domingo, 10 de março de 2013

A MENTALIDADE QUE ESTUPRA

O mundo é pequeno. Dois posts que eu pensava não ter relação nenhuma: este, da Frente Feminista de São Carlos contando como foi hostilizada por alunos machistas da USP por protestarem contra o trote da Miss Bixete, e este, um relato de uma moça que foi estuprada numa festa universitária após ter bebido demais.
Pois bem, agora recebi um email da moça que foi estuprada, a R. E ela me diz que seu estuprador foi um integrante do GAP (Grupo de Apoio à Putaria), o mesmo grupo da USP São Carlos que promove trotes machistas, o mesmo grupo que agride feministas.
O estupro foi em 2008, e ela não deu queixa. Porque, como ela contou no guest post, ela só teve certeza que foi estupro anos mais tarde. Ela era aluna da USP São Carlos, ele também. Ela não sabe por onde anda seu estuprador hoje. Mas achou que era seu dever informar –- mesmo correndo o risco de perder seu anonimato -– que a violência de um grupo misógino pode ir além de transformar calouras em objetos ou de jogar bombinhas em feministas.
Não estou dizendo, de jeito nenhum, que todos os integrantes do GAP sejam estupradores. Muito menos que todos os alunos da USP São Carlos sejam estupradores. Agora, que todos os integrantes do GAP sejam machistas, bom, acho que não resta muita dúvida. As fotos e imagens e depoimentos não mentem. 
O mais bonzinho dos integrantes do GAP (aquele que condenou seus colegas por mostrarem o pênis) disse pra um jornal que não deixaria que a namorada dele participasse do Miss Bixete. Deixaria -– essa foi a palavra que ele usou. Porque, obviamente, a namorada precisa da permissão dele pra fazer o que quiser com o corpo dela.
Fica patente também que o tal GAP defende uma putaria unilateral. Uma putaria só pra homens. O desejo da mulher não importa. Pelo contrário, incomoda. O desejo da mulher é uma afronta pros machistas, que precisam estar no controle. Sem dominação, pra eles, não há tesão. Não é à toa que o símbolo de sua ideologia seja uma boneca inflável. Não se faz sexo com uma boneca inflável, se faz sexo em uma boneca inflável. Não se faz sexo com uma mulher desacordada, se faz sexo em uma mulher desacordada. Só que, como a mulher é um ser humano autônomo com poder de consentimento, nesse caso o sexo tem outro nome –- estupro.
Nada disso é exclusividade de São Carlos. Aliás, imagino que a inspiração para “brincadeiras” machistas, contratar prostitutas para animar festas, fazer sexo sem consentimento, e agredir qualquer mulher que ouse protestar, venha dos frat boys americanos. Sabe aquelas festas de fraternidades que a gente vê nos filmes adolescentes? O número de estupros com mulheres inconscientes nas universidades americanas é alarmante. Claro, tem gente que culpa a mulher que bebeu demais. E tem gente que culpa o estuprador. Em que grupo você está?
A culpa é de uma mentalidade que vê a mulher como objeto, nada muito diferente de uma boneca inflável. De uma mentalidade que vê a mulher como um ser incompleto, só corpo, um ser inferior ao homem, este sim agente do seu desejo. De uma mentalidade que enxerga homens e mulheres como seres de espécies diferentes, como rivais, sexos opostos, em que um sexo deve subjugar o outro.
Se acabarmos com essa mentalidade arcaica, diminuiremos o número de estupros. Se a incentivarmos –- e é isso que o GAP faz através de seus trotes e agressões -–, teremos cada vez mais histórias de horror pra denunciar.

161 comentários:

Marcelo T. disse...

Sou totalmente contra esse tipo de atitude... acho desprezível qualquer tipo de interação que promove a desqualificação do ser, independente de qualquer coisa...

Clara disse...

Não é curioso como os machistas usam "Putaria" como algo enaltecedor e "Puta" como xingamento? Esse povo precisa se decidir urgentemente.

E sobre a história de "bebeu demais" como causa e ser estuprada como consequência, tenho a forte convicção que todo mundo, eu disse TODO MUNDO (independente do sexo) que apoia essa idéia se não for estuprador de fato, é altamente conivente com isso, sendo, portanto, farinha do mesmíssimo saco.

João disse...

Eu acho o miss bixete ridículo, mas as estudantes não são obrigadas a fazer parte dele. Vocês não estão indo contra a liberdade sexual de outras mulheres ao protestar contra isso?

Marussia de Andrade Guedes disse...

Quer dizer que os integrantes do GAP tem namoradas ? Então seria coerente colocar na lista dos culpados as mulheres que aceitam as imposições destes machistas. Opa,neste blog, é politicamente incorreto criticar mulheres. Aqui, mulheres nunca são culpadas!

Patty Kirsche disse...

Olha, de boa... Não tem como não perceber que trote universitário está relacionado a conservadorismo político (http://www.pco.org.br/entrevista-da-semana/o-trote-e-fundamental-para-formar-uma-falange-politica-coesa-e-obediente-que-vai-fazer-aquilo-que-as-pessoas-que-estao-no-topo-da-hierarquia-mandam/izsi,i.html#). Eu arrisco dizer que esses caras são todos de direita. E naturalmente contra cotas. Fiquei enojada ao ver as fotos do incidente. Assim que vi as simulações com as bonecas infláveis, percebi a gravidade da questão. Não se trata de estupro para o prazer do estuprador, mas de estupro como ferramenta de controle do comportamento das mulheres. O que eles estavam fazendo ali era uma grande ameaça contra as feministas. Não foi a toa que alguns mostraram o pênis. Simbolicamente, eles querem que elas temam os falos, pois podem ser agredidas por eles.

Anônimo disse...

Esse texto um texto do Bule Voador, que dá dicas de como evitar um estupro:

"Este é um post sobre como não encorajar estupradores. Sobre como, através das suas atitudes, você pode diminuir as chances de que um estupro aconteça. Ele é baseado em estudos americanos a respeito do modus operandi de estupradores, além de estudos ingleses e australianos sobre estupro. No entanto, ao contrário da maioria dos conselhos circulando por ai a respeito disso, esse não tem nada a ver com o tamanho da sua saia. Ou com quem você sai, a que horas ou para onde. Ou com quanto interesse você demonstra em sexo."

http://www.bulevoador.com.br/2013/01/evitando-o-estupro/


E, já que já falei do texto acima, gostaria que essas pessoas que volta e meia vem aqui culpar a vítima dessem uma olhada no seguinte texto (sim, ele é grande, mas vale muito a pena. Se a preguiça for maior, por favor leia só a parte com o título que vc tem dificuldade):

http://www.bulevoador.com.br/2012/01/o-que-um-estupro-nao-e/

Mordred Paganini disse...

https://apps.facebook.com/quizmaker/quiz.php?quizid=121650&fromresult=1

Aqui gente! Teste para saber se você é ou não estuprador. Não percam!!!

Anônimo disse...

"Quer dizer que os integrantes do GAP tem namoradas ? Então seria coerente colocar na lista dos culpados as mulheres que aceitam as imposições destes machistas. Opa,neste blog, é politicamente incorreto criticar mulheres. Aqui, mulheres nunca são culpadas!"

Bem que a namorada deles podiam ir contra o movimento, né?

Mordred Paganini disse...

Clara disse...

"E sobre a história de "bebeu demais" como causa e ser estuprada como consequência, tenho a forte convicção que todo mundo, eu disse TODO MUNDO (independente do sexo) que apoia essa idéia se não for estuprador de fato, é altamente conivente com isso, sendo, portanto, farinha do mesmíssimo saco."
_____________________________

FAAAAAAAAAATO.

_____________________

" Então seria coerente colocar na lista dos culpados as mulheres que aceitam as imposições destes machistas."

_____________________________

Assim como a culpa é de quem é assaltado e resolver passar a carteira e o celular!

Claro que as validadoras do patriarcado incomodam e eu mesma vivo batendo boca com esta espécie curiosa. Mas não é sobre elas o foco. Tão difícil de entender?

Marcelo T. disse...

http://escrevalolaescreva.blogspot.com/2013/02/guest-post-nao-mexa-em-mulher.html?showComment=1360761178393#c3654179374994765097


uma opinião que eu concordo...

Catarina disse...

Oi Lola. Meio fora do assunto mas essa pergunta me atormenta: por que chamar o estuprador de "meu/seu estuprador"? Quando isso iniciou (pronomes possessivos para descrever um estupro ou estuprador)? Essa abordagem ajuda de alguma forma?Obrigada por responder!

Priscila disse...

Marussia,

você é culpada pelo que x sux namoradx faz? ¬¬

Patty Kirsche disse...

Ah Lola, sei que é off-topic, mas estava conversando com minha mãe... Ela falou sobre ter visto no Faustão a mulherada apaixonada por um tal de Russo, um personagem muito ruim da novela das 21h00. Ela estava com vergonha da reação do auditório porque o personagem é traficante de pessoas, explora mulheres sexualmente, estupra/tortura/espanca as moças que escraviza, enfim... Como um cara que destrói mulheres pode ser entendido como sexy pela audiência feminina???

Marussia de Andrade Guedes disse...

Priscila :
Eu jamais namoraria e muito menos casaria com um machista . Por eles eu só tenho desprezo.
Como uma feminista consegue se apaixonar por um machista? E , na minha opinião , toda mulher deveria ser feminista.
Moderes:
Que eu saiba o foco do feminismo é a mulher, não ?

Anônimo disse...

Ser assaltado e a festa da faculdade são situações idênticas...
Por favor né.no assalto vc n tem escolha,vc entrega suas coisas ou morre.
Na festa todo mundo tinha a opção de ir embora.

Marcelo T. disse...

"Ah Lola, sei que é off-topic, mas estava conversando com minha mãe... Ela falou sobre ter visto no Faustão a mulherada apaixonada por um tal de Russo, um personagem muito ruim da novela das 21h00. Ela estava com vergonha da reação do auditório porque o personagem é traficante de pessoas, explora mulheres sexualmente, estupra/tortura/espanca as moças que escraviza, enfim... Como um cara que destrói mulheres pode ser entendido como sexy pela audiência feminina???"


Isso não é novidade, me desculpem por esquecer o nome, mas teve um caso de um criminoso e estuprador nos EUA, que quando preso recebia muitas muitas cartas de amor, presentes e tudo o mais...

Anônimo disse...

O feminismo de vcs é muito extremo,querem passar a idéia de que seja o que for que nós façamos ,n devemos ser responsabilizadas por nada.

Todos os nossos atos são culpa de pressões sociais,opressão...
Nós somos vitimas de muitas coisas mas n de tudo.

E quando a gente critica a atitude de alguma mulher vcs logo concluem que somos a favor de que mulher seja violentada,espancada,humilhada...

Luciana disse...

Lola, apesar de eu já imaginar boa parte da sua opinião sobre isto, gostaria de saber se você teria algo de interessante a dizer sobre este curta-metragem, que tem bastante a ver com sua postagem: http://www.youtube.com/watch?v=aP6b7KxozZM

Mordred Paganini disse...

O feminismo de vcs é muito extremo,querem passar a idéia de que seja o que for que nós façamos ,n devemos ser responsabilizadas por nada.

________________________

O que se combate aqui é a ideia de que a mulher seja responsável por abusos sofridos.

Culpabilizar a mulher nada mais é do que uma "estratégia marota" para poder convencer a si mesma de que você não sofreria as mesmas coisas.

Mas algum dia você pode casar, comprar uma casa, ter um filho e bam! Sua vida vira de pernas para o ar, seu marido começa a te trair de te tratar de maneira abusiva, fica cada vez menos com você, etc.

Daí você com um filho no colo e 30 anos de prestações da casa que você comprou com o infeliz para pagar se vê em uma situação de abuso e vai sair como?

Pode acontecer com qualquer uma e eu não acho que dê mesmo para se precaver de qualquer abuso.

Imagine por exemplo que seu chefe te assedia sexualmente e você se sustenta sozinha e ainda por cima tem um filho. Daí você procura outro emprego desesperadamente e não encontra nenhum. O que você faria?

Se você ficasse desempregada e passasse a depender de um cônjuge até pra comprar absorvente e neste ínterim ele começasse a te tratar mal, já que você agora é propriedade dele?

Mulheres abusadas o são porque a convivência com situações de abuso começa ainda em tenra infância. Desde muito cedo se aprende que ser mulher é ser menos e poder menos.
Uma pessoa criada para obedecer e depender de alguém é extremamente vulnerável a situações de abusos das formas mais diversas.
É a pessoa submissa ao namorado/marido, é a que não faz nada quando assediada pelo chefe, que não faz nada quando abusada no transporte público e que muito possivelmente também foi abusada na infância.

A sujeição da mulher é reforçada o tempo todo e as mulheres que nunca estiveram em situações de abuso ou são muito sortudas ou muito empoderadas.

Então, senhora, a forma de fazer com que estas coisas não mais aconteçam é trocar abrir mão de apontar o dedo e dizer "a culpa é sua" e entender como você pode fazer com que mais mulheres sejam empoderadas.

Anônimo disse...

Marussia

Vc não só quer culpar mulheres que namoram machistas, como tb quer culpar aquelas que são monogâmicas, que querem casar, que são donas de casa, que gostam de maquiagem, que vão à Igreja, colocando todas num mesmo saco. Como se só vc, ó salve salve, fosse instruída o suficiente para ser livre. E para vc, ser livre é estar de acordo com as SUAS convicções. Qualquer mulher que conscientemente opta por qualquer coisa que vc não concorda, é uma alienada, ou uma machista odiadora de outras mulheres. Dá um tempo.

Criticar as namoradas desses caras não é o foco. Elas por acaso estavam incitando violência? Mandando os seus namorados botarem o pau pra fora para ofenderem as feministas? Elas que foram comprar as bombas para eles tacarem nas pessoas? Elas que ajudaram nos estupros?

Nada a ver querer meter essas mulheres no meio.

Anônimo disse...

O que são esses homens que dizem que no blog "as mulheres nunca são culpadas"? Será que dá para ler os posts antes de vir vomitar a ignorância nos comentários? É tenso. Mais brasileiros tem que começar a ler urgente.

Anônimo disse...

E , na minha opinião , toda mulher deveria ser feminista.

Parabéns! Acabou de dizer na sua opinião, mas lembre-se nem todas as mulheres pensam como você e não tem o mesmo ponto de vista. Julgar é fácil.

yulia2 disse...

Não se trata de estupro para o prazer do estuprador, mas de estupro como ferramenta de controle do comportamento das mulheres. O que eles estavam fazendo ali era uma grande ameaça contra as feministas. Não foi a toa que alguns mostraram o pênis. Simbolicamente, eles querem que elas temam os falos, pois podem ser agredidas por eles.
_________________

Exatamente , uma AMEAÇA das mais abjetas nojentas e covardes.
Cabe ao movimento rechaçar e não se intimidar com esses LIXOS IMUNDOS travestidos de universitários.

yulia2 disse...

Todos os nossos atos são culpa de pressões sociais,opressão...
Nós somos vitimas de muitas coisas mas n de tudo.
__________________
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

coitadinho de vcs, estou chorando de pena.....sério...

como vcs são pressionados .... pobre estupradores vagabundos, pressionados a estuprar....
pobre vitimas do mundo.

vai catar coquinho na serra, vai!

Rose disse...

Pode ser que não sejam todos estupradores, pode ser que estejam apenas esperando uma oportunidade.

Anônimo disse...

"A sujeição da mulher é reforçada o tempo todo e as mulheres que nunca estiveram em situações de abuso ou são muito sortudas ou muito empoderadas."

E quando sua própria família se coloca contra você, seja por incompreensão, má-vontade ou medo da filha voltar pra casa com os netinhos de brinde?

True story: sou filha única e jurava de pés juntos que tinha um ótimo relacionamento com minha mãe. No meio do ano passado, as coisas começaram a ficar estranhas na minha vida conjugal e eu e meu marido já estávamos conformados com a idéia do divórcio, mas entre nós dois a coisa corria na maior civilidade, mesmo. A gente nunca levantou a voz um para o outro nesses quase 15 anos de vida em comum entre namoro e matrimônio, tudo estava sendo acordado no maior amor, carinho e respeito.

Ainda assim terminar casamento é uma merda. Então eu, no auge da inocência, resolvi desabafar com a minha mãe. Pessoa culta, viajou o mundo todinho, poliglota, entendidíssima das coisas do céu e da terra e já mencionei que ela é minha mãe e que eu sou filha única? Muito bem, a doce genitora começa a me acusar de estar traindo meu marido com meu cunhado.

Daonde ela tirou isso? Não sei.
A acusação era infundada? Era, mas ainda que não fosse, nem nos mais delirantes sonhos da minha mãe esse problema seria, em qualquer grau, de sua conta.

Mas estava lá eu abrindo meu coração e ela vomita isso em cima de mim, na maior solidariedade e compreensão (ao contrário) que a pessoa que vos escreve já recebeu em seus quase quarenta anos de idade.

O que me chateou não foi a acusação de adultério. Mas imaginar o cenário caso a minha situação fosse diferente.

E SE meu marido estivesse me batendo, me maltratando, mantendo a mim em cárcere privado, abusando de filhos, controlando dinheiro, meu corpo e minha vida?

Não foi o caso, mas E SE?

Uma coisa é o mundo mandar você se fuder, outra é A PORRA DA SUA MÃE fazer uma coisa dessas contigo.

Eu e meu marido acabamos nos entendendo mas eu e ela, esquece.

Felipe disse...

Estudei na unesp de presidente prudente. Esses lixos estão por toda parte. Boicotam qualquer tentativa de mobilização, principalmente as que envolvem greves, pois alegam não querer perder suas férias ociosas estudando. Um bando de imbecis que se acha superior. Geralmente são os playboys dos cursos de exatas, como engenharia e computação.

Marussia de Andrade Guedes disse...

Quem disse que , neste blog, as mulheres nunca são culpadas fui eu, Marússia, uma mulher e não um homem.
Viu como eu tenho razão ? Mulher aqui nunca é culpada!
Anônimo :
Vamos, então, dar os parabéns para as mulheres que namoram caras que incitam a violência , que mostram seus pênis para atacar feministas, que compram bombas pra jogar nas pessoas e que estupram. Parabéns pra essas mulheres!
E eu acho que feminismo é incompatível com religião . Basta ver o conclave que vai haver para eleger o papa. Alguma mulher participa dele? Chega a dar náuseas ver aquela sala lotada de cardeais , todos homens, para tomar as decisões . Mulher só serve pra ficar do lado de fora, sob frio ou calor , para esperar a tal fumaça e começar a venerar o papa homem que os homens elegeram. Realmente , me envergonha ver mulheres se submetendo a isto. As religiões tratam as mulheres como seres inferiores.
Nunca critiquei maquiagem. Não perco tempo criticando o que não é importante.
Não critico nem defendo a monogamia. Critico a exigência de EXCLUSIVIDADE sexual. Essa exigência é utopia, infantilidade , egoísmo e crueldade.
Critico também as mulheres que fazem a opção de serem somente donas de casa. Sem a independência financeira a mulher não teria chegado onde chegou e nem chegará mais longe se abrir mão dela. Algumas mulheres querem ser respeitadas quando tomam a decisão de serem só donas de casa. Eu pergunto : se todas as mulheres tomarem esta decisão ? O que vai acontecer? Vamos jogar fora todas as conquistas . Por isso não vou mesmo defender a decisão de algumas que prejudica a causa feminista.

Anônimo disse...

Mordred como eu disse mulheres são vitimas de abuso mas n é sempre assim.
Uma mulher q esta sendo traida e tem emprego,n tem motivo nenhum para ficar aturando o cara.

Mas mesmo assim elas escolhem isso e ainda querem posar de vitima pq?

Yulia n sei como concluiu que eu sou homem,vc parece os mascus paranoicos q acham q qualquer um q concorde com eles é feminazi

Anônimo disse...

Concordo com a Marúsia em algumas partes. Já percebi que essa mania de vitimizar comportamentos e atitudes de algumas mulheres é bem frequente por aqui por parte das leitoras.

Por favor minha gente, namorar um cara desses não é ser vítima, é ser conivente com a atitude. Por que quem cala consente.

Vcs acham mesmos que estes caras do GAP escondem suas ideologias das namoradas? É claro que não. A maioria das namoradas até acha graça do que eles praticam. Portanto não passo a mão na cabeça de mulheres como essas.

Lívia Pinheiro disse...

Gente, que incapacidade é essa de entender que ser culpada de namorar um cretino não é sinônimo de ser culpada pelas cretinices ELE faz? Obrigada, Marussia, por me abrir os olhos: te declaro culpada de visão estreita umbigocentrista. Feliz?

Mordred Paganini disse...

"Por favor minha gente, namorar um cara desses não é ser vítima, é ser conivente com a atitude. Por que quem cala consente."
________________________

Já repararam que o "quem cala, consente" cabe direitinho na cultura do estupro?

Não é questão de passar a mão na cabeça destas mulheres. Ninguém aqui está dizendo que mulheres não colaboram com o patriarcado. Mas convenhamos, colaboram a troco de porra nenhuma, um verdadeiro tiro de fuzil no pé!

Me lembra algo como aquele escravo interpretado pelo Samuel L. Jackson em Django, sabe?
É mais ou menos este o papel que as validadoras exercem no patriarcado.
Só que o meu inimigo é o machismo, o meu inimigo é o abusador, o feitor, não o escravo cativo com certos privilégios, sabe?

E sim, uma mulher independente consegue sair de situações de abuso, geralmente.

Mas e quando tem filho pequeno?

E quando fica desempregada?

E quando não tem família?

Se aproveitar da fragilidade econômica ou emocional de alguém é que deveria ser visto como monstruoso.

Por isso eu digo sim: mulheres às vezes também são culpadas pelo machismo da sociedade.
Por outro lado, mulheres NUNCA são culpadas por sofrer abuso.

Rosilene Silva disse...

Muito bom seu post, sim o machismo é uma afronta, mas estupro já passou de machismo, é crime, patifaria!

Anônimo disse...

Ninguem esta falando em passar a mao na cabeça dessas mulheres, nem em tratá-las como vitimas. Mas focar a culpa nelas pra que?! Pra mostrar quem é feminista empoderada e quem não é? Pra citar quem presta um desserviço à causa?! Fico pasma com pessoas dentro do movimento cagando regra. Pregando a liberdade desde que essa liberdade esteja de acordo com o que VC acredita. Quem presta desserviço à causa é vc, Marussia.

Marussia de Andrade Guedes disse...

O que eu quero dizer é que o machista não sobreviveria se as mulheres levantassem a bandeira da tolerância zero.
Domingo passado, no Domingão do Faustao , foi eleita a melhor música do ano. Sabem qual foi? Camaro amarelo. Uma que fala como passou a chover mulher depois de ele ficar rico e comprar um camaro amarelo. A dupla que canta tá fazendo o maior sucessões diz que está sendo muito assediada pelas fãs . Como pode ? Os caras cantam uma música que retratam as mulheres como objetos a serem comprados e são SUPER assediados por quem ? Por mulheres.
Então, acho que devemos criticar esse lixo de música , os machistas que as cantam, mas também as mulheres que tornam esses caras ricos e famosos e fazem com que suas músicas machistas se espalhem feito vírus.
Acho que as mulheres que aceitaram participar do trote devem ser criticadas . Querem ser "aceitas" por um grupo de machistas? Aceitam se colocar como propriedades deles? Achei legal que havia mulheres se manifestando mas elas assumem uma postura passiva. Tipo: "temos idéias, não somos bonecas infláveis, não somos manipuláveis ". O que se pretendia com isso ? Que aqueles caras tivessem pena das mulheres? Vamos cair na real. A mudança tem que partir de nós. Os cartazes deveriam mostrar coisas do tipo: somos livres , transamos com quem desejamos , não desejamos machistas, machistas não tem cérebro, mulher que transa e aceita ordem de machista é submissa, só tem machista se tiver submissa...
Então as calouras teriam que escolher qual grupo agradar! Mas até agora os machistas é que vem levando a melhor.


Anônimo disse...

Concordo plenamente com a Marussia, feministas que não cortam os laços em definitivo com machistas ( seja pai,namorado, marido, amigo etc) não e feminista, e POSER.

jacmila disse...

Anonima 16:01

Sobre a "porra da sua mãe": um sentimento feio, mas humano, explica o q sua mãe fez: inveja.

É isso mesmo, sua mãe tem inveja de vc; sua mãe, q deveria ser sua melhor amiga e ampará-la em momentos dificeis, prefere, conscientemente ou não, competir com vc, te rebaixando moralmente.

Afirmo isso pq tenho uma estorinha parecida com a tua. Essa é uma da facetas mais revoltantes do patriarcado, do machismo, porque afinal, as mulheres, especialmente mãe e filha, deveriam ser mais solidárias umas com as outras - no sentido do empoderamento mesmo.

Espera a raiva baixar e tenta uma conversa feminista com a tua mãe.

Anônimo disse...

A logica de feministas como a Marussia e a seguinte:
Homens não conseguém viver sem mulher, então nos impomos, ou eles se enquadram, ou vivem mulher.
Mas e se os homens se imporem ? Azar deles, mulher vive muito bem sem homem.

Jéssica disse...

"poser" de feminismo

porque realmente, se declarar feminista sem ser e' so' vantagem, quem nao gosta de ser chamada de peluda mal-amada?

Carla disse...

Dizer q a mulher é sempre vitima de tudo ajuda muito...

Agora vocês estão negando mas só o que leio aqui é isso.

Sou muito fã da cantora Rihanna e também era do Chris brown,até o dia que ele a agrediu,não escuto mais nada dele e espero que ele se foda.

Na época,ela denunciou ele,se separou,fiquei feliz porque ela não ficou calada e ainda vi uma entrevista dela dizendo que nunca se relacionaria com homens que agridem mulheres,porque o pai dela agredia a sua mãe.(acho que foi antes de ser agredida).

Ironicamente,ela acabou com aquele traste do chris,mas agora uns três anos depois,vejo a noticia de que ela voltou para aquela babaca!!
Com certeza pra vocês ela é a vitima ,coitadinha,mas só o que eu consigo pensar,é como ela pode ser tão burra,voltou para ele por livre e espontânea vontade.

Porque agora ela não está sendo enganada,ela sabe do que ele é capaz.
Para mim ela está passando uma mensagem para ele de que o que ele fez,n foi nada demais!

Sara disse...

Não sou contra os trotes, eu participaria numa boa, gosto de me divertir, se os caras são machistas e querem se divertir com as garotas, eu tb sei muito bem me divertir com eles (mesmo pq se não for assim não tem jogo comigo).
Mas entendo q ha muitas mulheres q não querem participar disso, e elas TEM q ser respeitadas e jamais coagidas de qualquer forma.
Acredito q a manifestação feminista tenha sido nesse sentido, de defender a posição das mulheres q não queriam participar do evento, pq se foi no sentido de querer o fim dessa festa, sou contra.

Clara disse...

Eu acho absurdo querer revogar a carteirinha de beneficiária do feminismo de uma mulher porque ela OPTOU, note, OPTOU ser dona-de-casa e vai arcar integralmente com o ônus da sua decisão. Ela vai. Não a pessoa que busca cancelar o salvo-conduto do abuso e da porrada.

Anônimo disse...

"Não é questão de passar a mão na cabeça destas mulheres. Ninguém aqui está dizendo que mulheres não colaboram com o patriarcado. Mas convenhamos, colaboram a troco de porra nenhuma, um verdadeiro tiro de fuzil no pé!"

Então de acordo com o que você diz, a mulher só deve fazer algo quando se ganha algo em troca? ou algum benefício?


"Se aproveitar da fragilidade econômica ou emocional de alguém é que deveria ser visto como monstruoso."

É mesmo? então lute contra as grandes corporações capitalistas!

Também é monstruoso mulheres que se envolvem com homens por puro interesse financeiro, não acha?

Marcelo T. disse...


"Muito bom seu post, sim o machismo é uma afronta, mas estupro já passou de machismo, é crime, patifaria!"


Apoiado!

Marcelo T. disse...

"Ironicamente,ela acabou com aquele traste do chris,mas agora uns três anos depois,vejo a noticia de que ela voltou para aquela babaca!!
Com certeza pra vocês ela é a vitima ,coitadinha,mas só o que eu consigo pensar,é como ela pode ser tão burra,voltou para ele por livre e espontânea vontade."



Detalhe que ela é Rica, independente, bonita e famosa.

Marcelo T. disse...

"Camaro amarelo. Uma que fala como passou a chover mulher depois de ele ficar rico e comprar um camaro amarelo. A dupla que canta tá fazendo o maior sucessões diz que está sendo muito assediada pelas fãs . Como pode ? Os caras cantam uma música que retratam as mulheres como objetos a serem comprados e são SUPER assediados por quem ? Por mulheres."



Pior que a música não fala nenhuma mentira, e quem negar isso é Hipócrita, já assisti a uma reportagem em que a namorada de um cara que tinha um camaro, falava que adorava sair com ele, porque todo mundo ficava olhando.

Anônimo disse...

"Ironicamente,ela acabou com aquele traste do chris,mas agora uns três anos depois,vejo a noticia de que ela voltou para aquela babaca!!
Com certeza pra vocês ela é a vitima ,coitadinha,mas só o que eu consigo pensar,é como ela pode ser tão burra,voltou para ele por livre e espontânea vontade."

Ela também é babaca!

Julia disse...

Marussia,
você não acha que falando das namoradas desses caras você mão está desvirtuando a questão?

Porque no tópico do trote o foco virou "se as calouras eram ou não culpadas", aqui você desvirtuou um pouco pra culpa das namoradas.

Se eles fossem solteiros seria sobre a culpa da mãe deles?

Porque, não sei se você percebeu, mas sempre querem jogar a culpa no colo da mulher.


Eu já li, não foi uma vez só, que se um homem espanca a esposa é porque a mãe não ensinou ele a respeitar mulher. Inclusive eu li isso hoje, no facebook.

Os machistas já fazem esse tipo de questionamento (pra desviar a questão) não precisa feministas fazerem isso também.

Magrelinha disse...

Gente, querem discutir o problema de mulheres que ajudam o machismo? Façamos isso, mas atacar as namoradas dos caras agora, e cobrar da lola pq ela nao escreveu sobre não tem nada a ver. Vamos focar no problema real, que é esse gap.

Anônimo disse...

Lola td bem?

Queria propor um assunto ora gente discutir aqui (numa boa por favor !). Primeiro eu queria dizer que nao concordo com o que a Marusia falou sobre mulheres que escolhem ser so donas de casa, acredito que ninguem escolhe isso e somente isso nos dias de hj por pura e simples vontade.

Vou falar da minha experiencia sobre isso, me tornei dona de casa por um motivo que nem sei se eh justo citar como O motivo para eu ter me tornado dona de casa :a maternidade

Comecei a trabalhar super cedo com 14 anos, sempre batalhei por igualdade de cargo e de salario e sempre consegui ganhar o mesmo ou melhor que muitos homens na mesma posicao que eu nas empresas, e isso sempre com muito trabalho, certificacoes, etc...eu corria atras mesmo, sempre. Ha 5 anos eu me tornei mae pela primeira vez, assim como a amiga ai de cima que teve problemas com a mae eu tb tive com a minha, e nao encontrei apoio nenhum na familia em um momento tao delicado da minha vida, ainda mais pq se tratava de uma adoção complicada.

. Resumidamente, eu nao planejava ser mãe naquele momento, mas uma serie de fatores convergeram para uma maternidade em apenas 3 meses, eu nao tive tempo para planejar nada. Nem a minha rotina como mãe, esposa, profissional, nada...

Nao consegui conciliar emprego e filho, eu saia as 18hs do trabalho, ele as 18hs da escola que ficava ha 1:30 do meu trabalho, eu nao tinha com quem deixa-lo, nao posia delegar esse trabalho para uma baba pois como falei era um processo de adoçao complicadissimo. Meu marido viajava dias e dias a trabalho, e por mais que tentava nao conseguia chegar no horario para pegar o bebe na escola, depois de meses de cara feia do meu chefe pelos meus atrasos e saidas mais cedo, eu resolvi largar td e cuidar somente do bebe. Sei que vai ter quem fale que eu deveria ter dado um jeito, olha eu tentei, mas nao consegui, fiz de td, mas nao consegui conciliar meus horarios e ja estva no meio do processo, nao tinha como voltar atras, a emoçao foi maior que td no momento e acho que por conta dela me tornei dona de casa.....

Cont..

Anônimo disse...

Continuando...

Depois de alguns anos eu tive o segundo filho, tentei voltar a trabalhar, mas "ja era tarde", estava fora do mercado de trbalho ha muito tempo. Queria saber qual tua opinião Lola e as meninas tb sobre esse assunto de escola nao ter horario flexivel pra aluno que a mãe travalha fora, minha realidade é a seguinte: a maioria absoluta das mães da escola dos meus filhos nao trabalham fora pq ou nao tem familia pra dar apoio, ou o marido viaja muito, ou trabalha muito pra sustentar a casa (e nem adianta delirar que eles vao ficar em casa pra gente trabalhar fora que o argumento "eu ganho mais" impera entre eles, vcs sabem), ou nao trabalha fora pq nao pode contar com ninguem pra ficar com as crianças depois que elas saem das escolas no maximo as 18hs...horario esse que muitas estão saindo dos escritorios.l.

lLola nao deveria a escola ser um canal tb apoiador das liberdades femininas? Me perdoe a minha real ignorancia, mas as vezes sinto que me tornei dona de casa pq nao recebi suporte nem da familia, pra ser sincera nem do marido que nao trocou de emprego ( ta td em que ele ganhava mais que eu e a gente tinha casa pra e MUITO menos das escolas e foram varias ate Waldorfs. Sera ignorancia minha ou loucura achar que esse sistema tb nos empurra paro o limbo da pia/fogão qd nos tornamos mães?

Queria claro ser mãe, mas nao só e somente só isso. Qual tua opinião querida Lola?

Beijo, fique bem. K.

yulia2 disse...

Yulia n sei como concluiu que eu sou homem,vc parece os mascus paranoicos q acham q qualquer um q concorde com eles é feminazi
________________

tudo leva a crer que é um mascu, se não for trata-se então de uma validadora bem imbecilizada.
passar bem.
Essa de ter dozinha de estuprador, é demais!

Sara disse...

Eu sempre acreditei q a maternidade é o calcanhar de Aquiles do feminismo, o depoimento da anon 20.47hs é simbolico do q eu penso.
Ha muitas variações, mas todas, o mesmo tema "maternidade", nem todas nós vamos ter estrutura psicológica, fisica,ou material para o embate da maternidade, queiramos ou não ela nos torna fragil, dependentes...

André disse...

Yulia2,

Pega leve. No outro post você chamou de travesti uma moça da qual discordou, agora acha que outra moça de quem discorda é homem.

Igor disse...

Essas "validadoras do machismo" são um porre, mesmo. E o pior que são maioria por onde eu vivo.
Infelizmente, um homem feminista tem a má fama de ser "fácil", "desesperado" ou "neurótico". Mas quando tem algum homem que fala asneiras machistas (ex: Edu Testosterona), sempre vem um monte de mulheres correndo para eles tentando mostrar que "ela é diferente, especial, que vai muda-lo". Affz...

Ághata disse...

Galera é muito louca mesmo.

Claro, se nenhuma mulher fosse conivente não haveria machismo ou misoginia. Isso nada mais é que dizer que se os negros não fossem passivos, não haveria racismo. Se os gays não se escondessem no armário, não haveria homofobia.

Nada como dizer que a consequência é a causa.

Afinal, nós só permitimos que os homens sejam machistas, não é mesmo? Se não fôssemos nós, tsc, eles não estuprariam, não espancariam, não nos matariam e não nos traficariam.

Pobre homens, uns meros fantoches do que nós permitimos ou não fazer...

Que belo mundo cor de rosa!

[OFF: Aposto minha cabeça que as mesmas pessoas que dizem isso "Se as mulheres reagissem, não existira machismo" como se não reagíssemos, falariam horrores (radicais, odiadoras de homens!) das Feministas Lesbianas!! A. Pos. To.]

Ághata disse...

PS: eu realmente ouvi de uma professora de história que os negros só foram escravizados porque eram "passivos".

Na oitava séria.

Anônimo disse...

"Depois de alguns anos eu tive o segundo filho, tentei voltar a trabalhar, mas "ja era tarde", estava fora do mercado de trbalho ha muito tempo. Queria saber qual tua opinião Lola e as meninas tb sobre esse assunto de escola nao ter horario flexivel pra aluno que a mãe travalha fora, minha realidade é a seguinte: a maioria absoluta das mães da escola dos meus filhos nao trabalham fora pq ou nao tem familia pra dar apoio, ou o marido viaja muito, ou trabalha muito pra sustentar a casa (e nem adianta delirar que eles vao ficar em casa pra gente trabalhar fora que o argumento "eu ganho mais" impera entre eles, vcs sabem), ou nao trabalha fora pq nao pode contar com ninguem pra ficar com as crianças depois que elas saem das escolas no maximo as 18hs...horario esse que muitas estão saindo dos escritorios.l."



A escola que está errada com horário? Ou o trabalho poderia ser mais acessível ?

Anônimo disse...

O Curioso é existir um grupo com esse nome em uma universidade pública. Com que finalidade? Qual é o objetivo acadêmico e social de um "Grupo de Apoio à Putaria" ?

Que esse tal grupo exista oficialmente é um absurdo!

Dona do Sexo -Bonobo rules,Jaçanã forever disse...

Do jeito q tá so vou ser mae quando me aposentar

Marcelo T. disse...

"Eu sempre acreditei q a maternidade é o calcanhar de Aquiles do feminismo, o depoimento da anon 20.47hs é simbolico do q eu penso.
Ha muitas variações, mas todas, o mesmo tema "maternidade", nem todas nós vamos ter estrutura psicológica, fisica,ou material para o embate da maternidade, queiramos ou não ela nos torna fragil, dependentes..."


Eu penso diferente, é a partir dela que vocês tem que se fortalecer, afinal as crianças são o futuro...

Anônimo disse...

K. Você não perguntou para mim, mas peço licença para dizer o que acho.

Em um mundo menos machista as responsabilidades com os filhos seriam sim, divididas. E essa questão não traria tanto desconforto nem para homens nem para mulheres.

É claro que o sistema (principalmente o familiar) dita que o pai "deve" sustentar e todo o resto é por conta da mulher. É injusto com a mulher, com o homem e com a criança... O fato é que independencia financeira da mulher é um pilar básico da igualdade entre os gêneros.

Clara disse...

"Ha muitas variações, mas todas, o mesmo tema "maternidade", nem todas nós vamos ter estrutura psicológica, fisica,ou material para o embate da maternidade, queiramos ou não ela nos torna fragil, dependentes..."

Tenho a nítida impressão que existe sim um sistema que te deixa sem escolhas. Ou você vira mãe-caseira em tempo integral e arca com o ônus da dependência econômica, ou se vira na dupla, tripla jornada, em detrimento de tempo de qualidade com sua prole. Sem contar a falta de tempo pra si, o supra sumo da abnegação, que aliás é exatamente o que se espera de uma MÃE, assim, em letras capitais, com toda ênfase dramática típica daquilo que se cobra dos outros, sempre dos outros.

Se fica em casa, é uma traidora do movimento, assistidora de novela, pessoa inútil que fica na bota do marido usando os filhos de desculpa. Se vai trabalhar, é uma desnaturada que não pensa nas crianças, que fica deixando os filhos para os outros cuidarem e só pensa em dinheiro e carreira em detrimento do seu papel natural de fêmea humana.

AFEEEEE

Repare que do homem, pouco é cobrado, além do papel de provedor. Trazendo o dinheiro pra casa, já é bom pai.

Mas para as mulheres, ah... NUNCA é o bastante. Nunca é mãe o bastante, nunca é mulher o bastante.

Fora as obrigações de ser linda, ativa, manter-se jovem, competente no trabalho, ótima profissional, uma mestra nas artes da cama, totalmente em forma e recuperada do parto um mês e meio depois de dar a luz, cozinheira de mão cheia e qualquer outra coisa que as revistas Claudia da vida enfiam na cabeça das pessoas.

Se alguém não vê nada de errado nisso, eu certamente vejo.

Sofia L.B. disse...

"A violência doméstica é a principal causa de morte e
deficiência entre mulheres de 16 a 44 anos de idade e
mata mais do que câncer e acidentes de trânsito."

http://www.unfpa.org.br/Arquivos/cartilha_direitos_mulher.pdf

Estou colocando isso aqui pq gostaria que as pessoas tivessem uma coisa bem clara: o problema não é especificamente a Rihana, ou "aquela" mulher em especial. Nós vivemos em uma cultura em que isso é algo pandêmico. Não estou falando em não punir agressores pq eles são "só resultado do meio em que vivem", mas que temos que tentar mudar esse meio.

Mas, se eu estou culpabilizando o agressor, então tb estou dizendo que a vítima tem a sua parcela de culpa? NÃO.

Sobre a Síndrome de Estocolmo:
" Ao contrário do que se imagina, ele não é tão raro quanto pensamos, e não se resume somente a relações entre raptores e reféns. Escravos e seus senhores, sobreviventes de campos de concentração, aqueles submetidos a cárcere privado, pessoas que participam de RELACIONAMENTOS AMOROSOS DESTRUTIVOS, e até mesmo algumas relações de trabalho extremas, geralmente permeadas de assédio moral; podem desencadear o quadro."
(O caps lock aqui é meu, claro).

http://www.brasilescola.com/doencas/sindrome-estocolmo.htm


O que quero dizer é que, se pessoas que passam por um curto período de tempo com um sequestrador podem começar a ficar do lado deles, será que é tão estranho assim pensar que alguém que está com outra pessoa pq está apaixonda (e acredita que a outra pessoa está assim tb), que muitas vezes compartilham anos, sonhos, e as mais diversas intimidades é agredida, será que é tão impensável assim que fique balançada?
Existem pessoas que não ficam, óbvio. Mas somos diferentes. E, talvez mais que isso, talvez o nosso psicológico não seja tão forte ou inabalável assim, ou pelo menos não o de todas as pessoas, entendem?
Um agressor que é tb o esposo, ele pode ter tido mtooo tempo pra ir "quebrando" a vítima. Fazendo ela acreditar que não era capaz, que o que ela falava não tinha importância, que não é capaz de fazer as coisas direito... Tudo isso entremeado com momentos de carinho, de juras de amor, tendo um relacionamento, às vzs filhos, uma vida juntos... Talvez, pra muitas pessoas, isso pese mais, mesmo anos dp.

Ok, eu tenho consciência que eu estou viajando aqui. Mas eu honestamente acho que culpar a vítima, mesmo em uma situação em que o fato se repete, tem muito mais impacto em aliviar pro agressor e alimentar o ciclo do que qqr outra coisa "libertadora". Pra mim faz muito mais sentido focar em quem realmente está causando o problema (o agressor), do que querer que a vítima (que já está apanhando, já está fragilizada) o pare. (Pode até ser que ela consiga, mas ela não devia nem estar tendo que lidar com isso, entende?) E o problema não é só o agressor, é uma cultura.

Já coloquei o link aqui, mas fica a dica de novo, pro caso de alguém se animar:

http://revistaepoca.globo.com/Sociedade/noticia/2012/11/tony-porter-os-homens-que-agridem-mulheres-foram-educados-para-isso.html?fb_action_ids=461309077243499&fb_action_types=og.likes&fb_source=aggregation&fb_aggregation_id=246965925417366

Anônimo disse...

yulia2 ,acabei de ler que vc chamou outra mulher aqui de travesti,pq vc n gostou do que ela escreveu ??????!!!!kkkkkkkkkkk

estou começando a achar que vc vem comentar no blog doidona,onde foi que eu escrevi que estupradores são coitadinhos?????

eu falei o que vários estão dizendo aqui,mulher n é sempre vitima de tudo,li tb a carla falando do rihanna e isso se enquadra na situação em q mulher n é vitima .

ela é bem idiota,eu ja tinha visto essa noticia.

Maíra disse...

Puxa, Sara, acho que a questão da maternidade, como todas as outras, varia muito de uma mulher, e mesmo de uma feminista, para a outra. Estou só começando essa jornada, quase no oitavo mês de gestação, mas nunca me senti tão forte, independente e empoderada quanto agora.

Anônimo disse...

Ops, me desculpe, não cheguei a entrar no seu, Marussia, perfil para mais informações - e do jeito que vc escreveu, me pareceu um homem, desculpe-me.

Li os seus outros comentários e continuou dizendo: não dá para obrigar a essas mulheres mudarem de pensamento. Eu concordo que as feministas deveriam tentar ser um pouco mais agressivas, mas acredito que protestos pacíficos são mais reconhecidos no presente e, principalmente, no futuro.

Eu acho um absurdo mulheres gostarem de músicas sertanejas machistas. Nos clipes das músicas, só tem mulher dançando como se a letra fosse a coisa mais respeitosa e inteligente do planeta. Mas a cabeça dessas mulheres devem estar mais para o lado machista do que feminista. Elas devem se identificar, infelizmente, com aquilo mais do que as ideias feministas e libertadoras.

Além de conversar e fazê-las conhecer o feminismo, pois acredito que a maioria que apoia esse tipo de coisa deve acreditar que feminismo é "o contrário de machismo", não vejo o que mais nós podemos fazer. Ninguém é obrigado a nada.

E outra: calouras geralmente são novas. Se você tinha uma boa visão da vida e do mundo quando tinha 17, 18, 19 anos parabéns, mas tem muita menina aí que ainda é, sim, submissa, insegura, baixa auto estima. Vejo isso na minha faculdade sempre. E ninguém tenta entendê-as, ajudá-las a sair da zona de conforto. Só ficam condenando...

Julia disse...

Sobre a Rihanna, o fato do pai dela agredir a mãe acho que tem muito a ver com o fato de ela ter voltado com o Chris Brown. Muitas mulheres que são agredidas tiveram um pai que agredia a mãe também.

Acho que a pessoa naturaliza esse comportamento no inconsciente. A Rihanna tem um relacionamento bom com o pai dela hoje apesar de tudo. Ela perdoou o pai. E ele já deu declaração que o Chris Brwon é o genro que todo pai sonha.

Entederam que isso é muito mais complexo do que "ela gosta de apanhar"??


ps: alguma psicóloga me corrija se eu estiver falando merda.

yulia2 disse...

Yulia2,

Pega leve. No outro post você chamou de travesti uma moça da qual discordou, agora acha que outra moça de quem discorda é homem.
__________________

Não sou obrigada a acreditar que seja mulher só porque uma pessoa posta aqui com nome feminino, mas ok, não farei mais referências a isso.

yulia2 disse...

E quanto aos lixos imundos travestidos de universitários??? pra variar, não aconteceu NADA.

Anônimo disse...

EU ESCOLHI ESPERAR - O MITO DA VIRGINDADE

Nossa página "Eu escolhi não esperar" se inspira no movimento "Eu escolhi esperar", um fenômeno nas redes sociais com mais de um milhão de seguidores. Essa página defende que tanto homens como mulheres devem esperar o parceiro certo para perder a virgindade... e somente depois do casamento.

Pensamos que ligar VIRGINDADE a ÉTICA é um erro de graves consequências.

O MITO DA VIRGINDADE é um triste legado da pré-história. Suas motivações são questionáveis: provavelmente estava ligado ao medo da reivindicação de heranças por parte de tribos diferentes.
Também está ligado à vontade egoísta de controlar a sexualidade da parceira através da força. Ciúmes. Poder. Machismo.

As mulheres são as maiores vítimas do mito da virgindade. Durante milênios elas foram controladas, torturadas e assassinadas caso houvesse a mínima suspeita de perda da virgindade.

Links:

EU ESCOLHI ESPERAR
http://www.facebook.com/euescolhiesperar?fref=ts

EU ESCOLHI NÃO ESPERAR
http://www.facebook.com/pages/Eu-escolhi-n%C3%A3o-esperar/489767454416739

Clara disse...

Como eu sou bocó e tenho fé na humanidade, para mim a Rihanna e o champs simplesmente se entenderam depois de um bom tempo. É inadmissível tomar um soco na cara e tudo bem? Pra mim, certamente é. É imprudente ficar com alguém com histórico de agressão? Sem dúvida. Mas as pessoas mudam e perdoar nem sempre é o fim do mundo.

Se ele fizer de novo, ela já sabia no que estava se metendo e vai arcar com as consequências. Se não tentasse e não assumisse seu amor, talvez achasse que estaria condenando a si a uma meia-vida.

Lá no passado distante tive uma relação problemática também, não chegou ao ponto de agressão física mas palavras podem machucar tanto quanto uma porrada. Separamos, o tempo passou, eu nunca tinha esquecido dele e nem ele, de mim. Resolvemos dar uma chance de novo e, well, tava a mesma bosta. Aí eu larguei com vontade.

Mas vejam: eu tive que pagar pra ver, pra ter certeza e não largar nada mal resolvido na vida.

Pode ser o caso da cantora também.

Anônimo disse...

"E ele já deu declaração que o Chris Brwon é o genro que todo pai sonha."


claro que ele ia dizer isso,pq tb é um agressor,por isso n viu nada demais no fato do chris espancar sua filha.

Anônimo disse...

clara, vc se considera uma vitima do seu namorado?

Roberta disse...

Nossa, Lola! Esse post cai muito bem nesse momento da minha vida. Veja, sou aluna da Unifesp Osasco (Escola Paulista de Política Economia e Negócios) e no final da semana passada (dias 7 e 8 de março) entrei em uma discussão com várias pessoas pelo facebook porque um colega postou um grito de guerra que descrevia uma cena de sexo violento, onde a mulher era retratada só como objeto e terminava com algo parecido com "Se bobiar como até as gordinhas".
Fui a primeira a comentar, com apenas uma palavra: "Misógino".
Depois disso houve uma enxurrada de comentários do tipo "sempre tem as feministas", "a música prega amor livre", e uma descrição copiada do dicionário da palavra misoginia, tentando ironizar que na música não havia nenhuma "Aversão" ao órgão sexual feminino, muito pelo contrário.
Tive que explicar que objetificar uma mulher é misoginia e veio mais uma enxurrada de comentários "justificando" a letra e me dizendo para parar de exagero, afinal, a letra da musica tinha sido feita em "um ambiente de putaria com pessoas bêbadas que já haviam perdido o pudor e o orgulho próprio havia dias " (Chamado InterUnifesp).
Tive apoio, também. Uma menina tentou me ajudar, algumas pessoas deram "like" nos meus comentários, mas também houve meninas que me desmotivaram. Uma delas ironizou uma fala minha, sobre criarmos uma frente feminista no campus (Sei que Unifesp Diadema ou Guarulhos tem uma, porque eu conheci algumas pessoas de lá na Marcha contra a Mídia Machista) e depois escreveu "Se a gente escrever uma versão feminina da música, vocês param de rodar a calcinha?" Isso foi no dia 8 de março. Depois disso, quis abandonar a luta por direito para TODAS as mulheres. Sei que é errado, que ela faz isso por ignorância, mas eu quis q ela perdesse seu direito de voto, que passasse a ser explorada por quase nada no trabalho, que fosse sempre tratada como objeto pelos homens. Eu sei, foi errado, foi um momento de fraqueza, e eu continuei na discussão.
Continuei porque ela abriu os olhos de alguns colegas, porque foi legal ver que há alguém que se sinta como eu nesse ambiente de oba-oba da faculdade.
Agradeci pelas mansplainations de um carinha que disse que quem estava sendo sexista era eu! Irônico, né? A discussão já estava chegando ao tradicional ponto dos caras dizerem que o meu feminismo era um "pseudo-feminismo" (adoro!), que eu não era feminista suficiente e não conhecida a luta feminista (senão não usaria um termo sexista como mansplaination). Até onde eu vi, a discussão havia parado nisso, neles falando que o meu feminismo não era feminismo, que feminismo era uma coisa muito maior e muito mais importante do que aquilo q eu estava fazendo (tempestade em copo d'água) e que deveria ser respeitado. Acho que o que eles quiseram dizer foi: Guarde o feminismo, ele é muito importante e deve ser deixado de lado, em um pedestal de ouro e nunca ser usado por você, porque você não é digna dele! Mas eles, os caras que estão discutindo comigo, são!

Roberta disse...

Continuação do comentário anterior:
Sabe Lola é engraçado, porque eu descobri o feminismo, essa coisa menos abstrata e mais atingível, com você e com a Valéria do Shoujo Café. Foi através do seu blog que cheguei a outros blogs como o Cem Homens e o Blogueiras Feministas. Foi por aqui que eu entendi q tudo o q eu era até aquele momento me desfavorecia. Porque eu tinha sido ensinada assim. Mas mesmo assim, eu tinha medo de sair do armário feminista, de virar uma outcast porque eu pensava tão "extremamente diferente" dos outros. Essa discussão foi o que me lançou pra fora do armário porque eu não aguentei passar por aquele post e deixar quieto. Eu comentei pouco, porque não queria gastar meu tempo batendo boca com quem não queria ouvir ou entender o meu lado.
Mas eu acho que deixei alguém incomodado, porque fui visitar a discussão hoje e ela não estava mais lá. Foi apagada antes que eu pudesse tirar print screen. Fico feliz por ter incomodado o suficiente, ter mostrado essa face da "gente boa que só quer festa e curtição" e que apavora os outros alunos com ataques em grupo na rede social. Posso virar uma outcast agora (eu já era antes), mas também vou poder selecionar as pessoas com quem realmente importa conversar.

Anônimo disse...

achei a discussao nos coments hj super nada a ver com o post.

nao me surpreendo que a maioria dos estupradores faça parte desse tipo de grupo, que alimenta o sentimento de entitlement sobre o corpo das mulheres. lembram de borat? a cena na van? nojo!

Marcelo T. disse...

"Do jeito q tá so vou ser mae quando me aposentar"


Não pense assim, hoje em dia o número de pessoas que não querem ter filhos mediante as situações do mundo só aumenta, mas se pensarmos dessa maneira vai ser difícil mudar algo, mas eu entendi que você disse que só quando se aposentar.

Anônimo disse...

"Fora as obrigações de ser linda, ativa, manter-se jovem, competente no trabalho, ótima profissional, uma mestra nas artes da cama, totalmente em forma e recuperada do parto um mês e meio depois de dar a luz, cozinheira de mão cheia e qualquer outra coisa que as revistas Claudia da vida enfiam na cabeça das pessoas."



Em questão de mestre na cama, do homem é cobrado sim, coitado do cara que broxar é julgado fortemente, inclusive pelas mulheres, e não venha me dizer que é mentira, porque tenho amigas que ainda dão PONTOS aos homens, isso mesmo PONTOS e passam informação a frente... Sendo que isso não é nada anormal no círculo feminino, Vide aquela universitária americana que transava com os que ela mesmo declarava de ALPHA e fez um arquivo com fotos deles e detalhes da noite, tamanho do Pênis e pontuação em relação sua ação na cama e distribuía entre as mulheres da Universidade.

Anônimo disse...

"Repare que do homem, pouco é cobrado, além do papel de provedor. Trazendo o dinheiro pra casa, já é bom pai."


Tenho um colega que trabalha e faz faculdade para melhorar a vida de sua família, chega exausto e torce para encontrar sua filhinha acordada pois faz questão de todo dia brincar com ela até ela dormir...

Anônimo disse...

"Estou colocando isso aqui pq gostaria que as pessoas tivessem uma coisa bem clara: o problema não é especificamente a Rihana, ou "aquela" mulher em especial. Nós vivemos em uma cultura em que isso é algo pandêmico. Não estou falando em não punir agressores pq eles são "só resultado do meio em que vivem", mas que temos que tentar mudar esse meio."


A questão de Rihanna foi levantada, porque ela é Famosa, rica e independente.

Marcelo T. disse...

"Puxa, Sara, acho que a questão da maternidade, como todas as outras, varia muito de uma mulher, e mesmo de uma feminista, para a outra. Estou só começando essa jornada, quase no oitavo mês de gestação, mas nunca me senti tão forte, independente e empoderada quanto agora."


Perfeito

Anônimo disse...

"E outra: calouras geralmente são novas. Se você tinha uma boa visão da vida e do mundo quando tinha 17, 18, 19 anos parabéns, mas tem muita menina aí que ainda é, sim, submissa, insegura, baixa auto estima. Vejo isso na minha faculdade sempre. E ninguém tenta entendê-as, ajudá-las a sair da zona de conforto. Só ficam condenando..."



Me desculpe te informar, mas tem mulheres de idade muito mais avançada que fica atrás desses cantores e ficam doidas para ter uma oportunidade com eles....

Anônimo disse...

"Acho que a pessoa naturaliza esse comportamento no inconsciente. A Rihanna tem um relacionamento bom com o pai dela hoje apesar de tudo. Ela perdoou o pai. E ele já deu declaração que o Chris Brwon é o genro que todo pai sonha.

Entederam que isso é muito mais complexo do que "ela gosta de apanhar"??"


Tem hora que não entendo mesmo vocês, um momento diz que ela não deveria ter voltado por ter o exemplo de sofrimento e outra dizem que ela voltou porque foi acostumada com a situação... ai complica, fica muito tendencioso!

Anônimo disse...

"O MITO DA VIRGINDADE é um triste legado da pré-história. Suas motivações são questionáveis: provavelmente estava ligado ao medo da reivindicação de heranças por parte de tribos diferentes.
Também está ligado à vontade egoísta de controlar a sexualidade da parceira através da força. Ciúmes. Poder. Machismo."


Concordo com todo o direito de se expressar contra o movimento, assim como homens MRGs tem direito de se expressar também, mas lembre-se sempre te respeitar as ideia contrarias...

Anônimo disse...

"Mas vejam: eu tive que pagar pra ver, pra ter certeza e não largar nada mal resolvido na vida.

Pode ser o caso da cantora também."


Bem dito, pode ser, ou não, então parem de colocar passar a mão na cabeça dela por voltar... ela tem todas as caracteristicas da mulher dita moderna... é totalmente independente...

Joane Farias Nogueira disse...

Não há nada nesse mundo que faça com que essas mulheres que gostam de estupradores passem a ser vítimas. São vítimas de cultura machista que prega que homem que é homem é aquele que pega,bate e estupra. Mas, parou por aí.
Não basta ser do gênero para entender a causa. Elas sabem bem disso.

PARA MARUSSIA - "Eu pergunto : se todas as mulheres tomarem esta decisão ? O que vai acontecer? Vamos jogar fora todas as conquistas.""

Se eu acreditar que o mundo é movido por dinheiro, sim! Se eu viver num mundo onde ex-marido se torna ex-pai e nem pensão pro filho paga quanto mais para a mulher, sim!

Mas, acho um pouco complicado resumir nossas conquistas a dinheiro. Eu li uma matéria que dizia que os homens que estão desempregados não contribuem mais para o serviço doméstico, ou seja, nem sempre é culpa do dinheiro. Mas, ele é um bom bode expiatório. Não são todas as mulheres que vão virar dona de casa. O mundo nem mesmo permite mais isso sem que a família passe por um grave desfalque, assim como toda a economia. Mas, se há mulheres querendo isso, o que se deve fazer é entender e dar meios de empoderar essa mulher. Ser dona de casa não é ser burra, nem passiva, nem submissa. Mas, convencer certos homens disso é que é fogo. AChar que eles podem tomar todas as decisões grandes sozinhos só por trazerem dinheiro para casa é desconsiderar todo o trabalho feminino não remunerado. Não respeitar essa decisão também é. Cuidar de casa dá trabalho. Sabia? Eu era da mesma opnião que a sua,até começar a me envolver mais com as coisas da casa. Até ver que precisava mudar. O feminismo te levar a pensar e no meu caso, não tem me deixado quieta nas últimas semanas. Fazer inventário mental está virando hábito. Estou deixando meu namorado preocupado, mas ok!
Entendo seu lado. Foi triste meus pais se separando e ver mamãe -sem qualificação - aceitando emprego em balcão de bar só para ter 400 reais para chamar de seu. Nada contra trabalhar em bar, mas só quando você realmente não tem outra opção. Ela era brilhante, foi uma pena não ter feito a faculdade como ela queria. Justamente por ter engravidado de mim e ficado em casa. Um tanto quanto difícil não me sentir culpada, mas ok! Também sei que ela poderia ter feito o que quisesse, mesmo sendo mãe. Mas, talvez não soubesse disso ou não se sentisse segura ou não quisesse mesmo - por medo de atrapalhar na nossa criação. E também um pouco por pressão de papai.

Você ia gostar de um cara que falou que ser promíscuo custa caro para o homem.Para as mulheres é só abrir as pernas. E se, eles são os que casam e pagam todas as despesas, então, eles podem exigir que seja uma moça de família. Moça para casar. E quando nós, mulheres passarmos a pagar para ter sexo,podemos exigir o que quisermos.

Anônimo disse...

Marussia de Andrade Guedes disse...
Quem disse que , neste blog, as mulheres nunca são culpadas fui eu, Marússia, uma mulher e não um homem.
Viu como eu tenho razão ? Mulher aqui nunca é culpada!


-----

Hum, talvez porque o foco do post NÂO são as namoradas deles né! Sem falar q caso vc não tenha visto tinha mulheres protestando e o q aconteceu com elas?

Obviamente q tem mulheres convenientes com o machismo nessa (e em outras) situações mas não são elas q estão lá fingindo estuprar uma boneca inflável, entre outras coisas.

Os textos da lola deviam vir acompanhados de desenhos ilustrativos porque sempre aparecem pobres almas aqui q tipo não entendem nada (mas nada mesmo) do q foi escrito.. Incrível,ela faz um post sobre as atitudes misóginas dos meninos, mas no meio do texto põe a palavra ''namorada'' e ai pronto! agora temos as verdadeiras culpadas!

Sibele disse...

Lola, essa mentalidade é resultado de muita coisa, e também da música.

Veja essa tirinha do cartunista Will Leite:

"Canções brasileiras para mulheres brasileiras"
aqui

Liana hc disse...

Há espaço suficiente para que as pessoas protestem da maneira que bem entenderem. Não vejo sentido em criticar quem está lá fazendo alguma coisa. Se não gostou, monta seu próprio grupo ou protesta sozinha como melhor lhe agradar. Mas reclamar do protesto alheio, quando já tem bem poucos por aí, me parece nonsense.

Preconceitos enraizados na sociedade tem caminhos complexos para serem sanados. Há o individual e o coletivo, há o lado das mulheres que sofrem, dos homens que agridem, das pessoas ao redor que são coniventes (família, conhecidos, polícia...). Tem as ações junto ao governo, à mídia, escola, universidade, trabalho. Há o aspecto econômico, jurídico, familiar e educacional. Há a questão da violência no espaço público e no privado. Tem as muitas nuances dentro das classe sociais, grupos religiosos, ativismos diversos, faixas etárias etc. Enfim, muito espaço para protestos, campanhas de conscientização, trocas de informação.

Agora, é problemático se o feminismo centrar seu discurso na tática "quando acontecer alguma coisa machista, procure a mulher mais próxima para culpar". Sabe, é exatamente isso que machistas fazem. "Festa estúpida, com participante botando pênis para fora para tentar intimidar e agredindo as manifestantes?? Bora centrar nosso discurso nas namoradas e nas mães deles! Elas é que são as culpadas por conivência e passividade, e por não se darem o devido valor". Não, obrigada. Pode parece que se está fazendo algum grande discurso, mas na prática está se nadando junto com a correnteza. Se torna só mais uma voz a culpar mulheres por tudo, ou quase tudo, o que acontece nessas relações abusivas. Há espaço para tratar da questão das mulheres validadoras, mas atacá-las não soa a melhor tática, a tendência é que suas atitudes fiquem ainda mais extremas e distantes do que o feminismo teria para contribuir na vida delas. Mas né, cada um(a) faz o que quer, até se limitar a ser um(a) machista, uma validadora ou alguém que vai culpar a validadora pelo que o homem machista fez ou deixou de fazer.

H.M. disse...

Sempre teve algo que me incomodou muito na vida, principalmente na faculdade, é o fato de muitas mulheres serem atraídas para homens que não prestam.

Lembro que na época da faculdade TODO mundo sabia quem eram os cafajestes da faculdade, um grupinho de caras sem educação, barulhentos, grosseiros, não respeitavam colegas nem professores, mas faziam um sucesso absurdo com as mulheres da faculdade.

Era decepcionante você convidar uma garota pra sair e ela falar que já tinha um compromisso, aí depois você descobre que ela foi numa festinha com um desses malas, ficou com o cara, e depois ele simplesmente dispensou pra partir pra próxima. Aí essa mulher vem chorar as dores, dizendo que o cara não presta. Acorda minha filha! Todo mundo sabia que esse cara não prestava. Se ele sacaneou todas as suas colegas, porque ele não faria o mesmo com você?

André disse...

Um ponto que deveria ser amplamente esclarecido aos bichos é que o GAP é uma minoria dentro do CAASO. E que deixar de participar das atividades promovidas pelo GAP não vai estigmatizar ninguém dentro da universidade, ou mesmo dentro do CAASO.

Cora disse...


marussia,

as mulheres não são culpadas. no entanto, tb costumo dizer q o machismo só acabará qdo tds as mulheres o rejeitarem. rejeitarem TODAS as atitudes machistas. p. ex., tds as mulheres q se relacionam de alguma forma com os caras do gap e daqueles q estavam no vídeo, usando a boneca para violentar simbolicamente o feminino, deveriam virar as costas para eles. literalmente. virar as costas mesmo. a começar pelas namoradas, mas incluindo amigas e MÃES. se qq homem conhecido meu tivesse participado daquele ato horrendo de extrema violência simbólica, nunca mais teria o prazer de falar comigo. digo isso não por me achar melhor ou mais forte q qq outra mulher, mas pq o q aconteceu ali foi terrivelmente violento. namorado, então! ele acabou de atestar td o desprezo dele pelo feminino. como continuar com uma pessoa assim? como olhar nos olhos uma pessoa assim? como confiar numa pessoa assim? eu não sou capaz.

tb acho q tds deveriam ser feministas. mas não são. muitas são, lamentavelmente, (muito) machistas.

por isso o caminho é longo.

e por isso, tb, concordo com a Mordred. culpabilizar a mulher é tirar a responsabilidade do machista por seus atos. é dizer q ele só faz o q faz por causa da mulher (mãe, namorada, amiga, irmã).

e outra coisa fundamental pra erradicação dessa ideologia perniciosa, é q machistas percebam a violência de q são agentes. isso tb é imprescindível. por enqto tá td ok pra eles. qq problema, tipo passou da conta e machucou alguém? sem problemas, dizemos tds!!, basta culpar a agredida e tds as portas do paraíso se abrirão para acolhê-lo, compreendê-lo e desculpá-lo.

culpabilizar a mulher é estratégia marota, como bem definiu a Mordred.

e pior! tira a possibilidade do erro, do engano. não é q a pessoa errou em confiar novamente no cara q ela gostava, mas é q ela tem culpa pelo q ele fez.

percebe? culpar a mulher não possibilita nem mesmo q ela reconheça o erro.

erro é diferente de culpa!!

e aí, como sempre, jogamos td nas costas femininas, como está sendo feito há milênios.

então repito: o caminho é longo.

e pra mim, a independência financeira é estratégica. mesmo q a mulher interrompa momentaneamente a carreira, por exemplo por dois anos, jamais deve se deixar enredar pelas armadilhas da dependência econômica. pq o homem machista, cedo ou tarde, vai jogar essa dependência na cara da mulher, humilhando-a. já vi acontecer. existem muitas formas desse período “sabático” ser acordado com o companheiro. e, inclusive, socialmente, modificando o status da maternidade, q só é louvada no discurso machista enqto serve para defender a dependência feminina. em qq outra situação, mães são menosprezadas e agredidas simbolicamente, inclusive pelo poder público.

.
.

não faço ideia de quem é esse russo, pois não vejo novela (e nem faustão) e nem acompanho notícias sobre, mas uma coisa é admirar um ator, o trabalho desenvolvido por ele, achá-lo sexy e tals. não seria esse o caso?

Cora disse...


Clara,

a rihanna denunciou o cara. não ficou td bem depois da agressão não! não acompanho o caso, nem escuto a música dos dois, tb considero arriscado voltar à convivência do agressor, mas eles certamente conversaram e acordaram termos para voltarem a se relacionar. e isso diz respeito a eles. não há crime em retomar um relacionamento.

ela sempre arcará com as consequências. como já o fez antes. se ele voltar a agredí-la, estará confirmando q é violento e incapaz de autocontrole. mas pode tb ter mudado e a relação dos dois ser longa e tranquila. não tenho elementos pra fazer análise nenhuma e muito menos bola de cristal para saber o q ocorrerá.

mas posso afirmar com absoluta certeza q, se voltar a acontecer, ele será o agressor e ela, a vítima e sem responsabilidades sobre escolhas q ELE fez. da mesma forma q ela está se permitindo tentar novamente, está escolhendo, o q ELE faz é tb escolha. e, da mesma forma como ninguém quer tirar dela a responsabilidade por tentar, ninguém deve retirar a responsabilidade DELE se ele voltar a agredi-la, pois estará cometendo um crime.

a pr'além de td isso, o q rihanna faz não invalida, de forma alguma as lutas feministas, não diminui a necessidade de denunciar e punir agressores, não diminuir a necessidade de assistir e proteger a vítima, não elimina a necessidade de se agir para, além de impedir q outros homens agridam, recuperar os agressores através de trabalho formativo, como o q ocorre no piauí, estado q conseguiu diminuir muito os casos de reincidência através da ação com foco no agressor.

o feminismo existe tb para recuperar homens, libertando-os do círculo da violência.

da mesma forma como na violência sexual, o foco deve estar no agressor. pq ele agride e o q fazer para q não mais aconteça.

André disse...

Cora,

Que mãe viraria as costas para o filho que mostrou o pau para um grupo de mulheres? As mães não costumam virar as costas nem para o filho que estuprou e matou crianças. Sua proposta é muito irrealista.

Aline Amorim disse...

Primeira vez que visito o blog e gostei muito.
Essa questão de tratar a mulher como objeto é um fato que muita gente ignora.. acha que a culpa é da mulher.
Beijos, Aline
http://24diasdeprimavera.wordpress.com

Sara disse...

Clara concordo com todos os pontos q vc abordou no seu comentário das 21.58hs, todas nós concordamos q é exigido demais da mulher em qse todas as situações, mas especialmente na maternidade essas exigencias chegam a niveis absurdos.
Espero q algum dia as sociedades repensem no papel da mulher na maternidade, porque por enquanto ela é na minha opinião o pior inimigo do empoderamento da mulher.
Pra competir em pé de igualdade com os homens no mercado de trabalho a mulher que é mãe teria que contar com uma assistência infinitamente maior do q a que temos hoje em dia, o pai teria q ter um papel muito diferente do q tem tb.
Psicologicamente a maternidade é um momento muito delicado pra nós mulheres, pois existe SIM um vínculo muito forte entre mãe e filhos, ao ponto de os organismos sincronizarem mutuamente,(eu por exemplo era normalmente acordada a noite com o leite saindo das minhas mamas, instantes antes das minhas filhas acordarem chorando com fome).
Não é nada facil vc abdicar de cuidar de seus próprios filhos, ainda mais qdo pequenos, e tomar condução para bater seu ponto no trabalho, sentimentos bem conflitantes lutam dentro de vc nessa hora, ao olhar o rosto de seu filho e deixa-lo numa creche, ou com babas, ou parentes.
As mulheres que disseram aqui que se sentiram plenamente satisfeitas, devem ter uma infra estrutura muito grande, que devem incluir apoio de parentes próximos.
Eu mesma tenho uma irmã que é uma empresária muito bem sucedida, quando ela teve seus filhos, logo voltou ao trabalho, mas levava uma baba que ficava em um lugar ao lado da sala de trabalho dela, ela inclusive pode amamentar dessa forma seus filhos.
Mas qts mulheres podem se dar a esse luxo??????? eu por ex. não pude.

Cora disse...


se eu visse o meu filho fazendo o q aqueles caras fizeram com a boneca e entendendo o simbolismo daquilo, eu me sentiria na obrigação de mostrar td minha decepção e horror enqto mulher (e isso q eu vi apenas segundos do vídeo, pois quase vomitei em cima do teclado. e não estou exagerando. meu estômago revirou). vc não consegue entender o qto aquilo foi chocante e violento, andré. eu ficaria horrorizada se meu filho fizesse aquilo. virar as costas pode ser muito efetivo qdo se precisa chocar uma pessoa. ela precisa se sentir incomodada, senão não há mudança possível. ela precisa perceber o alcance da violência perpetrada. faz parte da educação uns choques de realidade de vez em quando.

Marcelly disse...

muitos comentarios e pouquissima utilizadade..otimo texto Lola..

quanto aos coments...
mulher não pode ficar em casa se quiser?

aff...claro que ela pode..e o homem tbm...se um dos dois ganha muuuuuuuuuuito bem pq nao um ficar em casa pra facilitar a vida dos dois cuidando da casa?
seja homem ou seja mulher?

entendam que o que faz alguem de vitima eh
1º ser garedida de alguma forma

2º nãoter conhecimento sobre algo e então ser conivente com algum tipo de agressão (alguns casos não cabem aqui)

então homens machistas não são vitimas.. NUNCA
mulheres são..quase sempre.. QUASE!!

e parem de agridir os homens em sua generalidade.. não eh verdade e não nos ajuda em nada...
homem feminista eh algo otimo..ele nao precisa receber um troféu..mas merece que nós não façamos generalizaçõe so tempo todo...
até por que nem todas a smulheres são perfeitamente feministas..

Anônimo disse...

"Se eu acreditar que o mundo é movido por dinheiro, sim! Se eu viver num mundo onde ex-marido se torna ex-pai e nem pensão pro filho paga quanto mais para a mulher, sim! "


3 meses sem pagar pensão já pode entrar com recurso a prisão do mesmo...

Anônimo disse...

"Há espaço para tratar da questão das mulheres validadoras, mas atacá-las não soa a melhor tática, a tendência é que suas atitudes fiquem ainda mais extremas e distantes do que o feminismo teria para contribuir na vida delas. Mas né, cada um(a) faz o que quer, até se limitar a ser um(a) machista, uma validadora ou alguém que vai culpar a validadora pelo que o homem machista fez ou deixou de fazer."



Então a culpa é do cara? e mãe dele? era machista também?

Anônimo disse...

"Era decepcionante você convidar uma garota pra sair e ela falar que já tinha um compromisso, aí depois você descobre que ela foi numa festinha com um desses malas, ficou com o cara, e depois ele simplesmente dispensou pra partir pra próxima. Aí essa mulher vem chorar as dores, dizendo que o cara não presta. Acorda minha filha! Todo mundo sabia que esse cara não prestava. Se ele sacaneou todas as suas colegas, porque ele não faria o mesmo com você?"

Agore me diga, depois disso se você não perde a vontade de ficar com ela por causa dessa escolha infeliz, sendo que você estava ali o tempo todo!

Anônimo disse...

Me desculpe te informar, mas tem mulheres de idade muito mais avançada que fica atrás desses cantores e ficam doidas para ter uma oportunidade com eles....

Eu sei que tem. Por isso disse GERALMENTE e não me referi a essas mulheres mais velhas pelo que me lembro... Mas, sim, das mais novas :)

Clara disse...

"clara, vc se considera uma vitima do seu namorado?"

Sem dúvida alguma eu era. Mas aí chega aquele ponto em que você dá mil desculpas: é o "gênio forte", é a criação pouco carinhosa, é o "jeito", você inventa qualquer coisa pra não enxergar o óbvio.

Até porque socialmente, ele era um cara "muito bom", do tipo que todo mundo ama, o sr. simpatia.

Foi minha a iniciativa dos dois rompimentos, o primeiro e o definitivo.

Só que no primeiro eu ainda gostava muito dele e tem aquele detalhezinho incômodo que um monte de gente não comenta.... aloka aqui achava que com amor e compreensão eu poderia fazer com que ele agisse diferente.

Pode rir, tem problema não.

Quando reatamos estava tudo fofinho maragold, vivemos um período de "lua de mel" que durou uns bons 3-4 meses até que um dia, saímos pra jantar em um restaurante chique na cidade em que morava. Eu derrubei uma taça de vinho e a desgraça solta, bem alto: "Sua burra, olha o que você fez!".

Burra mesmo.

Paguei pra ver e naquele momento, eu não poderia ter feito coisa melhor.

Nesse dia já voltei pra casa sem ele e com a absoluta certeza que não existia futuro pra gente. E assim fiquei em paz comigo, esqueci o bolha e toquei a vida em frente. Quatro anos depois estava casada com um homem tudodebompontocompontobr e pra esse eu nunca precisei dar desculpa de nada.

A parte mais chata na época foi ter que explicar pra papai, mamãe e cia ltda. por que eu tinha mandado pastar "um cara tão bom", mas isso é história para um outro comentário. É impressionante, de fato, como às vezes as pessoas que na teoria mais te amam são as que menos te dão apoio.

Clara disse...

"Agradeci pelas mansplainations de um carinha que disse que quem estava sendo sexista era eu! Irônico, né? A discussão já estava chegando ao tradicional ponto dos caras dizerem que o meu feminismo era um "pseudo-feminismo" (adoro!), que eu não era feminista suficiente e não conhecida a luta feminista (senão não usaria um termo sexista como mansplaination). "

Esses tipos sempre aparecem, até porque alguns caras não aceitam o fato que podemos falar de outra coisa que não seja dos pseudo-problemas e pseudo-necessidades deles. Costumo ignorar essa gente.

Clara disse...

"o feminismo existe tb para recuperar homens, libertando-os do círculo da violência.

da mesma forma como na violência sexual, o foco deve estar no agressor. pq ele agride e o q fazer para q não mais aconteça."

Super concordo.

Liana hc disse...

Sara, não acho que o obstáculo maior ao empoderamento feminino esteja na maternidade, mas no modo como a sociedade se organizou, então acho que é por aí também que passa a solução. Reclamar da maternidade cai naquela ideia de reclamar de ser mulher, de dizer que o melhor mesmo seria "ter nascido homem" para não ter que se preocupar com as desvantagens que é ser mulher numa sociedade machista e misógina.

Clara disse...

Esqueci de comentar uma coisa.

Esse papo de "fulano é o genro dos meus sonhos", eu também ouvi na época. Muita, muita gente mesmo achava o bolha o máximo, a pessoa mais legal do mundo.

Anos depois, na faculdade, quando comecei a estudar a dinâmica da violência doméstica que fui me dar conta que esse comportamento de ser alguém extremamente aprazível no convívio social e um monstro dentro de casa é uma estratégia, justamente para desacreditar a vítima perante seus pares, promovendo seu isolamento.

Liana hc disse...

"Então a culpa é do cara? e mãe dele? era machista também?"

Anônimo/a, eu meio que não entendi suas perguntas. Eu não sei se essa mãe imaginária era machista ou não, tampouco tenho qualquer informação adicional sobre ela.

O que eu apontei no meu comentário é que essas situações que envolvem preconceitos históricos são complexas e as esferas de atuação são muitas. Por isso mesmo as soluções não podem ser simplórias.

Sara disse...

Epaaa!!! Liana hc, não ha sociedade nenhuma sem a maternidade.
Mas o ponto é q pra exerce-la MUITAS mulheres recebem uma pressão muito grande, no sentido de perder sua independencia (que ao meu ver tem q ser preservada).
O que eu reenvindico é uma mudança nas politicas sociais de assistencia a maternidade, e mais ainda uma mudança nos valores sociais atribuidos a maternidade, uma nova significação da palavra pai, ele teria que receber uma liçença maternidade ou "paternidade" e exercer um papel mais importante na vida do filho, e alem disso q a mulher mãe e o homem pai estejam em pé de igualdade tambem no mercado de trabalho. Bem tem inumeros outros aspectos, pra se discutir, em um post apropriado quem sabe, valha a pena desmiuçar melhor.

Anônimo disse...

R. (personagem da historia)

Lola, obrigada pelo post. Vc foi certeira! =)

Quanto a qualidade dos comentários, n posso dizer o mesmo.

Quando o meu guest post foi publicado, eu me surpreendi com a caixa de comentários. Menos trolls agressivos do que eu esperava, muitas respostas inteligentes, e muito apoio e compreensão. Houve vezes que eu li perguntas (legitimas) a mim, e qdo eu ia responder, vi que ja haviam feito, com uma compreensão incrível do que havia acontecido. A rede feminista da um apoio incrível, e soh precisando dela p ter real dimensão disso. Muito obrigada!

Esperava algo parecido nesse post, e me decepcionei amargamente. Deve ser reflexo da ma qualidade dos comentários do outro post relacionado (relativo ao miss bixete), que basicamente circulou na parcela de culpa que as bixetes participantes teriam.

Marussia, se vc quer discutir sobre validadoras, poderia sugerir pra Lola um post soh sobre isso. Pq temos vários tipos de validadoras (as namoradas desses caras são apenas um deles), eh um assunto extenso, interessante, e ta longe de haver consenso por aqui. Mas eu n vejo a menor utilidade em falar disso AGORA, nesse post. Nem tem muito haver com o post na vdd, que se trata essencialmente da mentalidade dos membros do GAP e outros homens como eles.

Sobre validadoras, minha breve opinião: não existe real liberdade de ser/agir sem conhecimento. Essas garotas provavelmente acham que feminismo eh coisa de bigodudas mal-amadas, e não conhecem outra alternativa de se sentir bem consigo mesmas a n ser pela aprovação dos machos de plantão. N esperem que do nada elas usem o google e descubram alternativas.

Sobre violência domestica, n subestimem o subconsciente e as nuances de cada caso. Ser feminista e emponderada ajuda, mas n te livra disso necessariamente. Temos o caso de uma grande escritora feminista que foi vitima por anos a fio, mesmo escrevendo sobre o assunto (vi num post aqui mesmo). Onde esta seu deus agora?

Anônimo disse...

R. (cont)

Ja que eu n vi questões importantes serem levantadas, farei eu mesma: Vcs acham que esses caras tem um machismo representativo da "media" da nossa sociedade? Ou eles são um degrauzinho acima? Vcs acham que esse tipo de evento (que objetifica mulheres p simples deleite masculino) contribui p a cultura de estupro?

Andre, o GAP pode ate ser minoria no CAASO. Mas mesmo assim, e com o CAASO sendo contra o evento, n conseguiu impedir que o mesmo fosse feito dentro do espaço do centro acadêmico. Ja houve um ano que o miss bixete foi realizado em uma republica, mas pegou muuuuito mal pro CAASO e voltou a ser nas dependências da USP.

Outra coisa, o GAP pode ser misógino, mas o Campus como um todo tbm o eh (possivelmente pq a maioria eh homem). Cursos com maioria feminina são considerados "fáceis" ou "coxas". Cursos com 5 ou menos meninas na sala transformam as mesmas em objetos constante de desejo, objetificação, e posse (qdo as mesmas ja tem um macho). Ja ouvi de um aluno de uma turma que soh tinha uma mulher que pelo menos "tinha alguém p perfumar a sala". Calouras são assediadas desde que sai a lista da FUVEST pelas redes sociais, e na primeira festa os veteranos ja caem em cima. O GAP eh babaca? Sim, mas o resto do campus n eh mto diferente.

Agora me dirijo ao CAASO e a Frente Feminista de Sao Carlos, que por ventura venham a ler este post:

Por mais que vcs n aprovem o miss bixete, ele acontece dentro da USP. Qual poder vcs teriam p empurra-lo p fora, p as republicas? Se vcs tem poder e n fazem, de certa forma seriam coniventes. Mas isso n eh uma colocação capciosa, pq n sei mesmo se cabe a vcs. A reitoria com ctza! Cade a reitoria que permite esse festival de objetificação feminina nas suas dependências? Depois vem falar de trote consciente...

CAASO e Frente, vejam as cobras q vcs criam no seu quintal! Eu decidi linkar os casos p a Lola pra fazer barulho mesmo (faria ate mais se isso n fosse igual a jogar minha privacidade no ralo). Eu espero que meu caso, que DUVIDO que seja único dentro da USP, inicie/inflame uma discussão seria nesses grupos que ja são contrários ao evento. Ele eh reflexo e alimentador de uma cultura nada inofensiva. Eu ficaria mto, mto grata mesmo de ter um feedback de algum desses grupos.

Anônimo disse...

É isso que n entendo Clara,vc mesma diz que inventava mil desculpas para continuar aturando ele e ainda assim se considerada vitima.

para mim parece que vc foi vitima de si mesma,n dele.

Carla disse...

Do que adiantou punir só o chris brown e não fazer nada quanto a Rihanna?

Não estou dizendo que ela deveria ser punida e sim receber alguma ajuda ,um psicologo,porque ela continuou na mesma,achando que não tem nada demais um homem agredir uma mulher,que dá para perdoar,tanto é que voltou para aquele traste.

Que mensagem essas mulheres que aceitam abuso passam para os homens?
Que não importa o que eles fizerem conosco,nós sempre vamos ser bem burras e perdoar.

Quando eu vi que aquele guilherme lixo de padua,que matou a filha da glória perez,estava casado ,eu nem acreditei,como é que uma mulher se casa um lixo assassino desses?

O argumento dela é que o coitadinho estava arrependido,então vamos esquecer o que ele fez...

Tem muita mulher machista,não vai ajudar muito se só erradicar o machismo dos homens e deixar o das mulheres intacto.

Vou contar agora o absurdo do machismo da minha mãe(apesar de ela negar que é).

Esses dias vi ela dando comida ao amigo do meu irmão,até ai tudo bem,mas fui perguntar o porque,pensei que ele talvez estivesse passando dificuldades em casa.

Mas não,o problema era que o coitadinho estava morando sozinho e não sabia cozinhar!!!! que dó!!
Minha mãe xingou a mãe dele,ela acha que ela tinha quer ir lá dá comida ao cara.

Pelo amor de deus né! ele não pode aprender a cozinhar por que???
e ainda me falou que estava pensando em ajudar a ele a lavar sua roupa,eu quase vomitei quando ouvi isso.

Pobre coitado,não pode molhar suas delicadas mãos e nem suja-las com sabão em pó,só pq ele tem um pênis no meio das pernas.

André disse...

Carla,

Isso é a coisa mais comum que existe, mulheres se desdobrando para manter as mordomias de marmanjo folgado. Seja moleque, solteiro ou divorciado. Desde que eles não estejam empregando violência, a culpa é delas, ninguém as pressiona para fazerem isso.

André disse...

R.

Não concordo que o campus todo é misógino, talvez apenas tão machista quanto o restante da sociedade.

Liana hc disse...

Li o texto que a Patty Kirsche sugeriu, tem bastante espaço aí para estudo. Alguns trechos:

"Chegamos ao seguinte: aceitar o trote como um rito de passagem... a gente no começo até pensou que poderia ser uma explicação, mas descartamos porque na verdade ele não integra.

O trote divide os alunos do campus, uma parte dos alunos não trotista e outra parte dos alunos integrados ao grupo trotista. Então, quando aplicamos os questionários, foram mais de dois mil, aqui com os alunos. No momento em que eles entram na universidade a distribuição é quase que homogênea das posições deles em relação a vários assuntos, e após o período de trote, a distribuição não é mais normal e sim de uma maneira bimodal, quer dizer, os alunos que estavam distribuídos de uma forma mais ou menos homogênea se agrupam em dois extremos. Ou seja, o trote divide o campus, divide os alunos causando problemas em sala de aula.

O trote é uma violência que ocorre em todos os âmbitos da ciência, mas principalmente nessas três áreas Engenharia, Medicina e Direito. E não é por acaso que são essas as áreas que fornecem a maior parte do que podemos chamar de “elite brasileira”.

São áreas inclusive onde a concorrência é enorme.

O trote é fundamental para formar uma falange política coesa e obediente que vai fazer aquilo que as pessoas que estão no topo da hierarquia mandam.

Causa Operária: Muitos estudantes acham que a universidade seria um corpo neutro no meio da sociedade.

Antônio Almeida: No trote você tem um microcosmos social. No trote estão todos os fenômenos sociais envolvidos como os de mando, exploração, preconceito, violência etc. É muito rico estudar o trote."

Clara disse...

"É isso que n entendo Clara,vc mesma diz que inventava mil desculpas para continuar aturando ele e ainda assim se considerada vitima.

para mim parece que vc foi vitima de si mesma,n dele."

Considerava, não. Eu ERA vítima dele e tive a imensa sorte, felicidade, empoderamento, chame o que quiser de encerrar a situação antes que ela se agravasse.

Sem o apoio de ninguém. E por essa razão que sei, com propriedade, o quanto é difícil sair desse tipo de situação em que "o mundo" simplesmente não acredita em você, inclusive no seio familiar.

A coisa é muito menos simples do que parece. E olha que meu caso dá pra chamar de "leve", perto de uma Maria da Penha, por exemplo.

Liana hc disse...

(cont.)

Numa parte eles falam sobre as mulheres e o trote:

"Causa Operária: As mulheres são muito subjugadas?

Antônio Almeida: Aparentemente, o trote é mais leve para elas, mas só aparentemente. Elas fazem papel de subordinada, é como se as mulheres sequer pertencessem ao grupo que merecesse receber o trote.
Aquelas que são completamente “trotistas” têm destaque. Essas é que vão pegar as outras meninas nas repúblicas e falar para elas tirarem as roupas e fazer “piadas”..."

Bem, aí eu já achei que faltou apresentar as outras nuances em que se apresenta o machismo do trote. E os homens veteranos em questão obviamente tem uma participação ativa nisso, não é como se eles ficassem de longe só olhando e influenciando indiretamente.

O próprio post aqui mostra que a coisa vai além de oferecer tratamento secundário, já que há todo um reforço agressivo do preconceito dirigido especialmente às mulheres dentro da faculdade. O GAP é um exemplo disso.

Seria interessante entrar em contato com os pesquisadores e trocar umas ideias, usando inclusive este episódio da USP como exemplo.

Carla disse...

André.
Quando eu falei para ela,que seria melhor ela ensinar o cara a cozinhar do que ficar servindo de empregada, ainda ficou com raiva de mim.

A coisa tá feia!

Outro exemplo que me irrita muito,quando meu irmão de 18 anos fica doente ,ela reclama que tem que dar remédio a ele,mas a culpa é dela,por que não manda ele se virar?
Vai ser demais para o meu pobre irmão gravar o horário de seus remédios?

Se fosse o caso de ele estar de cama,n teria problema nenhum.
Mas geralmente quando ele fica doente,gripado,ainda tem muita disposiçao para ficar andando pela rua com os colegas,por que diabos n pode se medicar sozinho??

H.M. disse...

Acho que uma atitude que ajudaria a diminuir o esses comportamentos agressivos dos homens seria o seguinte: todas as mulheres decidirem não se envolver afetivamente e sexualmente com homens machistas, grosseiros, vulgares e agressivos.

Quando os homens percebessem que o comportamento deles está afastando mulheres, aposto que muitos iam mudar.

Casos como do Chris Brown, Dado Dolabella, Mohammed Ali(que matou a namorada e esquartejou) e tantos outros casos, mostram que não importa o comportamento agressivo de um homem: ele sempre terá uma mulher para ser submissa a ele.

Anônimo disse...

A mente humana é muito complexa mesmo, porque eu nunca tentei consertar homem nenhum, muito pelo contrário. O primeiro vacilo eu já queria terminar tudo. Já me desencantava, podem imaginar que meus relacionamentos não duram muito, né?


H.M, o que vc está esperando pra partir pra outra?

Leandro Terra disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

"Eu sei que tem. Por isso disse GERALMENTE e não me referi a essas mulheres mais velhas pelo que me lembro... Mas, sim, das mais novas :)"


É mas eu me referir para salientar...

Anônimo disse...

"Sara, não acho que o obstáculo maior ao empoderamento feminino esteja na maternidade, mas no modo como a sociedade se organizou, então acho que é por aí também que passa a solução. Reclamar da maternidade cai naquela ideia de reclamar de ser mulher, de dizer que o melhor mesmo seria "ter nascido homem" para não ter que se preocupar com as desvantagens que é ser mulher numa sociedade machista e misógina."



Perfeito, não precisa negar sua biologia para viver...

Anônimo disse...

"O que eu apontei no meu comentário é que essas situações que envolvem preconceitos históricos são complexas e as esferas de atuação são muitas. Por isso mesmo as soluções não podem ser simplórias."


Obrigado por responder!

Anônimo disse...

"Não estou dizendo que ela deveria ser punida e sim receber alguma ajuda ,um psicologo,porque ela continuou na mesma,achando que não tem nada demais um homem agredir uma mulher,que dá para perdoar,tanto é que voltou para aquele traste."


Como assim não achou? ela via a mãe dela viver uma vida de merda todo santo dia! Isso para mim não tem lógica

Anônimo disse...

"Quando eu vi que aquele guilherme lixo de padua,que matou a filha da glória perez,estava casado ,eu nem acreditei,como é que uma mulher se casa um lixo assassino desses?"


Hahaha... eu te digo mais, a mulher que ajudou ele, casou com um advogado de recursos e usava o corpo para ter privilégios na prisão... e ele ficou duro!

Anônimo disse...

"Acho que uma atitude que ajudaria a diminuir o esses comportamentos agressivos dos homens seria o seguinte: todas as mulheres decidirem não se envolver afetivamente e sexualmente com homens machistas, grosseiros, vulgares e agressivos."


E cafajestes e Alphas!

M. disse...

li os comentários da Clara e resolvi contar minha história aqui, conheci um cara em 2011 lindo de morrer, o F., super gentil, inteligente, boa família, fomos apresentados por um amigo em comum e começamos a namorar.

ele também era queridissimo na comunidade, meus amigos ficaram amigos dele e meus pais amaaaaaaaaaaaavam o F., minha mãe vivia me fazendo levar coisas pra ele tipo docinhos, tortas, agradinhos assim.

no começo eu não vi nada de errado mas passou um tempo e começou a ficar esquisito tipo, a gente sozinhos e do nada dava uns ataques de raiva nele, falava alto, umas coisas nada a ver, sei lá parecia que baixava o capitão Nascimento nele. Aí depois pedia desculpas, dizia que não ia acontecer mais, aquela história né? Depois ele começou a meio que implicar com meus amigos e amigas, falava deles pelas costas, dizia que eu não precisava me misturar com essa gente, que devíamos ficar mais juntos e sem perceber eu fui me afastando deles.

os acessos de raiva dele foram ficando mais corriqueiros, do nada ele me telefonava pra falar um monte de b......, aí mandava mensagem dizendo que tava nervoso, dava mil desculpas de trabalho, de família mas sempre dava um jeito de me diminuir de algum jeito, sempre dizendo que queria o melhor pra mim, que estava cuidando de mim, palpitava em tudo até nas minhas propostas de trabalho, roupa, era bem o tipo protetor e um dia ele me deu um empurrão no motel, foi bem agressivo e eu fiquei totalmente sem reação, sabe quando você não espera isso e não sabe como reagir? Eu fiquei p......... da vida, aí ele me ameaçou, falou que se meus pais soubessem que tava no motel com ele minha vida seria um inferno e que era melhor a gente resolver nossos problemas nós mesmos, eu acabei aceitando isso também.

na faxada ele era o cara mais bacana só que bastava ficarmos sozinhos pra ele mostrar as garrinhas, aí eu comecei a falar com umas pessoas a respeito e todo mundo me dizia que era o jeito dele, que isso não era nada, que eu tinha que levantar a mão pro céu por ter arrumado um namorado bonito, bem de vida e que me queria tão bem, que homem tem que fazer esse papel de macho de proteger a mulher amada e que quando não faz é porque não gosta de verdade, que eu precisava ser paciente com ele e não dar motivo pra desagradar ou pra ele ter ciúmes.

hoje eu me arrependo de ter ouvido essas pessoas, meu pai, minha mãe, meu irmão, uma tia, algumas amigas, a coordenadora de um curso que fazia, todo mundo vinha com esse discurso e aí comecei achar que estava errada mesmo, que o problema era comigo e fui aceitando mais e mais coisas dele e um dia ele me pegou pelos cabelos e meteu minha cara no painel do carro e sabem porque? Ele parou em um posto e pediu pra eu comprar duas latas de refri, eu trouxe duas cocas mas ele queria zero, eu tinha trazido duas normais, aí ele fez isso me xingando de tudo e sabem o que é pior? Foi na frente de um monte de gente e ninguém fez naaaaaaaaadaaaaaaaa, o frentista viu, gente que tava lá viu, ninguém fez nada.

ele começou a dirigir me xingando,cada vez mais nervoso e eu chorava de ódio, de medo, de tudo e em um impulso abri a porta do carro parado no farol e saí correndo feito uma maluca e uma viatura da polícia estava passando, fiz eles pararem e o F. acelerou e fugiu.

os policiais conversaram comigo e diziam que eu devia me acalmar, que briga de namorado era ioio e que nem valia a pena eu dar parte na delegacia porque ia fazer eles perderem tempo quando podiam estar procurando bandidos e coisas mais importantes mas que se eu quisesse mesmo podia fazer isso no dia seguinte quando tivesse me acalmado.

continua.........

Gabriela Barbosa disse...

Não gosto dos pronomes possessivos diante da palavra "estuprador": "Meu estuprador","seu estuprador"! Parece que há um sentimento de posse aí! O certo seria: "O cara que me estuprou" ou "O cara que a estuprou"! Nada de possessivos!

M. disse...

continuação


peguei um taxi e quando cheguei em casa o carro do F. estava na porta, fiquei desesperada e corri na vizinha, ela me deixou entrar, me deu água, contei tudo pra ela chorando e acho que o filho dela foi avisar que eu estava lá porque de repente entra meu pai e minha mãe na casa berrando comigo, falando que eu era louca, que podia ter morrido, onde já se viu pular de carro por conta de briguinha e eu não conseguia falar nada, praticamente me arrastaram de lá pelo braço e dou de cara com o F, rindo, ele tava rindo, corri e me tranquei no banheiro, meu pai veio atrás e quase derrubou a porta de tanto bater, procurei meu celular pra ligar pra polícia mas não achei, ficou na casa da vizinha junto com minha bolsa, aí eu acabei abrindo a porta e todo mundo entrou dizendo que eu era louca, que devia ter fumado maconha, que não estava normal e o F. lá na sala falando não sei o que e sabe o que fizeram comigo? me obrigaram a pedir desculpas pra ele, é sério!!!!!!!!!!!

no dia seguinte eu conversei com uma menina que estava precisando de gente pra dividir o aluguel e como eu trabalhava, resolvi sair de casa, minha mãe não me deixou levar nada, nem os livros da faculdade, fui pra casa nova só com a roupa do corpo e umas calcinhas, passei quinze dias usando roupas emprestadas até que meus pais permitiram que eu fosse lá buscar minhas coisas e eu preciso dizer quem estava lá no dia, um sábado, também?

sentamos todo mundo na mesa da cozinha e ele veio com vários discursos, dizendo que sabia que era uma pessoa um pouco nervosa mas que isso era dele, que eu não precisava ter medo, que ele só queria o meu bem, que ia comprar um apartamento pra gente morar e que seriamos muito felizes juntos quando acertassemos nossas diferenças, que eu era muito jovem e imatura e por isso estava me precipitando nas interpretações, que não era nada daquilo.

eu me revoltei totalmente, contei tudo, até do empurrão no motel, falei que tinham testemunhas pra provar que ele meteu minha cara no painel do carro, aí minha mãe começou a passar mal e suar, meu pai quase me agrediu, dizia que eu era uma vagabunda e pediu desculpas pro F., que ele merecia uma pessoa melhor, uma mulher melhor, que não fosse uma prostituta.

voltei pra casa da minha amiga revoltada, arrasda, queria morer, queria me matar, ela foi a única que ficou do meu lado todo o tempo, me ajudou com dinheiro, com roupas, com os livros, deu ordem pro porteiro não deixar ninguém subir mesmo que fosse conhecido, que tinha que avisar antes.

o F. começou a me perseguir, ficava na porta do meu trabalho, na faculdade, todos meus amigos compraram a versão dele e um deles disse que o pai era psicólogo e que eu poderia me consultar de graça, que precisava de remédios para acalmar meus nervos, fui ficando cada vez mais isolada até que decidi trancar a faculdade e largar do emprego.

continua.................

Vivian disse...

O que vejo nessa discussão é um grande blá blá blá sobre namoradas.

E na outra foi um grande blá blá blá sobre as calouras.

Hello, galera!

Falemos de quem comete os atos!

Simples assim!

Sair pela tangente com os únicos CULPADOS que são os que organizam essa porra de trote ridículo é mostrar o tamanho da sua ignorância, e só mostra que você está longe, bem longe, de entender um pouco do nosso judiciário.

Desculpa a franqueza, mas galera não tem vergonha de ficar exibindo a burrice por aí?
Eu morro de vergonha alheia por ver pessoas mostrando o quanto são ignorantes. Eu fico pasma! O que sobra pra elas? Uma vida de fracassos e de alienação, achando que fazem algo nesse mundo sem sequer entender as leis do próprio país onde vivem? Querem uma carteirinha de ignorância? Olha, daqui a pouco vou distribuir.

M. disse...

continuação


o F. começou a perseguir minha amiga também mas aí ele se deu mal, essa amiga não tinha medo de nada e começou a fazer vários escândalos no meio da rua quando via ele, quando ameaçava ligar pra polícia ele ia embora mas sempre ameaçando, dizendo que ela estava fazendo a minha cabeça, que não era pra ela se meter porque uma coisa horrível podia acontecer com ela.

eu fiquei com medo que acontecesse e um dia eu liguei pra ele pedindo pra gente conversar, que era pra botar um fim nisso, combinamos de nos encontrar em um barzinho e eu fui, ele se ajoelhou no meio do barzinho pedindo perdão, que eu era a mulher da vida dele, que ele estava completamente transtornado de saudades, que nunca desistiria de mim e que eu tinha que ficar com ele porque nascemos um pro outro, aí do nada ele tirou uma caixinha do bolso, era um par de alianças e me pediu em casamento, o bar inteiro aplaudindo e eu chorando de desespero, foi aí que eu vi que estavam lá meus pais também, todo mundo veio me abraçar e dizendo que eu devia voltar pra casa, que tudo ia ficar bem, que essa brincadeirinha de morar fora tinha que acabar e sabem o que eu fiz? Voltei pra casa deles. Só que eu voltei na intenção de bolar um plano, queria dar um jeito de fazer o F. largar de mim por vontade própria mas eu fingi que tinha perdoado só pra ganhar tempo mesmo. Minha amiga não me perdoou, disse que eu era maluca, que ele ia me matar, contei meu plano pra ela mas ela não acreditou em mim.

No final daquele semana ele me levou a um lugar bem caro, comprou champanhe, pediu pratos caros e eu fazendo de conta que tava tudo bem entre nós, aí ele quis ir pro motel, falei que estava menstruada e com dor de cabeça, ele foi dirigindo até que chegamos lá, falou que a gente só ia ficar la um pouco, que não ia fazer nada que eu não quisesse e foi assim que fui estuprada por ele, gente eu berrava tanto, mas tanto, é impossível que alguém não tenha me escutado, ele enfiou um travesseiro na minha cara e fez coisas horríveis, chegou uma hora que eu não sentia mais nada, parecia que eu tinha morrido, meu corpo dormente, só sentindo aquele peso em cima de mim. Quando ele terminou fiquei deitada na cama ainda um tempo, totalmente desnorteada, ele ficava falando que tinha sido bom, que tinha sido gostoso, fui pro chuveiro e tomei banho, depois nos vestimos e ele me deixou em casa. Não falei nada para meus pais.

no dia seguinte contei para a minha amiga e ela disse que eu precisava fazer alguma coisa urgente, falou que me emprestava dinheiro pra fugir ou pra fazer um aborto se tivesse engravidado (não engravidei graças a Deus) e me ajudou a fazer isso mesmo, fui embora para outra cidade onde estou até hoje, minha família não sabe onde moro e nem o F., queria um jeito legal de mudar de nome mas descobri que não é possível fazer isso no Brasil.

Eu não sei o que é dormir uma noite inteira tem oito meses, parte do meu cabelo caiu e eu preciso manter ele preso, não estou estudando, estou morando com pessoas relacionadas dessa amiga até agora, praticamente de favor, não tenho estabilidade emocional para nada, hoje eu peso 50kgs (tenho 1.69 de altura) ou menos e se pudesse mataria todos meus familiares e todas as pessoas que me aconselharam e deixaria o F. pro final pra ele morrer bem devagarzinho, sofrendo bastante, mas é lógico que não vou fazer nada disso mas se pudesse, ah se pudesse.

no Facebook dele tem fotos da namorada nova, daquelas bem exibidas e vários recadinhos indiretos pra mim. Coitada dela.

de vez em quando eu me comunico com meu irmão por email, como é do Gmail não dá pra ver o IP então ele também não sabe onde estou, só que estou viva e ele mesmo disse pra eu nunca voltar pra casa, que meus pais queimaram todas as minhas fotografias e doaram todos os meus pertences.

se alguém me explicar como uma mulher nessa situação está validando o patriarcado, faço questão de mandar se fuder pessoalmente.

Liana disse...

Clara e última comentarista.

Eu tb fui vítima de um namorado abusivo, que era assim: bonito, bem sucedido e partidão, querido por todos onde passava.
Mas por sorte a minha rede de contatos não é tão conivente com machismos e também eu não fui.

As pessoas a sua volta enxergam o que ele demonstra ser na frente delas (pois é um dissimulado), mas você também não pode ter vergonha de contar para os mais próximos *os detalhes* do que está acontecendo. Do contrário, é difícil ter apoio mesmo, assim como é difícil pra nós admitir para outros o que passamos entre quatro paredes. Mas é necessário.

Quando algo ruim acontecia, eu só pensava: e se acontecesse com uma amiga, com minha irmã, eu toleraria? Então eu reunia forças e contava tudo em detalhes para minha irmã, mãe e boas amigas.

A gota dágua foi quando eu pensei: eu aguento e rebato quando ele me trata mal, mas se tivermos filhos? Como eles se defenderão? Foi pensando nos filhos que decidi que este não era o pai que nenhuma criança deveria ter. Engraçado pensar em uma criança antes de pensar em mim mesma, mas eu estava tão imersa nessa lavagem cerebral que hoje vejo que minha auto estima baixou incrivelmente. Felizmente está recuperada!

De tanto ouvir minhas reclamações sérias, todos torciam para que eu me separasse logo, e quando me separei tive total apoio. Hoje minhs amigas me aconselham a fiar longe dele o máximo possível, pois veem nele um homem desequilibrado.

Não guarde os detalhes escabrosos pra você, conte para o máximo de pessoas que puder. Você pode ter medo de passar vergonha agora, mas vai por mim, é melhor passar vergonha do que ser agredida ou morta. E depois, quanto mais pessoas souberem da verdade sobre este homem, mais mulheres você alertará.

Fiquei surpresissima com esse meu relacionamento, sempre fui muito feminista, e achei que detectaria machistas. Mas é difícil quando a pessoa é dissimulada o tempo todo.

Boa sorte a todas as mulheres que ainda sentirão medo de seus parceiros. Infelzimente isso ainda vai se repetir, e muito.
Esta luta é a mais difícil de todas, pois a violência entre casais é a mais silenciosa.

M. disse...

as pessoas precisam entender que esse tipo de gente faz miséria na sua vida, te envolve, te engana, se ele não tivesse me batido eu talvez até poderia ter perdoado mesmo, a história de ter um jeito nervoso cola totalmente, é o que se espera de um homem, a mulher nervosa é histérica mas o homem nervoso é macho, é protetor, é um cara fodão, pelo amor de Deus até quando vão continuar culpando as mulheres?

com exceção da amiga com quem fui morar, que quando fui nem era minha amiga, era só conhecida, todas as pessoas ficaram contra mim, dizendo que eu era errada, que era impossível o F. ser uma má pessoa, que eu tinha que ter paciência e não fazer nada pra provocar, que eu era muito geniosa e isso não é bom pra mulher, é tanta gente falando que você é a errada que uma hora você acredita, e eu ganhei com isso foi porrada, um estupro, uma falha enorme de cabelos na cabeça, perdi minha família, tive que sair de casa, do estado onde morava, ando na rua com medo de dar de cara com F., não durmo, não tenho ninguém, não deixo ninguém se aproximar e polícia não me ajudou, pai, mãe, irmão, isso acontece com milhares de mulheres todos os dias e ainda vem alguém dizendo que a mulher que é a culpada por se envolver com gente assim, por se apaixonar, isso é motivo pra ser estuprada e apanhar? Eu mereci isso? Qualquer mulher merece isso? Qualquer ser humano merece isso?

eu desejo um F. na vida de todas as pessoas que acusam as mulheres dessas coisas.

obrigada Lola pelo espaço, por abrir os olhos das pessoas e quem sabe levar um pouquinho de consciência pra essa gente desinformada que vê o mundo pela telinha do computador e não sabe o que pode estar acontecendo ali do lado, no seu vizinho de parede, ou que se sabe não está nem aí porque não é com ele, me dói muito ver mulher falando essas coisas também sabe? Eu acho que gente assim se acha invulnerável, que com ela nunca vai acontecer, mas pode ficar tranquila viu amiguinha porque tua hora um dia chega também.

Anônimo disse...

Como assim não achou? ela via a mãe dela viver uma vida de merda todo santo dia! Isso para mim não tem lógica

realmente n tem lógica,ela via a mãe apanhar,sofreu na mão daquele otário e agora tá com ele de novo.

Carla disse...

Gente acabei de ver essa noticia do otário chris brown,que fez uma música dizendo para Rihanna cuidar do corpo dela porque a vagina dela é dele!!!!!!

E se defendeu dizendo que era brincadeira,a gente já pode esperar uma noticia de que ela foi agredida de novo.

Esta aqui,quem quiser ver:

http://br.omg.yahoo.com/blogs/notas-omg/chris-brown-improvisa-m%C3%BAsica-ofensiva-para-namorada-rihanna-175940672.html

Carla disse...

M

"isso acontece com milhares de mulheres todos os dias e ainda vem alguém dizendo que a mulher que é a culpada por se envolver com gente assim, por se apaixonar, isso é motivo pra ser estuprada e apanhar? Eu mereci isso? Qualquer mulher merece isso? Qualquer ser humano merece isso?"

Eu nunca disse que mulher é a culpada por se apaixonar por alguém.
A gente não tem como saber como é uma pessoa,até você começar a conviver com ela.

Tem casos e casos,o seu é realmente horrível.
Eu não falo de casos como o seu em que o cara te deixou totalmente pertubada.

Mas casos como os que acontecem direto,em que a mulher é traida pelo cara,ela tem condições financeiras,n sofre agressão fisica e mesmo assim suporta as humilhações na esperança que o idiota mude.

Me desculpe quem não concorda mas se eu namoro alguém que me trata mal e ainda continuo com ele.
eu tenho uma parcela de culpa,não por sofrer a agressão mas sim por permitir que o cara continue pisando em mim.

Anna disse...

M. que estoria horrível! e realmente so quem nunca se envolveu com alguem assim acha que é facil perceber e sair rapidamente de uma situação dessas. força!

Sara disse...

M. e Liana
Sei perfeitamente como age esse tipo de homem, por isso deixo aqui meu total apoio, e sei perfeitamente q a culpa não é de vcs....

Mordred Paganini disse...

Então de acordo com o que você diz, a mulher só deve fazer algo quando se ganha algo em troca? ou algum benefício?


"Se aproveitar da fragilidade econômica ou emocional de alguém é que deveria ser visto como monstruoso."

É mesmo? então lute contra as grandes corporações capitalistas!

Também é monstruoso mulheres que se envolvem com homens por puro interesse financeiro, não acha?

-----------------------------------

Nem eu nem você e nem ninguém trabalha de graça a menos que seja forçado, certo?

As validadoras do patriarcado fazem mais do que trabalhar. Elas sacrificam a própria liberdade e dignidade em troca de quê?
A dignidade e a liberdade de alguém não vale nada?

Se vender como mercadoria não é monstruoso não.
É a maior estupidez que alguém pode cometer na vida.
Quem se casa por dinheiro se vende como mercadoria, mas quem compra sabe exatamente que está comprando uma mulher.
Pelo menos o segundo tem a vantagem de saber o que está fazendo.

yulia2 disse...

^^^^
outro travesti????

Mordred Paganini disse...

"Amélia" é um típico travesti virtual. Já vi muito disto, desde o orkut...

Obs: travesti virtual não tem nada a ver com travestis reais. São apenas aqueles que tentam se passar por mulheres em fóruns na internet, geralmente para trollar.

Julia disse...

Amélio, seu trouxa, vá trollar em outra freguesia. Vaza!

Julia disse...


M. com um pai e uma mãe desses quem precisa de inimigos?

O F. é claramente um psicopata, consegue manipular e enganar as pessoas mas isso não justifica. Você contar que um cara te agrediu no motel e seu papai se preocupa mais com o fato que você esteve num motel.


Esse F. merece um tiro na cara pra amanhecer com a boca cheia de formiga. Aliás, na cara não. Na barriga pra demorar de morrer e sofrer bastante antes.

yulia2 disse...

suelen.... amélia...

não sabia que os transformistas da masculândia gostavam daqui...

Cora disse...


atenção, atenção!!!

após uma declaração oficial, o cantor chris brown reconhece q não passa de um babaca odiador de mulher.

o babaca disse:

“Você tem que dizer uma coisa para ela. Não me faça ter de dizer isso de novo. Essa vagina é minha, bebê. É minha. Então é melhor você não sair oferecendo ela por aí. Todo cara nesta casa tem que dizer isso a sua garota, é melhor você dizer a ela, ou ela pode acabar transando com outro cara”

.
.

a riahanna deve ter muito cuidado. ele está declarando q não é de confiança e q é perigoso. qdo ela se dará conta disso?

será q a infância presenciando abusos por parte do pai pode ter alguma influência?

só espero q, se acontecer, ela não tenha pudores em denunciá-lo novamente.

e eu repito: erro é diferente de culpa.

rihanna pode estar cometendo um erro. essa declaração dele mostra q sim, ela está cometendo um erro. mas JAMAIS será culpada por qq boçalidade da parte dele.

a culpa será sempre DELE.

mulheres jamais serão culpadas pelas atitudes dos parceiros boçais. todo mundo tem escolha. escolheu agredir? assuma a responsabilidade, ué! até qdo homens abusivos jogarão nas costas de suas parceiras a responsabilidade pelos abusos?

.
.

obs.: ele está sem camisa, mostrando o corpo, sorrindo e com a cueca pra fora da calça.


ps. pensando bem, vai ver eles combinaram td pra reatar e o pau dele é dela. ele deve ter q cuidar do pau dele direitinho e não sair oferecendo ele por aí, né?

mebarak ludgero disse...

As feministas desse site me deixaram deprimida,parece que para vocês mulher não tem cérebro e nosso QI deve ser quase 0.

"Quem se casa por dinheiro se vende como mercadoria, mas quem compra sabe exatamente que está comprando uma mulher.
Pelo menos o segundo tem a vantagem de saber o que está fazendo."

A mulher casa por puro interesse vendo o homem como um banco 24 horas e não sabe o que está fazendo?
Só o homem é muito esclarecido e percebe o interesse da mulher mas fica com ela assim mesmo,porque também tem a intenção de usar ela?

Como assim?!

mebarak ludgero disse...

Mulher não tem culpa de ser agredida mas tem culpa de permitir que continue sendo abusada.

É isso que a Rihanna está fazendo,depois de se livrar desse babaca ,simplesmente volta a namorar o cara que deixou a cara dela toda inchada.

E ela nem tem a desculpa de dependência econômica,já que é podre de rica.
E pelo menos,pelo que a gente saiba,ela não ficou sofrendo ameaças dele e nem pressões psicológicas,acho que se tivesse acontecido,ela teria denunciado como fez na primeira vez que foi surrada.

E mesmo assim ,lá está ela beijando seu agressor.

Cora disse...


apaguei pra consertar uma palavra mas não vi o nome da rihanna errado! paciência! fica assim mesmo.

fica bom sem moderação, né?

.
.

hahahahahahahahahahahahahahaha...


e esse amelia santana?


oh! dúvida cruel!!

ao escolher esse nome o cara se mostra espirituoso

ou

assume q não passa mesmo é de um espírito de porco?

Cora disse...


eu NÃO ENTENDO a atitude da rihanna! se tivesse qq influência sobre ela (e se ela tivesse pedido a minha opinião), eu a desencorajaria!!

na minha opinião, ela ERRA, pois está claro q ele não mudou, ao menos considerando a "música" e a tatuagem.

no entanto, se ele cometer qq agressão, ele é o responsável por isso. a CULPA pela agressão é dele, pois sempre podemos escolher não agredir, mesmo verbalmente.

.
.

eu acredito q haja recuperação pra esses homens. mas pra isso é necessário q a agressão (qq agressão, mesmo a simbólica, mesmo a institucional, mesmo a verbal) seja de fato considerada abominável por todos. só assim, a agressão deixa de ter reforço social. enqto a agressão à mulher (verbal, simbólica, moral, física, sexual), for considerada legítima, compreensível, desculpável, tolerável, risível, homens deste naipe continuarão se permitindo agredir. e só assim, entendendo qq forma de agressão à mulher como abominável, podemos pensar em recuperar agressores.

o estado do piauí é o q apresenta os menores índices de violência contra a mulher e as menores taxas de reincidência. quer dizer, dá pra mudar.

Maíra disse...

Eu viraria. Ao agredir um grupo de mulheres, meu filho também estaria me agredindo. E não, a culpa não é minha se meu filho escolheu agredir alguém.

Maíra disse...

Vítima de sí mesma? Confere o guest post sobre autodano...
A Clara permaneceu por um tempo em uma relação abusiva, mas o namorado era o algoz, não ela.
Esse raciocínio é o mesmo que culpa a roupa pelo estupro.

Amelia Santana disse...

Travesti? Só porque eu coloquei a matéria sobre bullying feminino?

Eu sou mulher e feminista, defendo sim muitas das nossas causas, mas tem questões que não vou abrir mão de abordar, independente do que vocês digam... Esse bullying Feminino existe sim, assim como lá no meu trabalho a maioria das mulheres ficam competindo a atenção dos homens.

E pra vocês que acham que estou mentindo ou coagindo, tem essa matéria que um procurador fala sobre as que usam a Lei por vingança ou proveito, isso também não generaliza todas, se vocês não quiserem enxergar isso ou se fazem propositalmente, ai quem perde somo nós como defensoras da igualdade...

http://www.folhavitoria.com.br/policia/noticia/2012/04/mulher-faz-mau-uso-da-lei-maria-da-penha-para-prejudicar-companheiro-em-vitoria.html

Amelia Santana disse...

Então já que vocês acham que estou mentindo...

segue link no site da VIOLENCIA CONTRA MULHER, em que trata dessa questão aqui:

http://www.violenciamulher.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=120:mulheres-que-batem-e-homens-que-calam-o-estado-de-spaulo-050605&catid=19:reportagens-artigos-e-outros-textos&Itemid=6

mebarak ludgero disse...

Amelia

Pelo que eu percebi no pouco tempo que estou lendo esse blog,a mulher sempre é a vítima de tudo.

Somos vítima de violência,estupro mas isso aqui chega a ser rídiculo.
Uma mulher tentando dar um golpe no cara casando por dinheiro é vítima!? kkkkkkk


Julia disse...

Exatamente Cora, a Rihanna está errada, mas ela não é culpada.

Espero que depois desse episódio lamentável da música ela abra mais os olhos.

Amelia Santana disse...

"Amelia

Pelo que eu percebi no pouco tempo que estou lendo esse blog,a mulher sempre é a vítima de tudo.

Somos vítima de violência,estupro mas isso aqui chega a ser rídiculo.
Uma mulher tentando dar um golpe no cara casando por dinheiro é vítima!? kkkkkkk"


Justamente, eu tenho amigas que fizeram isso, e tem uma que tem 22 anos, não teve filho e conseguiu arrancar um carrão do cara. E agora ta curtindo a vida do que ganhou...

Mordred Paganini disse...

Amelia

Pelo que eu percebi no pouco tempo que estou lendo esse blog,a mulher sempre é a vítima de tudo.

Somos vítima de violência,estupro mas isso aqui chega a ser rídiculo.
Uma mulher tentando dar um golpe no cara casando por dinheiro é vítima!? kkkkkkk

_________________-_____

A mulher que escolhe o homem pela conta bancária, está objetificando o outro ser humano. O que não é certo.

O homem que escolhe a mulher pela beleza age da mesmíssima forma, uma vez que também está objetificando, desumanizando outro ser humano.

A mulher que se relaciona por interesse está vendendo sua própria dignidade e autonomia.

Só que, a mulher que age desta forma acha que está tendo grande vantagem, quando na verdade está seguindo a mesma lógica da prostituição, só que recebendo menos e gozando de menor autonomia.

O casamento em nossa sociedade é geralmente assimétrico e essa assimetria aumenta ainda mais quando há diferença entre classes sociais. Alguns homens endinheirados escolhem mulher como quem escolhe um carro. E eles sabem exatamente que estão comprando uma mulher.

E nesse caso a mulher jura que está se dando bem...
E essa situação se estende até ela perceber que está se vendendo muito barato...

Não vejo vantagem alguma em casar com homem rico, a menos que ele me quisesse como ser humano e não como mais uma propriedade (o que sabemos, é algo muito raro). Me vender como escrava? Tá maluco?!

Mas enfim, eu já disse isso em outro espaço: a família tradicional e machista educa as mulheres para uma modalidade especifica de prostituição que é o casamento tradicional. A mulher tem que "se valorizar" para valer mais no mercado matrimonial e conseguir um "bom partido". Já repararam o quanto tem gente que não acha nada demais no conceito de bom partido?

Enfim, burrice demais.

Sara disse...

Mordred

"P E R F E I T O"