignorar as tentativas de aproximação. Não aceite, bloqueie o infeliz, e por mais que a insistência da parte dele permaneça, simplesmente não o responda...ngm merece ter que rememorar um trauma. Só o dispense

Rê_Ayla disse...

Mande o link desse texto para o infeliz e bloquei-o. Siga em frente sem olhar para trás. E fim.

Ramona F. disse...

Há algumas semanas me aconteceu algo que me lembrou do que aconteceu com a Z. e que depois disso, me deixou muito mal. Tive um ex namorado que me estuprou porque eu namorava uma garota após ele ter terminado comigo e ainda divulgou detalhes do estupro, como se eu fosse prostituta, tivesse uma vida sexualmente promíscua (Seja lá o que for isso, as pessoas não deveriam ser julgadas por sua sexualidade) para a cidade toda. Fui humilhada e agredida por ele e por várias pessoas da minha cidade.
Séculos depois do acontecido e eu estando (Mais ou menos) recuperada e mais forte, a pessoa vem me procurar nas redes sociais para pedir perdão. Isso mesmo, pedir perdão! Mas como não acredito nessa pessoa, pelas inúmeras coisas que ele fez depois do estupro e também pelos motivos nos quais ele pediu perdão, não consigo perdoá-lo. Ele já me procurou no meu trabalho, na universidade e até em casa, mas não sei o que fazer nem dizer diante disso. Estou muito confusa e mal com tudo o que está acontecendo. Simplesmente quero morrer sempre que tenho alguma recordação do que sofri.
Enfim, eu penso que só consegue sentir a intensidade da dor e das feridas que ainda estão vivas quem foi ferido, não quem feriu.

Cris disse...

Só pra esclarecer, se a moça tinha mais de 18 anos no momento do estupro, o crime pode demorar vários anos pra prescrever, mas a ofendida tinha prazo de apenas seis meses pra representar criminalmente contra o ex dela. e sem a representação da vítima, o Ministério Público não pode denunciar o cara. enfim, é muito provável que não adiante nada ela denunciar o cara.

é melhor ela mandar um "vai se fuder, seu cara de pau" e bloquear.

Ramona F. disse...

Desculpe pelos erros de português. Esse caso me fez vir a tona lembranças que nunca queria ter vivido e me deixou nervosa. Escrevi tudo o que me veio à cabeça de uma vez

Anônimo disse...

Você não queria confrotá-lo? Então acho que faria bem pra você fazê-lo saber que ele cometeu um crime, e que é um estuprador. Acho que não tem que deixar ele passar incólume por isso, não. Por que ele tem que passar pela vida achando que nem é um estuprador? É justo? Pelo que entendi ele nunca te estalkeou, então ele não vai fazer isso agora. E não é pra vc ter um diálogo, vc despeja tudo em cima dele e sai fora.

Fernanda disse...

Eu não sei se será saudável pra autora voltar a ter contato com o seu estuprador, mesmo que seja só para incriminá-lo. A vdd é que provavelmente ela nem conseguirá fazer isso. É sério, o cara, pelo que ela diz, só pensa nele, ele deve ter toda uma teoria de como ele estava no direito de fazer isso, de como a culpa é dela. Eu, da autora, seguiria minha vida, nem responderia nem nada, ignoraria mesmo. Eu tive uma situação muito desagradável com um cara que eu tive um rolo curto. Não aceitei uma postura de risco que ele quis impor, e depois ele me stalkeou por um tempão. Deixei bem claro que não queria falar mais com ele, e parei de responder msgs. Uns 9 meses depois ele ainda tentou me ligar, e eu simplesmente ignorei. Existem pessoas que não valem a pena perder tempo (e que por sinal eu não acho nem seguro tentar um confronto).

Rafaela disse...

Ignore o contato dele, é o melhor a fazer. De forma alguma eu abriria qualquer espaço ( mesmo que fosse para brigar) com esse idiota. Vc se libertou , mantenha distância segura. imagine quão custoso seria qualquer contato com esse marginal.

Lex disse...

Adendo ao Anônimo das 13:30:

Sugerir atitudes vingativas do tipo "bancar uma diva" com um cara agressivo desses é uma péeeessima idéia.

A moça ta bem. Sugiram alguma saída pra ela CONTINUAR bem, e não ter que ficar esperando "o próximo passo" do malucão que ficou p* da vida com a resposta.

Anônimo disse...

essa situação é horrível e absurda, mesmo!
acho que ela deveria bloqueá-lo e ignorá-lo para sempre.
além do mais, ainda que ela consiga uma confissão por telefone ou uma conversa escrita, isso é produzir provas fora do devido processo legal, prática que é vedade no noss direito, então elas não serão aceitas para comprovar nada. o único meio seria se ele confessasse em juízo, o que, pela descriçao de toda a história, ele infelizmente não irá fazer. :(

Anônimo disse...

jessica, não entendi.

vc ia pra cidade dele pra ser estuprada? então, pq vc ia?

acho que já tão forçando a barra também.

leila saads disse...

Uma amiga minha já confrontou seu ex-namorado estuprador.
Ela marcou um encontro em local público (um café), acho que algumas pessoas que ela conhecia estavam em uma mesa próxima e ela o confrontou.

Ela foi muito forte, não sei se teria estômago pra isso.

Mas aqui vai MINHA SUGESTÃO. Você tem uma rede de solidariedade feminina e/ou feminista ao seu redor? Conhece algum grupo feminista da sua cidade? Sugiro que você chegue até essas mulheres (se tiver confiança), conte sua história e proponha um escracho.

O escracho consiste em publicizar o agressor, denunciá-lo em alto e bom som em local público. O escracho é massa e eficiente porque não expõe a vítima, você não precisa estar lá, nem o seu nome precisa ser citado se você não quiser. Rola de distribuir panfletos em locais que ele frequenta com a foto dele e um texto falando que ele é um estuprador. Rola de encontrá-lo em um lugar público (uma festa, por exemplo) e começar a gritar "estuprador, estuprador" e falar pra ele que ele não tem o direito de trepar com uma mina a força etc.

Já participei de um escracho onde o estuprador frequentava todos os lugares que eram em comum entre eles, e a vítima ficava em casa, com medo de encontrá-lo. Fomos atrás do cara, gritamos que ele era um estuprador e falamos para ele nunca mais aparecer naqueles espaços ou a reação seria pior do que gritos e acusações verbais. Eram muitas mulheres, umas 15 ou 20, várias que nem sequer conheciam a vítima, mas se solidarizaram com ela. Isso faz um ano, nunca mais o vi. Por isso acho que pode ser eficiente também no seu caso.

Força, Z., você não está sozinha! =)

Anônimo disse...

Minha opinião:

Se fosse comigo, hoje, eu não tenho mais estômago pra bater palma pra maluco dançar. Nunca que eu ia me econtrar com ele ou algo do gênero.

Ontem eu estava relembrando um caso que aconteceu comigo e que se fosse hoje eu teria ido sim a delegacia, mas é sempre a mesma história: "vc estava lá porque vc quis"; "ninguém te obrigou" etc etc etc que sério, eu preferi bloquear o episódio da minha mente. Vamos dizer que não foi um estupro físico, foi um estupro mental, se é que isso existe. Quem sabe um dia crio coragem e conto o que houve pra Lola.

Se este cara que fez o que fez comigo me procurasse, eu despejaria tudo e mais um pouco, pelo facebook mesmo, porque não tenho estômago pra ver este infeliz sem querer pular no pescoço dele.

E não daria direito de resposta. Bloquearia, a ponto de não deixá-lo ver nada sobre a minha vida e fim de papo. Página virada.

Anônimo disse...

Eu tive um namorado que me estuprou duas vezes (e eu levei anos pra descobrir que era estupro)
Quando terminei com ele, deixei claro que era, entre outras coisas, porque ele me tratava mal e não me respeitava, ainda que eu não tenha sabido verbalizar bem o que eu sentia na época.
Pouco tempo depois eu o excluí do Orkut e ele teve a cara de pau de me adicionar de novo. Recusei e ele veio tirar satisfações. Ignorei. Depois ele me adicionou no Facebook e eu ignorei e bloqueei.
Só depois eu admiti pra mim mesma que o que ele fez comigo foi estupro (da primeira vez eu disse que nao queria e tentei impedir, mas estava bebada e sonolenta, da segunda eu estava desacordada).
Recentemente eu voltei pra minha cidade natal (onde ele mora) e comecei a ter crises de ansiedade e querer evitar sair com os meus amigos. O motivo? Medo, pavor de encontrá-lo. É uma cidade pequena e não tem muitos lugares pra sair aqui.
Já tentei imaginar a cena e não consigo prever como eu reagiria. Não sei mesmo. Ainda que por um lado eu gostaria de confrontá-lo, chama-lo de estuprador (sei que na cabeça dele, transar comigo desacordada não tem nada de mais), mas eu não sei como eu me sentiria e isso me apavora muito.
Talvez eu ainda não esteja preparada pra isso. Nunca falei sobre isso com nenhuma amiga, nenhuma pessoa conhecida, não tenho coragem (nem pras minhas amigas feministas eu contei). É difícil pra mim mesma verbalizar o que aconteceu e acho que se eu o visse, não saberia confrontá-lo. Não ainda.
Se você não se sente preparada pra isso, não faça. Pode ser que fique ainda mais coisa reprimida, por dizer. No seu lugar eu bloquearia e um dia você pode procurá-lo, quando estiver pronta.

Renata disse...

poste o link dessa postagem pra ele como resposta. e depois bloqueie o fb :)

Ella disse...

Um rapaz uma vez tentou me estuprar, eu tinha saído com ele duas vezes. Ele passou dois meses depois me ligando todos os dias - eu não atendi. Não quis dizer uma palavra pra ele.

Sabrina disse...

O estupro de maiores de idade prescreve em 16 anos (pois a pena max é maior que 8 anos e menor de 12 anos)...acho que se eu fosse ela, eu tentaria obter uma confissão. Não é certo uma pessoa desse naipe andar por aí...Se tiver algum amigo/parente de confiança, que seja policial ou algoa assim, e se sentir a vontade para contar o que houve para ele poder ajudar..até para alguma proteção, pois o criminoso voltou a te procurar e ainda teve a pachorra de dizer que sente saudades.

Anônimo disse...

acho necessário que você diga a ele que ele a estuprou. e se ele continua fazendo o mesmo com as namoradas?

Talita disse...

Hoje resolvi ler todos os comentários pra opinar também ^^

Acredito que a Z. deva se perguntar se realmente quer passar por isso, se ela precisa MESMO escrever poucas e boas pra ele pra ficar em paz... Como o pessoal perguntou: Será que ela tem estomago pra aguentar uma possível conversa? Ou pior, um possível: "você tá louca menina?", porque acho que o cara nem imagina que o que ele fez -que pra ele deve ser a coisa mais natural do mundo- está atormentando ela até hoje.
Gostei do pessoal que propôs:
1-) Ele falou que tem saudades? Responda: "Eu não" (acrescente um 'suma da minha vida'). E bloqueie. Pronto.
2-) É melhor ela mandar um "vai se fuder, seu cara de pau" (isso se ela achar que ele sabe o mal que causou a ela) e bloquear.
3-) (Como acho que o mané nem deve ter ideia do que fez e do trauma que isso causou, se ela quer que ele pelo menos tenha ideia disso) Mande o link desse texto para o infeliz e bloquei-o.
Mas o bloquear tem que ser bem bloqueado: bloqueia a amizade, bloqueia a visualização do seu perfil, bloqueia a possibilidade dele te escrever qualquer coisa, bloqueia de vez.

P.S.: Alguém aí propôs um escracho?! Sério que é possível fazer uma coisa dessas e depois não sobrar pra ninguém?
Eu não iria gritar com um desconhecido em um local público por nada desse mundo... por várias razões, as principais: vai que o cara tá armado ou vai que ele tá cercado por amigos boçais que vão sair batendo em todo mundo o.O
Super perigoso isso aí, ainda mais pra cima de alguém que nem deve ter noção do que anda fazendo... muito mais eficaz uma conversa ou intervenções de conscientização do tipo "isso é estrupo" do que sair colando foto dos outros por aí... sei lá, achei drástico demais.
(Não que o criminoso deva ser inocentado, mas que esse tipo de movimentação pode resultar em tragédia, infelizmente temos que pensar nisso =/)

Z. disse...

Ah gente, muito obrigada! Os comentários de vocês me deram coragem. Resolvi despejar o porquê eu não sentia as "saudades" de volta para ele no Facebook mesmo, e bloqueei em seguida! Sem essa de direito a resposta. Ainda fui firme em dizer que não era para me procurar, ou eu colocaria polícia na história.
Vocês são todxs lindxs demais! Me diverti com alguns comentários "dê uma de linda e diva"!
Eu resolvi responder pois eu tenho a impressão de que ele não soubesse que é um estuprador. Sei que ele sabe que é agressivo, mas não "estuprador". Mesmo que não adiante nada, é um bem para a sociedade alguém dizer "hei! você está violando os direitos das moças! isso é crime!". Mas não vou denunciá-lo, vou seguir com a vida, o que eu queria finalmente realizei.
Muito obrigada a todxs pelo apoio, e muito obrigada Lola (sou sua fã e agradecida para sempre!), por ter publicado e olhado essas ajudas para mim! Encontrei sim com amigxs e fiz uma rede que já deixei pronta caso ele venha querer ter contato pessoal.
Um beijo, Z.!

nelsonalvespinto disse...

Na boa, se ele foi o primeiro homem de sua vida é como se você fosse dele É assim que ele pensa, infelizmente.

Pode ser que ele ainda te veja apenas como um troféu a ser exibido aos amigos. Ou entender o sim do convite como um sim para sexo.

Eu te recomendo bloquear e tomar cuidado com "novos amigos" que pintarem no facebook em seguida.

Há o risco dele te ver feliz e passar a atrapalhar sua vida. Como tentar contato com seus namorados, mandar indiretas, etc.

O FB é um lugar para amigos, coisa que ele definitivamente não é.

Sofia L.B. disse...

Oi,
pra ser sincera, não sei o que vc deveria fazer nesse caso, Z. Se tudo der certo a chance é de uma lavagem na alma - mas se der errado, pode ser mto péssimo MESMO. Por acaso vc vai em alguma psicóloga? Se sim, talvez fosse o caso de conversar com ela.

De qualquer jeito, acho que vc tem que estar certa da sua decisão. Mesmo que não seja em um nível de 100%, de 95%. Siga seus instintos, e se possível tenha uma boa rede de apoio - felizmente, a sua mãe parece ser alguém com quem vc pode contar :333 Que bom!

Parabéns por ter conseguido chegar tão longe!


________

p.s.: queria pedir pra vcs assinarem e, se possível, divulgarem:

http://www.avaaz.org/po/petition/Pela_Punicao_da_Pagina_Orgulho_de_Ser_Hetero_no_Facebook/

A gente sabe que o problema é cultural. Caras que estupram que nem o ex da moça crescem num ambiente que faz eles acharem que isso é normal. Mostrar pras pessoas que essas atitudes não são "ok" é mto importante!
Entre as postagens que colocaram e (espero) que apagaram estava se posicionarem a favor da pedofilia, se fosse uma criança do sexo masculino com uma mulher bonita...
Agora, menosprezar/objetificar mulher é sempre, MESMO.

Iara Sindrominha disse...

As vezes trocamos uma emoção pela outra...é tanta raiva que se quer confrontar e ir lá,falar um monte,mas depois que se chega lá aquilo vira uma emoção pior do que a raiva..
Eu passei por um namoro com muita violência verbal e recentemente ele me mandou também um pedido no Facebook,mas resolvi ignorar,porque só de ver o nome dele vomitei.Tive amigos que me aconselharam a ir lá e dizer tudo o que eu sentia,mas minha pergunta é,desde quando um psicopata pode entender o que eu senti?Não pode,então não vale a pena eu me expor,não quero mais saber dessa história.Tento me apoiar em algumas regras de ouro deste mundo,que se paga todo o mal que se faz,espero do fundo da minha alma que ele pague sete vezes o que me fez e quando ele se ferrar,isso eu posso garantir,faço questão de estar na primeira fila aplaudindo de pé,se puder ver,senão já está de bom tamanho ficar sabendo.Pode parecer uma coisa boba,mas as sensações que essas pessoas deixam na nossa vida são tão ruins que ver eles pagando por isso pode ser um grande consolo...

Anônimo disse...

pra que dar motivo pra ele saber da sua vida, ver quem são seus amigos, as pessoas com quem vc convive agora? pra que abrir brecha pra ele entrar de novo na sua vida? eu ignoraria, nem responderia nem aceitaria o cara na minha lista. acho que o silêncio é a melhor resposta. não se esqueça de bloquear suas fotos e sua lista de amigos para pessoas não adicionadas não poderem ver..

Anônimo disse...

adorei a ideia do escracho. é bem eficaz. e o local público é exatamente pela segurança. melhor ainda se tiver pessoas conhecidas. se sempre formos movidas pelo medo não saímos do lugar.

Anônimo disse...

Passei por isso. Deixo quieto. Não acredito que exista confissão levada a sério pelo judiciário num contexto conjugal. Não me exponho, bloqueio de redes sociais e faço terapia. Lá é um espaço seguro do desabafo.

Nícolas disse...

Z, muita força!
Planeje com muito cuidado. Homem ODEIA escandalo em público. ODEIA. Ou seja, ele vai se vingar.

Agora, se você conseguir uma declaração dele e denuncia-lo você vai estar mostrando pra ele e pra todos os machistas desse país quais são as consequências de seus atos fora tirar sabe-se lá quantas futuras "namoradas" desse cara da reta do mesmo destino.

Boa sorte!

Anônimo disse...

Ainda bem a Z. não seguiu os conselhos medrosos de vocês e já mandou uma resposta pra ele. Não adianta mandar ela ficar quieta porque ela JÁ respondeu!

aff falam como se todo estuprador covarde e otário fosse o chico picadinho.

Anônimo disse...

"ou vai que ele tá cercado por amigos boçais que vão sair batendo em todo mundo o.O "

Apenas informando às amigues que BOÇAL é um termo tão racista quanto "denegrir".

Dizia-se do escravo negro ainda não ladino, recém-chegado da África e desconhecedor da língua do país; caramutanje.

Anônimo disse...

A idéia do escracho é boa, mas pode dar backfire. Ele pode perfeitamente entrar com ação criminal por difamação, independente do fato ser verdadeiro e/ou calúnia também, já que descreve-se e atribui a ele um ato criminoso, de estupro, com detalhes. Injúria, xingando o amiguinho dos nomes que ele merece.

Na parte criminal a verdade é que DÁ NADA porque o próprio conjunto das leis penais e processais penais não permitem que alguém seja preso por isso. Duas cestas básicas se muito. Mas ele pode entrar com ação civil por danos morais também. E aí pode ou não ficar "puxado" pra quem escrachou, dependendo da capacidade econômica de cada um. Fora custos com advogados e toda a burocracia.

Além disso, ter uma condenação criminal contra si, ainda que de natureza branda, impede certas coisas na vida civil. Dou o exemplo de concursos públicos, arrumar emprego em que se exige antecedentes limpos etc.

Apesar de tudo isso, eu........... euzinha...........euzinhazinha....... faria a porra do escracho sim e que se dane. Mas achei melhor avisar pra ninguém ser pego desprevenido caso tenha gostado da ideia também. Eu juro que gostei, mesmo com os riscos avaliados.

Maria Valéria disse...

Eu ja tive um ex com quem tive vontade de soltar os cachorros depois.Nao foi por estupro, mas emocionalmente, digamos que o que ele me fez foi tao ou mais grave que isso,Tenho NOJO ate hoje de lembrar que fiquei com esse cara, nem que tenha sido so por dois meses,
Sinceramente,? Nao vale a pena.Me " vinguei" dele de outro jeito,..achando outra pessoa tempos depois e me sentindo uma mulher linda,feminina, desejada.,..nao tem preco e nao tem remédio melhor pra tirar o gosto ruim ...rsrsrsrs vai por mim.
Bjs

MonaLisa disse...

Muito triste com esse post e desejo força pra autora. Se ela tem receio de encontra-lo, é melhor deixar no vácuo mesmo. Gostei da ideia do escracho.

Eu nunca namorei nenhum machista. E não tenho nenhum cara que transei e saiu falando que sou puta add. Nem olho na cara deles na rua, finjo que não conheço.

Quanto a 'meus' estupradores, nunca mais vi o que planejou, e o outro vi umas 2 ou 3 vezes esporadicamente, mas eu passo encarando ele, e como ele sabe que adoro um barraco que começaria a chamar ele de estuprador no menor sinal de reação, ele desvia o olhar.

Anônimo disse...

muito bom saber as leis e consequencias dos nossos atos, mas não foi isso que ele fez quando estupro a Z.

Um escracho era o mínimo que ele merecia, o certo mesmo era ele estar preso. Deixa ele entrar na justiça por ser escraxado enquanto enfrenta acusação de estupro.

A.A disse...

Querida, eu encontro o primo que abusou de mim as vezes, como no velório da minha avó a um ano atrás.
O Homem que me estuprou eu encontrei 2 vezes nos últimos 10 anos e uma das vezes eu perguntei para ele: por que você fez aquilo. Ele estava com uma outra pessoa, disse que não sabia do que eu estava falando, disse que estava com pressa e foi embora.
Eu morro de medo de encontrá-lo, só de achar que estou vendo-o, sinto um gelo terrível.
Não sei se vomitar tudo sobre ele vai te fazer se sentir melhor, ou se ele vai fazer uma confissão.
Eu, neguei um pedido de adição e bloqueei, não quero contato nenhum.
Conte-nos depois o que vc decidiu...

A.A.

barbsm disse...

Z.

Me identifiquei com o teu caso. Tive um relacionamento abusivo durante 9 anos. Obviamente, só fui perceber isso após terminar esse relacionamento e começar a me envolver com o feminismo. Na época do término, durante muito tempo recebi e-mails e mensagens do ex e sempre tive muito receio de como respondê-las, porque ele era agressivo e emocionalmente instável, e eu tinha medo que ele pudesse fazer alguma coisa contra mim, mesmo no âmbito virtual (divulgar fotos ou denegrir de alguma forma minha imagem). Nunca respondi de forma grosseira nem o confrontei, mas sempre deixei bem claro que eu estava feliz com a minha vida de agora e que não queria mais nada com ele. Bloqueei ele no facebook, no msn e no twitter. Depois de um ano e meio, as mensagens e insistências pararam de vir. Mas eu continuei sentindo muita raiva. Continuei tendo pesadelos todas as noites. E continuei sem conseguir falar sobre isso. No início desse ano, depois de mais de 3 anos do nosso término, ele ligou para o meu local de trabalho, para pedir perdão. Eu fiquei muito nervosa e chorei horrores, mas falei tudo o que estava entalado e disse que não tinha como perdoá-lo. Depois disso, ele não me procurou mais e, apesar de eu ainda sentir muita raiva, os pesadelos praticamente desapareceram e eu me senti confiante para começar a falar sobre isso, para contar minha história e tentar ajudar outras pessoas na mesma situação. Eu me senti melhor e mais livre, mas porque ele reconheceu que estava errado. Porque se eu tivesse que bater de frente com ele, discutir, e ele se recusasse a entender a questão e a me ver como vítima, acho que essa conversa não teria me feito bem nenhum. Então eu realmente acho que você deve pesar o que é melhor pra você, analisar se você terá segurança emocional para lidar com isso. Isso, claro, sem falar na questão criminal, que eu não toquei aqui porque acho que há outros comentaristas mais indicados para te auxiliarem.

leila saads disse...

Talita, fui eu que propus um escracho.

Só dei exemplos mais agressivos. Mas os escrachos podem ser de diversos tipo.

Esse que rolou em Curitiba, por exemplo, foi muito lindo, e não houve confronto direto com o agressor:
http://blogueirasfeministas.com/2013/04/a-gente-cuida-uma-da-outra/

É claro que para um confronto mais agressivo, é preciso saber um pouco sobre o agressor antes, ter noção onde se está pisando. No exemplo que dei, do qual participei, foi em um local público, e a maioria de nós conhecia o agressor, sabia onde estava se metendo - não que não possam existir riscos implicados. Mas sempre somos treinadas a fugir do embate, é interessante pensar no escracho como uma forma de empoderamento feminino em grupo também. Pelo menos é assim que eu vejo=)

Beijocas!

leila saads disse...

E Z., QUE MASSA que você formou sua rede. Esse apoio feminino É LINDO e empoderador! Espero que tudo se resolva do melhor jeito PARA VOCÊ - aliás, espero que tudo já esteja mais do que resolvido, flor, e que ele nunca mais ouse te procurar :)

Pedro Pinto disse...

Olha, eu li toda a história e fiquei com um pesar no peito. Sabe, tenho mãe e irmã e se algo acontecesse a elas desse tipo, eu juro que não sei por onde começaria.

Siga tua vida! Não responda! Ignore! Você se levantou e sua vida hoje tem outros valores. Muitas vezes o Passado vem ao Presente pra tentar mudar um Futuro seguro. Não deixe esse Passado mudar seu Presente.

Agora, se essa sua sede de vingança não diminuir, e você começar a perder o sono, a fome e a sua paz por muito tempo...eu infelizmente te dou um conselho ruim . . mas quem vai saber o que é ruim de fato é você, e não os outros: Se vingue! Por que não? Marque um encontro com ele, e mobilize alguns amigos e dê uma surra nele. Deixe ele destruído do mesmo modo que você ficou. Mate essa sede, mas só tenha uma coisa em mente que é um fato: a água q mata essa sede de vingança não é gostosa...é deliciosa..mas ou ela pode amargar a sua boca, ou ela pode fazer você querer toma-la além do necessário.

Se cuide..e se puder.. simplesmente ignore-o.

Anônimo disse...

O que eu diria à moça do guest post é que ela já sofreu o suficiente. E ela superou tudo. Confrontá-lo só adiantaria se a intenção fosse, realmente, denunciá-lo pelo que fez.
Se não, qual o motivo? Olha como ele já veio adicioná-la - chamando de linda e dizendo que está com saudades - ele demonstra que ainda acredita que ela é fraca, submissa, e essa cara-de-pau extrema denota que, muito provavelmente, a intenção dele é abusar dela novamente. Se ele tivesse criado vergonha na cara, ou passaria longe dela, ou já mandaria uma mensagem se desculpando pelo mal que causou, dizendo que ele hoje entende o que ele fez, e lamentando por tê-la feito sofrer. Agora, depois de tudo isso, dizer "oi linda, saudades?". Esse cara é psicopata!
Ou vc o denuncia (afinal, ele pode estar por aí fazendo com outras o que fez com você e talvez elas não sejam fortes o suficiente pra denunciar), ou bloqueia esse cara, reforça a privacidade do teu facebook e garante que esse louco nunca vá saber onde te encontrar... Se ele souber (se vc ainda morar no mesmo lugar/cidade/tiver amigos em comum), eu reforçaria que denunciasse...

donadio disse...

É difícil dar palpite num caso desses. Estupro é um crime grave. Vc confrontaria alguém que tentou te assassinar? Alguém que te assaltou, te apontando um revólver? É mais ou menos o mesmo grau de violência, e, portanto, de risco.

Agora, talvez fosse interessante pesar outra alternativa, além de ignorar ou confrontar, judicial ou pessoalmente. Creio que é possível fazer uma denúncia preventiva na polícia, do tipo "se acontecer algo de ruim comigo, provavelmente foi Fulano de Tal".