segunda-feira, 11 de março de 2013

GUEST POST: FAZ DEZ MINUTOS QUE ME DESCOBRI FEMINISTA

Estou completamente sem tempo, então não vou fazer um post sobre os absurdos que vimos e ouvimos na semana passada por conta do Dia Internacional da Mulher. Até agora, não vi nenhum pior que este: 
Fiquei contente que o goleiro Bruno foi condenado, lógico. Mas é hediondo que um sujeito que matou ou mandou matar uma mulher e que jogou seu corpo aos cães vá ficar uns três anos na cadeia, e depois ser contratado por algum time. Três anos de punição é o que se ganha por assassinar uma mulher?
Eu e Coletivo Capitu, USP R.Preto
Queria escrever sobre isso, mas não vai dar. Já vou viajar de novo. Voltei ontem de Santa Maria, no Rio Grande do Sul, onde pude conversar com muitas meninas entusiasmadas, militantes, ativistas corajosas. E alguns meninos lindos também. Amei. Antes disso, estive em Ribeirão Preto e Franca. E foi formidável. Sou realmente super bem recebida em todos os lugares que vou. Obrigada!
Eu com algumas ativistas gaúchas

Hoje recebi um email que dizia que um rapaz legal, aparentemente não machista, deixou sua "homenagem" ao sexo feminino em alguma página do FB: "As mulheres são as únicas paisagens que sorriem". Por favor, poupem-nos! Guardem essas homenagens tão singelas pra vocês! Se eu não fosse tão educada, eu faria cara de paisagem (que é sem sorriso, né?) e sugeriria o que pode ser feito com sua "homenagem".
Bem que podia ser uma homenagem como a da Célia, que escreveu este poema no caminho pro trabalho:
"Mulher, / Hoje é seu dia, / Mulher, / Agradeça! / Mulher, / Seu dia banalizado / Com impropérios / Da beleza feminina, / Com afirmações / Do que é ser / Mulher, / Te colocam na vitrine, / O objeto de alto luxo. / Mulher, / Você se lembra / O porquê do seu dia? / Mais que exaltar a delicadeza / Da perfeita mulher submissa, / Seu dia fala de morte, / Da mulher / Que lutou por você, / Que morreu trancada em chamas / Para ser livre, / Como julga ser você. 
"Mulher, / Não é flor, nem joia cara, / Nem elogio sem graça, / Mulher não tem preço, / Mulher não tem que ser forte ou fraca, / Boneca enfeitada, / Tem que ser gente, / Pele, sangue e suor. / Mulher, / Não sorria sem motivo, / Não aceite um lugar, / Escolha o seu. / Eu aqui me pergunto: / Por que logo hoje me atiram estereótipos? / Hoje e amanhã eu sou / Livre pela essência / De apenas ser / Mulher."
Outra homenagem bacana mesmo foi a que recebi da UOL, que me incluiu numa lista de "mulheres que se dedicam a causas que tornam o Brasil melhor". Quer dizer, a UOL falou com todas as letras que o feminismo é uma causa que melhora o Brasil. Não temos nenhuma dúvida.
Ah! Aliás, já divulguei no Twitter, mas não aqui: pra vocês curiosxs em saber como é minha voz, aqui tem uma entrevista enorme que dei pra alunas de Telejornalismo da UFC, em janeiro, mas que só foi colocada no ar na sexta.
Obviamente os mascus já descobriram os vídeos e deixaram o discurso de ódio de sempre. Então, por favor, peço que vocês vejam lá (são três partes), deixem algum comentário, se puderem, e deem o joinha. O vídeo não é meu, é do curso, e elas me pareceram ótimas.
Bom, vou publicar aqui este email curtinho que recebi hoje da B., e que me deixou muito feliz.

Lola,

Até dez minutos eu não sabia se era feminista ou não.
Escrevo esse email da sala de aula, mas não de uma sala qualquer. Sou advogada e estou fazendo pós-graduação numa escola da magistratura.
Bem, eu acompanho seu blog já faz um tempo e, por mais absurdo que isso possa soar agora, inconscientemente sempre associei o machismo/masculinismo à falta de informação e cultura. Eis que há pouco levei um tapa na cara da realidade.

Durante minha aula de Direito Civil, em plena manhã de segunda-feira, o professor se recorda que esqueceu de dar os parabéns às alunas pelo Dia da Mulher e começa seu discurso: "Parabéns pelas mulheres que queimaram seus sutiãs por mais trabalho, saíram às ruas e conseguiram o que queriam; agora trabalham em casa e na rua". Quase não acreditei. E foi ainda pior quando constatei que minha turma (composta por aproximadamente 30 homens e 80 mulheres) ria.
Foi um wake up call, um despertar. Não consegui rir, ainda estou irritada, e não consigo mais prestar atenção na aula. Não preciso aqui reafirmar que a tal "queima dos sutiãs" -- que nunca houve -- foi por um motivo muito maior e que a luta continua, você sabe disso. Todo mundo devia saber disso.
Devo esclarecer que o professor autor do comentário infeliz não é velho, daqueles que suscitam pena ao proferir tais besteiras. Ele é jovem, bem apessoado, doutor em direito, a personificação do sucesso, veja só. O machismo está realmente presente em todos os lugares, mesmo que em alguns revestido de graça e piada -- infelizmente.

Há dez minutos que me descobri feminista -- e essa foi a melhor coisa que eu aprendi nessa aula.
Obrigada Lola, não fosse você eu seria mais uma a rir desse tipo de piada.

39 comentários:

Augusto disse...

Lola, já viu o novo OVO KINDER OVO que tem sido vendido para a páscoa?

http://img.americanas.com.br/produtos/01/00/item/112852/6/112852646SZ.jpg

O que achou, Lolinha?

Huan Icaro Piran disse...

Um doutorado não torna alguém culto. Conhecimento acadêmico misturado a groselhas ainda é uma demonstração de ignorância. Ou isso, ou então alguém deveria bater nas pessoas que permitiram alguém dotado de preconceitos chegar ao título de doutor na área de direito...

aiaiai disse...

mas quanta ignorância junta num professor só, querida B!

Sofri aqui junto com você porque sofro todo dia ouvindo algo do tipo vindo de pessoas que reproduzem o machismo sem nem se dar conta.

Augusto disse...

Lola, não é possível! Eu vou enlouquecer. Estou vendo machismo em tudo, no CemHomens e em vários blogs ditos feministas. Estou decepcionado com feministas que excluem grupos minoritários, que acha que feministo é só uma igualdade jurídica, mas não comportamental. As pessoas realmente acham que, se aluém nasceu XX, essa pessoa tem propensão a usar rosa e se sexualizar. Isso é terrível, desculpa. A Nádia é teimosa às vezes e teme em admitir quando ela erra, uma pena!

Clara disse...

Lá no Twitter da Lola tem um video super legal (ao contrário) de um professor desses cursos preparatórios para concursos destilando misoginia por longos três minutos, nem me arrisquei a ver o resto da "aula" pra não passar nervoso.

Deixei um comentário bacaninha lá e foi deletado, I wonder why.

Andrea disse...

vcs conhecem a música chamada "Desconstruindo Amélia"? É uma música claramente feminista que conheço há algum tempo por adorar e acompanhar o trabalho da cantora... música perfeita pra ouvir no dia da mulher e nos outros dias tb! haha O título da música, "Desconstruindo Amélia", faz referência à música machista que diz "Amélia que era mulher de verdade", contrapondo-a.

Conta a história de uma mulher (ou de muitas) criada num sistema machista e que resolve então mudar e assumir o controle!

O refrão da música é o seguinte:

"E eis que de repente ela resolve então mudar
Vira a mesa
Assume o jogo
Faz questão de se cuidar
Uooh!
Nem serva, nem objeto
Já não quer ser o outro
Hoje ela é um também"

É bem legal, aí o link pra quem quiser conferir:

http://www.youtube.com/watch?v=OVF-EhZ-QhE

Andrea disse...

eu que sou estudante de direito estou, infelizmente, cansada de ouvir brincadeirinhas do tipo que fazem a turma, cheia de futurxs advogadxs, delegadxs, juízxs e promotorxs, rirem. O pior é o machismo disfarçado!

Jean Cássio Lima disse...

Me descobrir Feminista foi uma das experiências mais libertadoras que já tive. Mesmo sendo homem cisgênero, o machismo sempre me oprimiu, pois nunca consegui cumprir o papel socialmente imposto de "ser homem". Tinha que brincar de boneca escondido, segurar choro, engrossar a voz (que nunca foi muito grave). Mas ainda assim, reconheço que o patriarcado é muito mais perverso para as mulheres do que foi para mim.

Sara disse...

bem vinda ao club B, a Lola nos ajuda ,e muito a ter um olhar mais critico sobre o machismo q infecta cada pedaçinho da nossa sociedade, e nos desperta para q tomemos posição contra os preconceitos tão comuns associados a esse machismo, cada uma de nós a sua maneira e com seus recursos, mas unidas em torno do ideal de igualdade.

Celia disse...

Olá Lola, muito obrigada por divulgar minha poesia, fico feliz que tenha gostado dela.

Sobre os outros assuntos do seu post, nossa, que professorzinho esse, de Direito ainda! Me lembra que sexta cheguei ao trabalho e tinha uma bexiga rosa na minha mesa, com uma flor cheia de purpurina dourada, que se espalhou todo o lugar (devo ter respirado purpurina também). Para arrematar, um almoço com as mulheres da empresa e brindes de beleza, como cremes antirrugas, hidratantes, sabonetes, batons, etc. Ah sim, eu gosto de usar produtos de beleza e higiene pessoal (homens também, suponho...), mas me dá vergonha pensar que a imagem da mulher automaticamente é atrelada à vaidade, beleza, futilidade e símbolos de fragilidade.

Cética disse...

É um soco no estômago mesmo,a cada idiotisse machista que é jogada na sua cara e em situações em que o contexto nem "justifica" a agressão ( você tem que ficar preparada o tempo todo,pq alguém certamente vai,mesmo se estiver falando sobre astrologia ou o cocô do cavalo,dá um jeito de encaixar alguma asneira machista). A única coisa "boa" disso tudo é que volta e meia ( quando o machista idiota descarrega seus detritos mentais nos outros) isso tem um efeito positivo,como aconteceu com você.

Marcela disse...

Que poesia maravilhosa, arrepiei!
Infelizmente o machismo pode estar em todos os lugares..

Anônimo disse...

Eu assisti ao vídeo e vejo os comentários no youtube um tanto preconceituosos. É aquela coisa da transferência de responsabilidade chamando de ditadura gay ou feminazismo que vem dentro de "movimento", entre aspas, pois eles não mostram a cara porque sabem ter na mídia pessoas como o Wellington, Emerson, Marcelo em evidência, criminosos, psicopatas e mentes doentias que eles jogam para o lado de quem não estar de acordo com as idéias inférteis, manifestações via rede odiosas. Patologinização da homossexualidade, pois gays, lésbicas, mulheres ou quem não concorda e retruca, coloca em cheque argumentos retrógrados o rebate é ofensivo, desdenhoso. Os comentários no youtube por parte de seres tão covardes são de forma sexual, preconceituosa, mas nada me espanta. Brasil, onde um Marco Feliciano diz ser brincadeira pedir a senha de um fiel em um culto, então atitudes de pessoas como Emerson, Marcelo, Wellington, sites de ódio são nada mais do que uma brincadeirinha. Jair Bolsonaro pediu para os manifestantes voltarem ao zoológico é brincadeira e olha que tem pessoas que tem como ídolos estes senhores.

Priscila disse...

Off-topic:

Lola, fui abrir o link da entrevista (que está fantástica, aliás) e dei de cara com isto nos vídeos relacionados:

http://www.youtube.com/watch?v=z6ApaMBqxeM

[Atenção: contém spoilers]

"- E aí eu fiquei sabendo que [a animação] era 20th Century Fox.

[silêncio]

- Você não ficou espantado com isso?

- Não."

Hahahahahahahahahahaha SHOREI =D

Se vocês dois criarem um videolog de críticas de cinema, vai dar (quase) mais ibope que o blog.

Marcia disse...

Olha, eu sou formada em direito e posso dizer: oh lugar para juntar gente machista e sem noção!

Meu curso de direito penal II, quando analisamos o crime de estupro...bem, eu não tenho coragem de repetir aqui o que ouvi de professores, colegas...
Mas não é atoa que as instituições voltadas para o recebimento de denúncias são péssimas como são.

Anônimo disse...

Lola, por favor, assim q puder poderia escrever não só sobre o goleiro Bruno, mas tb sobre o caso Mizael ( relacionado ao assassinato da advogada Mercia), que está sendo julgado hj? Ainda não foi dado o veredicto nesse caso, mas creio q ele será condenado e se for, acho q ganhará uma pena maior q a do Bruno. Acredito q, no caso do goleiro, infelizmente houve uma relação entre o estilo de vida da vítima e a pena concedida, visto q no caso Eloá a pena foi muito maior q no caso Elisa. Ou seja, mesmo assassinada a mulher continua sendo julgada e condenada.

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Uma vez tive uma professora de história que veio com esse discursinho furado de que as mulheres foram bobas, deveriam ter ficado quietinhas em casa. (Detalhe que hoje em dia ela está divorciada e mantendo um bom padrão de vida, o que seria quase impossível se vivesse antigamente.)
Infelizmente na época era muito nova, me senti mal com aquilo, mas não soube retrucar.
Se fosse hoje em dia, eu responderia que nada a impede de se casar com alguém que vá sustentá-la e que se torne dona de casa, mas que não queira tirar de todas as mulheres, a oportunidade de serem independentes financeiramente.

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Como os mascus te amam, hein?
Ainda tem um dizendo que você divulga a tal causa deles. É de rir mesmo.
Claro, divulga o quanto são otários. Mas ainda acho que com os comentários deles, eles queimam muito mais o próprio filme que qualquer coisa que você possa dizer contra eles.
Se queimam sozinhos.

João disse...

Como essa fala do professor pode ser considerada machista? Se essa fala ocorreu no contexto que imagino, ele disse que o feminismo ainda não conquistou tudo o que precisa para atingir a igualdade verdadeira, sobrecarregando as mulheres. Vocês não são a favor da divisão de tarefas domésticas?

Vanessa disse...

Dia 08/03 encontrei com meu namorado que saia da fábrica onde trabalha e confesso que me esqueci da data, quando vi duas meninas com rosas na mão, aí ele pensou o mesmo que eu e disse...Tinha uns caras na fábrica que estavam desejando feliz dias das mulheres para as que eles achavam bonitas, ele questionou o porque daquilo e responderam que quando eles diziam aquilo logo ganhavam um sorriso e a simpatia delas. Na hora eu repensei os anos que ganhava felicitações por esse dia e comecei a me questionar e refletir sobre essas "homenagens". Quando cheguei em casa vi muitas feministas inclusive aqui falando dessas homenagens desses parabéns carregados de machismo. Me lembrou no colégio aquela velha frase. Feliz dia das mulheres, e aproveitem, os outros são nossos. É o velho machismo nos tratando feito nada, que raiva....

Anônimo disse...

Off-topic

http://2.bp.blogspot.com/-S9TY7fPPUsc/UTTtesq6aeI/AAAAAAAAAqc/XWjMV3yEObc/s1600/Cartaz+final+5%C2%BA+EME+da+UNE.png

Anônimo disse...

Meu nome é Lucas e sou feminista. Posso afirmar que me descobri feminista quando abri os olhos e descobri o mundo machista em que vivo... Piadas, estupros e qualquer tipo de violência contra a mulher sempre foi 'mascarado' pela sociedade patriarcado e por isso não enxergava a verdade. Obrigado mulheres pois são vocês que fazem deste mundo ser justo pra todos... Simplesmente por serem mulheres. Muito obrigado

Carolina Lucas Paiva disse...

Uma vez que você se descobre feminista, não dá para voltar atrás. Muita "piadinha" não vai ter mais graça, a gente acaba se distanciando de certos "amigos" e descobrindo outros, e o que é melhor, sendo mais crítica ou crítico consigo mesmo e com o mundo.

Quanto a isso do Kinder Ovo e Kibe Loko. Gente, que idiotice! Eles querem ser os guardiões dos ovos de páscoa agora, protegendo-os das garras das feminazis ingratas com o patriarcado? Só rindo mesmo.
Essa mania de dividir tudo por gênero tá passando dos limites. Daqui a pouco meninos e meninas nem saberão mais como interagir uns com os outros. Segregação de brincadeiras (e comida, roupas, produtos de higiene, material escolar, jogos de tabuleiro, videogames, sapatos, etc) bizarra.

Vivian disse...

Bem vinda ao time!!!!!!!!!!!!!!!

Um abraço forte,

Lillian Cardoso disse...

@Augusto, eu fiquei desolada com esses novos Kinder Ovos. Sério mesmo, fiquei super chateada quando vi a propaganda. O que eu achava genial nesses ovos é que todos os brinquedos eram praticamente unissex. Qualquer criança poderia se divertir com eles. Agora, tome essa segregação de gêneros desnecessária na nossa cabeça.

Quanto à infeliz colocação do professor... de fato, ela é extremamente boçal e machista. Mas infelizmente, existe um fundo de verdade nela. Tem muita mulher que tem jornada dupla porque o maridão lindão não quer saber de ajudar em casa, então a coitada se esfola no trabalho, aguenta sapo de chefe o dia inteiro, daí chega em casa e tem que aguentar marido reclamando porque a janta não tá na mesa. Isso quando não tem a jornada tripla, porque o bonitão, que não tá nem um pouco cansado, ainda quer sexo toda noite. Vejo isso diariamente entre colegas de trabalho e, pra mim, é revoltante.

Julia disse...

B., não fique chatiada. Na verdade os machistas tem raiva porque não tem "um dia pra eles" e despejam as piadinhas e comentários machistas pra descarregar essa raiva na gente.

Acham que somos privilegiadas por termos "um dia".

Sim, acredite, eles são patéticos a esse ponto. Depois que entendi isso agora aproveito pra rir da cara deles.

Fora que tem os que a Vanessa descreveu que dão parabéns e rosas pra ganhar uns pontinhos. Mas logo a mulher descobre que é babaca e os pontinhos escorrem pelo ralo.

ps: eu sei que existe o dia internacional do homem, mas isso não é suficiente pra eles.

Bibiano Girard disse...

Lola, foi esplêndido ter te ouvido. Grande ensinamento a nós. Um forte abraço, Bibiano Girard, Santa Maria, RS.

MonaLisa disse...

Lolinha, não te conhecia por vídeo, vc é linda e parece uma menininha falando. Obrigada por dedicar seu precioso tempo pra nos ensinar sobre feminismo e percebermos que não estamos sozinha.

Me considero feminista desde sempre, por sempre bater de frente com imposições machistas (por exemplo, meu pai querendo me obrigar a serviços domésticos e eu diria que só iria se meu irmão fosse tbm, do contrario preferia apanhar. Então ele frequentemente apanhava tbm. kkkk), mas naquela época eu não tinha argumentos, só sabia que era injustiça homens não terem as mesmas obrigações que mulheres porque eram homens.

Bjussss ^^

Eva disse...

Foi uma caminhada meio longa para que eu me descobrisse feminista. Apesar de participar da militância na década de 90, não me passava pela cabeça o quanto essa nossa luta ainda é extremamente necessária. Precisei passar por um grande choque pessoal, que ainda reverbera na minha vida, para me dar conta de tudo de muito ruim que o machismo causou na minha vida até hoje - e quando você se dá conta do quanto o machismo influiu negativamente na sua vida, fica mais fácil perceber o quanto dos seus comportamentos pessoais estavam sendo validadores, e de que temos de mudar. Continuo em processo, ainda, porque é muito difícil se livrar de toda a carga de opressão do dia para a noite, mas ao menos agora sei onde está meu machismo introjetado, estou trabalhando com ele, e lidando com isso da mesma forma como lido com o machismo que vem de fora: não aceito e ponto.

Nesse processo, perdi muitos "amigos" que achavam que tudo era "piada", afastei várias pessoas que, sinceramente, hoje vejo que não faziam diferença alguma. Em compensação, pude conhecer outras pessoas maravilhosas. Espero que mais homens e mulheres descubram o que o feminismo realmente é.

Aliás, de tanto falar com o Huan sobre isso, e depois de ler sobre o movimento A Call to Men, estava pensando sobre o espaço para a reflexão masculina dentro do feminismo e como a gente pode abraçar isso, tanto nos homens que despertam, como o já vi muitos comentários de homens hétero e cis aqui e em vários lugares, quanto para as novas gerações. E concluí que eu adoraria sim ver homens criando espaços de reflexão sobre o que é "ser homem" dentro do feminismo, sabe, uma proposta de desconstrução da proposta patriarcal e reconstrução de um novo "ser homem", sem a necessidade de tratar ninguém como inferior. Enfim, são pensamentos soltos por enquanto.

Hades disse...

"Parabéns pelas mulheres que queimaram seus sutiãs por mais trabalho, saíram às ruas e conseguiram o que queriam; agora trabalham em casa e na rua"

Esse comentário ficou tão irônico que pode apoiar tanto o machismo, ao dizer que o feminismo é um movimento idiota, quanto o feminismo, como frase de protesto.
Mas pelo contexto parece ser o 1º caso.

Marcelly disse...

O CemHomens infelizmente é mesmo bem machista cheiiinho de Slut Shaming..
não curti..lis uns 10 textos..e trechos de mais alguns...
achooo blog tão util quanto o Femen pra causa feminista..



João..

convenhamos..não foi isso que ele disse..VC está dizendo isso agora..ele não..e é obvio que queremos divisão de tarefas...uma divisão justa..eh obvio que se eu for asistente social e trabalhar só trinta hrs por semana e meu marido for pedreiro e trabalhar 50 hrs por semana eu que vou fazer a maior parte das tarefas.e o contrario deve ser valido tbm...procuramos equidade...nunca deixe ninguem dizer que o feminismo busca algo difernte disso..EQUIDADE...

Priscila disse...

Valeu, Lucas, e benvindo ao time feminista, mas nós não fazemos o mundo mais justo "apenas por sermos mulheres". Fazemos o mundo mais justo por sermos feministas. Inclusive você. ;-)

Anônimo disse...

Concordo com o Huan Icaro Piran, acabei o mestrado agora e garanto que a pós está cheia de idiotas.

Charles disse...

Não entendi seu texto. O que o seu professor disse é verdade.

Anônimo disse...

ao postar um poema, poste como poema. ao se transcrever no corpo do texto separando os versos com barras, você mata o poema.

Cora disse...


joão,

o cara disse:

"Parabéns pelas mulheres que queimaram seus sutiãs por mais trabalho, saíram às ruas e conseguiram o que queriam; agora trabalham em casa e na rua".

os grifos são meus.

primeiro, dizer “queimaram sutiãs” já demonstra q ele vê o feminismo com estereotipia. td mundo sabe q não houve “queima de sutiãs”.

depois, dizer q fizeram isso “por mais trabalho”, tira qq dúvida q poderíamos ter sobre a intenção dele de ridicularizar ou ironizar um movimento importante e q contribuiu muito com a melhoria de vida das mulheres.

e não só pq a luta não foi “por mais trabalho”, e sim pelo reconhecimento do trabalho feminino, mas justamente pq ainda não há equidade.

a fala dele é td ridicularizadora, mais até do q preconceituosa.

por isso incomodou a autora. incomodaria qq mulher não alienada. qq pessoa não alienada.

não há boa intenção no q ele disse. apenas ironia. e ainda vindo de um profissional das leis... putz! torna td mais lamentável.

e isso q não escutamos o tom de voz e nem vimos as expressões faciais.

fico só imaginando o quão nojenta deve ter sido a situação e o quão boçal deve ser esse cara.

Cora disse...


e aí eu penso:

qual a reação mais adequada?

toda a sala rir, mesmo aquele riso amarelo, só pq o boçal é professor?

ou

o cara levar uma baita vaia (ou outra coisa qq q mostrasse q ele tá errado) de tds as mulheres presentes, q só estão onde estão pq muitas antes delas conquistaram esse direito para tds as mulheres?

é na reação q derrotaremos o machismo.

temos q rechaçar TODA E QUALQUER atitude machista. ninguém precisava agredir o boçalzinho. mas deixá-lo desconfortável era o mínimo. mostrar indignação era necessário. o riso, mesmo amarelo, mostra q ele ainda tem mais poder.

Julia disse...

"temos q rechaçar TODA E QUALQUER atitude machista. ninguém precisava agredir o boçalzinho. mas deixá-lo desconfortável era o mínimo."

Concordo plenamente e coloco isso em prática no dia a dia.

Anônimo disse...

"O CemHomens infelizmente é mesmo bem machista cheiiinho de Slut Shaming..
não curti..lis uns 10 textos..e trechos de mais alguns..."

Caramba eu achei que era só comigo... acho esse blog horroroso, machista, um desserviço ao feminismo e muito me admira que a autora ainda se diga feminista e se proponha a iniciar outras pessoas no feminismo, é de chorar mesmo, parece piada.