terça-feira, 9 de abril de 2013

FEMEN HOMENAGEIA MARGARET THATCHER

Da página do Femen Br no Facebook

Eu não ia falar nada da morte de Margaret Thatcher porque estou incrivelmente sem tempo e porque várias pessoas morrem todos os dias e nem por isso eu tenho que escrever sobre elas (por exemplo, só tratei da morte de Hugo Chávez no Twitter: um político que eu inicialmente achava apenas um populista, e que aprendi a admirar ao ver sua lucidez em todas as entrevistas).
Mas um leitor me enviou um link pro Facebook do Femen (com a imagem que postei aí em cima), fui lá e não pude acreditar no que vi. My eyes, my eyes! Pensei que de repente alguém tivesse hackeado a página. Antes de mais nada, eu sou de esquerda e acho complicado um feminismo de direita (como mudar o mundo sem mudar o mundo?), e tenho uma opinião não muito favorável a respeito do Femen. O que está escrito lá na página do FB (clique para ampliar):
É verdade que Thatcher transformou o Reino Unido. O problema é que não transformou pra melhor, né? Com sua política neoliberal (que o Femen parece aplaudir), a primeira-ministra cortou gastos do governo -- em outras palavras, gastos com educação e saúde -- e bloqueou qualquer tentativa de regulamentar a indústria. Quem acha que o capitalismo não precisa de regras, que as empresas se regulamentam sozinhas, bom, sei lá, sério que vocês ainda acreditam nisso depois de 2008?
Recomendo muito o documentário A Doutrina do Choque, baseado no livro de Naomi Klein. A eleição de Thatcher em 1979, e a de Ronald Reagan, no ano seguinte, foi um sonho para os Chicago Boys como Milton Friedman, ansiosos para implantar seu modelo de capitalismo selvagem em algum país rico, e não numa republiqueta comandada por um ditador plantado pelos EUA, caso de Pinochet, no Chile (aliás, Thatcher nunca abandonou Pinochet).  
Os resultados desse choque liberal na economia foram desastrosos. No primeiro ano do governo Thatcher, as taxas de desemprego dobraram, e houve uma explosão de greves por todo o país. Para Klein, a impopularidade gigantesca de Thatcher parecia provar que a doutrina liberal era odiada demais para ser implantada numa democracia. Só funcionaria numa ditadura mesmo, em lugares onde não houvesse voz para a discordância. 
Thatcher só não perdeu a eleição seguinte porque iniciou uma guerra, e guerras despertam instintos patrióticos e irracionais e unem um país (sempre funciona: foi só assim que George W. Bush conseguiu ser reeleito em 2004, atacando um país que nunca atacou os EUA, o Iraque). A maior parte dos britânicos nunca havia ouvido falar nas Ilhas Falkland, mas Thatcher quis lutar pelas Malvinas durante uma das muitas ditaduras argentinas, em 1982. Apesar da guerra ter durado apenas três meses, foi suficiente para erguer Thatcher das cinzas (pra quem duvida como as privatizações podem quebrar um país, veja o documentário Memórias do Saque, sobre a bancarrota da Argentina).
Porém, o Femen acha o máximo reduzir o tamanho do Estado. Acontece que é o Estado, através dos nossos impostos, que financia creches, escolas e universidades públicas, hospitais públicos, segurança etc. Ser contra políticas de bem estar social é ser contra as mulheres de modo geral, porque a maior parte dos pobres no mundo são mulheres (e crianças). É ser contra negros. É dar um belo dane-se pra qualquer pessoa que não teve a sorte de ter os seus privilégios. 
Não sei se é ignorância do Femen achar que Thatcher foi um ícone feminista (será que o Femen pensa que o filme A Dama de Ferro é um documentário?), ou se esta é mesmo a linha política do grupo (afinal, a líder brasileira orgulha-se da sua tatuagem nazista). Na vida real, Thatcher foi uma notória anti-feminista, que lutou contra os direitos de gays e mulheres. Junto a Reagan, ela foi uma das principais figuras do backlash, a reação conservadora dos anos 80 contra o feminismo -- reação que sentimos até hoje. 
Seria ótimo se todas as (poucas) mulheres no poder fossem pró-mulher. Assim como seria uma maravilha se todas as mulheres fossem feministas, lutando por um mundo com mais igualdade. Mas não é assim que as coisas funcionam. Eu já ficaria mais aliviada se um grupo que se diz (neo?) feminista parasse de dar tanta mancada.

148 comentários:

Thalita Rezende disse...

O desconhecimento histórico de determinados grupos me fazem passar mal de vergonha alheia.

Gabi disse...

eu nao sei, posso estar errada em defender margaret, mas confesso q eu sempre SEMPRE vou admirar o modo com q ela lidou com os homens na epoca, de como ela sim, calou a boca de muitos que acharam q por ela ser mulher ela nao deveria estar ali.
eu nao vejo o fim do mundo privatizar algumas coisas, vide as estradas nao pedagiadas, as escolas publicas e qlqr orgao publico q na minha humilde opiniao nao vai pra frente por um unico motivo: a tal da estabilidade.
la pode ter errado em algumas coisas, assim como qlqr outro chefe de estado comete

Anônimo disse...

O femen não mede meios e aplaude de pé toda mulher mundialmente conhecida, só por ser mulher. Acho que esse gif no facebook não tem nada a ver com ser contra políticas de bem estar social. É pura falta de informação, mesmo, e um apelo burro pro senso comum da causa. "Ah, é mulher? Foi grande? Beleza, vamos homenagear!"
Esse femen tem essa irresponsável tendência e acaba sendo ambíguo em vááários pontos...
Excelente texto, Lola.

João disse...

Pense que temos uma presidenta com capacidade de ser essa mulher que tantos fantasiam sobre Thatcher. Poderiam aprender tanto com a Islândia...

André disse...

Gabi,
Só para quem acha que igualdade é uma mulher ser tão escrota quanto um homem escroto. Embora eu veja sexismo em quem acha que, por ser mulher, ela não deveria ser escrota. Para os pobres, que não podem pagar creche e escola particular, fica difícil a emancipação da mulher sem uma ajuda do estado com as crianças.

Jean E. Costa da Silva disse...

Lola, não se faça de besta. Você sabe que o Femen fez isso por que um direitista disse que Thatcher era uma mulher importante, e como esquerdistas, leigas... elas postaram achando q estavam fazendo alguma coisa boa. Aqui a prova. Femen não tem nada de direita.
http://www.facebook.com/photo.php?fbid=603228743022244&set=a.551196508225468.134269.551192814892504&type=1&ref=nf

Sara disse...

É Lola nesse post penso totalmente diferente de vc, não concordo com uma única linha.
Vejo a Thatcher como uma mulher q rompeu uma barreira, governando um dos paises mais desenvolvidos da Europa, em uma época que rarissímas mulheres chegavam ao poder, e só por isso ja merece minha reverência.
Nossa Dilma recebe todos os dias as criticas mais ferrenhas, muitas delas verdadeiras, mas pra mim, o q me importa que ela esta onde esta, e espero q cada vez mais mulheres cheguem onde elas chegaram.
Eu como ja disse no FB não vou me juntar ao coro que diz que mulher não sabe governar, nem SE governar.

SeekingWisdom disse...

Gente, """""DESCONHECIMENTO""""" né? Por favor! Está mais do que claro que a postura do Femen BraZZZZil é semelhante ao de algumas feministas que acreditam que feminismo de direita muda alguma coisa.

Muda o que filha? Dá direito às mulheres de explorar escravas, oooops, outras mulheres?
Esse tipo de ideologia: feminismo para mim, eu mesmo e eu de novo não tem a menor profundidade e relevância.
Feminismo não é sobre mulher conseguir falar mais alto que o homem calando a boca deles.

E não é o fim do mundo mesmo contribuir diretamente para uma das ditaduras mais cruéis na américa latina! Quem defende o estado enxuto deveria ir atrás das origens do movimento neoliberal, que de novo tem muito pouco, é um movimento de restauração. Após a segunda guerra houve uma mudança de concepção em relação a direitos humanos e democraci, tudo isso foi colocado em cheque com o neoliberalismo - também conhecido por capitalismo selvagem.
Phillipe

Pedro disse...

Veja este documetário:

Ele contrapõe a crise de um país capitalista, a Inglaterra, e a prosperidade de um país socialista, a China, demonstrando como a intervenção estatal determina o desenvolvimento e a riqueza de uma nação.

"A aterrorizante história da dívida trilionária do governo britânico"

http://www.youtube.com/watch?v=8OMFv1bIeEY&feature=g-all-u

Anônimo disse...

Crise de 2008 como prova de que as empresas precisam de regulamentação é dose...
Qualquer pé rapado sabe que foram empresas semi-estatais aliadas aos bancos centrais que fizeram boa parte da cagada.
E não, banco central não é uma empresa separada do governo.

Obviamente que o desemprego dobrou de início, já que o mercado tinha que corrigir as inúmeras ineficiencias que tavam levando a Inglaterra ao patamar de Portugal, mas você não quis falar que logo depois houve um aumento substancial nos empregos e nos salários, não se pode sair de um vício sem primeiro passar pelos efeitos colaterais do mesmo.

Não que você vá ler isso, anyway

SeekingWisdom disse...

Ah, e para xs amigxs ~esquerdistas~ temos uma trilha sonora perfeita para o post - estou amando!! <3<3<3

Dez Canções para Thatcher

Thatcher é a mulher que todo mascu pediu para deus, que deus a tenha.

Abraços
Phillipe

Isabela Candeloro Campoi, disse...

Meus deuses, que moças idiotas essas do Femen! Lola, é de rir!!

Sara disse...

Sinceramente podem criticar o quanto for o FEMEN , mas ele é o único grupo feminista q tenta aglutinar as mulheres mais diversas, não se prende a teorias ultrapassadas, nem tem pretenção de distribuir carteirinhas, para quem entra, basta querer simples assim.
Posso nem concordar com muitos dos protestos q eles fazem, mas vejo q eles motivam as meninas mais jovens a serem ativistas pela causa do feminismo.
Acho profundamente lamentável q muitas feministas as excluam sem contemplação.
Elas tem disposição para se expor e por isso chamam atenção da midia, se fossem instruídas e politizadas por grupos feministas, poderiam ser porta vozes de ideais feministas, mas o q vejo é muita arrogância, alias tenho visto isso demais entre as feministas.

Lilian Soares do Nascimento disse...

Bem, eu sou contra toda política extremada e Thatcher era ultra conservadora, o que gera em si um paradoxo, porque ela é mulher. Logo, o seu conservadorismo é paradoxal. Como tudo, aliás. Só utopias não possuem um lado trágico.

No entanto, essa ideia de que feminismo deve estar vinculado as políticas de esquerda, senão não é feminismo... eu considero bastante equivocada. Feminismo deveria apenas significar emancipação feminina. Mulher como ser humano, como ser político, como sujeito atuante sobre o meio. E nisso Margaret é um excelente exemplo.

Ela pode ter sido contra políticas de esquerda feministas, ok. Mas, ela atuou como feminista, ou seja, como mulher emancipada com poder de atuação. E que poder... Nesse aspecto se o seu poder de atuação foi benéfico ou não, é uma outra questão. Homens e mulheres podem atuar sobre "bons" ou "maus" caminhos. E isso é uma visão bastante limitadora e maniqueísta, sem contar em sua subjetividade julgadora.

"(como mudar o mundo sem mudar o mundo?),"

Nós mudamos o mundo o tempo todo. o mundo de hoje não é o mundo greco-antigo e nem medieval e nem do período das grandes Revoluções... Oque sobrevivem são concepções tradicionais, culturais, que sempre serão misturadas ao poder da mudança, de novas ideias, atuações, técnicas e saberes. Dessa mistura sempre sai algo novo, imprevisível, transformador. Mas, nunca utópico. Haverá sempre espaço para a tragédia, afinal.

Anônimo disse...

É verdade que Thatcher transformou o Reino Unido. O problema é que não transformou pra melhor, né?


Parei de ler aqui.

Anônimo disse...

Ela não se considerava feminista, ela mesmo odiava o feminismo, talvez ela nem soubesse o que era feminismo, e tivesse aquela visão estreita que inumeras pessoas tem sobre. Mas ela atuou como feminista, obviamente não de esquerda, mas ela foi feminista, ela enfrentou homens, mostrou que mulheres podem e sabem governar. Com certeza ela cometeu erros (e qual presidente não comete) ...

Anônimo disse...

Femen fazendo a humanidade sentir vergonha alheia...

feminista capitalista disse...

Só um pequeno off. Sou totalmente a favor de um estado bem menor que esta máquina inchada que temos. Estado gordo não é nenhum sinonimo de eficiencia e muito menos de amparo social, vide a quantidade absurda de cabides de empregos e a quantidade obscena de dinheiro desviado. O Brasil tem de ser grande pq rouba-se muito, só por isto, daria para fazer todas as politicas assistencialistas e de inclusão (e de uma forma muito mais eficiente) com uma fração do estado se ele fosse gerenciado decentemente. Obviamente que isto passo por privatizações, por flexibilizações e perda de privilegios, mas de nada adianta termos inumeros deveres se para sustenta-los temos de uma maquina gorda, ineficiente e completamente corrupta.

Com certeza eu seria classificado de direitista e com certeza me considero totalmente capitalista, defendo o estado minimo, propriedade privada, diminuição da maioridade penal, universidade publica paga, flexibilização de lei trabalhistas, liberdade de imprensa e ausencia de controle externo da imprensa, reforma judiciaria, trabalhista, eleitoral, e outras coisas, ao mesmo tempo sou totalmente a favor das cotas, universidade financiada com trabalho, ensino publico de base de qualidade, creches publicas, equiparação salarial, politicas de inclusão e politicas assistencialistas ... então eu acho q falar que só existe feminista de esquerda é uma visão muito miope do mundo e das possibilidades

SeekingWisdom disse...

Sara,
pouco coerente alguém que não reconhece o feminismo Islâmico vir defender o Femen falando de diversidade no feminismo.

Sobre quem você defende temos:

Dossie Femen

Femen patrocinado por marca de lingerie

Femen patrocinado traduzido

Phillipe

A.H.B. disse...

(repostando meu comentário porque o link estava errado, desculpe!)

Adorei esse post Lola! Ontem estava conversando com camaradas do reino unido e tocando músicas de protesto irlandesas: http://www.youtube.com/watch?v=1bJbeeKBPCU

Tinha que perguntar se as trabalhadoras britâncias acham ela feminista, ou para grevistas que ela reprimiu duramente. Ou se ela estava contribuindo alguma coisa para a qualidade de vida das mulheres africanas ao ser dona de empresas de armas na áfrica do sul ou de extração de diamantes.

Dona Thatcher, há sangue em suas mãos!

Ah, e olha só o que ela pensa de feminismo: The feminists hate me, don't they? And I don't blame them. For I hate feminism. It is poison."

E não gente, não adianta falar que a Thatcher agiu como "uma mulher emacipada" porque tudo que ela fez FOI CONTRA a emancipação das mulheres.

Feminismo NÃO EXISTE num vácuo político.

Caetano disse...

Mais essa... Sob Thatcher, o abismo entre a remuneração de homens e mulheres só aumentou: http://www.guardian.co.uk/politics/datablog/2013/apr/08/britain-changed-margaret-thatcher-charts

Patrick disse...

Quando precisou desenvolver economicamente uma região, as Ilhas Malvinas, por causa da guerra com a Argentina, Thatcher esqueceu tudo que pensava sobre neoliberalismo e promoveu uma reforma agrária radical.

Mordred Paganini disse...

Feminismo de direta, para ser coerente tem que ser meritocrático e portanto, individualista. É o que vença a mais apta!

Boa sorte com isso! manda um beijo pra Thatcher!

Juliana M. disse...

Porra, Sara, já não basta o tiro no pé, agora complexo de vítima?
Que desserviço ao feminismo.

Então, o Femen na verdade aglutina mulheres brancas da elite, jura mesmo que tem diversidade? Se tenta, não consegue, porque só se identifica com o Femen mulheres dentro do padrão de beleza racista e excludente, imposto pela sociedade.
Além do mais, mesmo que não distribuam carteirinha, fazem uma seleção das mulheres que querem entrar... quer coisa mais contraditória?

Acho deprimente que aproxime as meninas mais jovens a serem ativistas, afinal o Femen trasmite uma ideia equivocada do feminismo. Pena que muitas meninas sejam atraídas para esse grupo que é contraditório, incoerente, e com ideais nazistas.

E até onde eu sei, Sara, é você que se exclui, no alto de sua arrogância, por não aceitar as críticas e ser mais humilde. Várias feministas entraram em contato com você, propondo construir, e você continua na defensiva. Lamentável que você negue essa postura prepotente.

Vergonha alheia demais!!!

Luciana disse...

Excelente texto, Lola!

Assim como a Dama de Ferro ("Virgem de Ferro" ou "Donzela de Ferro"), Thatcher é um instrumento de tortura e execução.

Agora entendi pq a mídia divulga tanto o Femen, afinal o grupo defende os interesses conservadores e neoliberais.

André disse...

feminista capitalista,

Nosso estado pode ser ineficiente, mas, em termos absolutos, não é inchado. E as privatizações podem gerar ganhos, mas não são intrinsecamente boas. Depende da área e das regulamentações.

E não faz muito sentido cortar benefícios sociais para atingir um estado mínimo, quando o que mais consome recursos do estado é a rolagem da dívida. Além disso, no governo FHC os defensores do estado mínimo já pregavam a flexibilização das leis trabalhistas para combater o desemprego. Hoje estamos vivendo uma situação de quase pleno emprego (apesar da baixa remuneração) sem que se tenha flexibilizado a lei.

Patty Kirsche disse...

Eu acho que não é porque uma mulher não se assume feminista, que ela não teve nenhuma atitude feminista. A Thatcher enfrentou discriminação pacas, só que ela não podia assumir por ser de direita. Essa gente de direita acha que se reconhecer como minoria é vitimização. Mas de fato ela conseguiu fazer algo grande, lutou pelo que acreditava. A questão é que homens e mulheres cometem erros. Mas quando é uma mulher que comete, aí sempre aparece alguém pra dizer que mulher é incapaz. Tantos homens já fizeram governos repressores e de direita, mas porque uma mulher fez, nas palavras de Morrissey: "jamais haverá outra mulher na política britânica".

lola aronovich disse...

O guest post sobre BDSM (que foi publicado agora por um erro meu de agendamento) será publicado amanhã. E devidamente ilustrado.
NO WAY que eu ia publicar 3 posts num só dia!

SeekingWisdom disse...

Oh para quem fala muito em Estado inchado:

http://www.facebook.com/photo.php?fbid=241655212641138&set=a.157794287693898.37152.157757877697539&type=1&theater

bjs!

Anônimo disse...

O que tem demais lutar contra os direitos dos gays?

Sara disse...

Tantos homens já fizeram governos repressores e de direita, mas porque uma mulher fez, nas palavras de Morrissey: "jamais haverá outra mulher na política britânica [2]

Patty vc tocou exatamente no ponto q eu queria chegar, ja fizeram governos muito mais medíocres q a Thatcher, mas por ela ser mulher , vão bater nessa tecla ad infinitum.
Me da tristeza ver tantas mulheres criticando uma q conseguiu, apesar de TUDO, chegar no topo e abrir espaço pra outras q deveriam vir.
Isso é tudo o q machistas querem ouvir , q somos incapazes.
Juliana não consigo ver de onde vc tirou q tenho complexo de vitima, eu apenas exponho o q penso, se é diferente do q a maioria pensa por aqui, nem por isso vou ser hipocrita e concordar com o q eu não acho certo.
Tb não concordo com uma só virgula do q vc pensa e fala sobre o FEMEN, tenha certeza de q vc não disse a verdade, ou por ter preconceitos ou por não saber.
Até posso concordar q são garotas muito jovens, sem tanta bagagem ou erudição, muitas não são acadêmicas.
Mas sou testemunha de q elas buscam por isso, a Lola tb é, e não poderá me desmentir, embora eu saiba q ela tem muitas restrições ao FEMEN, ela escutou como eu da boca da representante delas, que buscava interação com outros grupos feministas, ela disse q queria aprender de nós, a própria Lola a incentivou a estudar mais sobre o feminismo.
Mas acho q muitas de vcs estão perdidas demais em sua própria arrogância para perceber tudo isso.

ViniciusMendes disse...

Ah bom, Lola! Eu já tava preocupado que ia ter que deixar de trabalhar pra acompanhar o ritmo de atualização novo, haha! xD

Anônimo disse...

Femen virou piada faz tempo.
Fazem qualquer coisa pra aparecer.

Leandro disse...

Thatcher não é ícone liberal de modo algum. Thatcher não cortou gastos, ele AUMENTOU os gastos:

http://www.tradingeconomics.com/united-kingdom/government-spending

Compreensivelmente, o descontentamento básico com o governo aumentou, e o aumento dos impostos locais permitidos pelo "poll tax" foi apenas a gota d'água.

Leandro disse...

A propósito, Lola, dê uma olhadinha sobre como está o Reino Unido hoje, como consequencia do Welfare State dos 13 anos do governo trabalhista.

feministra capitalista disse...

Andre,
no way... nosso estado é ineficiente e inchado, muito inchado e falando com propriedade de causa por já ter sido funcionária publica. Obviamente que há bons funcionários, mas a maioria dos que eu conheci não era, simplesmente empurrava com a barriga.

Hoje temos uma situação de pleno emprego graças ao momento economico, que apesar da crise atual, embalou o governo por quase uma decada com estabilidade e crescimento e bons resultados. Porém o custo para se manter um funcionário é muito alto. A carga tributária é muito alta, principalmente comparado ao que recebemos em troca.

Este estado que temos é inchado, justamente pq perde muito dinheiro de forma ineficiente, é como jogar mais agua dentro da caixa dagua para mante-la cheia ao inves de tapar os buracos.

FHC fez coisas boas ao iniciar o processo de privatização, mas fez coisas erradas ao não ter feito direito o processo. Da mesma forma que lula fez coisas boas, mas tb pisou muito na bola.

E hoje temos uma bomba relogio no colo, o brasil cresceu, mas não tem condições de crescer muito, não temos infraestrutura (maioria sucateada nas mãos do governo), educação continua fraca, não temos mão de obra de qualidade em quantidade suficiente

dependendo do que vc consome, a taxa de imposto é superior a 50% e a pior parte é que forma de tributação no brasil afeta mais os mais pobres.

eu nunca fui petista, mas qdo o lula assumiu eu tive duas esperanças, que ele liderasse um movimento de moralização na politica (o que rapidamente percebi que não iria acontecer, pelo contrário, afundou ainda mais) e que houvesse investimento pesado em educação de base, pq vendo a oposição eu tinha certeza que o lula ficaria no governo 8 anos e com 8 anos de investimento de qualidade eu acreditava que era possivel plantar uma semente duradoura que o proximo presidente pegaria e cuidaria.

infelizmente não foi o que aconteceu. e aos trancos e barrancos vamos indo, engatando um voo de galinha atrás do outro

André disse...

Leandro,

Em geral a "diminuição" do estado acaba restrita ao corte de gastos sociais.

André disse...

Sara,

Você não acha besteira defender uma governante ruim só por causa da opinião de pessoas que não merecem respeito algum?

Anônimo disse...

Lola, pra mim, o Femen é uma estratégia bem desenvolvida p/ prejudicar o feminismo. Um movimento inventado propositalmente p/ acabar com a imagem do feminismo e tornar as pessoas ainda mais preconceituosas ou descaracterizar a base política e transformar o feminismo em em enlatado p consumo. De toda forma perdemos força. Ragusa

André disse...

Nem tão inchado nem tão ineficiente http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_id=16123

feminista capitalista disse...

SeekingWisdom,

eu vi os dados, mas não achei a fonte.. de qq forma vamos considerar que sejam dados reais.

então temos poucos funcionarios publicos em relação a população total, ótimo. mas este dado sozinho não diz muita coisa, estava falando de estado inchado e ineficiente. Em numeros absolutos temos um montão de pessoas, muitas com estabilidade no emprego mesmo que façam corpo mole. Na época de faculdade, haviam muitos professores que viviam faltando, mesmo havendo uma regra (que eu sempre achei mais lenda do q qq coisa) que dizia que tres faltas sem justificativa dava um grande problema.
Então temos um montão de gente, muitas acomodadas, muitas ineficientes, muitas ganhando bem demais para o que fazem, que não podem ser demitidas (até podem, mas é bem complicado) e mesmo assim o trabalho não sai.

Para mim é sim um sinal que é inchado.

mas vamos fazer contas, não estou tentando provar nada, mas só tentar ver melhor estes numeros:

População do brasil em 2010, 195milhoes [1] e o pib do brasil em 2011 foi de 2.477trilhoes

o primeiro colocado na lista passada é a noruega, população de 4.88milhoes (2010) e pib de 485.8bilhoes

agora de acordo com a tabela o brasil tem 8.6% de funcionarios publicos, o ideal seria pegar a força de trabalho e ver o total, mas eu não tenho este dados, pela população total daria uns 16milhoes de funcionarios publicos, e usando a mesma logica a noruega tem 1.43milhoes.

Só falta sabem quanto o brasil e a noruega gasta com seus funcionarios publicos, para tirar mais algumas numeros interessantes.

Alguem acha viavel ter 20% da população do brasil como funcionario publico?
Daria 39milhoes de pessoas.

Eu acho que os 15mi são demais, quantidade não é qualidade como bem sabemos em relação a funcionarismo publico brasileiro.

Outro dado interessante, a renda percapita do brasil é de 12.594 e da noruega 98.102, 7,7 vezes maior, eles tem 3.6 vezes mais funcionarios publicos proporcionalmente ao brasil e tem renda percapita 7.7 vezes maior, ou seja, poderiamos dizer que os funcionarios publicos deles são no minimo 2x mais eficientes, mas se olharmos o valor absoluto de funcionarios publicos, perdemos de lavada temos 11x mais funcionarios publicos e produzindo menos proporcionalmente (afinal a comparação inicial era justamente a proporção)...

ufa quanto numero, quantidade não é sinonimo de qualidade

[1] dados extraidos de http://www.wolframalpha.com

feminista-socialista disse...

Sara: tem mulheres muito capazes e que fizeram coisas boas e memoráveis, e a Thatcher NÃO É uma delas. Ela foi uma pessoa horrível, eu detesto tanto ela quanto o Ronald Regan, para mim são a mesma coisa, não importa o gênero.

Não podemos reduzir feminismo a uma questão de identidade. Temos que admitir que tem mulheres machistas, que agem CONTRA as causas feministas.

Ficar pagando de apolítica, como vc está fazendo, só dá corda para que entristas fiquem se apropriando do femnismo. Não podemos virar um movimento de direita, não devemos ficar comemorando opressores (a Thatcher foi um opressor, ponto final).

André disse...

feminista capitalista,

As estatísticas mostram que sua experiência pessoal não reflete a realidade geral.

Leandro disse...

Pois é, e eu me dei ao trabalho de ler a matéria da Carta Maior citando trabalho de Marcio Pochmann tecendo louvores à burocracia brasileira.

Vejamos o que foi dito:

"Segundo o Ipea, a administração pública é responsável por 11,6% do total de ocupados no Brasil. No entanto, representa 15,5% do valor agregado da produção nacional. “A produção na administração pública aumentou 43,3% entre 1995 e 2006, crescimento que ficou mais evidente a partir de 2004. No mesmo período, os empregos públicos aumentaram apenas 25%. Isso mostra que a produtividade aumentou mais do que a ocupação”, argumentou o presidente do Ipea."

Como assim, minha Santíssima Trindade? O que seria "produção" na administração pública? Governo, por definição, não produz nada; governo utiliza a riqueza alheia para financiar suas atividades, as quais são, também por definição, destruidoras de riqueza. E isso não é ideologia. Dado que o governo não opera dentro do sistema de lucros e prejuízos, e não segue os sinais de preços de mercado, é simplesmente impossível mensurar qualquer tipo de eficiência estatal, muito menos produtividade. Qualquer critério será absolutamente aleatório.

Mesmo um governo gerido por anjos e santos não tem como gerar riqueza, ser produtivo ou eficiente, pois o governo trabalha com o dinheiro que confisca da iniciativa privada e não tem de se preocupar em apresentar lucros. Isso é o básico do básico.

Agora, se a "produtividade" do governo for mensurada de acordo com critérios como número de leis estúpidas inventadas por dia, quantidade de dinheiro confiscado do setor produtivo por minuto, crescimento dos gastos por segundo, criação diária de mais regulamentações que impedem a iniciativa privada de funcionar etc., aí sim, indiscutivelmente o estado brasileiro é um dos mais eficientes do mundo.

cleomachado disse...

Sou Feminista e o Femen não me representa.

André disse...

feminista capitalista,

Como pode 8% da força de trabalho ser responsável pelo baixo PIB brasileiro? Seu raciocínio não bate com os fatos.

Bruna disse...

As senhoras de escravo, então, devem ser as grandes inspiradoras das feministas de direita brasileiras... francamente.... quando penso que estamos indo bem com os avanços dos debates feministas eis que surge um acontecimento como esse e toda a ignorância vem à tona.
Sabe, gente, legal ter uma opinião formada sobre tudo, mas é mais legal se permitir estudar, ler, pesquisar e desconstruir suas opiniões quando elas são baseadas no senso comum e completamente estúpidas, vai por mim, faz bem pro coração, pra pele e pra sociedade.

André disse...

Leandro,

Por seu raciocínio, uma fabriqueta que produza máscaras cirúrgicas é mais produtiva que todos os hospitais públicos do Brasil. Serviços (de segurança, saúde e educação) também são "produtos".

Anônimo disse...

o mal de algumas feministas aqui é que adoram fingir que n existe mulher machista,mulher ruim,criminosa.

A Thatcher foi opressora,não vou defender ela,só porque é mulher.

Julia disse...

Pra mim querem que acreditemos que o Femen foi criado pra prejudicar o feminismo, aí sim elas perderiam força. Olha o comentário do Jean E. Costa da Silva.
A quem interessa que o Femen perca força? Elas sempre estão dando a cara pra bater, protestando. A quem interessa que elas se recolham e fiquem quietinhas?

Anônimo disse...

Citar os países nórdicos como exemplo a ser seguido pelo Brasil é falho por vários motivos. Primeiro, mesmo cobrando altos impostos, os países nórdicos tem um alto nível de liberdade econômica. Eles são abertos comercialmente, respeitam a propriedade privada e não possuem muita burocracia. Quem acha que o "neoliberalismo" foi implantado no Brasil que tente abrir uma empresa. Depois dos 3 meses, de toda a burocracia, do dinheiro gasto com contador, cartório e etc me falem o resultado. Na França e no Canadá, por exemplo, dois países geralmente citados pela boa qualidade de vida e seguridade social, o processo pode ser feito pela internet. É possível abrir uma pequena empresa em mais ou menos um dia.
Acredito que alguém tenha citado a Noruega como exemplo também. Alguém pode me dizer qual a população da Noruega e quantos barris de petróleo (de boa qualidade, ao contrário do nosso) são produzidos por ano?
Mas como eu disse anteriormente, os países nórdicos são às vezes até chamados de "socialistas" por conta dos altos impostos, mas poucos sabem do alto grau de liberdade econômica dos mesmos.
Além disso, a crise na Europa é citada como uma crise do capitalismo. Pergunto-me: quão capitalistas eram os países europeus mais afetados pela crise?
Ao analisarmos o mercado de trabalho da Espanha, por exemplo, onde temos 50% da população jovem desempregada, vemos que é um mercado fortemente regulado pelo governo. O oposto acontece na Alemanha, onde sequer existe salário mínimo estipulado nacionalmente, sendo este negociado entre os representantes das categorias de trabalhadores e os empregadores. Agora digam-me quem está em situação econômica melhor: a Alemanha, que sempre conteve seus gastos, ou Espanha, Itália, Grécia e Portugal, que incharam seus estados, gastaram mais do que podiam e agora culpam o liberalismo pela bancarrota?

Menezesmaia disse...

Margaret Thatcher era pró aborto e pró união entre homossexuais. Bastar pesquisar..

renpmelo disse...

@Bruna "As senhoras de escravo, então, devem ser as grandes inspiradoras das feministas de direita brasileiras."

Xeque-mate.

Cássia disse...

Eu adoro o FEMEN. Já fui do time das idiotas recalcadas que ficavam fazendo o coro do "mimimi movimento vazio mimimi peitos, peitos", até o dia em que finalmente percebi umas coisas importantes e a principal delas é que o ativismo performático funciona muito bem. Estão sempre na imprensa, sambando na cara da sociedade, fazendo com que as pessoas ao menos se questionem "que diabo é isso de FEMEN?" e, na prática, têm uma visibilidade maior que a do feminismo teórico, pulverizado, sem liderança, sem linha definida, perdido entre guerrinhas internas de quem é mais feminista que eu ou você e que também é eivado de inúmeras incoerências. Até eu, fiel leitora do blog da Lola há anos, já li coisas de arrepiar por aqui (e não me refiro aos comentários. Vou citar 3 nomes, pesquise quem quiser: Hugo Chaves, Netinho de Paula e Marjorie Rodrigues). Então não me admira que a Sara Winter tenha as dela, até porque muito jovem e nem por isso deixou-se afetar. Corajosas, as meninas do Femen, que são privadas cotidianamente da tal "irmandade feminina", que só funciona em certos casos mas em outros, ah, bora confiscar a carteirinha de feminista dessas exibidas!

A quem interessa que qualquer movimento feminista se cale?

E por que um movimento feminista não pode ser a favor do estado mínimo? A esquerda não me representa. Vão confiscar minha carteirinha também? Fiquem à vontade.

Anônimo disse...

Lola
você viu esse print?

http://www.facebook.com/photo.php?fbid=603228743022244&set=a.551196508225468.134269.551192814892504&type=1&ref=nf

Alguém disse que "a maior feminista de todos os tempos" tinha morrido, elas perguntaram quem era e logo vieram com um post-homenagem.
Que autoridade tem um movimento/organização que mal checa a veracidade de uma informação antes de reproduzi-la?
Será que elas construíram suas opiniões sobre o feminismo também com base em fontes tão profundas e em extensas pesquisas, como foi demonstrado nessa situação?

Parece-me que a maioria das seguidoras delas no Facebook foi adquirida muito porque elas agiram como o Femen nessa situação: mal sabem o que é e o que prega, mas foram lá e curtiram porque essa ideia de "neo-feminismo", sextremismo ou seja lá o que for parece ser legal/revolucionária.

Lu_ud disse...

Julia,
O Femen Brasil surgiu do movimento ucraniano, que ja tem renome mundial. Por conta disso, ja se iniciou tendo voz na imprensa nacional, tanto pelo nome famoso quanto pela forma de protestar, que faz a festa da imprensa marrom. A gente querendo ou nao, para o publico menos informado, Femen é sinonimo de feminismo. E isso diz respeito sim, a todas as feministas.

Isso poderia ser uma coisa otima, porque da visibilidade pro movimento. O problema é que as garotas do Femen agem de forma aleatoria e sem foco, tem posturas conservadoras contraditorias aos proprios ideais, tem fundamentos neo-nazistas, e se recusam a dialogar com o resto do movimento. A Sara veio aqui dizer que elas sao as unicas que tentam "aglutinar as mulheres mais diversas, não se prende a teorias ultrapassadas, nem tem pretenção de distribuir carteirinhas para quem entra". Considerando que o grupo delas tem uma politica de selecao extremamente excludente em vigor, acho bem hipocrita essa declaracao. E considerando que a maior critica do resto do movimento ao Femen é a falta de conhecimento real do feminismo, dizer com orgulho nao estudar "teorias ultrapassadas" so demonstra a arrogancia que todo mundo critica no grupo, e que elas insistem em dizer que somos nos que temos.

Enquanto o Femen continuar a agir em desacordo com tudo que o feminismo prega, excluir parcelas de mulheres do movimento por nao se incluirem em seus ideias neo-nazistas (como islamicas e operarias), e fingir ficar encima do muro politico quando todos sabem muito bem quais suas orientacoes politicas sao, eu vou continuar a dizer: o Femen nao me representa. E no meu ponto de vista, mais atrapalha do que ajuda o feminismo.

Mário César Mancinelli de Araújo disse...

Precisamos é de mais mulheres como Margaret Thatcher no mundo. Ela reergueu a Inglaterra praticamente das cinzas, botou os sindicatos em seu lugar, fez privatizações e o país cresceu como nunca.

Os empregos caíram no início? Sim. Mas depois decolaram como um foguete, devido ao crescimento da nação.

O estado não tem de ser babá do povo. Tem de dar condições mínimas de igualdade de direitos e liberdade, para que os indivíduos possam lutar por si mesmos e crescer também.

Enfim, o mundo fica um pouco menos economicamente racional com a perda dessa mulher.

maxwellman disse...

Ruim é ouvir a Miriam Leitão dizer que essa bruxa foi a mulher mais importante do século XX.
Marie Curie(única pessoa a ganhar dois prêmios Nobel) e Madre Teresa foram muitíssimo mais importantes que essa senhora.

Idealista Chata disse...

mas Julia ninguem quer que elas fiquem quietinhas..bom...eu não queria isso...não quero..
só queria que elas parassem de fazer lambaças..só isso..

quanto à Thatcher, não defendo mulher opressora só por ela ser mulher..não vejo logica nisso..minha luta eh contra o machismo e não importa de onde ele venha..
e como sou de esquerda luto tbm e principalemtne contra esse sistema imundo em que vivemos..


e agradeço ao ANDRÉ por trazer as informações necessarias para que as pessoas se informem mais...

Carlos disse...

Eu geralmente não gosto das coisas que a Lola escreve, mas dessa vez, para mim, está perfeito. Que piada essa Femen, hein?

H disse...

Pouco conheço da história de Thatcher. Portanto me abstenho de opinar. Mas ninguém mais achou sexista a frase que finaliza a declaração do FEMEN?

"Na política, se você quer que algo seja falado, peça a um homem. Se quer que algo seja feito, peça a uma mulher." (???)

Mirella disse...

A Nádia, do Cem Homens, traduziu um texto sobre a Tatcher. O endereço é

href=Margaret Thatcher e o feminismo


Uma citação básica e direta do que a Tatcher pensa do feminismo:

"As feministas me odeiam, não é mesmo? E eu não as culpo. Afinal, eu odeio o feminismo. É um veneno."

(tentei fazer o link como a Cora ensinou, vamos ver se deu certo hihi. Caso não tenha dado, o link aqui para copiar e colar: http://cemhomens.com/2013/04/margaret-thatcher-e-o-feminismo/ )

Mirella disse...

Não deu certo ahahahahahahaha


Margaret Thatcher e o feminismo

É a última vez que vou tentar, para não ficar floodando a vida.

Anônimo disse...

Pra quem ainda acha que o Femen Br é uma beleza:
"“Nós vamos criar o matriarcado e a revolução feminina”. Matriarcado como oposição ao patriarcado, sextremismo como oposição ao machismo. Simplesmente não há luta por igualdade de gêneros, é querer trocar alho por bugalho. "
http://femenputecidxs.wordpress.com/2012/09/25/dossie-femen/

http://operamundi.uol.com.br/conteudo/entrevistas/24385/femen+brazil+nao+tem+propostas+feministas+acusa+ex-numero+2+do+grupo.shtml

http://www.feministacansada.com/post/40198360147

http://etnografianovirtual.blogspot.com.br/2012/09/nem-todo-nu-e-libertario.html

Protesto contra o BBB, depredação de lojas omo parte de manifesto, aquela imagem horrível de testículos decepadaos? Feministas apoiarem um grupo tão desorganizado desses não me parece coerente, quando elas se decidirem sobre o que fazem aí voltaremos a analisar, apesar de que cada notícia delas que aparece é mais uma besteira pra ser acrescentada a lista das outras que elas já fizeram, tanto que eu não ficaria surpresa se as ~teorias da conspiração~ fossem verdade rsrsrs

Anônimo disse...

Muitxs de vocês estão falando igualzinho aos ~politicamente incorretos~. Criticar o Femen não é querer calá-lo, elas tem muitos problemas bem importantes que devem ser expostos, elas nem se consideram feministas e querem acabar com o "feminismo ultrapassado". E falando da prática, o que elas tem feito que muda alguma coisa? Que políticas feministas elas tem reivindicado de maneira clara nos protestos delas?

Anônimo disse...

São os anarco-capitalistas fazendo escola. E os anarquistas também, aliás.

Embora eu tenha vários amigos anarquistas, acho regressiva a maneira como eles desconsideram qualquer possibilidade de o povo ocupar espaços no Estado.

O Femen é anarco quanto aos costumes e anarco-capitalista quanto à política. Digamos que seja o PSDB do feminismo. E, antes que pensem que viajei, estou usando um partido como metáfora do anarquismo para provocar os anarquistas.

Ta-chan disse...

MEU DEUS!!!!!!!!!!!!!
Nem deu tempo de ler todos os comentários, mas putz, gente defendo o FEMEN...
Dizendo que elas aceitam todas as mulheres que as procuram...
Isso é falta de informação, mente fechada ou desonestidade?
Aplaudir mulheres que conseguem ser mais autoritárias e cruéis que homens, muita vergonha de ler isso.
Essa criatura apoiou uma das ditaduras mais sangrentas da América latina, forçou uma guerra para conseguir popularidade e tentou espremer até o ultimo centavo de países endividados e subdesenvolvidos como o nosso.
Muita, mas muita vergonha mesmo, ver gente chamando esse predador capitalista de "Grande mulher".


Se existe um inferno ou justiça no além, Thatcher, vai queimar.

Mirella disse...

O FEMEN é um movimento de MÍDIA. Simples e puramente. Não estão interessadas em inclusão, quebra de estereótipos, nada. Querem, basicamente, aparecer.
Todos tem o direito de defender o que quiserem, assim como temos o direito de criticar um grupo desorganizado, sem estrutura, excludente e desinformado como o FEMEN que ainda é tachado de "feminista" pela mídia, sendo que o próprio grupo já disse que não é feminista. Diz que é NEO-feminista, apesar de não conseguir definir o que é isto. E o FEMEN me faz tremer de vergonha alheia.
Toda aquela palhaçada de dizer que uma representante havia sido sequestrada quando, na verdade, ela apenas havia decidido ir embora meio que encerrou qualquer viés de seriedade que o grupo pudesse representar, para mim.
Também acho que, apesar de a Tatcher ser conservadora, antifeminista e coisa e tal, isto não a impediu de ser alvo de misoginia por parte de um montão de gente, que colocou na conta de ela ser mulher a ruindade de seu governo.
Tatcher foi uma governante ruim e acabou, assim como CENTENAS de homens também o foram. Mas ninguém ficou traumatizado com um homem branco no governo de algum país, né? (a Feminista Cansada apontou isto no twitter, ontem). Collor foi uma bela porcaria e ninguém disse AI OS HOMENS BRANCOS BONITINHOS SÃO INCOMPETENTES E LADRÕES.
Homenagear Tatcher exclusivamente por ela ser mulher é como criticá-la exclusivamente por ser mulher. Isto não deveria fazer a MENOR diferença num cargo público, e o fato de fazer só prova como o machismo e a misoginia são uma bela de uma porcaria.

Idealista Chata disse...

e eu que entrei no site do femen agora..pensei..vou me candidatar vou entrar pra ver o femen por dentro...
pra ver se da pra falar bem..pra salvar o movimento...
quase desiti quando lembrei que o endereço do site eh Femenbrazil com Z..

mas resisti...mas foi como estar em cima de um toro mecanico..por mais que vc queira vc vai cair..no caso sair..sair correndo do site..jesus..o que é AQUILO???

sextremismo??
meninas murchando a barriga pra sair gateeenha nas fotos com seus polemicos mamilos de fora???
que bostaaaa


espero mesm oque mulheres com mais estomago que eu entrem e dominem(no bom sentido) o Femen...façam ele ser de fato um movimento feminista..por que no momento.., na minha opinião, ele não é...

ainda mais se não consegue nem respeitar a forma correta de escrever o nome do pa´s procurando americaniza-lo..

Anônimo disse...

Apenas não consigo imaginar a Thatcher mostrando os seios numa manifestação

Anônimo disse...

Pura falta de informação, de base, de conhecimento.
Me desculpem, mas por isso que estes grupos não ganham espaço e respeito.
Não adianta sair por ai protestando com os peitos de fora e sem nenhum conhecimento de causa.
O Femen (Brasil) caiu por terra pra mim quando foram (2 integrantes) protestar contra o BBB em um shopping em SP. Não assisto BBB, não gosto, acho inútil, mas acho mais inútil a atitude de protestar contra uma coisa idiota dessa.
Há muitos direitos para serem conquistados e ainda mais por nós, mulheres. E um grupo que era para defender estes direitos perde tempo com coisas desnecessárias.
Vamos cobrir os peitos e mostrar mais e melhores idéias e conhecimento.

Moema L disse...

~Momento vergonha alheia~

Conclusão do dia
Femen é anarcomiguxo....


Defender a Thatcher só porque ela é mulher é muito doido, não faz sentido não...

Huan Icaro Piran disse...

Não me interessa qual a genital de tal neo liberal fascista e facínora. Sorrirei por meses com a ideia de privatizar o velório e sinto que o munto veio a se tornar um lugar melhor sem ela.

Alias, já falei aqui uma vez que minha luta pela liberdade me torna inimigo de quem a combate, independente da bandeira, certo? FEMEN não representa liberdade, então não importa sua bandeira, não tem meu apoio ou simpatia.

Juliana M. disse...

Lu_ud, concordo com você. Foi exatamente isso que eu quis dizer com meu comentário.

complexo de vítima é assim, Sara "ai, mimimi, as feministas me excluem! sofro discriminação das feministas! elas são arrogantes e não me reconhecem! mimimi"

Acho engraçado que a Sara nunca responde sobre seu posicionamento neonazista, nem confirmando nem desmentindo. Aliás, tenta convencer que podemos fazer um 'feminismo diferente', o que na verdade significa que está tentando empurrar goela abaixo que neonazismo pode ser ligado ao feminismo. Incoerência é pouco!

Até quando, Sara, você vai ficar argumentando coisas vazias do tipo 'eu penso diferente', 'não concordo com vc'? Po, se posiciona, então, minha cara!! Qual é o seu posicionamento?? É só ficar contra quem critica o FEMEN?

Seja mais humilde. O Femen tem diversas falhas e incoerências. Ficar valorizando uma mulher poderosa, que foi contra o feminismo, apenas por ser mulher, é uma ignorância, admita.

Acho que vocês estão querendo a mesma coisa com o Femen, que valorizem vocês apenas por serem mulheres. Mas, no fundo, falta embasamento e posicionamento claro, o que é muito ruim para um movimento político.

Ficar de topless não está mais sendo efetivo. A mensagem de vocês não está sendo passada, apenas a estética. Que tal reelaborar a estratégia? Que tal estudar mais e produzir textos?

Marcelly disse...

gente...é impressãominha ou tão confundindo a Sara que comenta aqui com a Sara do femen?


to confusaaa..
uhAHUAuhaUHAuha

Anônimo disse...

A senhorita julga que alguém que deseja a igualdade de oportunidade entre os gêneros está obrigada a ser socialista?

Lamento, Moça, você é machista.

André disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rafael disse...

Lamentável que alguns comentários tentem associar MECANICAMENTE e de maneira preconceituosa e caricata o FEMEN ao anarquismo. Sou integrante de uma organização anarquista. O anarquismo é socialista, libertário e classista. Assim como não pode prescindir do feminismo! Falar que o FEMEN é anarquista é uma calúnia! Não combatam uma sandice com outra! Os anarquistas estão modestamente nas barricadas do capital, contra o ESTADO e os EMPRESÁRIOS, mas nunca, repito, nunca, apoiando nenhum "estado mínimo". Sempre que os direitos dos trabalhadores são atacados pelos neo-liberais, a posição dos anarquistas é defender as conquistas dos trabalhadores, que se foram "garantidas" pelo ESTADO, são fruto da luta e organização popular. O anarquismo não tem nenhuma ligação com o liberalismo historicamente falando. O anarquismo surge da luta popular no interior da organização dos trabalhadores e trabalhadoras. É muito oportuno nesse momento de confusão destilar o ódio, a desinformação e as caricaturas políticas como estratégia de reforço de velhos preconceitos. Anarquismo é luta, igualdade de gênero, classismo e anticapitalismo!

Sara disse...

Sabe qual o problema q eu vejo Juliana algumas feministas querem criar ou se apropriar do feminismo pra um grupo hermético de acadêmicas, de pensamento totalmente uniforme e fechado a qualquer possibilidade de discordância.
É totalmente em vão tentar argumentar com vc por ex. ,(sei q estou perdendo meu tempo) pois vc ja tem a sua forma de raciocinar o mundo, como superior e infalível.
Pessoas como vc não se dão ao trabalho de ouvir outras q tem outras soluções e maneiras de ver o feminismo, pq partem do principio que vcs são as donas da verdade, pq leram alguns livros específicos e acreditam em algumas doutrinas que até ja perderam seu apêlo na atualidade.
Eu não estou dizendo aqui , q estou isenta de pensar assim tb, todos sabem que tenho questões q ja estão fechadas no meu entendimento, mas estaria disposta a passar por cima de minhas convicções em prol da união do maior número de mulheres possível, pois acredito firmemente q só atravéz dessa união é q reformaremos esse mundo injusto.

Anônimo disse...

pq na China a mulher é muito respeitada, né? direitos humanos maravilhosos na China.. aham...

André disse...

Mário César,

Meu comentário entrou sem querer.
A Inglaterra não era praticamente cinzas. Veja que o crescimento do PIB Inglês tem se mantido no mesmo padrão nos últimos 50 anos (selecione a data de início em 1960 em http://www.tradingeconomics.com/united-kingdom/gdp-per-capita). Por menos que eu goste de sindicatos, esmagar o movimento sindical e privatizar não é um bem em si, depende das consequências. No caso inglês, aumentou o desemprego (selecione a partir de 1971: http://www.tradingeconomics.com/united-kingdom/unemployment-rate) e a pobreza (http://3.bp.blogspot.com/-UejeduDqG2s/UWL-KUNZvnI/AAAAAAAAJ5w/Wt2j_LiwkrE/s1600/%C3%8Dndice+Gini.jpg). E veja que os empregos caíram no início, mas não decolaram depois como um foguete, houve uma redução do desemprego a partir de 1987, mas voltou a aumentar no fim do seu governo.

Sara disse...

Marcelly é proposital, acham q me chamando de Sara do femen estarão me ofendendo, lêdo engano, admiro a Sara apesar da pouca idade, acho ela uma garota muito corajosa, ela e as outras garotas do FEMEN só necessitam se orientar melhor, mas infelizmente em vez disso só recebem preconceitos e muitaaa arrogância.
As maiores vitimas do machismo no mundo são justamente mulheres q tem pouco acesso a educação, o discurso de grande parte das feministas esta a anos luz da realidade dessas mulheres, o FEMEN tão criticado esta muito mais próximo dessa realidade.
Me acusam de mimimi, mas o q mais se pode classificar o amontoado de mentiras que divulgam sobre o FEMEN num suposto dossiê, como se isso fosse um livro sagrado da verdade, q não pode ser contestado.
Ja vi diversos dossiês falando absurdos sobre feministas inclusive a Lola, pq estão na internet formalmente escritos , devo acreditar neles ????
E mais criticam a obra inteira de John Lennon por uma atitude estupida q ele teve na vida, criticam o governo da Thatcher como tendo sido o mais cruel e sadico da história, esquecendo de q pra muitos ele não foi tão ruim.
O q eu quero dizer é q algumas feministas tem um padrão do q seja bom e aceitavel, e quem não estiver nele é considerado lixo.
Vcs muitas vezes esquecem q somos humanos (muito passíveis de erro) e vcs tb são, eu tenho meus esqueletos no armario, mas DUVIDO q alguem não tenha os seus, inclusive vcs e a Sara do femen tb.

Lu_ud disse...

E Sara mais uma vez vem aqui dizer que nos é que nao queremos dialogar, que nao queremos escutar, que nem adianta discutir conosco, e mimimi pobre de mim que penso diferente. E arrogante somos nos.

Ainda estou rindo do "grupo hermetico de academicas", nao sei se seria uma ofensa ou um elogio. Infelizmente, pra mim (e acredito que pra um monte de gente aqui) nao seria nada, ja que meu feminismo esta longe de ser teorico, e meu conhecimento academico é praticamente nulo.

Sara, ao invés de subir no pedestal de vitima incompreendida (mais uma vez), que tal voce dizer quais sao essas suas ideias assim tao diferentes? Engracado voce dizer que discordamos cegamente das ideias do Femen, quando o problema é exatamente que ninguem nem sabe quais sao elas!!! Voce é que veio aqui dizer que nao adianta falar o que pensa pra nos porque nao ouviremos, e depois nos acusa de nao estarmos abertas ao dialogo? Desculpa, mas esta faltando coerencia nesse seu discurso.

Que tal voce comecar do comeco e dizer quais sao essas novas "solucoes e maneiras"? Ou sera que nem voce sabe?

Lu_ud disse...

Ah Sara, so pra completar, nao da pra "desconstruir" aquilo que a gente desconhece. Voce mesma afirmou desconhecer a teoria do feminismo, como pode dizer que ela é ultrapassada se nao sabe nem do que se trata? E como voces pretendem construir um "neo" feminismo, sem entender o que feminismo é, pra comeco de conversa? Como, pelo amor de todos os deuses e deusas, voces pretender revolucionar algo que ignoram?

Depois as hermeticas somos nos.

Marina P disse...

Gostei muito do comentário da Lilian Soares, acho que é o que chega mais próximo à minha forma de pensar.

Na minha forma de ver, o feminismo não pode necessariamente ser associado com a esquerda, nem com a direita, nem com centro, etc. O feminismo quer o empoderamento e a emancipação da mulher e acho que nisso é que precisamos estar de acordo. Acho que podem existir feministas de todos os tipos e percebo que há muita fraturas no movimento porque as pessoas ficam tentando definir o jeito certo de ser feminista. Por mais que as pessoas digam "Eu penso que só tem sentido ser feminista assim ou assado MAS eu não estou querendo cassar a carteirinha de feminista de ninguém" a impressão final que eu tenho é de que tem feministas que o movimento feminista tende a não reconhecer como tal e que tem muita "cassação de carteirinha" rolando sim! E isso tudo é tão complicado... É aquele velho dilema: como conseguir criar algo que tenha uma identidade sem ser rígido demais e, portanto, excludente, mas também sem cair num relativismo completo, o que esafacelaria o movimento? Tudo me leva a pensar que que essa é uma questão importante para o feminismo. Sempre existirão "guerrinhas" internas, mas até que ponto essas discordâncias são um sinal positivo da diversidade dentro do movimento e quando começam a se tornar mais importantes que o próprio movimento?

Eu tenho pouca informação sobre o Femen, mas posso dizer que não me identifico com o grupo pelo pouco (pouqíssimo) que sei dele. A impressão que eu tenho é de são um monte de meninas bem novas e empolgadas que não têm um posicionamento muito coerente. Também sinto falta de mais transparência, pois tenho dificuldade para acessar informações mais aprofundadas sobre o grupo. Eu precisaria realmente conhecer o Femen para poder afirmar que essa minha impressão corresponde à realidade.

Fora isso, e agora falando diretamente sobre o post, eu tenho uma relção agridoce com a figura da Margaret Thatcher. Discordo de muita coisa, concordo com algumas... enfim... eu a admiro por ser uma mulher que chegou ao poder, principalmente naquela época. Mesmo não concordando com muito do que ela fez, acho que ter chegado até lá já foi uma conquista.

Sabe, eu leio todos os comentários de todos os posts e tem alguns comentaristas que estão aqui sempre, então a gente aos poucos vai conhecendo as pessoas. Nessa semana, dois comentaristas de quem eu costumo discordar em muita coisa, fizeram comentários (em posts diferentes) que estão em total sintonia com o que eu penso. Em outros assuntos a gente costuma bater de frente. Eu acho que o feminismo suporta isso numa boa, sabe? Por isso me irrito quado vejo alguém dizer que não tem lógica ser feminista e pensar assim ou assado. A não ser que alguém esteja defendendo que as mulheres continuem fazendo mingau, tomando toddynho em casa e obedecendo aos homens, acho que dá pra gente debater numa boa e tentar lidar melhor com a alteridade. Todos, inclusive eu.

SeekingWisdom disse...

Pessoas,
só quero deixar um comentário de indignação com a indeferença.
Como muito bem disse o André, a lógica miguxa de que o desemprego foi um impacto inicial para um crescimento posterior não cola.
Não vou ficar em masturbações numéricas nessa caixa de comentários, pois não é produtivo.

Contudo, o recado é o seguinte.
Pouco me importa se houve crescimento econômico de um país (o Brasil teve um milagre econômico durante a ditadura, e?) se esse crescimento econômico se deu às custas do sofrimento da população. Vidas humanas não são moeda de troca! O sofrimento, fome e desespero causado pelo desemprego não são aliviados! O sentimento de perda das pessoas não pode ser recompensado. A morte de Thatcher me fez perceber uma coisa: os trabalhadores sabem o que significou seu trabalho e quanto sofrimento ele causou.
O período da ditadura no Brasil aumentou o abismo econômico entre ricos e pobres. Ele foi bom para as elites, que até hoje parecem sonhar com o tempo onde suas ideologias nefastas não eram contestadas. Parem de usar essa desculpa esfarrapada de crescimento posterior que, além de falaciosa, negligencia o sofrimento humano!

Para reflexão,
Phillipe

Moema L disse...

@ Rafael

Não sei se foi comigo, mas a minha intenção não foi associá-las ao anarquismo de fato, se pareceu isso não foi minha intenção mesmo.

Eu coloquei anarcomiguxo pensando nos anarcocapitalistas, libertários, e ...

foi nesse sentido.

Sara disse...

lud ud , se ta me tirando né??
tudo o q qualquer um vier falar aqui q não esteja dentro do que VC acha justo e direito, sera automaticamente desclassificado como sendo fruto de ignorância, mimimi, de extrema direita, e outras pérolas menos cotadas.
As vezes isso cansa, hj por ex cansei....

Anônimo disse...

"...quanto à Thatcher, não defendo mulher opressora só por ela ser mulher..não vejo logica nisso..minha luta eh contra o machismo e não importa de onde ele venha..
e como sou de esquerda luto tbm e principalemtne contra esse sistema imundo em que vivemos..."[2]

Anônimo disse...

Gente, a Sara que está debatendo aqui não é a do femem braZil, não!

Lu_ud disse...

Sara, ate agora voce nao disse nada, entao como vou discordar de voce? So o que voce disse (e repetiu de novo e de novo) é que nos nao queremos escutar. Fica dificil escutar quando nada é dito.

Eu concordo com a Marina P., nao da pra "tirar a carteirinha de feminista" de alguem por discordarmos desse alguem em um ponto. O movimento é bem amplo e flexivel pra englobar todos os pontos de vista, inclusive os de extrema direita (e teremos que aprender a lidar com todas as contradicoes que isso cria).

Acontece que numa coisa todas as vertentes feministas concordam: feminismo é a luta pela igualdade. PONTO. Agora, um movimento que prega o "sextremismo" como oposicao ao machismo, e usa imagens de testiculos decepados como forma de comunicar seus ideais, esta muito, mas MUITO longe de buscar a igualdade. Um movimento que diz querer usar a exposicao da midia a favor do feminismo, e faz isso depredando lojas, nao tem coerencia. Um movimento que diz que a exposicao do corpo é uma ferramenta de protesto feminino, e usa isso pra protestar contra o BBB, nao entendeu nada. Um movimento que afirma querer integrar todas as mulheres, e por principio exclui as islamicas, esta sendo hipocrita.

Eu disse e continuo dizendo, o FEMEN nao me representa. E nao porque ele nao siga "teorias", mas porque ele nao é coerente, transparente nem igualitario. E pra mim, isso é o basico de feminismo.

Anônimo disse...

"As maiores vitimas do machismo no mundo são justamente mulheres q tem pouco acesso a educação, o discurso de grande parte das feministas esta a anos luz da realidade dessas mulheres, o FEMEN tão criticado esta muito mais próximo dessa realidade."

Sara, aponte essa "realidade das braSileiras" e onde o femen braZil se aproxima.

Será que as mulheres braSileiras precisam de protestos contra BBB's? Ou de depredações de lojas?

Fala sério, Sara!

Defender uma mulher que fez um governo escroto só por ser uma mulher é a coisa mais estupidamente sexista que já ví.

Anônimo disse...

O Brasilzão, que acata sem pestanejar a agenda neoliberal, destina quase 50% do orçamento geral da União (OGU)à dívida pública: http://www.auditoriacidada.org.br/wp-content/uploads/2012/04/Numerosdivida.pdf

Pra quem tem dúvidas de que o neoliberalismo é uma doutrina que visa manter os países subdesenvolvidos na condição em que se econtram, sugiro que leiam o livro
"Chutando a escada" do economista coreano Ha Joon Chang. O livro é de fácil leitura, mesmo pra quem não entende nada de Economia, como eu.
Vai uma prévia: http://books.google.com.br/books?id=smxW2ShQ4y0C&printsec=frontcover&hl=pt-BR#v=onepage&q&f=false

Quanto à Margaret Thatcher, foi tarde demais...No fim de seu mandato, a Inglaterra enfrentou altas taxas de inflação combinado com desemprego alto,comprovando que a agenda neoliberal visava a aceleração do processo de financeirização da economia em detrimento do setor produtivo, além de ser, na verdade, uma das responsáveis pelo blackash, junto com o Reagan e o Jão Paulo II...

Lu_ud disse...

Anonimo 15:29, a gente sabe.

Anônimo disse...

Veja só as mascáras estão caindo, hein!?

Espero que as nossas neo-feministas que agrupam o máximo de mulheres e blá blá blá, não se esqueçam do aniversário da Marine Le Pen. É dia 5 de agosto. Beijos, Sara!

Sara disse...

lud ud ]
não devia mas , ta me dando coceira, depois de tudo o q eu falei nesses comentários, tuuuudo.
Vc vem dizer q eu não disse NADA???? percebe o egocêntrismo???
Então pq vc fica contestando tanto o q eu falo??? esta contestando o que????se eu não disse nada.
Tb gostei do comentário da Marina P, pelo menos é razoavel e leva outras opiniões em conta.
Mas quer saber vc disse uma frase q pra mim é a mais importante no feminismo, mas q infelizmente é bem pouco levada em conta.

"Acontece que numa coisa todas as vertentes feministas concordam: feminismo é a luta pela igualdade. PONTO." lud ud [2]

Porque não deixar o q nos une em evidência, em vez de ficar tentando impor as ideias de um grupo q nem é tão expressivo assim?? mas q certamente tem mais embasamentos acadêmicos (nem sempre muito uteis e factíveis).

*Renata disse...

Eu queria perguntar antes, mas, só agora lembrei.
A Sata Winters tem uma suástica nazista tatuada? Me lembro de ter visto um trevo... ou estou enganada? Ela tatuou por cima?
Ah sim, cerejas também (símbolo do hedonismo).
Ela própria adimitiu que era uma suástica nazista?!

Conheço gente que tem suásticas hindus, budistas e afins tatuadas (que não têm relação NENHUMA com a suástica nazista), mas, por serem praticamente iguais (apesar de terem vários modelos) as pessoas ficam assustadas quando vêem!
*Não tô dizendo que é o caso da Sara Winter.

Até =]

Julia disse...

Como assim o Femem exclui muçulmanas? Protestar conta a Sharia é exluir muçulmanas?

A maioria dos comentários desencando o Femen fala sobre uma suposta seleção de mulheres que elas fazem lá dentro mas eu já vi mulheres de todos os tipos nos protestos.

Fala sobre elas mostrarem os peitos.. humm isso é sexismo, não?

Fala sobre as escolhas dos protestos delas.. sério que vcs acham que menosprezar o protesto alheio é legal? Vivem fazendo isso com a gente, né?

Sobre elas terem depredado uma loja.. derrubaram uns manequins na Marisa, foi isso? rs

Sobre a ignorância delas.. isso não é motivo para excluí-las. E isso claramente foi o que aconteceu no caso da homenagem a Thatcher no facebook.


Eu não ia ficar feliz se o Femen saísse de circulação, inclusive na Europa elas fazem muito mais barulho, mas conheço uma galera que ficaria.. tipo os mascus, machistas, misóginos e o pessoal que defende a moral e os bons costumes.

Sara disse...

Entre tantos grupos q tem o machismo como espinha dorsal, "feministas" escolhem um grupo feminista "diferenciado" para malhar o judas.
Entre tantos governantes perversos, e corruptos, "feministas"escolhem a Margareth como a besta do apocalipse.
Isso não soa estranho???

Lu_ud disse...

Olha Sara, me dei ao trabalho de reler todos os seus comentarios. Tirando sua opiniao sobre a Thatcher, o que voce disse de relevante foi:

"Sinceramente podem criticar o quanto for o FEMEN , mas ele é o único grupo feminista q tenta aglutinar as mulheres mais diversas, não se prende a teorias ultrapassadas, nem tem pretenção de distribuir carteirinhas, para quem entra, basta querer simples assim.
Posso nem concordar com muitos dos protestos q eles fazem, mas vejo q eles motivam as meninas mais jovens a serem ativistas pela causa do feminismo.
Acho profundamente lamentável q muitas feministas as excluam sem contemplação.
Elas tem disposição para se expor e por isso chamam atenção da midia, se fossem instruídas e politizadas por grupos feministas, poderiam ser porta vozes de ideais feministas, mas o q vejo é muita arrogância, alias tenho visto isso demais entre as feministas."

Fora isso, foi voce reclamando que nem adianta falar nada que nao iamos escutar, e que somos academicas hermeticas e arrogantes. Perdi alguma coisa?

Ou seja, basicamente voce disse que o FEMEN é o unico movimento feminista inclusivo e nao-burocratico, que atrai as meninas jovens e nao tem medo de se expor na midia. Bom, tirando a parte do "inclusivo" e do "unico", ninguem aqui negou nada do resto. Mas isso continua nao explicando quais sao as novas ideias tao revolucionarias das quais voce falou, nem o que faz o FEMEN tao diferente de todos os outros movimentos feministas "academicos" e "teoricos" (juro que estou tentando lembrar de um unico coletivo feminista que seja academico e teorico e nao consigo, mas se voce diz que tem é porque deve ter ne). Tampouco explica as incoerencias do movimento, que eu e mais meia duzia de outras pessoas apontamos.

Lu_ud disse...

Eu nao quero que o FEMEN saia de circulacao, eu quero que elas tenham coerencia e transparencia, saiam de cima do muro e assumam suas posturas politicas.

Quanto ao islamismo, o FEMEN internacional como um todo tem uma postura anti-islamica e parece nao entender a diferenca entre opressao feminina em paises radicais, e seguir a sharia por escolah propria. Inclusive houve a pouco tempo um movimento das mulheres muculmanas nas redes sociais respondendo ao FEMEN, o "Muslimah Pride Day", em resposta ao "Topless Jihad Day". E pra quem acha que o FEMEN Brasil é diferente, basta entrar na pagina de Facebook deles e acompanhar a discussao que rolou a respeito do protesto na frente de uma mesquita sunita durante o "Topless Jihad Day".

Uma das comentaristas (muculmana) resumiu bem a briga toda:

"Espero que tenha ficado claro que muitas mulheres optam pelo véu e são felizes assim e devem ser respeitadas assim.

Lutar contra as imposições de partidos políticos que se dizem muçulmanos deve ser feito com a compreensão de que isso não é o Islam, portanto não façam manifestações assim em mesquitas brasileiras que não impõe nada á ninguém, pelo contrário, estão ali quietinhos tentando sobreviver numa sociedade que não os aceita.

O direito da mulher é de ser aquilo que se é, dona de sí, de seu corpo e sua mente, com toda sua beleza e delicadeza.

Expor o Islam como algo péssimo é violento contra a gente.

(...)

Podemos lutar juntas contra qualquer tipo de imposição, mas só conseguiremos isso se nos respeitarmos primeiro. Eu respeito seu nudismo, vc respeita meu véu, ai podemos tentar conversar sobre como atingir os governantes que impôe véus."

Leandro disse...

André disse...

Leandro,

Por seu raciocínio, uma fabriqueta que produza máscaras cirúrgicas é mais produtiva que todos os hospitais públicos do Brasil. Serviços (de segurança, saúde e educação) também são "produtos".

9 de abril de 2013 23:19

______________________________________

E qual a tese para negar isso? Apresente-a. Apenas ficar em informações vazias não configura debate intelectual, muito menos vitória. Como você mensura a "produtividade" de um hospital público? Apresente seus critérios.

O mesmo se aplica a serviços como segurança e educação. Como você mensura a produtividade deles? Gostaria de saber.

Gastos com serviços de segurança (públicos ou privados) são DESPESAS NEGATIVAS; não se cria riqueza genuína neste processo. Gastos gastos com médicos, gastos com divórcios, gastos com a defesa nacional, etc. — tudo isso é DESPESA NEGATIVA (o que não significa de modo algum que não sejam necessários); tais gastos não geram riqueza e nem bem-estar econômico para a sociedade.

Se alguém quebrar o vidro de sua casa, o gasto em que você incorrerá para repô-la é produtivo? Do meu ponto de vista, após este gasto, você simplesmente terá retornado ao estado em que você estava antes de quebrarem os vidro (só que agora você estará mais pobre). Qual foi a riqueza criada neste processo? Só houve destruição. Você gastou apenas para retornar a um estado anterior. Gastos com saúde e segurança são a mesma coisa.

Já gastos com educação são mais complexos de ser mensurados (não há uma maneira definitiva de se fazer isso; mas o que se sabe com certeza é que, no Brasil, eles são altamente improdutivos, já que nossas escolas sao meios de doutrinação socialista).

Por fim, há um artigo no Instiuto Mises Brasil sobre esta questão da "produtividade" do setor público, refutando a Carta Capital. Recomendo a leitura para entender melhor tais conceitos:

http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=1395

Rosanna Andrade disse...

Sara

o problema eh que o Femem declaradamente não luta pela igualdade, mas pelo "sextremismo". Nao pode ser usado como um argumento de algo em comum com o feminismo acadêmico.

Rosanna Andrade disse...

Os machistas tanto detestam o Femem, que a playboy convidou Sara Winter para uma entrevista...

Rosanna Andrade disse...

E sobre coments que criticam o Femem por usar a estrategia de mostrar os seios:

Seria slutshaming se fosse parecido com o que o pensamento mainstream faz com a Marcha das Vadias. Soh que eu nao senti esse tom por aqui, mas uma critica por mostrar o corpo sem deixar claro pelo que lutam, quais suas bandeiras, dando uma impressao de que eh para chocar e nada mais. E tbm um questionamento se isso esta funcionando, pq soh o q vemos por aih eh marmanjo babando "Vem protestar aqui em casa, Femem".

Eu acho bem diferente do nu na Marcha das Vadias, que conta com o contexto da fala do policial, do estupro, do controle do corpo feminino.

Isso foi p explicar o que eu entendi dos coments que criticaram o Femem nesse ponto, embora eu nao considere isso importante. Piores pra mim sao alguns posicionamentos do grupo, como este que o post exemplificou.

ViniciusMendes disse...

@Julia

Não se combate preconceito com mais preconceito.
Não se promove igualdade com a desigualdade.
Não se ajuda uma minoria atacando outra minoria.

Não sei se você lê em inglês ou não, mas aqui tem umas matérias, tanto por muçulmanas quanto por não muçulmanas, aparentemente todas por feministas, elencando as diversas problemáticas na forma como o Femen reagiu às ameças sofridas por aquela moça da Tunísia e porque as feministas muçulmanas do mundo inteiro se ofenderam com e repudiam o Femen.

http://jezebel.com/5993775/muslim-women-shockingly-not-grateful-for-topless-european-ladies-trying-to-save-them

http://jezebel.com/does-femen-believe-muslim-feminists-are-a-thing-471804633

http://www.huffingtonpost.com/2013/04/10/mideast-feminists-against-femen_n_3052175.html

http://www.policymic.com/articles/33107/femen-topless-jihad-who-s-got-feminism-right-femen-or-muslim-women

http://www.nydailynews.com/news/world/muslim-women-organize-topless-jihad-day-article-1.1309582

http://www.huffingtonpost.co.uk/2013/04/10/topless-tunisian-activist-amina-tyler-femen-true-feminists-insulted-muslims_n_3050994.html?1365598702

http://thefatalfeminist.com/2013/03/22/on-drawing-the-prophet-muhammad/

Eu não sei até que ponto as intenções do Femen são boas... Não faço ideia pra ser sincero... Mas se eu já tinha minhas desconfianças com a falta de consistência das ideologias do grupo, a total ignorância às questões culturais, raciais e religiosas no que diz respeito ao oriente médio faz com que no momento eu não consiga ver elas como muito mais que um grupo de revolucionária de butique que curte pagar peitinho.

Não acho que os movimentos sociais devam ser um reduto de acadêmicos (até pq, eu assumo que sou academicofóbico :V), mas vc tem que saber um mínimo sobre qualquer assunto pra se posicionar quanto a ele... E isso é algo que elas não tem.

L disse...

http://operamundi.uol.com.br/conteudo/entrevistas/24385/femen+brazil+nao+tem+propostas+feministas+acusa+ex-numero+2+do+grupo.shtml

Nao da pra dizer que tudo aqui seja verdadeiro ou falso, é a palavra dela contra a da Sara Winter (se ela algum dia resolver negar, o que nao fez ate hoje). Mas um ponto falado eu sei que é verdade, e é o maior motivo de atrito do FEMEN com os outros coletivos feministas:

"O Femen não tem proposta, isso eu posso afirmar. Elas não gostam nem de ler as críticas nos jornais ao movimento. Eu sempre lia e queria saber o porquê de falarem isso ou aquilo.

A sociedade ucraniana é diferente da nossa e o discurso do Femen deveria ser adaptado ao nosso contexto. As meninas da Ucrânia não sabem o que acontece no Brasil. Na Ucrânia, elas são o primeiro movimento feminista do país. No Brasil, não. Como podemos ser um movimento feminista no Brasil se não dialogamos com os outros movimentos que compartilham a mesma luta?

Muitas pessoas se ofereceram para ajudar, para nos dar formação, para nos explicar um pouco a história do movimento feminista no país, mas a Sara sempre recusou. O Femen é um movimento feminista que não trabalha com as feministas. E o Femen não é nem um movimento social porque não desenvolve e nem tem projeto para realizar nenhum trabalho social. Nenhum."

Sara disse...

Não consigo entender qual a diferença (talvez seja meu intelecto muito prejudicado, segundo muitos comentaristas aqui), das mulheres do "DIANTE DO TRONO",q foi feito até um trocadilho com o vaso sanitário, e muitos e muitos outros comentários bem desairosos, meus inclusive, pois então qual a diferença dessas mulheres para essas validadoras do machismo muçulmanas????
Não admitir que essa é a religião mais machista do nosso planêta, é tapar o sol com a peneira , e quem faz isso na minha opinião esta me chamando de debil mental.
Agora não entendo porque essas tem q ser tratadas com deferência enquanto q as crentes tem q tomar pau????
Eu ja sou mais democratica e deço a lenha em todas, pois acho q religião é um dos principais instrumentos do patriarcado e consequente machismo.
Minha solidariedade vai para as mulheres q se sentem oprimidas pelo islã, (ainda q elas sejam obrigadas a praticar esse lixo de religião)
Posso até compreender que a mulher nessas sociedades não tem opções, e validar o machismo q as oprime, pode lhes conferir algum status.
Mas não serei eu q vou fazer vistas grossas as escabrosas injustiças que essa religião espalha pelo mundo, até mesmo nos paises em q ela não é a lei, na Europa é frequente noticias de mulheres assassinadas por suas familias, por não quererem viver dentro das regras crueis e injustas que essas comunidades islâmicas impigem as mulheres.
Ha algum tempo uma familia muçulmana, em q a mãe era uma brasileira, morando nos USA, ajudou o marido a trucidar a filha q não queria seguir o islã.
Se vcs acham, q isso não tem nenhuma relevância, problema é de vcs e das vitimas q sofrem essas atrocidades, mas eu me importo.

Anônimo disse...

Renata, a própria Sara Winter confirmou que no passado(sei...) teve ligações com neo-nazistas, nacionalistas, mas tem fotos bem recentes que mostram ela em reuniões neo-nazistas!

Vai por mim... a tatuagem não é coincidência não.

Lu_ud disse...

Tem uma foto rolando no Face de uma postagem do Femen UK xingando o islamismo e os muculmanos

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=638255109523854&set=a.321632251186143.101635.100000181125901&type=1&relevant_count=1

Uma das divulgadoras escreveu o seguinte (em ingles, traducao minha):
"Nós sabíamos que a líder do Femen no Brasil está envolvida com grupos Neonazi. Nós soubemos que os grupos na França, Rússia, Ucrânia e Turquia acusaram-nos de xenofobia. Nós também sabemos que ativistas foram expulsos do grupo na Alemanha por questionar por que tantos membros faziam parte de grupos da extrema-direita. Nós soubemos sobre os seqüestros falsos e notícias falsas. Agora, outra evidência muito importante veio à tona. A pagina do FEMEN no Reino Unido é administrada por um membro da EDL. A palavra precisa alcançar as pessoas, especialmente em um momento em que Femen está escrevendo para o The Guardian e outros meios de comunicação britânicos, sendo caracterizado como a 'salvação do feminismo'".

Pra ver que o problema nao é so no Brasil.

PS: EDL = English Defense League, um grupo de extrema direita radical islamofobico.

Lu_ud disse...

Sara, ai fica dificil. Voce chama a religiao dos outros de lixo, generaliza toda uma diversidade cultural (islamismo é a maior religiao do mjundo, caso voce nao saiba) em meia duzia de paragrafos, caga umas vinte regras do que mulheres devem fazer da vida delas pra nao serem idiotas, e ainda espera ser levada a serio? Agora entendi porque voce puxa tanto o saco do Femen, voce é tao islamofobica quanto eles.

O feminismo nao "desce o pau" nem nas muculmanas nem nas protestantes, por um simples motivo: elas escolheram viver assim, PROBLEMA DELAS. Quem te fez juiz da moral e dos bons costumes pra dizer a quem quer que seja como deve viver sua propria vida? Nos so nos metemos na religiao dos outros quando essa religiao tenta se meter na politica e na sociedade, e reger a vida de quem nao tem nem quer ter nada a ver com ela. Liberdade de escolha tambem significa deixar o outro escolher um caminho que voce nao escolheria - e RESPEITAR essa escolha, assim como voce espera que respeitem a sua.

Sim, acontecem muitos crimes contra as mulheres dentro de alguns paises islamicos. Mas nao se pode generalizar a religiao inteira por conta disso. E é extremamente arrogante da sua parte pegar sua mentalidade eurocentrica do que é "liberdade" e tentar enfiar ela goela abaixo de uma cultura inteira. Ja passou pela sua cabeca que a maiora das muculmanas usa veu porque QUER? Que segue a Sharia porque QUER? Essas mulheres nao estao pedindo pra serem salvas por nos, oh feministas ocidentais que tudo sabem. Elas tem seu proprio feminismo e suas proprias lutas. Nos podemos ajuda-las nessas lutas, mas nao impor lutas novas, so porque achamos que sao melhores pra elas. Quem somos nos pra dizer pra elas o que é melhor??? Ate pouco tempo atras, a sociedade europeia crista era tao misogina quanto a delas, e nos nao precisamos de nenhum salvador externo pra nos dizer o que querer. Claro, violacoes aos direitos humanos sao regras universais, que estao acima de feminismo ou machismo, e devem ser combatidas sem restricoes. Mas questoes culturais sao escolhas exclusivas de cada povo em particular. Isso que voce esta fazendo se chama paternalismo, voce esta dizendo que as mulheres islamicas sao estupidas demais pra saber o que é melhor pra elas, e que elas precisam de uma ocidental esclarecida feito voce pra salva-las de si mesmas. Nossa, mas é muita arrogancia pra uma pessoa so, nao acha?

Julia disse...

Agora eu tenho que respeitar a Sharia também. Que beleza.


E Vinicius, eu não tenho preconceito nenhum. Meu conceito já está bem estabelecido. Você já conversou com uma muçulmana? Eu já. Não foi uma experiência boa pra mim. E já conversei com evangélicas e foi a mesma merda.

Que chato que as feministas muçulmanas não tenham gostado dos protestos do Femen. Elas poderiam tentar marcar uma reunião pra resolver o problema da Amina com a galera das pedras... talvez a opinião delas não seria levada em conta mas o que vale é a tentativa.

É claro que a Amina está com medo depois da repercussão dos protestos do Femen, ela sabe com quem está lidando. O que não se pode fazer é deixar o medo tomar conta e ir empurrando a situação com a barriga com esse discursinho de respeitar a cultura alheia.

"But she insisted she was not afraid: “No, nothing they could do would be worse than what already happens here to women, the way women are forced to live every day." Amina Tyler

Pra dar a cara a tapa e protestar contra uma situação que afeta e prejudica milhões de mulheres precisa ter coragem, para segurar cartaizinhos validando machismo e misoginia NÃO. Essas últimas vão ser aplaudidas e adoradas adivinhem por quem?

Sooraya disse...

Eu vi muitos comentários relacionando FEMEN - feminismo. Mas elas se aliaram? Pq o FEMEN declarou que não eram feministas, eram neo-feministas sem no entanto definir muito bem o q era. Na página do Face, há o sextremismo.

Não creio q questionar o posicionamento do FEMEN seja demarcar o feminismo e fazer dele latifúndio. Acho que é uma dúvida muito relevante que não é respondida claramente.

E só pra esclarecer, meu problema com o FEMEN não são os peitos, por mim todo mundo andava com os peitos de fora. Se tiver que resumir meu problema com a organização em uma imagem, seria aquela da mulher segurando uma foice e um saco cortado e sangrando.

Marcelly disse...

Gente..mesmo não concordando com a Sara sobre o femen (Saaara pesquisa mais...vc vai entender)

Acho que vcs estão pegando beeem pesado neh???
Ela tem o direito de não concordo com o Islã...em achar que é errado assim como eu acho o bíblia suuuper machista..
Isso não quer dizer que ela vai agredir o islã..ou alguém da religião..
To achando meio desnecessário essas ofenças ...e estavam tratando ela como se ela fosse a Sara do femen..como se ela tivesse a obrigação de saber tudo sobre o femen...
Quanto cagar regras..ir contra uma religião que na sua pratica causa mortes..não eh cagar regras...

Sei lá..

Andréé..:

Pra algumas pessoas produtividade = grana, lucro entende por que não entendem outros argumentos??


Leandro:

Hospital produtivo eh o que: atende rápido, de forma eficiente e humana, e que não tem desperdício de trabalho humano nem de recursos financeiros.!!!!

Um hospital produtivo eh muito mais útil que uma fabrica de luvas produtiva... pouco me importa se o lucro do fabricante eh grande ou não desde que ele fabrique o suficiente para abastecer o mercado


Mas sua logica capitalista não vai te deixar entender...

Marcelly disse...

Lu..


"Eu ja sou mais democrática e desço a lenha em todas, pois acho q religião é um dos principais instrumentos do patriarcado e consequente machismo."


a Sara não esta sendo eurocêntrica, Só não acredita muito nas religiões como elas são aplicadas hoje...nem eu acredito..
e não preciso respeitar algo que vai contra meus valores só pq eh uma religião e religião merece respeito...

ow vc respeitaria a religião católica na idade média...

e o argumento não vivi lá então não opine não é valido...se não nem estaríamos aqui...se não fosse pra opinar tbm sobre a vida dos outros

ela eh obrigada a entender e concordar? a luta dela é ilegítima?


No fim todo mundo aqui caga regra na vida dos outros...o que difere um do outro são as intenções...são os objetivos..


o machismo caga regra pra oprimir...e nos cagamos regras pra libertar...cagamos regra pra que poucas regras sejam cagadas nas nossas vidas..


(ai que feio que fico esse ultimo paragrafo...cagação viu..uahuaHauhaUH)

Sara disse...

lu ud
quem não se coloca frontalmente contra as perversidades cometidas em nome dessa religião é participe delas, é isso o q eu penso.
E encerro aqui a discussão.

Marcelly disse...

Lolinha do meu coração...

To lendo os coments aqui e pensando como ser feminista e ser capitalista ao mesmo tempo???
Como?
Será falta de informação?
Será que são mulheres da classe média que sofrem com o machismo mas não querem abrir mau de seu status ?
Mulheres ricas podem elas se importam?


Gente capitalista querida...certeza que vcs estão bem informados?
E não me venham com dados do JN e nem do IBGE, essa ideologia de vcs tem bases teóricas?
Explicações teóricas de pq o mundo capitalista eh bom?

Sééééério que vcs estão comparando o Brasil com a Noruegua???
Vou dar uma dica


Brasil pode ser comparado com os países dos brics assim como os EUA com os do G8
Assim como Cuba só pode ser comparada com países como o Haiti, e antes que vcs digam que to cagando regras vou me explicar
Países tem historias, cada um nasceu de um jeito, foi explorado de um jeito...e países de historias diferentes nãopodem ter um presente diferente...isso é muito difícil de acontecer...se acontece eh pq fugiu a regra...
Comparar Brasil com Noruega ou Suíça ou sei la qual pais desenvolvido da Europa eh tipo comparar o Thor Batista com o filho de mãe solteira pobre e negro que mora no morro do alemão...
Não faz sentido...
Maaas os capitalistas dizem que esses dois jovens tiveram as mesmas oportunidades neh?dai pra vcs isso se aplica aos países tbm..

Marcelly disse...

"e países de historias diferentes nãopodem ter um presente IGUAL.."


CORRIGINDOOOO :)

Anônimo disse...

Marcelly disse...
a Sara não esta sendo eurocêntrica, Só não acredita muito nas religiões como elas são aplicadas hoje...nem eu acredito..
e não preciso respeitar algo que vai contra meus valores só pq eh uma religião e religião merece respeito...

ow vc respeitaria a religião católica na idade média...

e o argumento não vivi lá então não opine não é valido...se não nem estaríamos aqui...se não fosse pra opinar tbm sobre a vida dos outros

ela eh obrigada a entender e concordar? a luta dela é ilegítima?


No fim todo mundo aqui caga regra na vida dos outros...o que difere um do outro são as intenções...são os objetivos..


o machismo caga regra pra oprimir...e nos cagamos regras pra libertar...cagamos regra pra que poucas regras sejam cagadas nas nossas vidas..


--

Meu deus, e quem disse q elas querem ou devem ser libertadas??? Não é toda muçulmana que está sendo obrigada a fazer x ou y.
vc e sara tem todo o direito de não concordar com a religião, não é essa a questão.. A questão seria respeitar as escolhas das que resolveram seguir.. é preciso parar com isso de achar que muçulmanas são pobres coitadas à deriva que precisam ser salvas.. Vira e mexe tem comentários super islamofóbicos aqui no blog, assim de graça.. Tipo reclamam q elas são obrigadas a se cobrir, a isso e aquilo, mas tbm querem impor sua visão de mundo em cima delas..

Marcelly disse...

Anon

eu entendo seu ponto de vista e concordo..não vejo eles como vtimas nem acho que só tem coisas ruins na religião...

e acho que existam pessoas que seguem aquilo por que acreditam...

mas eh um fato tbm que eles são obrigados a seguir..

nao eh como eu que não fui obrigada pela minha mãe a ir à catequese...por mais que ela quisesse que eu fosse...
eles são coagidos e obrigados a viver a religião até por que em varios paises a religião é a lei..

é meio relativo essa liberdade religiosa onde a cultura eh imposta até de forma violenta..no brasil nenhum pai mata a filha por ela nao ser evangélica...bom..ta que sempre tem um doido..mas nãoé regra..la qualquer um que nao seguir o que a familia segue etem grandes chances de sofrer muito com isso, inclusive fisicamente...

mas eh complexo por que eu nao tenho uma visão de que a religião é libertadora,por isso sempre vou achar que eles estão meio que presos a sua religião por imposições sociais e religiosa...
mas nãoeh por ser eurocentrica ou por achar que o que não é ocidental nao presta...essa visãoeu aplico à todas as religiões...mas eh uma visão particular minhas , e ja pesuisei muuito sobre o assunto...ja fui em varios templos diferentes...mas eh uma visão..e ela pode mudar...

Marcelly disse...

e anon


não usei essa frase:

"o machismo caga regra pra oprimir...e nos cagamos regras pra libertar.."

me referindo a liberta-las por que elas são muçulmanas..
vc entendeu isso errado eu acho...

e não me considero islamofobica..religiosofobica talvez??

uahauhaUAaUAhuh


enfim...acho que essa discussão vai um pouco além do feminismo...

como feminista quero sim que elas não sofram mais por conta de sua religião..e eu sei que não são todas que sofrem, e eu sei que as que não sofrem tem todo o direito de usar burca, de se cobrir..de se casar...de ser dona de casa..d ecuidar dos filhos...
mas quando falamos das que sofrem pela religião..sofrem por que a religião lhes nega autonomia,, sofre por que a família eh machista por influencia da religião acho que como feminista eu devo defende-las...mesmo que so aqui no blog da Lola...mesmo que de longe..
assim como defendo a mulher negra que mora na favela e apanha na rua por ser negra..eh violentada por ser negra...defendo as duas, seja da religião, seja da sociedade, não importa...

André disse...

Leandro,

Será coincidência que essas pessoas que defendem o estado mínimo classifiquem todo serviço prestado pelo estado como inútil?

Aurelio Moraes-Jornalista disse...

Sobre MT:
http://aureliojornalismo.blogspot.com.br/2013/04/alguns-fatos-desagradaveis-sobre.html

Anônimo disse...

Marcelly
Mas é isso que estamos falando (sou outra anony) desde anteontem. É claro que devemos combater a violência que essas religiões pregam, é óbvio que devemos combater a imposição dessas religiões, mas isso é diferente de querer extinguir a religião inteira, impedindo pessoas de praticarem suas crenças. O exemplo da França é ótimo, lá proibiram o uso do véu. Proibir o uso é tão errado quanto obrigar o uso. As mulheres de lá são capazes de escolher usar ou não, qualquer forma de imposição é opressora. Claro que isso não se aplica com a violência física, isso nós devemos expor, pressionar a comunidade internacional pra tomar uma atitude, enfim, tudo que pudermos fazer.
O problema é que tem muita gente distorcendo nossas palavras na cara dura. A gente diz "vamos acabar com a violência sem acabar com a crença alheia" (o que é perfeitamente possível porque uma não precisa incluir a outra) e recebemos em resposta: "Se vcs acham, q isso (violência) não tem nenhuma relevância, problema é de vcs e das vitimas q sofrem essas atrocidades, mas eu me importo." Daí fica complicado debater né? Não ofendi ninguém, não cabe esse tipo de resposta.
F.

Marcelly disse...

anon das 10:57

neem preciso dizer que concordo c vc neh?
:)

so defendi a Sara pq li o que ela falo e julguei que por mais que ela estivesse errada em alguns pontos a galera estava pegando pesado e ai ela tomou a posição de se defender...

e tbm defendi por que nao acho que ela foi tão agressiva ou tão errada assim...
e pq a agressividade me parece ter surgido pq confundiram ela com a Sara do Femen...
acho que ela só quis dizer que nao vai fechar os olhos pro que está errado nessas religiões, no Islã...



enfim..só questionei a agressividade de alguns comentarios..acho que podiamos guardar a agressivida pros Fabios e pros Thomas da vida..e não entre nós..

Anônimo disse...

Marcelly,
Como eu já disse, não é toda muçulmana que sofre lavagem cerebral (inclusive muitas mulheres se convertem) Isso acontece? claro q sim. Mas não é isso q é dito aqui. Os comentários vão sempre na linha da religião bárbara, q as mulheres são pobres ovelhas, q qualquer deslize e elas vão ser apedrejadas em praça pública.. é preciso, antes de tudo, sair desse estereótipo e entender q elas possuem um cérebro e q são bem capazes de fazer suas decisões sozinhas. São pessoas normais e se resolveram seguir a religião, a gente vai fazer o q? o q a gente tem com as escolhas delas? é difícil de entender q tem gente q quer ser muçulmana?

Eu ia responder mais, mas isso é tão óbvio q dá até um pouco de preguiça.. Só acho hipócrita pregar q a maioria das muçulmanas são forçadas a seguir a religião e combater isso querendo as forçar a pensar como vc.

Leila disse...

Essa idéia de que a religião é uma escolha e que as pessoas decidem se querem ou não seguir, é uma noção ocidental. Perdão, mas em vários países islamitas, a religião é a lei. Não há espaço para escolha. E aí está o problema.

Lu_ud disse...

Olha Marcelly, a partir do momento em que voce vai ate uma cultura diferente da sua e diz que o modo de vida deles é errado, e que eles deviam seguir o exemplo da liberdade ocidental, voce esta sendo eurocentrica SIM. Atualmente existem 57 paises com religiao oficial muçulmana. Desses, apenas uma meia duzia comete crimes contra a humanidade e as liberdades individuais. No entanto, quando se pensa em paises islamicos, pensa-se apenas nessa meia duzia de paises. Como eu disse no meu comentario anterior, garantir que nao haja perseguiçao religiosa nem feminicidio nesses paises é uma questao de direitos humanos que esta acima de feminismo e machismo, uma coisa pela qual todos lutamos. Agora, quando a Sara coloca que ela é contra a Sharia, ela esta dizendo que é contra o modo de vida escolhido por 1.5 bilhoes de pessoas no planeta. Ela esta dizendo que o estilo de vida e a cultura dela sao muito melhores e mais evoluidas do que aquelas que seguem a Sharia. E isso é intolerancia religiosa e eurocentrismo. Usar a desculpa da violencia cometida por uma minoria pra julgar e condenar a religiao e o estilo de vida de uma maioria nao vai mudar o fato de que voces estao sendo intolerantes. Aqui no Brasil mesmo podemos citar centenas de casos de mulheres mortas por seus maridos por terem traido ou desobedecido eles, de filhas espancadas pelos pais por terem engravidado; igrejas e templos de religioes nao-cristas sao depredados por fanaticos; homossexuais apanham e sao assassinados todos os dias. E no entanto ninguem esta dizendo que todos os cristaos saos fanaticos violentos, ou que o Brasil é um pais sem liberdades nem seguranca, porque isso seria uma generalizaçao burra. Por que, quando se trata de muçulmanos e paises islamicos, essa generalizaçao é valida? Por que cada ato de violencia cometido por um muçulmano de alguma forma se torna responsabilidade de todos os muçulmanos no mundo?

Voce e Sara tem todo o direito de discordar do islamismo, mas dai a ir pra porta dos templos islamicos protestar, ofender e escrever barbaridades nas redes sociais, é uma distancia ENORME. Ninguem esta tentando converter voces ao islamismo, seria bom que tambem nao tentassem converter os islamicos a cultura europeia. Na questao da Sharia, funciona aquela velha maxima: nao gosta, nao faça. Mas tambem nao tente forçar os que fazem a parar de fazer.

Segue o link da foto da resposta de uma muçulmana ao "Topless Jihad Day" do FEMEN, e que acho que serve feito uma luva pra voce e Sara:
https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10151334605816426&set=o.506894029368113&type=1&theater

Lu_ud disse...

Julia,

"Agora eu tenho que respeitar a Sharia também. Que beleza.E Vinicius, eu não tenho preconceito nenhum. Meu conceito já está bem estabelecido. Você já conversou com uma muçulmana? Eu já. Não foi uma experiência boa pra mim. E já conversei com evangélicas e foi a mesma merda."

Sabe, eu tenho certeza que muitos evangelicos nao tem uma experiencia boa quando conversam comigo, porque eu tenho ideias que vao radicamente contra a religiao deles. No entanto praticamente todos eles me respeitaram. Os poucos que nao respeitaram sao aqueles recheados de preconceito e intolerancia. Essses mesmos que voce esta demonstrando, ao dizer que o modo de vida de um grupo de pessoas (Sharia) nao merece respeito, e que desprezar um grupo de pessoas por sua religiao se justifica por voce nao ter tido "uma experiencia boa" ao conversar com eles. Imagino que sua experiencia ruim derive do fato deles discordarem das suas opinioes. Me diz uma pessoa, voce tem por costume desrespeitar e desprezar todo mundo que discorda de voce?

"Que chato que as feministas muçulmanas não tenham gostado dos protestos do Femen. Elas poderiam tentar marcar uma reunião pra resolver o problema da Amina com a galera das pedras... talvez a opinião delas não seria levada em conta mas o que vale é a tentativa."

Pois é, que chato essas feministas muculmanas, que vivem dentro da cultura que estmos perseguindo e sabem do que estao falando, nao terem capacidade de se defenderem sozinhas e precisarem das super-heroinas do Femen pra salvar elas delas mesmas... Mais chato ainda o fato delas nao aceitarem que precisam ser salvas.

Arrogancia mandou um beijo pra voce.

"É claro que a Amina está com medo depois da repercussão dos protestos do Femen, ela sabe com quem está lidando. O que não se pode fazer é deixar o medo tomar conta e ir empurrando a situação com a barriga com esse discursinho de respeitar a cultura alheia."

Qual a diferenca desse seu discurso e o discurso que os americanos usam pra bombardear e invadir o pais dos outros, dizendo que estao levando "democracia e liberdade"?

"Pra dar a cara a tapa e protestar contra uma situação que afeta e prejudica milhões de mulheres precisa ter coragem, para segurar cartaizinhos validando machismo e misoginia NÃO. Essas últimas vão ser aplaudidas e adoradas adivinhem por quem?"

Ou seja, so vale protestar se for pelo que VOCE acredita? E voce esta realmente dizendo que uma mulher nao pode usar o veu e ser feminista ao mesmo tempo? Nao sabia que ja tinham estabelecido um teste-padrao de feminismo. Tambem nao sabia que o feminismo ocidental era o unico tipo existente e possivel. Imagino que todas as mulheres no mundo que ESCOLHAM seguir suas tradicoes religiosas devam ser machistas entao, ja que pra ser feminista tem que se vestir e se comportar como uma ocidental moderna.

Lu_ud disse...

Marcelly, voce leu todos os comentarios daqui? Ninguem esta sendo agressivo com a Sara de graca, por achar que ela é a "Sara do Femen", todo mundo sabe que sao Saras diferentes. Mas ela se posicionou desde o principio como defensora ferrenha do Femen, entao as respostas contendo Femen sao direcionadas a ela. E o tom agressivo da discussao foi iniciado por ela mesma, que partiu desde o comeco chamando todo mundo que discorda do Femen de arrogante, excludente e ignorante.

Meu modo de escrever é naturalmente agressivo, online fica dificil entender a emocao dos outros porque nao temos entonacao de voz nem expressoes faciais pra complementar, entao fica mais agressivo ainda. Mas intolerancia de qualquer tipo (seja de genero, racial ou religiosa) é um assunto espinhoso comigo, porque nao aceito. E pra mim, chamar a religiao dos outros de lixo é intolerancia do pior tipo. Se eu aceito uma pessoa dizendo que as escolhas do islamismo ou protestantismo sao lixo e precisam ser mudadas, preciso aceitar islamicos e protestantes dizerem que minhas escolhas sao um lixo e precisam ser mudadas. Caso contrario, eu estaria sendo hipocrita.

Anônimo disse...

Marcelly
Concordo, não temos porque nos tratarmos como inimigxs, estamos do mesmo lado, vamos expor ideias contrárias mas de maneira respeitosa, coisa que dessa vez, a Sara e a Julia não estão fazendo.
A Lu_ud já falou a respeito, mas pra acrescentar, imagina se xs feministas orientais começassem a condenar a Valesca Popozuda e outras famosas que expressam sua sexualidade livremente dizendo que nós ocidentais somos tão oprimidas que não enxergamos que isso é validação do machismo, o que nós íamos achar? Que não faz sentido né? Que sabemos discernir o que nos faz mal do que não faz, pois é, é a mesma coisa. Vou escrever em caps pra ver se fica mais claro: NÃO ESTAMOS DEFENDENDO A VIOLÊNCIA QUE OS FUNDAMENTALISTAS RELIGIOSOS PREGAM. NÃO SÃO TODOS OS RELIGIOSOS QUE SÃO FUNDAMENTALISTAS.
F.

Julia disse...

As pessoas ficam cheias de dedos para falar sobre religião, principalmente as que estão dentro de uma. Muitas mulheres ficaram contra o voto feminino e a lei do divórcio e nem por isso elas estavam certas.

Eu não tenho nada contra as muçulmanas, não as odeio nem nada, se eu vivesse naquela cultura e seguisse a religião talvez eu usasse véu também. As pessoas fazem o que podem pra se proteger, é natural. Eu só acho chato essas fotos validando machismo, misoginia e opressão. É muito desagradável de ver.

E é muito chato ver feministas ocidentais apoiando isso pra não serem vistas como cagadoras de regras, islamofóbicas e preconceituosas. Precisamos de mais Malalas e Aminas e não de mulheres segurando cartazes com "Eu uso hijab/burca porque eu quero."

Anônimo disse...

Sério que tem gente que acha que as muçulmanas precisam ser salvas pelas európeias?

Essas mulheres não precisam de super-salvadoras vindas do ocidente(que também tem suas mazelas), elas tem suas próprias lutas, seus ideais e devem ser respeitadas.

O que femen faz é agressivo, xenofóbico e desrespeitoso com as próprias muçulmanas.

Marcelly disse...


Lu..

entendo vc e respeito sua opinião..
e como eu disse tenho a minha visão


"Voce e Sara tem todo o direito de discordar do islamismo, mas dai a ir pra porta dos templos islamicos protestar, ofender e escrever barbaridades nas redes sociais, é uma distancia ENORME."


nunca disse que iria a porta de templo nenhum e nem que pribiria ninguem de viver a sua fé...e acho que a Sara tbm foi pontual quanto á isso..que combate violencias e não a religião mesmo discordando dela...

só tenho outra visão sobre religião...e cocnordocoma Leila quando ela diz que não há liberdade nas religiões..


e tbm não disse que concordo com a Sara em tudo..só acho inutil alterarmos o tom uma com a outra visto que o objetivo eh o mesmo..so alguns detalhes precisam de mais dialogo...

mas cada um tem a sua visão, se vcs acham que as pessoas nascidas no islã não sofrem pressão pra serem do Islã e que tem toooda a liberdade dentro da familia pra fazer o que querem..ok EU não penso assim..baseado em tooodas as coisas que eu li...não acredito que isso seja uma regra...
e nunca disse que todos nos Islã são maus...nao caiu nesse papo furado americano anti terroristas...gente ruim tem em tudoquantoeh canto...mas de tempos em tempos uma religião pode saltar aos olhos quando o assunto é ser conservador...tipo os catolicos na idade media...


enfim..não vim pra discutir religião..só não curto muito ver as pessoas daqui brigando entre si...

quanto a ser ou não eurocentrica...
vc por acaso sabe qual a minha religião?
quais preceitos eu sigo?
e se for do candomblé?
e se minha mãe for Iansã?
antes de taxar alguem é bom pensar duas vezes...



vc tbm parece estar querendo impor o que vc pensa como se o que VC pensa fosse o mais certo do mundo amém !! e não é assim tbm...

Marcelly disse...

anon das 13:28


isso ai concordo com tudin..


só não sei se defenderia outra mulher do Funk que não a waleska..pq de tempos em tempos leio algo que ela disse e acho otéééémoooO...

mas não sei se todas as mc são assim...

enfimmm..nem vo entrar nesse assunto...


mas se o que ofendeu algumas pessoas foi eu ter defendido a sara...

então otimo não defendo ninguem...e acho que seria bom se entre nós houvesse muuuuuuito respeito...e tolerancia...da parte de todas...

o que é dito aqui as vezes pode ter sido dito após ver alguma noticia ou algo chocante e nossas ideologia são carregadas de paixão..além de racionalidade, claro...

e de NV, pra mim esse eh o problema da esquerda...olha demais pro que temos de diferente..nós temos que nos unir..certo estava o tioMarx que queria juntar a galera toda e tocar o terror no sistema... hehe

Julia disse...

Se os países europeus ficarem aceitando a merda dos muçulmanos eles estão ferrados. Assim comos países laicos ocidentais como o Brasil ficarem aceitando merda cristã. Opa, isso acontece há bastante tempo já e atravanca um monte de coisas.

Mas o respeito a religião alheia parece ser mais importante que isso tudo.. eles podem condenar todo mundo ao inferno, falar as maiores barbaridas mas se você se atrever a dar um pio contra tudo isso você é islamofóbico, cristofóbico, racista. Gente, não dá.

Daqui a pouco o PSC lança um candidato a presidência e eu já
estou levando as mãos a cabeça de desespero. E vocês, estão tranquilxs quanto a isso?

Sara disse...

So gostaria de ver essa gente toda q defende essa religião assassina e machista, olhando nos olhos de uma mulher q tenha sido condenada por essa religião, e continuar defendendo essa infâmia toda.

Julia disse...

Acabei de ver no meu e-mail, achei que era relevante pra discussão.

http://www.upworthy.com//the-top-8-ways-to-be-traditionally-married-according-to-the-bible?c=upw1


Se eu fosse religiosa diria que era obra de deus essa coincidência.

ViniciusMendes disse...

@Julia

Você não é obrigada a respeitar a sharia, até porque, adivinha só? Nem toda vertente do islã abraça a sharia. Sim! Existem DIVERSAS vertentes do islã! E elas são diferentes! Quem diria, não é mesmo?

E olha que chocante, também existem diversos países muçulmanos que não apoiam a pena de morte! Porque o próprio Alcorão só permite a pena de morte em 2 casos! E apesar de permitir, não incentiva em nenhum!

E ainda assim, o Alcorão é passível de interpretação! E algumas interpretações das feministas muçulmanas são igualitárias! E elas acreditam nisso, e isso as empodera, e elas usam isso pra se libertar da opressão! E eu não tô falando de libertação espiritual ou qualquer outra coisa mística assim, to falando de mulheres que encontraram formas de justificar dentro de suas próprias culturas e de sua própria religião pq elas devem conseguir um doutorado, ou ter uma carreira, ou se separar de um marido que as oprime e tocar a vida da forma que queriam. Porque a sociedade em que elas tão inseridas DEVE respeitá-las.

E sabia que existem grupos muçulmanos que, SURPRESA, apoiam inclusive os gays?

Quando você pega um grupo imenso de pessoas que são unidas apenas por viverem em paises vizinhos, terem a mesma religião e costumes que pros nossos olhos ocidentais podem parecer parecidas e reduz todas essas pessoas ao esteriótipo do macho opressor e da mulher alienada oprimida, você não está sendo apenas injusta. Você está sendo racista, xenofóbica e intolerante.

Julia disse...

Sim, existem diversas vertentes do Islã e eu não gosto de nenhuma, posso?

"Porque o próprio Alcorão só permite a pena de morte em 2 casos! E apesar de permitir, não incentiva em nenhum!"

Nossa, que alívio, ainda bem, né?

"E sabia que existem grupos muçulmanos que, SURPRESA, apoiam inclusive os gays?"

Quando esses passarem de uma ínfima minoria para uma parte considerável eu penso até em me converter.. brincadeira.

Eu não sou racista, xenofóbica e intolerante. Eu só não gosto da religião muçulmana. Eu adoro a cultura árabe, meu avô era libanês e se chamava Mohammed (é verdade, não to de sacanagem). Tenho muito orgulho da minha ascendência árabe. E eu apoio as feministas muçulmanas em qualquer coisa, menos quando elas validarem misoginia. Aí não dá pra mim.

Sara disse...

"E é muito chato ver feministas ocidentais apoiando isso pra não serem vistas como cagadoras de regras, islamofóbicas e preconceituosas. Precisamos de mais Malalas e Aminas e não de mulheres segurando cartazes com "Eu uso hijab/burca porque eu quero."

Parabens JULIA ,foi uma das unicas coisas com alguma sensatez q vi nesses comentários, sinceramente.

ViniciusMendes disse...

@Julia

Mas Júlia, elas não tão validando a misoginia, tão se ofendendo pq um bando de mulher que vivem do outro lado do mundo tão desrespeitando elas, suas crenças e suas culturas!

Tem muita diferença entre discordar de pontos da cultura de alguém, por exemplo, a misoginia gritante que vitimiza tantas mulheres naquela região (e que com certeza é horrível) e invadir o espaço de um templo aleatoriamente (pq as pessoas que vão naquele templo não são as mesmas que ameaçaram apedrejar a mulher), depredar os bens dos templo (e pelo que eu li, a bandeira DO TEMPLO que queimaram é sagrada pra religião delas), chama-las de burras em incapazes e forçar um salvamento que elas não pediram usando métodos que as ofendem.

Desculpa, mas é a mesma coisa que depois de assistir aquele vídeo escroto do diante do trono invadir uma igreja católica ou de outro grupo evangélico em outro país e quebrar as coisas lá dentro com a desculpa de "salvar aqueles cristãos estúpidos". E ainda chamar as pessoas de alienadas e validadoras do patriarcado quando elas (surprise!) ficarem putas da vida.

Gabriel Nantes de Abreu disse...

"E é muito chato ver feministas ocidentais apoiando isso pra não serem vistas como cagadoras de regras, islamofóbicas e preconceituosas. Precisamos de mais Malalas e Aminas e não de mulheres segurando cartazes com "Eu uso hijab/burca porque eu quero."

E tipo protesto com beijo hetero no Brasil, que diferenca faz? Essa e a regra, como que se protesta fazendo exatamente o que a maioria tradicional manda?

Sara disse...

Ainda bem q vc percebe essa incoerência Gabriel Nantes Abreu, pq , sinceramente tem assustado ler tantos comentarios justificando machismo ultimamente, obrigada, vc a Julia , Marussia e muitos outros ainda bem , tem sido uma luz no fim do tunel tenebroso dessa gente toda validando um machismo que eu sinceramente, desconheço que tenha existido em pior grau na nossa história mundial.

Anônimo disse...

"Hospital produtivo eh o que: atende rápido, de forma eficiente e humana, e que não tem desperdício de trabalho humano nem de recursos financeiros.!!!!"

- E como é que você mensura tudo isso? Como é que você mensura "forma eficiente e humana"? Como é que você mensura "desperdício de trabalho humano nem de recursos financeiros"? Como você mensura tudo isso se tal instituição não opera dentro do sistema de lucros e prejuízos, e não segue os sinais de preços de mercado?

É simplesmente impossível mensurar qualquer tipo de eficiência estatal, muito menos produtividade. Qualquer critério será absolutamente aleatório. Qualquer atividade estatal, por mais que você a ame, não produz nada; o governo apenas utiliza a riqueza alheia para financiar suas atividades. Isso não é ideologia, é ciência econômica. Fazer apelos emocionais, afetando indignação e santidade aviltada, não pode alterar esta realidade.

E olha que foi você quem definiu os termos, hein?

Anônimo disse...

Também acho lamentável uma homenagem a Tatcher e tenho um "pé atrás" com relação às intensões do grupo, mas olhando a página do grupo no Facebook vi fotos de mulheres negras e obesas (não foi citado nesse post, mas um comentário geral que se tem é aceitarem apenas mulheres dentro dos padrões de beleza) e que parecem estar em protestos. Será que não é o caso de as "bonitas" serem as mais fotografadas e ganharem destaque da mídia?

OtavioZ disse...

Com todo o respeito, uma coisa é ser pró-igualdade, outra é querer privilégios para as mulheres/gays/negros ou querer mudar a realidade (negando, por exemplo, que homens e mulheres possuam diferenças não só no órgão reprodutor).

Anônimo disse...

Quem escreveu esse texto é um completo babaca,sem cultura um idiota.Esse texto é um lixo, não é possível que exista tanta gente burra no planeta.
MargaretThatcher foi um ícone na historia do reino unido.
Esse texto faz o meu estomago embrulhar,pois é muita idiotice!
VIVA MARGATER THATCHER!VIVA