terça-feira, 8 de maio de 2012

A RUM RUM TERAPIA CHEGA AOS PRESÍDIOS

A cara deste gato já diz o que ele acha da sua resposta

Duas notícias sobre gatos me sensibilizaram na semana passada. Ok, uma não era exatamente uma notícia, mas um desses emails-corrente em forma de slides que eu tanto abomino. Só que como era sobre gatinhos, eu tolerei. E o email-corrente rendeu altas gozações entre o maridão e eu pro resto da semana. A mensagem diz que, apesar dos gatos que eu tanto amo parecerem bichos preguiçosos, eles têm uma missão na vida: sugar nossa energia negativa! Enquanto a gente dorme, eles estão trabalhando arduamente, tirando nossos maus fluídos. Depois, tadinhos, eles precisam dormir também, pra eliminar a péssima energia que tiraram de nós. Por isso, diz o email, se houver muita má energia numa casa, recomenda-se que tenhamos vários gatos. E, quando um gato não consegue se livrar de todo o carma acumulado, ele (o gato) engorda!
Eu gostei da tentativa do email de explicar porque gatos dormem durante dois terços de suas vidas. Eu tenho outra hipótese. É que às vezes, nem sempre, a natureza é sábia. Gatos e todos os outros felinos que são iguaizinhos a eles, porém maiores, são predadores. Imagina o estrago que eles poderiam causar pro meio ambiente se ficassem acordados mais horas! Seriam quase tão destrutivos como os humanos! Então eles vieram à Terra com superpoderes óbvios, mas com uma grande capacidade pra dormir e não usar esses superpoderes o tempo todo.
O resto do email fala que, se um gato de rua aparecer do nada na sua casa, é pra você ficar com ele, porque ele tem um débito cármico pra te pagar. Bom, falou em carma, eu lembro de Nessahan (saúde!), e desligo. Eu não acredito em carma, espíritos, deuses, nada disso. Mas não dá pra negar que toda casa com um bichinho de estimação dentro tenha uma atmosfera melhor que casas sem bichos. Casas com bichos podem não ser tão limpinhas ou cheirosinhas, mas são mais alegres.
E claro que todo esse papo de energia negativa fez que o maridão e eu competíssimos pra ver qual de nós dois dava mais trabalho pro Calvin. A conclusão (minha) é que é o maridão. Eu mal durmo! E o Calvin dorme bastante, então ele deve estar eliminando a energia negativa que sugou de alguém.
A outra notícia felina está relacionada. É que um presídio de Wisconsin, fim do mundo nos EUA, permitiu que alguns detentos adotassem gatos de um abrigo. E -– tchan tchan tcharam! -– o clima na penitenciária automaticamente melhorou. Ao contrário de um comentarista do Globo (ai, os comentaristas de jornais e grandes portais, meus sais!) que tem certeza que os presos vão estuprar os gatos (tem um pessoalzinho obcecado por estupro nas cadeias, né não?), eu já sabia que algo assim daria certo. É a Rum Rum Terapia!
A Rum Rum Terapia é um método que eu inventei, só que infelizmente não patenteei, e que já vem sendo testada em outras frentes, sempre com sucesso absoluto. É o seguinte: não tem como não relaxar com um gatinho em cima da gente fazendo aquele barulhinho de motor que ninguém sabe direito o que é. Está relacionado ao prazer do gato, e acho que nossos corações insensíveis sorriem ao ver que fazemos um bichinho feliz. O efeito terapêutico é imediato.
Portanto, sou a favor da Rum Rum Terapia nos presídios. Quer dizer, só nos de segurança mínima. Não quero que serial killers e outros psicopatas tenham acesso a um animalzinho. Mas eu acredito que gatos (e cães também) possam melhorar as nossas vidas. Tá aqui do meu lado o Calvin, dormindo, pra variar, supervisionando este post e tirando deles todas as suas energias negativas. E toda essa atividade insana tá me dando o maior soninho também.
Parece que este gato gordo tem um débito cármico pra pagar?

53 comentários:

Anônimo disse...

Mais regalia para esses vagabundos? e as crianças pobres que não tem nem o que comer quanto mais um bicho de estimação?

Caracala disse...

Essas terapias com bichos trazem muitos resultados bons para pessoas com problemas mentais ou violentas.

Teresa Silva disse...

A doutora Nise da Silveira havia descoberto o potencial terapêutico dos animais, principalmente gatos. Pena que o livro que fala disso está esgotado. As poucas cópias disponíveis estão à venda por uma nota.

"(Nise da Silveira) foi uma pioneira na pesquisa das relações emocionais entre pacientes e animais, que costumava chamar de co-terapeutas.

Percebeu esta possibilidade de tratamento ao observar como um paciente a quem delegara os cuidados de uma cadela abandonada no hospital melhorou tendo a responsabilidade de tratar deste animal como um ponto de referência afetiva estável em sua vida.

Ela expõe parte deste processo em seu livro "Gatos, A Emoção de Lidar", publicado em 1998."

http://pt.wikipedia.org/wiki/Nise_da_Silveira

Sara disse...

Ja recebi esse e-mail tb Lola, e gosto muito de gatos, tenho até uma amizade virtual com uma delas que se chama Chicó, uma gatinha de uma amiga querida.
Mas gosto mais ainda dos meus periquitos que andam soltinhos na minha sacada, portanto vou continuar com meu carma ruim.

Luiza disse...

Eu amo animais, mas gatos são meus favoritos. Eles sempre chegam perto de você pra te dar atenção quando você está mal/chorando.

Carol M disse...

Ter gatos em casa é uma delícia! E eles são super amorosos e carinhosos. Claro que melhora qq ambiente ter animais e deixar as pessoas desenvolverem laços afetivos com eles.

Rafael Medeiros disse...

Sou completamente dependente a Rum Rum Terapia, sobretudo quando Lennon (um gato igualzinho ao da última foto do post)resolve aplicar-me suas massagens. Quanto e teorias sobre "por que os gatos dormem tanto", fico com a sua, Lola, e explico: sou budista e ateu, portanto para mim "carma" não passa de um correlato à conhecida lei de Newton sobre causalidade, mas sem implicações morais ou punitivas.
Quem não gosta de gatos, bom sujeito não é!

Anônimo disse...

Gato é um triste sucedâneo para mulher sem filho.

ila fox disse...

Hahaha adorei a teoria do gato pára-raio! X-D

Sabe que teve um período da minha vida, super conturbado quando um ex maluco não largava do pé, ficou agressivo e me infernizava horrores. Dois dos meus gatos foram atropelados (nunca tinha acontecido isso antes!), um morreu, outro sobreviveu. E os outros ficaram doentes... se eles sugam a energia negativa eu não sei, mas que foi estranho foi! O_o

Bizzys disse...

Gostei da ideia da Rum Rum terapia! Acho mesmo que os presos, ao aprenderem a cuidar/dar carinho a um animal, podem melhorar o jeito que tratam as pessoas.

Amo gatos, queria muito adotar um, mas enquanto eu morar em república fica impossível ter um gatinho. :/

Anônimo disse...

Para o primeiro anônimo aí de cima: a questão, energúmeno, não é fazer o bem para encarcerados, mas, já que não se pode matá-los, transformar suas vidas já opressivas em algo menos sombrio e improdutivo. Talvez um ex-sentenciado que teve a companhia de um gato em sua cela pense duas vezes e desista de matá-lo quando você estiver saindo da garagem de seu prédio.

Renata de Oliveira disse...

Lola,
sinto te dizer, mas eu já patenteei a "ron-ron terapia", viu!
Compartilhando um causo de preso e gatinho:
Estava de plantão, em 2007, novata de polícia, e havia um preso que estava drogado, dando muito trabalho - gritando, se debatendo, correndo o risco de se machucar, além, claro, de deixar o clima da delegacia de plantão, que já era (ainda é) um lixo, ainda mais tenso.
Pois bem. A gente não sabia mais o que fazer. Eu não arrisquei de dar um cigarro para o rapaz, pois ele estava muito delirante e poderia se machucar e nós seríamos responsabilizado.
Havia um gato vadio, preto e branco, arisco mas sociável como só os gatos conseguem ser.
E esse gatinho, que os policiais chamavam de "Júnior", chegou, entrou, passou pela minha sala, e se aproximou da pequena cela onde estava o rapaz preso. Quando eu vi o gato se aproximando, levantei na hora, com medo do preso o machucar.
Só que, obviamente, subestimei tanto o gato quanto o rapaz.
Quando o gato se aproximou da grade e ficou olhando para o rapaz, este parou de gritar, e ficou também observando o gato.
Foi se acalmando, se acalmando.
Eu, quando vi que ele não ia machucar o gato, também fiquei observando, de longe, sem interferir.
De repente, o gato entrou para dentro da cela, e subiu no colo do rapaz, que ficou acarinhando o pelo do Júnior.
E, no que restava da madrugada, ficaram os dois lá, e o clima do local melhorou consideravelmente.
Infelizmente, era um gato vadio, e mesmo que o pessoal do plantão o alimentasse, ele sumiu depois de alguns meses.
Mas sua história da ron-ron terapia para presos me lembrou dessa história!
(acho que tenho fotos do Júnior, se achar, vou escrever um post contando esta história tb!)
Bjs pra vc e pro Calvin!!!

Giovana Damaceno disse...

Eu também recebi o tal email e fiquei com dó só de imaginar Flora e Zoraide se desgastando para eliminar as energias negativas lá de casa. Tadinhas!
Quanto à alegria da casa, é geral. Um casal de cães e duas gatas mantêm os humores sempre em alta.
Beijo, Lola!

LisAnaHD disse...

LoLa, como vc, eu tb abomino esses e-mails trazendo matérias com slides e juntando isso a corrente então, livre-me disso!!!

Sobre a terapia para presidiários, um presídio do Estado de Rhode Island adotou a prática do tricô aos presidiários que precisam de um bom anger management. Foi feito um documentário e que ótimo o resultado para os homens encarcerados! Todos disseram do qto se sentem calmos e ainda tricotam para entidades carentes.

Depois disso fiz uma pesquisa sobre o assunto, i.e. se tricotar apresenta benefícios psicológicos e, sim, apresenta. E, mais ainda, faz bem fisicamente e nos ajuda no raciocínio, assim similar à mtemática. Na antiguidade tricotar era uma profissão masculina, qdo homens tricotavam as redes de pesca e claro que com "agulhas" rudimentares...

Anônimo disse...

Gato é tudo de bom, FATO!!!! Fui adotada por um pretolino magrelo sarnento que veio berrando atrás de mim pedindo comida... ganhou comida, casa, almofada, cama, mais almofada, a minha cabeça, a do meu marido... é o dono da casa hahahaha!!!!

Anônimo disse...

"Gato é um triste sucedâneo para mulher sem filho."

que nada amigo!!!

gato sabe se limpar desde que abre os olhos, come ração, usa a caixinha higiênica, dá carinho, faz manha, faz romrom... criança não faz romrom, cresce, fica malcriada, dá trabalho e custa caro. GATOS 4EVER!

Anônimo disse...

gato sabe se limpar desde que abre os olhos, come ração, usa a caixinha higiênica, dá carinho, faz manha, faz romrom... criança não faz romrom, cresce, fica malcriada, dá trabalho e custa caro. GATOS 4EVER!


-----------------

Isso sem contar que gatos não passam 30 anos ou mais da vida morando com os pais no que se chama hoje em dia de "adolescência tardia".

Lord Anderson disse...

Tb não tem o risco do gato virar mascul, leitor do Tio Rei ou troll da internet.


até agora só vantagens


kkkkk

Eva disse...

Não troco minhas rom rom terapeutas por nada! Elas estiveram comigo nos momentos mais difíceis da minha vida, sempre lá, super amorosas, querendo colo, atenção, carinho. Sofri com uma depressão profunda, e um dos maiores motivos pra eu topar me esforçar pra ficar bem era olhar praquelas carinhas ronronantes.

Beijos pra você, pro marido e pro Calvin ^-^

Luciana disse...

A ron-ron terapia é muito interessante. Não tinha ideia que existisse. O livro que a Teresa Silva recomendou parece ser esclarecedor. Fiquei com vontade de ler =].

Ter um animal de estimação melhora bastante o clima entre os familiares. Antes de ter a alegria da minha vida, uma cachorrinha, eu e minha mãe discutíamos bastante. Depois que ela chegou, nossa relação melhorou rapidamente. Hoje estou casada, mas moro próximo dos meus pais, e ainda ajudo nos cuidados da nossa paixão peluda. Além disso, minha mãe tem alergia volátil, mas quando a dog chegou, ela raramente teve crises.

Enfim, animal é tudo de bom =]

Anônimo disse...

Tb não tem o risco do gato virar mascul, leitor do Tio Rei ou troll da internet.

--------------

E não é?
Até agora, 10 a zero pro gato.

Urso de Jardim disse...

Olá, ótimo blog o seu. Artigos muito bons, gosto bastante. Também escrevo um blog, se qusier visitar é este aí:www.loblogue.comAcabei de fazer uma postagem nova sobre como excluir uma cotna do Facebook, se quiser ver também, fico muito grato:Como excluir Facebook

Lord Anderson disse...

E pra terminar

vc tem um filho, cria com amor e carinho, ensina oq é certo e errado

e quando cresce ele faz isso....

Jovem de 23 anos muda de nome legalmente e passa a se chamar Tiranossauro Rex

http://migre.me/90gg8

claro, podia ser pior e ele podia virar leitor da Veja.

Anônimo disse...

Deve ter energia negativa pra caramba lá em casa porque o Jorge (meu sialata) tá gordo feito um leitãozinho!

nina disse...

"Gato é um triste sucedâneo para mulher sem filho." Babaquice nível master.

Gato é tudo de bom.

Claudia disse...

Gente que gosta de gato, da uma olhadinha neste video: http://www.youtube.com/watch?v=i2iG9NQk9mI&list=FLyn2CPXtNXXrSx0ZQTKyJuw&index=24&feature=plpp_video

Leonel Pereira Cordeiro disse...

Lola, o carma tá sendo empregado de forma errada, permita-me explicar o que é.
Karma (com K) é uma lei de ação e reação, não é bom nem ruim. Se você cuspir para cima, seu karma será levar uma cusparada no rosto, mas se sorrir para alguém, provavelmente seu karma será receber um sorriso também. É apenas isso, ação e reação.
O que acontece é que esse conceito é oriental e nós ocidentais temos mania de alterar tudo, assim como aconteceu com O YÔga que virou A IÓga e até a Bíblia que tem uma série de distorções porque os costumes originais da terra de Jesus seriam escandalosos demais para nossa puritania, ou puritanês (de puritano, hehe) ocidental, o karma sofre um erro de interpretação sendo confundido com destino. Nisso (em destino) eu também não acredito.

Kazi disse...

Bem, eu sou suspeita pra falar de gatos, pois sou apaixonada por eles.

Lola, veja o que veio para meus braços esses dias: Dois órfãos famintos e carentes!

http://www.youtube.com/watch?v=xH3q3jYq7-I

Estou cuidando deles mesmo sabendo que terei que doá-los (já tenho uma gata e ela preenche a cota felina da casa). São uns dengos!

LisAnaHD disse...

licença, LoLa... partindo de rum rum... Caracalla, tu taí? tomalá, The Green Carnation Drink
Ingredients:
•2 oz vodka
•1/2 oz Midori melon liqueur
•splash of Benedictine
•splash of lime juice

Preparation:
1. Shake the ingredients with ice in a cocktail shaker.
2. Strain into a chilled cocktail glass.
http://cocktails.about.com/od/vodkadrinkrecipes/r/green_carnation.htm

James disse...

Vai fazer uma critica sobre Avengers, Lola?

Alex disse...

Eu já falei noutros posts que gosto muito de gatos. Eles são meus animais de estimação desde meus 6, 7 anos. O que viveu mais anos, Ron-Ron, morreu com 15 anos, e nunca esteve num consultório veterinário. E nem comia ração, mas sim comida de panela mesmo. Pra viver tantos anos sem cuidados especiais, só podia mesmo ser um "SRD" (sem raça definida). Era tigrado, desses tigradinhos em tons de cinza a preto, com peito, barriga e patas brancos, nariz rosa e os olhos verdes-claros, com um dourado ao fundo como se ouro em pó tivesse ficado em queda livre sem nunca ter chegado ao chão. Depois dele vieram outras e outros, quase todos siameses, uma raça que muito me agrada (são tranquilos e bonitos e, por ter pelos curtos, não dão um trabalho extra pra se manter a beleza adicional). De todos, porém, a que mais me marcou foi a Preta, filha de Samir, que era siamês, e Paola (tinha esse nome por causa daquelas novelas "italianas" exibidas anos atrás, na emissora mais famosa do país). Preta morreu em dezembro do ano passado, com 11 anos e meio. Ela tinha um problema renal que só foi descoberto quando a bichinha já estava prestes a morrer. Tinha um QI acima do normal (rs). Acho que foi o leite materno. Como foi a única que ficou conosco de uma ninhada de 5, tomou leite na mãe até 01 ano de idade. Pulava nas fechaduras pra abrir portas, adora abrir a porta e as gavetas dos móveis (vivia fazendo bagunça nas minhas gavetas com roupas), e algumas vezes foi flagrada fazendo xixi no vaso sanitário. Sentia cheiro de leite condensado e de sardinha de longe. Adorava sorvete e iogurte, que ganhava muito de vez em quando, por causa do estrago que o açúcar faz nos dentes. Aquela ali queria porque queria ser gente. Como eu gostava dela. Ela se foi, mas ficou Gaspar, que adotei do Centro de Humanidades da UFC. Ele está com 07 anos. Por causa da doença da Preta, há quase duas semanas levei-o pra fazer exame de sangue e foi detectada uma leve alteração nos índices de avaliação do bom-estado do fígado e dos rins. Ele fez uma ultrassom, e graças a Deus não há nada demais, só o desgaste natural do tempo mesmo (com 7 anos, ele já está na meia idade). Agora está tomando remédio pro fígado e comendo ração especial pros rins, uma ração chatíssima de ser encontrada. Comprei ainda agora pela internet um pequeno estoque. Fazer o quê? Ficar ligando pra petshops todos os dias eu é que não vou. Hoje chegou o bebedouro, uma fontezinha que espero que ele aceite bem. Os veterinários disseram que gatos adoram água corrente e que os bebedouros deles devem ter uma boa superfície, mas não precisam ser muito profundos. Eles não gostam de molhar os bigodes, o que é mais fácil num bebedouro de boa superfície. Por causa da morte da Preta e com o que aprendi com esse luto, estou cuidando melhor de Gaspar, um sialata bem bonito e dengoso de olhos azuis. Espero que ele viva mais do que 11 anos e meio. Pelo menos estou fazendo o melhor que posso. Uma pena não ter podido fazer o mesmo pela Preta. Como diz um ditado árabe conhecido, a ignorância é vizinha da maldade. Infelizmente a ignorância não me permitiu ser tão bom pra Preta quanto eu gostaria. Mas nunca é tarde. Estou deixando essas dicas em homenagem à Preta. Uma forma de honrar sua morte tornando-a útil a outros donos e donas de gatos. Se seu/sua bichano(a) já tem pelo menos 5 anos, leve-o para fazer um check-up numa clínica veterinária. Prevenir é melhor (e mais barato) do que remediar.

Anônimo disse...

Feministas são mulheres extremamentes negativas... Portanto, explica-se porque vivem com um mundo de bolas de pêlo dentro de casa... kkkkkkkk

Anônimo disse...

"Feministas são mulheres extremamentes negativas... Portanto, explica-se porque vivem com um mundo de bolas de pêlo dentro de casa... kkkkkkkk"

Porque mil bolas de pelo não são nada perto de ficar a 100 metros de um tipinho feito você.

Gatos>>>>>>>>>>>>>>>>>>...infinito....>>>>>>>>>monte de bosta>>>>>>mascus

Luiz disse...

Assunto paralelo.

Eu sempre achei o ator Morgan Freeman fantástico. Portador de uma inteligência impar. Nesta entrevista para um jornalista judeu (assim como eu) ele é simplesmente perfeito. Certamente não é um vídeo popular no nosso Supremo Tribunal Federal.

http://www.youtube.com/watch?v=tNEoIo3XMws&feature=player_embedded

Gabriela disse...

Rum Rum terapia o cacete! o gato da minha avó mijou em mim de sacanagem!nunca mais!

Diana disse...

Oi Lola, queria te mandar um link, que na verdade tem a ver com aquele post sobre bondage, http://ivyatoms.tumblr.com/ tem uma série de ilustrações bem legais sobre segurança primeiro no que diz respeito ao sexo e práticas BDSM
beijos :)

LisAnaHD disse...

alguém daqui já viu isso?
VERGONHA BRASILEIRA - EXPORTAÇÃO DOS NOSSOS JUMENTINHOS
http://www.youtube.com/watch?v=QuzUnTbtEKQ

petições
em português
http://www.peticaopublica.com.br/?pi=P2012N21806
em inglês
http://www.thepetitionsite.com/481/954/995/ministerio-da-agricultura-congresso-nacional-presidencia-da-republica-ministerio-publico-ministerio/

ravena disse...

sei como é amar e ser amada por felinos, tenho 2, uma siamesa de 5 anos chamada nina, e uma vira latinha 3 cores chamada chErry.

Paulo Caldas disse...

gatos... melhor não tê-los!
detesto gatos. não acredito nesse papo de energia sugada em momentos em que está acordado. ele está acordado por q dormiu e dorme por q esteve acordado, como todo animal que tem seus momentos de estar de um jeito ou de outro. tem animais que dormem de dia e são ativos de noite e vice versa. pára com isso!!! oXXXXXXI

Caracala disse...

Lisana, anotadíssimo.

Realmente é uma terapia muito boa, com resultados bem rápidos! rsrsrsrsrsrsrsrsrs.Grande Abraço.

Bruxinha disse...

http://etvpb.blogspot.com.br/2012/05/e-no-pelo-do-macaco-que-o-bicho-vai.html

Lola, você já viu isso?

nina disse...

Paulo
Não acho que quem gosta de gatos gosta porque acredita nisso de sugar energia. Eu, particularmente, não acredito. Mas adoro esses bichinhos.

Anônimo disse...

corja esquerdista hauahuahau
aff colega se atualiza

Anônimo disse...

Oi Lola, q legal a teoria de que gatos sugam as energias negativas.
Não tem nada de esóterico nisso animais, não só gatos, fazem c/ que liberemos mais hormônios de prazer,devido à fofura deles, então ficamos mais felizes.=)
Bjo pra vc e um agradinho para o Calvin

Pili disse...

lola, (e qem mais entende de gatos),
poderia me socorrer com um dilema felino?

moro com meu namorado na alemanha e já faz uns meses que uma gata vem todos os dias nos visitar. Ela é MUITO afetuosa com humanos (apesar de botar outros caes e gatos pra correr), mansa, aceitou muito bem quando botei coleira nela, além dos comandos de não subir na nossa cama nem mesa. Eu a cuido com muito carinho, alimento de qualidade, escovaçao semanal, anti-carrapato, e abrigo. As vezes ela passa dias a fio dentro de casa e só pede pra sair pro jardim quando quer caçar, fazer necessidades, etc. E a bonitinha caça muito bem apesar de ter apenas três dentes e um corte na língua (não sei se por velhice, acidente, maus cuidados ou o que). Bom, tudo me leva a crer que ela já teve dono algum dia, mas deve estar abandonada na rua já faz tempo...
Meu dilema é não poder adotá-la propriamente pois volto ao Brasil mes que vem... apesar de querer muito!!!!!!!!!!!
é que no Brasil eu vou voltar a morar com minha família, num apartamento alto (sem acesso a rua como ela está habituada), com dois cachorros, numa cidade quente. A familia diz que aceita com muita empolgaçao, e me ajuda a cuidar, mas acho que será um transtorno enorme pra bichinha.
Também não posso empurrar a adoçao dela pro meu namorado, pois não é justo e ele também se mudará no fim do ano!
Eu me convenci de deixá-la no abrigo da cidade ao ir embora, assim ela terá tudo que precisa além da chance de ser adotada no futuro.
Eu vou ficar tristinha, mas consolada imaginando que ela estará bem.
Mas...
E se ela sentir tanta falta de mim quanto eu vou sentir dela?
Sei que é egoista querê-la pra mim nessas condiçoes, mas é que vc precisa ver como ela é apegada com a gente. Realmente parece que foi ela que me escolheu.
Preciso de uma luz porque nunca tive gato antes, e são muitas novidades ao mesmo tempo pra eu tomar uma decisão.
Pleeeease, socorro.

ila fox disse...

Oi Pili,

Flor, tente traze-la ao Brasil.
Ela já andou de caixa de transporte. Já levou ao veterinário? dá para ter uma ideia de como ela vai reagir na viagem.

Transtorno vou te dizer que é sim, mas pra ela vai ser mais transtorno sem você por perto. Gatos se apegam as pessoas (ao contrário daquela história de que preferem a casa e bla bla bla).

Em 2009 eu me mudei para Minas Gerais (estava no Paraná) Eu morava em casa também, os gatos tinham uma vida livre, e me partia o coração de saber que iam ficar trancafiados num apartamento. Mas a natureza é incrível e eles se adaptaram rápido. Aliás, me dá até uma certa aflição em lembrar deles soltos por aí, o perigo que corriam...

Enfim, existem muitas burocracias para viajar com um animal no avião que variam de empresas para empresas, procure saber certinho. Tem muitas coisinhas que incluem atestados de saúde, caixa de transporte de tamanho apropriado, reserva antecipada... tente levar a gata junto com você, foi o que fiz com os meus.

Vai ser estressante, com certeza, mas vai valer a companhia e a tranquilidade de saber que fez a coisa certa. :-)

E boa sorte com a mudança!

ila fox disse...

Oi Pili, eu novamente! ;-)
Como eu já disse, meus gatos também moravam em casa, andavam pelo telhado e também adoravam caçar! depois que me mudei para o apartamento eles também passaram a engordar, por isso sempre compramos sempre brinquedinhos legais. O ultimo foi esta baratinha - http://www.youtube.com/watch?v=20UGEEc9i3A
Com carinho, comida e brinquedos, não tem como dar errado! ;-)

ps. - Você ter certeza que esta gata não tem dono? é que eu me lembro que meu gato era tão sociável quando eu morava em casa, que direto estava fazendo amizades pela vizinhança. Cheguei a ficar sabendo que o danado dormiu com o filho de um casal! hahaha

Anônimo disse...

@Anônimo das 11:27
Problemas com o português? Nada que uma reforma ortográfica comandada por um analfabeto não resolva.

Nina disse...

Ouunt! Eu nem mi guento quando você posta sobre gatinhos! ^^

Tenho um "parente" do Calvin, amarelinho também, e o nome dele é Haroldo! Quem batizou foi meu irmão, por causa da dupla Calvin & Haroldo mesmo, hehe.

Além do meu tigrinho, mais quatro gatinhos: Romeu, Bininho, Mir e Gandalf. Confesso que eu acredito nessa relação dos gatos com energias e tals, por causa da convivência com eles, sinto sempre como eles são especiais! Mas confesso que sua explicação é mais plausível, rs!

Beijos Lola! Pro Calvin também! =)

Patrick disse...

O Ministério da Agricultura é quem regulamenta a importação de animais domésticos como gatos. As instruções podem ser encontradas neste endereço:

http://www.agricultura.gov.br/animal/animais-de-companhia/transporte-internacional

Patrick disse...

E no Ducs Amsterdam tem a narrativa completa de como foi fazer o inverso (levar dois gatos do Brasil para a Holanda):

http://www.ducsamsterdam.net/conhecam-os-gatos-dos-ducs-em-amsterdam-e-como-eles-foram-sair-do-brasil-e-parar-na-holanda/

Anônimo disse...

Pili, se vc não vai ter como cuidar adequadamente desse gato no Brasil (apartamento telado completamente, em todas as janelas, mas todas mesmo) e sem depender da sua família é melhor desapegar e deixar pra alguém que dê condições melhores.

Desapegar.

Anônimo disse...

E antes de pensar em fazer seu animal passar por uma viagem longa de avião as pessoas deveriam se informar sobre em que condições os animais são transportados.

Eles precisam ser dopados porque não aguentam o barulho da cabine onde a carga vai e vc não vai poder visitá-los em nenhum momento.

Muitos morrem por stress ou desidratação, google é seu amigo.

Em uma viagem internacional pode multiplicar isso aí por mil.